Issuu on Google+

Bebês

Como se manter

jovem

de barriga para cima Pág. 2

Pág. 10

set/out2010

Há cem anos, nascia um dos maiores símbolos de dedicação à causa humanitária: Madre Teresa de Calcutá. Entrevista: Dra. Lúcia Costa Farias especialista em endocrinologia.

Pág. 5


set/out2010

O BULLYING set/out2010

é ruim para todos

porque os bebês devem dormir de barriga para cima Em muitas famílias é costume colocar bebês para dormirem de lado com o objetivo de evitar que a criança aspire o vômito, mas pesquisas mostram que esta não é a melhor maneira de colocá-los para dormir e que na verdade isso pode ser bastante perigoso. A melhor maneira de colocar bebês pra dormir é com a barriga para cima, já que isso evitaria a morte súbita infantil, uma das principais causas de mortes de bebês com até um ano de vida, em até 70%. Esses dados foram obtidos por pesquisadores do Centro de Teresina Rua São Pedro, 2130/Centro Rua Des. Pires de Castro, 124/Norte Rua Des. Pires de Castro,138 Centro/Sul Rua Des. Pires de Castro, 610 Centro/Sul Riverside • Praça do Caribe Loja V - 65 Dirceu • Avenida Principal, Q 182, C 10 Central de Atendimento ao Cliente (86) 3221.3204 Parnaíba Av. Presidente Vargas, 720 Centro Central de Atendimento ao Cliente (86) 3322.3204

EXPEDIENTE

Pesquisas Epidemiológicas da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e também em campanhas recentes divulgadas nos Estados Unidos e na Inglaterra. Recentemente, a Pastoral da Criança começou uma campanha deste tipo aqui no Brasil. De acordo com os responsáveis pela pesquisa, ao dormir com a barriga para baixo o bebê respira um ar viciado, ou seja, o ar que ele próprio expira. Uma criança maior ou um adulto acordariam ou trocariam de posição para evitar o sufocamento, mas em alguns bebês, a parte do cérebro que controla este reflexo ainda não está desenvolvida e por isso ele acabaria morrendo por asfixia. A preocupação dos pais de que ao dormir de barriga para cima o bebê vai aspirar o vômito e se afogar é algo que deve ser reconsiderado. Se uma criança está deitada de barriga para cima e se afoga, sua tendência, por instinto, é tossir e com isso chamar a atenção dos pais que poderão socorrer o bebê. Nos Estados Unidos, em 1992, a Academia Americana de Pediatria, com uma campanha sobre este tema, conseguiu reduzir a incidência de morte súbita em 40%. Na Inglaterra, em 1991, o resultado foi ainda melhor.

Informativo Bimestral da Farmácia de Manipulação Botica Ano III Nº 14

Textos e Revisão: Lili Batista DRT - PI 935 Fotos: Botica e Divulgação Fontes: ABC da Saúde e MBPress

Projeto Gráfico e Editoração Eletrônica: 765 Comunicação Gráfica: Gráfica do Povo Tiragem: 2.000 exemplares

www.farmaciabotica.com.br

Gozação, agressão, ofensa e humilhação... O que para muitos é “normal”, coisa de criança e de adolescente é, na verdade, bullying palavra em inglês que é usada com o sentido de zoar, tiranizar, ameaçar, intimidar, humilhar, perseguir, ofender, bater, ferir, discriminar e colocar apelidos maldosos. O que diferencia uma “zoada” do bullying é a intenção daquele que provoca um colega de magoá-lo e a repetição desse comportamento ao longo do tempo. No bullying sempre existe uma clara diferença entre o mais forte e o mais fraco, que tem dificuldade de quebrar essa relação de poder desigual. Esse comportamento leva a vítima ao isolamento, à queda do rendimento escolar, a alterações emocionais e à depressão.

O primeiro grande passo para pais e educadores é encorajar as vítimas de bullying a denunciar seus agressores. Atualmente, uma das dificuldades para identificar casos de violência moral ou bullying é que a vítima costuma sofrer em silêncio, com medo de represália dos colegas caso conte o que acontece para algum adulto. É importante ressaltar que é mais difícil identificar o agressor que a vítima. O sofrimento da criança vítima é mais visível, ainda que possa existir uma tentativa por parte dela de esconder o fato, que a envergonha e a faz viver uma total impotência. Porém, sintomas surgem e os pais precisam estar bem sensíveis para valorizar e proteger seu filho.

INDICADORES QUE A CRIANÇA POSSA ESTAR SENDO ALVO DE BULLYING • Demonstrar falta de vontade de ir à escola ou pedir para trocar de escola. • Apresentar baixo rendimento escolar. • Voltar da escola, repetidamente, com roupas ou livros rasgados. • Chegar muitas vezes em casa com machucados inexplicáveis. • Tornar-se uma pessoa fechada, arredia.

• Parecer angustiado, ansioso, deprimido. • Apresentar manifestações de baixa autoestima. • Ter pesadelos frequentes. • “Perder”, repetidas vezes, seus pertences ou dinheiro. • Tentar ou cometer suicídio.


set/out2010

infantil quando procurar o endocrinologista

Em todo o mundo, uma em cada dez crianças é obesa, totalizando 155 milhões. Nos últimos 20 anos, a obesidade infantil no Brasil triplicou. Em 2008, de acordo com pesquisa divulgada pelo IBGE no final de agosto,o excesso de peso atingia 33,5% das crianças de cinco a nove anos, sendo que 16,6% do total de meninos também eram obesos; entre as meninas, a obesidade apareceu em 11,8%. Mais do que um problema estético, a obesidade em crianças e adolescentes pode acarretar enfermidades como diabetes, elevação do colesterol e triglicérides (gordura do sangue), hipertensão arterial, inicio precoce da arterioesclerose , problemas nas articulações e alteração do sono. Além dos problemas de saúde, a obesidade traz uma série de barreiras sociais como rejeição dos colegas, dificuldades de comprar roupas, praticar esportes e no caso de adolescentes, de se envolver afetivamente. Criança gorda deixou de ser sinônimo de saúde há muito tempo. Por isso, os pais devem ficar

set/out2010

ENTREVISTA B – Quando os pais devem se preocupar com o peso das crianças e procurar um especialista? L - Os pais inicialmente devem levar seus filhos ao Pediatra. A orientação e a condução do pediatra é fundamental. Existe toda uma padronização neste seguimento , baseado em dados auxólogicos, nos quais a partir de um determinado ponto podese definir graus de normalidade, sobrepeso e obesidade. Definido este padrão é este então o momento em que a criança deverá ser submetida a avaliação do Endocrinologista. Quando a Obesidade é severa o leigo a identifica, no entanto, a distinção entre sobrepeso e obesidade moderada necessita realmente de uma boa avaliação do especialista. B – Quais problemas de saúde podem resultar da alteração dos hormônios nas crianças? L - Vários problemas de saúde poderão advir da Obesidade Infantil. A grande maioria dos problemas não são hormonais, pelo contrário. A obesidade geralmente se manifesta na ausência de doença de base, sendo pequena a proporção de crianças com distúrbios hormonais levando a obesidade patológica.. Esta pode  ser de natureza endócrina como Hipotiroidismo, Síndrome de Cushing, etc . Ou secundária a tratamentos medicamentos como uso de corticosteroides e alguns antipsicóticos.

atentos ao comportamento dos pequenos que podem resultar em excesso de peso, como consumo exagerado de condimentos (maionese, catchup), fast-food, guloseimas e frituras. O tratamento da obesidade infantil deve ser principalmente nutricional e comportamental. E os pequenos resultados devem ser valorizados e comemorados, já que mudar hábitos de forma duradoura é uma tarefa difícil e requer disciplina, tempo e paciência. Para tratar desse assunto o Maganize Botica procurou a Dra. Lúcia Costa Farias especialista em endocrinologia.

B – O que é investigado para determinar a tendência a obesidade numa criança ou adolescente? L - A Obesidade Infantil ganha importância a medida que se pergunta até onde uma criança se tornaria um adulto obeso. Sabe-se que o período entre um ano de vida e o período escolar, é o que parece ser mais crítico no desenvolvimento de obesidade. Quando nos é apresentado uma criança com sobrepeso, obesa ou apenas é aquela criança que os pais se preocupam com seus hábitos, o médico deve ter a preocupação na abordagem diagnostica, lembrando todos os fatores envolvidos como causais. A Obesidade infantil é multifatorial , podendo contribuir fatores Genéticos, Endócrinos, Dietéticos, Psicologicos,etc. Sabe-se que quando o pai e mãe são obesos, o risco da criança se r obesa é em torno de 80%. Se apenas um dos pais é obeso esta probabilidade cai para 50% e se ambos são magros a probabilidade cai para 9%. No entanto não se pode afirmar até que ponto esta tendência é influenciada pelo meio ambiente,como por exemplo o sedentarismo,excesso de horas de uma criança diante da TV.

“A distinção entre sobrepeso e obesidade moderada necessita de uma avaliação do especialista” B – Que tipo de tratamento é indicado para crianças ou adolescentes acima do peso? L -A Obesidade predispõe a problemas sérios e persistentes de saúde, tais como Hipertensão Arterial, Doença Cardiovascular, Diabete Mellitus, Hiperlipidemia, Doença Respiratoria, Doença Osteoarticulares, Prejuízo na competência Imunológica com aumento de Infecções, além de constituir um estígma social, ocasionando de desenvolvimento psicossocial. Em vista todos estes fatores deve-se tão logo seja diagnosticardo tentar implementar terapeutica que infelizmente tem sucesso limitado. B – Como os pais podem desde cedo adequar a alimentação das crianças para evitar problemas futuros? L - Toda família  deverá mudar de atitude como por exemplo: Instituir Orientação Dietética- Reduzir a ingestão calórica é basicamente Disciplinar a ingestão. As crianças devem ser estimuladas a alimentar-se a intervalos regulares eliminando ¨lanchinhos¨ hipercalóricos de qualidade nutricional pobre; Aumento de Atividade FísicaEstimular o gasto calórico com simples hábitos de caminhar na escola´preferir escadas a elevadores, nadar, etc.; Suporte psicossocial Contrariamente  ao tratamento de Obesidade no adulto , que envolve redução de peso,para uma criança ainda em crescimento muitas vezes a manutenção de peso é satisfatória. Não há qualquer indicação de usar medicamentos supressores de apetite. Em resumo a Obesidade na infância é um problema que ganha importância, no entanto, devemos ter um olhar para Prevenção no sentido de mudanças de hábito e uma nova atitude diante do problema.

Lucia Costa Farias Especialista em Endocrinologia CRM 1102-PI


Francisco de ASSIS Almeida

BRASIL

é um gênio da literatura.

Com seu pensamento e arte, influenciou a cultura de toda uma época. Uma contribuição de peso para história da cultura brasileira.


o esporte set/out2010

set/out2010

e as crianças Que pais não desejam ter um filho campeão em qualquer modalidade esportiva? Este sonho, muitas vezes, pode ser

uma influência positiva na formação física da criança, mas requer alguns cuidados.

o prazer de comer

frutas e verduras Uma boa saúde depende de hábitos alimentares sólidos que em geral se estabelecem nos primeiros anos de vida. As crianças apreendem não somente pelo que lhes é ensinado verbalmente, mas

A primeira pergunta é qual será a prática esportiva ideal para a criança? O momento certo para a iniciação também desperta dúvidas. Mas tenha a certeza que fazer exercícios esportivos não tem idade. O importante é que seja bem orientado e que siga um programa adequado às necessidades de cada um. Se você criar o hábito em seu filho na prática de esportes desde a primeira infância, tem grandes chances de economizar problemas quando a criança entrar na fase da adolescência. O esporte ajuda as crianças a desenvolver-se física e mentalmente, a viverem saudáveis, e a relacionar-se de uma forma sadia com outras crianças. Estar em forma é estar são. E essa é uma regra geral.

Do mesmo modo que os adultos, as crianças devem praticar um esporte que gostem. A princípio, pode custarlhe iniciar e seguir o ritmo, mas se a criança conta com apoio, determinação e a segurança dos pais, tudo caminhará. Cuidados como a alimentação e a orientação são fundamentais. A criança deve gastar apenas a energia que pode, nada além. O profissional que irá orientá-la deve respeitar os limites de cada criança e ter conhecimento suficiente para que os exercícios não prejudiquem ao invés de auxiliar no desenvolvimento. Procure sempre a orientação de um bom médico, como também a de um profissional especializado em esportes.

também por imitação: observam seus pais e tentam imitá-los. A repulsa de verduras e frutas frequentemente repete comportamentos vistos em casa, na TV ou em casas de amigos. Ou seja, se os pais comem e mostram prazer ao ingerir verduras, saladas e frutas seus filhos tentarão imitálos. Porém, se são feitos comentários sobre estes alimentos que os descrevem como amargos ou desprazerosos, a criança captará isto rapidamente. O prazer deverá acompanhar as refeições, então é importante deixar as preocupações com modos para mais tarde e incentivar o prazer na refeição. Deixá-los comer com a mão, enfiar o dedo no molho para experimentar, estimular os sentidos e nomear os alimentos como salgado, doce, azedo, amargo, vai aguçar a curiosidade sobre os mais diversos tipos de alimentos.

Na medida em que a criança cresce e se torna mais autônoma ela questiona para se sentir “mais dona do seu nariz” e tenta fazer o oposto daquilo que lhe é pedido, ou seja, adota uma postura “do contra”. Como é natural que os filhos transgridam as dietas impostas pelos seus pais, nestes momentos os pais precisam ser tolerantes e compreensivos, interpretando que esta discordância talvez tenha muito mais a ver com uma necessidade de fugir do controle e de tentar impor suas vontades e desejos. O ideal é buscar um meio termo, um bom entendimento. A imposição de um regime alimentar pode causar transgressões escondidas e abrir espaço para desentendimento entre pais e filho em outras áreas.


set/out2010

set/out2010

Mude o mundo

jovem 10 lições de como manter-se

1. Deixe fora os números que não são essenciais. Isto inclui a idade, o peso e a altura. Deixe que os médicos se preocupem com isso.

6. Quando as lágrimas aparecerem Aguente, sofra e ultrapasse. A única pessoa que fica conosco toda a nossa vida somos nós próprios. VIVA enquanto estiver vivo. 7. Rodeie-se das coisas que ama: Quer seja a família, animais, plantas, hobbies, o que quer que seja. O seu lar é o seu refugio.

2. Mantenha só os amigos divertidos. Os depressivos puxam para baixo. (Lembre-se disto se for um desses depressivos!) 3. Aprenda sempre: Aprenda mais sobre computadores, artes, jardinagem, o que quer que seja. Não deixe que o cérebro se torne preguiçoso. ‘Uma mente preguiçosa é oficina do Alemão.’ E o nome do Alemão é Alzheimer!

4. Aprecie mais as pequenas coisas. 5. Ria muitas vezes, durante muito tempo e alto. Ria até lhe faltar o ar. E se tiver um amigo que o faça rir, passe muito e muito tempo com ele / ela!

Passo a passo

sacolinha feita de jornal MATERIAL BÁSICO: Vamos ver como criar uma embalagem para presentes feita com jornal. Uma opção descolada, moderna e ecolgicamente correta de você embalar presentes. Nesse caso faremos uma embalagem estilo sacolinha com 13 cm de Altura, 11,5 cm de comprimento e 8 cm de largura aproximadamente. Você pode fazer embalagens do tamanho que desejar. Etapas vai fechar a caixa. Você deve fechar a caixa com a dobra de 5cm para fora.

Coloque duas folhas de jornal, uma sobre a outra. A nossa embalagem será feita com folha dupla. Corte um retângulo de 40,5 cm por 21 cm. Se o papel que você cortar já tem uma dobra, tente encaixar essa dobra em algum dos pontos dobrados de acordo com a figura abaixo.

8. Tome cuidado com a sua saúde: Se é boa, mantenha-a. Se é instável, melhore-a. Se não consegue melhora-la , procure ajuda. 9. Não faça viagens de culpa. Faça uma viagem ao centro comercial, até a um país diferente, mas NÃO para onde haja culpa.

10. Diga às pessoas que ama que as ama a cada oportunidade.

Faça dobras como mostrado na figura acima. Corte dois pedaços de cartolina de 11 cm por 2,5 cm e cole-os nos dois maiores painéis. Isso dará mais sustentação à embalagem. O lado de 3 cm na parte superior da imagem será o topo da embalagem e o lado de 5 cm na parte inferior da imagem será o fundo da embalagem. Passe cola no lado de 3 cm por todo o comprimento da embalagem e cole. Como a embalagem tem duas folhas de papel, você terá que colar as duas folhas, uma por vez.

Passe cola na parte exterior do lado de 1,5 cm e traga esse lado fechando a caixa e cole na parte de dentro do lado de 11,5 cm. Esse procedimento

Vá na parte inferior e dobre para dentro os cantos, como mostrado na imagem da direita acima. Após dobrar os 4 cantos você vai ter um resultado como na imagem da esquerda acima.

Após dobrar os cantos, passe cola como mostrado na figura acima e cole para fechar o fundo da caixa.

Cole uma cartolina no fundo para dar acabamento.

Por fim você pode inserir uma alça e dobrar a embalagem como mostrado na figura.


set/out2010

8 jeitos de mudar o mundo

Um dos maiores problemas mundiais são as doenças que atingem grande número de pessoas – e sabemos que a prevenção é a melhor maneira de combatê-las. O Brasil tem o maior número de casos de malária das Américas, e é o terceiro lugar do mundo em incidência dessa doença. Os casos de Aids, no entanto, diminuíram em quase todos os grupos. O único grupo em que houve aumento foi no de mulheres dos 13 aos 19 anos. SUGESTÕES DE AÇÕES: Fazer visitas domiciliares para mostrar os locais que podem favorecer a dengue, principalmente no verão, época de epidemias de dengue. Incentivar a população a participar das campanhas de vacinação. Fazer campanhas de informação, mobilização e prevenção à Aids e de outras doenças epidêmicas. Divulgar informações sobre todas as Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs), na comunidade. Orientar sobre sintomas e busca de tratamento médico. Fazer levantamento sobre os serviços disponíveis – remédios, postos de saúde, centros de atendimento. Cuidar de nossa higiene, e incentivar e orientar que outros façam o mesmo. Usar preservativo, exigir sangue testado e não compartilhar seringas e agulhas, prevenindo-se do HIV. Procurar um posto de saúde ao identificar manchas avermelhadas ou esbranquiçadas, dormentes na pele. Hanseníase tem cura. Doar sangue periodicamente aos hemocentros e estimular que outras pessoas o façam. Não deixar acumular água em plantas, vasos, calhas, pneus, vidros e outros recipientes, evitando que surjam focos do mosquito transmissor da dengue em casa, na rua, no bairro. Encaminhar as pessoas com febre e tosse persistentes ao serviço de saúde, além de orientar os portadores de tuberculose para que façam o tratamento completo – mesmo que não apresentem mais os sintomas da doença. Sensibilizar familiares e amigos a não estimularem o consumo de bebida alcoólica por crianças e adolescentes, contribuindo para prevenir o alcoolismo e suas conseqüências. Identificar, na família e na comunidade, pessoas que fazem uso abusivo de álcool, encaminhando-as aos serviços de saúde para tratamento médico e apoio psicossocial. Incentivar o debate entre a universidade, as escolas e a comunidade para atingir mais amplamente esse objetivo.

www.farmaciabotica.com.br


Jornalbotica14edicao