__MAIN_TEXT__

Page 1

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL

Ano 3 • # 10 • Setembro de 2018 Florianópolis • Santa Catarina Distribuição gratuita e dirigida. www.basket-fcb.com.br

FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL INVESTE EM CAPACITAÇÃO

CLÍNICAS, CURSOS, PALESTRAS E CAMPS QUALIFICAM ÁRBITROS, TREINADORES, ATLETAS E DIRIGENTES! CATARINENSE DE BASQUETE 2018 INICIA COM GRANDE EXPECTATIVA

SOCIAL

TAÇA FCB E COPA SC ABREM O CALENDÁRIO ADULTO

JOINVILLE CONFIRMADO NO NBB 2019

FEDERAÇÃO INVESTE EM PROJETO PARA IDOSOS EM FLORIANÓPOLIS


A Q U E

B O L A L I G A

V O C Ê

À S

Q U A D R A S É

A D A

P E N A LT Y P R Ó 7 . 6

APROVADA PELA FIBA

B O L A L I G A .


 COM A PALAVRA, OS EDITORES Joece Carabagiale/FCB

FCB INVESTE EM PROFISSIONAIS

A

bola está quicando por todos os cantos de Santa Catarina. Dos 8 aos 80 anos de idade há gente jogando basquete no estado, mas, para a FCB, “só” isso não basta. É preciso qualificar os profissionais, capacitar dirigentes e aperfeiçoar atletas, treinadores e árbitros. Assim, a Federação Catarinense de Basketball investe cada vez mais em cursos, clínicas, acampamentos, palestras e eventos com gente renomada no Brasil e exterior. O resultado é visto dentro, e principalmente fora das quadras. Com o incentivo da entidade, apoiada em um parceiro forte como a TRIMANIA, o esporte da bola laranja gera empregos, amplia o campo de atuação dos profissionais, colabora para o futuro das novas gerações com atividades esportivas, sociais e educativas. É este tripé que move a sempre competente equipe comandada pelo professor Oscar Archer. Somente nos últimos seis meses, foram realizados Cursos de Iniciação à Arbitragem nas áreas de abrangência de seis das sete Ligas Regionais e duas Clínicas para Técnicos do Projeto Basquete para o Amanhã. E não para por aí! Grandes expoentes do esporte brasileiro e mundial estiveram em Santa Catarina a fim de repassar seu conhecimento a jovens atletas, dirigentes e treinadores; gente do calibre de Larry Brown, campeão da NBA em 2004 e integrante do Hall da Fama. Não à toa, o camp com o coach Vandinho, em Criciúma, além do Festival de Basquete, ambos apoiados pela FCB, recebem páginas de destaque nesta 10ª edição da revista da Federação Catarinense de Basketball. Também por isso, o leitor de BasqueteSC tem não uma, mas várias entrevistas na sequência. Craques como os treinadores Helinho (Franca) e Larry Brown, os comentaristas Edu-

ardo Agra (ESPN) e Danilo Castro (Band), além da ex-jogadora da Seleção Brasileira, recordista em participações olímpicas, Adrianinha, passam um pouco de suas experiências ao amante do esporte da bola laranja. É dentro de quadra, no entanto, que reside o principal produto da FCB. O Campeonato Catarinense de Basquete, iniciado em cerimônia na cidade de Blumenau, já atrai centenas de espectadores nos ginásios, além das transmissões nas mídias sociais e televisão aberta. Muitos deles, tiveram a oportunidade de assistir quatro equipes catarinenses no cenário nacional até meados deste ano e verão novamente o melhor do basquetebol brasileiro em Santa Catarina graças à confirmação de Joinville no NBB 2018/19. A competição começa em outubro e reúne grandes potências do esporte (confira a lista completa na página 43). As outras disputas, que antecederam o Estadual Adulto, também mostram seu valor nas reportagens sobre a Taça FCB e a Copa SC. Apesar de tantos assuntos, ainda assim, destacar o trabalho de uma entidade de vanguarda ao longo de dez edições e cerca de 500 páginas não é tarefa simples. Alicerçada no tripé: Rendimento, Educação e Social, a Federação Catarinense de Basketball opta por sair do senso comum e abraça diferentes segmentos da sociedade, mostrando que o esporte vai além dos ginásios. Como consequência, os frutos colhidos dentro das quadras comprovam que o caminho traçado está correto. Parte dele, você verá nas 48 páginas desta edição, a 10ª.

BOA LEITURA! OS EDITORES

3


 EXPEDIENTE

- NESTA EDIÇÃO Diego Sestrem/Level Comunicação/FCB

Diretoria FCB

2015 / 2019

Oscar José Orsi Archer Nelson da Silva Aguiar DIRETOR FINANCEIRO E DE PATRIMÔNIO Ênio Feller DIRETOR JURÍDICO Fábio Pamplona Deschamps PRESIDENTE

VICE PRESIDENTE

Conselho Fiscal TITULARES SUPLENTE

Paulo Roberto Cunha Carlos Luiz de Oliveira Henrique Guilherme Koettker

Luiz Ernani Bueger

Assessoria SECRETÁRIO GERAL SECRETÁRIA EXECUTIVA PLANEJAMENTO GERAL COMISSÃO DE ARBITRAGEM TÉCNICO/COMPETIÇÕES TESOURARIA E CONTABILIDADE REGISTRO E DOCUMENTAÇÃO MARKETING, DIVULGAÇÃO E SITE

Luciano Davies Zappelini Franciele Veiga Krischke Jairo Anello Ariovaldo Carvalho Luiz Gastão Neves Dubois Irland Vieira Adriano de Souza Krischke Mariana Kovalski da Luz

NÚCLEOS ESTUDANTIS TRIMANIA/FCB E COMPETIÇÕES MASTER ATENDIMENTO ADMINISTRATIVO IMPRENSA

Julio Cesar Schmitt Rocha Stefanni Kras Dorvalina Clóvis Feller Lucas Inácio

www.basket-fcb.com.br

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL Ano 03 / Nº 10 – Setembro de 2018

JORNALISTAS RESPONSÁVEIS

EDIÇÃO GRÁFICA / ARTES REVISÃO ORTOGRÁFICA FOTO CAPA

Nikolas Stefanovich (SC/JP 2122) Henrique Santos (SC/JP 3473) Zdzain –  48 99179.5749 Maria da Graça Santos Sidnei Batista

A Revista BasqueteSC é uma edição trimestral da Federação Catarinense de Basketball. Todos os direitos são reservados, sendo proibida a reprodução total ou parcial de qualquer artigo ou imagem desta obra sem a autorização por escrito da FCB. A Revista BasqueteSC não se responsabiliza pelo conteúdo das colunas assinadas e/ou dos anúncios publicitários. Todo conteúdo voltado a publicação nesta revista deve ser enviado devidamente identificado.

4

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL

14

TUDO SOBRE A ABERTURA DO CAMPEONATO CATARINENSE DE BASQUETE


Adriano Krischke/FCB

OUTROS DESTAQUES...

TAÇA FCB MARCA O INÍCIO DO CALENDÁRIO ADULTO EM 2018

08

Sidnei Batista/APAB/FCB

26

ENTREVISTA: LARRY BROWN, UMA LENDA EM SC

34

CLÍNICA PARA TÉCNICOS REÚNE 80 PROFISSIONAIS EM BRUSQUE

36

MARISTA BASKETBALL CAMP É O EVENTO DO ANO DA LSCB

38

LIGA METROPOLITANA INAUGURA SEDE PRÓPRIA

39

CURSOS DE ARBITRAGEM NAS LIGAS OESTE E VALE DO ITAJAÍ

42

JOINVILLE ESTÁ CONFIRMADO NA PRÓXIMA TEMPORADA DO NBB

Overlapped photo © Freepik

COPA SC FECHA OS PREPARATIVOS PARA O ESTADUAL ADULTO

12

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL

Ano 3 • # 10 • Setembro de 2018 Florianópolis • Santa Catarina Distribuição gratuita e dirigida. www.basket-fcb.com.br

Lucas Inácio/FCB

FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL INVESTE EM CAPACITAÇÃO

CLÍNICAS, CURSOS, PALESTRAS E CAMPS QUALIFICAM ÁRBITROS, TREINADORES, ATLETAS E DIRIGENTES! CATARINENSE DE BASQUETE 2018 INICIA COM GRANDE EXPECTATIVA

SOCIAL

FESTIVAL DE BASQUETE TROUXE FIGURAS RENOMADAS A SC

18

TAÇA FCB E COPA SC ABREM O CALENDÁRIO ADULTO

JOINVILLE CONFIRMADO NO NBB 2019

FEDERAÇÃO INVESTE EM PROJETO PARA IDOSOS EM FLORIANÓPOLIS

CAPA  Nesta edição, a BasqueteSC apresenta

como destaque o trabalho feito com os profissionais que a FCB prepara para o basquete catarinense. 5


 FLAGRANTE Heron Queiroz/Fesporte/Divulgação/FCB

HOMENAGEM

O

troféu do basquete nos Joguinhos Abertos de Santa Catarina recebeu o nome de João Egberto Nicolak, ex-árbitro, atleta e representante da Federação, falecido em 12 de julho. A homenagem aos campeões foi entregue por sua esposa, Neusa Nicolak, oficial de mesa da FCB.

6

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL


7


TAÇA FCB Caca Ferreira/ABI/FCB

JOINVILLE E SÃO JOSÉ VENCEM A TAÇA FCB 8

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL


EQUIPES DO NORTE E GRANDE FLORIANÓPOLIS SAGRARAM-SE CAMPEÃS DO TORNEIO QUE MARCOU O INÍCIO DO CALENDÁRIO ADULTO EM 2018

A

primeira competição disputada pelos adultos em Santa Catarina reuniu 21 equipes no mês de junho, consagrando Sociedade Ginástica de Joinville/ SESPORTE e C.D. Independente/São José como os vitoriosos da Taça FCB nos naipes feminino e masculino, respectivamente. Ao longo de duas etapas, ambas em junho, 12 agremiações estiveram no torneio entre os homens e nove entre as mulheres. As ausências ficaram por conta dos representantes do estado no cenário nacional: Basquete Feminino de Blumenau, AD Brusque, APAB/ Blumenau e AABJ/Joinville. “Todos os anos, nós realizamos três competições oficiais no sentido de incluir as equipes que fazem parte do basquete adulto tanto masculino quanto feminino. A Taça FCB serve de parâmetro para que busquem melhorar para as próximas competições. É isso que precisa ser feito: jogar. Se não jogar, não se tem ideia daquilo que pode acontecer”, explicou o presidente da FCB, Oscar Archer, fala que foi complementada pelo Diretor Técnico da entidade, Luiz Gastão Dubois. “Esse campeonato é uma preparação para o Estadual. É uma competição base que prepara atletas”, disse. Enquanto a fase final da 18ª Taça FCB Masculino aconteceu em Rio do Sul, a etapa decisiva da 15ª edição do torneio feminino foi LUIZ GASTÃO DUBOIS, realizada em Itajaí. A disputa ainda contou com DIRETOR FCB a presença da renomada atleta Palmira Marçal, que defendeu a seleção brasileira nos Jogos Olímpicos de 2016, e sagrou-se campeã da competição com a camisa de Joinville. A presença da experiente jogadora mereceu destaque dentro e fora das quadras. “Como Blumenau não jogaria a competição, fizemos um planejamento de investir numa atleta de nível para disputar o título. Dessa forma, conseguimos trazer a Palmira, que foi importante nos treinos dando dicas, conversando com as meninas e contribuindo para o crescimento das nossas atletas mais novas. Juntando com a base forte, conseguimos vencer Chapecó no primeiro jogo e ganhar o título”, salientou Fabiano Borges. O treinador joinvilense ainda reconheceu o significado do 1º lugar para o esporte no município. “Foi uma conquista importante para o basquete feminino da cidade e para o clube, pois incentiva as meninas a manterem uma equipe adulta, atraindo patrocinadores para sermos competitivos na categoria”, reforçou. Completaram o pódio entre as mulheres, CB Chapecó (2º lugar) e Colégio Salesiano / ABI / FMEL / Itajaí (3º lugar). Já no torneio masculino, o vice-campeonato ficou com o Projeto Escola Basquete / FMD / Rio do Sul e a medalha de bronze com a ACOB / SENAC / FMEC / Passarela (Concórdia).

Esse campeonato é uma preparação para o Estadual

SUPERAÇÃO  Joinville (de vermelho) venceu todos os cinco jogos disputados na Taça FCB

9


TAÇA FCB Caca Ferreira/ABI/FCB

RIVALIDADE  Joinville e Itajaí fizeram a última partida da competição

10

15ª TAÇA FCB ADULTO FEMININO

18ª TAÇA FCB ADULTO MASCULINO

1º lugar:

Sociedade Ginástica de Joinville /SESPORTE

1º lugar:

C.D. Independente / São José

2º lugar:

C.B Chapecó

2º lugar:

Projeto Escola Basquete / FMD /Rio do Sul

3º lugar:

Colégio Salesiano / ABI /FMEL (Itajaí)

3º lugar:

ACOB / SENAC / FMEC / Passarela (Concórdia)

4º lugar:

Basquete Jaraguá / SEMEL

4º lugar:

Assoc. Basketball Our Team – ABOT (Joinville)

ABASMO (São Miguel do Oeste), Projeto Demais Escola Basquete / FMD Rio do Sul, ADIEE / participantes: Avaí / FME, SATC / FME (Criciúma), ABAVI / FME / Balneário Camboriú

Criciúma Basquete Clube, C.B. Chapecó, ADIEE / Avaí / FME, ABAVI / FME / Balneário Demais Camboriú, AVIBA / FMEV (Videira), ABLUJHE / participantes: UNOESC / SPECHT (Joaçaba), AJAB / Unimed / SECEL (Jaraguá do Sul) e Joinville Blackstar

Destaque:

Palmira Marçal (Sociedade Ginástica)

Destaque:

Fabrício Gomes da Silva (Independente / São José)

Maior pontuadora:

Glenda Cruz (Chapecó)

Maior pontuador:

André Luiz Mendes (ABOT)

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL


Caca Ferreira/ABI/FCB

DESTAQUE  Experiente Palmira Marçal foi eleita a melhor jogadora da Taça FCB

Level Comunicação/FCB

VICE  Rio do Sul (de preto) ficou com o 2º lugar entre os homens

Adriano Krischke/FCB

CAMPEÃO  São José (de azul escuro) venceu a 18ª Taça FCB Masculino

11


COPA SC Sidnei Batista/APAB/FCB

JOINVILLE E BLUMENAU CONQUISTAM A COPA SC 12

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL


COMPETIÇÃO FECHOU OS PREPARATIVOS PARA O ESTADUAL ADULTO

U

ma semana antes do início do Campeonato Catarinense de Basquete, os times adultos mediram forças na disputa da Copa SC. Melhor para Joinville e Blumenau que conquistaram os títulos no masculino e feminino, respectivamente. Assim como na Taça FCB, houve duas fases (classificatória e final), sendo que, desta vez, as etapas decisivas foram realizadas em Blumenau no final de julho. A disputa, que reuniu todos os 24 integrantes do Estadual Adulto, serviu como preparativo para a principal competição do basquetebol de Santa Catarina iniciada em 2 de agosto. “A Copa SC nos dá uma ideia de como as equipes estão. A gente se preocupa tanto, pois é um período de formação”, frisou o presidente da FCB, Oscar Archer. Dentro de quadra, as duas decisões reuniram rivalidades históricas e recentes do esporte catarinense. Entre os homens, o título foi definido no jogo entre joinvilenses e blumenauenses, com vitória dos visitantes por 70 a 55. “É sempre importante vencer uma competição dentro do estado, cumprindo a nossa obrigação por sermos a equipe que representa Santa Catarina no NBB, além de termos um trabalho e uma história muito fortes. Ter sido a final contra Blumenau revela mais uma vez a grande rivalidade que as duas cidades têm no cenário do basquete catarinense”, avaliou Kelvin Soares, dirigente campeão pela AABJ/Unisociesc/Sesporte/Trimania/Red Horse. O Projeto Escola Basquete / FMD /Rio do Sul completou o pódio, terminando na 3ª posição. Já no feminino, o 1º lugar terminou com as donas da casa, vencendo o adversário das últimas seis finais do Estadual. Na decisão, Blumenau superou Chapecó por 71 a 51, somando mais um troféu para a galeria do treinador João Camargo Neto. “Ficamos muito felizes por ter vencido essa Copa SC, em Blumenau, que a nosso ver serve e muito como preparação para o Campeonato Catarinense. Atuamos, excepcionalmente, sem nossas pivôs e com uma rotação bem menor que o usual entre nossas atletas. Saliento a excelente postura, Sidnei Batista/APAB/FCB

entrega, compromisso e qualidade no trabalho realizado pelas meninas. Elas foram sensacionais”, reconheceu o comandante blumenauense. A medalha de bronze ficou com a Sociedade Ginástica de Joinville / SESPORTE. Por fim, o recado passado pela FCB mostra, mais uma vez, a sensação de dever cumprido, além da projeção de grande equilíbrio no restante da temporada. “A Copa SC é um sucesso porque já é a 9º edição feminina e a 11ª masculina. Tem muita gente que às vezes sabe que no Estadual não consegue chegar, mas numa copa tudo é possível. Isso é bom para os técnicos e vai dar uma ideia do nível técnico que eles precisam para o Campeonato Catarinense”, analisou Oscar Archer.

9ª COPA SC ADULTO FEMININO 1º lugar:

Basquete Blumenau 2º lugar: C.B. Chapecó 3º lugar: Sociedade Ginástica de Joinville / SESPORTE 4º lugar: Colégio Salesiano / ABI / FMEL (Itajaí) ABASMO (São Miguel do Oeste); Projeto Escola Demais Basquete / FMD /Rio do Sul; ADIEE / Avaí / FME; participantes: SATC / FME (Criciúma); Basquete Jaraguá / SEMEL e ABAVI / FME / Balneário Camboriú Destaque: Letícia Senff (Blumenau) Maior pontuadora:

Yasmim Gonçalves (Blumenau)

11ª COPA SC ADULTO MASCULINO AABJ/Unisociesc/Sesporte/Trimania/Red Horse (Joinville) 2º lugar: APAB / Blumenau 3º lugar: Projeto Escola Basquete / FMD /Rio do Sul 4º lugar: C.D. Independente / São José Criciúma Basquete Clube; AD Brusque / FME/ Aradefe / Unifebe; ACOB / SENAC / FMEC / Passarela (Concórdia); ADIEE / Avaí / FME; Demais ABAVI / FME / Balneário Camboriú; AVIBA/ participantes: FMEV (Videira); ABLUJHE / UNOESC / SPECHT (Joaçaba); AJAB / Unimed / SECEL (Jaraguá do Sul); Joinville Blackstar e Assoc. de Basketball Our Team – ABOT (Joinville) Destaque: Eric Laster (Rio do Sul) 1º lugar:

PÓDIO  Joinville (preto), Blumenau (branco) e Rio do sul (laranja) foram os três melhores da Copa SC

Maior pontuador:

Iago Dionísio (Rio do Sul)

13


ESTADUAL 2018 SIDNEI BATISTA/APAB/FCB

ABERTURA DO CATARINENSE DE BASQUETE REÚNE ATLETAS, DIRIGENTES E AUTORIDADES EM BLUMENAU 14

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL


COM 24 PARTICIPANTES, COMPETIÇÃO VAI DE AGOSTO A NOVEMBRO

A

gosto começou e com ele veio a edição de 2018 do Campeonato Catarinense de Basquete, reunindo 24 equipes de todos os cantos de Santa Catarina. A abertura do Estadual Adulto ocorreu no dia 2 no ginásio Galegão, em Blumenau, reunindo atletas, dirigentes, admiradores do esporte e autoridades, entre os quais o prefeito blumenauense, Mário Hildebrant e a presidente da Fesporte, Natália Petry. Desde então, 14 times no masculino e outros 10 no feminino seguem na disputa, que vai até novembro, tornando a competição catarinense, novamente, como uma das principais em números de integrantes do país. Este amplo contingente se faz possível graças ao auxílio de apoiadores públicos e privados, além da Federação Catarinense de Basketball, juntamente com a TRIMANIA, que mereceram o reconhecimento do presidente da FCB em fala antes da bola subir pela primeira vez na competição estadual. “Tudo isso só é possível graças às parcerias estabelecidas com a Federação, que nos permitem promover as ações sociais e vários campeonatos”, frisou Oscar Archer, ainda destacando o avanço não somente no jogo, JOÃO MACHADO, TÉCNICO mas principalmente DA AJAB/JARAGUÁ DO SUL naquilo que envolve o entorno do esporte da bola laranja. “Basquetebol adulto é vitrine. Nós somos geradores de emprego, de mercado, de oportunidades para técnicos, atletas, dirigentes. Espero chegar em novembro, entregar as premiações a quem merecer e no fim de ano condecorar os melhores”, ressaltou. A cerimônia de abertura ainda contou com entrega de bolas e equipamentos, coquetel, relatório das atividades realizadas pela FCB e TRIMANIA até meados de 2018, bem como a apresentação das 24 equipes participantes do certame. Tudo isso transmitido ao vivo, pela Internet, em virtude da parceria com o portal da Central de Imprensa das Federações Esportivas de SC (CIFESC), comandado pelo experiente jornalista Júlio Castro. Além da solenidade, os dois primeiros jogos do Estadual Adulto também integraram a noite festiva em Blumenau. E foram os donos da casa que começaram com pé direito na luta por mais um título: vitórias sobre ADIEE/Avaí, no feminino e diante do Joinville Blackstar no masculino.

A competição é reconhecida por atletas e dirigentes como referência no Brasil

15


ESTADUAL 2018 Sidnei Batista/APAB/FCB

SATISFAÇÃO  Presidente Oscar Archer ampliou parceria com times catarinenses

150 JOGOS DE AGOSTO A NOVEMBRO

A

té a decisão, em novembro, serão disputados até 150 jogos somados os dois naipes: 100 entre os homens e 50 pelas mulheres, levando o basquete a todas as regiões de Santa Catarina, haja vista a capilaridade do esporte da bola laranja no estado. Não à toa, a competição é reconhecida por atletas e dirigentes como referência no Brasil. “Cada vez mais a FCB consegue massificar e deixar o campeonato atrativo”, afirma o treinador da AJAB/Jaraguá do Sul, João Machado, opinião ratificada pelo site de âmbito nacional Mondo Basquete. “Campeonato Catarinense de Basquete (Adulto Masculino) será disputado por 14 times. Na linha de pensamento que uma das principais funções do Estadual é massificar o esporte, isso é muito bom. Quanto mais times, melhor”, destacou a página em postagem na sua conta no Twitter (@mondobasquete).

16

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL

Nós somos geradores de emprego, de mercado, de oportunidades para técnicos, atletas e dirigentes OSCAR ARCHER, PRESIDENTE FCB

Também por isso, os jogos têm atraído cada vez mais a cobertura da imprensa local com transmissões ao vivo pelas mídias sociais. As imagens correm o mundo e ajudam na difusão da modalidade. Além disso, pelo quarto ano consecutivo, a Record News acompanhará o Estadual Masculino, levando as fases semifinal e final ao espectador catarinense através da TV aberta.


ESTADUAL MASCULINO CHAVE A: APAB / Blumenau • Ablujhe / Joaçaba • Blackstar

/ Joinville • AJAB / Jaraguá do Sul • ABOT / Joinville • ACOB / Concórdia • ABAVI / Balneário Camboriú CHAVE B: A.D. Brusque • AABJ / Joinville • Independente / São

José • ADIEE / Avaí • Criciúma • Projeto Escola / Rio do Sul • AVIBA / Videira

FÓRMULA DE DISPUTA ˌˌ Duas chaves com sete times cada (jogos em turno e returno); ˌˌ Quatro por chave avançam após a fase de classificação; ˌˌ Quartas-de-final em melhor de três jogos contra times do grupo

contrário (1º x 4º e 2º x 3º);

ˌˌ Semifinais em jogo único; ˌˌ Final em jogo único.

ESTADUAL FEMININO Sidnei Batista/APAB/FCB

CHAVE A: Vasto Verde / Blumenau • ADIEE / Avaí • SATC /Criciúma

• ABAVI / Balneário Camboriú • Projeto Escola / Rio do Sul

CHAVE B: CB Chapecó • Colégio Salesiano / Itajaí • ABASMO /

São Miguel do Oeste • Ginástica / Joinville • Basquete Jaraguá

FÓRMULA DE DISPUTA ˌˌ Duas chaves com cinco times cada (jogos em turno e returno); ˌˌ Três melhores avançam, sendo que os líderes seguem direto às

semifinais;

ˌˌ Quartas-de-final em melhor de três jogos contra times do grupo

contrário (2º x 3º);

AUXÍLIO  FCB doou equipamentos e recursos a equipes

ˌˌ Semifinais em jogo único (1º de cada chave x vencedores das

quartas-de-final);

ˌˌ Final em jogo único.

17


 CAPACITAÇÃO Lucas Inácio/FCB

FESTIVAL DE BASQUETE TROUXE AO ESTADO FIGURAS RENOMADAS DO ESPORTE BRASILEIRO E MUNDIAL 18

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL


EVENTO REUNIU MAIS DE 300 ATLETAS, TÉCNICOS E DIRIGENTES NA CAPITAL

P

elo segundo ano consecutivo, Florianópolis recebeu o Festival Internacional de Basquete, evento promovido pela BRA Assessoria Acadêmica e Esportiva com apoio da Federação Catarinense de Basketball. A edição de 2018 aconteceu durante o mês de julho, quando foram realizadas cinco competições de categorias de base, clínica para técnicos e acampamento para jogadores. Ao longo de sete dias, os cerca de 300 atletas ainda tiveram a oportunidade de manter contato com grandes nomes da modalidade no Brasil e exterior. Participaram do evento no ginásio Rozendo Lima, no Instituto Estadual de Educação, o técnico integrante do Hall da Fama, Larry Brown, e seu ex-assistente na NBA, Dave Hanners, além dos treinadores do NBB: Helinho (Franca) e Gustavo De Conti (campeão de 2018 com o Paulistano e recém contratado pelo Flamengo), bem como os comentaristas Eduardo Agra (ESPN) e Danilo Castro (Band) e o preparador físico Diego Jeleilate (ex-Paulistano e atual Flamengo). OSCAR ARCHER, Também se fez presente PRESIDENTE DA FCB a ex-armadora da Seleção Brasileira, Adrianinha, que trouxe seu time para jogar uma das competições de base. Ao todo, 26 equipes disputaram os torneios nas categorias sub-13 e sub-15 masculino e feminino, além de sub-17 masculino, reunindo representantes de seis estados brasileiros (SC, RS, PE, SP, DF, AL) e até do exterior (Uruguai). As competições tiveram transmissão ao vivo pela Internet, estatísticas da FIBA, evento das estrelas e premiações individuais e coletivas, aumentando o intercâmbio entre os atletas, treinadores, dirigentes e arbitragem. "Para nós é importante apoiar este tipo de evento que promove a troca de experiências e fortalece o basquete catarinense. São convidados com renome nacional e internacional que trazem seus conheci-

Para nós, é importante apoiar este tipo de evento

DAVE HANNERS  Auxiliar de Larry Brown, Dave foi um dos tutores do evento em Florianópolis

19


 CAPACITAÇÃO Lucas Inácio/FCB

mentos para os profissionais do estado", avaliou o presidente da FCB, Oscar Archer. Dentro de quadra, os times de Santa Catarina levaram ouro no sub-15 feminino e no sub-13 masculino, além de quatro pratas e dois bronzes. A principal conquista, no entanto, veio fora dela com o aprendizado obtido nas clínicas e palestras. As lições, de acordo com o ex-jogador e atual comentarista Eduardo Agra, ultrapassaram o âmbito esportivo. “É muito importante que a gente faça as crianças entenderem que elas têm que estudar, independente do que vão fazer no futuro. Se vão para a NBA, jogar em clubes nacionais ou apenas no colégio, o estudo tem que estar aliado a isso. Elas têm que se preparar para a vida. O esporte ensina lições importantes, disciplina, educação, a enfrentar desafios, mas o estudo tem que estar ao lado para combinar as duas coisas, seja para adolescentes de 15 anos ou para pessoas de 61, como é meu caso”, destacou Agra em conversa com os atletas. Além dos jovens, os adultos também tiveram a oportunidade de buscar a qualificação em contato com nomes consagrados. O principal EDUARDO AGRA, deles foi Larry Brown, COMENTARISTA ESPN campeão da NBA em 2004 pelo Detroit Pistons. O norte-americano, pertencente ao Hall da Fama, ministrou clínica para técnicos, porém sem deixar de lado um bate-papo repleto de histórias a meninos e meninas, muitos sequer nascidos durante sua grande conquista na maior liga de basquete do mundo. “Só de ver essas crianças jogando, o quão respeitosas elas são, o quanto elas se divertem e ver o interesse dos técnicos em aprender é ótimo. O retorno é maravilhoso, mas o único problema é que não pude ensinar tanto quanto gostaria”, declarou o coach. A próxima edição do Festival de Basquete está marcada para o período entre 15 a 21 de julho de 2019. O evento fez parte de um calendário repleto de cursos, clínicas, aulas e atividades em prol da capacitação de quem vive e faz o basquete acontecer em Santa Catarina. Como salienta o presidente Oscar Archer, o trabalho da FCB “não se trata só de fazer jogos. A parte social e a formação dos profissionais também são prioridades”, confessa.

É muito importante que a gente faça as crianças entenderem que elas têm que estudar, independente do que vão fazer no futuro

20

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL

ATENTOS  Jovens atletas não desgrudaram o olho de Larry Brown durante suas orientações


21


 ENTREVISTAS Lucas Inácio/FCB

PERSONALIDADES DO BASQUETE FALAM SOBRE A IMPORTÂNCIA DO ESTUDO NO ESPORTE E NA VIDA 22

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL


Divulgação/FCB

CAMPEÕES  Armador vitorioso pela seleção brasileira, Helinho premiou os jovens atletas

BASQUETESC TRAZ A PALAVRA DE TÉCNICOS E COMENTARISTAS QUE ESTIVERAM EM FLORIANÓPOLIS

A CAPACITAÇÃO  Festival também serviu como aprendizado para treinadores e dirigentes

lém de Larry Brown, outras referências no esporte emprestaram um pouco de seu conhecimento a jovens atletas e treinadores. Também tiveram a oportunidade de aprender com a troca de experiência dos colegas de Festival de Basquete. Ao site da FCB, quatro deles relataram suas trajetórias, os passos atuais e ainda projetaram o futuro da modalidade, bem como analisaram o trabalho desenvolvido em Santa Catarina. As conversas com Eduardo Agra (ex-jogador e comentarista da ESPN), Hélio Rubens Filho (ex-jogador da Seleção Brasileira e atual técnico de Franca), Danilo Castro (ex-jogador, treinador e comentarista da BAND) e Adrianinha (ex-jogadora e dirigente de projeto social em Pernambuco), o leitor de BasqueteSC confere nas próximas páginas...

23


 ENTREVISTAS Divulgação/CBB/FCB

REFERÊNCIA  Pelo segundo ano consecutivo, Danilo Castro esteve no Festival de Basquete em SC

DANILO CASTRO 24

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL


Divulgação/FCB

EXPERIÊNCIA  Danilo Castro emprestou parte de seu conhecimento da vitoriosa carreira dentro de quadra

DE JOGADOR A COMENTARISTA DANILO CASTRO: A função de comentarista é bastante diferente porque é muito mais fácil. Difícil, é jogar. A minha preparação começa quando eu recebo qual jogo vou fazer. É uma preparação diária, pois tenho que estar ligado em tudo o que está acontecendo, principalmente porque comentar basquete nacional é mais difícil do que comentar o internacional por estar mexendo com pessoas as quais a gente convive de uma forma ou de outra. Tem que haver muito cuidado com as informações passadas. Estou sempre ligado no que está acontecendo no NBB e é um trabalho que eu gosto demais. Acabei indo (para a TV) por uma indicação e há oito anos faço isso. Eduardo Agra é meu grande mentor. Embora a gente seja de emissoras diferentes, ele é o cara que me dá os toques, me ajuda muito nesse trabalho de comentarista esportivo. Estou bastante satisfeito.

PROJETO COM JOVENS DANILO CASTRO: É uma academia (D14 Basketball Academy), em São Paulo, cujo trabalho visa principalmente os fundamentos. A gente não se importa tanto em ganhar jogo, mas quer trabalhar fundamento e se os meninos tiverem destaque, indicamos aos clubes para eles seguirem suas vidas. Os garotos que eu trouxe para o torneio no Festival de Basquete treinam comigo individualmente. Tenho muitos alunos, mas não quero ter uma equipe, no entanto posso pegar alguns meninos e levar a competições para agregar naquilo que eu faço. Aqui, consegui ver alguns erros que no treino individual não consigo detectar. Serviu até para melhorar o trabalho que faço com eles.

TREINO DE FUNDAMENTOS DANILO CASTRO: Não sou técnico de banco, de dirigir time, mas já tive a experiência e ficou muito claro que a leitura de jogo é tão importante quanto o fundamento. Se o atleta quiser jogar em alto nível, mesmo no basquete nacional, precisa ter esse fundamento. Os técnicos das equipes adultas não podem perder muito tempo com isso, pois há uma carga tática muito grande e essa capacidade tem que vir da base.

RAIO-X NOME: Danilo Castro IDADE: 48 anos PRINCIPAIS TÍTULOS: Tetracampeão brasileiro, campeão

paulista, campeão carioca e campeão gaúcho ATUAL FUNÇÃO: Comentarista da Band, instrutor e Personal Coaching de basquete

A consciência desses garotos está mudando, por isso tenho uma grande procura de atletas de 13 anos até os profissionais, incluindo jogadores da NBA, que fazem esse treino individualizado, servindo como base para a temporada inteira.

APRENDIZADO NO FESTIVAL DE BASQUETE DANILO CASTRO: É sempre engrandecedor estar com esses caras. Estou aprendendo, já que busco conhecimento sempre. Estar com Larry Brown, Eduardo Agra, Jeleilate, Gustavinho, Helinho, é uma troca de experiência, de contato. Somos amigos pessoais, mas sempre que se pode observar o trabalho deles em quadra é uma troca de experiência muito bacana. Na parte que acompanhei da clínica do Larry Brown, já peguei coisas que eu posso agregar ao meu projeto D14, no nível antes de federado. É uma troca muito importante.

TRABALHO DESENVOLVIDO EM SANTA CATARINA DANILO CASTRO: Gosto muito do trabalho que é feito aqui, até pelo apoio dado a um evento como esse.

25


 ENTREVISTA - LARRY BROWN Reprodução NBA/FCB

NBA  Allen Iverson viveu seu melhor momento na Liga sob o comando de Larry Brown

LARRY BROWN: LENDA DO BASQUETE EM SC REFERÊNCIA MUNDIAL, TREINADOR MINISTROU CLÍNICA EM FESTIVAL APOIADO PELA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL

A

té hoje, somente um treinador venceu a NBA e a NCAA (competição universitária dos Estados Unidos). Este cara é Larry Brown, campeão pelo Detroit Pistons, em 2004, e pela Universidade de Kansas, em 1988, além de medalhista olímpico pelos EUA como jogador – ouro nos Jogos de Tóquio 1964 – e como técnico – bronze em Atenas 2004. Aos 78 anos, o respeitado coach veio a Florianópolis participar do Festival de Basquete, evento apoiado pela FCB, ao lado de seu ex-assistente, Dave Hanners, e outras referências no esporte. O experiente comandante ministrou clínica para técnicos e contou um pouco de sua trajetória no esporte como atleta e treinador. As conquistas na principal liga de basquete do mundo e a forma como lidou com fenômenos da modalidade, especialmente Allen Iverson, prenderam a atenção de

26

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL

jovens atletas, bem como de gente consagrada, caso do ex-atleta e atual treinador, Hélio Rubens Filho, o Helinho. “Esse tipo de evento é sensacional e ter a presença de dois profissionais como Larry Brown e o Dave Hanners fortalece demais o evento, junto com a presença dos brasileiros. Conviver durante três dias passando conceitos e trocando ideias só vem para somar, estou adorando”, frisou o atual comandante do Franca. A conversa com o novo técnico do Torino, da Itália, não ficou restrita às atividades do Festival realizado no Ginásio Rozendo Lima, na Capital. Em entrevista ao jornalista Lucas Inácio, da assessoria de imprensa da FCB, Larry Brown confessou gostar do futebol brasileiro e mostrou-se motivado para o novo desafio, agora na Europa.


MOTIVAÇÃO PARA TREINAR O TORINO AOS 78 ANOS LARRY BROWN: Os últimos dois anos eu não tive exatamente um trabalho, então eu assistia meus amigos treinando como John Calipari (atualmente na Universidade de Kentucky), Bill Self (Kansas), Jay Wright (Villanova), entre outros, e sentia falta disso. Quero compartilhar meus conhecimentos com as pessoas. Eu sempre tive admiração pelo basquete europeu, a forma com que eles jogam, então me desafiei para saber se ainda consigo treinar neste nível, se consigo ensinar as coisas que eu aprendi e talvez melhorar o jogo da equipe.

DEFESA X ATAQUE LARRY BROWN: Eu acho que em todos os esportes, realmente acredito nisso. A defesa ao arremessador no baseball, a defesa do futebol americano para recuperar a posse, no basquete não é diferente. Golden State Warriors (atual bi-campeão da NBA) tem um ótimo ataque, mas também tem uma ótima defesa. Sempre falo que se você sabe arremessar, é capaz de defender. Jogar defensivamente é uma demonstração de altruísmo, de ótimo caráter e jogo coletivo. Por isso acho que esse tipo de atletas geralmente são vencedores.

LEMBRANÇAS DO

ótimos atletas. O que vocês têm que fazer no Brasil é desenvolver jovens técnicos para desenvolver jovens jogadores, principalmente fundamentos, assim o basquete vai ficar cada vez melhor.

ESPORTE BRASILEIRO LARRY BROWN: Eu gosto bastante de futebol, o soccer, e me lembro de quando vi Pelé jogar. O futebol brasileiro me lembrou muito o estilo de jogo do nosso basquete nos Estados Unidos. Um jogo de muita velocidade, mais aberto que a seleção alemã, por exemplo, assim como o basquete dos EUA costuma ser mais aberto que o europeu, ou costumava ser.

RAIO-X NOME: Lawrence Harvey "Larry" Brown IDADE: 78 anos PRINCIPAIS TÍTULOS: Jogos Olímpicos de Tóquio (1964), NCAA

(1988, com a Universidade de Kansas) e NBA (2004, com Detroit Pistons) OUTRAS CONQUISTAS: Hall da Fama do Basquete (2002), melhor treinador da NBA 2000/01 (Philadelphia 76ers), 8º treinador com mais vitórias na NBA (1.098) ATUAL CLUBE: Torino (Itália)

Lucas Inácio/FCB

BASQUETE BRASILEIRO LARRY BROWN: Primeiro de tudo, Oscar Schmidt (risos). Eu me lembro também que em 1999 fomos para um Pré-Olímpico em Porto Rico e eu fui o técnico principal porque o Rudy Tomjanovich ficou doente e nós enfrentamos o Brasil. Em 2003, também no Pré-Olímpico de Porto Rico, enfrentamos o Brasil de novo e era um time muito bom e jovem: (Leandrinho) Barbosa, (Alex) Garcia, Nenê, Varejão, Splitter. Eu fiquei impressionado, todos eles tiveram longa carreira na NBA.

DESENVOLVIMENTO DE ATLETAS E TREINADORES NO BRASIL LARRY BROWN: Lembro também de quando eu vim ao Brasil, há cinco anos, para uma clínica em São Paulo, tinham vários garotos entre 17 e 19 anos e eram muito bons, mas, infelizmente foram para a Espanha e não tiveram sucesso e, sem boa educação, acabam perdendo muitas oportunidades. Acho que é importante manter esses jovens atletas aqui, jogando na liga profissional e desenvolvendo esses garotos. Não deveria ser assim, é um país enorme, que ama basquete, tem

AULA  Larry Brown orientou jovens atletas na Capital

27


 ENTREVISTA - EDUARDO AGRA Divulgação/CBB/FCB

NA TELINHA  Eduardo Agra e Danilo Castro levam vivência nas quadras para a tv

CAMPEÃO MUNDIAL, EDUARDO AGRA TRABALHO NA IMPRENSA EDUARDO AGRA: Estou há 13 anos na ESPN, onde iniciei de repente. Eu era tradutor da Reebok, na época a fornecedora de uniformes oficial da NBA. Eles traziam muitos técnicos e jogadores para fazerem clínicas no Brasil e eu trabalhava para uma agência de publicidade que era a agência da Reebok. Eles precisavam sempre de tradutor/intérprete para as clínicas, alguém que soubesse inglês, mas também de jogo de basquete. Numa dessas clínicas, um produtor da ESPN falou que a emissora estava procurando gente para comentar os jogos com

28

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL

RAIO-X NOME: Eduardo Nilton Agra Galvão IDADE: 62 anos PRINCIPAIS TÍTULOS: Campeão Mundial Interclubes de Basquete

(Sírio/SP, em 1979) e Campeão Sul-Americano Interclubes de Basquete (Sírio/SP, em 1979) OUTRAS CONQUISTAS: Bronze do Campeonato Mundial de Basquetebol pela Seleção Brasileira (Filipinas, em 1978) ATUAL FUNÇÃO: Comentarista da ESPN


Reprodução Twitter/FCB

os seguintes pré-requisitos: ter jogado, falar e entender bem o inglês. Fiz um teste e passei.

OCUPAÇÕES EDUARDO AGRA: Me formei em educação física em Kansas (EUA). Em 1986, eu estava jogando basquete profissionalmente, na época no Corinthians, e numa associação binacional Brasil/Estados Unidos em São Paulo, considerada a melhor escola de inglês até hoje, onde trabalhei 28 anos, virei professor e coordenador de inglês. Agora já estou aposentado das escolas, mas dou aula particular. Ao lado da TV, são minhas duas ocupações atuais.

EX-JOGADOR E COMENTARISTA ESPORTIVO EDUARDO AGRA: As coisas têm que andar juntas. Você não pode ficar só no esporte e deixar o estudo de lado. No meu caso, especificamente, eu sou um professor. Então eu falo direito o português, sei me comunicar com as pessoas, então acho que eles (alguns jornalistas) me aceitam mais por causa disso. Tem muito boleiro que não se prepara. Acho que deve haver uma combinação do comentarista com o boleiro, mas que a pessoa saiba ler, escrever, falar bem o português, até para se comunicar com as demais pessoas.

IMPORTÂNCIA DO ESTUDO EDUARDO AGRA: Sempre que eu tenho oportunidade, vou a muito camp. É muito importante que você faça esses caras (jovens atletas) entenderem que é preciso estudar, independente do que vão fazer no futuro, se vão virar jogadores profissionais na NBA, se vão jogar só no colégio ou se vão jogar só pelo clube. É importante que o estudo esteja aliado a isso aí, pois a pessoa tem que se preparar para a vida. Acho que o esporte ensina lições importantes como ter disciplina, dedicação, objetivos e desafios. Agora, o estudo tem que estar ao lado para poder combinar as duas coisas. Com a Internet, é importante saber se comunicar, como usá-la e para isso é preciso se preparar. E como prepara? Estudando! Onde? Na escola! E no esporte, o atleta vai aprendendo lições importantes para usar tudo isso no seu dia a dia hoje ou no futuro. Mesmo aos 61 anos, continuo estudando, me preparando, pois não posso ir a ESPN fazer uma transmissão sem estudar o conteúdo do jogo e onde está esse conteúdo? Na Internet! Uma coisa leva a outra e tem que estar sempre trabalhando, não pode descansar. Antes de vir para cá (Festival de Basquete, em Florianópolis), eu me preparei. Quis saber o que o Larry Brown e o seu assistente, Dave Hanners fizeram.

PREPARAÇÃO PARA OS JOGOS

ESPN  Agra compõe time de comentaristas do canal há 13 anos

DE BASQUETE NA TV EDUARDO AGRA: Para as transmissões, olho diariamente a Internet para saber o que aconteceu nos jogos, quem está se destacando. Sempre pela manhã fico ao menos uma hora vendo todos os resultados, quem está jogando bem, quem está pontuando. Quando meu jogo chega, estou mais ou menos a par do que vou fazer. No dia específico do jogo, procuro ver as informações e o histórico das duas equipes que eu vou comentar, pois quem está em casa quer saber. Me preparo diariamente e no dia específico do jogo, aí eu foco nas duas equipes que estarão em quadra na transmissão.

LIGAÇÃO COM SANTA CATARINA EDUARDO AGRA: Em 1974, vim a Santa Catarina disputar um Campeonato Brasileiro Juvenil, jogando por Pernambuco. Fizemos uma competição muito boa, chegando à final contra São Paulo, cujo time tinha Oscar Schmidt, Marcel, Gilson. Perdemos, mas fizemos um bom jogo. Depois desse campeonato, houve uma convocação para o Sul-Americano. Foi minha primeira convocação para a Seleção Brasileira. A partir daí, voltei mais duas vezes à Capital, uma com a Seleção Brasileira Adulta para um jogo de preparação em Florianópolis e outra que vim para um campeonato de Master. Jogava duas vezes por dia, tinha que descansar e não conheci nada. Essa, agora, é a quarta vez.

MISTURA ENTRE FUTEBOL E BASQUETE EDUARDO AGRA: Dou o exemplo do Corinthians, onde joguei por três anos e vivi talvez meus melhores momentos da carreira, apesar de ter sido bi-campeão paulista, brasileiro, sul-americano, medalhista de bronze em mundial de clubes, campeão mundial em 1979 pelo Sírio. No Corinthians só ganhei um Brasileiro e um Paulista, mas os melhores anos da minha carreira foram lá porque toda noite no ginásio de basquete havia seis mil pessoas. Se souber administrar bem, não tem problema clubes de futebol disputando outras modalidades.

29


 ENTREVISTA - HELINHO Divulgação/CBB/FCB

COMANDANTE  Após carreira vitoriosa como armador, Helinho assumiu o Franca

HÉLIO RUBENS FILHO, O TREINADOR HELINHO TRAJETÓRIA APÓS APOSENTADORIA DAS QUADRAS HELINHO: Me aposentei faz quatro anos. Fiquei um ano na parte administrativa do Franca, um período muito importante para mim. O time estava acabando, mas conseguimos recuperá-lo na parte estrutural e a partir do meu segundo ano aposentado como jogador, me convidaram para ser técnico e eu assumi. Sabia que teria um time enxuto, mas criei algumas metas, objetivos

30

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL

RAIO-X NOME: Hélio Rubens Garcia Filho IDADE: 43 anos PRINCIPAIS TÍTULOS: Campeão dos Jogos Pan-Americanos do

Canadá e do Campeonato Sul-Americano pela Seleção Brasileira (1999). Campeão brasileiro (Franca, em 1997, 1998 e 1999; Vasco da Gama, em 2001 e 2002 e Uberlândia, em 2004) OUTRAS CONQUISTAS: Vice-campeão brasileiro (Uberlândia, 2005) ATUAL FUNÇÃO: Treinador do Franca


de curto, médio e longo prazos e comecei o trabalho. O primeiro ano foi muito bom porque tudo o que eu achava legal, como jogador, tentei colocar em prática. Formamos um grupo que deixou um legado para mim e para cidade. Um grupo, que ninguém botava fé, ficou em terceiro lugar no Paulista e terceiro na fase de classificação do NBB. Perdemos para o Paulistano nos playoffs por 3 a 2, mas foi um time do qual vou levar as histórias para o resto da vida. No ano seguinte, houve um investimento maior. Com uma equipe de um nível técnico melhor, conseguimos chegar na final do Paulista depois de oito anos, ficamos em terceiro lugar na fase de classificação do NBB e saímos contra Bauru.

LIÇÕES DO ESPORTE HELINHO: Digo aos jogadores que não é ganhar ou perder, mas como você ganha ou perde. Já levei muita dura, do meu pai principalmente (o técnico Hélio Rubens), ganhando e não jogando do jeito correto. Algumas vezes fui elogiado perdendo, mas fazendo a coisa bem-feita, corrigindo os erros para melhorar. Isso é o mais importante no esporte.

INFLUÊNCIA DO PAI HELINHO: Desde moleque, todo mundo me perguntava se eu seria jogador, se atuaria na Seleção Brasileira. Sempre tive uma pressão muito grande para isto. Quando eu estava ganhando meu espaço e credibilidade, sabia que queria ser técnico e ele (Hélio Rubens) imediatamente me disse que eu tinha o perfil por saber como me relacionar, conhecia as partes tática e de treinamento. Ainda destacou ser importante estudar e trabalhar forte. Estou curtindo muito, gostando da nova profissão. Está sendo muito prazeroso e é apaixonante porque todos os dias há soluções aos problemas que vão aparecendo, diversas situações que vão nos dando cada vez mais conhecimento. Assim, passo a dar valor ainda mais ao meu pai.

IMPORTÂNCIA DE RECEBER E PASSAR CONHECIMENTOS HELINHO: A presença de profissionais renomados no Brasil e exterior, neste evento (Festival de Basquete, em Florianópolis), convivendo três dias com atletas e técnicos, passando conhecimento, só vem para somar. Eu sou um cara que sempre busco conhecimento, tanto que no final da temporada fui a Barcelona, Badalona e Murcia.

INVESTIMENTO NA BASE HELINHO: Lá em Franca, a gente dá muita importância para a base. Estamos fazendo um trabalho de unidade de planeja-

mento, então todos os técnicos sabem o que estão fazendo desde o sub-14 até o adulto. Hoje, temos um Centro de Treinamento que talvez seja um dos melhores do Brasil. Fui passar 20 dias no Golden State Warriors (atual bi-campeão da NBA) e quando cheguei, os diretores do SESI/Franca Basquete me perguntaram o que tinha sido legal na viagem. Destaquei a parte estrutural como sendo impressionante. Depois disso, começamos a formatar esse CT e hoje estamos com uma quadra principal, duas secundárias com seis tabelas, sala de musculação e fisioterapia ao lado, além de pista de atletismo. É algo que dá uma força muito grande para o trabalho que está sendo feito. Não é a realidade da maioria dos times, mas é algo que todos estão buscando. O Franca saiu na frente por uma série de motivos, pois a instituição SESI preza muito pela excelência e é uma referência no Brasil tanto na educação quanto no esporte.

CONCEITOS TRAZIDOS DOS EUA HELINHO: Dá para adaptar conceitos na parte tática, inclusive trouxe algumas coisas que venho usando, mas acho que é importante essa troca de conhecimento. Também pela parte estrutural quando você compartilha isso, todo mundo vai querer fazer e melhorar condições em quadra, vestiário, mais tabelas. Quem ganha com isso são os profissionais do basquete.

TRABALHO DESENVOLVIDO EM SANTA CATARINA HELINHO: Em São Paulo, chegam informações do basquete realizado em Santa Catarina. Acho que o basquete brasileiro, com a força que a Liga Nacional vem tomando, naturalmente vai crescer como um todo. A gente sabe do trabalho que vem sendo feito na base em Santa Catarina e acho que seria viável e importante ter uma equipe de maior força aqui no NBB. Isso serviria de espelho e motivação para que aumentasse o número de jogadores mais jovens. Naturalmente da massificação, da quantidade você tira a qualidade. A tendência é continuar esse crescimento e isso o que a gente espera, pois esse lugar é delicioso para morar, trabalhar, fazer esporte. Um estado que merece todo o apoio e crescimento no basquete.

VOLTA DE JOINVILLE AO NBB HELINHO: O trabalho que eles fazem lá é muito legal. Eu o acompanho e sei que não é fácil, pois já passei por situações parecidas, mas eu tiro o chapéu para o trabalho que o Kelvin, o Olívia, a FCB e todo o pessoal que gere fazem. Eu tenho certeza que Joinville vai continuar crescendo, pois as empresas vão criando noção da visibilidade que o basquete está tendo. Eu adoro jogar lá, até pela educação do povo.

31


 ENTREVISTA - ADRIANINHA Reprodução Facebook/FCB

RAIO-X NOME: Adriana

Moisés Pinto IDADE: 39 anos PRINCIPAIS TÍTULOS:

Cinco participações em Jogos Olímpicos pela Seleção Brasileira (2000, 2004, 2008, 2012 e 2016), medalha de bronze nas Olimpíadas de Sidney/2000. ATUAL FUNÇÃO: Coordenadora do Projeto Adrianinha Basketball, em Recife.

SOCIAL  Adrianinha ensina basquete a 200 crianças em Recife

MEDALHISTA OLÍMPICA, ADRIANINHA PARTICIPAÇÃO NO FESTIVAL ADRIANINHA: É ótimo dar oportunidade às meninas de ter esse intercâmbio. Estou com um projeto em Recife e isso é importante para o aprendizado delas e para mim também. No basquete de base do Brasil, não há nenhum campeonato brasileiro, então acho que eventos como esse são de extrema importância tanto para elas quanto para mim que estou ainda numa fase de transição. Não é porque você jogou, que vai saber ensinar. A gente tem que estar sempre buscando ideias novas, mas adaptando à nossa realidade.

DE JOGADORA PARA TÉCNICA ADRIANINHA: Eu amo o basquete e estou feliz com a oportunidade de continuar fazendo o que eu amo. Tento passar o máximo do que aprendi e fez minha vida não só como atleta, mas como pessoa, para elas. Hoje, estou com 200 crianças (no Projeto Adrianinha Basketball, em Recife), de 8 a 17 anos, e sei que muito poucas vão seguir a carreira profissional, mas sei o quanto é importante elas seguiram no esporte e as oportunidades que este trará.

O BASQUETE FEMININO ADRIANINHA: O basquete brasileiro, em geral, está numa fase de voltar a crescer. Isso você vê na LBF, no NBB e na Confederação (CBB) tentando se reerguer. A gente depende desses jogos. No caso do

32

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL

meu projeto, havendo uma liga forte, vou ter como motivar as meninas em quem elas se espelharem. A minha esperança é que, a cada ano, a competição (LBF) cresça mais para voltarmos a ter ídolos no Brasil e um espelho a essas meninas que estão começando agora.

FORÇA DO BASQUETE FEMININO NO NORDESTE ADRIANINHA: O basquete feminino sobrevive de pessoas que amam a modalidade e lutam diariamente para que ele não morra. Tive a felicidade do meu último título ter sido lá com o Sport Recife e nos últimos anos sempre tem um time do Nordeste nas finais da Liga Nacional (LBF). Se, no Brasil, a gente pudesse massificar mais o basquete feminino, e até mesmo o masculino, seria muito bom para todo mundo. É difícil, pois naquela região não há a estrutura existente em São Paulo e no Sul, mas está aumentando a cada ano a quantidade de meninas praticando o esporte no Nordeste.

O TRABALHO FEITO EM SC ADRIANINHA: É referência tanto no feminino, o qual tenho seguido as categorias de base e a nível escolar. Vocês são privilegiados por estarem nessa região que pode ter um intercâmbio fácil não só dentro do Brasil, mas fora também. Vocês estão um pouco à frente do Nordeste em termos de ajuda da Federação, de estrutura física e estou feliz de estar aqui vendo isso, até para poder exigir do pessoal de lá um pouco mais de ajuda.


Chegamos à 10ª edição da Revista Oficial da FCB. Muito trabalho e recompensas que nos motivam a seguir em frente.

Agradecemos a todos que fazem a 33


 CAPACITAÇÃO Level Comunicação/FCB

CLÍNICA PARA TÉCNICOS REÚNE 80 PROFISSIONAIS EM BRUSQUE ENCONTRO AMPLIFICA APRENDIZADO DOS INTEGRANTES DO PROJETO BASQUETE PARA O AMANHÃ 34

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL

A

segunda Clínica, em 2018, para Técnicos do Projeto Basquete para o Amanhã aconteceu em agosto na cidade de Brusque, onde estiveram cerca de 80 treinadores. O encontro faz parte do processo de capacitação proposto pela Federação Catarinense de Basketball a todos os grupos que envolvem o esporte: atletas, árbitros, treinadores e dirigentes. A primeira etapa ocorreu em Florianópolis, no mês de março. “Nós temos uma preocupação dentro da FCB que não basta fazer o jogo, apitá-lo, entregar o troféu e acabar por aí. Nossas pretensões sempre foram fazer uma gestão de dar as condições ideais a técnicos e atletas. Além disso, dar as instruções aos dirigentes a fim de que tenham uma qualificação e aprendam como buscar os recursos para o desenvolvimento do esporte”, declarou o presidente da FCB, Oscar Archer. A novidade no encontro de Brusque foi a presença do especialista em finanças pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e mestre em Administração pela Udesc, Marcos Molinari. Coube ao professor falar sobre captação de recursos para projetos esportivos, além de mostrar a importância de saber demonstrar o devido valor das entidades do basquetebol catarinense.


EM BUSCA DA QUALIFICAÇÃO

A

o final do encontro, a mensagem do presidente da Federação Catarinense de Basketball era de buscar cada vez mais a qualificação dos profissionais do esporte em Santa Catarina. Os novos desafios, como o caráter social incluído no Estatuto da entidade desde o início do ano, aumentaram, segundo o dirigente, ainda mais a necessidade de aprendizado. “Entendo que um técnico não deva se limitar somente à quadra e um dirigente à mesa de administração. Nestes últimos meses, há processos diferentes que começamos a implantar, incluindo a área social em paralelo com a área esportiva. Isso vai nos demandar aprender muito. Estando a TRIMANIA presente, nós teremos recursos divididos e certamente o basquete seguirá muito bem assistido”, afirmou Oscar Archer. O presidente da FCB ainda elogiou a participação dos técnicos na Clínica voltada ao Basquete para o Amanhã, que envolve as categorias com atletas de 10 a 15 anos, além de projetar o futuro da modalidade dentro e fora de quadra. “Temos vários projetos dentro da FCB e o Basquete para o Amanhã, cuja clínica reuniu 80 técnicos em busca de qualificação, é um deles. Isso é fruto de trabalho de uma grande equipe que está dentro da Federação e tenho certeza que alguém poderá vir num futuro próximo para conduzir o esporte de forma igual ou melhor”, concluiu.

BASQUETE PARA O AMANHÃ CRESCE EM SC

O “O objetivo é que consigam entender o seu valor, que tipo de valor tem esse técnico, esse clube, essa liga e como podem comunicar isso com a sociedade. Se conseguirem, os processos ficarão mais fáceis, inclusive para captar recursos, mas isso precisa ser evidenciado. O que estas pessoas fazem com o basquete é muito bonito e muito importante no estado, ainda assim cabe uma provocação para conseguirmos sair da nossa zona de conforto, fazendo um trabalho não só dentro, mas também fora de quadra”, explicou Marcos Molinari. Ainda durante a Clínica, os presentes acompanharam palestra com Michel Milisted, doutor em Educação Física e consultor de organizações esportivas em suporte para programas de formação de atletas e treinadores. A programação também envolveu simulações de aspectos ofensivos e defensivos do basquete considerando situações de jogo.

“Basquete para o Amanhã” é um projeto realizado desde 2014 pela FCB que atende às modalidades sub-12, sub-13 e sub-15 com o objetivo de massificação entre crianças e adolescentes. O projeto é um dos grandes propulsores para o número de times participantes nos Campeonatos Estaduais, o qual dobrou de integrantes nos últimos sete anos. Em 2011, 100 equipes participaram das competições promovidas pela Federação. Já, em 2018, são 202 times, sendo que 140 são das três categorias contempladas pelo Basquete para o Amanhã. O saldo positivo, segundo o Coordenador Técnico da FCB, Luiz Gastão Dubois, é fruto de um trabalho iniciado há alguns anos. “Em relação ao ano passado, nenhuma categoria teve diminuição no número de participantes, pois as crianças que começaram lá atrás continuam tendo o incentivo e jogando basquete”, avaliou o dirigente. Para manter suas atividades nas categorias mais novas, as entidades participantes recebem auxílio estrutural como tabelas, bolas, placares, além de subsídios para despesas enquanto disputam competições estaduais. A Federação ainda promove cursos de capacitação como os realizados em Florianópolis, em março, e Brusque, em agosto.

35


 LIGAS REGIONAIS Lucas Colombo/MC10/FCB

LIGA SUL CATARINENSE PROMOVE ALL STAR GAME E CAMP COM TREINADOR VITORIOSO NOS ESTADOS UNIDOS 36

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL

Assim como fizera no ano anterior, a Liga Sul Catarinense de Basketball (LSCB) realizou diversos eventos que culminaram com o Jogo das Estrelas entre os atletas participantes das competições locais. Disputada no Colégio Marista, em Criciúma, a programação do dia 14 de julho contou com desafios de habilidades, de três pontos, de enterradas, além dos All Star Games da Primeira e da Divisão Especial.


MARISTA BASKETBALL CAMP É O EVENTO DO ANO DA LSCB

A

Lucas Colombo/MC10/FCB

VANDINHO  Coach renomado nos EUA traz conhecimento a Santa Catarina

cereja do bolo, no entanto, estava por vir. Em agosto, o sul de Santa Catarina recebeu Adjalma Becheli, o Vandinho, técnico principal da Utah State University; Ray Jones Jr, auxiliar-técnico da mesma universidade norte-americana, além do ex-jogador Daniel Conti. Em três dias, os 45 atletas, entre 12 e 23 anos, tiveram palestras, atividades, oficinas e ainda ouviram histórias das vidas dos experientes tutores. O Marista Basketball Camp foi organizado pela Liga Sul Catarinense de Basketball com apoio da FME de Criciúma, Fátima Esportes, De Lucca Surf Skate Shop, Baschirotto e Colégio Marista, entrando para a história do basquete da região. “Foi algo único, extremamente útil na vida dos atletas e esse intercâmbio de informação foi o diferencial. O evento superou as expectativas”, enalteceu o presidente da LSCB, Renan Custódio. O sentimento de dever cumprido também alcançou o corpo docente, como descreveu o norte-americano Ray Jones Jr. “Gosto de trabalhar com pessoas e com gente que valoriza o basquete. Realmente foi algo que ficará marcado na minha vida. Foi muito boa a experiência, espero que tenham se divertindo como eu me diverti com eles”, ressaltou o auxiliar-técnico da Utah State University, que ainda é especialista em desenvolvimento individual de atleta. Da mesma forma, o coach Vandinho ressaltou a intensidade dos treinamentos que chegaram a durar seis horas no segunCOACH VANDINHO do dia de evento. “Foi um treino bem forte, mas para mostrar como é o basquete. Todo dia é dia de aprender, principalmente em um Camp desta qualidade e organização”, destacou o brasileiro que tem no currículo dois títulos catarinenses na categoria juvenil com Brusque (2005) e Blumenau (2006). A vinda do renomado treinador engorda a lista de palestras, cursos e clínicas ofertados e apoiados pela FCB. Em 2012, a entidade trouxe a Florianópolis os técnicos Ruben Magnano (na época na seleção brasileira) e José Neto (ex-Flamengo). Desde o ano passado, apoia o Festival Internacional ao lado da BRA Assessoria Esportiva e também, em 2017, disponibilizou clínica em Criciúma com o mesmo técnico Vandinho, em parceria com a Liga Sul Catarinense e a Universidade Utah State. "É essencial proporcionar este tipo de intercâmbio aos profissionais do basquete, atletas do presente e do futuro, bem como a estudantes. Todos os anos, a FCB realiza clínicas técnicas e de arbitragem, mas o conhecimento trazido por profissionais vitoriosos no Brasil e no exterior nos mostra outra visão do esporte", conlcui o presidente da FCB, Oscar Archer.

Todo dia é dia de aprender, principalmente em um Camp desta qualidade e organização

37


 LIGAS REGIONAIS Adriano Krischke/FCB

LIGA METROPOLITANA DE BASKETBALL GANHA SEDE PRÓPRIA ENTIDADE DA GRANDE FLORIANÓPOLIS É A QUINTA DE SETE LIGAS

D

esde junho, a Liga Metropolitana de Basketball tem sua casa própria. Localizada na sede da Associação das Federações Esportivas do Estado de Santa Catarina (AFESC), unidade anexa à FESPORTE, no bairro Capoeiras, parte continental de Florianópolis, a sala marca uma nova era na modalidade da região e amplia o investimento da FCB na descentralização do basquete. “Dentro da política de investimentos da Federação em dar casa própria as sete Ligas Regionais, nós estamos concluindo a quinta sede para que as entidades passem a administrar o basquetebol regional de forma mais profissional, recebendo os clubes em suas casas e discutindo as questões locais”, frisou o presidente da FCB, Oscar Archer, sendo respaldado pelo

38

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL

Diretor Administrativo da FESPORTE, Marcos Daniel da Cunha. "É o momento de parabenizar e reconhecer o trabalho realizado pela gestão que a FCB tem feito em relação às Ligas e demais entidades que envolvem o basquete em Santa Catarina”, enalteceu o dirigente da Fundação. Com investimento de R$ 45 mil entre reparos, aquisições de equipamentos e pintura, a entidade entregou o imóvel em cerimônia realizada com a presença de dirigentes, autoridades e desportistas. Estes e tantos outros passam a ter condições adequadas para tratar das mais variadas questões envolvendo o basquete na Capital, São José, Palhoça e adjacências. "A Liga Metropolitana, com uma casa, ajuda a gerir melhor o basquete da Grande Florianópolis, tendo um espaço para armazenar equipamentos, con-


Adriano Krischke/FCB

DESCENTRALIZAÇÃO  FCB amplia força do basquete regional

CURSOS DE ARBITRAGEM NAS LIGAS OESTE E VALE DO ITAJAÍ

N REGIONAIS AGRACIADAS PELA FCB dições ideais para receber atletas, dirigentes e fomentar o esporte na região”, destacou Rodrigo Kretzer Luz, Secretário-Geral da entidade. A entrega da sala à LMB auxilia na promoção do basquete local, o que caracteriza a descentralização da atividade no estado. Ao todo, são sete Ligas Regionais espalhadas pelo território catarinense que, desde 2018, têm a incumbência de organizar etapas dos estaduais de base, além de competições adultas nos municípios de cada região. Todas recebem auxílio financeiro e logístico da Federação, bem como as condições adequadas para o desenvolvimento do basquete, o que inclui uma sede própria. Só nos últimos meses, a FCB contribuiu para a aquisição de salas de cinco Ligas. A meta é ampliar este número, bem como o contingente de entidades, criando a representante do Meio-Oeste de Santa Catarina.

os meses de junho e julho, as cidades de Chapecó e Itajaí receberam Cursos de Iniciação à Arbitragem realizados pelas Ligas Oeste (LOCAB) e do Vale do Itajaí (LIVABI) em parceria com a Federação Catarinense de Basketball. Cerca de 45 pessoas participaram da capacitação; que incluiu aulas teóricas sobre as atividades de oficiais de mesa, de árbitros e mecânicas da arbitragem com o representante José Carlos Conte (o Tacho); com os responsáveis pela Coordenação de Arbitragem da FCB, Ariovaldo Fernandes Carvalho (Bicão) e Paulo Marcelo Soares de Macedo; além do árbitro internacional Eduardo Albano. “A gente percebeu uma gratidão enorme dos alunos que participaram, muitos agradeceram e elogiavam a iniciativa e a organização. O pessoal deu um retorno muito legal sobre o conteúdo técnico e a forma de abordagem. Foram só elogios pelo alto nível do curso e a forma como foi feita”, falou a Coordenadora da LIVABI, Pollyana Menezes. Além das aulas, houve a aplicação de provas para os candidatos a oficiais de mesa e árbitros, com os aprovados estando aptos a integrar os quadros das respectivas Ligas Regionais. “Os candidatos demonstraram bastante interesse e acreditamos que teremos, como resultado depois das etapas de treinamento na Liga, bons oficiais para integrarem os quadros da Liga e da FCB”, projetou a presidente da LOCAB, Joece Carabagiale. Até o final do ano, a Federação promoverá os Cursos de Iniciação à Arbitragem nas sete localidades abrangidas pelas Ligas Regionais, contemplando, assim, todo o estado de Santa Catarina.

39


 SOCIAL Adriano Krischke/FCB

ZELO  Assim como na solenidade de Dia das Mães, em que R$ 120 mil foram doados a instituições de caridade, FCB Social mantém cuidados com idosos, crianças, adultos e animais

FCB E PREFEITURA DE FLORIANÓPOLIS CRIAM PROJETO PARA IDOSOS 40

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL

Adriano Krischke/FCB


CENTRO DIA AMPLIA LEQUE DE AÇÕES SOCIAIS DA FCB

E

m parceria com a Secretaria de Assistência Social de Florianópolis, a Federação Catarinense de Basketball visa investir na construção do Centro Dia da Pessoa Idosa. Trata-se de um espaço de interação social, cuja participação do idoso proporcionará a superação das necessidades físicas e sociais, a prevenção da ruptura dos vínculos familiares e comunitários e o acesso aos serviços socioassistenciais. O objetivo é fortalecer a rede de proteção social a este segmento, bem como o exercício da cidadania. Esta parceria ocorrerá por meio da concessão do espaço cedido pela Prefeitura de Florianópolis, estando a cargo da FCB a responsabilidade pela construção e manutenção do serviço. O local escolhido fica no Parque Florestal, no bairro Córrego Grande. “Vejo este gesto da Federação como uma conquista, pois o nosso município carece de um serviço como o Centro Dia. Muitas famílias não têm condições de OSCAR ARCHER, prover os cuidados necessários PRESIDENTE DA FCB ao idoso e por vezes se sentem sobrecarregadas diante desta função”, analisou Rosilene de Souza, Assistente Social da Prefeitura de Florianópolis com atuação junto a FCB. O Centro Dia da Pessoa Idosa deverá funcionar das 8h30 às 18h30, de segunda a sexta-feira (exceto feriados), e atenderá cerca de 25 idosos por turno. Será um espaço de atividades coletivas, sociais e comunitárias que propiciam ao idoso um ambiente que garanta os cuidados básicos, sua segurança de acolhida, de convivência familiar e comunitária, reforçando aspectos que assegurem o desenvolvimento da autonomia individual, familiar e social, a fim de evitar o isolamento social do idoso e do familiar cuidador.

O FCB Social é um sonho nosso de longa data

TRABALHO DE LONGO PRAZO

E ACONCHEGO  Idosos terão espaço adequado no bairro Córrego Grande

mbora ainda não tenha sido inaugurado, o Centro Dia começou a ser projetado na metade de 2018. “Estamos trabalhando nisso há quatro meses”, explica o Coordenador de Planejamento da Federação, Jairo Anello. E uma das etapas envolveu a explanação do presidente da entidade ao Ministério do Desenvolvimento Social, no mês de setembro. “Protocolamos, em Brasília, o pedido de inclusão da FCB Social para o CEBAS (Certificado de Entidades Beneficentes de Assistência Social) e agora aguardamos as próximas etapas do processo que se fazem necessárias à consolidação do braço social da FCB”, frisou Oscar Archer.

41


CENÁRIO NACIONAL Divulgação/AABJ/FCB

JOINVILLE ESTÁ CONFIRMADO NA PRÓXIMA TEMPORADA DO NBB 42

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL


EQUIPE CATARINENSE SERÁ A ÚNICA REPRESENTANTE DA REGIÃO SUL DO BRASIL NA ELITE

E

ntre os 14 principais times do país, há um catarinense. Pelo segundo ano consecutivo, a AABJ/Joinville disputará o NBB, a elite do basquetebol brasileiro. Após garantir a manutenção na última temporada, a equipe do Norte do estado segue no certame nacional onde enfrentará tradicionais adversários, alguns que transcendem o próprio basquete. Um deles, reestreia na competição: o Corinthians. A agremiação paulista se junta a outros gigantes do esporte como Flamengo, Vasco e Botafogo, todos levando para as quadras a força dos gramados de futebol. No entanto, o campeonato reserva mais novidades, levando de volta o basquete a centros tradicionais. É o caso de São José, vice-campeão da Liga Ouro. A cidade do estado de São Paulo volta à elite nacional após duas temporadas. Outro retorno é o da Capital Federal através do Brasília, tricampeão do NBB com outra franquia. Além deles, os gigantes da bola laranja – Franca, Bauru, Paulistano, Minas Tênis, Mogi das Cruzes, Pinheiros e Basquete Cearense – seguem na disputa, cujo início está marcado para outubro. Tamanha tradição em quadra reforça ainda mais a importância da permanência joinvilense na competição. “A manutenção é muito importante pelo tamanho e importância da Liga, além da questão esportiva com equipes renomadas e tradicionais. Também porque teremos representatividade do esporte de Santa Catarina e seremos o único integrante do Sul do país”, declara o diretor da AABJ/ Joinville, Kelvin Soares. Da mesma forma, o sucesso da equipe do norte catarinense atinge não apenas os amantes da modalidade, mas toda uma cadeia produtiva que vai desde a imprensa até o comércio local. Sabedor disso, o jornalista Rodrigo Santos valoriza a permanência no tão disputado cenário brasileiro. O apresentador da TV Brusque e locutor da rádio Sportmania, de Joinville, ainda alerta. “Mais do que a entrada do Joinville no NBB, é importante a continuidade disso para que o projeto se consolide”, frisa. Ao todo, serão seis estados a participar da temporada 2018/19 do campeonato: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Ceará e Santa Catarina, além do Distrito Federal.

43


CENÁRIO NACIONAL AABJ/Divulgação/FCB

MAIS UM  Pelo segundo ano seguido, Joinville estará entre os principais times do país

44

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL


EXPECTATIVA PARA O PRÓXIMO ANO É PERMANECER NA ELITE NACIONAL DO ESPORTE

N

a temporada anterior, Joinville brigou até a reta final para seguir no NBB, terminando em 13º num total de 15 equipes. A luta deve continuar em 2019, mas como na edição passada, não haverá espaço para loucuras nas finanças. “A gente projeta, para esse ano, a manutenção na Liga seguinte mesmo com recursos enxutos e orçamento inferior às demais equipes”, frisa Kelvin Soares. No entanto, uma mudança no regulamento amplia a ambição joinvilense, haja vista o aumento no número de equipes classificadas para os playoffs. Se anteriormente, avançavam dez times, agora seguirão 12 à próxima fase. As oitavas de final serão decididas em uma melhor de três partidas, enquanto que quartas, semi e final continuam na melhor de cinco jogos no formato 1-2-1-1, com os jogos 2, 3 e 5 sendo realizados na casa da equipe de melhor campanha na fase classificatória. Já o descenso para a Liga Ouro, a divisão de KELVIN SOARES, acesso, segue reservado a apenas o último colocado do NBB. DIRETOR DA AABJ Independente da posição, o joinvilense terá nova oportunidade para torcer pelo basquete e acompanhar grandes nomes do esporte nos ginásios da cidade. “Vejo o basquete de Joinville como âncora em Santa Catarina por sua história, tradição, muitos títulos na base, sendo 22 nos Joguinhos Abertos. Acho que é uma história que se consagra com a participação no NBB”, finaliza o diretor da AABJ. A estreia de Joinville acontece em 15 de outubro diante do Botafogo, no Rio de Janeiro. A primeira partida em casa será no dia 22, do mesmo mês, contra o Pinheiros.

A gente projeta, para esse ano, a manutenção na Liga seguinte mesmo com recursos enxutos e orçamento inferior às demais equipes

45


CENÁRIO NACIONAL AABJ/Divulgação/FCB

TRADIÇÃO  Ao lado de equipes como Franca (foto), Flamengo, Corinthians, catarinenses mantêm história no basquete nacional

SANTA CATARINA NO

JOINVILLE NO 1º TURNO – NBB 2018/19

CENÁRIO NACIONAL

`` 17/10 - Flamengo x Joinville

`` 13/11 - Joinville x Bauru

`` 19/10 - Vasco x Joinville

`` 23/11 - Joinville x Brasília

`` 22/10 - Joinville x Pinheiros

`` 06/12 - Mogi x Joinville

`` 29/10 - Minas x Joinville

`` 08/12 - São José x Joinville

`` 01/11 - Joinville x Corinthians

`` 10/12 - Paulistano x Joinville

`` 07/11 - Joinville x Basquete

`` 14/12 - Joinville x Franca

N

os dois últimos anos, AD Brusque e APAB/Blumenau frequentaram a Liga Ouro, a divisão de acesso do basquete brasileiro. Embora não no NBB, ambas as cidades já tiveram representantes no Campeonato Nacional, competição que durou de 1990 a 2007. O sonho é retornar, missão complicada, mas não impossível. “Chegar lá não é fácil. Torço para que o empresariado aqui do Vale do Itajaí apoie e permita que Brusque ou Blumenau cheguem lá, já que é necessário um investimento para garantir a participação com um time competitivo”, salienta o jornalista Rodrigo Santos. Além dos atuais integrantes catarinenses no cenário nacional, a meta de outras equipes é juntar-se a eles, aumentando o número de times do estado nas disputas pelo país. “Queremos dar um passo de cada vez para, no futuro, entrarmos nas competições nacionais”, projeta João Felipe Machado, técnico da AJAB/Jaraguá do Sul no Campeonato Catarinense 2018. A cidade participou pela última vez da Liga de Basquete Feminino na temporada 2014/15, quando terminou na 9ª posição. Em 2018, Joinville (NBB), Blumenau (LBF), Brusque e Blumenau (Liga Ouro) foram as equipes de Santa Catarina nas competições brasileiras.

46

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL

`` 15/10 - Botafogo x Joinville

Cearense

PARTICIPANTES DO NBB 2018/19 `` Sendi/Bauru Basket (SP)

`` Joinville/AABJ (SC)

`` Botafogo (RJ)

`` Minas Tênis Clube (MG)

`` Basquete Cearense (CE)

`` Mogi das Cruzes/Helbor (SP)

`` Universo/Brasília (DF)

`` Paulistano/Corpore (SP)

`` Corinthians (SP)

`` Pinheiros (SP)

`` Flamengo (RJ)

`` São José Basketball (SP)

`` Sesi Franca (SP)

`` Vasco da Gama (RJ)


Profile for FCB-Basket

Revista FCB - BasqueteSC 010  

BasqueteSC – 10ª Edição. A revista oficial da Federação Catarinense de Basketball. Nesta edição, os investimentos da FCB na capacitação, atr...

Revista FCB - BasqueteSC 010  

BasqueteSC – 10ª Edição. A revista oficial da Federação Catarinense de Basketball. Nesta edição, os investimentos da FCB na capacitação, atr...

Advertisement