Issuu on Google+


Se essa rua fosse minha... Nessa Fanzine mostraremos os dois lados do Street Wear, Wear, O lado fashion e o lado mais descolado. O Street Wear vem crescendo, estilistas ficam antenados na moda das ruas para buscar inspiração para criarem novas coleções. Na última década, os olhos dos “fashionistas “fashionistas” fashionistas” saíram das passarelas e se voltaram para as ruas das grandes cidades. Não se sabe ao certo se a moda invadiu a rua ou a rua invadiu a moda, mas uma coisa é certa: o cenário “street “street fashion” ganhou força e cada vez mais colore o cinza das cidades.

Hoje as tendências nascem com as pessoas e são nelas que os estilistas buscam inspiração. O reflexo do diadia-a-dia é o que influencia homens e mulheres na hora de escolher o que vestir. Esse estilo vem sendo muito divulgado em filmes, musicas e até em novelas onde esse estilo vem “invadindo” áreas que antes não aceitavam ser associados ao mundo das ruas. A partir disso, viajaremos no mundo dos skatistas mostrando lugares onde você pode andar de skate, dicas de lojas que vendem esse estilo de roupa, acessórios que eles utilizam, eventos e campeonatos de skate, enfim tudo o que tem a ver com eles. Tem também uma super entrevista com a skatista e estilista Karen Jonz.


Karen Jonz Dificuldades no esporte Considerada a principal skatista feminina do Brasil, Karen diz que são muitas as dificuldades para praticar o esporte por aqui. Entre as principais, segundo ela, estão a falta de lugares adequados para treinar, pois muitas ruas são malmalconservadas,, além do alto custo do esporte, visto conservadas que as peças e os skates importados são muito melhores, mas, quando chegam ao país, se tornam extremamente caros. "O acesso para ter um skate bom é difícil, principalmente pela falta de patrocínio e investimento". Para quem ainda não conhece Karen Jonz, de 26 Na opinião de Karen, o mercado é bem mais organizado no exterior. Nos Estados Unidos, de anos, damos vários motivos para virar fã dessa garota de atitude. Considerada a melhor skatista acordo com ela, os empresários sabem a do Brasil, ela é uma desbravadora do esporte no importância de se investir numa equipe de skate, país. Com tanta experiência no assunto, a skatista que vai ser o coração da marca e irá representar estreia como apresentadora de um programa de o nome da empresa. "Aqui, os skatistas são vistos como despesa, e não como o investimento que esportes radicais, o Jam, exibido pela Mix TV são. Os empresários querem pagar 300 reais para o moleque e aí vira uma bola de neve, porque o A paixão pelo skate começou na adolescência. cara vai ter que parar de treinar para trabalhar e não se dedica o tanto que pode". Karen Jonz nasceu em Santos, no litoral paulista, mas se mudou para a cidade de Santo André (SP), onde vive até hoje, ainda criança. Na época em que viveu na praia, ela pegou o gosto pelo surf, mas como o mar não sobe a serra, Karen começou a curtir outros esportes também, como futebol, handebol e basquete. O interesse pelos skates surgiu somente aos 16 anos. "Do nada, me deu uma vontade. Então, fui até a loja sozinha, comprei e montei meu equipamento. Nunca dependi de ninguém para fazer nada na minha vida". Garota de atitude, não? Num meio lotado de meninos, Karen diz que nunca sofreu preconceito dentro das competições e que sempre foi muito respeitada. Segundo ela, a paquera também é bastante controlada entre os próprios skatistas. skatistas. Apesar de concordar que até rola azaração azaração,, ela diz que não é uma garota que fica dando mole. "Eu convivo com esse meio o dia inteiro, e se ficar dando mole para todo mundo, ninguém vai me respeitar", explica. "Não estou na pista para paquerar, mas sim porque gosto de andar de skate".


Super entrevista com a Rainha do Skate vert. vert. Como chegou andar de sk8? Teve repressão? Nunca, comecei porque quis, sempre foi uma coisa normal. Eu sempre aceitei tanto a coisa que ninguém quis ser contra. Quem é Karen? Que ela faz no dia / dia? Fico pensando no que é certo e tento fazer o menos possível, diminuir o ritmo pra ir contra a natureza. Huehue luto contra a loucura diariamente O que gosta de fazer fora do skate, Hobbies? Pintar, desenhar, ler, ver filme, cinema, exposições, jogar pólo pólo,, críquett, críquett, golf golf,, tocar, brincar com o Bufa, tomar sorvete, estourar bolinha de plástico, roer unha, ficar na internet, escrever, e principalmente me divertir fazendo nada. Acho que você descobre quando se da bem com alguém quando da risada com a pessoa quando não tem nada acontecendo. acontecendo Na parte repórter, qual seu futuro? Que pretende? Ná Ná....haehuea haehuea,, foi só de zoeiras, sou meio indisciplinada pra certas coisas. Acho que por isso me dei bem com skate. Mas gostei bastante de fazer, se surgir outra oportunidade assim abraço com certeza. Quais meninas que você acredita no futuro do Sk8? Lacey Baker, Karen Feitosa, Feitosa, Letícia Bufonni. Bufonni. Tenho visto umas pivetinhas que me deixam feliz. Mas o negocio é que não pode parar. Lá na Tent mesmo, colam varias, ai quando eu começo a ficar feliz elas somem...huehhaue somem...huehhaue Campeonatos qual mais lhe agradou? OS de iniciante!

Andou fazendo grafites, isso vem do seu lado Design? E como é sua vida de Design? Grafite, não parei nem nunca comecei. Gosto de pintar em qualquer lugar, no estúdio, na rua, do meu jeito no meu tempo. Cada um chama do jeito que quer. AH é, to com um estúdio agora, porque queria me dedicar mais pra arte em geral e não tava conseguindo. O espaço me faz produzir mais com certeza. É uma atividade paralela, tenho feito vários trampos um emendando no outro mal consigo conciliar. To produzindo uma série de camisetas pra Vibe Vibe,, acabou de entregar uma série de ilustração pra Fluir..Mas acho que tudo isso vem das coisas não comerciais. Faço por fazer e às vezes vira alguma coisa. E tem as paralelas das paralelas, o vídeo, a banda. Experiências que você adquiriu com tantas viagens para fora do Brasil? Putz Putz,, que o Brasil é um dos melhores lugares pra morar, que eu falo inglês bem, que quero aprender alemão e francês, comi varias comidas, conheci lugares, percebi diferença nas pessoas.. e no final é tudo a mesma merda. Depois de ter passado para profissional, qual o sonho que você ainda quer realizar no skate? A vida nao para nao nao... ... olha o bob, o dani way way,, o halk halk... ... Tem muita coisa ainda que ninguém fez, que nenhuma mina fez... Tem a mega rampa, tem mc twist, vários grabs e flips flips... ... tem switch! Tem muita gente pra ajudar, pra melhorar... Nossa.. acho que não / não vai dar tempo de tudo isso.. minha próxima geração vai ter que continuar o trabalho...


Customização de Calça Jeans Se você era fã dessa tendência antigamente, pode se animar e tirar do guarda-roupa aquele jeans velhinho que você não usa mais. Vamos precisar de uma calça jeans mais velhinha (se for usar calças novas, é legal lavar e usar algumas vezes, para que o jeans fique um pouco mais molinho), Um estilete, Um lápis (ou giz), Um ralador (ou de qualquer coisa que você tenha em casa).


Mãos a obra moçada! 1.. Marque seu jeans. jeans Nunca tente rasgar seu jeans usando-o. Embora isso possa funcionar, pode igualmente dar errado e te machucar. Tire o jeans e use um lápis ou marcador lavável para marcar o(s) local(s) onde pretende rasgar.

3. Use um ralador de queijo. Sim, é um utensílio cozinha, e não, eu não estou doido. Esfregue um ralador de queijo nas marcas ou, como alternativa, uma faca afiada. Continue o processo até que você possa ver o tecido começar a rasgar. O buraco vai crescer mais e mais como quanto mais os fios começarem a se separar. Pare quando você conseguir o rasgo do tamanho que desejar

2. Pegue o estilete e rasque-o jeans na onde você fez a marca com o lápis. No começo, os rasgos não vão ficar muito abertos, mas conforme for lavando a calça, vai abrindo mais. Resultado Final: Final:


Dicas de Filmes Ela Dança, Eu Danço 3 Um unido grupo de dançarinos de rua, que inclui Luke (Rick Malambri) e Natalie (Sharni Vinson), se unem ao calouro da Universidade de Nova York Moose (Adam Sevani) e se veem concorrentes dos melhores dançarinos de hip hop do mundo em uma competição de alto risco que mudará suas vidas para sempre. Ela Dança, Eu Danço 2 Andie (Briana Evigan) é uma dançarina de rua rebelde, que entrou para a conceituada Maryland School of the Arts. O local é frequentado pela elite da sociedade local, ou seja, o tipo de pessoa bem diferente das quais Andie costuma lidar. Precisando enfrentar barreiras para se ambientar com os novos colegas, ela inicia fora da escola um projeto ousado: formar um grupo de dança de rua. Para tanto conta com a ajuda de Chase (Robert Hoffman), o dono da escola de dança mais quente da região. Honey 2 Recentemente libertada da prisão juvenil, a talentosa bailarina Maria Ramirez encontra uma saída para a sua paixão com uma equipe nova dança. Deck Dogz – Feras do Skate Três Skates e um sonho. Spasm (Sean Kennedy), Poker (Richard Wilson) e Blue Flame (Ho Thi Lu) são três garotos australianos que adoram velocidade, música punk e diversão. Eles deixam a família e a escola para trás e rumam ao Beach Bowl, onde pretendem participar de um super campeonato de Skate apresentado pela lenda do esporte, Tony Hawk. Será uma jornada inesquecível, uma animada aventura onde o sonho de se tornar skatista profissional abrirá as portas da amizade, da competição e da vida. Vida Sobre Rodas O documentário “Vida Sobre Rodas” conta a história do skate no Brasil nos últimos 20 anos. O cenário do longa metragem se monta a partir das trajetórias vitoriosas de quatro estrelas da modalidade no país. Nomes como Bob Burnquist, Sandro Dias (Mineirinho), Lincoln Ueda e Cristiano Mateus ilustram uma grande reviravolta do esporte no país. Uma geração chegou ao topo do skate no mundo e se tornaram verdadeiros heróis nacionais na base da superação e persistência. O Poder do Ritmo A história de DJ, um dançarino de rua que, para pagar a universidade, trabalha como jardineiro. Patinho feio em meio aos colegas ricos, ele decide ingressar numa tradicional competição local, intitulada stepping, com o intuito de se aproximar da garota de quem gosta.


Músicas que Inspiram... Algumas bandas para curtir andando de skate... Charlie Brown Jr. CPM22 Capital Inicial Detonautas Nx Zero Pitty Raimundos O Rappa Mv Bill Racionais mc’s Projota Legião Urbana Natiruts Engenheiros do Hawai Chimarruts Armandinho Marcelo D2 Skank Titãs Jota Quest Mamonas Assassinas Green Day Slipknot Ramones Bob Marley Simple Plan My Chemical Romance Panic! At The Disco Blink 182 Avril Lavigne Snoop Dog Eminem... Claro que cada skatista curte um estilo de música, aqui tem alguns cantores mais populares entre o mundo do skate pra vocês também poderem curtir!



Ma Rue