Page 1

Edição 01 Ano 01 Distribuição Gratuita Itapetininga, 01 Julho de 2011

Editorial O desafio de uma Faculdade de Tecnologia está em manter o dinamismo que o perfil tecnológico exige. Frente a isso, a comunicação mostra-se uma das grandes ferramentas auxiliares a fim de acompanhar a rápida evolução da faculdade. Dentro desse contexto, surge o jornal ”Sou + Fatec”, difundindo informações, acontecimentos relevantes e novidades. Vários projetos têm sido desenvolvidos. Em abril, realizamos o 1º Café com as Empresas. Tal evento foi o responsável por apresentar aos empresários de Itapetininga e região o potencial de nossa Faculdade, resultando em 33 vagas de estágios e 08 vagas de emprego para os nossos alunos. Outro motivo de muito orgulho para esta direção foi o expressivo aumento no número de inscritos para o Vestibular do 2º Semestre de 2011, aproximadamente 33%. Porém, nada adiantará se a Faculdade não for ao encontro dos anseios de seus integrantes, transformando-os através do conhecimento e atuando positivamente na comunidade como temos feito através dos projetos “Lar das Meninas”, “Formando Talentos”,“GEPETEC” e “IHARA”; trabalhos brilhantemente conduzidos por professores e auxiliados por estagiários. Pensando no aprimoramento constante de nossos alunos, o 2º Semestre de 2010 foi marcado pelo II Sintagro e V Semana de Tecnologia, onde recebemos os mais renomados profissionais das áreas do Agronegócio, Comércio Exterior e Informática.

Iniciando 2011 com a 5ª Mostra, projetos extremamente bem elaborados e oportunos demonstraram toda a criatividade e competência de nossos alunos e professores. Também os cursos “Aprenda a Investir na Bolsa” e “Finanças Pessoais e Investimentos”, realizados em maio e junho respectivamente, aliaram a teoria das aulas com a prática das operações na Bolsa de Valores. Ainda durante o mês de junho, realizamos o 1º “Trilóquio Tecnológico” onde personalidades do meio acadêmico debateram com profissionais do setor assuntos polêmicos e da atualidade, proporcionando aos estudantes o estabelecimento de um caráter crítico e a definição de sua posição diante do mundo profissional. To d o s e s t e s e ve n t o s r e s g a t a m a participação de nossos alunos, funcionários e professores comprometidos com o ideal de excelência e o desejo de construir uma Fatec cada vez mais atuante. Auxiliar o processo de ensinoaprendizagem e buscar a excelência dos nossos cursos também faz parte dos desafios da Fatec Itapetininga e se configura como nossa missão. Há ainda muito por fazer, porém, temos a certeza de estarmos trilhando o caminho para essas realizações. Parabéns a todos e um grande abraço.

Profª Drª Isolina Maria Leite de Almeida

Nesta Edição Página Página Página Página Página

02 05 08 08 09

– – – – –

Com a Palavra a Coordenação Professor em Foco www.acesse Eu Recomendo No Mundo dos Negócios

Página Página Página Página Página

11 12 14 15 15

– – – – –

Fatec Cultural É Notícia Quem Sou Eu Agradecimentos Fique de Olho


Com a Palavra a Coordenação TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOVIMENTO DE SISTEMAS

`

A

n d r é i a Rodrigues Casare é a c o o d e n a d o ra d o Curso de Análise e Desenvolvimento de Sistema (ADS). A professora Andréia é graduada em Processamento de Dados pela Universidade Metodista de Piracicaba, com especialização em Aplicações na Web também pela U N I M E P . Atualmente faz Mestrado em C i ê n c i a d a Computação pela Universidade Estadual de C a m p i n a s (UNICAMP). A coordenadora do curso possui ampla experiência na área de Ciência da Computação, com ênfase em Software Básico, atuando principalmente em engenharia de Software e Banco de Dados. P 02

O curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas iniciou sua primeira turma em Fevereiro de 2011. Atualmente há somente duas turmas, uma no período diurno e outra no noturno, uma vez que o curso substitui gradualmente o anterior cujo foco era Informática para Gestão de Negócios. O Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas analisa, projeta, documenta, especifica, testa, implanta e mantém sistemas computacionais de informação. Esse profissional trabalha, também, com ferramentas computacionais, equipamentos de informática. Raciocínio lógico, emprego de linguagens de programação e de metodologias de construção de projetos, preocupação com a qualidade, usabilidade, robustez, integridade e segurança de programas computacionais são fundamentais à atuação desse profissional.

ÁREAS DE ATUAÇÃO O profissional de Análise e Desenvolvimento de Sistemas de Informação pode atuar em empresas de assessoria e consultoria tecnológica e de desenvolvimento de sistemas, assim como nos diversos setores da economia: indústria, comércio, prestação de serviços, instituições financeiras, órgãos públicos ou como empreendedor em informática. Esse profissional está habilitado a exercer as seguintes profissões: analista de sistemas, analista de suporte, administrador de banco de dados, administrador de redes, gerente de informática, gerente de projetos, programador, web designer, suporte técnico, professor, etc. COMPETÊNCIAS DO TECNÓLOGO EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA § Conhecimento de ferramentas computacionais; § Capacidade para identificar necessidades, desenvolver e implementar soluções, utilizando a tecnologia da informação; § Capacidade para selecionar recursos de Software e Hardware específicos às necessidades das instituições; § Capacidade de propor e coordenar mudanças organizacionais, definir políticas e diretrizes decorrentes do uso da tecnologia da informação; § Capacidade de comunicação interpessoal e expressão correta em documentos técnicos, inclusive em Língua estrangeira. § Espírito empreendedor e visão crítica na busca de novas oportunidades de desenvolvimento profissional; § Criatividade e intuição aguçadas aliadas ao preparo técnico adequado; § Visualizar novas oportunidades de desenvolvimento profissional. § Garantir segurança, integridade e desempenho do sistema operacional, das bases de dados e das redes utilizadas nas empresas. § Elaborar planos de contingências para manter os sistemas em funcionamento.

EXPEDIENTE Sou + Fatec é um jornal da Faculdade de Tecnologia de Itapetininga. Site: www.fatecitapetininga.edu.br Rua Dr. João Vieira de Camargo n. 104, Vila Barth - CEP: 18205-600, Itapetininga/ SP Telefones: (15) 3272-7916/3272-1165 Diretora: Professora Doutora Isolina Maria Leite de Almeida Editor responsável: Professor Mestre Ademar Soares Castelo Branco Alunos colaboradores: Cintia de Oliveira Passarinho (reportagem e marketing), Diana Milena Pinilla de Oliveira (reportagem e marketing), Gabriela Thibes Rodrigues (reportagem), Ivanise Aqueu Pereira (editoriação e arte), Leandro Palma Carvalho Moreira (reportagem), Natália Guilherme Assis da Silva (reportagem) e Rodrigo Bonini (reportagem). Logomarca idealizada por: João Vinicius Ferreira Machado Tiragem: 2000 cópias. Impressão: Gráfica Regional Distribuição Gratuita Sou + Fatec agradece aos nossos patrocinadores.


Com a Palavra a Coordenação TECNOLOGIA EM COMÉRCIO EXTERIOR O curso de Tecnologia em Comércio Exterior iniciou suas atividades no ano de 2009. Atualmente, é oferecido no período vespertino e noturno. O Tecnólogo em Comércio Exterior é o profissional empreendedor capaz de contribuir para a inserção das empresas no comércio internacional, gerenciando operações de comércio exterior tais como: transações cambiais, despachos e legislação aduaneira, importação e exportação, contratos e logística internacional. O profissional da área prospecta e pesquisa mercados, define planos de ação, negocia e executa operações legais, administrativas, tributárias e cambiais inerentes ao processo de exportação e importação. Além disso, controla fluxos de embarque e desembarque de produtos, providencia documentos e identifica os melhores meios de transporte a fim de otimizar os recursos financeiros e humanos para o comércio exterior. Portador de conhecimentos multidisciplinares, o Tecnólogo em Comércio Exterior deve ainda ser capaz de atender às necessidades geradas pelos avanços tecnológicos, exercer julgamento, avaliar riscos e tomar decisões que lhe permitam gerenciar seu próprio negócio.

ÁREAS DE ATUAÇÃO O profissional em Comércio Exterior pode atuar em agroindústrias, indústrias, empresas de importação e exportação, cooperativas, bancos, multinacionais, empresas de transporte, empresas aduaneiras e de câmbio, consultorias, assessoramento empresarial, empresas prestadoras de serviços, editoras especializadas e outros. O profissional da área atua como empregado assalariado, autônomo, empresário ou funcionário de empresas públicas. De acordo com a CBO – Classificação Brasileira de Ocupações essa formação pertence à classificação de Analistas de Comércio Exterior e Analista de exportação e importação. Algumas outras ocupações para esta formação são: diretor de câmbio e comércio exterior; gerente de administração de carteiras de câmbio e comércio exterior ou gerente de câmbio e comércio exterior; administrador de carteiras de câmbio e comércio exterior; operador de câmbio e comércio exterior; técnico em administração de comércio exterior e agente de comércio exterior.

COMPETÊNCIAS DO TECNÓLOGO EM COMÉRCIO EXTERIOR GERAIS: § Agir com iniciativa e liderança; § Exercer a capacidade de análise, de síntese, de negociação e de decisão; § Exercer raciocínio lógico, visão e senso crítico; § Desenvolver capacidade de comunicação e expressão; § Administrar conflitos; § Gerenciar e trabalhar em equipe; § Desenvolver atitudes empreendedoras; § Prover e utilizar técnicas e tecnologias para solucionar problemas; § Compreender as dinâmicas das organizações.

ESPECÍFICAS: § Operacionalizar Exportação; § Processar Importação; § Traçar Plano de Exportação; § Analisar Mercado Internacional de Produtos e Serviços; § Realizar Atividades de Promoção de Comércio Exterior; § Comunicar-se em Língua Estrangeira.

E

va Fagundes W e b e r coordena o C u r s o d e Te c n o l o g i a e m Comércio Exterior. A professora Eva é graduada em Letras, Português e Ingl ês, p el a Universidade de Cruz Alta - RS. Possui mestrado em Educação pela Universidade de Guarulhos e mestrado em L i n g u í s t i c a Aplicada e Estudos da Linguagem pela P o n t i f í c i a Universidade Católica de São Paulo; e ainda, Lato Sensu em L i n g u í s t i c a Aplicada ao Ensino d e L í n g u a Portuguesa pela Unicamp. Possui ampla experiência em coordenação de cursos e no desenvolvimento de projetos.

P 03


Com a Palavra a Coordenação CURSO DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO O Curso de Tecnologia em Agronegócio da Faculdade de Tecnologia de Itapetininga iniciou-se em fevereiro de 2006, atendendo a um antigo anseio dos itapetininganos, isto é, o de possuir um curso superior de tecnologia com qualidade e que fosse também gratuito. O Curso de Tecnologia em Agronegócio foi o primeiro dos três cursos instalados hoje na Fatec Itapetininga Professor Antonio Belizandro Barbosa Rezende. Desde 2006, o curso já formou cinco turmas e atualmente possui em média 360 alunos distribuídos em 12 turmas nos períodos diurno e noturno, 34 professores e 3 laboratórios (1 laboratório de Inteligência e Conjuntura, 1 laboratório de Informática e 1 laboratório Experimental de Marketing e Comunicação). O curso forma profissionais com competências tanto em tecnologias de gestão, quanto de produtos e processos, visando o entendimento das principais questões relacionadas ao agronegócio brasileiro e produzindo, como conseqüência, direta ou indireta, intervenções na multiplicidade de variáveis dos segmentos agroindustriais públicos ou privados. Além disso, por meio de permanente atualização e investigação tecnológica, pretendese construir conhecimentos relevantes para a sociedade e igualmente contribuir com a discussão das políticas públicas e privadas relativas ao setor. O Tecnólogo em Agronegócio é o profissional que viabiliza soluções tecnológicas competitivas para o desenvolvimento de negócios na agropecuária a partir do domínio dos processos de gestão e das cadeias produtivas do setor. Este profissional está habilitado a trabalhar em empresas e organizações de ensino e pesquisa, podendo ainda: § Fazer prospecção de novos mercados, análise de viabilidade econômica e identificação de alternativas de captação de recursos; § Gerenciar atividades de beneficiamento, logística e comercialização; § Definir investimentos, insumos e serviços, visando à otimização da produção, a qualidade, produtividade e sustentabilidade do negócio

COMPETÊNCIAS DO TECNÓLOGO EM AGRONEGÓCIO Aplicar tecnologias e conhecimentos sobre produção vegetal e animal; gerenciar cadeias agroindustriais; desenvolver planejamento estratégico; planejar, analisar e controlar custos de produção, marketing, finanças e logística; fazer gestão da qualidade e de políticas agrícolas nacionais e internacionais; desenvolver ferramentas empresariais de macro e microeconomia; gerenciar recursos humanos; analisar legislação; analisar investimentos; administrar estoques; fazer contabilidade; desenvolver procedimentos de exportação para fomentar o comércio internacional; desenvolver produtos, entre outros.

MERCADO DE TRABALHO

5ª Turma de Formandos do Curso de Tecnologia em Agronegócio Fev./2011. P 04

O mercado de trabalho é promissor considerando o papel que o agronegócio ocupa na balança comercial brasileira, principalmente nesta região do sudoeste paulista que ocupa o primeiro lugar no PIB agrícola do estado de São Paulo e nas novas fronteiras agrícolas que vislumbram o país. Nossos egressos atuam em nossa região e em outros estados do Brasil, em empresas de renome no âmbito nacional e regional.

M

aria Clara Ferrari, coordenadora do C u r s o d e Tecnologia em Agronegócio, é Engenheira Agrônoma formada pela Escola Superior de Paraguaçu Paulista - SP. A professora Maria Clara possui cursos de aperfeiçoamento e especialização em Gestão Agroindustrial pela Universidade Federal de Lavras MG e também, Licenciatura Plena em Agricultura. Já atuou na Secretaria da Agricultura de Palmital - SP como agrônoma responsável pela Casa da Agricultura do município. Na Cooperativa dos Cafeicultores da Média Sorocabana, foi responsável pelo departamento de insumos, desenvolvendo projetos de captação de crédito rural e na contratação de seguro rural. Prestou ainda, consultoria em projetos agropecuários, na comercialização de produtos agrícolas e no desenvolvimento de tecnologias de produção como Plantio Direto e na implantação de agroindústrias.


Professor em Foco

Prof. Ms. Cesário Leonel É um orgulho que o senhor seja o primeiro entrevistado do Sou + Fatec. Queremos conhecer um pouco sobre sua vida fora do campo acadêmico. Primeiramente, queria agradecer o convite que vocês me fizeram para esta entrevista. É um prazer enorme poder contar um pouco da minha história, neste histórico primeiro número do jornal, mesmo sabendo que existem outros professores cujas histórias de vida são mais interessantes que a minha. Com relação a minha vida não acadêmica, eu sempre fui um “atleta”. Gostava de jogar futebol, basquete, vôlei, praticava natação e participava de competições de atletismo. Cheguei a integrar a Seleção de Vôlei da cidade por ser o melhor (único) levantador amigo do técnico. Vivia elaborando estratégias de como participar nas competições para me sair bem. Na verdade, eu nunca me saí tão bem assim. Consegui algumas medalhas, é claro, mas me orgulho de ter sido “ameaçado de morte” num campeonato de truco em Mogi das Cruzes, pois meu parceiro e eu atravessamos a madrugada “revezando” as duplas que sentavam na nossa mesa. “Bando de patos” (risos). Eles queriam nos matar, mas acho que foi pura sorte... ganhar e ... sobreviver. Trabalhei na Camargo Correia de Apiaí, na Fiação Fileppo em Itapetininga, na Alpargatas de Tatuí, na Companhia Sul Paulista de Energia de Itapetininga. Fui responsável técnico por três empreiteiras de eletrificação rural, mantive duas empresas de serviços de eletricidade e outra de projetos aqui na cidade, até ser contratado pelo Centro Paula Souza para dar aulas na Fatec de Itapetininga, isso em março de 2006. A partir de 2008 fui abandonando os trabalhos de engenharia para me dedicar inteiramente às aulas. Analisando o seu vasto currículo, gostaríamos de saber quais os momentos mais marcantes da sua trajetória escolar. Quando eu tinha meus seis anos de idade eu gostava de assistir às aulas que meu pai ministrava para os seus colegas do Curso de Contabilidade. Nós tínhamos uma lousa no corredor que levava para o quintal e que ficava de frente para a cozinha. Então, o meu pai usava a lousa e seus colegas ficavam sentados na cozinha. E eu, sentado num canto olhando tudo atentamente, como se estivesse aprendendo algo. Quando a aula acabava, meu pai se aproximava com uma caixinha de fósforos e me ensinava a fazer contas de somar e subtrair. Acho que foi aí que tudo começou. Morávamos num casarão da Av. Francisco Válio, meu pai (Secretário de uma escola estadual), minha mãe (Professora primária, também da rede estadual de ensino), meu irmão e duas irmãs.

“A matemática não mente. Mente quem faz mau uso dela.” Albert Einstein P 05


Professor em Foco Logo aos treze anos de idade, agora no Ginásio, a professora de Matemática me surpreendeu ensinando um exercício ao meu colega da carteira ao lado. Naquela época, isso era considerado uma afronta: levávamos “reguada” na cabeça e puxões de orelhas. Mas aquela professora deve ter aprovado a minha maneira de explicar o assunto ao meu colega. Foi para o centro da sala e convocou os alunos com dificuldade de aprendizagem para estudar na minha casa aos sábados. Portanto, comecei a dar aulas para os meus próprios colegas. Essa experiência foi fundamental para que eu tratasse meus “alunos” como “iguais”, ou seja, não me considerava melhor do que eles, afinal eram meus colegas de classe. Acredito que até hoje trato meus alunos como iguais a mim e se eu sei um pouco mais do que eles é porque sou mais velho e, sinceramente, acho isso terrível. Quando tinha quinze anos, mais ou menos, minha irmã namorava um rapaz que trabalhava no Hospital das Clínicas, em São Paulo. Ele realizava pesquisas com válvulas do coração para implante em humanos. Isso me fascinava e resolvi que minha profissão seria aquela também. Decidi fazer Engenharia Eletrônica na Poli e depois uma pósgraduação em Engenharia Biomédica em São Carlos para seguir o mesmo caminho daquele rapaz. Mas, o destino me levou para a Universidade de Mogi das Cruzes onde me formei Engenheiro Eletricista e a vida me obrigou a trabalhar na área de Eletrificação Rural. O sonho ficou para outra oportunidade, talvez para a próxima reencarnação, afinal sigo a Doutrina Espírita. Nunca parei de dar aulas: Matemática e Física para cursinhos pré-vestibulares; Fundamentos de Matemática, Matemática Financeira, Estatística, Comportamento Administrativo e Administração de Pessoal para o Curso de Administração da FKB; Técnicas de Administração em Relações Públicas e Informática (do tempo do CP 250, DOS, disco flexível de 5 1/4", Gabinete horizontal de 60x40cm, impressora matricial com nome de mulheres, e por aí vai...) para o Curso de Comunicação também da FKB; Estatística, Eletricidade Básica e Física para Cursos Técnicos do Senac; entre outros. Conte-nos alguma anedota dos corredores da Fatec (não precisa citar nomes). Aqui na Fatec muita coisa já aconteceu. Lembro-me de um comunicado que o nosso primeiro diretor foi dar aos alunos e, ao entrar na sala (lotada, com alunos de dois ciclos juntos), um deles fez uma brincadeira infeliz (chamando o diretor de 'baixinho' entre outras coisas). Não é que o “baixinho”c ouviu e deu um primeiro passo na direção daquele aluno falando com voz alterada (pronto pra briga), perguntando em tom de ameaça: “o que foi que você disse?” Eu, percebendo a gravidade da situação e já buscando uma solução, falei em voz alta, o suficiente para todos ouvirem: “ele está falando da auréola do Prof. Marcelo.” O Prof. Marcelo, encostado junto à lousa, voltou o olhar para cima da sua cabeça e lá estava uma circunferência desenhada, a auréola do Prof. Marcelo. Todos riram e eu, puxando o nosso diretor pelo braço, acredito ter transformado uma situação constrangedora numa brincadeira (meio sem graça, admito), mas que serviu de lição para aquele aluno.

P 06


Professor em Foco Quando o senhor está em sala de aula e olha para os seus alunos, como os imagina no futuro? E que mensagem gostaria de passar para eles? Os meus alunos fazem parte da minha vida. Rezo para o sucesso de todos e para que eles se conscientizem de que o importante é viver bem. Não existem alunos menos capazes ou mais capazes. O que existe é gente querendo vencer na vida e para eles eu não deixo nenhum conselho, pois eles vão amadurecendo durante o curso e acredito que todos sabem o que devem fazer. O que eu digo são algumas palavras: responsabilidade, solidariedade, ética e cidadania. O viver bem requer ser responsável pelos compromissos assumidos e pelos atos praticados; passa pela solidariedade que permite a aceitação do outro (mesmo que diferente) como igual; o comportamento ético traz a justiça e a resignação nos momentos decisivos e a cidadania nos move para a preservação do meio ambiente, para a sustentabilidade e para empregar nossos conhecimentos, nosso tempo e nosso esforço a serviço do social mesmo que em detrimento ao capital. Como tudo nessa vida é aprendizado, nesses anos de Fatec aprendeu?

Itapetininga, o que o senhor

Aprender não pode ser uma tarefa, antes de tudo deve ser um prazer e, é o que eu sinto estando professor aqui na Fatec. A cada dia, a cada momento, sempre existe um aprendizado. O senhor é professor e uma das coisas que todo professor faz é dar notas, agora vamos propor uma brincadeira, vamos falar um tema e o senhor dará uma nota de 0 a 10 e poderá fazer um comentário sobre o assunto. Quando eu tenho que dar notas me sinto constrangido porque eu sou “anarquista” por ideologia. Nunca nada está errado. A escola apenas exige que os alunos façam do jeito que ela manda. Infelizmente isso ainda não mudou, mas só para contrariar esse meu pensamento, vou dar algumas notas que vocês me pedem: Políticos brasileiros: notas variando de zero a dez, com a curva de distribuição de frequência assimétrica positiva, ou seja, muito mais notas baixas do que altas, infelizmente. Impostos: notas altas (em todos os sentidos); deveriam ser retornados em benefício ao cidadão como educação, saúde, transporte, moradia, tudo de qualidade e gratuito. A nota baixa vai para os políticos que não cumprem o dever de bem aplicar esses recursos. HP 12C: nota dez. Ela até fala, por exemplo, 20132.20738 (verifiquem) Fatec de Itapetininga: nota dez. É a oportunidade que a região tem de ganhar profissionais e serviços que garantam um futuro promissor. Já está fazendo a diferença. Cidade de Itapetininga: nota dez. É minha Cidade Natal, quer mais? “Bixos”: nota dez: são eles a razão da existência da Fatec. Para os “bixos” a nota poderia ser... quer dizer, nota dez mesmo. Quero agradecer mais uma vez a escolha do meu nome para esta primeira entrevista e parabenizar toda a equipe do jornal cuja iniciativa deve (não tenho dúvidas) se tornar um grande sucesso de comunicação na Comunidade Fatecana. Parabéns a todos.

P 07


www.acesse Espaço Publicitário LiveMocha - http://www.livemocha.com Aprenda outros idiomas usando uma rede social. Assim como Orkut, Facebook ou Twitter, o Live Mocha utiliza os mesmos recursos interativos para que você realmente aprenda outro idioma. O funcionamento do site é bem simples, depois do cadastro, você define qual idioma fala e qual quer aprender (ou quais). A cada nível de aprendizado, você recebe determinadas tarefas - escritas ou faladas. Após a execução destas tarefas, outro usuário que tenha domínio sobre o idioma que você está aprendendo irá avaliá-las e orientar como você poderia fazê-las melhor. O sistema automaticamente indica “tutores” para acompanhar o seu aprendizado. SlideShare - http://www.slideshare.net Prepare suas apresentações no estilo PowerPoint e compartilhe na Internet. O foco deste site é compartilhar conhecimento. Aqui você pode procurar trabalhos e matérias feitas por pessoas do mundo todo, grande maioria com conteúdo aberto, ou seja, que permite seu uso sem restrições autorais. Muito usado na área acadêmica para distribuir e atualizar trabalhos em equipe.

Eu recomendo Título do livro: Economia Internacional e Comércio Exterior Autor: Jayme de Mariz Maia. Editora: Atlas, 2010. 483 p., 13ª Ed. São Paulo. Sinopse: O livro aborda assuntos complexos sobre a Economia Internacional e o Comércio Exterior, enfatizando a balança comercial de bens e serviços e as transações internacionais na área de comércio exterior. Na área de finanças internacionais, o livro enfatiza o balanço de pagamentos, as reservas cambiais, as modalidades de operações de pagamentos internacionais, o mercado cambial, o mercado do eurodólar, os controles cambias, o capital estrangeiro, o endividamento externo, a dívida externa brasileira, os paraísos fiscais, o papel do Fundo Monetário Internacional e os sistemas monetários e cambiais no mercado de moeda estrangeira. O livro aborda também as principais teorias de comércio exterior (clássicas e modernas), enfatizando a mobilidade dos fatores de produção, as principais políticas econômicas, a economia internacional contemporânea, o histórico do comércio internacional e as barreiras do comércio internacional. O livro enfatiza os acordos comerciais, a questão da competitividade e produtividade, as fusões e o processo de globalização das empresas multinacionais, os investimentos brasileiros no exterior e os principais blocos econômicos. Livro obrigatório para os futuros profissionais de Comércio Exterior. Profº Msc. Henrique Demiya Mitsuharu Título do Livro: Agronegócio do Brasil

Título do livro: Sistemas de Informação Gerenciais. Autores: Marcos Fava Neves, Decio Zylbersztajn, Evaristo Autores: Kenneth C. Laudon & Jane P. Laudon. Marzabal Neves. Editora: Pearson Prentice Hall, 2007 (7ªed.) Editora: Saraiva (4ª tiragem em 2008) Sinopse: O livro Sistemas de Informação Gerenciais, um verdadeiro clássico, está em sua Sinopse: O livro é uma coletânea de textos rápidos em sétima edição no Brasil e já faz parte do acervo da agronegócio, publicados nos jornais O Estado de São Paulo e biblioteca da Fatec de Itapetininga. O livro faz Valor Econômico, bem como na revista Agroanalysisda, FGV. uma introdução concisa e acessível aos sistemas Também encontramos sínteses de artigos de informação, conceituando-os e descrevendo de que forma eles editados em congressos no Brasil e no exterior. influenciam diretamente no desenvolvimento dos negócios nas Os artigos foram reunidos, atualizados e empresas. O livro traz conceitos básicos de dado, informações e modificados com o objetivo de elaborar um conhecimento da área, aspectos importantíssimos para se ter uma material de fácil leitura, trazendo a opinião dos idéia de como atender as demandas atuais para a tomada de autores sobre diversos assuntos relacionados decisão nas empresas. O livro aborda ainda assuntos como ao agronegócio brasileiro e mundial e de hardware, software, teleprocessamento, CRM, ERP, BI, comércio grande relevância aos estudantes da área, pois eletrônico e muitos outros. aborda desde economia e administração, até Recomendo esta leitura a todos que desejam entender agronomia, zootecnia, veterinária, entre melhor o universo entre tecnologia e gestão nas empresas. outros assuntos. Profº. Msc. Gerson Nunho Carriel Profª. Drª. Isolina Maria Leite de Almeida.

P 08


No Mundo dos Negócios Prefeito Roberto Ramalho 1. Conte-nos sobre a sua vida pessoal e a sua formação. Nasci em Itapetininga no dia 15 de março de 1960. Sou casado com Ângela Maria Antunes de Carvalho Tavares e tenho três filhos, Letícia, Roberto e Patrícia. Fiz o Curso de Tecnologia de Construção Civil pela Faculdade de Tecnologia de São Paulo e posteriormente, os cursos de Licenciatura em Ciências e Matemática pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Itapetininga e Pós-graduação em Recursos Humanos. Em 1983, iniciei carreira como servidor municipal no setor de serviço técnico especializado e, em 1990, assumi a presidência da Emurbi Fotos: Fábio Molina Empresa Municipal de Urbanização de Itapetininga. Fui eleito Vice-Prefeito em 1992 e, em 2005, assumi o cargo eletivo de Prefeito de Itapetininga, sendo reeleito em 2008 para o mandato de 2009 a 2012. 2. Na sua concepção, que papel a Fatec Itapetininga tem hoje para a cidade? A FATEC Itapetininga tem um papel fundamental no processo de desenvolvimento de Itapetininga e de toda nossa região. Sabemos que a base para o progresso é a educação. Com mão de obra qualificada, novas empresas são atraídas para o município e investimentos importantes são feitos. A Fatec, como a primeira Faculdade Pública gratuita do município, contribui no desenvolvimento de pesquisas e também abriu portas para outras instituições de ensino de renome se instalarem na cidade. 3. Que parcerias a prefeitura tem estabelecido junto à instituição e qual a importância dessas parcerias para ambas? A Prefeitura de Itapetininga tem realizado diversos investimentos e parcerias com o Centro Paula Souza através da FATEC Itapetininga. A partir da instalação da instituição de ensino em nossa cidade, a Administração Municipal passou a trabalhar para possibilitar a ampliação do número de cursos. Desde o início das atividades da FATEC, a Prefeitura já fez diversas reformas e benfeitorias no prédio, inclusive com a implantação de elevador no local. No dia 13 de maio foi celebrado um termo de Cooperação entre a Prefeitura e a FATEC Itapetininga para a criação de um novo Programa denominado “Itapetininga Formando Talentos”. A iniciativa visa despertar e fomentar a pesquisa e a prestação de serviços à comunidade de Itapetininga, com informações de utilidade pública. Quatro projetos já integram o Programa: Observa Itapê, Laboratório de Inteligência de Mercado, Schurig Itapetininga e Tecnologia Reciclada. Não podemos deixar de lembrar o apoio fundamental do Governador Geraldo Alckmin nos investimentos e parcerias na área da educação. Tenho conversado com o Governador e ele tem demonstrado uma atenção especial com a FATEC. 4. De que forma a prefeitura pode ajudar no projeto de expansão da Fatec Itapetininga, principalmente, levando em consideração que outra Fatec da região, inaugurada na mesma época, possui hoje mais cursos do que a nossa? Dentro dessa possível expansão, qual ou quais cursos o senhor acha que deveria(m) ser implementado(s) e por quê? Trabalhamos bastante para trazer a FATEC para Itapetininga. Tivemos que vencer inúmeras resistências e dificuldades. Continuamos trabalhando junto ao Centro Paula Souza para conseguir recursos objetivando a vinda de mais cursos estando sempre à disposição, porque como já dissemos, acreditamos na importância da educação para o desenvolvimento de toda nossa região. Nesse esforço recente, conseguimos a liberação da ampliação do prédio contando com a importante ajuda do Profº Reinaldo Luiz Vieira, atual dirigente de Ensino, que cumpriu antiga determinação para a mudança da DERITA- Diretoria de Ensino – Região de Itapetininga. Contamos também com a ajuda da Profª Laura Laganá que viabilizou os recursos para a reforma, sem contar com o empenho da Profª Isolina que tem feito um ótimo trabalho à frente da FATEC Itapetininga. P 09


No Mundo dos Negócios Vale lembrar, dentro de nossa visão de priorizar a educação, que a Prefeitura vem investindo bastante em outros projetos, como a instalação do Instituto Federal de São Paulo- IFSP, da Universidade Aberta do Brasil- UAB-Polo Ensino à Distância- Chopin Tavares de Lima e mais recentemente, investindo perto de R$ 3 milhões de recursos próprios na construção de outra Escola Técnica com cursos voltados à área de saúde e prestação de serviços, colaborando para a geração de trabalho e renda. 5. Como o senhor vê o evento “Café com as Empresas na Fatec”? É uma grande oportunidade dos empresários conhecerem os projetos educacionais, os alunos, a mão de obra qualificada do município e criando, assim, oportunidades de trabalho. 6. Por falar em mercado de trabalho, quais as oportunidades que a cidade de Itapetininga oferece hoje e em que áreas? Com investimentos em educação, Itapetininga tem pessoas qualificadas para atrair novas atividades empresariais e industriais. Devido ao trabalho realizado pela Prefeitura de Itapetininga, nos últimos 6 anos, grandes empresas buscaram o município para implantar suas unidades. Entre eles podemos destacar Decormant Móveis, Itabox Indústria e Comércio de Móveis de Madeira Ltda e Itacol Indústria e Comércio, Importação e Exportação de Resinas-(Grupos Resinas Brasil), Construtora Madrid Usina de Asfalto, Bravis Frutas, Aliaga Confecções, Extra Supermercados, Magazine Luiza, Lojas Americanas (Unidades I e II), Datamétrica, e mais recentemente, Lojas Marisa e Habib's. Também nesse período, o município foi contemplado com a ampliação de indústrias, empresas comerciais e prestadoras de serviços: 3M do Brasil, a Nisshinbo do Brasil, a MGA Indústria Moveleira, Ilda Monetti Confecções, Lojas Style, entre outras. Outras empresas como: Top Fértil Fertilzantes, Master Brinq Indústria de Brinquedos, Lua Nova Confecções, Socer Brasil Indústria e Comércio (Fábrica de Breu- Grupos Resinas Brasil), Fábrica de Resinas Naturais (derivados de resina) devem estar com suas unidades em funcionamento até o final do ano, aumentando ainda mais a oferta de empregos diretos formais oferecidos na cidade. Podemos citar ainda, a maior das conquistas, que é a nova fábrica da Duratex. Após longa negociação, conseguimos trazer para Itapetininga um empreendimento que vai acelerar o processo de transformarmos nosso município num polo moveleiro. Em Itapetininga, o projeto orçado em mais de R$ 500 milhões, irá gerar perto de 800 vagas de emprego, sendo 200 diretos e outros 600 de forma indireta, movimentando toda a economia da cidade e região. Hoje, Itapetininga se destaca no setor de confecções e se consolidada como polo regional no setor comercial, da saúde e da educação, sem esquecer é claro, do agronegócio. Temos boas perspectivas de crescimento na área de TI (Tecnologia de Informação) e na área química. 7. De que forma a Prefeitura de Itapetininga pode incentivar a contratação dos tecnólogos da Fatec pelo mercado de trabalho? Eu, particularmente, sempre ressalto a importância da nossa FATEC e a qualidade dos profissionais formados na mesma que já estão auxiliando no processo de desenvolvimento de toda região. O processo de divulgação deve ser constante, pois sempre encontro pessoas que não sabem da existência da Fatec em Itapetininga ou do seu enorme potencial. A Prefeitura contrata estagiários e brevemente, depois de vencidas as últimas barreiras legais, fará concurso público para algumas funções que exigirão a formação de tecnólogos.

P 10


No Mundo dos Negócios 8. Quais são os maiores desafios para a nossa cidade nos próximos anos e quais as ações para se preparar para esses desafios? Para vencer os desafios e aproveitar as oportunidades é importante planejar, por isso aprovamos o Plano Diretor do município e estamos fazendo sua revisão. Elaboramos também o Plano Municipal de Educação e estamos elaborando outros Planos como o de Habitação, de Saneamento e outros. Muito já foi feito. Investimos na educação e os resultados já estão surgindo. Os executivos da Datamétrica e da nova fábrica da Duratex afirmam que o esforço que estamos fazendo em prol da educação e a formação de mão de obra qualificada foi decisiva para a escolha de Itapetininga. A educação é a base do desenvolvimento, mas precisamos melhorar a infraestrutura e para isso precisamos da preciosa ajuda dos governos estadual e federal, como por exemplo, na conclusão da duplicação da Rodovia Raposo Tavares, entre Araçoiaba da Serra e Itapetininga, já autorizada e a duplicação do trecho da mesma Rodovia entre Itapetininga e Ourinhos, cujo assunto já levamos ao Governador. O assunto é apaixonante. Ainda temos muitas necessidades e os recursos são escassos, por isso ressalto a importância do planejamento para estabelecermos corretamente nossas prioridades. Aí está outra razão que justifica a importância da FATEC para Itapetininga, formando quadros para auxiliar e conduzir esse processo. 9. Em que ajudou ter o nome Fatec em seu currículo para ingressar no mercado de trabalho? Sempre digo que a FATEC foi muito importante para minha vida profissional, contribuindo decisivamente na minha qualificação, abrindo novos horizontes e perspectivas. 10. Em tempos de monarquia em alta, se o senhor fosse rei, qual seria o seu primeiro ato em um Brasil monárquico? Acabaria com a monarquia. Seria o último rei, pois temos que transferir o poder para o povo. 11. Agradecemos a sua disponibilidade e atenção. E agora para concluir, o senhor como Fatecano, que conselho deixa para os nossos alunos? Estudar ainda é o caminho melhor e mais curto para o sucesso e crescimento profissional de cada um. Os alunos da Fatec de Itapetininga estão ajudando a mudar os rumos da nossa história, trazendo mais qualidade de vida para a população de Itapetininga e região.

Fatec Cultural Quantos jornais impressos você leu este ano? Sendo essa a nossa primeira edição do jornal, por que não falar sobre a história do jornal impresso? 1808 é ano-chave onde dois nomes se destacam: “Gazeta do Rio de Janeiro” e “Correio Braziliense”. Apesar da publicação do Correio Braziliense ser anterior à da Gazeta, o Dia Nacional da Imprensa foi comemorado até 1999 em dez de setembro - dia da primeira publicação da Gazeta. No ano de 2000, a comemoração passou a ser em primeiro de julho, dia da primeira publicação do “Correio Braziliense” em Londres, por uma lei criada pelo deputado Nelson Marchezan e sancionada pelo governo de Fernando Henrique Cardoso. O Jornal Gazeta do Rio de Janeiro fazia parte da Imprensa Oficial. Antes da Família Real chegar ao Brasil, toda atividade de imprensa era proibida no país. Não era permitido publicar livros, panfletos e, muito menos, jornais. Esta restrição era uma particularidade da colônia portuguesa. Entretanto, muitas outras colônias europeias no continente americano já tinham imprensa desde o século XVI. A Gazeta era editada sob censura prévia, que só foi extinta em dois de março de 1821. A imprensa no século XIX não era concebida com o caráter noticiário de hoje e, sim, doutrinário. As notícias que o jornal veiculava eram de interesse direto da corte, pretendendo moldar a opinião pública a favor da realeza. Enquanto isso, o Jornal Correio Braziliense, editado por Hipólito José da Costa, era impresso em Londres e distribuído em primeiro de julho de 1808, e só chegando ao Brasil de forma clandestina no mês de outubro do mesmo ano. Este jornal tinha caráter ideológico. Sua função era “evidenciar os defeitos administrativos do Brasil”, como dizia Hipólito. Fonte fotos: http://museudaimprensa.in.gov.br/download_img.htm Para mais informações sobre a história da imprensa brasileira: http://museudaimprensa.in.gov.br/museu.htm

P 11


É Notícia... FATEC - Itapetininga desenvolve Ação Social Funciona desde 01/03/2011, na Fatec Itapetininga, o Projeto Lar das Meninas. O projeto, que tem duração de dois anos, desenvolve atividades didático-pedagógicas para adolescentes meninas com idade entre 14 a 16 anos. Além da FATEC, outras instituições também fazem parte deste projeto como o Fundo Social de Solidariedade da Prefeitura Municipal de Itapetininga e a Empresa Logic Engenharia e Construção Ltda., da capital. O projeto ensina de forma objetiva e direta disciplinas específicas para o mercado de trabalho, sem esquecer o lado cultural, comportamental, ético, saúde, esportivo, além de passeios recreativos e de natureza educativa. As atividades ocorrem à tarde, de segunda a sexta, sob a supervisão de professores de diversas áreas, como Informática, Inglês, Português, Alimentação e Saúde, Comportamento, Ética, Música, Artes e Esportes. Destaca-se também o auxílio na execução de suas tarefas escolares diariamente. Alunos da FATEC são destaques na Revista Exame Os alunos Sandro Camargo, Leandro Costa e Fabiano Oliveira, do segundo ano de Comércio Exterior, foram destaques no site da Revista Exame por estarem entre os dez primeiros a ocuparem uma posicão no Simulador da revista. O simulador, desenvolvido pela BM&FBovesp, é uma ferramenta que permite a negociação de quase todos os papéis listados na Bolsa. Parabéns aos nossos alunos pelo desempenho alcançado e, principalmente, ao professor de Economia Henrique Demiya, trader e grande estimulador do uso dessa ferramenta por parte dos seus alunos em suas práticas de aulas. Para ler a reportagem na íntegra, acesse: http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/acoes/noticias/alunos-dafatec-itapetininga-se-destacam-no-simulador-exame Integração Fatec e Comunidade

FATEC Itapetininga tem a sua primeira Pós-Graduação

A fim de preparar profissionais com um diferencial a mais, a Coordenado FATEC disponibiliza aos seus alunos e pelo professor a comunidade, além dos cursos de Mestre em Ciência inglês e espanhol que já fazem parte P o l í t i c a e da grade curricular, os cursos de Sociologia, Antonio Mandarim e Alemão, ministrados L e c h u g o Ru b i o, pelos alunos Jorge e Adriel do Curso funciona desde de Comércio Exterior. março de 2011 na Fatec Itapetininga, a Pós-Graduação Cursos Extracurriculares na em Logística área de Finanças A Fatec Itapetininga ofereceu I n t e g r a d a n a em maio e junho de 2011, os Agroindústria. O referido cursos extracurriculares “Aprenda c u r s o f o i a Investir na Bolsa” e “Finanças estruturado para Pessoais e Investimentos”. As aulas foram ministradas pelo Professor g r a d u a d o s e m Mestre Henrique Damiya, cujo Te c n o l o g i a e m trabalho foi foco de destaque, A g r o n e g ó c i o , Te c n o l o g i a n a inclusive, na Revista Exame. Parabéns ao nosso professor A g r o i n d ú s t r i a , de Economia Henrique. Fique de Te c n o l o g i a e m olho nos próximos cursos a serem Gestão e Negócios, Te c n o l o g i a e m oferecidos pela nossa instituição. P r o d u ç ã o P 12

I n d u s t r i a l , E c o n o m i a , Engenharia, Administração e professores dos cursos tecnológicos que precisem se atualizar com as novas teorias e técnicas da gestão da logística e das c a d e i a s d e suprimentos no agronegócio e na agroindústria. O curso, oferecido aos sábados, com d u ra ç ã o d e 1 8 meses (360 horas), conta com a presença de mestres e doutores no seu quadro docente.


É Notícia... Professores da FATEC participam de Intercâmbios Internacionais Três professores da Fatec Itapetininga participam de diversos programas internacionais a fim de vivenciar experiências culturais e educacionais que refletem no aprendizado dos alunos da comunidade Fatecana de Itapetininga. Em janeiro, o professor Mestre em Língua Inglesa Ademar Soares Castelo Branco, através do Programa de Intercâmbio Cultural do Centro Paula Souza, esteve na renomada Universidade da Califórnia (UCLA), pelo período de 30 dias, participando do curso de especialização TEFL (Teaching English as a Foreign Language – Ensino de Inglês como Língua Estrangeira). Já o professor Mestre Fábio de Paula Santos, da área de Prof. Ademar Informática, participou também pelo período de 30 dias, do Programa de Intercâmbio de Grupos de Estudos (IGE) / Brasil-Nigéria, promovido pelo Rotary Internacional. Tal programa visa fomentar a troca de experiências com professores e outros profissionais daquele país, visitando universidades e empresas; além de promover a união de países e ajuda mútua. Prof. Fábio Atualmente, o professor Mestre e Doutorando Ricardo Serra Borsatto, Engenheiro Agrônomo, realiza parte dos seus estudos de doutorado, através do programa de bolsas da CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, órgão do Governo Federal, no Instituto de Sociologia y Estudios Campesinos (ISEC), vinculado à Universidade de Córdoba, Espanha. Vale destacar que o ISEC, da referida universidade, se constitui em um centro de referência mundial, no debate contemporâneo, acerca de formas para a constituição de modelos para um desenvolvimento rural Prof. Ricardo sustentável. Alunos participam do 8º Congresso Internacional de Sistemas de Informação Os Alunos dos cursos de Informática & Negócios e de Análise e Desenvolvimento de Sistemas estiveram no dia 03 de junho de 2011 no 8º CONTECSI na FEA-USP. O evento contou com especialistas em Sistemas de Informação de vários países, tais como França, Portugal, Estados Unidos, entre outros. Alunos da FATEC são contemplados com Bolsa de Estudos nos Estados Unidos Aline Penalva, Lucas Dinis e Tais Fiori, todos formandos do Curso de Agronegócio, estiveram entre os melhores alunos das Fatecs do Estado que embarcaram no dia 2 de abril para estudar inglês nos Estados Unidos, através do Programa de Intercâmbio Cultural do Centro Paula Souza. Os alunos participaram de cursos intensivos de um mês, em cidades cosmopolitas de diversos estados norteamericanos, com todas as despesas pagas – curso, alimentação, acomodação, passagem aérea, translado, transporte interno nos EUA e seguro saúde. O objetivo do programa de intercâmbio, que ainda continua, é incentivar o aprimoramento da formação acadêmica e ingresso no mercado de trabalho utilizando a língua como ferramenta de acesso à informação e comunicação.

É a FATEC Itapetininga fazendo a diferença!!! P 13


É Notícia... Café com as empresas

Click, click...

Em 13 de abril de 2011, a Fatec de Itapetininga teve a honra de receber vários diretores de Recursos Humanos de empresas de Itapetininga e região. A iniciativa visou apresentar nossa instituição e o potencial profissional dos nossos alunos aos empresários locais. Agradecemos a todos pelos convênios firmados e renovamos os votos de outras parcerias.

5ª Amostra de Projetos

Quem sou eu Para inaugurar essa coluna, o entrevistado é Lucas Diniz, contemplado pelo Programa de Intercâmbio Cultural do Centro Paula Souza. Vamos conhecer um pouquinho mais sobre ele... 1. 2. 3. 4. 5. 6.

7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14. 15. 16. 17. 18.

Nome: Lucas Diniz de Melo Vieira Cidade em que mora: Itapetininga Onde nasceu: Sorocaba Lembrança da sua infância: Passava horas observando as formigas. Brinquedo preferido: Eu montava meus brinquedos com sucata. Que profissão gostaria de ter: Na verdade é um cargo e não uma profissão, Senador da República Hobby: Vermelho (parafraseando Carla Perez) Esporte favorito: Xadrez Tem filhos? Como se chamam? NÃO Uma cidade: Arborizada. Um livro: O Profeta - Khalil Gibran Um filme ou série: Isso é um caderno de espicula?! Corinthians ou São Paulo? Detesto futebol Uma comida: Vegana Uma música: Ilariê Um sonho: Liberação do casamento gay no Brasil. Seu bicho de estimação: Uns gatos da rua. Quem você levaria para uma ilha deserta? Minha esposa - Kátia Baroni.

P 14

Lucas, queremos lhe parabenizar pelo prêmio que recebeu, mas agora nos conte, que prêmio foi esse que tanto se fala nos corredores da Fatec? Fui contemplado com um curso de inglês em Chicago - EUA, por um mês, com todas as despesas pagas pelo Centro Paula Souza e mais US$ 400 para gastar como bem entendesse. Como conseguiu ganhá-lo? Haham... Fui considerado um dos melhores estudantes da FATEC Itapetininga em notas e levei o nome da faculdade em trabalhos apresentados em congressos em sete cidades de três estados do Brasil. E como foi a sua viagem? Uma experiência inesquecível. Pude aperfeiçoar meu inglês, conhecer uma cultura diferente, ver o meu país através de outro ponto de vista, conhecer gente legal de muitas nacionalidades diferentes e o modo próprio deles verem o mundo e, como não poderia deixar de ser, fazer muitas compras legais e ter uma segunda lua-de-mel chiquetérrima nos States. Particularmente ao curso de inglês no Kaplan International Center, só posso comentar que as aulas de nosso Professor Ademar Soares Castelo Branco são bem melhores. A F A T E C Itapetininga tem muita sorte.


Agradecimentos - Nossa Equipe O jornal Sou + Fatec nasce com o objetivo de criar um canal de comunicação e informação ao público interno, maximizando a interação e o conhecimento entre as realizações docentes e discentes. O projeto visa também criar um instrumento de comunicação externo a fim de divulgar a realidade da nossa faculdade. A criação do jornal Sou + Fatec possibilita termos a percepção de quem somos e do que pretendemos enquanto instituição educacional e de formação profissional junto a nossa comunidade interna e externa. Tal veículo servirá ainda como um instrumento de integração de todos aqueles que fazem parte da Fatec – Itapetininga, isto é, sua direção, coordenação, setor administrativo, corpo docente e discente e todos os funcionários, criando assim, um senso de pertencimento que vise inspirar, entusiasmar, valorizar múltiplas perspectivas e consequentemente, circular e divulgar todos os atos realizados em e pela nossa instituição. Para a realização desse projeto, agradeço imensamente a minha direção, aos meus pares e a todos os funcionários da Fatec Itapetininga que colaboram para que sejamos notícias. Agradeço aos nossos patrocinadores por viabilizar a impressão desse jornal. Porém, não posso esquecer sinceros e enormes agradecimentos aos meus queridos alunos Cintia Passarinho, Diana Milena, Gabriela Thibes, Leandro Palma e Rodrigo Bonini (Comércio Exterior) e Ivanise Aqueu e Natália Assis (Informática para Gestão de Negócios) que se prontificaram e trabalharam intensamente para a realização desse projeto. Agradecimentos mais que especiais à Professora Doutora em Letras pela Universidade de São Paulo, Eoná Moro Ribeiro, professora da Fatec Tatuí e editora responsável pelo jornal Fatecano – uma publicação da Fatec Tatuí. “Eoná, é uma honra tê-la como colega de trabalho. Obrigado pelo incentivo, ajuda e tamanho empreendimento para que o jornal da Fatec Itapetininga fosse concretizado”. Professor Ademar Soares Castelo Branco

Fique de Olho www.brazilpromotion.com.br

www.biobrazilfair.com.br

http://www.animamundi.com.br/pt/festival/

P 15


Patrocinadores

vendas@passarinhomateriais.com.br (15) 3272-6448

Profile for Fatec Itapetininga

Sou + Fatec - Ed. 01  

O desafio de uma Fatec está em manter o dinamismo que o perfil tecnológico exige. Frente a isso, a comunicação mostra-se uma das grandes fer...

Sou + Fatec - Ed. 01  

O desafio de uma Fatec está em manter o dinamismo que o perfil tecnológico exige. Frente a isso, a comunicação mostra-se uma das grandes fer...

Advertisement