Issuu on Google+

Parcerias no exterior incrementam ensino e pesquisa na FMB

FOTO ELIETE SOARES

A Faculdade de Medicina de Botucatu realizou, dia 10 de dezembro, a prova prática do processo seletivo para preenchimento das vagas de Residência Médica para 2012. Para essa etapa do processo seletivo foram convocados 411 candidatos inscritos para as Especialidades de Acesso Direto. A avaliação ocorreu em ambientes sucessivos e foi igualmente aplicada a todos os candidatos convocados, com questões práticas das áreas de Pediatria, Saúde Pública, Ginecologia, Clínica Médica e Cirurgia. Ao todo, foram oferecidas 105 vagas para as Especialidades de Acesso Direto. Página 4

Seguindo à proposta da Unesp de internacionalizar seus vínculos, a Faculdade de Medicina estreita relações nas áreas acadêmicas e de pesquisa. Página 3

HCFMB alcança altos índices na captação de órgãos O Serviço de Procura de Órgãos e Tecidos (SPOT) do Hospital das Clínicas Botucatu (HCFMB) obteve resultado expressivo em 2011 ao se tornar a terceiro Serviço do Estado na taxa de doadores de órgãos efetivos por milhão de população (doador pmp/ano) atingindo o índice de 25,6 doador pmp/ano, com a obtenção de 35 doadores efetivos em 2011. Somente a Santa Casa de São Paulo, com 50,4 doadores por milhão de população e a Escola Paulista de Medicina, com 27,3 doadores pmp/ano, superaram essa taxa. Esse resultado coloca o serviço como o primeiro no interior paulista em comparação aos demais serviços de procura de órgãos. Página 12

Seleção para Residência Médica reúne mais de 400

Coordenador do COB realça parcerias com universidades

Mais de 400 candidatos de todo o país disputaram as vagas para os programas de Residência Médica da FMB em 2012

Página 6

Pós-Graduação em GO considerada de excelência mundial O programa de pós-graduação em Ginecologia, Obstetrícia e Mastologia da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) foi qualificado como de ‘excelência internacional’ pela Associação Universitária Iberoamericana de Postgrado (AUIP). A qualificação foi divulgada no início do mês e ocorreu após extensa avaliação, entre os dias 7 e 9 de dezembro, de critérios específicos como corpo docente e discente, atividades e pesquisas desenvolvidas Página 4

FMB passa a integrar programa de Popularização da Ciência. Página 9

FMB apoia ação para readaptação de servidores

Espaço tem funcionado em caráter experimental para verificar fluxo

Nova portaria do câmpus garante conforto e segurança ao pedestre

Livro que aborda tratamento da leucemia é doado no HCFMB. Página 10

Iniciativa pioneira da Seção Técnica de Saúde da Unesp (STS), câmpus de Botucatu, tem proporcionado que servidores, antes afastados, tenham a oportunidade de retornarem às suas atribuições dentro da universidade com o menor impacto em sua saúde. Desde outubro de 2011, ocorrem atendimentos específicos para esses casos de readaptação. Atendendo às diretrizes da Coordenadoria de Saúde e Segurança do Trabalhador e Sustentabilidade Ambiental/PRAD (COSTSA) da Unesp, são realizadas atividades em grupo e também individuais para atender servidores em processo de readaptação ao trabalho. Página 8

Antiga Divisão de Implantes nas Enfermagem muda mamas exigem nome e comando cuidados maiores

Com suporte do HCFMB, PS Adulto atende 61 mil

Para facilitar a locomoção no campus da Unesp, em Rubião Júnior, já está em funcionamento a nova portaria para pedestres no antigo acesso pela Rua Antônio Butgnolli. A construção foi um investimento conjunto da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB), Administração Geral do Campus (AG), Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB) e Fundação para o Desenvolvimento Médico e Hospitalar (Famesp). O espaço prioriza o conforto tanto aos usuários dos serviços oferecidos no local quanto aos portadores de necessidades especiais. A portaria conta com guarita e rampa para acesso a cadeirantes e pessoas com problemas de locomoção. Página 9

‘Ciência ao Cair da Tarde’ se consolida como espaço para debates científicos O programa “Ciência ao Cair da Tarde”, se consolidou, em 2011, como um dos mais importantes espaços para debates e aprofundamento do conhecimento científico e discussões de temas relevantes à saúde pública

e de especialidades. Somente no ano passado, as palestras organizadas pelos Departamentos de Ensino- que ocorrem quinzenalmente, sempre às quintasfeiras- reuniram mais de 640 participantes. Página 3

Página 11

Página 7

Página 11


2

Faculdade de Medicina

agenda

Opinião

A FMB e a Portaria Interministerial 2.087 (Bônus)

31/01/2012 A 5/02/2012 - EVENTO Cursinho Desafio - Processo Seletivo do Extensivo Local: EMEF Angelino de Oliveira Horário: 18 horas contato: dta@fmb.unesp.br

Recentemente, as universidades estaduais paulistas (USP, distribuição desigual [de] profissionais e grande concentração USP - Ribeirão Preto, Unicamp e UNESP) firmaram manifestação de escolas nas regiões Sudeste e Sul. Além de estimular e apoiar contrária a uma condição estabelecida na Portaria 2.087, assinada o surgimento de boas escolas nos centros desassistidos devepelos Ministérios da Saúde e da Educação, a propósito de Programa se adequar melhor a especialização e fixação dos profissionais de Valorização do Profissional de Atenção Básica que incentiva a como em outros países com sistema universal de saúde, onde participação de médicos recém formados em serviços de saúde recém-formados escolhem suas especialidades de acordo com a situados em regiões do país identificadas como carentes desses ordem de classificação na prova. [...] as vagas são supridas, com profissionais se especializando em todas as áreas em números profissionais. As universidades protestaram contra a criação de pontuação condizentes com as necessidades do país. Para ilustrar, na Espanha, extra, a ser conferida a egresso desse programa por ocasião de sua por exemplo, são destinadas 37% e na França 50% das vagas totais participação em processo seletivo para vaga em residência médica. para a atenção básica.” Em reunião da Congregação da FMB-UNESP, realizada em Comentários finais novembro passado o tema foi discutido de modo superficial que Quando o assunto é a construção do SUS no Brasil, não é de deixou patente a desinformação dos presentes em relação ao ponto de vista dos dois Ministérios. A proposta feriria a autonomia hoje que se fala em distância entre intenção e gesto. O movimento universitária, desconsideraria a falta de experiência e o despreparo sanitário soube construir proposta de política de saúde das mais dos recém formados para atuarem no mercado de trabalho e generosas e ambiciosas do mundo. Desde o início as tentativas que a residência teria se tornado fase obrigatória na formação de fazer do sistema de saúde real existente em cada município, profissional. Pior ainda, caracterizaria intervenção ilegítima do estado e país algo em conformidade com os princípios e diretrizes governo federal no campo do ensino de medicina no Estado de definidos na nossa constituição federal e na lei do SUS se deparam São Paulo, onde as vagas ofertadas nos programas de residência com toda sorte de adversidades típicas de um processo político. médica recebem financiamento (pagamento de bolsas) do gov- Destaque especial para as resistências articuladas por setores ligados a interesses contrariados e à defesa de práticas como, erno estadual. Na ocasião, defendi o incentivo à difusão e discussão desses entre outras, as da mercantilização da saúde e da persistência de temas no âmbito da FMB-UNESP. Até o ponto que acompanhei modelos assistenciais centrados na assistência hospitalar. No período mais recente a construção do SUS também enaquela era a primeira reunião em que o tema era discutido na Escola. Posteriormente, já em dezembro, por 10 votos a 9 (nos finais frenta dificuldades associadas ao que não foi antecipado com o de reuniões as votações costumam ser esvaziadas) a Congregação desenho das linhas gerais do sistema. Como resolver a histórica votou contra a participação da faculdade em atividades de suporte má distribuição de profissionais? Como encontrar profissionais preparados para atuar adequadamente com os problemas mais ao trabalho dos médicos que atuarão no programa. Recentemente, dois importantes nomes do movimento em prevalentes e para gerenciar de modo ágil, eficiente e eficaz os defesa da Reforma Sanitária no Brasil, a saber, Arthur Chioro, diversos sub-sistemas de saúde? Como desmontar os vícios historipresidente do Conselho de Secretários Municipais de Saúde do camente construídos no velho modelo e substituí-los por práticas Estado de São Paulo (COSEMS-SP) e ex-aluno do Programa de inspiradas no modelo do SUS que queremos? Como enfrentar Residência Médica em Saúde Coletiva de nossa Faculdade, e Apa- os impactos desse processo numa oferta de residências médicas centradas em especializações e desvinculadas recida Linhares Pimenta, vice-presidente do Conselho Nacional de Secretarias Municipais niversidades protestaram das necessidades de saúde da população? Teria o governo algo a dizer a respeito desde Saúde (CONASEMS) divulgaram nota em contra a criação sas questões? apoio à iniciativa do governo e de crítica à Os defensores da Reforma Sanitária no posição assumida pelas escolas médicas em de pontuação extra a Brasil sabem que não há respostas simples nosso estado. ser conferida a egresso para esse tipo de questão, mas o programa Considero importante que a comude valorização profissional da Atenção Básica nidade da FMB conheça os argumentos é parte de uma resposta afirmativa a essa apresentados por esses dois colegas. questão. Do ponto de vista político considero salutar que a Portaria mostre à sociedade que o Estado brasileiro O que dizem sobre as críticas das deve atuar regulando políticas de especialização e valorizando a universidades estaduais paulistas “Acreditamos não se tratar de “ingerência na autonomia participação de profissionais na atenção básica. Afinal, será que a universitária” [...] A proposta busca atrair os recém-formados por participação nesse programa pode incentivar escolhas de formação determinado período, [...] para regiões carentes onde há vagas e continuidade de atuação nesse pedaço do sistema? Isso não significa que o desenho atual da Portaria deva ser disponíveis e urgente necessidade de atendimento à população. O número insuficiente de médicos no Sistema Único de Saúde considerado “imexível”. É até possível que no futuro a definição (SUS) é uma realidade em todo país: faltam profissionais atuantes de percentuais de vagas de residência a serem ofertadas para atna atenção básica; Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e enção básica possa substituir, somar-se ou sucumbir com o bônus Pronto Socorros de municípios de todas as regiões estão com as atual. Também é possível que o programa privilegie interessados escalas de plantões incompletas; faltam [...] especialistas nos Am- em residências afins à atenção básica e inclua outras formas de bulatórios de Especialidades, e nas Unidades de Terapia Intensiva estímulo ao atendimento das necessidades de saúde da população. Mas, o que me pareceu o maior equívoco na FMB-UNESP foi a (UTIs) dos Hospitais Públicos. Segundo a Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação decisão da Congregação de não oferecer suporte ao desenvolvimna Saúde, do Ministério da Saúde, o número de médicos que se ento do programa de valorização da atenção básica. O resultado de formam anualmente, cerca de 13.000 é maior do que as vagas 10 a 9 é mais do que o reflexo de uma Congregação já esvaziada existentes nas residências, por volta de 10.400, e destas 92% são e dividida sobre o tema fatos que por si, poderiam ter chamado à atenção para a necessidade, seja de tomada da decisão em outro custeadas com recursos públicos.” momento, seja de mais discussões antes da batida de martelo. Afinal, na democracia há momentos em que devemos mesmo O que eles dizem em defesa do Programa. Os argumentos de Chioro e Pimenta que me pareceram mais conviver com decisões apertadas. Quando refletirem escolhas bem debatidas e amadurecidas. Não era o caso. Faltou sensibilidade significativos vêm a seguir: “A Lei 8080/1990 estabelece que seja atribuição do SUS a política aos presentes. Mais grave, a decisão da Congregação não parece ter sido “ordenação da formação de recursos humanos na área da saúde”, portanto, nada mais justo do que o Ministério da Saúde, em con- percebida como passo em direção contrária a todo um conjunto junto com o Ministério da Educação, assumir a regulação pública de decisões anteriores que posicionam a FMB como escola que se desse setor. É necessário incorporar na discussão da Residência soma aos esforços do governo federal de valorização da atenção Médica as necessidades da população e do Sistema Único de básica como, por exemplo, a manutenção do Centro de Saúde EsSaúde. O Brasil tem menos de dois médicos em atividade por 1.000 cola, a criação do IUSC e de Residências Médica e Multiprofissional em Saúde da Família, a bem avaliada inserção no Promed, enfim, habitantes e a distribuição no país é muito desigual. Muitos são os fatores que determinam esta situação, mas um rol de iniciativas de reformulação da formação que oferecemos os mais importantes são o desinteresse de [...] médicos recém- com ampliação do número e do papel de nossos cenários de ensino formados em trabalhar na atenção básica, a elevada concentração na rede básica em Botucatu e região. Não estive presente na reunião, mas uma das piores explide programas de residência em algumas especialidades e ultra especialidades, o mercado de trabalho privado, o que induz a cações que me vem à cabeça para esse tipo de decisão é a do maior procura por outras especialidades em detrimento da atenção predomínio de reação do tipo infantil, de raiva e protesto ante a básica, e a pouca regulação, há décadas, do Estado brasileiro nas aprovação da Portaria 2.087. Pior, só se essa hipótese for verdadeira. políticas públicas relacionadas à especialização do médico. Ildeberto Muniz de Almeida Desejamos [...] debate baseado em evidências consistentes Docente do Depto de Saúde Pública da FMB-UNESP sobre o número de médicos que o país deve formar. Existe uma

27/01/2012 - dISSERTAÇÃO DE MESTRADO Marcus Vinicius Danieli Tratamento de lesões osteocondrais do joelho pela aplicação do gel de plaquetas Programa: Pesquisa e Desenvolvimento (Biotecnologia Médica) Orientador (a): Prof(a). Dr(a). Elenice Deffune Local: Mini Auditório Prof. Emérito Paulo Eduardo de Abreu Machado - Divisão do Hemocentro Horário: 14 horas contato: spg@fmb.unesp.br 31/01/2012 - dISSERTAÇÃO DE MESTRADO Karine Aparecida Arruda Testes de Risco Cirúrgico Relacionados às Complicações Cardiopulmonares: Comparação entre a Cirurgia Abdominal Supra-Umbelical e a Torácica Programa: Bases Gerais da Cirurgia Orientador (a): Prof(a). Dr(a). Daniele Cristina Cataneo Local: Solário da Enfermaria de Cárdio-Tórax - FMB Horário: 9:00 contato: spg@fmb.unesp.br 10/02/2012 - dISSERTAÇÃO DE MESTRADO Fernanda Stringuetta Belik Associação entre o nível de atividade física, f unção cognitiva e qualidade de vida em pacientes de hemodiálise Programa: Fisiopatologia em Clínica Médica Orientador (a): Prof(a). Dr(a). Roberto Jorge da Silva Franco Local: Auditório Marco Aurélio - Dep. de Clínica Médica - FMB Horário: 10:00 contato: spg@fmb.unesp.br 10/02/2012 - dISSERTAÇÃO DE MESTRADO ALINE BUENO REPERCUSSÕES DE DIFERENTES INTENSIDADES GLICÊMICAS NO INÍCIO DO DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO DE RATA Programa: Ginecologia, Obstetrícia e Mastologia Orientador (a): Prof Débora Cristina Damasceno Meirelles dos Santos Local: Anfiteatro da Patologia - FMB Horário: 10:00 contato: spg@fmb.unesp.br

U

@

14/02/2012 - dISSERTAÇÃO DE MESTRADO Fábio Oliveira Maciel Efeito da estimulação elétrica do músculo tibial cranial após neurorrafia término-lateral do nervo fibular em ratos Programa: Bases Gerais da Cirurgia Orientador (a): Prof(a). Dr(a). Fausto Viterbo de Oliveira Neto Local: Solário do Departamento de Cirurgia e Ortopedia Horário: 9:00 contato: spg@fmb.unesp.br 15/02/2012 - dISSERTAÇÃO DE MESTRADO ERICA GIOVANA RIBEIRO DE OLIVEIRA Epidemiologia das Reações Transfusionais Imediatas no Hospital Amaral Carvalho de Jaú Programa: Pesquisa e Desenvolvimento (Biotecnologia Médica) Orientador (a): Prof(a). Dr(a). Valeria Nogueira Dias Paes Secco Local: Auditório prof. Emérito Paulo Eduardo de Abreu Machado Divisão do Hemocentro Horário: 9:00 contato: spg@fmb.unesp.br 24/02/2012 - dISSERTAÇÃO DE MESTRADO Daniel de Araujo Brito Buttros Síndrome Metabólica em Mulheres na Pós-Menopausa Tratadas de Câncer de Mama Programa: Ginecologia, Obstetrícia e Mastologia Orientador (a): Prof(a). Dr(a). Eliana Aguiar Petri Nahás Local: Salão Nobre da FM/Botucatu - Unesp Horário: 9:00 contato: devide@fmb.unesp.br 16/05/2012 A 5/02/2012 - EVENTO VII Encontro de Pós-Graduação Local: SALÃO NOBRE DA FMB Horário: 17:00 contato: tatybachiega@hotmail.com informações: http://www.inscricoes.fmb.unesp.br/ Informações detalhadas no site www.eventos.fmb.unesp

errata

Na edição 39 do Jornal da FMB (Dezembro 2011), na entrevista “Ex-diretor da antiga FCMBB retorna a Botucatu e visita faculdades da Unesp”, no trecho “... Cheguei no dia 15 de julho de 1964 e dei o curso no segundo semestre de 1974.”, o correto é “... segundo semestre de 1964”.

Os artigos publicados nesta página não refletem necessariamente a opinião do Jornal da FMB. Contatos para críticas, sugestões e envio de textos para publicações podem ser feitos pelo email: imprensa@fmb.unesp.br

Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” Vice-Reitor no exercício da reitoria: Julio Cezar Durigan

Curtas

janeiro

2012

Faculdade de Medicina de Botucatu

Diretora: Silvana Artioli Schellini Vice-diretor: José Carlos Peraçoli

Superintendente do HCFMB: Emílio Carlos Curcelli Chefe de Gabinete do HCFMB: Irma de Godoy

Jornal da FMB

A segunda edição do Encontro de Pesquisa da FMB define datas de seu Faculdade de Medicina de Botucatu já tem confirmadas as datas de realização. O evento ocorre 2º Encontro de Pesquisa entre 13 e 25 de abril. O local ainda está sendo definido pelo Grupo Técnico de Desenvolvimento em Recursos Humanos (GTDRH), responsável pela organização. Cronograma de inscrições e taxas de participação serão divulgadas nos próximos meses pelos veículos de comunição da faculdade. O 1º Encontro de Pesquisa da FMB, realizado em 2009, reuniu mais de 200 participantes, contou com a presença de especialistas no assunto representantes de organizações como Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), USP (Universidade de São Paulo), Hospital Sírio Libanês, INCOR (Instituto do Coração do HC/USP) entre outros. O evento proporcionou ampla discussão sobre os rumos da produção do conhecimento na instituição. Informações também podem ser obtidas pelo email: gtdrh@fmb.unesp.br ou pelo telefone (14) 3811-6139.

Presidente da Famesp: Pasqual Barretti Vice-presidente: Antonio Rugolo Junior O Jornal da FMB é uma publicação mensal da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp e das fundações, unidades médico-hospitalares e de pesquisas a ela vinculadas. Sugestões, comentários e colaborações devem ser encaminhadas à Assessoria de Comunicação e Imprensa da FMB/Unesp pelo endereço imprensa@fmb.unesp.br. ou telefone (14) 3811-6140 ramal 116. Assessoria de Comunicação e Imprensa- Leandro Rocha (MTB-50357) Produção, editoração e impressão: G3 Gráfica & EditoraRua Jorge Barbosa de Barros, 163- Jardim Paraíso-Botucatu-SP Reportagens: Flávio Fogueral (MTB- 34927) Fotografia: Flávio Fogueral, Fotografia AG Unesp Botucatu e Arquivo ACI/FMB Estagiário: Sérvio Viana


3

Faculdade de Medicina

Ampliada inserção e cooperação com universidades estrangeiras Na consolidação de sua vocação como instituição voltada ao ensino e pesquisa, a Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) tem se comprometido em estreitar laços de cooperação com a comunidade científica internacional. Um desses cenários é observado na realização de eventos para discussões de temas e na formalização de acordos e intercâmbios para o aprofundamento dessas relações. Em 2011, a FMB promoveu dez eventos acadêmicos e científicos com abrangência internacional. Alguns abrangiam como alunos e pesquisadores poderiam se utilizar de auxílio na busca de financiamento e intercâmbio estudantil com universidades da Europa, Ásia e Estados Unidos. Atualmente a FMB possui oito acordos de cooperação e de convênios (estágios) com as universidades de Cabo Verde e do Porto (Portugal), Salamanca (Espanha); Texas e Johns Hopkins (Estados Unidos), Dusseldorf e Regensburg (Alemanha), Diderot- Paris 7 (França) e Keio University (Japão). Também estão inclusas as Universidades de Amsterdã (Holanda), Tromso (Noruega) e Weill Cornell Medical College (Estados Unidos). Essa relação diversificada tem proporcionado a realização de estágios, encontros e visitas temáticas de professores da FMB a essas instituições, bem como a recepção de representantes estrangeiros a Botucatu. Um dos eventos de destaque foi o Workshop de Envelhecimento. Realizado dias 25 e 26 de novembro de 2011, o evento, voltado ao pú-

Em 2011, a FMB promoveu dez eventos acadêmicos e científicos com abrangência internacional

blico acadêmico e a profissionais de saúde, foi uma iniciativa do Instituto de Estudos Brasil-Europa (IBE), entidade que a Unesp faz parte. Foram debatidos aspectos do envelhecimento e de assistência em saúde pública e pesquisas que combatam não só as doenças características do avanço da idade, mas também melhorias na qualidade de vida dessa parcela da população. Em setembro, a FMB e o Instituto de Biociências sediaram o evento Spring School “Brasil-Itália” que agregou série de palestras sobre Medicina e Química. Representantes de uma delegação italiana composta por acadêmicos e cientistas participaram do evento que também recebeu o vice-reitor no exercício da reitoria da Unesp, Julio Cezar Durigan. No entanto, todo o processo de auxílio a acordos e recepção de pesquisadores e alunos estrangeiros, bem como dos acadêmicos vinculados à FMB, tem como facilitador o Escritório de Relações Internacionais (ERI) da instituição. Estabelecido em 2009, o órgão presta assessoria para que sejam firmados intercâmbios, estágios e convênios. Somente no ano passado, 20 alunos (sendo 19 de Medicina e 1 de Enfermagem) vieram de diversos países para estágios ou intercâmbio. Já 25 alunos vinculados à FMB- 4 em Enfermagem e 21 em Medicina- puderam realizar visitas

Faculdade de Medicina tem sido referência no processo de internacionalização e acordos de cooperação e aprimoramento acadêmicos nas universidades conveniadas. Essa ampliação de cenários de aprendizado no exterior pode ser exemplificada pelo estágio curricular em Unidades de Terapia Intensiva que alunos do 5º ano do curso de Medicina da FMB realizam na Universidade de Regensburg, na Alemanha. Em 2011, 14 alunos realizaram o estágio de trinta dias com auxílio da Assessoria de Relações Exteriores da Unesp, no valor de 500 euros. “A internacionalização é um dos objetivos mirados pela Universidade em todos os níveis: graduação, pós-graduação, pesquisa, formação e qualificação de recursos humanos. Certamente a grande abertura deve ter o seu início na graduação”, ressalta a presidente

Espaço para Reflexão

da Comissão de Convênios e Rela- favorecer a ampliação de acorções Internacionais da instituição, dos de pesquisa e intercâmbios professora Silke Webber. estudantis nos próximos anos. “A Segundo ela, essa aproximação Europa tem trabalhado em prol da da FMB com instituições de diversos mobilidade estudantil, facilitando a continentes tem sido salutar na aprovação dos créditos realizados em formação acadêmica em Medicina outra instituição (Erasmus Mundus). e Enfermagem, por cada região No Brasil, há uma maior abertura agapresentar diferenças em estudos, ora, embora ainda com dificuldades”, estruturas de pesquisas e princi- complementa profª Silke. palmente, em assistência pública em saúde. “O ensino de medicina é muito regionalA internacionalização é um dos izado; cada país dá ênfase objetivos da Universidade em à sua epidemiologia, com diferenças de carga horária todos os níveis: graduação, póse conteúdo, dificultando a -graduação, pesquisa, formação e equivalência das discipliqualificação de recursos humanos nas”, frisa a coordenadora. Para ela, algumas barSilke Webber sobre o planejamento da reiras burocráticas já têm Unesp quanto à internacionalização sido superadas, o que deve

Divulgação

“Ciência ao Cair da Tarde” se consolida Catálogo detalha 1.241 projetos de extensão da Unesp como fórum de debates científicos O programa “Ciência ao Cair da Tarde”, realizado em parceria entre a Diretoria da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) e seus Departamentos de Ensino, se consolidou, em 2011, como um dos mais importantes espaços para debates e aprofundamento do conhecimento científico e discussões de temas relevantes à saúde pública e de especialidades. Somente no ano passado, as palestras organizadas pelos Departamentos de Ensino- que ocorrem quinzenalmente, sempre às quintas-feiras- reuniram mais de 640 participantes. Foram abordados temas de interesse da comunidade científica com enfoques nos desafios em publicações especializadas; qualidade na pesquisa, ensino e assistência; evolução dos programas de Pós Graduação; experiências no exterior e desenvolvimento da carreira científica, entre outros. A iniciativa tem por objetivo a divulgação de linhas e projetos de pesquisa existentes na Faculdade de Medicina, além de fornecer subsídios para incrementar o desenvolvimento desses estudos. Há ainda foco na promoção de congressos, simpósios, seminários, intercâmbios e a criação de cenários para futuros acordos institucionais de cooperação. Para a presidente da Comissão Permanente de Pesquisa da FMB, professora Célia Regina Nogueira, a criação do evento proporcionou, aos Departamentos de Ensino, estímulo maior para que expusessem assuntos de relevância dentro de cada especialidade na Medicina moderna. “Os Departamentos têm se mobilizado e convidado palestrantes conceituados para exporem avanços e tendências em pesquisas. Temos notado o crescimento na participação de alunos dos programas de Pós Graduação e isso influenciará positivamente na formação acadêmica

e futuras pesquisas”, disse. Segundo ela, a consolidação do projeto “Ciência ao Cair da Tarde” deve favorecer também as políticas de pesquisa dentro da FMB e a implantação de sua Unidade de Pesquisa Experimental (Unipex). “Essa iniciativa pode fomentar ainda mais a busca por parcerias com outras universidades e, com a criação da Unipex na Faculdade de Medicina, os pesquisadores estarão mais próximos para as discussões científicas”, complementou profª Célia. O calendário dos encontros para 2012 já foi definido pela Diretoria da Faculdade de Medicina e por sua Comissão Permanente de Pesquisa. A primeira palestra, com tema a ser definido pelo Departamento de Anestesiologia, está programada para o dia 2 de fevereiro, no Salão Nobre da FMB.

“Ciência ao Cair da Tarde” em 2012 Dep. de Anestesiologia Dep. de Cirurgia e Ortopedia Dep. de Clínica Médica Dep.de Dermatologia Dep. de D.T.D. Imagem Dep. de Enfermagem Dep. de Gin. e Obstetrícia Dep. de Neur. e Psiquiatria Dep. Oft. Orl. Cir. C. Pescoço Dep. de Patologia Dep. de Pediatria Diretoria da FM Dep. de Saúde Pública Comissão de Pesquisa Dep. de Urologia Grupos de Pesquisa

2 de fevereiro 16 de fevereiro 8 de março 29 de março 12 de abril 26 de abril 10 de maio 4 de maio 7 de junho 28 de junho 5 de julho 9 de agosto 30 de agosto 20 de setembro 4 de outubro 25 de outubro

A Pró-Reitoria de Extensão Universitária (Proex) lançou o Catálogo dos projetos de Extensão da Unesp. A brochura de 532 páginas apresenta por meio de resumos e fotos 1.241 programas e projetos cadastrados. “O material será distribuído aos diretores e às bibliotecas das unidades universitárias, bem como a outras universidades”, ressaltou Maria Amélia Máximo de Araújo, próreitora de Extensão. Os projetos e programas estão divididos em oito categorias. Entre elas, Educação e Saúde concentram a maior parte das ações, somando 687. Já as áreas de Tecnologia e Meio Ambiente, com 172 projetos, têm crescido por meio de uma política de indução. Outras áreas são: Comunicação, 80 ações; Cultura, 85; Direitos Humanos, 33; Espaços Construídos, 10; Política e Economia, 19; Trabalho, 29. O catálogo traz também uma descrição do projeto de corais da Unesp. A pró-reitora explica que a Extensão é o processo educativo, cultural e científico que articula o ensino e a pesquisa de forma indissociável e viabiliza a relação transformadora entre a Universidade e a Sociedade. “Possibilita que a comunidade acadêmica encontre na sociedade conhe-

cimentos enriquecedores para sua formação, ao mesmo tempo em que beneficia esta sociedade, com os conhecimentos acadêmicos adquiridos nos bancos da Universidade”, diz. Na Extensão são desenvolvidos projetos de inclusão social que articulam educação, saúde, trabalho, geração de renda, desenvolvimento sustentável e valorização das culturas regionais. Na área de educação, é trabalhada a formação de indivíduos multiplicadores, que se deslocam para regiões distantes e comunidades carentes, alfabetizando a população. “A Unesp desenvolve projetos regulares, sistemáticos e extensivos a várias cidades onde se localizam seus Câmpus. Muitos projetos específicos são realizados onde existem os cursos correlatos”, afirma Maria Amélia. “Dessa forma, cerca de 1.200 projetos estão espalhados por todo Estado de São Paulo, beneficiando a população e permitindo que nossos alunos conheçam a realidade e necessidades da região em que vivem.” A publicação estará em breve disponível na internet. Os pedidos serão atendidos de acordo com o número de catálogos disponíveis. janeiro

2012


4

Faculdade de Medicina

Pós-Graduação em Ginecologia, Obstetrícia e Mastologia da FMB é considerado de excelência internacional O programa de pós-graduação em Ginecologia, Obstetrícia e Mastologia da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) foi qualificado como de ‘excelência internacional’ pela Associação Universitária Iberoamericana de Postgrado (AUIP). A qualificação foi divulgada no início do mês e ocorreu após extensa avaliação, entre os dias 7 e 9 de dezembro, de critérios específicos como corpo docente e discente, atividades e pesquisas desenvolvidas. Além da FMB, o programa de Microbiologia do Instituto de Biociências (IB), Câmpus de Rio Claro também foi certificado e premiado pela entidade. Os professores Fernando Larrea Coelho, Álvaro Zapilo Gowi e Helena Garcia Sanches, da organização internacional que credencia os programas, estiveram em Botucatu para a avaliação. As atividades incluíram entrevistas com funcionários administrativos, alunos, docentes e estudantes egressos; coleta de informações sobre as Os cursos foram os disciplinas do Programa, linhas de pesquisa, publicações e formas de primeiros da Unesp captação de recursos; além de visique se inscreveram tas aos laboratórios experimentais e enfermarias. para passar pelo Os cursos foram os primeiros da Membros da AUIP se reuniram com profissionais egressos do Programa da FMB crivo da AUIP para entrevista sobre o impacto do curso em suas carreiras Universidade que se inscreveram para passar pelo crivo da AUIP. Antes de receber a visita dos avaliadores é preciso atender a uma série de pré-requisitos, o que seleciona rigidamente os candidatos. Pós-Graduação”, frisou Fernando Larrea Coelho. O grupo também elencou alguns pontos fortes da Pós da FMB, que são: facilidades Todo o processo tem apoio da Pró-Reitoria de Pós-Graduação da Unesp. “Eles ficaram bastante interessados na interação que nosso Programa oferece en- técnicas para a realização de pesquisas; a qualidade do corpo docente e o fato de o exame tre as áreas clínica e experimental, com a assistência associada às pesquisas”, afirma de seleção para ingresso no Programa realizar uma triagem natural admitindo somente os professora Iracema de Mattos Paranhos Calderon, que integra o corpo docente da melhores alunos. “Também observamos uma motivação muito grande dos estudantes para realizar e concluir o curso, apoiados em um corpo docente preparado e heterogêneo”. Os Pós-Graduação em Obstetrícia, Ginecologia e Mastologia da FMB. egressos se mostraram satisfeitos com a formação que tiveram e garantem sentir grande A avaliação - Ao final do último dia de entrevistas, a delegação da AUIP adiantou impacto para sua atividade profissional, seja clínica, na pesquisa ou docência”, acrescentou quais foram suas impressões sobre o Programa. “É um curso bem estruturado e or- Coelho. Outra potencialidade apontada pelos avaliadores foi o que eles classificaram como ganizado, que oferece uma formação adequada aos profissionais matriculados nessa “convivência harmônica entre professores e alunos”.

Nova Gestão

Luis Giarola e Margareth Santini assumem Departamento de Saúde Pública Os professores Luis Carlos Giarola e Margareth Aparecida Santini de Almeida assumiram, dia 19 de dezembro, a chefia e vice-chefia, respectivamente, do Departamento de Saúde Pública da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB). Eles substituem os professores Ildeberto Muniz de Almeida e Eliane Goldfarb Cyrino que ocupavam os cargos até então. O mandato é de dois anos. Com a presença de vários professores do Departamento e ainda seus familiares, os novos gestores falaram sobre seus planos e expectativas após serem empossados pela diretora da FMB, professora Silvana Artioli Schellini. Professora Eliane não participou da cerimônia por estar em viagem fora do país. Já como novo chefe do Departamento, Giarola anunciou quais serão alguns dos pilares de seu mandato. Ressaltou que Professora Silvana empossou professores Giarola e Margareth como sucessores do prof. Pará (ao centro) será intensificado o envolvimento da Saúde Pública na Rede Básica de Saúde de Botucatu. O acadêmico também afirmou que está disatualmente, principalmente com a autarquizaEstará entre nossos objetivos posto a conduzir uma participação efetiva na ção do Hospital das Clínicas, mas garantiu estar reforma curricular do curso de Medicina, além primários a formação e tranquilo por confiar em seus sucessores. “Minha de dar atenção à formação dos alunos de Enfergestão passa para as mãos de um colega que já atualização permanente de magem e da área de Nutrição. “Além disso, estará nossos docentes e funcionários demonstrou ter serenidade e disposição para o entre nossos objetivos primários a formação e trabalho”, declarou. atualização permanente de nossos docentes e Silvana Schellini, diretora da FMB, relembrou a funcionários”, pontuou. atuação de Pará como um dos responsáveis pelo Luís Giarola sobre as metas pelos dois Programa Qualidade de Vida, desenvolvido em anos de mandato à frente do setor Unidade de Pesquisa em Saúde Coletiva benefício da saúde ocupacional dos funcionários da Faculdade. A professora ainda aproveitou para Uma das grandes novidades da nova gestão colocar a Diretoria à disposição dos novos chefes do Departamento será o empenho na implantação de uma Unidade de e frisou estar disposta a buscar o “melhor relacionamento possível” com Pesquisa em Saúde Coletiva, onde poderão ser desenvolvidos estudos a Saúde Pública. epidemiológicos na área e que servirá de apoio para o programa de A gestora afirmou que apoiará a implantação da Unidade de Pesquisa pós-graduação vinculado ao departamento. em Saúde Coletiva, o que classificou como um diferencial para a Escola. De saída – Ildeberto Muniz, mais conhecido como professor Pará, Ao falar sobre o Centro de Saúde Escola (CSE) – Unidade Auxiliar que está deixando o cargo de chefe do Departamento, disse que apesar Complexa da Unesp, que é dirigida por um professor do Departamento das dificuldades ficou satisfeito com seu mandato. Chamou atenção dos de Saúde Pública (Antônio Cyrino), Silvana destacou que continuará em novos líderes para o momento de transição pelo qual a Faculdade passa busca de recursos para dar ao serviço um financiamento mais adequado.

Homenagens Ainda durante a cerimônia de posse dos novos chefes do Departamento, foram descerradas duas placas comemorativas. Uma delas em homenagem à professora Luana Carandina, que está se aposentando e a outra que empresta seu nome ao Laboratório de Saúde Pública que funciona no local. “Esse laboratório, nosso ponto de referência para pesquisas de campo, já serviu de modelo para a USP (Universidade de São Paulo) e Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). Essa estrutura ainda vai crescer e ganhar as proporções que merece”, colocou Luana, lembrando que trata-se de um espaço aberto a pesquisadores de várias áreas e não apenas de seu departamento.

janeiro

2012

Luana Carandina, que se aposen foi homenageada pela Saúde Coletiva


5 Faculdade de Medicina

Rossano Bonatto e Maria Regina Bentlin são reconduzidos ao comando da Pediatria Os professores Rossano César Bonatto e Maria Regina Bentlin assumiram oficialmente, na manhã de 22 de dezembro, a chefia e vicechefia, respectivamente, do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB). Eles foram reconduzidos aos cargos, que já ocupavam, pelos próximos dois anos. A cerimônia contou com a presença da diretora da FMB, Silvana Artioli Schellini e do vice-diretor, José Carlos Peraçoli, além da maioria dos docentes que compõem o Departamento, inclusive alguns já aposentados, e funcionários do setor. Em sua fala inicial, professora Silvana enfatizou que o Departamento de Pediatria é um marco para a escola, já que oferece, com excelência, disciplinas de graduação. “O trabalho dos professores do Departamento faz com que os médicos formados pela FMB, ainda que não atuem na especialidade de Pediatria, tenham condições de oferecer um bom atendimento em pediatria básica”, frisou a diretora. O chefe reempossado, professor Rossano, reforçou as afirmações sobre a qualidade do Departamento no que diz respeito a ensino e assistência e destacou que houve, durante seu primeiro mandato, um crescimento na produção científica da área. Como desafios para o período que se inicia, pontuou a participação na reestruturação curricular do curso de graduação em Medicina e ainda a criação de um mestrado profissional. “Precisamos de uma alternativa para resolver a necessidade de futuras reposições de docentes de maneira que haja progressão na carreira. Por isso, já estamos trabalhando na proposta desse mestrado profissional, que terá a identidade da Pediatria”, anunciou Rossano.

Professor Rossano anunciou sua intenção de trabalhar pela criação de um Mestrado Profissional ligado ao Departamento de Pediatria e acertar. O Departamento tem que acreditar que é forte, importante e se valorizar. Queremos, no futuro, reabrir nosso Programa de PósGraduação e ainda consolidar nossa excelência na assistência”, declarou.

Novo PS de Pediatria

Sobre o Departamento de Pediatria

Segundo o gestor, também será meta de seu mandato criar uma nova filosofia para o engajamento do Departamento de Pediatria nas discussões sobre a implantação do novo Pronto-Socorro de Pediatria – que funcionará nas dependências do extinto Hospital Sorocabana. “O novo PS Infantil é um importante palco de ensino para nossos alunos”, colocou. Professora Maria Regina Bentlin, vice-chefe, anunciou que as metas e objetivos do Departamento estarão apoiados nas possibilidades oferecidas pelo PDI (Plano de Desenvolvimento Institucional) da Unesp. “Nossa nova gestão não vai ser de continuísmo. Queremos melhorar

O Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina de Botucatu iniciou suas atividades em 1966. No ano seguinte, foi ministrado o primeiro curso de Fisiopatologia Pediátrica para os alunos da 2ª turma do Curso Médico e também o curso de Propedêutica Pediátrica. A partir de 1967 iniciaram-se as atividades do Ambulatório, da Enfermaria de Pediatria, nas dependências do recém-inaugurado Hospital das Clínicas da atual Faculdade de Medicina de Botucatu. Neste mesmo ano ocorreu o planejamento e adaptação da área física do Berçário anexo à Maternidade e Berçário de Recém-nascidos externos, que iniciou suas atividades em 1973. Em 1968, foi criado o Departamento de Pediatria.

Carreira

Luiz Antonio Resende é o novo professor titular da Medicina/Unesp Na consolidação de sua excelência no ensino superior, a Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) qualificou mais um docente para seu quadro de professores titulares da instituição. Dessa vez, Luiz Antonio de Lima Resende avança em sua carreira acadêmica ao realizar concurso para o preenchimento do cargo, dia 22 de dezembro. Vinculado ao Departamento de Neurologia, Psicologia e Psiquiatria da FMB, Resende defendeu, em sua prova didática, o tema “Contribuição Involuntária de Rembrandt à História da Neurologia”. Na sequência, o acadêmico realizou arguição do memorial- que engloba toda sua carreira acadêmica e produção científica. Foram membros da banca examinadora os professores Florence Kerr-Corrêa e Jair Cortez Montovani, da FMB; Alberto Alain Gabbai, da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), Amilton Antunes Barreira, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP (Universidade de São Paulo) e Carlos Alberto Guerreiro, da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas).

Luiz Antonio de Lima Resende avança em sua carreira acadêmica Luiz Antonio de Lima Resende possui graduação em Medicina pela Universidade de Brasília (1980), mestrado em Neurologia pela (1986) e Doutorado em Neurologia, ambos pela Universidade de São Paulo (1989). Atualmente é professor vinculado à Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp.

Concorrida

Prova prática para Residência Médica reúne mais de 400 candidatos

Candidatos participaram de avaliações práticas nas especialidades de Pediatria, Saúde Pública, Ginecologia, Clínica Médica e Cirurgia

A Faculdade de Medicina de Botucatu realizou, dia 10 de dezembro, a prova prática do processo seletivo para preenchimento das vagas de Residência Médica para 2012. Para essa etapa do processo seletivo foram convocados 411 candidatos inscritos para as Especialidades de Acesso Direto. A avaliação ocorreu em ambientes sucessivos e foi igualmente aplicada a todos os candidatos convocados, com questões práticas das áreas de Pediatria, Saúde Pública, Ginecologia, Clínica Médica e Cirurgia. Ao todo, foram oferecidas 105 vagas para as Especialidades de Acesso Direto. Também foi realizada, dia 5 de dezembro, a prova prática de Residência Médica para as Especialidades com pré-requisito em Cirurgia Geral. Ao todo, 12 vagas estavam disponíveis aos candidatos. As matrículas dos aprovados ocorrem nos dias 1º e 2 de fevereiro de 2012, no Salão Nobre da FMB. O início das atividades de Residência Médica está programado para o dia 1º de março. Na FMB, a Residência Médica desenvolve-se no Hospital das Clínicas, no Centro de Saúde Escola, Hospital Estadual Bauru, bem como, de forma complementar, em outros serviços de saúde do Município ou do Estado. A Residência Médica na Faculdade de Medicina de Botucatu teve seu início no ano de 1969 (FCMBB), com 8 médicos residentes, quando foram oferecidos programas nas áreas de Cirurgia Geral, Clínica Médica, Pediatria e Dermatologia.

Encontro

Cursinho Desafio discute anseios do projeto Coordenadoras do Cursinho Desafio – projeto de extensão mantido pela Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) participaram, entre os dias 9 e 11 de dezembro, do Fórum de Educação e Encontro dos Cursinhos da Unesp, realizado em São Vicente. Mais de 10 cursinhos estiveram reunidos para participar de palestras sobre Educação e discutir temas em comum, como estrutura organizacional, dificuldades e metodologias de ensino. A FMB foi representada pelas alunas Raissa Pierri Carvalho, Cássia Lopes Dantas e Natália Botechia. Segundo as acadêmicas, o enfoque principal do encontro foi a administração dos cursinhos pelos alunos da Unesp e alguns desafios, como evasão, incentivos e material didático. “Como os diversos cursinhos da Unesp são bastante distintos entre si, no que diz respeito à metodologia, estruturação da coordenação e gestões colaborativas, esse encontro foi bastante interessante. A partir do conhecimento de modos diferentes de organizar um cursinho pré-vestibular, podemos realizar alterações no nosso modo de administração para aprimorar cada vez mais o funcionamento e o ensino do Cursinho Desafio”, comenta Raissa. “Além disso, como a maioria dos problemas enfrentados pelos cursinhos é semelhante (altos índices de evasão dos alunos, déficit no material didático, falta de incentivos), o encontro nos proporcionou importante troca de experiências para tentarmos solucionar, juntos, problemas que todos os cursinhos enfrentam”, complementa. Criado no ano 2000, o Cursinho Desafio é um dos mais antigos projetos de extensão universitária da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp e tem obtido êxito em sua proposta. Oferece 140 vagas no sistema de ensino extensivo e 70 no semi-extensivo. Sua abrangência alcança toda a microrregião de Botucatu. Desde outubro de 2011 o projeto está sob nova co-gestão. O grupo é formado por sete alunos do curso de Medicina e conta com apoio e orientação dos professores José Roberto Fioretto e Silvana Artioli Schellini. Os professores do cursinho, que são os próprios universitários da FMB, somam cerca de 60 pessoas, além de mais alguns monitores. As turmas são divididas em quatro salas para o extensivo e duas no semiextensivo. As aulas são realizadas de 2ª a 6ª feira e aos sábados acontecem atividades de língua inglesa e simulados de vestibulares. Todas as atividades são concentradas na Escola Angelino de Oliveira, em Botucatu. São ministradas 20 disciplinas, entre elas, filosofia. janeiro

2012


6

Faculdade de Medicina

Em Botucatu, coordenador científico do COB cogita parceria com universidades A busca por uma melhor performance esportiva, qualidade de vida do atleta e a inserção das universidades no desenvolvimento de estudos para esse aprimoramento foram alguns dos temas abordados pelo coordenador da área da Ciência do Esporte, do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Luís Viveiros, durante palestra realizada dia 10 de dezembro na Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB). O evento integrou o 4º curso de especialização “Atuação Multiprofissional em Medicina do Exercício Físico e do Esporte”, promovido pelo Centro de Metabolismo em Exercício e Nutrição (Cemenutri) da FMB. Profissionais das áreas de fisioterapia, nutrição e educação física acompanharam toda a estrutura organizacional do COB, suas divisões e formas de atuação junto com as federações e confederações associadas. Viveiros também fez um paralelo quanto à inserção da Ciência do Esporte dentro da entidade e os resultados obtidos nos Jogos Pan Americanos do Rio de Janeiro, em 2007, e de Guadalajara, no México, em 2011. Para que esse projeto fosse implantado, o COB iniciou visita a países considerados modelos na prática esportiva, como a Austrália. “O Comitê vem, desde a década de 1990, tendo uma nova estrutura para o desenvolvimento esportivo. Diversos países têm investido na parte científica para entender onde aplicar melhor os recursos seja em modalidades ou atletas. Foi um aprendizado interessante, pois tivemos contato com essas nações que valorizam o esporte”, declarou Viveiros. Na ocasião, mostrou alguns dos programas que o Comitê Olímpico tem adotado para o aprimoramento do desempenho esportivo dos atletas. Uma das ações principais frisadas pelo especialista foi a questão ambiental que envolve o desportista e os locais de competições. Um dos casos analisados ocorreu durante a realização dos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008. A poluição excessiva na capital chinesa poderia provocar alterações no desempenho dos esportistas devido ao alto índice de substâncias nocivas acima da média aceitável contidas na atmosfera. O desafio foi desenvolver meios para que a adaptação no país não prejudicasse o metabolismo e resposta do corpo ao esporte. Viveiros vê uma mudança de paradigma dentro do próprio Comitê ao haver uma aproximação da entidade com universidades e pesquisas no esporte para o aperfeiçoamento do desempenho esportivo. “Nos últimos anos sentiu-se esse afastamento da produção do conhecimento dentro da ciência do esporte. Temos uma lacuna grande entre o que é feito, absorvido pelos técnicos e o que realmente é aproveitado pelo atleta”, frisou. Sobre a possibilidade de parcerias com a Faculdade de Medicina de Botucatu, o coordenador científico frisou algumas experiências realizadas junto com o Cemenutri da FMB nas avaliações às equipes de remo, boxe e canoagem do COB oferecendo avaliações metabólicas de fisiologia do exercício. “A universidade nesse desenvolvimento tem sido fundamental ao exercer um papel de formação na parte científica. Foi possível entender melhor o esporte nas diferentes partes do conhecimento como a medicina, fisioterapia, nutrição, para que possa se aplicar de forma que beneficie o atleta”, disse Viveiros. Segundo ele, a inserção da ciência tem dado subsídios mais detalhados sobre as diferentes realidades dos atletas. Com isso, pretende-se estabelecer planos de aprimoramento para os Jogos Olímpicos de Londres e Rio de Janeiro, em 2012 e 2016, respectivamente. “Os atletas podem

Luís Viveiros mostrou toda a funcionalidade do Comitê Olímpico Brasileiro

Sobre o curso “Atuação Multiprofissional em Medicina do Exercício Físico e do Esporte” Desde março, o curso promovido pela FMB e Cemenutri, que é voltado a profissionais de nutrição, educação física, fisioterapia, biomedicina e biologia, tem debatido características e avanços nas áreas de saúde no espor te, como avaliação postural, nutri-

cional e da aptidão física. Compõem o conteúdo dessa especialização, tópicos como interação presente na fisioterapia; exercício físico e dieta na reabilitação de pacientes; biosegurança do treinamento físico; desempenho atlético e bioquímica e fisiologia da alimentação.

ter contato com equipes multidisciplinares, ou seja, vão além apenas dos técnicos e preparadores físicos. Aqueles que são considerados de ponta passam a ter uma comissão técnica já que as necessidades são variadas e o COB vem oferecendo esse suporte. A expectativa tanto para Londres (em 2012) quanto para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro é ampliar esses serviços, tirar dúvidas dos atletas e técnicos quanto ao desempenho”, finalizou.

Encontro conscientiza gestores e profissionais da saúde quanto ao problema da obesidade

O Encontro “Cuidados à Pessoa Obesa” foi realizado no Auditório da Central de Salas de Aula da Faculdade de Medicina/Unesp, dia 8 de dezembro e tinha como principais objetivos despertar a atenção para o problema da obesidade, que vem ganhando maiores dimensões no Brasil e no mundo. O público-alvo eram gestores e profissionais da área da saúde. Ao todo foram mais de 70 inscritos. Segundo a organização do evento, a maioria de interessados era da cidade de Botucatu, mas janeiro

2012

Cirurgia Vascular promove Curso de Tratamento Endovascular de Aorta Abdominal Dia 9 de dezembro, a Medicina/Unesp promoveu o 1º Curso de Imersão em Tratamento Endovascular de Aorta Abdominal, ministrado e organizado pelos professores da disciplina de Cirurgia Vascular, Marcone Lima Sobreira e Regina Moura - chefe do serviço de endovascular. O público-alvo do curso f o r a m c i r u rg i õ e s c a rd i o vasculares, uma vez que o procedimento demonstrou o método de “Correção minimamente invasiva do aneurisma da aorta abdominal (AAA)”. Sem a necessidade de aber tura da cavidade abdominal, essa cirurgia permite evitar o uso de anestesia geral e reduz a vulnerabilidade do paciente no período pós-cirúrgico. Após duas aulas teóricas, os alunos do Curso de Imersão em Tratamento Endovascular acompanharam dois tratamentos de Aneurisma da Aorta Abdominal realizada pelos professores organizadores e contaram com a par ticipação dos médicos de Cirurgia Vascular, Matheus Bertanha e Rodrigo Gibin Jaldin. Ao todo, 10 médicos cirurgiões vindos de diversas cidades da região, como Bauru, Jaú e Ibitinga, acompanharam os tratamentos cirúrgicos por videoconferência. “Esse é o primeiro curso deste tipo realizado na FMB. Pretendemos realizar outros semelhantes no decorrer de 2012”, concluiu o professor Marcone. Sobre a doença

Contra a cegueira

Professor José C. S. Trindade Filho, diretor Clínico do HCFMB (à esquerda) participou da abertura do Encontro

Formação

havia um bom número de representantes da região e de outras unidades da Unesp. Na mesa de abertura do evento esteve presente o professor Celso Vieira de Souza Leite, coordenador da disciplina de Cirurgia Bariátrica da Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB), que define como urgente a análise do impacto da obesidade na saúde pública, argumentando que ela permite o desenvolvimento de problemas mais graves. “É importante perceber que a obesidade acarreta uma série de outras doenças cardiovasculares, como a hipertensão e infarto, além de facilitar a ocorrência de Acidentes Vasculares Cerebrais (AVC)”, afirma o coordenador. Outro ponto abordado durante as apresentações foi a percepção do modelo de vida da sociedade atual. Para a professora Maria Rita Marques de Oliveira, do Instituto de Biociências/Unesp (IB), a obesidade pode ser um alerta para repensarmos nosso modo de vida. Compartilhando do mesmo ponto de vista, Celso Vieira declarou que é imprescindível a troca de experiências, interação e integração dos profissionais da saúde contra a obesidade. “Hoje 51% dos brasileiros estão com sobrepeso. Temos que investir na conscientização para prevenir a obesidade, através da orientação da população quanto à alimentação correta e atividades físicas”, defendeu ele, lembrando que a Universidade tem o papel mais importante no combate a obesidade. “É nosso dever conscientizar, treinar e educar profissionais e a população contra esse problema”, concluiu.

O Aneurisma da Aor ta Abdominal (AAA) é caracterizado pelo enfraquecimento e c o n s e q u e n te d i l a t a ç ã o localizada e permanente da parede ar terial. A doença atinge com mais frequência pessoas acima dos 60 anos e homens. Mais de 50% das vítimas são portadores de hipertensão arterial.

Cirurgiões acompanharam rotinas por videoconferência


7 Entrevista

Na estética, a saúde deve ser levada a sério Na sociedade moderna, a imagem e bem estar passam a estar associadas. Estar com um corpo dentro de padrões estéticos ditados pela moda, provocam verdadeira corrida a academias e clínicas de cirurgias plásticas. Essa extrema preocupação com a aparência faz com que o Brasil seja um dos países com maior número de procedimentos voltados à estética no mundo. E, seguindo essa tendência, o aumento das mamas está em primeiro lugar no ranking das cirurgias estéticas realizadas no Brasil, segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Dos cerca de 700 mil procedimentos estéticos feitos anualmente no Brasil, 156 mil são de implante de silicone nos seios. Recentemente, fatos envolvendo a ruptura de próteses de silicone das marcas francesa PIP e holandesa Rofil, mostraram que ambas as empresas usaram substâncias de qualidade inferior para as próteses de mamas. O caso, tem chamado a atenção de órgãos públicos de saúde pelos riscos que o vazamento do produto pode causar nas mulheres. Pode haver tanto o endurecimento quanto alteração na posição e na O Sistema Único forma do implante. Ainda não de Saúde (SUS) e os há relação entre o vazamento do implante com casos de câncer de planos de saúde vão mama. A estimativa é que existam de cobrir a remoção e a troca 300 mil a 400 mil mulheres com das próteses rompidas próteses mamárias no Brasil. Das marcas PIP e Rofil, são cerca de 12,5 mil portadoras e 7 mil portadoras respectivamente. Alguns sintomas de problema no caso de prótese mamária vazada são dor, febre e pele avermelhada nos seios. Para quem coloca um implante de silicone na mama, de qualquer marca, recomenda-se a substituição da prótese depois de dez anos de uso. Outra orientação médica é fazer exame de ultrassom uma vez por ano para avaliar o implante, mesmo as pacientes com menos de 40 anos de idade. O Ministério da Saúde determinou que o Sistema Único de Saúde (SUS) e os planos de saúde vão cobrir a remoção e a troca das próteses rompidas, independentemente do motivo da cirurgia, se foi por questões de saúde ou com fins estéticos, conforme garantiu o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. O professor do Departamento de Cirurgia e Ortopedia da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp, Aristides Palhares, reforça, em entrevista ao Jornal da FMB, que, é imprescindível que as mulheres interessadas na colocação de uma prótese mamária, adotem medidas de precaução como procurar sempre um cirurgião plástico com título de especialista, além de exigir que o material a ser colocado seja de marcas conhecidas e qualidade comprovada. Segundo ele, ainda é precipitado saber quais efeitos e danos o rompimento das próteses pode provocar. Palhares ressalta ainda que o acompanhamento contínuo pode evitar qualquer problema que venha a surgir quanto aos implantes. Quais riscos à saúde o rompimento dos implantes de silicone pode acarretar às mulheres que realizaram esse procedimento? O que fazer nesses casos? Há chances de mutilações ou sequelas definitivas? É preciso saber que o silicone é uma molécula que permite a manipulação de sua estrutura. Esta propriedade permitiu que, durante anos, ele fosse sendo alterado para ter as melhores características no uso como implante cirúrgico. Assim, quando se fala nos riscos da ruptura de um implante de silicone deve-se ter em mente que quanto mais moderno o implante, maior segurança ele oferece. Os implantes atuais, mesmo que sofram rompimento, não costumam causar alterações sistêmicas e os problemas estarão limitados às mamas podendo haver endurecimento, alteração na posição e na forma destas. Sempre que se notar alterações na consistência, forma ou posição do implante o cirurgião deve ser consultado. Ele deverá fazer uma investigação diagnóstica através de exames como ultrassonografia e ressonância nuclear magnética; se identificar sinais de ruptura deverá indicar a troca do implante. Quanto ao riscos de sequelas permanentes ou mesmo mutilações, eu diria que há um risco teórico mas ele se restringe a casos muito específicos.

A principal diferença é a qualidade do silicone. Nos implantes de boa procedência há um rigoroso controle para se evitar a presença de contaminantes no silicone, bem como uma manipulação da molécula para se conseguir durabilidade e resistência.

“É essencial que se discuta

com as características do caso, riscos, benefícios, tipo de implante, local anatômico de colocação, entre outros.

Como saber se o silicone a ser implantado é Aristides Palhares, ao frisar o contato de qualidade? Quais meios médicos e contínuo com o cirurgião plástico mulheres têm para atestar esse quesito? O único meio de se assegurar da qualidade do implante é utilizar um produto de procedência conhecida e de comprovada qualidade. Como acontece em outros produtos, às vezes nos são apresentadas marcas alternativas, mais baratas ou novidades de mercado. O que devemos perguntar é se há risco envolvido no uso deste produto. Se houver, a escolha é pelo produto consagrado por seu uso e pela qualidade. Como a mulher pode identificar possíveis problemas com sua prótese logo após o implante ou algum tempo depois? Sempre que houver alteração da forma, consistência ou da posição das mamas, ou se surgir dor, vermelhidão e calor a paciente deve procurar o cirurgião que colocou o implante para uma reavaliação. Mesmo sendo de qualidade, quais cuidados as mulheres devem ter antes de implantar silicone nos seios? Há recomendações? De forma geral, algumas recomendações são importantes como: o uso de implantes mamários de silicone tem a finalidade de aumentar o volume das mamas, por isso, a interessada deve procurar um cirurgião plástico e verificar se ele tem título de especialista e se é sócio da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. É essencial que se discuta com ele as características do caso, riscos, benefícios, tipo de implante (forma e textura), local anatômico de colocação, entre outros. Também é recomendado que se mantenha contato com o cirurgião que realizou a cirurgia, inclusive meses ou anos após a colocação da prótese. Ele terá condição de identificar e tratar precocemente qualquer eventual problema.

Silicones de má qualidade podem causar doenças como o câncer de mama, por exemplo? No caso dos implantes franceses da marca PIP foi aventada esta possibilidade. Mas acredito que não há forma de se saber com certeza qual é a magnitude do risco. O principal problema é que não conhecemos o silicone utilizado nestas próteses nem que contaminantes ele pode conter. Logo, não é possível estimar um risco do desenvolvimento de câncer a partir da ruptura deste implante. Já para os implantes de boa qualidade feitos com silicone específico para uso médico, não se conseguiu determinar até hoje qualquer relação entre implantes de silicone e câncer de mamas. Quais as chances de uma prótese de silicone, implantada seguindo todos os cuidados necessários, se romper? Em que situações isso pode ocorrer? A chance é pequena. Os implantes podem se romper por desgaste ou por trauma. Mas os implantes de boa qualidade são muito resistentes. Recentemente houve problemas de rompimento envolvendo uma marca francesa que utilizou silicone industrial em seus implantes. Qual a diferença entre esse tipo e o usado habitualmente, os chamados silicones médicos?

“Quando se fala nos riscos

da ruptura de um implante de silicone deve-se ter em mente que quanto mais moderno o implante, maior segurança ele oferece

Aristides Palhares, sobre a segurança oferecida pelos fabricantes de silicone

janeiro

2012


8 Faculdade de Medicina

Universidade investe em readaptação de servidores Iniciativa pioneira da Seção Técnica de Saúde da Unesp (STS), campus de Botucatu, tem proporcionado que servidores, antes afastados, tenham a oportunidade de retornarem às suas atribuições dentro da universidade com o menor impacto em sua saúde. Desde outubro de 2011, ocorrem atendimentos específicos para esses casos de readaptação. Atendendo às diretrizes da Coordenadoria de Saúde e Segurança do Trabalhador e Sustentabilidade Ambiental/PRAD (COSTSA) da Unesp, são realizadas atividades em grupo e também individuais para atender servidores em processo de readaptação ao trabalho. Esses funcionários apresentam limitações para a reintegração integral das atribuições devido a doenças osteomusculares (que surgem através dos movimentos repetidos, podendo provocar lesões em tendões, músculos e articulações) e de transtornos mentais, como depressão, ansiedade, entre outros. Através de encontros quinzeMais de 50% dos nais e divididos em grupos, os servidores assistidos participam casos surgiram em de jogos dramáticos, além de auxiliares e técnicos acompanharem trechos de filmes e fábulas que favoreçam a compreende enfermagem são sobre o papel na sociedade, o autoconhecimento e novas formas de agir e pensar. Até o momento, 35 funcionários das quatro unidades da Unesp, em Botucatu (Faculdades de Medicina, Medicina Veterinária e Zootecnia, Ciências Agronômicas e Instituto de Biociências), já participaram das ações. Um novo grupo deve iniciar, em fevereiro, as atividades propostas para a readaptação. O processo de seleção para a participação nesses grupos tem início após a indicação da necessidade de readaptação do servidor pelos médicos da STS. Em seguida, passam por entrevistas com assistentes sociais e psicólogos. A partir desse momento é proposto o acompanhamento individual ou em grupo (dependendo da necessidade de cada caso). Paralelamente, as equipes da STS procuram contato direto com as chefias dos setores onde os servidores assistidos estavam designados. Dessa conversa ocorrem sugestões que visam facilitar a readaptação dos funcionários até então afastados. Após esse processo, todas as pessoas assistidas têm avaliações das equipes médicas e de psicólogos da seção. “As atividades em grupo propiciam um espaço social para os servidores partilharem informações, experiências e sentimentos relacionados ao retorno às atividades laborais, construindo assim uma importante rede de suporte social no trabalho e, com isso, tendem a reduzir as taxas de adoecimento nesse grupo”, explica

Equipe da STS responsável pelo atendimento no processo de readaptação dos servidores Mariana Nastri, psicóloga da Coordenadoria de Saúde e Segurança Sobre a Seção do Trabalhador. Técnica de Saúde A psicóloga ressalta que essas atividades contribuem de forma O servidor Unesp pode contaeficaz na autoestima e confiança do trabalhador, além de minimizar tar a Seção Técnica de Saúde o sofrimento e se tornar facilitador de novas posturas dentro do âmna Avenida Bento Lopes nº 108, bito profissional. Dados da própria STS apontam que, até novembro em Rubião Júnior (antiga sede do ano passado, 130 readaptações foram realizadas no campus de da Unamos). Contatos podem Botucatu, sendo 56 provenientes da Faculdade de Medicina (que ser feitos pelo telefone (14) inclui servidores do Hospital das Clínicas) e 74 das demais unidades. 3811-6307 ou pelo email sts@ Desse total, a equipe responsável pelo processo de readaptação btu.unesp.br. observou que 73% são mulheres com idade média de 48 anos. Mais de 50% dos casos surgiram em auxiliares e técnicos de enfermagem. “A natureza do trabalho, que envolve As atividades em grupo o cuidado de enfermos e influencia diretamente na vida do paciente acarreta altas exigências físicas e propiciam um espaço social psicológicas desses profissionais. Além de que, muitos para os servidores partilharem deles encaram trabalhos em turnos exaustivos”, ressalta informações, experiências a coordenadora da STS, Ludmila Cândida de Braga. Ela ressalta, no entanto, que 79% dos servidores e sentimentos que passaram pelas atividades de reinserção perMariana Nastri, sobre as atividades maneceram na ativa profissional e 20% necessitaram desenvolvidas nos grupos de licenças médicas curtas.

Recepção

Oportunidade

Alunos do 6º ano de Medicina iniciam ano letivo O sexto e último ano letivo da 45ª turma de graduação em Medicina da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) teve início oficialmente com a recepção a seus mais de 90 acadêmicos, realizada dia 4 de janeiro. O evento ocorreu no Salão Nobre da FMB, onde os futuros médicos foram recebidos pela direção da instituição. Professora Jacqueline Caramori, vice-presidente do Conselho de Curso de Medicina da FMB, frisou, durante saudação inicial aos estudantes que essa é mais uma das etapas importantes não só para a formação profissional, mas como cidadãos e pessoas. “Todos realizaram um vestibular competititvo e já estão diante de outras disputas como o mercado profissional e a própria prova de residência médica. Como educadores, temos que manter a formação de médicos generalistas para que sempre possam atender o paciente, em qualquer situação”, frisou. A professora disse que esse é um momento importante para a própria instituição ao citar o processo de Reforma Curricular do curso de graduação em Medicina, em andamento, segundo ela, com propostas que visam fortalecer a relação médico/paciente e a qualidade de vida do estudante. Já o vice-diretor da FMB, prof. José Carlos Peraçoli, afirmou que a instituição, em seus quase 50 anos de história, sempre primou pela inovação e excelência na qualificação de seus futuros médicos. “Esse é um curso que, desde seu princípio, foi pensado de forma inovadora na formação do médico. Mesmo com pressões externas, sempre foi mantido esse foco pela Faculdade de Medicina”, declarou. Também na recepção, o Núcleo de Apoio Pedagógico da FMB, representado pela professora Vera Borges, mostrou a importância da avaliação institucional que os alunos voltarão a realizar em 2012, através do preenchimento periódico de um questionário. A coordenadora do setor enfatiza que, com a colaboração acadêmica, é importante qualificar práticas, estruturas e recursos voltados ao ensino. “Vocês, como veteranos, têm um papel importante nesse processo por já conhecerem todas as etapas do ensino médico”, ressaltou profª Vera ao afirmar que os dados obtidos darão subsídios para atualização dos planos de ensino e fomento da reflexão sobre pontos fortes e fracos nos estágios, módulos e disciplinas oferecidas. Assim como no quinto ano de graduação, os alunos pasjaneiro

2012

Representantes da Direção da FMB discursam ao recepcionar os alunos do sexto e último ano da graduação em Medicina sarão os meses seguintes em contato direto com vivências e rotinas de assistência ao paciente, conforme preconiza o sistema de internato. As atividades ocorrem em palcos de ensino, pesquisa e assistência, como o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB), Hospital Estadual Bauru (HEB), Centro Saúde Escola (CSE)em Botucatu-, além de outras unidades de saúde onde a FMB mantém convênio e parcerias.

Curso incentiva empreendedorismo entre acadêmicos Com objetivo de preparar sua comunidade acadêmica para o mercado de trabalho dinâmico, a Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB), em parceria com o Sebrae promoveu, de 16 a 27 de janeiro, a quarta edição de seu curso de “Empreendedorismo”. Nessa edição, o curso ampliou seu público-alvo ao abrir inscrições à comunidade em geral, alem dou alunos de graduação ou pós-graduação da Unesp. Ao todo foram 30 vagas, sendo que 10 estiveram destinadas a alunos da universidade. Os facilitadores do curso foram os professores Deílson Elgui de Oliveira e Silvana Molina, ambos da FMB e Vitor dos Santos, do escritório regional de Botucatu do Sebrae-SP. Durante o curso foram abordadas as características do indivíduo empreendedor, como desenvolver um comportamento empreendedor, prospecção de oportunidades, viabilização de negócios, dentre outros assuntos. O curso esteve estruturado em três momentos, em que são discutidos aspectos relacionados ao Indivíduo (20h), ao Mercado (8h) e o Negócio (ou Empreendimento) (8h). “O propósito foi oferecer a todos os interessados não somente a capacitação sobre o empreendedorismo, mas também mostrar características do mercado para que cada um possa lançar propostas de melhorias em suas atividades”, ressalta professor Deílson.


9

Pesquisa e Extensão

Pós em Doenças Tropicais passa a integrar cursos de férias para alunos da rede pública O Programa de Pós-Graduação em Doenças Tropicais, da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB), passou a integrar, neste ano, uma iniciativa de difusão e popularização da ciência através de aulas destinadas a alunos do ensino médio. O projeto, que já é desenvolvido há seis anos no Instituto de Biociências de Botucatu/Unesp, recebeu, nesta segunda-feira, 23 de janeiro, aproximadamente 300 alunos de escolas públicas da região que participarão, até o dia 28, de cursos de férias. Os visitantes vieram, além de Botucatu, dos municípios de ConO resultado do programa chas, Laranjal Paulista, São Manuel se estende para além e Anhembi. Eles se envolverão em da semana de cursos atividades didáticas sobre Genética, Botânica, Biologia Geral Aplicada, oferecidos aos alunos Farmacologia e Doenças Tropicais. “Nossas aulas buscam abordar, de forma lúdica e divertida, temas teóricos que fazem parte do currículo do ensino fundamental e são relativamente densos. Procuramos levantar as principais perguntas dos grupos e depois, através de atividades práticas, utilizando metodologia científica, estimulamos os estudantes a buscarem as respostas”, explica a professora Clélia Hiruma, coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Biologia Geral do IB. A participação neste programa, chamado “Difundindo e Popularizando a Ciência na Unesp”, que coloca a Universidade como membro da Rede Nacional de Educação e Ciência - Novos Talentos da Rede Pública – que abrange 24 instituições de ensino superior do Brasil - soma para os programas de pós-graduação pontos importantes na avaliação da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior). É uma forma de estimular a melhoria do ensino público, além de ensinar os pós-graduandos a difundirem ciência. “Há a intenção de ampliar esse projeto dentro da Unesp, que hoje só é realizado no câmpus de Botucatu. É um programa que agrega muito para a formação de nossos alunos e ainda tem esse cunho social de levar conhecimento científico aos estudantes do ensino básico”, comenta Adriane Wasko, coordenadora do Programa na Unesp. Durante a abertura dos cursos de férias, realizada no Anfiteatro do IB, a pró-Reitora de Pós-Graduação da Unesp, Marilza Vieira Cunha Rudge, lembrou que é função da Universidade abrir espaço para ações que propaguem conhecimento e ciência. No entanto, salienta que se não houver interesse e boa vontade por parte dos alunos nada acontece. “Estamos falando de atividades didáticas que transmitem aos alunos de escolas públicas, de forma simples e objetiva, parte do conhecimento que estamos produzindo na Universidade. Por outro lado, os pósgraduandos poderão levar essa experiência para complementar sua formação profissional. Eles vão aprender a ensinar”, coloca. Logo após a cerimônia, os alunos dos programas de pós-graduação, que estavam fantasiados para receber os estudantes de forma descontraída, apresentaram dois números musicais com paródias de canções conhecidas. Eles enfocaram, através da irreverência, a importância dos estudos. “Do Amarelão às picadas de cobra. Um passeio pelas Doenças Tropicais” Professor Rinaldo Pôncio Mendes, o Dr.Tietê, do Departamento de Doenças Tropicais e Diagnóstico por Imagem da FMB, foi o responsável pela instituição passar a fazer parte do projeto. Ele propôs à Comissão

Aulas abordam de forma prática e divertida temas teóricos que fazem parte do currículo do ensino fundamental de Pós-Graduação, que aceitou. Com isso, ele organizou a disciplina que será ministrada durante o curso: “Do Amarelão às picadas de cobra. Um passeio pelas Doenças Tropicais”. Sob coordenação das professoras Lenice do Rosário de Souza e Lucilene Delazari dos Santos, o Programa envolverá 10 alunos inscritos, 4 alunos ouvintes e cinco de iniciação científica. “Esse curso propiciará que nossos pós-graduandos engajados no Programa tenham que se inteirar, ainda que superficialmente, sobre todas as áreas das doenças tropicais e não apenas a especialidade de sua preferência. Isso porque eles terão que dar, ainda que básico, um panorama geral para os estudantes do ensino fundamental. Será um grande aprendizado”, observa prof. Tietê. Ex-aluna visitante hoje é monitora do Programa O resultado do “Programa Difundindo e Popularizando a Ciência na Unesp” se estende para além da semana de cursos oferecida aos alunos de Ensino Médio das escolas estaduais de Botucatu e cidades da região. Talita Cristiane Domingues, 16, é um exemplo disso. Ela participa do evento pelo segundo ano consecutivo, mas atuando de uma forma bem diferente: neste ano trabalhará ao lado de graduandos e pós-graduandos como monitora dos alunos visitantes. Em 2011, ela estava no segundo ano do ensino médio e fazia parte de uma turma da Escola Estadual Prof. Américo Virginio Santos, que explorou conhecimento, pesquisa e integração com a comunidade acadêmica do Instituto de Biociências de Botucatu/Unesp (IB). “Pra mim foi bem legal. As atividades eram dinâmicas e eu acabei me dando bem com todo mundo”, afirmou Talita. Ao final dos cursos os alunos do IB passaram uma lista para que aqueles que se interessassem em continuar aprendendo e vivenciando o conteúdo assinassem. Talita se candidatou e logo foi selecionada para ser estagiária no IB. “Dei meu nome e um dia me ligaram já pedindo pra abrir uma conta no banco que tinha sido selecionada para se monitora. É uma ótima oportunidade para aprender na prática”, concluiu a adolescente.

Atualização

12º Curso de Patologia Obstétrica enfocará assistência ao parto A Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB), através de seu Departamento de Ginecologia e Obstetrícia promove, no mês de abril, a 12ª edição de seu Curso de Patologia Obstétrica. Voltado a alunos de graduação e pósgraduação em Medicina e Enfermagem, médicos e enfermeiros, além de profissionais da saúde, o evento reunirá especialistas para a atualização na área de obstetrícia. Durante quatro semanas, sempre às terças-feiras, os participantes poderão acompanhar temas de atualização sobre assistência ao par to, hipertensão e gravidez, diabetes e gravidez, ultrassonografia obstétrica, acretismo placentário e cesárea minimamente invasiva. As palestras serão proferidas por professores da própria FMB e também convidados da Universidade de São Paulo (USP) e Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). As inscrições para o curso serão abertas na primeira semana de fevereiro e deverão ser feitas exclusivamente pelo site da FMB. A capacitação terá custo de R$ 40. Informações podem ser obtidas pelos te l e f o n e s ( 1 4 ) 3 8 1 1 - 6 0 9 0 / 3811-6227 ou pelo email: imaesta@fmb.unesp.br. O 12º curso de Patologia Obstétrica tem apoio da Faculdade de Medicina de Botucatu, Pró Reitoria de Extensão (Proex) da Unesp e também da Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo (Sogesp) Regional Avaré/Bauru/Botucatu/Jaú.

Infra-Estrutura

Nova portaria para pedestres entra em atividade no câmpus de Rubião Júnior Para facilitar a locomoção no campus da Unesp, em Rubião Júnior, já está em funcionamento a nova portaria para pedestres no antigo acesso pela Rua Antônio Butgnolli. A construção foi um investimento conjunto da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB), Administração Geral do Campus (AG), Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB) e Fundação para o Desenvolvimento Médico e Hospitalar (Famesp). O espaço prioriza o conforto tanto aos usuários dos serviços oferecidos no local quanto aos portadores de necessidades especiais. A portaria conta com guarita e rampa para acesso a cadeirantes e pessoas com problemas de locomoção. Ainda está prevista, para os próximos meses, colocação de catracas. O funcionamento em caráter experimental até o final de janeiro, de segunda a sexta-feira, das 8 às 18 horas. Também será deslocado futuramente um vigia para acompanhamento do fluxo. Com isso, o antigo acesso de pedestres no câmpus, próximo ao ponto de ônibus da vicinal

Raimundo Putty, será fechado. A medida visa garantir maior segurança aos usuários e alunos que se utilizam dos serviços e unidades de ensino existentes no câmpus, conforme explica Carlos Winckler, diretor administrativo da AG. “Esperamos facilitar o acesso para quem procura a Unesp em Rubião Júnior. Tínhamos uma antiga entrada de pedestres que não era adequada até mesmo a pacientes que se utilizam do Hospital das Clínicas”, explica. A portaria também deve dinamizar o fluxo de pessoas que procuram as Casas de Apoio ao Hipertenso e ao Transplantado Renal, mantidas pela Famesp e também a Farmácia de Alto Custo, que deixou as dependências do HCFMB para ter novas instalações com maior capacidade de atendimento. O câmpus da Unesp, em Rubião Júnior, conta atualmente com três entradas para pedestres: uma no Instituto de Biociências, pela vicinal Raimundo Putty, ao lado da Base Comunitária da Polícia Militar; o novo acesso pela Rua João Butgnolli e a portaria principal do câmpus, próximo à Famesp.

Local oferecerá maior segurança aos pedestres e prioriza o acesso a portadores de necessidades especiais janeiro

2012


10 Hospital das Clínicas

Clássico sobre tratamento da leucemia é distribuído à familiares de pacientes no HC de Botucatu Os pais e responsáveis por crianças com leucemia, acompanhadas no Setor de Oncologia Pediátrica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB), foram presenteados, dia 14 de dezembro, com um livro que pode fazê-los mudar a maneira de enxergar a doença de suas crianças. Exemplares da publicação “Você e a Leucemia. Um dia de cada vez”, escrita pela médica Lynn S. Baker, foram distribuídos através de uma doação da empresa farmacêutica Pfizer. O livro, recentemente traduzido do inglês para o português, tem o objetivo de atingir crianças com leucemia e as pessoas que cuidam delas. Ele foi escrito, segundo seu prefácio, de forma especial para ser lido pela maior parte das crianças acima de 8 ou 9 anos de idade e compreendido por pessoas de todas as faixas etárias. A publicação também pretende prover conhecimento sobre a doença e de como lidar com ela. Originalmente o título da obra era You and Leukemia, escrito em A publicação pretende 1975. O material, hoje utilizado prover conhecimento por profissionais de saúde do sobre a doença e de mundo todo envolvidos com o tratamento da doença, foi publicomo lidar com ela cado pela primeira vez em língua estrangeira no Japão, em 1982, pela Saunders (Ed. Elsevier). Em 2010, a tradução para o português foi viabilizada através do esforço de um casal carioca: Rodrigo e Maria Isabel Capistrano, pais de uma garota de 1 ano e 10 meses que teve leucemia. Impressionados com a linguagem usada no livro e gratos pela importância que as informações nele contidas tiveram em um dos momentos mais difíceis de suas vidas, Rodrigo e Maria Isabel

buscaram parceiros que os ajudaram a concretizar o projeto. Além da Pfizer, o CordVida – um banco de armazenamento de células-tronco – também foi responsável por trazer a publicação para o Brasil. “Tivemos no You and a Leukemia o conforto material, técnico, médico, que faltava. Preencheu perfeitamente uma lacuna importante que tínhamos”, afirmam no texto do prefácio os idealizadores da edição brasileira do livro.

O material é utilizado, hoje, por profissionais de saúde do mundo todo envolvidos com o tratamento da doença,

Atualização

2ª Jornada de Diabetes e 1ª Jornada das Especialidades Clínicas movimenta servidores e alunos do HCFMB

Servidores do Hospital das Clínicas vestiram-se à caráter para alegrar o Natal de crianças e adultos internados nas enfermarias

Solidariedade

Funcionários se mobilizam e presenteiam pacientes Servidores do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB), autarquia vinculada à Secretaria de Estado da Saúde, realizaram, dia 22 de dezembro, uma ação beneficente com a distribuição de presentes a pacientes do hospital. A iniciativa, promovida por funcionários da Superintendência do Hospital, ocorreu pelo segundo ano. Vestidos como Papai-Noel e com roupas alusivas ao Natal, os servidores percorreram os diversos setores da unidade e quartos das enfermarias distribuindo presentes, doces e salgados aos pacientes e familiares. Ao todo, foram doados mais de 250 presentes entre bolas e bonecas. Mais de 500 kits contendo doces e salgados completaram a homenagem aos usuários da unidade. Além das enfermarias, em outros locais com o suporte do HCFMB também foi feita a distribuição dos presentes como os Prontos Socorros do próprio hospital e PS Adulto, que fica em Botucatu. Toda a arrecadação dos brinquedos, doces e salgados foi realizada através de mobilização entre os próprios servidores e contou com a colaboração da comunidade local. “Houve uma sensibilização grande das pessoas que trabalham aqui no hospital e conhecem a realidade de quem procura a assistência em nossa unidade. Essa mobilização envolveu muitas pessoas que trabalham em prol desses pacientes e também de uma comunidade muito receptiva”, disse Alan Fonseca, um dos responsáveis pela distribuição. “O que nos marcou sempre foi o sorriso de cada criança ao receber os presentes”, frisou Alan Tomazella, que encarnou um dos Papais-Noel da ação. janeiro

2012

Aconteceu entre os dias 12 e 13 de dezembro, no Salão Nobre da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB), a 2ª Jornada de Diabetes e 1ª Jornada das Especialidades Clínicas do Hospital das Clínicas da FMB . A Abertura aconteceu no dia 12, às 13h30, com a participação da palestrante Maria Justina D. B. Felippe, coordenadora do Departamento de Auditoria, Avaliação e Controle do HCFMB, sobre Segurança do Paciente.A enfermeira Aparecida de Fátima Lopes Andrini, que representou a Divisão Técnica de Enfermagem na abertura do evento, salientou que os temas discutidos estão em sintonia com as atuais necessidades das equipes que atuam no Hospital. “É uma grande oportunidade de atualização”, disse. O público-alvo do evento foi toda a comunidade universitária, alunos, profissionais de enfermagem da Rede Básica de Saúde, além de médicos residentes e servidores técnicoadministrativos. Os participantes puderam assistir a palestras e participar de debates. No primeiro dia, em sua primeira parte, a Jornada teve apresentações específicas sobre Diabetes. Após o intervalo, o assunto foi doenças reumáticas e oncologias. Para o segundo

Jornada teve por finalidade mostrar temas atuais e pertinentes sobre a doença dia, os temas foram tratamento de emergência, insuficiência respiratória, entre outras. Em seguida, o enfoque foi em terapia para transplantados e doenças neurológicas.

Confraternização

Oncologia Pediátrica promove festa de final de ano a pacientes e familiares Momentos de confraternização e alegria. Foi o que pacientes e familiares da Enfermaria de Oncologia Pediátrica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (HCFMB), vivenciaram durante festa realizada dia 19 de dezembro. Mais de 130 pessoas se reuniram na sede da Associação dos Docentes, no Distrito de Rubião Júnior. Após um ano de tratamento contra o câncer, as crianças assistidas pelo HCFMB (autarquia vinculada à Secretaria de Estado da Saúde) ganharam doces e salgados e puderam se divertir em brinquedos instalados no local. Também receberam presentes, adquiridos por

meio de doações de empresas. Esse é o terceiro ano em que a confraternização é realizada e o intuito, segundo a médica oncologista Lied Pereira, responsável pelo serviço no hospital, foi de promover interação e momentos diferentes dos vivenciados durante o tratamento contra o câncer. “A Oncologia Pediátrica quis proporcionar mais uma oportunidade para que haja um momento agradável a essas crianças. Essa época do ano é difícil para muitas famílias por causa do tratamento. Essa proximidade entre parentes e crianças é importante até mesmo para a recuperação desses pacientes”, frisa.


11

Hospital das Clínicas

PS Adulto de Botucatu atendeu mais de 61 mil casos em 2011 O Pronto-Socorro Adulto “Dr. Virgínio José Lu“Enfim, todos esses equipamentos fazem parte de uma nardi”, localizado na Vila Assumpção, fechou 2011 rede integrada composta por uma equipe de excelente com um saldo mais que positivo. De abril, mês de nível técnico e que tem o suporte do HC da Unesp, e que inauguração do PS, até dezembro do ano passado em pouco tempo oferecerá maior estrutura à população foram registrados 61.718 atendimentos. botucatuense atendida pelo SUS [Sistema Único de A unidade médica de urgência e emergência oferece Saúde]”, afirma o secretário e professor da Faculdade de em Botucatu atendimento 24 horas em casos de menor Medicina de Botucatu. gravidade nas especialidades de Sobre o PS - A área física total do Pronto clínica médica geral e ortopedia para é de 1.588 metros quadrados e O Pronto-Socorro Socorro pessoas acima de 15 anos. Ainda asinclui: seis consultórios médicos; sala para Adulto de Botucatu inalação; sala de gesso; duas salas para sim, 922 casos envolvendo crianças foram acolhidos e encaminhados ao possui um grupo de mais curativos; duas salas para atendimento PS do Hospital das Clínicas da Unesp, de emergência; 12 leitos, sendo oito de de 50 funcionários que ficou menos sobrecarregado. observação, três de emergência e um para “A demanda atendida na Unesp isolamento; sala para Raio-X; equipamento diminuiu muito. Enquanto lá no HC de Tele eletrocardiograma, conectado ao o atendimento gira em torno de dois mil por mês, aqui no Instituto de Cardiologia Dante Pazanezze. PS Adulto estamos numa média de quase oito mil”, comO PS foi construído em 2008, ao custo de aproximadapara o enfermeiro chefe Julio César Bonsegno de Oliveira, mente R$ 1,5 milhão, mas logo no início do ano seguinte supervisor técnico do Pronto-Socorro da Vila Assumpção. a atual Administração Municipal do prefeito João Cury “A diferença está na nossa forma de acolhimento, o tempo Neto/Profº Caldas identificou inúmeras irregularidades, de espera tem diminuído bem e os pacientes que chegam principalmente estruturais do imóvel. Assim foi preciso encontram conforto e facilidade nas informações. No investimento de mais R$ 200 mil para adequações estrunosso sexto mês de funcionamento, para se ter uma ideia, turais do prédio que incluíram substituição do telhado, realizamos uma pesquisa que apontou que boa parte das de toda parte elétrica e gás, nova pintura e reforma para pessoas que utilizam nosso PS Adulto também tem con- a inclusão de um posto de enfermagem. vênio particular. Isso mostra a aceitação da população por O Governo do Estado repassou outros R$ 800 mil esse serviço público, que de maneira geral tem sido de para a compra de novos equipamentos. O PS tem um qualidade”, completa. custo mensal de aproximadamente R$ 480 mil, no qual O vice-prefeito e secretário municipal da Saúde, Antonio dois terços são injetados pelo Hospital das Clínicas da Luiz Caldas Júnior, salienta que o PS Adulto tem oferecido Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB), autarquia retaguarda à todo sistema público de Botucatu, que tende da Secretaria de Saúde do Estado, e outro um terço pela a se fortalecer ainda mais neste ano. “Viabilizamos o Samu própria Prefeitura de Botucatu. [Serviço de Atendimento Móvel de Urgência] e reforçamos O Pronto-Socorro possui um grupo de mais de 50 nossa frota de ambulâncias. Estamos construindo quatro funcionários, que inclui nove médicos plantonistas sendo novas Unidades de Saúde no Comerciários, Vitoriana, César um ortopedista. Ele atende casos de média complexidade Neto e Santa Elisa, além do Hospital Estadual e Clínica de não apenas de Botucatu, mas também provenientes de 13 Recuperação para Dependentes Químicos. Sem falar no cidades da região: Itatinga, Bofete, Pardinho, São Manuel, Hospital Sorocabana, que será totalmente reformado ainda Areiópolis, Torre de Pedra, Porangaba, Pratânia, Anhembi, este ano pelo Poder Público”, disse. Conchas, Laranjal Paulista e Pereiras.

Estatísticas do PS Adulto: Atendimento clínico: 52.246 Atendimento de ortopedia: 9.472 Pacientes em observação: 1.313 Pacientes de emergência: 1.696 Atendimento serviço social: 2.127 Serviço de Nutrição: 6.052 Atendimento de crianças: 922 Atendimento de gestantes: 180 Serviço Pronto-Socorro Adulto “Dr. Virgínio José Lunardi” Rua Joaquim Lyra Brandão, nº 285 - Vila Assumpção Telefones: (14) 3813-6199 / 3813-3971 / 3813-6346

Parceria

Fundação Uni dará respaldo a projeto que visa ampliar a abrangência de serviços em saúde A Prefeitura de Botucatu, através da Secretaria Municipal de Saúde, lançou oficialmente o Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf), mais um serviço compreendido pelo programa “Botucatu com mais saúde”. O lançamento realizado na Sala de Teleconferência da Secretaria de Educação foi acompanhado por autoridades públicas e profissionais ligados à área da saúde como José Carlos Peraçoli, vice-diretor da Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB); Dr. José Carlos Christovan [Bazuka] diretorpresidente da Fundação UNI; e Marcos de Jesus Rodrigues Oyan, presidente do Conselho Municipal de Saúde. Ele propõe ampliar a abrangência e a diversidade das ações das equipes de Saúde da Família que atuam no Município e, principalmente, trazer maior resolutividade, qualidade e humanização aos casos atendidos pela Rede Básica Municipal. O Nasf é formado por uma equipe multiprofissional que inclui cinco assistentes sociais, cinco psicólogos, dois nutricionistas, dois educadores físicos, dois fisioterapeutas, dois terapeutas ocupacionais, um médico geriatra, um médico gineco-ob-

stetra, um médico psiquiatra, um médico pediatra, um médico homeopata, cinco farmacêuticos, dois acupunturistas e um psicólogo. As áreas estratégicas abrangidas pelo Núcleo são: saúde da criança e do jovem; saúde da mulher; reabilitação/saúde integral da pessoa idosa; saúde mental; alimentação e nutrição; assistência social; atividade física/ práticas corporais; assistência farmacêutica; práticas integrativas e complementares. O novo serviço estará sob gestão da Fundação UNI. Os profissionais foram contratados através de concurso público e ficarão responsáveis por incentivar e desenvolver atividades lúdicas, esportivas e terapêuticas dentro da Atenção Básica. O trabalho do Nasf se dá através da integração dos profissionais de diferentes áreas de conhecimento atuando em conjunto com os profissionais das equipes de Saúde da Família, compartilhando e apoiando as práticas em saúde nos territórios sob sua responsabilidade, mediante critérios de prioridades identificadas a partir das necessidades locais.

Karen Menozzi, ao lado de Andreia Zamberlan, ressalta que mudanças no setor darão maior proximidade com as seções subordinadas

Nova diretora da Divisão de Enfermagem frisa mudanças e responsabilidade do setor Desde dezembro, a Gerência de Enfermagem (antiga Divisão Técnica de Enfermagem) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB), autarquia vinculada à Secretaria de Estado da Saúde, passa por mudanças em sua gestão administrativa. A enfermeira Karen Menozzi foi aprovada em processo seletivo e, a partir de 1º de fevereiro, passa a dirigir o setor que agrega os serviços de enfermagem da unidade. Karen passa a substituir Andreia Zamberlan no setor, que é responsável por gerenciar todas as atividades de enfermagem do hospital (com exceção das equipes do setor de Quimioterapia). Também é de competência da Seção o treinamento de pessoal e representação da classe de enfermagem junto à Superintendência do hospital e do Conselho Regional de Enfermagem. Uma das principais metas a serem trabalhadas, segundo a nova gestora, será o auxílio, por parte da Gerência, no processo de implantação do novo sistema de informação do HC. Essa ajuda se dará pela padronização de kits de materiais usados no atendimento aos pacientes, procedimentos, entre outros pontos de competência das equipes de enfermagem. “Temos algumas metas muito claras: realizaremos mudanças no processo de trabalho das seções enfocando a segurança do paciente; os aspectos relacionados à humanização hospitalar; capacitação de servidores; orientações a pacientes, familiares e cuidadores com estabelecimento de contra-referência em Enfermagem a sua cidade de origem”, ressalta Karen. Segundo a nova gestora, a seção também passará por mudanças estruturais. As Temos algumas metas primeiras alterações serão muito claras: realizaremos centradas no organograma, que passará a contar com mudanças no processo de um gerente de enfermatrabalho das seções focando gem e seis gerentes de a segurança do paciente núcleo. Anteriormente, essa gestão era feita por um Karen Menozzi ao pontuar algumas diretor de divisão e três das principais metas de trabalho diretores de serviço. “Essas mudanças possibilitarão um trabalho mais próximo às seções, avaliando a qualidade da assistência prestada e seu gerenciamento”, frisa. Maior unidade pública de saúde da região de Botucatu vinculada ao Sistema Único de Saúde (SUS), o HCFMB conta com 415 leitos e 52 de UTI (30 adultos, 15 neonatal e 7 pediátricos), 194 consultórios médicos e 31 salas especializadas realiza, em média, 2 milhões de exames, 600 mil consultas, 20 mil internações e 11 mil cirurgias por ano. O hospital tem em seu quadro 170 enfermeiros e mais de 800 técnicos de enfermagem. Karen Menozzi é graduada em enfermagem pelas Faculdades Integradas de Jaú (2003) e iniciou suas atividades no Hospital das Clínicas no ano seguinte, atuando até 2006 na Supervisão de Enfermagem. Em 2007, atuou por um período como enfermeira substituta na Seção Técnica de Enfermagem em Neurologia e posteriormente na Enfermaria de Oftalmo e Otorrino e Cirurgia de Cabeça e Pescoço, onde foi supervisora técnica de seção durante dois anos. Entre 2009 e 2011, foi supervisora técnica na Enfermaria de Ambulatório Geral e iniciou as atividades como enfermeira substituta da Diretoria de Serviço Clínico Cirúrgico.

janeiro

2012


12 Hospital das Clínicas

HCFMB conquista nível internacional na captação de órgãos O Ser viço de Procura de Órgãos e Tecidos (SPOT) do Hospital das Clínicas Botucatu (HCFMB) obteve resultado expressivo em 2011 ao se tornar a terceiro Ser viço do Estado na taxa de doadores de órgãos efetivos por milhão de população (doador pmp/ano) atingindo o índice de 25,6 doador pmp/ano, com a obtenção de 35 doadores efetivos em 2011. Somente a Santa Casa de São Paulo, com 50,4 doadores por milhão de população e a Escola Paulista de Medicina com 27,3 doadores pmp/ano, superaram essa taxa. Esse resultado coloca o SPOT do Hospital das Clínicas de Botucatu como o primeiro serviço no interior paulista em comparação aos demais serviços de procura de órgãos. Esses números são superiores aos obtidos em 2010, quando foram 92 notificações e 16 doações e de 2009, quando o SPOT recebeu 56 notificações e obteve 9 doadores. Com esses resultados, o ser viço obtém nível internacional na doação já que, Espanha e Estados Unidos (os dois primeiros maiores países em transplantes de órgãos e tecidos) tem resultados de 34 e 25 doadores por milhão de população, respectivamente.

Hospital das Clínicas é a maior unidade de assistência em saúde nas regiões de Bauru e Botucatu A o t o d o , f o r a m 9 0 ó rg ã o s transplantados, entre coração, pâncreas, rins e fígado. Pa r a o c o o r d e n a d o r d o SPOT do Hospital das Clínicas, Reginaldo Boni, a reestruturação do serviço passou a ser

O Serviço de Procura de Órgãos e Tecidos abrange municípios das regiões de

Bauru, Botucatu e Avaré

Constatação

Detalhe do fungo causador da micose janeiro

2012

@

Conheça a página da FMB no Facebook www.facebook.com/fmb.unesp

Reconhecimento

Estudo analisa reação do sistema imunológico contra fungo causador da micose Uma tese de doutorado da biomédica Michele Janegitz Acorci Valerio, vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Doenças Tropicais Faculdade de Medicina de Botucatu/ Unesp (FMB) e que teve como co-autora a professora Luciane Alarcão Dias-Melicio, do Departamento de Patologia, recebeu menção honrosa no prêmio Capes de Tese 2010 (área de Medicina II). Essa é a segunda premiação consecutiva recebida pelo mesmo grupo de pesquisa. O reconhecimento foi divulgado dia 15 de dezembro, em Brasília (DF). A ação é promovida pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). O estudo, que contou com orientação da professora Angela Maria Victoriano de Campos Soares, analisa a interação dos neutrófilos (células do sistema

fundamental para o aumento no número de doações. Algumas medidas foram fundamentais como a busca diária de potenciais doadores e a intensificação do uso de recursos como transporte e

exames complementares para a constatação de morte encefálica, que o Estado oferece. Boni frisa, ainda, outros pontos como a capacitação dos profissionais que compõem o SPOT e outros hospitais da região em parceria com a Central de Transplantes e instituições como a Organização Nacional de Transplantes da Espanha e a Santa Casa de São Paulo, foram relevantes. “O aperfeiçoamento profissional foi importante para a mudança de postura da equipe. Por exemplo, eles passaram por um curso, de nível internacional, sobre a comunicação de más notícias aos familiares do doador ”, declarou. O Ser viço de Procura de Ó rg ã o s e Te c i d o s a b r a n g e m u n i c í p i o s d a s re g i õ e s d e Bauru, Botucatu e Avaré, com mais de 30 hospitais. A equipe é formada por 6 enfermeiros, 1 secretária e 1 médico, além do apoio dos Ser viços de Neurologia e Neurocirurgia, laboratórios, cirurgiões e intensivistas. Conta ainda, com o importante apoio e trabalho de colaboradores de muitos hospitais dessas regiões.

Exposição fotográfica homenageia servidores da Unesp Botucatu Por iniciativa da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB), através de seu Grupo Técnico de Desenvolvimento em Recursos Humanos (GTDRH) ocorreu, entre os dias 12 e 22 de dezembro, uma exposição fotográfica em homenagem aos servidores do câmpus de Botucatu. A ação foi uma forma de comemorar o Dia do Servidor do Câmpus, instituído em 10 de dezembro de 1986, através de proposta do então presidente do Grupo Administrativo do Câmpus e atual professor emérito da Escola, William Saad Hossne. O Hospital das Clínicas e a Faculdade de Ciências Agronômicas de Botucatu/Unesp também reconheceram a importância de seus funcionários através da mesma ação cultural. Foram produzidos, com apoio da Assessoria de Comunicação e Imprensa (ACI) da FMB e da FCA, painéis com fotos das equipes de várias áreas das instituições envolvidas, que serão expostas em três locais diferentes. Foram preparados mais de 60 pôsteres. A proposta foi reconhecer o trabalho desses funcionários, que se dedicam diariamente a engrandecer e desenvolver as instituições que representam. Todos os trabalhadores da Unesp de Botucatu devem sentir-se lembrados, inclusive aqueles que, por algum motivo, não estiverem retratados nas imagens.

Michele Valério analisou a interação do fungo que se manifesta em diversos países da América Latina imune) com o Paracoccidioides brasiliensis (Pb 18) - fungo causador da paracoccidioidomicose, que se manifesta na maioria os países da América latina e afeta principalmente trabalhadores rurais, que estão constantemente em contato com a vegetação e solo. A região de Botucatu considerada uma área endêmica para essa doença. Sua forma aguda é habitualmente grave, de evolução rápida e compromete o baço, fígado, linfonodo - parte do sistema linfático - e medula óssea. A forma crônica tem duração prolongada, instalação lenta e gradual e as lesões permanecem localizadas ou

envolvem mais de um órgão ou sistema. Trata-se de uma doença grave, que pode matar se não tratada. A proposta da tese defendida por Michele foi mostrar de que forma os neutrófilos - uma das primeiras células a entrarem em contato com o fungo causador da paracoccidioidomicose respondem à ação desse invasor. Outro objetivo é entender como acontece a infecção pelo fungo e quais mecanismos imunológicos ocorrem no início desse processo. Os resultados obtidos contribuem para o melhor entendimento da interação desse fungo com o sistema imunológico humano.

Paineis com fotografias dos servidores ficaram expostos na FMB e FCA


Jornal da FMB Edição 40- Janeiro 2012