Page 1

376

Quem sabe, sabe

Bicho de contas Um caracol tenta subir uma parede com 10 quilómetros-caracol, onde no topo se encontra uma alface. Todos os dias sobe 3 quilómetros-caracol mas durante a noite adormece e deixa-se escorregar 2 quilómetros-caracol. Quantos dias demora o caracol a chegar ao topo e a comer a alface?

10

Concurso de Fotografia Científica Glicínias Plaza “Matemática em Flash”

9 8 7 6 5

Inauguração da exposição e entrega de prémios

4 3 2 1

No dia 6 de junho, pelas 17h00, a Fábrica Centro Ciência Viva de Aveiro, o Departamento de Matemática da Universidade de Aveiro e o Glicínias Plaza

0

inauguram a exposição com a entrega de prémios aos melhores trabalhos no âmbito do Concurso de Fotografia Científica Glicínias Plaza “Matemática em Flash”. Este evento de entrada livre decorre na Fábrica Centro Ciência Viva de Aveiro. Esta exposição estará patente ao público na Fábrica Centro Ciência

dia o caracol parte do quilómetro 7 e durante o dia sobe 3 quilómetros-caracol alcançando a alface.

Viva de Aveiro, de 6 de junho até 18 de junho, e no Centro Comercial Glicínias Plaza, em Aveiro, de 20 de junho a 6 de julho.

resposta mais comum é que são necessários 10 dias. No entanto, esta não é a resposta correta já que no 8º

Categoria B 1º Prémio: Clube de fotografia (alunos), Escola Básica Fernando Caldeira - Águeda 2º Prémio: Lara Santos e Ema Santos, Escola Básica da Gafanha da Encarnação – Gafanha da Encarnação 3º Prémio: Maria Inês Marques Lopes, Escola EB 2,3 Santo António - Faro Menções Honrosas: Clube de fotografia (alunos), Escola Básica Fernando Caldeira - Águeda

Rua dos Santos Mártires, 3810-171 Aveiro · tel. 234 427 053 · www.fabrica.cienciaviva.ua.pt · www.facebook.com/fccva · fabrica.cienciaviva@ua.pt

Categoria C 1º Prémio: João Francisco Rebelo do Rosário, Instituto Técnico Artístico e Profissional de Coimbra - Coimbra 2º Prémio: Débora Alexandra Gomes janeiro, Agrupamento de Escolas Agualva Mira Sintra - Cacém 3º Prémio: Nuno Diogo P. P. O. Lopes, Externato Ribadouro - Porto Categoria D 1º Prémio: Maria Amélia Rocha B. Peres Pereira, Aveiro 2º Prémio: Inês Henriques Batista da Silva, Viseu 3º Prémio: Jorge Manuel dos Santos Ferreira, Aveiro Os Prémios Glicínias Plaza atribuídos às três melhores fotografias de cada categoria são: 1º Lugar: Tablet 2º Lugar: Câmara fotográfica 3º Lugar: Telemóvel com câmara fotográfica. Todas as 256 fotografias a concurso estarão disponíveis na exposição, tendo o júri selecionado 160 para expor em totens e as restantes 96 fotografias apresentadas em álbuns.

Solução:

Categoria A 1º Prémio: Alunos 4ºD - S. Gens, Escola EB/JI Quinta de S. Gens - Senhora da Hora 2º Prémio: Cristiana Sofia Mendonça Oliveira, Escola EB1 da Cambeia - Gafanha da Nazaré 3º Prémio: Francisco da Nóvoa Coelho e Castro, Colégio de Nossa Senhora do Rosário – Porto

Filipe Dinis Silva Pata, Escola EB 2,3 Monsenhor Miguel de Oliveira – Válega Frederico Almeida, Escola EB 2,3 Monsenhor Miguel de Oliveira – Válega

No primeiro dia o caracol sobe 3 quilómetros-caracol e desce 2, ou seja, fica no quilómetro 1. No segundo

Coordenadora Nacional do MPT e Professora Auxiliar do Departamento de Matemática da Universidade de Coimbra; António Ferrer Correia, Professor Catedrático Aposentado do Departamento de Química da UA; Ana Pinhal, Diretora de Marketing do Glicínias Plaza. Foram premiados os três melhores trabalhos de cada categoria e o júri decidiu atribuir três Menções Honrosas na categoria B. Os premiados do concurso de fotografia são:

dia sobe 3 e desce 2 ficando no quilómetro 2. Em cada dia sobe apenas 1 quilómetro-caracol e, por isso, a

“Matemática em Flash” foi um concurso de fotografia promovido pela Fábrica Centro Ciência Viva de Aveiro, com o apoio científico do Departamento de Matemática da Universidade de Aveiro (UA) e com o apoio do Glicínias Plaza, como patrocinador exclusivo, no âmbito das comemorações do Ano da Matemática do Planeta Terra (MPT). Este concurso teve por objetivo unir arte e ciência, incentivando à produção de fotografias que evidenciem o papel da matemática no planeta Terra. A submissão de trabalhos decorreu entre 16 de dezembro de 2013 e 31 de março de 2014, tendo sido recebidos 256 trabalhos nacionais (distritos de Aveiro, Braga, Coimbra, Faro, Guarda, Leiria, Lisboa, Portalegre, Porto, Setúbal, Viana do Castelo, Viseu e Região Autónoma dos Açores) e internacionais (Timor de Leste). Os participantes concorreram individualmente ou em grupo (no caso das categorias A, B e C) a uma das seguintes categorias: categoria A (alunos do 1º Ciclo do Ensino Básico), categoria B (alunos do 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico), categoria C (alunos do Ensino Secundário) e categoria D (adultos - estudantes universitários e público geral maiores de 18 anos). O júri que avaliou as fotografias a concurso foi constituído por: José Fernando Mendes, Vice-Reitor da UA e Professor Catedrático do Departamento de Física da UA; João Manuel Santos, Diretor e Professor Auxiliar do Departamento de Matemática da UA; Carlota Simões,

BI dos Objetos Aquecedor elétrico Nome: Pascalina Data de Nascimento: 1642 Inventor: Blaise Pascal Nacionalidade: Francesa Historial Considerada a primeira máquina de calcular mecânica do mundo, a Pascalina possuía engrenagens de relógios, com diversas rodas dentadas, e somava ou subtraía números até oito dígitos. Alguns anos mais tarde, o matemático Gottrieb Leibniz aperfeiçoou a máquina de Pascal e criou um novo modelo que somava, subtraía, multiplicava, dividia e calculava a raiz quadrada. A comercialização da Pascalina não foi um sucesso por ser excessivamente dispendiosa. Foram construídos apenas cerca de 50 exemplares, estando alguns deles expostos no Conservatoir des Arts et Métiers, em Paris, e outros no Science Museum, em Londres.

Exercício de Escrita Criativa Uso obrigatório de termo científico Se não era o Fibonacci… Se não era o Fibonacci, meus caros… Uih! Eu ainda agora acreditaria que o da Vinci era o maior. Francamente… Que ridículo aquele Leonardo! Deixar-nos andar séculos a gabar-lhe as qualidades, a chamá-lo “um dos maiores génios da história da humanidade” e…?! Como é que ele pôde enganar o mundo inteiro, durante tanto tempo?! É que andamos nisto desde o Renascimento, não é propriamente uma semanita, enganados! Toda a gente a elogiá-lo: “aih, ele foi maravilhoso! Excecional! O que ele fez e em tantas áreas! Ele, isto; ele, aquilo; ele contribuiu na ciência; ele, na engenharia; ele, na anatomia; ele, na escultura, ele, na botânica! Mas, acima de tudo, aih, que pintor prodigioso! A Mona Lisa… a Mona Lisa, a Mona Lisa é absolutamente inigualável”… Pffffff… Ridículo, pá! Faço mil monas lisas, se eu quiser, agora que lhe descobri a careca! Então, o toque de génio é do Fibonacci! Então, o espertinho do outro o que fez foi aplicar matemática ao traço, mai’ nada! Como quem conta: 1+1=2, calculou a sucessão rigorosa de certos retângulos (que o verdadeiro craque da matemática—o Fibonacci, outro Leonardo--descreveu e verificou ocorrerem em variadíssimas realidades, como no rosto humano) e: risco, risco e já está. A sério, o Leonardinho da Vinci pegou na sucessão de Fibonacci, aplicou ao rosto da moça e pumba! Lindo. Assim também eu. PS: a Sucessão de Fibonacci é uma sequência infinita de números inteiros, normalmente começada por 0 e 1, na qual cada termo subsequente corresponde à soma dos dois anteriores. A sua descrição deve-se a Leonardo de Pisa, mais conhecido por Fibonacci, em 1202. Tem aplicações na análise de mercados financeiros, em computação e na teoria dos jogos; aparece em configurações biológicas, como no rosto humano e nas mãos; na disposição de galhos nas árvores ou das folhas numa haste, no cone da alcachofra, do abacaxi, ou no desenrolar dos fetos. Os números de Fibonacci são: 0, 1, 1, 2, 3, 5, 8, 13, 21, 34, 55, 89, 144, 233, 377, …

CIÊNCIA... AO PEQUENO ALMOÇO! 8 Junho ’14 › 11h00 | 12h00 A MINHA ILHA É UM VULCÃO António Soares Andrade Departamento de Geociências da Universidade de Aveiro (professor aposentado)

Tenho a curiosidade em total erupção; mal posso esperar pela última trinca no croissant! É que depois do pequeno-almoço, vou conversar muito com um Geólogo, sobre vulcões dentro de vulcões; ilhas que foram matéria ardente, casinhas feitas de lava, meninos que crescem tranquilos dentro de crateras… e outras surpresas “luminosas e quentes”, que virão à superfície, pela chaminé da nossa animação! Data: 08 junho ’14 Horário: 11h00 – 12h00 Público-alvo: 6 aos 10 anos Por marcação 234 427 053 ou fabrica.cienciaviva@ua.pt Bilheteira: 5€ (inclui pequeno-almoço da criança)) Local: Hotel “As Américas” Rua Eng. Von Hafe nº 20 3800-176 Aveiro

Ciência na Agenda co-financiamento

5 junho (11h30) - Palestra LinkinMat – “Materiais e energia”, com Jorge Frade, na Escola Secundária José Estêvão. 5 junho (21h15) – Ciclo de conversas Quintas da Ria – “Novos futuros para a Ria de Aveiro”, com Júlio Pedrosa, Carlos Borrego, José Ribau Esteves e José Luís Cacho, na Fábrica Centro Ciência Viva de Aveiro. 6 junho (17h00) – Matemática em Flash - entrega de prémios e inauguração da exposição de fotografia, na Fábrica Centro Ciência Viva de Aveiro. 8 junho (11h00) - Ciência… ao pequeno almoço – “A minha ilha é um vulcão”, com António Soares Andrade, no Hotel As Américas. 14 junho (15h00) - Tardes de Matemática – “A matemática no combate ao cancro”, com Joana Matos Dias e Humberto Rocha, na Fábrica Centro Ciência Viva de Aveiro.

Fábrica Centro Ciência Viva de Aveiro 2013

Laboração continua  

Edição nº 376 13 de Junho de 2014

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you