Issuu on Google+


3. Organizando suas informações Para preparar uma boa apresentação, é preciso que você tenha em mente que ela deve ir ao encontro do interesse dos ouvintes, desenvolver o assunto de forma clara, lógica e concatenada, além de atingir os objetivos propostos. Deverá criar um roteiro que permitirá a você orientar-se passo a passo na procura das informações apropriadas para as circunstâncias de cada apresentação, de acordo com o tema, os seus objetivos e o público que irá ouvi-lo.

3.1 Escolha do Assunto

Geralmente somos convidados para falar sobre um assunto que se relaciona com nossa profissão, nosso interesse pessoal, de nosso preparo acadêmico ou até acontecimentos da nossa vida. Mas isso não significa que o orador não deva escolher o assunto a ser abordado, ou até mesmo dar o enfoque que julgar pertinente ao momento para que fique mais fácil a construção das ideias e também adequado aos ouvintes. Sendo assim, escolha corretamente o assunto que irá desenvolver na sua apresentação. Para isso, considere as seguintes situações: a) Fale sobre um tema atual. b) Trate de um assunto no qual tenha autoridade. c) Escolha de um assunto que você goste. d) Coloque uma nova roupagem aos assuntos corriqueiros. e) Opte por um assunto pertinente à circunstância. f)

Decida-se por um assunto com tempo para ser pesquisado e apresentado

g) Fale sobre um ângulo do assunto que o auditório ainda não tenha ouvido.


1.2 Determine os Objetivos

O que você de fato deseja obter com sua apresentação? Devemos saber claramente o que pretendemos não ocorrendo desvio de informações e de formatos de exposição do conteúdo desejado. Para que ocorra essa organização verbal e não verbal, é necessário ter em mente seus objetivos, os quais podem se apresentar separadamente, ao mesmo tempo, ou de forma alternada numa mesma abordagem. Nessa exposição de informações, importante identificar o foco da abordagem desejada na apresentação. Na oratória existem os seguintes contextos argumentativos, que são: a) Informar. b) Persuadir e Motivar. c) Entreter. d) Promover-se. Isso significa que, essa identificação focal irá promover o alcance dos objetivos na apresentação.

3.3 Conhecer o ouvinte

O sucesso de uma apresentação está ligado também ao conhecimento do público ouvinte. Precisamos saber para quem iremos expor nossos pensamentos. Para conhecermos os ouvintes temos que considerar: a) A forma como as pessoas ouvem: considerar que as pessoas têm dificuldades para escutar por algumas das seguintes razões:


Dificuldade de concentração.

Audição seletiva.

Prejulgamento e distorções.

Qualidade da mensagem.

b) Os motivos que as levaram à apresentação. c) Quanto os ouvintes já sabem sobre o assunto. d) Quanto os ouvintes gostariam de saber e quanto desejo informar. e) Suas motivações de vida. f)

Qual o espírito de participação dos ouvintes.

g) Características do público que influenciam na preparação. As principais são:

Na

Sexo.

Idade.

Nível sociocultural.

Raça.

fase

de

preparação

da

apresentação, esse item é um dos mais importantes porque sempre que expomos nossas ideias para alguém e saber para quem nos possibilita adequações que serão fundamentais para o sucesso de nossa exposição.


Compreenda seu papel Antes de preparar sua apresentação e ajustá-la para o público a que você se dirigirá, há algumas perguntas que você deve fazer-se sobre seu papel: -Estou aqui para modificar uma ideia? - Vou fazer um discurso motivador? - O que espero influenciar os espectadores a fazer? - Estou trazendo informações novas a eles? - Estou aqui para justificar minha posição (ou de minha empresa)? - Sirvo como réplica à apresentação de alguém? - Estou aqui para substituir alguém ou para preencher o tempo? - Qual minha relação com os outros palestrantes? - Estou aqui para desafiar as ideias de outra pessoa? - Sou mais entretenimento do que aprendizado? Se você não for a estrela e não tiver um papel definido, sinta-se livre para relaxar e fazer a apresentação da melhor maneira possível.

3.4 Local e Circunstância

Para quê tudo esteja adequado, deve-se observar e considerar o local e as condições para a realização do seu trabalho como comunicador. Alguns cuidados com o local e as circunstâncias que cercam a apresentação, ajudam a indicar o melhor caminho para alcançarmos um bom resultado com o público. O orador deve considerar e se informar quanto: a) O tamanho do auditório.


b) O local onde será realizada a apresentação. c) Os recursos disponíveis. d) O apoio da apresentação. e) O que aconteceu antes da sua apresentação.

Verifique o local Não importando quão bem você acha que conhece o local da apresentação, dedique um tempo para vê-lo com antecedência a fim de verificar alguns detalhes fundamentais. Sua checklist deve incluir: - Onde ficam as tomadas? - Há um flip chart/ um quadro/ uma lousa? - Há cadeiras suficientes? - Há telefone? Se sim, é possível garantir que ele não vai tocar? - Alguém chegando atrasado passar na frente da apresentação? - Se for utilizar o projetor, a sala pode ser escurecida? - Algo pode confundir os espectadores? - Você vai ficar perto ou longe do público?


3.5 Pesquisar as informações

Depois de termos definido o assunto, traçado os objetivos da apresentação, identificado às características dos ouvintes, boa parte da pesquisa e da escolha das informações já terá sido realizada, temos que completar o levantamento de dados. a) Comece a pesquisar a montagem da apresentação pelo assunto central. b) Não censure. c) Recorra aos próprios conhecimentos. d) Converse com outros especialistas. e) Consulte bibliotecas, livrarias e arquivos de jornais. f)

Consulte filmes.

g) Visite o local. h) Monte um arquivo. i)

Concentre-se no assunto.

j)

Separe e relacione as informações.

Tudo que pensamos e falamos pode ser representado em forma de imagens, sons e sensações. O cérebro humano quando processa a informação as divide nestes três componentes. Por isso é fundamental realizar uma pesquisa minuciosa quanto aos recursos que poderá dispor em sua apresentação. Em termos quantitativos, o canal de predominância da absorção de informações para um público médio tende a ser o visual, depois o auditivo e posteriormente o sinestésico. Estima-se que:


Porcentagem

Predominância

83 %

Predominantemente visual

11%

Auditivos

6%

Sinestésicos

Comunicativamente as pessoas com características perceptivas tendem a ser convencidas e apresentam-se com predominâncias como as descritas na tabela.

Percepção

Auditiva

Predominância

O que lhe é dito.

Guarda mais facilmente as palavras.

Percebe pequenas alterações na tonalidade da voz.

Convencem-se

diante

de

uma

argumentação

consistente. 

Utilizam um tom de voz bem ajustado ao ambiente.

Fisicamente se identificam pela movimentação dos olhos.

Visual

Convencem-se com segurança diante de imagens.

Utilizam uma linguagem fartamente figurada.

Descrevem e lembram fisionomias e ambientes.


Seu ritmo de fala pode se acelerar facilmente.

Na sua argumentação pode induzir a plateia a visualizar mentalmente os exemplos que usar.

Fisicamente quando formulam a frase, costumam jogar seu olhar para cima.

Sinestésicos

O canal da sensação mais aguçado.

Possuem uma forma mais retraída de comunicação.

Utilizam de toque quando falam com as pessoas.

Fisicamente tendem a olhar baixo quando falam.

O ritmo de fala pode ser mais sereno.

Esta predominância de um canal de maior sensibilidade à comunicação não elimina a importância dos demais. Algumas pessoas possuem ambos os canis latentes, feito antenas que captam e percebem informações explícitas e implícitas, objetivas e sutis. Outros têm a predominância dos três canais em ordens diferentes.


Organizar as informações