__MAIN_TEXT__

Page 1

Faculdade Método de São Paulo Licenciatura em Pedagogia DE QUE MANEIRA A BRINCADEIRA revisão SE DESENVOLVE NA EDUCAÇÃO INFANTIL? AUTISMO: da literatura Maria Mileide Soares dos Santos, Noemia Santos Souza¹, Ermelinda Barricelli² RESUMO Este artigo teve o objetivo de verificar como os professores utilizam a brincadeira na Educação Infantil. Para isso utilizamos como base teórica autores que já possuem uma discussão neste campo e que descrevem que a brincadeira contribui de forma significativa para o desenvolvimento da criança na educação infantil como: Carvalho, Craidy, Kishimoto, Oliveira, Paniagua, Piaget, Saviani e Vygotsky. Realizamos uma pesquisa de campo de caráter qualitativo, com questionários constituídos de perguntas objetivas. Partimos da hipótese de que por meio das brincadeiras a criança comunica-se consigo mesma e com o mundo onde está inserida, aprende a respeitar o outro, obedecer a comandos, estabelece relações com a sociedade, constrói conhecimento desenvolvendo-se integralmente. Nossa pesquisa nos mostrou que os professores possuem uma compreensão sobre a importância da brincadeira para o desenvolvimento infantil e utilizam-se das mesmas como instrumento pedagógico, como atividades favoráveis para o ensino e aprendizagem das crianças. Palavras-chaves: Brincadeira infantil. Educação infantil. Aprendizagem.

INTRODUÇÃO Este artigo nasceu de nosso interesse por investigar como a brincadeira contribui para o desenvolvimento infantil. A brincadeira desenvolve nas crianças aspectos básicos como: memorização, atenção, afetividade e socialização entre outros aspectos. Assim, o objetivo deste estudo é verificar como os professores utilizam as brincadeiras na Educação Infantil, pois, segundo os autores pesquisados, este é um período fundamental para a criança no que diz respeito ao seu desenvolvimento e aprendizagem de forma significativa. Para atingir esse objetivo utilizamos como aporte teórico autores como Carvalho, Craidy, Kishimoto, Oliveira, Paniagua, Piaget, Saviani e Vygotsky. De nossa pesquisa bibliográfica constatamos que o brincar é uma atividade específica da infância em que a criança recria a realidade usando sistemas simbólicos. A infância conhecida como a etapa das brincadeiras, do lúdico, logo se pensa no brincar, é nessa etapa que a criança aprende brincando, ou seja, de que o brincar faz parte de uma aprendizagem prazerosa não sendo somente lazer, mas sim, um ato de aprendizagem. Nossa pesquisa de campos está baseada em fundamentos teóricos e prática, que foi desenvolvida com as crianças na idade de três (03) a cinco (05) anos. Tendo como objetivo deste estudo verificar como os professores utilizam a brincadeiras na Educação Infantil. Assim, constatamos que a brincadeira na educação infantil favorece o equilíbrio afetivo da criança e contribui para o processo de apropriação da aprendizagem.

DESENVOLVIMENTO Para Vygotsky (2003) é senso comum que a brincadeira é a ação de brincar, divertir, interagir com o meio, com outras crianças e até com adultos, é manifestação da criatividade, habilidade e imaginação. É por meio das brincadeiras que as crianças criam, inventam descobrem o mundo a sua volta. Durante as brincadeiras que as crianças podem demonstrar alegria, tristeza, enfim emoções diversas. Na brincadeira as crianças, também, aprendem a seguir regras e socializar-se. As brincadeiras podem deixar nas crianças lembranças de situações vividas e de aprendizagens. A criação de uma situação imaginária não é algo fortuito na vida da criança; pelo contrário, é a primeira manifestação da emancipação da criança em relação às restrições situacionais. Ou seja, a criança vivencia durante as brincadeiras aquilo que estão passando, libertando-se das restrições que lhes são impostas, mas que não por acaso auxiliam no amadurecimento cognitivo, servindo também como estímulo para o desenvolvimento.

Nessa mesma direção Oliveira (2000), afirma que a brincadeira contribui, ainda, para a imaginação da criança e assume uma posição privilegiada, promove a interação, a imitação e a afetividade. Pela brincadeira a criança internaliza as normas sócias e assume comportamentos mais avançados que aqueles vivenciados no cotidiano. No entanto, o brincar acontece em determinados momentos do cotidiano infantil tornando-se importante o desenvolvimento da criança de uma maneira que as brincadeiras e jogos vão surgindo na vida da criança gradativamente, desde os mais simples até os que necessitam de regras. Por isso defendemos que é importante inserir na escola momentos de interação, divertimento e apropriação de novos conhecimentos por meio das brincadeiras. A primeira relação da criança com a aprendizagem, pode ser pela brincadeira estar intimamente ligada à comunicação com outros indivíduos e ao contato com suas próprias emoções, o que favorece a criança o desenvolvimento de sua autoestima e a formação de vínculos. Assim, Kishimoto (2010) afirma que a importância da brincadeira na educação infantil é clara: é a base na formação educacional do cidadão é por meio desta que a criança estabelece relações sociais, desde que utilizada como recurso pedagógico e psicológico estimula a criança a desenvolver-se cognitivamente. De acordo com Paniagua (2007), a educação infantil não está relacionada apenas a cuidados de necessidades físicas, mas também a oportunidades de conhecimentos e exploração de sentidos, sabendo que a criança tem seus momentos de compreensão. Para que aprendam é necessário que participem de um processo, o aprendizado vem por meio das conquistas. E a educação infantil é a porta de entrada para que haja esse aprendizado e um desenvolvimento intelectual seguro.

OBJETIVO Assim, o objetivo deste estudo é verificar como os professores utilizam as brincadeiras na Educação Infantil.

METODOLOGIA A pesquisa de campo teve como objetivo verificar se as brincadeiras que os professores utilizam na educação infantil contribuem para o desenvolvimento das crianças. Foi realizado uma pesquisa de campo com perguntas de caráter qualitativa, com a participação de quatro (04) professores de educação infantil, sendo três (03) da rede pública e uma (01) da particular, a participação foi voluntaria. A escolha dos locais foi intencional, pois desejávamos observar a diferenciação dos trabalhos nas diferentes redes de ensino.

CONSIDERAÇÕES Neste artigo buscou-se verificar como os professores utilizam a brincadeiras na Educação Infantil. Acreditando na possibilidade de melhoria da qualidade do ensino após uma reflexão que possibilite aos professores melhor compreensão sobre o assunto e consequentemente no conteúdo proposto no cotidiano escolar. Assim, com este estudo pudemos perceber que a brincadeira é uma ferramenta importante no ensino infantil, que o professor tenha conhecimento a respeito de tal ferramenta conhecendo suas vantagens e desvantagens, e saiba planejar aulas que utilizem brincadeiras educativas, visando sempre aproveitamento dos alunos nos conteúdos trabalhados. Devem-se oferecer instrumentos comunicativos, materiais alternativos para que os alunos possam viver numa sociedade multicultural, pois é esse o fazer pedagógico, um dos maiores desafios com que se defronta a educação nos dias de hoje. Pretende-se então que este trabalho possa contribuir de uma forma facilitadora de aprendizagem na concretude dessas idéias.

REFERÊNCIAS VIGOSTKY, LS. A Formação Social da Mente. São Paulo: Martins Fontes, 2003. OLIVEIRA, Vera Barros de (org.). O brincar e a criança do nascimento aos seis anos. Petrópolis-RJ: Vozes,2000. KISHIMOTO, Tizuko M. Jogo, Brinquedo, Brincadeira e a Educação. São Paulo: Cortez, 2010. PANIAGUA, Gema; PALACIOS, Jesús. Educação Infantil: Resposta Educativa à Diversidade. Porto Alegre: Artmed, 2007. p. 24-25.

Profile for FAMESP

De que maneira a brincadeira se desenvolve na educação 2  

De que maneira a brincadeira se desenvolve na educação 2  

Profile for famesp
Advertisement