Anuário 2019 - Faculdade de Ciências Econômicas UFRGS

Page 1

FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS ANUÁRIO 2019 Ano-base 2018


UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Rui Vicente Oppermann, reitor Jane Fraga Tutikian, vice-reitora FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS Carlos Henrique Vasconcellos Horn, diretor Maria de Lurdes Furno da Silva, vice-diretora Coordenação: Tatiany Oleques Lukrafka Pesquisa: Aline Bednarski Lummertz, Gabriela Martins Trezzi, Lílian Maciel, Tatiany Oleques Lukrafka e Thayna Miranda da Silva Textos: Tatiany Oleques Lukrafka e Thayna Miranda da Silva Projeto gráfico: Taís Aline Salomão e Tatiany Oleques Lukrafka Diagramação: Julia Carolina Bravo, Tatiany Oleques Lukrafka e Thayna Miranda da Silva Fotografias: Applause Formaturas, Arquivo FCE, Centro Estudantil de Relações Internacionais da UFRGS, Diretório Acadêmico de Economia, Contábeis e Atuariais da UFRGS, Guadalajara Formaturas, Rochele Zandavalli, Tatiany Oleques Lukrafka e UFRGSMUN Pictogramas: Freepik, flaticon.com Revisão: Carlos Henrique Vasconcellos Horn e Thayna Miranda da Silva

DADOS INTERNACIONAIS DE CATALOGAÇÃO NA PUBLICAÇÃO (CIP)

Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Ciências Econômicas. Faculdade de Ciências Econômicas : anuário 2019. / Tatiany Oleques Lukrafka [Coord.]. - Porto Alegre : UFRGS/FCE, 2019. 155 p.: il. Anual. Ano base 2018. 1. Faculdade de Ciências Econômicas : estatísticas. 2. Ensino-pesquisaextensão: dados estatísticos 3. Gestão: estatística. I. Lukrafka, Tatiany Oleques. II. Título. CDU 33 Responsável: Biblioteca Gládis Wiebbelling do Amaral, Faculdade de Ciências Econômicas da UFRGS


SUMÁRIO

FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS ENSINO

6 28

Graduação

30

Pós-Graduação

50 70

Especialização

PESQUISA

74

EXTENSÃO

86

ASSOCIAÇÕES ESTUDANTIS

100

BIBLIOTECA

112

PUBLICAÇÕES DA FCE

116

ÓRGÃOS AUXILIARES

120

APÊNDICES A - Premiações B - Quadro de pessoal C - Produção científica

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

126 126 130 136

3


APRESENTAÇÃO

A Faculdade de Ciências Econômicas da UFRGS (FCE/UFRGS) tem procurado ampliar os canais de comunicação com o público acadêmico e a população em geral. Nosso principal objetivo é o de divulgar os resultados das atividades de ensino, pesquisa e extensão e o trabalho técnico-administrativo que lhe dá suporte. Cada um de nós consegue enxergar apenas uma parte do conjunto dessas atividades, no mais das vezes aquela parte a que está diretamente vinculado na condição de aluno, técnico ou professor, sem perceber que a instituição produz muito mais do que se apresenta ao seu campo de atenção. Esta lacuna na informação é ainda maior para quem não convive na Faculdade ou na universidade em geral. O problema de informação incompleta afeta qualquer instituição do mundo real. No caso da universidade pública brasileira, deve ser considerado tanto mais grave em face da crítica desqualificada de que tem sido vítima, a ponto de o mais importante membro do governo na área educacional lhe atribuir a pecha de local de balbúrdia. Líderes de outra nação, nos anos trinta do século passado, tinham na mentira sistemática uma de suas mais importantes táticas com o fim de desqualificar os que não comungavam seus dogmas.

4


Premidos pela redução de meios e indignados com a voz acusatória dos que não enxergam sequer a sombra do trabalho acadêmico, resta-nos perseverar na busca do objetivo maior da expansão e qualificação do ensino, da pesquisa e da extensão. Manter a universidade como espaço do livre pensar, do aprendizado rigoroso e plural, da formação de cidadãos para o mundo – com seus direitos e suas responsabilidades. A publicação do Anuário da Faculdade de Ciências Econômicas 2019, reunindo informações sobre as atividades realizadas no ano de 2018, é uma iniciativa singela que procura se contrapor à corrente da desinformação e mostrar à comunidade universitária e ao público em geral o trabalho realizado numa universidade pública. A FCE/UFRGS é uma das mais antigas e tradicionais unidades acadêmicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, com atuação nas áreas de economia, ciências contábeis, ciências atuariais, relações internacionais e desenvolvimento rural. Mantém, hoje em dia, cinco cursos de graduação, quatro programas de pós-graduação em nível de mestrado e doutorado, inúmeros cursos de especialização, dois institutos e vários núcleos especializados de ensino e pesquisa e múltiplas atividades de extensão universitária. No ano de 2019, a FCE/UFRGS celebra seu 110° aniversário. É uma faculdade antiga para os padrões nacionais, mas muito jovem se a compararmos com experiências de ensino superior na Europa, nos Estados Unidos e em outros países da América Latina. Não obstante, cresceu rapidamente e afirmou-se, junto com toda a UFRGS, como um dos mais importantes centros do país. Ao encerrar a segunda década do século XXI, a FCE mira o futuro na esperança de superar desafios e ajudar a fortalecer o sistema universitário brasileiro.

CARLOS HENRIQUE HORN Diretor da Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

5



FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS


FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS

No período compreendido entre novembro de 1909 e dezembro de 2018, mais de 15 mil estudantes foram titulados nos cursos da FCE, em todos os níveis de

Foto: Rochele Zandavalli/UFRGS

ensino.

A Faculdade de Ciências Econômicas (FCE) tem como principais objetivos formar e qualificar pessoas comprometidas com a excelência e com a ética no exercício de suas funções profissionais, construir conhecimento por meio da pesquisa e da extensão e contribuir para o desenvolvimento da sociedade por meio da interação com os setores público e privado. Em nível de graduação, oferece os cursos de Ciências Atuariais, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Desenvolvimento Rural e Relações Internacionais. Já em nível de pós-gradu-

Prédio que abriga as instalações da Faculdade está situado na Avenida João Pessoa, no Centro de Porto Alegre 8


ação, forma profissionais nas áreas de Controladoria e Contabilidade, Desenvolvimento Rural, Economia e Estudos Estratégicos Internacionais. Em 2018, ano de referência dos dados deste anuário, circularam pelos corredores do prédio da Faculdade mais de 2 mil graduandos e 400 pós-graduandos. Além da sua história, a FCE já titulou mais de 15 mil estudantes, em todos os níveis de ensino. A origem da FCE, uma das Unidades mais antigas da UFRGS, remonta à antiga Escola de Comércio de Porto Alegre, criada em 1909, com a oferta de um curso de nível médio e outro de nível superior. A ampliação das áreas de formação ocorreu apenas em 1945, quando a Escola se transformou em Faculdade de Economia e Administração. Naquele ano, foram criados os cursos de Ciências Econômicas e Ciências Contábeis e Atuariais. Em 1950, com a federalização da Universidade, a Faculdade de Economia e Administração tornou-se Faculdade de Ciências Econômicas (FCE), como é chamada até os dias atuais.

FCE EM NÚMEROS

2,4 mil estudantes de graduação e pós

15 mil alunos titulados

5

4

99

47

cursos de graduação

professores

PPGs

técnicoadministrativos

Anos mais tarde, com o objetivo de atender à demanda por estudos econômicos e levar adiante o cálculo do Índice de Preços ao Consumidor de Porto Alegre, foi criado em 1953 o Instituto de Estudos e Pesquisas Econômicas – IEPE. Órgão auxiliar da FCE, o IEPE também foi pioneiro no processo de concepção da pósgraduação da Faculdade. Na décadas seguintes, foram lançados os cursos de mestrado em Economia Rural e em Sociologia Rural, nos anos 1960, e em Economia Pura, nos anos 1970. Visando à expansão do campo de formação da Faculdade, em 1963 foi criada a graduação em Ciências Administrativas, que em 1996 foi transferida para a recém-criada Escola de Administração da UFRGS. Nos anos 2000, foram abertos dois novos cursos na FCE: o bacharelado em Relações Internacionais, em 2004, e o tecnólogo em Planejamento e Gestão para o Desenvolvimento Rural, em 2007, depois transformado em bacharelado. Também nos anos 2000, foram criados o Programa de Pós-Graduação em Estudos Estratégicos Internacionais, em 2010, e o Programa de Pós-Graduação em Controladoria e Contabilidade, em 2015. Ainda em 2015, foi fundado o Centro Interdisciplinar em Sociedade, Desenvolvimento e Ambiente (CISADE), para oferecer suporte às novas demandas de ensino, pesquisa e extensão na área de Desenvolvimento Rural.

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

Parabéns à Faculdade de Ciências Econômicas Em 2019, a FCE completa 110 anos. Ao longo da história, consolidou-se como uma das maiores faculdades de Ciências Econômicas do Brasil. Ao chegar aos 110 anos, a instituição destaca a importância das pessoas na construção de sua história: as gerações passadas, por seu trabalho pioneiro, e a atual e as futuras gerações, por darem continuidade à trajetória da Faculdade de Ciências Econômicas.

9


MISSÃO A Missão da FCE consiste em formar e qualificar pessoas comprometidas com a excelência e com a ética, em construir novos conhecimentos e em contribuir para o desenvolvimento da sociedade.

VISÃO Com o objetivo de se tornar um centro de referência internacional, a Faculdade de Ciências Econômicas se projeta no futuro como uma instituição dinâmica, capaz de acompanhar e de estimular mudanças nos sistemas econômicos, políticos e socioambientais, no âmbito nacional e internacional, bem como nas esferas do Estado, das organizações públicas e privadas e da sociedade em geral.

INTEGRAÇÃO DA COMUNIDADE DA FCE: a Faculdade acredita que é necessário construir um ambiente que facilite a integração e a comunicação entre todos – estudantes, técnico-administrativos e docentes –, condição essencial para a eficácia do processo de aprendizado e para o crescimento profissional;

VALORES

DESENVOLVIMENTO HUMANO E COLABORAÇÃO: a FCE busca um ambiente de liberdade e de respeito, em que sejam possíveis a proposição e a avaliação crítica de novas ideias e em que a ajuda mútua possibilite que todos – estudantes, técnicos e docentes – alcancem a plenitude de seus potenciais; VALORIZAÇÃO DA PLURALIDADE: a Faculdade entende que existem diversas abordagens para a compreensão de sistemas econômicos. Diante disso, aceita e defende a pluralidade de ideias e de métodos, que se complementam e que estimulam a busca da excelência acadêmica; MELHORIA CONTÍNUA DE PROCESSOS: entendendo que a Universidade deve responder de forma rápida e eficiente, a FCE busca melhorar os processos administrativos internos de forma a torná-los mais ágeis e transparentes; SUSTENTABILIDADE, RESPONSABILIDADE E TRANSPARÊNCIA: a Faculdade defende abordagens que incorporem os princípios da gestão pública responsável, da ética, da sustentabilidade social e ambiental e da transparência. A FCE age e educa seus alunos de acordo com esses princípios; DEMOCRATIZAÇÃO DO ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO: a FCE defende a ampliação do acesso público ao conhecimento, assegurando a qualidade do ensino e das atividades de pesquisa e extensão; COOPERAÇÃO INSTITUCIONAL: a Faculdade de Ciências Econômicas acredita que, por meio da cooperação com outras entidades, respeitando a diversidade, podem-se estabelecer parcerias que propiciem benefícios mútuos.

10


ESTRUTURA A Faculdade de Ciências Econômicas é uma Unidade Universitária vinculada à Universidade Federal do Rio Grande do Sul, autarquia dotada de autonomia didático-científica, administrativa e de gestão financeira e patrimonial. A mais alta instância diretiva da FCE é o Conselho da Unidade, organismo que exerce, em caráter superior, as funções normativa, consultiva, propositiva, deliberativa e de planejamento, estabelecendo as diretrizes de ensino, de pesquisa e de extensão. A gestão da Faculdade é exercida pela Direção, órgão que coordena, superintende

e fiscaliza todas as atividades na Unidade Universitária. A FCE é composta ainda pelos Departamentos, pelas Comissões de Graduação, de Pós-Graduação, de Pesquisa e de Extensão, pelos órgãos auxiliares, pela Gerência Administrativa e pela Biblioteca, além de núcleos e assessorias. A estrutura administrativa e organizacional da FCE é definida por Regimento Interno aprovado pelo Conselho da Unidade e pelo Conselho Universitário da UFRGS.

CONSUNI

NAU

IEPE

Biblioteca

Departamentos

Núcleo de Gestão de Desempenho

DIREÇÃO

COMGRAD’S

CISADE

COMEX

COMPESQ

Gerência Administrativa

Programas de Pós-Graduação

DCCA

Atuariais

Setor Administrativo

PPGCONT

DERI

Contábeis

Setor de Infraestrutura e Finanças

PGDR

Desenvolv. Rural

Setor Acadêmico

PPGE

Economia

PPGEEI

Relações Internacionais

Direção Carlos Henrique Horn, diretor, e Maria de Lurdes Furno da Silva, vice-diretora.

Gerência Administrativa Kátia Rezer Menger, gerente administrativa; Anderson Vieira Bitencourt (financeiro), Aline Bednarski Lummertz (convênios), Francine Adriane Baldigen (planejamento), Ivone Christimann Meireles (coordenadora do Setor Acadêmico), João Carlos Lopes Bueno (portaria), José Carlos da Silva Correa (arquivo), Luiz Carlos Vargas de Abreu (coordenador do Setor de Infraestrutura), Paulo Iur Pereira de Souza (infraestrutura), Renato de Moura Batista (infraestrutura), Rogério de Lemos Costa (infraestrutura), Susana Miranda da Silva (recursos humanos).

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

11


PESSOAS

O quadro de professores de carreira da Faculdade de Ciências Econômicas

O quadro funcional de carreira da Faculdade de Ciências Econômicas é formado por 101 servidores docentes e 47 servidores técnico-administrativos. Esses profissionais foram selecionados mediante aprovação em concurso público, com provas ou provas e títulos, e contratados sob o Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União (Lei n. 8.112/1990). Complementam essa equipe 11 funcionários terceirizados, vinculados a empresas responsáveis por limpeza e segurança patrimonial nos prédios, e 3 professores substitutos. Fonte: Setor de Recursos Humanos/FCE

da UFRGS é altamente qualificado, tendo, em sua maioria, profissionais com título de doutorado.

DOCENTES Ao final de 2018, o quadro docente da Faculdade de Ciências Econômicas era formado por 101 professores de carreira. Todos lotados em dois departamentos: o Departamento de Economia e Relações Internacionais (DERI) e o Departamento de Ciências Contábeis e Atuariais (DCCA).

QUALIFICAÇÃO DOS DOCENTES

87 doutores 12

12 mestres

2

graduados


FORMAÇÃO DOS DOCENTES

TOTAL

Economia

50

Ciências Contábeis

22

História

7

Agronomia

4

Ciências Atuariais

3

Administração

3

Ciências BIológicas

2

Matemática

2

Relações Internacionais

2

Direito

1

Jornalismo

1

Geografia

1

Engenharia Agronômica

1

Engenharia Agrícola Filosofia

1

Veterinária

1

Fonte: Setor de Recursos Humanos da FCE

1

Curso de graduação dos docentes da FCE A formação acadêmica dos docentes reflete a pluralidade dos cursos oferecidos pela Faculdade tanto em nível de graduação quanto de pós-graduação. A maioria é composta de professores graduados em Economia e Ciências Contábeis, aos quais se somam docentes com formações em História, Ciências Atuariais, Filosofia e Relações Internacionais, entre outras.

Foto: Tatiany Lukrafka/FCE

Carlos Eduardo Schonerwald da Silva é doutor em Economia pela Universidade de Utah, nos Estados Unidos

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

13


Fotos: Tatiany Lukrafka/FCE

Vivian Cristiane Eisenhut Carravetta é servidora da UFRGS desde 2011 e atua como bibliotecária na FCE

Renato de Moura Batista ocupa o cargo de porteiro e recebe a todos na entrada do prédio da Faculdade

14


CARGO

TÉCNICOADMINISTRATIVOS Do total de 47 servidores que desenvolvem suas atividades na Faculdade de Ciências Econômicas, grande parte é Assistente em Administração, cargo de nível médio voltado à realização de tarefas administrativas nas Instituições Federais de Ensino Superior. A FCE mantém uma estrutura com profissionais de escolaridades diversas e em várias áreas de atuação.

TOTAL

Assistente em administração

18

Bibliotecário-documentalista

7

Administrador

3

Porteiro*

3

Auxiliar em administração

2

Estatístico

2

Técnico em assuntos educacionais

2

Técnico em secretariado

2

Administrador de edifícios

1

Almoxarife*

1

Auxiliar de creche

1

Economista

1

Jornalista

1

Operador de máquina copiadora*

1

Secretário executivo

1

Técnico de tecnologia da informação

1

*Cargos extintos no Plano de Carreira dos Servidores Técnico-Administrativos em Educação. Fonte: Painel de Dados UFRGS – set/2018

Escolaridade dos servidores técnico-administrativos Mais de dois terços dos técnico-administrativos da FCE têm formação em nível de graduação ou superior, o que coloca à disposição da comunidade acadêmica um quadro de servidores qualificados, capaz de responder a demandas complexas em diversas áreas de atuação.

2

9 Ensino Médio ou Inferior

9

Graduação

9 18

Especialização Mestrado Doutorado Fonte: Painel de Dados UFRGS – nov/2018

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

15


PLANEJAMENTO E RESULTADOS

Com o objetivo de qualificar a gestão, os processos de planejamento têm recebido cada vez mais atenção na FCE. Periodicamente, são elaborados o Projeto de Desenvolvimento Institucional (PDI) e o Planejamento Anual do Órgão, em consonância com o Plano de Desenvolvimento Institucional da Universidade. Em 2018, a FCE também iniciou o processo de atualização do Planejamento Estratégico da Unidade.

Em 2018, foi concluído o Projeto de Desenvolvimento Institucional da FCE (PDI), em vigência desde 2017. Desenvolvido a partir da análise das necessidades da da comunidade universitária, a Faculdade estabeleceu metas, objetivos e ações para o seu cumprimento.

Ao longo do ano, uma série de ações ocorreu para a construção do Planejamento Estratégico da FCE. Foram realizados sete grupos focais para elaborar a análise de ambiente da FCE (análise SWOT, com forças, fraquezas, oportunidades e ameaças). Para esses grupos, foram convidados técnico-administrativos, alunos e professores. Com o resultado dessa análise ambiental, o Núcleo de Planejamento Estratégico (NPE) elaborou uma lista dos “Problemas da FCE”, com as fraquezas e as ameaças, para serem categorizadas por meio de

PROCESSO DE PLANEJAMENTO FCE PDI UFRGS

16

Plano de Gestão UFRGS

Planejamento Estratégico FCE PDI FCE Planejamento Anual do órgão


uma Matriz GUT (que indica a gravidade do problema, a urgência com que precisa ser resolvido e a tendência de piorar caso nada seja feito) por membros do Conselho da Unidade e convidados. Após essa priorização, foi possível obter um ranking dos problemas que devem receber maior atenção, pois prejudicam a comunidade mais do que outros. Com essas informações, foi organizada uma atividade para definir objetivos e ações para solucionar esses problemas, buscando agir sobre as prioridades. A consolidação desse trabalho gerou um mapa estratégico com sete eixos de atuação, 20 objetivos e 56 ações para alcançá-los, que devem ser submetidas ao Consuni em 2019 e gerar o documento-base de Planejamento Estratégico.

Participação da comunidade no processo Durante o ano de 2018, houve 96 participações no processo de construção do Planejamento Estratégico, com um total de 58 pessoas envolvidas, considerando técnico-administrativos, docentes e discentes.

PROJETO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL (PDI / FCE) – ANDAMENTO DAS AÇÕES EM 2018 PDI Meta 1 - Qualificação e Fomento às atividades de Ensino, Pesquisa e Extensão OBJETIVOS

Apoiar a adoção de ferramentas de Educação a Distância (EaD)

Apoiar a qualificação da pesquisa no âmbito da FCE

Apoiar a qualificação da extensão na FCE

DESCRIÇÃO DA AÇÃO Incentivar a adoção de inovações pedagógicas, incluindo o uso de novas tecnologias no ensino e a integração com processos de EaD Fomentar a EaD como suporte às ações de ensino e de disseminação do conhecimento, inclusive promovendo oferta regular de disciplinas na modalidade EaD

SÍNTESE DO ANDAMENTO EM 2018

Foram realizadas novas iniciativas para oferecimento de cursos a egressos e feito o planejamento da infraestrutura necessária para disponibilizar mais um laboratório de informática na FCE, entre outras ações

Sistematizar informações relativas a pesquisadores individuais e grupos de pesquisa de que participam servidores docentes e técnico-administrativos da Faculdade

Foi realizado levantamento de informações

Apoiar a aquisição de periódicos à Biblioteca

Ação para apoio à aquisição de periódicos para consulta na Biblioteca

Sistematizar informações relativas às ações de extensão da FCE

Foi realizado levantamento de informações

Organizar e realizar o Fórum de Debates da FCE em 2017/1 e 2018/1

Foi realizado o II Fórum de Debates

Apoiar a realização de eventos na FCE

Foi apoiado o evento de extensão UFRGSMUN

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

17


PDI Meta 2 - Qualificação da gestão acadêmica e institucional OBJETIVOS

DESCRIÇÃO DA AÇÃO

SÍNTESE DO ANDAMENTO EM 2018

Definir metodologia e implementar os procedimentos para a sistemática de Planejamento na FCE, envolvendo reuniões setoriais anuais, de forma a construir e acompanhar o Planejamento Estratégico de forma coletiva

Realizados grupos focais, questionários e workshops com a comunidade para estruturação do processo de planejamento

Definir a estrutura e implementar o Relatório Anual de Atividades da FCE (edições de 2017 e 2018)

Foi elaborado o Anuário de 2018, com dados de 2017

Apoiar a gestão do conhecimento na FCE

Consolidar o projeto de gestão do conhecimento na FCE, para promover o aprendizado organizacional e sistematizar um banco de dados sobre rotinas e sistemas

Foi feito levantamento de dados dos servidores técnico-administrativos e elaborado relatório

Apoiar a melhoria da capacitação técnica dos servidores

Apoiar a realização de cursos para os servidores técnico-administrativos e docentes, com o propósito de desenvolver competências institucionais e individuais

Não houve demanda

Consolidar os processos de planejamento e gestão, visando a garantir a cultura do planejamento e a prática de gestão

PDI Meta 3 - Apoio à Comunicação e Avaliação Institucional OBJETIVOS

Organizar o evento UFRGS Portas Abertas na FCE

Qualificar o processo de avaliação institucional na FCE Melhorar a comunicação institucional interna e externa, estabelecendo canais de comunicação de forma sistemática, transparente e objetiva

18

DESCRIÇÃO DA AÇÃO

SÍNTESE DO ANDAMENTO EM 2018

Avaliar e revisar as atividades a serem oferecidas aos visitantes do evento UFRGS Portas Abertas na FCE

Foram realizadas revisão de atividades e propostas de melhoria

Elaborar tutorial relativo à organização das atividades

O tutorial foi realizado e está disponível na rede interna

Elaborar registro histórico das atividades oferecidas

Foi realizado levantamento de informações

Sistematizar informações das avaliações externas dos cursos da FCE

Foi elaborado relatório com as avaliações externas dos cursos de graduação e de pós-graduação na FCE

Elaborar o Plano de Comunicação da FCE e executar as ações propostas

Foi elaborado o plano de comunicação da FCE

Realizar a gestão da página da FCE no Facebook e do Portal da FCE, definindo e implementando alterações necessárias

As páginas da FCE passaram a contar com atualização periódica por parte da equipe de comunicação da Faculdade


PDI Meta 4 - Apoio à melhoria da infraestrutura OBJETIVOS

Melhorar a gestão do espaço físico

DESCRIÇÃO DA AÇÃO

SÍNTESE DO ANDAMENTO EM 2017

Elaborar o Plano de Manutenção Preventiva da FCE

Foi elaborado o Plano de Manutenção Preventiva

Apoiar estudo relativo às demandas por salas de aula

Foi realizado o estudo

Foto: Tatiany Lukrafka/FCE

Fonte dos dados desta seção: Planejamento/FCE

Aline Bednarski Lummertz é formada em Administração e responde pelos convênios da Faculdade

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

19


PATRIMÔNIO E INFRAESTRUTURA

A área de patrimônio e infraestrutura da Faculdade de Ciências Econômicas é responsável pela gestão dos espaços físicos, pela realização do inventário e por novas aquisições de bens móveis e equipamentos para a FCE.

PRÉDIO

ÁREA

A maior parte das atividades acadêmicas e administrativas da FCE se desenvolve no principal prédio da Faculdade, a edificação histórica localizada na Avenida João Pessoa. Também compreendem a infraestrutura da FCE o anexo, que abriga o Centro de Estudos Internacionais sobre Governo (CEGOV), o Núcleo de Estudos em Economia Criativa e da Cultura (NECCULT) e o Centro de Estudos e Pesquisa Econômicas (IEPE), e o prédio do Centro Interdisciplinar em Sociedade, Ambiente e Desenvolvimento (CISADE), onde ficam ainda o Núcleo EAD, o Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural e o curso superior em Desenvolvimento Rural – Plageder.

ESTRUTURA

FCE

4.399 m2

16 salas de aula com capacidades de 28 a 80 lugares 3 laboratórios de informática Auditório com 175 lugares

Anexo

541,21 m2

Sala de videoconferência e sala de reuniões

688,53m2

3 salas de aula com capacidades de 12 a 30 pessoas 3 salas de estudos 2 laboratórios de informática Estúdio de vídeo Sala para eventos Sala de reuniões

CISADE

Fonte dos dados desta seção: Infraestrutura/FCE

20


Foto: Tatiany Lukrafka/FCE

O setor de Infraestrutura da FCE também é responsável pela conservação dos espaços físicos da Faculdade

Inventário de bens móveis e novas aquisições O patrimônio móvel da Faculdade passou por um levantamento completo em 2017, de modo a remover bens inservíveis e identificar necessidades de aquisição. Em 2018, foram comprados microcomputadores, caixas de som, mesa de som profissional, câmera fotográfica, câmeras para aulas EAD e cadeiras para o laboratório de informática.

10 computadores

2 microfones para o auditório

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

2 purificadores de água

3 projetores multimídia

21


COMUNICAÇÃO

Após a estruturação de um núcleo específico, a FCE passou a contar com uma equipe dedicada à comunicação da Unidade Acadêmica. Em 2018, foram revistas as estratégias de divulgação de Ensino, Pesquisa e Extensão e ampliados os serviços de publicação de notícias.

A comunicação da Faculdade de Ciências Econômicas é reponsável pela elaboração de estratégias de comunicação aos públicos interno e externo e contempla a divulgação de notícias à comunidade universitária. Regularmente, são publicadas nos canais da Faculdade informações sobre eventos, cursos, convênios, premiações e outros dados de interesse público, como as constantes neste anuário. Também é de responsabilidade da comunicação a gestão dos canais da FCE, em especial o Portal e a página da Faculdade no Facebook, mídias que tiveram ampliação do número de postagens e do alcance de público em 2018. Nesse mesmo ano, com o Núcleo de Comunicação ainda em processo de consolidação, a área passou a atender a demandas da comunidade por outros serviços, como apoio para eventos e pedidos de criação de materiais gráficos, entre outras atividades. O Plano de Comunicação, por sua vez, sofreu modificações para abranger essas novas especificidades e teve várias de suas etapas concluídas, embora a última versão do documento não tenha sido finalizada em 2018.

POR DENTRO DAS NOTÍCIAS

22

ufrgs.br/fce

comunicafce@ufrgs.br

facebook.com/fceufrgs

51 3308.4118


O número de posts no Portal FCE foi ampliado em relação a 2017, ano em que a área de comunicação foi estruturada. As postagens incluem notícias sobre cursos, eventos, palestras e novos editais.

2014

Em parceria com o curso de Design Visual da UFRGS, foram desenvolvidas novas propostas de assinatura visual para a Faculdade, para o Fórum FCE e para a biblioteca. A iniciativa foi coordenada pela Comunicação da FCE.

2015

O Portal FCE passou a contar com uma nova forma de divulgação dos eventos, com a criação de um calendário no site.

2016

120 mil

2018

2017

Em 2018, o Portal FCE obteve mais de 120 mil visualizações de página. O maior número de acessos veio de Porto Alegre, São Paulo, Canoas e Curitiba.

0

40

80 120 160

Redes sociais da FCE

O código-fonte do Portal foi remodelado para facilitar o acesso de dispositivos móveis, dado que esses aparelhos responderam por cerca de 35% do tráfego do site em 2018

Windows 61 %

Android 25 % iOS 11% Mac 3%

Acessos 2018

A Comunicação da Faculdade também desenvolveu a identidade visual e os materiais gráficos da Winter School, escola de inverno da FCE. A equipe da Comunicação atuou na coleta de dados, na redação de textos, na revisão e na diagramação do Anuário da Faculdade, que teve seu primeiro número em 2018.

Outros serviços à comunidade

Portal da Faculdade

400 350 300 250 200 150 100 50 0 2014

2015

2016

2017

2018

Número de posts O total de posts publicados na Página do Facebook da Faculdade foi de 340, mais do que o dobro do ano anterior, em 2017, quando o número foi de 156.

Design 25 %

Facebook 35 %

Portal 40 %

Em 2018, os principais serviços da Comunicação giraram em torno da redação de notícias para o Portal e para o Facebook. Com a ampliação das necessidades de divulgação da comunidade, a produção de notícias cresceu ao longo do ano.

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

Comunicação Resultados 2018

23


RELAÇÕES INSTITUCIONAIS

Em consonância com os própósitos de internacionalização da Universidade, a FCE busca fortalecer relações para além de suas fronteiras, consolidando e ampliando a cooperação bilateral e multilateral com instituições de diversos países.

A Faculdade de Ciências Econômicas promove permanentemente o relacionamento com outras instituições públicas e privadas, nacionais e internacionais, articulando estratégias e parcerias que qualifiquem ainda mais o ensino, a pesquisa e a extensão na FCE. Ao todo, são 26 acordos, representados por convênios, contratos e protocolos de cooperação. Como um dos principais valores de excelência da Uiversidade é a internacionalização, a FCE busca fortalecer relações para além de suas fronteiras, consolidando e ampliando a cooperação bilateral e multilateral com instituições internacionais, com programas de mobilidade acadêmica, com atuação política e acadêmica junto a grupos universitários e em programas internacionais, com a inclusão de novas modalidades de cursos binacionais.

COOPERAÇÃO NO BRASIL Agência Nacional do Cinema Defensoria Pública do RS Faculdade La Salle - Lucas do Rio Verde Fundação de Apoio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Fundação Empresa-Escola de Engenharia da UFRGS

24

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Universidade do Vale do Rio dos Sinos Universidade Estadual do Estado do Rio Grande do Sul Universidade Federal do Tocantins


PARCERIAS INTERNACIONAIS A partir do avanço dos diálogos com instituições acadêmicas, a FCE estabelece alianças estratégicas e amplia as associações com universidades e centros de pesquisa e inovação internacionais. As universidades estrangeiras com as quais a Faculdade mantém parcerias incluem a Universidade de Paris 13 - Sorbonne e o Instituto de Estudos Políticos de Rennes - Sciences Po Rennes, da França; a Universidade de Estudos Estrangeiros de Beijing, da China; a Universidade Autônoma de Madrid, da Espanha; o Instituto Gokhale de Política e Economia, da Índia; o Instituto Superior de Relações Internacionais, de Moçambique; a Università Ca’ Foscari Venezia, da Itália; a Universidade de Denver e a Washington and Lee University, nos Estados Unidos; a Georg-August-Universität Göttingen, da Alemanha; a Erasmus University Rotterdam, da Holanda; e a Universidade Nacional de La Matanza, da Argentina.

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

25


Inglaterra

Canadá

França Espanha Portugal

Estados Unidos

Bélgica Holanda

MOBILIDADE INTERNACIONAL

Suécia Alemanha

Itália

China

Coreia do Sul

México Colômbia

Argentina

Em 2018, a Faculdade recebeu estudantes de diversas localidades e também enviou alunos para realizarem parte de seus estudos de graduação e de pós-graduação no exterior. No mapa, estão destacados os países que receberam e que enviaram estudantes em mobilidade para a FCE.

PAÍS

26

ATÉ 2017

2018

Alemanha

6

2

Angola

1

-

Argentina

5

2

Canadá

1

-

Chile

2

-

China

-

3

Colômbia

16

3

Equador

1

-

Espanha

3

-

França

3

-

Guiné-Bissau

1

-

Itália

11

3

Japão

2

-

México

12

-

Paraguai

4

-

ESTRANGEIROS NA FCE Nos últimos anos, para mobilidade, a FCE recebeu alunos de países de todos os continentes. Em 2018, pós-graduandos das áreas de Economia e Estudos Estratégicos Internacionais realizaram parte dos estudos na Faculdade. Graduandos dos cursos de Ciências Contábeis, Ciências Econômicas e Relações Internacionais de diversos países também cursaram disciplinas na FCE. Fontes: PPGEEI, PPGE, Relinter/UFRGS


PAÍS

DISCENTES DA FCE PELO MUNDO Em 2018, a FCE encaminhou 23 estudantes para mobilidade no exterior. Alunos de graduação, dos cursos de Ciências Contábeis, Ciências Econômicas e Relações Internacionais cursaram disciplinas fora do país. Na pós-graduação, foram discentes das áreas de Economia e Estudos Estratégicos Internacionais que realizaram parte dos estudos fora do Brasil.

Alemanha

3

Bélgica

1

Canadá

1

China

1

Coreia do Sul

1

Estados Unidos

1

Espanha

6

França

3

Holanda

1

Inglaterra

1

Itália

2

México

1

Portugal

1

Suécia

1

Foto: Tatiany Lukrafka/FCE

Fontes: PPGEEI, PPGE, Relinter/UFRGS

2018

Em 2018, graduandos de Contábeis, Economia e Relações Internacionais cursaram disciplinas fora do país

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

27



ENSINO



A Faculdade de Ciências Econômicas mantém cinco cursos de graduação: Ciências Atuariais, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Desenvolvimento Rural (EaD) e

GRADUAÇÃO

Relações Internacionais


CIÊNCIAS ATUARIAIS

História Criado em 1945, o curso de Ciências Atuariais surgiu quando a antiga Escola de Comércio de Porto Alegre foi transformada em Faculdade de Economia e Administração, como parte integrante da Universidade de Porto Alegre. Existe junto à Faculdade de Ciências Econômicas da UFRGS desde 1950, buscando suprir as demandas dos mercados de seguros, de previdência e de saúde dos brasileiros.

Objetivos

Reconhecido pelo Ministério da Educação em 22 de setembro de 1945, pelo Decreto-lei nº 7.988, o curso de Ciências Atuariais obteve a renovação do reconhecimento em 17 de novembro de 2014, pela Portaria MEC/SERES nº 695/2014.

O curso de graduação em Ciências Atuariais objetiva formar cidadãos com competências profissionais e senso crítico para interagir nos ambientes de aplicação do conhecimento da Ciência Atuarial. O profissional de atuária é um especialista em problemas probabilísticos-financeiros, com conhecimento multidisciplinar, devidamente preparado para mensurar e administrar riscos. Suas habilidades servem à busca de equilíbrio em operações de seguros em geral, previdência pública e privada e capitalização. A função do atuário é vasta, podendo atuar em fundos de pensão, em companhias de seguro e ca­pitalização, em órgãos de previdência, em insti­ tuições financeiras e em órgãos de fiscalização, auditoria, consultoria e perícia. Compete ao atuário, de modo geral, calcular probabilidades de eventos, avaliar riscos, fixar prêmios, indenizações, benefícios e reservas matemáticas, bem como avaliar a solvência das instituições que gerenciam riscos.

Vagas oferecidas

40

anuais

28 via vestibular e 12 via SiSU

32


Alunos O curso de Ciências Atuariais, contava, ao final de 2018, com 202 alunos matriculados. Nesse ano, ingressaram 54 novos estudantes e se graduaram 19 atuários.

76

Feminino

126

Masculino

Composição do corpo discente, por opção de reserva de vagas 100

90 68

50

21

25

10

11

AVALIAÇÕES EXTERNAS

5 ão aç rm fo In m Se

Es Eg c r Au Ren ola ess to da Pú o d de In b e cl fe lic ar r a ad ior o PP I

E Au Esc gre to ola ss de P o cl úb de ar li ad ca o PP I Es Eg r c Re ol es nd a P so a úb de In li fe ca rio r

Es Egr co es la so Pú de bl ic a

A nc mp or la rê nc ia

0

Co

Número de alunos

75

Comissão de Graduação

INEP

Visita de renovação de reconhecimento de curso

5

(2013)

Fernanda Gomes Victor, Gabriele Ivanoff Santos, Guilherme Kirch, José Antonio Lumertz, Maria Ivanice Vendrusculo (coordenadora), Romina Batista de Lucena de Souza, Sérgio Rangel Guimarães. Muito bom

Núcleo Docente Estruturante Cassiane Oliveira Velho, Jose Antonio Lumertz, Maria de Lurdes Furno da Silva, Máris Caroline Gosmann e Sérgio Rangel Guimarães.

OUTRAS AVALIAÇÕES Até o final do ano de 2018, o curso

Secretaria Acadêmica

não havia passado pelos processos de avaliação do ENADE, CPC e RUF.

Servidora técnico-administrativa Isadora Backes.

Fonte: Comgrad/ATU, Painel de Dados UFRGS e NAU/FCE

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

33


FORMANDOS Alex Alves de Souza Scartazzini

Ândria Sacomory Floor

Bruno Cabral de Souza Bruno Munró Ribeiro da Silva

Carlos Armindo Thomé Marques Junior

Camila Quevedo Carvalho

Eduardo Levandovski

Caroline da Costa Laureano

Evelyne Thamara Kunrath

Karla Nickele Gonçalves Marina Vendramini Thais Oliveira Federico

2018/1

Wilibaldo Josué Grüner Scherer

34

Mariana Gomes Reis Pinto Nicólli Franciélli da Silveira Santos Raysa Siqueira dos Santos Suélen Barroso Rodrigues Valdir Ramos de Assis Júnior

2018/2

Jéssica Liss da Rocha


Formandos do curso de Ciências Atuariais, semestre 2018/2

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

Fotos: Guadalajara Formaturas

Formandos do curso de Ciências Atuariais, semestre 2018/1

35


CIÊNCIAS CONTÁBEIS

História O curso de Ciências Contábeis da Faculdade de Ciências Econômicas foi criado em 1945, quando a antiga Escola de Comércio tornou-se Faculdade de Economia e Administração. A contabilidade emprega metodologia própria para atender demandas empresariais na produção e na divulgação de dados que facilitem a tomada de decisões nas instituições. Possibilita o conhecimento sobre a situação econômica, financeira e patrimonial das organizações, por meio de demonstrações contábeis que seguem rígidos padrões técnicos internacionais.

Objetivos Reconhecido pelo Ministério da Educação em 22 de setembro de 1945, pelo Decreto-lei nº 7.988, o curso de Ciências Contábeis obteve a renovação do reconhecimento em 18 de dezembro de 2013, pela Portaria MEC/SERES nº 707/2013.

O objetivo do curso de Ciências Contábeis é o de preparar e de oferecer ao mercado profissionais com perfil técnico e dinâmico, que sejam adaptáveis às mudanças constantes do ambiente dos negócios. A graduação busca contemplar disciplinas e conteúdos que incentivem os estudantes a desenvolverem suas habilidades sociais e políticas, para que possam assumir posições de liderança no mercado de trabalho e na sociedade. O profissional de contabilidade egresso da FCE está apto a atuar em áreas como auditoria, avaliação de ativos, consultoria tributária, gestão financeira, análise de riscos, controladoria, perícia contábil, governança corporativa, contabilidade ambiental, análise de custos. As atividades podem ser desenvolvidas em empresas, no setor público e em organizações não governamentais.

Vagas oferecidas

140

anuais

98 via vestibular e 42 via SiSU

36


Alunos O curso de Ciências Contábeis contava, ao final de 2018, com 679 alunos matriculados. Nesse ano, ingressaram 129 novos estudantes e se graduaram 117 profissionais.

299

Feminino

380

Masculino

Composição do corpo discente, por opção de reserva de vagas 300

252 193

150

81

75

58

63 32

AVALIAÇÕES EXTERNAS ão aç fo rm In m Se

Es Eg c r Au Ren ola ess to da P o d de I úb e cl nfe lic ar r a ad ior o PP I

E Au Esc gr to ola ess de P o cl úb de ar li ad ca o PP I Es Eg Re col res nd a P so a úb de In li fe ca ri or

Es Egr co es la so Pú d bl e ic a

A nc mp or la rê nc ia

0

Co

Número de alunos

225

Comissão de Graduação André Luís Martinewski, Caroline de Oliveira Orth, Cassiane Oliveira Velho, Gabriela de Almeida Coelho, Maria Ivanice Vendruscolo e Wendy Beatriz Witt Haddad Carraro (coordenadora).

ENADE CPC

5

(2018)

5

(2015)

Núcleo Docente Estruturante Márcia Bianchi, Maria de Lurdes Furno da Silva, Maria Ivanice Vendruscolo, Paulo Schmidt, Romina Batista de Lucena de Souza e Wendy Beatriz Witt Haddad Carraro (coordenadora).

Secretaria Acadêmica Servidora técnico-administrativa Liara Kipper Missau.

Muito bom

Fonte: Comgrad/CONT e Painel de Dados UFRGS

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

37


FORMANDOS

38

Afonso Eleutério da Costa Neto Alexandre Wagner dos Santos Alexandre Weindorfer Alexsandra Augusta Barth Andréia Refosco Antonio Stefanini Machemer Brayan Garcia Bonacheski Barbosa Caio César Boneberg Borba Camila Titton Junior Carolina Friedrich Lobo D’avila Cássio Souza Sá Brito Daiane Cassól Daiane Semmler Mussoi Dante Zanotelli Heissler Daysson Rosa de Paula Deborah Bissani Pedroso Elaine Cristina Sipião Barbosa Fabricio Pandolfo Klein Fernanda Kessler de Almeida Gabriela das Neves Fagundes Giulian Michel de Almeida Guilherme Freitas Keller Guilherme Matos de Andrades

Gustavo Schneider Grillo Humberto Amaral Neto Ingrid Miranda Santa Helena Isadora Michelon Marini Jaqueline Eloy dos Santos Jenifer Brito de Matos João Carlos Henn João Paulo Gurgel Bezerra Júlio César de Lima Araujo Karine Galvão Martins Kataliny Mercedes Gheno Azzolini Keity Pretto Radaelli Leda Cristine Bezerra Vidal Leticia Souza Fontoura Luan Silva Simonet Luca Muratore Neukirchen Lucas Knevitz Mellos Lucianna Dorneles Pisani Marcia Regina Ribeiro Dos Santos Maria Angélica Scapini Mariana Zanin Pires Marianne de Souza Nunes Mateus Zaluski Rech

Aline Corrêa dos Passos Amália Heemann Junges Amanda Verginio Cunha Andre Garcias da Rosa Andressa de Castro Neves Arthur Pietsch Piccoli Bruno Borges Gonçalves Camila Cerutti Carolina Martins Nunes Teixeira Carolina Oliveira Peixoto Felipe Gustavo Colombo Felipe Oliveira Rodrigues Fernando Tramonte da Silva Francine Pereira da Silva Gabriel Muttoni Roncatto Gabriela da Fonseca Mezzomo Gabriela da Silva Zilio Gabriela de Almeida Coelho Giovana Casa Guilherme Becker Kloeckner Guilherme Schoffen

Istely Valle dos Santos Jessica Coll Pires Jéssica Schneider Julia Bobik Ribeiro Kamilla Bastiani Chaves Karina Bonzanini Katrin Gutterres Soares Lauren Morlin Bertoglio Leonardo Zanini Wolff Letícia Bersch Bruxel Lídia Renata Ribeiro Soares Liege dos Santos Marques Luana Inocente da Cruz Luana Quadros Pinto Lúcia Maria Bordignon Perin Magali Acco Marceli Severo Goulart Marlon Eduardo da Silva Maurício Eickhoff Beck Naiana Pavanelo dos Santos Natália Ramos Britto de Paula

Matheus Vieira da Cunha Ribeiro Pâmela Moreira da Silva Paola Hoppe Silverio Patricia Santos da Silva Paula Kiamilof Ferreira Paulo Ricardo Nunes Gomes Rafael Albrecht da Silva Ricardo Lopes Diogo Rubmara Therezinha Bruxel Corrêa Simone Rodrigues Sedano Taís dos Santos Fagundes Thiago dos Santos Albrecht Victor Mateus Brito Padilha Vinicius Grandini Deconto Vitor Marcelo Albino Bianchini Viviane Albrecht

2018/1 Nathalie Andrews Newton dos Santos da Silva Patricia Menna Barreto Paula Leticia Vieira Coelho Paulo Robson Braga Pedroso Priscila Moreira Figueiredo Rafael Conceição Vieira Rafael dos Santos Santander Rene Roberto de Conto Rodrigo Campos Magnus Roger Nathan Schmidt Tamires de Andrade Cordeiro Vinicius Niederauer Maboni

2018/2


Fotos: Guadalajara Formaturas

Formandos do curso de Ciências Contábeis, semestre 2018/1

Formandos do curso de Ciências Contábeis, semestre 2018/2

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

39


CIÊNCIAS ECONÔMICAS

História Criado em 1945, o curso de Ciências Econômicas da UFRGS possui uma longa tradição na formação de economistas que se destacaram profissionalmente tanto na iniciativa privada quanto no setor governa­ mental. Em consonância com o caráter plural da profissão, que abrange funções técnicas, teóricas e práticas, e campos de atuação diversos, a graduação tem caráter generalista e pluralista. Desde 2010 está em vigor um currículo que visa ao equilíbrio entre disciplinas teóricas, quantitativas e humanísticas.

Objetivos

Reconhecido pelo Ministério da Educação em 22 de setembro de 1945, pelo Decreto-lei nº 7.988, o curso de Ciências Econômicas obteve a renovação do reconhecimento em 18 de dezembro de 2013, pela Portaria MEC/SERES nº 707/2013.

A graduação forma profissionais com sólidos conhec­imentos teóricos e instrumentais, voltados à realidade econômica geral, brasileira e regional. Seu objetivo é o de habilitar os alunos para o exercício da profissão tanto no setor privado quanto no setor público, capacitando-os para a atuação no planejamento e na orientação das ações dos agentes econômicos. Ao terminar os estudos, o egresso do curso de Ciências Econômicas está apto a compreender, a discutir e a atuar sobre os fenômenos econômicos, no setor estatal, na área empresarial e nas ativi­ dades acadêmicas.

Vagas oferecidas

150

80

noturno

integral

105 via vestibular e 45 via SiSU

56 via vestibular e 24 via SiSU

49 via vestibular e 21 via SiSU

Fonte: Comgrad/ECO e Painel de Dados UFRGS

40

70

anuais


Alunos O curso de Ciências Econômicas contava, ao final de 2018, com 719 alunos matriculados. Nesse ano, ingressaram 140 novos estudantes e se graduaram 82 profissionais.

167

Feminino

552

Masculino

Composição do corpo discente, por opção de reserva de vagas 300

286 210

92

100

67

50

14

AVALIAÇÕES EXTERNAS ão aç rm fo In m Se

Es Eg c r Au Ren ola ess to da P o d de I úb e cl nfe lic ar r a ad ior o PP I

Es Eg Re col res nd a P so a úb de In li fe ca ri or

E Au Esc gr to ola ess de P o cl úb de ar li ad ca o PP I

Es Egr co es la so Pú d bl e ic a

A nc mp or la rê nc ia

0

Co

Número de alunos

200

Comissão de Graduação Carlos Eduardo Schonerwald da Silva (coordenador), Janice Dornelles de Castro, João Henrique Ferreira Flores, Leonardo Xavier da Silva, Letícia de Oliveira, Maria Paula Gonçalves Fachin, Marcelo Augusto Doncatto Gelati, Mauricio Andrade Weiss e Nelson Seixas dos Santos.

ENADE CPC

4

(2018)

4

(2015)

Núcleo Docente Estruturante Antônio Ernani Martins Lima, Cássio da Silva Calvete, Flávio Benevett Fligenspan (coordenador), Hermógenes Saviani Filho, Leonardo Xavier da Silva, Ronald Otto Hillbrecht, Ronaldo Herrlein Júnior e Sérgio Marley Modesto Monteiro.

Secretaria Acadêmica

Muito bom

Servidora técnico-administrativa Diana Paula Agliardi.

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

41


2018/1

Alícia Pereira Marquezin Ana Clara Cossetin Ferreira de Lima Ana Luiza Vieira Perez Bruna Luzia Santos Wehrmann Camilo Rampazzo Bresolin Carla Feijó Colossi Cauê Assis Bráz Eduardo Gonzalez Silva Fábio Ferreira Corralo Gabriela Escobar Belo Guilherme Flores Thiesen Guilherme Silveira Mariani Isabela Klitzke Dalacorte Jonathan Barboza Satiro José Augusto Lucas Dutra Julia Hoechner Silveira Martins Juliano dos Santos Rambo Laís Capoani da Silva Lara Stumpf Horn Lucas Galarraga Burch Luiz Fernando Mello Guimarães Manuela Pastório Luchese Maria Eduarda Bünecker Mateus Carvalho Cenedeze Mateus Pereira Costa Matheus da Conceição Evaldt Matheus Machado Neves Matheus Vargas Welter Maura de Matos Carlos Nicole Lais Bazzaneze Nouara Cruz Nonnemacher Patrícia Massignan Priscila Kaiser Monteiro Priscila Von Dietrich Renata Oliveira Jung Ricardo Luis Piccoli Rodrigo Oliveira Fraga Tainan de Bacco Freitas Boff Tiago Carrard Lazzari Vinicius Nunes Pereira Lopes

42

Ana Luísa Lagemann Mergel Ana Paula Nothen Ruhe André Saldanha Goellner Antonella Azevedo Aita Arthur Anghinoni Pretto Arthur Sonntag Kuchenbecker Ben-Hur dos Santos Petry Bruno Fetter Kolecza Bruno Leonardo Athaydes Carine Irber Carolina de Menezes Cardoso Cássio Gonçalves Mendonça César Prazeres Fraga Pereira Eduardo Evaristo Egon Gustavo Gottschalk Pereira Felipe Maraschin Guigou Fernanda Postal Gabriela Lemos Cavalcanti Guilherme Zaniol José Luiz Gallicchio Hansen Klaus Böesch Laura Duarte Sosa Letícia Rüdiger Pastore Lucas Dierings Tanus dos Santos Maiara Patricio Coral Maicon Daniel Rosa Ribeiro Marcelo Augusto Doncatto Gelati Marcelo Thiesen Marcus Vinicius Hartmann Rosa Marina Caregnato Garcia Maurício Stuani Michele Pittelkow Tiecher Miguel Jandrey Natal Milton Luiz Soares Lupchinski Nicole Kleemann Pedro de Bitencourt Melgaré Pedro Henrique Couto Da Silva Rejane Franceschini Rodrigo Azevedo Pellegrini Selena Comerlato Tavares Victoria Messina Ramos Vinícius da Silva Centeno

2018/2

FORMANDOS


Fotos: Applause Formaturas

Formandos do curso de Ciências Econômicas, semestre 2018/1

Formandos do curso de Ciências Econômicas, semestre 2018/2 ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

43


DESENVOLVIMENTO RURAL PLAGEDER

História O curso de Bacharelado em Desenvolvimento Rural – Plageder, oferecido na modalidade de Ensino a Distância, teve a primeira edição em 2007. A formação foi criada com o objetivo de suprir a carência de profissionais de nível superior capacitados para atuação no planejamento e na gestão do desenvolvimento rural em nível local e regional no RS. Concebido para ingresso único, a recepção positiva nas comunidades rurais e a crescente demanda de estudantes interessados geraram novas edições.

Objetivos

O curso de Bacharelado em Desenvolvimento Rural, em sua nova estrutura, tem autorização de funcionamento determinado pela Resolução CEPE 31/2013, de agosto de 2013, e está em processo de reconhecimento pelo Ministério da Educação.

O curso visa a formar profissionais com perfil crítico, inovador e propositivo para atuar em questões envolvendo as dinâmicas regionais e locais da agricultura e do espaço rural. Ao final da graduação, o estudante terá competência para atuar na avaliação, na gestão e no planejamento de unidades de produção agrícola e na elaboração e execução de projetos agroindustriais de pequeno e médio porte. O egresso também estará apto a atuar no assessoramento às coletividades públicas e privadas na concepção, no acompanhamento e na execução de políticas públicas.

Vagas oferecidas

350*

vagas

*Dado referente à última edição do curso, com início em 2018 e encerramento previsto para 2022.

44


Alunos O curso de Bacharelado em Desenvolvimento Rural contava, ao final de 2018, com 274 alunos matriculados.

139

Feminino

135

Masculino

Composição do corpo discente, por opção de reserva de vagas 300

206

150

75

58 5

AVALIAÇÕES EXTERNAS

Se

m

In

fo

rm

ão

1 Es Eg c r Au Ren ola ess to da P o d de I úb e cl nfe lic ar r a ad ior o PP I

E Au Esc gr to ola ess de P o cl úb de ar li ad ca o PP I

Es Egr co es la so Pú d bl e ic a

A nc mp or la rê nc ia

3 Es Eg Re col res nd a P so a úb de In li fe ca ri or

1

0

Co

Número de alunos

225

Não estão disponíveis avaliações externas para a graduação em Desenvolvimento Rural.

Comissão de Graduação Daniela Dias Kuhn, Leonardo Xavier da Silva, Marcelino de Souza, Marcelo Antonio Conterato, Paulo Dabdab Waquil e Rumi Regina Kubo (coordenadora).

Núcleo Docente Estruturante Daniela Dias Kuhn, Jalcione Pereira de Almeida, Lovois de Andrade Miguel, Paulo Dabdab Waquil, Rumi Regina Kubo e Susana Cardoso (coordenadora).

4

(2015)

FORMANDOS Em virtude do caráter não contínuo do curso, não houve cerimônia de colação de grau de bacharéis em Muito Bom

Desenvolvimento Rural em 2018.

Secretaria Acadêmica Servidor técnico-administrativo Jorge Luis Aguiar Silveira.

Fonte: Comgrad/PLAGEDER e Painel de Dados UFRGS

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

45


RELAÇÕES INTERNACIONAIS

Reconhecido pelo Ministério da Educação em 15 de fevereiro de 2007, pela Portaria SESu/MEC nº 148, o curso de Relações Internacionais obteve a renovação do reconhecimento em 3 de abril de 2017, pela Portaria MEC/SERES nº 272/2017.

História O curso de Relações Internacionais iniciou seu funcionamento em 2004 e forma profissionais a partir de um currículo multidisciplinar sustentado em dois pilares básicos: a política e a economia. A graduação oportuniza ao estudante escolher entre os possíveis campos de atuação profissional, como a diplomacia, a política e a economia internacional. A formação é complementada com a atuação dos alunos em modelos de negociação interna­cional, bem como na elaboração de estudos de caso, na resolução de crises e na projeção de cenários, por meio de projetos como o UFRGSMun e o UFRGSMundi. Desde 2010, estudantes de Relações Internacionais capacitam professores da rede pública de ensino básico para que possam abordar, dentro da sala de aula, temas relevantes da agenda internacional.

Objetivos O curso de Relações Internacionais forma profissionais capazes de enfrentar os desafios da internacionalização da vida social e econômica. O atual cenário mundial exige profissionais preparados para atuação em contextos diversos e, muitas vezes, permeados por forças antagônicas, em que tanto a homogeneização da globalização quanto a realização das aspirações culturais e econômicas das diversas comunidades precisam ser ponderadas e, frequentemente, negociadas durante deliberações.

Vagas oferecidas

60

anuais

42 via vestibular e 18 via SiSU

46


Alunos O curso de Relações Internacionais contava, ao final de 2018, com 249 alunos matriculados. Nesse ano, ingressaram 63 estudantes e se graduaram 43 profissionais.

135

Feminino

114

Masculino

Composição do corpo discente, por opção de reserva de vagas 150

114

59 50

24

16

18

16

AVALIAÇÕES EXTERNAS ão aç rm fo In m Se

Es Eg c r Au Ren ola ess to da P o d de I úb e cl nfe lic ar r a ad ior o PP I

Es Eg Re col res nd a P so a úb de In li fe ca ri or

E Au Esc gr to ola ess de P o cl úb de ar li ad ca o PP I

Es Egr co es la so Pú d bl e ic a

A nc mp or la rê nc ia

0

Co

Número de alunos

100

Comissão de Graduação André Luiz Reis da Silva, Carlos Schmidt Arturi, Eduardo Ernesto Filippi, Eduardo Tomankievicz Secchi, Érico Esteves Duarte (coordenador), Jacqueline A. H. Haffner, Luis Gustavo Grohmann, Luiza Borges Fortes Leandro, Maurício Andrade Weiss e Verônica Korber Gonçalves.

Núcleo Docente Estruturante André Luiz Reis da Silva, Eduardo Munhoz Szvartman, Eduardo Ernesto Filippi, Érico Esteves Duarte (coordenador), Luiz Augusto Estrella Faria, Marco Aurélio Chaves Cepik e Paulo Gilberto Fagundes Visentini.

Suporte na Secretaria Acadêmica

ENADE CPC

5

(2015)

4 4

(2015) (2015)

Muito Muito bom Bom

Servidora técnico-administrativa Fabiana Westphalen.

Fonte: Comgrad/RI e Painel de Dados UFRGS

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

47


FORMANDOS

48

Ada Jaqueline Stadnik Herz Amabilly Bonacina Amanda Petry Amanda Santos Martins Pinto Ana Paula Fraga Aryanne Rocha Bruna Christine Broenstrup Corrêa Fernandes Catharina Becker Missel Machado Douglas de Quadros Rocha Fernando Luiz Gewehr Hoppe Flávia Zanonato Busetti Iasmini Catanio dos Santos Nardi Isabela Souza Julio João Estevam dos Santos Filho João Paulo de Moura Alves Leonardo Kronbauer Rovaris Luísa Acauan Lorentz Maria Gabriela de Oliveira Vieira Maximilian Dante Barone Bullerjahn Mehadi Cunha Rios Ricardo Chiapin Pechansky Rodrigo Heck Rodrigo Martins Rodrigues Rodrigo Miliszewski Dichuta ThaÍs Bettu Grezzana Tobias Augusto Jung de Carvalho Victor Abreu Menezes Victória Cristina Franza Carvalho Vitória Gonzalez Rodriguez Vitória Kramer de Oliveira Vitória Volpato Yuri Pinheiro da Rosa

2018/2

2018/1

Cesar Henrique Sandri Luan Nogueira dos Santos Marcelo Souza e Silva Amaro da Silveira Marcos Antonio Malacarne Murillo Müller do Espírito Santo Raíssa Mattana Sérgio Minuzzi Tessuto


Fotos: Applause Formaturas

Formandos do curso de Relações Internacionais, semestre 2018/1

Formandos do curso de Relações Internacionais, semestre 2018/2

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

49



Em nível de pós-graduação, a Faculdade de Ciências Econômicas forma profissionais nas áreas de: Controladoria e Contabilidade,

Economia e Estudos Estratégicos Internacionais

PÓS-GRADUAÇÃO

Desenvolvimento Rural,


PPGCONT CONTROLADORIA E CONTABILIDADE História

CURSO Mestrado acadêmico em Controladoria e Contabilidade

O Programa de Pós-Graduação em Controladoria e Contabilidade (PPGCONT) foi criado no ano de 2015, com a primeira turma do curso stricto sensu do Mestrado em Controladoria e Contabilidade iniciando suas atividades em 2016. Embora o Programa seja recente, a formação em nível de pósgraduação lato sensu na área, pela Faculdade de Ciências Econômicas, soma mais de 20 anos. Desde a década de 1990, o Departamento de Ciências Contábeis e Atuariais e o Núcleo de Estudos e Pesquisas em Contabilidade (NECON) vêm oferecendo diversos cursos de especialização. No ano de 1999, foi lançado, em parceria com o Programa de PósGraduação em Economia, o Mestrado Profissional em Economia com ênfase em Controladoria, encerrado com o início das atividades do PPGCONT.

Objetivos Formar pessoas qualificadas para o exercício do ensino, da pesquisa e da produção de conhecimento científico, promover a pesquisa e o estímulo à produção acadêmica, possibilitar o amplo domínio do conhecimento teórico e aplicado na área, buscar a conexão entre as atividades desenvolvidas nas áreas de ensino, pesquisa e extensão, e promover ações integrativas com outras instituições de ensino nacionais e internacionais, com entidades públicas e privadas, buscando sua consolidação como um núcleo qualificado de pesquisa.

3

Conceito em 2016

52

Alunos Ao final de 2018, o Programa de Pós-Graduação em Controladoria e Contabilidade contava com 17 alunos matriculados.


Vagas oferecidas

10

Ingressantes

10

8

Concluintes

Total de alunos vinculados

17

0

5

10

15

20

Comissão de Pós-Graduação Ariel Behr, Everton da Silveira Farias, Márcia Bianchi, Paulo Schmidt (coordenador) e Rafaela Grando.

Secretaria Acadêmica Servidora técnico-administrativa Isabel Cristina Pereira dos Santos.

DISSERTAÇÕES DE MESTRADO DEFENDIDAS EM 2018

Análise da qualificação docente nos cursos de Ciências Contábeis no estado do Rio Grande do Sul com avaliações extremas no conceito preliminar de curso Cristina Ines Engel, sob orientação de Márcia Bianchi Competências docentes: um estudo com professores de graduação em Ciências Contábeis no Rio Grande Sul Giovana Bolzan, sob orientação de Maria Ivanice Vendruscolo Contribuições ao estudo do tratamento contábil dos ativos intangíveis no setor público Marcela Lorini, sob orientação de Ângela Rozane Leal de Souza Novo relatório do auditor independente: uma análise dos principais procedimentos de auditoria em empresas listadas na B3 S.A. Felipe Brum Seganfredo, sob orientação de Wendy Beatriz Witt Haddad Carraro

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

Percepções de analistas da área pericial contábil do Ministério Público Federal quanto às suas práticas profissionais Ariel Prates, sob orientação de Romina Batista de Lucena de Souza Potenciais modelos de negócios disruptivos para a área contábil Giovana Sordi Schiavi, sob orientação de Ariel Behr Transferência da corte portuguesa: um estudo da sua influência na contabilidade brasileira Filipe Martins da Silva, sob orientação de Paulo Schmidt Value relevance e capacidade preditiva da DFC: um estudo no período pré e pós IFRS no Brasil Graciela Beatriz Carpio, sob orientação de Maria Ivanice Vendruscolo Fonte dos dados desta seção: PPGCONT

53


PGDR DESENVOLVIMENTO RURAL História O Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural (PGDR) iniciou suas atividades em 1999 em nível de Mestrado e as ampliou em 2003 em nível de Doutorado. O Programa tem origem no antigo curso de pós-graduação em Economia Rural, criado em 1963.

Desenvolvimento Rural

O Programa baseia-se numa abordagem multidisciplinar das dinâmicas sociais, econômicas, culturais e ambientais que afetam as populações, as atividades, os recursos e o espaço rural. No PGDR, o desenvolvimento rural é visto como um processo resultante de ações articuladas, que visam a induzir mudanças socioeconômicas e ambientais no âmbito do espaço rural para a melhoria do bem-estar de suas populações.

Doutorado em

Objetivos

CURSOS Mestrado acadêmico em

Desenvolvimento Rural

O PGDR tem por objetivo formar profissionais, em níveis de mestrado e doutorado, que sejam capazes de atuar na docência, na pesquisa acadêmica e nas ações de intervenção mediante o domínio de métodos e conceitos que lhes permitam executar projetos e realizar atividades de planejamento em prol do desenvolvimento rural.

Alunos

6

Conceito em 2016

54

Ao final de 2018, o curso de Mestrado contava com 51 alunos matriculados. No mesmo ano, foram diplomados 22 estudantes. Já o curso de Doutorado contava com 70 alunos matriculados. Em 2017, foram diplomados 12 estudantes.


20

Vagas oferecidas

15 21

Ingressantes*

15

Mestrado Doutorado

22

Concluintes

12 51

Total de alunos vinculados

70 0

25

50

* O dado inclui o número de ingressantes pelo edital Estrangeiros Fluxo Contínuo

75

Comissão de Pós-Graduação Daniela Dias Kühn, Eliziane Nicolodi Francescato Ruiz, Flávia Charão Marques, Gabriela Peixoto Coelho-de-Souza (coordenadora), Helena de Lima Müller, José Carlos Gomes dos Anjos, Leonardo Xavier da Silva e Lucas Oliveira do Amorim.

Suporte Servidores técnico-administrativos Ana Paula Pacheco da Silva e Maria Macarena Donoso Contreras, na secretaria acadêmica, e Carlos Augusto Pereira Weber, Danielle Finamor Rezes de Souza, Fernando Fontana Dias e Guilherme Fernandes Lemos, nas áreas administrativa, financeira e tecnologia de informação.

DISSERTAÇÕES DE MESTRADO DEFENDIDAS EM 2018

A agricultura de rolador e a concentração produtiva: uma análise dos sistemas de produção de leite Jeferson Tonin, sob orientação de Daniela Garcez Wives e Benedito Silva Neto Alimentación escolar y compras públicas en perspectiva comparada: un análisis Colombia-Brasil Patricia Elena Giraldo Calderón, sob orientação de Catia Grisa Armazenamento de milho in natura: a decisão dos agricultores na região de Azowlisse em Benim Agossou Djosse Ignace Kokoye, sob orientação de João Armando Dessimon Machado As narrativas da FAO sobre segurança alimentar: uma análise sobre a convivência de paradigmas políticos conflitantes Fernanda Castilhos Franca de Vasconcellos, sob orientação de Fabiana Thomé da Cruz e Catia Grisa

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

55


DISSERTAÇÕES DE MESTRADO DEFENDIDAS EM 2018

As tramas saúde-ambiente: concepções e perspectivas dos moradores da comunidade quilombola do limoeiro no distrito do Bacupari/RS Juliane Stefanoni Costa, sob orientação de Marilise Oliveira Mesquita e Rumi Regina Kubo

Mulheres no desenvolvimento territorial e rural: trajetória no Território da Cidadania Noroeste Colonial, RS Elaine Marisa Andriolli, sob orientação de Rumi Regina Kubo

As vidas que as mulheres criam: caminhos de resistência e luta pelo território na comunidade quilombola Macaco Branco Dirce Cristina de Christo, sob orientação de José Carlos Gomes dos Anjos

O cuidar feminino: saberes e fazeres tradicionais de benzedeiras quilombolas de Mostardas - RS Gabriela Pôrto Marques, sob orientação de Deise Lisboa Riquinho

Caminhando sobre desertos, oásis e campos férteis: interações entre o movimento dos pequenos agricultores e o estado na luta pelas políticas públicas para a agricultura camponesa Vinicius Jean Barth, sob orientação de Marcelo Kunrath Silva Consciência ambiental, valores humanos e atitudes pró-ambientais: uma aplicação das escalas NEP e Schwartz nas agroindústrias familiares do RS Alessandra Daiana Schinaider, sob orientação de Edson Talamini Debate público sobre mudanças climáticas e agricultura no Brasil: práticas discursivas na Faculdade de Agronomia da UFRGS Eduardo Hernandes Dutra, sob orientação de Lorena Cândido Fleury Dinâmica da agricultura em uma região periférica do noroeste do Rio Grande do Sul José Tobias Marks Machado, sob orientação de Lovois de Andrade Miguel Estrutura de governança e mecanismos de coordenação em circuitos curtos de abastecimento alimentar: estudo de caso das organizações dedicadas ao café especial em Villa Rica - Pasco - Peru Manuel Hyleer Alania Campos, sob orientação de Leonardo Xavier da Silva From USA, with love: desenvolvimento, extensão rural e gênero Lucas Woltmann Figueiró, sob orientação de Guilherme Francisco Waterloo Radomsky 56

Pedagogia da alternância: um estudo sobre as escolas família agrícola do Rio Grande do Sul Daiane Netto, sob orientação de Glauco Schultz Permanência da atividade agrícola de base ecológica em Porto Alegre Cláudia Eleonora Steffen, sob orientação de Daniela Garcez Wives e Glauco Schultz Política nacional de saúde integral das populações do campo, das florestas e das águas no Rio Grande do Sul Anajá Antônia Machado Teixeira dos Santos, sob orientação de Tatiana Engel Gerhardt e Deise Lisboa Riquinho Prácticas gastronómicas emergentes y anhelos de paz en Colombia: actores, afectos y materialidades Paula Liliana Villarraga Baracaldo, sob orientação de Flávia Charão Marques Práticas alimentares, resistência cotidiana e construção de novos mercados no Vale do Taquari, Rio Grande do Sul Mirian Fabiane Dickel Strate, sob orientação de Marcelo Antônio Conterato e Paulo André Niederle Sentidos do comer entre colhedoras de laranja: um estudo sobre segurança alimentar e trabalho rural João Ernesto Pelissari Cândido, sob orientação de Renata Menasche

Fonte dos dados desta seção: PGDR


Sistema socio-ecológico, disturbios y vectores: el papel de las prácticas etnoecológicas en la síntesis cognitiva que mantiene la continuidad de la memoria biocultural de los productores coronadeños, Costa Rica José Luis Brenes Andrad, sob orientação de Gabriela Peixoto Coelho-de-Souza

Transformaciones en los territorios tradicionales mapuche en la región de la Araucanía, Chile Cecilia Belén Obreque Moncada, sob orientação de Gabriela Peixoto Coelho-de-Souza

TESES DE DOUTORADO DEFENDIDAS EM 2018

A agricultura brasileira exportadora na economiamundo capitalista Hythakar Secco de Oliveira, sob orientação de Eduardo Ernesto Filippi A construção da categoria agricultura familiar no Mercosul: um estudo a partir dos casos do Brasil e da Argentina Regis da Cunha Belem, sob orientação de Guilherme Francisco Waterloo Radomsky Cañas y ramadas, ensamblando el território dulce en el oriente de Antioquia - Colombia José Anibal Quintero Hernández, sob orientação de Flávia Charão Marques Desejos serranos: a emancipação de uma paisagem nos Campos de Cima da Serra, Rio Grande do Sul, Brasil Claudia Ribeiro, sob orientação de Lovois de Andrade Miguel e Maria Angela Faggin Pereira Leite Discursos para a educação básica e superior do campo: adestramento ou desenvolvimento rural? Alessandra Luther, sob orientação de Tatiana Engel Gerhardt Fatores sociopsicológicos que influenciam os produtores da região meio oeste catarinense a adotarem melhorias no sistema de produção de leite à base de pastagem perene Nadir Paula da Rosa, sob orientação de João Armando Dessimon Machado

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

Instituições e lojas que comercializam alimentos orgânicos em Belém do Pará: análise da construção social dos mercados e da legitimidade organizacional José Maria Cardoso Sacramento, sob orientação de Glauco Schultz O encontro entre desenvolvimento rural e coletivos Mbya Guarani no Litoral Norte do RS Lucas da Rocha Ferreira, sob orientação de Fábio Kessler Dal Soglio Plano de vida Mbya Kuery que “saiu do papel” no litoral do Rio Grande do Sul: governança para o Tekó Porã Reguá (caminho do bem viver) Rafaela Biehl Printes, sob orientação de Gabriela Peixoto Coelho-de-Souza e Ricardo Silva Pereira Mello Segurança alimentar e resistências cotidianas de mulheres assentadas em áreas de produção agroindustrial da região central de São Paulo Amália Leonel Nascimento, sob orientação de Fabiana Thomé da Cruz Sistema agroalimentario del maíz blanco en Ciudad Arce, municipio de El Salvador Carlos Ernesto Ayala Durán, sob orientação de Paulo Dabdab Waquil Transição no regime sociotécnico alimentício dominante: o processo de convencionalização dos mercados de orgânicos Lillian Bastian, sob orientação de Paulo Dabdab Waquil

57


PPGE ECONOMIA História

CURSOS Mestrado acadêmico em Economia Mestrado profissional em Economia Mestrado interinstitucional, parceria com La Salle (MT) Doutorado em Economia

O Programa de Pós-Graduação em Economia (PPGE) iniciou suas atividades em 1971, tendo sua primeira turma de Mestrado constituída em 1972. Em 1991, a Câmara Especial de Pós-Graduação e Pesquisa da UFRGS aprovou a implantação do Doutorado do PPGE. A primeira turma iniciou suas atividades em março do ano seguinte, e, em dezembro de 1993, o doutorado em Economia da FCE passou a ser reconhecido pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). O Mestrado Profissional é ofertado desde o ano de 1999. Inicialmente, todos os cursos tinham como ênfase a Teoria Econômica e a Economia Regional, especialmente do Rio Grande do Sul. Em 2004, o Programa passou a oferecer formação em duas linhas de pesquisa: Desenvolvimento Econômico e Economia Aplicada.

Objetivos Caracterizado pela pluralidade teórica e metodológica, o Programa tem por objetivo produzir conhecimento científico na fronteira das diversas áreas da Economia, contribuindo para a formação de profissionais de excelência aptos a atuar na academia, no setor público e na iniciativa privada.

Alunos

5

Conceito em 2016

58

Ao final de 2018, o Programa de Pós-Graduação em Economia contava com 210 alunos vinculados no total. No mesmo ano, foram diplomados 74 estudantes


28 Vagas oferecidas

15

Mestrado acadêmico Mestrado profissional

20

Doutorado

21 Ingressantes

6 15 30

Concluintes

22 22 81

Total de alunos vinculados

45 84

0

20

40

60

80

Comissão de Pós-Graduação Arthur César Abreu, André Moreira Cunha, João Frois Caldeira, Marcelo de Carvalho Griebeler, Marcelo Savino Portugal, Ricardo Dathein (coordenador) e Sylvio Antonio Kappes.

Suporte na Secretaria Acadêmica Servidores técnico-administrativos Marcelo Gigante Ortiz e Maria Delourdes da Fonseca.

DISSERTAÇÕES DE MESTRADO DEFENDIDAS EM 2018

A contribuição da formação de preços orientada pelos custos na geração de valor para uma empresa de transporte de produtos químicos Sabrina Acadroli Maia, sob orientação de Guilherme Ribeiro de Macêdo A dinâmica do repasse cambial para a inflação no Brasil durante o período de 2001 a 2017 Guilherme Pons Fiorentin, sob orientação de Eugenio Lagemann A economia comportamental e a formação de poupança vinculada a sorteios: o caso da prize-linked saving e dos títulos de capitalização Leonardo Juan Herrera , sob orientação de Marcelo Milan

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

59


DISSERTAÇÕES DE MESTRADO DEFENDIDAS EM 2018

A formação do Estado Desenvolvimentista brasileiro (1930-1960): eficácia e autonomia da burocracia econômica Henrique Gomes Acosta, sob orientação de Pedro Cezar Dutra Fonseca A política fiscal brasileira pós-lei de responsabilidade fiscal: uma análise sob a ótica da teoria keynesiana Vanessa Pivatto, sob orientação de Fernando Ferrari Filho A recente expansão do ensino superior e técnico e seus desdobramentos para o sistema inovativo brasileiro Iago Luiz da Silva, sob orientação de Ana Lúcia Tatsch A relevância da agricultura de exportação para o desenvolvimento econômico do estado do Mato Grosso Nadir João Paludo, sob orientação de Ivan Colangelo Salomão Acumulação primitiva, desapossamentos e expropriações contemporâneas e o Global Land Grab Raul Trajano Sibemberg, sob orientação de Ronaldo Herrlein Junior Alternativas para precificação de ativos financeiros sem divulgação pública de preços ou mercado secundário formalmente constituído Francisco Freire Duarte, sob orientação de Eugenio Lagemann Análise conjuntural da indústria de software: uma luz sobre a importância dos aplicativos móveis na economia criativa Bruno Duarte dos Santos, sob orientação de Leandro Valiati Análise da persistência inflacionária no Brasil (1999 - 2016) Eduarda Fernandes Lustosa de Mendonça, sob orientação de André Moreira Cunha Análise do atual sistema de custos nos restaurantes universitários e estudo das diretrizes para seu aperfeiçoamento na Universidade Federal do Rio Grande Do Sul (UFRGS) Gustavo Leal Martins, sob orientação de Fabian Scholze Domingues Análise do impacto da lei de responsabilidade fiscal (lei complementar nº 101, de 04/05/2000) no desempenho das finanças públicas dos municípios do estado de Mato Grosso Graziela Lodi , sob orientação de Sérgio Marley Modesto Monteiro Apreciação cambial e produção industrial no Brasil: existe relação de causalidade? Rodrigo Eduardo Bampi, sob orientação de Carlos Henrique Vasconcellos Horn Assessing the contribution of GARCH-type Models with realized measures to BM&FBovespa stocks allocation Tainan de Bacco Freitas Boff, sob orientação de Flavio Augusto Ziegelmann Assessor de investimentos e gerente de banco: um estudo sobre as práticas para alocar uma carteira de renda fixa de pessoa física Diniz Braga Pires, sob orientação de Guilherme Ribeiro de Macêdo

60


DISSERTAÇÕES DE MESTRADO DEFENDIDAS EM 2018

Avaliação da efetividade do plano de desenvolvimento institucional (PDI) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), referente ao período de 2011 a 2015 Barbara Baum Vivian, sob orientação de Eugenio Lagemann Choques externos e desequilíbrios financeiros: uma interpretação sobre a crise brasileira Martin Branco Kirsten, sob orientação de Henrique Morrone Curva de juros brasileira: co-movimentos e spillovers no mercado títulos públicos global Hugo Szmidt Neto, sob orientação de João Frois Caldeira Desenvolvimentismo, populismo e distribuição de renda: o caso do segundo Governo Vargas (1950 -1954) Camila Vian de Jesus, sob orientação de Pedro Cezar Dutra Fonseca Desigualdade e tributação sobre a riqueza: a (não) instituição do imposto sobre grandes fortunas no Brasil Rafael Argenta Tams, sob orientação de Eugenio Lagemann Determinantes da formação bruta de capital fixo no Brasil: uma análise para o período entre 1996 a 2016 Maria Emília Kretzer Meurer, sob orientação de Eugenio Lagemann Determinantes da volatilidade dos fluxos de capitais para o Brasil entre os meses de 1999 a maio de 2018 Caroline Pelisser, sob orientação de André Moreira Cunha Economia das licitações, a contratação de obras e reformas em prédios públicos: o caso da UFRGS Marcos José da Silva, sob orientação de Giácomo Balbinotto Neto Economia de gênero e raça: uma análise comparativa do emprego doméstico e seus reflexos devido à introdução da lei nº 150/2015 - PEC das domésticas, nas principais regiões metropolitanas brasileira e no Distrito Federal Tatiane da Silva, sob orientação de Eugenio Lagemann El rol del Estado en el proceso de distribución de la renta: un análisis para Uruguay en el periodo 2005-2015 Sabrina de Leon Duque , sob orientação de Ronaldo Herrlein Junior Empreendedorismo e desenvolvimento econômico no Brasil Luciana Guimarães Spies, sob orientação de Flávio Tosi Feijo Empresa motriz, encadeamentos produtivos e desenvolvimento regional: um estudo de caso de Lucas do Rio Verde - MT Anderson Miguel Knob, sob orientação de Ivan Colangelo Salomão Energia elétrica rural irrigante: uma análise das elasticidades-preço e renda Danielle Montiel Guimarães, sob orientação de Eugenio Lagemann Estimando o impacto da política de incentivo exportador do BNDS-EXIM sobre as exportações brasileiras Danniele Giomo, sob orientação de Henrique Morrone

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

61


DISSERTAÇÕES DE MESTRADO DEFENDIDAS EM 2018

Estimando o PIB mensal do Rio Grande do Sul: uma abordagem de espaço de estados Giovani Baggio, sob orientação de Marcelo Savino Portugal Gastos educacionais e desempenho escolar em municípios do Rio Grande do Sul Paulo Eduardo Panassol, sob orientação de Stefano Florissi Gestão do ciclo de crédito dos cartões private label e os nativos digitais Rodrigo Escobar Nunes, sob orientação de Stefano Florissi Igualdade de oportunidades: limites inferior e superior nas regiões brasileiras Luisa da Rocha Macedo, sob orientação de Sabino da Silva Pôrto Júnior Impacto das políticas de crédito rural no crescimento econômico do estado de Mato Grosso 1999 a 2015 Paulo Roberto Valerio de Castro, sob orientação de Sérgio Marley Modesto Monteiro Indústria brasileira no século XXI: uma análise da desindustrialização por nível de intensidade tecnológica Dimitri Barranhicwecs Tenfen, sob orientação de Ricardo Dathein Interpretações da experiência desindustrializante brasileira: o debate nacional e o contorno de uma vinculação evolucionária institucionalista André Inácio Straginski Carmona, sob orientação de Octávio Augusto Camargo Conceição Markov swiching GAS Copula Model Daniel Rodrigues Silva Tabak, sob orientação de Flávio Augusto Ziegelmann Mato Grosso: um estado em crescimento ou desenvolvimento? Paulo Renato Foletto, sob orientação de Ivan Colangelo Salomão Mean-variance optimization with Dynamic Model Averaging (DMA): an application to fixed-income market in Brazil Bernardo Reckziegel , sob orientação de João Frois Caldeira Mensurando o impacto do mercado potencial sobre os salários industriais no Brasil: uma abordagem com modelos em painel espacial Luiza Izabella Moreira Campos, sob orientação de Sabino da Silva Pôrto Júnior Modernização agrícola dos municípios de Mato Grosso e a relação com a produção de soja no estado Denise Gubert, sob orientação de Sérgio Marley Modesto Monteiro O efeito das aglomerações no fluxo de pacientes no Sistema Único de Saúde entre os municípios brasileiros Luciano Marchese Silva, sob orientação de Sabino da Silva Pôrto Júnior O impacto dos derivativos na gestão dos riscos de preços agrícolas: o caso do milho no Mato Grosso (2013 2017) Sandro Luiz Pinheiro, sob orientação de Henrique Morrone

62


DISSERTAÇÕES DE MESTRADO DEFENDIDAS EM 2018

O lucro privado da atividade mineradora brasileira enquanto sub-remuneração do Estado Henrique Dalpian, sob orientação de Rosa Angela Chieza Os requerimentos de capital e liquidez de Basileia III: um enfoque contábil do sistema financeiro brasileiro Taís Lenira Borges de Souza, sob orientação de Carlos Henrique Vasconcellos Horn Precarização no mercado de trabalho na recessão de 2015-2017 na RMPA Virginia Rolla Donoso, sob orientação de Carlos Henrique Vasconcellos Horn Previdência dos servidores públicos e concentração de renda: teoria e evidências empíricas para os municípios brasileiros no período 2000 a 2010 Henrique Serra Sitja, sob orientação de Giácomo Balbinotto Neto Proteção cambial com derivativos de dólar Marcelo Pereira, sob orientação de Henrique Morrone Suspensão da Lei do Bem: uma análise e seus impactos na economia brasileira Ricardo Reis Silveira Júnior, sob orientação de Eugenio Lagemann Tail risk forecasting with GAS models Luiz Bezerra de Oliveira Lima Neto, sob orientação de Hudson da Silva Torrent Uma abordagem em macrofinanças para a previsão dos movimentos da taxa de câmbio do Brasil Felipe Nascimento Ruperti, sob orientação de João Frois Caldeira

TESES DE DOUTORADO DEFENDIDAS EM 2018

A carteira de crédito agrícola e industrial (CREAI) e o modelo de financiamento do estado desenvolvimentista no Brasil entre 1937 e 1969 André da Silva Redivo, sob orientação de Pedro Cezar Dutra Fonseca As exportações brasileiras de bens intensivos em trabalho no período 2000-2014: um estudo exploratório sobre percepções empresariais e decisão de investimento Bianca Martins Rockenbach, sob orientação de Hélio Henkin Ensaios em economia aplicada e teórica: polo naval de Rio Grande e credibilidade Ricardo Aguirre Leal , sob orientação de Flávio Tosi Feijó Ensaios em economia da educação superior Ana Cláudia Annegues da Silva, sob orientação de Sabino da Silva Porto Junior

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

63


TESES DE DOUTORADO DEFENDIDAS EM 2018

Ensaios sobre comércio, saúde e mercado de trabalho Wallace Patrick Santos de Farias Souza, sob orientação de Flávio Augusto Ziegelmann Ensaios sobre desigualdade de oportunidades no Brasil Rodrigo Salvato de Assis, sob orientação de Sabino da Silva Pôrto Júnior Ensaios sobre inflação no Brasil: indexação e arranjo institucional, inércia comparada com outros países e relações de variáveis macroeconômicas com inovação Mateus Boldrine Abrita, sob orientação de Ricardo Dathein Ensaios sobre mercado de trabalho no Brasil: doenças cardiovasculares, contatos pessoais e empreendedorismo feminino Victor Rodrigues de Oliveira, sob orientação de Giácomo Balbinotto Neto Ensaios sobre previsão de séries macroeconômicas para o Brasil utilizando modelos VAR bayesianos Bruna Kasprzak Borges, sob orientação de Marcelo Savino Portugal Evolução da produtividade brasileira: mudança estrutural e dinâmica tecnológica em uma abordagem multissetorial Tomás Amaral Torezani, sob orientação de André Moreira Cunha Impacto das políticas industriais na produtividade brasileira a partir dos anos 2000: uma análise heterodoxa setorial Carolina Silvestri Cândido Rocha, sob orientação de Ana Lúcia Tatsch Instituições e fluxos internacionais de capitais: teoria e evidências Ramon Wiest , sob orientação de Ronald Otto Hilbrecht O desafio das mudanças climáticas para o movimento sindical de trabalhadores brasileiros Eduardo Miguel Schneider, sob orientação de Ronaldo Herrlein Junior O movimento da taxa de lucro e a exportação de capital: tendências e limites da dinâmica econômica no capitalismo contemporâneo Lucas Rodrigues, sob orientação de Ronaldo Herrlein Junior Para além da inadequabilidade do regime de metas no Brasil: evidências acerca da relação entre inflação e produtividade na indústria de transformação Denise Piper, sob orientação de Fernando Ferrari Filho Política de desenvolvimento industrial e integração produtiva no Mercosul (1993-2017): uma deficiência da estrutura de governança? Thiago Peixoto de Almeida Cavalcante, sob orientação de Henrique Morrone Política monetária em um contexto de metas de inflação, câmbio flexível e mobilidade de capitais: uma investigação teórica, histórica e empírica Mateus Ramalho Ribeiro da Fonseca, sob orientação de Fernando Ferrari Filho

64


TESES DE DOUTORADO DEFENDIDAS EM 2018

Populismo, política econômica e crises na América Latina Leonardo Segura Moraes, sob orientação de Pedro Cezar Dutra Fonseca The role of gender in Brazilian academic achievement Eduardo André Tillmann, sob orientação de Flavio Vasconcellos Comim Três ensaios sobre os ciclos de negócios no Brasil Fernando Ioannides Lopes da Cruz, sob orientação de Hudson Silva Torrent

Fonte dos dados desta seção: PPGE

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

65


PPGEEI ESTUDOS ESTRATÉGICOS INTERNACIONAIS

História O Programa de Pós-Graduação em Estudos Estratégicos Internacionais (PPGEEI) teve seu funcionamento autorizado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) em dezembro de 2010, como resultado do amadurecimento da área na UFRGS, apoiando-se na sólida tradição de pesquisa da Universidade.

CURSOS Mestrado acadêmico em Estudos Estratégicos Internacionais Doutorado em Estudos Estratégicos Internacionais

O Programa reflete a realidade multidisciplinar da Faculdade de Ciências Econômicas e conta com corpo docente que inclui pesquisadores com importante produção científica, apoiados na experiência acadêmica de núcleos de pesquisa.

Objetivos O Programa objetiva formar mestres e doutores em Estudos Estratégicos Internacionais, articulando suas três linhas de pesquisa e formação – Economia Política Internacional, Política Internacional e Segurança Internacional e Defesa – por meio de sólida formação em pesquisa. Além disso, em sua atuação, o PPGEEI também busca associar a área de Relações Internacionais aos Estudos Estratégicos, campo pelo qual existe grande demanda dos setores acadêmico, governamental (especialmente nas áreas de defesa, diplomacia e assessoramento internacional), empresarial e da sociedade civil.

Alunos

4

Conceito em 2016

66

Ao final de 2018, o PPGEEI contava com 114 alunos. No mesmo ano, foram diplomados 26 estudantes.


12

Vagas oferecidas

12 11

Ingressantes

Mestrado

6

Doutorado

13

Concluintes

13 42

Total de alunos vinculados

72 0

25

50

75

* O dado inclui o número de ingressantes pelo edital Estrangeiros Fluxo Contínuo

Comissão de Pós-Graduação André Luiz Reis da Silva (coordenador), André Moreira Cunha, Augusto César Dall’Agnol, Bruna Rohr Reisdoerfer, Eduardo Munhoz Svartman, Luiz Augusto Estrella Faria, Roberto Rodolfo Georg Uebel.

Suporte na Secretaria Acadêmica Servidor técnico-administrativo Rached da Silva Centeno.

DISSERTAÇÕES DE MESTRADO DEFENDIDAS EM 2018

A África na política externa brasileira: uma análise dos discursos de Ernesto Geisel (1974-1979) e Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2010) Camila Castro Kowalski, sob orientação de Analúcia Danilevicz Pereira A guerra do Iraque e a transformação militar nos Estados Unidos da América Laís Helena Andreis Trizotto, sob orientação de José Miguel Quedi Martins Comando e controle no contexto da digitalização: um estudo com base em modelagem computacional Frederico Licks Bertol, sob orientação de Marco Aurélio Chaves Cepik Cultura política, política externa e congruência: uma análise sobre os governos Lula (2003-2010) Adriana Pilar Ferreira Albanus, sob orientação de Henrique Carlos de Oliveira de Castro Imperialismo monetário? Poder, dinheiro e a influência alemã na zona do Euro Daniela Sallet Lunkes, sob orientação de Marcelo Milan

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

67


DISSERTAÇÕES DE MESTRADO DEFENDIDAS EM 2018

Internet, terror e ciberterrorismo Bruna Toso de Alcântara, sob orientação de Érico Esteves Duarte John Boyd, obra e influência: elementos para um programa de pesquisas João Gabriel Burmann da Costa, sob orientação de José Miguel Quedi Martins O bloco no poder nos governos Dilma Rousseff (2011-2016): crise e influências na política externa Osvaldo Alves Pereira Filho, sob orientação de André Luiz Reis da Silva O papel do Fundo Monetário Internacional frente a desequilíbrios internacionais: uma análise das crises brasileiras a partir dos anos 1980 Ana Paula Ranzi, sob orientação de Fernando Ferrari Filho Potências médias emergentes e cooperação Sul-Sul: uma análise comparada das relações do Brasil e da Índia com Moçambique Natália Barbosa Argiles Goncalves, sob orientação de Sílvia Regina Ferabolli Projeção de força em zonas contestadas: o caso da China e a dinâmica securitária na Ásia-Pacífico Guilherme Henrique Simionato dos Santos, sob orientação Marco Aurélio Chaves Cepik Revolução nacional e guerra prolongada na China: análise estratégica e operacional da Segunda Guerra Sino-japonesa (1937-1945) Bruno Magno, sob orientação de Marco Aurelio Chaves Cepik Xi Jinping e o sistema político da China Bruno Kern Duarte, sob orientação de André Moreira Cunha

TESES DE DOUTORADO DEFENDIDAS EM 2018

68

A dimensão do Atlântico Sul para Brasil e África do Sul (1415-2015): uma contribuição para o estudo de um espaço estratégico Anselmo Otavio, sob orientação de Paulo Gilberto Fagundes Visentini

A transferência de conhecimento como um mecanismo alternativo de cooperação Sul-Sul: uma análise exploratória da atuação do fundo IBAS em Guiné Bissau (2005-2015) Kaline Zeni, sob orientação de André Luiz Reis da Silva

A aplicação de direitos antidumping no Brasil: o caso dos calçados importados da China Rafael Pentiado Poerschke, sob orientação de Hélio Henkin

Academics and politics in international relations: from the “golden age” to the “great gap” Fernanda Barth Barasuol, sob orientação de André Luiz Reis Da Silva


Análise do processo de internacionalização universitária entre países emergentes: estudo de caso do Brasil com os demais países membros dos BRICS durante os governos Lula e Dilma Larissa Cristina Dal Piva Moreira, sob orientação Sonia Maria Ranincheski As dinâmicas regionais do nordeste asiático e o pivô norte-coreano Pedro Vinícius Pereira Brites, sob orientação de Analúcia Danilevicz Pereira As Nações Unidas como ator de segurança internacional: do peacekeeping tradicional às iniciativas de estabilização na República Democrática do Congo e na República Centro Africana Guilherme Moreira Dias, sob orientação de Analúcia Danilevicz Pereira Gestão securitária de fronteiras no Brasil: riscos e desafios Rafael Francisco Franca, sob orientação de Adriana Dorfman

O rebalanceamento dos impulsionadores do crescimento da China e os seus efeitos econômicos para o Brasil, a Rússia, a Índia e a África do Sul (2001-2015) Leandro Teixeira Dos Santos, sob orientação de Marcelo Milan Os BRICS e as instituições internacionais: uma perspectiva comparada Marilia Romão Capinzaiki, sob orientação de Fernando Ferrari Filho Política externa migratória brasileira: das migrações de perspectiva à hiperdinamização das migrações durante os governos Lula da Silva e Dilma Rousseff Roberto Rodolfo Georg Uebel, sob orientação de Sonia Maria Ranincheski Segurança nacional, direito à informação e proteção do segredo do estado em Moçambique: desafios e perspectivas Emilio Jovando Zeca, sob orientação de Marco Aurélio Chaves Cepik

Fonte dos dados desta seção: PGGEEI

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

69



ESPECIALIZAÇÃO

Em consonância com seus objetivos de formar e de qualificar pessoas em todas as suas áreas de atuação, a Faculdade de Ciências Econômicas também mantém cursos de pós-graduação em nível de Especialização


CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO INICIADOS EM 2018

>

ESTRATÉGIA E RELAÇÕES INTERNACIONAIS CONTEMPORÂNEAS - 5a EDIÇÃO Destinado a graduados em Relações Internacionais ou em áreas afins, o curso oportuniza o aprofundamento do conhecimento teórico e instrumental relacionado a diferentes funções e exercícios profissionais vinculados às relações internacionais contemporâneas. Número de vagas ofertadas: 40 Coordenador: Érico Esteves Duarte

>

FINANÇAS E ECONOMIA - 13a EDIÇÃO Voltado a profissionais da área de finanças dos setores público e privado, o curso visa capacitar especialistas para identificar situações críticas, selecionar métodos adequados à resolução de problemas, desenvolver estratégias eficientes de gestão e interpretar adequadamente informações relevantes da conjuntura nacional e internacional. Número de vagas ofertadas: 35 Coordenador: João Frois Caldeira

>

RELAÇÕES DE TRABALHO - 2a EDIÇÃO A especialização objetiva fornecer uma formação de caráter multidisciplinar sobre temas contemporâneos das relações de trabalho no Brasil. Os assuntos são discutidos a partir da perspectiva do emprego assalariado, embora o curso também aborde as relações dos atores coletivos do mundo do trabalho, cuja interação afeta, direta ou indiretamente, a relação de emprego. As temáticas abordadas nas disciplinas abrangem áreas de Economia, Sociologia, Administração, Saúde do Trabalho, Direito e Educação. Número de vagas ofertadas: 35 Coordenador: Cássio da Silva Calvete

72

>

GESTÃO DA SEGURANÇA E DEFESA CIBERNÉTICA (EAD) - 1a EDIÇÃO O curso visa a proporcionar capacitação e atualização na área de defesa cibernética com foco especial em aspectos relacionados à governança. O conteúdo inclui fundamentos teóricos e aplicados para a compreensão das transformações políticas e econômicas, bem como dos desafios de segurança e defesa no cenário contemporâneo. Número de vagas ofertadas: 50 Coordenador: Érico Esteves Duarte

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FCE

7

cursos presenciais

2

cursos a distância

1 novo curso em 2018

160 novas vagas em 2018


CURSOS INICIADOS EM ANOS ANTERIORES

>

CONTROLADORIA - 13a EDIÇÃO Formação dirigida a profissionais que já atuam na área de contabilidade e a profissionais que buscam nesse ramo de atividade uma nova oportunidade profissional. Visa a qualificar profissionais da área de controladoria e afins com os mais recentes conceitos, técnicas e procedimentos, preparando-os para a atividade de gerenciamento estratégico da área de controladoria. Ano de início: 2015 Número de alunos: 100 Coordenadores: Mario Guilherme Rebollo e Paulo Schmidt

>

PERÍCIA E AUDITORIA - 8a EDIÇÃO Destinado à capacitação dos estudantes com os mais recentes conceitos e técnicas de perícia e auditoria, o curso de especialização é voltado a bacharéis em Ciências Contábeis, Administração, Economia e áreas afins. Ano de início: 2015 Número de alunos: 29 Coordenador: Paulo Schmidt Fonte dos dados desta seção: NECON, PPGE, PPGEEI

Foto: Rochele Zandavalli/UFRGS

>

ESTRATÉGIA E RELAÇÕES INTERNACIONAIS CONTEMPORÂNEAS - 4a EDIÇÃO Curso destinado a graduados em Relações Internacionais ou em áreas afins. Oportuniza o aprofundamento do conhecimento teórico e instrumental relacionado a diferentes funções e exercícios profissionais vinculados às relações internacionais contemporâneas. Ano de início: 2017 Número de alunos: 49 Coordenadores: Analúcia Danilevicz e Érico Esteves Duarte

FINANÇAS E ECONOMIA - 11a E 12a EDIÇÕES Voltado a profissionais da área de finanças dos setores público e privado, o curso visa à capacitação de especialistas para identificar situações críticas, selecionar métodos adequados à resolução de problemas, desenvolver estratégias eficientes de gestão e interpretar adequadamente informações relevantes da conjuntura nacional e internacional. Ano de início: 2016 e 2017 Número de alunos: 30 Coordenador: João Frois Caldeira

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

73



PESQUISA


GRUPOS DE PESQUISA A pesquisa realizada pela Faculdade de Ciências Econômicas abrange todas as áreas de suas atividades e está organizada em grupos e núcleos de pesquisa, além de projetos individuais de pesquisadores. Diversos projetos de pesquisa são financiados por órgãos de fomento, como a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), a Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (FAPERGS).

CENTRO BRASILEIRO DE ESTUDOS AFRICANOS – CEBRAFRICA

COMISSÃO DE PESQUISA André Moreira Cunha coordenador

Daniela Dias Kuhn coordenadora substituta

O centro tem por objetivo o conhecimento do continente africano e de suas relações com o Brasil nas seguintes áreas: relações internacionais, organizações de integração, Segurança e Defesa, sistemas políticos, História, Geografia, desenvolvimento econômico, estruturas sociais e sua transformação e correntes de pensamento. Coordenadora: Analúcia Danilevicz Pereira

Sílvia Ferabolli

coordenadora PPGEEI

Ricardo Dathein coordenador PPGE

Leonardo Xavier da Silva diretor IEPE

Marcelo Conterato diretor Cisade

Éverson Vieira dos Santos técnico-administrativo titular

Thais Santana da Rosa

técnico-administrativa suplente

CULTURA POLÍTICA, ESTADO E RELAÇÕES INTERNACIONAIS – CESPRI O grupo de pesquisa tem por objetivo compreender e explicar a relação entre a cultura política, entendida como as formas de percepção da política pela cidadania, e as ações do Estado e das instituições políticas, incluindo, particularmente, as relações internacionais. O CESPRI desenvolve estudos sobre a cultura política de diferentes países nas relações internacionais, de modo a conhecer o impacto das percepções e das atitudes na agenda de política externa, na identificação da opinião pública nacional e internacional sobre um determinado país ou tema, na escolha de estratégias de diplomacia. Coordenadora: Sonia Maria Ranincheski


GRUPO DE PESQUISA EM ECONOMIA URBANA E DIREITO À MORADIA – NEPEU A recente valorização imobiliária vivida no Brasil nos anos 2000 trouxe a necessidade de reflexão e de pesquisa acadêmica sobre as questões econômicas e sociais, de curto e de longo prazo, relacionadas à ocupação do espaço urbano, à mobilidade urbana, ao direito à moradia e às políticas públicas. O NEPEU desenvolve estudos sobre a dinâmica de valorização fundiária no Brasil, com o objetivo de discutir teórica e empiricamente o tema. Coordenador: Fabian Scholze Domingues

NÚCLEO DE ESTUDO DOS BRICS – NEBRICS O NEBRICS se propõe a realizar estudos econômicos sobre os países participantes do grupo dos BRICS: Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Os temas da pesquisa estão relacionados, principalmente, com comércio, finanças, produção e políticas econômicas desses países, além de temas relacionados à integração econômica e ao desenvolvimento econômico. Coordenadora: Jacqueline Angélica Hernández Haffner

NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM CONTABILIDADE – NECON Núcleo focado na oferta de cursos de pós-graduação lato sensu voltados às áreas de contabilidade governamental, de controladoria e de perícia e auditoria. Coordenador: Paulo Schmidt

NÚCLEO DE ESTUDO E PESQUISA DOS PAÍSES DA AMÉRICA DO SUL – NEPPAS O NEPPAS visa ao estudo histórico do desenvolvimento econômico em países da América do Sul, investigando também como esse processo é contemporaneamente impactado pelo crescente ingresso de capitais chineses. Coordenador: Ronaldo Herrlein Júnior

Foto: Tatiany Lukrafka/FCE

O Cebrafrica publica a Revista Brasileira de Estudos Africanos, semestralmente, desde 2016

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

77


NÚCLEO DE ESTUDOS EM ECONOMIA CRIATIVA E DA CULTURA – NECCULT

O NECCULT surgiu da confluência de diferentes iniciativas convergentes no âmbito do estudo da economia criativa, da cultura e da inovação. Mais especificamente, o grupo busca agregar os esforços dos trabalhos desenvolvidos no campo do Observatório de Economia Criativa do RS, do Grupo de Trabalho em Economia Criativa, Cultura e Políticas Públicas do Centro de Estudos Internacionais sobre Governo e do grupo de pesquisa do CNPq em Economia Criativa, Cultura e Desenvolvimento. O NECCULT busca criar sinergia entre os vários interlocutores da área, funcionando, ao mesmo tempo, como ponto focal para os estudos na Universidade e como referência nacional e internacional da área. Além de pesquisa aplicada, o Núcleo mantém diálogo com a comunidade por meio da Revista Eletrônica do NECCULT, de cursos de capacitação EaD e do ciclo de conferências Diálogos em Economia Criativa. Coordenador executivo: Leandro Valiati Coordenador institucional: André Moreira Cunha

Ações em 2018

Fotos: NECCULT/UFRGS

Atlas Econômico da Cultura Brasileira

78

Iniciativa que pretende tratar sobre a situação dos setores culturais e criativos no Brasil de acordo com a distribuição regional e setorial, identificando suas potencialidades e seus limites. Os primeiros volumes da coleção buscaram justificar a importância desse material a partir da sua localização na discussão teórica nacional e internacional, abordando quatro eixos temáticos: empreendimentos culturais, mercado de trabalho, políticas públicas e comércio internacional.


Cursos de capacitação setoriais Ao final de 2018, o NECCULT lançou três cursos sobre os setores patrimônio/museus, música e design. Os cursos foram todos no formato em EaD autoinstrucional em parceria com a Secretaria de Economia da Cultura (SEC) do Ministério da Cultura (MinC) e especialistas dos setores. Eles estão disponibilizados na plataforma Lúmina da Universidade.

Diálogos em Economia Criativa O Diálogos em Economia Criativa de 2018 ocorreu no dia 26 de fevereiro no auditório da Faculdade de Ciências Econômicas. O evento foi composto por uma conferência, com o tema Empreendedorismo em indústrias criativas, e um painel de apresentação das experiências de internacionalização nas Artes Cênicas e Visuais. A conferência abordou o contexto de empreendimentos que utilizam capital intelectual e criatividade como insumos primários na geração de renda, de emprego e de ganhos de exportação. A palestrante foi Morag Shiach, professora de História Cultural e diretora do Creativeworks London. O painel, por sua vez, abordou o mercado e o sistema das artes sob a perspectiva internacional e teve como debatedores Carlos Carvalho, fotógrafo documentarista e produtor cultural; Alexandre Vargas, diretor de teatro e empreendedor cultural; e Ana Letícia Fialho, Diretora de Estratégia Produtiva da Secretaria de Economia da Cultura do Ministério da Cultura.

Mensuração do impacto econômico dos museus na economia criativa O projeto analisou três multiplicadores de impacto no setor de museus: o efeito de ligação para trás, os encadeamentos à frente na produção e a potencial geração de emprego. Com o objetivo de explorar ligações intersetoriais e sua evolução ao longo do tempo, ainda será formulada uma matriz insumo -produto qualitativo.

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

REVISTA BRASILEIRA DE ECONOMIA CRIATIVA E DA CULTURA É um periódico revisado por pares, em língua portuguesa, publicado anualmente. A revista publica artigos completos e originais, artigos-resenha, notas e comentários, entrevistas, matérias especiais, bem como documentos que estão em conformidade com a sua política editorial, Em 2018, foi lançado um número especial sobre Festivais de Teatro em parceira com a Rede Brasileira de Festivais de Teatro.

79


Fotos: Tatiany Lukrafka/FCE

O NAPE encerrou o ano com Carta de Conjuntura sobre as expectativas frustradas de crescimento

Análises do Núcleo abordam aspectos de economia mundial, política monetária e fiscal, inflação, emprego e salários, mercado financeiro, economia do RS e Índice de Preços ao Consumidor de Porto Alegre

80


NÚCLEO DE ANÁLISE DE POLÍTICA ECONÔMICA – NAPE

O Núcleo de Análise de Política Econômica (NAPE) tem como objetivo analisar a conjuntura econômica nacional e internacional. O NAPE se dedica ao estudo de temas ligados a economia mundial, política monetária, política fiscal, inflação, balanço de pagamentos, nível de atividade, emprego e salários, Mercado Financeiro e de Capitais, economia do Rio Grande do Sul e o Índice de Preços ao Consumidor – IEPE. Coordenador: Flavio Fligenspan Flavio Fligenspan, coordenador do NAPE

Ações em 2018 Cartas de Conjuntura O NAPE elabora trimestralmente a Carta de Conjuntura Econômica, contendo informações e análises sobre economia mundial, políticas fiscal e monetária, inflação, balanço de pagamentos e nível de atividade econômica, entre outros tópicos. As cartas são apresentadas em seminários gratuitos e abertos a todos os interessados, momento em que são debatidos os tópicos atuais de economia com a comunidade. Em 2018, as quatro cartas publicadas mostraram a preocupação com a extensão da crise econômica iniciada ainda em 2014, causando uma atividade econômica frágil e suas consequências negativas para a sociedade, como uma elevada taxa de desemprego. Os títulos das quatro cartas refletem com clareza tal preocupação: Juros no piso... e nível de atividade também; Crise sem fim; economia brasileira segue em compasso de espera; Mais uma vez transferida a esperança de crescimento.

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

Todas as Cartas de Conjuntura elaboradas pelo Núcleo de Análise de Política Econômica estão disponíveis para acesso gratuito na internet:

ufrgs.br/nape

81


GRUPOS DE PESQUISA DESENVOLVIMENTO RURAL

A área de Desenvolvimento Rural da Faculdade de Ciências Econômicas conta com diversos grupos de pesquisa, dedicados ao estudo de várias temáticas. Nesta seção, são apresentados aqueles que estavam em atividade em 2018.

GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISA EM INTERCULTURALIDADE E ECONOMIAS DO SUL – GEPIES O GEPIES é um ambiente de debate sobre os efeitos do capitalismo nas economias do Sul. O grupo tem como objetivos estabelecer e fomentar novos espaços de discussão e interação que permitam a integração entre pesquisa e extensão, entre discentes, docentes e técnicos, bem como com a sociedade de uma maneira geral. Coordenadora: Daniela Dias Kuhn

Fotos: NECCULT/UFRGS

GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISA EM PECUÁRIAS – GEPPEC

82

O grupo tem como objetivo analisar e discutir as transformações e reconfigurações dos mercados da pecuária, suas implicações em termos de novas dinâmicas, instituições e convenções, novas oportunidades e desafios, e as estratégias para o acesso e inserção destes atores nos mercados, focando nas realidades da região sul do país. Coordenador: Paulo Dabdab Waquil


GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM AGRICULTURA FAMILIAR E DESENVOLVIMENTO RURAL – GEPAD O GEPAD é um grupo interdisciplinar que reúne pesquisadores interessados em analisar os processos de desenvolvimento rural. Os projetos do grupo focalizam principalmente as dinâmicas sociais, econômicas, culturais e políticas da agricultura familiar. Coordenador: Sérgio Schneider

GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM ALIMENTAÇÃO, CONSUMO E CULTURA – GEPAC A agenda de pesquisa do GEPAC é voltada a estudos sobre as relações entre alimentação, consumo e cultura. Toma por contexto, por um lado, a ansiedade urbana contemporânea em relação à alimentação e, por outro, a expressão, nas classificações da alimentação operadas por consumidores urbanos, de um rural valorado positivamente, idealizado, que, ao demandar alimentos – mas também paisagens, costumes, festas, história, turismo – age na conformação do rural vivenciado pelos que nele habitam. Coordenador: Renata Menasche

GRUPO DE ESTUDOS EM SAÚDE COLETIVA – GESC

O GEMAV é formado por pesquisadores de diversas áreas - como Administração, Agronomia, Antropologia, Ciências Sociais, Desenvolvimento Rural, Economia, Sociologia e Psicologia - com o objetivo de fomentar um espaço de discussão sobre a abordagem institucionalista de Veblen. Coordenadores: Chaiane Leal Agnes, Jonattan Rodriguez Castelli, Livio Sergio Dias Claudino e Rafaela Vendruscolo.

GRUPO DE PESQUISA EM MERCADOS NÃO AGRÍCOLAS RURAIS

Contatos dos grupos

GRUPO DE ESTUDOS MULTIDISCIPLINARES DA ABORDAGEM INSTITUCIONALISTA DE VEBLEN – GEMAV

ufrgs.br/pgdr/pesquisa

O GESC reúne pesquisadores, estudantes e profissionais da saúde com o objetivo de debater e refletir sobre a Saúde Coletiva enquanto campo científico e cenário de práticas. Coordenadores: Tatiana Engel Gerhardt e Marta Julia Marques Lopes

Sob o olhar de uma equipe multidisciplinar, composta por profissionais de diversas áreas (Sociologia, Antropologia, Agronomia, Economia, Arquitetura, Comunicação, Turismo, Geografia e Direito, entre outros), o grupo desenvolve trabalhos de pesquisa científica e de divulgação com o objetivo de ampliar a compreensão sobre os mercados não agrícolas rurais. Coordenadores: Marcelino de Souza e Ivo Elesbão

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

83


ufrgs.br/pgdr/pesquisa

GRUPO DE PESQUISA EM TECNOLOGIA, MEIO AMBIENTE E SOCIEDADE – TEMAS O TEMAS se dedica prioritariamente a estudos acadêmicos em torno da temática do desenvolvimento e ambiente. Entre as áreas de pesquisa, estão diversidade e dinâmicas das relações sociedade-natureza em contextos sociais específicos; conflitos ambientais em fricção com megaprojetos e empreendimentos civis; controvérsias em torno de novidades e inovações tecnológicas; mudanças climáticas e os estudos sociais das ciências e das tecnologias; práticas alimentares e a tecnociência. Coordenador: Jalcione Pereira de Almeida

GRUPO DE PESQUISA INTERDISCIPLINAR EM MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO – GRIMAD O GRIMAD desenvolve pesquisas relacionadas às dinâmicas socioambientais no espaço rural e estabelece como objetivos principais aprofundar o debate e a reflexão sobre as principais teorias sociais contemporâneas que tratam do desenvolvimento, incorporando a problemática ambiental e a interdisciplinaridade; analisar as formas de uso do espaço rural e agrícola dentro de uma perspectiva de sustentabilidade; e identificar e analisar as influências e determinações do “componente ambiental” na dinâmica dos sistemas produtivos agrícolas. Coordenadores: Roberto Verdum e Fábio de Lima Beck

LABORATÓRIO DA PAISAGEM – PAGUS O PAGUS objetiva entender a paisagem como elaboração e expressão humana praticada e incorporada no senso comum, assim como um tema de interesse científico e das artes. Neste sentido, a paisagem é vista como uma referência construída na modernidade e também como uma expressão elaborada desde a Antiguidade, tanto no mundo oriental quanto no ocidental. Coordenador: Roberto Verdum

NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL – NESAN O NESAN é um grupo de estudos que busca fomentar ações e pesquisas na área de Segurança Alimentar e Nutricional na perspectiva do direito humano à alimentação adequada e da soberania alimentar. Coordenadores: Gabriela Peixto Coelho-de-Souza, Leonardo Xavier da Silva, Luciano Figueiredo e Rumi Regina Kubo

NÚCLEO DE ESTUDOS EM AGROECOLOGIA O Núcleo de Estudos em Agroecologia tem como principal objetivo promover o desenvolvimento da agroindústria de alimentos orgânicos no mercado brasileiro e o contato dos servidores da Universidade com produtores de orgânicos da região do Litoral Norte. Coordenador: Fábio Kessler Dal Soglio

84


NÚCLEO DE ESTUDOS EM DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL E MATA ATLÂNTICA – DESMA O DESMA desenvolve pesquisas e estudos sobre temáticas relacionadas à agrobiodiversidade, cultura indígena, agricultura familiar, mulheres rurais e demais aspectos sociais, políticos e econômicos ligados ao desenvolvimento rural sustentável. Coordenadores: Rumi Regina Kubo e Gabriela Peixoto Coelho-de-Souza

NÚCLEO DE ESTUDOS EM ECONOMIA AGRÁRIA O Núcleo é composto por pesquisadores dedicados ao estudo de temas vinculados a problemáticas rurais e agrícolas. Entre as pesquisas em andamento, destacam-se os projetos que analisam o papel do Estado, o processo de formulação e implementação de políticas públicas para a agricultura, as relações com as instituições privadas, a formação e o funcionamento de cadeias agroindustriais, a diversidade das estruturas produtivas no espaço rural e dos mercados agrícolas e agroindustriais. Coordenador: Paulo Dabdab Waquil

REDES E OBSERVATÓRIOS VINCULADOS À AREA DE DESENVOLVIMENTO RURAL

OBSERVATÓRIO SOCIOAMBIENTAL EM SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL – OBSSAN O OBSSAN se propõe a atuar como instrumento de monitoramento da implantação da Política Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional e a contribuir para o cumprimento do direito humano à alimentação adequada. O acompanhamento é realizado a partir das seguintes dimensões: meio ambiente, conflitos socioambientais, produção e disponibilidade de alimentos, renda e condições de vida, povos indígenas e comunidades tradicionais, acesso à alimentação adequada e saudável, saúde, nutrição, educação e segurança alimentar e nutricional.

POLÍTICAS PÚBLICAS Y DESARROLLO RURAL EN AMÉRICA LATINA – PP-AL A Rede de Políticas Públicas e Desenvolvimento Rural na América Latina e no Caribe se constitui em um dispositivo de colaboração em rede, centrado na investigação e na formação de políticas públicas, ambientais e de desenvolvimento rural. É formado por instituições e pesquisadores de países como Argentina, Brasil, Chile, Costa Rica, Colômbia, Cuba, Equador, El Salvador, França, México, Nicarágua, Peru, Paraguai e Uruguai.

REDE BRASILEIRA DE PESQUISA E GESTÃO EM DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL A Rede Brasileira de Pesquisa e Gestão em Desenvolvimento Territorial (RETE) tem por missão atuar na gestão e na construção de conhecimento e informação sobre dinâmicas territoriais, visando ao aprimoramento e à criação de estratégias que favoreçam um desenvolvimento inclusivo, sustentável e solidário.

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

85



EXTENSÃO


INCIATIVAS DE EXTENSÃO A Extensão Universitária é o diálogo que se estabelece entre universidade e sociedade, visando à produção de conhecimentos e à interlocução das atividades acadêmicas de ensino e de pesquisa. A Extensão engloba experiências de popularização do conhecimento acadêmico e atividades que favorecem a construção de caminhos para o enfrentamento de problemas e questões sociais. Exercidas como direito social, as práticas extensionistas primam pelo respeito à diversidade cultural. Na FCE, as ações de extensão envolvem todos os campos de atuação da Faculdade: Atuariais, Contábeis, Desenvolvimento Rural, Economia, Relações Internacionais e suas áreas afins.

COMISSÃO DE EXTENSÃO Rosa Angela Chieza coordenadora DERI – titular

Verônica Gonçalves

coordenadora-substituta DERI – titular

Ângela Rozane Leal de Souza DCCA – suplente

NÚMEROS EM 2018

5

áreas de atividades

54

projetos

Márcia Bianchi DCCA – suplente

Gilmar Godoy Gomes

técnico-administrativo – titular

Eduardo Pertille Costa Leite

técnico-administrativo – suplente

88

26

professores coordenando ações


II FÓRUM FCE: DEBATES E OFICINAS

Tendo a sua origem nos movimentos estudantis de fins de 2016, o Fórum FCE é um evento gratuito e aberto ao público, que objetiva analisar e debater temas contemporâneos de economia e política do Brasil e do mundo. A edição de 2018 do evento aconteceu nos dias 15 e 16 de maio. Foram dois dias de discussões sobre temas contemporâneos da economia e da política brasileira e internacional. Professores da Faculdade e convidados abordaram assuntos de relevância para o futuro do país em painéis distribuídos nos três turnos. Os debates versaram sobre perspectivas para a Universidade, para a economia e para as relações exteriores.

Fotos: Tatiany Lukrafka/FCE

Coordenadora: Rosa Angela Chieza

Nas atividades, os participantes debateram sobre perspectivas para economia brasileira, de diversos pontos de vista

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

89


CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ATUARIAIS

COMISSÃO DE ESTUDOS DE ACOMPANHAMENTO DA ÁREA DO ENSINO SUPERIOR Comissão formada para estudar matérias pertinentes à área de atuação e propor, do ponto de vista técnico, a estruturação de cursos, seminários e palestras para os eventos do Projeto de Educação Continuada do CRCRS. Coordenadora: Maria Ivanice Vendruscolo

III CONGRESSO DE CONTABILIDADE DA UFRGS E III CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA EM CONTABILIDADE DA UFRGS Evento construído com o objetivo de impulsionar a busca por novas ferramentas e metodologias de gestão que auxiliem as empresas a lidarem com os riscos do ambiente empresarial, incentivando também a produção científica na área contábil. Coordenadora: Márcia Bianchi

O EGRESSO DE CIÊNCIAS ATUARIAIS DA UFRGS Ação realizada em conjunto com a comunidade com o objetivo de mapear o perfil do egresso do curso de Bacharel em Ciências Atuariais da UFRGS, a fim de identificar pontos a serem melhorados no currículo. Coordenadora: Maria Ivanice Vendruscolo

OFICINA DE BUSCA DE INFORMAÇÃO CIENTÍFICA 2018/1 Oficina de capacitação metodológica aos discentes do curso de Ciências Contábeis e do Mestrado em Controladoria e Contabilidade. Coordenadora: Márcia Bianchi

OFICINA DE BUSCA DE INFORMAÇÃO CIENTÍFICA 2018/2 Oficina de capacitação metodológica aos discentes do curso de Ciências Contábeis. Coordenadora: Márcia Bianchi

SAECA 2018 - SEMANA ACADÊMICA DE ECONOMIA, CONTÁBEIS E ATUARIAIS FCE Evento anual dedicado a atividades acadêmicas, organizado pelos estudantes, visando à ampliação de discussões sobre temas contemporâneos. Coordenadora: Wendy Beatriz Witt Haddad Carraro

SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL Palestra sobre as inovações trazidas pelo Sistema Público de Escrituração Digital para as empresas e para a fiscalização federal, com Mauro Negruni – diretor de Conhecimento e Tecnologia da Decision IT, professor e consultor. Coordenadora: Maria de Lurdes Furno da Silva

90


Projeto do Ministério da Cultura – Secretaria da Economia da Cultura (MINC/SEC) e da UFRGS, voltado à amplificação do impacto social das discussões realizadas ao longo do Big Festival, com foco no dinamismo do setor de jogos digitais e a sua centralidade no desenvolvimento da economia da cultura no Brasil. Coordenador: Marcelo Milan

CURSO EM GESTÃO CULTURAL: DESENVOLVIMENTO, TERRITÓRIO E SOCIEDADE Curso com a finalidade de explorar conceitos, modelos e know-how em planejamento, monitoramento e avaliação, gestão, formulação e execução de projetos culturais. Coordenador: Marcelo Milan

CIÊNCIAS ECONÔMICAS

CAPACITAÇÃO DE AGENTES DO SETOR DE GAMES NO BRASIL

DIÁLOGOS EM ECONOMIA CRIATIVA 2018 Projeto que visa à promoção de um espaço de discussão qualificada sobre temas relevantes para a área de Economia Criativa e da Cultura. Coordenador: Leandro Valiati

EDUCAÇÃO FINANCEIRA Curso de educação financeira destinado a funcionários de empresas, abordando assuntos como a organização de orçamentos familiares, a administração salarial e o recálculo de juros de empréstimos. Coordenador: Cássio da Silva Calvete

EDUCAÇÃO FISCAL E CIDADANIA Atividade destinada a capacitar multiplicadores de conhecimento que levem à sociedade temas relacionados à origem, à aplicação e ao controle dos recursos públicos, favorecendo a ampliação e a qualificação da participação social nesses campos, a partir da melhor compreensão sobre tributação e gastos públicos. Coordenadora: Rosa Angela Chieza

EQUILÍBRIO ASSESSORIA ECONÔMICA Empresa júnior, que tem como principal objetivo promover a interação entre universidade e sociedade, por meio dos projetos sem fins lucrativos, prestando assessoria e consultoria nas áreas de economia, contábeis e administração. Coordenador: Leonardo Xavier da Silva

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

91


CIÊNCIAS ECONÔMICAS

FUNDAMENTOS MATEMÁTICOS Curso para ajudar os alunos ingressantes na graduação de Ciências Econômicas a superarem dificuldades de aprendizagem, a fim de reduzir os índices de reprovação e evasão. Coordenadora: Janice Dornelles de Castro

INTRODUÇÃO AO PENSAMENTO DE MARX Atividade com o objetivo de proporcionar aos participantes uma noção introdutória do pensamento de Marx. Coordenador: Fernando Frota Dillenburg

JORNADA DE ECONOMIA Conjunto de palestras de pesquisadores renomados da área e lançamento do livro “O Brasil em construção”, que homenageia Pedro Fonseca, professor da FCE. Coordenador: Ivan Colangelo Salomão

MINICURSO MODELOS STOCK-FLOW CONSISTENT Curso que apresenta os modelos Stock-Flow Consistent, um tipo de modelagem macroeconômica pós-keynesiana, com estrutura básica contabilmente consistente de fluxos de transações econômicas e a acumulação de estoques de ativos reais e financeiros. Coordenador: Ricardo Dathein

O CAPITALISMO VISTO DO CINEMA - 2ª EDIÇÃO Apresentação ao público universitário de um conjunto de filmes capazes de contar, de modo coerente, a história do surgimento e do desenvolvimento do capitalismo desde a transição feudal até a crise atual, além de debates com o fim de articular os momentos históricos. Coordenadora: Gláucia Angélica Campregher

OBSERVATÓRIO ESTADUAL DE ECONOMIA CRIATIVA - OBEC/UFRGS Criado em 2014, tem como objetivo fomentar o debate sobre a Economia Criativa no Brasil, levando em conta seu impacto na dinâmica social e econômica do país. Entre as áreas de atuação do OBEC, estão comércio internacional, indústrias criativas, economia da cultura, fomento à cultura brasileira, fluxos internacionais e globalização de bens criativos, mercados tradicionais de cultura, gestão pública e privada na área e a Economia Criativa. Coordenador: Leandro Valiati

92


Ação com o objetivo de capacitar os participantes a compreender as características mais essenciais e profundas do modo de produção capitalista ocultas atrás dos fenômenos superficiais e ilusórios da esfera da circulação de mercadorias. Coordenador: Fernando Frota Dillenburg

PARTICIPAÇÃO NAS AUDIÊNCIAS PÚBLICAS DE GESTÃO FISCAL - MAIO/2018 Participação nas Audiências Públicas de Gestão Fiscal, nas quais ocorre a prestação de contas da gestão orçamentária e fiscal do município de Porto Alegre, no respectivo Poder Legislativo. São realizadas quadrimestralmente, conforme exigência da Lei de Responsabilidade Fiscal. Coordenadora: Rosa Ângela Chieza

CIÊNCIAS ECONÔMICAS

OS TRÊS LIVROS D’O CAPITAL DE MARX

PODER E DINHEIRO NO CAPITALISMO GLOBALIZADO Curso para alunos de Relações Internacionais sobres temas relacionados à globalização financeira e à perda de soberania dos estados nacionais e dos periféricos frente ao crescente concentração do capital. Coordenadora: Gláucia Angélica Campregher

ROMPENDO O TETO DE VIDRO: O DIFÍCIL CAMINHO NA BEIRA DO PENHASCO Palestras sobre o “teto de vidro”, que seria a barreira invisível imposta às mulheres na sua ascensão profissional. Coordenadora: Janice Dornelles de Castro

Projeto que acompanhou a organização dos dados referentes ao processo de gestão e organização financeira do entreposto de cultura e comercialização ContraPonto e dos empreendimentos que o compõem, considerando elementos da Economia Solidária. Coordenadora: Daniela Dias Kuhn

CAPACITAÇÃO EM SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL E EDUCAÇÃO ALIMENTAR E NUTRICIONAL Ação realizada com o objetivo de contribuir para o fortalecimento do Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Sisan) no estado do Rio Grande do Sul por meio de formação e de capacitação de agentes públicos em atividades presenciais. Coordenadora: Gabriela Peixoto Coelho-de-Souza

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

DESENVOLVIMENTO RURAL

ACOMPANHAMENTO ECONÔMICO E ANÁLISE DE VIABILIDADE FINANCEIRA DA CONTRAPONTO ENTREPOSTO E EMPREENDIMENTOS

93


DESENVOLVIMENTO RURAL

CURSO DE FORMAÇÃO EAD VOLTADO À IMPLEMENTAÇÃO DO SISTEMA NACIONAL DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL (SISAN) Curso destinado ao fortalecimento do Sisan no estado do Rio Grande do Sul por meio da formação e capacitação de gestores públicos e agentes representantes de instituições municipais em atividades a distância. Coordenadora: Gabriela Peixoto Coelho-de-Souza

DIÁLOGOS LATINO-AMERICANOS SOBRE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL E SUAS INTERFACES Atividade que promoveu intercâmbios de experiências acadêmicas e institucionais entre pesquisadores, estudantes e público em geral interessado no contexto da segurança alimentar e nutricional e temas de interface na América Latina. Coordenadora: Gabriela Peixoto Coelho de Souza

ENCONTRO DE SABERES COMO ESTRATÉGIA PARA A INTEGRAÇÃO ENTRE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Projeto de apoio a atividades que promovam diálogos interepistêmicos e ações interculturais entre diferentes povos, comunidades tradicionais, grupos sociais e comunidade universitária. Coordenadora: Rumi Regina Kubo

REDES DE CIRCULAÇÃO DE PRODUTOS DA SOCIOBIODIVERSIDADE Projeto de fomento à valorização dos produtos da sociobiodiversidade, com foco na produção de alimentos com polpas de frutas nativas do Rio Grande do Sul. Coordenadora: Gabriela Peixoto Coelho-de-Souza

SEMINÁRIO TERRITÓRIOS EM MOVIMENTO CONTRA A LEI DA GRILAGEM Duas rodas de conversa e um seminário, que debateram os efeitos sociais e ambientais da nova legislação de ocupação da terra no país. Coordenadora: Daniela Dias Kuhn

Mais infomações sobre projetos de extensão

ufrgs.br/fce/extensao

94


Empresa júnior, sem fins lucrativos, ligada ao curso de Relações Internacionais da Faculdade de Ciências Econômicas. Coordenadora: Jacqueline Angélica Hernández Haffner

CESPRI DEBATE Série de atividades voltadas ao debate de assuntos contemporâneos na academia e na sociedade em geral, contribuindo para a compreensão da realidade por parte dos alunos e para a aproximação entre discentes de pós-graduação e de graduação a partir das temáticas discutidas. Coordenadora: Sonia Maria Ranincheski

RELAÇÕES INTERNACIONAIS

ATLÂNTICA CONSULTORIA INTERNACIONAL - EMPRESA JÚNIOR

CICLO ACADÊMICO DO CERI 2018: REVOLUÇÕES Ciclo de atividades sobre revoluções, abordando diversos aspectos da temática a partir do olhar das Relações Internacionais. Coordenadora: Analúcia Danilevicz Pereira

COOPERAÇÃO UFRGS E CMS III Projeto voltado à parceria entre UFRGS e Comando Militar do Sul – CMS, firmada através do Memorando de Entendimento EME 1303500, com o objetivo de estabelecer cooperação nas áreas de pesquisa, inovação, tecnologia e formação de recursos humanos. Coordenador: José Miguel Quedi Martins

I SEMINÁRIO CEBRAFRICA Espaço de debate e problematização sobre a África contemporânea, que aborda temas como segurança, defesa, desenvolvimento, cooperação e integração internacionais e intrarregionais. Coordenadora: Analúcia Danilevicz Pereira

IV SEMINÁRIO BRASILEIRO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS INTERNACIONAIS Formulação e execução simultânea de três seminários, cuja temática principal foi a Defesa como eixo do desenvolvimento e inserção internacional do Brasil. Coordenador: José Miguel Quedi Martins

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

95


RELAÇÕES INTERNACIONAIS

JOGOS DE SIMULAÇÃO INFERENCIAIS EM CONTEXTOS DE CONFLITO, COMPETIÇÃO E COOPERAÇÃO Oficinas voltadas à difusão da prática de jogos de simulação e sua relação com epistemologias, teorias e práticas a partir da construção de conhecimentos nas diversas Ciências Sociais Aplicadas. Coordenador: Marco Aurélio Chaves Cepik

OFICINA DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS VII Iniciativa que aproxima Universidade e comunidade, objetivando estimular a discussão e a produção acerca dos Estudos Estratégicos, a partir de seminários temáticos de caráter multidisciplinar. Coordenador: José Miguel Quedi Martins

PROGRAMA DE SIMULAÇÕES DE ORGANIZAÇÕES INTERNACIONAIS DA UFRGS 2018 O programa utiliza simulações de Organizações Internacionais como instrumento de ensino e aprendizagem de Relações Internacionais para estudantes de Ensino Médio e Superior, utilizando-se de material de apoio elaborado pela equipe organizadora. Coordenador: André Luiz Reis da Silva

RELAÇÃO BRASIL-FMI: DE DEVEDOR A CREDOR Palestra de Paulo Nogueira Batista Júnior, ex-diretor executivo no FMI e ex-vice-presidente do Novo Banco de Desenvolvimento dos BRICS, destinada a alunos de graduação. Coordenadora: Luiza Peruffo

RELAÇÕES INTERNACIONAIS PARA EDUCADORES – RIPE Palestras conduzidas por docentes da UFRGS com o objetivo de debater temáticas pertinentes às Relações Internacionais com professores de ciências humanas de Ensino Médio, em formato de minicurso. Coordenador: Paulo Fagundes Visentini

SEMANA ACADÊMICA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS Iniciativa que promove a realização fóruns, seminários e minicursos, além de incentivar os estudantes a discutir questões importantes sobre suas áreas de estudo e de atuação profissional. Coordenadora: Analúcia Danilevicz Pereira

96


UFRGS MODEL UNITED NATIONS - UFRGSMUNDI 2018 Simulação de comitês da Organização das Nações Unidas, voltada ao público universitário do Brasil e de outros países. Os temas dos comitês e o material de estudo são elaborados previamente por alunos de graduação de diversos cursos da UFRGS. Coordenadora: Sonia Maria Ranincheski

UFRGSMUN BACK IN SCHOOL

RELAÇÕES INTERNACIONAIS

THE FUTURE OF EUROPE AND THE OBOR INITIATIVE: PERSPECTIVES FROM LATIN AMERICA AND CHINA Seminário internacional, realizado durante visita da delegação de professores e pesquisadores chineses das universidades de Renmin, Fudan e Sichuan à UFRGS. Coordenador: Marco Aurelio Chaves Cepik

Projeto que busca levar o conhecimento trans e multidisciplinar na área de relações internacionais para alunos do Ensino Médio da rede pública de ensino de Porto Ale gre e Região Metropolitana, utilizando simulações como ferramenta de aprendizagem. Coordenadora: Sonia Maria Ranincheski

UFRGSMUN Projeto idealizado e criado por estudantes, foi o primeiro Modelo das Nações Unidas a surgir na região Sul do Brasil. Ao longo de dezessete anos de história, o projeto cresceu, evoluiu e se consolidou como um dos modelos mais renomados e tradicionais do país – sendo, hoje, reconhecido pela excelência de sua equipe acadêmica e administrativa. A cada edição, o UFRGSMUN busca proporcionar aos participantes a oportunidade de discutir assuntos que são frequentemente preteridos pelos debates internacionais – conferindo especial importância aos fóruns regionais e aos desafios locais. Coordenadora: Sônia Ranincheski

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

97


Fotos: UFRGSMUN

RELAÇÕES INTERNACIONAIS

UFRGSMUN divide-se em comitês, como direitos humanos e segurança internacional, por exemplo

98


Capacitação em planejamento estratégico e autogestão junto à Associação ContraPonto, rede autogestionária, que congrega empreendimentos de economia solidária incubados na UFRGS. Coordenador: Nilton Pinho de Bem

EDUCAÇÃO E ECONOMIA SOLIDÁRIA: O TRABALHO ASSOCIADO COMO PRÁTICA PEDAGÓGICA Vivências pedagógicas e oficinas práticas para aproximação de jovens e adultos alunos do Centro Municipal de Educação dos Trabalhadores Paulo Freire com as temáticas da Economia Solidária. Coordenador: Gilmar Godoy Gomes

ECONOMIA ALTERNATIVA

CAPACITAÇÃO EM AUTOGESTÃO E PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

NEA – NÚCLEO DE ECONOMIA ALTERNATIVA / INCUBADORA TECNOLÓGICA DE COOPERATIVAS POPULARES O Núcleo de Economia Alternativa / Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares da Universidade Federal do Rio Grande do Sul é um programa de extensão ligado à Faculdade de Ciências Econômicas que tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento da economia solidária a partir da formação de grupos autogestionários e/ou cooperativas populares.

PROJETO ATELIER DE CRIAÇÃO CONSTRUÇÃO Projeto de sensibilização dos Usuários de Saúde Mental organizados na Associação Construção, que busca despertar a criatividade e a capacidade dos sujeitos envolvidos através da Arte e do Design para a geração de renda, o empoderamento e a inclusão social. Coordenador: Gilmar Godoy Gomes

Fonte dos dados desta seção: Comissão de Extensão

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

99



ASSOCIAÇÕES ESTUDANTIS



Diretório Acadêmico de Economia, Contábeis e Atuariais (DAECA) e Centro Estudantil de Relações Internacionais (CERI)

ORGANIZAÇÕES REPRESENTATIVAS

Na Faculdade de Ciências Econômicas, as organizações representativas dos estudantes são:


DAECA

GESTÃO Sumaia Ipar

coordenadora geral

Halex Andrade

coordenador geral

Guilherme Magnago

História O surgimento do Diretório Acadêmico de Economia, Contábeis e Atuariais (DAECA) remonta ao início do movimento estudantil na FCE, que data de 7 de setembro de 1910. A data marca a fundação do grêmio estudantil da antiga Escola de Comércio, que é considerado o centro acadêmico de Ciências Econômicas mais antigo do Rio Grande do Sul. Em 1946, após a transformação da Escola em Faculdade de Economia e Administração, o órgão foi substituído pelo Centro dos Estudantes Univesitários de Ciências Econômicas (CEUCE). O Centro foi extinto em 1964 e, em seu lugar, surgiu então o DAECA, em 1965. Com a saída do curso de Administração da Faculdade de Ciências Econômicas, em 1996, o órgão passou a ser chamado de Diretório Acadêmico de Economia, Contábeis e Atuariais. Atualmente, o DAECA é um dos maiores diretórios da UFRGS em atividade, representando quase dois mil estudantes de três cursos.

coordenador geral

Jordan Wagner tesoureiro

Gabrielle Ivanoff tesoureira

Rafael Pahim secretário

Mauricio Lorenzatto secretário

Caio Bruno Olhier

Ações desenvolvidas SEMANA ACADÊMICA No ano de 2018,, o Diretório promoveu diversas atividades para a Semana Acadêmica da Faculdade. Entre os destaques da programação estiveram André Perfeito, economista-chefe da agência de investimentos Necton e ex-professor da PUCSP, e Laura Carvalho, economista e professora da Faculdade de Economia e Administração da USP. Durante a visita de Laura à FCE, foi lançada a obra Valsa Brasileira, que trata sobre a política econômica brasileira no período de 2006 a 2017,

Comissão Acadêmica

Sérgio Pestana

Comissão de Comunicação

Felipe Eich

Comissão de Movimento Estudantil

INCENTIVO À PRÁTICA ESPORTIVA Com o objetivo de promover a integração discente por meio da prática esportiva, o DAECA criou a Comissão de Esportes da Economia, Contábeis e Atuarias (CEECA) e promoveu campeonatos universitários.


Acompanhe o DAECA: facebook.com/daeca.ufrgs

Fotos: Divulgação/DAECA

Membros do Diretório Acadêmico de Economia, Contábeis e Atuariais com a economista Laura Carvalho

A cada semestre, o DAECA recepciona os novos calouros com atividades lúdicas e de integração

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

105


CERI

GESTÃO Aline Correia Santos André Lucas Silva Pereira Artur Holzschuh Frantz Artur Holzschuh Frantz Beatriz Vieira Rauber Eduarda Gomes de Brum Eduardo Julian Rius Eduardo Secchi Georgia Gomes Guilherme Carvalho Lorenso Andreoli da Silva Lucca Pires Silva Lima Luiza Borges Leandro Magnus Hubler Hiraiwa Maitê Roman Goulart Natália Alves Dorneles Nathaly Carrazzoni Paolla Grazielly Souza Pedro Vellinho Duval Rodrigo Fuhr Sofia Perusso Thaís Peixoto Victor Hugo da Silva Vitória de Souza Abreu

106

História Fundado em 2005, o Centro Estudantil de Relações Internacionais (CERI) é a agremiação estudantil independente que representa os estudantes a partir da compreensão das suas particularidades dentro da Faculdade de Ciências Econômicas. O espaço físico utilizado para a execução das atribuições é compartilhado com o Diretório Acadêmico de Economia, Contábeis e Atuariais (DAECA). A convivência mútua gerada pelo direito conjunto ao uso desse ambiente – o CERI-DAECA – aproximou os alunos dentro da Faculdade de Ciências Econômicas, promovendo a interdisciplinaridade e a troca mútua de conhecimentos. O Centro também é responsável pela representação estudantil nos órgãos da Faculdade, levando a voz e as demandas dos estudantes para a instituição, além de promover a democracia e o livre debate a partir de reuniões semanais abertas, das quais qualquer estudante interessado pode participar.

Ações desenvolvidas 9º ENCONTRO ESTUDANTIL REGIONAL DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS – EERRI Membros da gestão do CERI participaram do encontro, que, em 2018, foi sediado em São Leopoldo (RS). Além de ter auxiliado na organização do transporte dos mais de 100 estudantes do curso de Relações Internacionais da UFRGS que compareceram ao evento, o CERI criou edital de benefícios para que alunos em diferentes realidades socioeconômicas pudessem ter acesso ao encontro.

REVISTA PERSPECTIVA A revista possui divulgação semestral do Curso de Relações Internacionais da UFRGS e tem como principal objetivo publicar a pesquisa de alunos de graduação do campo das Relações Internacionais e de suas áreas relacionadas.


Acompanhe o CERI: facebook.com/ceri.ufrgs

SEMANA ACADÊMICA DAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS A edição contou com uma série de eventos complementares à formação acadêmica, buscando trazer aos alunos conteúdos não tão abordados em sala, como inteligência emocional, temáticas feministas, negócios internacionais, entre outros.

UFRGS MODEL UNITED NATIONS – UFRGSMUN A décima sexta edição do UFRGSMUN se manteve focada na troca de conhecimento e de experiências entre universitários e na construção de um meio acadêmico mais crítico e igualitário.

UFRGSMUNDI

Foto: Divulgação/CERI

Evento responsável por apresentar o primeiro modelo das Nações Unidas aos secundaristas do RS, em sua sétima edição, contou com 11 comitês e com a participação de 39 escolas, que levam estudantes do Ensino Médio para dentro da Universidade.

Centro Estudantil promove diversas atividades para debater sobre relações internacionais

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

107



Na FCE, há duas empresas juniores: a Atlântica, que oferece consultoria em Relações Internacionais, e a Equilíbrio, em Ciências Econômicas, Contábeis e Administrativas

EMPRESAS JUNIORES

Empresa Júnior é uma associação civil sem fins lucrativos, formada e gerida por alunos de um curso superior. Seus principais objetivos são fomentar o aprendizado prático do universitário em sua área de atuação, aproximar o mercado de trabalho da academia, gerir com autonomia em relação à direção da Faculdade ou centro acadêmico e elaborar projetos de consultoria na área de formação dos alunos.


ATLÂNTICA

Gestão

História A Atlântica Consultoria Internacional foi criada em 2015, com a finalidade de suprir a demanda dos alunos de Relações Internacionais quanto ao mercado de trabalho privado da área. Sua atuação está voltada, principalmente, à realização de projetos de consultoria para internacionalização de empresas brasileiras. O serviço é ofertado de acordo com as necessidades do cliente e pode incluir análise interna e de mercados internacionais, avaliação de inteligência competitiva, internacionalização de empresas, consultoria em logística, levantamento de aspectos culturais, estudo burocrático e treinamento com técnicas de negociação internacional. Além da realização de projetos para empresas, a Atlântica também promove eventos de simulação de consultoria, parcerias com outras iniciativas de extensão do curso de Relações Internacionais e atividades voltadas à capacitação dos estudantes durante a Semana Acadêmica.

Ações desenvolvidas Em 2018, a Atlântica desenvolveu dois projetos. O primeiro envolveu a identificação de armazéns alfandegados estrategicamente voltados para atender às necessidades do cliente, além do planejamento logístico de distribuição dos nanopolímeros pelos armazéns em direção às empresas situadas em cidades determinadas. O segundo projeto foi um plano de importação de termostatos da China a partir da utilização de três dos serviços da empresa: a busca por fornecedores para encontrar produtos que atendessem à demanda do cliente; o estudo burocrático para auxiliar no processo de importação; e a análise logística para definir como deveria ser feito o transporte do produto até o destino final e os custos envolvidos no processo.

Acompanhe a Atlântica:

ufrgs.br/atlantica 110

2018/1 Alice Ermel Córdova Amanda Gularte Ana Paula Pelegrinotti Andresa Wendt Fernanda de Paiva Francisca Falcetta Gabriella Toyo Vieira Igor Gabriel Reche Jaqueline Stein Jennifer da Silva Nunes João Pedro Albersheim Júlia Maria Correia Lucas Severino Marcos Henrique Alves Maurício Fleck Goldfield Murilo Lencina Priebe Nycollas S. L. da Silva Rodrigo Mascarenhas Valmir Mayer Júnior Vinícius Constantino 2018/2 Alice Ermel Córdova Amanda Gularte Ana Paula Pelegrinotti Bruna Queiroz Carvalho Debora da Silva Fernanda de Paiva Gabriella Toyo Vieira Igor da Silva Reche Jaqueline Stein João Pedro Albersheim Júlia Maria Correia Luiza Fortes Leandro Marcos Henrique Alves Murilo Lencina Priebe Nycollas S. L. da Silva Rodrigo Mascarenhas Tayssa Zuchetto Tiago Rodrigues Vinícius Constantino Yasmin Cannavo


EQUILÍBRIO

Fundada em 2009, a Equilíbrio Assessoria Econômica oferece consultoria nas áreas de contabilidade e economia. Os serviços oferecidos às empresas incluem pesquisa de mercado, finanças, estudo de viabilidade e estruturação financeira. Focada no impacto social, a empresa júnior auxilia clientes, através do cálculo revisional de juros, no diagnóstico de possíveis casos em que instituições financeiras estejam cobrando juros considerados abusivos de acordo com a legislação. Gratuitamente, pessoas físicas recebem um relatório que comprova ou não o abuso por parte da instituição financeira cobradora, o qual pode ser utilizado em ações judiciais para revisão das dívidas.

Gestão

2018/1 Sérgio Pestana Emilene Alberton Thales Gregolin Vanessa Antoniuk 2018/2 Thales Gregolin Gabrielle Rosenstengel Wesley Nunes Gabriel Marques Gabriela Tolotti

A Equilíbrio também oferece o projeto Educação Financeira, que tem como objetivo contribuir para que a população possa controlar suas finanças pessoais, orientando a comunidade quanto ao uso consciente do dinheiro e alertando sobre gastos desnecessários, por exemplo. Além disso, em parceria com a Receita Federal, a empresa integra o Núcleo de Apoio Contábil Fiscal, oferecendo apoio contábil e fiscal a indivíduos de baixa renda, por meio de serviços relacionados a declarações de Imposto de Renda e a microempreendedorismo.

Em 2018, a Equilíbrio foi responsável pela identificação de cerca de 350 mil reais de juros abusivos a partir da realização de cálculos revisionais. Também nesse ano, a empresa júnior prestou mais de 160 serviços pelo Núcleo de Apoio Contábil Fiscal, beneficiando indivíduos em situação de vulnerabilidade econômica.

Acompanhe a Equilíbrio:

Ações desenvolvidas

equilibrioufrgs.com

História

Já o Projeto Educação Financeira atingiu 170 pessoas. Além disso, foram realizados 12 projetos empresariais pela Equilíbrio. A entidade estudantil também organizou nove eventos ao longo do ano, promovendo discussões de interesse da comunidade sobre as áreas econômica e financeira.

Fonte dos dados desta seção: Atlântica e Equilíbrio

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

111



BIBLIOTECA


BIBLIOTECA GLÁDIS WIEBBELLING DO AMARAL

História Fundada em 1945, a biblioteca da Faculdade de Ciências Econômicas, Gládis Wiebbelling do Amaral, abriga mais de 90 mil itens, entre livros, teses, dissertações, monografias, periódicos, folhetos, CDs e DVDs. A biblioteca é integrante do Sistema de Bibliotecas da UFRGS e responsável pelo acervo especializado nas áreas de Ciências Atuariais, Contabilidade, Desenvolvimento Rural, Economia e Relações Internacionais e no registro da produção intelectual dos docentes, técnicos administrativos e alunos da FCE.

Foto: Arquivo/FCE

No que se refere a periódicos, o espaço oferece mais de mil títulos de periódicos nacionais e estrangeiros, além de ser depositário seletivo do acervo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A biblioteca disponibiliza ainda acesso a recursos eletrônicos, como diversas bases de dados, que contêm desde referências e resumos de trabalhos acadêmicos e científicos até normas técnicas, patentes, teses e dissertações, e o Portal de Periódicos da CAPES, que reúne mais de 45 mil títulos nacionais e internacionais.

Gládis Wiebelling do Amaral, que dá nome à biblioteca da Faculdade, teve um papel fundamental na construção do acervo, reunindo, ao longo de sua atuação na Universidade, obras dispersas em salas e em gabinetes de professores da FCE.

114

Ambiente para estudos, a biblioteca dispõe de espaço para cerca de 100 pessoas distribuídas na sala de leitura e nas oito cabines para estudo em grupos. Disponibiliza computadores com acesso à internet na sala de leitura, conectividade por meio de rede sem fio e salas para monitorias das disciplinas dos cursos oferecidos pela FCE.

Serviços prestados A biblioteca oferece diversos serviços de informação à comunidade universitária e à comunidade externa: disponibilização de acervos impressos e eletrônicos para consulta local e empréstimo; acesso a recursos assinados pela Universidade, computação bibliográfica, capacitações dos usuários na utilização dos recursos informacionais e suporte às atividades de ensino, pesquisa e extensão. A consulta aos acervos é feita pelo endereço www.sabi.ufrgs.br.


Ações desenvolvidas Em 2018, a biblioteca da Gládis Wiebbelling do Amaral ofereceu diversas ações à comunidade, como atividades de recepção aos calouros, eventos sobre busca de informações científicas e elaboração de referências e citações, o curso de extensão “Super 8: trabalho acadêmico com gerenciador de referência”, visitas orientadas e atividades que compuseram o Portas Abertas da UFRGS. TREINAMENTOS Periodicamente, a biblioteca realiza treinamentos para a comunidade, apresentando aos usuários os serviços e recursos disponíveis. As capacitações também fornecem orientações quanto à elaboração de trabalhos acadêmicos conforme o padrão ABNT. A biblioteca participa também do projeto de extensão “Pesquisa e uso da informação sem mistérios” criado pelo Sistema de Bibliotecas da UFRGS com o objetivo de expandir a formação acadêmica através de capacitações que desenvolvam o domínio de técnicas de pesquisa em informação na comunidade universitária. ORIENTAÇÃO À NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS Serviço personalizado, a orientação é destinada a apoiar estudantes na elaboração e na revisão dos trabalhos acadêmicos produzidos em nível de graduação e de pós-graduação. Em 2018, foram mais de 400 atendimentos. PROCESSAMENTO TÉCNICO Para melhor atender às necessidades dos seus usuários, a biblioteca realiza o processamento de materiais que envolve todos os setores da biblioteca, passando pelas etapas de aquisição, coleta, tratamento, disseminação, recuperação e uso do material. O resultado desse processo possibilidade o acesso a itens informacionais e documentários de forma padronizada.

Bibliotecários CIRCULAÇÃO DE MATERIAIS NA BIBLIOTECA

11 mil

12 mil

empréstimos

devoluções

3 mil consultas na sede

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

Cristiani Kafski da Silva – Processamento Técnico de Livros Édina Maria Gomes da Cunha Pureza – Processamento técnico de Livros Ligia Helssen – Desenvolvimento de Coleções Lílian Maciel Leão – Bibliotecária-chefe Sandra Maria Gomes – Processamento Técnico de Periódicos Vinícius da Rosa da Silva – Processamento Técnico da Produção Intelectual Vívian Cristiane Eisenhut Carravetta – Serviço de Referência, Bibliotecária-chefe substituta

Administrativo Manoela Farias Nogueira – Assistente em administração Nilza Teresinha Gurskás – Atendimento ao usuário

115



PUBLICAÇÕES DA FCE


PUBLICAÇÕES

Boletim Econômico IEPE O Boletim Econômico divulga mensalmente os resultados do Índice de Preços ao Consumidor e do custo do Cesto Básico da Região Metropolitana de Porto Alegre, apurados desde 1948. A publicação traz ainda comentários acerca dos principais fatos norteadores do comportamento da conjuntura econômica e resultados de indicadores macroeconômicos relevantes. Coordenador: Everson Vieira dos Santos

Conjuntura Austral A Conjuntura Austral é uma publicação trimestral, em formato digital, voltada à divulgação de trabalhos de Relações Internacionais com foco nos países que integram o Hemisfério Sul, tendo como área geográfica de abrangência as relações internacionais da África, Ásia e América Latina, na perspectiva dos grandes temas da agenda de segurança, diplomacia e desenvolvimento econômico. Editor: André Luiz Reis da Silva

REVISTA ANÁLISE ECONÔMICA A Revista Análise Econômica (RAE) objetiva disseminar o conhecimento científico na área de Economia por meio da publicação de trabalhos inéditos que se encontrem na fronteira dos diversos ramos das Ciências Econômicas. Editada pela Faculdade de Ciências Econômicas desde 1983, a RAE reflete uma perspectiva acadêmica plural ao veicular artigos de natureza teórica, histórica e empírica. A revista apresenta periodicidade quadrimestral e divulga artigos científicos redigidos em português, inglês e espanhol. Editora: Ana Lúcia Tatsch

118


Revista Brasileira de Economia Criativa e da Cultura Publicação voltada ao estudo e à análise de temas que envolvem economia criativa e da cultura em nível nacional e internacional. Dentro desse escopo, busca reunir artigos sobre transformações econômicas e sociais vivenciadas na contemporaneidade, bem como sobre diversidade cultural e políticas públicas. Editor: Marcelo Milan

Revista Brasileira de Estudos Africanos A revista é uma publicação semestral, em formato impresso e digital, do Centro Brasileiro de Estudos Africanos (CEBRAFRICA), vinculado à Faculdade de Ciências Econômicas. A publicação divulga trabalhos inéditos sobre temas africanos na perspectiva dos grandes debates da agenda de segurança, diplomacia e desenvolvimento. Editora: Analúcia Danilevicz Pereira

Revista ConTexto

A revista Desenvolvimento Rural Interdisciplinar tem como objetivos difundir a produção científica relacionada aos temas do desenvolvimento rural nas diversas regiões do país e do exterior e publicar dossiês temáticos que promovam debate entre os especialistas. Editora: Daniela Kuhn

Revista Perspectiva: Reflexões sobre a Temática Internacional

Acesso aos artigos:

Revista Desenvolvimento Rural Interdisciplinar

ufrgs.br/fce/publicacoes

A Revista ConTexto é uma publicação eletrônica, de periodicidade quadrimestral, do Programa de Pós-Graduação em Controladoria e Contabilidade (PPGCONT), cujo objetivo é disseminar o conhecimento das áreas de Contabilidade e Controladoria por meio de produções intelectuais de qualidade no âmbito da pós-graduação. Editora: Márcia Bianchi

A publicação procura divulgar trabalhos de graduação dos alunos de Relações Internacionais. É uma divulgação semestral, que visa à permuta de conhecimento entre alunos e professores do Brasil e do exterior. Editora: Analúcia Danilevicz Pereira

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

119



ÓRGÃOS AUXILIARES


IEPE Centro de Estudos e Pesquisas Econômicas

História

O Centro de Estudos e Pesquisas Econômicas (IEPE) é um dos órgãos auxiliares da Faculdade de Ciências Econômicas. Entre suas atividades, está o levantamento do Índice de Preços ao Consumidor, realizado desde 1949 e que completa 70 anos em 2019.

Diretor: Leonardo Xavier da Silva Vice-diretor: Sergio Marley Modesto Monteiro 122

Fundado em 5 de agosto de 1953, como Centro de Estudos e Pesquisas Econômicas, foi criado em resposta à crescente necessidade de produzir pesquisas e indicadores para subsidiar atividades acadêmicas, decisões empresariais e ações governamentais do Rio Grande do Sul. Entre suas principais atividades, estavam a publicação do Boletim Informativo, com 21 índices econômicos, e a pesquisa de orçamentos familiares. Reestruturado em 1959, o órgão passou a se chamar Instituto de Estudos e Pesquisas Econômicas (IEPE), ampliando objetivos e atividades. Parte da história do IEPE é a criação dos cursos de pós-graduação em Economia Rural, em 1963, em Sociologia Rural, em 1965, e em Economia, em 1971. Em 1998, o curso de Mestrado em Economia Rural encerrou as atividades, dando lugar aos atuais cursos de Mestrado e de Doutorado em Desenvolvimento Rural, hoje vinculados ao Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural – PGDR. O IEPE possui ainda um banco de dados que contém o acervo do Índice de Preços ao Consumidor desde 1949, contando com séries históricas de preços de bens e serviços que formaram as estruturas de consumo no Rio Grande do Sul em diferentes épocas. O Centro mantém ainda registros dos preços da Cesta Básica de Consumo de Porto Alegre e da Região Metropolitana de Porto Alegre desde 1980.

Ações desenvolvidas Além de manter em produção o Boletim Econô­mico IEPE, que publica o Índice de Preços ao Consumidor (IPC-IEPE) e o custo do Cesto Básico de produtos de consumo popular, o IEPE renovou o convênio com a


Banco de dados IEPE O órgão mantém registros dos dados históricos sobre os índices econômicos desde 1949:

ufrgs.br/iepe

Associação Gaúcha dos Supermercados (AGAS), responsável pela pesquisa semanal de uma cesta de produtos determinados pela AGAS, que é disponibilizada no site da entidade. Em 2018, também foram realizados contatos iniciais com a Secretaria da Fazenda do Governo do Estado do Rio Grande do Sul a fim de estabelecer um convênio entre as duas instituições. Essa relação possibilitaria o levantamento de preços ao consumidor pelo IEPE, através do Programa da Nota Fiscal Gaúcha, o qual disponibiliza os preços pelo aplicativo chamado de “Menor Preço”.

Equipe Servidores técnico-administrativos Aneli Torres Venturini, Everson Vieira dos Santos, Luci Lucas Coutinho, Paulo Afonso Martini, Norberto Horacio Lorenzi de Souza e Thais Santana da Rosa.

70 ANOS DO ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR O IEPE é uma instituição pioneira na pesquisa e publicação de diversos índices econômicos e sociais. Em 2018, a consolidação da periodicidade dessa divulgação completou 60 anos. Entre os indicadores pesquisados pelo IEPE, se destaca o cálculo do Índice de Preços do Consumidor – IPC, que chega aos 70 anos de publicação em 2019, tendo sido divulgado desde 1949, antes da criação formal do IEPE. Em 1980, o IEPE também implementou o cálculo do Cesto Básico, indicador que proporciona um parâmetro de fácil compreensão sobre a variação do custo de produtos básicos de consumo. Fonte dos dados desta seção: IEPE

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

123


CISADE Centro Interdisciplinar Sociedade, Ambiente e Desenvolvimento

História

O Centro Interdisciplinar em Sociedade, Ambiente e Desenvolvimento (CISADE) é um órgão auxiliar da Faculdade de Ciências Econômicas. Entre suas atividades, está a manutenção de intercâmbio cultural entre a Universidade e outras instituições.

Diretor: Marcelo Antonio Conterato Vice-diretor: Paulo Dabdab Waquil 124

O Centro Interdisciplinar em Sociedade, Ambiente e Desenvolvimento (CISADE) é um órgão auxiliar da Faculdade de Ciências Econômicas que desenvolve ações de pesquisa, ensino e extensão relacionadas à identificação, análise e avaliação dos problemas ambientais decorrentes de processos que envolvem transformações econômicas e sociais. Para atingir esse objetivo, o CISADE entende que é importante que a investigação sobre a sustenta­bilidade dos sistemas naturais e sociais seja norteada por uma prática interdisciplinar, relacionada com a reflexão sobre os problemas concretos do desenvolvimento. O CISADE foi criado em 10 de julho de 2015 pelo Conselho Universitário e disponibiliza infraestrutura para o funcionamento do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural (PGDR) e do curso de graduação em Desenvolvimento Rural na modalidade à distância (Plageder), além de acolher diversos núcleos de pesquisa e de extensão.

Serviços prestados O CISADE executa uma série de ações: pesquisas, análises e estudos de natureza teórica e aplicada, preferencialmente de caráter multi ou interdisciplinar e predominantemente relacionadas a problemas socioeconômicos e ambientais do estado e do país; a facilitação de estágios a alunos e a egressos da UFRGS ou de outras instituições nacionais e estrangeiras; a colaboração com outras unidades da UFRGS e com outras instituições na realização de cursos, estudos e pesquisas; a manutenção de um intercâmbio cultural entre a Universidade e outras instituições, nacionais e estrangeiras; e a divulgação dos resultados de suas atividades.


Núcleo EAD O CISADE dispõe de estúdio de vídeo para atender a demandas de Educação a Distância da comunidade. Saiba mais:

ufrgs.br/cisade

Equipe Servidores técnico-administrativos Ana Paula Pacheco da Silva, Carlos Augusto Pereira Weber, Danielle Finamor Rezes de Souza, Fernando Fontana Dias, Guilherme Fernandes Lemos, Jorge Luis Aguiar Silveira, Maria Macarena Donoso Contreras e Tânia Rodrigues da Cruz.

Foto: Tatiany Lukrafka/FCE

Fonte dos dados desta seção: CISADE

O CISADE dá suporte à comunidade na produção de vídeos e na gravação de aulas para disciplinas a distância

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

125



PREMIAÇÕES DA FCE APÊNDICE A


PREMIAÇÕES DA FCE

1o lugar PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS E CONCENTRAÇÃO DE RENDA: TEORIA E EVIDÊNCIAS EMPÍRICAS PARA OS MUNICÍPIOS BRASILEIROS NO PERÍODO 2000 A 2010 Henrique Serra Sitjá, aluno de Doutorado no PPGE Prêmio Corecon/RS 2018 – 1º lugar – Dissertação de Mestrado

O CASO DAS MIGRAÇÕES AMBIENTAIS: A DISCUSSÃO NA ASSEMBLEIA GERAL DAS NAÇÕES UNIDAS (1997-2017) Rodrigo Führ, aluno de Graduação em Relações Internacionais Prêmio Jovem Pesquisador da UFRGS 2018 – 1º lugar

2o lugar ANÁLISE DA PERSISTÊNCIA INFLACIONÁRIA NO BRASIL (19992016) Eduarda Fernandes Lustosa de Mendonça, mestre em Economia pelo PPGE Prêmio Corecon/RS 2018 – 2º lugar – Dissertação de Mestrado

3o lugar COMPARAÇÃO DO DESEMPENHO DE MEDIDAS REALIZADAS PARA PREVISÃO DE VOLATILIDADE DE AÇÕES DA B3 Tainan de Bacco Freitas Boff, mestre em Economia pelo PPGE Prêmio Corecon/RS 2018 – 3º lugar – Trabalhos de Conclusão de Curso

128


Foto: Arquivo Pessoal

Rodrigo Führ, vencedor do Prêmio Jovem Pesquisador da UFRGS, e sua orientadora, Verônica Gonçalves

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

129



QUADRO DE PESSOAL APÊNDICE B


QUADRO DE PESSOAL

João Bueno, técnico-administrativo

BIBLIOTECA Cristiani Kafski da Silva Édina Maria Gomes da Cunha Pureza Jaqueline Insaurriaga Silveira Lílian Maciel Leão Manoela Farias Nogueira Nilza Teresinha Caetano Gurskas Sandra Maria Gomes Vinícius da Rosa da Silva Vívian Cristine Eisenhut Carravetta

CENTRO DE ESTUDOS E PESQUISAS ECONÔMICAS Aneli Torres Venturini Everson Vieira dos Santos Lisiane de Souza Nunes de Moura Luci Lucas Coutinho Marcelo Nold Norberto Horácio Lorenzi de Souza Thais Santana da Rosa

Foto: Tatiany Lukrafka/FCE

CENTRO INTERDISCIPLINAR EM SOCIEDADE, AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO

132

Carlos Augusto Pereira Weber Danielle Finamor Rezes de Souza Douglas Santos Bregolin Fernando Fontana Dias Guilherme Fernandes Lemos Jorge Luis Aguiar Silveira Maria Macarena Donoso Contreras


DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ATUARIAIS Ana Tércia Lopes Rodrigues Ângela Rozane Leal de Souza Ariel Behr Carolina Edom Piccoli Caroline de Oliveira Orth Cassiane Oliveira Velho Diego de Oliveira Carlin Edilson Paulo Eduardo Gomes Plastina Everton da Silveira Farias Fernanda Gomes Victor Fernando Cafruni Andre Jose Antônio Lumertz Lauro Mazzini Panichi Leticia Medeiros da Silva Márcia Bianchi Marco Antônio dos Santos Martins Maria de Lurdes Furno da Silva Maria Ivanice Vendruscolo Mariana Manfroi da Silva Bonotto Máris Caroline Gosmann Paulo Schmidt Romina Batista de Lucena de Souza Sérgio Rangel Guimarães Wendy Beatriz Witt Haddad Carraro

DEPARTAMENTO DE ECONOMIA E RELAÇÕES INTERNACIONAIS Ademar Adácio Vernier Alessandro Donadio Miebach Ana Lúcia Tatsch Analúcia Danilevicz Pereira André Luiz Reis da Silva André Moreira Cunha Andrés Ernesto Ferrari Haines Antonio Ernani Martins Lima Ario Zimmermann Carlos Eduardo Schonerwald da Silva Carlos Henrique Vasconcellos Horn Cássio da Silva Calvete Daniela Dias Kuhn Edson Talamini Eduardo Ernesto Filippi Érico Esteves Duarte Fabian Scholze Domingues Fabrício Tourrucôo Fernanda Oliveira Ultremare Fernando Frota Dillenburg

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

Flávio Almeida Migowski Flavio Benevett Fligenspan Flávio Tosi Feijó Flavio Vasconcellos Comim Gabriela Peixoto Coelho-de-Souza Giácomo Balbinotto Neto Glaison Augusto Guerrero Gláucia Angélica Campregher Glauco Schultz Helio Afonso de Aguilar Filho Henrique Carlos de Oliveira de Castro Henrique Morrone Hermógenes Saviani Filho Jacqueline Angélica Hernández Haffner Janice Dornelles de Castro João Armando Dessimon Machado João Plínio Juchem Neto Jorge Paulo de Araújo José Miguel Quedi Martins Julio Cesar de Oliveira Karen Stallbaum Leandro Valiati Leonardo Xavier da Silva Leonel Toshio Clemente Letícia de Oliveira Luiz Augusto Estrella Faria Luiza Peruffo Marcelino de Souza Marcelo Antonio Conterato Marcelo de Carvalho Griebeler Marcelo Milan Marcelo Savino Portugal Marcilene Aparecida Martins Marco Aurélio Chaves Cepik Maurício Andrade Weiss Nelson Seixas dos Santos Nilton Pinho de Bem Octavio Augusto Camargo Conceição Paulo Dabdab Waquil Paulo Gilberto Fagundes Visentini Pedro Cezar Dutra Fonseca Ricardo Dathein Róber Iturriet Avila Ronald Otto Hillbrecht Ronaldo Herrlein Junior Rosa Angela Chieza Rumi Regina Kubo Sabino da Silva Pôrto Júnior Sergio Marley Modesto Monteiro Sílvia Regina Ferabolli Sonia Maria Ranincheski* Stefano Florissi Verônica Korber Gonçalves

133


DIREÇÃO

SETOR DE INFRAESTRUTURA

Gilmar Godoy Gomes Tatiany Oleques Lukrafka

João Carlos Lopes Bueno José Carlos da Silva Correa Luiz Carlos Vargas de Abreu Paulo Iur Pereira de Souza Renato de Moura Batista Rogério de Lemos Costa

GERÊNCIA ADMINISTRATIVA Eduardo Pertille Costa Leite Katia Rezer Menger SETOR ACADÊMICO Diana Paula Agliardi Fabiana Silva Westphalen Ivone Christimann Meireles Liara Kipper Missau Renato Jorge Silva Miranda SETOR ADMINISTRATIVO Aline Bednarski Lummertz Anderson Vieira Bitencourt Francine Adriane Baldigen Susana Miranda da Silva

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO RURAL Ana Paula Pacheco da Silva

SECRETARIA DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO Ana Paula Mello Alencastro Moreno Isabel Cristina Pereira dos Santos Marcelo Gigante Ortiz Maria Delourdes da Fonseca Rached da Silva Centeno

Fonte dos dados desta seção: RH/FCE

Rogério Costa, técnico-administrativo

134


Fotos: Tatiany Lukrafka/FCE

Wendy Carraro, docente

Foto: Arquivo/FCE

Nelson Seixas, docente

*Sonia Ranincheski (2 de maio de 1965 – 25 de julho de 2019) foi docente e pesquisadora nas áreas de sociologia, política e pensamento latinoamericano. Muito querida na Faculdade, era referência na área de Relações Internacionais entre colegas, alunos e técnicoadministrativos.

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

135



PRODUÇÃO CIENTÍFICA

APÊNDICE C


ARTIGOS EM PERIÓDICOS CIENTÍFICOS Avila, Róber Iturriet; Salvagni, Julice Hegemonia, crise econômica e política: a dinâmica dos ciclos do capitalismo Revista Gestão e Desenvolvimento, Novo Hamburgo, v. 15, n. 2, p. 29-50, jul./dez. 2018. Alves, Rafael José Vargas; Etges, Ana Paula Beck da Silva; Balbinotto Neto, Giácomo; Polanckyk, Carisi Anne Activity-based costing and time-driven activity-based costing for assessing the costs of cancer prevention, diagnosis, and treatment: a systematic review of the literature Value in Health Regional Issues, v. 17, p. 142-147, 2018. Balbinotto Neto, Giácomo; Uhr, Daniel; Uhr, Júlia Ziero; Schuch, Ricardo Capra; Passos, Marcelo de Oliveira Crimes against property and public security spending: a dynamic panel data analysis for the metropolitan area of Porto Alegre The Empirical Economics Letters, v. 17, p. 1, 2018. Freitas, Gabriel Rodrigues Martins de; Neyloff, Jeruza Lavanholi; Balbinotto Neto, Giácomo; Heineck, Isabela Drug-related morbidity in Brazil: a cost-of-illness model Value in Health Regional Issues, v. 17, p. 150-157, 2018. Freitas, Tiarajú Alves; Oliveira, Lívio de Soares; Balbinotto Neto, Giácomo O screening que o ser humano pode se sujeitar por crer em vida após a morte Sinergia, Rio Grande, v. 22, p. 35-48, 2018. Queiroz, Vívian dos Santos; Ramalho, Hilton Martins de Brito; Balbinotto Neto, Giácomo Oferta de trabalho e salário do idoso no Brasil Economia Aplicada, São Paulo, v. 22, n. 1, p. 37-59, 2018. Araujo, Aline Oliveira; Behr, Ariel; Momo, Fernanda da Silva Análise do código de conduta das instituições financeiras da BM&FBOVESPA à luz das recomendações do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa Revista Contemporânea de Contabilidade, v. 15, p. 115-143, 2018. Behr, Ariel; Souza, Ângela Rozane Leal de; Oliveira, Camila de; Crestani, Jéssica dos Santos; Schiavi, Giovana Sordi Aprendizagem significativa no ensino de custos Custos e @gronegócio on line, Recife, v. 14, n. 2, p. 161-188, abr./jun. 2018. Duarte, Gwendole Ramos; Behr, Ariel Modelos de negócios educacionais: uma revisão sistemática de literatura Revista de Gestão E Projetos, v. 9, p. 95-112, 2018. Momo, Fernanda da Silva.; Araujo, Marcos Vinícius; Behr, Ariel Contabilidade e sustentabilidade nos EnANPADs: 2010-2016 ReA UFSM, v. 11, p. 505-517, 2018.

138


Relação organizada por ordem alfabética dos nomes dos pesquisadores da FCE, que aparecem sublinhados na listagem

Rivero, Andrea; Momo, Fernanda da Silva; Behr, Ariel; Pesce, Gabriela Evolución de la educación a distancia en universidades argentinas: influencia de las innovaciones tecnológicas Escritos Contables y de Administración, v. 8, p. 35, 2018. Rivero, Andrea; Pesce, Gabriela; Behr, Ariel; Momo, Fernanda da Silva Uso de tecnologías de información y comunicación en la educación superior. Caso de estudio en una universidad argentina Desafio Online, v. 6, p. 278, 2018. Schiavi, Giovana Sordi; Behr, Ariel Modelos de negócios disruptivos: uma análise bibliométrica de artigos disponíveis em bases de dados científicas ConTexto, Porto Alegre, v. 18, n. 40, p. 1-15, set./dez. 2018. Deconto, Vinicius Grandini; Bianchi, Márcia; Machado, Vanessa Noguez Aderência às melhores práticas de governança corporativa pelas dez maiores entidades do terceiro setor do município de Porto Alegre Revista de Contabilidade Dom Alberto, Santa Cruz do Sul, v. 3, n. 4, p. 1-29, dez. 2018. Carvalho, Carolina; Bianchi, Márcia; Souza, Romina Batista de Lucena de Pronunciamentos técnicos CPC 00 e CPC 26: desempenho dos discentes em Ciências Contábeis de uma universidade pública do Estado do Rio Grande do Sul RAC: Revista de Administração e Contabilidade, Santo Ângelo, ano 17, n. 33, p. 141-163, jan./jun. 2018. Mendes, Fernando Henrique de Paula e Silva; Caldeira, João Frois; Moura, Guilherme Valle Evidence of bull and bear markets in the Bovespa index: an application of Markovian regime-switching models with duration dependence Brazilian Review of Econometrics, v. 38, n. 1, p. 39-74, maio 2018. Colombo, Jéfferson Augusto; Caldeira, João Frois The role of taxes and the interdependence among corporate financial policies: evidence from a natural experiment Journal of Corporate Finance, v. 50, p. 402-423, 2018. Caldeira, João Frois; Moura, Guilherme V.; Santos, André Alves Portela Yield curve forecast combinations based on bond portfolio performance Journal of Forecasting, v. 37, p. 64-82, 2018. Calvete, Cássio da Silva; Daros, Guilherme; Colla, Gabriele Pasquali Extensão em educação financeira: resultados dos cinco anos de experiência em parceria com a Equilíbrio Assessoria Econômica Revista da Extensão, Porto Alegre, n. 16, p. 23-29, jul. 2018.

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

139


Souza, Taciana Santos de; Calvete, Cássio da Silva Particularidades econômicas do crack: o mercado do crack Pesquisa & Debate, São Paulo, v. 29, n. 1, p. 113-138, 2018. Elizeire, Mariel Bräscher; Carraro, Wendy Beatriz Witt Haddad Atendimento das exigências legais do sistema de controles internos em uma entidade fechada de previdência complementar RAC: Revista de Administração e Contabilidade, Santo Ângelo, ano 17, n. 33, p. 34-52, jan./jun. 2018. Andrade, Lucia Medeiros de; Carraro, Wendy Beatriz Witt Haddad Mudanças nos hábitos do controle financeiro pessoal com educação financeira sustentável Saber Humano, Restinga Seca, v. 8, n. 13, p. 134-151, jul./dez. 2018. Carraro, Wendy Beatriz Witt Haddad; Bandeira, Aline Merola Percepções adquiridas numa capacitação em educação financeira para adultos Revista Gestão & Planejamento, Salvador, v. 19, p. 414-435, jan./dez. 2018. Carraro, Wendy Beatriz Witt Haddad Resource consumption accounting RCA: metodologia alternativa para gestão de custos Revista Pretexto, Belo Horizonte, v. 19, n.1, p. 56-72, jan./mar. 2018. Silva, Taís Martins da; Rockett, Fernanda Camboim; Coelho-de-Souza, Gabriela Desenvolvimento territorial e o Programa Nacional de Alimentação Escolar nos territórios rurais litoral e Campos de Cima da Serra no Rio Grande do Sul Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, Taubaté, v. 14, n. 1, p. 61-85, jan./abr. 2018. Obreque, Cecilia Belen; Nahuelcheo, German Catalán; Coelho-de-Souza, Gabriela Dinâmicas dos sistemas agrários nos territórios Mapuche de Araucanía Costera, Chile Guaju – Revista Brasileira de Desenvolvimento Territorial Sustentável, Matinhos, v. 4, p. 43-61, 2018. Agne, Chaiane Leal; Conceição, Octavio Augusto Camargo Dos hábitos às instituições: proposições analíticas e metodológicas na Economia Institucional de Thostein Veblen Redes, Santa Cruz do Sul, v. 23, n. 2, p. 386-407, maio/ago. 2018. Strate, Mirian Fabiane Dickel; Conterato, Marcelo Antonio Agroindustrialização e arranjos produtivos locais como estratégia de diversificar e fortalecer a agricultura familiar no RS Guaju – Revista Brasileira de Desenvolvimento Territorial Sustentável, Matinhos, v. 4, n. 2, p. 48-62, 2018. Cunha, André Moreira; Silva, Pedro Perfeito da; Fonseca, Mateus Ramalho Ribeiro da Ciclo financeiro global e liberalização financeira externa: desdobramentos sobre o desempenho macroeconômico brasileiro entre 1995 e 2014 Brazilian Keynesian Review, v. 4, p. 62-83, 2018. Cunha, André Moreira; Silva, Pedro Perfeito da; Haines, Andrés Ernesto Ferrari Liberalização financeira e desempenho macroeconômico brasileiro: evidências empíricas a partir do modelo VEC Revista de Economia Contemporânea, v. 22, p. 1-26, 2018.

140


Lélis, Marcos Tadeu Caputi; Silveira, Eduarda Martins Correa da; Cunha, André Moreira; Haines, Andrés Ernesto Ferrari Economic growth and balance-of-payments constraint in Brazil: an analysis of the 1995-2013 period EconomiA, Brasília, DF, v. 19, n. 1, p. 38-56, jan./abr. 2018. Dathein, Ricardo Estrutura econômica, gastos sociais, distribuição de renda e rentabilidade no Brasil entre 2000 e 2015: uma análise de suas relações e determinações sobre o crescimento econômico Revista da Sociedade Brasileira de Economia Política, v. 50, p. 18-35, 2018. Parra Gálvez, Juan Leandro Andrés; Borenstein, Denis; Farias, Everton da Silveira Application of optimization for solving a sawing stock problem with a cant sawing pattern Optimization Letters, Londres, v. 12, n. 8, p. 1755-1772, dez. 2018. Ferrari Filho, Fernando; Arestis, Philip; Terra, Fábio Henrique Bittes Keynesian macroeconomic policy: theoretical analysis and empirical evidence Panoeconomicus, v. 65, p. 1-20, 2018. Ferrari Filho, Fernando; Milan, Marcelo Excess real interest rates and the inflation targeting regime in Brazil: monetary policy ineffectiveness and rentiers interests Applied Economics and Finance, Beaverton, v. 5, n.6 p. 84-100, nov. 2018. Ferrari Filho, Fernando; Milan, Marcelo Liquidity trap: the brazilian version Brazilian Keynesian Review, v. 4, p. 278-299, 2018. Ferrari Filho, Fernando; Picolotto, Volnei A dívida pública do Rio Grande do Sul: uma análise sob a ótica da hipótese de fragilidade financeira de Minsky Análise Econômica (UFRGS), v. 36, p. 295-322, 2018. Ferrari Filho, Fernando; Terra, Fábio Reflections on the Keynes’ method Revista Venezolana de Análisis de Coyuntura, v. XXIV, p. 85-101, 2018. Ferrari Filho, Fernando; Araujo, Elisangela; Araujo, Eliane Araújo Macroeconomic performance in Brazil under the inflation targeting regime Investigacion Economica, v. LXXVII, p. 72-101, 2018. Carneiro, Camilo Pereira; Filippi, Eduardo Ernesto; Valenti, Luiza Pecis O cenário político econômico pós-Guerra Fria e a onda neoliberal na América Latina: um estudo de caso do Brasil, do Chile e da Argentina Conjuntura Austral, Porto Alegre, v. 9, n. 47, p. 29-45, jul./set 2018. Kirsch, Heitor Marcos; Filippi, Eduardo Ernesto Agricultura familiar no Alto Guaporé (MT), Brasil: rendas não agrícolas como estratégia de adaptação às mudanças climáticas Polis (Santiago. Impresa), v. 50, p. 229-251, 2018.

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

141


Kirsch, Heitor Marcos; Filippi, Eduardo Ernesto Vulnerabilidade às mudanças ambientais globais: as estratégias da agricultura familiar na região do Alto Guaporé (MT), Brasil Espacio Abierto (Caracas. 1992), v. 27, p. 233-258, 2018. Machado, José Tobias Marks; Filippi, Eduardo Ernesto As tendências históricas do desenvolvimento brasileiro e suas relações com o desenvolvimento socioespacial rural na região Fronteira Noroeste do Rio Grande do Sul Desenvolvimento em Questão: Revista do Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento, Ijuí, v. 16, n. 43, p. 353-385, abr./jun. 2018. Santos, Leo Evandro Figueiredo dos; Souza Júnior, Enoil de; Filippi, Eduardo Ernesto; Simões, Jefferson Cardia O Brasil e o Ártico Finisterra, Lisboa, v. 107, p. 125-139, 2018. Pagliarini, Carla Márcia; Geiger, Luana Margarete; Filippi, Eduardo Ernesto Os desafios para a consolidação da inserção estratégica brasileira na África no século XXI Meridiano 47, Brasília, DF, v. 19, n. 120, p. 1. Gonçalves, Verônica Korber; Anselmi, Marcela Braga International Civil Aviation Organization as a climate governance forum: an analysis of the carbon offsetting and reduction Revista de Estudos e Pesquisas Avançadas do Terceiro Setor - REPATS, Brasília, DF, Special issue, p. 110-123, jul/dez. 2018. Gonçalves, Verônica Korber; Domingues, Fabian Scholze O atual contexto migratório: aspectos jurídico-institucionais Boletim Limiares, v. 1, p. 4-7, 2018. Griebeler, Marcelo de Carvalho; Stein, Guilherme Credibility is not enough: the importance of common knowledge to anchor expectations Economics Bulletin, Nashville, v. 38, n. 2, p. 916-920, abr. 2018.. Griebeler, Marcelo de Carvalho Does uncertainty deter crime? Economic Analysis of Law Review, Brasília, DF, v. 9, n. 2, p. 57-62, maio/ago. 2018. Guerrero, Glaison Augusto; Fonseca, Pedro Cezar Dutra Revisando a integração latino-americana: da CEPAL a UNASUL Conjuntura Austral, Porto Alegre, v. 9, n. 46, p. 67-82, abr./jun. 2018. Juchem Neto, João Plínio; Claeyssen, Julio Cesar Ruiz; Pôrto Júnior, Sabino da Silva Economic agglomerations and spatio-temporal cycles in a spatial growth model with capital transport cost Physica A: Statistical Mechanics and its Applications, Amsterdam, v. 494, p. 76-86, mar. 2018. Kaufmann, Marielen Priscila; Kubo, Rumi Regina. Os hábitos alimentares das populações rurais de Cabo Verde e sua relação com as culturas de sequeiro Cadernos Agroecológicos, v. 13, p. 1-6, 2018.

142


Pörsch, Juliano; Grisa, Catia; Kubo, Rumi Regina Trajetória de construção da chamada pública de assistência técnica e extensão rural indígena Extensão Rural, Santa Maria, ano 25, n. 3, p. 7-2, jul./set. 2018. Silva, Queite Marrone Soares da Silva; Kubo, Rumi Regina Conflitos ambientais no norte de Minas Gerais: a resistência dos vazanteiros Revista Extensão e Estudos Rurais, v. 7, p. 169-189, 2018. Simon, Roberta; Abalos Junior, José Luís Abalos; Bordin, Marina; Kubo, Rumi Regina; Dubiela, Diogo; Barreto, Fabrício; Rapkiewic, Yuri Schönardie; Gomez, Guillermo; Baldissera, Marielen; Braz, Camila; Rodrigues, Felipe Da Silva; Rigon, Nicole; Wobeto, Débora; Cabreira, Leonardo Palhano; Dantas, Luísa; Freitas, Thayanne Tavares; Calixto, Javier Etnografia de rua e arte urbana em Porto Alegre (RS, Brasil) Vista - Revista de Cultura Visual, v. 3, p. 217-236, 2018. Foguesatto, Cristian Rogério; Müller, Fernanda Maria; Artuzo, Felipe Dalzotto; Machado, João Armando Dessimon Cenários de agregação de valor ao produto: proposta de criação de uma agroindústria familiar Custos e @gronegócio online, Recife, v. 14, n. 2, p. 390-410, abr./jun. 2018. Checheliski, Alexandre; Martins, José Miguel Quedi; Rodrigues, Rodrigo Schmidt A transformação militar e o carro de combate: consequências para a tecnologia de emprego terrestre Conjuntura Austral, Porto Alegre, v. 9, n. 45, p. 14-27, jan./mar. 2018. Martins, José Miguel Quedi; Nunes, Raul Cavedon Política externa, política de defesa e modelo de desenvolvimento no Brasil: do Estado desenvolvimentista ao Estado logístico (1930-2017) Austral: Brazilian Journal of Strategy & International Relations, v. 6, p. 190-221, 2018. Machado, José Tobias Marks; Miguel, Lovois de Andrade; Tonin, Jeferson; Wives, Daniela Garcez História da agricultura e sistemas agrários: genealogia de um processo de ocupação tardio e periférico no noroeste do Estado do Rio Grande do Sul Revista Brasileira de Tecnologia Agropecuária, v. 2, p. 35-49, 2018. Pereira, Rafael Antonio Anicio; Milan, Marcelo O financiamento do desenvolvimento e o novo banco do BRICS: uma alternativa ao banco mundial? Planejamento e Políticas Públicas, Brasília, n. 51, p. 13-36, jul./dez. 2018. Morrone, Henrique Mudança estrutural e coeficientes importantes (CIs) no Brasil: uma análise qualitativa de insumoproduto A Economia em Revista, Maringá, v. 26, n. 2, p. 17-28, 2018. Santetti, Márcio; Marquetti, Adalmir Antonio; Morrone, Henrique Progreso técnico y productos deseados y no deseados en el Brasil: 1970-2012 Revista de la CEPAL, Santiago do Chile, v. 125, p. 127-141, ago. 2018.

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

143


Oliveira, Júlio César de; Scarinci, Rodrigo Drebes Análise da evolução do mercado de franquias no Brasil entre 2003 e 2017 Estudos do CEPE, Santa Cruz do Sul, v. 47, p. 131-144, jan./jun. 2018. Araújo, Antônio Maria Henri Beyle de; Paulo Roberto Barbosa Lustosa; Paulo, Edilson The cyclicality of loan loss provisions under three different accounting models: the United Kingdom, Spain, and Brazil Revista Contabilidade & Finanças (Online), v. 29, p. 97-113, 2018. Costa, Ingrid Laís de Sena; Correia, Thamirys de Sousa; Paulo, Edilson; Lucena, Wenner Glaucio Lopes Impacto do disclosure voluntário: valor da empresa e informações socioambientais nas companhias abertas Revista Contabilidade, Gestão e Governança - CGG, Brasília, v. 21, n. 2, p. 271-287, maio/ago. 2018. Damascena, Luzivalda Guedes; França, Robério Dantas de; Filho, Paulo Amilton Maia Leite; Paulo, Edilson Restrição financeira, taxa efetiva de impostos sobre o lucro e os efeitos da crise nas empresas de capital aberto listadas no B3 Revista Universo Contábil, v. 13, p. 155-176, 2018. Costa, Hudson Chaves; Pôrto Júnior, Sabino da Silva; Menezes, Gabrielito Rauter Um estudo empírico da dinâmica da correlação do retorno das ações do Brasil Revista Brasileira de Finanças, Rio de Janeiro, v.16, n. 4, p. 635-667, out. 2018. Niquito, Thais Waideman; Portugal, Marcelo Savino; Ribeiro, Felipe Garcia Impacto da criação das novas universidades federais sobre as economias locais Planejamento e Políticas Públicas, v. 51, p. 367-394, 2018. Niquito, Thais Waideman; Portugal, Marcelo Savino; Ribeiro, Felipe Garcia Institutions or human capital: which is more important for economic performance? Evidence from Brazil. Economics Bulletin, v. 32, p. 1069-1076, 2018. Nunes, André Francisco Nunes de; Portugal, Marcelo Savino Choques no spread de crédito bancário e suas implicações para a condução da política monetária no Brasil Economia Aplicada, São Paulo, v. 22, n. 2, p. 81-113, abr./jun. 2018. Nunes, André Francisco Nunes de; Portugal, Marcelo Savino Intermediários financeiros e política de crédito em um modelo DSGE para o Brasil Revista Brasileira de Economia (Impresso), v. 72, p. 361-390, 2018. Baquero, Marcello; Ranincheski, Sonia Maria; Castro, Henrique Carlos de Oliveira de A formação política do Brasil e o processo de democracia inercial Revista Debates: Revista de Ciências Sociais, Porto Alegre, v. 12, n. 1, p. 87-106, jan./abr. 2018. Moreira, Larissa Cristina Dal Piva; Ranincheski, Sonia Maria Análise da internacionalização da educação superior entre países emergentes: estudo de caso do Brasil com os demais países membros dos BRICS Revista Internacional de Educação Superior, v. 5, p. 1-26, 2018.

144


Ranincheski, Sonia As eleições na Rússia de 2018: perspectivas políticas Mundorama, v. 1, p. 1, 2018. Ranincheski, Sonia; Uebel, Roberto Rodolfo Georg “Polícia Federal deporta 450 imigrantes ilegais venezuelanos de Roraima”: um estudo sobre remediation, positivismo e pós-positivismo no jornal O Globo Diálogo (UNILASALLE), v. 1, p. 145-158, 2018. Schmidt, Paulo; Gass, Júlia De Medeiros Estudo comparativo: uma análise entre a história da contabilidade tradicional e a nova história da contabilidade Ciência & Tropico, V. 42, P. 57-82, 2018. Schmidt, Paulo; Santos, José Luiz dos Identificação e descrição das primeiras ferramentas de controle contábil através da ciberarqueologia Sociedade, Contabilidade e Gestão (UFRJ), v. 13, p. 16, 2018. Schmidt, Paulo; Martins, Marco Antonio dos Santos; Santos, José Luiz dos; Kloeckner, Gilberto de Oliveira Impactos das Zelotes nas ações das empresas envolvidas Faces: Revista de Administração, Belo Horizonte, v. 17, p. 113-133, 2018. Alves, Ana Paula Ferreira; Schultz, Glauco; Barcellos, Marcia Dutra de Understanding sustainable supply chain coordination: a review of publication in Brazilian journals Revista Ciências Administrativas (UNIFOR), v. 24, p. 1-17, 2018. Silveira, Caroline Soares da; Chechi, Leticia Andrea; Schultz, Glauco A influência do ambiente institucional no desempenho das indústrias ervateiras do Alto Taquari – RS DRd - Revista Desenvolvimento Regional em debate, Canoinhas, v. 8, n. 1, p. 48-69, jan./jun. 2018. Jandrey, Willian Fontanive; Schultz, Glauco; Souza, Marcelino de Canais de comercialização em sistemas orgânicos de produção familiares na região da Serra Gaúcha DRd - Revista Desenvolvimento Regional em Debate, Canoinhas, v. 8, n. 1, p. 25-47, jan./jun. 2018. Sacramento, José Maria Cardoso; Schultz, Glauco Caracterização das lojas que comercializam alimentos orgânicos em Belém do Pará Cadernos de Agroecologia, Pernambuco, v. 13, n. 1, p. 1-8, jul. 2018. Sacramento, José Maria Cardoso; Schultz, Glauco Ensaio teórico-metodológico para estudo da legitimidade organizacional de pequenas organizações do varejo de alimentos Revista Espacios, Caracas, v. 39, n. 37, p. 1-15, 2018. Xavier, Redvania Vieira; Silva, Letícia Medeiros da; Macagnan, Clea Beatriz Conservadorismo contábil como mecanismo de controle e de governança: meta-análise de estudos empíricos ConTexto, Porto Alegre, v. 18, n. 40, p. 30-43, set./dez. 2018.

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

145


Xavier, Redvania Vieira; Ramos, Fernando Maciel; Silva, Letícia Medeiros da; Souza, Taciana Rodrigues de; Schuh, Clari Fatores explicativos do nível de sustentabilidade das instituições hospitalares brasileiras acreditadas ConTexto, Porto Alegre, v. 18, n. 39, p. 61-71, maio/ago. 2018. Souza, Ângela Rozane Leal de; Escobar, Rafael Pizarro; Behr, Ariel; Mauss, Cézar Volnei; Badejo, Marcelo Silveira Análise da viabilidade para a implantação de um sistema de informações de custos em uma universidade federal Revista de Contabilidade Dom Alberto, v. 3, p. 53, 2018. Barsanti, Henrique Garcia; Souza, Ângela Rozane Leal de Método de custeio baseado em atividades: uma pesquisa bibliométrica Pensar Contábil, Rio de Janeiro, v. 20, n. 73, p. 44-54, set./dez. 2018. Colussi, Giovani Pasa; Souza, Ângela Rozane Leal de Desafios para implantar um sistema de custos em Tribunal Regional do Trabalho no Rio Grande do Sul Gestão e Desenvolvimento, v. 15, p. 29-56, 2018. Dalzotto Artuzo, Felipe; Rogério Foguesatto, Cristian; Souza, Ângela Rozane Leal de; Silva, Leonardo Xavier da Costs management in maize and soybean production RBGN-Revista Brasileira de Gestão de Negócios, v. 20, p. 273-294, 2018. Oliveira, Letiane Hilario; Souza, Ângela Rozane Leal de; Oliveira, Letícia de Contribuição do ponto de equilíbrio no processo decisório de uma entidade do terceiro setor Caderno de Administração, Maringá, v. 26, n. 1, p. 74-97, jan./dez. 2018. Rigao, Gabrielle; Fernandes, Alice Munz; Lima, Ana Paula Alf; Costa, Lucas Teixeira; Saraiva, Caroline Estefanie do Amaral Brasil; Cunha, Claussia Neumann; Souza, Ângela Rozane Leal de Preço pago pelos consumidores de leite: um estudo de caso na cidade de Porto Alegre Revista Interdisciplinar de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 6, p. 325-331, 2018. Trajano, Brenda de Borba; Welter, Larissa Marx; Souza, Ângela Rozane Leal de; Schmidt, Paulo Gestão estratégica de custos em uma entidade fechada de previdência complementar Revista Ibero-Americana de Estratégia - RIAE, São Paulo, v. 17, n. 2, p. 62-77, abr./jun. 2018. Martínez Domínguez, Marlen; Souza, Marcelino de; Mora-Rivera, Jorge Cambios en el empleo e ingreso de los hogares rurales de México, 2002-2007 Región y Sociedad, Hermosillo, Sonora, v. 30, n. 71, p. 1-29, 2018. Padilha, Ana Claudia Machado; Azevedo, Juliana Birkan; Facco, Ana Luíza Rossatto; Souza, Marcelino de; Alves, Deise de Oliveira; Fagundes, Paloma de Mattos Exploitation of water resources for tourism and leisure activities in rural areas: the case of Palmeira das Missões, Brazil Revista da Universidade Vale do Rio Verde, Betim, v. 16, n. 2, p. 1-10, ago./dez. 2018.

146


Klein, Angela Luciane; Elesbão, Ivo; Souza, Marcelino de Propriedades rurais pedagógicas enquanto espaços educativos na promoção da educação ambiental Rede Brasileira de Educação Ambiental, v. 13, n. 3, p. 194-208, 2018. Kremer, Andreia Maria; Talamini, Edson Análise da Social Netchain em cadeias do agronegócio: aplicação em uma cadeia brasileira de pescado Interações, v. 19, p. 457-470, 2018. Florindo, Thiago José; Florindo, Giovanna Isabelle Bom de Medeiros; Talamini, Edson; Costa, Jaqueline Severino da; Léis, Cristiane Maria de; Tang, Walter; Schultz, Glauco; Kulay, Luiz Alexandre; Pinto, Andrea Troller; Ruviaro, Clandio Favarini Application of the multiple criteria decision-making (MCDM) approach in the identification of carbon footprint reduction actions in the Brazilian beef production chain Journal of Cleaner Production, Amsterdam, v. 196, p. 1379-1389, set. 2018. Allegretti, Gabriela; Talamini, Edson; Schmidt, Veronica; Bogorni, Paulo Cesar; Ortega-Rodríguez, Enrique Insect as feed: an emergy assessment of insect meal as a sustainable protein source for the Brazilian poultry industry Journal of Cleaner Production, Amsterdam, v. 171, p. 403-412, jan. 2018. Bedoya Perales, Noelia Soledad; Pumi, Guilherme; Mujica, Angel; Talamini, Edson; Padula, Antonio Domingos Quinoa expansion in Peru and its implications for land use management Sustainability, Basel, v. 10, n. 2, p. 1-12, fev. 2018. Bedoya Perales, Noelia Soledad; Pumi, Guilherme; Talamini, Edson; Padula, Antonio Domingos The quinoa boom in Peru: will land competition threaten sustainability in one of the cradles of agriculture? Land Use Policy, Amsterdam, v. 79, p. 475-480, dez. 2018 Foguesatto, Cristian Rogério; Artuzo, Felipe Dalzotto; Talamini, Edson; Machado, Joao Armando Dessimon Understanding the divergences between farmer’s perception and meteorological records regarding climate change: a review Environment, Development and Sustainability, Países Baixos, p. 1-16, 2018. Marcato, Marília Bassetti; Ultremare, Fernanda Oliveira Produção industrial e vazamento de demanda para o exterior: uma análise da economia brasileira Economia e Sociedade, Campinas, v. 27, n. 2, p. 637-662, ago. 2018. Valiati, Leandro Economia da cultura: uma revisão teórica Revista Observatório Itaú Cultural, v. 1, p. 19, 2018. Valiati, Leandro; Heritage, P. Economia criativa e disparidades: inspirações e desafios do cool Britain para um Brasil criativo. Revista do Centro de Pesquisa e Formação SESC, v. 1, p. 104, 2018.

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

147


Borba, Caio César de Castro Boneberg; Velho, Cassiane Oliveira Análise da evidenciação das provisões e dos passivos contingentes das principais empresas do segmento de carne e derivados listadas na B3 ConTexto, Porto Alegre, v. 18, n. 40, p. 16-29, set./dez. 2018

Foto: Arquivo FCE

Niederauer, Camila Bueno; Vendruscolo, Maria Ivanice; Sallaberry, Jonatas Dutra Análise das demonstrações contábeis: um estudo contemplando a emissão de ações no Banrisul S.A. Revista de Contabilidade da UFBA, v. 12, p. 86-110, 2018.

148


Heissler, Ismael Paulo; Vendruscolo, Maria Ivanice; Sallaberry, Jonatas Dutra A evolução da contabilidade ao longo da história do Brasil Revista de Administração e Contabilidade - Rac (Cnec), V. 17, P. 4-25-25, 2018. Victor, Fernanda Gomes; Carpio, Graciela Beatriz; Vendruscolo, Maria Ivanice Ciclo de vida das companhias abertas brasileiras como determinante de sua estrutura de capital Revista Universo Contábil, Blumenau, v. 14, n. 1, p. 50-71, jan./mar. 2018. Claudino, Livio Sergio Dias; Waquil, Paulo Dabdab Os discursos sobre pecuária sustentável em eventos técnicos e acadêmicos Revista Gedecon, v. 2, p. 78-93, 2018. Matte, Alessandra; Waquil, Paulo Dabdab Dinâmicas socioeconômicas e produtivas no Rio Grande do Sul: situação das Microrregiões Campanha Meridional e Serra do Sudeste Ambiência, v. 14, p. 101-118, 2018. Matte, Alessandra; Waquil, Paulo Dabdab Markets in livestock ranching in southern Brazil: between vulnerable situations and reaction strategies Livestock Research for Rural Development, v. 30, p. 1-20, 2018. Melo, Conceição Coutinho; Waquil, Paulo Dabdab O curso técnico em cooperativismo realizado pelo PRONERA: uma análise baseada na abordagem das capacitações Revista Brasileira de Educação do Campo, v. 3, p. 126-152, 2018. Vendruscolo, Rafaela; Matte, Alessandra; Ventura, Flaminia; Tourrand, Jean-François; Waquil, Paulo Dabdab Entre a reconexão e a revalorização: a constituição de convenções em mercados da agricultura familiar no Brasil, na Itália e na França Estudos: Sociedade e Agricultura, Rio de Janeiro, v. 26, n. 3, p. 495-516, out. 2018. Waquil, Paulo Dabdab A agricultura na China: transformações setoriais e as relações comerciais com o Brasil Teoria e Evidência Econômica, v. 24, p. 6-25, 2018. Pivoto, Dieisson; Waquil, Paulo Dabdad; Talamini, Edson; Finocchio, Caroline Pauletto Spanhol; Corte, Vitor Francisco Dalla; Mores, Giana de Vargas Scientific development of smart farming technologies and their application in Brazil Information Processing in Agriculture, Cambridge, v. 5, n. 1, p. 21-32, mar. 2018. Sampaio, Adriano Vilela; Weiss, Maurício Andrade Divisa-chave, elasticidade, liquidez internacional e autonomia de política econômica no Sistema Monetário Internacional Economia e Sociedade, Campinas, v. 27, n.3, p. 797-823, set./dez. 2018

Fonte dos dados desta seção: Biblioteca/FCE Base: Plataforma Lattes atualizada até 18 de setembro de 2019

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

149


CAPÍTULOS DE LIVROS Behr, Ariel; Mill, Daniel Gestão estratégica da educação a distância In: Daniel Mill (org.). Dicionário crítico de educação e tecnologias de educação a distância. Campinas: Papirus Editora, 2018. p. 303. Castro, Janice Dornelles de; Zortea, Angelo Pagot; Jung, Bruna Winter; Tillmann, Eduardo André; Groders, Elisandra Duarte; Bittencourt, Gabriela Benke de; Mascarello, Maiara dos Santos Determinantes da satisfação dos usuários na atenção básica In: Castro, Janice Dornelles de; Jung, Bruna Winter (orgs.). Economia da saúde e desenvolvimento econômico: temas relevantes para a saúde pública. Mauricios: Novas Edições Acadêmicas, 2018. p. 7-18. Castro, Janice Dornelles de; Zortea, Angelo Pagot; Jung, Bruna Winter; Werle, Bruna; Tillmann, Eduardo André; Groders, Elisandra Duarte; Bittencourt, Gabriela Benke de; Mascarello, Maiara dos Santos Quanto custa calcular os custos? uma revisão bibliográfica sobre a implantação de custos no setor público na área de saúde In: Castro, Janice Dornelles de; Jung, Bruna Winter (orgs.). Economia da saúde e desenvolvimento econômico: temas relevantes para a saúde pública. Mauricios: Novas Edições Acadêmicas, 2018. p. 122-132. Cepik, Marco Inteligência In: Saint-Pierre, Héctor; Vitelli, Marina (orgs.). Dicionário de segurança e defesa. São Paulo: Editora UNESP, 2018. p. 654-662. Lopes, Dawisson B.; Sorj, Bernardo; Cepik, Marco Política internacional e comparada In: Lopes, Dawisson Belém; Soares, Márcia Miranda (orgs.). Sonhos e labores: o cinquentenário do primeiro Departamento de Ciência Política do Brasil. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2018. p. 151-170. Oliveira, Fabricio Augusto de; Chieza, Rosa Angela Auge e declínio da federação brasileira: 1988-2017 In: Fagnani, Eduardo (org.). A reforma tributária necessária: diagnóstico e premissas. Brasília, DF: ANFIP, 2018. p. 559-585. Chieza, Rosa Angela; Demarco, Diogo Joel Gasto público In: Chieza, Rosa Angela; Duarte, Maria Regina Paiva; De Cesare, Claudia Monteiro (orgs.). Educação fiscal e cidadania: reflexões da prática educativa. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2018. p. 175-209. Chieza, Rosa Angela; Demarco, Diogo Joel; Nunes, Valtuir Pereira Orçamento público In: Chieza, Rosa Angela; Duarte, Maria Regina Paiva; De Cesare, Claudia Monteiro (orgs.). Educação fiscal e cidadania: reflexões da prática educativa. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2018. p. 163-174.

150


Relação organizada por ordem alfabética dos nomes dos pesquisadores da FCE, que aparecem sublinhados na listagem

Introíni, Paulo Gil Hölck; Santos, Dão Real Pereira dos; Siqueira, Marcelo Lettieri; Chieza, Rosa Angela; Torrente, Wilson; Loebens, João Carlos; Farias, Fátima Maria Gondim Bezerra; Hickmann, Clair Maria Tributação sobre a renda da pessoa física: isonomia como princípio fundamental de justiça fiscal In: Fagnani, Eduardo (org.). A reforma tributária necessária: diagnóstico e premissas. Brasília, DF: ANFIP, 2018. p. 245-280. França, Andreya Raquel Medeiros de; Barroso, Ludymila Schulz; Conterato, Marcelo Antonio O direcionamento de recursos federais para o programa de Segurança Alimentar e Nutricional In: Jacob, Michelle Cristine Medeiros; Araújo, Daline Fernandes de Souza; Madeira, Priscilla Moura Rolim; Gomes, Sávio Marcelino; Chaves, Viviany Moura; Lima, Clébio dos Santos. (Orgs.) Caminhos para nutrição sustentável: reflexões do II Ciclo de Debates sobre Sistemas Alimentares Sustentáveis. Manaus: Elucidare, 2018, v. 1, p. 998-1007. Cunha, André Moreira; Haines, Andrés Ernesto Ferrari O Brasil na crise da nova ordem global In: Haffner, Jacqueline A. (org.). A reestruturação da economia mundial: os países do BRICS e o novo sistema internacional. Mauricios: Novas Edições Acadêmicas, 2018. p. 7-48. Dillenburg, Fernando Frota Das sombras à revolução: o papel da noção de dialética de espelhamento In: Pereira Filho, Gérson et al. (orgs.). A tradição dialética na obra de Hector Benoit: diálogos e testemunhos. São Paulo: Annablume, 2018. p. 85-91. Haffner, Jacqueline Angélica Hernández; Lunkes, Daniela Sallet A evolução da trajetória monetária chinesa e a incorporação do renminbi aos direitos especiais de saque In: Pinto, Danielle Jacon Ayres et al. (orgs.). Política internacional contemporânea: temas e debates. Macapá: UNIFAP; Rio de Janeiro: Autografia, 2018. p. 65-89. Haines, Andrés Ernesto Ferrari Guerra e liberdade em Stuart Mill, Kant e Hegel In: Fiori, Jose Luis (org.). Sobre a guerra. São Paulo: Vozes, 2018, p. 152-179. Haines, Andrés Ernesto Ferrari; Sauter, Betina Thomaz; Brandalise, Angela Gallina A “economização” da política externa russa no primeiro período Putin: a energia como fundamento da reafirmação geopolítica In: Haffner, Jacqueline A. (org.) A reestruturação da economia mundial: os países do BRICS e o novo sistema internacional. 1. ed. Mauricios: Novas Edições Acadêmicas, 2018. p. 78-125. Haffner, Jacqueline Angélica Hernández; Cardone, Francisco Lopes Os avanços da República Popular da China no sistema internacional: a entrada na Organização Mundial do Comércio (OMC) In: Haffner, Jacqueline A. (org.). A reestruturação da economia mundial: os países do BRICS e o novo sistema internacional. Mauricios: Novas Edições Acadêmicas, 2018. p. 215-244.

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

151


Kühn, Daniela Dias Abordagem das capacitações e a questão ambiental: apontamentos em relação aos intitulamentos ambientais In: Glasenapp, Sirlei; Marin, Solange Regina (orgs.). Ensaios sobre o pensamento de Amartya Kumar Sen: contribuições teóricas e aplicadas à Economia. Santa Maria: Editora UFSM, 2018. cap. 5. Soldera, Denis; Kühn, Daniela Dias Indicadores de viabilidade financeira: considerações sobre instrumentos de análise In: Wives, Daniela Garcez; Kühn, Daniela Dias (orgs.). Gestão e planejamento de agroindústrias familiares. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2018. p. 41-59. Kühn, Daniela Dias; Waquil, Paulo Dabdab; Costa, Ana Monteiro Land grabbing e a estrangeirização de terras: elementos para o debate In: Pinto, Danielle Jacon Ayres et al. (orgs.). Política internacional contemporânea: temas e debates. Macapá: UNIFAP; Rio de Janeiro: Autografia, 2018. p. 32-64. Miguel, Lovois de Andrade Origem e evolução dos sistemas agrários no Rio Grande do Sul In: Miguel, Lovois de Andrade (org). Dinâmica e diferenciação de sistemas agrários. 2. ed. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2018. p. 183-210. Santos, Leandro Teixeira dos; Milan, Marcelo O rebalanceamento da economia chinesa e suas implicações econômicas: um estudo preliminar In: Haffner, Jacqueline A. (org.). A reestruturação da economia mundial: os países do BRICS e o novo sistema internacional. Mauricios: Novas Edições Acadêmicas, 2018. p. 245-273. Milan, Marcelo Os antecedentes políticos e econômicos da grande recessão brasileira e o papel da política macroeconômica In: AKB. O Brasil pós-recessão: das origens da crise às perspectivas e desafios futuros. São Paulo: AKB, 2018. Dossiê V, p. 24-45. Milan, Marcelo Sovereign or dependent integration into the world economy?: the Brazilian external sector In: Chadarevian, Pedro (ed.). The political economy of Lula’s Brazil. London: Routledge, 2018. p. 162176. Pereira, Analúcia Danilevicz Notas sobre a questão nacional na URSS: revolução, Estado e autonomia In: Paz, Walmaro (org.). 100 anos da Revolução Russa: 1917-2017. Porto Alegre: JÁ Editores, 2018. p. 29-37. Tonin, Jeferson; Machado, José Tobias Marks; Vasconcellos, Fernanda Castilhos França de; Dorigon, Caio Bonamigo; Maltez, Marcos Antônio Pereira da Fonseca; Wives, Daniela Garcez; Schultz, Glauco A cadeia solidária das frutas nativas e o movimento Slow Food: estabelecendo interfaces conceituais In: Birochi, Renê; Rover, Oscar José; Schultz, Glauco (orgs.). Alimentos bons, limpos e justos da agricultura familiar brasileira. Florianópolis: Letras Contemporâneas, 2018. p. 75-90.

152


Birochi, Renê; Rover, Oscar José; Schultz, Glauco O movimento Slow Food e os sistemas agroalimentares brasileiros In: Birochi, Renê; Rover, Oscar José; Schultz, Glauco (orgs.). Alimentos bons, limpos e justos da agricultura familiar brasileira. Florianópolis: Letras Contemporâneas, 2018. p. 11-24. Silva, André Luiz Reis da Convergência seletiva? Análise comparativa dos BRICS com os interesses estratégicos brasileiros no sistema internacional In: Haffner, Jacqueline A. (org.) A reestruturação da economia mundial: os países do BRICS e o novo sistema internacional. Mauricios: Novas Edições Acadêmicas, 2018. p. 49-77. Olmedo, Luiza Bulhões; Silva, André Luiz Reis da Olhares sobre o Brasil: percepções da imprensa argentina e venezuelana In: Silva, André Luiz Reis da; Svartman, Eduardo Munhoz (orgs.). Inserção internacional da Argentina e do Brasil: desafios da política externa e de defesa. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2018. p. 245-292. Bastarz, Clarice; Souza, Marcelino de; Elesbão, Ivo El senderismo de naturaleza como modalidad de turismo rural y las repercusiones sociales y económicas para los agricultores In: Santos, Xosé M.; Lopez, Lucrezia (eds.). Turismo rural y de naturaleza: una mirada al mundo. Madri: Editorial Síntesis, 2018. p. 243-260. Sarti, Fernando; Ultremare, Fernanda Oliveira Padrão de investimento e a estratégia financeira das grandes empresas regionais do setor de Água e Esgoto (A&E) no Brasil In: Heller, Léo. (org.). Saneamento como política pública: um olhar a partir dos desafios do SUS. 23ed. Rio de Janeiro: Ministério da Saúde, 2018, v. , p. 105-132. Dal Ri, Israel; Vendruscolo, Maria Ivanice; Heissler, Ismael Paulo Convergência das normas contábeis: a demonstração do resultado abrangente In: Dal Ri, Israel; Vendruscolo, Maria Ivanice; Heissler, Ismael Paulo. Tendências da contabilidade contemporânea. Ponta Grossa: Atena (org.), 2018. p. 87-107. Visentini, Paulo Gilberto Fagundes O colapso soviético: causas e impactos In: Paz, Walmaro (org.). 100 anos da Revolução Russa: 1917-2017. Porto Alegre: JÁ Editores, 2018. p. 91-103. Visentini, Paulo Gilberto Fagundes O poder e a fraqueza das nações: a questão nacional em uma perspectiva marxista In: Monteiro, Adalberto; Buonicore, Augusto (orgs.). Karl Marx: desbravar um mundo novo no século XXI: artigos acerca da atualidade e vitalidade da teoria marxista. São Paulo: Anita Garibaldi; Fundação Maurício Grabois, 2018. p. 419-429. Visentini, Paulo Gilberto Fagundes Prefácio In: Silva, Antonio Ruy de Almeida. A diplomacia de defesa na política internacional. Porto Alegre: NERINT/UFRGS; Escola Superior de Guerra; Palmarinca, 2018. p. 13-16. Fonte dos dados desta seção: Biblioteca/FCE Base: Plataforma Lattes atualizada até 18 de setembro de 2019

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

153


LIVROS PUBLICADOS E ORGANIZADOS Carraro, Wendy Beatriz Witt Haddad; Prates, Ariel; Araujo, Guilherme Albertão de; Silva, Filipe Martins da Destaques da contabilidade gerencial Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2018. Castro, Janice Dornelles de; Jung, Bruna Winter Economia da saúde e desenvolvimento econômico: temas relevantes para a saúde pública Mauricios: Novas Edições Acadêmicas, 2018. Chieza, Rosa Angela; Duarte, Maria Regina Paiva; De Cesare, Cláudia Monteiro Educação fiscal e cidadania: reflexões da prática educativa Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2018. Benito, Santos Miguel Ruesga; Cunha, André Moreira; Bichara, Julimar da Silva; Haines, Andrés Ernesto Ferrari Estado, sociedade e mercado: novas perspectivas de desenvolvimento Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2018. Haffner, Jacqueline Angélica Hernández (org) A reestruturação da economia mundial: os países do BRICS e o novo sistema internacional Mauricios: Novas Edições Acadêmicas, 2018. Henkin, Hélio Política industrial e internacionalização Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2018. Wives, Daniela Garcez; Kühn, Daniela Dias (orgs.) Gestão e planejamento de agroindústrias familiares Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2018. Miguel, Lovois de Andrad. Dinâmica e diferenciação de sistemas agrários Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2018. Birochi, Renê; Rover, Oscar José; Schultz, Glauco Alimentos bons, limpos e justos da agricultura familiar brasileira Florianópolis: Letras Contemporâneas, 2018. Schultz, Glauco Mercados e comercialização: perspectivas teórica e histórica sobre os universos da produção e do consumo Porto Alegre: Editora da UFGRS, 2018 Silva, André Luiz Reis da; Svartman, Eduardo Munhoz Inserção internacional da Argentina e do Brasil: desafios da política externa e de defesa Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2018.

154


Relação organizada por ordem alfabética dos nomes dos pesquisadores da FCE, que aparecem sublinhados na listagem

Visentini, Paulo Gilberto Fagundes Guia da política externa dos estados africanos Porto Alegre: Palmarinca: NERINT/UFRGS, 2018.

Foto: Rochele Zandavalli/UFRGS

Fonte dos dados desta seção: Biblioteca/FCE Base: Plataforma Lattes atualizada até 18 de setembro de 2019

ANUÁRIO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2019

155