Issuu on Google+

cmyk

FMB ampliará Projetos de Extensão em 2009 Para 2009, o número de programas será ampliado para 62, conforme decisão da Comissão Permanente de Extensão Universitária (CPEU). Os projetos aprovados ainda serão apreciados pela Pró-Reitoria de Extensão para definir a destinação de recursos. Página 3

Professores Jorge Guimarães (Capes), Marilza Rudge, Marcos Macari, Sérgio Müller e Denise Fecchio na abertura oficial do evento que reuniu mais de 400 pessoas

Encontro Nacional de Pós-Graduação debate atuação da Capes As discussões sobre a avaliação da Coordenação de Pessoal de Nível Superior (Capes) e seus critérios, áreas de pesquisas, estratégias e propostas de integração entre os programas de pós-graduação em todo

o país foram os temas principais do 2º Encontro Nacional de Pós-Graduação na Área de Ciências da Saúde, promovido pela Faculdade de Medicina de Botucatu e realizado entre os dias 25 a 27 de setembro, em São Pedro.

O evento, considerado o maior painel de debates acerca de estratégias e perspectivas para a pósgraduação nas áreas de ciências da saúde, reuniu mais de 450 participantes das diversas universidades

do país como USP, Unicamp, Unesp, Universidades Federais da Bahia, Santa Catarina, São Paulo, Pernambuco, Minas Gerais, além de outras instituições de ensino superior de cunho particular. As áreas

abordadas no encontro foram Medicina, Enfermagem, Educação Física, Odontologia e Farmácia. Participantes frisaram a necessidade de interligação entre os programas de extensão. Página 5

Formatura passa a ter novas regras em 2009 A Congregação da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp aprovou novas normas para a formatura da graduação nos dois cursos oferecidos pela instituição (medicina e enfermagem). As medidas serão válidas em 2009. Entre as mudanças

estão a proibição do uso de alguns tipos de instrumentos musicais, apitos, cartazes, consumo de bebidas alcoólicas no recinto, a utilização de recursos pirotécnicos, tempo de duração de discursos, além de outras modificações. Página 3

Ginecologia perde um dos pioneiros de sua história Faleceu em Botucatu, aos 75 anos, o professor emérito Laurival Antonio De Luca, um dos responsáveis pela criação do Departamen-

to de Ginecologia e Obstetrícia. Devido ao falecimento, a direção da FMB decretou luto oficial de três dias na instituição. Página 4

DE VOLTA À ATIVA- A Secretaria de Estado da Saúde liberou em setembro cerca de US$ 190 mil para a troca de fonte e manutenção do aparelho de teleterapia, conhecido como bomba de cobalto, instalado no setor técnico de radioterapia do Hospital das Clínicas de Botucatu/FMB. Os trâmites para a aquisição e reparo acontecem nos próximos meses. Página 11

Alunos criam núcleo de Pesquisa e Educação Página 7

FMB faz apresentação inédita de tese por vídeo-conferência Página 8

Combate ao uso do álcool e busca pela qualidade de vida Ações priorizaram exames e informações aos usuários do HC

Página 8

Trabalhos objetivamcriar arquivocentral Através de iniciativa pioneira, a Faculdade de Medicina Botucatu procura conservar seus 45 anos de história. Um levantamento realizado pela instituição tem identificado toda a produção documental da faculdade com objetivo futuro de criar um arquivo central. Página 12


2

Outubro 2008

No dia 3/10/2008 aconteceu a 473ª de Congregação, tendo como assuntos na ordem do dia: 1) Apresentação do Regimento Interno da Comissão de Pesquisa, que foi apreciado e votado. O referido Regimento estabelece que a Comissão deve ser composta por três docentes com titulação mínima de doutor, eleitos por seus pares, um representante docente indicado pela congregação, um representante dos coordenadores de pós-graduação, um representante da supervisão do HC, um representante dos grupos de pesquisa, um representantetécnicoadministrativo, um representante dos alunos de graduação, um representante dos alunos de pós-graduação, todos com seus respectivos suplentes.OPresidenteeVicesão escolhidospelaprópriaComissão. Os mandatos devem coincidir com o exercício da função em alguns dos cargos, 2 anos para os representantes docentes e técnico-administrativos e um ano para os discentes. As reuniões devem ser mensais, podendo haver extraordinárias se necessário. Resumidamente, as atribuições da Comissão de Pesquisa estão relacionadas com incentivo e subsídios para o desenvolvimento da PesquisanaUnidade.Nomomento, a Presidente da Comissão de

Pesquisa é a professora Célia Regina Nogueira e a Vice- Presidente, a professora Lígia Maria Suppo de Souza Rugolo. 2) Outro assunto debatido na Congregação foi referente a Colação de Grau. A Comissão que estudou o assunto, presidida pelo professor Antonio Zuliani, apresentou para discussão as normas que foram sugeridas pela referida Comissão. Dentre as normas, a primeira parte versa sobre as condiçõesdoCorpoDiscentepara receber o diploma: sobre o período de realização da solenidade (ficou estabelecido que a colação fica na segunda sexta-feira do mês de novembro para o Curso de Medicina e para o Curso de Enfermagem, a Colação será realizada na última sexta-feira do mês de novembro. Salvo quando coincidir com qualquer modalidade de avaliação externa dos cursos de Medicina e/ou Enfermagem, a referida sessão ficará automaticamente transferida para a sexta-feira seguinte). A Diretoria Técnica Acadêmica será responsável pelos protocolos e pela realização da cerimônia. Toda a sequência da solenidade foi estabelecida. 3) A Congregação deu um voto de pesar à família do Professor Emérito Dr. Laurival Antonio De Luca, falecido em 20/

Reunião de coordenadores dos câmpus experimentais da Unesp A Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB) recebeu, em setembro, reunião dos coordenadores executivos de sete câmpus experimentais da Unesp. Estiveram presentes os representantes das unidades de Dracena, Itapeva, Sorocaba, Rosana, Ourinhos, São Vicente e Tupã. As reuniões acontecem mensalmente em diferentes uni-

dades da universidade. No encontro, os representantes expuseram carências e dificuldades enfrentadas em cada um dos câmpus. Um dos pontos centrais foi a contratação de professores para os cursos oferecidos e também futuros investimentos da reitoria. O processo eleitoral direto nestas unidades foi debatido en-

Diretores debateram carências e dificuldades nos câmpus

9/2008. O referido professor foi um dos responsáveis pela formação do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da FMB e uma pessoa marcante dentro da Insituição. 4) A Congregação enviou votos de louvor à Comissão Organizadora do 2º Encontro Nacional de Pós-Graduação na Área de Ciências da Saúde, presidida pela doutora Denise Fecchio, ocorrido nos dias 25, 26 e 27 de setembro de 2008, na cidade de São Pedro. O encontro foi um sucesso, tendo a participação dos principais responsáveis pela PósGraduação no país. 5) Foram designados os membros para compor uma Comissão que irá rever as normas para o processo de consulta à comunidade, visando a escolha de Supervisor e Vice do HC-FMB. A referida Comissão está composta pelo seu presidente, o professor Pasqual Barretti e pelos membros: Paulo Roberto de Almeida Silvares, Paulo José Fortes Villas Boas, Jose Carlos Souza Trindade Filho, Cássio Luís Ferreira Junior, Jesse James Alvarado. O resultado dos trabalhos do grupo deve ser apresentado nas próximas Congregações, para apreciação.

tre os coordenadores executivos. Segundo explica o representante dos coordenadores executivos no Conselho Universitário, prof. Elias José Simon, as reuniões proporcionam oportunidade de melhor debate entre os gestores ao levantar situações constantes em cada unidade. “Há um trabalho em aumentar o quadro de docentes nestas unidades já que atualmente temos sobrecarga tanto dos trabalhos administrativos quanto acadêmicos”, declara. Conforme frisa Simon, tais debates têm obtido resultados expressivos no relacionamento entre os câmpus experimentais e a reitoria da universidade. “Essas reuniões proporcionam melhor conversa com a reitoria. Procuramos levantar questões referentes às necessidades, pois as mesmas são embriões de futuras unidades da Unesp”, finaliza Simon.

SP terá programa de ensino pela TV e internet A rede de ensino superior do Estado será consideravelmente ampliada no ano que vem, com o uso de novas tecnologias de informação, como a televisão e a internet. Uma parceria entre a Secretaria de Ensino Superior, USP, Unicamp, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), Fundação Padre Anchieta e Fundação para o Desenvolvimento Administrativo Paulista (Fundap) vai

possibilitar a criação de 6,6 mil vagas de nível superior e 110 mil de pós-graduação, em todo o Estado de São Paulo. No programa serão investidos R$ 152 milhões, sendo R$ 52 milhões da Secretaria da Educação e R$ 25 milhões por ano, nos próximos quatro anos, do Ensino Superior. Essa ampliação do sistema de ensino é o objeto do decreto que institui o Programa de Expansão do Ensino Superior

Paulista “Universidade Virtual do Estado e São Paulo”, o Univesp. O programa criará, em 2009, cinco mil vagas no curso de graduação em pedagogia para professores em exercício, a ser desenvolvido pela Universidade Estadual Paulista (UNESP); 700 vagas na licenciatura em biologia e mais 900 vagas na licenciatura em ciências, ambas da USP, num total de 6,6 mil vagas.

agenda FMB

Informes sobre a Congregação realizada no dia 3 de outubro

22/09/2008 - DEFESA DE TESE/ FERNANDA BONO FUKUSHIMA “EFEITOS DETERMINADOS PELA AMITRIPTILINA, ADMINISTRADA PELA VIA SUBARACNÓIDEA, SOBRE A MEDULA E AS MENINGES. ESTUDO EXPERIMENTAL EM CÃES” Local: Departamento de Anestesiologia Horário 08:30 21/10/2008 - CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM PESQUISA CLÍNICA Local: Salão Nobre da Faculdade de Medicina de Botucatu Horário 12 horas 29/10/2008 - V SIMPÓSIO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Local: Salão Nobre da Faculdade de Medicina de Botucatu Horário: Das 18 às 22 horas 04/11/2008 - NOITE DE INGRESSO À LIGA DE TRANSPLANTE DE BOTUCATU Local: Anfiteatro da Patologia Horário: não informado 11/11/2008 - FORMATURA/ MEDICINA Local: Ginásio de Esportes da Faculdade de Ciências Agronômicas Horário:15 horas 28/11/2008 - FORMATURA/ENFERMAGEM Local: Auditório do Colégio La Salle- Botucatu Horário:18 horas 28/11/2008 - 2º SIMPÓSIO DE CLÍNICA TRANSFUSIONAL Local: Anfiteatro da Patologia Horário:não informado

Informações detalhadas no site www.fmb.unesp.br

Representantes das universidades brasileiras durante o encontro

Intercâmbio deve validar diplomas na União Européia A instituição de convênio entre 14 universidades brasileiras e portuguesas deve favorecer a atuação do médico com o reconhecimento do diploma de medicina nos dois países. O assunto foi um dos temas presentes na reunião de Projeto de Convênio entre Faculdades de Medicinas Brasileiras e Portuguesas, realizada no dia 9 de setembro, em São Paulo. O encontro aconteceu na sede da Associação Paulista de Medicina em na oportunidade estiveram presentes representantes da USP, Universidades Federais do Paraná, de Minas Gerais e de São Paulo, além da Santa Casa (SP) e do diretor de relações internacionais da Associação Médica Brasileira, Miguel Jorge. O diretor da Faculdade de Medicina de Botucatu, prof. Sérgio Muller representou a Unesp no encontro.

Foram debatidos os objetivos do convênio, bem como os motivos principais para sua celebração entre as instituições dos países envolvidos, além de sugestões para o acordo a ser firmado no próximo ano. Entre os dias 21 a 23 deste mês deve ocorrer uma visita às faculdades portuguesas interessadas na parceria. Segundo prof. Müller, o convênio a ser firmado deve ser positivo entre as instituições, por reforçar a cooperação em pesquisa e ensino conforme a realidade dos dois países de língua portuguesa. “Esta proposta visa a colaboração científica, de implantação de programas de estágios e o reconhecimento do diploma de medicina nos dois países. É extremamente positiva esta oportunidade aos nossos profissionais”, declara o diretor da FMB. (FF)

Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” Reitor: Marcos Macari Vice-reitor: Herman Jacobus Cornelis Voorwald Faculdade de Medicina de Botucatu (www.fmb.unesp.br) Diretor: Sérgio Swain Müller Vice-diretora: Silvana Artioli Schellini Supervisor do HC: Antonio Rugolo Junior Vice-supervisor: Celso Vieira de Sousa Leite Presidente da Famesp: Pasqual Barreti Vice-presidente: Shoiti Kobayashi O Jornal FMB é uma publicação mensal dirigida ao público interno da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp e das fundações, unidades médico-hospitalares e de pesquisas a ela vinculadas. Sugestões, comentários e colaborações devem ser encaminhadas à Assessoria de Comunicação e Imprensa da FMB/Unesp pelo endereço aci@fmb.unesp.br ou jornalmed@yahoo.com.br Reportagens: Flávio Fogueral (MTB- 34927) Fotografia: Cristino O. Silva Neto, Flávio Fogueral e Sílvio Garcia Manoel (GAC) e Arquivo Produção Editorial, Diagramação, Pré-impressão e Impressão: Diagrama – Comunicação, Gráfica e Editora Rua Curuzu 205A – Fone (14) 3815-5339 - Botucatu/SP


3

Outubro 2008

FMB passará a contar com 64 Projetos de Extensão FLÁVIO FOGUERAL Um dos contatos diretos entre a Faculdade de Medicina de Botucatu e a comunidade são os Projetos de Extensão Universitária, através das quais acadêmicos interagem diretamente com a população ao oferecer serviços e ensino. Para 2009, o número deste tipo de iniciativa será ampliado para 62, conforme decidido em reunião da Comissão Permanente de Extensão Universitária (CPEU). Os projetos aprovados ainda serão apreciados pela Pró-Reitoria de Extensão para definir a destinação de recursos. Em 2007, o número de projetos era de 32 e abrangiam desde alfabetização de adultos a ações de benefício direto na saúde da população. Eles oferecem oportunidade de aprendizado mútuo aos participantes e qualidade de vida aos assistidos. Segundo a profa. Silvana Artioli Schellini, presidente da comissão, o aumento dos

projetos representa nova percepção da Unesp em ter um contato direto com a comunidade nas quais as 28 unidades estão presentes. “Este crescimento se deve ao melhor entendimento do significado e da importância das atividades realizadas, assim como a própria valorização da reitoria”, declara. Outro aspecto frisado pela presidente é o enriquecimento do aprendizado acadêmico. “Além de se ter a chance de oferecer treinamento em serviço para os alunos, os projetos possibilitam devolver todo o investimento na universidade através da prestação de serviços”, ressalta profa. Silvana. O que são os projetos Os Programas e Projetos de Extensão Universitária são um conjunto de trabalhos e atividades que articulam ensino, pesquisa e extensão, de caráter orgânico-institucional, integrados a programas institucionais direcionados às questões relevantes da socieda-

de. A Unesp mantém atualmente 1200 projetos. Atuação recente Os Projetos de Extensão Universitária foram criados em 2004 através da Resolução Unesp nº 53, que define as áreas e atividades dos trabalhos. Na Faculdade de Medicina a atuação perante a comunidade ainda é uma realidade recente, mas que tem ganhado espaço rapidamente e obtido resultados expressivos. Para definir e coordenar os projetos realizados na Unesp foi criada a CPEU em cada unidade da universidade. Na FMB a composição do grupo tem como presidente a profa. Silvana Schellini e também pelos professores Hamilton Stolff, Antônio Carlos Rodrigues, Norma Sueli Pinheiro Machado, Walmar Kerche e Vânia Moreno, além do supervisor do Hospital das Clínicas, Dr. Antônio Rugolo Júnior e representantes do corpo discente.

Decisão foi apresentada para a Comissão de Extensão Universitária

Projetos desenvolvidos pela FMB serão expostos em simpósio Todos os resultados, maneiras de atuação e relatos de participantes devem dar a tônica no Simpósio de Extensão Universitária que acontecerá nos dias 28 e 29, a partir das 19 horas no salão nobre da Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB). A exposição deve reunir todos os particopantes dos projetos desenvolvidos em

2008. No primeiro dia de evento, acontecerá a mostra dos trabalhos realizados pelo Centro Acadêmico Pirajá da Silva (CAPS), além de palestras. Para o dia 29 está programada a exposição de todos os Projetos realizados pela faculdade. O evento será destinado aos corpos docente e discente da FMB.

Formatura da Medicina e Enfermagem passam a ter novas regras

Prof. Zuliani: “medidas normatizam a cerimônia de formatura”

A Congregação da Faculdade de Medicina de Botucatu/ Unesp aprovou em reunião realizada dia 3, novas normas para a formatura da graduação nos dois cursos oferecidos pela instituição (Medicina e Enfermagem). As medidas serão válidas em 2009. Entre as mudanças estão a proibição do uso de alguns tipos de instrumentos musicais, apitos, cartazes, uso de bebidas alcoólicas no recinto, a utilização de recursos pirotécnicos, tempo de duração de discursos, além de outras modificações.

Preocupação do corpo discente era a possibilidade de transferir datas A possibilidade de mudança da data da sessão solene para janeiro não agradou aos estudantes que alegavam prejuízos e transtornos. Entre alguns motivos alegados é a necessidade de se obter até o final do ano a formalização da conclusão de curso. A preocupação, conforme relata Alder Garcia, aluno do 5º ano de medicina era com relação aos exames para a residência e também o encarecimento do custo para a formatura, que atualmente gira em torno de R$ 4 mil por aluno. “A formatura sempre ocorreu em novembro e há dois anos ocorreu a realização

Alunos manifestaram interesse por manter a data em novembro

do Enade e devido às solenidades muitos dos alunos não participavam. Isso afetou o desempenho da própria faculda-

de e sua posterior classificação. Pretendemos fazer a formatura antes de todos esses exames”, declarou.

Outro aspecto definido foi a instituição da penalidade de suspensão da sessão solene em caso de infração das novas normas. Caso ocorra o cancelamento do cerimonial, o mesmo será transferido para o salão nobre da FMB e será restrito apenas à participação dos graduandos. No entanto, a definição de um calendário para as datas referentes à colação de grau dos formandos em medicina e enfermagem foi o ponto principal discutido pela comissão formada em 2007 para a definição das novas normas. O grupo, composto por representantes dos corpos docente, discente e de servidores debateu propostas e possibilidades de normatizar os trâmites da sessão solene. Também ficou definido pelas regras que só poderá participar da solenidade de colação de grau o aluno que tenha completado o currículo do curso, com aprovação em todas as disciplinas e estágios curriculares. Caso o acadêmico tenha alguma pendência, ele prestará o juramento e receberá o grau posteriormente na diretoria da FMB, em data e horários estabelecido pela direção. As medidas, segundo explica o presidente da comissão, prof. Antônio Zuliani, do

Departamento de Pediatria, pretendem regulamentar a cerimônia de formatura na FMB. “Existia anteriormente uma norma interna, de 2002, que deixava lacunas em alguns aspectos. Procuramos analisar experiências de outras universidades para a consolidação de nossas normas e, com isso, oferecer aos estudantes, familiares e autoridades um cerimonial oficial”, declara Zuliani. Além disso, o presidente da comissão reafirma que após debates ficou decidido manter as sessões em novembro, o que possibilitará aos alunos realizarem o Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) e também das provas para residência. “Existia uma preocupação dos próprios alunos em melhorar a formatura, com a definição inclusive das datas das sessões para que não ocorresse nenhum tipo de prejuízo”, complementa prof. Zuliani. A solenidade de colação de grau para o curso de medicina em 2008 está marcada para o dia 11 de novembro, a partir das 15 horas, no Ginásio de Esportes da Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA/Unesp). Já a enfermagem terá sua sessão solene marcada para 28 de novembro, às 18 horas no auditório do Colégio La Salle.


4

Outubro 2008

Prof. Caramori é nomeado coordenador da UPECLIN

Prof. Caramori destaca parcerias para consolidação da UPECLIN

FLÁVIO FOGUERAL O professor Carlos Antônio Caramori, do Departamento de Clínica Médica, foi efetivado pela Congregação da Faculdade de Medicina de Botucatu como o coordenador da Unidade de Pesquisa Clínica (UPECLIN). A nomeação ocorreu em julho. Com a nova atribuição, o docente fica com a administração da nova unidade, que será vinculada ao Hospital das Clínicas e Faculdade de Medicina. Além disso, a UPECLIN contará, em sua gestão, com um Conselho Gestor e Gerência Técnica compostos por pesquisadores, farmacêuticos, enfermeiros, biólogos, entre outros. A UPECLIN é responsável por propor e executar todas as fases de ensaios clínicos locais, nacionais e internacionais. A unidade é financiada pelos Ministérios da Saúde/SCTIED/Decit; Ciência e Tecnologia/Finep. As instala-

ções da unidade na Faculdade de Medicina de Botucatu devem ser inauguradas ainda no segundo semestre deste ano. A consolidação da unidade, que em sua primeira fase centrou-se na construção de seu espaço físico, deve agora permear a estruturação da equipe e o delineamento de diretrizes e metas. “Estamos na fase de instalação de equipamentos, o suficiente para equipar 10 leitos e uma estrutura de ambulatório, laboratório, farmácia e recepção. Esta seria o que denominamos de etapa física. Além disso, temos algumas metas que estão em andamento como o próprio processo de fluxo da pesquisa na instituição”, declara Caramori. Algumas das metas citadas pelo professor, além da construção da estrutura física da unidade,são integrar a UPECLIN na rede de pesquisa clínica nacional e interna-

cional, capacitar membros do Conselho de Ética em Pesquisa (CEP) e instituir auditorias internas para acompanhamento de projetos em andamento. Um dos objetivos principais nesta consolidação da unidade é elaborar um plano de auto-sustentabilidade, através de verbas provenientes de um fundo específico. De acordo com o professor, algumas parcerias devem favorecer o trabalho na unidade, já que a proposta principal da unidade é oferecer estrutura para a realização de ensaios clínicos. Um dos acordos mais promissores, conforme ressalta, é com a Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Araraquara/Unesp.

Através da parceria, frisa Caramori, é que os ensaios de novos produtos de diversos laboratórios, incluindo a Fundação para o Remédio Popular (Furp), do Governo do Estado sejam efetuados pela nova unidade de pesquisa clínica. Segundo ele, a intenção pode se concretizar com a atual parceria junto a Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Araraquara. O laboratório está instalado em Araraquara e a idéia é que os estudos de bioequivalência sejam realizados na UPECLIN”, complementa o coordenador. Conforme Caramori, a implementação da unidade na FMB representará, além da estruturação física das pesquisas, maior concentração

dos estudos em centros de excelência em saúde e a busca por novos investimentos na qualidade da assistência médica. “A maior parte das pesquisas clínicas é proposta por indústrias farmacêuticas e o Brasil é um país com uma diversidade étnica grande e tem atraído cada vez mais a atenção dos laboratórios. O maior impacto que prevemos seria a mudança de mentalidade com relação à pesquisa clínica, além da busca pela excelência em sua base. Para que todos os estudos sejam eficazes, será necessário adequar laboratórios a padrões internacionais e os serviços de atendimento de alta qualidade”, finaliza Caramori.

Departamento de Ginecologia perde um dos principais personagens de sua história

Prof. Laurival foi diretor do departamento em 3 gestões

A Faculdade de Medicina perdeu em setembro um dos personagens marcantes de sua história. Faleceu em Botucatu, aos 75 anos, o professor emérito Laurival Antonio De Luca, um dos responsáveis pela criação do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia. Devido ao falecimento, a direção da FMB decretou luto oficial de três dias na instituição. O corpo do professor foi cremado no dia 20 de setem-

bro, em São Paulo, conforme informação em nota divulga d a p e l a f a m í l i a . Prof. Laurival era médico especialista em saúde materno-infantil, sendo presidente das Sociedades Brasileira de Mastologia, de Climatério e da Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. O professor emérito participou, em 1971, da criação do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia. Lauri-

val foi responsável pela disciplina durante os anos de 1972/ 78, de 1982/86 e de 1990/92. Em 2003 recebeu homenagem durante a oficialização de sua aposentadoria. No dia 16, um culto ecumênico realizado na capela do HC reuniu familiares, amigos e colegas de trabalho. O Departamento de Ginecologia e Obstetrícia divulgou nota de pesar sobre o falecimento de um de seus fundadores. (leia abaixo)

ProfªMarilzaRudgecomfamiliaresnahomenagemaoprof.Laurival

Tributo ao Professor Emérito Laurival Antônio De Luca Unidade deve se tornar excelência em pesquisa clínica

Prédio da UPECLIN será ampliado A inauguração das novas instalações da Unidade de Pesquisas Clínicas-UPECLIN, ainda depende do processo de instalação de equipamentos que deve ocorrer oficialmente nos próximos meses. Mas a ampliação física da unidade já está programada. Através de doação da

indústria farmacêutica alemã Schering, o prédio da UPECLIN receberá novo espaço ambulatorial e passará de 200 para 300 m². O investimento da empresa será de R$ 200 mil e proporcionará à unidade a construção de mais 10 consultórios, farmácia, sala de reuniões e secretaria.

Em 1º de março de 1971, com a contratação do Professor Laurival, nascia o Departamento de Ginecologia e Obstetrícia sob sua regência. Em suas próprias palavras, sobre a criação: “Em vez de sonhos homéricos, a realidade mostrou a nua e crua situação de Enfermarias inexistentes, de regimes de trabalho visionários e de concentração de saber universitário complexo e de difícil compreensão. Centro Obstétrico habitado por animais de experimentação, elevadores

comunitários transportando diferentes espécies de mamíferos, ideais desfeitos, nem cirurgias, nem pacientes. Foram necessários meses de remoção de entulho, de lutas incessantes contra a idiossincrasia e a incompreensão. O primeiro ano de instalação das Clínicas Obstétrica e Ginecológica foi cruel, mas forjou a têmpera dos pioneiros que criaram o departamento”. O seu pioneirismo faz parte da história desta Faculdade. O Professor Laurival dedicou mais de 30 anos à consolidação

do Departamento e a criação da Pós-Graduação em Ginecologia e Obstetrícia e do Centro de Avaliação em Mastologia. A Ginecologia, a Obstetrícia e a Mastologia continuarão seus destinos buscando sempre a excelência que o Professor Laurival norteou com muita luta. Nossa eterna gratidão, Docentes e Médicos do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia.


5

Outubro 2008

Encontro Nacional discute integração e desafios aos cursos de pós-graduação nas áreas da saúde FLÁVIO FOGUERAL As discussões sobre a avaliação da Coordenação de Pessoal de Nível Superior (Capes) e seus critérios, áreas de pesquisas, estratégias e propostas de integração entre os programas de pós-graduação em todo o país foram os temas principais do 2º Encontro Nacional de Pós-Graduação na Área de Ciências da Saúde, promovido pela Faculdade de Medicina de Botucatu, realizado entre os dias 25 a 27, em São Pedro. O evento, considerado o maior painel de debates acerca de estratégias e perspectivas para a pós-graduação nas áreas de ciências da saúde, reuniu mais de 450 participantes das diversas universidades do país como USP, Unicamp, Unesp, Universidades Federais da Bahia, Santa Catarina, São Paulo, Pernambuco, Minas Gerais, além de outras instituições de ensino superior de cunho particular. As áreas abordadas no encontro foram Medicina, Enfermagem, Educação Física, Odontologia e Farmácia. A solenidade de abertura, realizada na quinta-feira, dia 25, teve a presença do reitor da Unesp, Dr. Marcos Macari, da pró-reitora de pós-graduação, Profª Marilza Vieira Cunha Rudge, além da direção da FMB e do presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), Dr. Jorge Almeida Guimarães. A pró-reitora de pós-graduação da Unesp, profª Marilza Vieira Cunha Rudge enfatizou os desafios na integração dos programas em pós-graduação de todo o país. Verificou a tendência de mudança nos conceitos e na atuação em projetos de pesquisa das instituições. “Há uma mudança no paradigma do que é a pós-graduação. Não dá para pensar na saúde separadamente e prova disso é que hoje há aceitação de outras áreas em nossos programas de pós”, ressaltou. A integração dos programas foi reforçada no discurso do diretor da FMB, prof. Sérgio Muller, que frisou alguns dados da pós-graduação na faculdade. “Entre os alunos matriculados em nossos programas de pós, apenas 30% são médicos. Há a integração das disciplinas que atualmente se faz essencial para o de-

Profª Marilza: “Não dá para pensar em saúde separadamente”

ReitorMacarienfatizouocrescimentodapós-graduaçãonaUnesp

Prof. Sérgio Müller ressaltou a integração multidisciplinar

Uma das responsáveis pelo evento, Drª Denise Fecchio

senvolvimento da ciência. A partir deste aspecto, temos caminhado para que no futuro possamos ter um programa unificado de pós-graduação”, declarou Müller.

cou em sua palestra geral as áreas de interesse em pesquisa em saúde. Na seqüência, a pró-reitora de pós-graduação da Unesp, profª Marilza Vieira Cunha Rudge abordou as estratégias para a obtenção da ex-

Evento enfocou atuação das áreas de saúde No primeiro dia dos trabalhos, realizado no dia 26, prevaleceram discussões em mesas redondas específicas. Os programas em enfermagem debateram os avanços e perspectivas da área. Outro enfoque foi a articulação entre as diversas instituições para a colaboração mútua. Já a educação física focou a identidade de seus cursos e os avanços nos indicadores avaliativos da Capes. As redes de cooperação e as ações prioritárias foram os tópicos abordados pelos representantes dos programas de pós-graduação em ciências farmacêuticas. Na área de odontologia, os debates centraram-se em novas perspectivas de pesquisa e sua aplicabilidade social. A medicina abriu suas discussões com os novos desafios nos programas de pós-graduação, sendo que as novas propostas de qualidades e seu impacto no processo de avaliação também deram a tônica às dis-

cussões. A área ainda abordou o processo avaliativo dos egressos. A diretora da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Drª Suzanne Jacob Serruya enfo-

celência na pós-graduação. No dia 27, as palestras enfocaram desde as novas propostas para a pós-graduação frisando a integração entre a iniciação científica, especialização e os programas de extensão.

Nova concepção e Capes em números

Guimarães: crescimento acentuado nos cursos de pós

Na palestra de abertura do encontro, o presidente da Capes, Dr. Jorge Almeida Guimarães enfatizou a atuação e a reestruturação pela qual o órgão passou em 2004 através de medidas tomadas pelo Ministério da Educação. O primeiro enfoque deu-se na atual concepção da entidade, que agrega novas diretorias como a de Educação à Distância e a de Relações Internacionais. Em sua apresentação, Dr. Guimarães apresentou a realidade dos programas de pós que, segundo ele, estão intima-

mente ligados com a produção científica brasileira. Relatou ainda que há no país 2.581 programas responsáveis por 3.855 cursos de pós-graduação. No entanto, ressaltou em sua explanação algumas deficiências como conceitos baixos de muitas áreas científicas, além da pouca proporção de doutores por habitantes, estimada em 65 por 100 mil pessoas. Salientou ainda parcerias de cooperação com países europeus e latino-americanos na busca de desenvolvimento da produção científica nacional, a qual

ele considera fundamental no papel dos programas de pósgraduação. Além disso, apresentou números que apontam o crescimento da ciência, sendo que o Brasil representa atualmente 2% da produção científica mundial, com mais de 19 mil artigos científicos produzidos em 2007. Segundo ele, há uma procura por programas que mesclem conhecimentos e as áreas de saúde têm conquistado espaço maior. “Há um crescimento ‘chinês’ da pós-graduação no país, com taxa estimada de 12% ao ano. Há uma enorme demanda dos acadêmicos que concluem seus cursos de graduação e que ingressam na continuidade dos estudos. Isso ocorre em todas as áreas e algumas são mais evidentes. Uma delas é a da saúde, pois seus componentes como a odontologia, farmácia, medicina, enfermagem e educação física, e que devem ter uma expansão maior”, explica Dr. Guimarães. (FF)


6

Outubro 2008

Saúde do trabalhador é alvo de debate na FMB FLÁVIO FOGUERAL A qualidade de vida, motivação e a saúde do trabalhador foram os temas principais em discussão da VIII Jornada dos Programas de Aprimoramento Profissional (PAP) e do II Fórum de Discussão do Reconhecimento do Programa de Aprimoramento Profissional que acontecem simultaneamente nos dias 1º e 2 de outubro na Faculdade de Medicina de Botucatu. Com o objetivo de reunir aprimorandos do PAP da FMB e outras unidades do campus da Unesp, o evento foi uma oportunidade para os alunos apresentarem trabalhos e discutir temas relacionados ao programa, além de desafios e a busca por melhores oportunidades e qualidade no mercado profissional. “O tema saúde do trabalhador visa atender à equipe multidisciplinar da área da saúde, presente em nosso programa de aprimoramento. A jornada pretende reunir os aprimorandos para que possam comunicar suas experiências e divulgá-las para a comunidade universitária”, explica a professora Maria Luiza C.S. de Oliveira, coor-

Evento foi oportunidade de abordar desafios aos aprimorandos

denadora do evento. O primeiro tema abordado nesta edição da jornada foi o impacto da saúde mental no trabalho e as mudanças contemporâneas no mundo profissional, ambas palestras proferidas pela profª Maria Cecília Binder, da FMB. As discussões de estratégias para o reconhecimento formal dos programas de aprimoramento profissional deram a tônica às atividades do fórum que acontece em conjunto à jornada. Conforme explica profª Maria Luiza, o PAP é reconhecido somente no nível estadual, sendo que há mobilização para que o programa tenha abrangência nacional. “Havendo este reconheci-

mento no país, com certeza nossos pós-graduandos terão mais oportunidades no mercado de trabalho”, enfatiza. A jornada ainda teve o enfoque voltado à realidade atual do mercado de trabalho na área da saúde. A primeira palestra abordará a gestão do trabalho no Sistema Único de Saúde (SUS) e a qualidade de vida do profissional, com o professor da Unifesp, Francisco Lacaz. Na seqüência, a profª Edy Nakamoto (FMB) frisou os aspectos do cuidador no contexto do atendimento em saúde. As atividades realizadas pelo Centro de Referência em Saúde do Trabalhador de Botucatu foram mostradas aos participantes pela coordenadora do CRST, Renata

Profª Maria Cecília enfocou o impacto da saúde mental

Bonequini. Ainda houve discussões em “Mercado de Trabalho: desafios e oportunidades”, com a psicóloga Elvira S. Scapol, integrante do departamento de Recursos Humanos das empresas Zillo Lorenzetti. Paralela às palestras e debates, ocorreu no saguão inferior do salão nobre da FMB

uma exposição dos trabalhos realizados pelos aprimorandos. Ao todo, 71 pesquisas foram inscritas para esta edição do evento, sendo 42 relatos e 29 atividades desenvolvidas. Desse total, seis trabalhos receberam certificados da organização como melhores temas e abordagens.

Sobre o PAP O Programa de Aprimoramento Profissional da Faculdade de Medicina de Botucatu foi criado em 1981 e consiste em um programa de pós-graduação na modalidade latu-sensu para profissionais não-médicos com ênfase em treinamento de serviço em instituições de saúde. Em seus 27 anos de existência colocou no mercado de trabalho profissionais altamente capacitados. Em nível estadual, o PAP foi criado pelo decreto nº. 13.919 de 11 de setembro de 1979, sendo uma das ações atribuídas pela Secretaria da Saúde do Estado, tendo como responsável por sua administração a Fundação do Desenvolvimento Administrativo (FUNDAP).

Palestra do NIT enfoca inovação Prevenção a acidentes é foco tecnológica e regras de patentes em congresso da Liga do Trauma As relações entre instituições públicas e empresas no desenvolvimento tecnológico e o financiamento e proteção intelectual foram os temas de duas palestras realizadas no Anfiteatro da Patologia da Faculdade de Medicina de Botucatu no dia 6 de outubro. Fabíola Spiandorello, do Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT) da Unesp, abordou questões referentes ao direito e propriedade intelectual, iniciativas de patentes para as pesquisas desenvolvidas pela universidade voltadas para a área da medicina, biologia e farmacologia. Também ressaltou as diferenças entre as legislações vigentes para a proteção de marcas e de produtos. De acordo com ela, a Unesp possui 106 marcas registradas, 88 patentes e 9 contratos de parcerias com empresas. Fabíola frisou que as atuais relações entre universidade e iniciativa privada para o desenvolvimento da produção de tecnologia no país tem sido facilitada pela Lei de Inovação Tecnológica, instituída em 2004. “Sabíamos que as relações entre universidade e empresas não eram bem vistas. Com a nova legislação, esse contato passou a ter outra realidade e permitiu o reconhecimento da universidade no processo de inovação”, declarou. O NIT/Unesp foi criado em setembro de 2007 para atender às especificações da Lei de Inovação Tecnológica. Sua prin-

Fabíola é integrante do NIT da Unesp

cipal atribuição é a gestão de políticas voltadas para produção e inovação das criações intelectuais da universidade. É também responsável por atender a demanda de solicitações de proteção ao conhecimento em todas as suas modalidades, bem como de sua efetiva exploração econômica. FAPESP Outro tema abordado foi a atuação e as mudanças nas atribuições da Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP). Na palestra da professora Sílvia Rogatto foi mostrada a estrutura da entidade fomentora da pesquisa estadual, bem como o financiamento a projetos de estudo. O ponto principal da explanação consistiu também no incentivo para pesquisadores em buscar recursos perante à entidade.

A prevenção e cuidados com o acidentado foram os principais temas abordados durante o 7º Congresso do Trauma de Botucatu, realizado nos dias 3 e 4 de outubro na Faculdade de Medicina/Unesp. O evento reuniu público superior a 150 participantes entre alunos, médicos e profissionais da área da saúde, além de faculdades convidadas. Durante o congresso, palestras com especialistas da área de traumatologia abordaram temas desde o atendimento inicial ao acidentado, controle de danos, além de aspectos diretos do trauma, como a conceituação

de seus tipos (torácico, pélvico, cervical, entre outros). Outro ponto principal do evento foi a análise da realidade do trauma automobilístico na Rodovia Castello Branco. A presidente da Liga, Francine de Moraes França, reforça que além das técnicas de pronto-atendimento a casos de acidente, o ideal ainda é o trabalho preventivo. “Na Liga debatemos o aprendizado intra-hospitalar. Mas a melhor forma para se evitar acidentes e suas sequelas ainda é a prevenção ao se adotar a direção defensiva”, explica. (FF)

Congresso priorizou a prevenção e atendimento ao acidentado


7

Outubro 2008

Especialidades médicas abordadas durante o 17º CAMED

A neuroimagem em psiquiatria foi um dos temas abordados

Melhores trabalhos foram expostos e premiados no CAMED

FLÁVIO FOGUERAL

fessor emérito da FMB José Carlos de Souza Trindade, entre outros. Na abertura do evento, ocorrida no dia 17, palestra realizada na Casa da Arte da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia mostrou a relação entre arte e medicina, proferida pelos integrantes da Associação Brasileira de Medicina e Arte (ABMA) Paulo Fernando Barreto Campello de Melo, João Alberto Cardoso Silveira e Álvaro

As diversas especialidades dentro da medicina foram os temas abordados durante a realização da 17ª edição do Congresso Médico Acadêmico (CAMED), que aconteceu no dia 24 de setembro na Faculdade de Medicina de Botucatu. O evento é uma realização do Centro Acadêmico Pirajá da Silva e tem como objetivo levar as novidades em pesquisas e tratamentos, além

de assuntos diversos à medicina. Segundo a organização, participaram do evento aproximadamente 300 alunos e profissionais da área da saúde. O congresso, já tradicional no meio acadêmico regional, reuniu desde sua primeira edição, em 1992, autoridades na medicina como o ex-ministro da saúde Adib Jatene, os doutores Jairo Bouer, Malcolm Montgomery, Sebastião de Almeida Prado Sampaio, o pro-

Acadêmicos criam Núcleo de Pesquisa em Educação Médica Avaliar a qualidade e o conteúdo do curso de graduação em Medicina. Com este intuito foi criado, em setembro, pelo Centro Acadêmico Pirajá da Silva (CAPS), o Núcleo Acadêmico de Pesquisa em Educação Médica- NAPEM. O núcleo tem como proposta realizar pesquisas que tragam impacto à comunidade acadêmica no sentido de incitar reflexões sobre a formação médica e, paralelamente, contribuir com a produção e publicação de conhecimento científico em educação médica. O NAPEM será composto inicialmente por Pedro Tadao Hamamoto Filho (coordenador), Vinícius Cunha Venditti (sub-coordenador), Licério Miguel (tesoureiro) e Ludmila Almeida Silva (secretária). Pedro Tadao Hamamoto Filho, coordenador do NAPEM, explica que a atuação do núcleo deverá buscar melhorias na qualidade acadêmica do curso de Medicina, além de incentivar a produção de trabalhos dos alunos. “Pretende-se mapear os problemas na graduação e a partir disso propor melhorias em conjunto com os Núcleos de Apoio Pedagógicos. A parte acadêmica teria o foco centrado na fomentação de trabalhos e pesquisas”, explica o coordenador. Conforme Hamamoto Filho, a intenção é aproximar os

Pedro Hamamoto Filho é coordenador do NAPEM

acadêmicos dos debates para a busca da qualidade do ensino, o que implicará diretamente no desempenho do futuro profissional. “As transformações curriculares pelas quais as escolas médicas passaram nos últimos anos têm levado a comunidade acadêmica a refletir sobre a metodologia de ensino, conteúdos abordados e perfil do médico a ser formado”, completa. Ele ainda explica que o núcleo surgiu da necessidade de debates entre os próprios alunos da FMB sobre problemas enfrentados na graduação. “Há interesse dos alunos em participar das discussões para melhoria da qualidade do conteúdo. Sentimos essa vontade em conversas e a necessidade de se formalizar estas ações”, finaliza. (FF)

Nonato Souza. No dia 18 os temas principais permearam a cirurgia torácica e a psiquiatria. No salão nobre da FMB, duas palestras enfatizaram as deformidades congênitas da parede torácica e o estado atual da videotoracoscopia. No anfiteatro da Patologia, os temas abordados foram os transtornos de personalidade e psicopatia, neuroimagem em psiquiatria e sexualidade.

O 17º CAMED abordou ainda em sua programação discussões e atualizações em transplante de medula óssea, pediatria, oftalmologia, endocrinologia e cirurgia plástica. Em todos os dias de evento aconteceram paralelas às palestras, exposições de trabalhos científicos inscritos realizados pelos acadêmicos da FMB. Os melhores est u d o s foram p r e m i a d o s pela organização. Gerhard da Paz Lauterbach, presidente da comissão organizadora desta edição do congresso, frisa que o evento proporciona ao aluno atualização nas disciplinas de graduação, além de auxiliar o acadêmico na escolha por uma especialidade médica. “As palestras são diferenciadas por tratarem de assuntos pouco abordados durante o curso e os tópicos chamam a atenção por serem tratados por especialistas nestas áreas”, ressalta.

Atlética obtém a 6ª colocação no 42º Intermed A Associação Atlética Acadêmica Carlos Henrique Sampaio de Almeida (AACHSA) conquistou a 6ª colocação na 42ª edição dos Jogos Intermed, realizados entre 30 de agosto a 6 de setembro em Araraquara. Participaram do evento 18 faculdades de Medicina separadas em duas divisões. Após amargar a queda para a Pré-Intermed (considerada a 2ª divisão dos jogos), a AACHSA demonstrou recuperação no Intermed onde disputou 20 modalidades esportivas. A delegação botucatuense sagrou-se campeã no judô. Além disso, obteve a terceira colocação nas seguintes modalidades: voleibol masculino, futsal feminino e natação masculina. Os demais resultados foram: natação feminina e atletismo masculino (4º lugar); voleibol e basquete femininos (5ª colocação); basquete masculino, tênis de campo feminino, futebol de campo, handebol, tênis de mesa masculino (6ª colocação). Com estes resultados Botucatu obteve 43 pontos na classificação geral da competição. Para o então presidente da AACHSA, Gabriel Isaac de Castro, a sexta colocação foi considerada satisfatória já que, entre as instituições pú-

DIVULGAÇÃO AAACHSA

Equipe de vôlei masculina obteve o terceiro lugar no Intermed

Intermed reuniu as maiores faculdades de Medicina do país

blicas de ensino superior, a FMB ficou atrás apenas da Escola Paulista de Medicina, campeã desta edição dos Jogos. “Consideramos este resultado satisfatório, já que nosso objetivo era não cair para a Pré-Intermed, o que já havia acontecido no ano passado. Formamos uma boa equipe para a disputa e surpreendeu a quantidade de

residentes que integraram a delegação”, declara. A expectativa, conforme frisa, é melhorar a classificação na próxima edição da competição já que adversários considerados fortes como as Faculdades de Medicina da USP e da Unicamp foram rebaixadas para a Pré-Intermed. Ainda não está definida a cidade-sede dos jogos em 2009.


8

O sistema de transmissão da tese foi pioneiro na FMB

FMB realiza apresentação de tese via teleconferência A Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp inovou ao realizar, no dia 21 de agosto, uma defesa para a obtenção de mestrado através de vídeo conferência. O motivo para a utilização desta modalidade de transmissão foi a impossibilidade da presença do orientador do pós-graduando Rafael Dezen Gaiolla no auditório do Departamento de Patologia, onde aconteceu a apresentação da tese. Na oportunidade, a base de trasmissão foi instalada em Botucatu onde o professor Deílson Elgui de Oliveira, que se encontrava em Nova York, pôde acompanhar o desenrolar do estudo que abordou a avaliação do nível sérico ao tratamento do Linfoma de Hodgkin Clássico, tipo de câncer que ataca o sistema linfático que produz as células responsáveis pela imunidade do organismo e dos vasos que as conduzem pelo corpo.

Para a viabilização da transmissão por videoconferência foi usado o sistema da “Sala Virtual”, da reitoria da Unesp e que ainda está em fase de implantação. O ambiente pode ser acessado pelo site http://www.unesp.br/ nead/index_portal.php. Conforme explica a coordenadora do NEAD.TIS, profª Denise Zornoff, a utilização do sistema de sala virtual proporcionou um avanço significativo nas comunicações e na agilidade para futuras apresentações tanto de defesas de tese quanto de cursos e tamb��m na realização de reuniões. “A vantagem da Sala Virtual da Reitoria é a possibilidade de participar de uma videoconferência utilizando um computador conectado à internet, webcam e microfone”, ressalta a professora, frisando a exigência mínima de equipamento para a videoconferência.

Curso aborda qualidade no atendimento em serviço de saúde Uma das maiores preocupações de empresas públicas e privadas refere-se ao atendimento, considerado o primeiro contato entre as instituições e o público. A busca pela qualidade nas relações com o cliente faz com que os departamentos de recursos humanos invistam cada vez mais na capacitação dos colaboradores. A Faculdade de Medicina, através do Grupo Técnico de Desenvolvimento em Recursos Humanos (GTDRH), em parceria com a Fundação do Desenvolvimento Administrativo (Fundap), do governo do Estado, realiza entre os dias 8 de setembro a 3 de outubro o “Curso de Melhoria na Qualidade do Atendimento” que tem capacitado mais de 360 servidores oriundos de diversas seções e departamentos do Hospital das Clínicas e da própria FMB. Durante o curso, os servidores passaram por uma atualização quanto às novas práticas no relacionamento dire-

to com o público. Através de palestras e dinâmicas em grupo, os participantes conheceram deficiências e pontos a serem aprimorados no atendimento. A abertura do curso teve a presença da coordenadora de Recursos Humanos da reitoria da Unesp, Maria Emília Gaspar Tofoli, que abordou as preocupações que as instituições públicas passaram a ter na melhoria do relacionamento. Segundo explica a analista técnica do GTDRH/HC/FMB, Martha Negrisoli, o objetivo do curso é reforçado pelo fato do atendimento em serviços de saúde ser mais crítico por lidar com alto nível de estresse e urgência do usuário. “Por ser uma instituição que agrega grande número de servidores, a preocupação maior passa a ser a qualificação dos servidores nas formas de atendimento corretas e eficazes ao público. A pessoa tem que estar preparada para lidar com qualquer tipo de situação”, declara. (FF)

○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

Outubro 2008

Ações enfocam combate ao álcool e melhoria na qualidade de vida FLÁVIO FOGUERAL Qualidade de vida através de hábitos saudáveis. Este foi o intuito do ‘Movimento Saúde’ e do ‘Dia de Alerta Sobre o Uso Excessivo de Álcool’, realizados simultaneamente no dia 8 de outubro, em todas as unidades que compõem a Unesp. A realização é da PróReitoria de Extensão (PROEX), em parceira com as 32 faculdades e institutos. Na Faculdade de Medicina de Botucatu, a realização esteve a cargo do Departamento de Enfermagem e do Grupo Técnico de Desenvolvimento de Recursos Humanos-GTDRH/HC/FMB. O programa teve como meta levar informações para a população e servidores quanto aos cuidados para a manutenção da qualidade de vida e da saúde. Para isso, ações de conscientização e exames foram realizadas em todo o campus de Rubião Júnior. No período da manhã, o Hospital das Clínicas/FMB promoveu em parceria com o curso de nutrição do Instituto de Biociências de Botucatu (IBB) e o curso técnico de enfermagem do Senac, exames de pressão arterial, medição de altura e peso para cálculo

Usuários receberam informações sobre cuidados com a saúde

do Índice de Massa Corpórea e também informações sobre alimentação saudável e controle do peso para os usuários do HC. Outra parte da campanha enfocou os servidores do campus com a distribuição de panfletos informativos sobre as causas e efeitos provocados pelo uso excessivo do álcool. Também foram afixados cartazes em diversos pontos como forma de alerta sobre o alcoolismo e cuidados com a saúde através de textos didáticos. Segundo explica a professora Sílvia Maria Caldeira, do Departamento de Enfermagem/FMB/Unesp, as ações permitem um contato mais

direto com os usuários dos serviços de saúde e buscam informar sobre a relação entre diversas doenças e o sedentarismo. “A conscientização sobre a importância de ter hábitos saudáveis no dia-adia é fator crucial para a qualidade de vida tanto das pessoas que trabalham diretamente com a área da saúde quanto para a população de forma geral”, frisa. Já a analista técnica do GTDRH, Martha Negrisoli declarou que as ações de conscientização como o ‘Movimento Saúde’ e o ‘Dia de Alerta sobre o Uso excessivo de Álcool’ devem se estender para escolas e entidades do município.

Simpósio conjunto entre FMB/Unesp e USP abordou imunodeficiências

Temas referentes à imunidade centraram as palestras do evento

A Faculdade de Medicina de Botucatu, através do Departamento de Pediatria, em conjunto com a Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), promoveu no dia 4 de outubro, o simpósio “Imunodeficiências: diagnóstico e tratamento”. O evento foi voltado a estudantes de medicina, biólogos e aprimorandos da área da saúde. Foram apresentados os aspectos atuais e as perspectivas de tratamento de problemas referentes à imunidade. As imunodeficiências são grupos de

doenças caracterizadas pela deficiência do sistema imunológico. Como conseqüência, o indivíduo se torna propenso a desenvolver maior número de infecções, principalmente em sua vida adulta. Estiveram presentes os maiores nomes em pesquisas e tratamentos sobre imunodeficiências como os professores Alberto José da Silva Duarte, Dewton de Moraes Vasconcelos e Anete Sevciovic Grumach, que abordaram os tópicos em dois módulos teóricos e práticos. Na primeira parte do simpó-

sio, os participantes acompanharam as premissas das imunodeficiências, a avaliação laboratorial da resposta imune e os conceitos dos problemas acerca de falhas na defesa do organismo. A classificação das imunodeficiências e os principais tipos das mesmas, entre elas as humorais, combinadas, fagócitos e complemento foram o tema da aula proferida pela profª Anete Sevciovic Grumach. Na oportunidade, a palestrante lançou nova edição de seu livro “Alergia e Imunologia na Criança e no Adolescente”. A segunda parte do módulo consistiu nos distúrbios da regulação imune, doenças auto-inflamatórias e os defeitos da imunidade inata com o prof. Dewton de Moraes Vasconcelos. Na seqüência, o tratamento imunológico foi o tema abordado no simpósio. No encerramento, a apresentação dos casos clínicos reforçou os estudos e tratamentos atuais em patologias provocadas pela imunodeficiência.


9

Outubro 2008

Projeto oferece saúde além do esporte FLÁVIO FOGUERAL A prática esportiva é apontada como um dos fatores cruciais para a boa qualidade de vida. Recomendado pela medicina, o esporte recebe cada vez mais praticantes em todo o mundo e tem feito com que a comunidade incentive sua prática desde a infância. No entanto, a prática de esportes sem acompanhamento de especialistas

pode ter efeito adverso, com a possibilidade do desenvolvimento de problemas à saúde. É necessário, desde o início, exames para avaliar limitações e possíveis históricos de patologias na família. Com um ano de atividade, o Projeto Esporte Pensante, desenvolvido pela Associação Atlética Acadêmica Carlos Henrique Sampaio de Almeida (AAACHSA), da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp

Alunos avaliam as condições de saúde dos participantes

tem colhido resultados expressivos no auxílio do bem estar da comunidade. O projeto conta com o apoio do Departamento de Pediatria/FMB e das Secretarias Municipais de Esporte e da Saúde. O projeto atende a crianças integrantes de escolinhas esportivas da Prefeitura de Botucatu e que não recebiam assistência médica ou não passavam por exames avaliativos para a constatação de limitações ou riscos devido à modalidade escolhida. Todas as avaliações acontecem no Ginásio Municipal “Mário Covas Júnior” e há a pretensão de estender o “Esporte Pensante” para outros bairros do município. Até setembro foram assistidas 245 crianças que passaram por exames avaliativos das condições físicas e de saúde. Além disso, foi analisado o antecedente familiar das mesmas. Alguns dados apontaram que 19% dos parentes têm a incidência de diabetes,

18% apresentam sobrepeso e 33% sofrem de hipertensão arterial, 9% sofreram infarto. Conforme ressaltam as coordenadoras do projeto, Mariana Gazeta dos Santos e Amanda Pinter, o objetivo é oferecer tal assistência às crianças que não têm condições ou acesso a este tipo de avaliação. Com os exames, explicam, é possível determinar em conjunto com os professores das escolinhas, qual a melhor forma para a criança praticar um esporte. “Não só a criança é beneficiada, mas também os alunos participantes, já que as atividades contribuem para a formação acadêmica e pessoal ao propiciar maior contato com as pessoas e um complemento no que é ensinado na graduação”, declara Mariana. A co-

ordenadora explica que atualmente mais de 30 acadêmicos da FMB participam das avaliações, sendo que a adesão é voluntária.

Contos de fadas no auxílio ao trauma da morte residentes, médicos e estudantes da FMB, representantes da Secretaria Municipal de Saúde e do CSE participaram de atividades como técnicas com exercícios de escrita, pintura e movimento, além de discussões em grupo, de situações do trabalho cotidiano em hospitais e consultórios. O curso foi ministrado pela psicoterapeuta Christel Lukoff, que vive há 25 anos nos Estados Unidos e se especializou nas relações interpessoais com a morte. Durante o curso foram usadas metáforas personificadas nos contos de fadas para ensinar os participantes a lidarem com este momento delicado. Conforme explica profª Eliana Goldfarb Cyri-

no, do Departamento de Saúde Pública da FMB e responsável pela organização do curso, o tema é intimamente relacionado ao sentimento de perda e a maneira como os profissionais devem proceder, tanto na comunicação do fato, quanto na assistência e conforto a familiares e pessoas próximas. “A vida está cheia de perdas grandes e pequenas. Toda mudança de situação de vida é, ao mesmo tempo, uma morte. Quando a morte surge num conto de fadas, normalmente ela é descrita como uma longa viagem. Ao mesmo tempo os contos são portadores de esperança”, explica. A utilização dos contos de

Programa oferece 296 milhões de euros para pesquisadores

seleção será a excelência científica dos projetos. Os candidatos deverão ter forte potencial de liderança científica, com o objetivo de formar ou consolidar uma equipe de pesquisa independente em torno de projetos de risco na fronteira do conhecimento. Os candidatos deverão também apresentar potencial de independência e maturidade científica. Espera-se, por exemplo, que eles já tenham produzido pelo menos uma publicação importante sem participação de seu orientador. Mais informações: http:// erc.europa.eu/ (Da Agência Fapesp)

Definida pela literatura como a interrupção da vida, a morte ainda é um tema delicado em muitas áreas da ciência e para o ser humano de modo geral. Lidar com o assunto que, por muitas vezes, acarreta sofrimento e dor foi o objetivo principal do curso “O Luto e a Terapia dos Contos de Fadas”, realizado entre os dias 9 a 11 de setembro no Centro de Saúde Escola, em Botucatu. A organização foi do Departamento de Saúde Pública da Faculdade de Medicina, através de seu Programa de Saúde Escolar e do Conselho de Pais da Escola Aitiara. Mais de 40 profissionais da área da saúde entre docentes,

O Conselho Europeu de Pesquisa (ERC, na sigla em inglês) lançou chamada de propostas para o programa Starting Grants – ERC, voltado para jovens pesquisadores de qualquer nacionalidade. Podem se candidatar pesquisadores que tenham obtido doutorado há mais de três anos e menos de oito anos. O programa dispõe de uma dotação de cerca de 296 milhões de euros. Os candidatos selecionados poderão receber até 2 milhões de euros para realizar suas pesqui-

sas durante cinco anos, no máximo, em um laboratório público ou privado da União Européia ou de um país associado. A chamada divide-se em três seções, de acordo com as grandes áreas de pesquisa. As inscrições para a seção de Ciências físicas e engenharia poderão ser feitas até o dia 29 de outubro. Para a área de Ciências humanas e sociais , as inscrições se encerram no dia 19 de novembro. Para Ciências da vida, vão até 10 de dezembro. O critério fundamental de

Metáforas e contos foram usados pelos profissionais

fadas é feita pela quantidade de simbologias e significados que podem auxiliar a compreender esta situação dolorosa para quem precisa conviver com o sentimento da perda. “As imagens e símbolos contidos nos

contos consolam e encorajam. Eles nos revelam imagens da vida após a morte e indicam um caminho para atravessar e superar a dor e a tristeza”, enfatizou a profª Eliana. (FF)

Atualização- A FMB recebeu no dia 27 um curso para Atualização em Nutrição Clínica Pediátrica e Adulto, promovido pelo Serviço Técnico de Nutrição e Dietética do HC (STND). Com objetivo de promover capacitação a profissionais da saúde no atendimento nutricional ao paciente, o curso focou novas tendências e contou com participação de professores da Unifesp, Universidade Estadual de Minas Gerais e da própria FMB.


10

Outubro 2008

OPO aponta perfil do doador de órgãos FLÁVIO FOGUERAL Resultados obtidos pelo Projeto Multiplicadores, realizado em parceria entre a Organização em Procura de Órgãos- OPO/HC/FMB e o Tiro de Guerra (TG) 02-048 mostram aumento da conscientização da população de Botucatu quanto à doação de órgãos e tecidos. O Projeto Multiplicadores foi realizado no mês de agosto e abrangeu 39 bairros de Botucatu. Foram três etapas, sendo a primeira iniciada pela capacitação de 90 atiradores do Tiro de Guerra local para a realização de entrevistas com a comunidade local com o uso de um questionário usado na campanha. As respostas servirão de parâmetro para futuras campanhas de conscientização. Ao todo foram entrevistadas mais de 15 mil pessoas em 4062 residências. As entrevistas realizadas pelos militares apontaram que 98% da população ouvida têm algum tipo de conhecimento sobre doação de órgãos e tecidos. Quando perguntados por qual meio tiveram informações a respeito deste assunto, a televisão foi o veículo de comunicação que mais contribuiu

para a conscientização, seguido por rádio e jornais. Outro dado apontado pela pesquisa foi o quase consenso a favor da doação de órgãos e tecidos por 91,6% das pessoas ouvidas pelos militares. Além disso, 85,6% já ouviram falar sobre morte encefálica. Mesmo com 81,5% dos entrevistados doadores, 30,7% das pessoas entrevistadas não sabiam que somente a família da pessoa falecida pode decidir sobre a doação de órgãos e tecidos. O dado preocupa, conforme comenta a bióloga Talita Pompiani Paes de Almeida, integrante da OPO e idealizadora do Projeto Multiplicadores, pois a falta de consenso pode prejudicar a captação de órgãos e tecidos. Com isso, o tempo de espera por um transplante aumenta. “Muitas das pessoas não sabem que há uma lei na qual está previsto que somente familiares da pessoa falecida podem autorizar a doação. O recomendado é que o interessado em ser doador converse com seus parentes sobre o assunto. Perdemos inúmeras doações pela falta deste tipo de informação”, explica Talita.

Militares conheceram o funcionamento da OPO

Além disso, a idealizadora ressalta que 48,3% das pessoas ouvidas desconheciam a existência de um Banco de Tecidos Oculares Humanos. “Por mais que as pessoas conheçam sobre doação de órgãos, as mesmas demonstraram não saber da existência de um serviço de captação na cidade onde residem”, frisa. Estes números refletem, segundo ela, outra preocupação com a falta de informações a respeito da existência de um serviço instalado no Hospital das Clínicas de Botucatu, destinado exclusivamente para a conscientização e captação de órgãos e tecidos. Conforme ressalta Talita,

os resultados obtidos mostraram aumento considerável na aceitação sobre a necessidade de doação de órgãos, mas também mostram dados que devem servir de alerta para a realização de futuras campanhas informativas. O intuito, segundo explica a integrante da entidade, é aumentar a quantidade de residências e pessoas ouvidas no próximo ano. “Pretendemos através dos resultados obtidos na pesquisa divulgar ainda mais o trabalho de divulgação e conscientização sobre o trabalho da OPO e da necessidade de ser um doador de órgãos e tecidos”, completa.

Irmãs que lutaram por transplante de rim relatam vivência em palestra na FMB/Unesp

Irmãsrelataramtodaexperiênciavividanafilaporumtransplante

Exemplos na luta pela doação de órgãos, as irmãs Anna Maria, Anna Paula e Eva Marques, integrantes da Organização Não- Governamental Doe Vida, realizaram em setembro, no anfiteatro do Departamento de Patologia da Faculdade de Medicina de Botucatu uma palestra onde relataram as experiências vividas e a luta nacionalmente conhecida por um transplante de rim. As irmãs Marques necessitavam urgente de um

transplante renal e realizavam há anos o procedimento de hemodiálise. Somente a mãe poderia doar, sendo que uma das garotas ficaria sem o órgão. O caso ganhou destaque na mídia e sensibilizou o país. A palestra fez parte da 10ª edição da Campanha Nacional de Doação de Órgãos e Tecidos, que aconteceu entre os dias 22 a 27 de setembro e foi organizada em Botucatu pela Organização de Procura

de Órgãos e Tecidos do Hospital das Clínicas/FMB (OPO). Com o anfiteatro lotado, as irmãs frisaram toda a experiência e a necessidade de haver um número ideal de doadores no país. Conforme explica o assistente de captação e assessor de marketing da OPO, Paulo Pompiani, a história de vida das palestrantes resume o drama enfrentado por muitos brasileiros ainda na fila de transplante de órgãos e tecidos no país. “No país há casos que chegam a ser desesperadores na

busca por um transplante. E a conscientização das pessoas quanto à doação de órgãos se faz necessária para mudar esta realidade”, frisa. A declaração de Pompiani reforça o drama enfrentado pelas palestrantes. A ONG Doe Vida surgiu em 2003 e tem como missão a conscientização, através de palestras e atividades educativas, da necessidade da doação de órgãos e tecidos. A entidade já proferiu mais de 20 palestras em todo o país e participou de programas televisivos de alcance nacional.

Palestra lotou anfiteatro da Patologia e emocionou o público

Entidade homenageada pela Câmara de Botucatu Os trabalhos de conscientização realizados pela OPO/HC/ FMB têm sido destaque na busca pela redução da fila de transplante no Estado. Devido às campanhas realizadas, a Câmara Municipal de Botucatu entregou no dia 14 outubro uma moção de congratulação aos membros da entidade e também à apresentadora da TV Record Bauru, Fabiane Berto, madrinha do Projeto Multiplicadores em 2008. A Organização de Procura de Órgãos e Tecidos (OPO) do Hospital das Clínicas de Botucatu é uma entidade criada para melhor organizar a captação de órgãos no Estado de São Paulo. Sua atuação abrange uma população estimada superior a um milhão de habitantes. A OPO conta com 11 colaboradores entre técnicos de enfermagem, enfermeiro, bióloga. É subordinada diretamente ao Sistema Estadual de Transplante, através da Central de Notificação, Captação e Distribuição de Órgãos e Tecidos (CNCDO) e também à supervisão do HC/FMB. Alguns dos projetos realizados pela entidade buscam uma proximidade maior com a comunidade. Um deles é o “Esperança e Vida”, que teve seu início em abril deste ano e visa conscientizar crianças e adolescentes sobre hábitos saudáveis e a necessidade de doação de órgãos.

Hospital das Clínicas recebe múltipla doação de órgãos O Hospital das Clínicas/ FMB/Unesp recebeu no final de setembro, através da Organização de Procura de Órgãos (OPO), uma doação de múltiplos órgãos. O doador foi um homem de 21 anos proveniente de Taquarituba e que teve morte encefálica constatada no dia 29, após sofrer traumatismo craniano devido a uma queda de cavalo. Foram doados rins, córneas, vasos sanguíneos, pâncreas e fígado, sendo estes últimos enviados para transplante em São Paulo e Campinas, respectivamente. A Central Estadual de Captação e Distribuição de Órgãos foi notificada da disponibilidade dos demais órgãos para atender à fila de espera no Estado. (FF)


11

Outubro 2008

Bomba de cobalto do HC será substituída FLÁVIO FOGUERAL A Secretaria de Estado da Saúde liberou, em setembro, cerca de US$ 190 mil para a troca de fonte e manutenção do aparelho de teleterapia, conhecido como bomba de cobalto, instalado no setor técnico de radioterapia do Hospital das Clínicas de Botucatu/FMB. Os trâmites para a aquisição e reparo acontecem nos próximos meses. A bomba de cobalto é responsável pela assistência a pacientes com câncer e irradiação de hemoderivados. Também é usada para o treinamento de acadêmicos do curso de Física Médica. O HC é uma das poucas unidades de saúde na região a possuir este tipo de serviço. O equipamento acumulava cerca de 40% dos 4.200 procedimentos em radioterapia realizado em agosto pelo hospital. Devido ao desgaste de sua fonte, o aparelho não fornecia a quantidade necessária recomendada para atender a demanda e necessitava de troca imediata das pastilhas. Ele foi desativado em abril

do ano passado pela Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN). O órgão, vinculado ao Ministério da Ciência e Tecnologia, é responsável pela orientação, supervisão e fiscalização, estabelece normas e regulamentos em radioproteção e licencia, fiscaliza e controla a atividade nuclear no Brasil. Conforme explica o vicesupervisor do HC, Dr. Celso Vieira de Souza Leite, havia o risco da bomba de cobalto ser retirada do Hospital das Clínicas pela CNEN devido à sua paralisação. Os trâmites para a devolução do equipamento seriam burocráticos e demorariam em média de 5 a 10 anos, o que poderia acarretar no sucateamento do aparelho. Com sua desativação, todos os pacientes atendidos passaram a ser tratados pelo acelerador linear, equipamento importado voltado ao tratamento de casos de câncer mais complexos. Devido à transferência dos casos, a supervisão do Hospital das Clínicas constatou sobrecarga no número de atendimentos e houve preocupação com o rápido des-

gaste do acelerador o que acarretaria redução de sua vida útil. Outra preocupação, conforme Leite, refere-se à qualidade do atendimento proporcionado, já que para evitar a formação de filas de espera, o HC instituiu mais um período para a realização dos procedimentos, à noite. “Precisávamos desonerar o uso do acelerador, que é um equipamento complexo e de manutenção cara. Era necessário que a bomba de cobalto funcionasse corretamente pela quantidade de pacientes que dependem do uso do aparelho no tratamento contra o câncer, além do treinamento dos alunos, tanto de Medicina quanto de Física Médica”, ressalta o vice-supervisor. O supervisor do setor técnico de radioterapia do HC/FMB, Dr. Batista de Oliveira Júnior ressalta a importância da utilização da bomba de cobalto no tratamento de vários tipos de câncer, como os mamários, controle de células malignas pelo organismo, além de ser eficaz no combate a tumores de cabeça, pescoço e ósseos. “Além destes trata-

Drs. Leite e Batista: equipamento corria risco de desativação

Troca da fonte deve ser realizada nos próximos meses

mentos, todo o sangue coletado pelo Hemocentro de Botucatu passa a ser irradiado pela bomba de cobalto para evitar a rejeição na doação.

Com a paralisação do equipamento, este trabalho passou a ser feito pelo acelerador linear, com sobrecarga de serviço”, finaliza Dr. Batista.

HC investe R$ 1,150 mi para troca do sistema de vapor

Caldeiras atuais serão substituídas por modelos a gás

Investimento do Hospital das Clínicas/FMB/Unesp deverá proporcionar mudanças no sistema de fornecimento de vapor para as enfermarias e seus diferentes departamentos. Ao todo serão três obras distintas: troca das duas caldeiras existentes no hospital, construção da casa da caldeira em novo local e a modificação na tubulação de transmissão de vapor para o HC. A estimativa de recursos para as obras é de R$ 1,150 mi que devem ser destinados pela Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia e da reitoria da própria Unesp. Somente a troca das duas caldeiras

deverá consumir aproximadamente R$ 559 mil. Já a modificação na tubulação terá orçamento estimado em R$ 338 mil. A construção da casa das caldeiras, bem como sua infra-estrutura, terá a destinação de R$ 254. 549,31. A instalação dos novos equipamentos e as obras devem estar prontos em 180 dias. Além das novas caldeiras acontecerá a modificação da rede de vapor, que passará a ser aérea para facilitar sua posterior manutenção. O HC conta com aproximadamente 400 metros de canos para a distribuição do vapor instalados

subterraneamente no campus. Os novos equipamentos proporcionarão o fornecimento de 3,2 toneladas de vapor por hora ao hospital. “Por serem equipamentos com mais de duas décadas de uso, há a necessidade de atualização. A manutenção da tubulação é dificultada por acarretar tempo maior de trabalho, o que prejudica o fornecimento do vapor para o hospital”, ressalta o engenheiro chefe da Assessoria

Técnica de Planejamento e Engenharia do HC/FMB/ Unesp, Luiz Bernardes. O Hospital das Clínicas é abastecido atualmente por duas caldeiras alimentadas a óleo BPF, derivado de petróleo, o que o torna mais poluente. Com a atualização, serão instalados equipamentos a gás natural. Segundo frisa Bernardes, as modificações visam atender às atuais normas ambientais e de segurança vigentes.

HEB promove seu 1º Simpósio de Controle de Infecção Hospitalar Foi realizado no dia 3 de outubro o 1° Simpósio de Controle de Infecção Hospitalar do Hospital Estadual Bauru “Arnaldo Prado Curvêllo”. O evento foi voltado a profissionais e estudantes de Bauru e região. O simpósio teve em sua programação várias palestras e mesa-redonda enfatizando o controle de infecção hospitalar em UTI, em serviço de atendimento a pacientes especiais, técnicas de esterilização, além de discussões sobre os desafios enfrentados pelo setor.

Os palestrantes foram profissionais especializados da Faculdade de Medicina de Botucatu, da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp e do próprio Hospital Estadual Bauru. As infecções hospitalares constituem risco significativo à saúde dos usuários e sua prevenção e controle envolvem medidas de qualificação de assistência hospitalar, de vigilância sanitária e epidemiológica. Cabe à instituição prestadora de serviços criar condições e meios capazes de evitar os efeitos inde-

Com o novo sistema, será proporcionada maior segurança ao hospital, redução da emissão de poluentes, além da própria manutenção a ser realizada com maior freqüência. O diretor de serviço de atividades auxiliares do HC/FMB/Unesp, Jaime Ferrari, explica que as atuais caldeiras serão desativadas gradativamente para que o fornecimento de vapor não seja prejudicado no hospital. (FF) sejados à saúde não só de seus pacientes/clientes como de seus funcionários, visitantes, etc. A legislação brasileira determina que todos os hospitais do país mantenham um programa de controle de infecções hospitalares. Esses programas são, em geral, coordenados pelas comissões ou serviços de controle de infecções hospitalares , as CCIHs ou SCIHs. São equipes formadas por médicos e enfermeiros especializados, treinados para colher dados e traçar estratégias de combate, contenção e controle de agentes causadores de infecções. (ACI/HEB)


Outubro 2008

FMB inicia trabalhos para criar arquivo central FLÁVIO FOGUERAL Através de iniciativa pioneira, a Faculdade de Medicina Botucatu procura conservar seus 45 anos de história. Um levantamento realizado pela instituição tem identificado toda a produção documental da faculdade com objetivo futuro de criar um arquivo central. A pesquisa, realizada pelo Grupo de Trabalho para Elaborar Diagnóstico da Situação dos Arquivos da FMB teve início no primeiro semestre deste ano e tem analisado toda a produção documental das seções integrantes da faculdade. O trabalho é feito por meio de entrevistas, com roteiro definido em critérios do Centro de Documentação e Memória da Unesp (CEDEM) e verificação dos arquivos locais. Coordenam o grupo Márcia Quadros e Enilze Volpáto, respectivamente responsáveis pela seção de comunicações da FMB e supervisora da Biblioteca do Câmpus. Os trabalhos contam ainda com orientação da historiógrafa e integrante do CEDEM, profª Solange de Souza e das coordenadoras do curso de arquivologia da Faculdade de Ciências e Arte de Marília/ Unesp, Telma

Reunião começou a definir características para a acomodação dos documentos da FMB

Campanha de Carvalho Madio e Maria Leandra Bizello. A execução do levantamento é da historiadora Isaura Bretan. Por meio de tais estudos será possível definir meios para a conservação dos documentos, conforme explica a historiógrafa Solange de Souza, integrante do CEDEM. O foco é a estruturação de um arquivo central anexo aos novos edifícios administrativo e central de salas de aula da faculdade. A proposta foi um dos temas abordados na reunião ocor-

Professor da FMB lança publicação sobre perigos oferecidos por animais aquáticos Uma análise precisa sobre os potenciais perigos proporcionados por algumas espécies de animais aquáticos. Esta é a premissa do livro “Animais Aquáticos Potencialmente Perigosos do Brasil”, do professor do Departamento de Dermatologia e Radiologia da Faculdade de Medicina de Botucatu, Vidal Haddad Júnior, que terá sua segunda edição lançada no dia 18 de setembro na Biblioteca do Câmpus da Unesp, em Rubião Júnior. O livro reúne dados estatísticos, terapêuticos e de atendimento a pessoas atacadas por animais marinhos e fluviais, além de medidas de primeiros socorros. O objetivo da obra, segundo o autor, é for-

necer tais informações a profissionais de saúde, estudantes de Medicina ou Ciências Biológicas, pescadores, equipes de mergulho e qualquer pessoa que tenha frequente contato com esses animais. “O Brasil se destaca em todo o mundo por seus estudos sobre animais peçonhentos. Os índices de morbidade e mortalidade em decorrência de acidentes provocados por serpentes, escorpiões e aranhas reduzem anualmente no país, por meio de eficiente identificação e distribuição de antivenenos. Porém, quanto a acidentes provocados por animais aquáticos, quase inexistem estudos conclusivos”, ressalta o professor.

Autor celebra o lançamento da 2ª edição da publicação

rida no dia 17 de setembro na diretoria da FMB. Ela explica que a iniciativa faz parte de um programa piloto que a Faculdade de Medicina instituiu em parceria com o CEDEM na busca da conservação documental de sua história. “A preservação da memória se dá a partir de projetos para o arquivamento de registros das atividades realizadas e das funções desempenhadas por seus integrantes”, declara. A responsável pelo trabalho

arquivístico, Isaura Bretan, explica que o projeto entra agora na fase de refinamento das informações levantadas em todos os setores da FMB e da antiga FCMBB. De acordo com ela, a iniciativa de estruturar o arquivo único deu-se pela carência deste tipo de procedimento na instituição. “Nesta gestão foi tomado o conhecimento de alguns problemas com relação à guarda de documentação. Como não há um arquivo central, as seções são obrigadas a guardar os documen-

tos em locais que não são próprios e acarreta também perda significativa de espaço”, salienta. Segundo a pesquisadora, até o final do ano será possível identificar, através de critérios pré-estabelecidos, o material que poderá ser descartado pela instituição e o que será integrado ao arquivo intermediário e permanente. “Foi realizado o levantamento e agora haverá a sistematização do material colhido para verificarmos o que pode ser eliminado seguindo as diretrizes da tabela governamental e aqueles que integrarão a guarda permanente”, explica Isaura. Márcia Quadros, coordenadora do grupo de trabalho frisa que a instituição de um arquivo central deve facilitar o acesso dos departamentos e melhorar a acomodação dos documentos produzidos pela instituição. “Com isso vamos alocar os processos de maneira adequada. Muitos documentos estão em locais foras das especificações para arquivamento. A FMB pretende alojar estes processos em um local adequado e isso abrirá a possibilidade da criação de um acervo histórico institucional”, finaliza.

Coleção de ilustrações sobre o cerrado é doada à Biblioteca do Câmpus

Ilustrações da fauna do cerrado poderão ser vistas em breve na Biblioteca do Câmpus

Além de ser responsável pela catalogação de trabalhos de monografias, serviços de consultas e empréstimos de publicações, a Biblioteca do Campus, que atende às Faculdades de Medicina, de Veterinária e Zootecnia e o Instituto de Biociências, tem a incumbência de fomentar a cultura nas exposições que realiza mensalmente no local e por ter em seu acervo diversas obras de arte. Em julho, a biblioteca recebeu a doação de 30 telas integrantes da coleção “Aquarela do Cerrado”, já exposta no mezanino do local. São obras de quatro ilustradoras botânicas conceituadas nacionalmente,

entre elas a italiana Margherita Leoni. Além dela, compõem o quadro de artistas Zelinda Jordão Milan, Gisela Adrien e Mônica Stein Aguiar. As ilustrações referemse ao cerrado e suas peculiaridades. Conforme adianta a diretora técnica da biblioteca, Enilze de Souza Nogueira Volpato, a intenção é oferecer as obras para exposição no Jardim Botânico do Rio de Janeiro, vinculado ao Ministério do Meio Ambiente. As negociações para o empréstimo estão avançadas e a expectativa é de ceder as

ilustrações ainda neste segundo semestre. “Esta coleção tem a didática de divulgar a riqueza da flora regional em especial o cerrado paulista”, salienta Enilze.

CMYK

12


Jornal da FMB nº6