Page 1


Nº 7 – SETEMBRO 2013

Pole Position

O mês de agosto é praticamente parado no que diz respeito a desportos motorizados. Tempo de férias e de pausa para muitos, serve de recuperação de força e motivação para encarar a reta final da temporada. Prova disso é o tamanho reduzido desta edição. Com exceção feita aos Circuitos e à Montanha, onde já há campeões antecipados, os campeonatos de ralis ainda tem muito por definir e seguem agora várias provas que se anteveem muito competitivas e disputadas, até com um cheirinho já ao que poderá ser a temporada de 2014.

Temporada essa que, tal como no futebol, parece ter iniciado o defeso em pleno calor de verão, com vários projetos a verem o véu ser levantado. Daí à confirmação ainda muito será preciso fazer, mas não deixa de ser relevante que muitos pilotos e patrocinadores vejam o desporto motorizado, em particular os ralis, como uma bela forma de se promoverem. Falta agora a FPAK orientar as linhas mestras daquilo que serão os campeonatos da próxima época. Palavra de grande apreço e valor para os verdadeiros heróis dos montes, muitos deles onde já se disputaram e irão ainda decorrer provas este ano, nomeadamente o Caramulo ou Gondomar. São eles os Bombeiros, que tudo tem feito para contrariar os fogos que alastram um pouco por todo o país, dando tudo o que têm e o que não têm. Foram seis aqueles que deram tudo e não voltaram.

FOTO DO MÊS

Um 2º lugar foi o melhor que César Machado amealhou no Circuito do Algarve. © Pedro Contente

QUER FAZER PUBLICIDADE À SUA EMPRESA? QUER COLOCAR O SEU CARRO À VENDA? QUER ENVIAR UM COMUNICADO DE IMPRENSA? famalicaomotor@gmail.com

FICHA TÉCNICA FOTOS Capa: Pedro Contente, João Lavadinho, Nuno Organista

e Ralis

Online

Fotos: João Lavadinho,

Nuno Pimenta, Ralis Online, Autosport, Pedro Contente, Rui Couto, Duarte Sá, TIFF, e assessorias de imprensa

INDICE 2 • Editorial 3 • Breves 5 • Tiago Reis conquista título na Montanha 10 • Prestações dos famalicenses na Boavista 15 • Miguel Barbosa revalida vitória em Famalicão 20 • Regresso de Daniel Nunes aos triunfos no Open 23 • Ivo Pinto sagra-se campeão no Enduro 24 • Oliveira de Santa Maria encheu para o Supercross 27 • Multimédia / Últimas / Agenda

LÁ POR FORA EM 60 SEGUNDOS Título cada vez mais perto de Vettel Com apenas uma ronda no mês de agosto, o Mundial de F1 viu Sebastien Vettel cimentar a sua liderança. A vitória em Spa deu ao alemão mais alguma margem face aos adversários, com Fernando Alonso e Lewis Hamilton a ocuparem os restantes lugares do pódio. A classificação do campeonato surge nesta mesma ordem, com Raikkonen a ser relegado para 4º, ele que terminara as 27 corridas anteriores. Nos construtores, Red Bull é líder, com a Mercedes um pouco distante e a Ferrari a pressionar o 2º posto. Ogier vence na Finlândia, Sordo na Alemanha Passo firme de Sebastien Ogier rumo ao seu primeiro título no WRC, com a vitória na Finlândia. O francês até começou por ver Thierry Neuville a liderar, já depois de Latvala ter partido a suspensão e Hirvonen ter apanhado um aguaceiro, o que deixava os locais fora da luta da vitória. Depois, foi Neuville a furar e Ostberg a atrasar-se com uma saída, ficando assim caminho livre para Ogier vencer e estes dois homens da Ford a completarem os lugares do pódio. Na Alemanha, a hecatombe da VW foi um golpe de teatro, para a equipa que jogava em casa. Ogier cedo saiu de estrada e Latvala repetiu o feito do colega de equipa, deixando a luta entre Sordo e Neuville. Uma saída de estrada na última especial fez com que o belga se contentasse novamente com o 2º lugar, deixando para o espanhol a vitória, a sua primeira no WRC e tornando-se na primeira vitória da Citroën na era pós-Loeb. Hirvonen foi 3º, um resultado curto para o finlandês, ainda que o asfalto não seja o seu piso de eleição. Ogier lidera com 198 pontos, Neuville soma 109 e Latvala segue com 98, mais dois que Dani Sordo.


Nº 7 – SETEMBRO 2013

NOVA AUSÊNCIA DE MAURO MARQUES

Breves Depois de ter faltado à jornada de Spa-Francochamps devido a falta de material no Aston Martin Vantage, desta feita na etapa sueca do GT4 European Trophy, Mauro Marques esteve ausente, mas o seu colega de equipa marcou presença e esteve em bom plano. O piloto de Famalicão viu-se impedido de participar na ronda de Anderstorp devido a compromissos profissionais, deixando assim o carro da Veloso Motorsport a cargo de Fábio Mota, que concluiu a primeira corrida em 7º, ficando em 5º no segundo confronto. “Tenho mesmo muita pena de não ter estado presente nesta prova em Anderstorp. Estarei de regresso para a última jornada do campeonato, em Zandvoort”, revelou o jovem famalicense, Mauro Marques.

TOMADA DE POSSE NA FPAK MELLO BREYNER JÁ TRABALHA A Cerimónia de tomada de posse dos Órgãos Sociais da Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting (FPAK) eleitos na Assembleia Geral de 26 de Julho, teve lugar dia 2 de Setembro, no Comité Olímpico de Portugal. A equipa presidida por Manuel de Mello Breyner vai estar ao serviço da FPAK até 2016.

Para o agora empossado Presidente: “Este é um dia importante porque se inicia um novo processo. Para nós é crucial deixar de falar do passado. Daqui em diante temos uma nova Federação, com uma mentalidade e atitude distintas, virada para os clubes e associados, de todos e para todos. Vamos ouvir e decidir e não o contrário. Tenho uma boa equipa. Vamos ter inicialmente um processo difícil pois não é fácil mudar hábitos. Mas vamos conseguir fazê-lo. Numa primeira fase a principal preocupação vai ser o saneamento financeiro e a credibilidade junto de um sem número de entidades, como a FIA. Serão quatro anos de muito trabalho mas que certamente darão frutos em prol do automobilismo nacional”, referiu Manuel de Mello Breyner. Recorde-se que Manuel Mello Breyner encabeçou a lista vencedora das eleições na FPAK, obtendo 44 votos face aos 32 conseguidos pela lista de Artur Lemos.

RUI RAIMUNDO NOS AÇORES O famalicense Rui Raimundo marcou presença no Rali Além Mar, cumprindo as funções de navegador de Daniel Nunes. Depois da vitória no Rali de Oliveira do Hospital, prova pontuável para o Open de Ralis e para o Regional Centro, a equipa do Mitsubishi Lancer VI deslocou-se até aos Açores, com o intuito de participar em mais uma jornada do campeonato regional local.

“Quando nos fizeram o convite, aceitamos prontamente. Não era o nosso campeonato, e por isso partíamos sem pressões de resultado, mas com um peso enorme nas costas. Retribuir na estrada o convite, dando espetáculo, tentando brindar o público entusiasta em todos os momentos”, referiu o famalicense. A prova até começou bem para Nunes e Raimundo, que cedo ocuparam a 2ª posição, atrás do já coroado campeão açoriano Ricardo Moura, em Mitsubishi Lancer IX. As condições climatéricas do segundo dia de prova não iam ajudando a jovem dupla, que caíram um lugar e quando tudo se previa que o 3º posto seria aquele em que iriam concluir o rali, uma transmissão partida no Mitsubishi deitava por terra as aspirações, originando nova queda na tabela, terminando na 5ª posição final. “Desde a nossa chegada que fomos recebidos muito bem. Uma hospitalidade incrível. Pessoas que gostam mesmo de ralis e que com menos recursos fazem ver as organizações do continente, que os ralis também são uma festa. Neste rali vivemos de tudo um pouco, desde andar no limite, saídas de estrada, dar espetáculo, mas acima de tudo conhecer gente muito boa neste desporto”, rematou Rui Raimundo.


Nº 7 – SETEMBRO 2013

Campeonato de Portugal de Montanha

Duas provas em setembro fecham campeonato

Conquistado desde já o título, Tiago Reis encara as duas provas que restam da temporada do Campeonato de Portugal de Montanha com bastante menos pressão, ainda assim com a motivação de terminar o ano com o nível exibicional que manteve ao longo da época. O famalicense sagrou-se virtualmente campeão na ante penúltima prova e a presença na Rampa do Caramulo (7 e 8 de setembro), bem como na Penha (28 e 29 do mesmo mês) servem de consagração ao novo campeão da Montanha. Mas a tarefa de Reis não será fácil, até porque Pedro Salvador que acabar o ano a vencer, algo que estava habituado a fazer nos anos anteriores, mas que esta época e por uma série de fatores, não conseguiu tão

RAMPA DO CARAMULO 7 DE SETEMBRO DE 2013 TREINOS OFICIAIS – 1ª SUBIDA TREINOS OFICIAIS – 2ª SUBIDA 1ª SUBIDA DE PROVA 8 DE SETEMBRO DE 2013 TREINOS OFICIAIS – 3ª SUBIDA 2ª SUBIDA DE PROVA 3ª SUBIDA DE PROVA ENTREGA DE PRÉMIOS (MUSEU DO CARAMULO)

13H45 14H30 15H30 10H00 12H00 14H00 16H30

regularmente, vendo assim fugir a oportunidade de conquistar mais um título na Montanha. Por decidir está a Categoria 1, a mais participada da competição, que tem em Joaquim Teixeira o líder até ao momento. O piloto do Seat Leon Supercopa tem sido bastante regular e vai aproveitou para vencer quando António Nogueira esteve ausente, pois só este conhecera o sabor da vitória até então. Sendo o Porsche 911 GT2 praticamente inalcançável, aliás está mais perto dos protótipos, do que dos adversários diretos, Nogueira estará no Caramulo com o carro que habitualmente usa nas pistas, o Porsche 911 GT3-R, mas o objetivo de vencer mantém-se intato. Um pouco longe destes dois tem estado os famalicenses Martine Pereira (Alfa Romeo 156) e Luís Silva (BMW 320is) que tem contrastado boas prestações com problemas nos seus carros, bem como tem de encarar uma feroz concorrência e animadas lutas com os carros de Grupo N, onde Herlander Trindade tem imposto o Subaru Impreza, face aos Mitsubishi de Fernando Peres, Miguel Ferreira da Silva, Manuel Ferreira da Silva, bem como entre os Renault Clio de Luís Nunes, Bernardo Sá Nogueira ou do famalicense Edgar Reis. Igualmente ainda em aberto está a Taça Nacional de Promoção, com o líder Rui Amorim a não estar presente no Caramulo. É de crer que o famalicense que conduz o Citroën AX Sport regresse para a derradeira prova, aqui ao lado em Guimarães, para conquistar o título. INSCRITOS RAMPA DO CARAMULO CONDUTOR CARRO 1 2 3 5 22 23 24 25 31 32 34 35 38 39 50 52 54 58 88 89 90 91 92 142 164 165 167 231 293

PEDRO SALVADOR TIAGO REIS PAULO RAMALHO JOÃO FONSECA JOÃO GUIMARÃES SÉRGIO MONTEIRO HERLANDER TRINDADE ANTÓNIO NOGUEIRA LUÍS NUNES JOAQUIM TEIXEIRA EDGAR REIS BERNARDO SÁ NOGUEIRA MIGUEL F. SILVA NÉLSON TRINDADE LUÍS SILVA RICARDO SOUSA IVAN VLASOV SOFIA MOUTA CARLOS CERCA CARLOS TORRES LUÍS ANJOS PAULO TEIXEIRA MANUEL PEREIRA LUÍS LOSADA DOMINGOS FERNANDES ARMANDO SAÍNHAS PEDRO FIGUEIREDO ABEL MARQUES FRANCISCO MARRÃO

JUNO CN 11 NORMA M20F JUNO CN 09 JUNO CN 09 PEUGEOT 206 RC ALFA ROMEO 147 SUBARU IMPREZA PORSCHE 997 GT3-R RENAULT CLIO SEAT LEON SUPERCOPA RENAULT CLIO RS RENAULT CLIO RS MITSUBISHI LANCER IX MITSUBISHI LANCER IX BMW 320IS FIAT UNO 45 VW GOLF BMW 320I PORSCHE 911 GT2 PORSCHE 997 PORSCHE 911 GT2 WESTFIELD AERORACE MITSUBISHI LANCER VI FIAT 124 AUTOBIANCHI A112 FORD ESCORT RS DATSUN 1200 AUTOBIANCHI A112 FORD ESCORT RS

CAT 2 2 2 2 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 3 3 3 3 3 4


Nº 7 – SETEMBRO 2013

Rali Vinho Madeira

Recuperação de Bruno Magalhães na 2ª Etapa não foi suficiente

Longe do brilho e os pilotos europeus de referência de outrora, o Rali Vinho Madeira não deixou de ser a prova que sempre foi. Em pleno Oceano Atlântico, a prova da Taça da Europa de Ralis e ainda dos campeonatos nacional e regional teve interesse e competitividade que sobrasse, bem como uma pitada de polémica à mistura. Para a história fica o quarto triunfo do italiano Giandomenico Basso, que impediu Bruno Magalhães de chegar à terceira vitória consecutiva. Ambos com Peugeot 207 S2000, tudo deram para chegar ao topo da classificação ao final das duas etapas, sendo os pneus a decidirem e a fazerem a diferença, algo que as mãos atrás do volante não conseguiram. Para Bruno Magalhães, o 2º lugar não deixa de ser um resultado positivo para quem este ano tem feito poucas provas, não acusando falta de ritmo na Madeira e conseguindo ser o vencedor da Taça de Ouro de Ralis, a competição que alberga apenas os três ralis internacionais que se disputam em Portugal. Não fosse o furo na fase inicial do segundo dia de prova e talvez Magalhães conseguisse chegar até Basso, em vez de terminar a pouco mais de 7 segundos do italiano, uma diferença que comprova o intenso duelo entre eles. Em grande forma esteve Miguel Nunes, que levou a melhor sobre os S2000 de Pedro Meireles e Luca Betti, terminando assim no 3º posto, um resultado de relevo para o madeirense, que esteve sempre bastante rápido e aproveitou o conhecimento local para obter uma das melhores prestações no Vinho Madeira. Meireles contentou-se com o 4º lugar, ele que foi um dos envolvidos na questão dos pneus, deixando o italiano Betti no lugar seguinte. Bom regresso de Luís Serrado, que juntou o 8º posto à vitória nas duas rodas motrizes.


Nº 7 – SETEMBRO 2013

Rali Vinho Madeira

Sem a habitual especial na Avenida do Mar, o rali iniciou-se com duas especiais no final da tarde, sendo Giandomenico Basso o primeiro a dar o mote, mas com contra ataque de Bruno Magalhães, que assim acabava o primeiro dia no comando das operações. Miguel Nunes surpreendia e cavava alguma vantagem no 3º lugar, enquanto Pedro Meireles terminava em 4º, com Luca Betti e Filipe Freitas bem perto. Mais interessado em dar espetáculo, o ucraniano Saliuk era o 7º. Ainda parte integrante da 1ª etapa, o dia de sábado começou mal para o então líder da prova. Na primeira especial, Basso retoma a liderança e na segunda vê aumentar consideravelmente, pois um furo no 207 S200 de Bruno Magalhães faz com que este perca bastante tempo, ficando a 14 segundos do italiano. Nas restantes seis especiais do dia, Basso continuou a somar tempos mais rápidos, mas sempre com o português a ficar muito perto, sendo ainda o mais veloz numa das classificativas, no entanto terminava o dia com 19,9 segundos de diferença. Mais atrás, Nunes distanciava-se dos perseguidores, até porque Pedro Meireles não estava a conseguir afastarse de Luca Betti na luta entre os dois S2000. Quem já estava fora de prova era Oleksandr Saliuk, que saiu de estrada, bem como João Silva, que depositava esperanças na vitória das duas rodas motrizes, mas o Renault Clio R3 tinha de encostar depois de problemas mecânicos. O derradeiro dia de prova antevia-se mais calmo, até porque Basso tinha uma vantagem que lhe permitia dosear o andamento, contudo o piloto do Peugeot 207 S2000 só na primeira especial conseguiu vencer, pois a partir daí Bruno Magalhães tudo fez para reduzir a margem e tentar ainda num último fôlego chegar ao triunfo. O esforço seria inglório, pois os segundos recuperados não foram suficientes, ficando tudo na mesma, sendo Basso o grande vencedor, obtendo o quarto triunfo na Madeira, depois dos feitos de 2006, 2007 e 2009, sempre aos comandos de um Fiat Punto S2000. Curiosamente, Bruno Magalhães repete a prestação desses últimos anos, onde foi sempre 2º atrás do italiano, o que bem se pode dizer, ser um “osso duro de roer” para Magalhães. Depois de tanta polémica por causa das licenças e das pontuações, a Taça de Ouro ficou para Bruno Magalhães, o único a ficar classificado após as três provas efetuadas.

Pedro Meireles teve na 2ª etapa um andamento melhor, rodando regularmente no pódio, mas não conseguiria superar Miguel Nunes, que segurou o 3º lugar com unhas e dentes, mostrando grande ritmo e vencendo entre a Produção. Para o piloto vimaranense, contentamento com o 4º lugar e alguns pontos para o Campeonato de Portugal de Ralis, onde ainda tem esperanças em chegar ao vice-campeonato, pois a liderança de Bernardo Sousa só com uma hecatombe será derrubada. Luca Betti terminou em 5º, em mais uma presença deste bem disposto italiano na Madeira, com Filipe Freitas a ser 6º, ele que lidera o campeonato madeirense. Já longe, Filipe Pires estreou o Mitsubishi Lancer X com o 7º lugar, na frente de Luís Serrado, que venceu José Camacho nas duas rodas motrizes, ambos em Peugeot 206 S1600. Sofia Correia foi a melhor concorrente feminina, terminando no 10º lugar final.

CLASSIFICAÇÃO FINAL POS

PILOTO

1º Giandomenico Basso 2º Bruno Magalhães 3º Miguel Nunes 4º Pedro Meireles 5º Luca Betti 6º Filipe Freitas 7º Filipe Pires 8º Luís Serrado 9º José Camacho 10º Ana Sofia Correia Terminaram 18 concorrentes

CO-PILOTO

CARRO

TEMPO

Lorenzo Granai Nuno R. da Silva João Paulo Mário Castro Francesco Pezzoli Daniel Figueiroa Vasco Mendonça João Sousa Fernando Spínola Rui Rodrigues

Peugeot 207 S2000 Peugeot 207 S2000 Mitsubishi Lancer X Skoda Fabia S2000 Ford Fiesta S2000 Mitsubishi Lancer X Mitsubishi Lancer X Peugeot 206 S1600 Peugeot 206 S1600 Citroën C2 R2 Max

2h28m50,8s + 7,3s + 3m30,8s + 3m42,5s + 4m04,1s + 5m36,0s + 9m11,2s + 10m53,7s + 13m53,7 + 19m22,2s


Nº 7 – SETEMBRO 2013

Campeonato de Portugal de Ralis

PNEUS NO CENTRO DA POLÉMICA

possibilidades de colocar na ilha pneus com desenhos recentes.

Não deixa de ser curioso que, quase ao mesmo tempo que a FIA quer cortar no número de pneus por evento, que tenha havido problemas com concorrentes neste Rali Vinho Madeira. Tudo porque um comunicado da FIA definiu que pneus para jantes de 18’, com fabrico anterior a 1/5/2013, não seriam aceites em ralis de caráter internacional, indicando os novos desenhos da Michelin e as indicações para cortar os pneus da Pirelli, Dmack, Yokohama e Kumho até surgir uma nova homologação destas marcas, no máximo até 30 de setembro. Envolvidos neste imbróglio, Pedro Meireles (Skoda Fabia S2000) e Filipe Freitas (Mitsubishi Lancer IX) não seriam classificados na Taça da Europa, mas pontuaram para os campeonatos de Portugal e Madeira, respetivamente, uma vez que só tinham os pneus antigos e não havia grandes

MEIRELES, O ÚNICO CONTINENTAL Com a inclusão do Rali Vinho Madeira na Taça de Ouro de Ralis, ainda que disfarçadamente faça parte e pontue para o Campeonato de Portugal de Ralis, o decréscimo de concorrentes continentais tem sido notório. Este ano, Bruno Magalhães e Pedro Meireles foram os únicos concorrentes residentes em Portugal Continental a deslocar-se até à Madeira e, apesar de ambos estarem inscritos no CPR, apenas Meireles disputa verdadeira e completamente este campeonato, pois Bruno Magalhães só participou nos ralis de Portugal, Açores e Madeira.

A pontuação máxima foi para Bruno Magalhães, mas Meireles lucrou mais 18 pontos pelo 2º lugar, acrescentando 2 da Powerstage. O piloto do Skoda obtém assim a melhor pontuação da época, subindo para o 3º posto do campeonato, quando restam duas jornadas para o fecho da época e onde esta pontuação “extra” poderá ser favorável, se bem que Ricardo Moura também tem a vitória nos Açores para contabilizar. Vai ser renhido entre os dois pilotos que apostaram nos carros da marca checa.


Nº 7 – SETEMBRO 2013

Rali de Mortágua

Madeirense depende unicamente de si

PROVA: Rali de Mortágua CLUBE ORGANIZADOR: Clube Automóvel do Centro DATA: 20 e 21 de setembro de 2013 PONTUÁVEL: Campeonato de Portugal de Ralis Campeonato de Portugal de Ralis 2L/2RM Campeonato Regional de Ralis/Centro Troféu Nacional de Clássicos/Ralis CENTRO OPERACIONAL: Aeródromo de Mortágua PÓDIO: Câmara Municipal DIRETOR DE PROVA: Carlos Santos QUILOMETRAGEM (Total/PEC’s): 188,09/92,40

(CPR) ; 109,14/47,13 (CRRC e TNCR)

Cumprida a primeira metade do campeonato, Bernardo Sousa tem provado ser o alvo a bater esta temporada e tudo se desenha para que o madeirense reconquiste o título nacional, repetindo a façanha de 2010. Desde que regressou a tempo inteiro ao CPR, o madeirense já saboreou a vitória por três vezes, em Fafe (ainda com o Peugeot 207 S2000), em Guimarães e na Marinha Grande (já com o Ford Fiesta S2000) e assim irá apresentar-se em Mortágua com tudo a seu favor para arrumar a questão antes da última prova. A oposição mais forte deverá fazer-se sentir pela parte da armada Skoda, com Ricardo Moura e Pedro Meireles a procurarem contrariar o domínio do madeirense. Moura tem uma pontuação máxima nos Açores e na Marinha Grande mostrou que pode bater o pé a Bernardo Sousa, enquanto Meireles tem somado lugares no pódio regularmente, mas não aproveitou o fator casa em Guimarães, onde poderia ter brilhado, no entanto será candidato a um lugar na frente. Tal como Adruzilo Lopes, que tem tido no Subaru Impreza R4 um carro à altura dos, supostamente, mais competitivos S2000. O veterano piloto tem rodado nos lugares da frente e liderou grande parte do Rali Vidreiro, o que poderá dizer que estará entre o rol dos candidatos. Na Produção, Miguel Barbosa deverá ser um dos principais intervenientes, sendo que o famalicense não contará com a oposição de Ivo Nogueira, que abandona o campeonato em virtude da carreira académica, no entanto poderá ter como adversário José Pedro Fontes, que já tem o Subaru Impreza recuperado depois do acidente em Guimarães. As contas do CPR2 ainda estão longe de estar fechadas e João Barros tem estado em crescente ao obter duas vitórias consecutivas, no entanto o líder é Ricardo Marques, fruto de uma regularidade nos três ralis efetuados, terminando sempre no pódio. Quem confirmou a presença em Mortágua foi Bruno Magalhães, ao volante de um Peugeot 208 R2 da equipa Inside Motor, que servirá como prova de teste ao novo carro da marca francesa. Sem grandes objetivos em termos de resultado final, o antigo campeão nacional colocará a sua experiência ao dispor do desenvolvimento da nova arma da equipa. As inscrições para esta penúltima prova do CPR terminam somente a 13 de setembro.


Nº 7 – SETEMBRO 2013

Rali de Mortágua

20 DE SETEMBRO DE 2013

CPR

CRRC

1ª ETAPA

PARTIDA ASSISTÊNCIA 10’ PEC 1 – SUPER ESPECIAL

1,86 KM

ASSISTÊNCIA 45’ CHEGADA 21 DE SETEMBRO DE 2013 PARTIDA ASSISTÊNCIA 10’ PEC 2 – FELGUEIRA 1

9,41 KM

PEC 3 – TREZÓ1 1

19,96 KM

PEC 4 – CAPARROSINHA 1

15,90 KM

REAGRUPAMENTO (AERÓDROMO)

2014 JÁ MEXE… E DE QUE MANEIRA!

19H30 a) 19H45 a) 20H15 a) 20H35 a) 21H35 a) CPR CRRC 2ª ETAPA 1ª SECÇÃO 09H30 13h00 09H45 10H18 10H56 11H49 12H34 2ª SECÇÃO

ASSISTÊNCIA 30’ PEC 5 – FELGUEIRA 2

9,41 KM

PEC 6 – TREZÓ1 2

19,96 KM

PEC 7 – CAPARROSINHA 2 (PS) 15,90 KM

ASSISTÊNCIA 20’ CHEGADA

13H00 13H53 14H31 15H24 16H09 16H44

13h15 a) a) a) a) a)

a) o 1º concorrente parte 3 min. após o último concorrente do CPR

BRUNO MAGALHÃES REGRESSA ÀS ORIGENS A Inside Motor, equipa de Vítor Calisto e Joaquim Batalha, apresentou o Peugeot 208 R2, um novo projeto desta equipa e que terá a primeira aparição no Rali de Mortágua, com Bruno Magalhães aos comandos. “É para a Inside Motor uma grande honra ter um piloto deste nível a conduzir um carro da nossa equipa. Vamos aproveitar ao máximo esta oportunidade para também nós evoluirmos como equipa”, refere Vitor Calisto, sócio da Inside Motor. Quanto a Bruno Magalhães, apesar dos poucos quilómetros que fez, prefere deixar as conclusões sobre o comportamento do carro para mais tarde, mas sempre foi dizendo que "a base é excelente. É um carro evoluído, que dá muito gozo de conduzir. Porém, quero desde já agradecer o convite, que me permitirá manter ativo e em competição. Estou muito satisfeito por estrear mais um Peugeot em competição, bem como com toda a equipa, pelo entusiasmo que colocou neste projeto. Agora vamos fazer um verdadeiro teste, mas para já as primeiras conclusões são muito boas”.

Ainda faltam duas provas para cair o pano sobre o Campeonato de Portugal de Ralis, mas nos bastidores já corre a próxima temporada. Uma autêntica “silly season” sobre novos projetos, pilotos regressados, marcas envolvidas e carros de última geração… isto sem conhecer como será o regulamento para 2014! Até ao momento, o único projeto confirmado é o de João Barros, que ainda está na luta pelo CPR2, mas já aponta baterias ao Ford Fiesta R5, que testa ainda este semana em Inglaterra e talvez faça uma prova ainda este ano para preparar 2014. Depois, surgem rumores que Diogo Salvi também dará o salto do Open para o CPR ao volante de um Fiesta R5, tal como o famalicense Miguel Barbosa, que já revelou a vontade em evoluir e deixou na sua página do Facebook, uma foto onde surge o carro da M-Sport e uma outra em que assume já ter experimentado na Catalunha aquela que será, certamente, a sua aposta para o ano. Resta saber o que farão Pedro Meireles e Ricardo Moura, que este ano correm de Skoda Fabia S2000, bem como Bernardo Sousa, que tencionava correr de Fiesta RRC, mas que teve de recorrer ao S2000 e talvez no próximo ano se vire novamente para o estrangeiro. Também Bruno Magalhães assumiu estar a tentar pôr de pé um projeto para o CPR com o novo Peugeot 208 T16, carro que só terá homologação no início de 2014. Um pouco mais comedida parece ser a ambição de Carlos Martins, que está bem lançado na conquista do Open de Ralis, passando para o CPR num Lancer de última geração R4.

NOVO ESQUEMA Depois de alguns anos a insistir na mesma fórmula, o Clube Automóvel do Centro inovou o Rali de Mortágua, dando-lhe um novo figurino. Para a edição deste ano, a Super Especial noturna, disputada na 6ª feira mantém-se, mas é nas classificativas a disputar no dia seguinte que surgem novidades. A prova desenrola-se na mesma zona das edições anteriores, no entanto as especiais têm nova designação e novo desenho. Felgueira utiliza parte das antigas classificativas de Aguieira e Mortazel, enquanto Trezói e Caparrosinha são troços já realizados em sentido inverso. Há organizações que valorizam o lema “é melhor não mexer no que está bem”, no entanto e para não cair na rotina, o CAC reformula e bem esta prova, trazendo assim um condimento extra ao espetáculo que se prevê.


Nº 7 – SETEMBRO 2013

Rali Cidade de Gondomar

Open regressa ao Norte após defeso

PROVA: Rali Cidade de Gondomar CLUBE ORGANIZADOR: Gondomar Automóvel Sport DATA: 13 e 14 de setembro de 2013 PONTUÁVEL: Campeonato de Open de Ralis Campeonato de Portugal Júnior de Ralis Campeonato Regional de Ralis/Norte Desafio Modelstand Troféu Fastbravo CENTRO OPERACIONAL: Pavilhão Multiusos PÓDIO: Pavilhão Multiusos DIRETOR DE PROVA: Paulo Magalhães QUILOMETRAGEM (Total/PEC’s): 117,81/57,88

Primeiro dos últimos três confrontos decisivos no Campeonato Open de Ralis, onde não tem faltado animação e nomes a discutir os triunfos. Gondomar é a próxima etapa, um rali com bastantes tradições no Open, conhecido pela sua dureza, mas também pelas zonas espetaculares que oferece quer a pilotos, quer a espetadores. Bem perto do Porto, a prova do Gondomar Automóvel Sport mantém o esquema do ano passado, com dupla passagem pelas especiais de Gens, Medas e Vilarinho, - algumas delas fustigadas pelo grande incêndio do início do mês -, para além da habitual Super Especial desenhada bem perto do parque de assistência. No campeonato das 4RM, Carlos Martins está lançado para o título, contando já com três vitórias no bolso, no entanto o regressado no último rali, Daniel Nunes (navegado pelo famalicense Rui Raimundo) terá palavra a dizer na discussão do triunfo. Assim, como Luís Mota que se apresenta sempre bastante forte neste rali e ainda Fernando Teotónio, a cumprir um ano muito positivo na estreia do Mitsubishi Lancer VI, ocupando o 2º lugar no campeonato. Diogo Salvi não tem tido um ano fácil e está disposto a fazer esquecer as prestações negativas. Já nas 2RM, as contas estão mais renhidas. Gil Antunes é líder, mas os famalicenses João Ruivo/João Peixoto não estão longe e certamente serão estes também os protagonistas no Desafio Modelstand. Carlos Cruz ocupa a 2ª posição, mas esteve ausente no último rali e repete a ausência em Gondomar, pelo que serão os homens do troféu monomarca a discutir os lugares cimeiros deste campeonato. As inscrições encerram apenas no dia 10 de setembro.

13 DE SETEMBRO DE 2013 1ª ETAPA

PARTIDA ASSISTÊNCIA 10’ PEC 1 – SE CLÍNICA DE GONDOMAR

1,60 KM

ASSISTÊNCIA 45’ CHEGADA 14 DE SETEMBRO DE 2013 PARTIDA ASSISTÊNCIA 10’ PEC 2 – GENS/COVELO 1

6,93 KM

PEC 3 – MEDAS 1

8,97 KM

PEC 4 – VILARINHO 1

12,24 KM

REAGRUPAMENTO (MULTIUSOS)

ASSISTÊNCIA 30’ PEC 5 – GENS/COVELO 2

6,93 KM

PEC 6 – MEDAS 2

8,97 KM

PEC 7 – VILARINHO 2

12,24 KM

REAGRUPAMENTO (MULTIUSOS) ASSISTÊNCIA 45’ CHEGADA

21h00 21h05 21H28 21H40 22H30 2ª ETAPA 10H00 10H05 10H34 11H00 11H33 12H30 13H05 13H54 14H20 14H53 15H53 16H13 17H03


Nº 7 – SETEMBRO 2013

ACESSOS PEC 1 – SUPER ESPECIAL (21h28) Localizada junto ao Pavilhão Multiusos e ao Parque de assistência. Para lá chegar, utilize a saída Gondomar (centro), mas dirija-se para o local cedo para estacionar convenientemente junto ao Multiusos. PEC 2/5 – GENS/COVELO (10H33 – 13H54) ZE 1 – Início – Acesso Fácil Acesso via EN 209, Gondomar—Valongo e depois de 2500 metros no Largo da Covilhã (rotunda) seguir à direita + 200 metros novamente à direita até ao lugar da Mó onde se deve virar à esquerda até a Ponte Rio Ferreira subir para Beloí e já na EN 209-1 no asfalto encontra o inicio da PEC. Zona rápida. ZE 2 – Meio – Acesso Fácil Saída GensIC29/A43, na rotunda da EM virar à esquerda e logo à direita para cemitério. Gancho à direita seguido de sequência de saltos ZE 3 – Meio – Acesso Fácil Seguir as indicações de ZE2 e na rotunda de acesso ao cemitério prosseguir à direita até ao centro da povoação de Gens e seguir as indicações do Campo de jogos. Passagem terra/asfalto/terra ZE 4 – Final – Acesso Fácil Seguir as indicações de ZE1 e ZE2 até ao centro da povoação de Gens e seguir EM para Covelo onde se encontra o final da PE na estrada junto à ponte sobre o Rio Sousa. STOP junto ao rio Sousa. Acesso interdito a partir da ponte.

Rali Cidade de Gondomar

PEC 3/6 – MEDAS (11h00 – 14h20) ZE 5 – Meio – Acesso em terra Acesso a partir Junta Freguesia Covelo, à direita para estradão de terra cerca de 800mts depois atinge gancho sobre a A41/Gondomar. ZE 6 – Meio – Acesso Fácil Saída Medas na A41. Rotunda à direita na EN 108, km 17. Estacione por favor. Acesso interdito a partir da EN108 - Saída emergência. PEC 3/7 – VILARINHO (11h33 – 14h53) – Todos os acessos via A43 + A41, saída Medas/Barragem/EN 108 PortoEntre os Rios ZE 7 – Meio – Acesso Fácil (Estacionamento condicionado) Acesso via EN 319-2 (EN108-Recarei). Depois de 1500 metros, seguir à direita +/- 200 metros esquerda para terra (inicio 2007) e +/- 1 km depois encontra um gancho de direita. Zona rápida. ZE 8 – Meio – Acesso Fácil Na localidade de Branzelo, no centro da aldeia, sobre a direita junto a uma cabine elétrica até atingir a PEC numa zona rápida, com salto espetacular. Zona 9 – Meio – Acesso 4x4 A partir da Sr.ª do Salto ou igreja de Senande, fazendo o cume da serra até encontrar a PEC - +/- 9 km. ZE 10 – Final – Acesso Fácil Seguir EN 108 e nas indicações de Moreira seguir à esquerda para EM1438 e após a aldeia encontra o final da PEC.


Nº 7 – SETEMBRO 2013

Circuito Algarve 2

Clássicos não estiveram presentes

Parece mentira dizer que, em pleno Agosto, há um local no Algarve que não tenha ninguém… Parece, mas esse local existe e chama-se Autódromo Internacional do Algarve, onde se disputou mais uma ronda dos Campeonato de Portugal de Circuitos/GT e Sport Protótipos, bem como os troféus Desafio Único e Abarth. E por aqui se fica, uma vez que os Clássicos e os Clássicos 1300 não de deslocaram até ao traçado algarvio, em virtude da pouca adesão de concorrentes, talvez pelo custo que teria essa mesma deslocação. Não deixa de ser verdade, mas o campeonato já estava definido assim há bastante tempo e esta situação poderia e deveria ter sido abordada de outra forma.

Para a história deste fim de semana, que até previa a corrida noturna do CPGT, que viria a ser antecipada para evitar tempos mortos no programa, fica o título desde já conquistado pela Novadriver e por César Campaniço (os colegas não estavam corretamente inscritos nas primeiras duas corridas), que fez equipa com Carlos Vieira e Mikko Eskelinen, ao volante do Audi R8 LMS, confirmado com a vitória na corrida. No entanto, foi o Mercedes de José Pedro Fontes/Miguel Barbosa e do espanhol Álvaro Fontes quem liderou a fase inicial, depois do primeiro ter efetuado o tempo mais rápido nos treinos cronometrados. José Pedro Fontes ia aguentando Campaniço atrás de si, mas sem conseguir cavar um fosso até à primeira paragem nas boxes para troca de pilotos, algo que a equipa da Mercedes conseguiu no segundo turno, já com Barbosa aos comandos e com o finlandês da Novadriver a tripular o Audi. No entanto, seria no derradeiro “stint” que tudo ficaria decidido, pois com Carlos Vieira a recuperar tempo e a aproximar-se da liderança, Álvaro Fontes cedeu à pressão e efetuou um pião, ficando na gravilha e com isso perdia duas voltas e outras tantas posições.

CLASSIFICAÇÃO CORRIDA POS

EQUIPA

CARRO

TEMPO

Campaniço/Vieira/Eskelinen

Audi R8 LMS

2h00m06,379s

Fontes/Barbosa/Fontes

Mercedes SLS AMG

+ 1 volta

Beirão da Veiga/Ramos/Figueiredo

Audi R8 LMS

+ 2 voltas

Marreiros/Batista

Aston Martin Vantage

+ 9 voltas

Manahu/Castro

Porsche 911

+ 11 voltas

Classificaram-se 6 concorrentes

Caminho livre para Carlos Vieira cortar a meta na 1ª posição e revalidar o título nacional nos GT’s, com Fontes a recuperar até ao 2º lugar, beneficiando dos problemas mecânicos do outro Audi da Novadriver, conduzido por Lourenço Veiga/João Figueiredo/João Ramos, que terminaria no lugar mais baixo do pódio.

A luta pela GT Cup envolveu bastante polémica, tanto é que as classificações se encontram suspensas. Tudo porque a vitória de Pedro Marreiros/Nuno Batista foi contestada e protestada, uma vez que a habitual dupla do Porsche 911, não conseguiu ter o carro alemão pronto e utilizou um Aston Martin Vantage, que é um GT4, mas foi inscrito em GT Cup. Na pista, os três carros presentes tiveram todos problemas mecânicos, com M. Ferreira/D. Ferrão/F. Carvalho a serem os primeiros a encostar, pois o Ferrari 430 padecia de problemas elétricos. Depois, seria Gonçalo Manahú/Manuel Castro que eram obrigados a passar largos minutos nas boxes, depois do Porsche 911 não colaborar convenientemente. Assim, Batista e Marreiros seguiam no comando, mas na parte final também eles não se livraram de um susto, rodando muito devagar, ainda assim o suficiente para garantir a vitória e o 4º lugar absoluto.


Nº 7 – SETEMBRO 2013

Circuito Algarve 2

SPORT PROTÓTIPOS Presença um pouco tímida dos Sport Protótipos, que vão animando as pistas por onde passam, mas ainda sem listas numerosas como se antevia no início da temporada. Vitória de António Ricciardi/Nuno Santos na primeira corrida, aproveitando a entrada do safety-car para efetuar a troca de pilotos e a partir daí foi uma questão de gestão da vantagem sobre Gonçalo Inácio, companheiro de equipa do famalicense César Machado. A dupla do Norma tudo fez, mas contentar-se-ia com o 2º lugar final, ainda assim uma boa prestação para o jovem piloto. Também em Norma, Mário Melo/Paulo Costa concluíram a corrida na 3ª posição, enquanto a vitória na classe C3 foi para Francisco Abreu, em Radical. A segunda corrida do fim de semana teve novamente o Wolf de Ricciardi/Santos como vencedor, ainda que só na reta final da prova tivessem suplantado Gonçalo Araújo/João Luís, que saíam de pista devido a problemas de travões no Norma. Francisco Abreu foi novamente o vencedor em C3, terminando num brilhante 2º posto, na frente de Mário Melo/Paulo Costa, que repetiam a posição da primeira manga, já depois de um drivethorugh. Menos sorte teve César Machado, que nem tomou o seu lugar nesta segunda corrida, pois no turno do colega de equipa, o motor do Norma cedeu e o abandono era inevitável. CLASSIFICAÇÃO 1ª CORRIDA

CLASSIFICAÇÃO 2ª CORRIDA

POS

PILOTO

CARRO

TEMPO

POS

PILOTO

CARRO

TEMPO

António Ricciardi/Nuno Santos

Wolf GB08

24v em 51m03,864s

António Ricciardi/Nuno Santos

Wolf GB08

26v em 50m42,646s

César Machado/Gonçalo Inácio

Norma M20F

+ 7,949s

Francisco Abreu

Radical SR3

+ 0,699s

Mário Melo/Paulo Costa

Norma M20F

+ 1m05,652s

Mário Melo/Paulo Costa

Norma M20F

+ 25,678s

Gonçalo Araújo/João Luís

Norma M20F

+ 1m20,122s

Colin Bain

Radical SR3

+ 26,567s

Francisco Abreu

Radical SR3

+ 1m32,986s

Gonçalo Araújo/João Luís

Norma M20F

+ 2 voltas

Terminaram 7 concorrentes

Terminaram 6 concorrentes

DESAFIO ÚNICO A prestação dos jovens famalicenses Vasco e Manuel Barros no Desafio Único foi para esquecer. A dupla do Fiat Punto HGT não somou qualquer ponto fruto de não se ter classificado em nenhuma das corridas, ainda que tenham mostrado um andamento positivo junto aos lugares cimeiros da categoria. João Rebelo Martins/António Ferreira dividiram as vitórias com Rui Santos/José Pedro Leite (FEUP 3). Nos Fiat Punto, Joaquim Machado/Renato Bonifácio venceram a primeira, enquanto Gonçalo Rodrigues/Bernardo Maia foram os melhores na segunda manga. Por fim, nos Fiat Uno, “Crissaf” dominou ambas as corridas. A jornada do Troféu Abarth 500 teve Francisco Carvalho como dominador da 1ª corrida, enquanto Luís Reis foi o mais rápido na segunda.


Nº 7 – SETEMBRO 2013

Circuito CAM 3

GT’s estão decididos, mas não faltarão motivos de interesse

Depois do programa algo apagado na visita ao Algarve, o Circuito Vasco Sameiro recebe, nos dias 14 e 15 de setembro, nova etapa dos Campeonatos de Portugal de GT, Sport Protótipos, Clássicos, Clássicos 1300 e ainda os Single Seaters e os Classic Super Stock. Um fim de semana recheado de corridas no traçado bracarense, ainda que pode estar em risco a corrida de GT’s, pois há coincidência de datas com o campeonato espanhol e por cá tudo já se decidiu. Braga poderá revelar novos vencedores antecipados, entre eles Luís Barros nos Clássicos. O piloto de Famalicão lidera os H81 e está muito próximo de revalidar o título, ele que deverá estar presente no habitual Porsche 930 Turbo, bem como César Machado tem uma oportunidade de cimentar a sua posição cimeira nos Sport-Protótipos. 14 DE SETEMBRO DE 2013

CLASSIC SUPER STOCK – T. CRONOMETRADOS

10H00

SINGLE SEATERS – T. LIVRES

10H25

TN CLÁSSICOS/PÓS HISTÓRICOS – T. LIVRES

10H50

CP CLÁSSICOS 1300 – T. LIVRES

11H15

CP CLÁSSICOS – T. LIVRES

11H40

CLASSIC SUPER STOCK – T. CRONOMETRADOS

12H10

SINGLE SEATERS – T. CRONOMETRADOS

12H40

CP CIRCUITOS/GT – T. LIVRES

13H10

TN CLÁSSICOS/PÓS HISTÓRICOS – T. CRONO.

13H45

CP CLÁSSICOS 1300 – T. CRONOMETRADOS

14H20

CP CLÁSSICOS – T. CRONOMETRADOS

14H55

CP CIRCUITOS/GT – T. LIVRES

15H30

CLASSIC SUPER STOCK – CORRIDA 1 (20 min)

16H20

SINGLE SEATERS – CORRIDA 1 (25 min)

17H05

CP CIRCUITOS/GT – T. LIVRES

17H40

TN CLÁSSICOS/PÓS H. – CORRIDA 1 (30 min)

18H30

Resta à equipa da Mercedes tentar lutar pelas vitórias, mas campeonato espanhol pode levar à razia no CPC.

Falta muito pouco para o famalicense Luís Barros concretizar a revalidação do título, o que pode acontecer logo na 1ª corrida.

15 DE SETEMBRO DE 2013 CP CLÁSSICOS 1300 – CORRIDA 1 (25 min)

08H30

CP CIRCUITOS/GT – T. CRONOMETRADO 1

09H05

CP CIRCUITOS/GT – T. CRONOMETRADO 2

09H25

CP CIRCUITOS/GT – T. CRONOMETRADO 3

09H45

CP CLÁSSICOS – CORRIDA 1 (30 min)

10H20

CLASSIC SUPER STOCK – CORRIDA 2 (20 min)

11H15

SINGLE SEATERS – CORRIDA 2 (25 min)

12H00

TN CLÁSSICOS/PÓS H. – CORRIDA 2 (30 min)

12H50

CP CIRCUITOS/GT – CORRIDA (120 min)

14H30

CP CLÁSSICOS 1300 – CORRIDA 2 (25 min)

16H55

CP CLÁSSICOS – CORRIDA 2 (30 min)

17H45

César Machado venceu uma corrida na primeira visita a Braga e quer repetir a dose para fechar a temporada.


Nº 7 – SETEMBRO 2013

Multimédia / Últimas / Agenda

Assista aos melhores vídeos do desporto motorizado famalicense. Basta clicar na imagem e sinta toda a adrenalina!

RALI VINHO MADEIRA by movielight

M. BARBOSA NO RALI DE FAMALICÃO

by imagensarmandoleitao

RALI DE FAMALICÃO 1989

by santosrallychannel

AGENDA SETEMBRO

A FECHAR 7/8

Setembro é um mês decisivo no Campeonato de Portugal de Offroad. Duas jornadas a circuitos onde já se correu esta temporada, Montalegre e Sever de Vouga, podem definir quem estará no topo da tabela do final do ano. Um dos pilotos em foco será o famalicense Ricardo Costa Jr.

7/8 7/8 7/8 8 9 12/15 13/15 13/14 14/15 15 20/21

21/22

Também o Todo-o-Terreno entra na sua fase crucial, com a disputa da Baja TT Proença-Oleiros e mais para o final do mês há novo confronto em Idanha-a-Nova, ambas sob organização da Escuderia Castelo Branco. Tudo aponta para que Miguel Barbosa consiga desde já revalidar o título, aquele que seria o seu sexto campeonato na modalidade e ainda antes da mítica Baja Portalegre 500. Depois de três vitórias, Barbosa enfrenta agora novo duelo com os adversários à espreita, entre eles Hélder Oliveira, Pedro Grancha ou Rui Sousa.

21/22 22 22 22 27/29 27/28 27/28 27/28 29

RAMPA DO CARAMULO (CPM) BAJA TT PROENÇA-OLEIROS (CPTT) OFFROAD MONTALEGRE 2 (CPOFR) SUPER ESPECIAL DA TROFA GP ITÁLIA (F1) WTCC SONOMA (WTCC) RALI DA AUSTRÁLIA (WRC) RALI DA POLÓNIA (ERC) RALI CID. DE GONDOMAR (COR/CRRN) CIRCUITO BRAGA 2 (CPC/CPSP/CPCC) GP SÃO MARINO (MOTO GP) RALI DE MORTÁGUA (CPR) OFFROAD SEVER VOUGA (CPOFR) CIRCUITO KARTING ALGARVE (CPK) WTCC SUZUKA (WTCC) 6H DE AUSTIN (FIA ENDURANCE) GP SINGAPURA (F1) RALI DA CROÁCIA (ERC) BAJA TT IDANHA-A-NOVA (CPTT) RALI ALÉM MAR/ILHA LILÁS (CRA) RAMPA DA PENHA (CPM) GP ARAGÓN (MOTO GP)

O Rali de Mortágua deu os primeiros passos no extinto Campeonato Nacional de Ralis/Promoção, onde vários jovens pilotos davam igualmente os seus primeiros passos na modalidade. Em 2005, a equipa famalicense João Ruivo/Alberto Silva garantiam a sua primeira vitória à geral na competição, numa temporada que terminariam como vice-campeões e vencedores do Troféu Fiat Punto.


Famalicão Motor - nº7 - Setembro 2013  

Edição nº7 - Setembro 2013

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you