__MAIN_TEXT__

Page 1

ARQUITETURA

All Business Center Emilio Pampolini 1 Farkasvolgyi Arquitetura 1 Belo Horizonte

FORMATO DO TERRENO DESAFIA PROJETO A partir da fo r ma triangular do terreno e da limitação de altimetria, o projeto do All Business Center Emilio Pampolini, em Belo Horizonte, definiu o edifício com fachada frontal em ângulo de 81 graus, panos de vidro emoldurados por um pórti co de revestimento metálico e faces laterais combinando vidro, gran ito e veneziana s de alumínio .

.I'

O PREDIO

está in serido na ár ea

do conj unto ur bano da aven ida Afonso Pena. em Belo Horizonte. proteg ida pelo patrimônio cu ltura l do m unicípio [CDPCM/BHI.

/. '

com restricão altimétr ica de dez metros. Portanto. foi '

necessário que a co ncepção arquitetôni ca da equ ipe do escritório Farkasvolgyi Arqu itetura passasse pe la aprovação do conse lho do órgão. Com 27 pavim entos. a torre ocupa um terreno de esq uina. de formato

/

\

triangular, com frente para a praça ABC junto da avenida Getúl io Vargas e da rua Cláud io Manoel. que

\

.,

-·'

..

restring iu as possibi lidades de implantação devido aos afastamentos. prin cipa lmente em um dos vértices .

-

.

O projeto arquitetônico busca a integração do espaço privado com o público através de um edifício sem

..

'•

embasame nto. com a mesma ocupação desde o térreo até o coroame nto. ·:Essa implantação definiu

'

''

1

? •

afastamentos mais generosos que os exigidos pe la lei de uso e oc upação do solo... explica o arquiteto Bernardo dos Mares Guia Farkasvolgyi. Ela foi definid a ju nto ao eixo/raio da própria praça ABC. a partir da bissetriz do triâ ngulo que define o terre no. '"As fachadas laterais para lelas a essa bissetriz criam âng ulos que se abrem junto da avenida Getúlio Var gas e da rua Cláudio Manoe l. que por sua vez aumentam seus afastamentos. da ponta da praça. caminhando no sent ido da parte posterior do terreno. A generosidade do proj eto é que os afas tamen tos maiores a serem criados ampliam os

coa

-

-- --· -··

espaços públicos j unto ao préd io". observa Farkasvolgyi. >>

FINESTRll 2016 1 jan-f ev

•••••••


NA FACHADA FRONTAL, O VIDRO É EMOLDURADO POR PAINÉIS OE ALUMTNIO COMPOSTO

<t:

o::

:J 1-

w 1:J

[J

o:: <t:

-


ARQ UI TETURA

All Business Center Emilio Pampolini 1 Farkasvolgyi Arquitetura 1 Belo Horizonte

\

VIDROS, PLACAS DE PORCELANATO E BR I SES OE

AS LINHAS HORIZONTAIS, NAS LATERA I S DO

ALUMÍNIO COMPÕEM AS FACES LATERAIS DO PRÉD I O

EDIFÍCIO , ATENUAM O I MPACTO DA ALTURA

O arquiteto explica que a proposta é determinada pelo fechamenlo das linhas paralelas à bisse triz com um triângulo na ponta da praça. que conduz a uma leitura de menor peso da torre. pela sua própria forma geométrica. O fechamento do polígono tem. no lado oposto ao triângulo da ponta. uma saliência sutil às linhas paralelas à bissetriz. que ao caminharem para o final da composição se abrem em ângulos que remetem ao próprio desenho do terreno.

FINESTR.11 2016 1 jan-fev

unindo lodo o conjunto através da fachada posterior. As garagens ocupam quatro níveis de subsolo. A eles se seguem três pisos de embasamento e 20 pavimentos- tipo com áreas variáveis. perceptíveis nas rachadas devido aos recortes na envoltória. Do quarto ao 19° andar. as lajes possuem 286.97 metros quadrados de área bruta; do 20° ao 23°. têm 304,87 metros quadrados. Todos são moduláveis e podem configurar- se em até três salas.

••••••


PÓRTICO

A envollória, composla por rachadas de diferenles desenhos e maleriais de revesli1r1ento, foi planejada com a intencão de incluir o edifício corretamente '

no enlorno ed ificado. Na face frontal predomina o vidro emoldurado com rainéis de alumínio co rnposto na cor branca, enquanlo a posterior tem reveslimenlo de granilo verde light polido. A referência dos painéis de alumínio composlo se amplia para as fachadas lalerais. Eslas, por sua vez, voltadas para a avenida Gelúlio Vargas e a rua Cláudio Manoel, receberam vidros, placas de porcelanalo e brises de alumínio/venezianas. Devido à parlicularidade de implantação do edifício, para resolver a questão de incidência solar. as fachadas ganharam vidro larninado de oito rr1ilímelros Reflecta Floa t verde, de alta perforrnance, com transmissão luminosa de 26°/o, fato r- sol ar- de

31°/o e coef icienle de so rnbreamento de 0,35. Seg undo o arqu ilclo, por se tratar de um edifício alto, a fachada principal tem envollória com linh as mais limpas, a partir do próprio desenho do pórlico que nasce no térreo, emoldurando e sustentando o pano de vidro, na forma definida pelo lriângulo. No coroamenlo , as linhas do pórtico se enconlram também configurando urn triângulo, aponlado para cima, o que 1nluitiva1nente busca o ponto de fuga iunlo ao horizonte. No ernbasarnento, o f ormalo lriangular- é amplificado pelo

O ACESSO AO HALL É DEFINIDO PELA MARQUISE DE 9 X 5,10 METROS

pa no de vidr-o, sem tocar o térreo.

E DO I S PILARES REVESTIDOS COM CHAPAS DE AÇO INOX

Na composição da fachada frontal foi inserida uma marquise de 9 x 5,10 x 0,50 metros. 1eveslida com painéis de alumínio composto na cor brc:inca, sobre estrulura melálica parcialmenle em balanço de qualro melros. l:m conjunto com dois pilares reveslidos por chapas de aço inox, que ancoram e ao mesmo lempo atravessam a eslrulura da marquise. a entrada do edifício. que lem pé- direilo triplo, ganha destaque. Nas fachadas lalcrais, a arquiletura realça as linhas horizontais, com a inlenção de atenuar o impacto da

•••• •••

allura da edificação. A face posterior, que se apresenla em ângulo de 90 graus com as lalerais/bisselriz do lerreno. volla -s e para o meio da quadra. desenhando vistas muito reslritas a parlir dos edifícios vizinhos, de grande verlicalidade. "Parlindo desse parâmelro e das soluções definidas. resultou o volume cego. sem aberluras. inluindo maior liberdade pela inlenção pláslica do próprio desenho'', explica o arquilelo. >>


All Business Center Emilio Pampolini 1 Farkasvolgyi Arquitetura 1 Belo Horizonte

ARQUITETURA

, - - - ---- ------1

--~

Espurna em polietileno exp andido

1

-----

/

/ I I

I

11

11 I

1// -

/

~

1

I

1

I

--1-

.,

-

1

_

Estrutura em aço para susten tação ci os perfis de alurnín10

Vidro _._ laminado B rnm

1=- - Per fi l Proat rva

Vidro laminado B mn1

LADO EXTER N O

~~~----G u arnição

1 1 1

'------'-E s purna ern polietileno expandido

~

'"T"T"'

'

-. _!· 1

L __ LADO EXTERNO

1

.'

CORTEl

1

'

1- "'

-

• •

1 •

1

"'

y

..

,. • 1

V

• V

"'

• •

y

V

"

y

>

"

••

• 1 ~

-

• •

V

1 1

" .,

V

'

• •

• ~

••

"

.,

••

V

• • •

V

•• •·

V

"

"'

V

1

"

1

1 1

V

1

~-

•"' 1

1 1 ~

---;

_,

1

••

Casa ele máquinas 1

23° pav. 22º pav.

. \

8° pav.

• •

l

,..

I

••

I

\

...

~

mmJ:l,A\ ·'='' . .. ..

..r.

,' '• '

',

,

..." "

..•

\

.

~

. . • ", ~ ., . • ' ' ' * •

. ... _ .i.:1-

i· r-":i:

~ /

,

.. ~

.'"

• ~

1 111J

.

11

] 1

.. •!

•'

··-- ,, -\........ ..._,.)---... _.....,/l±J ..

............

,._

,.~

..

.1

7° pav.

\f

6° pav.

,/

OI

••

5° pav.

~ ~ .\.' - 1- Â - J. ~'t . ~ ' 'li .. •

t. 0 pav.

1

3° pav.

~

1

'

,._

,,

V

••

'•

--

11° pav. 1Oº pav.

1

1,

\

""/ -14J ,;. -1-1~ -

!~~ _p_a_v_. 15º pav. 1t. 0 pav. 13° pav. 12º pav.

9° pav.

'

., 1

19º pav. 18º pav. 1'7º pav.

1

.

y

V

"

1

- -- ~ ~ ~ p_~v. -1 _ , 20º pav.

- - - ' - - - - - - S ilicone es trutural !'...---------'-Taruce l '-----------1- Silicone

1

'A

-'

CORTE 3

Silicone es trutur al

.~

. i...

''

.

..

,

'

_ _ .,J

\

ELE VACÀO • FRONTAL -

1A '

VISTA EXTERNA

CORTE AA

19 u

Vidro '-~ l a rn i nado

8 rnm ~~~::__---Gua rni ção

Espurna ern polietileno expandido

1

L ____ _

LADO EXTERNO

FINESTRll 2016

1

jan-fev

' - - - - ' - - - - - - Silico ne estrutural 0...-- - - - - - --'--Taruccl - - - - - - - - - - ' - S i l i c one CORTE 2

1

.

-

1

í"

1

1 1 3° pav. 1 1 1

1

1

1

1 1

1- ~ - 1 1 1 1 1

ld CORTE BB

1 1 1 1 •

3

1 1 1 1 1 1

1

1 1 1 ' 18 ELE VA ÇÃO DO HALL - VISTA EXTERNA

••••••••


'! DETAL H E DO E N CO N TRO

DO VI DRO CO M OS PA I N É I S DE AL UMÍ N I O COMPOSTO

<(

P ROJ E TO D E FACHADAS

permil iu qu e o vid ro fosse o el em ento principal. ganh ando

A partir da propos ta arquitetônica , a empresa B M

des taqu e em r el ação ao alu111íni o e cri ando uma fac hada l impa e se rn interferências ... expli ca o con sultor.

íl'. ::J 1-

A modu l açã o da fac hada é padrão do qu ar to ao

1::J

Con sultori a em Esqu adrias dese nvolveu o pr·oj eto par a a envoltória do edifício. Segundo o con sultor Dé l cio Eustáquio B r aga, o pr ojeto apr·esentou algun s desa fio s. como o enc ontro entre os rnódulos da fac hada front al em ângulo de 81 grau s. "Seus módulos sup er iores e inferiores f aze111 uma pont a no encontro em ângu lo pa r a o qu al os sistem as de esquadrias não têm colu nas es pecíficas ... afirma. A soluç ão fo i utili za r a colun a padrão de encontro a 90 graus. se ndo a difer ença da angu laçã o absorvida pel as gu arn ições. Outra par· ti cularid ade oc orre u nos vãos dos trec hos onde es tão as pontas da fac hada, no segundo, no terc eiro e no 2 L~º pavim ento s.

23° pavim ento. Nesse t re cho el a l em rned idas di fer enc iadas pa r a o peitor·il (1.318 milím et ros de l ar·gura por 1.986 mi l ím etro s de altur a) e vão - lu z (1 .318 milím etr os el e l argu ra por· 1.254 m ilím etros de altura). Nos tre chos de fach ada qu e compree nd em o segundo, o terce iro e o 24° and ar es . a l argura dos módulo s se rn ant ém e111 1.318 m il í111et ro s, m as a al tu ra var·ia de de 62 5 a 2.07 1 milím et r os . As fac hadas são co111pos tas por qu adro s íixos e j anel as m axim -a r. "Como o edi fício não tem ca r ac terís ticas de uso do

onde foi necessá r ia a ins tal acã o de est rutura m etál ica • auxiliar· para a fixação da es tru t ura de alumínio.

ar - co nd icionado ce ntral. a utilizaçã o de qu adro s

As faces de li nh as r el as comb ina111 o vidro al inh ado

rnóveis permite qu e ca da sa l a esco l ha in stal ar ou não o equip am ento em sua un idade", observa B raga .

com os outros r eves tim entos. como granito. painéis de alurn ínio compo sto e venez ianas de alum ínio. Nas la ter ais. as fac hadas hor izontais têm vid ro e veneziana, além de se teiras de vidro . Na face pr incipal. em ângulo de 81 graus. há o encontro de vidro s, e a junta entre eles foi vedada com o uso de ca nton eira e silicon e. Na interface cio vidro co111 o pain el de alurnínio foi feita um a junta com auxílio de tar uce l e silicon e. Par a atend er a essas solu cões utilizou - se um sis tem a structural • gl az ing. com mont agem do tipo s ti ck. se ndo os módulos instal ado s um a um, em um a es trutura m etáli ca composta por colun as e tr·a vessas previam ente fixadas no concr eto . "Essa combin acã o de sistemas de fac hada •

...... .

Pa r a o fec ham ent o do hall, no térreo, utili zou - se urn sistem a cri ado exclu sivam ente par a es ta obra . ·rra ta- se de um a fac hada corn carac terís ticas do sisl ern a Gr id, poré rn os qu adros a prese ntam vidro s col ados com sili con e es tr·utural em perf is de alumínio e as co lun as da es trutura são de perfi s de aço r eves tid as corr1 chapa de alumín io corn aca bam ento anod iza do bron ze 1001. Farkas volgyi co m ent a qu e o pé- dir eito tr·ipl o int er age com a soluç ão propo sta junto às rac hadas, sug er·ind o ao obse rvador um a falla de r efer-ê nc ia de esc al a. pr incipalm ente se ob se rvado de baixo para cirn a. (Por Gi lm ar a Gelin ski ) •

w

-

a

íl'. <(


ALL Business Center Emilio Pampolini 1 Farkasvolgyi Arquitetura 1 Belo Horizonte

ARQUITETURA

I

.

, ..

.1

," 1: • •

.

.,'' t

.v· A-, V

1

'

IMPLANTAÇÃO ELEVAÇÃO FRONTAL

ELEVAÇÃO POSTERIOR

o

d

.r

unaJuJ

U lU.Lll 111, U-111 UlllJt IL:UJJJJllJ. l.lJ.IJ tJlJ 1li

IDll'lml

lJ "' '

Ufltlll JJllt t L lJJl.U

.

o

ffiJ.Ul.

llJlf...L ~ 1.tlll l L

o

;:r111 1(r

-anui llllTrt:

;-Jl11rrr

llJUIJ''

.,t l IIJ l i

i-m.,~T'

ruun

~~1 1.L CTTTI 1 t

1

'

.

inlul

- ---

-

-,r

~ ]

'-

1

••

-

-

ELEVAÇÃO

ELEVAÇÃO

RUA CLÁUDIO MANOEL

AVENIDA GETÚLIO VARGAS

~

1

_J ..

"1.U: jJ

"r

~u

~

.T"

.J..U LI

. .~,

..... ...

""'_J

lLI

·-

'"' j -

'

'

' 1..)

u

~

l

..,

o

.. l,

'

.•

iil

'

t.t J-t µ

LI .

••

11

-

CORTE LONGITUDINAL

jan-fev

l

~P~=? .IJlJI p ITI .' ~ró ttl'r,

1..- •

'

'

1 "

.

"

'

1

'

L.l.,' u

ô

FINESTRll 2016

o 1

. 1

PAVIMENTO-TIPO · 40 AO 19º

íl

J

,l

;

-!.

t

·"

'e

I'

'

CORTE TRANSVERSAL

PAVIMENTO-TIPO· 20º AO 23º

••••••••


<( DETALH ES DO HALL, QUE TEM PÉ-DIREITO TRIPLO

o::

FICHA Tt=CNICA

Projeto estrutural 1Engecol Fotos 1Glauco Lúcio e

Obra 1All Bus1ness Center Em1lio Pampolini Cliente 1Construtora Capara ó Local 1Belo Horizonte. MG Projeto 12009 Conclusão da obra 1julho de 2015 Área do terreno 11.210.70 mz ' Area construída 112.057,45 m 2

Jomar Bragança

w

1-:J

a

o:: FORNECEDORES

Vidros 1Cebrace Painel de alumínio composto 1 Milsubishi Composites América; Liderbond; J&M (monlageml Fachada ventilada 1Gra nPro m c la l Aço inox 1Casa dos Melais

EQUIPE Ti;CNICA

Arquitetura 1Farkasvolgyi

Brises eesquadrias de alumínio 1

Arquitetura - Bernardo Farkasvolgyi. Mariana Rodrigues e Klauss Oliveira (autores)

Per íil

Esquadrias metálicas 1 Fabriaço, Tarfer

Construção einteriores 1

Forro de gesso acartonado 1

Construtora Caparaó Fachadas 1BM !projeto); Proativa (execucãol •

Knc:iuf

Impermeabilização da fachada 1 M. Malos

o VEJA MAIS CO N TEÚDO EM WWW.ARCOWEB.COM.BR E N O APP REVISTA FINESTRA

••••••••

:J 1-

<(

Profile for Farkasvölgyi Arquitetura

Finestra ed.96 - Ed. ABC  

Edifício ABC é destaque na edição 96 da revista Finestra

Finestra ed.96 - Ed. ABC  

Edifício ABC é destaque na edição 96 da revista Finestra

Advertisement