Page 1

cmyk

Unesp inicia escolha de novo reitor Processo eleitoral movimenta toda a universidade que escolherá o próximo reitor. Na Faculdade de Medicina mais de 3 mil eleitores entre docentes, servidores e acadêmicos devem participar das eleições que acontecem entre os dias 14 a 16 de outubro. Páginas 5 a 7

FMB deve gerir novo Hospital Geral A liberação de R$ 16 milhões pela Secretaria de Estado da Saúde dá o início para a instalação de um novo hospital geral em Botucatu, que integra um projeto de desenvolvimento da saúde regional. A nova unidade estará localizada no Jardim Aeroporto, em instalações cedidas pelo Hospital Estadual Cantídio de Moura Campos. A gestão deverá ser da Faculdade de Medicina de Botucatu e do Hospital das Clínicas. Página 4

Combate a câncer de mama é foco de parceria

Prof. Morcelli recebe o cheque simbólico das mãos do diretor do Instituto Avon, Lírio Cipriani

O Hospital das Clínicas/ FMB/Unesp, através do departamento de radiologia, formalizou em sessão solene no dia 4, a instituição do projeto “Semente do Amanhã: conhecer para se Proteger”, que visa a realização de mamografia anual para mulheres acima de 40 anos em cinco cidades da região e que não possuem estrutura adequada para este tipo de exame. O evento teve a presença de prefeitos dos municípios contemplados com o projeto e de Lírio Cipriani, representante do Instituto Avon. Página 11

Enfermagem obtém nota máxima no Enade 2007 O curso de enfermagem, foi um dos cursos a obterem nota máxima no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes - Enade. Os resultados foram divulgados em agosto pelo ministro da Educação, Fernando Haddad. A média obtida

foi 5 e um total de 34 acadêmicos habilitados que realizaram o exame (21 ingressantes e 13 concluintes). A classificação colocou a faculdade como uma das poucas instituições públicas a terem o reconhecimento na excelência do ensino (apenas 621 tive-

FMB e FATEC estruturam curso de radiologia

Mandato de Müller à frente do GAC será de dois anos

Sérgio Müller assume a presidência do GAC O professor Sérgio Müller, diretor da Faculdade de Medicina de Botucatu assumiu no último dia 3, a presidência do Grupo Administrativo do Campus de Botucatu da Unesp (Universidade Estadual Paulista). O mandato será de

dois anos e Müller sucede Maria de Lourdes M. V. Paulino no comando administrativo do campus. O vice será o professor Edson Ramos de Siqueira, diretor da Faculdade de M e d i c i n a Ve t e r i n á r i a e Zootecnia. Página 3

Aplicativo auxilia logística de atendimento em UTI’s Página 11

ram notas 4 ou 5, representando 19,2% do total). A Faculdade de Medicina de Botucatu instituiu em 1989 a criação do curso superior em enfermagem que conta; atualmente, com 28 docentes e 120 alunos matriculados na graduação. Página 3

HC modifica sistema de agendamento de coletas. Página 11

Acadêmicos passam por integração multidisciplinar Página 11

Servidores recebem qualificação em faturamento Página 4

Parceria entre a Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp e a FATEC deve garantir a instalação do curso em nível superior de tecnologia em radiologia e diagnóstico por imagem na área da saúde. O curso deve ser implantado ainda este ano. Pela proposta, o curso terá duração de três anos e oferecerá semestralmente 40 vagas para a obtenção do título de tecnólogo em radiologia. Será pioneiro na região a ser oferecido pelas duas instituições públicas de ensino superior. Página 12


2

Setembro 2008

Da Congregação do dia 5/ 9/2008 destaco os seguintes assuntos discutidos: 1) Proposta de Regimento da Congregação, do qual constam regras para participação, critério de faltas às reuniões e outros assuntos inerentes ao funcionamento endógeno da Congregação; 2) Foram apresentadas as propostas de regras para distribuição de cargo de Professor Titular na Unidade. A apresentação foi feita pelo Professor Titular José Reinaldo Cerqueira Braz, que apresentou em detalhes a pontuação que ocorreu nos últimos concursos, contrapondo-se com a proposição atual. O assunto agora deve receber a apreciação dos Departamentos de Ensino. 3) Também foram apresentados os critérios para ampliação de contratação de docentes para a FMB. Estão baseados na carga horária departamental e reestruturação curricular, apontando novas necessidades em decorrência de aumento de turmas, criação de novas disciplinas, participação em novos cursos de Graduação, etc. Devem ser valorizadas as participações nos cursos de Graduação da própria ou de

outras Unidades, nos Programas de Residência Médica e/ ou Multiprofissional, em Programas de Pós-Graduação stricto sensu, em Programas de Pós-Graduação latu sensu (Especialização e Aprimoramento). A produção científica e intelectual deve ter peso também na decisão de ampliação de vagas, assim como a dedicação a cargos administrativos. Outro ponto que foi levantado foi a dedicação a atividades extensionistas que são fortes na nossa Unidade. 4) Foi apresentado para apreciação e votação o Relatório GRAL (Relatório de Avaliação Institucional) referente ao período de 2005/2007, apresentado para a douta Congregação por um dos membros da Comissão que elaborou o Relatório, o Dr. Paulo Villas Boas. Do relatório constaram avaliações referentes ao Ensino de Graduação (Medicina e Enfermagem), Cursos de Pós-Graduação stricto sensu e latu sensu, Cursos de Aprimoramento, atividades de Pesquisa, Extensão e Administrativas. Bastante interessante foi observar o aumento da produção científica e intelectual, nas atividades de extensão e

o crescimento em infra-estrutura para o Ensino e a Pesquisa, denotando o crescimento da FMB em todos os sentidos. Finalizando a apresentação do que foi feito nestes últimos três anos, houve a aprsentação do último ítem do relatório que se refere as propostas a serem consideradas para a solução dos problemas existentes e que foram apresentados no relatório. As soluções apresentadas firmam o plano de metas para o próximo triênio. O relatório foi aprovado e deve ser enviado para a Reitoria. 5) Alteração no Regimento Interno do NEAD-TIS: foi criada uma subcoordenadoria na estrutura do NEADTIS, devendo agora ter-se um Coordenador e um ViceCoordenador, além da Sucoordenadoria da Telemedicina que também deve ter um Vice-Coordenador. 6) O Departamento de Enfermagem presta uma homenagem a Professora Dra. Maria José dos Reis Lima, recentemente aposentada, conferindo o nome da mesma ao Anfiteatro que fica nas dependências do Departamento, o que foi aprovado pela Congregação.

GTDRH apresenta projetos no 34º CONARH Três projetos apresentados pelo Grupo Técnico de Desenvolvimento de Recursos Humanos do Hospital das Clínicas e Faculdade de Medicina de Botucatu tiveram boa recepção no 34º Congresso Nacional sobre Gestão de Pessoas, maior evento sobre gestão de pessoas da América Latina, realizado entre 19 a 22 de agosto. O CONARH reuniu empresas de cunho público e privado e debateu inovações no processo de gestão humana organizacional. Entre os temas abordados durante o congresso estavam inovação, educação, talento, capital humano, desempenho, remuneração e práticas sustentáveis nas empresas. A Faculdade de Medicina, através do GTDRH apresentou três trabalhos que visavam a qualidade de vida do servidor e também a capacitação em suas atribuições.

O primeiro, intitulado “Diagnóstico Organizacional e implementação de ações de qualificação e desenvolvimento para uma equipe de administração inserida em uma instituição de saúde pública”, desenvolvido em conjunto pelos favorecedores do grupo, abordou programas para a qualificação dos profissionais envolvidos nos processos administrativos da FMB/HC. A explanação ocorreu no dia 20 de agosto. No mesmo dia, a saúde dos servidores foi tema do tópico “Avaliação Prostática em uma comunidade: implantação do projeto, nos campi da Unesp/Botucatu”, tendo como autores o professor Fernando da Rocha Câmara e dos integrantes do GTDRH, Rui Maia Silva e Rita de Cássia Lusoli. Neste programa, a saúde dos servidores através do exame da próstata foi fator central

GTHRH- O Grupo Técnico de Desenvolvimento em Recursos Humanos/HC/ FMB é responsável pelo desenvolvimento do capital humano nas diversas unidades e esferas do hospital e da faculdade. Através de treinamento, cursos e palestras, a seção oferece capacitação aos servidores em busca da qualidade de vida e trabalho. “A essência do grupo é desenvolver as pessoas e a partir desse capital humano, for-

apresentado no evento. A avaliação de desempenho, por parte dos servidores na FM e HC foi apresentada no dia 21, no 34º CONARH. Conforme ressalta a analista técnica do GTDRH/HC/FMB, Martha Negrisoli, tal atividade é essencial para definir programas de qualificação na instituição. Segundo explica Martha, o grupo participa do CONARH desde 2005 e tem apresentado seus trabalhos na busca da qualidade da gestão do capital humano na organização. Para ela, os debates agregaram novos valores pelo contato com diferentes sistemas de gestão em RH. “O congresso foi uma oportunidade para o contato e análise do cenário do recurso humano desenvolvido sob diferentes pontos de vista”, ressalta. (FF)

necer as ferramentas necessárias para o gestor na busca da excelência do trabalho e da qualidade do atendimento”, explica Martha. O GTDRH está localizado na Casa do Servidor (antigo Vestiário Central) e conta atualmente com 5 favorecedores para o desenvolvimento humano, além de 5 estagiários nas mais diversas áreas como administradores de empresas a profissionais da saúde.

agenda FMB

Informes sobre a Congregação realizada no dia 5 de setembro

22/09/2008 - CURSO ATUALIZAÇÃO NA ABORDAGEM DAS DEMÊNCIAS ATÍPICAS - BIOMARCADORES Local: Salão Nobre da FMB Horário não informado 23/09/2008 - CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM PESQUISA CLÍNICA Local: Salão Nobre da Faculdade de Medicina de Botucatu Horário: 12 horas 25 A 27/09/2008 - EVENTO II ENCONTRO NCIONAL DE PÓS GRADUAÇÃO NA ÁREA DE CIÊNCIAS DA SAÚDE Local: Hotel Fonte Colina Verde - São Pedro Horário abertura do evento às 18 horas 27/09/2008 -CURSO ATUALIZAÇÕES EM NUTRIÇÃO CLÍNICA PEDIÁTRICA E ADULTO Local: Salão Nobre da Faculdade de Medicina de Botucatu Horário 8 horas 29/09/2008 - EVENTO XIII FESTIVAL UNIVERSITÁRIO DE ARTES Local: Café Iguana Horário não informado 1º E 2/10/2008 -EVENTO VIII JORNADA DOS PROGRAMAS DE APRIMORAMENTO PROFISSIONAL Local: Salão Nobre da Faculdade de Medicina de Botucatu Horário: 8 horas 3 E 4/10/2008 -EVENTO VII CONGRESSO DO TRAUMA DE BOTUCATU Local: Salão Nobre da Faculdade de Medicina de Botucatu Horário: 8 horas 07/10/2008 - CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM PESQUISA CLÍNICA Local: Salão Nobre da Faculdade de Medicina de Botucatu Horário 12 horas 14 A 16/10/2008 -EVENTO ELEIÇÕES PARA REITOR DA UNESP Local: Saguão de entrada do Departamento de Patologia Horário: a partir das 12 horas 16/10/2008 -EVENTO IV ENCONTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA FMB Local: Salão Nobre da Faculdade de Medicina de Botucatu Horário: 8 horas 21/10/2008 - CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM PESQUISA CLÍNICA Local: Salão Nobre da Faculdade de Medicina de Botucatu Horário 12 horas

Informações detalhadas no site www.fmb.unesp.br

HEB abre seleção para estágio de aperfeiçoamentoemortopediapediátrica O Hospital Estadual Bauru “Arnaldo Prado Curvêllo” está com inscrições abertas para o processo seletivo que oferece uma vaga de aperfeiçoamento em Ortopedia Pediátrica.O prazo para inscrições termina dia 11 de dezembro. As inscrições para Ortopedia Pediátrica exigem título de especialização pela Sociedade Brasileira de Ortopedia (SBOT). Quem termina o estágio ou residência até o dia 31 de janeiro de 2009 também pode se inscrever, mas neste caso é necessária uma declaração da instituição de ensino que comprove o término da atividade até a data. A prova escrita acontece no dia 18 de dezembro (quinta-feira), às 9h, no auditório do Hospital Estadual Bauru. Os candidatos aprovados na 1ª fase (prova escrita) passarão por entrevista técnica e aná-

lise de currículo. O aperfeiçoamento terá jornada semanal de 40 horas e a bolsa é de R$ 1.624,54. Não há vínculo empregatício com a instituição mas é oferecido alojamento e alimentação no próprio hospital. Os selecionados atuarão sob supervisão da equipe de Ortopedia Pediátrica do Hospital Estadual Bauru no período de 01/02/ 2009 a 03/01/2010. As inscrições poderão ser feitas pessoalmente ou por procuração no Centro de Estudos e Pesquisas do Hospital Estadual Bauru (Av. Eng. Luiz Edmundo Carrijo Coube, nº 1-100, Núcleo Geisel). O horário para atendimento é das 9h às 16h. CLique aqui e acesse o edital completo. A programação do estágio também está à disposição no site. Mais informações no telefone (14)3103-7777 ramal 3366.

Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” Reitor: Marcos Macari Vice-reitor: Herman Jacobus Cornelis Vorrrwald Faculdade de Medicina de Botucatu (www.fmb.unesp.br) Diretor: Sérgio Swain Müller Vice-diretora: Silvana Artioli Schellini Supervisor do HC: Antonio Rugolo Junior Vice-supervisor: Celso Vieira de Sousa Leite Presidente da Famesp: Pasqual Barreti Vice-presidente: Shoiti Kobayasi O Jornal FMB é uma publicação mensal dirigida ao público interno da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp e das fundações, unidades médico-hospitalares e de pesquisas a ela vinculadas. Sugestões, comentários e colaborações devem ser encaminhadas à Assessoria de Comunicação e Imprensa da FMB/Unesp pelo endereço aci@fmb.unesp.br ou jornalmed@yahoo.com.br Reportagens: Flávio Fogueral (MTB- 34927) Fotografia: Cristino O. Silva Neto, Flávio Fogueral e Sílvio Garcia Manoel (GAC) e Arquivo Produção Editorial, Diagramação, Pré-impressão e Impressão: Diagrama – Comunicação, Gráfica e Editora Rua Curuzu 205A – Fone (14) 3815-5339 - Botucatu/SP


3

Setembro 2008

Sérgio Müller assume presidência do Grupo Administrativo do Câmpus/ Unesp

Discurso do novo presidente do GAC que enfatizou necessidade de estabelecer administração ampla

O professor Sérgio Müller, diretor da Faculdade de Medicina de Botucatu assumiu no último dia 3, a presidência do Grupo Administrativo do Câmpus de Botucatu da Unesp (Universidade Estadual Paulista). O mandato será de dois anos; sendo que Müller sucede Maria de Lourdes M. V. Paulino no comando administrativo do campus. O vice será o professor Edson Ramos de Siqueira, diretor da Faculda-

de de Medicina Veterinária e Zootecnia. A transmissão de cargo aconteceu na sala de reuniões da Administração Geral do GAC, em Rubião Júnior e teve a presença de servidores, representantes de departamentos e dos diretores das faculdades que compõem o campus: Medicina, Medicina Veterinária e Zootecnia, Instituto de Biociências e Faculdade de Ciências Agronômicas.

Em sua explanação, a professora Maria de Lourdes ressaltou que sua gestão foi marcada pelo trabalho de consolidação da atuação do GAC na busca das soluções de problemas internos do campus. “O GAC é um grande desafio. Temos como objetivo o aprimoramento constante da atuação do grupo e nestes dois anos de atuação tivemos melhoria em pessoal com investimentos da reitoria. Isto mostra o

impacto do que representa a administração do campus”, declarou Maria de Lourdes na transmissão de cargo. Sérgio Müller ressaltou a busca na integração entre as quatro faculdades que integram o campus e a capacidade de investimentos que ambas agregam. Também levantou a necessidade de estabelecer uma administração ampla com sistema similar ao realizado pela Universidade de São Paulo em sua cidade universitária. “Devemos discutir algumas mudanças para a melhoria da gestão, como a instituição de um ‘prefeito’ para o câmpus e dedicação em período integral das atribuições e garantir maior proximidade com as reais necessidades”, enfatizou o diretor da FMB. O novo presidente do GAC realizou na última semana uma visita às quatro faculdades integrantes do câmpus para ouvir representantes e servidores das dificuldades enfrentadas pelas unidades. (FF)

Servidoras têm licençamaternidade ampliada As servidoras da Universidade Estadual Paulista- Unesp têm desde julho a licença-maternidade ampliada de 120 para 180 dias, conforme despacho do reitor Marcos Macari. A determinação atende à lei complementar sancionada pelo governador José Serra no dia 8 do mesmo mês e publicada no Diário Oficial do Estado. A lei assegura a ampliação do benefício de afastamento para funcionárias públicas, além de ampliar o direito às servidoras que adotarem crianças com até sete anos de idade. Segundo dados da seção de Recursos Humanos da Faculdade de Medicina de Botucatu, um total de 16 servidoras se afastaram das atribuições devido à gestação no ano passado. Em 2008, 3 servidoras do quadro se beneficiaram da licença-maternidade, sendo que um dos casos refere-se à adoção. A licença será concedida a partir do oitavo mês de gestação e durante o período de afastamento, a servidora fica impedida de exercer qualquer outra atividade remunerada. Além disso, a criança não poderá ser mantida em creche ou organização similar. (FF)

Enfermagem recebe nota máxima no Enade 2007 A graduação em enfermagem, mantida pela Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp foi um dos cursos a obterem nota máxima no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes Enade. Os resultados foram divulgados em agosto pelo ministro da Educação, Fernando Haddad. A média obtida foi 5 e um total de 34 acadêmicos habilitados realizaram o exame (21 ingres-

Profa. Eliana: Enade serviu de comparativo do conhecimento

santes e 13 concluintes). A classificação colocou a faculdade como uma das poucas instituições públicas a terem o reconhecimento na excelência do ensino (apenas 621 tiveram notas 4 ou 5, representando 19,2% do total). Desenvolvido pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira - Inep, o Enade tem como finalidade avaliar a qualidade dos cursos de ensino superior e o grau de conhecimento dos alunos no país. Anualmente, diferentes cursos são escolhidos para a realização das provas que contém questões de formação geral e de conteúdo específico. Em 2007, passaram pelo processo de avaliação 3.238 cursos de ensino superior em 16 áreas do conhecimento, entre elas agronomia, enfermagem, medicina, medicina veterinária, nutrição e zootecnia oferecidas pelas faculdades que compõe o campus de Botucatu da Unesp. Mais de 380 mil alunos realizaram as provas. Conforme constatou o Ministério da Educação, a maior

parcela dos cursos melhores avaliados são oferecidos por faculdades públicas. Esta é a segunda participação do curso de enfermagem no exame. Em 2004, foi obtida a nota 4 na avaliação. Segundo explica a coordenadora do curso, professora Eliana Mara Braga, o resultado obtido foi possível devido a dois fatores essenciais: a coesão de servidores e docentes na busca da qualidade do ensino; além do processo de reestruturação da grade curricular, que teve início em 1999 e implantado há dois anos. “Essa reestruturação coloca o aluno de enfermagem no campo prático desde o 1º ano de graduação”, salienta. “Muitos de nossos atuais docentes foram os responsáveis pela implantação do curso. Há também a participação ativa da Enfermagem em projetos de aprimoramento desenvolvidos pela FMB ou pelo Ministério da Saúde”, ressalta profa. Eliana. De acordo com ela, o exame serviu como termômetro do conhecimento adquiri-

Reestruturação do curso ofereceu melhoria de ensino

do pelos alunos no decorrer dos quatro anos de graduação. “O Enade faz um comparativo do conhecimento do aluno que ingressa e daquele que está praticamente formado. Com isso é analisado o acúmulo de conhecimento e sua capacitação ao longo da graduação”, frisa a coordenadora, que estará nos próximos dias 22 e 23 em Águas de Lindóia em um encontro de coordenadores de curso, promovido pela Unesp, com o intuito de analisar a avaliação e os critérios usados

no Enade. A Faculdade de Medicina de Botucatu instituiu em 1989 a criação do curso superior em enfermagem que conta; atualmente, com 28 docentes e 120 alunos matriculados na graduação. A faculdade é a única instituição pública a oferecer este tipo de curso na região. A procura pelo vestibular tem crescido, sendo que a média é de 38 candidatos/vaga. Neste ano, o Conselho Estadual de Educação renovou o reconhecimento do curso. (FF)


4 ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

de (SUS), convênios, regulamentação de planos de saúde, papel da auditoria, entre outros tópicos. O conteúdo abrangeu panorama setorial, conceito, funções, organização, critérios de faturamento e faturamento do SUS, auditoria médica e de enfermagem, além de tabela unificada do sistema. Conforme frisa o vice-supervisor do HC/FMB/Unesp, prof. Celso Vieira de Sousa Leite, o intuito da realização do curso, além da capacitação, foi conscientizar os profissionais envolvidos para dinamizar o efetivo pagamento dos serviços prestados pelo hospital. “Os participantes passaram por esta capacitação que visa uniformizar os procedimentos no aspecto do faturamento com base no sistema usado no HC”, ressalta. (FF)

Profissionais de 21 seções do HC acompanharam palestras

O Hospital das Clínicas/ FMB/Unesp promoveu nos dias 23 e 24 de agosto, um curso de Faturamento Hospitalar, voltado a servidores de seus mais diversos departamentos; com o objetivo de qualificar os mesmos com relação a trâmites burocráticos. A capacitação aconteceu na Casa do Servidor (antigo Vestiário Central) e reuniu mais de 30 profissionais de 21 seções, onde os mesmos, através de palestras e atividades, puderam aprofundar o conhecimento nos processos de compra e pagamento de serviços e suprimentos a fornecedores da unidade. O curso também forneceu subsídios quanto à estrutura do faturamento hospitalar, com enfoque em controles e cobranças do Sistema Único de Saú-

Servidores do HC recebem qualificação em faturamento

Objetivodocursofoiqualificarservidoresemtrâmitesburocráticos

Transtornos de Controle de Impulsos foi tema de curso na FMB

○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

cionar melhoria na qualidade do atendimento. “Era importante Botucatu ter este serviço de saúde. Haverá maior número de leitos e isso terá melhoria na qualidade do serviço tanto no HC quanto nesta nova unidade”, complementa. (FF)

na região, algo que não existia de forma adequada em Botucatu. Vamos poder direcionar os atendimentos do HC a casos mais complexos”, declara. Para o diretor do DRS-6, Dr. Carlos Machareli, o novo hospital deve propor-

Novo hospital terá capacidade para abrigar 60 leitos

Representantes do HC, FMB e Cantídio debateram propostas

das Clínicas e a nova unidade de saúde. Além do novo hospital secundário, o projeto deve contemplar ainda a instalação de um Centro de Referência em Psiquiatria à Criança e do Adolescente e também de um Hospital do Rim. A primeira etapa consistirá na reforma das instalações do antigo Centro de Atenção Integrada à Saúde (CAIS) do Hospital Cantídio de Moura Campos, que foi cedido para a administração desta nova unidade. O investimento será de aproximadamente R$ 8 milhões. A licitação para o início das obras deve ocorrer nos próximos meses. A expectativa de conclusão da reforma do CAIS é de dois anos. Conforme explica prof. Sérgio Müller, a instalações desta nova unidade de saúde tende a suprir uma carência regional no atendimento a casos de média complexidade. Com isto, a expectativa é desafogar o fluxo de atendimentos no Hospital das Clínicas. Somente em 2007 o HC contabilizou um número superior a 100 mil procedimentos. “Este Hospital Geral deverá oferecer o atendimento secundário à população

A liberação de R$ 16 milhões pela Secretaria de Estado da Saúde dá o início para a instalação de um novo hospital geral em Botucatu, que integra um projeto de desenvolvimento da saúde regional. A nova unidade estará localizada no Jardim Aeroporto, em instalações cedidas pelo Hospital Estadual Cantídio de Moura Campos. A proposta foi apresentada no dia 5, em reunião ocorrida no Hospital Cantídio, onde foram apresentados os detalhes para a implantação do hospital. Estiveram presentes o diretor da FMB, prof. Sérgio Muller; o supervisor do Hospital das Clínicas, Antônio Rugolo Júnior, a diretora técnica do Cantídio de Moura Campos, Marly Thiegi de Mello e o diretor do Departamento Regional de Saúde de Bauru (DRS-6), Dr. Carlos Macharelli. O novo hospital, com capacidade para 60 leitos, deve ser destinado a casos de média complexidade como procedimentos cirúrgicos simples e partos. A expectativa é atender 6 mil pessoas, em média, anualmente. A administração da unidade será da Faculdade de Medicina de Botucatu e a assistência ao usuário será em sistema de concordância entre o Hospital

FMB deverá administrar novo Hospital Geral

Setembro 2008

O comportamento humano neste início de século XXI está intimamente ligado às exigências do mercado de trabalho e as mudanças na sociedade. Devido a estas tendências e patologias da mente, a Liga de Saúde Mental da Faculdade de Medicina de Botucatu promoveu nos dias 10 e 11 o Curso de Transtornos de Controle de Impulsos. O evento foi realizado no salão nobre da FMB e aberto a toda comunidade acadêmica e profissionais da área. No dia 10, o Dr. Edson Capone de Moraes Jr. (FMB) abordou a conceituação e classificação dos transtornos de controle de impulsos na palestra inicial do evento. Na seqüência, o descontrole alimentar periódico e bulimia nervosa foi o tema proferido pela Dra. Érica L. B. Camargo. Encerrando o primeiro dia de curso, aconteceu a palestra da Dra. Érica V. Trench, onde a mesma discorreu sobre tricotilomonamia (distúrbio em que a pessoa arranca os cabelos e outros pêlos sem fins estéticos) e skin picking (cutucar excessivamente a pele). No segundo dia de curso, os impulsos involuntários e compulsivos foram os assuntos abordados na palestra “Jogo Patológico, Comprar Compulsivo, Cleptomania e Sexo Compulsivo” do Dr. Hermano Tavares, psiquiatra e coordenador do Ambulatório de Jogo Patológico e outros Transtornos do Impulso, do Instituto de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da USP. Conforme explica a presidente da Liga de Saúde Mental da Faculdade de Medicina de Botucatu, Karen Fernanda Alves, o objetivo principal é oferecer aos presentes a abordagem de temas que frequentemente não são abordados durante a graduação acadêmica em medicina e enfermagem. As palestras envolvem, segundo ela, abordagens modernas de problemas característicos em muitas pessoas. “São temas que não são abordados durante a graduação e estão ligados com o comportamento do ser humano na sociedade atual”, declara. (FF)


5 ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

Demências atípicas são tema de curso

○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

A Faculdade de Medicina de Botucatu recebe nos dias 26 e 27 o Curso de Atualização na Abordagem de Demências Atípicas- Biomarcadores. O evento acontecerá no salão nobre da FMB e é uma iniciativa doDepartamentodeNeurologia,Psicologia e Psquiatria e da Liga de Neurociências. A abertura acontecerá às 19h30 e contará com uma palestra da profa. Philine Schneider, do Departamento de Psiquiatria da Universidade de Munique e pesquisadora do Centro de Pesquisa de Neurobiologia para Doença de Alzheimer. A palestrante deverá expor os aspectos atuais da utilização de biomarcadores na Doença de Alzheimer, uma das patologias que mais agregam casos em idosos no mundo. Na sequência o prof. Hélio Afonso Ghizoni Teive, da Universidade Federal do Paraná e assessor da Comissão Científica da Academia Brasileira de Neurologia abordará os aspectos epidemiológicos da demência na doença de Parkinson. A noite será encerradacom a realização de mesa redonda e discussão plenária. A programação do dia 27 abrange desde diagnósticos a tratamento de sintomas. A primeira palestra acontece a partir das 8h30 e será proferida pelo prof. Ricardo Nitrini, da Faculdade de Medicina/USP. O tema será “Diagnóstico clínico-neurológico das demências típicas e atípicas. Às 9h30 o prof. Daniel Flôres, da Faculdade de Medicina de Montevidéu (Uruguai) e uma das maiores autoridades internacionais em psicofarmacologia frisará o tratamento dos sintomas mais frequentes em pacientes demenciados. As inscrições para o evento custam R$ 10 e informações podem ser obtidas através do telefone (14) 3815-5965.(FF)

8ª edição da Jornada de Aprimoramento

○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

A apuração dos votos acontecerá no dia 17 a partir das 8 horas na Casa do Servidor (Antigo Vestiário Central). A comissão frisa que, por determinação da Comissão Eleitoral Central, somente poderão votar os eleitores que apresentarem documento de identificação com foto. Também é proibido qualquer tipo de campanha ou a realização de "boca-deurna", no local de votação. Serão confeccionadas cédulas em três cores distintas. A cédula azul será destinada a docentes, pesquisadores (exceto os colaboradores, substitutos, prestadores de serviço voluntário e aposentados). Já a cédula amarela ficará para os integrantes do segmento técnico-administrativo (servidores da admi-

Mais de 3 mil eleitores, entre docentes, servidores e corpo discente estão aptos a votar na eleição que definirá o próximo reitor e vice-reitor da universidade. Desse total, mais de 1400 referem-se a servidores, sendo que o corpo discente terá mais de 1300 eleitores. Os docentes agregam quase 260 votantes. A Comissão Eleitoral Local tem desenvolvido as atividades relativas ao processo eleitoral, seguindo o cronograma estabelecido pela universidade, o qual determina que a consulta à comunidade ocorra em três dias consecutivos. As urnas ficarão em um único ponto fixo, no saguão do Departamento de Patologia. O horário de votação será no período das 12 às 24 horas nos três dias de votação.

○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

Profa. Beatriz Matsubara coordena a Comissão Eleitoral

nistração geral do câmpus e servidores técnico-administrativos. O corpo discente votará na cédula branca e englobará médicos residentes, alunos de graduação e pós-graduação. Os servidores lotados na reitoria e que prestam serviços no campus poderão votar nos respectivos locais de atuação, desde que sejam retirados da lista da reitoria. Essas ocorrências serão informadas à Comissão Eleitoral Central. Em caso contrário, da prestação do servidor na reitoria, o procedimento é o mesmo. A presidente da Comissão Eleitoral Local, professora adjunta Beatriz Bojikian Matsubara, do Departamento de Clínica Médica, explica que os preparativos para a realização do pleito tem ocorrido dentro da normalidade. Com isso, acredita a docente, o processo eleitoral deva ser realizado sem maiores dificuldades. "Todos os trâmites estão sendo feitos dentro do cronograma proposto e os horários estabelecidos para a votação devem permitir que todos eleitores da universidade possam compararecer ao local de votação", ressalta profa. Beatriz. (FF)

○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

Processo eleitoral deve reunir 3 mil na FMB

no caso dos docentes, é multiplicado por 0,7 e, no caso de funcionários e alunos, por 0,15. Os professores substitutos e colaboradores não participam das eleições. Ao final do processo, o Colégio Eleitoral homologa o resultado da consulta e envia uma lista tríplice ao governador do Estado, que escolherá o novo reitor da Unesp. A tendência, historicamente, é a de o governador homologar o nome que representa a escolha da comunidade. O escolhido será empossado em janeiro de 2009. Nas páginas 6 e 7 desta edição, os candidatos a reitor expõe uma síntese de seus planos de gestão para a universidade. (Da assessoria da Unesp)

FM (http://radio. unesp.br) por sistema de videoconferência e via WebTV (www.faac. unesp.br/webtv) e também será gravado. Posteriormente, uma cópia do debate será enviada para cada unidade da Unesp. Todos os docentes, servidores técnico-administrativos em atividade e alunos de graduação e de pós-graduação stricto sensu participam do pleito. Os votos de docentes valem 70% da soma total de votação e os de servidores técnicos e administrativos pesam 15%, da mesma forma que os de alunos. Para se chegar ao resultado final, o total de votos de cada grupo é dividido pelo número de eleitores do segmento. O resultado obtido,

A Unesp (Universidade Estadual Paulista) deu início ao processo de escolha do novo reitor da instituição para o quadriênio 2009-2012, que sucederá a Marcos Macari. Concorrem ao cargo os docentes Herman Voorwald (atual vice-reitor) e Amilton Ferreira. Os candidatos a vice-reitor em cada chapa são, respectivamente, os docentes (pró-reitor de Administração licenciado) Júlio Cezar Durigan e Eunice Oba. As eleições ocorrem de 14 a 16 de outubro. No dia 24 de setembro, às 14 horas, será realizado, no câmpus de Bauru, um único debate entre os candidatos, no anfiteatro Guilherme Rodrigues Ferras (Guilhermão). O debate será transmitido pela Rádio Unesp

Disputa deve marcar eleição para reitoria da Unesp

○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

O Hemocentro do Hospital das Clínicas/FMB promoveu no dia 11 de setembro, uma palestra onde foram abordadas pesquisas e tratamento contra a leucemia mielóide crônica. O evento foi voltado à comunidade científica e reuniu mais de 80 participantes entre médicos, estudantes e pesquisadores e teve o apoio da Faculdade de Medicina de Botucatu e do Laboratório Bristol-Myers Squibb. A palestra foi ministrada pelo professor Israel Bendit, da Faculdade de Medicina/ USP, coordenador do laboratório de biologia tumoral daquela universidade. Entre os tópicos apresentados, Bendit enfocou as características, pesquisas e as novidades no tratamento desta enfermidade, em específico com o medicamento desatinibe, nova opção para o controle desta enfermidade. Conforme explica a Drª Paula Hokana, do Hemocentro/HC/FMB, o intuito da palestra foi fornecer novidades no tratamento da leucemia mielóide crônica e apresentar as tendências em medicamentos. “A leucemia mielóide crônica tem passado por estudos mais específicos e com isso, tanto a medicina quanto a indústria farmacêutica tem proporcionado terapias mais eficazes no controle da mesma”, declara. A leucemia mielóide crônica consiste em uma patologia na célula tronco que provoca alteração clonal em suas células e caracteriza a leucemia. Os primeiros casos da doença foram diagnosticados em 1.845 e suas causas ainda não são totalmente conhecidas e atualmente este tipo de doença representam 15% dos casos de leucemia em todo o planeta, conforme dados da Organização Mundial de Saúde (OMS). O Hospital das Clínicas assiste, de forma contínua mais de 20 casos de leucemia mielóide crônica oriundos de Botucatu e cidades adjacentes. Afeta principalmente adultos pelo seu avanço ser lento. A pessoa apresenta quadro de febre e emagrecimento crônico, aumento do fígado e baço. Em casos mais graves, o estágio avançado leva a óbito. Seu diagnóstico ocorre através do exame de emograma. Pesquisas recentes apontam em melhoria no tratamento, o que favorece a sobrevida e melhora considerável na qualidade de vida do doente. Atualmente, dois medicamentos, além do acompanhamento médico, favorecem o controle da patologia. O custo das drogas gira em torno de R$ 4 mil e são fornecidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). “Não existia até alguns anos atrás um tratamento específico para esta doença. Agora, com a terapia exclusiva, há melhor qualidade no acompanhamento e na qualidade de vida do paciente”, ressalta Drª Paula. (FF)

Palestra do HC aborda tipo de leucemia

Setembro 2008

Acontece nos dias 1º e 2 de outubro a realização da 8ª edição da Jornada dos Programas de Aprimoramento Profissional (PAP) e o 2º Fórum de Discussão do Reconhecimento do Aprimoramento Profissional. O evento será realizado no salão nobre da FMB. O evento, realizado anualmente foca O tema deste ano será “Saúde do Trabalhador, Motivação e Qualidade de Vida” e visa atender uma equipe multiprofissional da área da saúde. O (PAP) da Faculdade de Medicina de Botucatu, criado em 1981, destina-se à formação pós-graduada de profissionais não médicos que atuam na área de saúde com ênfase em treinamento em serviço em instituições de saúde, universitárias ou não, de elevado padrão científico e técnico. A programação completa do evento pode ser acessada através do site www.fmb.unesp.br.


6

Setembro 2008

Resumo do Plano de Gestão da chapa “A Unesp coesa, eficiente e autônoma Desejamos fazer uma gestão assentada na dignidade, na observação estrita da ética e da responsabilidade, no respeito à instituição pública. Defenderemos o papel da universidade pública como uma instituição exemplar, com uma administração eficiente e integralmente voltada para a sociedade, sem perdas, sem desperdício, com todas as suas forças voltadas para o desenvolvimento científico, tecnológico e ético do País. No caso específico da Unesp, esse objetivo maior, e especialmente o estabelecimento de prioridades conforme as necessidades de cada unidade, deverá se concretizar segundo um Plano de Desenvolvimento Institucional que tenha bases sólidas, previsão de recursos e cronograma. Para tanto, firmamos com a comunidade unespiana o compromisso primeiro de realizarmos uma Assembléia Universitária com a responsabilidade de avaliarmos as várias ações que estão sendo propostas aos órgãos colegiados. Referimo-nos especificamente àquelas que poderão mudar o paradigma de nossa universidade, como: Sistema de Avaliação de Docentes, Centro de Convenções e de Educação Profissional da UNESP, que seria localizado na Zona Leste da cidade de São Paulo, Plano de Desenvolvimento Institucional – PDI e Programa de Ensino a Distância – EAD, entre outras que se entende importante pautar, nascidas no interior da Universidade. Queremos uma Unesp unida, coesa, eficiente e orgulhosa de sua autonomia e competência científica. Uma Unesp gerida de acordo com os seguintes fundamentos: • Decisões consensuais – A comunidade como um todo deve ter sempre a última palavra a respeito de a lter aç õ es n o perf il da Unesp. Quaisquer alterações de formato não devem provir de opiniões particulares, mas ser decididas de modo consensual pela comunidade acadêmica. • Responsabilidade do reitor – Um reitor eleito é representante da comunidade que o elegeu. Isso significa que deve defender o primado do órgão co-

PERFIL

DOS CANDIDATOS

PARA REITOR: AMILTON FERREIRA

PARA VICE- REITOR: EUNICE OBA

Santa Rita do Passa QuatroSP, 31/03/ 1941) É professor titular do IB de Rio Claro e membro da Aciesp (Academia de Ciências do Estado de São Paulo). Formado em História Natural pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Rio Claro, em 1964, onde fez doutorado em 1966. Tornou-se professor titular em 1982. Complementou sua formação com numerosas bolsas e estágios em instituições estrangeiras. Publicou 52 trabalhos científicos, sendo 23 em revistas estrangeiras. Foi diretor, por três mandatos, do IB de Rio Claro, membro do Conselho Estadual do Meio Ambiente, diretor-executivo da Diretoria de Convênios e Projetos da Fundunesp.

(MirandópolisSP, 14/11/ 1951) Professora titular da FMVZ, Botucatu. Formada em Medicina Veterinária pela FCMBB (1974). Mestrado: UFMG, 1979. Doutorado: FMVZ, 1985. Pós-doutorado: Instituto de Investigações Agrárias, Madrid (1986). Pós-doutorado: Departamento de Theriogenology, Universidade de Hokkaido, Japão, 1993. Coordenadora do curso de pós-graduação em Medicina Veterinária da FMVZ (1995-1996). Diretora da FMVZ (1997-2001). Presidente da Comissão de Especialistas de Avaliação Institucional (2001-2006). Vice-presidente da CPA (20052006). Coordenadora de dois grupos de pesquisa. Desde 1986, orientou 12 mestrados, 19 doutorados e 4 pós-doutorados.

legiado sobre o executivo, com decisões pensadas, ponderadas, discutidas e nutridas no diálogo permanente. • Tempo integral: ponto de honra – O regime de tempo integral é essencial à universidade pública. Deve ter tempo integral todo docente que esteja disposto a assumilo segundo as normas da instituição. • Carreira docente – Um novo quadro de carreira docente é necessário. Convocaremos os docentes para elaborarem o formato mais adequado. Uma boa alternativa seria uma evolução horizontal, entre as funções de adjunto e o cargo de titular, permitindo que docentes bem qualificados ascendam na carreira até que se consiga aumento do número de vagas para o cargo de titular. • Uma política real e justa de recursos humanos – Proporemos uma nova Política de Recursos Humanos e um novo Plano de Carreira para os servidores técnico-administrativos. Sua implementação deve passar por discussões que envolvam também os RHs locais e os órgãos representativos dos servidores. A política atual, voltada para cursos e treinamentos que não atingem a grande maioria dos servidores, precisa ser reconsi-

derada. Além disso, é embaraçoso para uma instituição como a Unesp deixar de honrar o pagamento dos precatórios judiciais. Se a administração atual afirma que a Unesp é superavitária, por que então não dar continuidade aos seus pagamentos como fez a administração anterior? É preciso retomar urgentemente esses pagamentos. • Pesquisa, ensino, extensão são atividades igualmente prioritárias – A Unesp já se consolidou como universidade de ensino, pesquisa e extensão. Estas três atividades são igualmente prioritárias. A coesão interna da Unesp depende da adequada e harmônica concomitância de suas atividades essenciais. Todas as pró-reitorias devem operar em conjunto para atingir esse objetivo. • O estudante é a prioridade das prioridades – O estudante é a própria razão de ser da Universidade. Tudo o que se discute, se planeja e se faz na Universidade tem como fim último a formação do estudante, para que sua atuação, na sociedade civil, ao mesmo tempo que lhe dê realização profissional e individual, represente fator de realização da sociedade brasileira como um todo. É prioritário, para a Unesp, o diálogo perma-

nente com a classe estudantil, e não cabem evasivas como a de afirmar que em momentos tensos é impossível o diálogo com os estudantes. Como esperar que a Universidade seja COESA, se em momentos de tensão comunitária seus gestores maiores se transformam em fatores de aumento das tensões e conflitos com os estudantes? • Avaliar não é ameaçar nem punir – Defendemos a mudança imediata dos sistemas de avaliação de docentes e de servidores técnico-administrativos. Os atuais são precários, sem base teórica e punitivos. É preciso criar sistemas que estimulem os profissionais à produtividade e ao progresso em suas carreiras. • A expansão da Unesp deve ser consolidada – O momento atual não é mais de expansão, mas de consolidação da Unesp. O pensamento dos novos reitores deve ser bastante simples: a Unesp tem hoje um tamanho que deve ser avaliado e consolidado. • É preciso descentralizar e desburocratizar – Em certos momentos, a própria administração central se torna incapaz de visualizar e avaliar certos processos que ela mesma induziu ou gerou. Palavra de ordem: é preciso iniciar já, imediatamente, um processo de descentralização e desburocratização da estrutura administrativa da universidade, sob pena de vê-la logo tornar-se ingovernável. • Autonomia e órgãos de fomento – Os diferentes órgãos de fomento, públicos ou privados, devem receber atenção especial. Mas deve estar descartada a subserviência. O papel da reitoria e das próreitorias é persuadir a comunidade interna de pesquisadores de que não pode haver falhas, erros ou atrasos na execução de projetos financiados e no cumprimento de bolsas; mas é também defender a comunidade interna contra imposições descabidas ou até mesmo erros de julgamento desses órgãos. • Autonomia e poder público – A Unesp é parte do poder público. Sob o ponto de vista administrativo, é uma autarquia de regime

especial, com autonomia didático-científica, administrativa, disciplinar e de gestão financeira e patrimonial. Um reitor de universidade pública do Estado de São Paulo não vai às instâncias superiores do poder público para reivindicar, mas para ser ouvido sobre o melhor modo de o poder público realizar os objetivos da universidade, que ele, reitor, representa. Não vai, de cabeça baixa, como um preposto do poder que espera garantir futuros cargos, mas como um representante de comunidade que voltará a suas habituais funções estatutárias tão logo termine seu mandato. • Unesp e instituições coirmãs: autonomia a três – A existência do Cruesp faz da USP, da Unicamp e da Unesp, universidades coirmãs, uma única instituição. Este fato, por si só, cria uma grande responsabilidade para os reitores que integram o Cruesp, pois os torna, ao mesmo tempo, representantes das universidades e interlocutores com as instâncias superiores do poder público. Em nossa gestão colocaremos como princípio a total harmonia e colaboração com as duas universidades coirmãs. • Abertura em sentido próprio – A gestão universitária deve ser aberta e transparente em sentido próprio, não em sentido figurado. O acesso às informações deve ser aberto a todos, quer da comunidade interna, quer da comunidade externa. • Palavras de ordem para a próxima gestão: o r i e n t a r, e n ã o i m p o r ; d e s c e n t r a l i z a r, e n ã o m a n i e t a r ; o t i m i z a r, e não burocratizar. E, sobretudo, exercer o mandato com a dignidade do diálogo e do consenso. *O resumo de plano de gestão foi enviado pela própria chapa à Assessoria de Comunicação e Imprensa da Unesp e publicada conforme as normas da Comissão Eleitoral e publicado também no encarte da edição de setembro do Jornal da Unesp.


7

Setembro 2008

Resumo do Plano de Gestão da chapa “Avanço Institucional” O conhecimento de todas as unidades da Unesp, adquirido nos últimos anos, nos proporcionou uma visão clara de cada uma delas: a infra-estrutura instalada, as demandas legítimas, seus méritos e suas ambições acadêmicas. Este cenário projeta um futuro promissor e a necessidade da continuidade do avanço institucional alcançado na gestão atual, resultante de ações acadêmicas e administrativas fundamentadas na austeridade, no profissionalismo, na ética e na responsabilidade. A Unesp que, unidos, queremos • é a Universidade séria, crítica, produtiva, empreendedora e fiel aos seus valores e à sua história; • é aquela que respeita as normas estatutárias, as decisões dos órgãos colegiados e as ponderações que emanam da coletividade; • é capaz de criar um ambiente sadio de trabalho e de convivência coletiva; • não é a Universidade silenciosa e contemplativa, mas aquela que pensa, fala, critica, debate, luta, se manifesta e se impõe no cenário acadêmico; • sinaliza metas a serem cumpridas, busca a coesão interna e novos métodos de luta para superar os grandes desafios; • agiliza os processos decisórios, com ações articuladas entre as unidades e a reitoria, na busca da máxima descentralização administrativa; • está sempre na procura do melhor, do mais correto, do mais justo e na busca da inclusão social sem paternalismo ou humilhação; • considera a excelência no trabalho acadêmico um dever de todos; • é dinâmica, atualizada e inserida nos programas de pesquisa e inovação tecnológica do Estado e do País; • é a Universidade de todos, pública, gratuita, democrática e de qualidade indiscutível; • defende veementemente a autonomia universitária; • é aquela que estende as mãos a todos os professores, alunos e servidores e à sociedade, expressando sua integração com todos os segmentos e com a afirmação da cidadania. Com base nessa visão, elaboramos nosso “Plano de Gestão Avanço Institucional 2009-2012”. A íntegra do documento está disponível na

PERFIL

DOS CANDIDATOS

PARA REITOR: HERMAN J. C. VOORWALD

PARA VICE- REITOR: JULIO CEZAR DURIGAN

Rio Claro SP, 24/04/ 1955) Professor titular da Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá (FEG) desde 1996, é vice-reitor desde 2005, membro do Conselho Superior da Fapesp e bolsista-produtividade nível 1C do CNPq. Foi assessorchefe da Assessoria de Planejamento e Orçamento (2001-2003 e 2005-2008) e diretor da FEG (1992-1996). É engenheiro mecânico (Unesp, 1979), mestre (ITA, 1983) e doutor (Unicamp, 1988) em Engenharia Mecânica e pósdoutor pelo Laboratorium Soete Voor Weerstand Van Matterialen (Lastechniek, Bélgica, 1989). Orientou 12 doutorados, 29 mestrados e 30 iniciações científicas. É citado em 174 artigos.

(Taiúva - SP, 24/02/1954) Professor titular da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV), Jaboticabal, desde 1997, é próreitor de Administração desde 2005. É engenheiro agrônomo (Faculdade de Medicina Veterinária e Agronomia de Jaboticabal, 1975), mestre em Produção Vegetal (Unesp, 1978) e doutor em Solos e Nutrição de Plantas (USP, 1983). Foi diretor da FCAV (1995-1999), coordenador de Ciências Agrárias da Fapesp (1989-1994), presidente da Sociedade Brasileira da Ciência de Plantas Daninhas (2003-2005) e vice-presidente da Asociación Latinoamericana de Malezas. Orientou 12 doutorados, 8 mestrados e 42 iniciações científicas.

página oficial de nossa Chapa (http://unesp.br/eleicoes2008/hermandurigan), e algumas das diversas ações nele previstas estão apresentadas a seguir: Graduação • Consolidar a recomposição do corpo técnico-administrativo e docente. • Valorizar o RDIDP como regime de trabalho preferencial e continuar os estudos para implantar novo plano de carreira docente. • Aprofundar os estudos do subquadro docente para equilibrar e antever contratações necessárias e manter a qualidade dos cursos. • Valorizar e revitalizar a docência com a implantação do Núcleo de Estudos e Práticas Pedagógicas. • Intensificar as ações de capacitação dos professores das licenciaturas. • Incentivar a articulação entre os cursos, de modo a propiciar o desenvolvimento de projetos pedagógicos institucionais de formação geral do cidadão e do profissional. • Fortalecer e ampliar o programa de melhoria da infra-estrutura dos cursos (dos câmpus consolidados e experimentais). • Consolidar os Conselhos de Curso como instância fundamental na organização didático-pedagógica dos cursos. • Apoiar e fortalecer as atividades dos Núcleos de Ensino e as ações deles re-

sultantes. Pós-graduação • Dar continuidade à política de incentivo para titulação de docentes que ainda não são doutores. • Buscar a transdisciplinaridade pela ampliação das condições de maior integração entre programas de pósgraduação. • Reforçar o papel do orientador na avaliação de atividades a serem realizadas pelos pós-graduandos. • Proporcionar condições de infra-estrutura para a integração territorial dos câmpus e dos programas de pós-graduação. • Estimular o credenciamento de todos os docentes com titulação mínima de doutor e boa produtividade em programas stricto sensu. • Apoiar a participação dos docentes em congressos, ampliar o auxílio à versão de artigos e o financiamento da publicação em revistas internacionais indexadas. • Estimular a publicação de artigos oriundos das teses e dissertações em revistas indexadas. • Criar a Rede Unesp de Pós-Graduação para congregar seus programas e propiciar cooperações que permitam melhorar ainda mais sua avaliação junto à Capes. • Aprimorar as condições de infra-estrutura técnica e

de pessoal para tornar mais ágil o preenchimento do Coleta Capes. • Criar uma rede de laboratórios com equipamentos multiusuários. Pesquisa • Aprimorar o programa de internacionalização da pesquisa. • Atualizar o acervo bibliográfico e histórico, garantir a regularidade de periódicos e incentivar o uso da VPN (Virtual Private Network), sobretudo para a área de Humanidades. • Ampliar a abrangência do programa de apoio às revistas científicas da Unesp por meio das seguintes ações: a) dotar o Conselho Editorial de Periódicos Científicos (CEPC/Unesp) da competência de análise prévia de novas revistas a serem criadas; b) aumentar recursos destinados ao programa; c) criar portal de revistas mais amplo do que o atual, com todos os títulos em formato eletrônico; e d) estabelecer condições para generalizar o uso do Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (Seer) entre os editores. • Aumentar a quota de contrapartida da Unesp nos programas institucionais de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic), de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (Pibit) e Pibic Júnior. • Fortalecer o Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT) e estimular a identificação de conhecimento desenvolvido passível de proteção. Extensão • Dar continuidade aos programas de permanência estudantil de bolsas, reformas e expansões de moradias e de restaurantes universitários. • Formalizar, nas estruturas curriculares, as atividades de extensão na formação dos estudantes e na prática docente. • Aprimorar as atuais condições de trabalho dos cursos pré-vestibulares com o incentivo e a valorização da participação de alunos, docentes e voluntários. • Ampliar o apoio a projetos permanentes de divulgação científica e estimular parcerias com prefeituras e fundações para criar mais centros de ciência. • Incentivar a criação e a interligação física e virtual de centros de ciências, de documentação e museus.

• Continuar o apoio a apresentações de orquestra acadêmica e de outras atividades culturais. • Fortalecer a atuação e a propositura de projetos que envolvam afro-descendentes (Nupe), a Terceira Idade (Unati), crianças e outros segmentos de menor inclusão. • Motivar os servidores técnico-administrativos a participarem dos projetos de extensão. • Incentivar docentes e alunos a propor e realizar novos projetos de extensão. Administração • Consolidar e dinamizar os planos: de cargos, salários e carreira dos servidores técnico-administrativos; de Acompanhamento do Desenvolvimento Profissional (ADP); Geral de Saúde e Segurança do Trabalhador (PGSST); Mais Unesp Saúde; e dos Centros de Convivência Infantil (CCIs). • Manter e aperfeiçoar os programas: de Reposição de Funções Técnico-Administrativas e de Docentes; de Desenvolvimento de Novos Sistemas para a Informatização; Permanente de Treinamento dos Servidores Técnico-Administrativos; de Gerenciamento de Resíduos (PGR); de incentivo à compra de equipamentos de informática para os membros da comunidade unespiana; de Descentralização Administrativa dos Câmpus Experimentais; de Racionalização de Custos; de Utilização Racional de Energia (URE) e de água; e de Retomada do Pagamento dos Precatórios. • Propor aos órgãos colegiados os programas: de revisão bianual dos parâmetros estabelecidos para o subquadro das funções técnico-administrativas; de Responsabilidade Ambiental e Social; de aquisição de equipamentos destinados ao ensino e à pesquisa (como o recente programa de aquisição de microscópios); de Administração Solidária; de Planejamento Global para a Unesp; e de Descentralização Administrativa e Orçamentária para as unidades universitárias. *O resumo de plano de gestão foi enviado pela própria chapa à Assessoria de Comunicação e Imprensa da Unesp e publicada conforme as normas da Comissão Eleitoral e publicado também no encarte da edição de setembro do Jornal da Unesp.


8

Setembro 2008

FMB desenvolve aplicativo para assistência em UTI

Aplicativo mostrou resultados na agilização de procedimentos

Um software desenvolvido pela Faculdade de Medicina de Botucatu deve favorecer o gerenciamento da assistência em Unidades de Terapia Intensiva em hospitais, maximizando o atendimento dos profissionais de enfermagem, além de oferecer simultaneamente indicadores da qualidade do serviço prestado. A concepção do aplicativo teve como base, um estudo desenvolvido pela supervisora técnica das UTI's adulto, pediátrica e coronariana do Hospital das Clíni-

cas/FMB, Meire Cristina Novelli e Castro. O aplicativo foi o tema de dissertação de mestrado da referida enfermeira, orientada pela profª Magda Cristina Queiroz Dell´Acqua, e teve o auxílio do Núcleo de Ensino à Distância e Tecnologia da Informação em Saúde (NEAD.TIS). Foram utilizados os conteúdos do Nursing Activies Score (NAS), instrumento voltado à avaliação da carga de trabalho de enfermagem nas unidades de terapia intensiva. Este modelo

de gerenciamento é usado em unidades de terapia intensiva na Europa e tem sido estudado no Brasil desde 2002. Apenas alguns estabelecimentos de saúde utilizam-se da ferramenta NAS, em sua maioria, hospitais de São Paulo. Conforme salienta a pesquisadora, o aplicativo proporcionou uma ferramenta que, unida a um banco de dados, favorece o enfermeiro no acompanhamento do tratamento do paciente, otimizando a logística da assistência em enfermagem. "A construção do aplicativo possibilitou o emprego diário de uma ferramenta tecnológica, com alimentação de um banco de dados sobre as características dos cuidados necessários a serem dispensados aos pacientes. Conhecendo a evolução destas variáveis durante a internação, o enfermeiro poderá intervir, planejar e avaliar a qualidade do cuidado", explica a enfermeira Meire. O software passou por

um teste piloto para possíveis correções. Foram analisados 12 pacientes internados na UTI adulto do Hospital das Clínicas/FMB/ Unesp. Na seqüência, o aplicativo foi usado durante 90 dias, nos quais 123 pacientes tiveram sua evolução monitorada. Atualmente o programa, que é hospedado no servidor da FMB, está incorporado à rotina administrativa da seção. Através dele, profissionais de enfermagem podem coletar os dados diários dos pacientes internados na UTI adulto. As informações obtidas em prontuários são transmitidas com o auxílio de um PDA (Personal Digital Assistent), o popular 'palm' e de uma rede sem fio (wirelles) para o banco de dados do aplicativo. Toda a análise é facilitada pela interface gráfica simples e funcional. Além disso, o sofware permite a criação de gráficos para avaliação do histórico do paciente e que permitem suporte à tomada de decisão na lo-

gística da assistência. "O desenvolvimento deste aplicativo oferece informações necessárias para o gerenciamento da equipe de enfermagem, bem como informações relevantes para o processo de trabalho, com o objetivo de individualizar a assistência e melhorar a qualidade do atendimento aos pacientes críticos", declara. "Se um paciente atendido há um ano pela UTI voltar a utilizar este serviço, teremos todos os dados armazenados referentes à estada anterior, com o conhecimento de toda a evolução da assistência que foi prestada", complementa Meire. A supervisora técnica acrescenta ainda que as enfermeiras integrantes da UTI adulto do HC passarão até o final do ano por treinamento quanto à utilização e análise dos dados obtidos com o aplicativo. O intuito, segundo Meire, é disponibilizar em breve o software para outras unidades de terapia intensiva. (FF)

Estudo pretende analisar a qualidade de vida do médico Os aspectos e cenários que influenciam a qualidade de vida do médico serão temas do estudo “Psicodinâmica e qualidade de vida do médico em Botucatu”, que será realizado nos próximos dois anos pelo psiquiatra e psicanalista Benedito Miranda, em sua tese de mestrado pela Universidade de São Paulo e apoiada pela Faculdade de Medicina de Botucatu e regional da Associa-

ção Paulista de Medicina. O objetivo é analisar a qualidade de vida, condições de trabalho e as relações com a sociedade do profissional da saúde. Devem ser observados pelo estudo, mais de 740 médicos do município, divididos em quatro grupos. Entre eles estão profissionais do Hospital das Clínicas e docentes da FMB, médicos do Hospital Cantídio de Moura Cam-

pos, clínicos conveniados da Unimed e outros estabelecimentos de saúde que atendem pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Miranda declara que a necessidade de se realizar este levantamento se deve às atuais condições de trabalho que se submetem os médicos. De acordo com ele, muitos chegam a realizar 60 horas semanais de trabalho. “Percebemos a sobrecarga da

HEB promove 1ª reunião de ortopedia e traumatologia No dia 22 de agosto, o Hospital Estadual Bauru “Arnaldo Prado Curvêllo” recebeu médicos ortopedistas e fisioterapeutas de Bauru e região para sua “I Reunião de Ortopedia e Traumatologia”. Especialistas da instituição trazem abordagens científicas e estudos sobre casos relacionados à área. O evento, teve como objetivo ampliar as discussões e estudos acerca de casos específicos e traz uma programação dividida em temas como “Espondilolistese” (escorregamento de vértebra), relacionado à coluna, “Síndrome do impacto” no ombro, “Infecção em prótese total” de quadril, “Avaliação clínica e radiológica de tumores ósseos” na área de oncologia, “Avaliação da lesão do ligamento cruzado posterior com fragmento ósseo”, relaci-

Organizadores do evento que abordou casos específicos

onado ao joelho, “Geno-valgo” (projeção dos joelhos para dentro da linha média do corpo) na ortopedia infantil, “Epidemiologia das fraturas do 1/3 proximal do fêmur em idosos” e “Luxação peri-semilunar do carpo”, relacionado à mão. A realização da “1ª Reu-

nião de Ortopedia e Traumatologia do HEB” foi da equipe de Ortopedia do Hospital Estadual Bauru e do Departamento de Cirurgia e Ortopedia da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp.O evento teve a coordenação do prof. Gilberto José Cação Pereira. (ACI/HEB)

jornada de trabalho, além da baixa remuneração. Além disso, muitos médicos passam a apresentar problemas de saúde devido à baixa qualidade de vida e isso prejudica inclusive seus relacionamentos familiar e social”, explica o psiquiatra. O estudo deverá centrar-se em duas fases principais. A primeira, com início em outubro, consistirá em entrevista dos profissionais através de questionários. Nos formulários estarão perguntas que abordarão desde o cotidiano do médico a sua vida pessoal. As questões são divididas em três protocolos padronizados internacionalmente pela Organização Mundial de Saúde, conforme ressalta Miranda. Na segunda fase, que deve ocorrer somente no próximo ano, os dados levantados serão processados e com isso deverá ser feita uma análise estatística sobre a situação dos médicos no município deverá ser feita. Através dos resultados obtidos há a possibilidade da criação de programas de melhoria da qualidade de vida do médico. “Através destas informações poderemos relacionar a qualidade de vida do médico com a psicodinâmica do mesmo, ou seja, a capacidade do profissional em lidar com o estresse e seu relacionamento social”, explica Miranda. Conforme ressalta o pesquisador, dois aspectos serão frisa-

Dr. Miranda: estudos visam qualidade de vida do médico

dos nas entrevistas. Um ponto será específico na pessoa e a outra na organização o qual o médico está inserido. “Há dois níveis de foco no estudo: individual e o institucional. Cada médico, ao observar a realidade sobre sua qualidade de vida terá um espelho reflexivo. Já na parte institucional podemos observar que haverá dois segmentos. Um deles é a movimentação da classe médica na obtenção de melhorias trabalhistas e outro ponto a ser destacado refere-se à formação dos estudantes de medicina”, enfatiza. A pesquisa já recebeu aval dos Conselhos de Ética em Pesquisa da FMB e da Faculdade de Medicina da USP.(FF)


9

Setembro 2008

II Encontro Nacional de Pós-Graduação visa integração entre os programas de pós

Profa. Denise Fechio ressalta oportunidade de integração

O II Encontro Nacional de Pós-Graduação na Área de Saúde, que acontece entre os dias 25 a 27, deve abranger temas como critérios de avaliação dos Capes, áreas de pesquisa em saúde, estratégias e novas propostas de pós-graduação deverão dar a tônica aos temas a

serem abordados no de setembro, no Hotel Fonte Colina Verde, em São Pedro. A organização é da Universidade Estadual Paulista-Unesp, através da Faculdade de Medicina de Botucatu. O encontro pretende estimular a integração entre os programas de pós-graduação nas várias áreas das ciências da saúde e também promover a integração dos coordenadores de área da Capes com os respectivos coordenadores de programa. Outro aspecto será a participação de representante do corpo discente do Conselho dos Programas de Pós-Graduação. “A realização do encontro proporciona um contato mais próximo com os coordenadores de cada área e estreitamento das relações com outros programas de pós-graduação. Isso acarreta a possibilidade de cooperação entre as instituições”, explica a profes-

sora Denise Fecchio, da comissão organizadora. O evento deve reunir representantes das nove maiores instituições de ensino superior do país; entre as quais USP, Unicamp, Unesp, Universidades Federais de São Paulo, Minas Gerais, Pernambuco, do Rio de Janeiro e da Bahia. O encontro receberá o presidente da Financiadora de Estudos e Projetos- Finep (empresa vinculada ao Ministério da Ciência e Tecnologia), Dr. Luís Manoel Rebelo Fernandes. As inscrições devem ser feitas exclusivamente pelo site www.eventus.com.br e as taxas variam de acordo com a categoria e data. Os valores variam de R$ 170 (discentes) e R$ 500 (professores e funcionários). Informações e programação completa do evento podem ser obtidas através do site www.iipgsaude. fmb. unesp.br.

Atualização em nutrição é tema de curso na FMB O Serviço Técnico de Nutrição e DietéticaSTND do Hospital das Clínicas/FMB promoverá no dia 27 de setembro o Curso de Atualizações em Nutrição Clínica Pediátrica e Adulto. O evento será realizado no salão nobre da faculdade e destinado a estudantes e profissionais da saúde e seu objetivo será de fornecer atualização para os envolvidos no atendimento nutricional ao paciente. Pela programação do curso, o período da manhã será dedicado a assuntos pertinentes à saúde e nutrição da criança e adolescentes. Já à tarde, o enfoque será

patologias provocadas pela má-alimentação, além de terapias nutricionais. As palestras serão proferidas por professores da própria Faculdade de Medicina, além de convidados da Universidade Federal de São Paulo e da Universidade do Estado de Minas Gerais. Informações e inscrições para o curso podem ser obtidas através do telefone (14) 3811-6237 ou pelo site www.fmb. unesp.br. Para estudantes será cobrada a taxa de R$ 30 para a participação no curso, sendo que para profissionais da saúde o valor será de R$ 60. (FF)

Fotografia digital auxilia na avaliação microscópica da pele A tecnologia integra-se de forma acelerada à pesquisa e proporciona melhorias nas técnicas e procedimentos na área de saúde. Diagnósticos, cirurgias e terapias foram modificadas e aperfeiçoadas com o desenvolvimento dos meios tecnológicos. No entanto, tanto avanço representa em um primeiro momento o encarecimento de alguns tipos de diagnósticos e tratamentos. Mas, alguns estudos mostram que o emprego de equipamentos comerciais tem favorecido o processo de análise em algumas situações. Um desses avanços mostra a utilização da fo-

tografia digital na avaliação da topografia microscópica da pele. A tese, apresentada no dia 1º, é de autoria de Larissa Marília Chambô Corbaro e enfoca nova concepção no método de emprego de uma máquina fotográfica comercial para a avaliação quantitativa e obtenção de resultados expressivos nas análises dermatológicas. O trabalho teve a orientação do professor Hélio Amante Miot. Conforme ressalta a autora, o objetivo principal foi desenvolver e validar um sistema fotográfico digital de microscopia de superfície válido e confiável. “A superfície cutânea é formada por microestruturas po-

ligonais que permitem estimar sua textura e hidratação. A avaliação quantitativa dessa topografia proporciona estimativa da organização e função de estruturas cutâneas, permitindo análise de respostas terapêuticas e intervenções”, declara Larissa. Para a estruturação do estudo, foi analisada uma área de 0,25 cm² de pele dos antebraços de 47 mulheres atendidas pelo ambulatório de dermatologia do Hospital das Clínicas/ FMB. Todas as voluntárias apresentavam fototipos de pele II e IV. Todas as imagens foram coletadas de modo padronizado e foi utilizada uma câmera Nikkon

Atualização em Pesquisa Clínica chega à fase final Com avaliação positiva de seus organizaores, chega a seu término o 1 Curso de Atualização em Pesquisa Clínica, promovido pela Faculdade de Medicina de Botucatu. As três últimas palestras acontecerão no salão nobre da FMB. No dia 23, duas palestras darão o tom ao curso. A primeira envolve o uso das Tecnologias da Informação na Pesquisa Clínica e será proferida pelos professores Denise

Zornoff e Marcos José Sierra. Na sequência, o prof. Hélio Rubens de Carvalho Nunes abordará conceitos estatísticos para a PC. O curso voltará a ser realizado no dia 7 com a qualidade total e laboratórios de pesquisa sendo o tema central das discussões. Os responsáveis pela palestra serão Fátima Aparecida Amâncio e profa. Adriana Polachini do Vale. O último dia de curso será

realizado em 21 de outubro com a profa. Marilza Vieira Rudge que irá abordar a utilização dos recursos financeiros para a Pesquisa Clínica. O curso foi elaborado para atingir pesquisadores e demais profissionais ligados à pesquisa clínica, com tópicos importantes e polêmicos, que certamente servirão de semente para um processo de capacitação continuada neste tema. (FF)

Sistema desenvolvido observou diferenças no relevo cutâneo

modelo D70, empregando objetiva macro e lente polarizada circular acoplados a um dermatoscópio sem a lâmina de contato com a pele. Ainda conforme a análise, a pós-graduanda verificou a influência da luminosidade natural e artificial do local, melhor canal de cor e validação da técnica a partir do uso de substância hidratante, avaliação da topografia microscópica da pele em relação à faixa etária e em relação à xerose cutânea sintomática (coceira e alteração da pele), com tratamento imediato. Conforme ressalta a autora do estudo, não foram encontradas interferências da iluminação externa nas

leituras de luminâncias média e na repetição nas medidas de dispersão dos pixels. Ela ainda frisa que o modo de escala de coloração fotográfica que melhor se adaptou às necessidades foi o Gray. Além disso, o sistema ainda detectou diferenças significativas entre o relevo dos antebraços antes e após a aplicação de substância hidratante em pacientes com ou sem xerose sistomática. “O desenvolvimento de um método de baixo custo, tecnicamente simples, objetivo e de adequada reprodutibilidade pode contribuir na difusão da pesquisa dermatológica de qualidade”, conclui Larissa. (FF)


10

Setembro 2008

Acadêmicos passam por integração multidisciplinar

Alunos tiveram oportunidade de conhecer aspectos do curso

Os acadêmicos do segundo ano da graduação em medicina da FMB passaram por uma série de atividades, entre os dias 18 a 22 de agosto, com o objetivo de integrar o conhecimento e as disciplinas do curso, durante a realização do “Módulo Temático: Integração Básico-Aplicado”. O módulo é realizado semestralmente e cerca de 80 alunos participaram de atividades que visaram o aprimoramento do tema proposto. Nesta edição, o

assunto foi obesidade e os alunos tiveram a oportunidade em conhecer os fatores que levam a esta doença e suas complicações. No primeiro dia de atividades, os acadêmicos puderam aprofundar os conhecimentos sobre a obesidade em uma palestra proferida pelo professor Luis Carlos Giarola. Pesquisas sobre o assunto foram realizadas no período da tarde, nos laboratórios de informática da faculdade. Já no dia 19, os alunos foram divididos em grupos,

Tecnologias em saúde foi tema de curso na FMB A Faculdade de Medicina de Botucatu, em parceria com o Hospital das Clínicas realizou no dia 28, a primeira etapa do Curso de Tecnovigilância e uso de Tecnologias em Saúde. O evento ocorre na Casa do Servidor e tem a co-organização da Gerência de Risco do Projeto Hospitais Sentinelas, Educação Permanente da Divisão de Enfermagem do HC/FMB e do Grupo Técnico de Desenvolvimento de Recursos Humanos (GTDRH). Voltado a profissionais da saúde, o curso, que será realizado durante o mês de setembro, abrangerá aspectos do desenvolvimento tecnológico e suas implicações nas rotinas de saúde, a qualidade técnica e padronização de materiais médico-hospitalares dentro do HC/FMB. A expectativa da organização é de reunir mais

Profa. Silvana Molina abordou a qualidade de materiais

Supervisor do HC, Dr. Rugolo expôs características do hospital na abertura do evento que reuniu mais de 100 participantes

de 100 participantes. A abertura, realizada no dia 28, contou com uma explanação inicial do supervisor do Hospital das Clínicas, Dr. Antônio Rugolo Júnior. Na seqüência, os aspectos da qualidade dos materiais utilizados no HC e sua padronização foram abordados pela professora Silvana Andréa Molina Lima, gerente de risco do Pro-

jeto Hospitais Sentinelas e presidente da comissão de avaliação da qualidade técnica da instituição. Na seqüência, o engenheiro Manoel Álvaro Guimarães, gerente do Centro Tecnológico e Engenharia Clínica do HC/ FMB (CETEC) fará uma apresentação da seção, além de abordar temas como fluxograma, prioridades, dificulda-

Campanha estimula segurança no trânsito A mistura de álcool e trânsito pode ser considerada perigosa. Estatísticas apontam que boa parte dos acidentes ocorridos no Brasil nos últimos anos, teve a ingestão de bebida alcoólica como um dos fatores determinantes. Com intuito de reduzir esta realidade e conscientizar motoristas e a população em geral, acontece até o dia 25, em Botucatu, a “Semana da Segurança no Trânsito: direção sem álcool”. A realização da semana de alerta foi do Conselho de Segurança de Botucatu (Conseg), em parceria com entidades como o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), Polícia Militar, Sabesp e a Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp.

Durante a campanha foram afixados outdoors em diversos pontos de Botucatu, além de mais de 50 mil panfletos informativos. O intuito, conforme frisam os organizadores da semana, é de direcionar a entrega, sendo que mais da metade deste material impresso virá com a conta de água. Palestras e exibição de vídeos educativos também estão na programação da semana de conscientização. “A idéia é fazer estas atividades educativas e dar manutenção neste trabalho informativo ao decorrer do ano”, declara Clóvis de Almeida Martins, presidente do Conseg. Conforme explica a profª Florence Keer Corrêa, do Departamento de Neurologia e Psiquiatria da Faculdade de

Medicina de Botucatu e uma das organizadoras da campanha, o álcool ainda é considerado como um dos principais problemas de saúde pública no país. “O álcool é um fator que contribui para as causas de acidentes e se torna um problema de saúde pública. Quando se fala em tratamento, na verdade é uma série de fatores que têm de ser trabalhados”, ressalta a docente. Na Faculdade de Medicina de Botucatu, a semana teve o apoio dos alunos integrantes da Liga de Saúde Mental, que auxiliarão na distribuição do material informativo aos servidores do campus da Unesp em Rubião Júnior. (FF)

des e programa de manutenção (preventiva e corretiva) que caracteriza as atribuições do CETEC. O curso teve continuidade no dia 4, com a palestra “Gerenciamento de Resíduos”, que será proferida pela professora Maria José Trevizani Nistche. Já no dia 11, as tecnologias de informação em saúde foram os tópicos do evento. Todo o programa de gerenciamento de equipamentos e a apresentação dos sistemas informatizados, serão mostrados em palestra de Leandro Pessoa e Rivania Castilho, do TIS (Tecnologia de Informações da Saúde). As tecnologias da informação no ensino à distância devem ser abordadas pelos integrantes do Núcleo de Educação à Distância (NEAD), Renato Antunes Ribeiro e professora Denise Zornoff. Finalizando o curso, a enfermeira Andréa Gomes Zamberlan, diretora da Divisão Técnica de Enfermagem do Hospital das Clínicas expôs aspectos e funcionalidade da Central de Equipamentos do HC. (FF)

sendo que um deles participou de um estudo de habilidades com a mostra de peças anatômicas e a realização de exercícios como cálculos de calorias e de medidas do Índice de Massa Corpórea (IMC). As atividades foram realizadas no Anfiteatro da Patologia. Paralelo a essa programação, o outro grupo esteve em contato com algumas unidades básicas de saúde onde conheceram o funcionamento das mesmas. Este sistema de divisão de grupos de alunos aconteceu também nos demais dias do módulo. O primeiro contato entre os futuros médicos com os pacientes também foi priorizado com a realização de dinâmica onde os alunos puderam analisar as características dos mesmos como hábitos alimentares e modo de vida através de entrevistas. Além disso, tiveram conscientização dos perigos provocados pela obesidade. Conforme salienta a professora Rosa Marlene Viero, do Departamento de Patologia e coordenadora do módulo, a semana priorizou a integração das disciplinas do conteúdo atual consideradas básicas (anatomia, patologia, fisiologia, entre outras); com as próximas matérias a serem abordadas no decorrer do curso de medicina, tendo características mais práticas. “Estas atividades visaram fazer conexão entre o aprendizado atual e qual será a realidade deles no decorrer do curso. Passamos uma visão multidisciplinar do ensino que eles terão nos próximos anos”, enfatiza a coordenadora do módulo. De acordo com ela, a escolha dos temas se deve a relevância de impacto com relação à saúde pública. “A obesidade acabou sendo escolhida por constatarmos o aumento do número de casos e há a estimativa de que 200 mil pessoas venham a falecer na América Latina anualmente em decorrência de suas c o m p l i c a ç õ e s ”, f i n a l i z a profª Rosa. (FF)

Envie suas sugestões e críticas para aci@fmb.unesp.br


11

Setembro 2008

Combate ao câncer de mama é foco de parceria entre FMB/Unesp e Instituto Avon FOTO DIVULGAÇÃO INSTITUTO AVON

O Hospital das Clínicas/FMB/ Unesp, através do departamento de radiologia, formalizou em sessão solene no dia 4, a instituição do projeto “Semente do Amanhã: conhecer para se Proteger”, que visa a realização de mamografia anual para mulheres acima de 40 anos em cinco cidades da região e que não possuem estrutura adequada para este tipo de exame. O evento teve a presença de prefeitos dos municípios contemplados com o projeto e de Lírio Cipriani, representante do Instituto Avon. O projeto é coordenado pelo professor José Morceli e conta com o apoio do Hospital das Clínicas e da Faculdade de Medicina de Botucatu, Famesp, Centro de Avaliação Mastológica do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da FMB, BOTUCAM- Botucatu contra o Câncer de Mama e das prefeituras das cidades atendidas. Foi entregue na oportunidade um cheque simbólico que financiará a aquisição de três equipamentos para a realização das ações previstas no projeto. Ao todo, o projeto deve ter investimento total de R$ 277.295, sendo que o Instituto Avon, através da Famesp, destinará R$ 115.178. À Faculdade de Medicina coube a contrapartida de R$ 162.117 e serão adquiridos: um aparelho computadorizado de biópsia de microcalcificações da mama, biópsia a vácuo para retirada de fragmentos maiores de abscessos em caso de câncer de mama e um scanner para a digitalização de radiografias, o que facilitará a identificação dos

Representantes do HC e da FMB, além dos cinco municípios contemplados durante a solenidade de oficialização do projeto

tumores com a melhoria das imagens obtidas. A expectativa é de que os equipamentos sejam entregues nos próximos meses. Ao todo, cinco cidades que não possuem mamógrafo serão beneficiadas: Anhembi, Conchas, Pardinho, Bofete e Pereiras. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) estima que mais de 6700 mulheres acima dos 40 anos vivam nas regiões contempladas pelo projeto. Serão realizadas 30 mamografias ao dia durante o período de 12 meses para atender à de-

manda estimada pelo projeto, que tem a expectativa de ser estendido para outros municípios da DRS-6 futuramente. O convênio proporcionará às mulheres acima dos 40 anos diagnosticar com maior precisão e de forma precoce a patologia. Com isso, o tratamento é realizado de maneira eficaz. Os casos mais complexos serão agendados para acompanhamento no HC/FMB/Unesp que oferecerá procedimento cirúrgico caso seja necessário. “Quando a mulher realiza o exame anual, consegue reduzir a

Professores Sérgio Muller e José Morceli recebem o cheque simbólico de Lírio Cipriani, do Instituto Avon

mortalidade em caso da doença em 45%”, explica prof. Morceli. Conforme ressalta o coordenador do projeto, as mulheres diagnosticadas também receberão acompanhamento psicosocial fornecido pela BOTUCAM. Além disso, serão realizadas ações de capacitação de voluntários para auxiliarem nos trabalhos nas cidades atendidas. “Atualmente o Sistema Único de Saúde é obrigado a oferecer nos hospitais públicos o exame de mamografia. O projeto foi estruturado antes desta obrigatoriedade e escolhe-

mos as cinco cidades da região por não haver a aparelhagem necessária para este diagnóstico”, ressalta Morceli. Lírio Cipriani, diretor executivo do Instituto Avon, frisou que todos os projetos contemplados pela entidade, visam desde informar quanto apoiar iniciativas que atendam às necessidades da saúde da mulher. “O objetivo é que toda a sociedade colabore para que os casos de câncer de mama sejam descobertos no início e as chances de cura aumentem cada vez mais”, completa. (FF)

Sobre o Instituto Avon- O Instituto Avon é conseqüência natural das ações sociais promovidas pela Avon Cosméticos. Desde 1994 realiza investimentos sociais pela população feminina do país. Diante da importância desse tipo de ação dentro da empresa, o Instituto foi criado, em 2003, como uma organização não-governamental empenhada em direcionar os recursos que a Avon disponibiliza para as causas da mulher. Desde seu surgimento, o Instituto tem apoiado 66 projetos em diversas partes do país com um investimento de cerca de 14 milhões de reais. Além disso, instrumentalizou espaços que prestam atendimento à mulher interessada em realizar exames preventivos ou tratar o câncer de mama. Nesse sentido, doou mamógrafos, entre outros equipamentos como ultrasom, para vários municípios brasileiros.

HC modifica sistema de agendamento para coleta de exames

Maria Sartori: modificação deve quantificar os exames

O serviço de coleta ambulatorial realizado pelo Hospital das Clínicas/ FMB realiza, desde o dia 1º, atendimento através de agendamento prévio. A mudança pretende agilizar e humanizar os exames efetuados diariamente pelo serviço.

Através de um projeto piloto, realizado entre junho a agosto, a Sala de Coleta Ambulatorial desenvolveu um sistema de aprimoramento em seu atendimento. Entre as modificações estava o agendamento de coleta. O objetivo foi

humanizar o atendimento através da quantificação os exames diários. “Enfrentamos dias em que havia excesso de pacientes e muitas vezes não tínhamos como acomodar todos de forma adequada. Além disso, por causa dessa instabilidade, alguns de nossos usuários tinham atraso na coleta”, declara a chefe substituta da Sala de Coleta Ambulatorial, Maria Salete Sartori. Ela explica que com o novo sistema o paciente, após passar pela consulta ambulatorial e necessitar de coleta de materiais biológicos (sangue, urina ou fezes), deverá dirigir-se pessoalmente ou por representante à Sala de Coleta Ambulatorial instalada no HC. A pessoa deverá levar a carteira de

registro do HC com a consulta médica marcada e a requisição com etiqueta padrão do hospital. Não haverá marcação de exames via telefone. O horário para o agendamento está dividido conforme o grau da necessidade do exame. Das 10 horas às 15h30, os procedimentos serão marcados na sala de coleta ambulatorial. Das 16 horas às 17h30, a inscrição ocorrerá na seção de análises de laboratório clínico. Neste caso terão preferência pacientes que saem de consultas médicas tardias. Conforme ressalta Maria Salete, o sistema tem apresentado resultados significativos que apontam melhora na qualidade de atendimento aos usuários do HC. Segundo ela, com a padronização de um limite diá-

rio de 300 exames/ dia, além dos casos emergenciais, o serviço tem buscado melhorias na agilidade no serviço, principalmente na redução de filas de espera. “A quantidade não deixou de ser atendida; ocorreu apenas uma adequação do processo e isto tem apresentado resultados satisfatórios. Não há mais instabilidade no número de exames realizados”, comenta. A Sala de Coleta Ambulatorial do HC/FMB atendeu, de janeiro a agosto deste ano, mais de 58 mil pacientes para os mais diversos exames clínicos. Informações sobre a coleta ambulatorial do Hospital das Clínicas/FMB podem ser obtidas através do telefone (14) 3811- 6304. (FF)


Setembro 2008

FMB e FATEC Botucatu estruturam curso de radiologia

Diretor da FATEC, Roberto Colenci, profa. Vivian Gambarato, prof. Ângelo Cortelazzo e professor José Morceli debateram implantação do curso

Parceria entre a Faculdade de Medicina/Unesp e a FATEC Botucatu deve garantir a instalação do curso em nível superior de tecnologia em radiologia e diagnóstico por imagem na área da saúde. A nova graduação deve ser implantada ainda este ano com o início das aulas estimado para o primeiro semestre de 2009.

Pela proposta, o curso terá duração de três anos e oferecerá semestralmente 40 vagas para a obtenção do título de tecnólogo em radiologia. Será pioneiro na região a ser oferecido pelas duas instituições públicas de ensino superior. A oficialização do curso depende ainda da definição de alguns detalhes burocrá-

Biblioteca do Câmpus recebe exposição de projeto da Fundação Casa A Biblioteca do Câmpus, que atende às Faculdades de Medicina, Veterinária e Zootecnia e Instituto de Biociências, em Rubião Júnior, recebe em setembro uma mostra de quadros feitos por internos assistidos pelo Centro de Atendimento Sócio-Educativo ao Adolescente (Fundação CASA). A exposição foi uma das atividades do “Projeto Recomeçar Pintando”, vinculado à Pastoral do Menor da Arquidiocese Metropolitana de Botucatu. Ao todo são 10 quadros que mostram a recuperação através da cultura e a sensibilidade artística dos internos. Os quadros ilustram desde paisagens a ilustrações sacras. O projeto, realizado de forma voluntária por Rosa Bardella e Ivanira Ap. Tardivo do

Amaral, responsáveis pela exposição, consiste na iniciação artística dos adolescentes assistidos pela instituição. As aulas acontecem todos os sábados há pelo menos um ano. Rosa explica que o projeto tem obtido, além do desenvolvimento criativo do interno, resultados na ressocialização do interno e proximidade com a família. Os resultados já foram divulgados em duas exposições realizadas em Botucatu. “Eles (os internos) têm mostrado toda a sua criatividade e isso tem dado outra perspectiva na recuperação dos mesmos. Também notamos que este trabalho tem aproximado a relação familiar que já estava abalada em muitos casos por causa da internação”, declara. (FF)

Telas foram observadas por alunos e docentes do câmpus

Após reunião, representantes da FATEC conheceram as instalações da radiologia do HC onde os alunos devem ter aulas práticas, além do estágio

ticos pelas duas faculdades, mas a grade curricular está definida e será dividida na parte teórica com aulas na FATEC Botucatu, no Jardim Aeroporto e todas as disciplinas práticas, além da realização de estágios serão efetuadas na FMB e Hospital das Clínicas. No dia 1º, representantes da FATEC Botucatu e Centro Paula Souza (mantenedora das faculdades de tecnologia no Estado) reuniramse com o diretor da FMB, Sérgio Müller e pelo professor do Departamento de Radiologia, José Morcelli. Também esteve presente à reunião o assessor-chefe da coordenadoria do CEETEPS, prof. Ângelo Luiz Cortelazzo. Durante as conversas foram abordados pontos que ainda impedem o anúncio oficial da implantação do curso e as possibilidades proporcionadas pela parceria. Novas

conversações devem ser feitas até o final deste mês. A intenção das duas instituições é oferecer o curso a partir do próximo ano. Além da reunião com a direção da FMB, representantes do Centro Paula Souza conheceram as instalações do Hospital das Clínicas onde os futuros tecnólogos terão aulas práticas e a realização de estágios. Segundo explica professor prof. Morceli, há uma crescente na demanda por este tipo de profissional, já que a medicina, frisa ele, está interligada com a tecnologia. “Quando se iniciaram as negociações para criar este curso, só existiam dois no país e ainda sentimos escassez na formação de profissionais da área”, explica. Para o diretor da Faculdade de Medicina de Botucatu, prof. Sérgio Muller, a

estruturação deste novo curso pode se tornar o embrião de futuras parcerias entre as duas instituições de ensino superior. “Na área da saúde e dependendo dos resultados obtidos na formação destes profissionais, temos a possibilidade de estreitar ainda mais esta parceria”, declara. Já Roberto Colenci, diretor da FATEC Botucatu, a preocupação nestes meses de negociações é definir atribuição de cada faculdade na busca da integração que permita oferecer qualidade nas disciplinas. “Procuramos nestas conversas buscar um denominador para que possamos oferecer um curso com consistência, qualidade e que atenda à expectativa dos alunos. Hoje o diagnóstico por imagem se tornou uma necessidade do mercado”, ressalta Colenci. (FF)

Simpósio de educação médica enfoca formação acadêmica Com o objetivo de discutir os rumos da formação profissional, o Centro Acadêmico Pirajá da Silva (CAPS), realizou nos dias 19 e 20 de agosto a oitava edição do Simpósio de Educação Médica. O evento ocorreu no Anfiteatro da Patologia e reuniu mais de 80 discentes. O simpósio teve início, no dia 19, com os temas voltados para a formação médica e suas características. Os debates centraram-se no sistema de formação do futuro profissional da saúde, levantando a dúvida pelo qual método a ser seguido, a generalista ou especialista, como foi abordado na palestra da profª Vera Lúcia Garcia, da Faculdade de Odontologia/USP e da FMB. O raciocínio clínico foi o

tema da palestra do prof. Joaquim Edson Vieira que comparou as formações acadêmicas generalistas e especialistas. Já o diretor da FMB, prof. Sérgio Muller abordou o sistema de formação generalista na instituição. O primeiro dia de simpósio teve ainda a realização de uma mesa redonda formada pelos professores Sérgio Muller, Joaquim Edson Vieira e Vera Lúcia Garcia, onde os presentes debateram sobre os temas abordados anteriormente. No dia 20 os temas se voltaram para o Projeto Político Pedagógico (PPP), com apresentação do assunto pela profª Marília Freitas de Campos Tozoni Reis, do Instituto de Biociências de Botucatu/Unesp. Na seqüência, a profª Eliana Goldfarb Cyrino focou sua pales-

tra no PPP a ser desenvolvido pela FMB. Todo o processo de avaliação do Projeto Político Pedagógico foi ressaltado na explanação da profª Vera Therezinha Medeiros Borges, sendo que os participantes puderam fazer suas colocações ao final das palestras. Conforme frisa a integrante do CAPS, Nara Y. dos Santos, responsável pela organização do simpósio, o evento teve como base a capacitação de alunos e professores da faculdade nos atuais conceitos pedagógicos na formação profissional. “Através deste simpósio é possível abordar os principais assuntos e capacitar tanto a parte docente quanto a discente quanto aos conceitos na pedagogia da formação médica”, declara. (FF)

CMYK

12

Jornal da FMB nº 5  

Edição de junho de 2008