__MAIN_TEXT__

Page 1

O legado da 70ª Reunião Anual da SBPC em Alagoas


O legado da 70ª Reunião Anual da SBPC em Alagoas


José Renan Calheiros Filho Governador de Alagoas

Texto Rodrigo Cavalcante

José Luciano Barbosa Filho Vice-governador

Projeto Gráfico e Diagramação Jeroan Herculano

Cecília Hermann Rocha Secretária de Estado da Ciência, da Tecnologia e da Inovação

Fotos Renner Boldrino Manuel Henrique Jardel Rodrigues Márcio Ferreira Ascom Fapeal

Fábio Guedes Gomes Diretor-presidente da Fapeal João Vicente Ribeiro da Costa Lima Diretor Executivo de CT&I da Fapeal Georginei de Souza Neri Assessor Executivo de Gestão Interna da Fapeal

Maria Valéria Costa Correia Reitora da Universidade Federal de Alagoas José Vieira da Cruz Vice-reitor da Universidade Federal de Alagoas

Escultura da foto de capa Arlindo Monteiro Edição e Revisão Deriky Pereira Tárcila de Souza Cabral Vilma Naísia Xavier Projeto do Estande Alagoas Morgana Medeiros

Alejandro Cesar Frery Orgambide Pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação Sandra Regina Paz da Silva Pró-reitora de Graduação

Fundação de Amparo à Pesquisa

Joelma de Oliveira Alburquerque Pró-reitora de Extensão

do Estado de Alagoas – Fapeal

Silvana Márcia de Andrade Medeiros Pró-reitora Estudantil

CEP 57020-330

Carolina Gonçalves de Abreu Pró-reitora de Gestão de Pessoas e do Trabalho

Telefone (82) 3315-2200

Rua Melo Morais, 354, Centro Maceió Alagoas www.fapeal.br

Catalogação na fonte Departamento de Tratamento Técnico da Editora Fapeal F981c

Fundação de Amparo à Pesquisa de Alagoas. . Ciência, responsabilidade social e soberania : o legado da 70ª Reunião Anual da SBPC em Alagoas / Fundação de Amparo à Pesquisa de Alagoas. – Maceió : Fapeal, 2019. 106 p. : il. 978-85-89619-23-3 ISBN: 978-85-89619-23-3

1. Ciência - Alagoas. 2. Alagoas – Educação. 3. Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência. 4. Responsabilidade social. I. Título. CDU: 37.015(813.5) Elaborada por Fernanda Lins de Lima – CRB – 4/1717


S U M Á R I O

APRESENTAÇÃO: PROFESSOR FÁBIO GUEDES GOMES

0 6

ENTREVISTA: HELENA NADER

1 2

A REUNIÃO E A UNIVERSIDADE: REITORA VALÉRIA CORREIA

1 8

UMA REUNIÃO MEMORÁVEL EM ALAGOAS: ILDEU DE CASTRO

2 4

C A P . 1

SBPC E ALAGOAS: MAIS DE 65 ANOS DE HISTÓRIA

3 0

C A P . 2

QUANDO A CIDADE FOI AO CAMPUS

3 6

C A P . 3

70 ANOS DE DEFESA DA CIÊNCIA BRASILEIRA

5 8

C A P . 4

IDENTIDADE E DIVERSIDADE DOS SABERES

6 4

C A P . 5

A CULTURA ALAGOANA SOBE AO PALCO

7 2

C A P . 6

ALAGOAS NO CENTRO DA MÍDIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA

7 8

C A P . 7

GENTE QUE INSPIRA A RESISTIR

C A P . 8

SBPC ALAGOAS EM NÚMEROS

9 3

IDENTIFICAÇÃO DAS IMAGENS

1 0 0

8

1

C A P4 I T U L o


CIÊNCIA, RESPONSABILIDADE SOCIAL E SOBERANIA O legado da 70ª Reunião Anual da SBPC em Alagoas

A P R E S E N T A Ç Ã O

PROFESSOR

FÁBIO

GUEDES

GOMES


Entre os dias 22 e 28 de julho de 2018, Alagoas entrou no radar nacional da Ciência, Tecnologia e Inovação. A reunião da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), realizada na Universidade Federal de Alagoas (Ufal), comemorou os 70 anos de existência da entidade. Nessas sete décadas, a SBPC construiu um legado em defesa do desenvolvimento da ciência brasileira, do aprofundamento da democracia e sempre levantou a bandeira da justiça social e

dos direitos humanos. Nessa longa trajetória, a SBPC se tornou a maior congregação de sociedades científicas da América Latina, com 142 filiadas e 8 mil associados, sendo uma das mais importantes do mundo. Realizar a 70ª Reunião Anual da SBPC pela primeira vez em Alagoas foi motivo de muito orgulho para todos nós que fazemos o ecossistema de CT&I no estado. Foram poucos os momentos da história alagoana recente em que se viu uma mobilização tão ampla de institui-

FÁBIO GUEDES GOMES, PRESIDENTE DA FAPEAL Foto NAÍSIA XAVIER Fapeal

0 7


ções, governo, entidades, academia e pessoas dispostas a contribuir para um propósito. É importante mencionar os participantes dessa mobilização em agradecimento pelo empenho para que o sonho de tão poucos pudesse virar realidade de muitos, com consequências imensuráveis no futuro para a formação de nossas crianças e jovens. Essa mobilização esteve muito bem representada logo na abertura solene, realizada no Teatro Gustavo Leite, repleta de pessoas de várias partes do país, com live streaming no YouTube que ultrapassou as 3.500 visualizações. Ao longo da semana, além do público presente, uma só postagem nas redes sociais da Ufal chegava a alcançar até 17 mil pessoas, que testemunharam o grande concerto institucional, local e nacional, para que a SBPC acontecesse em Alagoas. Os parabéns iniciais são para a Universidade Federal de Alagoas, especialmente aos professores Valéria Correia e José Vieira, reitora e vice-reitor, respectivamente, por terem abraçado a iniciativa, colocado à disposição seu staff administrativo e seus principais assessores, e levado adiante com firmeza e competência a execução de um projeto de elevada complexidade e arrojo. Os riscos eram altíssimos, principalmente em função das restrições financeiras, con-

0 8

tingenciamentos orçamentários e redução do apoio de colaboradores tradicionais da SBPC. Além desses aspectos, o ineditismo do evento em Alagoas criava grandes expectativas. O engajamento institucional de outras universidades e centros universitários foi decisivo. Desde o início, sabíamos que não seria possível realizar um evento dessa magnitude sem a presença e participação de outras instituições. Ademais, estava claro que a SBPC deveria ser realizada para o estado de Alagoas e não apenas um privilégio para a Ufal. Assim, faz-se necessário agradecer e parabenizar o envolvimento da Universidade Estadual de Alagoas (Uneal), da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal), do Instituto Federal de Educação e Tecnologia de Alagoas (Ifal), do Centro Universitário Cesmac e do Centro Universitário Tiradentes (Unit). Os apoios e incentivos de entidades de classe e de representantes dos segmentos produtivos do estado também foram estratégicos, desde o começo, recepcionando os principais dirigentes da SBPC e participando das reuniões preparatórias. Tanto a Federação da Indústria FIEA como o Sebrae/AL foram muito importantes, principalmente em levar para Ufal estudantes e profissionais do Sistema S. O Sebrae/AL montou uma


Foram poucos os momentos da história alagoana recente em que se viu uma mobilização tão ampla de instituições, governo, entidades, academias e pessoas dispostas a contribuir para um propósito”

FÁ B IO GUED ES GOMES Presidente da Fapeal

espetacular estrutura que permitiu a presença de pequenos empreendedores comercializando comidas, bebidas e artesanato local. Entidades ligadas aos movimentos sociais, afro-indígenas, sindicais (Sintufal e Adufal) e economia solidária participaram diretamente das atividades acadêmicas e também puderam comercializar seus produtos. Em termos econômicos, a Reunião da SBPC teve efeito muito positivo para os diversos comerciantes que participaram do evento, bem como sobre os restaurantes e lanchonetes já instalados no campus da

Ufal. A opinião é unânime a esse respeito. O poder público teve um papel fundamental. A Prefeitura de Maceió contribuiu com a organização do trânsito, por meio da Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT). Merece destaque a Secretaria Municipal de Educação (Semed), tendo à frente a ex-reitora da Ufal, professora Ana Dayse Dórea. A Semed garantiu a presença de, aproximadamente, 1.500 estudantes, que participaram da ExpoT&C, uma das programações da Reunião Anual. Além disso, incentivou os professores da rede a par-

0 9


ticiparem da programação da SBPC Educação, realizada entre os dias 19 e 21 de julho. O Governo do Estado envolveu-se diretamente por meio de várias secretarias e órgãos. Além de apoiar financeiramente o evento, destaca-se o apoio fundamental das Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo; Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação, especialmente na promoção da Feira ExperimentAL de ciências dos ensinos médio e fundamental; Secretaria de Estado da Cultura, garantindo recursos e apoio à bela programação cultural do evento; Secretaria de Estado da Saúde, com o fornecimento de ambulâncias e profissionais da área médica e participação ativa no Simpósio da Saúde; Secretaria de Estado da Segurança Pública, garantindo um aparato de viaturas e policiais, proporcionando maior segurança e tranquilidade durante a realização do evento, dentro e fora do campus da Ufal, além dos equipamentos e veículos do corpo de bombeiros; e a Secretaria de Estado da Educação, que firmou compromisso em levar extraordinária quantidade de estudantes à SBPC Jovem, especialmente com os projetos de robótica executados nas escolas de tempo integral, além de garantir centenas de professores na programação da SBPC Educação.

1 0

Não poderia deixar de mencionar a exitosa parceria entre a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas – Fapeal, Instituto do Meio Ambiente – IMA, Imprensa Oficial Graciliano Ramos, Agência Desenvolve e Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação – Secti, que possibilitou a presença do governo do Estado com um estande na ExpoT&C, um dos mais visitados e admirados pelo público. Além disso, com o apoio da Fapeal, foi possível que a Ufal criasse o escritório de projetos SBPC 2018, permitindo a execução de vários termos de referência com o governo federal, a aplicação dos recursos financeiros e uma estratégia mais ampla de comunicação. Merece menção honrosa o imprescindível papel do “exército” de monitores, com mais de 500 pessoas, que “marchou” entre as salas de aula e de apoio, auditórios, pavilhões, orientando, dando suporte necessário, deslocando equipamentos e guiando grupos de visitantes por todo o campus da Ufal. Durante a cerimônia de encerramento, o secretário executivo da SBPC, professor Paulo Hofmann, divulgou um relatório sintético que revela, por meio dos números, a dimensão do evento e o que ele representou em Alagoas. Contou com a participação de 212 entidades e instituições, sendo 61


sociedades científicas, 66 universidades, centros universitários e faculdades, 13 ministérios ou secretarias de governo, 7 agências de fomento à ciência, tecnologia e inovação, 22 movimentos sociais ou entidades da sociedade civil e 6 conselhos ou comitês.

na 70ª Reunião Anual da SBPC. Esses números somente confirmam a declaração do professor Paulo Hofmann, ao abrir a solenidade de encerramento na noite da sexta-feira, 27 de julho, no auditório da Reitoria: “A reunião foi um estrondoso sucesso”.

Alcançou-se o número aproximado de 3.500 inscrições na programação científica, sendo 507 palestrantes e conferencistas. Foram realizadas 135 atividades da programação, de um total previsto de 166 – um índice de mais de 80% de efetivação. Do total de 750 pôsteres de trabalhos científicos programados, foram apresentados 713 deles, percentual de efetivação de 95%, muito elevado em comparação aos anos anteriores. O público total que participou da programação científica alcançou, portanto, 11.521 com as conferências e as mesas-redondas, absorvendo a maioria dos participantes, 5.546 e 4.308, respectivamente.

Alguns aspectos merecem ser mencionados como evidências da força mobilizadora que a SBPC trouxe para Alagoas. Destaco, em primeiro lugar, o sentimento de pertencimento à universidade que o evento proporcionou. Professores, estudantes, servidores e colaboradores não fingiam a alegria e o orgulho de participar de um encontro tão bem organizado e num lugar que passou por uma grande transformação para acolher pessoas de vários lugares do país e do exterior. A Ufal estava unida com um único propósito de proporcionar a realização do maior evento de seus quase 60 anos de história. Constatar, por exemplo, a alegria da comunidade universitária em compartilhar o evento com a família, especialmente no dia dedicado a ela, no sábado, 28, foi sublime. Eram companheiros e companheiras, filhos e filhas, netos e netas percorrendo todos os corredores da ExpoT&C e se divertindo nos shows de Química, Física e nas demais atividades trazidas pela SBPC Jovem.

Ao número total de participantes na programação científica deve-se somar o público de 2.800 pessoas inscritas para participar das atividades voltadas às comunidades indígenas e quilombolas (SBPC Afro e Indígena), junto dos visitantes da SBPC Jovem e da ExpoT&C (por volta de 12 mil pessoas na semana). Assim, chegamos a uma estimativa bastante plausível de aproximadamente 20 mil pessoas que passaram pela Ufal

1 1


PAULO HOFFMANN, SECRETÁRIO EXECUTIVO DA SBPC Foto RENNER BOLDRINO Ufal

JOSÉ VIEIRA, VICE-REITOR DA UFAL RENNER BOLDRINO Ufal Foto MANUEL HENRIQUE Ufal

1 2


Outro elemento importante foi a participação massiva do público em todo o evento, numa demonstração objetiva de que a Universidade foi invadida pelas comunidades de seu entorno, por adultos, jovens e crianças vindas de várias partes do estado, através de inúmeras caravanas. Não seria exagerado afirmar que cerca de 70% a 80% do público que passou pela SBPC jamais tenha entrado na Ufal. Certamente, as crianças e os jovens que não tinham passado por essa experiência firmaram em sua consciência o desejo de construir seu futuro num ambiente como aquele. Outro aspecto importante relaciona-se à ruptura do paradigma pelo qual predominava o consenso de que realizar grandes eventos na Ufal seria inviável em razão de sua distância, desconfortável e não atraente ao público externo. Depois da SBPC, com essa invasão da Ufal por milhares de pessoas, ficou comprovado que se dispusermos de tempo para planejar, recursos, equipe e cooperação institucional, a Universidade Federal de Alagoas tem plena capacidade de sediar eventos de grande porte nacional e internacional, especialmente nas áreas acadêmicas, científicas e tecnológicas. Não poderia deixar de enaltecer a diretoria da SBPC, o seu Conselho Superior, seus funcionários e colaboradores. To-

dos se engajaram nessa empreitada, apostando que Alagoas faria uma grande reunião. A professora Helena Nader, ex-presidente da SBPC, foi uma entusiasta desde o início e apoiou a ideia que lhe foi apresentada no CNPq, em meados de 2015. Orientou os primeiros passos e nos recebeu muito bem no evento realizado em Porto Seguro, em 2016, quando a Fapeal e a Ufal apresentaram a proposta formal ao Conselho da SBPC. O professor Ildeu Moreira, atual presidente da agremiação, estava na reunião e, desde que assumiu, em 2017, foi um grande estimulador do evento em Alagoas. Para finalizar, gostaria de apenas comentar que o maior evento de Ciência, Tecnologia e Inovação já realizado na história de Alagoas só foi possível por três razões muito elementares: 1) uma ideia fixa em realizá-lo nas terras caetés; 2) a palavra de apoio, um simples “toque em frente”, do governador Renan Filho, no início de 2015; e, 3) o belo sorriso de satisfação da reitora da Ufal, professora Valéria Correia, ao ser indagada, em março de 2016, se estava disposta a ser realizadora e levar à frente o projeto. Se tudo tem um princípio, então esse foi o nosso. A Ufal e Alagoas saíram bem maiores depois da 70ª Reunião da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência.

1 3


E N T R E V I S T A

HELENA NADER

CIÊNCIA, RESPONSABILIDADE SOCIAL E SOBERANIA O legado da 70ª Reunião Anual da SBPC em Alagoas

Presidente de honra da SBPC diz que escolha de Alagoas como sede da 70ª Reunião é reconhecimento do esforço do Estado em Ciência e Educação


Antes de Alagoas propor sediar a 70ª Reunião Nacional da SBPC, o evento estava previsto para ser realizado no Rio Grande do Norte. Por que a mudança? Em primeiro lugar, Alagoas nunca havia sido sede de uma reunião nacional da SBPC. E o Rio Grande do Norte, sim. Nesse sentido, a reitora Ângela (Paiva Cruz, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte) foi bastante compreensiva em entender a importância de o evento ser realizado em Alagoas, um estado importante, com universida-

des importantes, que receberia pela primeira vez um encontro nacional. Além disso, percebemos que a reunião seria ainda mais significativa num momento-chave em que notamos um esforço muito grande do estado em investir mais na Educação e Ciência. Além disso, já nas primeiras reuniões realizadas em Maceió, nos sensibilizamos ao perceber a união de várias entidades alagoanas empenhadas em mostrar a importância de o evento ser realizado em Alagoas. E isso ficou claro desde a primeira reunião.

HELENA BONCIANI NADER, PRESIDENTE DE HONRA DA SBPC Foto JARDEL RODRIGUES SBPC

1 5


Você fala da sua primeira reunião em Maceió? Sim. E gostaria de destacar aqui o esforço da Fapeal, desde o início, para trazer o evento para Alagoas. O presidente da entidade, professor Fábio Guedes, não apenas foi muito persistente em nos procurar, em insistir, como conseguiu unir várias entidades do estado para trazer o evento. É por isso que digo que isso ficou claro desde a primeira reunião. Desde o primeiro encontro em Maceió, nos sensibilizamos ao perceber a

mobilização não apenas da Fapeal e da Ufal, como de reitores de universidades estaduais públicas e privadas, representantes da Federação das Indústrias do Estado, dos órgãos de turismo como o Maceió Convention Bureau, enfim, sentimos que havia uma mobilização favorável de todos em fazer Alagoas ser a sede. Incluindo um desejo claro manifestado pelo próprio governador, Renan Filho, que demonstrou claramente compreender a importância de Alagoas ser a sede da reunião.

Deixamos claro aqui em Alagoas que não podemos aceitar permanecer sob eterna ameaça de cortes de investimentos em ciência e educação. Se o Brasil quiser continuar sendo uma nação, tem que entender que essa é uma política de Estado, e não do governo”

HEL ENA NA D ER

Presidente de honra da SBPC

1 6


A 70ª SBPC foi realizada em um momento de incertezas quanto ao futuro dos investimentos em Ciência e Tecnologia do país. O debate sobre esse tema será o legado dessa reunião? Olha, essa é uma batalha sem fim. E o papel da SBPC nessa reunião aqui em Alagoas é fazer o seu papel de pressionar para que o governo entenda que educação e ciência são projetos de Estado. Não são gastos, são investimentos, e sem esses investimentos nós continuaremos andando para trás. Todos os países desenvolvidos e até mesmo países em desenvolvimento como China, Índia, Rússia, África do Sul encaram educação e ciência como aposta no futuro. E deixamos claro aqui em Alagoas que não podemos aceitar permanecer sob eterna ameaça de cortes de investimentos em ciência e educação. Se o Brasil quiser continuar sendo uma nação, tem que entender que essa é uma política de Estado, e não do governo. E um dos nossos papéis mais importantes é não apenas criticar, mas sensibilizar a classe política para esse entendimento. E a classe política tem ouvido? A experiência recente da aprovação do marco legal de ciência, tecnologia e inovação é resultado exatamente desse diálogo. Por experiência própria nesse processo, vejo que muitos têm uma visão do Congresso Nacional que é nociva.

Há muita gente disposta ao diálogo no Congresso e muitos parlamentares foram decisivos na aprovação do marco, incluindo o senador Renan Calheiros, de Alagoas, assim como de outros partidos. Claro que o decreto não garante a solução de todos os problemas, mas nos permite fazer o necessário para darmos um salto na ciência e na educação brasileira, além de estimular os estados e municípios também a se envolverem na construção de seus marcos legais para o setor. Daí a importância desse diálogo aqui em Alagoas. Como você avaliou o encontro anual em Alagoas? Sinceramente, fiquei muito feliz e emocionada com o resultado. Ao ver as salas lotadas de estudantes de Alagoas e de todo o país, de acompanhar a qualidade dos debates, de várias mesas redondas, saio daqui mais consciente da responsabilidade de nos mantermos firmes nessa batalha que é uma batalha, afinal, pelo desenvolvimento do país. E temos a convicção de que essa reunião em Alagoas, onde sentimos que há esforço sincero para se dar um salto na promoção da ciência e da educação, foi importante não apenas para Alagoas, mas para a SBPC.

1 7


CIÊNCIA, RESPONSABILIDADE SOCIAL E SOBERANIA O legado da 70ª Reunião Anual da SBPC em Alagoas

A R E U N I Ã O

E A U N I V E R S I D A D E

REITORA

VALÉRIA

CORREIA


A 70ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) realizada pela Ufal foi qualificada como um “estrondo” por um dos seus diretores nacionais, na plenária final de avaliação de um dos maiores eventos científicos da América Latina. Vivenciamos dias apoteóticos. A sociedade compareceu aos três campi da Ufal, desde a SBPC Educação e a SBPC Afro e Indígena, como na SBPC Jovem, Cultural, Inovação, ExpoT&C, Simpósio Saúde e o Dia da Família na Ciência.

Muitos jovens e famílias pisaram pela primeira vez na Universidade Federal de Alagoas e em poucos segundos puderam perceber sua grandiosidade. Os olhos de crianças e jovens brilharam ao adentrarem nos caminhos da ciência, tecnologia e da inovação. Foram mais de 20 mil pessoas inscritas e 46 mil que circularam. De fato, um estrondo de participação, debates acadêmicos, premiações, shows de ciências, exposições, cultura e arte. Memoráveis dias, em que a ciência, o co-

VALÉRIA CORREIA, REITORA DA UFAL Foto JARDEL RODRIGUES SBPC

1 9


nhecimento e a arte embeveceram corações e mentes, como um alento e força motriz para dias melhores no país. Desde sua abertura até os aquecidos debates, e com as propostas aprovadas na sua plenária, revelou-se a sua repercussão positiva no Brasil. Certamente, este evento acumulou forças para enfrentar a situação de cortes de recursos nas instituições federais de ensino superior e de fomento à pesquisa. Na 70ª Reunião da SBPC, os grandes debates e articulações apontaram os melhores caminhos, em todas as áreas do conhecimento, para o desenvolvimento de um país democrático e soberano, com “Ciência, Responsabilidade Social e Soberania.” Liberdade e autonomia na produção científica são essenciais para a função civilizatória da Ciência e da Universidade. A Universidade como instituição autônoma e com ética pública é o lócus privilegiado da produção científica, por isso não pode estar a serviço dos interesses do lucro inescrupuloso que podem ameaçar a preservação da vida e do meio ambiente, mas, deve estar comprometida com as necessidades humanas e com os desafios, em todas as áreas do conhecimento, para o bem viver dos

2 0

povos. A autonomia universitária é um legado das lutas estudantis de Córdoba que em 2018 comemoraram 100 anos, cuja agenda, como a democracia, gratuidade, laicidade, liberdade de cátedra, continua atual frente a um contexto de recrudescimento do conservadorismo e de ameaças à democracia e à liberdade de cátedra. Educação e Ciência têm potencialmente uma grande capacidade transformadora. A nação que não investe nestas áreas está fadada a uma nova condição colonial, dependente da ciência e tecnologia produzida por outras nações, funcional ao capitalismo, alimentando a riqueza internacional. Florestan Fernandes, nos seus estudos sobre a economia capitalista dependente, afirma que esta, por si só, aprofunda a própria dependência, não conduz à emancipação e a uma efetiva soberania nacional. Faz com que se intensifique a integração do tecido econômico do país aos dinamismos transnacionais do capitalismo, dirigidos de fora e para fora. A perda do investimento em Ciência e nas Universidades agrava o cenário de dependência e de inserção subordinada na economia global, atendendo aos interesses dos grandes conglomerados fi-


Educação e Ciência têm potencialmente uma grande capacidade transformadora. A nação que não investe nestas áreas está fadada a uma nova condição colonial, dependente da ciência e tecnologia produzidas por outras nações” VA L ÉR IA CORR EIA Reitora da Ufal

nanceiros internacionais, intensificando a heteronomia econômica, tecnológica, científica e cultural do Brasil. O aporte, pelo MEC e por agências de fomento, de recursos para custeio, investimento e para a pesquisa científica e tecnológica nas universidades públicas federais vem apresentando cortes acentuados. Esta realidade se agravará com os efeitos da Emenda Constitucional nº 95 que congela os gastos sociais

por 20 anos, com o objetivo de formar superávits primários para pagamento de juros e amortização da dívida pública. Especialistas apontam que reduzir investimentos públicos só agrava a crise social, política e econômica. Os cortes nas áreas sociais contribuem para aumentar o desemprego, a concentração de renda e o poder das instituições financeiras. A necessidade de sua revo-

2 1


gação é premente, sob pena de extinção de todo o legado dos direitos sociais expressos na Constituição Cidadã de 1988. Inseridas em um ambiente social ainda marcado pela desigualdade e pela exclusão, as universidades federais públicas e gratuitas acolhem alunos de todas as origens sociais, raças e etnias. Mais de 70% dos estudantes das IFES pertencem à família com renda per capita de até 1/5 salário mínimo, e dependem do Programa Nacional de Assistência Estudantil para permanecerem na Universidade. São necessários mais recursos para o PNAES, sem os quais a evasão estudantil se ampliará. É necessário transformá-lo em Lei. Além do ensino de graduação e pós-graduação, as universidades federais incluem 46 hospitais universitários de alta complexidade; clínicas e laboratórios; museus; teatros; cinemas; agências de inovação; incubadoras de empresas de base tecnológica e parques de ciência e tecnologia; complexos esportivos; espaços de direitos humanos; escritórios de assistência jurídica à população carente; serviços de atenção à saúde mental. As universidades públicas brasileiras têm um impacto positivo imensurável na sociedade, pela grandeza de suas produções científicas nas diversas áreas do conhecimento – para a exploração

2 2

de petróleo em águas profundas (présal), para a produção de grãos, para o desenvolvimento da indústria naval, para o crescimento da indústria aeronáutica, para a construção de hidrelétricas e outras obras de engenharia complexa, na produção de fármacos, no combate a doenças, na atenção à saúde, na área da informática, das telecomunicações, das políticas sociais, da cultura e da arte. E por serem trincheiras de defesa dos mais altos valores da humanidade – democracia, direitos humanos e sociais, proteção ao meio ambiente, entre outros. Educação, ciência, arte, cultura, esporte e cidadania são resultados diretos do trabalho das universidades federais, que são um patrimônio da sociedade brasileira. Em processo de avaliação recente, o “recredenciamento da Ufal”, conseguimos o conceito Muito Bom, graças ao empenho da comunidade universitária e à qualidade das nossas atividades fins – de ensino, pesquisa e extensão – e da gestão institucional. A Ufal atua em todo o estado, mantendo a sua qualidade. Estamos em três campi – A. C. Simões (Maceió), Arapiraca (que inclui unidades em Palmeira dos Índios, Penedo e Viçosa) e do Sertão (Delmiro Gouveia e Santana do Ipanema). Temos o maior hospital público do estado, o Hospital Univeristário Alber-


to Antunes (HUPAA) mantemos museus, espaço cultural, bibliotecas, 378 grupos de pesquisas, mais de 400 projetos de extensão, laboratórios, entre tantas outros canais de servirmos à sociedade. As formas de desenvolvimento produtivo, de políticas sociais, de tecnologias

e inovação, de produção cultural e artística realizadas no estado de Alagoas, nas últimas décadas, tiveram a influência do conhecimento produzido na Ufal. Além disso, esta instituição é responsável pela formação profissional de muitas gerações. A Ufal é patrimônio do povo alagoano.

JOVENS NO ESPAÇO DE REALIDADE AUMENTADA “FUNDO DO MAR”, NO ESTANDE AL AGOAS Foto TÁRCILA CABRAL Fapeal

2 3


CIÊNCIA, RESPONSABILIDADE SOCIAL E SOBERANIA O legado da 70ª Reunião Anual da SBPC em Alagoas

U M A R E U N I Ã O

M E M O R Á V E L E M

A L A G O A S

ILDEU

MOREIRA


Em tempos difíceis, marcados por cortes drásticos nos recursos para a Ciência e Tecnologia, Alagoas demonstrou, com o sucesso da 70ª Reunião da SBPC, realizada entre os dias 22 e 28 de julho de 2018, em Maceió, que é uma cidade do Nordeste que resiste e avança, tendo se destacado recentemente pelo apoio ao desenvolvimento científico e tecnológico local. A começar pelo esforço de instituições como a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas, a Fapeal, cujo

diretor presidente, Fábio Guedes, deu o pontapé inicial dessa empreitada ao nos propor levar, pela primeira vez, este evento à capital alagoana. Sem essa vontade e iniciativa da Fapeal, com suporte do governador Renan Filho, e a fantástica acolhida e o trabalho intenso da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), coordenado pelo vicereitor José Vieira e pela reitora Valéria Correia, que abraçaram o evento e mobilizaram toda a equipe da Universidade e monitores, esse encontro não teria

ILDEU MOREIRA, PRESIDENTE DA SBPC Foto JARDEL RODRIGUES SBPC

2 5


tido o alcance que teve. A realização da 70ª Reunião Anual da SBPC envolveu 61 entidades científicas e 66 universidades e faculdades. O esforço conjunto teve como resultado uma semana com o campus universitário cheio de gente, com a participação intensa da comunidade local, incluindo milhares de estudantes que nunca haviam pisado em uma universidade e que tiveram, pela primeira vez, contato com debates sobre ciência, fizeram experimentos e se debruçaram sobre equipamentos científicos e tecnológicos. O entusiasmo dos jovens, lotando palestras como a da pesquisadora brasileira Marcelle Soares-Santos, professora na Universidade Brandeis (EUA) e pesquisadora no Fermi National Accelerator Laboratory, revelam com o enorme potencial do estado de Alagoas e de nosso país.

2 6

uma luta para defender os institutos de pesquisa. A SBPC continuou, ao longo dessas sete décadas, a lutar pela educação de qualidade e pelo progresso da ciência no Brasil, porque acreditamos que esta é a uma das bases mais importantes para o desenvolvimento econômico e social de um país.

Este foi, sem dúvidas, o maior legado deste evento: despertar na população, particularmente nos jovens, o interesse e o gosto pela ciência.

Nesse encontro em Maceió, destacamos os momentos marcantes dessa história na Mostra Virtual Interativa dos 70 anos da SBPC, instalada na ExpoT&C. Em uma sessão especial, que reuniu os ex-presidentes da SBPC e seus presidentes de honra, relembramos o passado, discutimos o presente e pensamos sobre que futuro desejamos para a ciência, a educação e o desenvolvimento sustentável do país. Outro ponto de destaque foi a apresentação e a discussão de propostas da SBPC para políticas públicas em várias áreas – educação, ciência e tecnologia, meio ambiente, saúde, comunicação... Elas foram apresentadas e encaminhadas aos candidatos ao Executivo e ao Legislativo dos diversos partidos nas eleições de 2018.

A reunião teve ainda uma marca especial porque nela ocorreram as comemorações dos 70 anos da criação da SBPC. Foi, assim, um momento de recordação, balanço e afirmação da comunidade científica brasileira que fundou esta entidade em 8 de julho de 1948, a partir de

Apesar das dificuldades atuais, e de muitas outras no passado, que tem alternado períodos mais ou menos favoráveis ao desenvolvimento científico, e das muitas debilidades ainda existentes, a ciência brasileira conta hoje com uma estrutura já pujante, que foi edifi-


Essa presença da sociedade alagoana no campus talvez tenha sido a marca mais importante do evento”

IL D EU MOREIR A Presidente da SBPC

cada e reforçada, ao longo de décadas, graças aos esforços conjuntos de toda a comunidade científica brasileira. A SBPC, que reúne atualmente 142 sociedades científicas afiliadas e mais de cinco mil sócios, é parte importante dessa construção. Na década de 1950, por exemplo, a SBPC teve papel de destaque na criação das agências de fomento e de novas instituições científicas. Anísio Teixeira, presidente da SBPC entre 1955 e 1959, foi o principal mentor da criação da Capes e responsável, juntamente com Darcy Ribeiro, pela criação do grupo que estabeleceu as bases da Universidade de Brasília. A SBPC teve um papel importante na discussão do projeto para a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional

(LDB), bem como nas propostas para a criação do Ministério da Ciência e Tecnologia, desde a década de 1960, e que foi realizada duas décadas depois, em 1985. Nas duas primeiras décadas a SBPC se empenhou em uma luta contínua pela educação e pela ciência brasileira, com a criação da infraestrutura de pesquisa, o estabelecimento do tempo integral para os professores universitários e a melhoria da educação científica nas escolas, em particular com a criação das feiras de ciência. Com o golpe civil-militar de 1964, as reuniões anuais da SBPC passaram a ser também um espaço de resistência democrática – principalmente na década de 70 – e a entidade liderou momentos importantes de afirmação da de-

2 7


RENAN FILHO, GOVERNADOR DE AL AG OAS Foto MÁRCIO FERREIRA Secom AL

Parabenizo a brilhante organização, a capacidade de interlocução e agradeço por prestigiar o povo alagoano. Em nome do Governo de Alagoas e do nosso povo, eu agradeço à SBPC por escolher o nosso estado e trazer para cá tão densa, tão ampla e tão importante discussão para o desenvolvimento do país. E agradeço a todos os que saíram dos seus estados e vieram para cá participar desse grande evento”

R ENA N FIL HO

Governador de Alagoas

2 8


mocracia brasileira. Durante o processo de redemocratização, na década de 1980, a SBPC colaborou de forma decisiva na elaboração de importantes capítulos da Constituição Federal de 1988, ligados em especial à ciência, educação, direitos individuais e sociais e meio ambiente. A trajetória da SBPC é marcada pelo trabalho incansável em diversas frentes. Atua na formulação de propostas e nos debates sobre políticas públicas em diversas áreas – como educação, ciência e tecnologia, meio ambiente, comunicação, saúde – e na discussão e aprovação de leis mais adequadas e necessárias, como o Código Florestal, a Lei da Biodiversidade e o Marco Legal da CT&I. Participa ativamente, no Congresso Nacional e nas Assembleias Legislativas, de debates e manifestações por mais recursos para a Ciência e Tecnologia, pela redução da burocracia e por um legislação atualizada. Em parceria com universidades, instituições de pesquisa e outras entidades científicas, tem atuação intensa em prol da educação e da ciência e realiza ações de educação científica nas escolas. A divulgação da ciência e a popularização do conhecimento científico são outras ações marcantes e de destaque da SBPC, com suas reuniões anuais e regionais, que se estendem por todo o País, com a organização e a participação em eventos comemora-

tivos da ciência, em diversas atividades de divulgação em espaços públicos e nas ruas e com o uso amplo de seus meios de comunicação. O tema da 70ª Reunião Anual, Ciência, Responsabilidade Social e Soberania, resgata e celebra a essência dessa trajetória da SBPC. Resistir nos momentos difíceis, sem nunca perder a capacidade de avançar, propor, debater e construir alternativas que possibilitem o avanço da educação e da ciência; e que este desenvolvimento esteja pautado pela responsabilidade social e pela perspectiva de um país soberano. Que o legado desse evento seja fortalecido e estendido às novas gerações, com apoio mais intenso e continuado à educação científica, à pesquisa e à inovação na região e com a criação de novos espaços de ciência, como museus e planetários. Agradecemos a todas as instituições e pessoas de Alagoas e de outros estados, em particular à Ufal, ao governo estadual, especialmente à Fapeal, e à toda a equipe da SBPC, que se envolveram, participaram e ajudaram a construir esse importante evento que, sem dúvida, foi um marco para a SBPC e para todo o Estado de Alagoas.

2 9


CIÊNCIA, RESPONSABILIDADE SOCIAL E SOBERANIA O legado da 70ª Reunião Anual da SBPC em Alagoas

C A P Í T U L O

SBPC

E ALAGOAS:

MAIS DE 65

ANOS DE

HISTÓRIA


Na manhã da segunda-feira, 23 de julho de 2018, o campus da Universidade Federal de Alagoas em Maceió, A.C. Simões, amanheceu sob uma atmosfera diferente. Um dia após a abertura, no Centro de Convenções de Maceió, da 70ª Reunião

Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), o principal campus da Ufal recebeu desde cedo milhares de estudantes, pesquisadores e trabalhadores de Alagoas e de outros estados para sediar, pela primeira vez na sua história, o mais importante encontro científico do país.

Foto RENNER BOLDRINO Ufal

0 0


O que a maioria dos estudantes e mesmo pesquisadores da SBPC não sabiam é que, antes mesmo de a Ufal existir, A. C. Simões – médico e primeiro reitor da Ufal, cujo nome batiza o campus da universidade – foi também um dos primeiros associados da SBPC no Brasil. Em 1955, a edição da revista Ciência e Cultura, mais importante veículo da entidade, registrou na seção “Sócios admitidos de janeiro a março de 1955” o novo associado contribuinte número 1.662, “Dr. Aristoteles Calazans Simões – Praça Deodoro, 349 – Maceió – Alagoas.” Apenas sete anos após a fundação da SBPC, em 1948, e seis anos antes da fundação da Ufal, em 1961, o então diretor da Faculdade de Medicina de Alagoas e futuro reitor da Universidade já estava associado à mais importante sociedade científica do Brasil. Simões não foi o único grande nome de Alagoas e da futura Ufal a associar-se à SBPC. Na mesma edição da Ciência e Cultura, o nome de Simões aparece ao lado do de outras personalidades como o “professor Theotonio Vilela Brandão”, mais conhecido como Théo Brandão, folclorista e pesquisador da Ufal que virou o no-

3 2

Foto RENNER BOLDRINO Ufal


me do mais importante museu de antropologia e folclore da Universidade e de Alagoas. Mesmo antes de Simões e Théo Brandão associarem-se à entidade, outros grandes nomes que marcariam a história da Ufal já eram ligados à SBPC. Entre eles, o futuro reitor Nabuco Lopes, primeiro em Alagoas a entrar para a SBPC ainda em 1953 – apenas cinco anos após a fundação da sociedade. Nabuco Lopes, que aparece na seção como o associado de número 1.317, foi não apenas o pioneiro de Alagoas, como também um dos mais citados por seus artigos científicos sobre nutrição e alimentação regional. Reitor da Ufal de 1971 a 1976, Nabuco seria também o primeiro e mais longevo secretário regional da SBPC em Alagoas, cargo que assumiu ainda na década de 1960 e só deixaria em 1979. Ainda no final dos anos 1960, a entidade recebeu também a associação dos futuros reitores Manoel Ramalho Fernando Gama, ambos oriundos da escola de Engenharia. Em 1974, foi a vez da médica e professora Delza Leite Góis Gitaí, que assumiria a secretaria regional da SBPC, em 1980, poucos anos antes de ser a primeira mulher eleita para a reitoria da Ufal, em 1986.

3 3


3 4

Foto JARDEL RODRIGUES SBPC


“Ainda durante minha pós-graduação, comecei a participar das reuniões da SBPC”, lembra a ex-reitora da Ufal. “Após voltar a Maceió no final dos anos 1970, o ex-reitor Nabuco Lopes perguntou se eu tinha interesse em assumir a secretaria regional e, após consulta com os sócios, meu nome foi aprovado”. Delza recorda do momento de efervescência política que a SBPC vivia nesse período. “Lembro-me, por exemplo, da 33ª reunião anual da SBPC, na Universidade Federal da Bahia, em 1981, marcada pelo retorno ao país de pesquisadores e professores que voltavam do exílio”, disse ela. No início dos anos 1980, período de lutas pela redemocratização do país, o cargo de secretário da SBPC em Alagoas foi ocupado pelo pesquisador da área de saúde José Geraldo Wanderley Marques (biênio 1982-1983) e, em seguida, pelo economista e ex-pro-reitor de Planejamento da Ufal, Radjalma Cavalcante, secretário regional de 1984 a 1985. “Era um momento de redemocratização em que a SBPC teve um papel fundamental na defesa de uma política de ciência e tecnologia mais avançada para o país”, diz Radjalma Cavalcante. Defesa essa que, 70 anos após a criação da entidade, em 1948, foi um dos principais temas da reunião nacional da SBPC, na Ufal, em 2018.

3 5


CIÊNCIA, RESPONSABILIDADE SOCIAL E SOBERANIA O legado da 70ª Reunião Anual da SBPC em Alagoas

C A P Í T U L O

QUANDO

A CIDADE

FOI AO

CAMPUS


Quem passou pelo campus da Ufal entre 23 e 28 de julho, viu a diferença na cara. Ou melhor: nas caras de milhares de alunos do ensino básico e médio em visita à SBPC Jovem, que desde 1993 promove paralelamente atividades lúdicas e interativas de contato dos estu-

Foto RENNER BOLDRINO Ufal

dantes com a Ciência. As escolas de Alagoas atenderam o chamado. No total, a SBPC Jovem recebeu a visita de 153 escolas agendadas e mais 107 escolas visitantes por demanda espontânea – somando um total de 260.

3 7


3 8

Foto NAÍSIA XAVIER Fapeal


Na prática, o Campus A.C. Simões se transformou na maior feira de ciências aberta ao público na história da Educação no estado, levando cerca de 14 mil pessoas às atividades interativas na “Tenda Jovem”, com apresentações montadas por universidades, institutos de fundações de apoio à pesquisa, sociedades do setor, secretarias de educação, entre outras instituições. As tendas da SBPC foram montadas na Ufal em um espaço de 6.000 metros quadrados de pavilhões climatizados em meio à ExpoT&C, uma das mais importantes mostras de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) realizadas durante a SBPC, que contou, em 2018, com 57 expositores interessados em divulgar e difundir novas tecnologias, produtos e serviços. Somente no sábado, o “Dia da Família na Ciência” recebeu cerca de quatro mil pessoas. Famílias de Maceió e de cidades vizinhas participaram das atividades que foram parte da programação do evento dedicado à integração entre cultura, ciência e recreação para crianças, jovens e seus familiares. Entre as atrações da programação, foi montada uma Central de Jogos com programação diária onde os estudantes

3 9


Foto RENNER BOLDRINO Ufal


Pais e filhos que nunca tiveram a oportunidade de visitar um museu de ciência, já que eles são raros no Estado, puderam interagir juntos pela primeira vez com temas ligados à Ciência e Tecnologia. Foi um dia que ficará marcado na vida de muitos alunos e futuros pesquisadores” FÁ B IO GUED ES GOMES Presidente da Fapeal

4 2

puderam aprender Matemática, Geometria, Lógica, entre outros temas, por meio de oficinas e jogos como “Dominó de Química: Aprendendo Química Orgânica”.

vez com temas ligados à Ciência e Tecnologia”, diz Fábio Guedes Gomes, presidente da Fapeal. “Foi um dia que ficará marcado na vida de muitos alunos e futuros pesquisadores”.

“Pais e filhos que nunca tiveram a oportunidade de visitar um museu de ciência, já que eles são raros no Estado, puderam interagir juntos pela primeira

Em Maceió, por exemplo, que não tem sequer um planetário (o único construído no estado está em Arapiraca), o planetário itinerante inflável do Museu

Foto JARDEL RODRIGUES SBPC


0 0


Foto RENNER BOLDRINO Ufal


4 6

Foto MANUEL HENRIQUE Ufal


de Astronomia e Ciências Afins (MAST), localizado no estande do Circo da Ciência, atraiu longas filas de crianças e adolescentes para assistir à projeção de simulação de um céu noturno na cúpula com 3,2 metros de altura e 6,4 metros de diâmetro. Entre os estandes de museus do Estado presentes, o Museu de História Natural (MHN) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), um dos pioneiros na divulgação científica do Estado, atraiu alunos não apenas para suas exposições de fósseis, moluscos, plantas, insetos, répteis, anfíbios, aves e mamíferos, todos taxidermizados, como também por uma programação repleta de oficinas, como uma voltada para a produção de vulcões de argila, seguida pela simulação de uma erupção por meio de diferentes misturas químicas. Mas nem sempre os alunos foram meros espectadores. Sob a mesma tenda, estudantes das redes estadual, municipal e privada apresentaram 50 projetos (cerca de 10 por dia) na Feira de Ciências da Educação Básica de Alagoas, a ExperimentAL, realizada com o apoio da Ufal, da Secretaria de Ciência e Tecnologia (Secti AL) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

4 7


Foto DERIKY PEREIRA Fapeal


Na tarde da sexta-feira, 21 de julho, os melhores trabalhos de escolas de todo o Estado foram premiados. Esse foi o caso, por exemplo, do trabalho da equipe da Escola Estadual Ângelo de Abreu, de Olho D’água das Flores, vencedor da categoria voto popular com o projeto “Pomada medicinal à base de Aloe vera para queimaduras”, com a finalidade de facilitar o acesso daqueles que não podiam adquirir medicamentos industrializados. “Para nós que fazemos a Ufal, a interlocução da juventude com a ciência é muito importante”, disse a reitora Valéria Correia. “Nesse espaço da SBPC, buscamos despertar nos estudantes, que já são vitoriosos, a possibilidade de serem futuros cientistas”.

5 0

Foto RENNER BOLDRINO Ufal


5 1


Foto NAÍSIA XAVIER Fapeal


Foto RENNER BOLDRINO Ufal


Veja, abaixo, lista dos expositores: E X P OT&C

Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência - SBPC Centro Universitário CESMAC Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa - CONFAP Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES Deutscher Akademischer Austauschdienst (Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico) DAAD Editora Scientific American Brasil Editora Universitária - EDUFAL Feiras de Ciências (Ciência Jovem, FEBRACE – USP, FETECMS – UFMS, MOSTRATEC Fundação Liberato, Semiárido) Feira do Livro - República do Saber Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas - FAPEAL Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - FAPESP Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão FAPEMA GALOÁ - Soluções para Pesquisadores Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão - IEMA Instituto Federal de Alagoas - IFAL Instituto Tecnológico de Aeronáutica - ITA

5 6

Foto DERIKY PEREIRA Fapeal


Marinha do Brasil - MB Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações - MCTIC Ministério da Educação - MEC Ministério da Saúde - Organização Mundial da Saúde – OPAS/OMS Observatório de Sobral Prefeitura de Maceió - SEMED Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação do Maranhão - SECTI MA Serviço de Apoio às Micro e Pequenas empresas de Alagoas - SEBRAE - AL Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial - SENAI Serviço Social da Indústria - SESI Sociedade Brasileira de Farmacologia e Terapêutica Experimental - SBFTE Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas - UNCISAL Universidade Federal de Alagoas - UFAL Universidade Federal do Mato Grosso do Sul - UFMS Institutos do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Agência Espacial Brasileira - AEB Agência Nacional ANATEL

de

Telecomunicações

-

Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas – CBPF

5 7


CIÊNCIA, RESPONSABILIDADE SOCIAL E SOBERANIA O legado da 70ª Reunião Anual da SBPC em Alagoas

C A P Í T U L O

70 ANOS

DE DEFESA

DA CIÊNCIA

BRASILEIRA


Após anúncio do Governo Federal de cortes de verbas para a Ciência e a Tecnologia, o então Ministro da Ciência e Tecnologia do Governo Temer, Gilberto Kassab, sabia que dificilmente teria uma recepção calorosa ao desembarcar em Maceió na segunda-feira, 23 de julho, para marcar presença na 70ª Reunião Anual da SBPC. O ministro, contudo, também sabia que não podia faltar ao primeiro dia do maior encontro científico do país.

Foto MANUEL HENRIQUE Ufal

Após ser recebido no campus da Ufal pelas lideranças da SBPC, como o então presidente da entidade, Ildeu de Castro, e por representantes locais, como a reitora da Ufal, Valéria Correia, e o diretor-presidente da Fapeal, Fábio Guedes Gomes, Kassab, após ouvir protestos de servidores da área de ciência e tecnologia, disse a jornalistas que entendia as reivindicações. “As mobilizações têm o nosso apoio. Elas nos ajudam a dar visibilidade para as demandas do setor. São manifesta-

5 9


Foto NAÍSIA XAVIER Fapeal


Foto RENNER BOLDRINO Ufal


ções corretas, com peso político e representatividade. Parte grande das demandas vem carregada de muita coerência e legitimidade”, disse o ministro ao jornal Folha de S.Paulo. Ao participar da mesa-redonda da sessão comemorativa “70 Anos da SBPC”, o ministro teve oportunidade de ouvir depoimentos contundentes de grandes nomes da entidade, como do físico e expresidente da SBPC, Sérgio Mascarenhas. Em meio à sessão histórica, Mascarenhas voltou-se para o ministro e lembrou: “Não há país do mundo que consiga ter crescimento, desenvolvimento econômico e criação de empregos sem o avanço da pesquisa, da ciência e da inovação. E esse avanço se dá cada vez mais com a participação do capital privado, mas é imprescindível, sempre foi e vai continuar sendo, a participação dos recursos públicos.” Pouco antes, o presidente da SBPC, Ildeu de Castro, traçou um histórico dos 70 anos da entidade fundada em 8 de julho de 1948 por cerca de 60 cientistas reunidos no auditório da Associação Paulista de Medicina. Ildeu lembrou do esforço da entidade, desde sua primeira reunião anual, na cidade de Campinas, em 1949, em defesa de mais recursos para a pesquisa no Brasil, assim como de outros encontros marcantes durante o regime militar, como o de 1977, na

6 2

PUC São Paulo, que se tornou um momento marcante de luta pela redemocratização do país. Ildeu lembrou ainda da importância de se dedicar um capítulo da Constituição de 1988 voltado para a Ciência e a Tecnologia, assim como para a luta da criação do Ministério da Ciência e Tecnologia e a emenda pelo marco legal do setor. O matemático e ex-presidente da SBPC, Marco Antonio Raupp, falou da importância da entidade em não apenas criticar, mas também de trabalhar efetivamente para defender as conquistas e lutar por novos marcos do setor. Na mesma mesa, Helena Nader reforçou a importância da entidade no diálogo com as lideranças políticas para a aprovação de leis como a do marco legal do setor. O antropólogo Otávio Velho lembrou o papel da valorização das Ciências Sociais na história da SBPC e da sua tradição em aliar grandes nomes da Ciência com engajamento político na defesa do segmento. E o físico e ex-presidente da SBPC, Ennio Candotti, relembrou a importância da mudança de estatuto da sociedade em 1978, que valorizou as suas secretarias regionais, o que deu mais peso à instituição – e foi decisivo para pressionar os constituintes a incluir na Constituição o capítulo sobre Ciência e Tecnologia.

Foto RENNER BOLDRINO Ufal


0 0


SB

DOS SABERES Af PC ro

ena

e Indíg

CIÊNCIA, RESPONSABILIDADE SOCIAL E SOBERANIA O legado da 70ª Reunião Anual da SBPC em Alagoas

C A P Í T U L O

IDENTIDADE

E DIVERSIDADE


Alagoas, sede da 70ª Reunião Anual da SBPC, é também o Estado que foi berço, no século XVII, da maior confederação de quilombos das Américas: o Quilombo dos Palmares, na Serra da Barriga, em União dos Palmares. Como realizar, então, um encontro anual da SBPC no estado sem discutir temas

ligados às identidades Afro e Indígena, ainda hoje alvos de um processo de invisibilidade? Com mais de 100 atividades como mesas-redondas, conferências e oficinas, a SBPC Afro e indígena se tornou um polo de discussões relacionadas aos povos negros e indígenas, não apenas

Foto MANUEL HENRIQUE Ufal

0 0


em Maceió, no Campus A. C. Simões, mas também nos campi da Ufal das cidades de Arapiraca, no Agreste, e Delmiro Gouveia, no Sertão, expandindo as discussões para todo o Estado. “O evento superou as expectativas com grande participação da comunidade sertaneja, dos povoados, quilombolas, indígenas”, disse a professora e coordenadora do evento em Delmiro Gouveia, Ana Cristina Santos. “O interesse dos participantes pelos debates comprova o quanto essas discussões em tornos das relações étnico-raciais são pertinentes. Estamos em um espaço privilegiado para trazer isso à tona, que é a Universidade”, complementou. Além dos debates com a presença de mais de 180 palestrantes, a programação contou com mostra de curtas-metragens, desfile de moda afro, relançamento de livros ligados ao tema, espaço infantil Erê, Ibeji e Curumim, e uma comemoração dos 36 anos do Núcleo de Estudos Afro-brasileiros (Neab) da Ufal, dirigido por Lígia Ferreira, coordenadora geral da SBPC Afro e Indígena. “A programação reuniu pesquisadores e pesquisadoras, ativistas sociais, lideranças dos movimentos sociais negro e indígena nacionais e internacionais para dialogar sobre questões étnico-raciais e fazer proposições relacionadas à

6 6

Foto MANUEL HENRIQUE Ufal


6 7


Foto MANUEL HENRIQUE Ufal


temática e à troca de saberes científicos produzidos na academia e nas comunidades tradicionais”, declarou Lígia. O evento também abriu espaço para intervenções culturais com artistas negros e indígenas locais e para a promoção do Etnoturismo na Serra da Barriga, com uma visita guiada à União dos Palmares. Com mais de 2.300 inscritos e público circulante estimado em mais de 3.300 pessoas, o evento foi encerrado com homenagens prestadas a personalidades como Maria Aparecida Silva, no critério produção científica; Cleide Gomes da Silva, critério liderança política feminina, representando a comunidade indígena; Manoel Oliveira dos Santos (Bié), liderança política masculina, representando a comunidade quilombola. No critério ancestralidade, foram homenageadas Maria Jacinta de Jesus, conhecida como Maria Cabôcla, com 103 anos, e Dona Alice, que faleceu com 102 anos. Na conferência de encerramento, a professora Lúcia Cristina Monteiro apresentou como tema “O conhecimento matemático nas diversas culturas”.

7 0

Foto DERIKY PEREIRA Fapeal


7 1


CIÊNCIA, RESPONSABILIDADE SOCIAL E SOBERANIA O legado da 70ª Reunião Anual da SBPC em Alagoas

C A P Í T U L O

A CULTURA

ALAGOANA

SOBE AO

PALCO NA

SBPC


Desde sua criação, em 1961, o Campus A.C. Simões da Universidade Federal de Alagoas, em Maceió, nunca havia recebido tanta gente num sábado à noite. No dia 28 de julho de 2018, milhares de jovens de Maceió (muitos que nunca haviam pisado em uma universidade) se uniram a estudantes e professores de Alagoas e outros estados para assistir ao

Foto JARDEL RODRIGUES SBPC

show da banda alagoana Vibrações, no encerramento da “SBPC Cultural – Saberes da Tradição/Arte e Ciências”, que durante uma semana recheou de oficinas, exposições e shows a programação do maior evento científico do país. “Como o público do show foi bem maior do que o esperado, ficamos até preocupados com a logística da segurança”,

7 3


lembra Ricardo Cabús, coordenador de Assuntos Culturais da Pró-reitoria de Extensão da Ufal. “Felizmente, assim como ocorreu durante toda a programação da SBPC, o clima foi de paz”, destacou. Ao todo, estima-se que mais de 10 mil pessoas circularam durante a programação de 22 a 28 de julho, que incluiu 50 atividades acadêmicas e 39 culturais em áreas como teatro, música, cinema, literatura, dança, escultura, patrimônio, artesanato e até design de mobiliário urbano. Entre os 383 palestrantes e convidados, a SBPC Cultural reuniu a maior mostra de artistas alagoanos em um único evento. “Nunca uma programação cultural no Estado conseguiu juntar tantos artistas da terra”, diz Ricardo Cabús. “Foi, sem dúvidas, o maior festival de cultura de Alagoas em 2018”. Além dos shows de artistas de Alagoas como Junior Almeida, Chau do Pife, Wilma Araújo, Wado, Igbonan Rocha & Samba de Nêgo, Xameguinho e banda, Alan Bastos, Joelson dos 8 baixos e Tião Marculino, bandas Flor de Ébano, Janu e banda Vibrações (esta última no show de encerramento no sábado), o evento se tornou um marco para o reconhecimento de grupos folclóricos e seus mestres, alguns deles homenageados no

7 4

Foto DERIKY PEREIRA Fapeal


7 5


evento. Em alguns momentos do evento, a Ufal parou, literalmente, para ouvir as vozes do Coro da Universidade Federal de Alagoas (Corufal) ou o ritmo da Orquestra de Tambores e do Maracatu Baque Alagoano, revelando a força de grupos que resgatam ritmos e tradições quase apagados da identidade do Estado. Identidades musicais que inclusive foram discutidas em conferências como “Práticas contemporâneas das culturas populares brasileiras: contextos tradicionais e novos contextos de performance”, comandada pelo professor Estevão Amaro, pesquisador da Unicamp, que também coordenou um curso de introdução à pesquisa etnomusicológica. Na dança, grupos como Abi Axé Egbê e Ilya Mi Dilê marcaram presença da anestralidade afro em Alagoas, com espetáculos que transformaram o Campus A.C. Simões, até o último show do evento, no sábado, em um centro emissor de vibrações da força e diversidade da arte alagoana e brasileira.

7 6

Foto MANUEL HENRIQUE Ufal


7 7


CIÊNCIA, RESPONSABILIDADE SOCIAL E SOBERANIA O legado da 70ª Reunião Anual da SBPC em Alagoas

C A P Í T U L O

ALAGOAS NO

CENTRO DA

MÍDIA DE

CIÊNCIA E

TECNOLOGIA


Durante sete dias, dezenas de jornalistas de todo o país tornaram Alagoas sede dos debates públicos nacionais na imprensa e nas mídias sociais sobre temas relacionados à Ciência e Tecnologia. Em meio à ameaça de corte de recursos para a área no Governo Temer, a presença em peso da comunidade científica nacional e o desembarque do Ministro Gilberto Kassab atraiu, mais uma vez, a imprensa para o maior evento

Foto RENNER BOLDRINO Ufal

científico do país. Além da transmissão da abertura em plataformas como o Youtube, o evento atraiu na segunda-feira, 23 de julho, jornalistas de todo o país para cobrir o encontro da cúpula da entidade com o Ministro da Ciência e Tecnologia, o que gerou manchetes como “Abertura da SBPC tem tom político e atos contra Kassab e cortes na ciência”. Mas não foi apenas a política o destaque

7 9


na imprensa nacional. Mais uma vez, o evento foi alvo de cobertura segmentada em importantes veículos, como o Direto da Ciência, editado por Maurício Tuffani.

Ufal, coordenada pela jornalista Lenilda Luna, montou uma verdadeira força-tarefa para a cobertura da 70ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência.

Os esforços de divulgação na reta final do evento começaram em quatro de julho, quando a Secretaria de Estado da Comunicação ofereceu um café da manhã à imprensa, para apresentar a programação do Estande Alagoas, organizado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal), Instituto do Meio Ambiente do Estado de Alagoas (IMA), Secretaria de Estado da Ciência, da Tecnologia e da Inovação (Secti), Imprensa Oficial Graciliano Ramos e Agência de Fomento de Alagoas (Desenvolve). A segunda edição do Prêmio de Jornalismo Científico José Marques de Melo foi lançada já durante a Reunião, na manhã do dia 27 de julho, no estande.

Ao todo, a universidade mobilizou dez técnicos-administrativos na ativa: três jornalistas, duas assistentes em administração, uma relações públicas, dois programadores visuais, um fotógrafo e um técnico em audiovisual. Também participaram os nove estagiários do setor, dos cursos de Jornalismo, Relações Públicas e Design. Para reforçar essa equipe, jornalistas e relações públicas contratados pelo Escritório de Projetos da SBPC 2018 colaboraram na cobertura das atividades nos campi do interior e que precederam o evento e durante a Reunião Anual, redigindo textos sobre as parcerias e as reuniões de organização. Uma equipe específica para as redes sociais e a identidade visual do evento foi montada com a contratação de uma agência de criação. Dos mais de 600 monitores selecionados, 36 deles foram direcionados para formar uma redação de apoio, contando com alunos de Jornalismo, Relações Públicas e Design.

Os principais veículos da imprensa local abraçaram o evento. Canais da televisão alagoana, aberta e fechada, estiveram presentes durante a programação, produzindo matérias especiais e factuais, que contribuíram em parte para o sucesso do evento com o público não acadêmico. Além da presença de jornalistas de todo o país, a Assessoria de Comunicação da

8 0

Outra grande inovação foi a criação da rádio web, a Rádio Ufal, com a operação e edição de áudio de Edilberto Sandes (técnico lotado no Espaço Cultural), lo-

Foto RENNER BOLDRINO Ufal


No final, foram contabilizadas 230 matérias publicadas nos dias do evento, contando com a SBPC Educação, iniciada em 19 de julho.

cução de Thiago Prado (da Assessoria de Comunicação da universidade) e a apresentação e locução do jornalista Carlos Madeiro, cedido durante o evento pela Rádio Difusora AM (do Governo do Estado). A Difusora AM também entrou em cadeia diariamente, no horário das 15h às 16h, com o programa SBPC no Ar. No último dia, o programa entrou em cadeia com a Rádio Educativa da UFMS. No final, foram contabilizadas 230 matérias publicadas nos dias do evento, contando com a SBPC Educação, iniciada em 19 de julho. Também foram produzidos 35 álbuns virtuais de fotos no perfil Ufal Oficial da rede social Flickr. Além disso, foram mais de 15 flashes de áudio gravados por dia para a Rádio Ufal, cerca de cinco entrevistas diárias ao vivo, contabilizando mais de cem entrevistas para a rádio durante a realização da 70ª Reunião Anual da SBPC. O evento ainda rendeu um número especial da Fapeal em Revista.

Foto RENNER BOLDRINO Ufal

8 3


CIÊNCIA, RESPONSABILIDADE SOCIAL E SOBERANIA O legado da 70ª Reunião Anual da SBPC em Alagoas

C A P Í T U L O

Os homenageados da 70ª Reunião anual da SBPC


Dos quatro homenageados na 70ª Reunião Anual da SBPC, apenas o professor Elisaldo Luiz de Araújo Carlini esteve, aos 87 anos e com voz altiva, presente e resistente, na abertura do maior evento científico do país, em Maceió. Ana Maria Fernandes , socióloga e pesquisadora da Universidade de Brasília (UnB), autora do livro “A Construção da Ciência no Brasil” e a SBPC, faleceu três meses antes do encontro.

Foto JARDEL RODRIGUES SBPC

Já a psiquiatra alagoana Nise da Silveira e o físico pernambucano José Leite, dois gigantes em seus respectivos campos na história da ciência brasileira, permanecem exemplos de pesquisadores reconhecidos internacionalmente, que nunca deixaram de lutar pela soberania e responsabilidade social da Ciência Brasileira. Conheça a seguir um pouco mais sobre os homenageados:

8 5


Nise da Silveira (1905-1999) Nasceu em 15 de fevereiro de 1905 em Maceió (AL), cidade que recebe em 2018 a 70ª Reunião Anual da SBPC, filha do professor de matemática Faustino Magalhães e da pianista Maria Lídia da Silveira. Estudiosa, Nise da Silveira foi admitida na Faculdade de Medicina da Bahia aos 16 anos, onde se formou como a única mulher entre os 157 homens daquela turma, tornando-se uma das primeiras médicas formadas no Brasil. Concluiu o curso aos 21 anos, com uma monografia sobre a criminalidade feminina. Logo que se formou, começou a trabalhar com psiquiatria, interessada em novos métodos para tratar a esquizofrenia. Mudou-se para o Rio de Janeiro onde atuou como médica interna do Hospital da Praia Vermelha. Na agitação política dos anos 1930, Nise foi denunciada e presa como comunista por 16 meses na Casa de Detenção da Rua Frei Caneca. Em 1933, cursando os anos finais da especialização em Psiquiatria, estagiou na clínica neurológica de Antônio Austregésilo. Logo após terminar sua especialização, foi aprovada no mesmo ano em um concurso de psiquiatria, e começou a trabalhar no Serviço de Assistência a Psicopatas e Profilaxia Mental do Hospital da Praia Vermelha.

8 6

Nise foi reintegrada ao serviço público com a anistia e, em 1946, propôs ao diretor do Centro Psiquiátrico Pedro II, no bairro Engenho de Dentro, na cidade do Rio de Janeiro, a criação de uma seção de terapia ocupacional naquele hospital. Seu trabalho pioneiro de pesquisa sobre o tratamento da doença mental por meio da arte-terapia foi reconhecido internacionalmente. Nise ainda foi pioneira ao enxergar o valor terapêutico da interação de pacientes com animais. A produção artística dos internos foi reunida no Museu de Imagens do Inconsciente, fundado por ela em 1952. Alguns dos artistas revelados pelo trabalho de Nise da Silveira alcançaram renome internacional, o mais famoso deles sendo Arthur Bispo do Rosário. Faleceu na cidade do Rio de Janeiro em 30 de outubro de 1999.

José Leite Lopes (1918 – 2006) O físico recifense José Leite Lopes é considerado uma das figuras fundamentais para a introdução da física teórica e para a consolidação da física moderna no Brasil. Colaborou com criação do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), a Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científi-


co e Tecnológico (CNPq) e foi fundador da Escola Latino-americana de Física (Elaf). Foi presidente da Sociedade Brasileira de Física (SBF) de 1967 a 1971 e recebeu o título de presidente de honra da SBPC por suas contribuições ao desenvolvimento da ciência e da educação no Brasil. Em 1935, Leite Lopes ingressou no curso de Química Industrial da Escola de Engenharia de Pernambuco. Em 1937, apresentou no 3º Congresso Sul-Americano de Química, no Rio de Janeiro, um

Foto JARDEL RODRIGUES SBPC

trabalho sobre o mecanismo molecular das reações químicas. No ano de 1940, iniciou o curso de Física da Faculdade Nacional de Filosofia, no Rio de Janeiro. Dois anos depois, foi convidado por Carlos Chagas Filho, com uma bolsa concedida por Guilherme Guinle, a trabalhar no Instituto de Biofísica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). No ano seguinte, com uma bolsa da Fundação Zerrener, Leite Lopes foi para a Universidade de São Paulo (USP), onde aprofundou suas pesquisas. Em 1946 recebeu o título Ph.D. pela u-

8 7


niversidade de Princeton (EUA), sob orientação de Wolfgang Pauli, prêmio Nobel de Física em 1945. Retornou ao Rio de Janeiro e assumiu a cátedra interina de Física na Faculdade Nacional de Filosofia da Universidade do Brasil (FNFi). Nos anos de 1946 e 1947, trabalhou nas eliminações de contradições da eletrodinâmica, tendo em vista uma teoria desenvolvida por Mario Schenberg. No ano de 1958, publicou a primeira avaliação correta da massa dos bósons vetoriais na prestigiosa revista Nuclear Physics. Nesse artigo ele apresentou a hipótese de que existiria uma partícula neutra mediadora das interações fracas, 40 a 60 vezes mais pesada do que o pró- ton. A conjectura de Leite Lopes – ori- entada pela busca da beleza nas leis da Natureza – estava muito além de seu tempo e foi um passo importante para a unificação das forças eletrofracas. Seu esforço contribuiu para as pesquisas de três cientistas estrangeiros premiados com o Nobel, em 1979. Na época da ditadura militar, foi acusado de ligação com o comunismo e, exilado, passou a fazer uma carreira de sucesso na Universidade Louis Pasteur, na França. Lopes lutou por incentivos à ciência no Brasil e pela qualidade na formação dos

8 8

alunos e pesquisadores. Foi o idealizador do Projeto SBPC vai à Escola, criado em 1995, no qual pesquisadores divulgam seus trabalhos nas escolas públicas, procurando despertar nos jovens o gosto pela Ciência. Seu trabalho foi reconhecido nacional e internacionalmente. Entre os prêmios colecionados ao longo de sua vida estão a Medalha do Jubileu da SBPC, por serviços prestados à Ciência no Brasil (1973); Medalha da Universidade Louis Pasteur, Strasbourg, França (1986); Medalha de Ouro e o Prêmio Nacional de Ciência Álvaro Alberto (1989); Ordre National du Mérite, pelo Presidente François Miterrand, grau de Officier (1989); e Grã-Cruz da Ordem Nacional do Mérito Científico (1994). Movido por um senso estético tão apurado quanto seu senso ético, Leite Lopes também se dedicou à pintura – para fazer as mãos trabalharem junto com o cérebro, como dizia. Além de desenhos abstratos, gostava de pintar temas religiosos. Leite Lopes dedicou toda a sua vida à criação de um ambiente propício ao desenvolvimento científico no Brasil e à criação de um país mais justo, muitas vezes opondo-se ao poder de forma contundente, sem perder a esperança no futuro.


Ana Maria Fernandes (1948-2018) Ana Maria Fernandes graduou-se em Ciências Sociais, Sociologia e Antropologia pela Universidade de Brasília (UnB) em 1972 e recebeu o título de mestra em Sociologia em 1977, na mesma universidade. Em 1987, defendeu sua tese de doutorado em Sociologia na Universidade de Oxford, no Reino Unido, e, em 1995, concluiu o pós-doutorado no Massachusetts Institute of Technology (MIT), nos EUA, no Programa de Ciência, Tecnologia e Sociedade. Na UnB,

Foto JARDEL RODRIGUES SBPC

foi professora titular por trinta anos, de 1974 até 2003. Em seus últimos anos, atuava como pesquisadora associada sênior sobre temas como educação, desenvolvimento científico e tecnológico, pesquisa, tecnologia e inovação. Por sua inestimável contribuição, recebeu em 2002 o título de Comendadora da Ordem Nacional do Mérito Científico, e tronou-se membro da Grã-Cruz da ONMC em 2007. Seu estudo sobre a comunidade científi-

8 9


ca, a SBPC e o Estado brasileiro foi agraciado em 1988 com o Prêmio de Melhor Tese de Doutorado da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais (Anpocs). A tese se tornou livro, intitulado “A Construção da Ciência no Brasil e a SBPC”, publicado pela editora UnB em 1990, com relançamento em 2009. Na sinopse da obra, o cientista e divulgador científico José Reis descreve que o trabalho de Fernandes “constitui preciosa contribuição à compreensão da ciência no Brasil e ao papel que a SBPC tem desempenhado”. Nascida em 1948, no ano em que a SBPC foi criada, Fernandes também participou ativamente da história desta entidade por muitos anos. Foi secretária regional da SBPC no Distrito Federal, no período de estruturação de criação da Fundação de Amparo à Pesquisa do DF. Entre 2001 e 2003 foi vice-presidente da SBPC, durante a gestão da presidente Glaci Zancan, e, de 2003 a 2005, foi secretária, na gestão do presidente Ennio Candotti.

Elisaldo Luiz de Araújo Carlini Nascido em Ribeirão Preto, Elisaldo Luiz de Araújo Carlini é graduado em Medicina pela Universidade de São Paulo (1957) e tem mestrado em Psico-

9 0

farmacologia, pela Yale University (1962). Ele é professor emérito da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), onde orienta pesquisas de mestrado e doutorado no Departamento de Medicina Preventiva. Carlini tem experiência na área de Farmacologia, com ênfase em Neuropsicofarmacologia, atuando principalmente nos temas drogas, levantamentos epidemiológicos, plantas medicinais e psicofarmacovigilância. Nas décadas de 1970 e 1980, liderou no Brasil um grupo de pesquisa publicando mais de 40 trabalhos em revistas científicas internacionais. Esses resultados, juntamente com as investigações de outros grupos internacionais, possibilitaram o desenvolvimento no exterior de medicamentos à base de Cannabis sativa, utilizados atualmente em vários países do mundo para tratamento de náusea e vômitos causados pela quimioterapia do câncer, para melhorar a caquexia (enfraquecimento extremo) de doentes com HIV e câncer e para aliviar alguns tipos de dores. Tem uma atuação social intensa. Ele é o criador do Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (Cebrid) – um importante fornecedor de informações para a formulação de políticas de educação – e da Sociedade Brasileira de Vigilância de Medicamen-


tos (Sobravime), em 1990. Entre 1995 e 1997 esteve à frente da Secretaria Nacional de Vigilância Sanitária, órgão predecessor da atual Anvisa. Carlini já recebeu diversas homenagens. Em 1979, ele recebeu um documento da Organização Mundial da Saúde (OMS) reconhecendo internacionalmente o mérito dos seus trabalhos científicos. Em 1994, ganhou uma condecoração da ONU e foi convidado a ser membro titular do Conselho Internacional de Controle de Narcóticos das

Foto NAÍSIA XAVIER Fapeal

Nações Unidas. Em 1996, recebeu das mãos do então presidente Fernando Henrique Cardoso a Grande Ordem de Rio Branco. Em 2000, recebeu a medalha Grã-Cruz, a Ordem Nacional do Mérito Científico. Aos 87 anos de idade, 62 deles dedicados à pesquisa, e com mais de 12 mil citações de seus trabalhos em artigos científicos de todo o mundo, o professor foi chamado para depor na polícia de São Paulo, em março de 2018, para prestar depoimento sob a alegação de fazer

9 1


apologia ao uso de drogas, por organizar um simpósio sobre o uso terapêutico da maconha, em maio de 2017. O ato provocou indignação em toda a comunidade científica e, por meio da SBPC, foi organizado um abaixo-assinado com um manifesto em defesa do cientista e

9 2

pela liberdade de pesquisa científica no País. A petição recebeu mais de 35 mil assinaturas e o documento foi entregue pelo ministro do MCTIC, Gilberto Kassab, ao ministro da Justiça, Torquato Jardim.

Foto DERIKY PEREIRA Fapeal


CIÊNCIA, RESPONSABILIDADE SOCIAL E SOBERANIA O legado da 70ª Reunião Anual da SBPC em Alagoas

C A P Í T U L O


E S T I M A T I V A D E

P Ăš B L I C O

C I R C U L A N T E

46.594 De 19 a 28 de julho, nos trĂŞs campi

P A L E S T R A N T E S E

C O N V I D A D O S

19.849

P A R T I C I P A N T E S I N S C R I T O S /

R E G I S T R A D O S


984

T R A B A L H O S A C A D Ê M I C O S A P R E S E N T A D O S

E S C O L A S P R E S E N T E S

260

1.281

1.333.247

T O T A L

D E

V I S U A L I Z A Ç Õ E S S T O R I E S D A

U F A L

D O

E M

3 7 7

I N S T A G R A M


635 T O T A L

D E

M O N I T O R E S

S E L E C I O N A D O S E M

ABIGAIL SANTOS FARIAS

ADELAINE FIRMINO DA SILVA

ADNA JULIANA DOS SANTOS SILVA ALAN RODRIGO DE ALMEIDA LINO

E D I T A L

ROGÉRIO DA ROCHA

ALÉXIA ALVES DE CARVALHO

OLIVEIRA DA SILVA VERISSIMO DA SILVA

ANA PAULA ORICO MARQUES CASSÉ ANCILA MARIA FEITOSA DE LIMA GUSTAVO DA SILVA SANTOS

EMANUELLY OLIVEIRA LAURINDO KAROLLYNE GONÇALVES DOS SANTOS

ANTONIO BRUNO SILVA FARIAS

AURYELLY CAMPOS MATOS PEREIRA

AYLLANA MARIA LEAL SOARES

ANA

ANA MÍRIAN FÉLIX DA SILVA

ANA VALÉRIA DOS SANTOS SILVA

ANDERSON ARTHUR LIMA DOS SANTOS

ANDERSON

ANDRÉA CARLA DE ALMEIDA BARROS

ANDRESSA MICHELLE PALMEIRA DOS SANTOS COSTA ANNE KELLY DE MELO CALHEIROS

ANTONIO CORREIA DA SILVA

ANTONIO LUCAS FERREIRA FEITOSA

AMANDA

ANA IRIS SILVA DOS SANTOS

ANA MARIA MOURA ARAUJO

ANDRÉ LUCAS JANUÁRIO SILVA

ANDRESON SILVA DA PAZ

AMÁLIA

AMYSON JHONATA DA SILVA

ANA RUTE OLIVEIRA DUARTE

ANNA KAROLINNA LAMENHA REZENDE RAMOS

ANTÔNIO LEONEL DE SOUZA NETO

ALVERLAN DA SILVA ARAÚJO

AMANDA GABRIELLA DOS SANTOS NERI

ANA FLÁVIA SILVA LIMA

ANDARLLA RIBEIRO WANDERLEY ARAUJO

ALINE

ALLAN KELISSON

AMANDA PATRÍCIA SANTOS LORENA DE MENEZES

ANA LUIZA GOMES PROFÍRIO

ANDRÉ LUCAS DANTAS VIEIRA LUZ

ANDRELINA MELO DE LIMA GONÇALVES

ALINE JAISLANE DE SOUZA TAVARES

AMAURÍLIO MONTEIRO DA SILVA NETO

ANA PAULA SANTOS DA SILVA

ALEXANDRE

ALICE MIRELLY DE LIMA GUIMARÃES

ALVANDY FRAZÃO SANTOS

ANA CAROLINA TAVARES DOS SANTOS

ANA KAROLINE DA SILVA FERNANDES DUARTE

ALEF DENYS DA SILVA LIMA

ALEX SANDRO DE AZEVEDO

ALLAN DOS SANTOS CIPRIANO

AMANDA FREITAS DE OLIVEIRA

AMANDA MIRELLY FIRMINO DA SILVA

AMANDA TENÓRIO DA COSTA

BEATRIZ DE ALMEIDA LIMA

9 6

ALINE EVELLE DA SILVA LIMA

ALISON WAGNER DOS SANTOS

AMANDA DA SILVA CARDOSO

AMANDA MARIA SILVA DA CUNHA RAFAELA DA SILVA AMORIM

CANDIDO

ALESSON GABRIEL DOS SANTOS

ALLYNE RWTH DE ALBUQUERQUE BARROS

GABRIELA LOPES SANTOS

ALANNE CAROLAYNE LOUREIRO

ALDILENE CLEMENTE DA SILVA

ALEXSANDRA NASCIMENTO FERREIRA

ALINE DOS SANTOS OLIVEIRA

ALINE WANDERLEY BARROS

ADENILTON CICERO SANTOS DA SILVA ÁGATA DOS SANTOS PARANHOS FERRO

ALANE MORAES ALENCAR

ALCIONE NOGUEIRA LIMA

ALESSANDRA SANTOS DA SILVA

ALINE BEZERRA FALCÃO

ADRIANA MONTEIRO GOMES

ALANA GABRIELA BARROS DOIA DA SILVA

ALANY ÍTALA PONTES NASCIMENTO

ALESKA BATISTA DA SILVA

ADEN CHARLES BERTOLDO DE MOURA

ADRIANA LEITE DA SILVA

ANNA ANNY

ANTONIO KLEBSON NOBERTO

ARISTEIA DOS SANTOS FARIAS

BÁRBARA DO NASCIMENTO LOPES PESSOA

ARTHUR NOVAES BÁRBARA GOMES


DOS SANTOS SILVA

BÁRBARA ISIS MARTINS

BEATRIZ COSTA CARIRI

CARVALHO DIAS

BARBARA SHAUANDA NUNES BARBOSA

BEATRIZ DA COSTA VIEIRA

BRENNA PACHECO DA SILVA ALVES

BRUNA BRANDÃO DOS SANTOS

BRUNA MARIA DE ALMEIDA CABRAL

JABORANDY MAIA DIAS

BRUNO CARLOS MONTEIRO

BYANCA LARYSSA DA SILVA

CAMILA MARIA ARAÚJO

AMANDA DA SILVA ALVES

NASCIMENTO

DANDARA ALICE DE ARAUJO SILVA DA SILVA VASCONCELLOS MÁRIO DOS SANTOS

DAVI PORFIRIO DA SILVA

SÁ FERNANDES DE SOUZA CONCEIÇÃO DA SILVA

SILVA

DENISSON CALIXTO BARROS FILHO

DIANA GLEISE DOS SANTOS FERRAZ

DOUGLAS CARVALHO DE AMORIM

EDUARDO HENRIQUE LINS DO RÊGO

PIMENTEL DOS SANTOS

ELINE SOARES FIRMO

EMANUELLA LIMA DOS SANTOS EMILLY CARLA LIMA DA SILVA SANTOS ALMEIDA

FABIANA DOS SANTOS

FABÍOLA MENDES DA SILVA

CARDOSO

FELIPE MANOEL DE OLIVEIRA SANTOS

ROSSELY SILVA ROMEIRO DA ROCHA FLÁVIA FERNANDA SANTOS GOMES MARIO CESAR SANTOS FILHO COSTA LIMA

CANUTO

HARUKO IMAI

GUSTAVO CANDIDO DOS SANTOS

HEBERT JONAS DE ATAIDE TOJAL

FERNANDA RAQUEL CAVALCANTI DE LIMA

FLÁVIO JOSÉ DA SILVA

FLÁVIO JOSÉ MARQUES LINS

HELOISA DE CARVALHO MATOS

GABRIELA NEVES DOS

GABRIELLE SANTOS SALGUEIRO

GIOVANNA BRUNA DOS SANTOS

HALLANA LAISA DE LIMA DANTAS

HELOÍSA LAHINNE LIMA DO NASCIMENTO LOURENÇO

HERLANNE NAYARA DO NASCIMENTO SANTANA

HENRIQUE BRAZ FERREIRA

HILLARY GABRIELA DOS SANTOS OLIVEIRA

HUGO DUARTE CALHEIROS

IANA KARLA DOS SANTOS RIBEIRO

IGOR MATHEUS DE AMORIM SILVA

ANDRESSA DE ALMEIDA QUERINO AZEVEDO ISABELA SOARES GOMES ALVES ISABELLE CABRAL DE MELO NUNES DOS SANTOS

ITALA LETICE PEREIRA LESSA

PATRICIA ROCHA MONTEIRO JAISE FEMININO LIMA

ISABELLA DE CARVALHO LEMOS

ISABELLA MARIA LUCENA SANTOS

JADSON MATHYAS DOMINGOS DA SILVA

JAMILLY SOUZA TENORIO

ISABELLA MELO DE SOUSA LIMA

ISMAELL AVELINO

ISRAEL BRAZ

IZABELLA COLATINO DE LIMA VEIGA

JAIANE DA SILVA ALBUQUERQUE NUNES

JANYNE JANIELLY DINIZ VENTURA

INGRID

ISABEL CRISTINA DA ROCHA COSTA

ISAIANE FERREIRA LIMA DE OLIVEIRA ITALO DENNIS DE OLIVEIRA

IGOR FERREIRA PEREIRA DA

IGOR REINALDO PEREIRA DE SOUZA

IRISLAYNE RHAYNALLA FERREIRA DA SILVA

ISADORA PEREIRA FARIAS

HERMESSON

HUGO TOMÁS PONTES DE OLIVEIRA

IGO ROBERTO MORENO MARQUES DA SILVA

IGOR MICHEL RAMOS DOS SANTOS

GUILHERME

HANDRYELLY KÉRCYA DE PAULA LIMA SILVA

HELVIA MONIQUE MODESTO DOS SANTOS

SILVA

FLAVIO

FRANCIMEIRE DE OLIVEIRA

GABRIELA MENDONÇA RAMOS

GABRIELLA KEREN SILVA LIMA

GERALDO JOSÉ DA SILVA NETO

FERNANDA

FLAVIA EMANUELLY ALVES FRANÇA GOMES

HELOISA VITAL DOMINGOS

IAGO MOURA AGUIAR

FELIPE DE GOIS

FELIPE RODRIGUES DE ANDRADE

FRANCIELLI RIBEIRO SILVA PINTO

GABRIELA LIMA DOS SANTOS

GABRIELA VEIGA WANDERLEY RODRIGUES

FABIANNE NAYRA SANTOS

FELIPE AIMAÁS SOUZA DOS SANTOS MELO

FLAMEL DA SILVA

FLÁVIO CARLOS DE SOUZA SANTOS

EVELINY DOS SANTOS

EVERTON FERREIRA DOS SANTOS

FELIPE MATHEUS DOS SANTOS FARIAS

FRANCIELLE BÁRBARA ROCHA DA SILVA

ÉRICA LARISSA DOS

ESTEFANE FIRMINO DE

FABIANA MILENA FONTES DE OLIVEIRA SOARES

FERNANDA FERNANDES ALVES

GEOVANNE OTAVIO URSULINO DA SILVA

EMÍLIO LIMA ALVES

ERIANNE GOMES DOS SANTOS

EVEM KALINE MELO TOLEDO

FERNANDA SILVA MONTEIRO

GABRIELA FERREIRA DE SOUZA

SANTOS SILVA AMORIM

EMANUEL VIEIRA NOBRE

EMIDIO DAVID DA SILVA ALBUQUERQUE FERRAZ

EURÍDICE JANAÍNA FERREIRA DE CARVALHO

FANY PEREIRA DE ARAÚJO SOARES

FERNANDA ALMEIDA CARDOSO CAVALCANTE

ELISÂNGELA SABINO DA SILVA

ERNANDA MARIA DOS SANTOS BATISTA DE AMORIM

ESTEFANY CHRISTINA SOARES DE CARVALHO

EFRISIA

ELENILTON LESSA SILVA DOS SANTOS

EMANOELLY CALDAS DE OLIVEIRA

EMILLY MARGARETI LIMA RODRIGUES DE BARROS

DIOLYNE DA

EDJA FELICIANO

EDVAN DOS SANTOS SILVA

ELISABETH DOS SANTOS BARRETO

ELIZIANE MARIA DOS SANTOS

EVELYNNE LETÍCIA DOS SANTOS FARIAS CARDOSO DE BARR

ALVES

EDJA DOS SANTOS

ELEN BATISTA DANTAS

DEIVIDSON

DHANDARA LUCYMILLA

DIOGO ALVES DO NASCIMENTO

EDUARDO JORGE LEÃO BARBOSA DE LIRA

ERMANS QUINTELA CARVALHO

DÉBORA MELO LOPES

DENNIS CAVALCANTI RIBEIRO FILHO

DIEGO JORGE DA SILVA

DÁRIO

DAVI JONATAS

DEBORAH SILVA VASCONCELOS DOS SANTOS

EMANUELLY CAROLYNE MARQUES DE FARIAS NANES

FABIANA DA SILVA SANTOS SAORES

DAVI DA SILVA PIMENTEL

EDÉSIO ANTONIO FERREIRA DOS SANTOS

ELIS NAYARA LESSA DE BARROS

DANIELLY MOREIRA CORREIA

DARA MARIA ALVES MELO

DAYSIANNE BRAGA FERNANDES

ELAINE LUIZA SANTOS SOARES DE MENDONÇA

ELIVELTON RICKSON DA ROCHA

OLIVEIRA LIMA

DARLAN ACIOLI DA SILVA

CLEANE LACERDA DO

CYNTHIA ROCHA RIJO MARTINS

DANIELLE ESTACIO MARIANO

DAVID FARIAS SILVA

CICERA

CLAUDIA CECÍLIA SILVA DOS SANTOS

CLAUDIA PATRICIA DA SILVA GOIS

DÉBORAH IVENE ALMEIDA PEREIRA

CARLOS

CAROLINA CONDE E SÁ

CIBELLE DE MELO BASTOS CAVALCANTE

DANNYELLE SHYRLEY DOS SANTOS DA SILVA

DÁRIO ROSALVO CORREIA DE SOUZA

AVELINO CLEMENTE

CARLA BOMFIM SILVA

CRISTIANO DA SILVA SANTOS

DANIELA CALUMBY DE SOUZA GOMES

DANILO NOBRE DA SILVA

DÉBORA VASCONCELLOS CAVALCANTI

SILVA BARROS

CLETIA DA SILVA SANTOS

BRUNO

CAIRO CHESEMAN MARTINS GONZAGA JÚNIOR

CINTIA GOMES DA SILVA

CLAUDIA MANUELA SANTOS CALADO

CLESIVALDO DA SILVA

BRUNA FREIRE CARDOSO

CARMELITA MARIA GOMES

CHRYSLANE BARBOSA DA SILVA

CICERO JACINTO DA SILVA NETO

CLAUDIA DENISE SACUR MARQUES

BRUNA DE LIMA ISMAEL

CAMILLA PESSOA BARROS BIBIANO

CARLOS HENRIQUE DE CASTRO NOGUEIRA

CATARINA VICTÓRIA PEREIRA MOTA DA SILVA

BEATRIZ CARVALHO DA BRENDA IRACI SOUZA DE

BRUNO EDUARDO BASTOS ROLIM NUNES

CAIO LAMEQUE DA SILVA COSTA

CAMILA PEREIRA DE LIMA CHICUTA

HENRIQUE ARAÚJO DE OLIVEIRA

BEATRIZ ALVES RIBEIRO

BLENDA LORRAINE DE OLIVEIRA MACHADO

JAQUELINE LIRA DA SILVA

JACIRA

JAILSON RODRIGUES JARBIANE GOMES DO

9 7


NASCIMENTO

JAYANNE MAYARA MAGALHÃES DE MELO

ONOFRE DE OLIVEIRA BEATRIZ DANTAS

JENIFFER MCLAINE

JÉSSICA DA CONCEIÇÃO DA SILVA

LUCIANE NASCIMENTO SANTOS

FRANCISCO

JOÃO VICTOR SANTOS SILVA

JOICY JOVELINA OLIVEIRA SOARES

JOSÉ DOUGLAS SOARES DE CARVALHO

PEREIRA DE LIMA

JOSENILDA RODRIGUES DE LIMA

LIMA

JUCENIR DOS SANTOS

JULIANA BORGES DE OLIVEIRA

DE ALMEIDA

ATAIDE

KAROLINE MARIA DE MELO FERREIRA

DA SILVA

KATIELLE MENEZES DE OLIVEIRA

CRUZ FRANÇA

KEROLAYNE AGUIAR GOMES DA SILVA LEANDRO ALVES DOS SANTOS CARVALHO VERÇOSA DIAS DA SILVA PEREIRA

LARA LAIS DE LIMA MONEZI

LARISSA BRITO DANTAS

LARISSA DA SILVA SANTOS SANTOS CORREIA

AURÉLIA FALCÃO DE LIMA CAVALCANTE LIMA OLIVEIRA

LEILA SANTOS OLIVEIRA

CORREIA

LUCAS ALVES DA SILVA SANTOS

DOS SANTOS MEDEIROS LUCIANO LUIZ ARAUJO

LUCAS FERREIRA COSTA

MOREIRA SANDES CAVALCANTI DA SILVA

SILVA

MARCOS GLEYSSON SILVA DO NASCIMENTO

MARIA AGDA CORREIA LEMOS

NASCIMENTO SOUZA

FORTALEZA DUARTE

MARIA JULIANA EMILIANO ANDRADE

MARIA NATIVA MATIAS RODRIGUES

MARIA VITORIA DA SILVA COSTA ALMEIDA BARROS

MARÍLIA INÊS OLIVEIRA BELO

GARRIDO

MAURÍCIO LEODINO DE BARROS SILVA

MAYARA FRANCINI LOOZE

MARINHO

MAYARA SUZY SANTANA CAMELO

MAYRES LANE PEQUENO DOS SANTOS SILVA

9 8

MAXDOUGLAS DOS SANTOS

MAYKON WANDERLEY LEITE ALVES DA SILVA

MARNEY SILVA

MATHEUS CORRÊA DA SILVA

MAYARA MONIQUE MELO DA SILVA

MEIRIELLY KELLYA HOLANDA DA SILVA

MARÍLIA VÂNIA RIBEIRO

MARINÊS MARIA DOS SANTOS

MARYLLYA FONSECA COSTA MATOS

MAYARA MARIA DOS SANTOS

MARIA TEREZA DA SILVA

MARIÂNGELA MARTINS DE

MARÍLIA SARMENTO BEZERRA

MAURÍCIO THIAGO GONÇALVES DE ALMEIDA

MARIA JULIA CABRAL

MARIA KAROLINE FERREIRA DOS SANTOS

MARIA TATIANE TEIXEIRA DA SILVA

MARINA COUTO DA COSTA

MARIA

MARIA DANIELLA

MARIA GABRIELA LIMA CORDEIRO DE CASTRO

MARIANA SILVA GOIS DE ALMEIDA

MARILIA MELO DO NASCIMENTO

MARTIN RAMALHO DE FREITAS LEÃO REGO

MARGE RUFINO NASCIMENTO DA SILVA

MARIA JUCIMARA BARROZO DOS SANTOS

MARIA RAFAELA DA SILVA

MARILY OLIVEIRA BARBOSA LLIMA DA SILVA

MARCONE GOMES DOS

MARIA ARLETE ROMEIRO DOS SANTOS

MARIA KARIELLE SILVESTRE DA SILVA

MARIANA DE BARROS DLUMOU

MAELE

MANOEL SANTOS

MARCOS FELIPE GONZAGA DA

MARIA CRISTINA FERREIRA SILVA PIRES

MARIA ERIVANDA CASTELO MEIRELES

MARIA JUCILEIDE DA SILVA

LUCAS

LUIZ TENÓRIO FILHO

LYZANDRA SANTOS DA SILVA

MÁRCIA LAURINDO FEITOSA

MARCOS VINICIUS FERREIRA MATIAS

MARIA CLARA COSTA DOS SANTOS

MARIA DEISE PEREIRA

MARIA JISELE DOS PASSOS SANTOS

LUCAS DA SILVA FRANÇA

LUCIANE CRISTINE DOS SANTOS ARAÚJO

MARCOS CEZAR PITOMBO DA SILVA JUNIOR

MARIA APARECIDA FERREIRA DO SANTOS FEITOSA

BETHÂNIA RODRIGUES DE SOUSA

LIZANDRA DE ALBUQUERQUE

MANOEL GUSTAVO PARANHOS DA SILVA

MÁRCIA KELLY MARTINS DE OLIVEIRA

MARCOS ANDRÉ TRINDADE DA SILVA

LILIANNY QUERINO ROCHA DE

LUIZ PINTO DA SILVA NETO

LYVIA BARRETO SANTOS

MAILDE JESSICA LIODORIO DOS SANTOS

MARCELO BARANDELA ABIO

SANTOS ALCÂNTARA

LUIS HENRIQUE DE LIMA

LEILA

LEVI ALMEIDA

LUANA CRISTINA CAVALCANTE TORRES

LUCAS AUGUSTO DOS SANTOS SILVA

LYLYAN EMANUELLE DE JESUS MELO

LARISSA VANESSA

LETÍCIA BEZERRA SILVA

LÍVIA FERREIRA FEITOSA

LUCAS HENRIQUE SANTOS BARBOSA

LUCINELMA DOS SANTOS SILVA

LYARA CHAGAS DE MENEZES

LARISSA ANARELY

LARISSA DA SILVA OLIVEIRA

LAYSSE NUNES SAMPAIO

LICIA KARINE ALVES PEREIRA

LUANA CAVALCANTE PINHO

KLEVITON

LARA CECÍLIA DE

LARIOS NELCAEL MENSAH

LARISSA COSTA SANTOS

LARISSA GOUVEIA CASTOR DA SILVA

LÍSIA FERNANDA DE SÁ FERREIRA

LOUISE TATIANE SANTOS DA SILVA

LUANA DA SILVA ACIOLI

KEVEM KAINÃ BARBOSA SANTOS

LEONARDO FABRICIO TAVARES DA SILVA

KEILANE

KEROLAINE DOS SANTOS COSTA

LAYS LEITE DE QUEIROZ SIQUEIRA

LEYLLANNE KATHARINNE ARAUJO DE SOUZA

KATIANE MORAES

KEDYNA LUANNA TAVARES BEZERRA

LARICIA BARBOSA DA SILVA

LARISSA FERNANDA ALMEIDA COSTA MELO

LINDINALVA DOS SANTOS

KÁTIA TAMARA LEITE BARRA

LARA BEATRIZ PEREIRA FERRO

LARISSA CARLA DE ALMEIDA SILVA

LAURICLEIDE DOS SANTOS ALBUQUERQUE

KAROLAYNE DE OLIVEIRA VERÇOSA

KELLY RODRIGUES MOTA

LAIZE FERREIRA DOS SANTOS

JÚLIA SANTOS

JULYA MYRELE ROSENDO

KARINE LUANA AMORIM BRAGA

KARLA JULIANA CORDEIRO COSTA

KETLENN FRANCIELLEN OLIVEIRA DE LIMA

LAÍS LIRA LISBÔA

JOYCEANE ALVES DE OLIVEIRA

JÚLIA DE SOUZA VIEIRA

JULIO GLADSTON RIBEIRO SANTOS

KATHYANY SANDRYELY DE FARIAS

JOSÉ RICARDO

JOSEFA ÉRIKA SATURNINO DA SILVA

JOYCE NAYANE RODRIGUES DA SILVA

KELLY IANARA LIMA DE MELO

JOSE ESMERINO

JOSÉ MANOEL SIQUEIRA DA SILVA

KEDMA AUGUSTO MARTINIANO SANTOS

KELLY BARBOSA DA SILVA

JOSÉ ALISSON DA

JOSÉ ELISSON SANTOS DA SILVA

KAMILA MONIQUE FERREIRA DOS SANTOS

KARINNE DUARTE TEIXEIRA

JOHNNY FERREIRA DE LIMA

JONHN LENO MARIANO DE LIMA

JULIA DANTAS FERREIRA DE MORAES

KADJA LUANA CHAGAS MONTEIRO

KARINE NASCIMENTO CHAVES

JOÃO PEDRO SILVA

JOSE WILLAMES DA SILVA SANTOS

JULIANA RODRIGUES DA SILVA

JÉSSICA

JOÃO PAULO SABINO DA ROCHA

JOELMA TRAJANO DOS SANTOS

JOSÉ LUIZ ATAIDE DE OLIVEIRA

JOSINALDO SANTOS DA COSTA

JOZEF CÉSAR VRIJDAGS DACAL

JÉSSICA

JEYSSIELLE GOMES DOS

JONATHAN NUNES DE SOUZA

JOSE WELLINGTON DA SILVA CORREIA

JEFFERSON

JÉSSICA ALBUQUERQUE SANTOS

JÉSSILA DOS SANTOS BELO

JOSÉ ELISIO DOS SANTOS JUNIOR

JOSÉ JAILSON LIMA BEZERRA

LOPES FERREIRA

JEANE CAROLINE DA SILVA MELO

JÉSSICA KALLINY PEREIRA DOS SANTOS

JESSICA NEIVA ALPINO

JOÃO PAULO MARQUES FERREIRA

JOÃO RAPHAEL LIMA AVELINO

SILVA

JÉSSICA DE LIMA SANTOS

JÉSSICA MALAQUIAS DA SILVA

JHULIA LARISSA PINHO FELIX

COSTA

JEAN TIAGO CORREIA LIMA

JERSICA FLORINDO DE ARAUJO BARROS

MAXUELL MISMAEL DA

MAYARA SUELLEM DOS SANTOS

MAYKSON DOUGLAS SANTOS DA SILVA

MEIRY LANUZZE SANTOS SILVA

MICHAELLE


PRISCILA SOUZA DE MIRANDA

MICHELE JANAINA DOS SANTOS CARDOSO TABOSA

SUELY SILVA DOS SANTOS MILEYSE DA SILVA ACÁCIO SANTOS ROCHA

MONIK TAMIRES SILVA SANTOS

MORGANA CAROLINA DOS SANTOS GONÇALVES CAVALCANTE SANTOS

MYLENA JARDEL SILVA

PATRICIA BRANDÃO BARBOSA DA SILVA SILVA

PAULA VALERIO LIMA

SILVA

ALVES FON

PAULA DA SILVA MARIANO

PRISCILA LAIZ DE SOUSA RAMOS

OLIVEIRA GUEDES DE MELO

RICARDO CORDEIRO DE LIMA

RIKELLY RODRIGUES DANTAS

ROBERTA DOS SANTOS SODÓ

RODOLFO FELIPE LOPES MIRANDA

RÍLLARY RODRIGUES MONTTEIRO

ROSANE FERREIRA GRACINDO

ROSANGELA JACINTO CABRAL

ROSETANIA LOPES PEREIRA

RUAN VICTOR AMARAL OLIVEIRA

SAMARA ARAUJO MORAIS

SAMARA JULLEN FEITOSA LUNA

DE OLIVEIRA TENÓRIO SARAH MORAIS BEZERRA

FERREIRA DA SILVA ASSIS

SILVIA AFONSO DE SOUSA

ALVES ROCHA DA CRUZ CAMPOS LEITE

TAMIRIS DE SOUZA XAVIER

TENÓRIO SALES

THAILA MYRELLA LEITE ALVES DE OLIVEIRA THALIS FILIPE FIRMINO DA SILVA THATIANE BALBINO DO EGITO THAYZA TORQUIA SILVA

THAISY GOMES ACIOLI

THAUANY ALVES PASTOR

VITÓRIA BEZERRA TENÓRIO

VIVIAN MAYARA DA SILVA BARBOSA

FAGNER SOARES DOS SANTOS SILVA

THAYAN CORREIA DA SILVA

VIVIANE BORGES DE MELO

TARLANE GOMES

TERCIO CALAZAN

THAMIRES RIBEIRO DA SILVA

THAYNNE VITÓRIA OLIVEIRA DOS SANTOS TÚLIO ISMAEL SOUZA DE ARAÚJO

VANESSA PAULINE FRANCYELLE FERREIRA DAS NEVES VICTÓRIA COSTA

VINÍCIUS ANDRÉ DA SILVA SANTOS

VITORIA REGIA DA SILVA ACCIOLY VASCONCELOS

WANNESSA DE CARVALHO ALVES

WILAMIS MICAEL DE ARAUJO AVIZ

YAGO LUIZ GODEZ

YASMIN PATRICIA DOS SANTOS FARIAS CARDOSO DE BARROS

WESLEY OLIVEIRA DE ASSIS

WILL ERICSSON MARINHO DA SILVA

WILLIANY DOS SANTOS SILVA

YAGO JOSÉ CUNHA CURVELLO

TAINÁ

TAMIRES DE

THALIA BIANCA GUEDES DE SOUZA

TIAGO WALLACE DA SILVA BARROS

VANESSA SANTOS CAVALCANTE MELO

WILLAMYS DA COSTA MELO

WILTON PETRUS DOS SANTOS

VIEIRA DA CRUZ

TELIANE LIMA BAPTISTA

THALES JOSÉ DE LIMA BELÉM

VITÓRIA CRISTINA PEREIRA DE OLIVEIRA SILVA

WESLEY RODRIGO ARAUJO SANTOS FERREIRA

TAMARES ANDRADE DA SILVA

THAMIRES DE FÁTIMA SILVA ARAÚJO

VANESSA DA ROSA DELABARI BRANCÃO

VANESSA PEREIRA GONÇALVES DE SOUZA

STHEFANY DÉBORA HENRIQUE DA SILVA

TARCICLEIDE DOS SANTOS SILVA

TATIELLE PEREIRA SILVA

THALISSON DE ARAÚJO MATOS

SILMARA FARIAS

SORAYA ELIANA SANTOS DE

TAIANE LARA SILVA DO NASCIMENTO BARRETO

TALIA FARIAS DE OLIVEIRA

THIANNE LOURENA CARDOSO ROQUE

VALDIR GOMES DA SILVA

SIMONE PAES BASTOS FRANCO

TANÍSIA CONCEIÇÃO DOS SANTOS

TATIANNY DOS SANTOS CASSIANO

SEVERINO ALVES DA SILVA

SILAS DA SILVA SANTOS

STHÉFANY CAROLINA DE MELO NOBRE

SANDREANE

SARA SOUZA PEREIRA

SÉRGIO HENRIQUE DA SILVA ARAÚJO

SUIANNE OLIVEIRA DOS SANTOS CAJÉ

TAISA MARIA NUNES DONATO

ROSENILDA ALVES DA SILVA

SABRINA AMBRÓSIO DE LIMA SOUZA

SAMUEL DE OLIVEIRA RODRIGUES

SILAS DA SILVA FERREIRA

SILVIA LETÍCIA DA SILVA

STEFANY KAROLINE DE ALMEIDA SOARES

STHEFFANY CAROLINA DA SILVA LÓZ

RUTE DE JESUS MATOS

SARA GRAZIELE DA SILVA ROCHA

SAVYLA FRANCIELE SOARES SILVA

RÔMULO MIGUEL LIMA DOS

ROSANA TACIANA PORTELA NICÁCIO DOS SANTOS

SAMAYSA DE LIMA LINS

SHIRLANE VALERIO NOGUEIRA

ROBSON DOS SANTOS ALMEIDA

RODRIGO ROCHA VIEIRA

ROSE MISTICA DA SILVA FERREIRA

SARA DOS SANTOS NASCIMENTO

RENATA

RHUAN CARLOS SILVA LEITE

RIQUELE VITAL DOS SANTOS SILVA

ROBERTA RAYLINE FERREIRA DOS SANTOS

ROSANA RODRIGUES DOS SANTOS

RAPHAEL DE

RAYANE MEDEIROS DOS SANTOS

REGINA DA SILVA ACÁCIO MELO

RERISSON KAIQUE DE OLIVEIRA VALENTIM

RODOLFO WAGNER VIEIRA LEITE MOREIRA

RONALD CARDOSO DOS SANTOS NETO

RAFAEL DIEGO JAIRES DA SILVA

RAMON DA SILVA SOUZA

RAPHAELA TEREZA LIRA ALENCAR CALHEIROS

RAYANNE SANTOS DE ALMEIDA MENDONÇA

RENATA SOUZA FERREIRA

SHARA ELAINE DA SILVA

RAFAEL ALVES ALENCAR

RAISSA FEIJÓ TAVARES

PEI SHUNG BEZERRA

POMY DE CÁSSIA PEIXOTO KIM

RAYANE FERREIRA DA SILVA RAYANE LARISSA DE MELO VIANA

GUILHERME CÂNDIDO DA SILVA

SANTOS

PAULO ROBERTO LIMA DA

PEDRO MATHEUS JOSÉ GODOY

RAPHAEL VON SOHSTEN DE ALBUQUERQUE TORRES LIMA

RAYANNE CAROLINE DA SILVA AMORIM

ROBERTA DE LIMA SILVA

PÂMELA KAROLINE LINS ALVES PAULA GEOVANA GOMES DA

POLLYANNE CHRISTINE RODRIGUES FREIRE

RAIMUNDO NONATO MAIA JUNIOR

RAWELLY DE OLIVEIRA GONÇALVES

NIVEA KELLY SANTOS DA SILVA

PAULO RICARDO DOS SANTOS CORREIA

QUÉZIA MICAELLE DE OLIVEIRA TEIXEIRA

RAIANE NASCIMENTO DE JESUS

NATALIANA DA NATHAN ARAUJO

PAULA GABRIELLE FERREIRA BRAGA

PEDRO HENRIQUE PEREIRA COSTA MOURA

PHILIPI ACCETE NICÁCIO PLÁCIDO

NATÁLIA ALMEIDA DE

NATHÁLIA OLIVEIRA DE AMORIM

ODETE THAÍS FREITAS ALVES DE MELO

PAULIANA OLIVEIRA DOS SANTOS

PEDRO ALEIXO SOARES

NARAYANA SANDES SILVA

NEUTEL DAXO ALENCAR NETO

NYKHOLLE BEZERRA ALMEIDA

MYRNA ELIS FERREIRA

NATÁLIA VIEIRA DA SILVA TAVARES

NATHÁLIA CRISPIM MILANÊS

NAYARA ALEXANDRA RODRIGUES DA SILVA

NORAH COSTA GAMARRA

MYLENA DOS SANTOS

MYRIAM KAROLAYNE SOARES VIEIRA

NATÁLIA MENDES DE MELO

MICHELLE MOISÉS DOS

MONYQUE DA SILVA ALVES

MYLENA AMY DE OLIVEIRA

NAILE ROBERTA LIMA DOS SANTOS

NATHALIA CHRISTINA LOPES FLORES

DE MELO

MONIQUE VIVIANE GALVÃO ALBUQUERQUE

MYRELLA VIEIRA DA SILVA

NATALIA CAMILY RODRIGUES DE FREITAS

SILVA SOUZA

MIRELLE PATRINE ARAÚJO SANTOS

MYCHELLE RAMOS DOS SANTOS

NADYNE LETÍCIA LISBÔA CHAGAS

OLIVEIRA

MICHELLE BULHÕES DE MENDONÇA

MIRELLA DOS SANTOS REIS

WILLAMS

WILMA KARLLA AZARIAS FLORENCIO DA YARA LIMA DA COSTA

YURY REIS

YASMIN MARIA

ZAINE RAFAEL DOS SANTOS

9 9


IDENTIFICAÇÃO DAS IMAGENS

P. 31 Monitor em ajustes finais no setor de pôsteres Renner Boldrino/Ufal

Estande Alagoas Deriky Pereira/Fapeal

P. 32 e 33 Estande ExpoQuímica, do grupo de pesquisa e extensão QuiCiência, do Instituto de Química e Biotecnologia (IQB) da Ufal Renner Boldrino/Ufal

P. 50 e 51 Simulador de solda, no estande do Sesi/Senai Renner Boldrino/Ufal

P. 34 e 35 Sessão de pôsteres Jardel Rodrigues/SBPC P. 37 Alunos da rede municipal de Maceió adentram a ExpoT&C Renner Boldrino/Ufal P. 38 e 39 Doutor Geninho, o mascote da CT&I em Alagoas, durante premiação da ExperimentAL Naísia Xavier/Fapeal P. 40 e 41 Exposição da Agência Espacial Brasileira (AEB), na Tenda Jovem da ExpoT&C Renner Boldrino/Ufal P. 43 Idosa experimenta equipamento interativo do Instituto de Engenharia Nuclear (IEN) Jardel Rodrigues/SBPC P. 44 e 45 Frank, o dinossauro. Mascote do Museu de História Natural da Ufal. Renner Boldrino/Ufal P. 46 e 47 Alunos do Sesi em atividade de Robótica Manuel Henrique/Ufal P. 48 e 49 Aluno da rede pública estadual interage com peixe-morcego (Ogcocephallus vespertilio), em realidade aumentada, no espaço “Fundo do Mar” do

1 0 0

P. 52 e 53 Projeção imersiva no Estande Alagoas, com vídeo de conscientização sobre questões ambientais Naísia Xavier/Fapeal P. 54 e 55 Alunos da rede privada de Maceió, no espaço lúdico “Agreste”, do Estande Alagoas, em atividade de educação científica da Secti-AL Renner Boldrino/Ufal P. 56 e 57 Venda de artesanato no Campus A.C. Simões Deriky Pereira/Fapeal P. 59 Ministro da CT&I Gilberto Kassab, Ildeu Moreira e Mário Mascarenhas, em debate Manuel Henrique/Ufal P. 6 0 Fábio Guedes Gomes, Marcelo Morales e Mário Neto Borges conferem publicações da Imprensa Oficial Graciliano Ramos, na área social do Estande Alagoas Naísia Xavier/Fapeal P. 6 1 Estande da SBPC na ExpoT&C, com exposição digital interativa sobre a história da instituição Renner Boldrino/Ufal P. 6 3 Estudantes de Artes protestam, em espaço do Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS)


Renner Boldrino/Ufal P. 65 Professor Vagner Bijagó, de Guiné Bissau, egresso e docente da Ufal, em palestra na SBPC Afro e Indígena Manuel Henrique/Ufal P. 66 e 67 O neurocientista Sidarta Ribeiro participa de roda de música afro-brasileira em aula de dança na SBPC Afro e Indígena Manuel Henrique/Ufal P. 68 e 69 Menino indígena, em atividade da SBPC Afro e Indígena, no Campus A.C. Simões, em Maceió. Manuel Henrique/Ufal P. 7 0 e 7 1 Alguns dos mestres homenageados, na entrada da Reitoria da Ufal, no Campus A.C. Simões. Deriky Pereira/Fapeal

P. 85 A sanitarista Maria José Castro d’Almeida Lins apresenta homenagem in memoriam a Nise da Silveira Jardel Rodrigues/SBPC P. 87 O físico Ildeu Moreira apresenta homenagem in memoriam a José Leite Lopes Jardel Rodrigues/SBPC P. 89 A socióloga Fernanda Sobral apresenta homenagem in memoriam a Ana Maria Fernandes Jardel Rodrigues/SBPC P. 9 1 O médico Elisaldo Carlini foi um dos homenageados durante a abertura da 70ª Reunião Anual da SBPC Naísia Xavier/Fapeal P. 9 2 Movimento no Estande Alagoas Deriky Pereira/Fapeal

P. 7 3 Apresentação cultural no palco do Teatro Gustavo Leite, durante cerimônia de abertura da 70ª Reunião Anual da SBPC, no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso, em Maceió. Jardel Rodrigues/SBPC

P. 102 e 103 Marca comemorativa dos 70 anos da SBPC, na entrada da exposição digital interativa sobre a história da instituição, na ExpoT&C Renner Boldrino/Ufal

P. 7 4 e 7 5 A Cia do Chapéu em apresentação sobre a espécie de ave mutum-de-alagoas ou mutum-do-nordeste (Mitu mitu), no espaço lúdico “Agreste”, do Estande Alagoas. Deriky Pereira/Fapeal

FOTO DE CAPA Escultura em palito de fósforo do artista Arlindo Monteiro.

P. 7 6 e 7 7 Exposição no estande da Prefeitura de Maceió/Secretaria Municipal de Educação (Semed) Manuel Henrique/Ufal P. 7 9 Visitante da ExpoT&C em uma das incontáveis atividades interativas ofertadas ao público. Renner Boldrino/Ufal P. 81 A jornalista Lenilda Luna, da Assessoria de Comunicação da Ufal, entrevista Marcelo Turine, reitor da UFMS e anfitrião da 71ª Reunião Anual da SBPC, em Campo Grande. Renner Boldrino/Ufal P. 82 Público na abertura da SBPC Educação, em 19 de julho, no Campus A.C Simões, em Maceió. Renner Boldrino/Ufal

1 0 1


Foto RENNER BOLDRINO Ufal


A Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) é considerada um dos maiores eventos científicos da América Latina. Conta com a participação de representantes de sociedades científicas, autoridades e gestores do sistema nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação. É uma importante ocasião para a difusão dos avanços nas diversas áreas do conhecimento e um fórum de debates de políticas públicas. A 70ª Reunião da SBPC foi realizada na Universidade Federal de Alagoas (Ufal) entre os dias 22 e 28 de julho de 2018. Esta publicação conta um pouco das histórias que fizeram desta edição um evento tão especial e significativo para Alagoas.

Profile for Fapeal

Ciência, responsabilidade social e soberania : o legado da 70ª Reunião Anual da SBPC em Alagoas.  

O legado da 70ª Reunião Anual da SBPC em Alagoas.

Ciência, responsabilidade social e soberania : o legado da 70ª Reunião Anual da SBPC em Alagoas.  

O legado da 70ª Reunião Anual da SBPC em Alagoas.

Profile for fapeal.br
Advertisement