Page 1

ANO XVIII - NÚMERO 11

Dezembro de 2013

Há que se cuidar da vida Há que se cuidar do mundo Tomar conta da amizade Alegria e muito sonho Espalhados no caminho

Verdes, planta e sentimento Folhas, coração, Juventude e fé. (Milton Nascimento)

Um ótimo Natal e boas festas! São os votos dos Sindicatos dos Bancários de Chapecó e Joaçaba.


Bancos na contramão Entre janeiro e outubro desse ano a economia brasileira gerou 1,46 milhão de novos empregos. Os bancos vêm na contramão, com saldo negativo de 2.611 postos de trabalho fechados no mesmo período. Tirando a Caixa, que contratou 4.676 novos trabalhadores, o fechamento total foi de 7.545 vagas. Além dos cortes, o sistema financeiro manteve a prática de rotatividade de mão de obra alta, mecanismo perverso que os bancos usam para reduzir despesas de pessoal. Importante observar que a redução de vagas acontece no segmento mais lucrativo da economia brasileira. Desligando bancários, além de piorar as condições de trabalho, os bancos ainda não cumprem sua função social de gerar emprego e distribuir renda. Outro problema gerado pelo número reduzido de bancários é o crescimento da demanda de trabalho em função dos desligamentos em contraste com o aumento do número de clientes e usuários do sistema financeiro: Em 2002 eram 55 milhões de correntistas, número que saltou para 97 milhões em 2012. Além da sobrecarga de trabalho, os bancários sofrem com o adoecimento, estresse, depressão, assédio moral e exigências pelas metas impraticáveis. As consequências também alcançam os clientes, que reclamam por melhor atendimento: De 2008 até outubro passado, o volume de reclamações mais do que triplicou, saindo de 88,86 mil para 311,59 mil. Somente entre 2010 e 2012, a alta foi de 20%.

Cuidado com as lesões por esforço repetitivo As LER (Lesões por Esforço Repetitivo) são doenças inflamatórias que afetam principalmente os membros superiores e o pescoço. São causadas por tarefas que exigem movimentos repetitivos, realizados em condições inadequadas de trabalho. Qualquer estrutura dos braços e do pescoço pode ser atingida. Por isso temos várias doenças no grupo das LER. Dependendo da região atingida, ela tem um nome diferente. Veja: tendinites, tenossinovites, bursites ocupacionais, cervicobraquialgias (dores crônicas no pescoço e ombro), síndrome de compressão de nervos (por exemplo, a Síndrome do Túnel do Carpo), entre outras. Sintomas: Inicia com sensação de cansaço e peso na região atingida. Depois surgem as dores, primeiro no horário de trabalho, depois entram pelo período de repouso e até durante o sono. As dores podem ser associadas a câimbras, dormências, inchações, atrofias.

Importante: Se você estiver com alguns dos sintomas que caracterizam as doenças de trabalho, procure o Sindicato. É muito importante buscar ajuda logo nos primeiros sintomas, assim, é possível se curar. CAT: Ao ocorrer um acidente de trabalho, a empresa deve comunicar ao INSS, por meio da CAT (Comunicação de Acidente de Trabalho). Deve ser emitida em 6 vias: uma deve ser do trabalhador e outra do seu Sindicato. Se a empresa se recusar a preencher a CAT, procure o Sindicato.

Leia algumas dicas de prevenção às LER/DORT Adequação do mobiliário às caü

momentos;

racterísticas físicas individuais dos trabalhadores; Vigilância da saúde com exames ü médicos voltados para aspectos clínicos e relativos a ossos e articulações; Observe a postura ao sentar; ü Evite os pés suspensos, apoianü do-os quando estiver sentado, e não cruze as pernas; Evite ficar sentado por tempo ü prolongado, levante-se por alguns

ü Faça repousos regulares durante

o trabalho para se alongar; ü Se for possível, alterne as pos-

turas e gestos durante as suas tarefas; ü Mantenha os braços apoiados sempre que possível; ü No computador, a distância entre o monitor e o operador deve ser equivalente à extensão do braço; os punhos não podem estar flexionados.

No tribunal Advogado: Qual foi a primeira coisa que seu marido disse quando acordou aquela manhã? Testemunha: Ele disse, 'Onde estou, Bete?' Advogado: E por que você se aborreceu? Testemunha: Meu nome é Célia.

EXPEDIENTE: Folha Bancária é o informativo mensal dos Sindicatos dos Bancários de Chapecó e de Joaçaba. Redação: Rua Porto Alegre, 619-D, Centro, Chapecó, SC. E-mail: seger@bancarioscco.com.br. Editora: Mariane Kerbes . Tiragem: 1.800 exemplares. Distribuição dirigida aos bancários das bases dos sindicatos. Fotos: Seeb Chapecó, Reprodução. Matérias: Seeb Chapecó, Contraf, Sindicato da Bahia, Agência Câmara, Agência Brasil, TRT, Fetrafi/RS, TST, Rede Brasil Atual. Ilustração: Reprodução. Impresso na Gráfica Polyart.


Dezembro 2013

Mudança da expectativa de vida diminui aposentadoria O IBGE divulgou a tábua 2012, pela qual há um aumento médio de 144 dias na expectativa de vida para trabalhadores que hoje têm entre 40 e 80 anos. Ter uma vida mais longa é uma boa notícia, mas tem um impacto prático negativo na aposentadoria. O resultado é uma perda média de 1,67% no valor da aposentadoria por tempo de trabalho solicitada a partir de dezembro, na comparação com o benefício pedido até novembro. No acumulado desde 1999, quando foi adotado o fator previdenciário, a correção da expectativa de vida resultou em perda no valor da aposentadoria de 16,1% para homens e de 14,4% para as mulheres. O fator previdenciário já prejudicou 2.738.478 trabalhadores desde que foi criado em 1999. O valor do benefício cresce tão

pouco com acréscimo de idade e tempo de serviço que a ideia de retardar a aposentadoria saiu pela culatra. Os trabalhadores preferem se aposentar e continuar trabalhando do que esperar mais tempo para se aposentar. Após a introdução do fator previdenciário, as idades médias de concessão para homens e mulheres chegaram, respectivamente, a 54,5 e 51,6 anos, em 2003, mantendo-se nesses patamares.

Cassi e Previ deve ser para todos Foi realizada, dia 27 de novembro, a primeira reunião da mesa temática entre sindicatos e o BB sobre saúde e previdência para os funcionários oriundos dos bancos incorporados. Os representantes dos funcionários reivindicam que todos os trabalhadores oriundos do Besc, Banco Nossa Caixa e BEP tenham acesso ao plano de saúde da Cassi, com a assistência, os serviços, a amplitude nacional e a contrapartida de custeio do banco para ativos e aposentados. Com relação aos planos de previdência do Economus, Fusesc e

Previbep, que sejam garantidos os mesmos direitos, nível de contribuições e benefícios oferecidos aos funcionários do BB no Previ Futuro, preservados os direitos dos participantes ativos e aposentados vinculados aos planos de Benefício Definido daquelas três entidades. As entidades sindicais reafirmaram que a expectativa dos trabalhadores é que haja uma solução negociada, que equipare seus direitos aos dos bancários já admitidos como funcionários do BB. Será realizada nova reunião, com a data a ser agendada.

Idosos no mercado em 2012 Cerca de 27% dos idosos brasileiros trabalhavam em 2012. Os dados são da Síntese de Indicadores Sociais 2013 divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). O tempo médio semanal dedicado ao trabalho foi 34,7 horas. A principal fonte do rendimento de brasileiros com 60 anos ou mais foi aposentadoria ou pensão (66,2%) sendo que, para o grupo de 65 anos ou mais, a participação desta fonte de rendimento é 74,7%. Cerca de 23,7% dos idosos não recebiam aposentadoria ou pensão, enquanto 7,8% acumulavam aposentadoria e pensão.

57% dos brasileiros têm carteira assinada O índice de formalização no trabalho no Brasil é de 56,9%. Embora o índice ainda seja baixo, houve crescimento: há dez anos era de 44,6%. Os dados são do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e são comparativos entre 2002 e 2012. A situação do mercado de trabalho melhorou de forma considerável na década: houve redução significativa do desemprego, que foi reduzido de 11,5% em 2002 e pico de 13% em 2003 para 5,4% em 2012. É inserida no trabalho formal a pessoa que, com carteira assinada, contribui para a Previdência Social.

Poupança: STF adia decisão No mês de novembro houve manifestações a respeito de indenizações referentes às perdas na poupança com os planos econômicos. Primeiramente, o Banco Central calculou em R$ 149 bilhões o valor a ser pago pelos bancos aos correntistas caso o Supremo Tribunal Federal (STF) julgue que cabe ao sistema bancário arcar com as perdas de rendimento sofridas pelos aplicadores durante os planos econômicos Bresser (1998),

Verão (1989), Collor 1 e Collor 2 (1991). Em seguida, o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) fez novo cálculo e chegou ao valor de R$ 8,465 bilhões a ser pago pelos bancos aos poupadores. O valor menor é devido a consideração de que o Plano Collor 1 não poderia ser levado em conta porque há jurisprudência do STF desfavorável aos poupadores; por considerar os poupadores que já tiveram demanda na

Justiça e obtiveram ganho de causa e considerar a mortalidade dos interessados, idosos na época, entre outros. Uma votação ocorreria dia 28 de novembro, mas o STF adiou a discussão para fevereiro de 2014.


Dezembro 2013

Lucro dos bancos Confira como ficou o lucro dos bancos entre janeiro e setembro de 2013.

Centrais sindicais realizam protestos No dia 12 de novembro os sindicalistas foram às ruas para reivindicar o fim do Fator Previdenciário, que reduz o valor do benefício para os trabalhadores gerando uma perda salarial que pode superar os 40%. As manifestações foram convocadas pelas centrais: CTB, CUT, CGTB, FS, NCST e UGT. Já no dia 26 houve ato em Brasília, data em que ocorreu a última reunião do Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central). Com o lema “Mais desenvolvimento, menos juros”, as centrais sindicais realizaram manifesto contra o aumento de juros. Neste dia, o Copom subiu a taxa Selic de 9,5% para 10%.

Banco Postal precariza trabalho O BB vai ampliar os serviços do Banco Postal. A partir de agora, além dos serviços de pagamento e recebimento, o Banco Postal passa a oferecer diversas outras operações, como seguros, linhas de crédito, capitalização, cartões pré-pagos e consórcios. Com o Banco Postal, o BB não precisa ampliar o quadro de funcionários nas agências; o trabalhador não é contratado como bancário e sim terceirizado, com salários e direitos reduzidos, livrando a instituição financeira de vínculo empregatício. Além disso, a parceria permite ampliar o mercado sem investimentos altos em estrutura e funcionários.

Falta empregados na Caixa É flagrante a crônica falta de empregados nas agências da Caixa. Em todas as unidades, o que verificamos é uma crescente demanda de serviços, aumento do número de clientes e usuários e um número reduzido de empregados. A abertura de novas agências não resolveu o problema da sobrecarga de trabalho. O que se verifica é que novas demandas surgem. Nas agências mais antigas, onde a sobrecarga de trabalho já existe há muito tempo, o problema, além de persistir, tem se agravado diante da política da Caixa de não contratar novos bancários nessas unidades. Nas novas unidades, a sobrecarga de traba-

As filas começam a se formar ainda do lado de fora das agências

lho também já se verifica devido ao pequeno número de empregados. É urgente que a Caixa verifique com a devida atenção essa situação e tenha um quadro de pessoal adequado à demanda de trabalho.

Brasil é 2º colocado em sonegação fiscal O Brasil é segundo colocado na evasão de tributos, só perdendo para a Rússia. Em terceiro lugar está a Itália, segundo levantamento feito pelo grupo internacional Tax Justice Network, com base em dados de 2011 do Banco Mundial. A conta é simples: a partir do PIB (Produto Interno Bruto) e das alíquotas tributárias estabelecidas, estima-se quanto deveria ser arrecadado. A partir disso, é possível saber o tamanho da evasão fiscal em cada país. No Brasil, o valor encontrado corresponde a 13,4% do PIB.

No México e Argentina a evasão é bem menor: de 2,4% e 6,5% do PIB, respectivamente. A sonegação brasileira não se refere somente ao camelô ou ao contrabandista. Muitas empresas grandes não pagam os impostos que deveriam. Enquanto isso, os assalariados são duplamente tributados em função do desconto em folha de pagamento de salário e também nos impostos sobre todos os produtos consumidos. A partir do momento que esses impostos são cobrados e não são recolhidos, a fome do leão cresce.

Sapo encantado Uma loira passeava às margens de um lago quando, de repente, apareceu um sapo dizendo: -Eu sou um bancário e fui transformado em um sapo por uma bruxa malvada. Se você me beijar eu me transformo, caso com você e seremos felizes para sempre! A mocinha toda contente pegou o sapo, mas apenas o colocou no bolso da jaqueta… Enquanto ela ia caminhando para casa, o sapo começou a ficar impaciente e perguntou: - Ei, você não vai me beijar? Ela respondeu: - De jeito nenhum! Terei mais dinheiro com um sapo falante do que com um marido bancário.

Siga-nos no

twitter:

bancarios_cco

Acesse nosso

site:

www.bancarioscco.com.br

Fb dezembro  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you