Page 1


OBJETIVOS

Entender a visĂŁo das empresas federadas a respeito do trabalho executado pela FEJEMG no primeiro semestre de 2012, apontando pontos de melhoria e expectativas para os prĂłximos semestres.

Mensurar o impacto do trabalho da FEJEMG enquanto geradora de valor para as EJs e do MEJ enquanto movimento potencializador da rede

Diagnosticar problemas em termos de alcance de resultados e trabalhar para revertĂŞ-los.


Pesquisa • A amostra foi de 38 empresas, dentre o total de 46 empresas juniores federadas no momento do envio. – 30 EM DIA – 8 respostas no PRAZO ESTENDIDO – 8 empresas NÃO responderam


Fomento e Orientação 18

17

16 14 12

11 10

10

8 6 4 2 0

0

1

2

0

Média

Desvio Padrão

3

Coeficiente de Variação

4

Comparativo 2012-1

5


Fomento e Orientação A nota média é relativamente satisfatória e possui alto grau de concordância entre as EJs. As principais críticas estão voltadas para a sustentabilidade do processo em si, que parece carecer de musculatura com o crescente e intenso número de federações de EJs. Quanto ao trabalho da equipe, a avaliação é positiva e agora os esforços devem se dar na retenção do conhecimento e da capacidade crítica adquiridos. Assim, pode-se ver as questões raízes desse pilar como a ponta do iceberg, uma vez que os principais gargalos estão se dando nos processos pós-federação, o que exige que as outras áreas consigam catalisar seus processos de forma a atender às necessidades das EJs que estão de federando.


Fomento e Orientação Comentários • “Tomar cuidado ao federar muitas EJs” • “O Discurso de Maior do Mundo atualmente não traz benefícios para a Federação, visto que ser maior não necessariamente significa ser melhor” • “Deveria-se (sic) estruturar melhor o processo de federação, uma vez que ele contém etapas mal estruturadas, como os treinamentos ministrados pelas Diretorias” • “A FEJEMG não deveria atuar com Fomento (como é feito hoje na prática) e continuar focando em Orientação. Logo, Fomento deveria ser retirado dos pilares da FEJEMG. Quanto à Orientação, este pilar deveria ser alinhado ao Suporte, pois de nada adianta federar mais EJs sem garantir estrutura para tal.” • “A FEJEMG precisa pensar na sustentabilidade ao trabalhar com orientação”


Suporte 25 22 20

15

10 8

5

4 3 1

0 1

Média

2

Desvio Padrão

3

Coeficiente de Variação

4

Comparativo 2012-1

5


Suporte O pilar Suporte apresenta, curiosamente, pontos divergentes e convergentes na opinião das EJs respondentes. Ao mesmo tempo em que se notou evolução nas entregas, tais como os PDs e a criação do cargo de consultores dedicados, também percebe-se lacunas nesses pontos. Tal divergência se dá na questão do nível de maturidade das EJs, sendo que nem todas se sentem contempladas com os produtos desse pilar. Ainda, questiona-se o suporte às EJs em processo de federação, sendo que foi levantado o ponto de que tal suporte tem sido essencialmente para questões jurídico-legais.


Suporte Em linhas gerais, enxerga-se dois problemas: - Alcance: a FEJEMG ainda não entrega valor nesse quesito a todas as EJs - Profundidade: o valor entregue ainda não é suficiente para suportar as EJs em suas demandas específicas - Gestão de rede: ainda não se encontrou uma forma de alavancar o suporte oferecido através das próprias EJs, causando forte dependência de muitas para com a FEJEMG.


Suporte Comentários: • “Para oferecer um suporte maior, a FEJEMG poderia fazer uma parceria maior com o Núcleo, visto que ele está mais próximo de nós e ficaria mais fácil a atuação.” • “Da mesma forma que o fomento, vejo muitas EJs com problemas e poucas sendo contempladas pela FEJEMG. Na verdade, as EJs que tem participado do PD da FEJEMG não são as EJs que mais precisam dele, são EJs que já tem um grau de consolidação e estão procurando aprimorar suas práticas.” • “Primeiramente devemos destacar que o consultor de desenvolvimento está sempre solicito para dar suporte à nossa EJ. No entanto, existe muito suporte para empresas que estão sendo fomentadas e para empresas que já estão federadas não existe muito enfoque.” • “Continuação e melhoria contínua das práticas já existentes: SAEJ e PDs, por exemplo. Maior difusão dessas práticas para todas as EJs.”


Suporte Principais pontos levantados: • “Somente terão-se (sic) insumos concretos para afirmar que a FEJEMG atua bem nisso quando forem apresentados dados do quanto as EJs que aderiram aos programas de Suporte se desenvolveram e alcançaram resultados.” • “Oferecer suporte mais qualificado, ou seja, de fora do MEJ, para empresas juniores mais evoluídas.”


Intergração e Alinhamento 14 13

13

12

10 8 8

6 4 4

2 0 0 1

Média

2

Desvio Padrão

3

Coeficiente de Variação

4

Comparativo 2012-1

5


Integração e Alinhamento Este é, de longe, o pilar cuja avaliação foi a mais difícil, na opinião das EJs respondentes. Grande parte alegou não saber opinar sobre como a FEJEMG pode trabalhar nesse sentido. Logo, faz-se necessária a disseminação de conhecimento relacionado a gestão de redes sociais e sistemas complexos, de forma a embasar a análise crítica e alavancar as ações nesse sentido Quanto aos pontos específicos, destaque para o SAEJ. Em relação às reuniões presenciais, vê-se a importância de pautas mais focadas que desdobrem esse pilar. Entretanto, percebeu-se que algumas EJs confundem esse pilar com as integrações das RP, o que demonstra falta de conhecimento aprofundado.


Integração e Alinhamento Comentários: • “A Integração existente hoje na FEJEMG é positiva, porém o Alinhamento praticamente não existe.” • “A difusão de práticas através dos canais da Fejemg já é uma forma bem interessante de gerar integração e alinhamento. Nem sempre é preciso mudar a forma como as coisas são feitas, mas sim a forma como as pessoas reagem ao que já existe. É preciso que se promova uma mudança de cultura entre as EJs, que o espírito MEJ não seja só um tema, mas uma realidade, que aja (sic) interesse mútuo no desenvolvimento e na definição de um pensamento comum. ”


Regulamentação 18 16 16 14

13

12 10

9

8 6 4 2 0

0

1

2

0

Média

Desvio Padrão

3

Coeficiente de Variação

4

Comparativo 2012-1

5


Regulamentação O pilar Regulamentação foi o melhor avaliado dentre todos os cinco, alcançando média de 4,2 (de 1 a 5). Destaque para as ações preventivas e melhorias nos processos relacionados ao Selo EJ. O principal ponto de melhoria citado se deve à comunicação da regulamentação tanto em relação à sua importância para as EJs e para a rede quanto informações pertinentes ao processo, o que pode facilitar a atuação das próprias EJs. Também foi ressaltada a oportunidade de atuação em parceria com os núcleos de forma a catalisar o processo e diminuir o risco de ruído de comunicação.


Regulamentação Comentários: • “A parte de regulamentação da FEJEMG é bem estruturada, porém deve haver uma maior interação e comunicação entre os membros da equipe que auditam os documentos, pois ocorrem alguns ruídos que botam em risco o Selo de algumas EJ's.” • “A FEJEMG deveria buscar maneiras de facilitar a regulamentação das EJ's. Por exemplo: Poderia fazer uma parceira mais efetiva com os núcleos pois os mesmos sabem a realidade das EJ's e facilitaria a comunicação e a regulamentação.” • “Apesar de uma EJ ter sido desfederada este ano por irregularidades com o Selo (sendo que a meta era nenhuma), o trabalho vem sendo bem realizado neste pilar.” • “Falta na FEJEMG atuar perante a regulamentação no sentido de informar e conscientizar as empresas sobre a importância da regulamentação. O projeto de prevenção do selo EJ é um passo importante para evitar problemas, mas é preciso atuar no sentido de não apenas cobrar documentos, mas também informar.”


Representação 16 14 14 12 12

10

8

6

5 4

4

3

2

0 1

Média

2

Desvio Padrão

3

Coeficiente de Variação

4

Comparativo 2012-1

5


Representação Pilar com a nota média mais baixa, a Representação é notada como ponto crítico em dois pontos: o desconhecimento das ações e a falta da visualização de resultados concretos. Os pontos levantados estão relacionados, na maior parte, a duas partes interessadas: o governos e as instituições de ensino. Também foi ressaltado que o tamanho da FEJEMG é um fator que deve ser explorado na representação do MEJ mineiro e atualmente é subutilizado e que o JEWC foi prova de que isso pode ser feito de forma contínua. Desta forma, cabe desenhar um posicionamento mais coeso da FEJEMG e um alinhamento de expectativas perante as EJs de forma a assegurar o crescimento da representatividade dessas no ecossistema empreendedor do estado e das cidades.


Representação Comentários: • “Esta é a função da FEJEMG que mais deixa a desejar. Temos um potencial enorme e devemos trabalhar cada vez mais para que ele seja divulgado. Percebe-se que houve uma melhora nesse sentido, mas devemos procurar as mídias, governo e sociedade para disseminar o movimento empresa junior de Minas Gerais.” • “A FEJEMG hoje precisa ter uma diretriz clara sobre como deve ser sua atuação perante o governo e perante a sociedade e IES. Falta proposito em nossos marcos.” • “Esse é um ponto um pouco falho ou com resultados não amplamente ressaltados. As EJs não tem, hoje, a visão de que exista um órgão realmente interessado em fazer frente à elas em todas as instâncias de representação. Parcerias também são formas de representação e existem algumas delas ainda em vigência, mas é preciso pensar mais estrategicamente o quão essas parcerias são interessantes para a totalidade das EJs federadas.”


Indicaria a FEJEMG para uma EJ n達o federada? 12 10 10 9 8 8 6 6

4

2

2

5

6

2 1 0

0

0

3

4

0 1

2

Promotores

Detratores

7

NPS

8

(Net Promoter Score)

9

10

Comparativo 2012-1


O quanto sua EJ contribui para o MEJ? 20

19

18 16 14 12 10 8

6

5

5

5

9

10

4 2 2

1

0

1

0

0

0 1

Média

2

3

Desvio Padrão

4

5

Coeficiente de Variação

6

7

8


Pontos fortes da Gestão 2012.2 • SAEJ • Regularização jurídica e fiscal e reorganização da diretoria admnistrativo-financeira • Equipe FEJEMG motivada e coesa • Melhoria na transparência da FEJEMG • Aumento do número de EJs federadas • Processo de fomento e orientação • Repasses mais objetivos • Diretoria comprometida


Pontos de melhoria da Gestão 2012.2 • Reuniões presenciais devem ser melhor planejadas • Pautas de RPs devem ser mais atrativas e nem tudo deve ser aberto a todos • Representatividade externa deve ser melhorada • Geração de valor: sensação de que só as EJs geram valor pra FEJEMG e não o contrário • Participação do conselho deliberativo deve melhorar


Obrigado!

Ryoichi Penna Vice-Presidente 2013-1 Heitor Alves Presidente do Conselho 2013


Análise - Pesquisa de Satisfação FEJEMG 2012-2  

Relatório preliminar da pesquisa de satisfação da gestão 2012-2 da FEJEMG.

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you