Page 1

O consumo

DICAS

Para quê levar os seus filhos às compras ? Para quê

O que é a sociedade de consumo?

O que é o consumo ?

comprar mais do que precisa? Conhecer as duas faces da publicidade a informativa e a apelativa ao consumo?

PARE PARA PENSAR No mundo há 2 milhares de crianças a morrer à fome e, por vezes, as pessoas, sem pensarem ,desperdiç am comida...

É realizado pelas famílias e pelas empresas pertencentes à iniciativa, que como agentes económicos, utilizam o rendimento que obtêm na actividade produtiva, para comprar bens e serviços necessários à satisfação de suas necessidades, tais como: alimentação, vestuário, habitação, divertimentos e outros.

Sociedade de consumo é uma expressão que designa a abundância e circulação massiva de todo o tipo de objectos, bens e serviços nos países desenvolvidos, os quais alteraram, significativamente, o modo de vida dos indivíduos.

O direito do consumidor Portugal foi um dos primeiros países a elevar a dignidade constitucional, o tema dos direitos do consumidor. Fazendo-o constar da revisão operada em 1992, no artigo 60º do capítulo 1(direitos e deveres económicos), o qual, por sua vez, se encontra inserido no título III (direitos e deveres económicos , sociais e culturais) da constituição.

2

2 3 4 5 6

SOS do consumidor Dever de o consumidor respeitar os compromissos que assume em relação aos fornecedores de bens e prestadores de serviços, agindo de boa fé , correcção e seriedade.


PÁGINA

2

Direitos do consumidor Consumo O consumo é a utilização de bens, serviços , energia e recursos por parte das organizações ou sociedades.

LEGENDA POUPAR ENERGIA E O AMBIENTE

Trabalho

Sociedade de consumo É uma expressão que designa a abundância e circulação massiva de todo o tipo de objectos nos países desenvolvidos ,os quais alteraram, significativamente o modo de vida dos indivíduos.

Cristina Teixeira Fátima Rainha Rosa Sousa Silvana Alves

Legenda que descreve a imagem ou gráfico.

A sociedade de consumo surgiu na segunda metade do século xx, graças à rápida industrialização do mundo ocidental. O crescimento económico, a subida dos salários , os benefícios sociais, o clima da esperança e o desejo de bem-estar fariam desencadear, nas sociedades industrializadas do ocidente, um fenómeno de consumismo generalizado.

Benefícios e prejuízos do consumismo Prejuízos do consumismo

de “imperiosa” de aumen-

Os benefícios

Tais como: a marginaliza-

tar a produção e consumo

A sociedade de consumo trouxe benefícios, tais como: a escolarização de massas; melhoria das condições dos trabalhadores,; generalização de cuidados de saúde primários; maior participação dos cidadãos e elevação no padrão do nível de vida.

ção de certas camadas da

de bens inúteis.

realizado por turma EFA B3:

As origens da sociedade de consumo

sociedade; caos urbanístico; perda dos valores tradicionais, degradação ambiental e uma necessida-

Dicas para Poupar 1. Vá às compras com tempo, para poder comparar preços e produtos. 2. Antes de ir às compras faça uma lista do que precisa e não saia dela. 3.Estipule, previamente o valor que quer gastar e leve consigo uma calculadora para controlar as despesas. 4. Não entre no supermercado de barriga vazia, pois tenderá a comprar mais comida do que

aquela de que realmente necessita. 5. Utilize as promoções com inteligência. Se não precisa, não compre! 6. Evite comprar seja o que for em estações de serviço, onde tudo é mais caro.


Direitos do consumidor

PÁGINA

3

Três direitos do consumidor

1. Direito à qualidade de bens e serviços Quando adquirimos um produto ou serviços espera-se que ele corresponda às suas expectativas, quanto à qualidade e unidade. A lei estabelece que estas devem satisfazer os fins para que se destinam. Esta qualidade deve ficar assegurada durante algum tempo após a compra. Se comprar um bem móvel, como um computador, o fornecedor deve garantir o bom estado pelo período de dois anos. Caso o produto tenha algum problema e necessidade de reparação, o preço de garantia fica suspenso. É diferente na compra de uma casa (bem imóvel, neste caso). Nesta circunstância a garantia é dada por o construtor por um período de 5 anos.

2. Direito à informação É necessário que a informação chegue até nós de uma forma clara e inequívoca. Por exemplo: se comprar uma aparelhagem de som e as intruções e as informações apenas estiverem redigidas em inglês, oufrancês, tem o direito de exigir do fornecedor um novo manual em português, dado que a língua oficial é o português. Por outro lado, os fornecedores devem dar-lhe todas as informações sobre as características dos produtos que vendem, especialmente preços, contratos, garantias e assistência pós-venda . Para além, do próprio vendedor, todos os restantes elos da cadeia, desde o produtor aos distribuidores são responsáveis pelas informações prestadas aos consumidores. A publicidade que é feita aos produtores e serviços tem que ser verdadeira, pois ela leva os consumidores a adquirirem determinado produto pelas características que aí são apresentadas. Se ,depois verificar que a realidade do produto não corresponde ao que foi anunciado na publicidade, está perante um caso de publicidade enganosa, e como tal deve denunciar as entidades competentes ou as organizações de defesa dos consumidores. 3. Direito à protecção da saúde e a segurança física: É proibido fornecer bens ou prestar serviços que coloquem em risco a saúde e a segurança física das pessoas. No caso de produtos perigosos, como, por exemplo, os pesticidas devem ter no rótulo uma nota para chamar atenção para os seus riscos. Existe também, a nível nacional uma entidade chamada comissão de segurança, que funciona junto do consumidor e que define se a generalidade dos produtos existentes no mercado respeitam ou não as regras mínimas de segurança e protecção dos consumidores.

O que mudou no consumo dos Portugueses?

O consumidor analisa o comportamento dos Portugueses face ao consumo de produtos, hábitos e utilização de serviços. De entre os mais de 500 produtos estudados, alguns merecem uma análise por evidenciarem tendências de crescimento ou descida mais ou menos estruturais.

Consumo responsável Consumo responsável é a capacidade de se escolher e/ou produzir serviços e produtos que contribuam para a melhoria de vida de cada um, da sociedade e do ambiente. Mas como podemos cumprir o seu objectivo? Em primeiro lugar, podemos começar por diminuir o consumo de água e de energia, começando por fechar as torneiras, enquanto escovamos os dentes, por tomar duche em vez de banho de imersão, por fechar as torneiras de água, enquanto nos ensaboamos, por dormir com as luzes apagadas, por desligar a luz, quando saímos de uma divisão da casa e ninguém lá fica, por deixar a televisão em “stand by” e por substituir as lâmpadas normais por lâmpadas económicas (fluorescentes).


SOS DO CONSUMIDOR Quais os deveres do consumidor?

Os consumidores têm um conjunto de deveres, nomeadamente, o de reclamar,

Dever de agir: dever de fazer valer as suas opi-

sempre que considerem dever fazê-lo.

niões e exigir um tratamento justo. Se permanecer

Quem cala consente….

passivo, continuará a ser explorado.! Dever de solidariedade: dever de organizar-se, enquanto consumidor, de forma a desenvolver a influência necessária para promover e proteger os seus interesses.

Dever de consciência ambiental: dever de pensar sobre as consequências ambientais do consumo. O consumidor deve assumir a sua

Dever de consciência crítica: dever de estar atento e ser crítico em relação aos preços e a qualidade dos produtos e serviços que utiliza.

responsabilidade individual e social na preservação dos recursos naturais e protecção do planeta.

Se vais às compras deves... 3. Comparar os preços dos produtos, dando especial importância à qualidade e não apenas à marca!

1. Fazer uma lista de produtos necessários e um orçamento do que 4. Evitar comprar produtos que não são necessários, mesmo que estepretendes gastar. jam em promoção. 2. Exigir : 5. Conferir sempre o talão da caixa _ preços afixados; registadora, para confirmar se os _ rótulos afixados explicando as preços registados são iguais aos características dos produtos; preços afixados juntos dos _ produtos dentro dos prazos produtos. de validade; 6. Nas compras a prestações , exigir _ embalagens e produtos bem um contrato escrito se a compra for conservados; superior a 200 euros ou a 100 _ higiene nos locais de venda e euros se se tratar de vendas ao domicílio. de consumo. 7. Em caso de reclamação, fazer o seu registo no livro de reclamações do respectivo estabelecimento comercial.

Revista  

revista elaborada pela turma de EFA B3