Page 1

cmyk

Herman pretende ampliar número de contratações Em entrevista, novo reitor da Unesp diz que solução para o déficit de pessoal terá atenção especial em seu mandato à frente da universidade. Página 3

Secretário valoriza presença da Unesp na expansão universitária Página 3

Prefeito de Botucatu ressalta parcerias com a universidade Página 3

Momento da transmissão da samarra, durante posse do novo reitor da Unesp

Humanização é proposta de nova Casa de Apoio Crianças e adolescentes que passam por tratamento oncológico no Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) agora têm uma casa para ficar. Foi inaugurada na tarde o dia 18 de dezembro, a Casa de Apoio ao Paciente Oncológico Infantil, mantida pela Famesp (Fundação para o Desenvolvimento Médico e Hospitalar), em parceria com o HC e a FMB. Página 5

Prof. Macari avalia gestão frente à Unesp Ao deixar o comando da Unesp, o ex-reitor professor Marcos Macari analisou os quatro anos em que esteve à frente da instituição. Em entrevista, ele diz ter ficado bastante satisfeito por ter anunciado a liberação de recursos para a construção do novo prédio para a administração da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp Páginas 6 e 7

Casa de Apoio recebeu investimento superior a R$ 100 mil e atenderá a 25 crianças

Banco de Leite do HC em busca de doadoras A Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) e o Hospital das Clínicas (HC), através do Banco de Leite Humano lançaram uma campanha de conscientização e sensibilização das mulheres que acabaram de dar à luz, para que se tornem doadoras. A iniciativa tem apoio da Assessoria de Comunicação e Imprensa (ACI) da FM e HC, além da mídia local. A primeira-dama de Botucatu, Rachel Cury é a madrinha da campanha. Página 11

Cursinho terá novas regras para processo seletivo Página 9

Servidores passam a ter novo plano de carreira Primeira-dama Rachel Cury é a madrinha da campanha

P á g i n a 11

Macari: crescimento da produção científica


2

Emoção predomina em posse de reitor e vice da Unesp Na tarde do dia14 de janeiro de 2008, a Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (Unesp) viveu um momento histórico. O novo reitor, professor Herman Jacobus Cornelis Voorwald e seu vice, professor Júlio César Durigan tomaram posse, substituindo o então ocupante do cargo, professor Marcos Macari (que tinha Herman como vice) em sessão solene do Conselho Universitário (CO). A cerimônia foi realizada no auditório "Simon Bolívar", do Memorial da América Latina, em São Paulo. Compareceram à solenidade prefeitos de vários municípios onde a Unesp está presente, inclusive o de Botucatu, João Cury, com a esposa Rachel, e seu vice, professor Caldas. Membros do Conselho Universitário, diretores das unidades, docentes e servidores técnico-administrativos também prestigiaram o evento. O governador do Estado de São Paulo, José Serra, foi representado pelo secretário de Estado de Ensino Superior, Carlos Alberto Vogt. Além disso, os reitores da Universidade de São Paulo (USP), Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), da Universidade do Sagrado Coração (USC) de Bauru, representantes de órgãos de apoio à pesquisa e outras instituições ligadas à educação, inclusive a secretária de Estado, Maria Helena Guimarães de Castro e diversas autoridades, se reuniram no local. Durante a solenidade, mais de 850 convidados puderam assistir à apresentação da Orquestra Acadêmica da Unesp, com direção artística do maestro Carlos Kaminski. O grupo foi formado durante a gestão do professor Macari. Em seu discurso, o ex-reitor enfatizou que a sociedade conseguiu entender seus objetivos no comando da Unesp. Citou a criação do curso de Radiologia da Faculdade de Tecnologia de Botucatu (Fatec), em parceria com a FMB como uma das conquistas de sua gestão e avaliou como positiva os projetos desenvolvidos junto com o Governo do Estado de São Paulo. O reitor que deixou o cargo lembrou, ainda, da criação do Código de Ética da Unesp - cujo presidente é o professor emérito da FMB, Dr. William Saad Hossne. Macari agradeceu, ainda, ao Conselho Universitário pela "união, confiança mútua e determinação". Emocionado, ele lembrou do apoio recebido por seus familiares. Já o professor Herman Voorwald, reitor empossado, enfatizou ter sido um privilégio trabalhar ao lado de Macari e lembrou também de todos os servidores da universidade, afirmando entender que a instituição nada é sem seus recursos humanos. Ele assumiu o compromisso de manter os princípios e valores que acredita. Representando o Conselho Universitário da instituição, professor Elias José Simon, ressaltou as dificuldades e desafios que os gestores devem enfrentar pela dimensão da instituição. Simon reconheceu todo o empenho da administração Macari à frente da universidade para ampliar o ensino e pesquisa da Unesp, lembrando a criação das unidades diferenciadas em parceria com os municípios que as sediam.

imagens da cerimônia

JANEIRO 2009

bela universidade “ Quenossa comunidade construiu

Herman Cornelis Jacobus V oorwald, Voorwald, reitor da Unesp


3 N OVA G ESTÃO

E XPECTATIVA

Herman garante que prioridade de sua gestão serão as contratações Enquanto passava rapidamente pela sala VIP do Memorial da América Latina, em São Paulo, para cumprimentar seus convidados, minutos antes de tomar posse como reitor da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp), o professor Herman Cornelis Jacobus Voorwald conversou rapidamente com a reportagem do Jornal da FMB FMB. Comentou sobre suas expectativas à frente da instituição, sua visão sobre os possíveis reflexos da crise financeira mundial na capacidade de investimentos da universidade e ainda disse que pretende continuar dando atenção à Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp e Hospital das Clínicas (HC). Herman deixou claro que compartilha dos mesmos princípios da gestão do professor Macari e também colocou que a situação da Unesp hoje é equilibrada. “Os colegiados estão bastante conscientes de suas responsabilidades. A comunidade participou ativamente do Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI), elaborado para 10 anos. Eu seguirei o PDI, de acordo com os anseios da comuni-

Reitor ressalta atenção quanto aos impactos da crise mundial dade”, afirmou, ressaltando que posto sobre a Circulação de manterá praticamente a mesma Mercadorias e Serviços (ICMS) equipe da gestão Macari. “São e este tributo está diretamente pessoas que ajuligado à ecodaram a construir Herman garantiu o nomia, portanesta gestão e to, qualquer mesmo empenho essa evolução”, queda na arrea c r e s c e n t o u , para parcerias junto cadação impliclassificando-se em um recom o HC e a FMB cará um otimista por passe menor natureza. de recursos. Sobre os impactos do cená- “Nossa área de planejamento rio financeiro no planeta, pro- está atenta. Terei uma reunião fessor Herman salientou que a com os diretores para a expouniversidade depende do Im- sição dos quadros estratégicos.

Mas será tudo com muita calma, muito equilíbrio”, ponderou. O reitor avisa que a prioridade de sua gestão, ao lado do professor Júlio Cezar Durigan, serão as contratações. “Há uma necessidade urgente de docentes e de servidores técnico-administrativos. O Conselho Universitário entendeu isso. A peça orçamentária está muito bem elaborada. Com muita calma vamos enfrentar essa crise”, disse Herman. Quando indagado sobre a Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp, Herman garantiu que pode ser esperado o mesmo empenho para parcerias junto com o HC e com a própria unidade, como, frisou ele, ocorreu na gestão de seu antecessor. “Exemplo da parceria com a FM é a construção do novo prédio administrativo e a central de aulas. Considero o campus de Botucatu e a FMB, em especial, ponto de destaque dentro da instituição. É o que eu sinto de fato. Tenho certeza de que as ações desta gestão continuarão no que diz respeito a melhores condições de trabalho para o campus de Botucatu em todo seu conjunto”, declarou.

PARCERIAS

Secretário valoriza presença da Unesp na expansão universitária Representante do governador José Serra, o secretário de Estado do Ensino Superior, Carlos Alberto Vogt disse que a Unesp tem apresentado resultados expressivos na expansão do ensino superior em São Paulo. A afirmação aconteceu durante discurso na posse do professor Herman Jacobus Cornelis Voorwald como reitor da Unesp para o quadriênio de 2009/2012. Vogt ressaltou que o governo estadual tem mantido relações colaborativas com as universidades paulistas devido à criação da pasta a qual comanda.

Além disso, aproveitou para reafirmar o compromisso do governo com as instituições, o que facilitou o desenvolvimento do ensino e o incentivo da pesquisa pelas universidades. “Mais da metade da pesquisa científica do país está localizada em São Paulo e a maior parte destes estudos é vinculada ou tem a iniciativa da Unesp, USP ou Unicamp”, declarou. Para ele, a criação da Unesp, em 1976, favoreceu a democratização do ensino superior no interior do Estado, com a incorporação dos antigos institutos e

faculdades. “Estar em 23 cidades de forma organizada, ter um projeto de desenvolvimento homogêneo como a Unesp possui, não é algo simples de se obter em curto prazo”, comentou. O secretário também salientou a participação da Unesp para a criação da Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp), programa de inclusão de vagas para o ensino superior, que conta com a colaboração da USP, Unicamp, da Fundação Padre Anchieta (mantenedora da Rádio e TV Cultura), da

V ogt: participação maciça da Unesp em pesquisas Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e da Fundação do Desenvolvimento Administrativo Paulista (Fundap). O projeto começa ainda este ano e deve oferecer mais de seis mil vagas.

Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” Reitor: Herman Jacobus Cornelis Voorwald Vice-reitor: Julio Cezar Durigan Faculdade de Medicina de Botucatu (www.fmb.unesp.br) Diretor: Sérgio Swain Müller Vice-diretora: Silvana Artioli Schellini Superintendente do HC HC: Antonio Rugolo Junior Vice-superintendente: Celso Vieira de Souza Leite Presidente da Famesp: Pasqual Barretti Vice-presidente: Shoiti Kobayashi O Jornal da FMB é uma publicação mensal dirigida ao público interno da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp e das fundações, unidades médico-hospitalares e de pesquisas a ela vinculadas. Sugestões, comentários e colaborações devem ser encaminhadas à Assessoria de Comunicação e Imprensa da FMB/Unesp pelo endereço aci@fmb.unesp.br ou jornalmed@yahoo.com.br Assessoria de Comunicação e Imprensa- Leandro Rocha (MTB-50357) Reportagens: Flávio Fogueral (MTB- 34927) e Leandro Rocha (MTB-50357) Fotografia: Flávio Fogueral, Leandro Rocha, Fotografia AG e Arquivo ACI/FMB Produção Editorial, Diagramação, Pré-impressão e Impressão: Diagrama – Comunicação, Gráfica e Editora Rua Curuzu 205A – Fone (14) 3815-5339 - Botucatu/SP

Delegação- Professores e servidores técnico-administrativos da Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB) acompanharam a cerimônia de posse do novo reitor da Unesp no Memorial da América Latina, em São Paulo.Os diretores da FMB, prof. Sérgio Muller e Silvana Artiolli Schelini e os superintendentes do Hospital das Clínicas de Botucatu, Antonio Rugolo Júnior e Celso Vieira Souza Leite também representaram suas referidas instituições.

Prefeito de Botucatu re ssalta ressalta parcerias com a universidade

Prefeito quer consolidar parcerias com a Unesp A expectativa pela continuidade do crescimento institucional e o estreitamento das relações entre universidade e município foram as principais expectativas frisadas pelo prefeito de Botucatu, João Cury Neto (PSDB), na posse do novo reitor da Unesp, prof. Hermam Jacobus Cornelis Voorwald, ocorrida no dia 14 de janeiro no Memorial da América Latina, em São Paulo. Cury, que esteve acompanhado do vice-prefeito, o professor do Departamento de Saúde Pública da Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB), Luiz Antonio Caldas Júnior (PCdoB) e da primeira-dama do município, Rachel Cury, ressaltou a importância da presença da universidade em Botucatu. Para ele, todas as unidades têm desempenhado papel fundamental no auxilio do desenvolvimento econômico e social, além de contribuir para a melhoria da qualidade de vida com a realização dos projetos de extensão. Para ele, a nova gestão à frente da reitoria deve facilitar a instituição de parcerias entre os municípios onde a Unesp está presente. "Espera-se a continuidade deste trabalho conjunto que iniciamos com o (Marcos) Macari. Tivemos várias conversas com o professor Herman e percebemos que há um compromisso de se levar adiante este trabalho de uma gestão que foi bem avaliada", declarou Cury. "Queremos estreitar ainda mais esta relação com a universidade. Nossa presença é um reconhecimento do que representa a Unesp no contexto de Botucatu e isso é fundamental para uma cidade que tem um Hospital das Clínicas e as faculdades que compõem nosso campus e contribuem para o desenvolvimento do município", finalizou o prefeito. JANEIRO 2009


4 C ONCURSO

Mais de mil na seleção para residência médica S OBRE

A

R ESIDÊNCIA M ÉDICA

A Residência Médica na Faculdade de Medicina de Botucatuteve seu início no ano de 1969 (FCMBB), com oito médicos residentes, quando foram oferecidos programas nas áreas de Cirurgia Geral, Clínica Médica, Pediatria e Dermatologia. Desde seu início até 2004, pelo menos 2.637 médicos concluíram a Residência Médica na Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP, que conta com 35 Especialidades credenciadas pela Comissão Nacional de Residência Médica, totalizando 420 vagas. Os 309 médicos residentes são provenientes de diferentes escolas e regiões do país e do exterior, com bolsa de estudos concedidas e administradas pela FUNDAP (Fundação do Desenvolvimento Administrativo), através do Programa de bolsas para aprimoramento de médicos e outros profissionais de nível superior.

Candidatos recebem instruções sobre procedimento adotado para o exame prático Mais de 830 pessoas realizaram no dia 13 de dezembro a segunda fase do processo seletivo para ingresso nos programas de residência médica oferecidos pela Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB). Os candidatos vieram das mais diversas instituições de ensino médico do país. O total de vagas oferecidas é de 135 bolsas, sendo 102 para residência em acesso direto

(para os recém-formados), doze em especialidades cirúrgicas, vinte em especialidades clínicas e uma voltada para a área de mastologia. O processo seletivo abrange a realização de três etapas. A primeira fase, realizada no final de novembro, foi constituída de um exame teórico, do qual mais de 1.180 candidatos participaram. O peso da primeira fase é de 50% do total ne-

cessário para o ingresso no programa. A segunda etapa consistiu em uma prova prática para o ingresso em acesso direto à residência médica e especialidades clínicas e cirúrgicas (40% de peso). Após a seleção nesta fase, os candidatos passaram por uma análise curricular. Ao ingressar nos programas de residência médica, o candidato aprovado desenvolverá atividades para o aprimoramen-

HC pode receber ajuda do Instituto Ronald McDonald e McDia F eliz Feliz

Representantes do HC e empresas parceiras, em reunião

JANEIRO 2009

prático é realizado no processo seletivo para a residência médica e o balanço tem sido positivo. O objetivo, frisa, é fazer com que o aluno passe a ter interesse maior pelas especialidades ainda na fase de graduação. “É válido estarmos atentos aos resultados obtidos em 2007 e compará-los com os deste ano. Esta seleção prática leva o aluno a voltar-se à prática de habilidades e isso tem sido uma de nossas preocupações durante a graduação”, declarou.

T ITULAÇÃO

PARCERIA

O Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) pode se tornar, em breve, parceiro do Instituto Ronald McDonald para o tratamento de crianças com câncer. Até o final de janeiro, um projeto deve ser apresentado pelo HC. Existem grandes chances de serem destinados recursos para criação, na enfermaria de oncologia e na ala de quimioterapia, de espaços voltados, especificamente, ao tratamento de câncer infantil. No dia 17 de dezembro, o superintendente do HC, professor Antonio Rugolo Júnior e a médica responsável pela

to profissional com treinamento em serviço de saúde. A duração da residência varia conforme a especialidade podendo chegar a até cinco anos. As bolsas são oferecidas por uma parceria entre a Secretaria de Estado da Saúde (80% do valor) e a Unesp (20%, além de auxílio moradia). Conforme a coordenadora do Conselho de Residência Médica da Faculdade de Medicina de Botucatu, profª Lenice do Rosário de Souza, este é o segundo ano em que o exame

Oncologia Pediátrica do hospital, Dra. Lied Pereira, além do franqueado da rede de restaurantes fast food em Botucatu, Paulo Nogueira, se reuniram com representantes do Instituto Ronald McDonald, quando foram sabatinados por aproximadamente duas horas. “Os critérios utilizados por eles para ajudar instituições são bastante rígidos, mas estamos otimistas. Eles ficaram satisfei-

Foram investidos mais de R$ 100 mil, entre reforma, móveis e equipamentos

tos com as informações que passamos. Agora, vamos trabalhar para apresentar o projeto”, frisa o superintendente do HC. De acordo com professor Rugolo, a instituição destina em média, por ano, cerca de R$ 20 milhões para o tratamento de oncologia infantil. No entanto, há períodos em que esse montante aumenta, como neste ano, por exemplo. Foram R$ 120 milhões em verbas que ajudaram diversas crianças pelo Brasil. O que já está praticamente certo é que, a partir de 2009, toda a renda obtida, em Botucatu, com a venda de sanduíches durante o McDia Feliz, será destinada aos pacientes em tratamento oncológico do Hospital das Clínicas/FMB. A responsável pela Oncologia Pediátrica do HC, Dra. Lied Pereira, esclarece que constará no projeto a ser apresentado ao instituto, a necessidade de serem construídos dois consultórios para o serviço. Isso porque, atualmente, as consultas são realizadas em acomodações usadas também por outros clínicos. “Se, de fato, conseguirmos firmar essa parceria, poderemos ampliar o atendimento”, prevê a médica.

Profª Ana Lúcia F erreira Ferreira torna-se livre-docente A professora Ana Lúcia dos Anjos Ferreira, do Departamento de Clínica Médica da Faculdade Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) tornou-se, dia 19 de dezembro, a mais nova livre-docente da instituição. A docente ministrará a disciplina de Alterações Metabólicas e Funcionais Induzidas por Estresse Oxidativo, junto ao Programa de PósGraduação em Fisiopatologia em Clínica Médica. O concurso para livre-docência ocorreu em três fases que consistiram em provas didática, escrita e defesa de tese. A professora realizou, dia 18 de dezembro, o exame didático quando discorreu sobre o tema “O estresse oxidativo como evento

determinante na Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo”, que fez parte do processo seletivo. Já a defesa de tese de Ana Lúcia aconteceu no dia seguinte. O título da tese apresentada foi “A suplementação com licopeno atenua a cardiotoxicidade induzida pela doxorrubicina? Estudo morfológico, morfométrico, ecocardiográfico, molecular e bioquímico”. A banca examinadora foi composta pelos professores Luiz Chiguero Matsubara (FMB/Unesp), Sílvia Helena G. Lage (Faculdade de Medicina/USP), Júlio Sérgio Marchini (FM/USP), Ethel Laurenzi Barbosa (Instituto de Biociências de Botucatu/Unesp) e Lígia Araújo Martini (Faculdade de Saúde Pública/USP).

Profa. Ana Lúcia é do Departamento de Clínica Médica


5 CRIANÇAS

Conforto para o atendimento oncológico Crianças e adolescentes que fessor Pasqual Barretti, enfatizou passam por tratamento oncológi- durante a cerimônia, que a criaco no Hospital das Clínicas (HC) ção de mais uma casa de apoio da Faculdade de Medicina de Bo- voltada aos pacientes do HC faz tucatu/Unesp (FMB) agora têm parte do projeto de filantropia uma casa para ficar. Foi inaugura- da fundação. “Nossos pacientes da na tarde o dia 18 de dezem- precisam mais do que Medicina bro, a Casa de Apoio ao Paciente e Ciência. Como somos uma funOncológico Infantil, mantida pela dação filantrópica e isso acarreFamesp (Fundação para o Desen- ta isenções de impostos, temos volvimento Médico e Hospitalar), a obrigação de reverter isso em benefícios para a sociedade. E em parceria com o HC e a FMB. Participaram da cerimônia o este tipo de ação é um exempresidente da Famesp, professor plo”, afirma. Professor Sérgio Muller, diretor Pasqual Barretti; o diretor da FMB, prof. Sérgio Muller; o superinten- da FMB e presidente do Consedente e o vice-superintendente do lho Curador da Famesp, lembrou HC, professores Antonio Rugolo que o Sistema Único de Saúde Júnior e Celso Vieira Souza Leite, (SUS) é o maior projeto de inclurespectivamente, o chefe do Depar- são social do País, portanto, tudo que for feito em tamento de Pediatria da FMB, prof. prol da populaForam investidos Antonio Zuliani, ção é obrigação além do vice-prefei- mais de R$ 100 mil, dos órgãos púto eleito, professor entre reforma, móveis blicos. “Este Antônio Luiz Calprojeto da das Júnior. Tam- e equipamentos Casa de Apoio bém estiveram prevai trazer consentes autoridades políticas locais forto para as crianças atendidas. Será muito importante para a coe da região. A intenção de criar uma casa munidade. Não podemos apenas de apoio para crianças em trata- esperar a solução dos problemas mento oncológico surgiu da ne- vir do governo, temos que fazer a cessidade de acomodá-las ade- nossa parte”, coloca. Já o superintendente do HC, quadamente, já que até então elas ficavam na unidade para adultos professor Antonio Rugolo Júnior com câncer, que fica vizinha das salienta que há pouco tempo o novas instalações e também é hospital não oferecia atendimento mantida pela Famesp. A nova es- oncológico pra crianças e agora trutura terá capacidade para 25 40 delas são atendidas. “Por isso, crianças, sem contar os acompa- temos que estar preparados para aumentar esse serviço. Precisamos nhantes, que são obrigatórios. Na adaptação do imóvel do apoio de todos para manter onde funcionará a casa de projetos como este”, observa ele, apoio infantil foram investidos que esteve no dia 17 de dezemmais de R$ 100 mil, entre refor- bro, no Instituto Ronald McDonald ma, móveis e equipamentos. A discutindo uma possível parceria alimentação das crianças é de para melhorar e ampliar a ala de Oncologia do HC. responsabilidade do HC. Professor Odair Carlito MicheO presidente da Famesp, pro-

Rubens de Almeida (à esq.) esq.),, coordenador da casa, frisou a humanização do atendimento

Casa de Apoio, inaugurada em dezembro, recebeu R$ 100 mil em investimentos lin, mais conhecido como “Dr. Daia”, responsável pela Oncologia do HC, junto com a Dra. Lied Pereira, oncologista pediátrica, avalia que a casa de apoio servirá como um alento para as crianças que, na maioria das vezes, enfrentam fortes efeitos colaterais resultantes das sessões de quimioterapia. “Antes elas faziam quimioterapia e voltavam para suas casas. Logo as mães ligavam reclaman-

do dos sintomas. Agora, estando aqui, mais perto, os procedimentos necessários são muito mais tranquilos”, ressalta. “A casa de apoio humaniza o atendimento e reduz o tempo de internação da criança. Será oferecido um local onde a família será tratada com carinho. Tudo isso deixa o tratamento menos agressivo”, declara Dra. Lied Pereira, responsável pela Oncologia Pediátrica do

Hospital das Clínicas. Rubens de Almeida, o Alemão, será o coordenador administrativo da casa de apoio – assim como já faz com a unidade de adultos. A coordenação técnica ficará a cargo da assistente social Solange Sebastiana Moraes. “Gostaria que esta diretoria do HC e FMB, que é jovem, se atente sempre para a importância da humanização no atendimento”, cita Alemão.

Conheça algumas das instalações da Casa de Apoio

JANEIRO 2009


6

Macari: gestão Herman deve ampliar projetos da Unesp Ao deixar o comando da Unesp, entregando o cargo para seu vice Herman Jacobus Voorwald, o ex-reitor professor Marcos Macari analisou, a pedido do Jornal da FMB FMB, os quatro anos em que esteve à frente da instituição. Em entrevista, ele diz ter ficado bastante satisfeito por ter anunciado a liberação de recursos para a construção do novo prédio para a administração da Faculdade de Medicina de Botucatu/ Unesp, defendeu a autarquização do Hospital das Clínicas (HC/FM) e garantiu que vê, na gestão de seu sucessor, a garantia de que a universidade continuará a trajetória que iniciou por suas mãos. Macari ainda disse que a comunidade unespiana soube entender suas propostas e faz questão de frisar que as contas da instituição estão em dia. Apontou, porém, como meta que não pôde cumprir, uma rigorosa avaliação de todos os docentes Confira a entrevista: Jornal da FMB- Qual é seu sentimento ao passar o comando da Unesp para seu vice, professor Herman Voorwald? O que espera da gestão dele? Marcos Macari- Término de mandato sempre é uma expectativa, especialmente para a comunidade acadêmica. Espera-se sempre que o avanço da instituição seja permanente e que a mesma se coloque entre as melhores universidades do país e do mundo. Para isso há necessidade de um grande projeto de longo prazo. Creio que demos início a esse processo, com critérios de mérito sempre à frente de qualquer outro tipo de parâmetro, em especial aqueles corporativos que não levam a nada dentro do mundo acadêmico. Acredito que a comunidade da Unesp, pelo menos a grande maioria, apoiou as nossas iniciativas e está fortemente imbuída para que a universidade continue nessa trajetória. Assim, passar a gestão para o professor Herman, para mim é uma garantia de que esses critérios de mérito terão continuidade e com forte apoio da comunidade, pois foi eleito com quase 70% dos votos.

Procurei criar mecanismos para que os docentes pudessem ter mais tempo para a produção intelectual. JANEIRO 2009

Jornal da FMB-Fazendo um balanço sobre sua administração, levando em conta fases positivas e negativas, qual é o resultado? Por quê? Marcos Macari- Fazer balanço da administração é algo muito perverso, pois sempre tive metas muito arrojadas. Entendo que somente com esse pensamento é que se consegue avançar no mundo acadêmico e, com isso, atender aos anseios da sociedade que nos paga. Tenho uma visão clara sobre esse assunto e acredito que a sociedade é que deveria avaliar o desempenho da Universidade. Com isso, seria necessário criar procedimentos de alto desempenho e as ações serem realizadas de acordo com as necessidades sociais. Aqui me refiro ao ensino, à pesquisa, à extensão e a demais atividades que a sociedade espera de uma verdadeira universidade. Tentei dar o máximo, procurar ser justo, equilibrado, ser muito profissional nas minhas ações. E acho que a comunidade da Unesp entendeu as minhas intenções. Jornal da FMB- O senhor assumiu a Unesp em um momento difícil, principalmente no campo das finanças. Como foram os primeiros meses e as primeiras medidas? Marcos MacariDe fato, quando assumi a Unesp a situação estava extremamente precária. É muito fácil tomar uma série de medidas e deixar a conta para o gestor seguinte pagar. Termino meu mandato com tudo em ordem, com critérios, com projetos de lei aprovados pela Assembléia e recursos financeiros em caixa. Enfim, uma situação muito estável, pois procurei administrar com os pés no chão, sem aventura, pois estas custam muito caro para uma Instituição de ensino. Demoram a ser resolvidas. Tomei medidas drásticas e fiz muita economia. Fechei todos os ralos e procurei direcionar os recursos para as atividades-fins da Unesp. Só como exemplo, pelo fato de não pagar aluguel e pedágio fizemos uma economia de R$ 4 milhões/ ano, um total de R$ 16 milhões em 4 anos.

Sou favorável à “autarquização do

Hospital, pois entendo que a atividade hospitalar é meio para o ensino e pesquisa da medicina

perfil Prof. Marcos Macari é natural de Dourados (SP), nascido a 8 de março de 1950. Formado em Ciências Biológicas, modalidade médica, pela Universidade de São Paulo, 1972. Mestrado em Ciências (Fisiologia Geral) pela Universidade de São Paulo, 1975. Doutorado em Ciências (Fisiologia Humana) pela Universidade de São Paulo, 1979 Livre-docente pela Universidade Estadual Paulista (UNESP), 1987. Pós-Doutorado: Agricultural, Food Research Council / Cambridge, Inglaterra, 1981 e 1987; University of Yamaguchi – Japão; University of Laval – Quebec – Canadá. É vice-presidente do Conselho Superior da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). Foi Pró-Reitor de

Pós-Graduação e Pesquisa da UNESP no período 2001/2004. Atuou como chefe do Departamento de Morfologia e Fisiologia Animal e como Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Zootecnia da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias da UNESP, Campus de Jaboticabal. Bolsista Produtividade em Pesquisa do CNPq – Nível 1A. Autor de 134 artigos completos em periódicos indexados, de 257 trabalhos em anais de eventos, cinco livros e 31 capítulos de livros, entre outros trabalhos publicados. Concluiu 42 orientações, sendo 20 iniciações científicas; 10 dissertações de mestrado; e 12 teses de doutorado. Recebeu da Fundação APINCO de Ciência e Tecnologia Avícolas, por cinco edições, prêmios e menções honrosas “APINCO José Maria Lamas”.


7 De fato, quando “assumi a Unesp a

situação estava extremamente precária. T ermino Termino meu mandato com tudo em ordem

Jornal da FMB- Qual foi sua grande conquista nos últimos quatro anos? Marcos Macari- Talvez a maior conquista desta gestão foi ter recuperado o caráter colegiado da universidade. Explico: o Estatuto confere muito poder ao Reitor. O mesmo pode usar a caneta para uma série de decisões, sejam quais forem. Contudo, nunca usei a caneta para tomar as decisões. Sempre fizemos propostas, defendemos nos colegiados e soubemos ganhar e perder, pois isso faz parte da democracia. Esse fato fez voltar a confiança na Instituição, a auto-estima da comunidade. O orgulho dos alunos, servidores e, principalmente, dos docentes, que são o carro-chefe de uma Instituição de ensino, como é a Unesp. Jornal da FMB- Algum objetivo não foi alcançado? Por quê? M a r c o s M a c a r i - Vários objetivos não são alcançados em uma gestão. No meu caso não foi diferente. O que gostaria muito de ter feito, e com apoio dos colegiados, foi uma rigorosa avaliação de todos os docentes. Acabamos aprovando uma Resolução sobre desempenho mínimo de produtividade, a qual determina que a avaliação dos docentes será em 2011. Foi um grande avanço e espero que os colegiados continuem dando apoio a essas decisões. Jornal da FMB- Já houve uma conversa franca entre o senhor e o professor Herman sobre projetos que precisarão ter continuidade? Quais seriam eles? Marcos Macari- O professor Herman foi meu vice-reitor. Ele conhece todos os projetos da Universidade. E são muitos. Não creio que haverá interrupção de nenhum projeto. Pelo contrário, o professor Herman deverá concretizar o que foi iniciado e ampliar os projetos da Unesp. Jornal da FMB-Qual deve ser o principal desafio do professor Herman para que a Unesp continue no rumo do crescimento? Marcos MacariMacari-Um dos desafios será acertar o quadro de pessoal docente e não-docente. Um outro, já citado an-

tes, será manter o processo de avaliação do desempenho dos docentes, pois isso trará, com certeza, um grande avanço para a Unesp. Temos uma crise pela frente, e para que a Administração mantenha o equilíbrio orçamentário e financeiro, com a estabilidade para a universidade, o Professor Herman deverá ter forte apoio dos colegiados para superar os impactos da crise. Jornal da FMB- Como foi sua relação com a Faculdade de Medicina de Botucatu? Na sua opinião, qual foi sua principal contribuição para a unidade? Marcos Macari- Estive na Faculdade de Medicina em 2001 como pró-reitor de pósgraduação e pesquisa. Na época, fiz comentários fortes sobre a situação acadêmica da Faculdade. Discuti muito com os docentes. Entendi a situação dos mesmos no que se refere ao ensino, à pesquisa, extensão e ao atendimento hospitalar. Procurei criar mecanismos para que os docentes pudessem ter mais tempo para a produção intelectual. Maior envolvimento com a pós-graduação e a pesquisa. Passados oito anos, vejo com muita alegria o grande avanço acadêmico dessa Unidade. Houve melhoria da infra-estrutura para fins acadêmicos, e fico contente que as condições orça-

Vejo com muita “ alegria o grande avanço acadêmico dessa Unidade. Houve melhoria da infra-estrutura para fins acadêmicos

mentário-financeiras me permitiram atender a um sonho da Faculdade – uma estrutura própria desvinculada do Hospital. Parabenizo a toda a comunidade da Faculdade de Medicina pelo empenho e pela dedicação para como a nossa Unesp. Jornal da FMB- O que a FM representa, hoje, para a Unesp? Marcos Macari- Em todas as Universidades a área da saúde é muito importante. Seja no ensino, na extensão, na pesqui-

sa, no atendimento à população. Creio que atualmente a Faculdade de Medicina é melhor entendida nos Colegiados Centrais da Unesp. Com isso, a FMB é vista como uma Unidade de alta importância para o desenvolvimento da área de saúde da Unesp. Não há mais discussão, discriminação. Há sim, sinergia, entendimento e colaboração. Jornal da FMB- Durante sua gestão, um tema bastante discutido foi a autar-

A produção científica da Unesp cresceu muito. E pode crescer mais.

quização do Hospital das Clínicas da FM de Botucatu. Qual é sua opinião sobre essa possibilidade? Marcos Macari- Sou favorável à autarquização do Hospital, pois entendo que a atividade hospitalar é meio para o ensino e pesquisa da medicina. Para a formação de excelentes médicos precisamos de excelente hospital, mas este não deve estar no orçamento da Universidade. Por isso, sempre serei favorável a essa medida. Jornal da FMB- O senhor acha que a Unesp, atualmente, ocupa posição de destaque no que diz respeito a produção científica? E como foram os avanços na relação com a comunidade? Marcos Macari- A produção cientifica da Unesp cresceu muito. E pode crescer muito mais. Há necessidade de envolvimento dos docentes na pós-graduação, na elaboração de grandes projetos, formação de grandes grupos de pesquisa. Nossa produção é mais de 2 mil artigos por ano na Web of Knowledge. Isso não é pouco, mas deveria ser pelo menos 3 mil artigos, ou seja, pelo menos um por docente. Isso nos colocaria em situação invejável nos indicadores internacionais. Espero que nos próximos anos possamos atingir essa meta. JANEIRO 2009


8 FOTO: ELIETE SOARES

H OMENAGEM

Prof Prof.. Domingos Meira dá nome a Hospital Dia de Aids O professor emérito da Faculdade de Medicina de Botucatu/ Unesp (FMB) e diretor do Hospital Dia de Aids, Domingos Alves Meira foi homenageado com a instituição de seu nome ao serviço de saúde a pacientes portadores do vírus HIV e Hepatite B e C. Com isso, o hospital passa a se chamar “Serviço de Ambulatórios Especializados e Hospital Dia Prof. Emérito Domingos Alves Meira”. A nova denominação foi aprovada pelo Conselho Curador da Fundação para o Desenvolvimento Médico e Hospitalar (Famesp) no dia 15 de dezembro. A iniciativa da homenagem foi dos colaboradores do hospital que viram a necessidade de lembrar toda a atuação do professor à frente da criação e crescimento do serviço. “A homenagem torna-se justa pelo seu trabalho na criação do hospital e toda a história de atuação que tem na Faculdade de Medicina. O prof. Meira é um dos pioneiros no estudo deste tipo de doença”, ressalta a assistente social do Hos-

pital Dia, Maria José Fontes. Para Meira, a instituição de seu nome foi uma surpresa e representa o reconhecimento do crescimento da dimensão do serviço de assistência a estes tipos de doenças. “Esta iniciativa dos funcionários do hospital, que foi unânime, pegou-me de surpresa. É o reconhecimento do esforço e isso visa engrandecer a escola ao criar um núcleo de valor”, disse o professor.

A iniciativa da homenagem foi dos colaboradores do hospital O “Serviço de Ambulatórios Especializados e Hospital Dia Prof. Emérito Domingos Alves Meira”, inaugurado em 2004, é uma das referências no interior paulista na assistência a pacientes portadores do vírus HIV e Hepatite tipos B e C. Realizou, em 2008, 11.685 atendimentos (média de 1250

atendimentos/mês) ante 11.665 no ano anterior. Entre seus serviços estão a assistência odontológica, psicológica, psiquátrica, fisioterápica, ginecológica, proctológica (tratamento de doenças no reto e ânus como hemorróidas, por exemplo), nutricional. Além disso, o hospital oferece terapia ocupacional e o fornecimento de medicamentos através de uma farmácia especializada. A atuação do hospital, conforme ressalta Dr. Meira, tem feito com que os pacientes assistidos não tenham somente os cuidados com a saúde, mas também o reforço no trabalho de ressocialização. “Quando houve a necessidade de criar uma unidade para tratar destes tipos de doenças, não sonhávamos com a dimensão deste serviço. O principal sucesso que tivemos foi a reintegração destas pessoas à sociedade. Muitas chegam desacreditadas e percebemos que nossa missão deveria ir além do tratamento convencional; lutamos pela reparação da vida do paciente”, salienta.

Seis ‘mestres’ encerram suas carreiras na FMB os docentes que encerram sua carreira ressaltaram passagens marcantes de suas trajetórias na Faculdade de Medicina de Botucatu, lembraram das amizades construídas e principalmente de como participaram do crescimento da unidade ao longo das últimas décadas. Para homenagear os colegas que estão se aposentando, o professor titular doutor Joel Spadaro falou em nome do Departamento de Clínica Médica, professor doutor Marco Antônio Zanini usou a palavra pelo Departamento de Neurologia, Psicologia e Psiquiatria e o professor adjunto doutor

João Luiz Amaro, representou o Departamento de Urologia. A professora doutora Ilda de Godoy- chefe do Departamento de Enfermagem- professora doutora Norma Sueli Pinheiro Modolo, chefe do Departamento de Anestesiologia também deixaram suas mensagens. Durante o mesmo encontro, receberam o diploma de professor titular o professor doutor Antônio José Maria Catâneo, professor doutor José Carlos Peraçoli, professora doutora Beatriz Bojikian Matsubara e professora doutora Silvana Artioli Shellini.

Diretores da FMB e do HC deixaram suas mensagens de agradecimento aos docentes JANEIRO 2009

DR. DOMINGOS ALVES MEIRA Domingos Alves Meira possui graduação em Medicina pela Universidade de São Paulo (1958) e doutorado em Doenças Infecciosas e Parasitárias pela Universidade de São Paulo (1965). Obteve a livre-docência na Universidade de São Paulo (1967). Tornou-se professor adjunto na Faculdade de Ciências Médicas e Biológicas de Botucatu (1975). Conquistou o cargo de professor titular na Faculdade de Medicina de Botucatu-Unesp (1977). Atualmente, é professor emérito da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Doenças Infecciosas e Parasitárias, atuando principalmente nos seguintes temas: Aids, malária, paracoccidioidomicose, citocinas e HIV.

R ECONHECIMENTO

D ESPEDIDA

No dia 5 de dezembro de 2008, quando a Congregação da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) realizou a última reunião do ano, seis docentes da instituição foram homenageados por estarem oficialmente se aposentando. Dr. Pedro Achilles, dr. Augusto Cezar Montelli, dra. Eliana Milanesi, dr. Lino Lemônica, dr. Osires Esteves Pinto e a enfermeira professora Maria José dos Reis Lima, profissionais que dedicaram parte de sua vida à FMB, deixaram sua mensagem durante cerimônia realizada no salão nobre da faculdade. Ao fazerem uso da palavra,

Prof. Meira é professor emérito da Faculdade de Medicina

Dr Dr.. Saad recebe prêmio USP de Direitos Humanos O professor emérito da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp, Dr. William Saad Hossne (FMB) será mais uma vez reconhecido por seu trabalho na área científica. Desta vez, ele receberá uma menção honrosa através do 9º Prêmio USP de Direitos Humanos – 2008 por sua atuação no Conselho Nacional de Ética em Pesquisa e elaboração do código de ética para as pesquisas em seres humanos. Saad foi indicado pelo Ministério da Saúde e Conselho Nacional de Saúde. A intenção do prêmio é identificar e distinguir, anualmente, pessoas e instituições que, por suas atividades exemplares, tenham contribuído significativamente para a difusão, disseminação e divulgação dos Direitos Humanos no Brasil. As pessoas podem se inscrever pessoalmente ou serem indicadas, como foi o caso do docente da FMB. A entrega do prêmio ocorreu no dia 10 de dezembro, no salão nobre da Faculdade de Direito da USP. A honraria foi feita pelo reitor da Universida-

de de São Paulo (USP) – data em que se celebra a Declaração Universal dos Direitos Humanos. Nesta oportunidade, Dr. Saad apresentaou um relato sobre seu trabalho e também ocorreu o lançamento do livro “A Declaração Universal dos Direitos Humanos – Sessenta Anos”. A organização é de Maria Luiza Marcílio. A obra social “Nossa Senhora da Glória” – Fazenda da Esperança, com sede em Guaratinguetá, cujo fundador e presidente é o Frei Hans Stapel, recebeu a menção honrosa na categoria institucional. Dr. Saad destaca que recebe o prêmio com grande satisfação, inclusive porque extrapola o campo da medicina ao enfocar a importância de seu trabalho para os Direitos Humanos. “Divido este reconhecimento com todos os colegas que participaram da elaboração das diretrizes para as pesquisas em seres humanos. Muitos doentes estão sendo protegidos”, afirma. Por ano, cerca de 500 mil pessoas são envolvidas em pesquisas.


9 EDUCAÇÃO

Cursinho Desafio terá mudanças em ‘vestibulinho’

Projeto tem obtido resultados expressivos quanto a aprovações em vestibulares

A CADÊMICO

Maior proximidade com os alunos deve ser foco da nova gestão do CAPS Entidade representativa dos alunos na Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB), o Centro Acadêmico Pirajá da Silva conta, desde novembro, com nova gestão administrativa. À frente da chapa Áporo, os alunos Érika Hissae Sassaki Abe e Henrique Cláudio Vicentini são a presidente e o vice do CAPS, respectivamente, pelos próximos doze meses e planejam inovar. Conforme Érika, uma das prioridades para a gestão à frente do Centro Acadêmico será a proximidade com os alunos nas discussões de temas relevantes à faculdade. Entre algumas novidades estão a adequação de projetos do Departamento de Comunicação do CAPS, com a criação de uma rádio local, e também novo formato para o jornal “O Esteto & Pé-de-Atleta”. Os projetos de extensão, que proporcionam proximidade entre o corpo discente da faculdade e a comunidade local, também devem passar por modificações em suas formas de atuação. Um dos trabalhos mais antigos realizados pelos alunos da medicina, o “Médicos da Alegria”, terá reestruturação em sua parte burocrática e o “Biblioteca Sobre Rodas” (programa de distribuição de revistas e livros para pacientes do Hospital das Clínicas) terá um curso para novos integrantes. Outro departamento que prepara algumas inovações é o Científico, que tem planos de montar uma revista científica e elaborar de um manual acadêmico. Um dos projetos com maior projeção do Centro Acadêmico, o Cursinho Desafio, deverá contar com novo sistema de processo seletivo, instituído na antiga gestão da entidade. Além disso, há a expectativa de se

Henrique Vicentini e Érika Abe são representantes do CAPS criar laboratórios didáticos nas disciplinas de química, física e matemática como forma de realçar o ensino para os prévestibulandos. Érika salienta que o CAPS deve manter o bom relacionamento com a direção da FMB e possibilitar maior inserção do aluno nos assuntos pertinentes

à faculdade. “Esperamos que a direção da FMB continue colaborando com a expansão e melhoria do Centro Acadêmico e se mantenha aberta a sugestões para que possamos contribuir para a excelência do ensino e vivência na instituição”, finaliza a presidente do Centro Acadêmico.

V ESTIBULAR 2009

Medicina foi o curso mais concorrido da Unesp De 14 até 16 de dezembro, 74.976 candidatos realizaram o vestibular da Unesp (Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”). Mais uma vez, o curso de Medicina, oferecido pela Faculdade de Medicina de Botucatu/ Unesp (FMB) foi o mais concorrido: foram 115,6 candidatos por vaga, seguido por Direito no período diurno em Franca, com 49,3 candidatos por vaga, e Direito noturno, também em Franca, com 30,2

candidatos por vaga. A FMB também oferece o curso de Enfermagem, que em avaliação recente feita pelo Guia do Estudante 2008, da Editoria Abril, alcançou conceito cinco estrelas, ou “excelente” – ponto máximo da escala de reconhecimento. A relação com os aprovados e lista de espera no vestibular devem ser divulgadas no dia 30 de janeiro e as inscrições ocorrem nos dias 9 e 10 de fevereiro.

Considerado um dos cursi- devem terminar em novembro. nhos pré-vestibulares comuniSegundo Henrique Cláudio tários realizados pela Unesp Vicentini, um dos coordenadoque mais têm resultados expres- res do projeto, as mudanças no sivos em aprovações, o Cursi- processo seletivo para o próxinho Desafio, mantido pelo Cen- mo ano visam a promoção de tro Acadêmico Pirajá da Silva acesso da comunidade ao cur(CAPS), da Faculdade de Me- sinho. “Percebemos que havia dicina de Botucatu/Unesp a seleção sócio-econômica (FMB) passará por mudanças mais branda e o cursinho tem em seu processo seletivo. esse caráter de promoção soAlgumas alterações deverão cial”, explica. Sobre a instituicentrar-se no método de inscrição, ção da inscrição on-line, ele frique será reaizado em dois sis- sa que há candidatos de outros temas: preenchimento da ficha municípios da região que provia internet, pelo site do pró- curam pelo curso. prio Cursinho Desafio “É uma tentativa de oferecer (www.cursinhodesafio.com) e o maior acesso para os interessamétodo tradicional que acon- dos. Em 2007, ampliamos o nútecerá de 2 a 6 de fevereiro na mero de vagas devido aos reLivraria Nobel. Será exigida a sultados que o cursinho tem apresentação de documento obtido”, complementa Vicentini. de identidade (RG e CPF) e Em 2008, o desempenho não haverá cobrança de taxa dos alunos em vestibulares de para a inscrição. meio de ano foi expressivo. Dos Outra novidade é a institui- 35 vestibulandos, 18 foram ção de duas etapas para o pro- aprovados em instituições cesso seletivo que consistirá em como Fatec, a própria Unesp e prova e entrevista sócio-econô- também tiveram a concessão mica. A primeira fase será a rea- de bolsas para o Programa Unilização de prova escrita no dia versidade para Todos- Prouni. 8 de fevereiro, com 50 questões O Cursinho Desafio foi crimultidisciplinares e uma reda- ado em 2001 pela 38ª Turma ção com tema a de Medicina ser definido. Para O processo seletivo na FMB. Ao 2009, está previstodo, 60 aluta a abertura de consistirá em nos da Medi140 vagas para o prova e entrevista cina particiextensivo. Serão pam do prosócio-econômica classificadas à jeto como fase seguinte 280 professores pessoas. ou monitores. Além das auO resultado dos qualificados las em período normal, os para a análise social será conhe- alunos contam com o sistecido uma semana depois, sen- ma de monitoria e laboratódo que os candidatos serão en- rios de redação. trevistados por uma empresa Todo o material usado no curjúnior, formada por alunos do so é apostilado e é utilizado o siscurso de Psicologia da Unesp, tema UNO de ensino, através de campus de Bauru. Na entrevis- parceria com o Governo do Estata devem ser abordados aspec- do de São Pauo. Uma biblioteca tos sociais, rendimentos, entre também está à disposição com outras questões. material e livros de auxílio para o A lista com o nome dos apro- vestibular. Os alunos recebem ainvados para o cursinho será dis- da orientação vocacional. ponibilizada no final de fevereiO Cursinho Desafio conta com ro, através do site do próprio apoio da Faculdade de Medicicursinho, da Faculdade de Me- na de Botucatu, Pró-Reitoria de dicina (www.fmb.unesp.br) e por Extensão Universitária da Unesp meio da imprensa local. As au- (Proex), Governo do Estado de las para o extensivo começam São Paulo, Prefeitura Municipal na primeira semana de março e de Botucatu e Banco Real.

Resultados de 2008 superam expectativas Os resultados obtidos principalmente em aprovações têm sido comemorados pelos coordenadores do Cursinho Desafio. Criadas como projeto de extensão, as atividades desenvolvidas pelos alunos da Medicina passaram a ter reconhecimento da comunidade por seu caráter social. Integrante da coordenação do projeto, Marcos Antônio Marton Filho ressalta que as maiores conquistas foram o crescimento em aprovações e a dedicação os aunos e professores. “Nossa avaliação quanto aos resultados obtidos no vestibular do ano passado e os realizados no primeiro semestre de 2008 é positiva. A maior conquista é o envolvimento de todos os colaboradores do cursinho”, declara.

JANEIRO 2009


10 I NVESTIMENTOS

C A PPAA C I TTAA Ç Ã O

HC receberá máquinas para hemodiálise Seis novas máquinas de hemodiálise devem ser cedidas pela Secretaria de Estado da Saúde ao Hospital das Clínicas (HC), vinculado à Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB). O processo licitatório, compra e instalação dos aparelhos devem ocorrer no primeiro semestre de 2009. Os equipamentos serão destinados à Unidade de Diálise do HC e serão necessários para a aquisição cerca de R$ 210 mil, provenientes do próprio governo estadual. A verba foi prometida pelo secretário estadual de Saúde, Dr. Luiz Roberto Barradas Barata em recente reunião com o superintendente do hospital, prof. Antonio Rugolo Júnior. As máquinas substituirão aparelhos de hemodiálise que estão com a vida útil no final. Todas devem ser incorporadas como equipamento para atendimento à população. Atualmente, a unidade conta com 22 máquinas de hemodiálise em funcionamento, explica a diretora responsável pela Unidade de Diálise, professora Jaqueline Teixeira Caramori. “Temos máquinas quebradas, o que acarretou sobrecarga no serviço. Há 10 anos funcionamos em três turnos e du-

Alguns aparelhos tiveram vida útil reduzida pelo uso contínuo, explica profa. Jaqueline Caramori rante 18 meses ampliamos o compra dos equipamentos deatendimento para quatro turnos verá ocorrer melhoria na qualipara não haver prejuízos à po- dade do atendimento às pespulação”, explica. A diretora soas assistidas pela unidade. salienta que alguns equipamen- A Diálise do Hospital das Clítos têm mais de 12 anos de uti- nicas/FMB realizou, em setemlização, mas o bro de problema está As máquinas substituirão 2008, média de na manutenção, aparelhos de que estão 1.500 sesjá que todas sões de são importadas. com a vida útil no final “Temos várias hemodiálimarcas e isso dificulta a manu- se em 120 pacientes vindos de tenção dos equipamentos”, re- 32 municípios da região. lata profª Jaqueline. A última As estatísticas, conforme a aquisição deste tipo de apare- supervisora, mostram a excelênlho ocorreu em 2007. cia no atendimento. Mas ela resA diretora frisa que com a salta que o aumento no núme-

ro de vagas deve acontecer somente quando for implantada uma nova unidade de Diálise na região, prevista para 2010. Deverá funcionar próximo ao futuro Hospital Secundário, na região do Jardim Aeroporto, em Botucatu e será vinculada à Secretaria de Estado da Saúde, mas contará com suporte da Faculdade de Medicina. “Haverá melhoria na qualidade de atendimento ao nosso paciente. Mas isso não implica em aumento de vagas. Isso deve acontecer com uma nova unidade ainda em estudo para ser implantada em Botucatu”, finaliza.

PESQUISA

Farmacêutico tem estudo sobre hipertensão premiado pelo Hospital Sírio Libanês Trabalho desenvolvido pelo farmacêutico Carlos Alberto Castanho Vieira, integrante da Farmácia de Medicamentos Excepcionais de Botucatu (parceria entre o Hospital das Clínicas/FMB/Unesp e Secretaria de Estado da Saúde) foi premiado, em setembro e 2008, durante a conclusão do curso ‘Saúde Baseada em Evidências’, realizado pelo Hospital Sírio Libanês, em parceria com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o Centro Crochrane do Brasil. O tema era: “Fatores genéticos da hipertensão arterial” e a premiação ocorreu em setembro durante o 10º Encontro de Gerentes de Risco da Rede Sentinela, em São Paulo. Vieira abordou o tema “Estudo Clínico e Molecular na identificação de mutação de ponto no Gene do Angiotensinogênio e sua relação com Hipertensão Arterial Essencial Sistêmica (HAS)”. Em seu trabalho, o farmacêutico verificou os fatores e mutações genéticas que implicam na hipertensão arterial, considerada a paJANEIRO 2009

Estudo de Vieira verificou fatores sobre hipertensão arterial tologia que mais provoca óbitos no país. O estudo consistiu em análises de ensaios clínicos e verificação dos avanços da biologia molecular e sua relação com a medicina. “A intenção era fazer um teste de diagnós-

tico que comprovaria através de traços genéticos, a iminência da hipertensão. Isto poderia ser feito por exame de sangue, por exemplo”, declara Vieira. Com os dados obtidos, o farmacêutico explica que há a possibilidade de proporcionar

melhoria na qualidade de vida com o diagnóstico precoce e tratamentos através de fatores como herança genética. . “Embora a hipertensão arterial seja de origem multi-fatorial e com grande influência ambiental, ocorreu a análise da mudança de um gene da Angiotensinogênio de uma das proteínas integrante do sistema renina-angiotensina que tem papel importante no controle da pressão arterial”, frisa. Conforme Vieira, através do estudo também podem ser fornecidos parâmetros para o desenvolvimento de medicamentos de combate à hipertensão. “Estes procedimentos podem favorecer novos fármacos específicos. À medida que temos parâmetros de medição e o modo de ocorrência da patologia, o tratamento tende a ser mais simples”, ressalta. O curso ‘Saúde Baseada em Evidências’ teve a duração de um ano e foi realizado por meio de vídeo-conferência. Em Botucatu, a coordenação foi do programa Hospitais Sentinelas e do HC/FMB/Unesp.

“Sentinelas em Ação” capacita mais de 270 profissionais O projeto Sentinelas em Ação, criado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária- Anvisa e que o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HC/FMB) é integrante, completou dois anos em atividade e tem colhido resultados expressivos. Com o objetivo de capacitar profissionais da área da saúde através de teleconferências, o programa acumula aumento no número de participantes. Em 2007, foram 62 pessoas capacitadas enquanto que neste ano mais de 270 profissionais participaram das mais de 40 palestras realizadas na instituição. Para a professora Silvana Andréa Molina Lima, coordenadora do programa Hospitais Sentinelas, responsável pelos cursos do Sentinelas em Ação, o aumento no número de participantes oferece melhor capacitação na gestão dos profissionais de saúde pública. “Vemos que aumentamos a participação em até quatro vezes e isso é benéfico para o hospital na questão da gestão em saúde”, declara. “A vivência da administração hospitalar em outros locais pode acarretar qualidade para nossos profissionais”, salientou profª Silvana. O programa teve seu encerramento no ano de 2008 no dia 9 de dezembro, com palestra via vídeo-conferência, quando foi abordado o tema “Medicamentos de Alto Custo: estratégia de organização das demandas judiciais no Rio Grande do Sul”, proferida pelo Dr. Paulo Dornelles Picon, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS).

C A M PPAA N H A

Crescem casos de câncer de pele detectados Durante a 10ª Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer da Pele, realizada dia 8 de novembro no Centro de Saúde Escola (CSE), em Botucatu, foram atendidos 635 pacientes e agendadas 39 cirurgias por diagnóstico clínico confirmado ou suspeito de câncer da pele (6,14% dos pacientes atendidos). Alguns destes procedimentos serão realizados no mutirão de cirurgias que aconteceu novembro de 2008 no Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina/Unesp de Botucatu (FMB). Embora a quantidade de pessoas examinadas tenha sido menor, na comparação com o ano passado foram registrados quatro casos a mais da doença. Em 2007, 650 pessoas foram examinadas e 35 casos positivos de câncer de pele foram identificados. Todos tiveram encaminhamento para cirurgia.


11 S OCIAL

F UNCIONALISMO

FMB e HC lançam campanha para incentivar doação de leite materno Doar! Uma palavra curta, mas que para quem precisa faz uma diferença enorme. Segundo o dicionário, significa transmitir gratuitamente (alguma coisa) a alguém, oferecer. E é justamente de um ato assim que precisa o Banco de Leite Humano do Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp. Devido período de férias que chega junto com o fim do ano, o estoque da unidade, que deveria atender a 15 leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 14 de Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) Neonatais, passa por sérias dificuldades. Isso ocorre principalmente porque as doadoras viajam e o fornecimento de leite materno reduz drasticamente. Atualmente, 14 mulheres, que ainda amamentam, colaboram com o Banco de Leite. No entanto, embora fundamental, essa participação ainda é insuficiente. Para atender toda a demanda seriam necessários, por dia 4,5 litros de leite materno. Esse volume ainda não passa de 1,4 litros (números do dia 8 de janeiro). Na primeira semana de janeiro deste ano, ao todo, 29 bebês estavam internados na UTI e UCI Neonatais do HC. Geralmente, são crianças de alto risco, prematuros ou que nasceram com algum tipo de doença. Existem, também, os filhos de mães que não conseguem amamentar. “Ocorre por não terem muito contato com suas mães ou pela enorme tensão que elas vivem ao verem seu filho internado. Por isso acabam experimentando a diminuição do leite materno”, esclarece a enfermeira Patrícia Kelly Silvestre, coordenadora do Banco de Leite Humano do HC. “Por este motivo é tão importante o papel dos Bancos de Leite, principalmente para os bebês prematuros, de baixo peso e de tantas outras patologias que se encontram internados na

Primeira-dama Rachel Cury é a madrinha da campanha UTI Neonatal”, continua. Para tentar minimizar essa situação, a Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp e o Hospital das Clínicas, através do Banco de Leite Humano lançaram uma campanha de conscientização e sensibilização das mulheres que acabaram de dar à luz, para que se tornem doadoras. A iniciativa tem apoio da Assessoria de Comunicação e Imprensa (ACI) da FM e HC, além da Produtora Torta Digital e Jornal Diário da Serra.

C OMO

A primeira-dama de Botucatu, Rachel Cury, mãe de Manuela, de dois meses e meio, é a madrinha da campanha que conta com a colaboração de veículos de comunicação locais e regionais. O Jornal Diário da Serra e os canais de comunicação da FMB e HC veicularão propaganda que traz uma foto de Rachel amamentando Manuela e também de uma outra mãe, doadora, além dos contatos do Banco de Leite para quem puder ajudar.

AJUDAR UMA CRIANÇA A VIVER

Para a mulher ser doadora ela precisa estar amamentando o seu filho, ter leite em excesso, estar bem de saúde, não fumar mais do que 10 cigarros por dia e não ter recebido transfusão sangüínea nos dois últimos anos. Após serem checados os prérequisitos, a equipe de Banco de Leite visita a futura doadora em sua casa e faz as orientações quanto aos cuidados com a ordenha do leite e seu armazenamento. É válido salientar que a mulher que se dispõe a doar leite, não precisará sair de sua casa e não terá gasto algum com a doação, pois o HC disponibiliza o material a ser utilizado na coleta, os exames necessários e a busca domiciliar do leite semanalmente. O Banco de Leite Humano está disponível para sanar dúvidas e orientar a população de modo geral sobre “Aleitamento Materno”. Mais informações pelos telefones: (14) 3811-6410 de 2 a 6º feira nos horários, das 8 às 17 horas ou pelo e-mail: blhbtu@fmb.unesp.br.

DESEMPENHO

Dermatologia da FMB/Unesp tem trabalhos premiados no Estado Um total de dez trabalhos produzidos pelo Departamento de Dermatologia e Radioterapia da Faculdade de Medicina de Botucatu/FMB (Unesp) foram reconhecidos nacionalmente durante a 13ª Reunião Anual de Dermatologia do Estado de São Paulo (Radesp). O evento, realizado entre os dias 3 e 5 de dezembro em Campinas, reuniu mais de 1300 participantes das maiores escolas de medicina do Estado como USP, Unicamp e Escola Paulista de Medicina. Cerca de 400 trabalhos foram inscritos na oportunidade e a

FMB foi representada por projetos de investigação, apresentação de pôsteres sobre casos clínicos, fotografias dermatológicas e pesquisas em pós-graduação, categorias nas quais a faculdade foi premiada. Um dos estudos envolve a análise e o emprego da fotografia digital para a avaliação da topografia microscópica da pele e é tema do mestrado da Drª Larissa Marília Chambô Cordaro, que teve a colaboração do prof. Hélio Miot. O trabalho foi premiado na categoria mestrado. Para o professor Vidal Had-

dad Júnior, responsável pelo departamento, as premiações obtidas pelos participantes mostram a excelência do ensino desenvolvido pela faculdade com a preocupação com a pesquisa clínica e cirúrgica. “Por meio dos trabalhos em pesquisa, o departamento consolida sua expressão nacional neste segmento”, declara. “É a cristalização de um programa pedagógico científico fundamentado na dermatologia clínica cirúrgica e sanitária”, complementa o prof. adjunto Hélio Miot, presente ao evento.

Servidores da FMB e HC têm novo plano de carreira Foi apresentado aos chefes de Departamentos e Seções da Faculdade de Medicina de Botucatu/ Unesp (FMB) e Hospital das Clínicas (HC), no dia 11 de dezembro, o Plano de Carreira e Sistema Retribuitório instituído pela universidade através de Resolução assinada pelo reitor Marcos Macari e publicada no Diário Oficial dia 28 de novembro do ano passado. Com as novas regras, os servidores da Unesp que exercem funções de provimento efetivo terão possibilidade de mobilidade funcional e ascensão profissional. A primeira é o instituto que permite ao servidor ocupante de uma função efetiva a progressão à função imediatamente superior, de mesma natureza. Para que a progressão dos servidores fosse possível foram necessárias algumas adaptações, como o estabelecimento de perfis genéricos e o agrupamento das funções de mesma natureza. Os esclarecimentos foram feitos pela psicóloga e analista técnica, Martha Negrisoli e pela assistente administrativo Kátia A. Biazotti, integrantes do GTDRH (Grupo Técnico de Desenvolvimento em Recursos Humanos). A Mobilidade Funcional acontecerá por processo seletivo interno, através de avaliação de títulos e provas, sendo o processamento realizado pela VUNESP – Fundação para o Vestibular da UNESP. Requisitos para Mobilidade Funcional - Para que haja o crescimento profissional é necessário: que haja vaga, pontuação mínima de 12,5 no último pro-

cesso de Avaliação de Desempenho Profissional (ADP), escolaridade compatível e habilitação necessária, além de cinco anos de exercício na função. Atividades especializadas não estão sujeitas à ascensão. A nova resolução também prevê que o servidor terá direito à “Promoção”. Isso será possível em duas situações: por desenvolvimento profissional – agora com novos critérios – ou por aumento no grau de instrução formal acima do exigido para o exercício da função, não sendo necessário ser relacionado à sua atividade. As promoções por desenvolvimento profissional ocorrerão anualmente e serão promovidos 33,33% dos servidores da unidade. Se faz necessário o interstício (intervalo) de três de exercício na mesma função e enquadramento. É exigida pontuação mínima de 37,5 pontos na Avaliação de Desempenho, somados os últimos três processos e 4 pontos em Qualificação; serão pontuados os cursos, congressos, simpósios e outras atividades, desde que correlacionados com a área de atuação do servidor. Aqueles que já tiverem avançado os cinco níveis da amplitude de sua função e 12 graus na tabela salarial, também serão beneficiados. Terão direito ao “adicional de promoção”, que representará 5% de aumento sobre seu vencimento. Mais informações podem ser obtidas através dos telefones 3811-6235/ 6375, no GTDRH, ou pelos e _ m a i l s : katiab@fmb.unesp.br ou mangel@fmb.unesp.br

Martha Negrisoli, do GTDRH, ao explicar as mudanças JANEIRO 2009


CMYK

12 C U LLTT U R A

Show de música instrumental no HC/FMB Quem teve a oportunidade de passar pelo boulevard do Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina de Botucatu/ Unesp (FMB), na tarde do dia 17 de dezembro, assistiu a um verdadeiro show de música instrumental brasileira. Alexandre Cunha e Banda se apresentaram para dezenas de usuários da instituição, além de médicos e servidores. O espetáculo faz parte de uma iniciativa da Secretaria de Estado da Cultura do Governo de São Paulo, através do PAC (Programa de Ação Cultural) com apoio do laboratório Cristália. A realização é da 3S Projetos e Komedi. Em Botucatu, a organização foi da FMB e HC, através do Grupo Técnico de Desenvolvimento de Recursos Humanos (GTDRH). A exibição contou com uma mistura de ritmos brasileiros e música instrumental, que atraiu e agradou quem dedicou alguns minutos de seu tempo para assistir ao show. Os músicos, todos formados pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), têm trabalhos individuais e em parceria com outros artistas, mas sempre que podem se juntam para levar um pouco de cultura musical às

pessoas. “Para nós é uma experiência nova tocar em um hospital, principalmente porque as pessoas não estão aqui para ouvir música. Mas nosso objetivo nesse projeto do PAC é justamente mostrar um pouco de música instrumental brasileira para pessoas que não estão acostumadas e que são leigas no assunto”, afirma Alexandre Cunha, considerado um dos maiores nomes da nova safra da música instrumental e um dos mais renomados bateristas do Brasil.

A exibição contou com uma mistura de ritmos brasileiros O músico e sua banda, além de percorrerem diversas cidades do interior do Estado com seu show, participaram, em setembro, do Festival Internacional de Xangai, na China. Foram os únicos brasileiros convidados para o evento. “No exterior, a música instrumental brasileira é muito valorizada. Esse é um dos motivos que me fizeram percorrer várias regiões apresentando um pouco do que é isso para as pessoas. O Brasil é muito rico neste campo, mas o

acesso a este tipo de música é um privilégio para poucos”, observa. Cunha destaca que, para ele, tem sido muito interessante receber elogios de pessoas que tomaram contato com a música instrumental pela primeira vez. “Fomos a cidades pequenas e tivemos 300, 400 pessoas no show. Isso é muito legal. É diferente de receber o reconhecimento de um músico, que entende as técnicas e avalia o seu trabalho”, diz. A vice-diretora da FMB, professora Silvana Artioli Schellini, assim como o vice-superintendente do HC, professor. Celso Vieira S. Leite fizeram questão de destacar a importância da apresentação da banda para o processo de humanização permanente pelo qual passa o hospital, durante a abertura do show. “Esse tipo de realização traz solidariedade para o hospital”, enfatizou professor Celso.

FESTA

Show mostrou o melhor da MPB instrumental

FOTOS ELIETE SOARES

Confraternização da Reabilitação Pulmonar mescla arte e amizade Integração e arte. Desta forma o grupo de Reabilitação Pulmonar, vinculado à Disciplina de Pneumologia da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) e ao Departamento de Clínica Médica realizou, no dia 11 de dezembro, uma festa de confraternização entre seus membros. O evento, realizado no salão nobre da FMB reuniu ao menos 45 pacientes atendidos pela reabilitação. Desde a realização de um amigo secreto entre os integrantes a apresentações de arte, o clima festivo deu o tom ao encontro. Também foram distribuídas, aos pacientes, cestas de Natal doadas pela empresa Botuplan. A apresentação de ginástica rítmica, realizada pelo grupo Serelepe, levou ao público o fascínio pela dança. Na seqüência, a demonstração de percussão japonesa, o Taepô, mostrou toda a milenar arte oriental. O encerramento ficou por conta do grupo Kazê Taepô, de Botucatu. A fisioterapeuta do grupo e JANEIRO 2009

Pacientes da Oncologia do HC comemoram o Natal

Apresentação de tambores japoneses foi a atração da festa organizadora do evento, Letícia Cláudia de Oliveira Antunes frisa que a confraternização oferece a integração dos membros do grupo, muitas vezes afastados do convívio social devido ao problema que as doenças respiratórias crônic a s ( e n f i s e m a p u l m o n a r, asma, hipertensão pulmonar, alergias respiratórias, entre outras) acarretam. “Muitos

estão conosco há anos realizando tratamento. E eventos como esses proporcionam esse lado social da reabilitação”, declara. A Reabilitação existe desde 1989 e atende atualmente a mais de 50 pacientes com doenças pulmonares obstrutivas crônicas, com programa de acompanhamento, atividades físicas e integração social.

Os pacientes atendidos na ala de Oncologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB) festejaram a chegada do Natal em clima de muita harmonia. Crianças e adultos participaram, dia 17 de dezembro, de uma festa com direito a bolo, salgadinhos e refrigerante, comprados com a ajuda de empresários da cidade. O encontro entre pacientes e médicos repete iniciativa do ano passado, quando, na mesma época, a enfermaria se transformou em um ambiente de muita alegria. Segundo a médica responsável pela Oncologia Pediátrica, Dra. Lied Pereira, além de doações em dinheiro também foram recebidas frutas. “Com o dinheiro que arrecadamos também foi possível comprar presentes para todos os pacientes, inclusive os adultos”, comenta.

Jornal da FMB nº9  

Edição de outubro de 2008

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you