Issuu on Google+

Assunto:MUDANÇA, EVOLUÇÃO OU RECICLAGEM DA LINGULLINGUAGEM MÚSICAL.

Você É Linda Caetano Veloso Composição: Caetano Veloso Fonte de mel Nos olhos de gueixa Kabuki, máscara Choque entre o azul E o cacho de acácias Luz das acácias Você é mãe do sol A sua coisa é toda tão certa Beleza esperta Você me deixa a rua deserta Quando atravessa E não olha pra trás Linda E sabe viver Você me faz feliz Esta canção é só pra dizer E diz Você é linda Mais que demais Vocé é linda sim Onda do mar do amor Que bateu em mim Você é forte Dentes e músculos Peitos e lábios Você é forte Letras e músicas Todas as músicas Que ainda hei de ouvir No Abaeté Areias e estrelas Não são mais belas Do que você Mulher das estrelas Mina de estrelas Diga o que você quer Você é linda E sabe viver


Você me faz feliz Esta canção é só pra dizer E diz Você é linda Mais que demais Você é linda sim Onda do mar do amor Que bateu em mim Gosto de ver Você no seu ritmo Dona do carnaval Gosto de ter Sentir seu estilo

Ir no seu íntimo Nunca me faça mal Linda Mais que demais Você é linda sim Onda do mar do amor Que bateu em mim Você é linda E sabe viver Você me faz feliz Esta canção é só pra dizer E diz

Escute o refrão É do jeitinho q eu vou fazer Vem, vem Tchutchuca Vem aqui pro seu Tigrão Vou te jogar na cama E te da muita pressão! Vem Tchutchuca Vem aqui pro seu Tigrão Vou te jogar na cama E te da muita pressão!

Tchutchuca Bonde do Tigrão Composição: Tigrão Vem tchutchuca linda Senta aqui com seu pretinho Vou te pegar no colo E fazer muito carinho Eu quero um rala quente Para te satisfazer

Vem tchutchuca linda Senta aqui com seu pretinho Vou te pegar no colo E fazer muito carinho Eu quero um rala quente Para te satisfazer Escute o refrão É do jeitinho q eu vou fazer Vem, vem Tchutchuca Vem aqui pro seu Tigrão Vou te jogar na cama E te da muita pressão! Vem Tchutchuca Vem aqui pro seu Tigrão Vou te jogar na cama E te da muita pressão! Vem tchutchuca linda Senta aqui com seu pretinho


Vou te pegar no colo E fazer muito carinho Eu quero um rala quente Para te satisfazer Escute o refrão É do jeitinho q eu vou fazer Vem, vem Tchutchuca

Vem aqui pro seu Tigrão Vou te jogar na cama E te da muita pressão! Vem Tchutchuca Vem aqui pro seu Tigrão Vou te jogar na cama E te da muita pressão!

Como a música muda, é isso mesmo,

funk várias pessoas, que fazem parte da tal classe artistica pegaram carona e copiaram a formula do sucesso explosivo do funk e acabaram entrando na onda dessas músicas, e sairam lucrando com isso, mas é preciso repensar, que música é essa?

música! Uns até dizem que não, que a verdadeira música é aquela que sua letra transmite uma mensagem significativa e de forma poética, mas com o passar dos anos ela vai se transformando, renovando ou em um momento elas apenas viram hits sem nenhum significado verdadeiro, apenas uma repetição de palavras sem sentido. Da mesma forma que as pessoas mudam, as músicas, as formas de linguagem, tudo se recicla, tudo se cria ou será que se copia? Já diziam em algum lugar "hoje em dia nada se cria tudo se copia!" E na onda da

Bom, na música sua letra em si retrata o momento em que o compositor vive ou lê o mundo ao seu redor. Elas retratam o momento socio-cultural e histórico da sociedade naquele dado momento. Trata as pessoas da forma em que ela se destaca na sociedade num dado momento. Exemplos marcantes que retratam de forma singular a


cituação do homem na sociedade brasileira,são as músicas escritas na época da ditadura militar. São letras de músicas, de histórias de pessoas que estavam presentes nessa época de tanta repressão, e que através da música relatavam, descreviam, criticavam a ditadura. Dessa forma vemos a música não apenas pela música, mas pelo contexto no qual ela está inserida, e como ela reflete na sociedade. Com o decorrer dos anos, ela foi evoluindo e na atualidade temos o funk, músicas com pouca expressão, apresenta-se com letras que parecem grudar na nossa mente, de forma até irritante, ela gruda e quando vêmos estamos catarolando algo do qual nem gostamos. As letras são escritas de forma que banalizam o sexo de forma explicíta, sugerem uma sociedade que está em busca dos prazeres imediatos, uma sociedade que com o passar dos anos transformou a mulher em algo

descartável. Não temos mais músicas com letras significantes, escritas de formas brilhantes por verdadeiros poétas que nos possam fazer viajar e esquecer esse mundo louco que toca Funk. A música de Caetano Velozo trata a mulher de forma subliminar, elegendo seus aspectos mais significativos em seu ponto de vista. Retrara sua leitura de mulher. Os tempos mudam as pessoas também e vejamos a letra do bonde do Tigrão, o que nos expressa?Seria a mesma mulher?Será que a "Fonte de mel" de Caetano ia gostar de ser jogada na cama e levar muita pressão? Estranho não...Será que ela evoluiu, e se transformou em uma Tchutchuca? Navegando pelas ondas da internet encontrei um texto que expressa com exatidão as mudanças músicais.


A "evolução" da música Brasileira - Década de 10: O rapaz de terno, colete e cravo na lapela, embaixo da janela dela, canta: "Tão longe, de mim distante, onde irá, onde irá teu pensamento? Quisera saber agora se esqueceste, se esqueceste o juramento. Sabe se és constante, se ainda é meu teu pensamento e minh'alma toda de fora, da saudade, agro tormento!" - Década de 20: Ele, de terno branco e chapéu de palha, embaixo do sobrado em que ela mora, canta: "O linda imagem de mulher que me seduz! Ah, se eu pudesse tu estarias num altar! És a rainha dos meus sonhos, és a luz, és malandrinha, não precisas trabalhar." - Década de 30: Ele, de terno cinza e chapéu panamá, em frente à vila onde ela mora, canta: "Tu és, divina e graciosa, estátua majestosa! Do amor por Deus esculturada. És formada com o ardor da alma da mais linda flor, de mais ativo olor, que na vida é a preferida pelo beija-flor..." - Década de 40: Ele ajeita seu relógio Pateck Philip na algibeira, escreve para a Rádio Nacional e manda oferecer a ela uma linda música: "A deusa da minha rua, tem os olhos onde a lua, costuma se embriagar. Nos seus olhos eu suponho, que o sol num dourado sonho, vai claridade buscar" - Década de 50: Ele pede ao cantor da boate que ofereça a ela a interpretação de uma bela bossa:

"Olha que coisa mais linda, mais cheia de graça. É ela a menina que vem e que passa, no doce balanço a caminho do mar. Moça do corpo dourado, do sol de Ipanema. O teu balançado é mais que um poema. É a coisa mais linda que eu já vi passar." - Década de 60: Ele aparece na casa dela com um compacto simples embaixo do braço, ajeita a calça Lee e coloca na vitrola uma música papo firme: "Nem mesmo o céu, nem as estrelas, nem mesmo o mar e o infinito não é maior que o meu amor, nem mais bonito. Me desespero a procurar alguma forma de lhe falar, como é grande o meu amor por você..." - Década de 70: Ele chega em seu fusca, com tala larga, sacode o cabelão, abre a porta prá mina entrar e bota uma melô jóia no toca-fitas: "Foi assim, como ver o mar, primeira vez que os meus olhos se viram no teu olhar... Quando eu mergulhei no azul do mar, sabia que era amor e vinha pra ficar..." - Década de 80: Ele telefona pra ela e deixa rolar um: "Fonte de mel, nos olhos de gueixa, Kabuki, máscara. Choque entre o azul e o cacho de acácias, luz das acácias, você é mãe do sol. Linda..." - Década de 90: Ele liga pra ela e deixa gravada uma música na secretária eletrônica: "Bem que se quis, depois de tudo ainda ser feliz. Mas já não há caminhos pra voltar. E o que é que a vida fez da nossa vida? O que é que a gente não faz por amor?" - Em 2001: Ele captura na internet um batidão legal e manda pra ela, por e-mail: "Tchutchuca! Vem aqui com o teu


Tigrão. Vou te jogar na cama e te dar muita pressão! Eu vou passar cerol na mão, vou sim, vou sim! Eu vou te cortar na mão! Vou sim, vou sim! Vou aparar pela rabiola! Vou sim, vou sim!" - Em 2002: Ele pára o chevetinho 81, rebaixado, e no mais alto volume solta o som: Vai Serginho, vai Serginho... "Vem

minina num si ispanta, vô gozá na tua garganta..." - Em 2008: Créu, créu, créu...


literatura e musica