Page 1

Sugestões de pautas, críticas e elogios: cadernoc@rac.com.br

PÉ NA ESTRADA Mostra Ocupação Cartola exalta os 100 anos do samba. PÁGINA A24

CORREIO POPULAR Campinas, sexta-feira, 30 de setembro de 2016 Divulgação

INDESTRUTÍVEL

Fragilidade

Fábio Trindade DA AGÊNCIA ANHANGUERA

fabio.silveira@rac.com.br

Tudo começou em abril do ano passado, com Demolidor. A Netflix, apesar do auge dos superheróis cinematográficos, decidiu levar os personagens da Marvel para um nível bem diferente daquele que os fãs estavam acostumados a ver nas telonas: mais realista, cru, sombrio, adulto. O público adorou. Por isso, a plataforma de vídeos carregou ainda mais na tinta ao lançar Jessica Jones em novembro de 2015. Além de manter o clima underground na heroína mal-humorada, apre-

sentou cenas extremamente picantes e abordou, sem medo, temas pesados, como abuso sexual e vingança a qualquer preço.

Personagem evita expor sua habilidade e tenta levar uma vida normal Hoje, a Netlix libera os esperados episódios de Luke Cage, a nova produção sobre o universo Marvel voltada para as telinhas. E basta dar o play no piloto para perceber que Demolidor e Jessica Jones serviram, mais do que entretenimento, como uma preparação para o que a empresa realmente que-

O ator Mike Colter na pele de Luke Cage: herói está longe dos mocinhos do cinema

ria oferecer aos fãs de quadrinhos. A Netflix, principalmente a partir de agora, mostra como os super-heróis — ou só super, já que o objetivo de vida desses caras passa longe do heroísmo — podem ser personagens complexos, interessantes, humanos, reais, cheios de defeitos e, por que não, inescrupulosos às vezes. Nada nem parecido com que o cinema tem mostrado, quando a ideia, quase sempre, é apenas divertir o público com poderes e gigantescas cenas de ação. Os sete primeiros episódios de Luke Cage foram liberados para a imprensa e, antes de mais

/ ESTREIA / Netflix libera hoje todos os episódios de Luke Cage, nova produção sobre o universo Marvel voltada para a telinha nada, é preciso dizer que a ação está lá, mas raramente. Se você é do tipo que quer ver o poderoso protagonista, de pele praticamente indestrutível e com uma força descomunal, em atividade o tempo todo, mostrando o que é capaz, essa série não foi feita para você. Longos e ácidos diálogos, bastidores do crime, políticos corruptos, a máfia que comanda o Harlem (periferia de Nova York), música de qualidade (em apresentações de artistas reais no principal clube do bairro) estão entre as prioridades de Luke Cage. E que bom. No meio disso, o herói, interpretado pelo carismático ator Mike Colter, diz a que veio. Mas só quando necessário. Ele não é o tipo de cara que sai por aí mostrando seus dons. Ao contrário, esconde as habilidades de praticamente todos. Ele trabalha na barbearia do Pops (Frankie Faison), o único que, aparentemente, conhece seus segredos. Limpa o chão e lava as toalhas de dia, enquanto à noite é ajudante geral na cozinha do clube mais badalado do Harlem, propriedade de Cottonmouth (Mahershala Ali, o Remy Danton de House of Cards). Este, claro, é o grande vilão. Cottonmouth faz (muito) dinheiro com contrabando de armas, cash que ajuda ainda na campanha da prima Mariah Dillard (Alfre Woodard), influente política que faz carreira prometendo melhorias no bairro. Os

dois, no fundo, não valem nada. A diferença entre eles é que Cottonmouth usa a força para alcançar os objetivos enquanto ela tem na lábia e influência suas principais armas. Spoilers O primeiro episódio serve basicamente para apresentar esse universo e quem é quem na história. Mais do que isso, mostra que a gangue latina concorrente de Cottonmouth passou a perna nele (com a ajuda dos protegidos de Pops). Ele perdeu muito dinheiro e quer de qualquer jeito a quantia de volta. É aí que, a partir do final de segundo capítulo, a guerra é declarada depois que a barbearia é metralhada. Nada mais resta a não ser Luke Cage vingar o amigo e quase pai. Mas a história não é linear. Para lhe situar no tempo, é antes de Jessica Jones e depois da morte da mulher do valentão. Por isso, atente-se ao quarto episódio, que volta consideravelmente no passado para mostrar, em detalhes, como Luke Cage ganhou seus poderes. Os fãs de quadrinhos sabem de seu histórico criminoso e de seu tempo preso, mas é muito interessante ver como ele se virou atrás das grades e por quais experimentos passou. Uma série que coloca os holofotes nas minorias mostrando como as boas histórias podem estar escondidas nos mais obscuros becos de uma metrópole.

Café Tablao promove especial Casa Flamenca Divulgação

/ DANÇA / Dupla de bailaores se une em apresentação inédita no Brasil O Café Tablao promove amanhã uma noite de gala, com edição especial do projeto Casa Flamenco, com duas participações especiais: os bailaores Fábio Rodriguez, e Sara Nieto, acompanhados pelos músicos Breno Lopes (guitarra flamenca) e Fernando de Marília (cante). Esta é a primeira vez que a dupla se junta em turnê no País. Além do show em Campinas, os bailaores fizeram apresentações e workshops em São Paulo, Recife e Belo Horizonte. “O intuito é expandir os conhecimentos da arte flamenca, fazendo com que mais pessoas conheçam e se apaixonem pela dança” , explica Fábio Rodriguez, que desde 2012 se divide entre Espanha, Itália e Brasil, atuando como coreógrafo e bailarino. Nascido em família de artistas, o brasileiro Rodriguez começou seus estudos de baile flamenco em São Paulo e aperfeiçoou-se em workshops na

AGENDE-SE O quê: Casa Flamenca - Noite de Gala com Fábio Rodriguez e Sara Nieto Quando: Amanhã, às 21h Onde: Café Tablao (Av. Jesuíno Marcondes Machado, 1.063, Nova Campinas, fone: 3294-1650) Quanto: R$ 50,00 (antecipado) e R$ 70,00 (dia)

O bailaor Fábio Rodriguez durante apresentação: turnê pelo Brasil

Espanha, com alguns dos melhores bailaores flamencos da atualidade, como Domingo Or-

tega, Concha Jareño, Carmen La Talegona, entre outros. “Bailo com Sara desde 2011. Já passamos por Madri, na Espanha, Milão, na Itália, e China, mas esta é a primeira vez dela no Brasil” , comenta o bailaor. Rodriguez já se apresentou várias vezes em Campinas. Sua mais recente passagem pela cidade foi em março, quando ministrou aulas de dança no Café Tablao. A espanhola Sara Nieto também estudou com os mais renomados bailaores e conservatórios conceituados em Madri, onde nasceu. Especializada em folclore, Sara dança bolera e flamenco estilizado. Os ingressos limitados podem ser adquiridos antecipadamente na secretaria do Café Tablao. (Delma Medeiros/Da Agência Anhanguera)

Serí(e)ssima - Luke Cage  

Crítica da série Luke Cage, da Netflix

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you