Page 1

FAZER MELHOR CUSTÓDIO OLIVEIRA

Vitor Car valho

Fradelos

Manuel Silva

Louro

Celestino Matias Gondifelos, Cavalões e Outiz

Orlando Couto

Lousado

Joaquim Soares

Ana Barroso

Vilarinho das Cambas

Ribeirão


Candidatos à Câmara


O meu compromisso 1. Trabalhar e dar o melhor de mim por um projeto do PS de fazer mais, de fazer melhor por Famalicão e pelos Famalicenses. 2. Reconhecer o que foi feito e o que o Concelho tem de positivo e de bom. Somos um Concelho com grandes potencialidades – o terceiro concelho mais exportador do País, o 14º Concelho em termos de um conjunto de variáveis: território, habitantes, PIB. Somos um concelho de gente dinâmica, inovadora e de grande capacidade. 3. Denunciar que somos um Concelho com grandes problemas – problemas que uma espécie de nuvem propagandística lançada pela candidatura do PSD quer esconder. No mês de abril, o Concelho de Famalicão era o que tinha o maior número de desempregados inscritos – 13. 726 – o mais elevado do Vale do Ave, embora em termos percentuais seja de 15,39%. (Quem ignorar os problemas nunca os resolverá). 4. Nunca nos conformarmos e, pelo contrário, assumirmos um grande projeto e plano com o objetivo concreto de no prazo máximo de seis anos colocar o Concelho de Famalicão nos vinte primeiros concelhos do País em termos das variáveis de qualidade de vida é imperioso. Atualmente o Concelho ocupa o lugar 182º em 308 municípios, de acordo com o estudo da Universidade da Beira Interior (UBI). Se somos o 14º do País e o 3º mais exportador, também temos que ser dos primeiros em qualidade de vida. (Esta perspetiva indica que a gestão do Município será assumida em termos mais modernos, mais avançados e mais inovadores e centrada em objetivos concretos e avaliáveis numa lógica de proatividade). 5. Fazer uma campanha séria e pela positiva.

Uma declaração Uma parte significativa da minha vida foi dedicada voluntariamente às causas do associativismo, da cultura, do desporto e da solidariedade social, preocupando-me sempre com os mais necessitados… Sinto que tenho experiência, conhecimentos e capacidade para corresponder ao que deve ser um Presidente de Câmara. Encaro a candidatura e eleição como mais uma causa e um grande desafio para fazer melhor por Famalicão e pelos meus conterrâneos. Custódio Oliveira


Um homem que não esquece a suas origens Custódio Oliveira nasceu em Joane numa família operária, com 9 irmãos. Tem uma formação sólida de base católica, com sete anos de estudo no Seminário de Braga. Em jovem dinamizou grupos de jovens cristãos e pertenceu à Juventude Operária Católica. A paixão pelo teatro nasce no seio destes grupos. Aos 17 anos escreveu a sua primeira peça de teatro, “A Morte de Valentim”, que narra a morte de um jovem operário têxtil.

Com os irmãos

Seminarista

Custódio no Seminário

Com um grupo da JOC


Um homem com uma longa experiência para Presidente Custódio Oliveira tem uma longa experiência de gestão autárquica. Durante oito anos foi assessor do Dr. Agostinho Fernandes na Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão. Durante dez anos foi assessor do Dr. Fernando Gomes na Câmara Municipal do Porto. Trabalhou ainda no Ministério dos Negócios Estrangeiros e no Ministério da Administração Interna.


Grupo de Teatro Semente

Um Homem Solidário e de Causas para Presidente Custódio Oliveira é conhecido pela sua generosidade e solidariedade. É um homem do mundo Associativo. Em Paris fundou e dinamizou um grupo de teatro – “O Teatro Semente” – e é cofundador da Associação Portuguesa de Saint Denis, uma instituição criada no início dos anos 70 e que ainda hoje existe. Em Joane, com um grupo de Jovens, fundou a Associação Teatro Construção, uma Instituição de Solidariedade Social, Cultura, Educação e Desporto. Começou como grupo de teatro, mas hoje tem cerca de 100 colaboradores e tem uma atividade que envolve mais de 500 crianças, jovens e idosos diariamente. Ainda hoje é dirigente desta Associação. É membro do Centro de Estudos Sociais da Confederação Nacional de Solidariedade Social. É um apaixonado dos Caminhos de Santiago que faz todos os anos. Este ano ainda fará o troço Burgos –Astorga do projeto iniciado em França (Lurdes) em 2011 e que termina no próximo ano com o troço Astorga-Santiago.

Com o Padre Lino Maia Presidente da CNIS


Um homem com estudos e conhecimentos para Presidente Custódio Oliveira é licenciado em Ciência Política, tem o mestrado em Comunicação e Marketing Político pela Universidade de Santiago de Compostela, é doutorando nesta Universidade em Processos Políticos Contemporâneos. É autor de diversos livros. Na área do teatro destaca-se “Bernardino Machado um Homem Livre”, um livro publicado pelas Edições Afrontamento com prefácio de Mário Soares. Na área do estudo e investigação, destacam-se: “Metro do Porto – o maior investimento da AMP no Século XX” e “Governar é Comunicar”. É coautor e coordenador dos livros “Como Gerir Melhor a Sua Autarquia” e “Como Gerir Bem a Sua Instituição”. Participa anualmente em Congressos Internacionais, ora como participante, ora com comunicações de investigação. Além de docente universitário, é sócio de uma pequena empresa de comunicação, através da qual exerce a profissão de consultor, prestando serviços em diversos municípios.


Um Homem com pensamento próprio para Presidente

Custódio Oliveira tem ideias próprias. Sempre teve dificuldades de enquadramento partidário, embora sendo da família ideológica do PS. Recentemente definiu-se assim: “Sou um humanista de esquerda de origem cristã. Social mais que socialista. Idealista mais que pragmático”. Negar a liberdade de informação é negar a democracia. Liberdade de informação que inclui o direito dos cidadãos a expressaremse livremente e a serem informados de forma plural a partir de fontes independentes. O cidadão não deve formar a sua opinião sem ter acesso a todos os elementos informativos necessários à formulação de um juízo. In Jornal “Grande Porto” As eleições são a expressão mais relevante de participação cívica. São o processo mais importante do sistema político democrático. Produzem representatividade. Seleccionam quem governa. Criam legitimidade. Através das eleições os cidadãos, os únicos detentores do poder, decidem quem ocupa cargos políticos representativos e executivos. In Jornal “Grande Porto” As tecnologias da comunicação são essenciais na sociedade do conhecimento. A Internet como potente instrumento de acesso ao conhecimento é um pilar essencial de uma cidade, de uma região ou de um país. In Jornal “Grande Porto”

A regionalização deveria ter sido concluída há mais de trinta anos, conforme determinava a Constituição. Seria o tempo certo. Acompanharíamos então os movimentos descentralizadores e sistémicos que percorriam a Europa. Até a França centralista e jacobina concretizou a sua regionalização em 1982. Salvo honrosas e parcas excepções, a tradição histórica em Portugal é de ficarmos despreocupadamente para trás. In Jornal “Grande Porto”

A história da humanidade registará o nosso tempo como a era da ciência e das rápidas e enormes mudanças tecnológicas. (A revista Times afirmava que 90% dos cientistas de toda a história humana viveram no século XX). As Tecnologias de Informação e Comunicação encurtam as distâncias, reduzem os tempos e alteram os processos de relacionamento. IN Jornal “Grande Porto”

A crise a agravar-se afecta sobretudo os mais necessitados. Aqueles que mesmo sem crise vivem ou sobrevivem com grandes dificuldades. Mais do que nunca é necessário ter em conta princípios e valores como a de humana no século XXI. Aquela ideia neo-liberal de que o mercado tudo resolveria e traria riqueza para todos está a cair com estrondo ao ritmo da crise mundial. Os governos devem ter a coragem de encontrar formas de introduzir justiça social que possa combater as desigualdades, solidariedade e a fraternidade… A história de Portugal tem muitos exemplos de como foi possível vencer situações de graves crises. Esta também será vencida, apesar de depender muito da conjuntura internacional. In “jornal Opinião Pública”


O desenvolvimento de uma comunidade passa em parte significativa pela aposta na qualidade. No Concelho de Famalicão a qualidade deveria ser um desafio a encarar de forma permanente nas pequenas e nas grandes coisas. In Jornal “Opinião Pública”

“Que mensagem gostaria de deixar neste Natal?” Uma mensagem de Paz. Paz assente na Fraternidade. Paz que exige o fim de todas as guerras. Paz que significa Amor. Paz que está na Amizade. Paz que se vê e sente nos sorrisos das crianças. Paz que está no oposto de realidades cruéis, tais como: » Em cada ano nascem 20 milhões de crianças com insuficiência de peso; » 923 milhões de pessoas no mundo sofrem de subalimentação; » 200 milhões de famílias vivem com menos de um euro dia; » 100 milhões de pessoas vivem com menos de 50 cêntimos dia. » Mil milhões de pessoas vivem sem água potável. A nossa crise face a esta realidade tem uma dimensão reduzida. In “Jornal Opinião Pública”

A coesão social e económica deve ser um objectivo essencial de qualquer governo. Os fenómenos de exclusão social assentes nas enormes e chocantes desigualdades entre os que mais têm e os que nada possuem não dignificam e põem em causa a sociedade para o desenvolvimento e a competitividade In “Jornal Opinião Pública”

No nosso País o princípio da subsidiariedade é sistematicamente ignorado. Fato que se compreende face ao exacerbado centralismo da administração estatal”. In “Metro do Porto”

Nas Instituições do 3º Setor Social temos o dever de gerir bem, de gerir com mais rigor, mais eficiência, mais qualidade e mais transparência que os setores privado e público” In “Como Gerir Bem a sua Instituição” A integridade é um valor ético de grande importância porque pressupõe a honestidade e a transparência”. In “Como Gerir Bem a sua Instituição”


O que pensa Custódio Oliveira Cinco razões para a nossa candidatura 1. Servir o Concelho onde nasci e ao qual sempre estive ligado. 2. Pôr ao serviço dos famalicenses a experiência, os saberes e a capacidade de trabalho que adquiri ao longo da vida. 3. Construir um projeto de futuro que garanta a afirmação e desenvolvimento equilibrado do Concelho assente na qualidade de vida e no bem-estar comum. 4. Contribuir para que os cidadãos do Concelho, tenham a hipótese de fazer uma escolha clara entre uma candidatura liderada por um político e dirigente distrital e nacional do principal partido do Governo e, como tal, apoiante e responsável direto pela obras e ações deste Governo, e uma candidatura liderada por alguém para quem a política só tem sentido se for vivida e praticada como um serviço aos cidadãos e à comunidade. 5. Afirmar e mostrar que há vida e esperança para além da crise – crise de valores – em que os legítimos interesses, expectativas e direitos humanos são ignorados, desprezados e espezinhados por políticas públicas tecnocráticas e neoliberais assentes na primazia dos interesses exclusivamente financeiros de alguns.


Mais do que um Programa Princípios, Orientações e Medidas

I.

Somos um Concelho com 49 freguesias (as 34 impostas pelo PSD/CDS não têm sentido, nem razão), com mais de 130 mil habitantes e com uma área superior a 200 km2. Estamos nos primeiros cinco mais exportadores do país, porque temos capacidade de trabalho e conhecimentos técnicos. Estamos nos primeiros vinte em termos das variáveis população e área territorial. Temos potencialidades geoestratégicas significativas. Contudo, em termos de qualidade ocupamos o lugar 182º em 308 municípios, de acordo com o estudo da Universidade da Beira Interior (UBI), onde são analisadas 48 variáveis referentes à qualidade de vida. » Assumimos como vetor e grande objetivo das políticas municipais, até ao ano 2020, colocar o nosso Concelho nos primeiros vintes Concelhos do País com melhor qualidade de vida. Para isto será obrigatório: a) Concluir a rede de saneamento; b) Criar zonas verdes abertas à população em todo o Concelho; c) Garantir serviços públicos de proximidade, contrariando a tendência centralizadora do País e do Município.

II.

A educação, desde a creche à Universidade, centralizada nos alunos e envolvendo ativamente professores e família, será a primeira prioridade do Município Famalicense. Só com pessoas superiormente preparadas e formadas podemos ter uma economia inovadora e de futuro. A educação aliada à inovação é o principal pilar do desenvolvimento sustentado e da qualidade de vida.

a) A oferta dos livros escolares até ao 12º ano, o apoio pro ativo aos professores e associações de pais são exemplos da prioridade que damos à educação como raiz e seiva do desenvolvimento humano;

b) A Internet sem fios gratuita em todas as freguesias do Concelho.

III.

Queremos uma Câmara Municipal efetivamente ao serviço das pessoas, combatendo os jogos de poder e de interesses que sempre se procuram instalar.


Queremos uma Câmara Municipal aberta, próxima, descentralizada e transparente. Queremos uma Câmara Municipal que incentive a participação cívica e saiba agradecer as críticas, sugestões e propostas que as pessoas e as instituições apresentem. Queremos uma Câmara Municipal que a todos trate por igual e que seja capaz de apoiar com rigor os que mais precisam. Queremos uma Câmara que encare todo o Concelho por igual em vez de concentrar tudo na Cidade. Queremos uma Câmara Municipal com uma voz que se faça ouvir na região e no país, que seja exigente, que defenda sempre os interesses do Concelho e dos Famalicenses. Queremos uma Câmara Municipal com uma gestão moderna e inteligente.

Estes princípios gerais corresponderão a opções e a medidas concretas tais como: 1. Criação, no prazo de nove meses, de quatro Lojas Municipais do Cidadão (tipo balcão único) uma na sede do Município e as outras três nos principais núcleos urbanos do Concelho numa lógica de descentralização e de proximidade às pessoas para evitar deslocações e gastos desnecessários; 2. Garantir, no prazo de três anos, a certificação de qualidade, de acordo com as normas ISO dos serviços da Câmara Municipal. Avançar para o modelo da gestão dita inteligente, para reforçar a motivação dos colaboradores municipais e a eficiência a todos os níveis. 3. Criação da instituição Provedor do Munícipe, que será o Dr. Agostinho Fernandes, que funcionará como defensor formal dos munícipes. O provedor será um cargo não remunerado, associado ao qual apenas existirão alguns custos com um secretariado de apoio; 4. Opção pelo modelo de Orçamento Participativo com dois objetivos essenciais: garantir a transformação do orçamento num documento de rigor, sem mecanismos de inflação de verbas e garantindo a participação ativa das freguesias, das instituições e de todos os interessados; 5. Realizar, no prazo máximo de nove meses um Plano Estratégico de Desenvolvimento do Concelho até 2020 que enquadre os Planos anuais e redefina as políticas públicas de uma Câmara ao serviço das pessoas. 6. Realização da reunião de Câmara, de dois em dois meses, nas freguesias do Concelho. 7. Criar, nos 19 km das margens do Rio Ave de Ribeirão a Pedome, um corredor ecológico com parques em Lousado (Lagoncinha) Riba D’Ave e Pedome. Requalificar e relançar o Parque de Campismo em Gondifelos. 8. Exigir que o Metro, como meio de transporte rápido e de qualidade, sirva o Concelho de Famalicão. Um investimento que o Estado terá que suportar a partir do momento em que Metro do Porto chegue à Trofa.


Sete Compromissos Concretos Uma Câmara ao serviços das pessoas

1. Oferta dos livros escolares até ao 12º ano para todos as

crianças e jovens do Concelho. Os livros terão que ser adquiridos no comércio Concelhio.

2. Garantir aos jovens pais um incentivo de 600€, em bens adquiridos no comércio local, por cada bebé que nasça no Concelho. Em dez anos a natalidade no Concelho teve uma queda de um terço.

3. Dar um subsídio mensal entre 30 a 45€ por cada criança em creche no Concelho.

4. Desenvolver programas e projetos dirigidos aos jovens, onde se pretende cativar 1 milhão e 500 mil euros das verbas da derrama para apoiar a criação do emprego para jovens. Com esta verba pretende-se criar algumas centenas de empregos para jovens.


5. Garantir os medicamentos gratuitos para os idosos com um rendimento inferior a 419€ mensais. Criar um Serviço SOS idoso para pessoas sozinhas com apoios de saúde e para pequenos arranjos nas casas. Relançar o Cartão Sénior, garantindo apoios existentes (passeio anual, acesso às piscinas, descontos nos transportes);

6. Apoiar as empresas de uma forma inovadora, criando o Gabinete

de Apoio à Internacionalização das Empresas.

7. Reduzir os impostos municipais aplicáveis às pessoas singulares para os valores mínimos exigidos por Lei e enquanto durar a situação de crise, da seguinte forma:

a) Redução da taxa do Imposto Municipal sobe Imóveis (IMI) para o seu valor mínimo legal, ou seja, para 0,3%, o que corresponderá a uma diminuição de cerca de 15% do valor do IMI a pagar; b) Redução do IRS destinado ao Município em 40%, passando a taxa aplicável de 5% para 3%.

Este compromisso será aplicado no Orçamento Municipal para 2014


Candidatos à Câmara Municipal Presidente Custódio Marques de Oliveira Naturalidade Vila de Joane

Idade 62 anos

Formação académica Licenciado em Ciência Política e Master em Comunicação e Marketing Político pela Universidade de Santigo de Compostela. Doutorando em Processos Políticos Contemporâneos na Universidade de Santigo de Compostela.

Actividade Profissional Consultor de Comunicação. Docente Universitário.

Actividade Associativa Fundador e Dirigente da Associação Teatro Construção. Membro do Centro de Estudos Sociais da Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade.

Vereadores António Alberto Gomes Barbosa

Maria José Machado Gonçalves

Idade 59 anos Freguesia Calendário e V. N. Famalicão Profissão Economista

Idade 51 anos Freguesia Delães Profissão Advogada

Economista, pós-graduado em Economia Financeira, gestor, docente do ensino superior, autarca (vereador do Ambiente 1998-2001. Vice-presidente da Câmara Municipal 2000-2001), atualmente vereador.

Licenciada em Direito pela Universidade de Coimbra. É advogada de profissão. Vereadora e deputada da Assembleia Municipal.

Luis Fernando Andrade Moniz

Silvestre Ivo Sá Machado

Idade 32 anos Freguesia União de Freg. Arnoso Profissão Jurista

Idade 45 anos Freguesia Vila de Joane Profissão Professor

Assessor Jurídico e Diretor do Serviço de Gestão de Recursos Humanos do Hospital Santa Maria Maior, EPE, desde 2007. Desde 2005, é Deputado à Assembleia Municipal de Vila Nova de Famalicão.

Presidente de Junta de Freguesia de Joane desde 1992. Professor do ensino Secundário/profissional desde 1995. Mestrando em Administração Pública. Fundador de várias associações.


Filipa Nunes Miranda da Cunha

Cristiano Costa da Silva

Idade 31 anos Freguesia Calendário e V. N. Famalicão Profissão Advogada

Idade 37 anos Freguesia Riba de Ave Profissão Investigador Doutorando

Licenciada em Direito pela Universidade de Coimbra e Pós-Graduada em Direito Tributário e Direito Fiscal pela Universidade do Minho. Advogada em Vila Nova de Famalicão desde 2005.

Investigador Doutorando no CENTRO ALGORITMI - Universidade do Minho. Possui Licenciatura e Bacharelato em Engenharia Eletrotécnica – Eletrónica e Computadoreso Automação e Sistemas. Foi Professor de Eletrónica e Informática na Didaxis. Diretor de Informática e Eletrónica em empresas.

Carlos Manuel dos Santos Silva

Diana Catarina Araujo Dias

Idade 27 anos Freguesia Fradelos Profissão Desempregado

Idade 24 anos Freguesia Ribeirão Profissão Prof. Educ. Fisica

Presidente da JS concelhia Famalicão Membro da comissão nacional do PS Licenciado em Marketing Farmacêutico Participação na organização de eventos da Fundação Portuguesa de Cardiologia.

Estudante no Instituto Superior da Maia. Mestrando de Educação Física e Saúde. Instrutora fitness.

Rui Manuel Matos Carvalho

Joaquim Campos Pinheiro

Idade 35 anos Freguesia União de Freg. Avidos e Lagoa Profissão Comercial

Idade 63 anos Freguesia Lemenhe, Mouquim e Jesufrei Profissão Aposentado

Licenciado pelo Instituto Nun’Alvares. Presidente duma instituição associativa Membro da Assembleia de Freguesia de Avidos.

Curso Geral de Mecânica, da Escola Industrial e Comercial de V. N. Famalicão. Militar da FA e da BT/GNR. Presidente de Junta de Freguesia de Lemenhe entre 2005 e 2009.

Ana Sofia Mesquita Cardoso Idade 24 anos Freguesia Landim Profissão Estudante

FAZER MELHOR

Licenciatura em Solicitadoria no IPCA Instituto Politecnico do Cavado e do Ave.

Suplentes « 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22

João Paulo da Costa Machado Carvalho Manuel Augusto Oliveira Ferreira Rita Couto Alves Azevedo Daniel Fernando de Oliveira Machado António Pedro Simões de Pinho Alves de Sá Flávia Martinha Barbosa de Oliveira António Miguel Ribeiro Pinto Campos Rui Alexandre Correia da Silva Candida da Conceição Machado Vidrago Ana Paula Ribeiro Vieira de Castro

Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade

47 anos 43 anos 25 anos 66 anos 34 anos 29 anos 28 anos 23 anos 40 anos 54 anos

Freguesia Freguesia Freguesia Freguesia Freguesia Freguesia Freguesia Freguesia Freguesia Freguesia

Cruz Vale, Telhado e Portela Vale São Martinho Vale, Telhado e Portela Louro Arnoso e Sezures Vermoim Outiz Oliveira Santa Maria Calendário e V. N. Famalicão

Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão

Professor Chefe Secção Administrativa Agente Funerário Podologista Professor Treinador Futebol Técnico-Adjunto Eng. Textil Aposentada


Candidatos Ă Assembleia Municipal


Presidente Manuel Joaquim Duarte dos Santos Natural e Residente Fradelos – V. N. de Famalicão Idade 61 anos Profissão Médico Motivações Este famalicense honra o 1º lugar da lista do órgão máximo do Município. Para Duarte Santos esta candidatura está orientada para servir o povo e dar privilégio às questões sociais. Numa altura de profunda miséria social é preciso atender às carências dos mais necessitados e encontrar uma resposta social a esse flagelo. A Assembleia Municipal enquanto palco do povo deve ser o órgão promotor de uma intervenção cívica. » Deputados 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52

Emídio Rubim Sousa Santos Mª Madalena Fernandes Nogueira Carvalho Nuno André Araújo dos Santos Reis e Sá Paulo Cesar Gonçalves Marinho Pinto Maria Adelina Ortiga de Castro José Manuel Oliveira Lopes José Carlos Reis Campos Célia Cristina Maia Meneses Castro Raul Duarte de Aguiar Tavares Bastos Hugo Alexandre Miranda Sampaio Carla Sofia Santana Afonso Ribeiro Faria Fernando Ribeiro Moniz Vitor Torres Pereira Maria José Fernandes Barbosa André Filipe Pinheiro Moreira Costa Domingos Pereira Peixoto Cidália da Conceição Faria da Costa Araujo Hilário Manuel Ribeiro Pinto Campos António José Gomes Costa Ribeiro Maria Manuela do Couto Machado André da Silva Azevedo Francisco Rodrigues de Sá Vera Helena Matos Barbosa José Manuel Miranda Pereira Ricardo Filipe Pinto Rodrigues Joana Filipa Correia Azevedo António Jacinto Coelho e Costa Luis Miguel Taveira Silva Soares Carla Ermelinda Cardoso Gonçalves Bruno Miguel Faria da Silva Carlos Jorge Machado Soares Joana Marina da Silva Costa Alberto Martins Campos Oliveira Daniela Susana Azevedo Carvalho Adolfo Costa Oliveira Susana Cristina Sousa Magalhães Alvaro Martins de Azevedo Manuel Jorge Pestana de Ponte Adília Patricia Martins Pinto Casimiro Miguel Almeida Carneiro Joaquim Augusto Pereira Martins Liliana Raquel Moreira Pereira Ricardo Moreira Dias Pedro Marcelo Pereira dos Santos Silva Ana Maria Pinheiro Correia Barroso Frederico Duarte Araújo de Sá Helder Ricardo Oliveira Ferreira de Carvalho Liliana Telma Castro Ferreira Agostinho Manuel da Silva Manuel da Cunha Oliveira Manuel Eduardo de Sousa Araujo

Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade Idade

55 anos 53 anos 37 anos 40 anos 73 anos 60 anos 57 anos 42 anos 70 anos 29 anos 37 anos 60 anos 40 anos 50 anos 35 anos 64 anos 31 anos 36 anos 62 anos 32 anos 34 anos 46 anos 29 anos 35 anos 33 anos 23 anos 43 anos 43 anos 32 anos 34 anos 43 anos 22 anos 48 anos 29 anos 58 anos 26 anos 51 anos 63 anos 24 anos 31 anos 28 anos 22 anos 25 anos 25 anos 49 anos 23 anos 28 anos 28 anos 41 anos 61 anos 60 anos

Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência Residência

V. N. Famalicão Calendário V. N. Famalicão V. N. Famalicão V. N. Famalicão Riba de Ave Porto Ruivães V. N. Famalicão Antas São Martinho do Vale V. N. Famalicão Fradelos Delães V. N. Famalicão Louro Lemenhe Vermoim Gavião Riba de Ave Ribeirão Castelões Cruz Brufe Antas Ribeirão Riba de Ave Lousado Seide S. Paio Vale S. Martinho Nine Bairro Mouquim Vermoim Outiz V. N. Famalicão Oliveira Santa Maria Pedome Lousado Requião Delães Arnoso Sta. Maria Esmeriz Antas V. N. Famalicão Arnoso Sta. Maria Calendário Delães Lousado Oliveira Santa Maria Ribeirão

Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão Profissão

Advogado Tec. Sup. Contabilidade Jurista Engenheiro Aposentada Reformado Médico Dentista Professora Reformado Gestor Financeiro Funcionaria Pública Economista Advogado Escriturária Eng. Informático Aposentado Controller de gestão Empresário Aposentado Pintor/Jurista Funcionário Pubblico

Diretor de Marketing Trab. Estudante Tec. Comercial Empresário Assistente Administrativa Contabilista Empresário Estudante Reformado Audiologista Empresário Marketeer Fogueiro Aposentado Ajudante de Lar Auxiliar Operário Textil Consultora Estudante Professor Tec. Oficial Contas Estudante Forneiro/Estudante Técnica Analises Clinica Comercial Empresário Reformado


Fradelos

Fradelos é uma freguesia com 16,97 km² de área e 3 914 habitantes (2011).


Fradelos

É natural do Porto, tem 46 anos, é casado e está a residir há doze anos na Freguesia de Fradelos, com a sua família. Cresceu no seio de uma família tradicional e tem cinco irmãos. Vitor Carvalho é Licenciado em relações comerciais internacionais, pelo Instituto Superior de Ciências Empresariais e do Turismo, tendo tirado outras formações complementares na área, destacando-se o estatuto de diretor técnico. A trabalhar há cerca de vinte anos na área do comércio externo, nomeadamente em transportes e logística, encontra-se neste momento mais direcionado para a consultoria e formação nessas áreas. Tem colaborado em diversas atividades da comunidade, nomeadamente como membro da Associação Musical e Educativa de Fradelos, tendo sido membro do júri do Carnaval de Fradelos. Vitor Carvalho é candidato pelo Partido Socialista a Presidente da Junta de Fradelos para como diz “ cumprir um dever cívico para com a sua freguesia e, com a ajuda de todos neste momento de grandes dificuldades, servir a comunidade fradelense “.

Vitor Carvalho

Fradelos, antigamente chamada de São Paio de Santa Leocádia de Fradelos de Pedras Ruivas, aparece documentalmente referida pela primeira vez nas Inquisições de mil, duzentos e vinte (1220). Numa carta d’EL Rei D. Diniz, datada de trinta de outubro de mil, duzentos e sessenta (1260) diz-se que a Honra de Fradellos pertencia a Affonso Sanches, vassallo do Infante D. Pedro e que nas inquisições de D. Affonso III constava ser a dita terra de Fradelos de Cima, desde Ferreiros até Santa Locaya, e que ali moravam vinte e cinco (25) homens. A Honra de Fradelos passou depois para a posse do convento de Santa Clara de Vila do Conde, naturalmente por morte do referido Affonso Sanches filho natural d’EL Rei D. Diniz, fundador daquele convento. A paróquia tem como padroeira Santa Leocádia, virgem e mártir, que deu testemunho da sua fé, durante a perseguição de Diocleciano, imperador romano. Era uma mulher nobre e de grande fortuna. Denunciada por ser cristã, foi presa e levada a tribunal. Depois de torturada, foi lançada numa prisão. Segundo escritos, com as unhas fez uma cruz na parede do cárcere, vindo a falecer no dia 9 de dezembro do ano 304. Também é padroeira da cidade de Toledo, em Espanha. Fradelos é por muitos considerada como o celeiro do distrito de Braga porque tem raízes predominantemente rurais na sua génese sendo o setor primário o que impulsiona a economia desta freguesia. Assim ficou conhecida essa ponte até hoje, apesar de, entretanto, ter sido reconstruída em pedra. Das atividades económicas da freguesia destaca-se a indústria têxtil, hotelaria e comércio.


1 2 3 4 5 6 7 8 9

Vitor Carvalho Ana Maria Vitor Pereira Gil Silva Maria Elisabete Rui Araújo João Barreiras Sandra Moreira Nuno Ferreira

10 11 12 13 14 15 16 17 18

Paulo Reis Juliana Silva Carlos Silva José Almeida Marlene Pereira António Miranda Carneiro Manuel Oliveira Virgínia Ferreira Helder Silva

19 20 21 22 23 24 25 26 27

Pedro Moreira Cristina Dionísio Nuno Silva Nuno Santos Vera Ferreira Pedro Correia Manuel Silva Sara Oliveira André Ferreira

28 29 30 31

Manuel Loureiro Joana Costa Domingos Azevedo Duarte Santos


Fradelos Os compromissos de FAZER MELHOR Transporte Escolar gratuito para todas as crianças; Prolongamento Escolar gratuito para todas as famílias; Criação de um Fundo de Emergência Social para atender a situações de emergência social a ser gerido por uma comissão criada para esse efeito; Arranjo Urbanístico do Monte do Cemitério com a replantação das árvores; Recuperação de todos os Parques Infantis e suas zonas envolventes; Promover a criação de um Centro de Dia e Lar de Idosos em colaboração com as associações existentes; Acabar com os caminhos em terra onde existem habitações e promover a cobertura total de água e saneamento;


Louro

Louro é uma freguesia com 5,18 km² de área e 2 250 habitantes (2011).


Louro

Manuel Silva

Nasceu e vive no Louro hà 40 anos. Casado e tem dois filhos. Licenciado em Engenharia Civil, membro efetivo da Ordem dos Engenheiros e perito avaliador. Tem Certificado de Aptidão Profissional de Técnico Superior de Segurança e Higiene do Trabalho e curso de Formação Pedagógica Inicial de Formadores. Enquanto Engenheiro civil, projetou, coordenou e fiscalizou diversas obras e departamentos técnicos de empresas. Foi responsável pelo Sector de Fiscalização de Obras Particulares da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim. Como técnico superior, exerce funções públicas por tempo indeterminado, na Divisão de Serviços Gerais, depois de ter passado pelo Departamento de Planeamento e Habitação na Câmara Municipal de Santo Tirso. Desde 2007 que é presidente da Comissão Arbitral Municipal de Santo Tirso.

A freguesia de Louro deve o seu nome à planta vegetal com o mesmo nome que predominava no bosque de loureiros, que em tempos existiu junto ao rio Este onde os “Carreteiros”, homens que faziam carretos de todos os géneros produzidos pela agricultura, ou outras mercadorias, os transportavam do Alto Minho para a cidade do Porto e outros locais. Naquele local, que deu lugar e nome à freguesia, eram trocadas as juntas de bois ou as parelhas de cavalos por outras que se encontravam naquele local e que continuavam a fazer a viagem de transporte das mercadorias. Os seus primórdios históricos remontam ao século XIII. Data de 1220 o primeiro documento que cita esta freguesia, nas inquirições de D. Afonso II, que denominam “Santa Lugricia”. No entanto, supõe-se que o povoamento de Louro terá ocorrido já no século X ou numa época próxima. Do património cultural do Louro destaca-se: a Igreja Matriz, a Capela de Santo António, Capela do Santo do Monte, a Capela de Santo Ovídio e a Capela de Nossa Senhora da Conceição… As atividades económicas da população do Louro são a indústria de metalurgia, vestuário e a agricultura.


1 – Ana Cristina Martins Direito – Rua dos Combatentes; 2 - Manuel Joaquim Faria da Silva – Rua Dr. Daniel Nunes de Sá; 3 – Pedro Telmo Moreira Araújo – Rua Padre Domingos Joaquim Pereira; 4 - Rita Liliana Simões Ferreira – Rua Nossa Senhora de Fátima; 5 - Vera da Conceição Martins Peixoto – Rua Joaquim Campos; 6 - Manuel Gaspar de Azevedo Carvalho – Av. Santa Lucrécia; 7 António Pedro Simões de Pinho Alves de Sá – Rua D. Adelaide Marques Sá; 8 - Maria Arminda Rodrigues Correia Pinho - Av. Santa Lucrécia; 9 - Fátima Sofia Campos Vieira – Rua João Alves de Sá; 10 - Sara Sofia Araújo Costa – Rua Comendador Costa e Sá; 11 - Cidália Gomes Ribeiro – Rua Eng. Augusto Machado; 12 - Amélia Maria Oliveira Novais – Rua das Camélias; 13 - Sérgio Manuel Azevedo Fernandes - Rua Santo Ouvídio; 14 - Tiago Manuel Araújo Maia - Rua 25 de Abril; 15 - Justino Oliveira da Silva – Rua Santo Ouvídio; 16 - Francisco Manuel de Sá Moreira - Rua Dr. Carlos Araújo Chaves; 17 - Ana Isabel Araújo Peixoto - Rua Nossa Senhora de Fátima; 18 - Paulo César Gomes Campos - Rua Joaquim Campos; 19 - Carla Isabel Pinho Moreira - Rua Nova; 20 - Jorge Manuel Ferreira Azevedo – Rua Martires de Ultramar; 21 - Carlos Alberto Gomes Pereira – Av. Santa Lucrécia; 22 - Irene José da Cunha Costa - Rua Joaquim Campos; 23 - Isaura Oliveira Gomes Costa - Rua Padre Domingos Joaquim Pereira; 24 - Delfim Filipe Oliveira Monteiro - Rua Padre Domingos Joaquim Pereira; 25 - Márcia Raquel da Costa Macedo - Rua Padre Domingos Joaquim Pereira; 26 - Miguel Oliveira de Paula - Praceta de Barradas; 27 - Carlos Filipe Costa Loureiro - Rua da Alegria; 28 - Albino Martins de Araújo- Rua Nossa Senhora de Fátima

Da esquerda para a direita:


Louro Os compromissos de FAZER MELHOR 1 - Conclusão da Rede de Saneamento; 2 – Lutaremos pela permanência do Posto Médico, reivindicando mais técnicos de saúde; 3 – Construção de uma instalação Sanitária de utilização pública permanente; 4 – Criação de um Centro de Dia, tendendo para lar de idosos, dotado de piscina adaptada para hidroginástica, rentabilizando o património público existente; 5 - Parque de Merendas com Praia Fluvial, incluindo um área de parque radical (Projeto em execução); 6 – Dotar a área envolvente do edifício da sede da Junta de freguesia, de um Parque infantil; 7 – Promoção de rastreios de saúde gratuitos, utilizando voluntariado especializado; 8 – Criação de um boletim informativo digital sobre a atividade da junta e demais coletividades da freguesia; 9 – Assegurar a limpeza dos espaços públicos da freguesia (arruamentos, sarjetas, praças e jardins), com meios próprios; 10 – Apoio social diferenciado, psicológico e cultural às famílias mais carenciadas (disponibilização temporária de alguns terrenos públicos para criação de pequenas hortas agrícolas).


Lousado

Lousado é uma freguesia com 5,61 km² de área e 4 057 habitantes (2011). É um importante centro ferroviário.


Lousado

Freguesia com importante passado histórico, é hoje uma povoação com cerca de 5400 habitantes. Os vestígios da sua remota povoação, levam-nos à presença romana, entre os séculos IV a.C. e II dC. É o caso do marco milenário que recorda a existência da via romana que ligava Lisboa a Braga, assim como a Ponte da Lagoncinha que em tempos era imprescindível para quem do Porto a Braga se dirigia. Lousado surge nas Inquirições de 1220 e nas de 1258. Foi Abadia da Apresentação do Convento de Santo Tirso, com alternativa da Mitra, no Termo de Barcelos. O desenvolvimento da Freguesia irrompeu com a construção do Caminho-de-ferro da linha do Minho, por volta de 1870. Desde então, a produção agrícola e industrial multiplicou-se, foram criados novos lugares, os aglomerados populacionais alargaram-se e todos os setores económicos se desenvolveram. A Lousado pertence a maior fábrica de pneus do país “Continental Mabor.” Lousado cresceu e tornou-se numa grande freguesia do Concelho de Vila Nova de Famalicão.Do seu Património cultural e edificado ganham relevo o Museu Ferroviário, a Ponte da Lagoncinha, Igreja Matriz, Capela de Sagrado Coração de Maria e Senhora da Boa Hora, Capela de S. Lourenço, Alminhas. Das atividades económicas de Lousado destaca-se a indústria de pneus, têxtil, metalurgia e plásticos e pequena agricultura. Orlando Couto

Orlando Couto nasceu em Lousado. Reside na Carvalhosa, na rua de S. Silvestre. Os seus pais, o Sr. Couto (que já faleceu) e a Dª Isabel, tiveram seis filhos. É o mais velho dos irmãos. Tem 49 anos e é casado com a Susana, enfermeira no Hospital de Famalicão. Tem três filhas: a Ana, a Alexandra e a Ariana. Iniciou a sua vida profissional aos 15 anos, na Mabor, como aprendiz. Eram tempos difíceis e, na condição de irmão mais velho, foi necessário trabalhar para ajudar a família. Mas, nunca deixou de estudar e, como trabalhador-estudante, em 1996, concluiu o curso de Engenharia Eletrónica e Informática. Ainda hoje trabalha na Continental Mabor. É escuteiro há mais de 40 anos. Foi chefe do Agrupamento durante 13 anos e desempenhou este cargo até 2009, ano em que aceitou candidatar-se, pela primeira vez, a presidente da Junta. Continua nos Escuteiros, é dirigente e tem muito gosto em participar ativamente nas suas atividades. Mas, a sua vida cívica ativa não se esgota nos escuteiros, fazendo parte de outras associações, nomeadamente do Grupo Coral de Lousado. Quando, em 2009, o Partido Socialista o convidou para encabeçar a lista às eleições autárquicas, hesitou e aceitou sem muita convicção. Participar na vida política ativa, nessa altura, pouco lhe dizia, mas depressa mudou de opinião. Porque gosta de ajudar as pessoas. Foi o único eleito do PS na Assembleia de Freguesia. Fez um bom mandato. Hoje sente que pode ser ainda mais útil à sua Freguesia.


1 - Manuel Correia de Almeida - Loteamento Mabor; 2 - Bruno Miguel Campos Cacais - Loteamento Mabor; 3 - Agostinho Ferreira dos Santos - Rua do Carvalhinho; 4 - Ana Margarida Sousa Azevedo - Rua Cardeal Cerejeira; 5 - Adriano da Costa Mendes - Loteamento Mabor; 6 - Orlando Manuel da Silva Couto - Rua S. Silvestre; 7 - Adília Patrícia Martins Pinto - Complexo Habitacional de Lousado; 8 - Bruna Alexandra Fernandes Macedo - Rua das Fontinhas; 9 - Álvaro Filipe Carneiro Ferreira - Largo Todos os Santos; 10 - Cândido Manuel Silva Maia - Rua Cónego Borges; 11 - Joaquim José de Sá Pinto - Loteamento Mabor; 12 - Ilda Raquel Moreira da Silva - Rua Cardeal Cerejeira; 13 - José António Matos Dias - Loteamento Mabor; 14 - Sandra Maria Sousa Lopes - Rua Aldeia do Sol; 15 - Adelino da Silva Mendes - Rua Quinta da Serra; 16 - Marta Filipa Rodrigues Pereira - Rua Manuel Costa Reis Ferreira; 17 - Maria José Martins Pereira Correia - Rua das Pedreiras; 18 - Manuel Eduardo Sousa Costa - Rua Bela Vista; 19 - Rita Flávia Ferreira Maia - Rua das Cavadas; 20 Manuel Augusto da Silva Costa - Rua da Circulação;

Da esquerda para a direita


Lousado Os compromissos de FAZER MELHOR OITO COMPROMISSOS COM OS LOUSADENSES Durante mais de duas semanas percorremos toda a Freguesia e ouvimos as pessoas, ouvimos os lousadenses. E os lousadenses manifestaram as suas preocupações. E fizeram escolhas, definindo as prioridades para Lousado. É com atenção a essas preocupações dos lousadenses e com base nas suas prioridades que apresentamos os nossos oito compromissos. 1. Serviços de saúde Assumimos o compromisso de, logo que sejamos eleitos, fazermos todos os contactos e exercermos todas as nossas influências para que os serviços de saúde de Lousado sejam reajustados às necessidades e anseios dos lousadenses. Os lousadenses questionam: como foi possível deixar chegar o posto médico a este ponto, em estado de degradação e em vias de fechar as portas?!... E como será possível, agora, inverter este rumo? Manter o rumo seria acabar com o posto médico. E os lousadenses não querem. Nós também não queremos! 2. Escolas É uma prioridade dar outras condições às nossas crianças nas escolas. E o nosso compromisso assenta, desde logo, na requalificação dos dois edifícios escolares e na reabilitação dos espaços exteriores, no âmbito do 1º ciclo e do pré-escolar. Os lousadenses têm razão quando dizem: há oito anos, prometeram um centro escolar, com tudo o que havia de melhor e, há quatro anos, voltaram com a mesma promessa! O que foi feito? Nada. Ao ponto a que chegaram os nossos edifícios escolares!... Esta situação vai mudar. Por outro lado, iremos promover parcerias que criem dinâmicas de desenvolvimento de atividades extracurriculares, numa estratégia de complementaridade e partilha, nomeadamente com a Escola e a Associação de Pais e Encarregados de Educação, em áreas vitais para o sucesso escolar e educativo das nossas crianças, como a leitura, a matemática e o desporto. 3. Ecopista Vamos construir a ecopista. Será construída na antiga linha férrea, que liga a estação da Refer/CP a Ancide. Obra que exigirá a cedência, por parte da Refer, desse espaço. É outra obra que os lousadenses apontaram como prioritária. Mais do que nunca, é recomendável a caminhada, os passeios em bicicleta, o desporto… É, sem dúvida, uma prioridade também para nós. 4. Ponte da Lagoncinha No que estiver ao nosso alcance, Junta e Câmara do Partido Socialista, os lousadenses podem estar certos de que tudo faremos para a preservação da Ponte da Lagoncinha, que implica a construção de uma nova ponte alternativa. Procuraremos fazer, também, a requalificação de toda a área envolvente. Os lousadenses disseram: “Que maravilha temos em Lousado e não a sabemos aproveitar!”. Assumimos também o compromisso de apresentarmos uma candidatura a fundos comunitários, com vista a dar continuidade à ligação pedonal do Bicho até à Ponte de Ferro, na margem esquerda do rio Ave, que a Câmara da Trofa está a construir. Uma ligação desde a Ponte de Ferro e a passar pela Lagoncinha, até aos limites com o concelho de Santo Tirso.

Tudo faremos para podermos concretizar este projeto. 5. Transportes urbanos (TUF) Vamos trazer os TUF a Lousado. Se formos eleitos, Junta e Câmara PS, podem contar connosco para cumprirmos este nosso compromisso. Uma pergunta que muitos lousadenses fizeram: se temos os TUF até à Carvalhosa, será difícil trazê-los até ao centro da Freguesia? Nós também entendemos que não será difícil. 6. Sinalização de trânsito Assumimos o compromisso de, no prazo de quatro meses, colocarmos semáforos limitadores de velocidade na reta do Pé de Prata, de forma a instaurar a segurança naquele local. A velocidade que os condutores dos veículos automóveis atingem na reta do Pé de Prata torna-se um perigo constante para as populações, particularmente para os moradores desse Loteamento. Foi uma preocupação manifestada por esses moradores e é também nossa preocupação. Assumimos, também, o compromisso de estudarmos a melhor forma de sinalizarmos outras ruas, em particular no entroncamento das ruas da Bela Vista, com a de Poiares e a das Cavadas, para permitir maior segurança dos veículos e dos peões. É outro compromisso nosso criar um dispositivo que regularize o trânsito e os estacionamentos nas ruas Adelino Leitão e do Corrulho, de forma a garantir melhor fluidez dos veículos e dos peões que lá circulam e o respeito pelas regras de estacionamento. 7. Serviço local Vamos instalar em Lousado, na Junta, um serviço local da Câmara Municipal, um serviço onde o Munícipe possa recorrer e resolver os seus problemas, sem ter de se deslocar à Câmara Municipal. 8. Prestação de serviço gratuito Qualquer serviço administrativo que a Junta preste ao cidadão será feito gratuitamente, nomeadamente pela emissão de certidões, atestados e outros documentos. Nesse sentido, e desde logo, a Junta revogará o Regulamento de Taxas. Por outro lado, o presidente da Junta, bem como qualquer outro autarca eleito, estará ao serviço da população sem qualquer outro interesse que não seja o de servir os lousadenses. Assim, os eleitos locais não receberão qualquer salário pelo serviço que vão prestar na junta. A opção de retirar do Orçamento da Junta mais de 600 euros por mês para pagar salário ao presidente da Junta ou a qualquer outro autarca eleito é abusiva e lesiva dos cofres da Freguesia e um claro prejuízo para os lousadenses. Por isso, recusamos essa opção. Este é mais um ponto de honra da nossa candidatura. Os lousadenses podem estar certos de que, com Orlando Couto na Junta de Freguesia e Custódio Oliveira na Câmara Municipal, concretizaremos estes nossos compromissos, que são as propostas e anseios dos lousadenses. Tudo o que estiver ao nosso alcance será resolvido. Não é preciso, nem é honesto, assumirmos compromissos impossíveis. Confiem em nós! NÓS VAMOS FAZER MELHOR.


Ribeirão

Ribeirão é uma vila e tem 10,91 km² de área e 8 828 habitantes (2011).


Ribeirão

A vila de Ribeirão manteve no passado importantes laços de ruralidade, mas foi na sua ligação às indústrias de Lousado e Trofa que Ribeirão se desenvolveu de forma acentuada a partir da década de 60 com uma população que aliava à pequena agricultura de minifúndio o trabalho na “Mabor”, na “Ita”, na “Sotex”, no “Pinheiro”, na “Fábrica de Linho”, na “Feruni” ou na “Mida”. Daí até à criação do seu próprio parque industrial foi um pequeno passo. Perdem-se no tempo as referências a esta terra de Ribeirão. O primeiro documento em que aparece registada uma referência data de 1097. É citada como Sancti Mammetis de Ribolo Arian, conforme testemunha Avelino de Jesus Costa, sendo, na opinião deste Sacerdote historiador, o ribeiro de Beleco “ribeiro Arian”, que deu o nome a Ribeirão. Ribeirão foi uma das freguesias iniciais da Terra ou Julgado de Vermoim. Segundo as Inquirições de 1220 havia nesta freguesia quinze casais reguengos que pagavam à Coroa a terça do pão, a quarta do vinho e direituras (imposto anual por uso de bens pertencentes ao rei). Nestes casais, quem tivesse três ovelhas, ou mais, dava à Coroa um cordeiro ou cabrito; quem tivesse porca, um leitão; dava-se ainda um frangão e um carneiro. Ribeirão é uma vila de referência entre todas as freguesias do Concelho de Vila Nova de Famalicão. Das atividades económicas da vila de Ribeirão destaca-se a indústria têxtil, a metalomecânica e a indústria de pneus e alguma agricultura de subsistência. Joaquim Soares O meu nome é Joaquim Soares, sou casado, tenho 50 anos, vivo na Portela, Ribeirão desde 1997. Apresento-vos a minha candidatura à freguesia de Ribeirão. Ao contrário de alguns, eu tive a possibilidade de escolher onde viver. Escolhi esta terra porque me apraz, tem gente boa e humilde, trabalhadora, é um local sociável e sossegado para habitar. O meu trabalho e a minha família exigem muito tempo e dedicação. Sou, por isso, apenas um cidadão, homem de família, que vive honradamente do seu trabalho. Respondi ao apelo do partido socialista para candidato. É minha obrigação de militante e meu dever cívico aceitar a proposta que me foi feita. A audácia prevalece, só aqueles que nada devem ou temem avançam. É claro que isso me vai tirar o aconchego do lar, o conforto dos amigos, as minhas viagens.Vou sacrificar a minha família por esta causa. Mas fá-lo-ei, Ribeirão merece, eu e a minha equipa trazemos a alternativa, outros projectos, outras ambições, mais dinamismo, mais solidariedade e mais igualdade.


Da esquerda da a direita Agostinho Silva – Ribeirão; Amílcar Cruz – Aldeia Nova; Elsa Ferreira – Boucinhas; Marco Azevedo – Portela De Cima; Paulino Costa – Candieira; Diana Dias – Salgueirinhos; André Azevedo – Portela De Cima; Joaquim Soares – Portela; Joana Azevedo – Bragadela; Abílio Maia – Regadas; André Maia – Regadas; Bruno Soares – Portela; Ricardo Américo – Colina Do Ave; Cláudia Rodrigues – Boucinhas; Luís Barbosa – Curros; Mafalda Araújo – Portela; Eduardo Araújo – Portela; João Paulo – Cerco.


Ribeirão Os compromissos de FAZER MELHOR - Doação de 50% do salário do Presidente e dos restantes membros do executivo para um fundo de emergência social, durante 4 anos aumentar para 100% se necessário; - Criação de uma Comissão Social de Freguesia para gerir esse fundo e distribuir pelos mais carenciados; - Formar parcerias com empresários da Região para a formação e criação de emprego; - Incentivar e patrocinar o retorno à agricultura com produtos de valor acrescentado; - Apoiar a criação de um produto típico da Terra que nos identifique e traga mais-valias; - Criar uma feira ou mercado, semanal ou quinzenal, para venda de produtos da Região; - Promover o artesanato e o comércio tradicional com exposições anuais; - Ribeirão é das freguesias do país que mais riqueza cria e das que mais impostos entrega à Câmara e ao Governo. É obrigação da Junta exigir o retorno de grande parte desse valor para a Nossa Vila.


Uni찾o Freguesias

Gonfidelos Caval천es Outiz


União Freguesias

Gondifelos Cavalões e Outiz Gondifelos

Celestino Matias Fruto de uma reorganização administrativa, vemo-nos na contingência de apresentar uma única lista à União de Freguesias de Gondifelos, Cavalões e Outiz. E apresentaremos os melhores! À frente desse grupo de homens e mulheres de Gondifelos, Cavalões e Outiz está Celestino Matias, casado, dois filhos, Secretário de Justiça, hoje aposentado, membro da Assembleia de Freguesia de Gondifelos e ex - Presidente da Asgon Associação Social de Gondifelos. Acompanhará este projeto Eduardo José Soares de Andrade e Lucilia Rocha da Silva Carvalho. Eduardo Jose Soares de Andrade, de 34 anos de idade e é Engenheiro Mecânico. Lucilia Rocha da Silva Carvalho, é empresária da construção civil e tem uma participação cívica e ativa no movimento religioso, como catequista.

Gondifelos e situa-se no limite ocidental do mesmo, acabando onde começam os vizinhos Concelhos da Póvoa de Varzim e Barcelos. Por legislação de 1836, a freguesia de Gondifelos passou a fazer parte do Concelho de Vila Nova de Famalicão, tendo, até então, pertencido à Comarca de Barcelos. Nas Inquirições de 1258 era esta freguesia chamada de “Gondoferus”. A evolução do seu nome foi documentada ao longo dos tempos, onde é mencionada como “Gonderelos”, “Gundofelos” e, finalmente, o nome actual “Gondifelos”. Gondifelos é uma pequena aldeia milenar fincada nas colinas verdes do Concelho de Vila Nova de Famalicão, bem no coração do Minho. Trata-se de uma terra essencialmente agrícola e, como tal, a sua cultura está intimamente ligada ao seu passado, sendo dignamente representada por um Rancho Folclórico e um Grupo de Cantares Tradicionais. Anualmente, sempre no último Domingo do mês de Agosto, realiza-se a secular “Feira das Cebolas”, famosa no calendário de festas de Portugal. Esta feira, em tempos mais remotos, era o ponto de encontro de todos os produtores de cebolas do local e arredores, servindo para comercializar o produto e estabelecer os preços de referência a praticar nesse ano. Esta freguesia está recheada de colectividades: Asgon – Associação Social de Gondifelos, Associação Soldeste, Associação Desportiva de Gondifelos, Rancho folclórico de Gondifelos, Motoclube de Gondifelos, Automóvel Clube de Gondifelos (com a famosa e internacional Pista da Telheira), Conferência Vicentina, grupo de Jovens e agrupamento de Escuteiros.

Cavalões

A freguesia de S. Martinho de Cavalões aparece documentada como “Chavaliones cum abjuntionibus suis” com a data de 950 e Cavalões recebeu o foral de D. Afonso III a 16 de Maio. Durante muito tempo foi conhecido como São Martinho de Cavalões no julgado de Vermoim. As principais actividades económicas da população de cavalões são a indústria têxtil, a construção civil e a agricultura, o artesanato como as rendas e os bordados. A freguesia de Cavalões tem as seguintes colectividades: Grupo desportivo de Cavalões, Conferencia Vicentina e Grupo de Jovens.

Outiz

A freguesia de Outiz outra hora “Outiz de Outici” terra de linhagem nobre e aristocrata, está localizada a 4km da cidade de Famalicão na margem esquerda do rio Este, confina com as freguesias de Gemunde e Cavalões sendo cruzada pela linha férrea desde os primeiros passos do comboio do Minho. A freguesia de Outiz aparece em documentos nos seculos XII e XIII e diz-se que nesta freguesia existiu um convento de freiras e que estas mandaram construir a ponte de Cavalões. Os habitantes de Outiz vem a sua actividade económica dedicada á industria têxtil, restauração, artes gráficas e serralharia. Finalmente, a freguesia de Outiz tem as seguintes colectividades: Associação Desportiva, Cultural e Recreativa de Outiz, Conferência Vicentina e Grupo de Jovens.


1. 2. 3. 4. 5. 6. 7.

Celestino Ferreira Matias da Silva Eduardo José Soares De Andrade Lucília Rocha Da Silva Carvalho Manuel Morado De Oliveira Laurinda Da Costa Maciel José Maria De Araújo Campos Álvaro Ruben Ferreira Araújo Tinoco

Ordem de Lista

8. 9. 10. 11. 12. 13. 14. 15. 16.

Diana Raquel Mesquita Pinheiro Vítor Domingos Barros Correia Pedro Manuel de Sousa Leal Joaquim Filipe de Araújo Carneiro Elizabete Araújo Dinis Joaquim de Azevedo Fernandes Raquel Sofia Santos Ferreira Manuel Oliveira Dos Santos Zulmira Campos da Silva Macedo

17. 18. 19. 20. 21. 22. 23.

Rui Alexandre Correia da Silva António da Silva Araújo Jorge Manuel de Araújo Lopes Jorge Daniel Sousa Santos Teresa de Jesus da Silva Ferreira Martins Manuel da Costa Veloso Fernando Augusto da Silva Cardoso


União Freguesias

Gondifelos Cavalões e Outiz Os compromissos de FAZER MELHOR Garantir a abertura diária das sedes das Juntas nas três freguesias; Tudo será feito para manter o Posto Médico que o Governo quer retirar; Criação de um Gabinete de Apoio ao Cidadão a funcionar nas três Freguesias para informar dos direitos e ajudar a preencher documentos (por exemplo IRS); Melhorar a sinalização e circulação de veículos e pessoas. Criar passagens de peões onde sejam necessárias. Pavimentar todos os caminhos ainda em terra batida; Criar acessibilidades próprias para as pessoas com dificuldades nas três freguesias; Em Outiz dar continuidade ao excelente trabalho da Junta de Freguesia; Em Gondifelos, – limpar e requalificar o Parque de Campismo, relançando a sua função e abertura à população das três freguesias; Exigir os Transportes Urbanos de Famalicão em Gondifelos e Cavalões; Queremos manter as três freguesias limpas e bonitas, porque beleza natural já elas possuem.


Vilarinho das Cambas Vilarinho das Cambas é uma freguesia com 9,50 km² de área e 1 366 habitantes (2011).


Vilarinho das Cambas

Vilarinho das Cambas situa-se na zona Sudoeste do Concelho é delimitado pelas freguesias de Outiz, Cavalões, Gondifelos, Fradelos, Ribeirão e Calendário. É considerada uma freguesia mediamente urbana que oferece duas zonas para se viver: a zona rural e a urbana e encontra-se localizada a apenas 5 minutos do centro de Vila Nova de Famalicão e a apenas 2 minutos do acesso às auto-estradas. Vilarinho das Cambas foi uma das mais antigas paróquias do julgado de Vermoim e deriva o seu nome de “villar” nome muito comum em Portugal sobretudo da região norte do país e de “camba” ou moinho manual que era muito usado antigamente sendo movido por força animal ou humana uma vez que as populações de Vilarinho das Cambas antigamente viviam da agricultura, pecuária e silvicultura. Atualmente, e apesar de ainda hoje ser considerada uma freguesia rural poucas são as famílias que vivem exclusivamente da agricultura, pecuária e silvicultura. Sendo maioritariamente assalariadas, as famílias desta freguesia vivem essencialmente dos setores secundários e terciários.

Ana Barroso Foi sempre uma mulher de trabalho aliando actualmente a profissão de técnica oficial de contas a uma grande actividade cívica, social e associativa. Foi fundadora da associação de pais de Vilarinho, integrou a comissão de protecção de menores, o conselho local de educação e o conselho municipal de segurança. Foi formadora, no projecto o papel da família no desenvolvimento da personalidade das crianças e jovens e participante em diversas ações de formação para ajuda à prevenção e tratamento da toxicodependência e alcoolismo. É, também uma mulher católica e tem participado ativamente em diversas actividades da paróquia. Ana Barroso, abraçou, o desafio de ser candidata a Presidente de Junta de Vilarinho das Cambas, pelo Partido Socialista, para como diz “colocar a experiência, os saberes e capacidade de trabalho ao serviço das pessoas de Vilarinho.” Entende, que “ Vilarinho precisa de alguém, com garra e com vontade de arregaçar as mangas e trabalhar a sério, para dinamizar a freguesia, com uma postura de respeito e de serviço por todos”. Foi deputada Municipal


Da esquerda para a direita Manuel Silva - Rua do Barrinho, Fátima Carvalho- Rua do Sol, Ester Barroso-Rua do Padrão, Armando Cruz- Rua do Monte, Joana Lemos- Rua do Monte, Ana Barroso- Rua do Padrão, Duarte Silva-Rua António Vinhas, Ana Paula Araújo- Urbanização do Navio, Vítor Pinheiro- Urbanização do Navio, Abílio Costa - Rua do Monte, Carlos Alberto Cruz- Rua de Meaes, António Pinto-Urbanização Navio, Fernando Luís-Rua Fontes Pereira de Melo, Agostinho Meira-Rua Alto da Pena, Fernando Jorge-Travessa de Espido, Mariana Veloso-Rua Rodrigo Fonseca Magalhães


Vilarinho das Cambas Os compromissos de FAZER MELHOR • Dotar toda a freguesia de Saneamento básico; • Gestão da rede de água da Freguesia; • Acessibilidades (criação de rampas e outros acessos para deficientes e pessoas com mobilidade reduzida); • Melhoramento de toda a rede viária; • Implementação e melhoramento da postura de trânsito da freguesia (sinais); • Apoio social a toda a população. Em especial jovens, idosos e estratos sociais desfavorecidos. Promovendo a criação de serviços comunitários de proximidade. Articular serviços da junta com instituições de apoio social. Criação de local de convívio para a população em geral; • JUNTA DE FREGUESIA SIMPLEX adequar o seu funcionamento ao ritmo de vida dos cidadãos e às necessidades das empresas; • Instalação de Caixa Multibanco Junto á Junta de Freguesia; • Instalação de Ar Condicionado na Capela Mortuária; • Reforçar o policiamento com agente de proximidade; • Apoiar Associações;


Bairro

Nasceu no lugar da Estrada, na Padaria Bento Saldanha Soares, no seio de uma família humilde, mas respeitada, na freguesia de Bairro. Cedo aprendeu o valor do trabalho. Na sua juventude, foi atleta do desportivo de Bairro, etapa da sua vida muito marcante e que muito se orgulha pelas alegrias e vitórias que o seu desempenho proporcionou ao Clube e à terra. ”Sou uma Bairrense de gema. Gosto da minha freguesia. Adoro o contacto com as pessoas.” Confessa que ser candidata a Presidente de Junta desta freguesia é um desafio que assume com garra, energia, determinação, mas tambem com paixão. “Quero ter a oportunidade de ser a porta-voz e a aliada de todos os bairrenses na concretização de projetos por uma freguesia mais moderna, mais atraente, mais acolhedora, Lina Fernandes mais amiga e solidária. Quero a oportunidade de Fazer Melhor.”

Delães

Maria José Barbosa

Maria José Barbosa é natural de Delães, desde adolescente que se integrou no grupo Coral, participando assim na vida comunitária da paróquia, onde também desempenhou cargos de direção. No ano 2000, como mãe, formou juntamente com outros encarregados de Educação a Associação de Pais “Anep- Associação de Pais e Encarregados de Educação das Escolas de Delães, tendo representado o cargo de Presidente da Assembleia Geral, até final de 2003. No ano 2005-2009 desempenhou o cargo de Tesoureira na Junta de Freguesia, e de Interventor Comunitário, uma parceria entre a Junta de Freguesia e a Lipac. Fez parte da direcção da LIPAC. É deputada da Assembleia Municipal, desde 2009, tendo integrado grupos de trabalho da mesma, como o Conselho Municipal de Segurança e a Comissão de Acompanhamento da CITRUS. Trabalha numa empresa sediada no concelho de Vila Nova de Famalicão como Assistente de Vendas.


Oliveira (Santa Maria)

Tomás Gonçalves Independente

Nasceu no seio de uma família humilde de 7 irmãos. Foi sempre um homem de trabalho aliando atualmente a profissão de funcionário administrativo à vida de estudante universitário, sendo finalista do curso de ciências económicas empresariais na Universidade Lusíada e mestrado na área de marketing. É, simultaneamente, um homem cuja vida se tem pautado por uma forte intervenção e participação cívica e associativa. É, também um homem católico e tem participado ativamente em diversas atividades da paróquia. Tomás Gonçalves, é um homem independente, sem qualquer vinculação partidária, que abraçou o desafio de ser candidato a Presidente de Junta de Oliveira Santa Maria, pelo Partido Socialista, para como diz “colocar a experiência, os saberes e capacidade de trabalho ao serviço do desenvolvimento da freguesia e dos Oliveirenses, com uma postura de respeito e de serviços por todos e com todos”.

Oliveira (São Mateus)

Natural de Oliveira S. Mateus, filha de uma família humilde. Os seus pais foram, durante toda vida, trabalhadores no setor têxtil. Fez estudos para professora do ensino básico 1º ciclo, no Instituto Politécnico de Bragança. Mais tarde ingressou na Especialização de Ensino Especial, pelo gosto que nutre em trabalhar com crianças. Devido à sua profissão, como professora, já percorreu alguns cantos do país, mas nestes últimos anos tem permanecido no seu concelho e na sua terra natal. Desde muito nova fez parte do movimento das Guias de Portugal de São Mateus. Mais tarde, entrou no agrupamento de escuteiros, onde fez um longo percurso. Durante esses anos participou em várias actividades comunitárias, colaborou na organização de alguns eventos e cumpriu o seu dever como cidadã. Cidália Maria Sousa Cunha, aos 30 anos, é candidata pelo Partido Socialista à Junta de Freguesia de Oliveira São Mateus. Diz que o faz, “pelo carinho que sinto pelas pessoas da minha terra, que respeito…” por ser “ a terra onde nasci, cresci, estudei e decidi viver “ e “ peço uma oportunidade para novo ciclo de desenvolvimento… que valorize cada lugar, cada pessoa, cada canto e cada família desta terra.” Refere ainda que, “ eu e a minha equipa estamos à altura de projetar e concretizar um novo futuro para nossa freguesia…acredito em nós e no futuro da nossa freguesia.”

Cidália Cunha


Pedome

Liberta Carina

Pedome foi a terra onde cresceu e vive. Na Universidade do Minho licenciou-se no ensino do português. Como professora trabalhou em várias escolas do País, até que, em 2009, passou a ser professora em Pedome. Desde muito nova dedicou-se à formação dos mais jovens, quer na qualidade de responsável pelo Movimento de Adolescentes da freguesia (onde dinamizava muitas das sessões semanais), quer como catequista. Durante vários anos, foi também elemento ativo do Grupo Coral da Paróquia. Entre 2001 e 2006 fez parte da Assembleia de Freguesia de Pedome, para a qual foi eleita na lista do Partido Socialista. Do conhecimento que travou com a realidade da sua terra, a Liberta Carina está convencida de que “por amar tanto a terra que me viu crescer, devo, com lealdade, convicção e firmeza, fazer tudo o que está ao meu alcance para defender os interesses de Pedome e dos Pedomenses na luta por um futuro melhor”.

Riba de Ave

José Salgado

Nasceu em Riba de Ave no Lugar de Surribes onde ainda hoje habita, e é o mais novo de 3 filhos de operários têxteis e emigrantes na Alemanha. Estudou na Escola Industrial e Comercial de Guimarães e no Liceu de Guimarães. É Diretor de Formação nos Escuteiros. José Salgado é trabalhador por conta própria na área da embalagem e tem experiência autárquica, já que foi Secretário da Junta de Freguesia. É Escuteiro no Agrupamento em Riba de Ave há 36 anos. Foi Presidente das Festas de S. Pedro, Juiz da Festa de S. Roque e Secretário da Festa da Nossa Senhora do Rosário. Dedica-se ao voluntariado desde muito cedo. José Salgado é candidato pelo Partido Socialista a Presidente da Junta Freguesia, para como diz, “abraçar este desafio, convicto de que está na altura de mudar, regenerar, mostrar que não há razões para receios, exigir e responsabilizar, de mais que dizer, fazer. E ser responsabilizado quando se fizer mal. Não apenas nas urnas, mas todos os dias enquanto durar o mandato. Está na altura de gerir responsavelmente, de forma consciente e de forma a responder aos problemas dos Ribadavenses.”


Castelões

Tenho 31 anos Sou natural de Castelões Sou geógrafo na empresa Proasolutions.Pt no Porto Desde 2005 que sou o Secretário da Junta de Freguesia de Castelões E hoje sou candidato à Junta de Freguesia de Castelões. O objetivo desta candidatura é dar continuidade aos serviços de qualidade e de proximidade que pautaram os anteriores executivos. Estamos preparados para responder a todos os desafios. Somos a equipa melhor preparada, temos a experiência acumulada de décadas em prol de Castelões e, por isso, com a vossa confiança, vamos…

Bruno Campos

“Continuar a servir Castelões”

É natural de Joane, tem 37 anos e é Advogado em Vila Nova de Famalicão. Desde muito cedo esteve ligado ao movimento associativo na Vila de Joane desempenhando cargos em várias associações e colaborando em várias iniciativas. É Vice – Presidente da Junta de Freguesia de Joane, função que lhe permitiu adquirir grande experiência autárquica, trabalhar e participar nos grandes projectos da freguesia e ao mesmo tempo conhecer os problemas de Joane, encontrando soluções, compromissos e entendimentos para os resolver. António Oliveira é candidato pelo Partido Socialista a Presidente da Junta de Joane, para como diz: “pretendo dar continuidade ao trabalho e vasta obra realizada nos últimos anos, de modo a que a Vila de Joane continue a ser como é uma referência autárquica, com características e potencialidades únicas, preservando sempre a identidade de Joane.”

Joane


É natural de Mogege, tem 36 anos e é advogado. Oriundo de uma família de pai comerciante e mãe operária têxtil. Cresceu no seio da minha família tradicional e tem quatro irmãos. Estudou na escola primária de Mogege, fez o ensino secundário em Joane e licenciou-se em Direito pela Universidade do Minho, de Braga. Ao longo dos últimos anos esteve envolvido no movimento associativo. É Presidente da Direcção da Associação Desportiva e Recreativa de Mogege desde 2008, fundador da associação Rancho Folclórico Santa Marinha de Mogege, associação onde desempenhei os cargos de Vice – Presidente da Direcção e de Presidente da Mesa da Assembleia Geral, e foi Presidente da Direcção da Associação de Futebol de Salão Amador de Vila Nova de Famalicão, cargo que desempenhei entre 2002 e 2010. Miguel Abreu é candidato pelo Partido Socialista a Presidente da Junta de Joane, para como diz: “faço-o porque sinto o dever de cidadania de servir a causa pública e com o sentido de responsabilidade de não ser um simples espectador neste momento particularmente difícil das nossas vidas”

Miguel Abreu

Natural de Pousada de Saramagos onde reside atualmente. Advogada, é pós-graduada em Direito das Autarquias Locais e Urbanismo e em Políticas Comunitárias e Cooperação Territorial. Dedica o tempo livre a atividades associativas na freguesia. É escuteira desde 1996. É membro do Grupo Coral dos Escuteiros, é coordenadora e membro do Grupo de Jovens de Pousada de Saramagos e já pertenceu aos quadros associativos da ARPO-Associação Recreativa Pousadense. Teresa Pinto é candidata pelo Partido Socialista a Presidente da Junta de Freguesia de Pousada de Saramagos. Afirma, “com muito orgulho pela minha terra”, que “é urgente mudar, construir um novo futuro. E Pousada de Saramagos tem o potencial humano necessário para o conseguir. Estamos preparados para encontrar soluções alternativas e dinâmicas, novos caminhos”.

Teresa Pinto

Mogege


Duarte Veiga

É um jovem de 33 anos, licenciado em Solicitadoria, Pós graduado em Gestão de Ginásios e Health Clubs e trabalha como Club Manager de um Health & Spa Club. Nasceu, cresceu e escolheu a freguesia de Ruivães para viver e constituir família. Jovem de luta, de trabalho e de objetivos definidos tendo como características inconfundíveis a energia positiva e a boa disposição contagiante. Desde tenra idade que faz parte do agrupamento de Escuteiros de Ruivães. No seu percurso de vida fez também parte, como atleta, do Ruivanense Atlético Clube, Grupo Recreativo Covense e Associação Desportiva e Cultural de Novais. Duarte Veiga é candidato pelo Partido Socialista a Presidente da União de Freguesias de Ruivães e Novais, para como diz: ”o ativo mais precioso da nossa Terra é a nossa GENTE, a nossa CULTURA e as nossas ASSOCIAÇÕES. O respeito inigualável pelos nossos Avós que nos fizeram chegar até aqui e que muitos ensinamentos nos passam; A esperança nas nossas crianças que são o melhor que o mundo tem e são o futuro da nossa Sociedade; Esta é a motivação que me faz levantar todos os dias com brilho nos olhos e com vontade de dar o máximo de mim para contribuir nesta caminhada.”

José Azevedo, é natural e residente na freguesia de Vermoim, tem 34 anos de idade. Licenciado em arquitetura, colaborou em projetos como a casa da Musica e o edifício da Policial Municipal de V.N. Famalicão. Esteve ligado também à educação, como Professor valorizou o contacto com os jovens, dinamizando vários projectos. Foi coresponsável na edição de José Azevedo um jornal e esteve ligado a várias actividades extracurriculares, como televisão escolar, desporto, mecânica e robótica. José Azevedo é candidato pelo Partido Socialista a Presidente da Junta de Vermoim, para, como diz: “ Sinto que Vermoim merece mais e melhor e que muito ainda pode ser feito em prol da sua população”, acrescenta: “ Vermoim precisa de novas ideias, novos sonhos, novos projectos para atingir novos horizontes. Conto com a opinião e contributo de todos para fazer de Vermoim uma Freguesia capaz de responder aos novos desafios.”

União de freguesias

Ruivães e Novais

Vermoim


Landim

Avelino Silva É natural de Landim oriundo de uma família pobre, honesta, respeitada de doze irmãos. Avelino Silva tem sessenta e um anos e aposentado e tem uma longa experiência autárquica. É fundador da A.R.C.B. - Associação Recreativa Cultural de Bente. Esteve envolvido nas festas em honra de Santa Marinha, em honra de São João de Landim, e em associações desportivas, recreativas e culturais. Avelino Silva é candidato pelo Partido Socialista a Presidente da Junta de Landim, para como diz: ”Landim merece mais, merece melhor, e comigo a liderar uma boa equipa vamos sentir melhor Landim, vamos poder unir e viver Landim, só assim é que a política faz sentido”.

Requião

José Barros José Barros é natural de Ribeirão, mas reside em Requião há 41anos. É empresário de profissão e desde que chegou à freguesia de Requião tem tido uma cidadania ativa no movimento associativo, tendo sido dirigente desportivo e membro de uma comissão de festas. No passado pertenceu à Assembleia de Freguesia. Esta candidatura é acima de tudo um compromisso sério para corresponder e suprir as necessidades do povo de Requião de forma a contribuir para o desenvolvimento da freguesia. Apesar de não ter nascido em Requião, José Barros sente Requião no coração. Unir a freguesia e a população são motivos também fortes que o levam a candidatar-se à Presidência da Junta de Freguesia. As Juntas de Freguesia são um elo forte de ligação com o povo, por isso, há que trabalhar ainda mais o que já foi feito e ter ideias e projetos para FAZER ainda Melhor! Esta candidatura é uma candidatura aberta a todos e é uma candidatura que se propõe desenvolver e incluir para que juntos consigamos desenvolver e impulsionar Requião.


Avidos e Lagoa

Sérgio Sampaio

Nascido em V. N. Famalicão, desde sempre viveu na freguesia de Avidos. É casado, tem um filho e 37 anos de idade, É licenciado em Ciências Económicas e Empresariais. Sérgio Sampaio exerce a profissão de administrativo/financeiro numa conceituada empresa de Construção Civil na freguesia da Lagoa. Ao longo dos tempos exerceu funções em Associações e movimentos, de onde se destaca: - Dirigente do CNE de Avidos - Dirigente nas Associações desportivas GRAL , ACURA e S. Cláudio - Foi um dos sócios fundadores dos “Unidos de Avidos” Atualmente é treinador das “escolinhas” do GRAL Sérgio Sampaio é candidato pelo Partido Socialista porque acredita que a sua formação, juventude e experiencia poderá ser uma mais-valia para as freguesias. Reconhece o trabalho feito pelos anteriores executivos, mas também tem a consciência que é necessário distribuir os recursos de uma forma mais equitativa e por mais áreas de ação. “Mais do que nunca a nossa prioridade deverá ser as pessoas e o seu bem-estar”

Carreira e Bente

Carlos Ferreira É natural da freguesia da Carreira. Oriundo de uma família numerosa com raízes em Carreira e Bente. Estudou na escola primária do Outeiro (Carreira), na escola Secundária D. Sancho I e possui o 12º ano de escolaridade. Carlos Ferreira é operário químico na empresa Continental Mabor, em Lousado. Profissão que conjuga com a paixão pela Música, sendo Tenor, e tendo já várias participações em concertos locais. Coopera com diversos grupos e organizações da freguesia da Carreira. Foi escuteiro e integrou o Grupo Desportivo da Carreira durante vários anos, é Catequista há 16 anos e faz parte do Grupo Coral há 25 anos. Sempre demonstrou um papel ativo ao serviço da comunidade. Carlos Ferreira é candidato pelo Partido Socialista a Presidente da Junta de Freguesia da União de Freguesias de Carreira e Bente, para dar continuidade ao serviço pela comunidade, estando sempre atento às necessidades das pessoas e fazendo uso da política, para prolongar os laços que sempre se nutriram.


Seide

Agostinho Rocha

Agostinho Filipe Gomes Rocha é o Candidato à União das Freguesias de Seide. Natural de Guimarães, reside há 16 anos em Seide S.Paio Pertenceu à direção da Juventude Alegre de Seide S.Paio (JASP) entre 2002 e 2008, tendo sido tesoureiro entre 2004 e 2008. Faz parte da Junta de Freguesia de Seide S.Paio, desde 2001, tendo sido 1º Secretário da Assembleia de Freguesia entre 2005 e 2009 e sendo Secretário do Executivo da Junta de Freguesia desde 2009.

Brufe

Manuel Augusto Ferreira

Natural e residente em Brufe, tem 41 anos e é Empresário. Casado, com duas filhas e oriundo de uma família de pessoas que sempre viveram do trabalho. Desenvolve a sua atividade profissional na freguesia, sendo proprietário de uma empresa há 15 anos que tem como atividade principal o ramo da construção civil. Paralelamente, desenvolve outra atividade de comércio de madeira e lenha, atividade esta iniciada há mais de 20 anos, ao lado do seu pai. Manuel Augusto Ferreira é candidato pelo Partido Socialista a Presidente da Junta de Brufe, para, como diz: “Sou candidato porque conheço esta freguesia como poucos e acredito que fazer trabalho a pensar no futuro resultará em mais qualidade de vida para a população de Brufe.”


Gavião

Com 56 anos de idade, é Chefe de Serviços da Associação Comercial e Industrial de Barcelos desde 1990 e está radicado na freguesia de Gavião há mais de 30 anos. Foi participante ativo em vários organismos e associações da freguesia de Gavião e desempenhou vários cargos nos orgãos autárquicos, nomeadamente como Secretário da Assembleia de Freguesia, Presidente da Assembleia de Freguesia e Secretário da Junta de Freguesia, cargo este que ocupa desde 2001. Abraça este desafio por ter confiança na experiência que foi adquirindo ao longo de mais de 30 anos e por sentir a mesma determinação e empenho com que sempre assumiu o trabalho pela freguesia. Assume o compromisso de desempenhar o cargo de Presidente da Junta com energia, criando novas dinâmicas de relacionamento com a Câmara Municipal e renovando sinergias com as associações, instituições, empresas e demais forças vivas da freguesia para um reforço da identidade coletiva de todos os Gavienses. Quer fazer de Gavião uma freguesia cada vez mais solidária e criativa, da qual os Gavienses se orgulhem. Compromete-se, assim, perante todos os Gavienses e espera traduzir o seu dinamismo e capacidade de trabalho em medidas que marcarão a história futura de Gavião.

União de freguesias

Antas e Abade de Vermoim Aristide Freitas Residente em Antas, onde constituiu família e desenvolveu a sua atividade profissional, na área de ourivesaria, desde muito novo. Assume esta candidatura à frente de um grupo de Pessoas de Antas e Abade de Vermoim que considera ser as mais capazes e que reúnem as melhores condições para que juntos possam Fazer Melhor. Aristide Freitas é candidato pelo Partido Socialista à União de Freguesias de Antas e Abade de Vermoim e tal como diz: “Acredito que serei capaz de tão honroso desafio. Acredito que a minha experiência autárquica, empresarial, associativa e vasta intervenção cívica e cultural, aliada a esta magnífica equipa que me acompanha será a chave do sucesso para FAZER MELHOR e tornar Antas e Abade de Vermoim num exemplo de desenvolvimento e qualidade de vida no nosso distrito.” Acrescenta: ”Convido-os a conhecerem o nosso projeto, a acreditarem em nós e acima de tudo a ajudarem-nos a FAZER MELHOR.


União de freguesias

Famalicão e Calendário Francisco Barreiro Com 53 anos, casado e Arquiteto de profissão, desde cedo me interessei pela política autárquica por influência do meu pai, cujo passado está ligado à intervenção autárquica local. Avanço com uma candidatura apoiada pelo Partido Socialista, onde todos estaremos mobilizados para garantir um futuro melhor às atuais e futuras gerações. Os últimos oitos anos de trabalho na Assembleia de Freguesia, deixaram-me orgulhoso do trabalho que realizei e deram-me motivação e convicção de que a minha candidatura é um imperativo para FAZER mais e MELHOR, porque defendo uma política de Abertura, Disponibilidade e Diálogo, em nome da qualidade de vida e felicidade de todos. Por isso, é com Determinação, Empenho e Motivação que sou Candidato. Assumo aqui o desejo de ser o Presidente de todos, com o compromisso de contribuir para o progresso de ambas as Freguesias, porque acredito nas Pessoas e no futuro desta União.

Cruz

António Simões Sou natural do concelho de Vila Nova de Famalicão e resido em Cruz há trinta anos, tendo aqui criado raízes e aqui constituído a minha família, junto da minha esposa e os meus dois filhos. Sou empresário e pauto-me pelos valores da seriedade, transparência, dignidade, igualdade e fraternidade, valores que me aproximam do Partido Socialista. Sinto-me um homem de Cruz e ao longo destes anos sinto que dediquei muito à minha terra: às associações, à igreja e às gentes de Cruz. Sou um homem de causas e com sentido de missão, facto que me leva, depois de um mandato à frente dos destinos da Junta de Freguesia, a recandidatar-me a um novo mandato. Sou candidato para continuar a dar tudo o que sei em prol da freguesia. Continuar a fazer mais e melhor, para uma freguesia de todos e para todos.


Nine

Carlos Soares

Carlos Soares, candidato a Presidente da Junta de freguesia de Nine nasceu em Arnoso Santa Eulália, freguesia vizinha de Nine, no seio de uma família humilde, dedicada à agricultura e foi viver para nine com nove anos, freguesia onde reside até hoje. Fez carreira nos CTT como carteiro em Famalicão, Supervisor de Distribuição em Vila Nova de Famalicão e Póvoa de Varzim e Chefe de Distribuição Postal em Trofa, Póvoa de Varzim, Maia e Ermesinde. Foi ainda formador e coordenador de certificação e validação em Trofa, Póvoa de Varzim, Vila do Conde Matosinhos e São Mamede de infesta. Em 2005 tornou-se empresário na área da Publicidade e markting. Frequentou o 1º ano de engenharia electrónica e informática da universidade lusíada de Vila Nova de Famalicão. Não foi mais além porque a carga horária não permitia. Teve sempre uma vida ligada ao desporto e ao associativismo. É cinto negro em vária modalidades de karaté e desportos de combate. Exerceu o cargo de representante dos pais da escola EB1 de Caparosa-Nine e representante dos pais do concelho de Vila Nova de Famalicão, na assembleia do Agrupamento de Escolas Horizontes do Este. Deputado da Assembleia de Freguesia de Nine, eleito pelo Partido Socialista.

Vale (São Martinho) É natural de Vale S. Martinho tendo criado ai as suas raízes familiares. Oriundo de uma família simples que sempre teve como ocupação o sector têxtil e a agricultura. Licenciou -se em Engenharia Electrotécnica e de computadores pela UNIVERSIDADE DO PORTO tendo tirado outras formações complementares na área destacando-se Formação em Sistemas Solares. Desempenhou de 1996 a 2008 funções de director técnico na sua especialidade em diversas empresas de obras públicas Carlos Pinto é actualmente empresário, consultor técnico de várias empresas e membro do BNI Fama. Como cidadão ativo social e culturalmente, realizou as primeiras festividades em honra do padroeiro – São Martinho, fez parte da direcção do Grupo Recreativo de Vale S. Martinho e foi Presidente do Grupo de Jovens durante vários anos. Carlos Pinto é candidato pelo PS á Junta de Freguesia de Vale S. Martinho com o objetivo de FAZER MELHOR pela sua terra, com empenho e dedicação ao serviço de todos.

Carlos Pinto


União de freguesias de Arnoso

(Santa Maria e Santa Eulália) e Sezures

António Jorge Amaral

À frente desse grupo de homens e mulheres de Arnoso Santa Maria, Arnoso Santa Eulália e Sezures está António Jorge Vieira Amaral, casado, dois filhos, licenciado em Administração Pública pela Universidade do Minho e inspector da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica, é também membro da Assembleia de Freguesia de Arnoso Santa Maria, secretário do Conselho Económico Paroquial, membro da Confraria do Senhor dos Passos, membro do Conselho Fiscal do D.E.C.A. e da Associação de Pais da Eb 123 de Arnoso Santa Maria.

União de freguesias

Lemenhe, Mouquim e Jesufrei Filipe Martins Assumo esta candidatura com uma convicção prévia: Esta união de freguesias é fruto de uma reorganização administrativa com a qual discordo, que sempre contestei e contra a qual sempre me bati! E assumo o compromisso de, depois de eleito, tudo fazer para combater esta Lei injusta e que prejudica as populações! Contra a esmagadora maioria dos autarcas e da população em geral, a reorganização administrativa avançou e vemo-nos agora na contingência de apresentar uma só lista às três freguesias de Lemenhe, Mouquim e Jesufrei. Neste sentido, apesar da discordância quanto ao processo, é nosso dever procurar apresentar os melhores! Assumo esta candidatura à frente de um grupo de homens e mulheres de Lemenhe, Mouquim e Jesufrei. Pessoas humildes e trabalhadoras, uns mais jovens e outros mais experientes, com o único objectivo de FAZER MELHOR pelas nossas terras e pelas nossas gentes. Sinto, sem falsas modéstias, que estarei à altura do desafio. Tenho experiência autárquica, nomeadamente na Junta de Freguesia de Lemenhe, da qual sou Secretário, eleito pelo Partido Socialista, mas também cívica e associativa, nomeadamente como membro da Associação de Pais do Jardim de Infância de Lemenhe e como Presidente da Associação de Pais da EB1 de Lemenhe.


União de freguesias

Vale (S.Cosme Telhado e Portela

António Matos

Caros concidadãos , aceitei ser candidato á união de freguesias de S. Cosme, Telhado e Portela , porque embora não aceitando esta revisão administrativa, entendo ser um momento histórico para alterar o rumo das 3 freguesias. Conheço perfeitamente a realidade das 3 freguesias e as suas necessidades, identifico-me perfeitamente com as pessoas , e tenho confiança que em conjunto com a minha equipa, seremos capazes de fazer melhor . Sim porque nós não queremos manter o rumo, pelo contrario ,queremos fazer mais e fazer melhor. Temos vários elementos que nos unem, em particular temos o rio Pelhe, que atravessa as 3 freguesias. Gostaria que a nossa candidatura fosse similar ao rio, que começa numa pequena nascente na Portela, vai aumentando em Telhado, para chegar a S. Cosme com grande caudal. Neste momento, seria fácil fazer promessas de grandes obras, em conjunto com a minha equipa, a única coias que prometo é trabalho e dedicação. Podem contar comigo para defender intransigentemente os interesses das freguesias, para procurar junto das instancias do poder, sempre mais e melhor, para dizer não aos interesses instalados ,

Um Presidente para

FAZER MELHOR


Ditos e escritos sobre Custódio Oliveira “… Depois de António Peixoto falavase de uma “segunda escolha”, mas Custódio Oliveira não é uma segunda escolha. É uma excelente escolha. É Famalicão que fica a ganhar (…)” António Cândido de Oliveira in Povo Famalicense - 04/06/2013

“… O Custódio, ele permite que o trate assim, é de Famalicão e conhece muito bem Famalicão. È um homem com ideias, um homem trabalhador, um homem que respeita e um homem que sabe ser respeitado. Com ele, o “baixo nível” em política não tem espaço nem funciona (…)” Mário Martins in Povo Famalicense - 04/06/2013

“Que bela surpresa! Será um Presidente da Câmara com um verdadeiro e legítimo ato de justiça. Sou testemunho da sua ação constante e fraterna com todos os campos da cidadania e da ação cívica e cultural. Parabéns e força na luta” Hélder Costa (autor, encenador e ator) in Facebook

“É lamentável que não possamos votar desde Espanha. Faz falta gente como tu na política. Muita sorte.” José Francisco del Cano (Chefe da Polícia Municipal e docente universitário) In FaceBook

“Querido Amigo é tempo para que as melhores pessoas, mais capazes e responsáveis tomem a iniciativa política. Estas pessoas estão afastadas há demasiado tempo da arena política, mãos os nossos povos estão chamando por elas. Por isso importa agradecer o teu gesto”. José Vidal Garcia Alonso (Docente Universitário Madrid)

In Facebook


Partido Socialista

PS

Revista 5  
Advertisement