Page 7

Ceará Imobiliário (CI) - Como está o desempenho da construção civil no Ceará? Como avalia o nível tecnológico das empresas do Estado?

dade. Embora a expectativa para o próximo ano seja em torno de 6%, uma porcentagem ainda discreta, continuamos a crescer progressivamente.

Roberto Sérgio (RS): Hoje, o Ceará é único estado do Nordeste com certificação do Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade no Habitat (PBQP-H). Estamos bem evoluídos quanto ao nosso desempenho. Temos 480 canteiros de obras no Estado do Ceará.

CI - Faltam profissionais qualificados no mercado? Quais são os pilares que estão sendo erguidos para recolocar a mão- de- obra na construção civil?

Embora a expectativa para o próximo ano seja em torno de 6%, uma porcentagem ainda discreta, continuamos a crescer progressivamente.

CI - Qual a estimativa de crescimento do setor para 2012?

RS: Em 2010, enquanto o país como um todo obteve um crescimento de 7%, o setor imobiliário obteve um crescimento exponencial de 17,5%. Isso mostra que o setor está maduro e seu crescimento só tende a criar mais possibilidades para a sua estabili-

RS: Sim. Temos um déficit de 2.000 empregos no setor, sem contarmos com as obras da Copa de 2014. Para tentar suprir essa necessidade estamos treinando nosso pessoal, ou seja, estamos qualificando os funcionários do nível mais baixo e elevando-os para uma categoria de meio-profissional. Assim, só empregamos para cargos mais baixos, que não têm uma necessidade de qualificação elevada. CI- Qual o maior desafio do setor? RS: Há três anos era o treinamento para a produção. Hoje, é o fato de não termos mão-de-obra qualificada, principalmente, profissionais como pedreiros, carpinteiros, gesseiros, pintores, eletricistas, bombeiros, entre outros. CI - Qual é a participação dos empresários estrangeiros no mercado cearense? RS: Temos duas ou três obras de empresas estrangeiras associa-

das com construtoras que são do Estado. Na maioria das vezes, os empresários estrangeiros apenas compram imóveis e revendem. CI - As construções sustentáveis são o futuro? Quais as principais especificidades para a sua realização? RS: Sim. Há muitas formas de utilizar, como o reuso da água, acumulação de chuva. Já que as ruas são impermeáveis e os solos secos, pode haver uma infiltração da água de chuva nos solos e poços. Para ser viável não basta apenas tecnologia para isso, pois esse não é o nosso problema. Hoje temos acesso a todos os processos tecnológicos, mas temos que ver se a cultura está disposta e se é economicamente viável. CI - Qual a vantagem para o empreendedor e/ou construtora em certificar a sustentabilidade de um de seus empreendimentos? RS: Ainda não é uma referência tão importante no Ceará. Apenas duas construtoras no Estado assumem essa identidade de sustentabilidade. O desafio é que a economia não absorve tudo isso. Os prédios sustentáveis ou verdes possuem um custo inicial alto e as pessoas ainda não têm a cultura de querer pagar por isso. Ainda é preciso disseminar essa ideia.

Sobre o SINDUSCON O Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado do Ceará (SINDUSCON– CE) foi fundado em 1942 para representar o setor e defender seus interesses junto ao Governo e à sociedade. É filiado à Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), à Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC) e à Confederação Nacional da Indústria (CNI). A SINDUSCON-CE promove regularmente ações esclarecedoras da importância da construção civil e suas relações com os clientes. Mais informações: www.sinduscon-ce.org.br

Ceará Imobiliário Janeiro 2012 | 7

Revista Ceará Imobiliário - Janeiro 2012  

Revista Ceará Imobiliário - a melhor revista do ramo imobiliário do Ceará, abordando diversos assuntos como: economia, meio ambiente, respon...

Advertisement