Page 1


2

MANUAL DO ALUNO CURSO: ODONTOLOGIA


Sumário Apresentação

5

Introdução 6 1. Aspectos do Regime Acadêmico

7

1.1. Como e onde fazer solicitações

7

1.2. Calendário Escolar

7

1.3. Matrícula

7

1.4. Cancelamento da Matrícula

8

1.5. Trancamento da Matrícula

8

1.6. Transferência

9

1.7. Aproveitamento de Estudos/Dispensa de Disciplinas

10

1.8. Verificação do Rendimento Escolar

11

1.8.2. Revisão de Provas e Simulados

12

1.8.3. Segunda Chamada de Provas

13

1.8.4. Promoção

14

1.8.5. Avaliação Suplementar

14

1.9. Adaptação/Dependência

15

1.10. Estudos de Recuperação e Atividades de Nivelamento

15

1.11. Frequência às Aulas

15

1.12. Abono de Faltas

16

1.13. Assistência Acadêmica Domiciliar

16

1.14. Estágio Supervisionado

17

1.15. Atividades Complementares

18

1.16. Monitoria

20

1.17. Monografia

21

1.18. Ouvidoria

22 MANUAL DO ALUNO

CURSO: ODONTOLOGIA

3


1.19. Biblioteca

22

1.20. Laborátorio de Informática

23

1.21. Laboratórios

23

1.22. Sala de Aula

24

1.23. Atividades aos Sábados

24

1.24. Mensalidades

25

1.25. Traje

25

1.26. Estímulo/Motivação para os Alunos

25

1.27. Representação Estudantil

26

1.28. Regime Disciplinar

26

1.29. Colação de Grau

27

1.30. Considerações Finais

27

1.31. Estrutura Curricular

28

Estrutura Organizacional da Fadipa

34

4

MANUAL DO ALUNO CURSO: ODONTOLOGIA


APRESENTAÇÃO Este é o Manual do Aluno da Faculdade de Ipatinga. Ele foi elaborado com o objetivo de auxiliar o seu desempenho no processo de atividades acadêmicas. É importante conhecê-lo minuciosamente para obter orientações que facilitem o exercício do processo de ensino e de aprendizagem. Nele você encontrará informações que lhe permitem organizar o seu tempo de estudos para que possa planejar seus compromissos escolares. Através desse plano de estudos você poderá evitar surpresas com provas, trabalhos ou acúmulo de atividades ou de conteúdo. Estamos iniciando o semestre letivo. Vamos continuar a construção do conhecimento de forma coletiva e organizada, nas aulas, na Biblioteca, no diálogo com os professores e com os colegas pois, certamente, cada um de nós está elaborando um projeto de vida e o sucesso deste investimento depende do decisivo e mágico momento da educação. Rubem Alves nos alerta que: “A educação é o momento em que, finalmente, podemos começar a escrever a nossa própria vida, única e irrepetível”. A realização de um sonho depende do projeto de vida de cada um de nós e dos investimentos pessoais que destinamos a ele. Lembre-se de que a educação é a mais dignificante fonte de crescimento do ser humano. A FADIPA está de braços abertos para recebê-lo e contribuir para a construção desta história. Seja bem-vindo.

Jésus Nascimento da Silva Diretor

MANUAL DO ALUNO

CURSO: ODONTOLOGIA

5


INTRODUÇÃO A Faculdade de Ipatinga surgiu da necessidade de atendimento à população da Região Metropolitana, denominada Vale do Aço. Este aglomerado urbano, formado por quatro cidades: Ipatinga, Coronel Fabriciano, Timóteo e Santana do Paraíso, municípios absolutamente conurbados, possui um grande contingente populacional de aproximadamente, 500.000 habitantes. O Vale do Aço, como pólo de desenvolvimento regional, congrega mais de cinco cidades em seu entorno. Com a presença de grandes empresas como USIMINAS, APERAM e CENIBRA a região já ressentia, de muito, de mais entidades propulsoras da educação e da cultura. O funcionamento do Curso de Odontologia, autorizado pela Portaria nº 608, de 13 de Outubro de 2016, tem constituído orgulho regional pela notória qualidade das turmas. O Bacharel em Odontologia adquire uma ampla formação cultural, em face da vinculação do curso, não só com disciplinas da área odontológica, mas com muitas outras, principalmente da área das Ciências Sociais e Bioética. “Formar profissionais socialmente responsáveis, capazes de estender à comunidade em que vivem os conhecimentos das ciências, contribuindo para o desenvolvimento social e cultural da região, do Estado e do País”. Esta é a missão do Curso de Odontologia da Faculdade de Ipatinga que sustenta suas ações na abrangência dos aspectos de revalorização da interação Ser Humano/Sociedade/Ambiente e da formação integral do operador odontológico. Deseja-se que seja superada a visão centralizadora e autoritária na construção do conhecimento, que não é estático, mas, ao contrário, permanentemente construído, embora não se possa negar ao estudante um conjunto tradicional de conhecimentos técnicos básicos. Seminários específicos e aulas, durante o curso, desenvolverão Metodologia e Técnica de Pesquisa na busca de um programa de iniciação científica, com vistas à apresentação do Trabalho de Conclusão de Curso. As medidas contidas neste manual poderão ser alteradas para os alunos de Odontologia, de modo a atender as especifidades do curso.

6

MANUAL DO ALUNO CURSO: ODONTOLOGIA


1. ASPECTOS DO REGIME ACADÊMICO 1.1. COMO E ONDE FAZER SOLICITAÇÕES 1.1.1. Toda e qualquer solicitação do aluno é efetuada mediante requerimento, em formulário próprio, encaminhado ao serviço de protocolo, na secretaria da Faculdade. O requerimento será on-line ou não, conforme exigência da Faculdade e protocolado com antecedência mínima de 3 dias, de acordo com a exigência de cada setor. 1.1.2. Dependendo da natureza da solicitação, o requerimento terá de ser acompanhado de documentos que o instrua. 1.2. CALENDÁRIO ESCOLAR 1.2.1. O semestre letivo inicia-se de acordo com o Calendário Escolar podendo compreender, ainda, períodos extraordinários. 1.2.2. O Calendário Escolar, organizado para o ano letivo, contém, no mínimo, 200 (duzentos) dias de trabalho escolar efetivo. 1.2.3. O Calendário Escolar estabelece os períodos de aula, de recesso e outras atividades da comunidade acadêmica. 1.3. MATRÍCULA 11.3.1. A matrícula é renovada a cada semestre letivo, conforme normas e prazos estabelecidos pela secretaria. 1.3.2. A Faculdade exige rigor no cumprimento do prazo estabelecido para a renovação da matrícula. 1.3.3. O requerimento de matrícula ou renovação é preenchido pelo requerente, em formulário padrão e dirigido ao diretor acadêmico-pedagógico. 1.3.4. O requerente deverá estar atento ao preenchimento, de modo a não omitir informações, e não se esquecer de datar e assinar o requerimento. 1.3.5. Os registros da frequência e do aproveitamento escolar dar-se-ão somente a partir do deferimento da matrícula ou renovação.

MANUAL DO ALUNO

CURSO: ODONTOLOGIA

7


1.3.6. Alunos com reprovações matriculam-se no período subsequente, tendo, no entanto, o dever de concluir todas as disciplinas até o final do 10º período. 1.3.7. Alunos com reprovações poderão saldar o débito matriculando-se no semestre subsequente, no mesmo período em que foram reprovados, se houver vaga e compatibilidade de horários ou em períodos especiais. 1.4. CANCELAMENTO DA MATRÍCULA 1.4.1. O cancelamento da matrícula pode ser requerido em qualquer período do curso. 1.4.2. Se o cancelamento for requerido no decorrer do período letivo, o compromisso financeiro do aluno para com a Faculdade inclui o mês em que o mesmo é solicitado. 1.4.3. Caso retorne, o aluno sujeita-se ao cumprimento do currículo obrigando-se às devidas adaptações decorrentes de alteração do mesmo ou à realização de novo processo seletivo, conforme previsto no Regimento da Faculdade. 1.5. TRANCAMENTO DE MATRÍCULA 1.5.1. O trancamento da matrícula é requerido na secretaria da Faculdade, observadas as normas: I – não ser requerido após 30 (trinta) dias do início do período letivo; II – não ser parcial, devendo abranger todo o período letivo; III – não exceder a 04 (quatro) semestres, durante todo o curso, intercalados ou consecutivos; IV – o trancamento de matrícula não assegura ao aluno o reingresso no currículo que cursava, mas sujeita-o à adaptação de estudos, em caso de mudança de currículo havida durante o afastamento. 1.5.2. O trancamento da matrícula interrompe as obrigações financeiras do aluno para com a Faculdade a partir do mês seguinte vincendo. 1.5.3. A Faculdade não permite o trancamento da matrícula no primeiro período do curso. 1.5.4. O retorno do aluno que houver trancado a matrícula sujeita-se à existência de

8

MANUAL DO ALUNO CURSO: ODONTOLOGIA


vaga sendo-lhe, prioritária a ocupação da vaga em relação aos demais pretendentes, desde que requerida em até 30 (trinta) dias antes do início do período letivo, sujeitando-se ao processo de seleção, se o número de candidatos ao retorno for maior do que o número de vagas. 1.5.1. O trancamento da matrícula é requerido na secretaria da Faculdade, observadas as normas: I – não ser requerido após 30 (trinta) dias do início do período letivo; II – não ser parcial, devendo abranger todo o período letivo; III – não exceder a 04 (quatro) semestres, durante todo o curso, intercalados ou consecutivos; IV – o trancamento de matrícula não assegura ao aluno o reingresso no currículo que cursava, mas sujeita-o à adaptação de estudos, em caso de mudança de currículo havida durante o afastamento. 1.5.2. O trancamento da matrícula interrompe as obrigações financeiras do aluno para com a Faculdade a partir do mês seguinte vincendo. 1.5.3. A Faculdade não permite o trancamento da matrícula no primeiro período do curso. 1.5.4. O retorno do aluno que houver trancado a matrícula sujeita-se à existência de vaga sendo-lhe, prioritária a ocupação da vaga em relação aos demais pretendentes, desde que requerida em até 30 (trinta) dias antes do início do período letivo, sujeitando-se ao processo de seleção, se o número de candidatos ao retorno for maior do que o número de vagas.

1.6. TRANSFERÊNCIA 1.6.1. A Faculdade, no limite das vagas existentes e, através de processo seletivo, aceita transferência de alunos provenientes de cursos afins ou idênticos ao seu curso de graduação, mantidos por estabelecimentos de ensino superior reconhecidos, feitas as necessárias adaptações curriculares ou programáticas, de acordo com as normas legais vigentes. 1.6.2. O aluno que pretender transferir-se para a Faculdade deve apresentar declaração de pedido de transferência expedida pela escola de origem, com o competente histórico escolar até então realizado e o programa das disciplinas concluídas, com anotação da carga-horária de cada uma.

MANUAL DO ALUNO

CURSO: ODONTOLOGIA

9


1.6.3. O requerimento de transferência para a Faculdade deverá ser protocolado em até 30 (trinta) dias antes do término do período letivo. 1.6.3.1. A entrada do requerimento de transferência para a Faculdade não garante a vaga para o requerente. 1.6.4. Sujeita-se o transferido às normas estabelecidas pela Faculdade e ao cumprimento das disciplinas, na forma do currículo. 1.6.5. Nos casos de transferência desta Faculdade, a guia competente é expedida em até 20 (vinte) dias úteis, contados da data do protocolo do requerimento. 1.7. APROVEITAMENTO DE ESTUDOS / DISPENSA DE DISCIPLINAS 1.7.1. O aluno que houver concluído alguma disciplina do currículo de seu curso, em outra instituição, julgando ter equivalência, poderá requerer sua dispensa desde que seja equivalente no conteúdo (qualidade) e carga-horária (densidade) em pelo menos 80% considerando-se ainda, sua adequação científico-cultural no contexto curricular do curso respectivo. 1.7.2. O requerimento será apresentado no protocolo, até o décimo dia após o início do período letivo, acompanhado dos seguintes documentos: I – histórico escolar emitido pela faculdade de origem; II – programa(s) da(s) disciplina(s) cursada(s); III – declaração da Faculdade de origem, indicando a nota mínima ou conceito para aprovação. 1.7.3. O aluno continuará cursando a disciplina em que estiver matriculado, enquanto aguardar definição do pedido de dispensa que será divulgada no prazo de 20 (vinte) dias, a contar da data do protocolo de requerimento. 1.7.4. Havendo necessidade de adequação de estudos para efeito de equivalência, realiza-se a mesma sob orientação do professor da disciplina. 1.7.5. A Faculdade somente permitirá a dispensa da disciplina Técnica de Redação, no 1º período. 1.7.6. A Faculdade não se obriga a redução da mensalidade ou ressarcimento, quando procedidas dispensas de disciplinas.

10

MANUAL DO ALUNO CURSO: ODONTOLOGIA


1.8. VERIFICAÇÃO DO RENDIMENTO ESCOLAR 1.8.1. A verificação faz-se mediante a avaliação das atividades escolares. 1.8.1.1. São distribuídos 100 (cem) pontos, por semestre, em duas etapas de avaliação, com valores de 50 e 50 pontos, respectivamente. 1.8.1.1.1. Em cada etapa de avaliação são aplicados 1 (uma) prova de cada disciplina, valendo 35 (trinta e cinco) pontos, 1 (um) teste denominado “Simulado”, valendo 10 (dez) pontos, e trabalhos ou outras atividades, a critério do professor, valendo 05 (cinco) pontos. 1.8.1.1.2. As provas serão sempre realizadas em datas estabelecidas no Calendário Escolar, sendo duas provas a cada data, aplicadas em sequência, ou seja, o aluno receberá a segunda prova após entregar a primeira. Cada prova formulada terá oito questões de múltipla escolha, com justificativa, valendo 2,5 (dois e meio) pontos cada uma e quatro ou cinco questões discursivas, valendo 15 pontos. 1.8.1.1.3. O Simulado, também com data de aplicação prevista no Calendário Escolar, conterá 80 (oitenta) questões de múltipla escolha, distribuídas de forma que as questões possam abranger a matéria acumulada desde o 1º período. O Simulado será pontuado conforme o número de questões resolvidas com acerto pelo aluno, da seguinte forma: De 71 a 80 questões = 08 pontos De 61 a 70 questões = 07 pontos De 51 a 60 questões = 06 pontos De 41 a 50 questões = 05 pontos De 31 a 40 questões = 04 pontos De 21 a 30 questões = 03 pontos De 11 a 20 questões = 02 pontos De 01 a 20 questões = 01 pontos 1.8.1.1.4. As avaliações de disciplinas semipresenciais poderão ter critérios especiais de organização. 1.8.1.2. Atribui-se ainda, mais 20 (vinte) pontos em uma única prova, denominada Avaliação Suplementar (ver item 1.8.5), destinada aos alunos em recuperação, aqueles que não conseguirem somar 60 pontos nas duas etapas de avaliação.

MANUAL DO ALUNO

CURSO: ODONTOLOGIA

11


1.8.1.3. O aluno que deixar de realizar qualquer avaliação (prova, simulado, trabalhos), perderá os pontos a ela correspondentes. 1.8.1.4. O horário das provas será organizado de modo que, preferencialmente, todas as turmas façam provas da mesma disciplina (integrante do currículo), na mesma data. 1.8.1.4.1. Não é permitido ao aluno realizar prova em turno diferente do seu, a não ser que, comprovadamente, esteja impedido de comparecer em seu turno e a troca seja solicitada com antecedência de 4 dias, devidamente aprovada pelo setor competente. 1.8.1.5. Não será permitido consulta de qualquer natureza durante a realização das provas. 1.8.1.6. É proibido o porte de qualquer objeto (inclusive celular) durante o período de realização de qualquer prova, bem como é proibido alterar a disposição das carteiras. 1.8.1.7. O professor aplicador de provas zelará pela lisura do ato de aplicação e deverá punir, a seu critério, o aluno que tentar usar ou passar “cola”. 1.8.1.8. O professor dispõe de 07 dias, após a aplicação das provas e simulados para divulgar os resultados, com registro no diário, com exceção da última etapa, em que o prazo deverá será menor. 1.8.1.9. Problemas decorrentes da aplicação das provas e simulados serão resolvidos pelo professor, podendo o mesmo recorrer ao NDE ou Colegiado. 1.8.1.10. Será aprovado o aluno que somar 60 pontos no decorrer do semestre letivo e obtiver 75% de frequência às atividades curriculares.

1.8.2. REVISÃO DE PROVA E SIMULADOS A revisão dar-se-á da seguinte forma: 1.8.2.1. Corrigida a prova, se possível, com caneta vermelha e riscando os espaços em branco, o professor fará a análise com o aluno, em sala de aula, se o calendário escolar permitir fazê-lo.

12

MANUAL DO ALUNO CURSO: ODONTOLOGIA


1.8.2.2. O aluno que tiver interesse em ver a prova de segunda etapa deverá comparecer ao plantão do professor, cujo horário terá prévia divulgação. 1.8.2.3. Havendo dúvida quanto à correção, o aluno não levará a prova, deverá deixá-la com o professor e solicitará a ele a revisão dos pontos controvertidos. Não será revista, no entanto, prova a lápis e/ou com qualquer tipo de rasura, inclusive o uso de corretivo. O professor poderá não considerar a prova resolvida a lápis. 1.8.2.4. Persistindo a dúvida, o aluno poderá solicitar através de requerimento protocolado na secretaria em formulário próprio, em até 48 horas após a decisão do professor, revisão da mesma que será efetuada pelo Tribunal de Recursos, criado para este fim. 1.8.2.5. O requerimento tem de ser acompanhado de justificativa com fundamento nos seguintes motivos: - A soma dos pontos está errada. - O professor deixou de conferir a questão. - A resposta considerada como certa pelo professor está em desacordo com o ensinamento majoritário, ministrado pelo doutrinador..., livro..., edição... e pág..., integrante da referência bibliográfica indicada pelo professor. 1.8.2.6. O valor * pago pelo aluno no ato do protocolo do requerimento será reembolsado caso a revisão altere o resultado (R$ 50,00). * Valor vigente de acordo com a tabela disponível na tesouraria. 1.8.2.7. O prazo deverá ser de 20 (vinte) dias para a revisão solicitada.

1.8.3. SEGUNDA CHAMADA DE PROVAS A segunda chamada de provas será efetuada assim: 1.8.3.1. O aluno solicitará à coordenação por meio de requerimento protocolado na secretaria, em até 10 dias, após a realização do período das provas, sendo que o requerimento deverá estar acompanhado do comprovante que o impediu que realizasse a prova. 1.8.3.2. A secretaria encaminhará o requerimento à coordenação que procederá à análise dos motivos que impediu a realização da prova.

MANUAL DO ALUNO

CURSO: ODONTOLOGIA

13


1.8.3.3. São motivos para a realização da 2º Chamada: - Doença que impeça a locomoção do aluno (devidamente comprovada). - Viagens a serviço (com comprovação assinada pelo chefe imediato). - Hora extra compulsória (com comprovação assinada pelo chefe imediato). 1.8.3.4. O documento que comprove os motivos deve ser expresso em papel timbrado, com carimbo da assinatura e da função de quem o expediu. 1.8.3.5. Cada prova de 2ª chamada constará de 10 questões discursivas, com conhecimento cumulativo da matéria até então lecionada. 1.8.3.6. Não há segunda chamada para a segunda etapa de provas. O aluno deverá submeter-se a Avaliação Suplementar, especificada no item 1.8.5.1. 1.8.3.7. A tesouraria divulgará a cada semestre o valor a ser pago pelo aluno ao requisitar a 2ª chamada. 1.8.3.8. É fundamental que o aluno acompanhe o lançamento de sua nota e frequência pela internet.

1.8.4. PROMOÇÃO 1.8.4.1. Para ser promovido ao período seguinte o aluno terá que somar, ao final do semestre 60 pontos do total distribuído nas etapas de avaliação e ainda, 75% (setenta e cinco por cento) de frequência em cada disciplina.

1.8.5. AVALIAÇÃO SUPLEMENTAR 1.8.5.1. O aluno que não conseguir somar 60 pontos em cada disciplina durante o semestre, poderá, desde que tenha obtido 75% de frequência e, no mínimo, 40 pontos somados durante o semestre, submeter-se ao exame de Avaliação Suplementar, cuja prova por disciplina conterá 05 (cinco) questões discursivas, de matéria cumulativa, e valerá 20 (vinte) pontos. 1.8.5.2. Os pontos alcançados pelo aluno na Avaliação Suplementar serão somados a nota obtida por ele no semestre, respeitando-se, no entanto, o limite máximo de 60 (sessenta) pontos por cada disciplina, ou seja, não serão computados os pontos que tornarem a nota global de cada disciplina maior que 60 (sessenta) pontos.

14

MANUAL DO ALUNO CURSO: ODONTOLOGIA


1.9. ADAPTAÇÃO/DEPENDÊNCIA 1.9.1. O aluno em situação de adaptação e dependência deverá encaminhar requerimento à Secretaria, até o 5º dia após o início das aulas, requerendo a devida matrícula. 1.9.2. O aluno em dependência preencherá, sob a orientação da funcionária da Secretaria responsável, o formulário que constitui o plano de adaptação ou dependência. 1.9.3. A frequência às aulas do aluno em dependência, exclusivamente em razão de insuficiência de nota, será facultativa; sendo obrigatória, todavia, a realização das avaliações nos termos do ítem 1.8. 1.10. ESTUDOS DE RECUPERAÇÃO E ATIVIDADES DE NIVELAMENTO 1.10.1. Os estudos de recuperação poderão ser proporcionados aos alunos de menor rendimento, a critério da faculdade. 1.10.2. Os estudos de recuperação dar-se-ão no intervalo entre um e outro semestre letivo ou durante o semestre, através de trabalhos, tarefas, estudos programados. 1.10.3. Cabe ao aluno, cobrir os custos de seus estudos de recuperação. 1.10.4. Sempre que houver necessidade, os alunos serão convocados para cursos de nivelamento, nas diversas disciplinas. 1.10.4.1. O curso de nivelamento em Língua Portuguesa é obrigatório para os alunos iniciantes. 1.10..4.2. As atividades de nivelamento poderão ser on-line, a critério da Faculdade. 1.11. FREQUÊNCIA ÀS AULAS 1.11.1. A frequência mínima de 75% (setenta e cinco por cento) das aulas é um dos requisitos exigidos para a aprovação em qualquer disciplina. 1.11.2. A frequência será registrada pelo professor em seu diário, a cada aula.

MANUAL DO ALUNO

CURSO: ODONTOLOGIA

15


1.11.3. O aluno deve consultar, nas páginas finais deste mural, a grade curricular das disciplinas a serem ministradas em cada período, com a respectiva carga-horária. 1.12. ABONO DE FALTAS 1.12.1. Não há amparo legal para abonar faltas, ou seja, não computar as faltas que efetivamente já ocorreram. Existem, no entanto, dispositivos legais que autorizam o tratamento especial ao aluno enquadrado nas seguintes situações: I – afastamento com Laudo Médico (Dec. Lei 1044/68) (Atendimento Domiciliar); II – prestação de Serviço Militar (Dec. Lei 715/69); III – participação em Congresso ou Competições esportivas em caráter oficial (Port. Min. 646/79). 1.12.1.1. Sempre que se enquadrar em uma das situações acima, o aluno deve encaminhar ao Protocolo, até o quinto dia a contar do início do impedimento, requerimento solicitando o tratamento com relação à frequência, acompanhado dos respectivos comprovantes. 1.12.1.2. A participação em congressos ou competições esportivas em caráter oficial depende da publicação de portaria do Ministério da Educação. 1.12.1.3. Em qualquer situação o afastamento não deverá ultrapassar 25% da carga horária total, do semestre em curso. 1.13. ASSISTÊNCIA ACADÊMICA DOMICILIAR 1.13.1. O aluno, que por motivo de doença estiver impedido de se locomover, poderá receber prestação acadêmica domiciliar extra-classe (Dec. Lei 1044/69), a partir da data do protocolo do requerimento. Tal prestação se resume na aplicação de provas para os alunos residentes na cidade de Ipatinga. 1.13.2. Tal regime supre o sistema acadêmico regular, sendo o aluno considerado presente às aulas, devendo prestar os exames aplicados à sua turma, conforme o exposto no item 1.13.1, após o término do período de afastamento, ou mesmo durante o período em casa. 1.13.3. A assistência acadêmica domiciliar só pode ser requerida em caso de incapacidade física e não mental. 1.13.4. O aluno ou seu representante deve requerê-la em até 05 (cinco) dias após o início do impedimento.

16

MANUAL DO ALUNO CURSO: ODONTOLOGIA


1.13.5. A Lei número 6202 de 16/05/1975 estende os benefícios a estudantes em estado de gestação, na época do nascimento. 1.13.6. A assistência acadêmica domiciliar só será concedida se o período de afastamento não ultrapassar 25% da carga horária total, do semestre. 1.13.7. O requerimento deverá estar instruído com relatório médico comprobatório, (relatório: não basta simples atestado). 1.14. ESTÁGIO SUPERVISIONADO (Estágios Vivenciais) 1.14.1. Estágio Supervisionado é um termo de caráter técnico, social, cultural e atitudinal que proporciona a aplicação de conhecimentos teóricos por meio de vivência em situações reais da futura profissão. 1.14.2. Os Estágios Supervisionados no Curso de Odontologia possuem Regulamento próprio aprovado pelo Colegiado do Curso de Odontologia em reunião específica realizada para o efeito. 1.14.3. Os estágios supervisionados são realizados cenários conveniados sob a responsabilidade da Coordenação do Curso e do Núcleo de Estágios e Convênios (NUCEN). 1.14.4. Para a realização dos Estágios Supervisionados no Curso de Odontologia adotou-se como estratégia a diversificação dos cenários de ensino-aprendizagem, estabelecendo-se parceria com a Secretaria Municipal de Saúde para atuação dos alunos nos cenários de Atenção Primária à Saúde nas Clínicas da Família e nos Centros Municipais de Saúde. 1.14.5. A carga horária do Estágio Supervisionado – 990 horas, que correspondem a 20% da carga horária do Curso de Odontologia – será distribuída de acordo com as vivências seguidamente enumeradas: 1.14.6. Estágio Articulado à Rede do SUS/Ipatinga • Estágio Supervisionado 1 (Organização do SUS) • Estágio Supervisionado 2 (Unidades Básicas de Saúde) • Estágio Supervisionado 3 (Unidades Básicas de Saúde) • Estágio Supervisionado 4 (Equipamentos de Saúde) • Estágio Supervisionado 5 (Adolescente PSF) • Estágio Supervisionado 6 (Gestante /Bebê PSF) • Estágio Supervisionado 7 (Criança PSF)

MANUAL DO ALUNO

CURSO: ODONTOLOGIA

17


• Estágio Supervisionado 8 (Adulto PSF) • Estágio Supervisionado 9 (Odontogeriatria) • Estágio Supervisionado 10 (Serviços e Programas específicos) 1.14.7. Estágio em Clínica Estomatognática de Referência • Estágio Supervisionado em Clínica Reabilitadora de Atenção Especializada 1.14.8. Estágio em Serviço de Pronto Atendimento • Estágio Supervisionado em Pronto Atendimento 1 • Estágio Supervisionado em Pronto Atendimento 2 • Estágio Supervisionado em Pronto Atendimento 3 • Estágio Supervisionado em Pronto Atendimento 4 1.14.9. Neste Curso de Odontologia o estágio curricular destina-se às atividades práticas a serem desenvolvidas pelo aluno, sob a responsabilidade de um coordenador, orientação de professores do curso e supervisão de profissionais/preceptores dos parceiros, conforme previsto na Lei nº 11.788/2008. 1.14.10. As atividades de Estágio Supervisionado estão concentradas nos três últimos períodos do Curso de Odontologia. 1.14.11. Os Estágios Supervisionados desempenham papel indutor de autonomia do acadêmico, em busca do desenvolvimento de habilidades necessárias para o cuidado integral e humanizado. Por meio deles, os estudantes vivenciam os processos de trabalho na lógica da vigilância em saúde, fazendo com que se percebam corresponsáveis pelos resultados obtidos. Os Estágios permitem que os estudantes entendam a possibilidade real de que a atenção primária à saúde pode ser resolutiva e como ela está articulada com o desenvolvimento científico e tecnológico. 1.15. ATIVIDADES COMPLEMENTARES 1.15.1. Além das disciplinas teóricas e práticas obrigatórias, os alunos deverão cumprir uma carga horária de 200 horas referentes a atividades complementares. 1.15.2. A Faculdade visa incentivar e proporcionar ao aluno a oportunidade de participar de experiências diversas, bem como uma trajetória autônoma e particular, contribuindo assim, para sua formação humana e profissional. 1.15.3. Neste Curso de Odontologia, as Atividades Complementares são componentes curriculares que possibilitam o reconhecimento, por avaliação, de habilidades, conhecimentos e competências do aluno, inclusive adquiridas fora do ambiente es-

18

MANUAL DO ALUNO CURSO: ODONTOLOGIA


colar, incluindo a prática de estudos e atividades independentes, transversais, opcionais, de interdisciplinaridade, especialmente nas relações com o mundo do trabalho e com as ações de extensão junto à comunidade. 1.15.4. Estas atividades são obrigatórias e visam complementar a formação profissional e cultural do aluno, podendo ser desenvolvidas presencialmente ou à distância, e integralizam o currículo pleno. 1.15.5. Desse modo, espera-se que as Atividades Complementares contribuam para a formação do futuro egresso reforçando uma visão generalista, humanista, crítica e reflexiva da sua função social como profissional. 1.15.6. As Atividades Complementares visam a atender o seguinte elenco de objetivos: • Despertar o interesse dos alunos para temas sociais, ambientais e culturais. • Estimular a capacidade analítica do aluno na argumentação de questões e problemas. • Auxiliar o aluno na identificação e resolução de problemas, com uma visão ética e humanista. • Incentivar o aluno na participação de projetos e ações sociais. • Promover a participação dos alunos em projetos que complementem a sua formação acadêmica, contemplando sempre os conteúdos programáticos das disciplinas que compõem a grade curricular do curso. • Reforçar a participação dos alunos em mecanismos de nivelamento. • Iniciar o aluno na pesquisa científica. Tais objetivos são alcançados por diversos instrumentos, tais como: • Produções técnicas, culturais, bibliográficas e artísticas. • Visitas a museus, exposições, centros culturais e feiras. • Visitas técnicas. • Participação em palestras, simpósios, cursos e seminários. • Leituras: livros, artigos técnicos, atualidades. • Participação em projetos e ações sociais, além de atividades de cunho comunitário. • Frequência em peças teatrais e mostras cinematográficas. • Palestras e Semanas Técnico-Científicas, organizada pela própria Instituição ou outras IES. 1.15.7. Nesse quadro, as Atividades Complementares propiciam ao aluno a oportunidade de vivenciar variados aspectos profissionais e acadêmicos, as quais são desenvolvidas em quatro níveis: • como instrumento de integração e conhecimento do aluno da realidade social, econômica e do trabalho de sua área/curso;

MANUAL DO ALUNO

CURSO: ODONTOLOGIA

19


• como instrumento de iniciação científica e ao ensino; • como instrumento de iniciação profissional; • como representação estudantil. 1.15.8. O aluno executa registros das Atividades Complementares em ficha específica da IES, na qual descreve a atividade, a data e o tempo utilizado para desenvolvê-la. 1.15.9. São solicitados comprovantes da presença do aluno nos eventos relatados e/ou resumos, resenhas e críticas a fim de que o mesmo expresse suas apreciações, bem como a entrega de listas e tarefas propostas. 1.15.10. É de competência do Núcleo Docente Estruturante (NDE) do curso normatizar as atividades complementares e do Colegiado do Curso deliberar as mesmas, em coerência com as diretrizes estabelecidas pela Faculdade e pelo Ministério da Educação, as quais serão computadas em horas e agregadas ao histórico escolar do aluno. 1.15.11. As modalidades admitidas como atividades complementares serão divulgadas pela direção e coordenação do curso em conformidade com o regulamento, permitindo ao acadêmico a sua livre escolha. 1.15.12. Acrescente-se que os objetivos, critérios, sugestões e orientações sobre as Atividades Complementares e a divulgação de eventos internos e externos são disponibilizados no quadro de avisos do curso. 1.16. MONITORIA 1.16.1. Incumbe ao diretor da Faculdade decidir sobre a admissão de monitores. 1.16.2. Para a função de monitor, só poderá ser admitido, aluno que tenha cursado a disciplina, para a qual pretenda ser monitor, com aprovação de, no mínimo, 80 (oitenta) pontos e ainda, não ter reprovação nas demais disciplinas, de qualquer período. 1.16.3. Na seleção de candidatos são levadas em conta a assiduidade, a conduta, a capacidade e a vocação. 1.16.4. Incumbe ao monitor auxiliar os colegas no estudo das disciplinas, orientando- os na realização de trabalhos individuais ou de grupos, assim como na obtenção de dados bibliográficos e outros elementos necessários ao curso, sendo-lhes vedado o uso do horário normal de aulas para o cumprimento de seus encargos.

20

MANUAL DO ALUNO CURSO: ODONTOLOGIA


1.16.5. Os monitores têm desconto nas mensalidades, O monitor escolhido exercerá a função por um ano, para a mesma disciplina, prorrogável, por mais um ano. 1.16.6. Os monitores terão a direta orientação de um professor da disciplina. 1.16.7. A Faculdade abrirá monitoria, de acordo com a necessidade. 1.16.8. Os monitores são selecionados de acordo com o regulamento que será exibido no quadro de aviso. 1.16.9. Horário de monitoria, bem como as atividades, serão supervisionados pelo serviço pedagógico. 1.16.10. A equipe de monitoria deverá reunir-se com o serviço pedagógico na 1º segunda-feira de cada mês

1.17. MONOGRAFIA 1.17.1. O TCC sob a forma de monografia (revisão de literatura, meta-análise, iniciação cientifica de campo, trabalho experimental ou relato de caso clínico) é atividade curricular obrigatória dos cursos de graduação da FADIPA, exceto nos casos em que as diretrizes curriculares nacionais, fixadas pelo Conselho Nacional de Educação e homologadas pelo Ministério da Educação, determinarem em contrário. 1.17.2. É desenvolvido sob a coordenação de docente, indicado pela Coordenação do Curso e desenvolvido sob a orientação de professor orientador, o qual deverá compor o quadro permanente de docentes da IES. 1.17.3. Este Trabalho de Conclusão de Curso consiste em pesquisa individual orientada em qualquer área do conhecimento, no âmbito dos cursos de graduação e visa propiciar aos alunos a oportunidade de demonstrarem o grau de habilitação adquirido, o aprofundamento temático, o estímulo à produção científica, à consulta de bibliografia especializada e o aprimoramento da capacidade de interpretação e crítica. 1.17.4. Aos professores-orientadores são alocadas horas, em sua jornada semanal de trabalho, para o exercício de suas atividades extraclasse. 1.17.5. Para se matricular na atividade TCC os alunos dos cursos de graduação devem ter cursado, com aproveitamento, cerca de 60% das disciplinas e atividades do curso. 1.17.6. As atividades relacionadas ao TCC estão concentradas na parte final do Curso de Odontologia com carga horária 120 horas, obedecendo à normatização constante do respectivo Regulamento, que compõe o Anexo IV.

MANUAL DO ALUNO

CURSO: ODONTOLOGIA

21


1.18. OUVIDORIA A FADIPA, visando oferecer às comunidades interna e externa um melhor serviço de comunicação, instituiu sua Ouvidoria Geral. A ela compete registrar e dar tratamento adequado às informações, reclamações, sugestões e elogios sobre os serviços prestados pela Instituição. 1.19. BIBLIOTECA 1.19.1. A biblioteca é regida pelo regulamento interno que dispõe sobre a utilização dos serviços de consulta e de circulação dos materiais. 1.19. 1.2. Principais pontos a serem observados no regulamento interno: 1.19.1.2.3. A inscrição do aluno é automática. 1.19.1.2.4. O acervo é de livre acesso a toda a comunidade acadêmica. 1.19.1.2.5. Horário de funcionamento; 07:00 às 22:00 h (Segunda-feira à sexta-feira), 08:00 às 12:00 no sábado. 1.19.1.2.6. Cada aluno tem direito a três exemplares por um período de sete dias úteis e, caso o livro não seja devolvido na data prevista, o mesmo pagará multa por cada exemplar, conforme regulamento interno da biblioteca. 1.19.1.2.7. O empréstimo poderá ser renovado somente se o exemplar não estiver reservado para outro usuário. 1.19.1.2.8. É expressamente proibido fazer anotações em qualquer livro da biblioteca. 1.19.1.2.9. No ato de renovação da matrícula o aluno deverá estar em dia com os deveres da biblioteca. 1.19.1.2.10. O material do acervo da biblioteca só poderá ser fotocopiado em parte, de acordo com a legislação dos direitos autorais em vigor. 1.19.1.2.11. A biblioteca é informatizada e utiliza softwares Winlsis para a administração e controle da catalogação e serviços de busca e empréstimos do acervo. 1.19.1.2.12. O sistema PHL funciona em ambiente Web, proporcionando ao usuário o acesso remoto ao serviço e catálogos. Integra, em tempo real, os catálogos às

22

MANUAL DO ALUNO CURSO: ODONTOLOGIA


rotinas administrativas e de controle, permitindo aos usuários efetuar buscas, renovações e reservas on-line. 1.20. LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA 1.20.1. Horário de Funcionamento: 07:00 às 22:00 h (Segunda-feira a sexta-feira). 1.20.2. É facultado ao aluno o direito de, no mínimo, 30 minutos ininterruptos, por dia, de uso da internet. 1.20.3. É expressamente proibido abrir site ou mídia que contenha conteúdo pornográfico, mesmo os sites como Paparazzo, Magazine Brazil e outros. 1.20.4. As aulas de Prática Forense serão ministradas, também, no Laboratório de Informática. 1.20.5. O professor de qualquer disciplina poderá usar o laboratório para suas aulas, desde que programadas. 1.21. LABORATÓRIO MULTIUSO 01 MULTIUSO 02 MULTIUSO 03 MULTIUSO 04 1.21.1 É proibido a entrada de pessoas que não estejam matriculadas nas disciplinas que utilizam o laboratório, bem como qualquer aluno da instituição que não tenha autorização para usar ou acessar o laboratório Multiuso. 1.21.2 Para acessar o laboratório os alunos devem usar obrigatoriamente jaleco, calçados fechados e calça; 1.21.3 Mochilas, cadernos, bolsas e quaisquer outros materiais que não sejam de uso no laboratório prática devem ser deixados nos armários do corredor ou em sala de aula; 1.21.4 É proibido fumar, beber e alimentar nas dependências do laboratório; 1.21.5 O uso de celulares é proibido durante as aulas; 1.21.6 É proibido fotografar ou filmar no interior do laboratório sem autorização do responsável;

MANUAL DO ALUNO

CURSO: ODONTOLOGIA

23


1.21.7 É proibido a utilização de pinças, canetas, lápis ou materiais que venham danifica os equipamentos e vidrarias; 1.21.8 Após as aulas práticas os bancos devem ser colocados no local de origem; 1.21.9 Durante as aulas e monitorias é indispensável que o aluno possua o material de estudo disponibilizado pelo professor no Portal ou na Biblioteca da instituição; 1.21.10 A monitoria deverá ser agendada com um ou dois dias de antecedência; 1.21.11 O acesso será negado àqueles que descumprirem os itens mencionados acima; 1.21.12 O não cumprimento das normas implica em risco para alunos e profissionais do setor; 1.21. SALA DE AULA 1.22.1. O professor fará a chamada dos alunos, com registro no diário, nos horários: manhã: 07:40h, 09:00h; 09:30h, 11:00h. Noite: 19:00h, 20:15h, 21:10h 2 21:50h. 1.22.2. Não será permitido o uso de celulares dentro da sala de aula. 1.22.3. Saídas da sala, durante a aula, deverão ser autorizadas pelo professor. 1.22.4. O aluno (a) terá de estar trajado conforme o exposto no item 1.24.1. 1.22.5. Qualquer Indisciplina de aluno terá punição de acordo com o regimento interno. 1.23. ATIVIDADES AOS SÁBADOS 1.23.1. As atividades aos sábados constituir-se-ão de aulas para os alunos com pendências, monitoria, cursos, oficinas jurídicas, palestras, seminários, júris e audiências simuladas, atividades esportivas e culturais. 1.23.2. Sempre que houver necessidade, os 200 dias letivos anuais previstos em lei incluirão sábados. 1.24.3. Conforme a natureza das atividades aos sábados, o aluno receberá certificado que comprovará atividades complementares.

24

MANUAL DO ALUNO CURSO: ODONTOLOGIA


1.23. MENSALIDADES 1.24.1. Os boletos serão enviados pelo Correio mensalmente. Caso o aluno não os receba até o dia 25 de cada mês, deverá solicitar a 2º via na tesouraria. 1.24.2. O pagamento deverá ser efetuado nas agências credenciadas conforme valores e datas constados no boleto. 1.24.3. Descontos na mensalidade não incidem na matrícula, onde os valores deverão ser integrais. 1.25. TRAJE 1.25.1. Não será permitido o uso de camisa regata, bonés e chinelos de dedo dentro da sala de aula. O traje das mulheres deverá ser decente, sem chamar a atenção. 1.25.2. A portaria pode impedir a entrada de alunos com uso indevido do traje. 1.26. ESTÍMULO/MOTIVAÇÃO PARA OS ALUNOS 1.26.1. Para os melhores alunos, em número de 3 (três) por turma, serão distribuídas bolsas correspondentes a 15%, 10% e 5%, respectivamente. 1.26.2. As bolsas serão fornecidas/repassadas aos melhores nos semestres seguintes. 1.26.3. Terão desconto as 04 últimas parcelas do semestre seguinte. 1.26.4. Os critérios serão nota e frequência e estar o aluno cursando todas as disciplinas no período. A frequência mínima para que o aluno possa concorrer a esta bolsa será 90%. Será impedido de concorrer o aluno que perder frequência em qualquer matéria ou obtiver nota aquém da média em qualquer disciplina. 1.26.5. Deverá haver divulgação prévia para que os alunos fiquem estimulados, como também a divulgação após resultados obtidos. 1.26.6. Poderá o aluno concorrer continuamente. 1.26.7. Perderá o desconto o aluno que pagar a mensalidade após o vencimento. 1.26.8. Para o desempate serão verificadas, na sequência, a melhor frequência e a melhor nota do semestre anterior. (nota do vestibular). 1.26.9. Só concorrerão os alunos que realizarem provas em 1ª chamada.

MANUAL DO ALUNO

CURSO: ODONTOLOGIA

25


1.27. REPRESENTAÇÃO ESTUDANTIL 1.27.1. O órgão de representação estudantil na Faculdade é o Diretório Acadêmico, regido por Estatuto próprio, por ele elaborado e aprovado, mediante observância da legislação vigente e tem sua representatividade reconhecida a partir da filiação dos representados ao Diretório. 1.27.2. A representação estudantil tem por finalidade a cooperação entre administradores, professores e alunos. 1.27.3. As atividades do Diretório Acadêmico não poderão destoar das finalidades e normas de funcionamento da Faculdade, sendo vedada qualquer atividade de natureza político partidária. 1.28. REGIME DISCIPLINAR 1.28.1. O comportamento ético deve permear toda a vida acadêmica do aluno. 1.28.2. A postura no vestir, no transitar nos recintos da Faculdade, no falar, deve constituir um aprendizado constante. 1.28.3. Atitudes de desrespeito com as pessoas, com a ordem, com o patrimônio cultural, científico ou material sujeitarão o aluno à sanções, na forma do Regimento. 1.28.4. São aplicáveis, na Faculdade, as seguintes sanções disciplinares: I – advertência verbal; II – repreensão escrita; III – suspensão, até 30 (trinta) dias; IV – destituição; V – desligamento. 1.28.5. Será punido na forma do Regimento da Faculdade, aplicando inclusive o desligamento, o aluno que promover ou participar de “trote”. 1.28.6. É proibido qualquer tipo de jogos no recinto da Faculdade, com exceção daqueles planejados ou autorizados pela Direção em ocasiões especiais. 1.28.7. A aplicação de sanções de suspensão, de destituição e de desligamento será efetuada, conforme as normas regimentais da Faculdade.

26

MANUAL DO ALUNO CURSO: ODONTOLOGIA


1.29. COLAÇÃO DE GRAU 1.29.1. Terá direito a colação de grau o aluno que chegar ao final do 10º período sem qualquer tipo de pendência (documentação, aprovação nas disciplinas, estágio, TCC, Relatórios de Audiência, etc.). 1.29.2. A comissão de formatura submeterá à apreciação da Diretoria da Faculdade o planejamento das festividades relativas à formatura. 1.29.3. A data da colação de grau é estabelecida pela diretoria administrativa. 1.29.4. Não há limite para o número de professores homenageados, mas só é permitido homenagear professores e funcionários pertencentes ao quadro da FADIPA. 1.30. CONSIDERAÇÕES FINAIS 1.30.1. O desrespeito às normas expressas neste manual, acarretará, ao aluno, sanções conforme o regimento da Faculdade.

MANUAL DO ALUNO

CURSO: ODONTOLOGIA

27


REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

Art. 1º - As Atividades Complementares integram a parte flexível dos currículos dos cursos de graduação ministrados pela Faculdade de Direito de Ipatinga, sendo o seu integral cumprimento indispensável para a obtenção do diploma, nos termos dos Projetos Pedagógicos dos Cursos e das normas legais pertinentes. Parágrafo único. Consideram-se Atividades Complementares aquelas que, como componentes curriculares enriquecedores e complementadores do perfil do formando, possibilitam o reconhecimento, por avaliação de habilidades, conhecimento e competência do aluno, inclusive adquirida fora do ambiente acadêmico, incluindo a prática de estudos e atividades independentes, transversais, opcionais, de interdisciplinaridade, especialmente nas relações com o mercado do trabalho e com as ações de extensão junto à comunidade. Art. 2º - As Atividades Complementares são coordenadas pelo Coordenador de curso que integra as Coordenações dos Cursos, sendo subordinadas ao titular desta. Art. 3º - Compõem as Atividades Complementares as seguintes atividades descritas abaixo:

28

MANUAL DO ALUNO CURSO: ODONTOLOGIA


Parágrafo único. O acadêmico deverá cumprir as Atividades Complementares, pelos menos, em três itens distintos estabelecidos neste artigo. Art. 4º - O aluno deve cumprir entre o primeiro e o último período letivo do Curso, a carga horária total de Atividades Complementares prevista no Projeto Pedagógico de cada curso. Art. 5º - A realização de Atividades Complementares não se confunde com a do Estágio Supervisionado ou com a do Trabalho de Conclusão de Curso. Art. 6º - Cabe ao Coordenador de Curso orientar o aluno na freqüência e certificação dessas atividades, com recurso para o Colegiado. Art. 7º - As Atividades Complementares devem atender às seguintes normas gerais: I. São consideradas disciplinas extracurriculares, para validação como Atividades Complementares, as disciplinas oferecidas nos cursos pela Faculdade ou outras Instituições de Educação Superior (IES), fora do horário regular das aulas e cujo conteúdo não esteja integralmente contemplado por nenhuma disciplina do currículo do curso; II.  As disciplinas de áreas afins, assim definidas pelo Colegiado, pertencentes aos demais cursos da Faculdade ou de outras IES, são consideradas disciplinas extracurriculares; III.  A validação de qualquer das atividades definidas no artigo anterior depende de prévia aprovação do Coordenador do NIC; e IV.  A presença, devidamente comprovada, em apresentação de monograMANUAL DO ALUNO

CURSO: ODONTOLOGIA

29


fia do curso, de dissertações de mestrado ou de tese de doutorado, tem atribuído a um valor hora-atividade, por sessão. Art. 8º - Cabe ao aluno comprovar, junto à Coordenadoria do Curso, a sua participação em Atividades Complementares. Parágrafo único. Compete ao Coordenador do curso encaminhar à Secretaria Acadêmica Geral da Faculdade as comprovações das atividades de que trata este artigo. Art. 9º - Os casos omissos neste Regulamento serão resolvidos pelo Colegiado com referendo do Núcleo Docente Estruturante (NDE) do respectivo curso. Art. 10 - As normas estabelecidas neste Regulamento entram em vigor na data de sua aprovação pela Conselho Gestor.

30

MANUAL DO ALUNO CURSO: ODONTOLOGIA


1.31. ESTRUTURA CURRICULAR MATRIZ DO CURSO DE ODONTOLOGIA – GRADE 1

MANUAL DO ALUNO

CURSO: ODONTOLOGIA

31


32

MANUAL DO ALUNO CURSO: ODONTOLOGIA


MANUAL DO ALUNO

CURSO: ODONTOLOGIA

33


ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DA FADIPA COMITÊ DE GESTÃO A Comitê de Gestão é o colegiado de deliberação superior da Faculdade nos campos administrativos, financeiro e disciplinar. COLEGIADO DE CURSO Órgao consultivo, normativo e executivo, em questões referentes às atividades de ensino, extensão e pesquisa. Composta pelo coordenador de curso, por todos os professores e um representante do corpo discente. Representado por um presidente, eleito em assembleia. DIRETORIA Órgão executivo que coordena, fiscaliza e superintende as atividades escolares. É exercida por um Diretor. COORDENAÇÃO DE CURSO Compete-lhe a orientação e a supervisão das atividades acadêmicas do curso sob sua responsabilidade. NDE - NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE Órgao consultivo e de assessoramento, responsável pela concepção e atualização do Projeto Pedagógico do Curso e tem, por finalidade, a implementação do mesmo. CPA - COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO A CPA tem por finalidade elaborar e desenvolver junto à comunidade acadêmica, à administração e aos conselhos superiorees da Faculdade uma proposta de auto-avaliação institucional, além de coordenar e articular os processos internos da avaliação da Faculdade de acordo com o projeto aprovado, dentro dos princípios e diretrizes do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Supeiror - SINAES.

34

MANUAL DO ALUNO CURSO: ODONTOLOGIA


MANUAL DO ALUNO

CURSO: ODONTOLOGIA

35


Profile for rafael peter

FADIPA MANUAL DO ALUNO ODONTO 2019  

FADIPA MANUAL DO ALUNO ODONTO 2019  

Profile for fadipamg
Advertisement