Page 1

FAFE SERVE DE APERITIVO NO DIA 5

ESTE MÊS

OPEN DE RALIS EM ALFENA • AÇORES COM EUROPEU DE RALIS MELHORES DO RALICROSS EM MONTALEGRE


Nº 2 – ABRIL 2013

Pole Position

O desporto motorizado em Portugal é cada vez mais difícil de entender. Os intervenientes parece estarem uns contra os outros e não tem existido uma união entre todos para que se tirem benefícios para cada uma das partes. A ideia que fica é que a FPAK faz as coisas sem saber se é possível torná-las possíveis e sem saber se as medidas que tomam interessam aos pilotos ou valorizam realmente os campeonatos. O que se passou no Campeonato de Portugal de GT foi prova disso. Decidiu-se por aumentar a duração das corridas e a diminuição de provas por temporada, contudo nem todos os pilotos viram isso como uma vantagem. Para além disso, não se previu que os carros necessitem agora de reabastecer durante as provas e que para isso são necessários equipamentos próprios, o que originou o cancelamento da primeira prova a poucos dias da sua realização. A FPAK continua a ditar a lei do desporto motorizado e a fazer as coisas com pouca sustentação. Muitos clubes continuam a fazer vénia, os pilotos ainda não foi desta que se cansaram e, ao contrário do que se passa no país, as greves e manifestações fazem-se a baixa voz.

FOTO DO MÊS

INDICE 2 • Editorial 3 • Breves 5 • Mauro Marques no Europeu de GT4 6 • Vitória de Barros em Castelo Branco 12 • Tudo sobre o Rali de Portugal 26 • Circuito Braga I abriu as pistas 29 • Novidades de Ralis 30 • Multimédia / Agenda

LÁ POR FORA EM 60 SEGUNDOS Raikkonen e Vettel dividem vitórias De forma algo inesperada, Kiki Raikkonen venceu o GP Austrália, prova inaugural do Mundial de F1. Alonso e Vettel encerraram o pódio. Na semana seguinte, na Malásia, o campeão do mundo voltou aos triunfos. Num duelo polémico com o colega de equipa Webber, Vettel levou a melhor, deixando o australiano no 2º lugar. Hamilton foi 3º, com a Ferrari apagada. Ogier continua a dominar WRC Depois da Suécia, Sebastian Ogier venceu no México. Sem Loeb a fazer-lhe frente, o piloto da VW não teve grandes dificuldades em garantir este resultado, isolando-se na tabela de pontos. Mikko Hirvonen foi 2º, a mais de 3 minutos, enquanto Neuville foi o melhor da Ford, encerrando o pódio.

César Machado no dilúvio de Braga © Interslide QUER FAZER PUBLICIDADE À SUA EMPRESA? QUER COLOCAR O SEU CARRO À VENDA? QUER ENVIAR UM COMUNICADO DE IMPRENSA? famalicaomotor@gmail.com

FICHA TÉCNICA FOTOS Capa: Paulo Pacheco Fotos: João Lavadinho, Nuno Pimenta, FotoGTI, Interslide, Paulo Pacheco, OnShot, Full Attack Report e assessorias de imprensa

Vitória de Kopecky nas Canárias O piloto da Skoda foi o mais forte em mais uma ronda do Europeu de Ralis. Contudo, só chegou ao comando depois da saída de Robert Kubica, até então a dominar os acontecimentos. Craig Breen (Peugeot) foi 2º e Luís Monzón, a jogar em casa, levou o Mini JCW RRC ao 3º lugar final. Yvan Muller e Chevrolet não dão chances Monza assistiu à primeira ronda do WTCC. Muller venceu as duas corridas, levando atrás de si na 1ª corrida o colega de equipa Tom Chilton e Alex MacDowell, todos em Chevrolet. O francês repetiu a dose na 2ª, mas desta feita com Michel Nkjaer em 2º e Tarquini, que foi o melhor dos “outros”. Tiago Monteiro juntou um 5º e um 8º lugar..


Nº 2 – ABRIL 2013

Breves

RALI SANTO THYRSO conVIDA EM MAIO Mesmo aqui ao lado, no concelho vizinho, disputar-se-á no primeiro fim de semana de Maio o Rali Santo Thyrso conVida. A prova será, como habitualmente, organizada pelo Demoporto, pontuando para o Campeonato Regional de Ralis/Norte, para além da prova extra.

REGULARIDADE COM TROFÉU NO NORTE Seis clubes ligados aos automóveis antigos juntaram-se e criaram o Troféu ACAAN/”Fernando Batista”. Esta competição engloba seis ralis de regularidade, sendo o Clube Automóvel Antigo e Clássico de V. N. Famalicão o responsável pela Volta ao Minho, marcada para 19 de outubro. O arranque do troféu é a 11 de maio, em Amarante.

RICARDO COSTA FOI 6º NO RALI DO COCIDO O Rali do Cocido disputou-se nos dias 16 e 17 de março, sendo mais uma das provas pontuáveis para o campeonato Galego de Rallyes. A dupla famalicense Ricardo Costa e Nuno Almeida voltou a marcar presença ao volante de um Peugeot 206 S1600, terminando no 6º lugar da geral. Como havia sido planeado, os objetivos da equipa foram alcançados, pois após diversas dificuldades a dupla terminou a prova em 3o Lugar da "Copa Top Ten Pirelli", vencendo ainda a classe A7 e terminando num 6a posição da classificação geral. "O resultado é muito positivo, pois apesar de sabermos que podemos lutar pelo pódio na competição que estamos inseridos, as condições dos pisos muito enlameados e a escolha errada dos pneus, fez-nos perder alguns segundos nos primeiros trocos", referiu Ricardo Costa. Na segunda passagem pelo primeiro troço, e após um excesso cometido numa zona muito escorregadia, "Fomos surpreendidos por uma reação estranha da traseira do 206, que quase nos deixou fora de prova", dizia Nuno Almeida, mas felizmente apenas originou um furo na roda trás esquerda, que fez perder cerca de 30 segundos para os adversários mais diretos. Uma vez que diferença para a liderança se acentuou, restou à dupla famalicense moderar o andamento para amealhar pontos na classificação da "Copa Top Ten Pirelli", por vezes sendo bastante rápidos em alguns dos troços.

VITÓRIA FUGIU POR POUCO AO TEAM BILRACING O Campeonato Nacional de Enduro prosseguiu em Góis, contando com a presença do Team Bilracing e de vários pilotos a defenderem as cores da equipa de Famalicão. Mais um pódio e dois 4ºs lugares espelham mais uma excelente prova da formação, sublinhando o seu valor como uma das mais fortes do campeonato. Focado nos melhores lugares da categoria Verdes 2, Ivo Pinto “Brex” conquistou o 2º lugar final, subindo assim uma posição face à primeira prova. Em Góis, o piloto da KTM evidenciou, uma vez mais, grande forma e viu a vitória fugir depois de uma queda. “A prova era do meu agrado, com especiais rápidas e largas. Sentia-me motivado e andei na discussão da vitória à milésima, mas decidi arriscar um pouco mais na última especial, só que uma ligeira queda fez-me perder algum tempo”, explicou Ivo Pinto “Brex”, que neste momento segue na 2ª posição do campeonato, apontando baterias para a próxima etapa, assumindo “querer lutar pelo primeiro lugar, depois de me ter escapado desta forma”. Nesta categoria, Armindo Araújo foi 4º, terminando assim às portas do pódio. Depois do 9º lugar na primeira prova, o ex-campeão mundial de ralis PWRC mostrou-se mais à vontade e confiante, melhorando bastante o resultado final. Araújo segue também na 4ª posição no campeonato. Nos Veteranos, o pódio fugiu por poucos segundos a António Faria, que terminou em 4º lugar. O bicampeão regional nesta categoria conseguiu melhorar a performance evidenciada no primeiro confronto e mostrou uma vez mais estar no lote dos mais rápidos nesta categoria. A efetuar a primeira prova da temporada, Paulo Soares terminou em 8º, fechando assim mais um bom resultado conjunto do Team Bilracing.


Nº 2 – ABRIL 2013

Breves

VITOR SOUSA COM BOM COMEÇO NO TRIAL 4X4

CURSO DE NAVEGADORES TEVE NOTA POSITIVA

A temporada de Trial4x4 para Vítor Sousa teve o seu arranca em meados de Março com a realização da primeira jornada do Campeonato Nacional de Trial 4x4. A participar na Divisão 2 da categoria máxima do Trial em Portugal, o piloto de Famalicão logrou estrear-se no pódio com a obtenção da 3ª posição final, ao cabo de três difíceis horas de puro trial 4x4 pelos trilhos lamacentos da serra da cidade de Valongo: “Foi uma jornada muito dura, numa excelente pista de trial. A aposta no CNTrial4x4 começa a dar resultados e espero poder continuar nas próximas provas a somar pontos para a competição, juntando espetáculo e momentos de diversão. O CNTrial 4x4 faz parte do programa desportivo delineado para esta temporada, assim como o Troféu JiiPark, apoiado na estrutura da Tuff4x4”, afirmou Vítor Sousa.

O Team Baia organizou em Vila Nova de Famalicão, um curso de navegadores., que decorreu nos dias 2 e 3 de março. A iniciativa contou com 17 formandos e teve como formadores, os experientes João Ruivo, Alberto Silva, Filipe Martins, João Peixoto e Bruno Costa.

Também a jornada de abertura do Troféu JiiPark acabou por correr na perfeição para a dupla Vítor Sousa/Tiago Santos, ao cumprir amplamente o principal objetivo nesta prova que era terminar e pontuar. Sob más condições meteorológicas, o piloto de Famalicão entrou com algumas cautelas e nos obstáculos, na sua maioria naturais, muito escorregadios, a dupla da «Tuff 4x4/Grupo SM» não teve qualquer percalço, beneficiando da excelente preparação do Nissan Patrol, a cargo da Tuff4x4. Após as duas horas de resistência o piloto de Famalicão, terminou na 4ª posição, totalizando as mesmas sete voltas do 3º classificado: “Coreu tudo em pleno, não tivemos qualquer percalço e o carro esteve excelente. Agradeço à Tuff4x4 que tem desenvolvido um excelente trabalho na preparação de viaturas para o todo terreno,” concluiu .

No sábado, o dia foi dedicado a aulas teóricas, na Escola de Condução Famalicense, onde os formandos tiveram a oportunidade de receber formação dos os experientes João Ruivo, Alberto Silva, Filipe Martins e João Peixoto em relação às notas, cartas de controlo, ficando a formação mecânica a cargo de Bruno Costa. No domingo, os formandos tiveram a oportunidade de pôr em prática todos os conhecimentos adquiridos no dia anterior, efetuando duas passagens numa especial de cerca de 2 km destinada para o evento. Os formandos foram divididos por dois grupos (A e B), com oito formandos cada grupo, que tiveram oportunidade de navegar oito pilotos: Miguel Barbosa, João Ruivo, João Faria, Filipe Martins, Miguel Barroso, Jacinto Torres, Marco Pacheco e Daniel Miranda. Os formandos tiveram a possibilidade de pôr em pratica, em condições reais de corrida, todas as técnicas adquiridas no curso. O Rali para cada grupo iniciava-se no parque fechado, passando depois pelo parque de assistência, ambos nas instalações da Transfradelos, encaminhando-se posteriormente para a especial em ligação. No final da primeira especial existia um reagrupamento e um reabastecimento na zona envolvente à especial de classificação. No final da segunda especial ,as duplas encaminhavam-se para o parque fechado, para assim garantir que os formandos tomavam pulso de todas as situações inerentes a um rali. No final, todos os formandos receberam o respetivo diploma referente ao curso, mostrando a satisfação pelos conhecimentos adquiridos ao longo deste fim de semana bem passado. O convívio não terminou sem antes todos serem presenteados com vários co-drives com os pilotos presentes no local.


Nº 2 – ABRIL 2013

Europeu GT4

Jovem famalicense lança-se no Europeu de GT4

Depois de uma notável época de estreia ao nível dos GT em 2012, ano que terminou com a conquista de dois títulos, Mauro Marques enfrenta esta época, novos e aliciantes desafios. Com efeito, o jovem piloto famalicense vai integrar o pelotão dos concorrentes à Avon GT4 European Trophy 2013, competição dedicada em exclusivo aos carros de Grande Turismo da Categoria GT4. Mauro Marques volta a ter como companheiro de equipa Fábio Mota, com quem vai dividir o volante do competitivo Aston Martin Vantage V8, preparado e assistido mais uma vez pela prestigiada equipa portuguesa Veloso Motorsport. Será o reeditar de um grupo de trabalho que tão bons resultados obteve em 2012, com a conquista do Iberian Supercar Trophy e da Taça de Portugal de GT, assim como o vicecampeonato português. Ciente do desafio que vai enfrentar, Mauro Marques não deixa de estar otimista, ”vai ser certamente um ano muito difícil. Temos muita coisa para aprender, como por exemplo as pistas, onde nunca

andei. Por outro lado a competitividade vai ser muito maior do que a que tivemos o ano passado, dado ser um campeonato com muitas equipas de fábrica e pilotos com muita experiência. A vontade de fazer coisas boas é muita e por isso estou confiante que poderemos ser competitivos e conseguir boas classificações.” Acabado de completar 20 anos, Mauro Marques conta com a ajuda da equipa e dos seus familiares e amigos para enfrentar esta difícil época, ”a Veloso Motorsport com a sua experiência internacional vai ser uma ajuda preciosa, até porque teremos de tentar conhecer as pistas e afinar o carro no período de treinos livres e isso não será fácil, mas acredito que conseguiremos ser competitivos e lutar pelas melhores posições com a ajuda de todos. Esta competição tem uma exigência muito grande, mas também têm uma visibilidade enorme. Estas características foram determinantes para optarmos pelo GT4 European Trophy, em

vez de outras alternativas que estudamos e para as quais tínhamos propostas igualmente interessantes.” Para além da presença nesta prestigiada competição internacional, Mauro Marques tem também já garantida a presença no Circuito da Boavista, numa jornada sempre diferente, com um circuito aliciante e onde o público marca sempre presença em grande número. Outras participações esporádicas em termos nacionais estão igualmente em equação. CALENDÁRIO EUROPEU GT4

26 de Maio – Silverstone (Inglaterra) 09 de Junho – Assen (Holanda) 27 de Julho – Spa (Bélgica) 17 de Agosto – Anderstorp (Suécia) 13 de Outubro – Zandvoort (Holanda)


Nº 2 – ABRIL 2013

Rali Cidade de Castelo Branco

Chuva não impediu que o piloto do Renault repetisse o triunfo de 2012

Aproveitando o interregno no Campeonato de Portugal de Ralis, João Barros/Jorge Henriques foram rodar mais alguns quilómetros a Castelo Branco e em boa hora o decidiram fazer. A segunda ronda do Open de Ralis ganhou assim mais um interveniente na discussão do triunfo e assistiu a mais uma bela exibição do piloto do Renault Clio S1600. A chuva foi marcando presença a espaços neste Rali de Castelo Branco, sobretudo na fase inicial da prova, dificultando a tarefa dos pilotos presentes. Aliás, foi precisamente na PEC 1 que aconteceram os fatos que marcaram o rali, com dois despistes a obrigarem a intervenção dos bombeiros (ver caixa). No capítulo desportivo, a discussão pelos lugares cimeiros estava interessante, com Mário Barbosa a instalar o seu Citroën Saxo Kit Car no comando das operações logo no início. Contudo, João Barros cedo mostrou ao que vinha e rodar não era só o seu objetivo, pois o ritmo era de quem também vinha para vencer, suplantando o seu adversário logo na especial seguinte. E Barros mais descansado ficou quando o homem do Citroën acabou o rali fora de estrada, ainda nas especiais da manhã.

quando tudo já estava praticamente decidido e João Barros já adotava um ritmo de gestão, embora ainda se tenha assustado com um furo no Renault, contudo a vitória já não lhe escapava. Carlos Martins segurou confortavelmente o 2º lugar, uma posição que lhe permite obter a pontuação máxima no campeonato das quatro rodas motrizes, portanto um resultado que o deixou muito satisfeito no final. O pião na especial inaugural atrasou-o e a partir daí procurou defender-se do ataques de quem o seguia, nomeadamente Diogo Salvi.

Salvi ainda ameaçou na fase inicial, mas viu a distância ser aumentada à medida que o rali ia avançando, contentando-se por isso com o lugar mais baixo do pódio. As impressões que o piloto do Mitsubishi Lancer VIII deixou foram, uma vez mais, positivas e a vitória que tanto procura pode estar mais perto. CLASSIFICAÇÃO FINAL

A partir daqui, João Barros foi cavando a diferença para o 2º classificado, Carlos Martins, que se atrasou depois de um pião e não conseguia encurtar a distância para a liderança. Com um Mitsubishi Lancer VII irrepreensível, Martins ainda logrou vencer três classificativas na parte da tarde,

POS

PILOTO

CO-PILOTO

CARRO

TEMPO

João Barros

Jorge Henriques

Renault Clio S1600

58m40,2s

Carlos Martins

Pedro Conde

Mitsubishi Lancer VII

a 08,5s

Diogo Salvi

Filipe Carvalho

Mitsubishi Lancer VIII

a 23,0s

António Rodrigues

Jorge Carvalho

Peugeot 206 GTI

a 2m08,7s

Carlos Cruz

Paulo Santos

Peugeot 206 RC

a 2m09,2s

Luís Mota

Alexandre Ramos

Mitsubishi Lancer VII

a 2m20,0s

Fernando Teotónio

Luís Morgadinho

Mitsubishi Lancer VI

a 2m35,7s

Gil Antunes

Carlos Ramiro

Peugeot 206 GTI

a 3m17,5s

André Cabeças

Júlio Sousa

VW Golf Kit Car

a 3m43,0s

10º

João Ruivo

João Peixoto

Peugeot 206 GTI

a 4m46,6s

15º

Nuno Pombo

Guilherme Pereira

Renault Clio R3

a 6m40,8s

23º

Luís Bastos

Paulo Marques

Mitsubishi Lancer V

a 12m49,4s

26º

Rafael Cardeira

António Campos

Seat Marbella

a 22m58,3s

(1º Modelstand)

(…)

Terminaram 27 concorrentes

(1º Fastbravo)


Nº 2 – ABRIL 2013

Rali Cidade de Castelo Branco

Depois de uma paragem após ter sido campeão do Open de Ralis, António Rodrigues voltou à competição e com grande ritmo. Com Jorge Carvalho do seu lado direito e ao volante de um Peugeot 206 GTI do Desafio Modeltand, Rodrigues cedo deu a entender que não teria adversários à altura nesta competição. O fosso para os diretos perseguidores foi aumentando e Rodrigues regressou assim da melhor forma aos ralis nacionais.

conseguiu levar a sua tática avante, ainda que tenha deixado um bom registo para o futuro.

Também ele um piloto ocasional, que vai marcando presença em alguns ralis durante a época, Carlos Cruz foi outro dos protagonistas da prova. Para além de um despiste na primeira especial (ver caixa), esteve sempre muito forte e numa interessante luta com António Rodrigues, que perdeu por meio segundo. Rodando em grande parte da prova na 4ª posição, ainda que sem grandes chances de ameaçar os três homens da frente, Luís Mota viu a caixa de velocidades do Mitsubishi Lancer VII ceder na fase final da prova. Esse contratempo relegou o piloto do Cartaxo para a 6ª posição final, ainda assim com um pódio no que respeita às quatro rodas motrizes.

Estreia feliz do Mitsubishi Lancer VI de Fernando Teotónio, que terminou em 7º. Durante a manhã andou a tentar perceber as reações do novo carro, para durante a tarde arriscar tudo, montando pneus de seco. A chuva apareceu e Teotónio não.

Gil Antunes foi 8º da geral, segundo no Desafio Modelstand. O piloto do Peugeot 206 GTI entrou cauteloso e viu-se logo surpreendido por António Rodrigues. A partir daí, pouco ou nada poderia ter feito para contrariar o andamento do seu adversário. Ainda assim, Gil Antunes termina a prova albicastrense na liderança do campeonato das duas rodas motrizes e do Desafio Modelstand. Boa prova também para André Cabeças, com o VW Golf Kit Car. Um problema de embraiagem fê-lo perder algum tempo e as escolhas de pneus também não foram as ideais, impedindo assim de ir mais além. Ainda assim, foi o melhor das duas rodas motrizes no Regional. A encerrar o grupo dos dez mais rápidos, a dupla famalicense João Ruivo/João Peixoto regressou com um bom resultado. Mesmo com falta de ritmo, Ruivo atingiu o pódio no Desafio Modelstand, rodando sempre nos lugares da frente e deixando boas referências para o que resta da temporada, onde deverá ser um dos principais animadores nesta competição monomarca.

Também a aproveitar para rodar pela primeira vez com o Renault Clio R3 em pisos de asfalto, Nuno Pombo e o famalicense Guilherme Pereira, rodaram algumas afinações e na parte da tarde já rodaram num ritmo que os deixou satisfeitos. No final, foram 15ºs classificados. Menos sorte teve o jovem Luís Bastos e o famalicense Paulo Marques, pois já na fase final da prova, dois furos no Mitsubishi Lancer V relegaram-no para posições que não condizem com o andamento. Ainda assim, venceram o Júnior. Destaque para Mário Barbosa, que na PEC 3 acabou numa ravina, quando seguia na 2ª posição, depois de ter sido o primeiro líder da prova. Também o azar bateu à porta de Eduardo Veiga e do famalicense Justino Reis, com um ligeiro toque.


Nº 2 – ABRIL 2013

Rali Cidade de Castelo Branco

PEC 1 – Rapoula 1

PEC 2 – Sob. Ribeira 1

PEC 3 – Rapoula

POS

PILOTO

TEMPO

POS

PILOTO

TEMPO

POS

PILOTO

M. Barbosa D. Salvi J. Barros L. Mota C. Martins A. Rodrigues F. Teotónio V. Ribeiro A. Cabeças C. Cruz

4:27,6 + 0,7 + 5,0 + 6,3 + 8,8 + 11,1 + 12,0 + 15,0 + 15,3 +18,7

J. Barros C. Martins M. Barbosa D. Salvi V. Ribeiro C. Cruz L. Mota G. Antunes A. Rodrigues F. Teotónio

8:28,6 + 7,0 + 8,1 + 15,4 + 17,1 + 20,9 + 26,7 + 29,3 + 30,9 + 31,7

J. Barros C. Martins M. Barbosa D. Salvi L. Mota A. Rodrigues E. Veiga A. Cabeças F. Teotónio L. Bastos

2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º

2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º

PEC 4 – Sob. Ribeira 2

2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º

PEC 5 – Amieirinha 1

TEMPO

2 4:15,4 + 5,4 + 7,9 + 10,7 + 14,7 + 16,9 + 17,2 + 17,5 + 17,6 + 20,5

PEC 6 – Azenha 1

POS

PILOTO

TEMPO

POS

PILOTO

TEMPO

POS

PILOTO

TEMPO

J. Barros C. Martins D. Salvi A. Cabeças E. Veiga F. Teotónio A. Rodrigues C. Cruz L. Mota L. Bastos

8:26,1 + 4,4 + 11,5 + 21,8 + 24,0 + 24,6 + 25,2 + 25,8 + 27,5 + 29,3

J. Barros C. Cruz C. Martins A. Rodrigues D. Salvi L. Mota F. Teotónio L. Bastos J. Ruivo G. Antunes

7:44,8 + 18,6 + 19,6 + 22,5 + 24,9 + 28,8 + 31,3 + 31,4 + 38,6 + 42,8

J. Barros D. Salvi C. Martins A. Rodrigues C. Cruz L. Mota F. Teotónio G. Antunes J. Soares L. Bastos

7:26,7 + 6,1 + 14,2 + 18,5 + 21,3 + 23,1 + 25,3 + 29,9 + 32,2 + 39,5

2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º

2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º

PEC 8 – Azenha 2

PEC 7 – Amieirinha 2

2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º

PEC 9 – Super Especial

POS

PILOTO

TEMPO

POS

PILOTO

TEMPO

POS

PILOTO

TEMPO

C. Martins D. Salvi L. Mota C. Cruz G. Antunes F. Teotónio A. Rodrigues J. Barros J. Soares S. Gonzaga

7:54,4 + 2,9 + 14,1 + 25,1 + 25,2 + 29,4 + 30,6 + 35,2 + 35,3 + 36,9

C. Martins D. Salvi J. Barros A. Rodrigues G. Antunes C. Cruz F. Teotónio J. Soares A. Cabeças L. Mota

7:35,4 + 0,6 + 6,1 + 17,6 + 24,0 + 24,2 + 24,9 + 34,1 + 36,6 + 38,2

C. Martins D. Salvi N. Pombo J. Barros C. Cruz A. Rodrigues J. Soares G. Antunes S. Vaz H. Antas

1:29,9 + 1,1 + 4,3 + 4,6 + 4,6 + 6,3 + 6,6 + 7,1 + 7,8 + 8,9

2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º

2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º

Vitória de João Barros Organização do rali Ritmo de A. Rodrigues

altos & baixos Cerimónia do pódio Acidentes e atrasos OCS generalistas

2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º

CLASSIFICAÇÃO CAMPEONATO 2RM 1º Gil Antunes 37 1º Carlos Ramiro 37 2º João Barros 25 2º Jorge Henriques 25 3º Miguel Teixeira 18 3º Joel Costa 18 4º António Rodrigues 18 4º Jorge Carvalho 18 5º Júlio Bastos 15 5º Aníbal Pereira 15 CLASSIFICAÇÃO CAMPEONATO 4RM 1º Carlos Martins 50 1º Filipe Carvalho 30 2º Diogo Salvi 30 2º Alexandre Ramos 30 3º Luís Mota 30 3º Pedro Peres 25 4º Luís Bastos 26 4º Pedro Conde 25 5º Fernando Teotónio 12 5º Estefânio Pinto 18 DESAFIO MODELSTAND TROFÉU FASTBRAVO 1º Gil Antunes 57 1º Rafael Cardeira 30 2º Herculano Antas 44 2º Jorge Ribeiro 18 3º Roberto Canha 44 3º Fábio Paço 14


Nº 2 – ABRIL 2013

Rali Cidade de Castelo Branco

DECLARAÇÕES DOS FAMALICENSES ANTÓNIO RODRIGUES / JORGE CARVALHO 4º geral – 2º 2RM – 1º Modelstand Foi um rali difícil, com os troços muito escorregadios, que não ajudavam em nada à falta de adaptação ao carro, pois já estávamos parados há 15 meses e não fizemos testes antes do rali. Imprimimos um ritmo não só para garantir a vitória no troféu, mas também para obter um resultado no Top 5 da geral e assim poder lutar pelo título Nacional destinado aos carros de duas rodas motrizes

JOÃO RUIVO / JOÃO PEIXOTO 10º geral – 6º 2RM – 3º Modelstand Correu dentro do que esperávamos, pois queríamos ir aumentando o ritmo ao longo do dia. Isto foi conseguido na 1ª Secção, pois terminámos já com tempos próximos dos dois mais rápidos, o que nos satisfez, pois o objetivo é lutar com eles pelas vitórias. Na 2ª parte da prova rebentou a correia do alternador e ficámos sem direção assistida. A partir daqui, perdemos sempre tempo até final, mas com algum esforço conseguimos manter o 3º lugar no troféu

NUNO POMBO / GUILHERME PEREIRA 15º geral – 11º 2RM Apesar de não termos um objetivo competitivo para este rali e de termos estado aqui apenas para ganhar ritmo e confiança com o carro, acabamos por ter uma prova extremamente difícil, com condições climatéricas muito exigentes para a condução. Foi uma prova discreta mas muito positiva, um bom teste em ambiente de competição. Preparamos a próxima prova do CPR2, isso é positivo.

LUÍS BASTOS / PAULO MARQUES 23º geral – 6º 4RM – 1º Júnior Ainda não estamos completamente à vontade neste tipo de piso e com condições difíceis, mas fomos melhorando os tempos troço a troço. Depois no final do rali, os dois furos foram um desfecho inglório e comprometerem a classificação final, ainda que tenha conseguido manter a vitória no Júnior, o grande objetivo neste rali.

EDUARDO VEIGA / JUSTINO REIS Abandono Troços novos, muita chuva e sem pneus próprios e a fazer a primeira experiência com jantes de uma medida diferente, tornaram a prova assustadora. De manhã, fica para registo uma saída, que custou 1 minuto. Depois fizemos bons cronos, face àquelas condições, e com um carro de tração atrás, isso agradou-nos, até um toque impossibilitar a continuação, já na secção da tarde.


Nº 2 – ABRIL 2013

Rali Cidade de Castelo Branco PEDRO FINS / SÉRGIO ROCHA Abandono A primeira PEC foi anulada, o que por si só, já foi muito mau. Ficamos logo à partida com um atraso de mais de 26s para o 1º lugar sem nada podermos fazer. À entrada da segunda PEC, o carro simplesmente não pegou, e tivemos que desistir mais à frente. Precisamos de pontuar em todos os ralis, vamos pensar num rali de cada vez e a partir do momento em que desistirmos, vamos ponderar a continuação.

ANTÓNIO RODRIGUES REGRESSOU EM FORÇA

CARDEIRA VENCE FASTBRAVO Praticamente sem história, o Troféu Fastravo teve em Rafael Cardeira o vencedor em Castelo Branco. Os pequenos Seat Marbella estiveram em pouco número, com apenas dois concorrentes a atingirem o final da prova. Cardeira foi quem levou a melhor sobre Nuno Figueiredo, depois deste se ter atrasado bastante. Pior sorte teve Fábio Paço, que foi obrigado a abandonar.

CLÁSSICOS APAGADOS A ausência de Aníbal Rolo tirou algum protagonismo ao Troféu Nacional de Clássicos, que assim teve como vencedor e único participante a dupla Vìtor Torres/Bárbara Torres, em Ford Escort RS. Logo na primeira PEC se percebeu que o regresso de António Rodrigues trazia também um sério candidato ao Desafio Modelstand, competição organizada pela Exporacing. A vantagem conquistada foi de 16 segundos face a Gil Antunes e muitos dos restantes candidatos, nem sequer efetuaram a especial, ficando com o tempo de Roberto Canha.

JÚNIOR PARA LUÍS BASTOS Mesmo com dois furos na fase final, Luís Bastos levou a melhor entre os concorrentes ao Campeonato de Portugal Júnior de Ralis. Com argumentos muito superiores aos adversários, o piloto do Mitsubishi venceu com naturalidade, na frente de Rafael Cardeira.

A partir daqui, Rodrigues foi gerindo a sua prova e Gil Antunes foi dando o que tinha, mas cedo perceber que o 2º lugar seria o melhor a que poderia aspirar, até porque a vantagem que tinha para trás era também suficiente para moderar o ritmo. A luta centrou-se no lugar mais baixo do pódio, sorrindo a João Ruivo. O famalicense entrou calmo e a encontrar o seu ritmo, chegando ao 3º lugar ainda na secção da manhã. O abandono de Nuno Coelho facilitou a consolidação da posição, pese embora um problema com a correia do alternador. CLASSIFICAÇÃO FINAL

1º António Rodrigues/Jorge Carvalho - 1h00m48,9s 2º Gil Antunes/Carlos Ramiro, a 1m08,8s 3º João Ruivo/João Peixoto, a 2m23,9s 4º Salvador Gonzaga/Paulo Lopes, a 3m12,3s 5º Roberto Canha/Miguel Cruz, a 3m56,2s 6º Herculano Antas/Luís Silva, a 6m06,6s 7º Sérgio Vaz/Ilberino Santos, a 7m06,0s

MARTINS NO REGIONAL Carlos Martins foi o mais rápido entre os concorrentes do Regional Centro, naquela que foi a primeira prova da época. Luís Mota e Fernando Teotónio completaram o pódio, enquanto André Cabeças levou a melhor nos 2RM.


Nº 2 – ABRIL 2013

A NEUTRALIZAÇÃO DA PEC 1 A primeira especial do Rali Cidade de Castelo Branco fez correr muita tinta. Dois acidentes simultâneos, em locais diferentes, obrigaram à sua interrupção e à entrada dos meios de socorro pois registaram-se dois feridos. Carlos Cruz não evitou uma saída e o Peugeot 206 RC colheu um repórter de imagem da Movielight, empresa que produz os conteúdos dos ralis nacionais. Entretanto e logo no início da PEC, Marco Cid não evita uma saída e fica queixoso da mão, com o Mitsubishi Lancer VI a ficar a obstruir a passagem.

Rali Cidade de Castelo Branco A Escuderia de Castelo Branco e a Movielight pareciam não estar de acordo quanto ao acidente, pois numa primeira fase, o clube afirmou que o repórter estava mal localizado, o que não se confirmou pelo relatório da GNR, originando um esclarecimento e uma correção por parte da direção de prova repondo a veracidade dos fatos. Também nota negativa para a comunicação social generalista, que rapidamente ocorreu ao local, ficando mais uma vez provado que os ralis são uma notícia fácil quando há acontecimentos extradesportivos.

É dado o alerta das situações, com as ambulâncias a dirigirem-se para os dois locais. Se Marco Cid foi encaminhado para o hospital por precaução, já as lesões do repórter eram mais graves, tendo mesmo que ser transportado por helicóptero para Coimbra, onde se viriam a confirmar várias fraturas e escoriações. O rali sofria assim um grande atraso, pois o helicóptero teve de aterrar em pleno troço, no entanto fica o registo da prontidão e eficácia dos meios de socorro aos serviço da prova. Não só nesta situação, mas noutras ao longo do rali, a Escuderia de Castelo Branco deu provas de estar à altura, num rali que é candidato à subida ao Campeonato de Portugal de Ralis. PROVA: Rali Cidade de Alfena CLUBE ORGANIZADOR: Clube Aventura do Minho DATA: 19 e 20 de abril de 2013 PONTUÁVEL: Campeonato Open de Ralis Campeonato de Portugal Júnior Ralis Campeonato Regional de Ralis/Norte Troféu Nacional de Clássicos/Ralis Desafio Modelstand Troféu Fastbravo CENTRO OPERACIONAL: Zona Industrial PÓDIO: Zona Industrial DIRETOR DE PROVA: Miranda Cardoso QUILOMETRAGEM (Total/PEC’s): 109,00 / 55,64

Depois de durante alguns anos ter tido Monção como palco, o rali organizado pelo CAMI passa agora para Alfena, mantendo os pisos de asfalto. Assim, nos dias 19 e 20 de abril, a capital do brinquedo recebe a terceira prova do Open de Ralis, numa prova cujo esquema já é conhecido e utiliza traçados percorridos noutros ralis, nomeadamente o Sponsor Rally Day. O CAMI preparou um rali compacto, com quatro classificativas a serem percorridas por duas vezes, perfazendo 55,84 quilómetros cronometrados. Até ao momento, ainda não são conhecidos os mapas e acessos às zonas espetáculo do rali, tal como é ainda prematuro para avançar com listas de inscritos provisórias, no entanto aguardam-se os principais nomes do Open, aos quais se podem juntar alguns pilotos da região do Porto, dada a proximidade desta prova.

PROGRAMA 20 de abril 15h00 – 15h05 – 15h28 – 15h50 – 16h13 – 16h35 – 16h50 – 17h10 – 17h53 – 18h15 – 18h38 – 19h00 – 19h15 – 19h30 –

Partida Assistência 10’ (Zona Industrial) PEC 1 – Alfena 1 (6,41 km) PEC 2 – Agrela 1 (6,09 km) PEC 3 – Vilar de Luz 1 (8,72 km) PEC 4 – Maia 1 (6,60 km) Reagrupamento Assistência 30’ (Zona Industrial) PEC 5 – Alfena 2 PEC 6 – Agrela 2 PEC 7 – Vilar de Luz 2 PEC 8 – Maia 2 Assistência 10’ (Zona Industrial) Chegada/Pódio


Nº 2 – ABRIL 2013

Rali de Portugal

Entre 11 e 14 de abril no Algarve e Baixo Alentejo

Está de volta o Mundial de Ralis ao nosso país! Tudo apostos para o Vodafone Rali de Portugal, uma prova que costuma trazer algumas surpresas e vitórias inesperadas, para além de ser a primeira edição da prova organizada pelo Automóvel Clube de Portugal que não contará com nenhum campeão do mundo, uma vez que Sebastian Loeb não estará presente. Com duas vitórias já amealhadas no ano de estreia do VW Polo WRC, Sebastien Ogier apresenta-se no nosso país na liderança do campeonato e tem vindo a mostrar que o ano zero da marca alemã é tudo menos… zero. Nos primeiros ralis do ano, Ogier já mostrou que conduz um carro bem nascido e mesmo em duelo direto com o 9 vezes campeão Sebastian Loeb mostrou ser superior, enquanto que os nomes que lhe irão fazer frente ao longo do ano estão já bastante distantes. E aqui as desilusões até ao momento são várias, a começar por Mikko Hirvonen, que tarda em afirmar-se como primeiro piloto da Citroën, passando por Dani Sordo, que ainda procura o primeiro triunfo no WRC, não esquecendo Latvala que já testou a fiabilidade das carroçarias do VW Polo por mais do que uma vez e terminando na Ford, cujos azares variaram de piloto para piloto, agora que o apoio oficial é inferior. Mas durante três dias, o Rali de Portugal encarregar-se-á de trazer novas histórias e novos capítulos ao Campeonato do Mundo de Ralis e no dia 14 de abril iremos ter um novo vencedor da prova ou teremos um repetente? Neste último caso, Ogier (2010 e 2011) e Ostberg (2012) são os únicos nessas condições, porventura, talvez os mais sérios candidatos à vitória. Ingredientes não irão faltar para que Portugal assista a um grande espetáculo e faça crer que este ainda é e continuará a ser um dos melhores ralis do mundo.


Nº 2 – ABRIL 2013

Rali de Portugal

EQUIPAS E PILOTOS CITROËN TOTAL ABU DHABI WRT CITROËN DS3 WRC Sem Sebastien Loeb, Hirvonen e Sordo ainda não definiram bem as suas posições, faltando um líder à equipa. O início de época tem sido cinzento para ambos, ainda que com Loeb, a equipa do double chevron tenha vencido em Montecarlo e sido 2ª na Suécia. Hirvonen foi 2º no México, mas longe da vitória, enquanto Sordo encerrou o pódio no primeiro rali, mostrando que é no asfalto que se sente confortável. Al Qassimi estreia-se em Portugal aos comandos do DS3 WRC, no entanto, deverá lutar pelos lugares que fecham o Top-10.

MIKKO HIRVONEN

DANI SORDO

KHALID AL QASSIMI

124 RALIS 15 VITÓRIAS 61 PÓDIOS 32 ANOS

NAVEGADOR: JARMO LEHTINEN 2013: 3º - 30 PTS

90 RALI 0 VITÓRIAS 33 PÓDIOS 29 ANOS

NAVEGADOR:

45 RALIS 0 VITÓRIAS 0 PÓDIOS 41 ANOS

NAVEGADOR: SCOTT MARTIN 2013: NC - 0 PTS

Robert Kubica é uma atrações do Rali de Portugal. O polaco, depois de um grave acidente num rali durante a pré temporada da Fórmula 1, em 2011, deixou-o de fora da competição e o piloto assumiu que o futuro na F1 estaria comprometido pelas limitações na mão direita. A Citroën estava atenta e antecipou-se este ano e garantiu a Kubica uma temporada dividida entre o Europeu de Ralis e o WRC2, ao volante de um Citroën DS3 RRC. Nas Canárias, Kubica liderou durante dez classificativas, até bater e abandonar, deixando boas perspetivas, mas na terra ainda não fez qualquer rali, pelo que terá um dos focos de atenção desta prova sobre si.

CARLOS DEL BARRIO

2013: 4º - 27 PTS


Nº 2 – ABRIL 2013

Rali de Portugal

EQUIPAS E PILOTOS QATAR M-SPORT WRT FORD FIESTA RS WRC A M-Sport perdeu este ano o cunho oficial da Ford e ainda Latvala. Ainda assim, é uma das favoritas aos lugares da frente, apresentando um leque de cinco pilotos bastante equilibrado e com muita irreverência. A época não está a ser fácil e os 3ºs lugares de Ostberg (Suécia) e Neuville (México) são o que a Ford melhor fez. Novikov está a ter um ano para esquecer, Attiyah ainda só fez um rali e Hanninen tem aqui a oportunidade de segurar um lugar. Depois da vitória lhe ter sorrido na edição passada, poderá Ostberg repetir o feito este ano?

MADS OSTBERG

EVGENY NOVIKOV

NASSER AL ATTIYAH

THIERRY NEUVILLE

JUHO HANNINEN

44 RALIS 1 VITÓRIA 5 PÓDIOS 25 ANOS

NAVEGADOR: JONAS ANDERSSON 2013: 5º - 26 PTS

30 RALIS 0 VITÓRIAS 2 PÓDIOS 22 ANOS

NAVEGADOR:

55 RALIS 0 VITÓRIAS 0 PÓDIOS 42 ANOS

NAVEGADOR:

18 RALIS 0 VITÓRIAS 1 PÓDIO 24 ANOS

NAVEGADOR: NICOLAS GUISOUL 2013: 6º - 25 PTS

33 RALIS 0 VITÓRIAS 0 PÓDIOS 31 ANOS

NAVEGADOR: TOMI TUOMINEN 2013: 11º - 8 PTS

ILKA MINOR

2013: 17º - 3 PTS

GIOVANNI BERNACCHINI

2013: 10º - 10 PTS


Nº 2 – ABRIL 2013

Rali de Portugal

EQUIPAS E PILOTOS VOLKSWAGEN MOTORSPORT VW POLO R WRC A Volkswagen anunciou que neste primeiro ano não queria lutar pelo título, apenas vencer especiais. O objetivo foi alcançado na… primeira do ano e logo aí se percebeu que o Polo R WRC era um carro fantástico e com um potencial enorme. Prova disso são as duas vitórias categóricas de Ogier, enquanto Latvala parece estar a acusar a falta de testes no ano passado, quando ainda estava vinculado à Ford, assumindo que o carro não está ao seu estilo. Em Portugal, estreia um terceiro carro para Andreas Mikkelsen, campeão do IRC 2011.

JARI MATTI LATVALA

SEBASTIEN OGIER

ANDREAS MIKKELSEN

105 RALIS 7 VITÓRIAS 32 PÓDIOS 27 ANOS

NAVEGADOR: MIIKKA ANTILLA 2013: 7º - 15 PTS

46 RALIS 9 VITÓRIAS 17 PÓDIOS 29 ANOS

NAVEGADOR:

21 RALIS 0 VITÓRIAS 0 PÓDIOS 23 ANOS

NAVEGADOR:

Em tudo o que entra, a Volkswagen quer ter notoriedade e sucesso. Foi assim no Dakar, com o Touareg e parece que assim será no WRC, com o Polo. Nada parece ser deixado ao acaso na marca alemã, com bastantes pormenores a fazerem a diferença face aos rivais. Ogier saiu da Citroën - que preferiu manter Loeb -, enquanto Latvala procurou na VW o título que achava ser impossível na Ford, se bem que mais por culpa das suas acrobacias. Ou seja, dois pilotos do pelotão de topo apostaram muito no relançar das suas carreiras, mas parece não ter sido um tiro no escuro. Entretanto, a equipa já se instalou em Portugal para mais uma sessão de testes intensiva, durante uma semana.

JULIEN INGRASSIA

2013: 1º - 74 PTS

MIKKO MARKKULA

2013: NC - 0 PTS


Nº 2 – ABRIL 2013

Rali de Portugal

EQUIPAS E PILOTOS LOTOS TEAM WRC MINI JCW WRC Já ficou por várias vezes provado que o Mini JCW WRC é um carro mal nascido. A própria equipa oficial cedo percebeu isso e mesmo reconhecendo o potencial que o carro tinha para evoluir, abandonou cedo as suas pretensões no WRC. Depois de Armindo Araújo e de Paulo Nobre, agora é a vez do polaco Kosciuszko levar as cores da Mini, por via da Motorsport Italia. A fiabilidade, mais uma vez, tem sido o problema.

MICHAL KOSCIUSZKO

39 RALIS 0 VITÓRIAS 0 PÓDIOS 27 ANOS

NAVEGADOR:

MACIEJ SZCZEPANIAK

2013: 19º - 1 PTO

JIPOCAR CZECH NATIONAL TEAM FORD FOCUS WRC É o único piloto “privado” da Ford, ainda que com apoio da M-Sport e o único WRC a usar pneus DMack. Apesar dessas limitações teóricas, Prokop é 8º no campeonato, fruto de uma regularidade enorme. Aliás, só o checo e Ogier pontuaram nos três primeiros ralis. Nesta prova tentará isso mesmo, ou seja, chegar no lote dos dez mais rápidos e tentar surpreender, melhorando o 7º lugar que tem como melhor posição da época.

NAVEGADOR: MICHAEL ERNST 2013: 8º - 14 PTS

1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º 1º 2º 3º

Sebastien Ogier Sebastien Loeb Mikko Hirvonen Dani Sordo Mads Ostberg Thierry Neuville Jari Matti Latvala Martin Prokop Bryan Bouffier Nasser Al Attiyah WRC 2 Sepp Wiegand Yuriy Protasov Ricardo Trivino

81 RALIS 0 VITÓRIAS 0 PÓDIOS 30 ANOS

MARTIN PROKOP

CLASSIFICAÇÃO WRC 74 1º Citroën Abu Dhabi World Rally Team 43 2º Volkswagen Motorsport 30 3º Qatar M-Sport World Rally Team 27 4º Qatar World Rally Team 26 5º Abu Dhabi Citroën World Rally Team 25 6º Jipocar Czech National Team 15 7º Lotos WRC Team 14 8º 10 9º 10 10º WRC 3 40 1º Sebastien Chardonnet 37 2º 31 3º

87 81 37 35 23 14 12

25


Nº 2 – ABRIL 2013

Rali de Portugal

CAMPEONATOS

Substituiu o SWRC e abrange uma série de carros equilibrados ao nível da sua performance, sendo todos eles bastante competitivos. As classes são N, R4, R5 e S2000, ou seja, carros de 4 rodas motrizes e com especificações idênticas às dos WRC. Os tradicionais Grupo N tem ainda a Production Cup.

Depois de muitos anos com os veículos de duas rodas motrizes a estarem confinados aos pilotos do Júnior WRC, esta temporada a FIA lançou este campeonato. Os carros abrangentes são os do Grupo R, com duas rodas motrizes, ou seja, R3, R2 e R1. Até agora esta competição não tem tido grande adesão.

O Rali de Portugal é a primeira prova da Taça de Ouro de Ralis, uma competição criada pela FPAK para os três ralis internacionais que se disputam no país. No entanto, os concorrentes do Campeonato de Portugal de Ralis também podem ir a este rali pontuarem para esse campeonato, ficando essa pontuação a salvaguardar um eventual percalço num dos ralis “convencionais”. A adesão dos pilotos portugueses não foi grande, com apenas oito concorrentes, no entanto saúda-se o regresso de Bruno Magalhães e do Peugeot 207 S2000 às provas nacionais. O antigo campeão nacional quer fazer a totalidade dos ralis da Taça de Ouro, mas ainda não tem a totalidade dos apoios garantida. Depois, o campeão em título Ricardo Moura volta a dizer presente no habitual Mitsubishi Lancer IX e em carro idêntico surge a dupla famalicense Miguel Jorge Barbosa/Alberto Silva. Para continuar a sua adaptação ao Skoda Fabia S2000, Pedro Meireles estará presente, tal como os Mitsubishi Lancer X de Francisco Teixeira, Paulo Freire e de João Fernando Ramos, este navegado pelo famalicense José Janela. Por fim, Diogo Gago com o também famalicense Jorge Carvalho, que se apresentam num Citroën C2 R2 Max, na impossibilidade de terem o Peugeot 208 R2 com que irão disputar o troféu monomarca em França.

Este é o lugar para encontrar as estrelas do futuro. Os pilotos conduzem carros iguais, o Ford Fiesta R2, o que permite que o confronto se restrinja à capacidade de pilotagem, cuja idade limite para participar é de 26 anos. Esta é uma boa forma das federações locais apostarem num piloto com potencial.


Nº 2 – ABRIL 2013

Rali de Portugal

LISTA DE INSCRITOS Nº

CONDUTOR

2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 15 21 31 32 35 36 37 40 41 43 45 46 48 49 50 51 52 53 56 57 58 59 60 61 71 72 73 74 75 76 77 78 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94 95 96 97 98 99 100 102 103 104 105 106 107 108 109 110

MIKKO HIRVONEN DANI SORDO MADS OSTBERG EVGENY NOVIKOV NASSER AL ATTIYAH JARI MATTI LATVALA SEBASTIEN OGIER ANDREAS MIKKELSEN KHALID AL QASSIMI THIERRY NEUVILLE MICHAL KOSCIUSZKO JUHO HANNINEN MARTIN PROKOP ESAPEKKA LAMPI SEPP WIEGAND YAZEED AL RAJHI RASHID AL KETBI LORENZO BERTELLI ARMAN SMAILOV NICOLAS FUCHS MARTIN HUDEC ALEXANDER VILLANUEVA MARCO VALLARIO ABDULAZIZ AL KUWARI OLESKII KIRISHENKO VALERIY GORBAN SEBASTIEN CHARDONNET QUENTIN GILBERT ALISTAIR FISHER FRANCESCO PARLI FREDERICO DELLA CASA CHRISTIAN RIEDERMANN BRYAN BOUFFIER KEITH CRONIN SIMONE CAMPDELLI ALA’A RASHEED JUAN CARLOS ALONSO NIKITA KONDRAKHIN ROBERT KUBICA ELFYN EVANS SUBHAN ASKA MARCOS LIGATO EDOARDO BRESOLIN RICARDO MOURA YURIY PROTASOV BRUNO MAGALHÃES PEDRO MEIRELES MIGUEL J. BARBOSA PHILIP CRACCO ROBERT BARRABLE MIKKO LEHESSAARI KESS BURGER OLESKII TAMRAZOV PAULO FREIRE JOSE A. NICOLAS JOÃO F. RAMOS FRANCISCO TEIXEIRA MICHAEL KOLGER PIERRE CRACCO DIOGO GAGO MICHAEL HONDA TOMÁS KASPAREK SANDER PÄRN PONTUS TIDEMAND MARTIN KOCI ANDREAS AMBERG JOSE ANTONIO SUAREZ MURAT BOSTANCI MICHAEL BURRI NIKO NIEMINEN MARIUS AASEN YERAY LEMES

NAVEGADOR FIN ESP NOR RUS QAT FIN FRA NOR ARE BEL POL FIN CZE FIN DEU ARE UAE ITA KAZ PER CZE ESP ITA QAT UKR UKR FRA FRA IRL ITA ITA DEU FRA GBR ITA JOR ARG RUS POL GBR IND ARG ITA POR UKR POR POR POR BEL IRL FIN HOL UKR POR ARG POR POR AUT EST POR CZE CZE EST SWE SVK FIN ESP TUR CHE FIN NOR ESP

JARMO LEHTINEN CARLOS DEL BARRIO JONAS ANDERSSON ILKA MINOR GIOVANNI BERNACCHINI MIIKKA ANTTILA JULIEN INGRASSIA MIKKO MARKKULA SCOTT MARTIN NICOLAS GILSOUL MACIEJ SZCZEPANIAK TOMI TUOMINEN MICHAEL ERNST JANNE FERM FRANK CHRISTIAN MICHAEL ORR KARINA HEPPERLE LORENZO GRANAI ANDREI RUSOV FERNANDO MUSSANO JAKUB KOTÁL OSCAR SANCHEZ MANUELA DI LORENZO KILLIAN DUFFY SERGEI LARENS VOLODYMYR KORSIA THIBAULT DE LA HOYE ISABELLE GALIMICHE GORDON NOBLE TANIA CANTON MARCO MENCHINI LARA VANNESTE XAVIER PANSERI MARSHALL CLARKE TBA JOSEPH MATAR JUAN P. MONASTEROLO DANILO FAPPANI MACEK BARAN DANIEL BARRIT NICOLA ARENA RUBEN GARCIA RUDY POLLET ANTÓNIO COSTA KULDAR SIKK CARLOS MAGALHÃES MÁRIO CASTRO ALBERTO SILVA WIM SOENENS STUART LOUDON LASSI HARIKAINEN MIIKA TEIKSONEN PAVLO CHEREPIN JOAQUIM CAPELO MIGUEL A. RECALT JOSÉ JANELA JOSÉ MARTINS JÜRGEN HEIGL FREDERIC MICLOTTE JORGE CARVALHO LYDIE VICIKOVÁ JAN TOMÁNEK KEN JÄRVEOJA OLA FLOENE PETR STARÝ MIKKO LUKKA CANDIDO CARRERA ONUR VATANSEVER GABIN MOREAU MICHAEL KORHONEN MARLENE ENGEN ROGELIO PENATE

FIN ESP SWE AUT ITA FIN FRA FIN GBR BEL POL FIN CZE FIN DEU GBR DEU ITA RUS ARG CZE ESP ITA IRL EST UKR FRA FRA IRL ITA ITA BEL FRA GBR LBN ARG ITA POL GBR ITA ARG ITA POR EST POR POR POR BEL GBR FIN FIN UKR POR ARG POR POR AUT BEL POR CZE CZE EST NOR CZE FIN ESP TUR FRA FIN NOR ESP

CARRO

GR

CL

CITROËN DS3 WRC CITROËN DS3 WRC FORD FIESTA RS WRC FORD FIESTA RS WRC FORD FIESTA RS WRC VOLKSWAGEN POLO R WRC VOLKSWAGEN POLO R WRC VOLKSWAGEN POLO R WRC CITROËN DS3 WRC FORD FIESTA RS WRC MINI JCW WRC FORD FIESTA RS WRC FORD FIESTA RS WRC SKODA FABIA S2000 SKODA FABIA S2000 FORD FIESTA RRC SKODA FABIA S2000 SUBARU IMPREZA WRX STI SUBARU IMPREZA WRX STI MITSUBISHI LANCER X MITSUBISHI LANCER IX MITSUBISHI LANCER X MITSUBISHI LANCER X FORD FIESTA RRC MINI JCW S2000 MINI JCW S2000 CITROËN DS3 R3T CITROËN DS3 R3T CITROËN DS3 R3T CITROËN DS3 R3T CITROËN DS3 R3T CITROËN DS3 R3T CITROËN DS3 R3T CITROËN DS3 R3T CITROËN DS3 R3T FORD FIESTA RRC MITSUBISHI LANCER X SKODA FABIA S2000 CITROËN DS3 RRC FORD FIESTA RRC FORD FIESTA RRC SUBARU IMPREZA WRX STI FORD FIESTA RRC MITSUBISHI LANCER IX SUBARU IMPREZA WRX STI PEUGEOT 207 S2000 SKODA FABIA S2000 MITSUBISHI LANCER IX PEUGEOT 207 S2000 FORD FIESTA S2000 SUBARU IMPREZA WRX STI SUBARU IMPREZA WRX STI FORD FIESTA S2000 MITSUBISHI LANCER X MITSUBISHI LANCER X MITSUBISHI LANCER X MITSUBISHI LANCER X RENAULT CLIO R3 PEUGEOT 208 R2 CITROËN C2 R2 MAX SKODA FABIA R2 SKODA FABIA R2 FORD FIESTA R2 FORD FIESTA R2 FORD FIESTA R2 FORD FIESTA R2 FORD FIESTA R2 FORD FIESTA R2 FORD FIESTA R2 FORD FIESTA R2 FORD FIESTA R2 FORD FIESTA R2

WRC WRC WRC WRC WRC WRC WRC WRC WRC WRC WRC WRC WRC 2 2 2 2 3 3 3 3 3 3 2 2 2 5 5 5 5 5 5 5 5 5 2 3 2 2 2 2 3 2 3 3 2 2 3 2 2 3 3 2 3 3 3 3 5 6 6 6 6 5 5 5 5 5 5 5 5 5 5

M M M M M M M M M M M WRC 2 WRC 2 WRC 2 WRC 2 P CUP P CUP P CUP P CUP P CUP P CUP WRC 2 WRC 2 WRC 2 WRC 3 WRC 3 WRC 3 WRC 3 WRC 3 WRC 3 WRC 3 WRC 3 WRC 3 WRC 2 WRC 2 WRC 2 WRC 2 WRC 2 WRC 2 P CUP WRC 2

JWRC JWRC JWRC JWRC JWRC JWRC JWRC JWRC JWRC JWRC

ORDEM DE PARTIDA A Qualifying Stage que se disputará em Vale de Judeu no dia 10 de abril irá decidir a ordem dos pilotos prioritários P1 e P2 para a 1ª etapa da prova. Durante duas horas, os pilotos fazem 2 passagens e depois a 3ª estabelece o tempo final, sendo o mais rápido que tem direito à primeira ecolha e assim sucessivamente. A partir da 2ª Etapa, as equipas entram em prova pela ordem inversa à classificação.

EQUIPAS As equipas parecem ter nomes iguais, mas no fundo cada equipa só poder ter, no máximo, dois pilotos a pontuar para o Mundial de Equipas (M). Assim as formações na prova nacional irão ser definidas da seguinte forma: Hirvonen e Sordo pontuam para a Citroën Total Abu Dhabi WRT, enquanto Al Qassimi irá fazê-lo solitariamente para a Abu Dhabi Citroën Total WRT. Do lado da Ford, Ostberg e Novikov estão nomeados pela Qatar M-Sport WRT, ao passo que Neuville irá estar sozinho na Qatar WRT. A Wolkswagen tem duas equipas, com Latvala e Ogier a pontuarem numa e Mikkelsen na outra. Na Jipocar está apenas Prokop e a Lotos é representada por Kosciuszko.


Nº 2 – ABRIL 2013

Rali de Portugal

HORÁRIO 6ª feira – 12 de abril – 1ª ETAPA PARTIDA (ESTÁDIO ALGARVE) PEC 1 - MÚ 1 PEC 2 – OURIQUE 1 PEC 3 – MÚ 2 PEC 4 – OURIQUE 2 CHEGADA (PRAÇA DO IMPÉRIO - LISBOA) PARTIDA (PRAÇA DO IMPÉRIO – LISBOA) PEC 5 – SSS LISBOA ASSISTÊNCIA 45’ CHEGADA (ESTÁDIO ALGARVE) Sábado – 13 de abril – 2ª ETAPA ASSISTÊNCIA 15’ PEC 6 – SANTANA DA SERRA 1 PEC 7 – VASCÃO 1 PEC 8 – LOULÉ 1 ASSISTÊNCIA 30’ PEC 9 – SANTANA DA SERRA 2 PEC 10 – VASCÃO 2 PEC 11 – LOULÉ 2 ASSISTÊNCIA 45’ Domingo – 14 de abril – 3ª ETAPA ASSISTÊNCIA 15’ PEC 12 – SILVES 1 PEC 13 – ALMODÔVAR 1 ASSISTÊNCIA 30’ PEC 14 – SILVES 2 PEC 15 – ALMODÔVAR 2 (POWERSTAGE) ASSISTÊNCIA 10’ CHEGADA (ESTÁDIO ALGARVE)

20,32 KM 18,32 KM 20,32 KM 18,32 KM

3,27 KM

31,12 KM 25,37 KM 22,78 KM 31,12 KM 25,37 KM 22,78 KM

21,52 KM 52,30 KM 21,52 KM 52,30 KM

08H10 08H58 10H05 11H43 12H50 15H55 18H00 18H05 21H50 22H35 09H00 10H09 11H36 12H14 13H45 15H09 16H36 17H14 18H30 07H00 08H06 09H06 11H10 12H31 13H38 15H30 15H40

OPEN No dia de sábado, o Rali de Portugal acolhe a caravana de uma prova extra Open. Os carros VSH fazem dupla passagem pelas especiais de Vascão (12h51/17h51) e Loulé (13h29/18h29), estando a chegada ao Estádio Algarve marcada para as 19h45. Um ingrediente extra para os espetadores verem durante a passagem do plantel do WRC, contando com vários nomes habituais no Open de Ralis, nomeadamente o campeão Fernando Peres e ainda Carlos Martins, líder do campeonato, Ricardo Teodósio, Luís Mota ou ainda o vencedor desta prova no ano passado, Orlando Bule.

CONDUTOR

NAVEGADOR

CARRO

CAT

201 202 203 204 205 206 207 208 209 210 211 212 213 214 215 216 217 218 219 220 221 222 223 224 225 226 227 228 229 230 231

RICARDO TEODÓSIO ORLANDO BULE FERNANDO PERES JOSÉ MERCEANO MÁRCIO MARREIROS ANTÓNIO NUNES JOSÉ DIMAS LUÍS MOTA FERNANDO TEOTÓNIO CARLOS MARTINS AMÉRICO MAÇARICO JOSÉ PEDRO MIRANDA JOÃO CORREIA LUÍS DUARTE ANTÓNIO MATIAS PAULO MEIRELES PEDRO CARMO PEDRO LANÇA PAULO SOUSA PEDRO GASPAR EDUARDO SILVA JORGE BAPTISTA GIL ANTUNES MARCO FERREIRA GILBERTO COSTA NUNO CARREIRA HENRIQUE SILVA JOSÉ CARLOS PAULO MOREIRA JOSÉ COELHO JOSÉ FONTES

JOSÉ TEIXEIRA LUÍS ASSUNÇÃO JOSÉ PEDRO SILVA FRANCISCO PEREIRA PEDRO CONDE RUI MARQUES EMANUEL FARIA ALEXANDRE RAMOS LUÍS MORGADINHO JOÃO MARTINS JORGE MAÇARICO AUGUSTO FERNANDES RICARDO BARRETO PAULA FARIA NUNO PAIXÃO MARCOS GONÇALVES FERNANDO MATIAS RUI SERRA LUÍS RIBEIRO FABRICE GASPAR SÉRGIO RUFINO LÍCINIO SANTOS DIOGO CORREIA RICARDO SOBRAL JOAQUIM TEIXEIRA FERNANDO ALMEIDA PEDRO RÉ BANZA HERMES MARCO MACEDO NUNO AFONSO RUI FONTES

MITSUBISHI LANCER IV MITSUBISHI LANCER VII MITSUBISHI LANCER VIII MITSUBISHI LANCER IV MITSUBISHI LANCER VI MITSUBISHI LANCER V SUBARU IMPREZA MITSUBISHI LANCER IV MITSUBISHI LANCER VI MITSUBISHI LANCER VII MITSUBISHI LANCER VI SUBARU IMPREZA WRX MITSUBISHI LANCER VI MITSUBISHI LANCER IV LANCIA DELTA INTEGRALE VW GOLF G60 DATSUN 1200 CITROËN SAXO VW GOLF BMW 325IX BMW M3 RENAULT 11 TURBO OPEL ASTRA GSI CITROËN SAXO VW GOLF OPEL KADETT GSI RENAULT CLIO WILLIAMS BMW 325IX OPEL CORSA OPC PEUGEOT 205 GTI TOYOTA STARLET

II II II II II II II II II II II II II II II I I I I I I I I I I I I I I I I


Nº 2 – ABRIL 2013

Rali de Portugal

ACESSOS PEC 1/3 – Mú (20,32 km)

08h58 / 11h43 – 12/04

ZE/SA 4 – 5,96km / 6,16km GPS N 37º 20.621’ W 8º 11.018’ Como chegar: Ao Km 702,5 do IC 1 (S.B. Messines-Ourique), virar à direita para Boião/Azilheira; à entrada de Boião, seguir pela esquerda; passar Chaminé, Corte Peral, Pardieiro, Várzea Redonda; 4,15 km depois desta localidade virar à direita para Monte da Vinha/Messines, entrando depois numa estrada de terra; 3,3 km depois chega à ZE Descrição: Zona verdadeiramente espetacular, em que é possível observar a evolução dos concorrentes ao longo de mais de um quilómetro de troço: Primeiro numa descida com muita condução mas algo distante dos espectadores, depois e já perto dos adeptos, os concorrentes entram numa zona a subir que termina num gancho para a direita, seguindo depois ao longo da cumeeira. Visibilidade – 3 Espetacularidade – 3 Acessos – 2 ZE/SA 5 – 8,5km GPS N 37º 20.102’ W 8º 09.645’ Como chegar: Ao Km 58,0 da EN 124 (Salir-Benafim) virar à direita para Malhão/Cortinhola; 6,35 km depois virar à esquerda, direção Sobradinho/Benafim; 2 km depois à direita, junto a uma casa; passar Cascabulho e Soalheira; 550m, em Monte Ruivo, virar à esquerda para Alte/Águas Frias; 700m depois à direita, entre casas, para Águas Frias; 400m depois da placa Águas Frias virar à esquerda a seguir a uma ponte; 1 km depois ir em frente para um caminho de terra; 3 km depois está a ZE Descrição: Trata-se de uma zona que tem na visibilidade o seu ponto forte, sobretudo pelo que os espectadores podem observar depois dos carros passarem pelo local da ZE. É um setor rápido na cumeeira e quase rectilíneo em termos de condução mas a vista delicia-se com a perspetiva global. Visibilidade – 3 Espetacularidade – 2 Acessos - 2 ZE/SA 6 – 11,08km GPS N 37º 20.657’ W 8º 09.761’ Como chegar: Ao Km 702,5 do IC 1 (S.B. Messines-Ourique) voltar à direita para

Boião/Azilheira; à entrada de Boião seguir sobre a esquerda; cruzar Chaminé, Corte PeralPardieiro, Várzea Redonda,São Barnabé e 300m depois cortar à direita para M. Cruz/M. Ruivo/Alte. 350m depois entra em terra. Atravessar Monte da Cruz até chegar à ZE Descrição: Local muito interessante a subir, com uma aproximação muito rápida, de grande condução e uma travagem fortíssima para um gancho à direita, a partir do qual a estrada estreita bastante. Visibilidade – 3 Espetacularidade – 3 Acessos - 3 ZE/SA 7 – 18,07km GPS N 37º 20.047’ W 8º 05.880’ Como chegar: Ao Km 58,0 da EN 124 (Salir-Benafim) seguir para municipal, direção Malhão; 7,45 km depois virar à direita para Almodôvar/Malhão; 2,4 Km depois seguir direção Almodôvar; 450m depois à esquerda, entre casas; 150m siga pela direita para estrada de terra até à ZE Descrição: Zona estreita e muito técnica em termos de condução entre árvores, a não permitir grandes falhas, o local oferece uma visibilidade reduzida tornando-se pouco espetacular. Visibilidade – 1 Espetacularidade – 1 Acessos - 2 ZE/SA 8 – 19,31km GPS N 37º 20.246’ W 8º 05.262’ Como chegar: À entrada da povoação de Felizes, vindo do Alto de Mú, virar à esquerda para terra; seguir pista principal por 520m seguir em frente, sobre a direita; seguir sempre em frente pela pista principal por 1.890m. Chegou à ZE. Descrição: Zona de cumeeira muito rectilínea e rápida em termos de condução, o local oferece uma visibilidade reduzida tornando-se pouco interessante. Visibilidade – 1 Espetacularidade – 1 Acessos - 2


Nº 2 – ABRIL 2013

Rali de Portugal

ACESSOS PEC 2/4 – Ourique (18,32 km)

10h05 / 12h50 – 12/04 ZE/SA 9 – 7,31km GPS N 37º 26.927’ W 8º 12.784’ Como chegar: Ao km 73,3 do EN 393 (Gomes Aires-Almodôvar) virar à direita direcção St. Clara; 1,9km depois seguir pela direita entre casas; depois sempre em frente por 5km; no cruzamento em frente a descer; 3,45km depois fica a ZE. Descrição: Trata-se de uma zona que assenta na visibilidade o seu ponto forte, sobretudo pelo que os espectadores podem observar antes e depois dos carros passarem pelo local da ZE. É um setor rápido, quase retilíneo em termos de condução em que a vista se delicia com a negociação de uma esquerda gancho bastante técnica. Esta zona é bastante ampla e confortável para os espectadores. Visibilidade – 3 Espetacularidade – 3 Acessos – 2 ZE/SA 10 – 16,81km GPS N 37º 29.110’ W 8º 13.588’ Como chegar: Ao km 687,6 do IC1 (S.B. Messines-Ourique) voltar à direita direcção Almodôvar/G. Aires; 700m depois à direita, direcção Almodôvar/G. Aires; 5,2 km depois à direita para estrada de terra, direcção Mte. Corte da Azinheira/Mt. Alcaria Alta; 1,6 km depois fica a ZE. Descrição: Zona muito rápida, com bastante visibilidade, mas pouco interessante em termos fotográficos. Visibilidade – 3 Espetacularidade – 2 Acessos – 3

SSS5 – 18h15 3,27km Como chegar: A melhor forma de chegar à Super Especial de Lisboa é seguindo as indicações das autoridades, bem como as recomendações de estacionamento. A zona envolvente ao traçado estará bastante condicionada, pelo que a sugestão passa pela utilização de transporte públicos para chegar até à zona de Belém.

PEC 5 – SSS Lisboa (3,27 km) 18h05 – 12/04

Durante a tarde de 12 de abril e antes dos concorrentes entrarem em prova na Super Especial delineada junto ao Mosteiro dos Jerónimos, o ACP preparou uma pequena competição destinada aos Clássicos desportivos. Assim, num esquema que contempla várias eliminatórias e uma final, cerca de 30 pilotos irão percorrer o percurso em redor da Praça do Império, sendo que o vencedor terá direito a uma inscrição gratuita no Rally de Portugal Histórico.


Nº 2 – ABRIL 2013

Rali de Portugal

ACESSOS PEC 6/9 – Santana da Serra (31,12 km)

10h09 / 15h09 – 13/04

ZE/SA 11 – 1,49km GPS N 37º 23.855’ W 8º 22.672’ Como chegar: Sair do IC ao Km 707,9, direção Monchique/S. Marcos da Serra. Atravessar sempre em frente até S. Marcos da Serra. 1,15 km depois de sair da povoação, virar à esquerda, direção Vale Touriz/Pereiras. 2,5 km depois virar à direita, atravessando a linha de comboio, direção Joios/Vale Grou; 2,45 km depois virar à direita para estrada de terra; a ZE fica 1,6 km depois. Descrição: Zona com bastante condução, passagem por uma ponte estreita e sem margem para erros, a visibilidade é escassa mas as emoções são garantidas. Visibilidade – 1 Espetacularidade – 3 Acessos – 2 ZE/SA 12 – 12,53km GPS N 37º 27.881’ W 8º 23.342’ Como chegar: Ao Km 10,3 da EN 266 virar à direita para Barragem Sta. Clara/Pousada e colocar o parcial a zeros; 4 km depois em frente, passando a piso de terra; 550m depois sobre a direita;

PEC 7/10 – Vascão (31,12 km) 10h09 / 15h09 – 13/04

ZE/SA 14 – 2,45km / 2,73km GPS N 37º 24.832’ W 7º 58.195’ Como chegar: Ao Km 678,2 da EN 2 (Ameixial-Dogueno) seguir pela estrada de terra em direção a Monte Ribeira/Vascão; 850m depois sobre a esquerda, junto às casas e depois sempre em frente até à ZE Descrição: Ainda nos primeiros quilómetros do troço, trata-se de uma fase bastante rápida e a descer, no ataque a um cruzamento em gancho à esquerda com guardas de ponte à saída, a que os pilotos terão de prestar atenção. Visibilidade reduzida mas espetáculo assegurado na travagem. Visibilidade – 1 Espetacularidade – 2 Acessos – 2 ZE/SA 15 – 9,60km GPS N 37º 24.842’ W 7º 54.465 Como chegar: Ao Km 669,6 da EN 2 (Almodôvar-Dogueno), virar à esquerda para Guedelhas. 6,85 km depois virar à direita para Monte xerez/Santa Cruz; 3,9 km depois de Santa Cruz, à esquerda para Cachopo/Alcoutim; 600m depois à direita para Cerro das Águias/Monte Branco do Vascão; 150m depois passa a terra até à ZE Descrição: Fase de grande espetáculo do troço, com uma aproximação muito rápida a um gancho para a direita de grande dificuldade de ataque, já que a estrada estreita imenso. A ZE prolonga-se depois por uma descida estreita, com grande visibilidade, que termina com uma passagem de água antes de uma direita muito traiçoeira. Visibilidade – 3 Espetacularidade – 3 Acessos – 2

1,55 km depois em frente; 1,4 km depois em frente; 400m depois à direita; 600m depois em frente; 600m depois à direita; 1,05 km sobre a esquerda; 650m depois em frente sobre a esquerda; 600m depois encontra a ZE Descrição: Zona de grande visibilidade, muito espetacular, com um gancho muito apertado a exigir grande técnica no seu ataque. Visibilidade – 3 Espetacularidade – 3 Acessos – 1 ZE/SA 13 – 26,27km GPS N 37º 30.005’ W 8º 18.296’ Como chegar: Ao Km 689,1 do IC 1 siga a indicação Santana da Serra. Estacione onde puder, pois a ZE fica apenas a 500m Descrição: Zona espetacular, com ampla visibilidade e de fácil acesso, existem duas zonas distintas de colocação do público, é já uma passagem clássica, e muito rápida! Visibilidade – 3 Espetacularidade – 3 Acessos – 3

ZE/SA 16 – 19,54km / 19,86km GPS N 37º 21.317’ W 7º 56.344’ Como chegar: Ao Km 669,6 da EN 2 (Almodôvar-Dogueno), virar à esquerda para Guedelhas. 6,85 km depois virar à direita para Monte Xerez/Santa Cruz; 3,9 km depois de Santa Cruz, à esquerda para Cachopo/Alcoutim; 6,1 km depois, à direita para Ameixial em direção a Corte João Marques e a Corte de Ouro, onde encontra a ZE Descrição: Zona interessante, de boa visibilidade, com um topo em asfalto seguido de uma descida, travando forte para uma direita, numa curva larga e de grande espetáculo. Visibilidade – 2 Espetacularidade – 2 Acessos – 3 ZE/SA 17 – 20,54km / 20,72km GPS N 37º 20.894’ W 7º 56.172’ Como chegar: Ao Km 692,5 da EN 2 (Almodôvar-Dogueno), em Besteiros, virar à direita para Corte do Ouro/Corte J. Marques; 300m depois à esquerda, com as mesmas indicações; 350m depois passa a terra; 450m depois sobre a esquerda, passando depois uma pequena ribeira, surgindo a ZE 550m depois Descrição: Zona interessante, de boa visibilidade, com um topo em asfalto seguido de uma descida, passando logo a seguir a piso de terra num cruzamento à direita, numa curva larga e de grande espetáculo. Visibilidade – 2 Espetacularidade – 2 Acessos – 3


Nº 2 – ABRIL 2013

Rali de Portugal

ACESSOS PEC 8/11 – Loulé (22,78 km)

12h14 / 17h14 – 13/04 ZE/SA 18 - 8,77km GPS N 37º 16.328’ W 7º 57.816’ Como chegar: Seguir a EN 2, direção norte, até ao km 702,9 Descrição: Como a sua designação deixa entender, estamos num local em que os concorrentes quase tocam a mítica EN2, a subir, apesar da reduzida visibilidade, a curva à direita muito redonda, certamente causará bom espetáculo. Visibilidade – 1 Espetacularidade – 2 Acessos – 3 ZE/SA 19 – 10,95km GPS N 37º 15.864’ W 7º 58.747’ Como chegar: Ao Km 706,1 da EN 2 (Faro-Almodôvar), virar à esquerda para aterro sanitário; 2,6 km siga em frente para estrada de terra; 250m sobre a direita; 150m depois estacione o carro e siga a pé até à ZE Descrição: Estamos perante duas zonas numa só. A primeira é adjacente à pista de motocross da Cortelha, ligeiramente a subir, com a estrada a alargar e com sequências bastante rápidas. Estamos nas vizinhanças de uma lixeira e o cheiro que anda no ar não é o mais agradável. Vá prevenido... A zona espetáculo culmina numa passagem terra/asfalto/terra com um gancho à direita depois de uma descida vigorosa a obrigar a uma travagem e uma colocação sem falhas.

PEC 12/14 – Silves (25,37 km) 08h16 / 12h31 – 14/04

ZE/SA 21 – 3,96km / 4,33km GPS N 37º 21.857’ W 8º 18.652’ Como chegar: Este acesso é recomendado apenas para 4x4. Ao Km 702,5 do IC 1 (Messines-Ourique) seguir para Boião/Azilheira; em Boião seguir para Quinta/Cardunchal; entrar em terra e virar à direita, direção ponto de água; 1,6 km depois virar à direita para Água Velha; 1,25 km depois seguir pela esquerda até à ZE Descrição: Zona de excelente visibilidade, num anfiteatro natural, numa parte do troço muito rápida embora sem grandes motivos de interesse em termos espetaculares. Visibilidade – 3 Espetacularidade – 1 Acessos – 1 ZE/SA 22 – 8,09km GPS N 37º 22.721’ W 8º 16.848’ Como chegar: Ao Km 702,5 do IC 1 (Messines-Ourique) seguir para Boião/Azilheira; à entrada de Boião seguir sobre a esquerda, direção Chaminé e Corte Peral; 3,5 km depois virar à direita para S. Martinho; passar um pequeno ribeiro e 100m depois seguir à esquerda; 250m depois, virar à direita tudo para trás, junto a casas; 300m depois pela esquerda e sempre em frente até à ZE Descrição: Descida num piso bastante

Visibilidade – 3 Espetacularidade – 3 Acessos – 3 ZE/SA 20 – 16,05km GPS N 37º 17.324’ W 8º 00.788’ Como chegar: Ao Km 59,5 da EN 124 (Benafim-Barranco do Velho) virar à esquerda para Sernadinha/Ameijoafra; 2,2 km à direita para Califórnia/Ameixeirinhas; 450 mt depois da placa de Ameixeirinhas à esquerda; em Portela do Barranco seguir a indicação Barrigões, entrando em terra; 700m depois à direita para Barranco; 750m depois estacionar o carro. Fazer 550m a pé até chegar à ZE Descrição: Trata-se de uma zona de eleição, quer pela visibilidade quer pela espectacularidade e conforto para os espectadores. Esta zona reserva uma visão magistral com mais de um quilómetro de visibilidade sobre a classificativa, ao passar pela zona espetáculo os concorrentes degladiar-seão com uma sucessão de curvas em que a técnica de condução e a potência dos WRC fará toda a diferença. Visibilidade – 3 Espetacularidade – 3 Acessos – 2

duro e irregular para um cruzamento à direita a 90°, que promete uma travagem fortíssima, que será interessante de seguir. Esta zona dispõe ainda de uma bolsa para espectadores mais distante do percurso, mas com a vantagem de ter maior visibilidade. Visibilidade – 2 Espetacularidade – 2 Acessos – 1 ZE/SA 23 – 15,25km GPS N 37º 20.883’ W 8º 15.135’ Como chegar: Na rotunda entre a A2 e o IC1 (S. Bartolomeu Messines) seguir pela EN 124, direção Messines; 900m depois à direita para Campilhos/Vale Figueira; passar Campilhos e 3,75 km depois seguir a indicação Foz do Ribeiro; 4,6 km depois à esquerda para terra, direção Vale Fontes; 2,2 km depois seguir sobre a esquerda até à ZE Descrição: Com um acesso excelente, esta zona merece nota máxima a tudo. Estamos perante uma fase do troço em que os concorrentes, depois de passarem sob a A2, têm uma descida ligeira muito larga e rápida, que termina num gancho "de tudo para trás", com uma aproximação que deverá fazer as delícias dos espectadores presentes! Visibilidade – 3 Espetacularidade – 3 Acessos – 3


Nº 2 – ABRIL 2013

Rali de Portugal

ACESSOS PEC 13/15 – Almodôvar (52,70 km)

09h06 / 13h38 – 14/04 ZE/SA 26 – 17,46km GPS N 37º 27.759’ W 8º 11.163’ Como chegar: Ao Km 73,3 do EN 393 (Gomes Aires-Almodôvar) virar à direita direcção St. Clara; 1,9 km depois seguir pela direita entre casas; depois sempre em frente por 5 km até à ZE Descrição: Local de grande visibilidade e sobretudo de espetáculo garantido, com a aproximação a um cruzamento com um gancho para a direita a subir. A moldura humana complementa o espetáculo. Visibilidade – 3 Espetacularidade – 3 Acessos – 3 ZE/SA 27 – 30,54km / 30,85km GPS N 37º 28.964’ W 8º 07.935’ Como chegar: Em Santa Clara, seguir as indicações de campo de futebol, seguir as indicações Fontes Ferrenhas, Monte Novo, Pomar Velho e Almarjão. Mais 340m e entra em terra deixando o campo de futebol do seu lado direito. Seguir o estradão por 760m e encontrará a ZE 27. Descrição: Vindo de uma zona bastante técnica e estreita os concorrentes enfrentam um gancho de direita para entrar num estradão bastante rápido. Visibilidade – 3 Espetacularidade – 3 Acessos – 3

ZE/SA 24 – 8,58km GPS N 37º 26.635’ W 8º 15.437’ Como chegar: Ao Km 689,1 do IC 1 (Messines-Ourique) sair para Santana da Serra/Cimalhas, entrando em terra; 8,55 km depois encontra a ZE Descrição: Zona de grande espetáculo, com cruzamento a 90º para a direita, seguido de descida muito rápida e sinuosa, com anfiteatro natural de grandes dimensões que permite grande comodidade aos espectadores. Visibilidade – 3 Espetacularidade – 3 Acessos – 3 ZE/SA 25 – 13,86km / 14,01km GPS N 37º 26.927’ W 8º 12.784’ Como chegar: Ao Km 689,1 do IC1 (S.B. Messines-Ourique) virar à direita direcção Santana da Serra e depois para Cismalhas; 2,9 km depois seguir em frente direcção Central Solar Cismalhas/Central Solar Corte Coelho; 5,7 km depois virar à esquerda direcção Cevedais; 3,45 km depois seguir sobre a esquerda para viaduto; 550m depois sobre a direita junto a uma casa; 650m depois de novo sobre a direita, com casas do lado esquerdo; 150m depois sobre a esquerda, ficando uma casa à esquerda; 250m depois seguir pela esquerda e logo a seguir em frente; 250m surge a ZE Descrição: Trata-se de uma zona que assenta na visibilidade o seu ponto forte, sobretudo pelo que os espectadores podem observar antes e depois dos carros passarem pelo local da ZE. É um setor rápido, quase retilíneo em termos de condução em que a vista se delicia com a progressão dos concorrentes. Esta zona é bastante ampla e confortável para os espectadores. Visibilidade – 3 Espetacularidade – 3 Acessos – 3

ZE/SA 28 – 35,86km GPS N 37º 27.371’ W 8º 06.131’ Como chegar: Tome a municipal à saída de Almodôvar para Salir; 2,15 km depois seguir por caminho de terra à direita. Segue sempre pela pista principal até à ZE Descrição: A aproximação muito rápida a um topo cego com um cruzamento à direita, numa curva muito larga. A progressão dos concorrentes é bastante técnica e interessante de seguir. Visibilidade – 2 Espetacularidade – 2 Acessos – 2 ZE/SA 29 – 41,84km / 42,00km GPS N 37º 25.598’ W 8º 08.619’ Como chegar: Uma longa ligação de 38 km até à ZE e mais recomendada para veículos 4x4. Ao Km 58 da EB 124 (Salir-Benafim) siga para Malhão/Cortinhola; 7,45 km depois à direita para Almodôvar/Malhão; 4 km depois seguir sobre a direita para Monte Abaixo/Malhão; 150m depois de entrar em Monte Abaixo virar à direita para Monte das Fóias para estrada de terra até à ZE Descrição: Local com duas colocações possíveis: apesar do índice de espetacularidade ser baixo a visibilidade sai compensada. Visibilidade – 2 Espetacularidade – 1 Acessos – 2 ZE/SA 30 – 45,07km / 45,20km GPS N 37º 24.508’ W 8º 07.011’ Como chegar: Tome a municipal à saída de Almodôvar para Salir; 2,5 km depois de Cerro Negro virar à direita, direcção Brunheira; 1,6 km depois chega à placa de Brunheira; 100m depois à direita para estrada de terra, direcção Boavista; 1,3 km depois, na placa Cerro da Corte, tomar estrada da esquerda; 1,9 km depois está na ZE Descrição: Esta zona exige bastante técnica de condução. Os concorrentes progridem numa zona bastante rápida e abordam uma curva bastante fechada para a esquerda onde a estrada estreita bastante, exigindo máxima concentração. Visibilidade – 2 Espetacularidade – 2 Acessos – 2

A Powerstage é uma especial, por norma a última do rali, em que são atribuídos pontos extra aos mais rápidos. O vencedor da classificativa recebe 3 pontos, o 2º recebe 2 e o 3º classificado recebe 1 ponto. Almodôvar recebe pela primeira vez a Powerstage, entrando diretamente para a história como sendo uma das mais longas da história do WRC, podendo ser crucial no desfecho do Rali de Portugal e, talvez, no seu vencedor..


Nº 2 – ABRIL 2013

Rali de Portugal

FAFE WRC RALLY SPRINT Tal como no ano passado, Fafe recebe uma espécie de aperitivo ao Rali de Portugal. A mítica classificativa da Lameirinha, os seus saltos e a famosa passagem no asfalto são como um presente aos muitos adeptos que se situam no Norte do país, bem como na vizinha Galiza, muitos deles impossibilitados de ir até ao Algarve assistir à prova do WRC. Em 2012, a catedral nortenha dos ralis foi curta para centenas de milhares de espetadores, que viram ao vivo a vitória de Petter Solberg, uma ausência este ano. O conceito satisfez toda a gente e é repetido em 2013, já no dia 6 de abril, com os principais favoritos à vitória do rali (exceção é Latvala) a estarem presentes em Fafe para uma tarde de grande espetáculo. CATEGORIAS

HORÁRIO

A - Serão realizadas duas mangas de qualificação. Cada equipa da categoria A deverá tripular o veículo nas duas mangas de qualificação. A classificação final da Categoria A será estabelecida com base no melhor tempo realizado por cada equipa numa das duas mangas de qualificação. B - Serão realizadas duas mangas de qualificação. Cada equipa da categoria B deverá tripular o veículo nas duas mangas de qualificação. Será estabelecida uma classificação com base no melhor tempo realizado por cada equipa numa das duas mangas de qualificação. C - Serão realizadas duas mangas de qualificação. Cada uma das equipas que partilha um veículo da categoria C tripulará o veículo numa das mangas de qualificação. Será estabelecida uma classificação englobando os resultados das duas mangas de qualificação.

ORDEM DE PARTIDA • 1ª manga – por ordem inversa da numeração • 2ª manga – por ordem inversa dos tempos realizados na 1ª manga, partindo os veículos da Categoria C em último lugar • Final (Categorias B e C) – por ordem inversa da classificação estabelecida na sequência das duas mangas de qualificação.

FINAL Serão apurados para a final: • Categoria C - a equipa mais rápida de cada veículo, de acordo com a classificação estabelecida na sequência das duas mangas de qualificação, • Categoria B - as equipas melhor classificadas na sequência das duas mangas de qualificação, em número a determinar através da fórmula B=15-C, em que: B é o nº de equipas da categoria B apuradas para a final C é o nº de equipas da categoria C apuradas para a final

PEC 1 – FAFE 1 (6,34 km) – 14h15 PEC 2 – FAFE 2 (6,34 km) – 15h30 PEC 3 – FAFE 3 (6,34 km) – 16h58 Nº

CONDUTOR

1 MIKKO HIRVONEN 2 DANI SORDO 3 MADS OSTBERG 4 EVGENY NOVIKOV 5 THIERRY NEUVILLE 6 NASSER AL ATTIYAH 7 SEBASTIEN OGIER 8 ANDREAS MIKKELSEN 9 MARTIN PROKOP 10 ROBERT KUBICA 11 LORENZO BERTELLI 12 RICARDO MOURA 14 PEDRO MEIRELES 15 MIGUEL J. BARBOSA 16 JOSÉ P. FONTES 17 MIGUEL BARBOSA 18 MIGUEL CAMPOS 19 ADRUZILO LOPES 20 IVO NOGUEIRA 21 CARLOS OLIVEIRA 22 JOÃO BARROS 23 JOAQUIM JORGE 24 FERNANDO PERES 25 PAULO MEIRELES 26 PEDRO LEONE 27 VÍTOR PASCOAL 28 JOSÉ M. CUNHA 29 JÚLIO BASTOS 30 JOAQUIM BESSA

NAVEGADOR FIN ESP NOR RUS BEL QAT FRA NOR CZE POL ITA POR POR POR POR POR POR POR POR POR POR POR POR POR POR POR POR POR POR

JARMO LEHTINEN CARLOS DEL BARRIO JONAS ANDERSSON ILKA MINOR NICOLAS GILSOUL

FIN ESP SWE AUT BEL GIOVANNI BERNACCHINI ITA JULIEN INGRASSIA FRA MIKKO MARKKULA FIN MICHAEL ERNST CZE MAREK BARAN POL LORENZO GRANAI ITA ANTÓNIO COSTA POR MÁRIO CASTRO POR ALBERTO SILVA POR MIGUEL BARBOSA POR JOSÉ P. FONTES POR TBA TBA NUNO R. SILVA POR JOSÉ JANELA POR JORGE HENRIQUES POR TBA JOSÉ P. SILVA POR MARCOS GONÇALVES POR BRUNO RAMOS POR LUÍS RAMALHO POR MARÍLIA CRUZ POR TBA TBA

CARRO

CAT

CITROËN DS3 WRC CITROËN DS3 WRC FORD FIESTA RS WRC FORD FIESTA RS WRC FORD FIESTA RS WRC FORD FIESTA RS WRC VOLKSWAGEN POLO R WRC VOLKSWAGEN POLO R WRC FORD FIESTA RS WRC CITROËN DS3 RRC SUBARU IMPREZA WRX STI MITSUBISHI LANCER IX SKODA FABIA S2000 MITSUBISHI LANCER IX SUBARU IMPREZA WRX STI SUBARU IMPREZA WRX STI MITSUBISHI LANCER IX SUBARU IMPREZA WRX STI SUBARU IMPREZA WRX STI SUBARU IMPREZA WRX STI RENAULT CLIO S1600 FORD ESCORT RS MK2 FORD ESCORT COSWORTH VW GOLF G60 FORD ESCORT COSWORTH MITSUBISHI LANCER VIII LANCIA DELTA INTEGRALE BMW M3 OPEL KADETT GTE

C C C C C C C C B B B B B B C C B B B B B A A A A A A A A

FESTA DURANTE TODA A NOITE Rali de Portugal foi durante anos sinónimo de romaria, farra e “farnel às costas”. Os tempos são outros, a festa mantém-se e este ano parece ter ganho uma nova vida. Sensivelmente a 700m do Confurco, irá decorrer a WRC Fafe Party. Um evento que decorrerá numa tenda climatizada e terá DJ’s e música ao vivo durante a noite anterior (5 de abril) e durante a tarde de Sábado, bem como um jantar com vários antigos campeões nacionais de ralis. Tudo isto com vista privilegiada sob a classificativa, tendo uma varanda natural para assistir à passagem dos concorrentes, além de ter acesso a uma praça de alimentação e vários bares. O preço é de 15 euros e mais informações em www.facebook.com/wrcfafeparty2013.


Nº 2– ABRIL 2013

Circuito Braga I

Programa mais curto com ausência do CPGT

O arranque dos Campeonatos de Portugal de Velocidade deu-se nos dias 23 e 24 de março, no Circuito Vasco Sameiro. Um início algo tímido ainda, com muitas indefinições em vários projetos, mas que já lançou os primeiros dados sobre o que poderá ser a temporada nas pistas nacionais. Luís Barros (CPCC) e César Machado (CPSP) começaram o ano com vitórias, tal como Vasco Barros que levou a melhor em ambas as corridas da recentemente criada Taça Nacional de PósHistóricos. Com isto, bem se pode considerar que foi um auspicioso início dos pilotos famalicenses presentes no traçado minhoto.

GT’S NÃO CORRERAM EM BRAGA O Campeonato de Portugal de Circuitos/GT (CPGT) não começou, tal como previsto, em Braga. A prova que iria marcar o início da época ficou sem efeito, durante a semana que a antecedia, devido a problemas com o regulamento técnico da categoria GT Cup. Como o regulamento desportivo para 2013 também mudou, nomeadamente a duração das corridas, que passaram a ter duas horas de duração, é necessário efetuar reabastecimentos durante as mesmas. No entanto, ainda não existem equipamentos de reabastecimento disponíveis para os Porsche 997 GT3 Cup e por motivos de segurança, não é possível abastecê-los pela forma convencional. O comunicado do promotor refere ainda que todas as equipas concordaram com esta decisão. Assim, a prova marcada para o circuito espanhol de Aragón, nos dias 27 e 28 de abril, dará o pontapé de saída para o CPGT. A visita da Taça de Portugal delineada para 14 e 15 de setembro em Braga, passa a ser pontuável igualmente para o CPGT, que mantém assim as cinco provas.

Os Sport-Protótipos tiveram direito à primeira corrida do ano, disputada no sábado e sob chuva intensa, que dificultou e muito a tarefa dos poucos pilotos presentes. Partindo da pole, a dupla César Machado/Gonçalo Inácio cedo assumiu que iria para vencer e sublinhar o domínio nos treinos. O jovem famalicense rubricava mais uma magnífica exibição, ele que assumia nunca ter guiado uma viatura de tração traseira nestas condições. O Norma M20F esteve impecável e permitiu assim chegar à primeira vitória da época, numa corrida que ainda teve intervenção do safety-car, em virtude da intensa chuva. No entanto, a tarefa não foi fácil, pois só depois de um pião de Gonçalo Araújo enquanto seguia perto da traseira do Norma conduzido na altura por César Machado. Araújo ficou na escapatória e o jovem de Famalicão ficou com o caminho livre para uma vitória mais descansada, num triplete perfeito: pole position, vitória e ainda a volta mais rápida da corrida. O pódio ficou completo com Francisco Abreu e Gonçalo Ferreira, ambos a solo e em Radical SR3, que sentiram algumas dificuldades para acompanhar o ritmo dos protótipos mais potentes nesta corrida.


Nº 2 – ABRIL 2013

Circuito Braga I

A 2ª Corrida começou com piso molhado, mas com tendência para ir secando ao longo dos 50 minutos de prova. Na primeira fase, Gonçalo Inácio batia-se arduamente com João Luís, disposto a superar o azar do seu colega de equipa Gonçalo Araújo na corrida anterior. Até à troca de pilotos, Inácio foi mais forte, mas assim que Araújo tomou as rédeas do Norma foi cavando uma vantagem para César Machado, permitindo assim gerir da

melhor forma as dobragens e os pneus, chegando à vitória de forma isolada. O famalicense pouco ou nada podia fazer, segurando confortavelmente o 2º lugar, num excelente início de temporada, saindo de Braga na liderança do campeonato e confirmando uma vez mais todo o seu potencial. Francisco Abreu foi o melhor da categoria C3, encerrando igualmente o pódio.

CÉSAR MACHADO Pole Position para as duas corridas, vitória na primeira, melhor só vencer também a segunda! Mas foi um excelente resultado em termos de campeonato, saímos na liderança. Na 1ª corrida, tal como nos treinos, o carro esteve irrepreensível, na 2ª optamos por não mexer no setup, pois acreditamos que voltaria a chover, o que acabou por não acontecer, e acabamos por não ter andamento para o Gonçalo Araújo e o João Luís Calado que fizeram uma prova espetacular e estão de parabéns. CLASSIFICAÇÃO 1ª CORRIDA

CLASSIFICAÇÃO 2ª CORRIDA

POS

PILOTO

CARRO

TEMPO

POS

PILOTO

CARRO

TEMPO

César Machado/Gonçalo Inácio

Norma M20F

50m25,923s

João Luís Calado/Gonçalo Araújo

Norma M20FC

50m25,382s

Francisco Abreu

Radical SR3

a 1m30,053s

César Machado/Gonçalo Inácio

Norma M20F

a 22,487s

Gonçalo Ferreira

Radical SR3

a 1 volta

Francisco Abreu

Radical SR3

a 1 volta

Mário Melo/Paulo Costa

Norma M20FC

a 2 voltas

Gonçalo Ferreira

Radical SR3

a 1 volta

Donnald Naessens/Wim Geentjens

Radical SR3

a 2 voltas

Donnald Naessens/Wim Geentjens

Radical SR3

a 4 voltas

Terminaram 6 concorrentes

Terminaram 6 concorrentes

BIS PARA RUI AZEVEDO NOS 1300 O piloto do Ford Escort parece estar num campeonato à parte nos Clássicos 1300. Na 1ª corrida ainda teve Vítor Araújo como adversário, mas quando este encostou, Rui Azevedo foi embora da concorrência e venceu isolado, não baixando o ritmo ao longo das 15 voltas. Também em Ford Escort, Gonçalo Gomes foi 2º, igualmente sem oposição de quem vinha atrás, neste caso Fernando Soares, que encerrou o pódio e o lote daqueles que terminaram na mesma volta. Para a corrida seguinte, Rui Azevedo largou da pole e teve sempre atrás de si Gonçalo Gomes, contudo este seria obrigado a desistir e assim o piloto da Trofa caminhava serenamente para mais uma vitória, gerindo desta feita o seu ritmo. Miguel Ferreira, em Ford Escort, melhorou a sua performance e foi 2º, com Fernando Soares a tomar-lhe o gosto e a ser o 3º classificado. Realce para a ausência do campeão Alexandre Beirão, bem como dos habituais Alfa Romeo.

CLASSIFICAÇÃO 1ª CORRIDA POS

PILOTO

CARRO

TEMPO

Rui Azevedo

Ford Escort RS

25m54,991s

Gonçalo Gomes

Ford Escort RS

a 1m20,276s

Fernando Soares

Fiat 128 Coupe

a 1m44,605s

Frederico Castro

Fiat 128 Sport

a 1 volta

Miguel Ferreira

Ford Escort RS

a 1 volta

Terminaram 16 concorrentes

CLASSIFICAÇÃO 1ª CORRIDA POS

PILOTO

CARRO

TEMPO

Rui Azevedo

Ford Escort RS

50m25,923s

Miguel Ferreira

Ford Escort RS

a 2,266s

Fernando Soares

Fiat 128 Coupe

a 48,172s

Frederico Castro

Fiat 128 Sport

a 1m08,216s

Arnaldo Marques

Datsun 1200

a 1 volta

Terminaram 13 concorrentes


Nº 2 – ABRIL 2013

Circuito Braga I

VITÓRIAS REPARTIDAS NOS CLÁSSICOS A primeira corrida do Campeonato de Portugal de Clássicos teve vários acontecimentos que definiram o seu desfecho. Mesmo com o Ford Capri de António Nogueira na pole, foi Luís Barros que saiu melhor e isolou-se na liderança fruto de um andamento muito forte nas primeiras voltas. A pista bracarense ia secando à medida que as voltas iam passando e quando o piloto famalicense parecia ter tudo controlado, efetuou um pião numa altura em que era pressionado por João Macedo e Silva, num Porsche 911 RSR. Barros caiu na classificação e novo pião deixava-o no 5º lugar final, ainda assim o piloto do Porsche 930 Turbo efetuou a volta mais rápida, evidenciando que tudo fez para vencer. Assim, Macedo e Silva triunfou pela primeira vez, deixando Rui Costa no 2º lugar, enquanto António Nogueira era 3º, depois de também se ter afundado na tabela ao longo da corrida, por ter montado pneus slicks no Ford Capri, numa estratégia arriscada do veterano piloto.

Luís Barros não se deixou surpreender na segunda manga e desta feita traduziu o seu domínio ao longo de toda a corrida, numa saborosa vitória. O piloto de Famalicão instalou-se desde logo no comando da corrida e foi amealhando segundos, para depois se sentir confortável e não ser atraiçoado pelo piso molhado. João Macedo e Silva desta feita não conseguiu acompanhar de perto o outro Porsche, contentando-se com a 2ª posição, depois de um animado duelo travado com António Nogueira, que ficou apenas com 5ª velocidade. Depois de uma boa prestação, Rui Costa não viria a terminar, com problemas no seu Ford Escort RS.

4 CAMPEÕES EM CADA CAMPEONATO?

VASCO BARROS DOMINA PÓS HISTÓRICOS A Taça Nacional de Pós Históricos pretende reavivar tempos gloriosos da velocidade, atraindo veículos sem homologação, mas que ainda não são Clássicos, nomeadamente os do final da década de 80/início da década de 90. Esta primeira aparição não teve muito sucesso, com apenas 4 inscritos, no entanto fica o registo da maioria deles conduzirem carros anteriores ao seu nascimento. Assim, a TNPH juntou-se aos Clássicos e nas duas corridas a supremacia foi de Vasco Barros, filho de Luís Barros, que conduziu um Toyota Starlet. O jovem de 16 anos adaptou-se bem ao carro e à pista, tornando-se assim uma das figuras do fim de semana. Parece ter sido uma competição para filhos de campeões, uma vez que em 2º lugar ficou Rita Azevedo, cujo pai é Rui Azevedo, também ela ao volante de um Toyota.

Uma das constatações após o Circuito Braga I, consultando as classificações da página da FPAK, é que não haverá campeão absoluto nos Clássicos e nos Clássicos 1300, mas sim nas respetivas categorias. Ou seja, em cada um desses campeonatos teremos 4 campeões: H65, H71, H75 e H81. Não deixa de ser curioso que, por exemplo, no Campeonato de Portugal de Clássicos, o número máximo de concorrentes que pontuaram em qualquer uma das categorias foi de quatro, ou seja, não é preciso muito para terminar num lugar do pódio.

MUITO PÚBLICO Como é costume no traçado bracarense, o público aderiu em bom número. Nem mesmo a pouca ajuda que o S. Pedro resolveu dar durante o fim de semana e o facto de se cobrar bilhete, afastou os aficionados. A bancada do final da reta da meta é por norma o local de eleição, uma vez que permite ver a maior parte do circuito e tem sempre o aperitivo das confusões nas voltas iniciais.

CLASSIFICAÇÃO 1ª CORRIDA

CLASSIFICAÇÃO 2ª CORRIDA

POS

PILOTO

CARRO

TEMPO

POS

PILOTO

CARRO

TEMPO

João Macedo e Silva

Porsche 911 RSR

31m19,270s

Luís Barros

Porsche 930 Turbo

30m47,450s

Rui Costa

Ford Escort RS

a 33,812s

João Macedo e Silva

Porsche 911 RSR

a 29,418s

António Nogueira

Ford Capri 3100

a 34,060s

António Nogueira

Ford Capri 3100

a 41,065s

Jorge Areia

Opel Kadett GTE

a 42,578s

Jorge Areia

Opel Kadett GTE

a 1 volta

Luís Barros

Porsche 930 Turbo

a 1m05,946s

Francisco Pinto

BMW 2002

a 1 volta

Vasco Barros

Toyota Starlet

a 3 voltas

(…) 12º

(…) Vasco Barros

Terminaram 17 concorrentes

Toyota Starlet

a 1 volta

10º

Terminaram 14 concorrentes


Nº 2 – ABRIL 2013

Ralis

Já são conhecidos os primeiros pormenores

Quando o pano cair sobre o Rali de Portugal, as atenções viram-se de imediato para o Sata Rali Açores. A prova insular integra o renovado Campeonato da Europa de Ralis, bem como a Taça de Ouro de Ralis, naquela que será a segunda de três provas e onde tudo pode começar a ficar definido sobre quem será o vencedor.

RALI NA TV O Sata Rali Açores terá várias classificativas transmitidas em direto na TV, aproveitando o facto do canal Eurosport ser o promotor do Europeu de Ralis. A Eurosport e da RTP Açores vai transmitir simultaneamente as duas passagens por Sete Cidades no dia 26 de Abril e as duas passagens de Tronqueira, no dia seguinte. Sexta-feira, 26 de abril de 2013 Sete Cidades 1: 14:30 - 15:30 (Eurosport, RTP Açores) Sete Cidades 2: 19:00 - 20:00 (Eurosport, RTP Açores) Sábado, 27 abril de 2013 Tronqueira 1: 12:15 - 13:15 (Eurosport Player, RTP Açores) Tronqueira 2: 19:00 - 20:00 (Eurosport)

Entre os dias 25 e 27 de abril, Ponta Delgada recebe a nata dos pilotos do Europeu, para mais uma edição daquele que é considerado um dos ralis mais bonitos do mundo. Com sensivelmente um mês pela frente, ainda não conhecidos aqueles que efetivamente estarão presentes, mas sabe se já tudo sobre as 19 classificativas que compõem a prova, divididas por três etapas. Depois de duas vitórias, o checo Jan Kopecky lidera o campeonato e pode estar presente nos Açores, mas ainda não está nada confirmado a nível da equipa Skoda. Nas hostes da Peugeot, Craig Breen e Jéremi Ancian são os representantes da marca francesa, que agora tem o cunho de academia. Ainda ao volante dos 207 S2000, dois nomes de peso pretendem estar na luta pela vitória, nomeadamente, François Delecour e Bruno Magalhães. A organização do rali já anunciou a presença de um campeão do mundo de ralis, contudo ainda não foram divulgados sobre esta eventual participação.

MIGUEL CAMPOS DE EVO IX Depois de ter marcado presença na prova inaugural do Campeonato de Portugal de Ralis com um Mitsubishi Lancer X da equipa espanhola RMC, Miguel Campos estará no WRC Fafe Rally Sprint com um carro da geração anterior, assistido pela Peres Competições.

continua a tentar completar o budget necessário para prosseguir a sua aposta no campeonato. Miguel Campos assume estar confiante num desfecho positivo e que lhe garanta a presença nas restantes provas do CPR.

O piloto famalicense volta desta forma a estar no evento que antecede o Rali de Portugal, numa altura em que

2 S2000 A CAMINHO? A JPracing e uma série de entidades e empresas da Região do Douro têm tudo acertado para colocar a correr dois Peugeot 207 S2000 no Campeonato de Portugal de Ralis de 2013, já a partir do próximo Rali Cidade de Guimarães. O projeto inclui dois pilotos, um deles é Jorge Portela, gestor da equipa JPracing, piloto que esteve ligado aos ralis à cerca de uma década. O primeiro piloto deverá ser um ex-campeão nacional de ralis.

Alguns rumores insistem também num novo carro para Miguel Barbosa. As hipóteses para o piloto de Famalicão passam por fazer o que resta do CPR num S2000 ou R5.


Nº 2 – ABRIL 2013

Multimédia / Últimas / Agenda

Assista aos melhores vídeos do desporto motorizado famalicense. Basta clicar na imagem e sinta toda a adrenalina!

RESUMO RALI CIDADE DE CASTELO BRANCO by movielight

BEST OF RALI C. CASTELO BRANCO - RALLYMANIA by joaopedrosousaprod

A FECHAR O Campeonato de Portugal de Todo-o-Terreno tem início marcado para os dias 20 e 21 de abril, no Vinhos Ervideira TT, prova que terá o centro nevrálgico em Reguengos de Monsaraz. Como favoritos, o campeão Miguel Barbosa regressa com o Mitsubishi Racing Lancer, enquanto Nuno Matos renova o seu Opel, desta feita com a carroçaria do Mokka. Hélder Oliveira já confirmou o regresso à modalidade, com o BMW Série 1 Proto. A prova alentejana contempla dupla passagem num setor seletivo de 150 km, para além da super especial que ordenará a partida.

AGENDA ABRIL 5/11 6 7 7 11/14 14 14 14

Também a Montanha irá ter o tiro de partida no mês de abril, precisamente nos dias 27 e 28, com a Guimarães a ter essa honra. A Rampa da Penha tem um traçado de 2780m, com uma inclinação média de 6,7%, sendo tradicionalmente bastante rápido. Mudança de carro para o campeão Pedro Salvador, que passa agora para os comandos de um Wolf, ele que terá no famalicense Tiago Reis, no Norma, um sério adversário. As subidas de provas estão marcadas para o dia 28, ficando o dia anterior destinado às verificações.

19/20

No último fim de semana de abril tem lugar em Montalegre um dos eventos mais espetaculares do ano, o Rallycross Internacional. A pista transmontana recebe os melhores pilotos da especialidade, em mais uma prova do Europeu, nomeadamente Timur Timerzianov, campeão no ano passado, Liam Doram ou Stig Olof Walfridsson. Destaque ainda para a presença de Petter Solberg, que este ano deixou o Mundial de Ralis para se dedicar a esta modalidade, ele que estará presente num Citroën DS3.

25/27

FOMOS AO BAÚ

CURSO DE NAVEGADORES TEAM BAIA by imagensarmandoleitao

19/20 20/21 20/21 21 21 27/28 27/28 27/28 28

Abu Dhabi Desert (FIA TT) WRC Fafe Rally Sprint WTCC Marrakech (WTCC) Grande Prémio do Qatar (MOTO GP) Vodafone Rali de Portugal (WRC/CPR) Grande Prémio da China (F1) Enduro de Vale de Cambra (CNE) 6h de Silverstone (Fia Endurance) Rali de Alfena (COR/CPJR/CRRN/TNCR) Rali Município de S. Vicente (CR Madeira) Vinhos Ervideira TT (CPTT) Circuito de Karting do Bombarral (CPK) Grande Prémio do Bahrain (F1) Grande Prémio das Américas (MOTO GP) Sata Rali Açores (ERC/CPR/CR Açores) Ralicross Internacional de Montalegre (CERX) Circuito de Aragón (CPC) Rampa da Penha (CPM) WTCC Slovakiaring (WTCC)

Luís Barros proporcionou no Circuito Braga I ao filho Vasco a primeira experiência nas pistas nacionais. Em 1999, também ele correu no Troféu Toyota Starlet, dando os primeiros passos da sua carreira, coroada já com vários títulos na velocidade, nomeadamente nos Clássicos.


FAMALICÃO MOTOR - Nº2 - Abril 2013  

Edição nº2 - Abril 2013

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you