__MAIN_TEXT__

Page 1

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL

Ano 2 • # 6 • Setembro 2017 Florianópolis • Santa Catarina Distribuição gratuita e dirigida. www.basket-fcb.com.br

AÇÕES EM VÁRIAS FRENTES COMPROVAM QUE, EM SANTA CATARINA, O BASQUETE É

PARA TODOS JOINVILLE DE VOLTA AO NBB ENTREVISTAS

GALERIA DE FOTOS DOS CAMPEONATOS CATARINENSE DE BASQUETE

LIGAS REGIONAIS FORTALECEM O ESPORTE EM CADA CANTO DO ESTADO

ROSE HELENE E GILBERTO VAZ: REFERÊNCIAS NO BASQUETE ENTRE MULHERES E CRIANÇAS


A Q U E

B O L A L I G A

V O C Ê

À S

Q U A D R A S É

A D A

P E N A LT Y P R Ó 7 . 6

APROVADA PELA FIBA

B O L A L I G A .


 COM A PALAVRA, OS EDITORES Foto: Alexandre Kirchner de Azevedo/FCB

EM SC, O BASQUETE É PARA TODOS

C

rianças, jovens, adultos, homens e mulheres do Norte ao Sul, do Litoral ao Oeste. O basquete é para todos em Santa Catarina. Prova disso é que, nesta 6ª edição, o leitor acompanhará as diversas ações desenvolvidas e apoiadas pela Federação Catarinense de Basketball abrangendo a modalidade da bola laranja das mais variadas maneiras. Logo nas primeiras páginas, destaque para o carro-chefe da FCB: o Campeonato Catarinense de Basquete. A abertura da competição em grande festividade na Capital e uma galeria de fotos com belas jogadas registradas nos ginásios de todas as regiões do estado. Além disso, ainda no esporte em nível profissional, a volta de Joinville ao NBB após cinco anos de ausência. Talvez, a grande notícia para os amantes do basquete em Santa Catarina nos últimos tempos. O retorno à elite do cenário nacional muito se deve ao trabalho feito em outras frentes. Com equipe competente, comandada pelo professor Oscar Archer, a FCB colhe importantes frutos plantados lá atrás. No entanto, sem esquecer de cada vez mais cultivar o futuro com a realização de clínicas para formação e aperfeiçoamento de árbitros e técnicos, a criação de Núcleos Estudantis, o fomento das Ligas Regionais, o desenvolvimento de ações sociais e o constante reconhecimento a abnegados como os professores Rose Helene Alfarth e Gilberto Vaz. Ambos entrevistados nesta edição. Ela, referência no basquete feminino; ele, visionário no ensino a crianças a partir de quatro anos de idade. Tantas conquistas são possíveis graças a parcerias sólidas e dura-

douras como a celebrada, há quase dez anos, com a TRIMANIA. Outras, mais recentes, garantem a visibilidade do basquete catarinense em cada canto do planeta através da convergência digital. Pela Internet, qualquer cidadão acompanha o trabalho da entidade nas telas da RIC TV Record, Globo Esporte, NSC TV (antiga RBS), além de rádios, sites e outros veículos de comunicação espalhados pelo estado. Santa Catarina ainda se destaca como sede de eventos de porte, casos do Festival Internacional que trouxe a Florianópolis técnicos e ex-jogadores do Brasil e dos Estados Unidos. Além do Sul Brasileiro de clubes nos naipes masculino e feminino. É tanta coisa graças ao caráter vanguardista de quem dirige a modalidade no estado que, hoje, é referência no Brasil. Só de atletas são 3500 registrados, 70% até os 15 anos da idade. Fora isso, há o contingente formado por treinadores, dirigentes, professores de educação física, árbitros, todos envolvidos num trabalho árduo, fruto de uma gestão transparente e séria. Assim, caro leitor, o que você verá nas próximas páginas é uma pequena parte dos cerca de 1500 eventos previstos pela Federação Catarinense de Basketball em 2017. São ações para homens e mulheres de todas as idades e regiões de Santa Catarina.

BOA LEITURA! OS EDITORES

3


 NESTA EDIÇÃO

 EXPEDIENTE

Foto: Adriano Krischke/FCB

Diretoria FCB

2015 / 2019

Oscar José Orsi Archer Nelson da Silva Aguiar DIRETOR FINANCEIRO E DE PATRIMÔNIO Ênio Feller DIRETOR JURÍDICO Fábio Pamplona Deschamps PRESIDENTE

VICE PRESIDENTE

Conselho Fiscal TITULARES SUPLENTES

Paulo Roberto Cunha Carlos Luiz de Oliveira Henrique Guilherme Koettker

Luiz Ernani Bueger Francisco Amorim Neto – Licenciado Mário Sergio Steffen – Licenciado

Assessoria

Luciano Davies Zappelini Franciele Veiga Krischke PLANEJAMENTO GERAL Jairo Anello COMISSÃO DE ARBITRAGEM José Carlos Conte / Luiz Gastão Neves Dubois / Cristiano Jesus Maranho COORDENADOR TÉCNICO Luiz Gastão Neves Dubois COORD. DE REGISTRO E DOCUMENTAÇÃO Adriano de Souza Krischke TESOURARIA E CONTABILIDADE Irland Vieira ADMINISTRATIVO Clóvis Feller REGISTRO E DOCUMENTAÇÃO Adriano de Souza Krischke ATIVIDADES DE SELEÇÕES Luiz Ernani Buerger NÚCLEOS ESTUDANTIS TRIMANIA/FCB Nelson da Silva Aguiar ATIVIDADES MASTER Julio Cesar Rocha MARKETING, DIVULGAÇÃO E SITE Mariana Kovalski da Luz ATENDIMENTO Stefanni Kras Dorvalina SECRETÁRIO GERAL

SECRETÁRIA EXECUTIVA

www.basket-fcb.com.br

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL Ano 02 / Nº 06 – Setembro de 2017

JORNALISTAS RESPONSÁVEIS

EDIÇÃO GRÁFICA / ARTES REVISÃO ORTOGRÁFICA

Nikolas Stefanovich (SC/JP 2122) Henrique Santos (SC/JP 3473) Isaias Zaião –  48 99952.8160 Juçá Fialho Vazzata Dias

A Revista BasqueteSC é uma edição trimestral da Federação Catarinense de Basketball. Todos os direitos são reservados, sendo proibida a reprodução total ou parcial de qualquer artigo ou imagem desta obra sem a autorização por escrito da FCB. A Revista BasqueteSC não se responsabiliza pelo conteúdo das colunas assinadas e/ou dos anúncios publicitários. Todo conteúdo voltado a publicação nesta revista deve ser enviado devidamente identificado.

4

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL

8

SOLENIDADE MARCA O INÍCIO DO CATARINENSE


Fotos: Adriano Krischke/FCB

OUTROS DESTAQUES...

GALERIA DE FOTOS DO ESTADUAL ADULTO 2017

10

14

JOINVILLE ESTÁ DE VOLTA AO NOVO BASQUETE BRASIL

34

FESTIVAL INTERNACIONAL TROUXE TREINADORES RENOMADOS À ILHA

40

CLÍNICA TÉCNICA ALIA TEORIA À PRÁTICA DO BASQUETE

44

FCB INVESTE EM REVITALIZAÇÃO DE ESCOLA EM SÃO JOSÉ

46

CESSÃO DE EQUIPAMENTOS AMPLIA ELO ENTRE FCB E TJD/SC

ERRAMOS: Na 5ª edição da Revista BasqueteSC, a legenda da

página 19 não condiz com a imagem. Nas páginas 42 e 43, a foto em destaque se trata da Clínica de Arbitragem e não das Clínicas Técnicas conforme publicamos. Pedimos desculpas pelas falhas.

FCB EXPANDE PROJETO DOS NÚCLEOS ESTUDANTIS

28

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL

Ano 2 • # 6 • Setembro 2017 Florianópolis • Santa Catarina Distribuição gratuita e dirigida. www.basket-fcb.com.br

AÇÕES EM VÁRIAS FRENTES COMPROVAM QUE, EM SANTA CATARINA, O BASQUETE É

PARA TODOS JOINVILLE DE VOLTA AO NBB ENTREVISTAS

MATERIAIS BENEFICIAM CRIANÇAS NO NORTE E LITORAL

45

GALERIA DE FOTOS DOS CAMPEONATOS CATARINENSE DE BASQUETE

LIGAS REGIONAIS FORTALECEM O ESPORTE EM CADA CANTO DO ESTADO

ROSE HELENE E GILBERTO VAZ: REFERÊNCIAS NO BASQUETE ENTRE MULHERES E CRIANÇAS

CAPA  Representação da inclusão social propor-

cionada pela FCB entre crianças e adolecentes, por toda Santa Catarina (foto de Adriano Krischke) 5


Foto: Alexandre Kirchner de Azevedo/FCB

 FLAGRANTE 6

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL


M

odalidade olímpica em Tóquio 2020, o basquete 3x3 ganha cada vez mais adeptos. Em setembro, Lages sediou o 1º Festival de Rua Trimania/FCB, reunindo diversos atletas e simpatizantes da modalidade na rua Corrêa Pinto. 7


 ESTADUAL ADULTO 2017 Foto: Adriano Krischke/FCB

PRESTÍGIO  Evento na Capital atraiu holofotes de todo o estado

CAMPEONATO CATARINENSE DE BASQUETE 2017 COMEÇA EM GRANDE ESTILO 8

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL


Foto: Adriano Krischke/FCB

SOLENIDADE DE ABERTURA ATRAIU JOGADORES, DIRIGENTES, PATROCINADORES E IMPRENSA

A

maior de todas. Foi assim que o presidente da Federação CatarinenTamanha evolução proporcionou o incremento de apoiadores ao basquete se de Basketball, Oscar Archer, classificou a cerimônia de abertura como a RIC TV Record que transmite, ao vivo pela Record News, a competido Campeonato Catarinense de Basquete 2017. Realizado no início ção pelo terceiro ano consecutivo. “Essa parceria que começou em 2015 está de agosto, na Capital, o evento reuniu representantes dos 22 clubes gerando frutos cada vez melhores para todos: sociedade, clubes e imprensa adultos (14 no masculino e oito no feminino), autoridades, patrocinadores, de Santa Catarina”, disse o Gerente Nacional Grupo RIC, Fabiano Aguiar. Além dirigentes e ampla cobertura da imprensa. A solenidade refletiu o que ocorre disso, em 2017, a FCB firmou parceria com a RBS (atual NSC) num projeto em quadra desde 5 de agosto numa competição com recorde de participantes inovador chamado “Basquete Inspira SC”, o qual divulga o esporte em todos os e times de todas as regiões de Santa Catarina. veículos (rádio, jornal, televisão e internet) da emissora. “Em 25 anos é o maior número de equipes inscritas no campeonato, fruto O reconhecimento também chegou aos clubes participantes da compede todo o trabalho da Federação, de sua equipe e dos clubes. Um trabalho que tição. Atual campeão estadual masculino, o presidente da AD Brusque, Zurico começa lá embaixo, nos núcleos e passa por todas as categorias até o adulto”, Frota, enalteceu o crescimento do esporte em Santa Catarina, hoje uma das observou o mandatário da FCB, Oscar Archer. referências no país por sua organização e quantidade de equipes na dispuEntre os homens, 14 equipes iniciaram as disputas – uma do Sul, duas ta. “Vive-se o grande momento. Estou há 35 anos no basquete em Brusque, da Grande Florianópolis, quatro do Vale do Itajaí, quatro do Norte, uma da trabalhei um ano em Blumenau, e agora vivemos os nossos melhores anos, Serra e duas do Oeste –; enquanto, entre as mulheres, com apoio da TRIMANIA, incentivo à imprensa, com a TV oito times entraram em quadra – uma da Grande Floriachegando. Agora com o grupo RBS, é o grande up do basm 25 anos é o maior nópolis, três do Vale do Itajaí, uma do Norte, uma do Sul quete catarinense, que proporciona mais visibilidade para a número de equipes e duas do Oeste. competição e equipes e a possibilidade de conquistas de “Vejo todos motivados de uma maneira tal que nos inscritas no campeonato, novos patrocínios, o que é muito importante”, destacou o encoraja a dizer que deveremos ter o melhor nível de dirigente, cuja fala foi endossada por Cinomar José Teodoro, fruto de todo o trabalho basquete até hoje visto. É o que a FCB procura: fazer do Diretor Executivo da SC CAP. “A visibilidade que a TRIMANIA da Federação, de sua basquete catarinense uma vitrine para as categorias de passa a ter nesse projeto com o basquete em Santa Cataribase. Pelos números que temos este ano, e também pelo na é de tamanha importância”, destacou. equipe e dos clubes.” que estamos percebendo na composição das equipes, esse Com dirigentes, equipes, apoiadores e imprensa satiscampeonato terá um excelente nível técnico, talvez o mefeitos, o Campeonato Catarinense de Basquete terá, até o OSCAR ARCHER  lhor de todos”, ressaltou o presidente Oscar Archer durante final de outubro, cerca de 350 atletas (200 no masculino e Presidente da FCB sua fala na cerimônia de abertura. 120 no feminino) participando de 112 partidas.

E

9


 ESTADUAL ADULTO 2017 Foto: Sidnei Batista/APAB Blumenau/Divulgação/FCB

CHAVE B  APAB/Blumenau x ABOT/Araquari Foto: Adriano Krischke/FCB

CHAVE B  ADIEE/Avaí x Vasto Verde/Blumenau

10

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL


Foto: Adriano Krischke/FCB

CHAVE B  Projeto Escola Basquete/Rio do Sul x ABLUJHE/Joaçaba Foto: Adriano Krischke/FCB

CHAVE B  Projeto Escola Basquete/Rio do Sul x ABLUJHE/Joaçaba

11


 ESTADUAL ADULTO 2017 Foto: Adriano Krischke/FCB

CHAVE A  Adiee/Avaí x Criciúma Foto: Sidney Silva/EsporteSC/Divulgação/FCB

CHAVE A  AD Brusque x Independente/São José

12

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL


Foto: Lucas Pavin/Avante! Esportes/Divulgação/FCB

CHAVE B  AJAB/Jaraguá x ABLUJHE/Joaçaba Foto: Blackstar/Divulgação/FCB

CHAVE C  Blackstar x AVIBA/Videira

13


CENÁRIO NACIONAL Foto: Basquete Joinville/Divulgação/FCB

14

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL


JOINVILLE ESTÁ DE VOLTA AO

NBB

15


CENÁRIO NACIONAL

VICE-CAMPEONATO DA LIGA OURO 2017 PERMITIU O RETORNO À ELITE DO BASQUETE NACIONAL

A

espera terminou. Após cinco anos, o torcedor de Santa Catarina verá novamente os melhores times do basquete brasileiro no estado graças ao retorno de Joinville ao NBB. A volta à elite nacional foi possível em virtude do vice-campeonato da Liga Ouro em 2017, além do apoio de importantes parceiros como a Federação Catarinense de Basketball, patrocinadores, Secretaria de Esportes e comunidade. Com 14 vitórias em 26 partidas, a campanha joinvilense por pouco não terminou com o título, já que a decisão chegou ao último confronto, vencido pelo Botafogo no Rio de Janeiro. Tal feito surpreendeu até o treinador George Salles. “No primeiro momento, nosso maior intuito não era chegar à final da Liga Ouro, mas fomos traçando metas a cada jogo. Acredito que nos saímos muito acima do objetivo e felizes por sermos reconhecidos pelo basquete com garotos muito bem na competição, inclusive citados por sites sul-americanos”, diz o comandante, que defendeu Brusque até 2015, transferindo-se para a equipe adulta do norte do estado no ano passado. Os brusquenses, além de Blumenau, também estiveram na competição brasileira, terminando em 5º e 4º lugares respectivamente. Os outros times foram o Contagem Towers-MG e o Santos-AP. Enquanto os mineiros ficaram em 3º, eliminados nas semifinais por Joinville, os amapaenses desistiram no decorrer da disputa da Liga Ouro, que não deve ser realizada na próxima temporada. Apesar da exclusão do campeonato de acesso em 2018, o presidente da Federação Catarinense de Basketball considerou positivo o desempenho dos três filiados à entidade. “Não fomos campeões, mas atingimos o objetivo que era a vitrine catarinense para o Brasil”, celebra Oscar Archer. O mandatário, peça fundamental para a formatação da Liga Ouro com influência direta na viabilização

16

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL

RETORNO  Pivô Tiagão, que atuou em Joinville de 2008 a 2012, é um dos reforços para a competição nacional


Foto: CBB/Divulgação/FCB

17


CENÁRIO NACIONAL financeira e logística em metade dos participantes do campeonato, está prestes a ver o resgate da tradição do basquete na maior cidade do estado. As conquistas, dentro e fora de quadra, contribuíram para o cenário favorável ao esporte da bola laranja que, neste intervalo longe da elite nacional, cedeu as atenções dos espectadores para o futebol e o futsal principalmente. A fim de continuar com a fase positiva, o presidente da AABJ, Kelvin Soares, fala em projeto de longo prazo e responsabilidade administrativa para não comprometer o futuro do basquete em Joinville. “Nosso grande mérito na Liga Ouro foi ter reacendido essa chama na cidade, buscando se organizar para o retorno ao NBB. Esta volta à elite passa por um projeto de longo prazo cujos primeiros passos são importantes para sedimentar essa caminhada”, analisa o dirigente joinvilense. Kelvin viu seu time avançar aos playoffs em quatro das cinco participações no campeonato nacional, além de ter acompanhado o Centreventos Cau Hansen, palco das principais partidas, pulsando em confrontos históricos. Ciente da responsabilidade de reviver os bons momentos, ele projeta figurar entre os melhores times do Brasil. “A expectativa para o público é grande, enquanto a nossa é manter o projeto vivo, equilibrando-o com resultados dentro da quadra. Nosso primeiro objetivo é entrar nos playoffs”, diz. Até os primeiros dias de novembro, quando começam as disputas do NBB 2017/18, o torcedor de Joinville ficará na expectativa quanto a jogadores, adversários, transmissão da TV e tudo o que gira no entorno da elite do basquete nacional. Os dirigentes, por outro lado, anseiam por aquilo que pode ser proporcionado ao mercado do esporte em Santa Catarina. “Nosso estado não deve a ninguém. Geramos campo de trabalho, praças de basquete e, se as parcerias continuarem, iremos muito a frente ainda”, ressalta o presidente da FCB, Oscar Archer. O cenário nacional ainda terá a participação de Blumenau na Liga Feminina, como fora na temporada anterior. Além disso, em setembro, Blumenau e Brusque estiveram no Campeonato Sul Brasileiro Masculino enquanto Chapecó e Blumenau disputaram o certame feminino. Joinville no NBB

18

15 equipes no NBB 2017/2018

``NBB 2008/2009

4º lugar

``NBB 2009/2010

5º lugar

``NBB 2010/2011

7º lugar

``NBB 2011/2012

7º lugar

``NBB 2012/2013

15º lugar

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL

TRADIÇÃO  Das cinco participações no NBB, equipe catarinense avançou quatro vezes aos playoffs

``Basquete Cearense, Bauru, Botafogo, Campo Mourão, Caxias do Sul, Flamengo, Franca, Joinville*, Liga Sorocabana, Minas, Mogi, Paulistano, Pinheiros ,Vasco ,Vitória * A estreia de Joinville ocorre em 15/11 contra o Franca (SP), em Joinville


Foto: Basquete Joinville/Divulgação/FCB

OPINIÃO: Gabriel Fronzi – Cronista Esportivo e Editor de Esportes da Rádio 89 FM de Joinville

“OJoinville. Os títulos nos últimos 20, 25 anos basquete é extremamente tradicional em

mostram isso. Foram várias administrações, diversas equipes e muitos atletas que fizeram o nome do esporte da cidade. Porém, a ausência de um time em alto rendimento, disputando as principais competições do país, deixou uma lacuna no município. Joinville conseguiu ótima sequência em 2010, 2011 e 2012. A transição Alberto Bial, José Neto

e Enio Vecchi foi bem feita, mas no final as coisas ficaram deprimentes. O basquete passou por uma pequena crise política e, com a escassez de recursos, acabou abrindo mão da vaga e da sequência no NBB. Agora a situação é diferente. A diretoria do basquete de Joinville fez questão de abrir as contas, deixando o projeto transparente e sustentável. Com isso, o público, desde os primeiros jogos (na Liga Ouro), abraçou a equipe e empurrou o time até a de-

cisão. O retorno do basquete de Joinville serviu pra lembrar o quanto a cidade é carente deste esporte. Independente do desempenho da equipe no próximo NBB, a principal torcida é para que a gestão da equipe continue estabilizada e estruturada. Com parcerias e permutas, o basquete de Joinville conseguiu viabilizar uma boa base técnica e formou uma equipe que teve as contas pagas na Liga Ouro. No NBB, a situação deve se repetir”.

19


 ENTREVISTA COM GILBERTO VAZ

Foto: Eduardo G. de Oliveira/Agência AL/Divulgação/FCB

20

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL


PROFESSOR QUE ENSINA O BASQUETE BRINCANDO

HOMENAGEM  Gilberto Vaz recebeu o prêmio Destaque Esportivo 2016 na Assembleia Legislativa

COORDENADOR DO INSTITUTO BABY BASQUETEBOL SUGERE INICIAÇÃO AO ESPORTE PARA CRIANÇAS DE QUATRO ANOS

A

os 49 anos de idade, Gilberto Vaz possui cerca de 40 envolvido com o basquete dentro e fora de quadra. Atleta, treinador, professor, acadêmico, olheiro, visionário, o atual Coordenador Geral do Instituto Baby Basquetebol Cidadania conhece como poucos o universo do esporte da bola laranja. Desde 2013, comanda um projeto social de basquetebol gratuito na Grande Florianópolis, realizando, como o próprio diz, “um grande sonho”. O início da carreira como treinador não foi como queria, pois largou as quadras após sofrer grave lesão. Da Capital catarinense, alçou voos maiores até chegar aos Estados Unidos, onde fez mestrado estudando basquete em Oklahoma, além de conhecer vários High School, universidades e equipes da NBA. A experiência internacional ainda contou com o doutorado na Espanha (Psicologia do Esporte), visitas a celeiros de craques como a Argentina e mais recentemente o intercâmbio com duas entidades esportivas na Itália. “Desde que comecei minha carreira de técnico, sempre busquei referências e experiências no basquetebol em vários países até hoje, conhecendo basquetebol na Argentina, Uruguai, Chile, México, Canadá, Cuba, Espanha, Alemanha, Itália, Portugal e nos Estados Unidos”, afirma Gilberto. Com tamanha bagagem, o professor da UDESC defende a salvação da base do esporte nacional principalmente através da valorização das aulas de educação física. Para mudar a realidade brasileira, de sua última viagem, trouxe um novo enfoque para a modalidade: trabalhar com crianças a partir de quatro anos. “Nos Estados Unidos, é com essa idade que elas começam a praticar o esporte de forma lúdica. Em São Paulo, a média de iniciação é com oito anos e aqui em Santa Catarina sobe para 10”, avalia. Estas e outras experiências em quase quatro décadas de basquetebol são contadas por Gilberto Vaz na entrevista exclusiva à revista BasqueteSC. BASQUETESC: Qual sua trajetória no basquete? GILBERTO VAZ: Comecei a jogar basquetebol aos 10 anos de

idade no Colégio Nossa Senhora de Fátima com o Professor Jipe. Depois segui para o Clube 6 de Janeiro aos 13 anos de idade, onde disputei o meu primeiro estadual (infantil) ficando

21


 ENTREVISTA COM GILBERTO VAZ Fotos: Arquivo pessoal/Divulgação/FCB

com o vice-campeonato na final em Lages. Em seguida, fui convidado pelo Sr. Rubens Lange para jogar no Clube Doze de Agosto conquistando o estadual infanto-juvenil. Joguei na Astel, e tive uma experiência fora do estado no Corinthians de Santa Cruz do Sul, retornando para Florianópolis, onde atuei posteriormente no Lagoa Iate Clube (LIC). Disputei vários Jogos Abertos de Santa Catarina (JASC) por Florianópolis, mas, em 1991, no JASC de Chapecó, rompi o tendão de calcâneo. No ano seguinte, parei de jogar basquetebol. Comecei minha carreira de técnico paralela à de atleta. Minha primeira experiência ocorreu na AABB Florianópolis, em 1990, ao lado do grande Rubens Lange e do Hans Werner, onde passei doze anos participando de campeonatos metropolitanos, estaduais, sul-brasileiros, nacionais e torneios internacionais (Uruguai, Argentina, Estados Unidos) com várias conquistas. Posteriormente, fui técnico adulto no clube Doze de Agosto e no Figueirense Futebol Clube em 2003. De 2004 a 2012, dei um tempo no basquete e fui me dedicar à vida acadêmica. Fiz mestrado estudando basquete em Oklahoma (EUA) e doutorado na Espanha (Psicologia do Esporte). No período do doutorado, visitei 24 universidades nos Estados Unidos, 40 equipes de basquetebol na Argentina e várias no Brasil. Foi uma experiência incrível. Neste mesmo período, fui olheiro (agente) de 20 universidades norte-americanas, enviando 94 atletas para jogar no High School e ligas universitárias (NCJAA, NAIA e NCAA). Desde que comecei minha carreira de técnico, sempre busquei referências e experiências no basquetebol em vários países, conhecendo a modalidade na Argentina, Uruguai, Chile, México, Canadá, Cuba, Espanha, Alemanha, Itália, Portugal e nos Estados Unidos (visitando vários High School, universidades e equipes da NBA). Em 2013, retornei ao basquete realizando um grande sonho de criar um projeto social de basquetebol totalmente gratuito. Depois de passar dois meses na Carolina do Norte, no Centro de Treinamento da Score Basketball Academy e demais escolas, conheci o basquetebol para crianças de 04 a 09 anos de idade. Retornando ao Brasil, conversei com o Professor Paulão do CEFID (UDESC) e, em março de 2013, foi criado o Projeto Baby Basquetebol Cidadania. BASQUETESC: Como vê o esporte como plataforma de ensino e cidadania para a formação de cidadãos? GILBERTO VAZ: A prática do basquetebol pode transformar as vidas de muitas crianças e adolescentes em nosso projeto, estimulando a superação de barreiras e limitações e o crescimento das noções de solidariedade e respeito às diferenças. Quem pratica tem a oportunidade de se tornar um cidadão melhor porque treina também para a vida, para exercer os seus direitos e compreender os seus deveres com disciplina e determinação dentro e fora das quadras. BASQUETESC: Qual sua avaliação sobre o trabalho da Federação Catarinense de Basketball na condução de ações para jovens como os Núcleos Estudantis e o Projeto

22

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL

MESTRE  Campeão da NBA, o pivô catarinense Tiago Splitter participou de atividades do Baby Basquete

APRENDIZADO  Equipe multidisciplinar leva o basquete a crianças a partir de quatro anos


Fotos: Adriano Krischke/FCB

TÍTULO  estadual sub-12, em 2016, é prova que o empenho dá resultado

Basquete para o Amanhã – TRIMANIA/FCB? GILBERTO VAZ: O trabalho da FCB é sensacional. Somos referência no Brasil. Por onde passo no país ou eventos internacionais, como o Sul-Americano de Mini Basquete, todos querem saber o sucesso do trabalho do basquetebol de base de Santa Catarina. Estamos no caminho certo e logo vamos colher isso. BASQUETESC: Quantas crianças e jovens atualmente estão no Baby Basquete? GILBERTO VAZ: O projeto começou com 15 crianças e hoje atende 350 de 4 a 17 anos de idade, em ambos os naipes, nas cidades de São José e Florianópolis. São 12 professores, cinco núcleos e vários parceiros (Cefid/Udesc, FME Florianópolis, FUNESJ, Interperformance, Benetton Basket, Honda Amauri, Orsitec, Grupo Koerich, Colégio Energia, TRIMANIA e Federação Catarinense de Basketball). BASQUETESC: Como se dá a parceria com os italianos e como esse intercâmbio pode contribuir para o basquete catarinense? GILBERTO VAZ: O intercâmbio é com duas entidades esportivas na Itália: a equipe da Benetton Basket e com a empresa Interperformance que fornecem material esportivo. Caso algum atleta se destaque, poderá ser convidado para jogar o Campeonato Italiano por uma das duas equipes. BASQUETESC: Há jogadores, professores e dirigentes no Baby Basquete que podem ter sucesso na carreira profissional em alto nível? GILBERTO VAZ: Com certeza. O projeto Baby Basquetebol, além de realizar um belo trabalho com seus 350 alunos, sendo que alguns estão sendo observados por duas equipes italianas, também vem auxiliando na formação de novos e futuros técnicos de basquetebol. No grupo, há sete professores (Gilberto, Claudio, Marlene, Silvio, Larissa, Quézia e Luiza) e cinco monitores do projeto atualmente. Ainda temos uma recém-formada em Educação Física (CEFID) que está realizando um excelente trabalho no projeto com experiência internacional e mais três acadêmicos do CEFID, os quais estão muito bem encaminhados e são muito competentes (Monica, Allan e Néter). Além deles, mais dois novos alunos do CEFID que chegaram ao projeto recentemente. Nossa missão é dar oportunidade a todas as crianças e adolescentes para praticar basquetebol gratuitamente em nossos cincos núcleos de basquetebol em Florianópolis e São José. BASQUETESC: O que falta para alavancar o basquete de base no estado e no país? GILBERTO VAZ: No estado, estamos no caminho certo com a FCB e demais projetos. Faço uma sugestão de realizar festivais sub-10 no masculino e feminino. Com dois anos de participação em treinamentos e jogos, com certeza chegarão com um nível bem melhor no estadual sub-12. No Brasil, precisamos de um trabalho de gestão profissional e transparente na Confederação Brasileira de Basketball (CBB) e nas Federações Estaduais mais competência e menos política. Temos a FCB como um exemplo a ser seguido no Brasil.

23


 ENTREVISTA COM ROSE HELENE ALFARTH Foto: Luiz Peixoto/Divulgação/FCB

PRIMEIRA ATLETA DE SANTA CATARINA A JOGAR FORA DO ESTADO 24

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL


A BLUMENAUENSE ROSE ALFARTH ATUOU AO LADO DE MAGIC PAULA, EM PIRACICABA, NOS ANOS 70

A

história do basquete feminino catarinense passa por Rose Helene Alfarth. Ex-atleta, ex-treinadora e atual integrante do Núcleo de Pós-iniciação Desportiva Michelle Splitter, em Blumenau, ela acumula importantes vitórias à frente de Joinville. Sob seu comando, o time do norte de Santa Catarina sagrou-se campeão estadual em 2009 e acumulou o honroso 6º lugar na Liga Nacional na temporada 2010/2011. Foi na cidade joinvilense que Rose vivenciou parte de sua trajetória e acumulou divertidos casos. “Antes dos jogos, a gente tinha o grito de guerra e depois dizia ‘meu nome é Rose’. Elas sempre falavam meu nome e eu dizia que elas só cresceriam quando se lembrassem de gritar os nomes delas próprias”, disse em entrevista ao jornal Notícias do Dia ao anunciar sua aposentadoria da Fundação de Esportes, Lazer e Eventos de Joinville em 2013. Rose ainda mereceu o título de benemérita do basquete (Turma II) no ano passado. A honraria entregue pela Federação Catarinense de Basketball reverenciou as mais de quatro décadas de serviços prestados à modalidade, revelando talentos e contribuindo para o desenvolvimento de cidadãos. Um pouco dessa personagem histórica, a entrevistada da 6ª edição da BasqueteSC. BASQUETESC: Sua trajetória no basquete é extensa com

RECONHECIMENTO  Em 2016, Rose Helene Alfarth entrou para a lista dos beneméritos do basquetebol

passagens como jogadora, treinadora, dirigente. Conte um pouco de como foi sua carreira nessas funções. ROSE: Comecei em 1976 no Colégio Pedro II, em Blumenau, através do saudoso Nelson Busarello quando pedi para me ensinar o basquete e ele me falou que menina não saberia jogar. Desta forma, fui desafiada a aprender. Logo em 1977, tivemos a primeira equipe de basquete feminino nos Jogos Abertos de Santa Catarina com o técnico Alvani Portugal. Em 1979, participei de um curso em que também estavam Maria Helena Cardoso e Heleninha. Recebi o convite para jogar em Piracicaba (SP) ao lado de Magic Paula, Vânia Teixeira, entre outras. Sendo filha única, tive, a princípio, dificuldade para ter autorização de meus pais, mas decidi ir e pude contar com o apoio deles. Fui a primeira catarinense a jogar fora do estado e contei com uma grande técnica e uma equipe, a qual se sagrou campeã paulista e de torneio internacional. Tive ótima experiência como atleta e iniciei minha carreira como técnica. Em 1983, retornei a Santa Catarina por problema de saúde da minha mãe, e Blumenau gostaria de contar comigo de volta como atleta e técnica. Obtive vários títulos como atleta-técni-

25


 ENTREVISTA COM ROSE HELENE ALFARTH Fotos: Arquivo Pessoal/Divulgação/FCB

ca na cidade e, a partir de 1987, pela cidade de Joinville onde coordenei o basquete feminino, apesar de ainda jogar. Em 1990, encerrei minha carreira como atleta, dedicando-me exclusivamente às partes técnica e administrativa. Tive a oportunidade de dirigir algumas equipes catarinenses em categorias menores em Campeonatos Brasileiros, conquistando o título nacional juvenil em Anápolis (GO) e em outras competições. Fui uma das fundadoras da ABF Joinville que, após minha aposentadoria, não seguiu em frente. Retornei a Blumenau dando contribuição ao basquete em minha cidade-natal. BASQUETESC: Em 2016, você foi homenageada pela FCB como benemérita do basquete. Qual significado dessa honraria para você? ROSE: Fiquei honrada com este título, pois foi uma vida inteira, de muito amor, dedicada ao basquete. BASQUETESC: Você participou de grandes campanhas com o time feminino de Joinville na Liga Nacional em 2010 e depois viu o projeto diminuir. Como viu aquela situação do ápice e pouco tempo depois da falta de apoio? ROSE: A participação na LBN foi uma conquista da associação (ABF). Com apoio da FCB e Fundação de Esportes, Lazer e Eventos de Joinville, montamos uma equipe barata e competitiva. Fizemos uma boa campanha com poucos recursos comparada a outras equipes. Perdemos para o time campeão por apenas cinco pontos. Então, veio a grande surpresa: a não participação da Liga do ano seguinte e uma redução de 50% no orçamento, tornando-se inviável a manutenção da equipe. BASQUETESC: O que falta para alavancar o basquete brasileiro de base e adulto? ROSE: Precisamos, no Brasil, de pessoas afins de trabalhar com o basquete feminino; dirigentes que tenham disposição e paciência no trabalho coletivo, mantendo foco nas atletas e crianças. Claro que os poderes público e privado precisam manter os projetos com recursos, pois o Brasil já provou que tem biótipos e condições de formar grandes equipes. Também é de suma importância, a formação de professores, técnicos e dirigentes. BASQUETESC: Como é o trabalho do Núcleo Michelle Splitter, o qual você atua em Blumenau? ROSE: Estou como voluntária no projeto, fazendo pelo bairro Garcia, onde nasci e oportunizando as crianças de terem acesso a esta modalidade. Blumenau abraçou o projeto Michelle Splitter por seu talento e amor ao basquete. O projeto consiste em massificar e oportunizar momentos prazerosos para as meninas e suas famílias. Nós promovemos eventos com auxílio da FCB, associações, Fundação Municipal de Desportos, Escolas Padre José Maurício, Santos Dumont e Izolete Muller. Ainda existem outros três núcleos no Vasto Verde, Vidal Ramos e Victor Konder.

CAMPEÃ  Carreira como jogadora e treinadora é repleta de conquistas

PIONEIRA  Rose esteve à frente de projetos vitoriosos do basquete feminino de Joinville

26

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL


“QUERO AGRADECER À FCB, NA PESSOA DO OSCAR ARCHER, PELO APOIO. DIANTE DESTE PROJETO MICHELLE SPLITTER, NÃO PODERIA SER DIFERENTE. OBRIGADA!”

27


 NÚCLEOS ESTUDANTIS Foto: Adriano Krischke/FCB

FUTURO  Alunos da Grande Florianópolis, Sul e Serra Catarinense têm aulas de basquete e cidadania

FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL EXPANDE PROJETO DOS NÚCLEOS ESTUDANTIS 28

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL


FCB E TRIMANIA ATENDEM CERCA DE 5 MIL CRIANÇAS ATÉ 14 ANOS

L

ançado em março, na Capital, o Projeto dos Núcleos Estudantis de Basquete 2017 começou a atual temporada abrangendo a Grande Florianópolis, Sul do estado e região Serrana com dez integrantes inicialmente. Na mesma linha do projeto, o montante de jovens atendidos cresceu com as inclusões do Núcleo de Pós-iniciação Desportiva Michelle Splitter, em Blumenau, e de outra unidade em Nova Trento, ambos no Vale do Itajaí. De acordo com o presidente da Federação Catarinense de Basketball, Oscar Archer, atualmente, cerca de cinco mil crianças até 14 anos são atendidas pela FCB e TRIMANIA. “Isso aqui é um processo que vem se desenvolvendo há cinco anos. Estamos investindo porque

penso que a gente já fez de tudo. Incluir o cidadão e dar oportunidade não é obrigação, mas cabe um espaço para isso. Não tem dinheiro que pague”, valoriza. Já o vice-presidente da entidade e coordenador dos Núcleos Estudantis no estado, Nelson Aguiar, ressalta que alguns alunos participantes de outras edições do projeto tiveram a oportunidade de dar continuidade na sua formação como atleta, sendo incorporados às equipes de competição. Enquanto os professores sempre tiveram a chance de participar de cursos de formação proporcionados pela FCB. “Em todos os locais onde os Núcleos se estabeleceram foram proporcionadas melhorias nas instalações e infraestrutura. Pela ava-

29


 NÚCLEOS ESTUDANTIS Foto: Alexandre Kirchner de Azevedo/Divulgação/FCB

liação apresentada pelos responsáveis do projeto, houve a constatação de uma melhora no comportamento social dos alunos, bem como maior dedicação nas atividades escolares”, celebra o dirigente. Tamanho envolvimento ficou visível no encontro realizado no início de agosto com o objetivo de fazer um balanço das atividades no 1º semestre. Estiveram na sede da FCB, em Florianópolis, coordenadores de vários Núcleos: Sergio Pagani Abreu (ASTEL/Florianópolis), Gilson Dias Pereira (Colégio Brigadeiro Eduardo Gomes – Campeche/Florianópolis), Benedito Carvalho (Lages) e Deise Bernardo da Silva (SATC/Criciúma). Além da apresentação das atividades dos Núcleos, no encontro, a FCB apresentou agenda com a realização de festivais de cada unidade a serem promovidos entre setembro e outubro. Ainda houve a definição sobre o Festival de Núcleos TRIMANIA/FCB, agendado para 12 de novembro nas quadras do Instituto Estadual de Educação, em Florianópolis, contando com a participação de todos os integrantes do projeto.

DEPOIMENTOS

F

oi um presente para nossos alunos fazer parte deste projeto. A motivação para continuar a praticar a modalidade aumentou consideravelmente e é evidente os benefícios promovidos pelo projeto. Há um aumento considerável no número de praticantes e estamos muito contentes em fazer parte de tudo. Esperamos que permaneça desta maneira durante muitos anos”.

CIDADE: Tubarão `` INTEGRANTE: Escola de Educação Básica João Teixeira Nunes `` APOIO: Associação Desportiva de Futsal Tubaronense `` COORDENADOR: Professor Luiz Ernani Buerger `` ALUNOS ENVOLVIDOS: 50 Foto: Alexandre Kirchner de Azevedo/FCB

CIDADE: Florianópolis `` INTEGRANTE: EEB Professora Herondina Medeiros Zeferino (Bairro Ingleses) `` COORDENADOR: Professor Willian Pauli `` RESPONSÁVEL: Prof. Sílvio Sérgio Mathias `` ALUNOS ENVOLVIDOS: 56 Foto: Divulgação/FCB

SERGIO PAGANI ABREU  Núcleo ASTEL

CIDADE: Florianópolis

A

importância do núcleo nas escolas é fundamental para que a criança se sinta parte de um grupo, aprender que há regras no jogo, com muita disciplina e diversão. Com essas exigências, o comportamento delas tem melhorado a cada dia”. DEISE BERNARDO DA SILVA  Núcleo SATC

30

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL

`` INTEGRANTE: Associação Esportiva e Social de Florianópolis – ASTEL `` COORDENADOR: Professor Kênyo Nunes `` RESPONSÁVEL: Professor Sérgio Paganini `` ALUNOS ENVOLVIDOS: 50

CIDADE: Florianópolis

CIDADE: Criciúma

`` INTEGRANTE: EEB Brigadeiro Eduardo Gomes (Campeche) `` COORDENADOR: Prof. Adelio N. da Cunha `` RESPONSÁVEL: Prof. Gilson Dias Pires `` ALUNOS ENVOLVIDOS: 89

`` INTEGRANTE: EMB Humberto Campos `` APOIO: Ass. Benef. da Ind. Carbonífera `` RESPONSÁVEIS: Professores Deise Bernardes da Silva e Luana Scaini Minotto `` ALUNOS ENVOLVIDOS: 60


Foto: Alexandre Kirchner de Azevedo/Divulgação/FCB

OUTROS DEPOIMENTOS ATRAVÉS DO SITE DA FCB

Ncom 90 crianças com idade entre 9 a 14 osso núcleo iniciou em maio deste ano

CIDADE: São José `` INTEGRANTE: Escola de Educação Básica Antônio Francisco Machado (Forquilhão) `` COORDENADORA: Professora Sônia Madalena Silva `` RESPONSÁVEL: Professor Fabrício Gomes da Silva `` ALUNOS ENVOLVIDOS: 30 Foto: Adriano Krischke/FCB

anos. A comunidade onde está inserido tem tido uma ótima visibilidade, com a participação efetiva da escola. Trabalho com basquete há muitos anos e nunca tinha tido uma experiência tão boa quanto tenho envolvido com este núcleo”. GILSON DIAS PEREIRA  Núcleo Colégio Brigadeiro Eduardo Gomes

O CIDADE: São José `` INTEGRANTE: Escola de Educação Básica Osvaldo Rodrigues Cabral (Bairro Bela Vista) `` COORDENADORA: Professora Mônica Moraes `` RESPONSÁVEL: Professor Lucas Vieira `` ALUNOS ENVOLVIDOS: 59 Foto: Divulgação/FCB

núcleo Trimania em Lages está proporcionando um grande momento. Através dele realizamos diversas atividades, melhoramos a qualidade de vida das crianças envolvidas. A comunidade também recebeu com muita disposição porque percebeu a melhora física e mental da garotada, inclusive resultando em melhores notas nas avaliações e provas dentro da sala de aula”. BENEDITO CARVALHO  Núcleo Liga Serrana de Basketball

O

CIDADE: Palhoça `` INTEGRANTE: CAIC Professor Febrônio Tancredo de Oliveira `` APOIO: Sociedade Desportiva Guarani `` RESPONSÁVEL: Professor Duílio Neves dos Santos `` ALUNOS ENVOLVIDOS: 30

CIDADE: Lages

CIDADE: Florianópolis

`` INTEGRANTE: EEB São Judas Tadeu, EEB Ondina Neves Bleyer e EEB Visconde de Cairu `` APOIO: Liga Serrana de Basquetebol `` RESPONSÁVEL: Prof. Luiz Carlos Muniz `` ALUNOS ENVOLVIDOS: 70

`` INTEGRANTE: Associação Desportiva Instituto Estadual de Educação `` COORDENADOR: Professor Kênyo Nunes `` RESPONSÁVEL: Professor Lucas Vieira `` ALUNOS ENVOLVIDOS: 59

projeto vem ao anseio da comunidade estudantil, ao preencher uma lacuna muito importante dando aos participantes a oportunidade de aprender, através do esporte, os valores de cidadania. Também de fazer com que as crianças possam assimilar os fundamentos do jogo e conhecimento das regras do basquete. Com isso contribui também para a formação educacional e integral dos participantes”. NELSON AGUIAR  vice-presidente da FCB e Coordenador dos Núcleos Estudantis

31


 FESTIVAL INTERNACIONAL Foto: Anderson Feyh/BRA Assessoria/FCB

FESTIVAL INTERNACIONAL DE BASQUETE TROUXE TREINADORES RENOMADOS A FLORIANÓPOLIS 32

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL


Foto: Anderson Feyh/BRA Assessoria/FCB

CAPACITAÇÃO  Crianças e adultos tiveram a oportunidade de conhecer gente que fez história no esporte

DESTAQUES NO BRASIL E ESTADOS UNIDOS REPASSARAM CONHECIMENTO A ATLETAS, TÉCNICOS E PROFESSORES

E

m julho, o Ginásio Rozendo Lima, em Florianópolis, sediou o Festival Internacional de Basquete. O evento promovido pela BRA Assessoria Acadêmica Esportiva, em parceria com a Federação Catarinense de Basketball, contou com torneios de equipes sub-13 e sub-15, jogo das estrelas, além de clínicas para técnicos, docentes e atletas. “Vivenciamos uma nova experiência e um evento de grande porte. Trabalhamos juntos para que fosse um sucesso e com isso torná-lo uma realidade do calendário oficial”, destacou o Coordenador de Planejamento da FCB, Jairo Anello. A programação do Festival Internacional teve as presenças de nomes do quilate de Cristal Rocha, atleta do basquete 3x3; ex-jogador Fernando Medeiros; do comandante do Mogi das Cruzes e ex-jogador Guerrinha; do ex-atleta e atual comentarista, Danilo Castro; dos treinadores norte-americanos Hernando Planells e Ganon Baker; além de Dave Hanners, técnico campeão da NBA e NCAA. Os sete passaram seus conhecimentos sobre estatísticas, melhores movimentos e como evitar lesões nos atletas mais jovens, técnicas defensiva e ofensiva, exercícios de ataque e preparação física de atletas mirins, além da

troca de experiências ao contarem suas trajetórias no esporte. A iniciativa ampliou o leque de palestras, cursos e clínicas ofertados pela FCB. Em 2012, a entidade trouxe a Florianópolis os técnicos Ruben Magnano (na época na seleção brasileira) e José Neto (Flamengo). Além deles, no ano passado, em parceria com a Liga Sul Catarinense e a Universidade Utah State, disponibilizou clínica em Criciúma com o técnico Vandinho, que realizou diversos trabalhos em universidades norte-americanas. "É essencial proporcionar este tipo de intercâmbio aos profissionais do basquete e estudantes de Santa Catarina. Todos os anos, a FCB realiza clínicas técnicas e de arbitragem, mas o conhecimento trazido por profissionais vitoriosos no Brasil e no exterior nos mostra outra visão do esporte", ressalta o presidente da Federação Catarinense de Basketball, Oscar Archer. O Festival Internacional contou com a participação de cerca de 50 treinadores e professores de todo o país, além de 50 alunos/atletas até 19 anos. Ainda houve a presença de nove equipes nas disputas dos torneios sub-13 e sub-15, incluindo representantes de Santa Catarina, Paraná e São Paulo.

33


CAMPEONATO SUL BRASILEIRO Foto: Adriano Krischke/FCB

BLUMENAU CAMPEÃO  Mesmo fora de casa, blumenauenses vencem a competição regional

SANTA CATARINA SEDIA CAMPEONATO

SUL-BRASILEIRO DE CLUBES

34

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL


BLUMENAU CONQUISTA OS TÍTULOS MASCULINO E FEMININO

D

urante dois finais de semana de setembro, o basquete catarinense mostrou sua força diante de adversários do Paraná e Rio Grande do Sul no Campeonato Sul- Brasileiro de Clubes. As disputas aconteceram em Brusque e Chapecó nos naipes masculino e feminino respectivamente. Em ambas as competições, o título ficou com Santa Catarina através das conquistas de Blumenau. Nas duas partidas decisivas, as repetições das últimas finais do Campeonato Catarinense de Basquete: Brusque x Blumenau, no masculino, e Chapecó x Blumenau, no feminino. Curiosamente, os campeões estaduais em 2016 foram superados em seus domínios. Independente dos resultados, o presidente da Federação Catarinense de Basketball, Oscar Archer, considerou positiva a interação com paranaenses e gaúchos. “Acho que esse intercâmbio com equipes de outros estados só tende a somar e é muito importante para desenvolvermos o basquetebol do Sul do Brasil", celebrou.

CAMPANHA PERFEITA NO MASCULINO

T

Classificação Final do Sul-Brasileiro de Basquete

Categoria Adulto Masculino: ``1º APAB/Blumenau

3 vitórias

``2º Londrina

2 vitórias e 1 derrota

``3º A.D Brusque

1 vitória e 2 derrotas

``4º Curitiba

3 derrotas

rês vitórias, 100% de aproveitamento e placar dilatado contra o maior rival na decisão. Essa foi a campanha da APAB/Blumenau na competição. Antes da final, vencida sobre a AD Brusque por 65 a 39, outros dois triunfos sobre os paranaenses do Londrina e Curitiba. “Foi um título importante, fruto de um projeto que batalhamos e estamos colhendo", afirmou o técnico blumenauense, Sérgio Carneiro, o popular Serjão. Quem também destacou a importância do Sul-Brasileiro foi o comandante da AD Brusque, Alexandre Barros. Para Bicudo, a competição, apesar de ter terminado no 3º lugar, terminou com saldo positivo. “Em alguns pontos foi proveitoso, embora nosso principal objetivo seja o bicampeonato estadual”, salientou.

35


CAMPEONATO SUL BRASILEIRO Foto: Adriano Krischke/FCB

RIVALIDADE  Final frequente dos últimos estaduais, Brusque e Blumenau disputaram o título Sul-Brasileiro Foto: Adriano Krischke/FCB

Foto: Sidnei Batista/APAB Blumenau/Divulgação/FCB

CESTINHA E DESTAQUE  Gabriel Henrique Manjialardo de Oliveira

INTERCÂMBIO  Blumenau superou os paranaenses do Londrina (foto) e Curitiba antes da decisão contra Brusque

Sul-Brasileiro de Basquete Adulto Masculino

Sede: Arena Brusque

36

1ª rodada – 7 de setembro

2ª rodada – 8 de setembro

3ª rodada – 9 de setembro

``APAB/Blumenau 81 x 60 Londrina (PR)

``APAB/Blumenau 72 x 49 Curitiba (PR)

``Londrina (PR) 64 x 62 Curitiba (PR)

``AD Brusque 81 x 63 Curitiba (PR)

``AD Brusque 66 x 76 Londrina (PR)

``AD Brusque 39 x 65 APAB/Blumenau

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL


Foto: Joece Carabagiale/Divulgação/FCB

RIVALIDADE EM QUADRA NO FEMININO

Q

uando se fala em disputa por títulos no basquete adulto feminino de Santa Catarina, logo vem à cabeça a rivalidade entre Blumenau e Chapecó. Se assim ocorreu nos últimos estaduais e Jogos Abertos, por que seria diferente no Sul-Brasileiro? Com 100% de aproveitamento para os dois lados, ambas as equipes decidiram a competição regional realizada em Chapecó, mas vencida pelo Vasto Verde/Blumenau. Na decisão, 63 a 51 para as comandadas do técnico João Camargo Neto. “Fernanda Bibiano, atleta do Vasto Verde foi cestinha e destaque da competição. Parabéns atletas e comissão técnica”, destacou o perfil oficial da equipe blumenauense nas redes sociais. Do outro lado, a técnica Aline Wonsick, do CB Chapecó considerou a participação como positiva, embora tenha sido derrotada na final. “Jogos como esses são feitos de detalhes. Quem erra menos, vence. Estatisticamente Blumenau ainda tem mais conquistas do que nós, mas ainda assim saímos com dever cumprido em partes”, ressaltou. Ainda participaram da competição as gaúchas do Campo Bom e as paranaenses do Foz do Iguaçu. Classificação Final do Sul-Brasileiro

Categoria Adulto Feminino: ``1º Vasto Verde/Blumenau (3 vitórias) ``2º CB Chapecó

(2 vit. e 1 derrota)

``3º COC Foz do Iguaçu

(1 vit. e 2 derrotas)

``4º Campo Bom

(3 derrotas)

Foto: PMB/Divulgação/FCB

DESTAQUE  Fernanda Bibiano, de Blumenau, foi a melhor jogadora e cestinha da competição

BLUMENAUENSES  campeãs

Sul-Brasileiro de Basquete Adulto Feminino

Sede: SEST/SENAT Chapecó 1ª rodada – 16 de setembro

2ª rodada – 17 de setembro

3ª rodada – 18 de setembro

`` Vasto Verde/Blumenau 119 x 32 COC Foz do Iguaçu (PR)

`` Vasto Verde/Blumenau 115 x 25 Campo Bom (RS)

`` Campo Bom (RS) 45 x 58 COC Foz do Iguaçu (PR)

``CB Chapecó 102 x 15 Campo Bom (RS)

``CB Chapecó 87 x 44 COC Foz do Iguaçu (PR)

``CB Chapecó 51 x 63 Vasto Verde/Blumenau

37


 MÍDIAS Foto: RIC Record/Divulgação/FCB

MULTIMÍDIA  Diretor da FCB, Jairo Anello; Presidente da FCB, Oscar Archer; Diretor Superintendente do Grupo RIC SC, Reynaldo Ramos Junior firmam parceria pelo terceiro ano seguido

PARCERIAS GARANTEM AMPLA DIVULGAÇÃO DO BASQUETE CATARINENSE MAIS DE 100 JOGOS TRANSMITIDOS PELA TV ABERTA E INTERNET 38

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL


Foto: Emerson Souza/Agência RBS/Divulgação/FCB

A GRUPO NSC  Parceria resultou no site Basquete Inspira SC Foto: Júlio Castro/Cifesc/Divulgação/FCB

CIFESC  Cobertura on line das categorias de base e adultas do basquete catarinense Foto: Henrique Santos/FCB

RIC  Desde 2015, Record News é a emissora oficial do Campeonato Catarinense de Basquete

cada ano, a Federação Catarinense de Basketball amplia seu leque de parceiros a fim de aumentar o alcance do esporte no estado. Em 2017, a entidade consolida ações iniciadas anos atrás como as transmissões do Campeonato Catarinense Adulto através da Record News e de partidas de todas as categorias, pela Internet, em trabalho realizado pela Central de Imprensa das Federações Esportivas (Cifesc). A novidade para este ano é o acordo com a antiga RBS SC (atual NSC), assinado em maio, o qual conta com um canal digital exclusivo e hospedado no GloboEsporte.com, denominado “Basquete Inspira SC”. Lá são inseridas notícias sobre as principais competições da modalidade, eventos em todas as regiões do estado, transmissão de jogos pela Internet e intenso fomento às ações sociais. “Mais do que valorizar a modalidade, essa aproximação com a FCB indica uma união pelo desenvolvimento do basquete e de todos os segmentos envolvidos pelo esporte. Estamos orgulhosos em contribuir com esse crescimento”, destacou à época o diretor de negócios da então RBS SC, Delton Batista. Outro incremento na divulgação do esporte da bola laranja em Santa Catarina foi a manutenção da parceria com o grupo RIC TV Record que, pelo terceiro ano seguido, transmite os jogos do estadual adulto através da Record News. A cada sábado, entre setembro e outubro, uma partida é televisionada, ao vivo em rede aberta, das mais diversas cidades. Neste ano, a novidade ficou por conta da inclusão do campeonato feminino na grade da programação da emissora cujo foco abrange todas as regiões catarinenses. “Este é um projeto que a gente sabia que teria um belo alcance, um bom engajamento e que nos fez conhecer todo o trabalho especial que a FCB vem realizando dentro do estado”, diz o Gerente Nacional Grupo RIC, Fabiano Aguiar. A meta de levar o basquete às mais longas distâncias, no entanto, ganhou outro parceiro em 2016: o portal da Central de Imprensa das Federações Esportivas (Cifesc). A renovação do acordo para a atual temporada renderá a transmissão, via Facebook e Youtube, de cerca de 100 partidas, incluindo categorias de base e Liga Ouro, desde o ano passado. “É algo inédito no esporte catarinense. Motivo de muito orgulho poder ser pioneiro na iniciativa e honra com a aposta da FCB. Os feedbacks das transmissões são os melhores possíveis”, avalia o jornalista Júlio Castro, diretor da Cifesc. Além disso, a Federação Catarinense de Basketball mantém sólido relacionamento com tradicionais emissoras, casos da rádio Guarujá, em Florianópolis e Nereu Ramos, em Blumenau. Os microfones ainda transmitem vários jogos pela Internet através da Rádio Web Esportiva, fazendo com que o basquete de Santa Catarina atinja espectadores de todos os lugares do planeta. Com tamanha abrangência, a projeção é de incremento na qualidade dentro de quadra e na quantidade de apoiadores fora dela. Para Luciano Moura, Gerente Executivo do Grupo NSC, em pouco tempo a iniciativa privada irá abraçar o basquete catarinense. “A gente acredita que esse produto, em menos de quatro anos, será sustentável com o dinheiro do poder privado”, avalia o parceiro. Embora alavanque ano após ano o retorno ao esporte, o presidente da Federação Catarinense de Basketball, Oscar Archer, enaltece contratos duradouros, entre os quais o firmado com a TRIMANIA há quase dez anos. “Aqui se trabalha, se tem boas parcerias e contratos com oito anos em evidência. Há uma relação recíproca entre investidor e Federação, proporcionando retorno a todos os envolvidos”, reconhece o mandatário. Estas e tantas outras parcerias contribuem para o êxito da entidade dentro e fora de quadra. Se, em 2016, foram mais de 1500 jogos e eventos promovidos envolvendo todas as faixas etárias, este número provavelmente será superado em 2017. Boa parte com ampla cobertura da imprensa escrita, falada, televisionada e integrada, superando barreiras e atravessando fronteiras.

39


 CONHECIMENTO Foto: Adriano Krischke/divulgação/FCB

CAPACITAÇÃO  Encontro reuniu alunos de todo o estado em Florianópolis

CLÍNICA TÉCNICA ALIA TEORIA À PRÁTICA DO BASQUETE 40

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL


Fotos: Adriano Krischke/divulgação/FCB

TREINADORES DE TODO O ESTADO TIVERAM AULAS COM PROFESSORES EXPERIENTES E GABARITADOS

M

ais de 70 participantes estiveram na última Clínica Técnica de 2017 referente ao Projeto Basquete Para o Amanhã – Trimania/FCB. O evento aconteceu em agosto, na cidade de Florianópolis, reunindo treinadores presentes nas etapas regionais de Joaçaba e Itajaí, juntando-se aos representantes de outras localidades como o sul do estado e a Grande Florianópolis. Nos dois dias de aulas, os professores Michel Milistetd e Humberto Carvalho demonstraram técnicas de treinamento a serem aplicadas aos jovens participantes do Projeto Basquete Para o Amanhã – Trimania/FCB. Para o Coordenador de Planejamento da Federação Catarinense de Basketball, Jairo Anello, é fundamental aproximar o meio acadêmico da parte prática do esporte. “O objetivo é desenvolver novos conceitos, novos olhares para o basquete. Fazer a junção entre teoria e prática e mostrar para os técnicos o quanto o trabalho deles é importante para a estratégia que a FCB pretende implementar nos próximos anos”. Já um dos ministrantes da Clínica Técnica, o professor Michel Milistetd, considerou o evento promovido pela Federação como auxiliar no desenvolvimento do esporte em longo prazo: “A principal preocupação não é o rendimento em curto prazo, mas fazer com que cresça o número de praticantes e equipes competitivas. Após os Jogos Olímpicos, as pessoas perceberam o esporte como um campo de trabalho. E ampliando a cultura e a prática da modalidade, é natural que surja, como consequência, profissionais cada vez mais qualificados, não somente na área técnica, mas em todos os segmentos do basquetebol”, afirmou o docente da UFSC. Quem também proferiu aulas foi o árbitro internacional Enaldo Batista de Souza. Desde 1999, no quadro da FIBA e com atuações em campeonatos sul-americanos e nos Jogos Pan Americanos do Rio de Janeiro, em 2007, ele emprestou seu conhecimento no evento das regiões Oeste e Serrana, em maio. Os três professores ajudaram a difundir o objetivo da Clínica Técnica: espalhar e ampliar os conhecimentos da modalidade em Santa Catarina por meio da capacitação dos profissionais que atuam no Basquete Para o Amanhã – Trimania/FCB. O projeto ainda busca ampliar a base de praticantes de basquete, mais especificamente a prática da modalidade de base por crianças de 10 a 15 anos através de aulas e competições. Também promove o aperfeiçoamento de professores e treinadores através de capacitação e auxílio financeiro.

ATENÇÃO  Meta é formar profissionais e novos campos de trabalho

DESENVOLVIMENTO  FCB, presidida pelo professor Oscar Archer, promoveu três clínicas técnicas em 2017

Outras finalidades ``Oferecer um ambiente de coletividade e sociabilidade entre os participantes; ``Estimular a valorização do esporte; ``Promover a interação entre pais, alunos e comunidades; ``Divulgar institucionalmente as entidades envolvidas; ``Utilizar o esporte como estratégia agregando valor através de ações de cidadania, educação e saúde preventiva;

``Valorizar o basquete como forma de incentivo esportivo; ``Dar oportunidade para crianças e jovens de Santa Catarina para praticar basquetebol.

41


REGIONAL Fotos: Ricardo Toledo/FCB

CASA NOVA  Presidente da LNB, Dóris Castro, recebe as chaves da sede da Liga Norte das mãos do presidente Oscar Archer

LIGAS FOMENTAM A O BASQUETE EM SEIS REGIÕES DE SANTA CATARINA

Federação Catarinense de Basketball conta com importantes parceiros para o desenvolvimento da modalidade em cada parte de Santa Catarina. As seis ligas regionais têm atuação destacada e promovem eventos de qualificação aos profissionais da área, além de aproximação com a comunidade. Em 2017, as entidades fomentaram o basquete através de competições 3x3 (modalidade olímpica em 2020), clínicas de arbitragem, criação da divisão máster, promoção de jogo das estrelas (All Star Game) e até a inauguração de uma sede oficial. “Sempre foi meta da Federação desenvolver a modalidade nas seis regiões do estado de uma maneira mais local, mais próxima. Nossos objetivos visam dar condições às equipes, clubes, associações de praticarem um basquetebol de um nível mediano e posteriormente ter essas equipes, com logística e conhecimento, atingindo os campeonatos estaduais”, reforça o presidente da FCB, Oscar Archer. As seis filiadas à Federação Catarinense de Basketball são: Liga Metropolitana de Basketball, Liga Serrana de Basquete, Liga de Basketball do Vale do Itajaí, Liga Oeste Basquete, Liga Norte de Basketball e Liga Sul Catarinense de Basketball.

42

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL


Fotos: Lucas Colombo/MC10/Divulgação/FCB

LIGA METROPOLITANA PROMOVE 1º FESTIVAL DE BASQUETE 3X3 DA ADIEE/FME/LMB

ESTRELAS  Liga Sul Catarinense de Basketball promoveu evento com All Star Game, desafio de habilidades e competição de enterradas

E

m agosto, o Instituto Estadual de Educação, em Florianópolis, sediou 50 jogos de basquete 3x3 no 1º Festival organizado pela Adiee, Fundação Municipal de Esportes e Liga Metropolitana de Basketball. Além disso, houve torneio de enterradas no evento que contou com representantes de Santa Catarina e até de outros estados. As equipes participantes doaram alimentos não-perecíveis que foram destinados a comunidades carentes.

LIGA NORTE INAUGURA SEDE PRÓPRIA EM JOINVILLE

C

om apoio da Federação Catarinense de Basketball, a Liga Norte inaugurou sua sede localizada no Centro de Joinville. A solenidade, realizada em junho, contou com cerca de 30 pessoas, entre elas o presidente da FCB, Oscar Archer, a presidente da LNB, Dóris Castro, além de membros da Federação, diretores de clubes, técnicos e ex-jogadores. “É a continuação de uma longa caminhada que recomeçou em 2005 com a ajuda da FCB e que a partir de agora vai crescer muito. Com esta sala, nós temos um local para trabalhar, para realizar reuniões. Nós vamos organizar mais campeonatos e festivais, não somente em Joinville, mas em toda a região norte, em Mafra, São Bento, Rio Negrinho. É a realização de um sonho”, destacou a presidente da Liga Norte de Basketball, Dóris Castro. Situada na Avenida Juscelino Kubitschek, Centro de Joinville, a sala possui 53m², equipada com computadores, linha telefônica, internet, mesas, cadeiras, ar condicionado, banheiro próprio e copa.

ALL STAR GAME DA LIGA SUL CATARINENSE

O

s 24 melhores jogadores das sete equipes participantes do Campeonato LSCB de basquete 2017 foram escolhidos através de votação popular para disputarem o All Star Game, ou Jogo das Estrelas, da competição promovida pela Liga. Este e outros três eventos – habilidade, cestas de três pontos e enterradas – fizeram parte da 3ª Festa da Liga Sul Catarinense de Basketball (LSCB). As competições aconteceram no Ginásio do Colégio Marista, em Criciúma, com o ingresso sendo trocado por um 1kg de alimento não-perecível.

LIGA VALE DO ITAJAÍ

A

1ª Taça Libavi de Basquete Adulto Masculino de Navegantes aconteceu em junho com seis equipes participantes divididas em duas chaves. Organizado pela Liga Vale do Itajaí e apoio da FCB, o torneio reuniu representantes de Brusque, Itapema, Balneário Camboriú e Navegantes. No final, o título ficou com o time da ABL Balneário Camboriú, seguido por ABCE Itapema e Veteranos de Brusque. O destaque da competição foi o atleta Mário Vila-Lobos (equipe Coruja´s), que recebeu troféu das mãos da presidente da Libavi, Verônica Roncelli.

LIGA SERRANA REALIZA CLÍNICA REGIONAL DE ARBITRAGEM

E

ntre junho e julho, a Liga Serrana realizou, em Lages, a Clínica Regional de Arbitragem como modo de formar e aperfeiçoar novos árbitros e oficiais de mesa para os quadros da Federação Catarinense de Basketball. O evento reuniu diversos alunos orientados pelo experiente árbitro internacional, Cristiano Maranho.

VETERANOS EM QUADRA COM A CRIAÇÃO DA DIVISÃO MASTER DE BASQUETE PELA LIGA OESTE

D

esde o início de 2017, acontecem quadrangulares entre atletas veteranos de Santa Catarina e equipes do Paraná e Rio Grande do Sul. A criação da Divisão Master da Liga Oeste Basquete possibilita o retorno de ex-atletas às quadras. A primeira disputa aconteceu em fevereiro na cidade de Chapecó, a qual foi representada pela equipe “Das Antigas”.

43


 SOCIAL Foto: Adriano Krischke/FCB

FCB INVESTE EM REVITALIZAÇÃO DE ESCOLA EM SÃO JOSÉ

B

olas, coletes, tabelas profissionais e de minibasquete, equipamentos, uniformes, além da reforma e pintura do piso marcaram a nova fase do espaço esportivo da Escola de Educação Básica Osvaldo Rodrigues Cabral, localizada no bairro Bela Vista em São José. Com investimento de R$ 40 mil, a Federação Catarinense de Basketball transformou a realidade de alunos, corpo docente e moradores. “Estamos muito contentes com as nossas crianças participando desse projeto, desse núcleo que foi uma conquista muito grande pra essa comunidade", celebrou a diretora da EEB, Mônica Moraes. A solenidade de entrega da revitalização do espaço esportivo, obra cuja

44

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL

duração levou três meses, aconteceu em junho e contou com as presenças de pais, alunos, professores, diretores, representantes da Secretaria de Educação de Estado, da comunidade josefense e da FCB. “Esta é uma área de prioridade, que merece toda a atenção e planejamento por causa do número de crianças atendidas”, comentou o presidente da Federação Catarinense de Basketball, Oscar Archer. A Escola de Educação Básica Osvaldo Rodrigues Cabral integra o projeto Núcleos Estudantis 2017. Ao lado de outras agremiações, recebe auxílio – financeiro e logístico – para o desenvolvimento da modalidade com crianças e adolescentes.


Foto: Adriano Krischke/FCB

APOIO  Reforma da quadra durou três meses e vai atender cerca de 60 crianças do Núcleo Estudantil Osvaldo Rodrigues Cabral, no bairro Bela Vista, em São José

MATERIAIS BENEFICIAM CRIANÇAS NO NORTE E LITORAL

E

ntidades de Mafra e Itapema foram contempladas com a entrega de materiais esportivos pela Federação Catarinense de Basketball em junho. A primeira aconteceu em Joinville beneficiando quatro escolas integrantes do Projeto Basquete Para o Amanhã – TRIMANIA/FCB. Foram entregues duas tabelas com aro, placar eletrônico, bolas e coletes. “Todo material é bem-vindo, principalmente o placar eletrônico é de extrema importância porque nós não tínhamos na cidade. As tabelas vão atender a quatro escolas que são base do nosso projeto. Vamos trabalhar para que Mafra evolua muito no esporte”, celebrou o professor Plácido Gaisler Filho do projeto Basquete Para o Amanhã de Mafra.

A outra entrega ocorreu em Itapema, beneficiando cerca de 70 crianças participantes do projeto encampado pela Associação Basquete da Costa Esmeralda (A.B.C.E). “O material é extremamente bem-vindo. Em 11 anos de associação, nós nunca tivemos a oportunidade de aprimorar nossos trabalhos desta maneira. Esta doação vai sem dúvida ajudar muito em toda a dedicação que realizamos nas categorias de base“, destacou o presidente da A.B.C.E, Juliano Vieira. A lista de materiais incluiu bolas, jogo de coletes e tabelas.

45


 JUSTIÇA Foto: Adriano Krischke/FCB

PARCERIA  FCB doa impressora e notebook para agilizar os trabalhos do Tribunal

CESSÃO DE EQUIPAMENTOS AMPLIA ELO ENTRE FEDERAÇÃO E TJD-SC

A

fim de auxiliar a suprir a grande demanda de trabalhos que o basquete catarinense exige do judiciário, a Federação Catarinense de Basketball assinou, em julho, termo de cessão de materiais para o Tribunal de Justiça Desportiva de Santa Catarina (TJD-SC). Foram disponibilizados um Notebook e uma impressora. “Nós nos sentimos honrados de poder entregar estes equipamentos que contribuirão para o andamento dos serviços prestados à comunidade esportiva”, ressaltou o presidente da FCB, Oscar Archer, acolhendo solicitação do TJD catarinense. Entre as demandas atendidas pelo Tribunal, estão processos de condutas de atletas, inscrições e disputa de campeonatos das mais diversas modalidades esportivas. “Nós temos um convênio através do qual o TJD-SC serve como instância jurisdicional para efeito de disciplina, de regulamentos e interpretação de normas. E o basquete, juntamente com outras modalidades, demanda um alto numero de

46

REVISTA OFICIAL DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE BASKETBALL

trabalhos. Será extremamente bem-vinda a chegada desses equipamentos”, agradeceu o vice-presidente do TJD-SC, Giovani Rodrigues Mariot. Quem também reconheceu o gesto praticado pela Federação Catarinense de Basketball foi o procurador-geral do TJD, Mário Bertoncini, ao qualificar a entidade como um modelo a ser seguido em qualquer esporte no estado. “Não é fácil a otimização dos recursos, do aprimoramento administrativo que percebemos no resultado final que é o basquete catarinense hoje”, salientou. Estiveram presentes na solenidade realizada na sede da FCB, em Florianópolis, o vice-presidente do TJD-SC, Giovani Rodrigues Mariot (representando o presidente Marcelo Silveira); o procurador-geral, Mário Cesar Bertoncini e o auditor do Tribunal, João Rotta Filho. Além deles, compareceram o presidente da Federação, Oscar Archer e o Coordenador de Planejamento, Jairo Anello.


Profile for FCB-Basket

Revista FCB - BasqueteSC 006  

Basquete SC – 6ª Edição. A revista oficial da Federação Catarinense de Basketball, na busca por aproximar o público desse centenário esporte...

Revista FCB - BasqueteSC 006  

Basquete SC – 6ª Edição. A revista oficial da Federação Catarinense de Basketball, na busca por aproximar o público desse centenário esporte...

Advertisement