Issuu on Google+

IPCC: Brasil marca presença em energias renováveis

O IPCC é um órgão que pesquisa e analisa o clima mundial, este ano suas pesquisas mostraram que as fontes renováveis poderão reduzir entre 220 Gt a 560 Gt (gigatoneladas) a emissão de CO2 na atmosfera entre 2010 e 2050.Para que aconteça os governos precisam começar a substituir o uso de combustíveis fósseis por fontes de energia limpa como a energia eólica e a energia solar. Em 2008 apenas 12,9% do total de energia consumida no planeta era renovável, porem espera-se que em 2050 as fontes renováveis possam fornecer 77% das necessidades globais, ou seja, 314 dos 492 exajoules. Se nada for feito as emissões de CO2 que vem da queima de combustíveis fósseis chegarão a 1530 Gt em 2050. Para impedir o aquecimento global o IPCC avisa que a participação de energias renováveis precisará ser superior a 50%. O Brasil nessa – O professor do Programa de Planejamento Energético da Coppe Roberto Schaeffer acredita que o Brasil se antecipa no futuro. O cenário futuro que emerge desse documento já se antecipa, de certa forma, no Brasil, com a predominância de hidrelétricas na matriz energética , a recente e crescente instalação de usinas eólicas para a produção de eletricidade’ diz o professor.

Na atualidade utiliza-se a energia eólica para mover aerogeradores - grandes turbinas colocadas em lugares de muito vento. Essas turbinas têm a forma de um catavento ou um moinho. Esse movimento, através de um gerador, produz energia elétrica. Globalmente, a energia eólica não ultrapassa o 1% do total gerado por todas as fontes. O custo da geração de energia eólica tem caído rapidamente nos últimos anos. Em 2005 o custo da energia eólica era cerca de um quinto do que custava no final dos anos 1990, e essa queda de custos deve continuar com a ascensão da tecnologia de produção de grandes aerogeradores. Já uma usina de energia solar e composta por um conjunto de espelhos móveis espalhados por uma área plana, que apontam todos para um


mesmo ponto, situados no alto de uma torre. Neste ponto, canalizações de água são aquecidas pela incidência da luz solar refletida, produzindo vapor que move uma turbina a vapor e que aciona um gerador de energia elétrica. O armazenamento de energia elétrica produzida durante o dia é em baterias porem, ainda pouco eficiente e faz o uso de grande quantidade de baterias e estas possuem vida limitada e devem ser recicladas para evitar a contaminação do meio ambiente. Outra forma de se obter energia elétrica a partir da luz solar é por meio de painéis recobertos com células fotoelétricas. Porém de pouca eficiência, já que a energia elétrica produzida não chega a valores expressíveis. Existem planos teóricos de captar a energia do Sol diretamente do espaço e enviá-la à Terra através de satélites solares, porém de alto custo e atualmente é economicamente inviável.

Podemos concluir que a cada dia que passa o mundo necessita mais de fontes renováveis de energia, já que efeitos causados pela poluição e pelo rápido esgotamento das reservas de outras fontes de energia acabam por atrapalhar a economia, a saúde e a paz do planeta.

Fontes: http://www.ambienteenergia.com.br/index.php/2011/05/ipccbrasil-marca-presenca-em-energias-renovaveis/11427 http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=0201150710 24 http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/educacao/conteudo_224740.shtml http://www.dforcesolar.com/pt/como-funciona-a-energia-solar/ 1ºD- Ensino Médio. Mariana Turolla Sakamoto Juliana Segatto de Sousa


IPCC: Brasil marca presença em energias renováveis O