Page 80

Laserterapia e microcorrente na cicatrização de queimadura em ratos. Terapias associadas ou isoladas?

Laserterapia em úlcera por pressão: avaliação pelas Pressure

Modulação da proliferação fibroblástica e da resposta inflamatória pela terapia a laser de baixa intensidade no processo de reparo tecidual

Investigar se há diferenças entre as terapias associadas e isoladas do laser e microcorrentes no reparo de lesão por queimadura em ratos Acompanhar o processo de cicatrização de uma UP em paciente crítico pelo uso de técnicas de medição não invasivas, as quais são capazes de definir as etapas da evolução da lesão de forma mais sensível, objetiva, reprodutível e comparável, do que a avaliação clínica isolada Investigar o comportamento de feridas cutâneas provocadas na região dorsal de ratos wistar (Rattus norvegicus), que foram submetidos ao tratamento com laser de baixa intensidade, com 3,8 J/cm2 de dosagem, 15 mW de potência e tempo de aplicação de 15s

Uso combinado da laserterapia de baixa potência e da inibição da ciclooxigenase-2 na reepitelização de ferida incisional em pele de camundongos: um estudo pré-clínico

Avaliar os efeitos isolados e combinados da laserterapia de baixa potencia e da ICOX2 na reepitelizacao de ferida incisional na pele de camundongos

Os efeitos do laser hélio-neônio de baixa intensidade na cicatrização de feridas cutâneas induzidas em ratos

Avaliar os efeitos do laser de baixa potência hélio e neônio (HeNe) na cicatrização de feridas cutâneas de ratos. Métodos: sessenta ratos wistar foram divididos em grupos controle e experimento

Os geradores de baixa potência, sendo Experime ntal

laser ou led visíveis ou não dentro de um espectro

Freitas et al., 2013

eletromagnético, distinguem-se por alguns fatores como, entre eles, a coerência da luz. Na faixa de cor vermelha, estão comprimentos de ondas que variam numa média de 630 a 700nm e são apontados

Relato de experiênc ia

como melhores comprimentos para diminuição de Palagi et al., 2015

células inflamatórias e estimulação para fase proliferativa. Já os comprimentos acima de 750nm, denominados homem,

infravermelho,

provocam

não

aumento

visíveis

de

ao

fibroblastos,

vascularização local e tecido de granulação mais organizado

(ROCHA

JUNIOR

et

al.,

2006;

GONÇALVES et al., 2010; FERREIRA et al., 2013). Investigaç ão clínica

Rocha Junior et al., 2006

No entanto, há controvérsias quanto à utilização exatas de parâmetros em relação à fase cicatricial, evidenciando que o uso desse recurso para aceleração de reparo tecidual não está relacionado somente ao comprimento de onda, e

Investigaç ão

sim a uma série de parâmetros e dosagens

Santuzzi et al., 2011

(FREITAS et al., 2013; FERREIRA et al., 2013). Tanto a emissão com laser (luz coerente) ou led (luz não coerente) na faixa vermelha exerce um efeito estimulador ou inibidor dos fatores de

Experime ntal

Busnardo; BiondoSimões, 2010

crescimento, dependendo de qual objetivo se deseja atingir, sugerindo que a coerência não é um fator limitante para reação de um efeito biológico mediado por luz, pois os melhores resultados vêm

Nos estudos acima, foi possível verificar

sendo observados em parâmetros com doses

significativamente a eficácia da terapia com LBI,

relativas (ROCHA JUNIOR et al., 2006; FERREIRA

independente do uso combinado ou com outros

et al., 2013). Segundo

recursos. A absorção da luz irradiada pelos lasers

a

maioria

dos

autores

dos 2

ocorre por meio de cromóforos-alvo localizados nas

estudos, doses medianas entre 3 ou 4J/cm , em

mitocôndrias que, a partir daí, desencadeiam uma

comprimentos de ondas diferentes, são capazes de

série

acelerar a reparação da epiderme com rede de

de

aumento

eventos da

bioquímicos,

proliferação

resultando

celular,

no

fibras

atividade

mais

bem

organizadas

e

promover

enzimática, produção de ATP, síntese proteica,

neovascularização precoce, sendo o laser visível o

deposição e organização de colágeno (PINTO et al.,

mais

2009; GONÇALVES et al., 2010; FREITAS et al.,

adequando-se melhor aos tratamentos de lesões

2013).

epiteliais por interagir diretamente com cromóforos

utilizado

devido

à

sua

superficialidade,

mais superficiais (NASCIMENTO et al., 2006;

79

Revista 12 ed ano 8 jun nov 2016  
Revista 12 ed ano 8 jun nov 2016  
Advertisement