{' '} {' '}
Limited time offer
SAVE % on your upgrade.

Page 1

FOLHA BANCÁRIA DEZEMBRO DE 2019 | ANO XXII | nº 11

SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE CHAPECÓ - CTB | SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE JOAÇABA

UNIÃO E

/sindicato.dosbancarios

CIA

RESISTÊN

bancarios_cco

(49) 98804-0734

www.bancarioscco.com.br


FOLHA BANCÁRIA

DEZEMBRO DE 2019 | WWW.BANCARIOSCCO.COM.BR

Novos cursos gratuitos para os bancários

A importância de sindicatos fortes

O governo tem visto os direitos trabalhistas como entraves e investido pesado em medidas que retiram conquistas históricas e precarizam as condições de trabalho. Na visão política e econômica deles, o país só prospera se sobrepor os interesses da classe empresarial em prejuízo à dignidade do trabalhador. Há ainda fortes iniciativas para fragilizar as entidades sindicais e deixar os trabalhadores desarticulados e vulneráveis às vontades das empresas. A reforma trabalhista e outras medidas, como a MP 905, do “Contrato Verde e Amarelo”, tiveram como argumento a geração de empregos e a autonomia entre empregados e empregadores em negociações, mas na verdade sabemos que o trabalhador é o elo mais fraco e, na prática, os interesses do empregador sempre vão estar na frente. Neste contexto, sindicatos representativos são mais fundamentais do que nunca para atuar na defesa dos trabalhadores. A categoria bancária sempre foi referência de organização e unicidade, e um exemplo de sua força foi a recente negociação com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) para reverter os efeitos da MP 905 sobre os bancários. O movimento sindical conseguiu barrar a aplicação da MP e garantir a manutenção da jornada de 6h, o descanso aos sábados e que as regras da Participação no Lucros e Resultados (PLR) continue a ser definida com os sindicatos. As determinações da MP atingiriam em cheio a rotina e os ganhos dos bancários e só foram revertidas, pois nossa categoria tem uma representação forte em todo o país. Essa foi uma vitória, mas sabemos que os ataques não vão parar por aí. Por isso, precisamos valorizar nosso coletivo e permanecer unidos!

FOLHA BANCÁRIA Informativo mensal dos Sindicatos dos Bancários de Chapecó e de Joaçaba.

Quem já está cadastrado só precisa acessar com login e senha O convênio entre o Sindicato e o Instituto Fenae de Responsabilidade Social agora disponibiliza mais 10 cursos aos bancários associados. Os cursos são ofertados na modalidade de Ensino à Distância. Os bancários podem se inscrever nos módulos sem custo algum e vão receber certificado pelas capacitações. Quem já está cadastrado na plataforma não precisa enviar novamente a inscrição. Basta acessar com seu login (CPF e SENHA) para ter acesso aos novos cursos disponíveis pelo convênio. Se você ainda não se inscreveu e tem interesse em fazer os cursos deve enviar um e-mail para seger@bancarioscco.com.br informando o nome completo, e-mail, CPF e dois cursos de sua preferência.

Novos cursos disponíveis: Novos cursos disponíveis: • Como falar bem em público; • Cerveja; • Oratória; • Sobremesas para Confeitaria Básica; • Cozinha Criativa; • Espanhol Básico; • Investimento Inteligente; • Escrita Criativa; • FBB150; • Matemática Financeira com o uso da HP12C na prática.

Bancos lucram bilhões Os bancos em atividade no país lucram como nunca, mas não têm revertido os ganhos em benefícios de clientes e funcionários. Além de fechar agências e

BANCO

cortar vagas, o setor reduz salários e precariza os empregos. O salário médio dos bancários admitidos até agosto foi 31% menor do que dos funcionários desligados.

LUCRO (janeiro - setembro)

Itaú

R$ 21,067 bilhões

Caixa

R$ 16,2 bilhões

Bradesco Banco do Brasil Santander Banrisul

R$ 19,2 bilhões

R$ 12,468 bilhões

R$ 10,824 bilhões R$ 947,3 milhões

Projeto verão Falei com um educador físico sobre começar a treinar e ele me disse que tenho que começar aos poucos. Considerando a orientação dele, ontem passei por trás da academia, hoje pela frente e amanhã talvez eu pergunte o preço.

RIA

Distribuição dirigida aos bancários das bases dos sindicatos | Endereço: Avenida Porto Alegre, 619 D, Centro, Chapecó | seger@bancarioscco.com.br | www.bancarioscco.com.br | Edição: Suellen Santin | Revisão: Cesar Mazzolli | Tiragem: 1.800 exemplares | Fotos: Seeb Chapecó e Reprodução | Matérias: Seeb Chapecó, Contraf, Sindicato da Bahia e Sindicato de São Paulo. Impressão: Gráfica Inovar.


FOLHA BANCÁRIA

DEZEMBRO DE 2019 | WWW.BANCARIOSCCO.COM.BR

Caixa demite arbitrariamente PCDs Sindicato entrou com ação pedindo reintegração dos empregados A Caixa demitiu arbitrariamente dois empregados PCDs em São Lourenço do Oeste e Pinhalzinho. O Sindicato dos Bancários de Chapecó e Região está encaminhando ações para a reintegração dos empregados. O Sindicato também se reuniu com o Ministério Público do Trabalho (MPT) para relatar a prática discriminatória e, sob orientação da procuradoria, encaminhou um documento detalhado para formalizar a denúncia. Os funcionários foram desligados ainda no período de experiência. O banco fez cobranças incompatíveis com a realidade dos empregados e, ainda, alegou limitações de agilidade para fazer a dispensa, sendo que as limitações já haviam sido constatadas pela Caixa durante o momento de ambientação. Denúncias em todo o país Casos semelhantes foram registrados em outras agências do país. Inclusive, a Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae) enviou denúncia ao MPT, após receber vários depoimen-

Sindicato denunciou demissão discriminatória

tos de funcionários, demitidos também em período de experiência, que sofreram situações humilhantes no ambiente de trabalho. “A Caixa não tem um planejamento para alocação das pessoas de acordo com o tipo/grau de deficiência e as unidades recebedoras não têm preparação prévia para acolhimento desses trabalhadores. Não adianta contratar para fazer foto e publicidade positiva na imprensa, o banco precisa dar condições para quem chega e para quem recebe esses trabalhadores”, afirmou para a reportagem da Fenae a diretora de Saúde e Previdência da entidade, Fabiana Matheus.

Associados aprovam proposta para Cassi

Os associados da Cassi aprovaram a proposta de recuperação da Caixa de Assistência. Dos 167.557 aptos a votar, 124.267 exerceram o direito. No total, 81.982 (65,97%) foram favoráveis à proposta. Outros 39.608 (31,87%) foram contra. Votos brancos somaram 1.161 (0,93%) e nulos, 1.516 (1,22%). Considerando apenas os votos válidos, a proposta foi aprovada por 67,42%.

De acordo com o texto aprovado, a contribuição continua sendo cobrada pelo percentual de salário. Sobre os dependentes, o desembolso do aposentado será de 2%, limitado a R$ 300,00. Para os funcionários da ativa, caso tenha família com três dependentes, a contribuição estipulada é de 1,75%, sendo 1% para o primeiro dependente, 0,5% para o segundo e 0,25% para o terceiro.

RIA

Esposa bonita Um homem sentou-se ao meu lado e me mostrou no celular uma foto da esposa dele e perguntou: Ela é bonita, não é? Eu respondi: Se você acha que ela é bonita, deveria ver a minha namorada então. O homem questionou: A sua namorada é tão bonita assim? E eu respondi: Não, ela é oftalmologista.

Guedes quer privatizar o BB O plano do governo Bolsonaro de vender o BB está pronto para ser iniciado. Matéria publicada pela imprensa no início deste mês revela que o ministro da Economia, Paulo Guedes, e sua equipe estudam a privatização do Banco do Brasil. A venda do BB deve ocorrer até o fim do mandato de Bolsonaro, em 2022. Embora a direção da instituição financeira tenha negado o processo, o assunto já foi pauta de reunião no Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), setor responsável pelas privatizações do governo federal. O Banco do Brasil é uma empresa altamente rentável, com lucros que cresceram 36,8% em relação ao ano passado, e tem papel fundamental no crédito rural do país, o que contraria qualquer justificativa para a privatização.

Auxílio-creche é conquista A mobilização do Sindicato garante à categoria direitos. O auxílio-creche é um deles. O empregado tem direito ao reembolso das despesas de até R$ 488,91 com babás, creches e outras instituições por cada dependente. O auxílio-creche não é cumulativo com o auxílio-babá. O trabalhador deve fazer opção escrita por um ou outro, para cada filho. Pela CCT, o auxílio está garantido para bancários com filhos com até 71 meses (5 anos e 11 meses).


FOLHA BANCÁRIA

DEZEMBRO DE 2019| WWW.BANCARIOSCCO.COM.BR

Congresso discute ataques aos direitos dos bancários Na ocasião, delegados também fizeram as nomeações para complementação da diretoria da Fetrafi/SC Representantes dos bancários de todo o estado se reuniram no último dia 7, em Florianópolis, no I Congresso Extraordinário da Federação dos Trabalhadores em Instituições Financeiras de Santa Catarina (Fetrafi/ SC). Eles discutiram os constantes ataques do governo aos trabalhadores, em especial as medidas que atingem a categoria bancária. A nova previdência também foi pauta Bancários nomeados para a diretoria Os sindicatos fizeram debates, Na ocasião também foram “Reforçamos a importância exposições e encaminharam ações de nomeados os representantes do mo- de estarmos unidos e conscientizarenfrentamento para barrar a retira- vimento sindical para ocupar os car- mos todos os trabalhadores do setor da de direitos e defender as empresas gos que ficaram vagos na diretoria financeiro sobre as medidas que prepúblicas. Entraram em pauta nas dis- da Federação. O diretor do Sindicato carizam seus direitos. Passamos por cussões: “A importância da unidade dos Bancários de Chapecó, Adalberto um momento difícil e precisamos de do movimento sindical para enfren- Moro, entrou como suplente do Con- força para enfrentá-lo e defender nostar as políticas do Governo Bolsonaro/ selho Fiscal da Fetrafi/SC e a secretá- sas conquistas e a soberania nacional”, Guedes”; “A nova previdência e seus ria geral do Sindicato dos Bancários destacou o presidente do Sindicato dos impactos para a classe trabalhadora” e de Joaçaba, Claudia Zampieri Pratto, Bancários de Chapecó e Região, Cesar “Sindicalismo sob ataque”. assumiu no Conselho Fiscal Efetivo. Mazzolli.

Sindicato de Joaçaba homenageia ex-presidentes No encontro de fim de ano da diretoria, realizado no mais de 35 anos que atuou no movimento sindical. Valúltimo dia 10, em comemoração aos 61 anos de história do mir Pereira dos Santos, que está há mais de 40 anos no Sindicato dos Bancários de Joaçaba e Região, completados meio sindical, também foi homenageado por ter exercido importante papel na diretoria em 4 de dezembro, a entidade prestou uma homenagem aos seus exe na presidência do Sindicato durante período de transição. -presidentes. O momento também “A história de nosso Sindicafoi de despedida aos diretores que to se confunde com a própria vida aderiram aos programas de desligadeles, pela dedicação em defesa mento voluntário dos bancos e este dos interesses dos bancários, não ano deixam o Sindicato. apenas de nossa região, mas de Durante essas mais de seis todo o nosso país”, destacou o predécadas de trajetória, muitas fosidente do Sindicato de Joaçaba, ram as conquistas alcançadas para a categoria bancária, fruto do traRodney Tosi. O Sindicato estendeu a hobalho de todos que passaram pelo Ex-presidentes foram homenageados pelos anos de menagem a todos os ex-presidenSindicato. Por isso, o evento recotrabalho e dedicação ao Sindicato tes que os antecederam e a todos nheceu o trabalho e dedicação de todos os diretores e dos líderes que estiveram à frente da os bancários e bancárias que fizeram parte da diretoria e trabalharam pelos direitos da categoria. entidade e deixaram um legado exemplar. “Para os dirigentes que permanecem, a responsa Os ex-presidentes Aurélio José Biazotto, que assu- miu o Sindicato de 1977 a 1998, e Ernesto Valmórbida, que bilidade que já era grande agora ficará maior, mas tereexerceu seu mandato de 1998 a 2014, foram homenageados mos que estar unidos, mais do que nunca, para continuar por dedicarem mais de 40 anos ao trabalho sindical. nosso trabalho e representar da melhor maneira possível O bancário Ademir Zambiazzi, que foi presidente todos os bancários que depositam sua confiança em nosda entidade de 2014 a 2019, recebeu homenagem pelos so trabalho”, afirmou Tosi.


Trabalho aos sábados: NÃO! DEZEMBRO DE 2019 | ANO XXII | nº 11

SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE CHAPECÓ - CTB | SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE JOAÇABA

bancos assinam aditivo que garante

jornada e folga aos sábados Em negociação com a Fenaban, Comando Nacional dos Bancários conseguiu a suspensão dos efeitos da MP 905 na categoria. Apesar da conquista, mobilização deve continuar contra o retrocesso Em reunião no último dia 10, em São Paulo, o Comando Nacional dos Bancários conseguiu que a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) assinasse um aditivo à Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), suspendendo os efeitos da Medida Provisória 905/2019 na categoria até 31 dezembro de 2020. Com o acordo ficam garantidos a manutenção da jornada de seis horas de segunda a sexta-feira, os pisos salarias estabelecidos na convenção coletiva e que a PLR continuará sendo negociada com os sindicatos. Como é hoje, o trabalho aos sábados somente será permitido se houver negociação com o movimento sindical. Este foi o terceiro encontro entre a Fenaban e o Comando desde que o governo Bolsonaro editou a MP 905, no dia 11 de novembro, aumentando a jornada de trabalho da categoria de 30h para 44h semanais, liberando a abertura dos bancos aos sábados e retirando a obrigatoriedade das empresas negociarem com os sindicatos a participação nos lucros e resultados (PLR). Desde a primeira reunião, no dia 14 de novembro, o Comando Nacional deixou claro que não aceitaria as mudanças e conseguiu suspender a implementação da MP até o fim das negociações sobre o as-

Os Sindicatos de Chapecó e Joaçaba e Região se uniram, no dia 21 de novembro, ao Dia Nacional de Luta contra a MP 905. Eles retardaram a abertura de agências e entregaram uma carta aberta à população para demonstrar os prejuízos da proposta aos trabalhadores

sunto. No segundo encontro, em 26 de novembro, a representação da categoria garantiu a manutenção da jornada, com folga aos sábados, além de assegurar a negociação da PLR com o movimento sindical, faltando apenas a definição da validade e assinatura do aditivo, pontos acertados nesta última reunião do dia 10. “A suspensão dos efeitos da MP 905 é uma conquista. A luta para derrotar essa medida provisória, porém, deve continuar, pois há outros pontos que são extremamente prejudiciais aos trabalhadores, como a taxação do seguro-desemprego. Vamos permanecer mobilizados, nos manifestando nas redes sociais e pressionando os parlamentares”, ressalta o presidente do Sindicato dos Bancários de Chapecó e Região, Cesar Mazzolli.

Bancos querem retaliar sindicatos com ações de 7ª e 8ª horas A proposta de aditivo que garante a suspensão dos efeitos da MP 905 poderá excluir sindicatos que ingressaram com ações de cobrança da 7ª e 8ª horas entre 1º de setembro e 30 de novembro de 2018, que é o caso de vários sindicatos pelo país, inclusive da nossa Federação e do Sindicato de Chapecó e Região. A condição foi imposta pela Fenaban. Os sindicatos tentarão reverter a decisão, mas dependendo do posicionamento da Fenaban sobre as ações da 7ª e 8ª horas, o Sindicato de Chapecó manterá a categoria informada sobre como nossa base deverá proceder em relação ao caso.


Sindicato é fundamental para manter e garantir direitos Unidade e organização dos trabalhadores é essencial para resistir a esse momento de ataque aos direitos e garantir novas conquistas A categoria bancária sempre foi referência de luta e conquistas para outros trabalhadores. Na Campanha Nacional dos Bancários 2018, que preservou direitos diante da Reforma Trabalhista, mostrou mais uma vez como a unidade entre trabalhadores e Sindicato é fundamental para resguardar direitos, mesmo nas piores conjunturas políticas e econômicas. A negociação com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) sobre a Medida Provisória (MP) 905 é o exemplo mais recente da força da organização dos bancários. Um dos pontos mais prejudiciais da MP 905, neutralizado para os bancários, é a retirada dos sindicatos das negociações com empregadores sobre a Participação nos Lucros e Resultados (PLR). O ataque é mais um pacote de maldades do governo para enfraquecer as entidades representativas dos trabalhadores. Essa pressão acontece porque o governo e as empresas sabem que quando o trabalhador é representado por um sindicato forte fica muito difícil retirar direitos. Diante da atual conjuntura, na qual o governo tenta desgastar de

várias formas as organizações sindicais, é fundamental que todo bancário e bancária se aproxime do Sindicato, sindicalize-se, participe das mobilizações e assembleias. São os bancários que fazem o Sindicato. E nossas atitudes de resistência só reforçam que um sindicato forte é capaz de enfrentar os atuais ataques aos nossos direitos. “Os ataques vão continuar vindo, por isso temos que mostrar, mais do que nunca, que somos um exemplo de organização. Nossa categoria tem uma história de enfrentamento e precisa estar unida e mobilizada para continuar resistindo. Só a luta nos garante”, destaca o presidente do Sindicato dos Bancários de Chapecó e Região, Cesar Mazzolli.

Os bancários são uma das poucas categorias no país que possui Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) com validade nacional. Os direitos conquistados têm legitimidade em todo o país. São cerca de 485 mil bancários no Brasil, de bancos públicos e privados.

SEJA FILIADO! Entre em contato com seu Sindicato! Sindicato de Chapecó: (49) 3322-1159 | seger@b ancarioscco.com.br Sindicato de Joaçaba: (49) 3522-4422 | seebjoac aba@gmail.com

Sindicato e bancários juntos, categoria forte!

Profile for Folha Bancária Chapecó

Folha Bancária dezembro  

Folha Bancária dezembro  

Profile for fbchapeco
Advertisement