Page 1

FMB pode ampliar especialização em Saúde da Família Reunião entre Fundação UNI, FMB e Prefeitura de Botucatu define proposta de abrir vagas na especialização. Página 3

Pesquisadores HC/Unesp contemplados deve ter novo pelo CNPq tomógrafo O Hospital das Clínicas da Unesp (HC) ganhará um novo tomógrafo e será minimizada a fila de espera para a realização do exame. Para a aquisição do aparelho serão utilizados recursos obtidos através de uma emenda parlamentar do deputado federal José Anibal (PSDB). O governo federal já empenhou R$ 2 milhões, sendo que R$ 1,8 mi serão usados no tomógrafo e o restante será investido no Centro Cirúrgico e UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Página 11

AME de Bauru deve atender a mais de 10 mil consultas/mês O governador José Serra (PSDB) inaugurou dia 28 de janeiro, o Ambulatório Médico de Especialidades (AME), de Bauru, o 21º do Estado. O serviço é administrado pela Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) e Fundação para o Desenvolvimento Médico e Hospitalar (Famesp). Página 3

FOTO VIVIAN GARCIA/ ACI HEB

A Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp teve nove pesquisadores na lista de contemplados com Bolsas de Produtividade em Pesquisa do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico). A relação foi divulgada dia 22 de dezembro de 2009 e foram aprovadas 5.826 bolsas. As Bolsas de Produtividade em Pesquisa são concedidas para pesquisadores de todas as áreas do conhecimento com o objetivo de distinguir seu trabalho e valorizar sua produção científica. Página 5

Faculdade será sede para a capacitação de professores A Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB), se tornou uma das sedes no Estado de São Paulo, em 2010, do Curso de Formação Docente em Educação Profissional Técnica na Área da Saúde. Voltado a professores de cursos

técnicos em saúde, tem como objetivo a especialização desses profissionais em didáticas de ensino na área. A especialização tem caráter de pós-graduação lato sensu. A abertura ocorreu dia 18 de janeiro no salão nobre da FMB. Página 9

FMB firma Professor da convênio com FMB assume a Alemanha SCICVESP A Faculdade de Medicina de Botucatu firmou, em 2009, acordo de cooperação com a União de Hospitais de Dusseldorf, na Alemanha. As instituições serão parceiras em pesquisas, intercâmbio e ações de interesse mútuo. Página 12

O professor Marcos Augusto de Moraes Silva foi eleito em novembro de 2009 para a presidência da Sociedade de Cirurgia Cardiovascular do Estado de São Paulo (SCICVESP). O mandato corresponde ao biênio 2010/2011. Página 4

Dr. Raul Ruiz é presidente da Comissão de Ética Médica

‘Ato Médico não deve ser restritivo’ Página 7

Incinerador do campus será mais ‘limpo’ Prof. Vidal Haddad Jr. enfoca prevenção para banhistas

Cartilha ensina prevenção a acidentes com animais marinhos Durante os meses de janeiro e fevereiro, a Unesp dará procedimento a sua atividade anual de orientação a banhistas que viajarem principalmente para as praias do litoral paulista. O dermatologista Vidal Haddad Jr., professor da Faculdade de Medicina da

Unesp de Botucatu, produziu em parceria com pesquisadores da USP - um material educativo sobre acidentes marinhos com o objetivo de manter a população informada, no período de férias, quando aumenta o fluxo de pessoas nas praias. Página 8

Novo incinerador estará localizado nas proximidades da FMVZ

Está em construção no campus da Unesp, em Rubião Júnior, um novo forno incinerador para a eliminação dos resíduos infectantes gerados principalmente pelo Hospital das Clínicas. O equipamento substituirá o antigo dispositivo, que não atende aos padrões exigidos pelos órgãos fiscalizadores e será desativado. A coordenação é do Grupo Administrativo do Campus (GAC) de Botucatu. A previsão é que a obra seja concluída ainda em 2010. Página 12


2 agenda FMB

SOLIDARIEDADE

Instituições arrecadaram doações para vítimas do terremoto no Haiti

11/02/2009 - DEFESA DE TESE FERNANDO DO CARMO SILVA AVALIAÇÃO HEMODINÂMICAE DO ÍNDICE BISPECTRAL (BIS) DE CADELAS ANESTESIADAS COM MIDAZOLAM E CETAMINA ASSOCIADOS À MEDETOMIDINA OU DEXMEDETOMIDINA E SUBMETIDAS A OVÁRIO-SALPINGO-HISTERECTOMIA Programa: Anestesiologia Orientador: Prof. Dr. Paulo do Nascimento Junior Local: Sala de Aulas do Depto de Anestesiologia - FMB - UNESP Horário: 08h30

A Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB), seu Hospital das Clínicas (HC) e a Famesp (Fundação para o Desenvolvimento Médico e Hospitalar) passam a fazer parte da rede de entidades que, voluntariamente, se mobilizam para ajudar as vítimas do terremoto que devastou o Haiti no início de janeiro. Dois pontos de coleta de mantimentos estiveram alocados no hospital e um foi instalado na sede da fundação. Segundo a supervisora substituta do Serviço Social do HC, Adriana Henriques Ribeiro, foram coletados até esta quarta-feira, dia 27, 23,6 litros de água, 6 litros de leite, entre outros alimentos como açúcar, farinha e latas de leite em pó. No entanto, grande quantidade de roupas e calçados foram entregues por servidores, alunos e usuários do hospital e faculdade. “A arrecadação nos surpreendeu pela quantidade de roupas doadas. A comunidade se mostrou entusiasmada e receptiva com a campanha”, declarou Adriana.

11/02/2009 - DISSERTAÇÃO DE MESTRADO SABRINA SINABUCRO KANESIRO BIZELLI A SAÚDE NA ROÇA: ESTUDO HERMENÊUTICO DE UM SERVIÇO DE SAÚDE DA FAMÍLIA Programa: Saúde Coletiva Orientador: Profa. Dra. Elen Rose Lodeiro Castanheira Local: Anfiteatro do Depto. de Saúde Pública - FMB - UNESP Horário: 14 horas

Para a vice-diretora da Faculdade de Medicina, professora Silvana Artioli Schellini, auxiliar o próximo faz parte do ideal de quem se dedica ao setor saúde. “Desta forma, a Faculdade de Medicina de Botucatu se sensibiliza com o sofrimento dos haitianos e procura meios de dispensar a eles a ajuda de que tanto

necessitam neste momento de sofrimento e dor. Este foi o motivo que nos levou a aderir a esta nobre causa”, destaca. Os donativos foram entregues à Guarda Civil Municipal de Botucatu dia 1 de fevereiro, que encaminhou o material para a Defesa Civil do Estado para a remessa ao país da América Central.

12/02/2009 - DISSERTAÇÃO DE MESTRADO ELAINE MACHADO DE OLIVEIRA O SIGNIFICADO PARA O ENFERMEIRO DO PROCESSO DE TRABALHO NAS UTIS DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DO ESTADO DE SÃO PAULO Programa: Fisiopatologia em Clínica Médica Orientador: Profª. Drª. Wilza Carla Spiri Local: Anfiteatro Profª.Drª. Maria José dos Reis LIma - Depto. de Enfermagem Horário: 10 horas 12/02/2009 - DISSERTAÇÃO DE MESTRADO DANIELA SALATE BIAGIONI VULCANO AVALIAÇÃO DOS INDICADORES NUTRICIONAIS E DA COMPOSIÇÃO CORPORAL EM HEPATOPATAS CRÔNICOS E A RELAÇÃO COM ETIOLOGIA E GRAVIDADE DA DOENÇA Programa: Bases Gerais da Cirurgia Orientador: Prof. Alexandre Bakonyi Neto Local: Solário da Enfermaria de Gastrocirurgia Horário: 9 horas

Serviço Social da FMB e HC entrega doações à GCM

ARTIGO

A universidade do novo século: uma reflexão sobre ensino, pesquisa e extensão ADRIANA POLACHINI DO VALLE E PAULO JOSÉ FORTES VILLAS BOAS

talhada e diversificada em numerosas pesquisas, porém, não pela diversidade de descobertas encontradas, mas sim pela necessidade de produção. Este contexto promove dificuldades para que os resultados obtidos nas diversas pesquisas tenham como aplicação a própria extensão. Além disso, esta prática, na verdade utilizada em todo o planeta, promove a manutenção da produção científica, em detrimento da liberdade de olhar além do muro da universidade e refletir qual seria, dentro de cada área de atuação, o melhor investimento intelectual e qual a real necessidade da sociedade naquele momento. Porém, parece que reflexão, cidadania e criatividade não são atividades que devam ser incentivadas. Parece que as

as atividades de pós-graduação, em detrimento ao ensino de graduação, extensão e gestão. Aqui uma impropriedade: para estar inserido em um programa de O professor universitário do novo pós-graduação é necessária a publiséculo tende a ser caracterizado como cação de artigos ditos de impacto; para uma criatura eclética e polivalente. Conproduzir um artigo de impacto é necesdições essenciais para sua existência: sária a realização de pesquisa de alto o espírito voltado para a descoberta, o nível; para realizar pesquisa de alto nígosto pela busca e investigação sistevel é imperativo o financiamento; para mática além da habilidade de ministrar enobtenção financiamento é obrigatório sinamentos. E, simultaneamente, compreestar em um programa de pós-graduaender as necessidades da sociedade na ção. Entre os requisitos para ascensua área de atuação e aplicar o conjunto são nos planos de carreira do docente de sua obra em prol desta demanda. também é obrigatório estar inserido em Obviamente que fazemos essas atiprograma de pós-graduação. vidades com prazer, já que escolhemos É fato que a Unesp seja uma Uniessa profissão e reconhecemos nossa versidade de Pesquisa, porém, como missão. Porém, cabe aqui alguma refleincentivar o docente para as atividaxão, particularmente sobre as exigêncides de ensino de graduação, as advindas das avaliações gestão e extensão se esses dodocentes implantas nas univer- A FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS QUALIFICADOS mínios não são, ou são pouco, sidades públicas estaduais. (PELA GRADUAÇÃO) AFETA NOTAVELMENTE A valorizados para manutenção As pesquisas são pontude sua carreira? CAPACIDADE DA SOCIEDADE EM PREPARAR adas nas avaliações de forOutro aspecto que merece rema incisiva, e, obviamente, CIDADÃOS CAPAZES DE GERAR CONHECIMENTO flexão é a avaliação das atividaestão atreladas às publicades do docente, que julgamos neE DE PRODUZIR RIQUEZA ções em revistas científicas cessária, pois é uma forma de de alta qualidade, solicitadas prestação de conta para a sociepor autores de todos os cantos do universidades estão saudosistas dos dade. Porém, neste momento faz-se nemundo. Não que isso nos assuste, afi“Tempos Modernos” de Charles Chapcessário uma reflexão quanto ao tripé nal de contas somos capazes de prolin. E no novo século, seremos docenensino-pesquisa-extensão: qual a forduzir pesquisas inovadoras e de imtes, ultraespecializados e repetitivos ma mais justa que estes três segmentos pacto, embora com infinitamente meem nossas linhas de pesquisa, exesão mutuamente complementares? nor verba quando comparados a qualcutando tarefas em tempo mínimo e Finalizando, é importante lembrar quer país de primeiro mundo. com alta produtividade. que a formação de profissionais qualifiO que de fato questionamos é esta No meio disso tudo, há de se miniscados (pela graduação) afeta notavelimposição exacerbada em apenas uma trar ensinamentos e transmitir conhecimente a capacidade da sociedade em das competências docente, gerando mento, que são as principais razões da preparar cidadãos capazes de gerar couma necessidade quase insana de proexistência das Universidades com a fornhecimento e de produzir riqueza. duzirmos trabalhos científicos sem termação de recursos humanos de qualiAssim sendo, o professor univermos chance de observar as dimensões dade. Este fato é importante principalsitário do novo século deverá busdessa investigação e sua aplicação na mente na sociedade brasileira, onde mecar por ações corretivas imediatas, comunidade, não somente científica, mas nos de 9% dos jovens entre 18 e 24 para além de eclético e polivalente, naquela que paga o nosso salário. anos tem acesso ao ensino superior, que também ser feliz. Este cenário contribui para uma busé, na verdade, a grande questão que ca da pesquisa pela pesquisa e não pelo inquieta a comunidade nos dias de hoje. ADRIANA POLACHINI DO VALLE E objetivo do estudo. Paradoxalmente, o Como dito, atualmente as avaliações PAULO JOSÉ FORTES VILLAS BOAS universo do pensar foi invadido pelo unido docente pela universidade e pelos são professores do Departamento de verso da práxis. Muitas vezes, uma linha órgãos de fomento à pesquisa valorizam Clínica Médica da Faculdade de pesquisa inicial será ramificada, deprincipalmente este domínio (pesquisa) e de Medicina de Botucatu/Unesp

JANEIRO 2010

12/02/2009 - DISSERTAÇÃO DE MESTRADO ELISIANE TONON AVALIAÇÃO DOS EFEITOS DE DIFERENTES MANOBRAS DE FISIOTERAPIA RESPIRATÓRIA NO DESFECHO DE PACIENTES VENTILADOS MECANICAMENTE Programa: Fisiopatologia em Clínica Médica Orientador: Profª. Drª. Ana Lucia dos Anjos Ferreira Local: Salão Nobre da FM de Botucatu - UNESP Horário: 09 horas

12/02/2009 - DISSERTAÇÃO DE MESTRADO ESTELA MARIA BARIM CARACTERIZAÇÃO DO CONSUMO ALIMENTAR DE FRUTAS, VERDURAS E LEGUMES EM ADULTOS NA ATENÇÃO PRIMÁRIA Programa: Saúde Coletiva Orientador: Profa. Dra. Elen Rose Lodeiro Castanheira Local: Anfiteatro do Departamento de Saúde Pública - FMB - UNESP Horário: 14 horas 19/02/2009 - DEFESA DE TESE EDUARDO AGUILAR ARCA COMPARAÇÃO DOS EFEITOS DA HIDROCINESIOTERAPIA E DO TRATAMENTO FÍSICO REALIZADO NO SOLO EM HIPERTENSAS Programa: Fisiopatologia em Clínica Médica Orientador: Luis Cuadrado Martin Local: Anfiteatro Dr. Tibere - Departamento de Clínica Médica Horário: 9 horas 19/02/2009 - DISSERTAÇÃO DE MESTRADO LIAMARA CAVALCANTE DE ASSIS EFETIVIDADE DE EXERCÍCIOS DO ASSOALHO PÉLVICO DURANTE A GESTAÇÃO COMO MEDIDA PREVENTIVA DA INCONTINÊNCIA URINÁRIA E DA DISFUNÇÃO MUSCULAR DO ASSOALHO PÉLVICO Programa: Ginecologia, Obstetrícia e Mastologia Orientador: Prof. Dr. Adriano Dias Local: Solário do Depto. de Ginecologia e Obstetrícia Horário: 9 horas 19/02/2009 - DISSERTAÇÃO DE MESTRADO LIDIANE SILVA RODRIGUES TELINI EFEITO DA REDUÇÃO NO CONTEÚDO DE SÓDIO DA DIETA SOBRE O VOLUME DE ÁGUA CORPORAL E MARCADORES INFLAMATÓRIOS EM PACIENTES COM INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA EM TRATAMENTO HEMODIALÍTICO Programa: Ginecologia, Obstetrícia e Mastologia Orientador: Prof. Dr. Pasqual Parretti Local: Solário Marco Aurélio - Depto. de Clínica Médica da FM de Botucatu Horário: 9 horas 22/02/2009 - DEFESA DE TESE ANITA PERPÉTUA CARVALHO ROCHA DE CASTRO COMPARAÇÃO DOS EFEITOS DO SUFENTANIL E DA CLONIDIONAADMINISTRADOS POR VIA ENDOVENOSA PARA SEDAÇÃO EM PACIENTES SUBMETIDOS A CATETERISMO CARDÍACO Programa: Anestesiologia Orientador: Prof. Guilherme Antonio Moreira de Barros Local: Anfiteatro do Dep. de Saúde Pública Horário: 8h30 22/02/2009 - DEFESA DE TESE IEDA FRANCISCHETTI EFEITO DO MÓDULO DE INATIVAÇÃO LEUCOCITÁRIA (LIM) NA DISTRIBUIÇÃO DE 99MTC-GRANULÓCITOS EM PORCOS SUBMETIDOS À CIRCULAÇÃO EXTRACORPÓREA E À ISQUEMIA-REPERFUSÃO DE CORAÇÃO E PULMÕES Programa: Bases Gerais da Cirurgia Orientador: Prof. Dr. Winston Bonetti Yoshida Local: Solário do Departamento de Urologia - FMB - UNESP Horário: 9 horas 22/02/2009 - DEFESA DE TESE ANDRÉ SOARES LEOPOLDO INFLUÊNCIA DO TEMPO DE EXPOSIÇÃO À OBESIDADE SOBRE A FUNÇÃO CARDÍACA DE RATOS Programa: Fisiopatologia em Clínica Médica Orientador: Prof. Dr. Antonio Carlos Cicogna Local: Anfiteatro da Patologia Marcello Fabiano de Franco - FMB - UNESP Horário: 14 horas 06, 13, 20 E 27/04/2009 - EVENTO X CURSO DE PATOLOGIA OBSTÉTRICA Local: Departamento de Ginecologia e Obstetrícia Horário: 19 horas

Informações detalhadas no site www.eventos.fmb.unesp.br


3 NOVA ASSISTÊNCIA

HE de Botucatu começa a virar realidade Foi aberta e publicada no Diário Oficial do Estado de São Paulo, dia 22 de janeiro, a concorrência para a construção do Hospital Estadual de Botucatu, que será administrado pela Faculdade de Medicina/Unesp (FMB). Este processo aberto na Secretaria de Estado da Saúde, de nº 02/2010, prevê ainda reforma do SND (Serviço de Nutrição e Dietética) e Lavanderia, no Complexo Hospital Estadual Cantídio de Moura Campos, no mesmo município, onde também será erguido o Hospital Estadual. O encerramento da concorrência acontecerá dia 1º de março e, caso não haja recursos, após escolhida a empresa vencedora terá 30 dias para iniciar as obras. O novo hospital, com capacidade para 60 leitos, deve ser destinado a casos de média complexidade como procedimentos cirúrgicos simples e partos. A expectativa é atender 6 mil pessoas, em média, anualmente. A assistência ao usuário será em sistema de concordância entre o Hospital das Clínicas (HC) e a nova unidade de saúde. As instalações desta nova estrutura hospitalar deverão suprir uma carência regional no atendimento a casos de média complexidade. Com isto, a expectativa é desafogar o fluxo de atendimentos no HC. A Secretaria de Estado da Saúde liberou, em 2008, R$ 16 milhões para as obras.

ESPECIALIZAÇÃO

Residência em Saúde da Família pode ter mais vagas para sete profissões Em sua primeira reunião de 2010, a Fundação UNI – que dá suporte à rede básica de Saúde em Botucatu – encaminhou assuntos importantes, entre eles, a proposta de ampliação das vagas para as profissões que poderão se especializar em Saúde da Família. A intenção é que sejam oferecidas 6 vagas para Enfermagem e quatro para cada uma das outras seis áreas, para a chamada R1. A Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB), parceira neste e em vários outros projetos da Fundação UNI e Prefeitura de Botucatu, poderá se consolidar como um pólo de referência no aprimoramento de mão-de-obra nesta área. O ingresso é feito através de concurso. As áreas de especialização são: Nutrição, Educação Física, Fisioterapia, Psicologia, Serviço Social, Odontologia e Enfermagem. Para atuar junto aos professores da FMB, deverão ser contratados, pela Prefeitura de Botucatu, preceptores para supervisionarem as unidades e orientarem os residentes. A proposta já foi aprovada pelos integrantes da fundação em nível regional, mas ainda precisa ser avalizada nas esferas estadual e federal. Uma resposta deve

Representantes da Fundação UNI, FMB e Prefeitura reunidos ser apresentada até que será financiaA PROPOSTA JÁ FOI março deste ano. do pela Prefeitura Dr. José Carlos de Botucatu. SeAPROVADA PELOS Christovan, diretor- INTEGRANTES DA FUNDAÇÃO rão investidos executivo da FundaaproximadamenUNI EM NÍVEL REGIONAL te R$ 50 mil por ção UNI, prevê que, futuramente, a exmês”, esclarece. pansão da oferta de especialização Outro avanço foi a reposição de para o Programa Saúde da Família 61 funcionários na rede básica de pode gerar integração ainda maior saúde. O déficit ainda não foi zeentre a FMB e outras unidades da rado, mas já representou um imUnesp. “Aproveitamos uma propos- portante avanço para antigos prota do Ministério da Saúde e criamos blemas de atendimento nas unitambém o Núcleo de Apoio ao Pro- dades de saúde. “Nossa intenção grama Saúde da Família (NASF), é acabar totalmente com a falta

de trabalhadores na Saúde, mas já conseguimos importantes avanços”, coloca Dr. Christovan. Para o secretário Municipal de Saúde, professor Antônio Luiz Caldas Júnior, a parceria que a Prefeitura firmou com a Fundação UNI tem surtido resultados satisfatórios. Ele cita como principais a regularização dos recursos humanos e a preservação dos direitos e empregos das pessoas, que, no passado, foram contratadas pela Adefib (Associação dos Deficientes Físicos de Botucatu). “Avançamos muito no plano de cargos, carreiras e salários. Temos tido, durante as discussões, uma alta participação dos principais interessados. Representantes de de todas as categorias e chefes de unidades estão sendo ouvidos”, destaca. “Agora iniciaremos reuniões específicas”, avisa professor Caldas. Segundo o secretário, boa parte das contratações feitas via Fundação UNI tem caráter definitivo. “Aquilo a que nos propusemos vem sendo cumprido. Conseguimos um realinhamento salarial, levando em conta a média do mercado. As pessoas estão trabalhando mais animadas nas unidades. A Fundação UNI tem facilitado muito nossa administração na Saúde”, frisa.

ESPECIALIDADES

Com expectativa de atender a mais de 10 mil consultas, AME de Bauru é inaugurado oficialmente pelo governador O governador do Estado de São Paulo, José Serra (PSDB) inaugurou dia 28 de janeiro, o Ambulatório Médico de Especialidades (AME), de Bauru, o 21º do Estado. Após a cerimônia, marcada para dia 26 de janeiro, ter sido desmarcada devido ao fato de Serra não ter conseguido deixar a Capital, onde chovia muito, ele conheceu as instalações da unidade bauruense. O serviço é administrado pela Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) e Fundação para o Desenvolvimento Médico e Hospitalar (Famesp). Além do secretário de Estado da Saúde, Luiz Roberto Barradas Barata; do prefeito de Bauru, Rodrigo Agostinho (PMDB) e o deputado estadual Pedro Tobias (PSDB) estiveram presentes prefeitos e lideranças políticas da região. O diretor da FMB, professor Sérgio Swain Müller; o presidente da Famesp, professor Pasqual Barretti e o diretor do Hospital Estadual Bauru (HEB), Antero Frederico Macedo de Miranda também prestigiaram a entrega oficial do AME, cuja Diretoria Executiva está sob responsabilidade do também professor da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp, Antonio Rugolo Junior. Em seu discurso, Serra enfatizou a importância da parceria com a FMB. "A Faculdade de Medicina será a Organização Social que vai tocar este AME. Essa forma de organização social tem dado muito certo em São Paulo, tanto que outros estados estão copiando", afirmou. Há três meses em funcionamen-

Dr. Rugolo, diretor da unidade, mostra as dependências do AME ao governador José Serra, que compareceu à inauguração dia 28 to, o AME (Ambulatório Médico de Especialidades) tem como meta realizar, em breve, 10 mil consultas/mês. São oferecidas 17 especialidades e os atendimentos são realizados por um corpo clínico com 60 médicos. A construção do prédio e a instalação dos equipamentos consumiram aos cofres públicos estaduais cerca de R$ 3,6 milhões. As consultas são agendadas através de um sistema informatizado que integra as unidades básicas dos municípios da região ao AME. As vagas são disponibilizadas e os postos de saúde organizam a marcação das datas com base em sua cota. Segundo o diretor executivo do AME-Bauru e professor da FMB, Dr.

Antonio Rugolo Junior, atualmente o ambulatório não tem filas de espera. Das vagas para consultas que são oferecidas, nem todas são realizadas. Em outubro de 2009 foram disponibilizadas 1129 vagas de casos novos e realizadas 832 consultas. Já em janeiro deste ano, foram abertas 2954 vagas para casos novos. Os AMEs são unidades de alta resolutividade que possuem modernos equipamentos, como eletrocardiograma, teste ergométrico, raio X, ultrassom, mamografia, densitometria óssea e eletroneuromiografia, entre outros. A proposta do AME é melhorar a assistência aos usuários e desafogar o atendimento de hospitais e outras unidades de saúde da região.

AME possui equipamentos modernos de assistência à saúde JANEIRO 2010


4 MANDATO

ATUALIZAÇÃO

Prof. Rossano, novo chefe da Pediatria, quer excelência da graduação e estimular a pesquisa Os professores Rossano César Bonatto e Maria Regina Bentlin assumiram, oficialmente, a chefia e vice-chefia do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) em cerimônia realizada dia 14 de dezembro, às 16h30. A vice-diretora da FMB, profa. Silvana Artioli Schellini foi quem empossou os novos gestores para o mandato de dois anos. Rossano já era vice do exchefe do Departamento, professor Antônio Zuliani que, ao deixar o cargo, fez questão de listar as conquistas de seu mandato. Zuliani, no entanto, lamentou a perda da Pós-Graduação durante o período em que comandou a Pediatria. “Nesses 41 anos de existência do Departamento de Pediatria, ele evoluiu no espaço nacional e também no internacional. O comprometimento de sua comunidade com a excelência permite que alcancemos melhores posições no cenário e mun-

dial da pesquisa e da educação superior”, destacou ele, que ao final de seu discurso deixou conselhos aos seus sucessores. Já professor Rossano afirma que pretende manter a excelência da graduação e da assistência, que são os pontos fortes do departamento e também estimular a pesquisa. “Minha expectativa é de muito trabalho”, resumiu.

Departamento de Pediatria O Departamento de Pediatria iniciou suas atividades em 1966. No ano seguinte, foi ministrado o primeiro curso de Fisiopatologia Pediátrica para os alunos da 2a turma do Curso Médico e também o curso de Propedêutica Pediátrica. A partir de 1967 iniciaram-se

as atividades do Ambulatório, da Enfermaria de Pediatria - nas dependências do recém inaugurado Hospital das Clínicas. Ocorreu o planejamento e adaptação da área física do Berçário anexo à Maternidade e Berçário de Recém-nascidos externos, que iniciou suas atividades em 1973. Em 1968 foi criado o Departamento de Pediatria.

ROSSANO AFIRMA QUE PRETENDE MANTER A EXCELÊNCIA DA GRADUAÇÃO E DA ASSISTÊNCIA

Prof. Rossano recebe o Manual Acadêmico da vice-diretora da FMB, profa. Silvana Schellini

GESTÃO

10º Curso de Patologia Obstétrica A Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) realiza dias 6, 13, 20 e 27 de abril, em seu salão nobre, o 10º Curso de Patologia Obstétrica. O enfoque será na Assistência ao Parto, Síndromes Hipertensivas, Endocrinopatias e Restrição do Crescimento Fetal. Estão convidados alunos de graduação dos cursos de Medicina e Enfermagem, pós-graduandos, médicos e enfermeiros. A organização é da Disciplina de Obstetrícia do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da FMB. Informações podem ser obtidas pelo telefone (14) 3811-6090 ou no site www.fmb. unesp.br. Confira a programação: 6 de abril 19h00: Assistência ao Parto Normal – Evidências Científicas 20h20: Distocias 13 de abril 19h:00: Síndromes Hipertensivas - Diagnóstico / Classificação / Tratamento Medicamentoso 20h20: Eclâmpsia/ Hellp Síndrome 20 de abril 19h00: Diabete – Rastreamento, Diagnóstico e Assistência Pré-natal 20h20: Hipo e Hipertireoidismo - Diagnóstico e Assistência Pré-natal 27 de abril 19h00: Restrição do Crescimento Fetal- Classificação, Etiologia e Diagnóstico 20h20: Avaliação da Vitalidate Fetal Anteparto

COMANDO

Prof. Marcos Silva assume presidência da Ex-aluna da FMB assume Sociedade de Cirurgia Cardiovascular de SP Sociedade Paulista de Pneumologia O professor do Departamento de Cirurgia e Ortopedia da Faculdade de Medicina de Botucatu/ Unesp (FMB), Marcos Augusto de Moraes Silva, foi eleito em novembro de 2009 para a presidência da Sociedade de Cirurgia Cardiovascular do Estado de São Paulo (SCICVESP). A posse da nova diretoria ocorreu dia 15 de janeiro, na capital paulista. O mandato corresponde ao biênio 2010/2011. A SCICVESP, fundada em 1988, é considerada uma das maiores sociedades de cirurgia cardíaca do país e agrega mais de 290 cirurgiões especialistas na área. Prof. Silva integra a direção da entidade há oito anos. Foi, por duas vezes, integrante do Conselho Deliberativo e na última administração ocupou a secretaria da Diretoria-Executiva. Prof. Silva ressalta que a busca pela solução de problemas comuns do médico associado deve ser um dos pilares de sua gestão. “A sociedade busca patrocinar o equacionamento dos problemas comuns do associado”, declara. Entre as atividades que busca dar maior ênfase estão a realização de congressos, cursos de atualização e valorização do associado. “A promoção de congressos, simpósios e cursos de especialização e a intervenção pela formação de novos profissionais é de suma importância na busca da valorização do trabalho médico. Essas são algumas das metas da Sociedade Paulista de Cirurgia Cardiovascular”, ressalJANEIRO 2010

Prof. Marcos Augusto integra a SCICVESP desde sua criação ta o novo presidente. Além disso, o novo mandatário espera firmar apoio para criação e organização de uma cooperativa médica de cirurgia cardiovascular, sistema que existe em outras localidades do país. Também integra suas intenções, em primeiro momento, a consulta aos associados para a sede do próximo congresso da SCICVESP, que ocorre a cada dois anos. Para o médico, assumir a presidência de uma entidade representativa significa tanto uma satisfação pessoal e profissional quanto um desafio. “Esta é uma entidade que agrega boa parte dos cirurgiões cardiovasculares

do país. Assumir sua presidência é gratificante, pois tenho a confiança de meus colegas de profissão. Mas ao mesmo tempo torna-se uma responsabilidade maior em dar continuidade ao papel que a SCICVESP tem desde sua criação”, afirmou prof. Silva. Professor Marcos Augusto de Moraes Silva é graduado pela antiga Faculdade de Ciências Médicas e Biológicas de Botucatu (FCMBB- atual FMB). Possui mestrado em bases gerais da cirurgia e cirurgia experimental pela Unesp. Tem como especialidade cirurgia cardiovascular.

Ex-aluna da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp, a Dra. Jaquelina Sonoe Ota é a nova presidente da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia (SPPT). O mandato da médica à frente da entidade vai até dezembro de 2011. Natural de Mogi das Cruzes, Dra. Jaquelina fez residência em medicina interna movida pelo sonho de conhecer tudo e oferecer um tratamento resolutivo e não fragmentado. Porém, passou a sentir a necessidade de se aprimorar em uma área específica, optando pela pneumologia. Especialista pela Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia, Jaquelina é médica assistente da disciplina de pneumologia e coordenadora do Grupo de Circulação Pulmonar da Disciplina de Pneumologia da Unifesp, além de pneumologista responsável pelo Serviço de Pneumologia do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo. Ao lado, alguns trechos da entrevista que a médica concedeu para o site da entidade. A pneumologista conta um pouco sobre os planos para o mandato que se inicia tendo como principais metas o estímulo aos jovens pneumologistas e a atuação da SPPT em campanhas de conscientização à população. “São vários os desafios. O principal é o fortalecimento da especialidade no Estado de São Paulo, estimular jovens pneumologistas e conscientizar a população sobre o tratamento e prevenção das doenças respiratórias”, declarou a

Dra. Jaquelina Sonoe Ota tem mandato até dezembro de 2011 nova presidente. Segundo ela, a entidade pode contribuir de forma ativa com políticas de saúde na área da pneumologia. “Estabelecendo programas de educação continuada que proporcionarão a atualização constante dos pneumologistas do Estado de São Paulo com consequente melhora do atendimento da população. Também promoveremos e apoiaremos campanhas junto à população com o objetivo de conscientizá-la quanto aos principais sintomas respiratórios e também sobre as doenças respiratórias, prevenção e tratamento, inclusive ações junto aos órgãos governamentais do Estado”, concluiu Dra. Jaquelina. (Com informações da SPPT e Acontece Comunicação)


5 INCENTIVO

Pesquisadores da FMB/Unesp são contemplados com nove bolsas de produtividade do CNPq A Faculdade de Medicina de de duração. Botucatu/Unesp teve nove pesPara a diretora em exercício quisadores na lista de contem- da FMB, professora Silvana Artioplados com Bolsas de Produtivi- li Schellini, que foi um dos condade em Pesquisa do CNPq templados, a Bolsa de Produtivi(Conselho Nacional de Desenvol- dade em Pesquisa (bolsa PQ) é vimento Científico e Tecnológico). uma das mais importantes entre A relação foi divulgada dia 22 de as modalidades de bolsas que o dezembro de 2009 e foram apro- CNPq fornece. “O número de bolvadas 5.826 bolsas. sistas PQ da As Bolsas de ENTRE OS CRITÉRIOS PARA FMB é ainda Produtividade em muito pequeCONCESSÃO ESTÃO A PRODUPesquisa são conno. Incentivo os cedidas para pes- ÇÃO CIENTÍFICA E FORMAÇÃO colegas a se quisadores de todas apresentarem DE RECURSOS HUMANOS as áreas do conhepara concorrer cimento com o objetivo de distin- a bolsa PQ nos próximos ediguir seu trabalho e valorizar sua tais. Para a FMB se faz imporprodução científica. O pesquisa- tante ter o maior número possídor deve atender aos critérios de vel de pesquisadores PQ, uma avaliação dos Comitês de Asses- vez que alguns editais de finansoramento, que são divulgados no ciamento para pesquisas necesendereço: http://www.cnpq.br/ sitam de propostas que sejam cas/cas.htm apresentadas exclusivamente Entre os critérios para conces- por PQs. Tenho certeza que são estão a produção científica, muitos de nós poderiam ser participação na formação de re- contemplados, caso se aprecursos humanos e sua contribui- sentassem como candidatos”, ção para a área. A novidade para salienta professora Silvana. os bolsistas é a vigência. Agora a Professor João Lauro Viana de duração da bolsa de pesquisador Camargo, do Departamento de nível 1A é de 60 meses, a de 1B, Patologia da FMB, que há 25 1C e 1D passa para 48 meses e anos recebe bolsas de produtivia da categoria 2 para 36 meses dade do CNPq, declara que esse

Prof. João Lauro é um dos contemplados com a bolsa CNPq

reconhecimento aos docentes representa o resgate do perfil científico e acadêmico da faculdade. Ele lembra que, em parte da história da Faculdade de Medicina de Botucatu, a pesquisa ficou em segundo plano para que fosse priorizada a assistência hospitalar. “A FMB, nos últimos anos, priorizou o hospital porque tinha que atender a demanda assistencial da região e a pesquisa não foi priorizada. Isso não foi um erro. Mas nesta última gestão a pesquisa voltou a ser alavancada e a tendência é que nos próximos anos tenhamos ainda mais pesquisadores contemplados com bolsas do CNPq”, avalia. “A cultura da pesquisa vem sendo resgatada, principalmente com a inauguração de nossa Unidade de Pesquisa Clínica (Upeclin) e a futura Unidade de Pesquisa Experimental (Unipex)”, acrescenta. Sobre o perfil que deve ter o pesquisador para conquistar o apoio do CNPq, professor Camargo aponta como diferenciais: um currículo competitivo e adequado aos critérios exigidos na área de interesse e um planejamento antecipado de pelo menos um ano.

Para Pró-Reitora, incentivo mostra o reconhecimento da atividade de pesquisa Pró-Reitora de Pós-Graduação da Unesp, professora Marilza Vieira Cunha Rudge, que também receberá a bolsa de produtividade, diz entender que essa conquista representa, para o profissional, o reconhecimento da sua atividade de pesquisa por seus pares. “É uma bolsa muito importante no Brasil, pois muitos editais nacionais estabelecem que só poderão ser coordenadores de projeto de pesquisa os pesquisadores com bolsa de produtividade em pesquisa”, coloca. Rudge comentou, ainda, sobre as características dos pesquisadores da FMB, que precisam conciliar seus estudos com ensino e assistência. “Não consigo entender que se ensine sem pesquisar, pois senão apenas seremos meros informadores do que existe na área da saúde. Não podemos, inclusive, dizer ou discutir se uma terapêutica é melhor ou pior, se um exame é necessário ou não, se uma técnica cirúrgica é melhor ou pior que outra sem uma investigação adequada”, observa. “O nosso corpo docente precisa colocar a pesquisa como prioridade na sua vida acadêmica e para isso ser factível basta, por exemplo, que se organize a assistência feita de modo que ela ofereça os dados da pesquisa”, aponta. A professora ainda sugere que a FMB crie um momento de pesquisa semanal, mensal, semestral ou mesmo anual para discussão do que vem sendo feito em pesquisa na FMB naquele período. “É uma forma de estimular a pesquisa: afinal a Upeclin e a Unipex estão aí e precisam ser mais e melhor usadas pelos nos-

Profa. Marilza: “não consigo entender que se ensine sem pesquisar” sos docentes. Temos o GAP para nos ajudar, a Famesp para ser gestora dos recursos e um CEP ligado ao Conep para avaliar a ética do que nos propomos a fazer.Vamos em frente com a pesquisa. A FMB precisa voltar a sua origem e ser uma faculdade de pesquisa que ensina medicina e enfermagem”, concluiu. Jornal da FMB- O que representa para o pesquisador ganhar uma bolsa de produtividade em pesquisa do CNPQ? Marilza Vieira Cunha RudgeSignifica o reconhecimento da sua atividade de pesquisa por seus pares dentro de um programa de uma agência de fomento (CNPq). É uma bolsa muito importante no

Brasil pois muitos editais nacionais estabelecem que só poderão ser coordenadores de projeto de pesquisa os pesquisadores com bolsa de produtividade em pesquisa. Também nossos programas de Pós Graduação se fortalecem com a presença desses pesquisadores. Para o docente também significa mais um aporte financeiro mensal que, no meu ponto de vista, deve ser usado para implementar o seu próprio crescimento científico. Jornal da FMB- Quais características, na sua opinião, um pesquisador precisa ter para ser contemplado? Marilza Vieira Cunha RudgeComo o próprio nome diz: “bolsa de produtividade em pesquisa” é

destinada aos pesquisadores que têm produção científica de qualidade, em número elevado e que formam alunos de Iniciação Científica, mestrado e doutorado. Isso significa que esse pesquisador capta recurso em agências de fomento e coordena projetos de pesquisa com financiamento nacional e internacional .

“O nosso corpo docente pre-

Jornal da FMB- Como fazer para, no caso dos docentes da FMB, conciliar a pesquisa com o ensino e assistência? Marilza Vieira Cunha RudgeEssas atividades são absolutamente ligadas entre si. Explico melhor: não consigo entender que se ensine sem pesquisar, pois senão apenas seremos meros informadores do que existe na área da saúde. Não podemos inclusive dizer ou discutir se uma terapêutica é melhor ou pior, se um exame é necessário ou não, se uma técnica cirúrgica é melhor ou pior que outra sem uma investigação adequada. O nosso corpo docente precisa colocar a pesquisa como prioridade na sua vida acadêmica e para isso ser factível basta, por exemplo, que se organize a assistência feita de modo que ela ofereça os dados da pesquisa. Claro que sempre temos que ter presente que não é o SUS que deve financiar as pesquisas e sim as agências de fomento e no Estado de São Paulo temos a Fapesp que é uma importante agência nesse apoio. Quando ouço os docentes dizerem que não pedem porque não tem seus projetos aprovados dou um depoimento pessoal que também tenho meus projetos negados, recorro, discuto e acabo conseguindo ou não. Não podemos desani-

mar com respostas negativas que recebemos. Isso faz diferença.

cisacolocarapesquisacomo prioridade na sua vida acadêmica e para isso ser factível basta, por exemplo, que se organize a assistência

Jornal da FMB- Como fazer para, no caso dos docentes da FMB, conciliar a pesquisa com o ensino e assistência? Marilza Vieira Cunha RudgeA quantidade de pesquisadores da FMB com bolsa de produtividade em pesquisa do CNPq ainda é pequena se comparada com outras instituições. Por quê? Nossos docentes pedem pouco e desanimam com as negativas recebidas. Digo sempre: se você não pedir não terá, mas se pedir pode ou não ter. Deixo como sugestão para a FMB criar um momento de pesquisa semanal, mensal, semestral ou mesmo anual para discussão do que vem sendo feito em pesquisa na FMB naquele período.É uma forma de estimular a pesquisa: afinal a UPECLIN e a UNIPEX estão aí e precisam ser mais e melhor usadas pelos nossos docentes. Temos o GAP para nos ajudar, a Famesp para ser gestora dos recursos e um CEP ligado ao Conep para avaliar a ética do que nos propomos a fazer. Vamos em frente com a pesquisa. A FMB precisa voltar a sua origem e ser uma faculdade de pesquisa que ensina medicina e enfermagem. JANEIRO 2010


6 TECNOLOGIA

NEAD.TIS: tecnologia a serviço da educação em Saúde Provavelmente muitos dos docentes, alunos ou servidores da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) já utilizaram seus serviços, mas alguns podem não saber com qual objetivo exatamente ele foi criado. Há, inclusive, quem o confunda com o STI (Serviço Técnico de Informática). Estamos falando do NEAD.TIS (Núcleo de Educação à Distância e Tecnologias da Informação em Saúde). Criado em 2001 pelo professor Carlos Caramori, a unidade nasceu com a missão de oferecer infra-estrutura tecnológica e conhecimento para a realização de atividades à distância e assessorar projetos e cursos que fazem uso de mídias digitais. Para isso, o grupo desenvolve conteúdos eletrônicos, vídeos, materiais gráficos e dá suporte para a criação de sistemas na área acadêmica que facilitem a transferência de conhecimento por meio das tecnologias de informação digital. Além destas funções, o NEAD.TIS gerencia o ambiente eletrônico Moodle - espaço virtual que fica à disposição dos docentes e alunos para acesso a conteúdo das aulas, aplicação de avaliações, além de várias outras tarefas. Através dele, é possível ter controle sobre como e quando as informações são utilizadas; o acesso é permitido de qualquer computador, através de senha.

Setor também oferece suporte tecnológico a eventos que empregam video e webconferências

O NEAD.TIS GERENCIA O AMBIENTE ELETRÔNICO

MOODLE VOLTADO A ALUNOS E DOCENTES DA FMB O NEAD.TIS também oferece suporte tecnológico a eventos que empregam videoconferência e webconferência; foi responsável pelo desenvolvimento do sistema eletrônico de gerencimento de eventos e agenda da FMB, bem como pela criação e gerenciamento das páginas da pós-graduação e de pesquisas da FMB na Internet. Outras iniciativas recentes que contaram com a parceria do núcleo foram a criação de formulário eletrônico para o projeto multicêntrico de Leishmaniose, desenvolvido com re-

cursos do Ministério da Saúde através da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp; um sistema para tabulação de dados de tabagismo e o questionário eletrônico NAS. O comando do grupo está nas mãos da médica Denise Zornoff, que atua na área de Educação à Distância (EAD) e Tecnologia da Informação (TI) desde 2002.

A responsável pela unidade frisa que o aprimoramento didático, mostrando o potencial das novas tecnologias na formação dos profissionais da saúde, está entre os pilares da atuação de seu grupo. “Isso vale não só para os alunos, mas também na educação continuada dos profissionais já formados”, citou. “As TIs mudam rapidamente. Hoje

temos que entender de computadores, amanhã serão outras ferramentas, mas tudo só tem um sentido se usado para melhorar o que fazemos, no caso, apoiar a educação na FMB”, continuou. Para Dra. Denise, o grande desafio é mostrar que há vários recursos disponíveis para incrementar as atividades de ensino, como sistemas eletrônicos, vídeos, imagens e equipamentos, como por exemplo, as lousas digitais – já em utilização na FMB. “Quero que os docentes, alunos e funcionários saibam que são eles quem geram nossas demandas. São eles que vão nos impulsionar a estudar e usar uma tecnologia x, y ou z”, apontou. A cordenadora do NEAD. TIS diz que o núcleo está à disposição dos docentes e pesquisadores para todo o suporte no emprego de tecnologias que facilitem o aprendizado. “Somos um grupo pequeno, mas procuramos trabalhar com métodos e qualidade. Formamos uma equipe que se ajuda e gosta do que faz”, completou.

DOAÇÃO

FMB recebe equipamento de captação de áudio para pesquisas qualitativas

INFORMAÇÃO

Site da FMB recebeu mais de 590 mil visitas em 2009 Um dos principais meios de comunicação da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) com o público externo, seu site institucional agregou 592 mil visitas em 2009. Desse total, 25% dos acessos foram inéditos. Os dados foram fornecidos pelo Google Analytics, serviço que mede a frequência de acessibilidade e tempo de navegação na rede. Com esse total, o portal da FMB, vinculado ao domínio da Unesp, recebeu média de 49 mil visitas ao mês, sendo que a maior parte dos acessos aconteceu de forma direta (57,88%); ou seja, com a digitação do endereço da instituição no navegador. Ferramentas de buscas, como o próprio Google, representaram 32,71% das visitas, enquanto que 9,41% dos internautas entraram no site através de outros meios. A grande maioria dos acessos concentra-se ainda em território nacional, mas é possível constatar cresciJANEIRO 2010

mento da procura pela FMB na internet em outros países. Estados Unidos, Portugal, Argentina e França concentraram, juntas, 2.673 acessos ao portal da faculdade. Desde outubro de 2008, a Assessoria de Comunicação e Imprensa da FMB tem promovido mudanças no conteúdo da página. Algumas das alterações incluem desde maior interatividade com o público através da criação de enquetes até uma sala de imprensa virtual, que tem facilitado o contato de jornalistas e veículos de comunicação com a instituição. Além disso, foi atualizado o histórico da instituição. Este trabalho teve o auxílio da historiadora Isaura Bretan. A página também concentra enquetes, agenda de eventos, notícias e informações institucionais e de utilidade para professores e alunos. O site é administrado pelo Serviço Técnico de Informática (STI) da FMB.

Equipamento doado tem dois compartimentos, sendo um com oito canais e outro com 16 O NEAD.TIS (Núcleo de Educação à Distância e Tecnologias de Informação em Saúde) da Faculdade de Medicina de Botucatu/ Unesp (FMB) recebeu, dia 18 de dezembro, a doação de um equipamento que poderá ser utilizado para a captação de áudio em pesquisas qualitativas desenvolvidas na instituição. O material foi disponibilizado pelo professor Rodolfo Franco Puttini, do Departamento de Saúde Pública, que conseguiu, com apoio do núcleo, recursos da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) para a aquisição dos aparelhos, que totalizam R$ 15 mil. Professor Rodolfo desenvolve atualmente uma pesquisa sobre

“Reconhecimento social e autonomia do idoso”. Para tanto, precisa realizar pesquisas qualitativas de grupo focal com 24 representantes da melhor idade. Por isso, viu a necessidade de dispor de um equipamento que fizesse a gravação de voz com qualidade. São dois compartimentos, sendo um com oito canais e outro com 16. Os áudios são armazenados separadamente; podem ser ouvidos individualmente ou ao mesmo tempo. Para isso, é utilizado um programa instalado em um computador portátil. O pesquisador da FMB decidiu doar os aparelhos ao NEAD. TIS por entender que outros colegas poderão utilizá-los em suas

investigações. “O equipamento vai ficar no NEAD. TIS e poderá ser requisitado por qualquer pesquisador. Com certeza ajudará muito em pesquisas qualitativas. É uma maneira que encontrei de contribuir para que a faculdade cresça ainda mais no campo da pesquisa”, declara professor Rodolfo. O material, que ainda está sob responsabilidade do docente e não foi patrimoniado, estará disponível a partir de março deste ano. O projeto e a intermediação da aquisição dos equipamentos contou com a colaboração da auxiliar de pesquisa do Grupo de Apoio à Pesquisa (GAP) Rita de Cássia Athanázio Heliodoro.


7 ENTREVISTA

‘Ato Médico não é restritivo’, afirma presidente de Comissão Ética da FMB

Jornal da FMB- Em que aspecto o ato médico altera as características profissionais do médico? Raul Ruiz- Neste momento temos informações sobre o projeto de lei regulamentando o exercício da profissão de médico (PL 7703/2006) que tramita na Câmara dos Deputados em Brasília. Por questões outras, foi chamado de “Lei do Ato Médico”. No Brasil a medicina é a mais antiga profissão da chamada área da Saúde e nunca houve preocupação em regulamentar seu exercício em Lei. Alguns procedimentos deveriam ser realizados exclusivamente por médicos de acordo com questões técnicas e científicas, além da responsabilidade civil e legal; passaram a ser executados por profissionais nãomédicos. Foi necessária a definição das responsabilidades legais das atividades privativas ou não de quem tem formação médica. É importante que fique claro, o “Ato Médico” não mudará em nada as características profissionais do médico, e sim respaldará tais atividades e procedimentos, que agora estarão regulamentados. Desta forma a soci-

edade estará protegida de pessoas que, sem preparo técnico adequado, realizem procedimentos que apresentem resultados danosos à saúde das pessoas. Jornal da FMB- O Ato Médico pode ser restritivo em casos que necessitem da multidisciplinaridade na Saúde? Raul Ruiz- O projeto de lei que regulamenta o exercício da medicina (PL7703/2006) já tem sua redação final encaminhada ao Senado para aprovação e seguirá para sanção presidencial. Este projeto “não ofende nem pretende se sobrepor às outras profissões da Saúde nem colocá-las em posição subalterna”. Não houve exclusão, limitação ou desrespeito pelas atribuições de outras profissões envolvidas no atendimento à Saúde. “O que se pretende é evidenciar que uma equipe de saúde deve contar com vários profissionais, de maneira harmoniosa e integrada, nas suas atribuições específicas, incluindo os médicos”. Como foi publicado em 9 de dezembro de 2009 no Jornal do Cremesp. Jornal da FMB- Com a aprovação do ato, pode haver sobrecarga à função do médico, ou mesmo ‘atritos’ com outras áreas (enfermagem, fisioterapia, psicologia, entre outras)? Raul Ruiz- Não acredito que isto possa ocorrer. Em sua redação final, este projeto de lei, nos artigos 3º e 4º, bem como em seus parágrafos 2º, 5º e 7º, normatizam de forma clara as atividades dos médicos, evitando os possíveis “atritos”. Segundo o artigo 3º, o médico integrante da equipe de saúde que assiste o indivíduo ou a coletividade atuará em mútua colaboração com os demais profissionais de saúde que a compõem. A partir do artigo

Este projeto “não ofende nem pretende se sobrepor às outras profissões da Saúde nem colocá-las em posição subalterna”.

4, o ato estabelece quais são as atividades privativas do médico. Por exemplo, no inciso 2, o texto esclarece que não são privativos dos médicos os diagnósticos psicológico, nutricional e socioambiental e as avaliações comportamental e das capacidades mental, sensorial e perceptocognitiva e psicomotora. Jornal da FMB- De que forma esse impasse pode ser contornado? Raul Ruiz- Acredito que não haverá “impasse” a ser contornado. Caso ocorra, aplique-se a lei. Jornal da FMB- Qual deve ser a postura das comissões de ética frente à nova regulamentação da profissão do médico? Raul Ruiz- A postura das comissões de ética será continuar zelando pela boa prática médica e pelas relações do exercício da medicina. Com esta Lei, ficará explicitado o campo de atuação médico bem como as responsabilidades sob os atos praticados. Jornal da FMB- Em sua opinião, quais foram os avanços que o novo Código de Ética Médica proporcionou? Raul Ruiz- O novo Código de Ética Médica é um avanço para a sociedade e para os médicos. O texto final pretende a busca do equilíbrio na relação médico-paciente, construindo uma relação responsável e ética, aumentando a autonomia dos pacientes, que terão o direito à informação sobre sua saúde e decisões sobre as escolhas relativas aos procedimentos diagnósticos e terapêuticos, em parceria com os médicos. Para os médicos, alertará sobre questões de conflitos de interesse e incorporação de novas técnicas em saúde e suas implicações éticas no ato médico, além da responsabilidade social dos médicos. Temas como reprodução assistida e terminalidade também foram contemplados. A atualização deste novo Código teve a preocupação pela adequação à contemporaneidade, abandonando a ótica paternalista já superada neste nosso tempo.

Jornal da FMB- Há, dentro do novo código, pontos polêmicos que deveriam ser melhor debatidos? Raul Ruiz- Foram dois anos de debates para promover esta atualização. O Conselho Federal de Medicina criou a Comissão Nacional e comissões regionais de Revisão do Código de Ética Médica, integradas por representantes do Ministério Publico, Poder Judiciário, Sociedade Brasileira de Bioética (SBB), Federação Nacional dos Médicos (Fenam) e Associação Médica Brasileira (AMB). Entre 2007 e 2009, foram encaminhadas por médicos e entidades organizadas da sociedade, 2575 sugestões de alteração que foram avaliadas minuciosamente pela Comissão Nacional e o texto final aprovado na IV Conferência Nacional de Ética Médica (IV Conem) e homologado pelo CFM. A construção de todo este processo foi ampla e bastante democrática. Diante das mudanças no novo código, só o tempo dirá se elas resistirão às necessidades atuais dos médicos e da sociedade.

Jornal da FMB- Qual impacto que a eutanásia deverá ter quanto à atuação do médico? Raul Ruiz- O assunto contemplado no novo Código de Ética Médica é a terminalidade e não eutanásia, que segundo o Dicionário Houaiss é o ato de proporcionar morte sem sofrimento a um doente atingido por afecção incurável que produz dores intoleráveis. No Código de Ética Médica é vedado ao médico abreviar a vida do paciente, ainda que a pedido deste ou de seu representante legal. Nos casos de doença incurável e terminal, deve o médico oferecer todos os cuidados paliativos disponíveis sem empreender ações diagnósticas ou terapêuticas inúteis ou obstinadas, levando sempre em consideração a vontade expressa do paciente ou, na sua impossibilidade, a de seu representante legal.

O novo Código de Ética “ Médica é um avanço para a sociedade e para os médicos

Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” Reitor: Herman Jacobus Cornelis Voorwald Vice-reitor: Julio Cezar Durigan Faculdade de Medicina de Botucatu Diretor: Sérgio Swain Müller Vice-diretora: Silvana Artioli Schellini Superintendente do HC HC: Emílio Carlos Curcelli Vice-superintendente: Irma de Godoy

JORNAL DA FMB

Aprovado em outubro de 2009 pela Câmara dos Deputados, o projeto de lei que institui o Ato Médico regulamenta a profissão do médico. Entre suas atribuições, estabelece quais as atividades que são privativas do médico e as que podem ser exercidas por outros profissionais da saúde. Polêmico em seu início, o texto, que teve modificações pelos deputados retorna ao Senado Federal, considera entre as atividades privativas do médico a formulação do diagnóstico e a respectiva prescrição terapêutica ao paciente, a indicação e execução de cirurgias e prescrição dos cuidados médicos pré e pós operatório; a prescrição de órteses e próteses oftalmológicas; a indicação de internação e a alta médica nos serviços de atenção à saúde; a realização de perícias médicas e os exames médicos-legais; exceto os exames laboratoriais de análises clínicas; toxicológicas; genéticas e de biologia molecular, entre outros procedimentos. Graduado pela Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB), o médico Raul Ruiz Júnior foi eleito presidente da Comissão da Ética Médica do Hospital das Clínicas (HC). Ressalta em entrevista ao Jornal da FMB, que a instituição do Ato Médico não deve ser vista como algo restritivo, mas sim como um documento que estabelece condutas e faz a correta divisão das atribuições às diversas profissões da saúde. “No Brasil a medicina é a mais antiga profissão da chamada área da Saúde e nunca houve preocupação em regulamentar seu exercício em Lei”, ressaltou Ruiz Júnior. Entre outros assuntos, o médico ainda pondera alguns avanços no novo Código de Ética Médica e diz que cabe ao médico oferecer todos os cuidados paliativos a doentes terminais.

Presidente da Famesp: Pasqual Barretti Vice-presidente: Shoiti Kobayasi O Jornal da FMB é uma publicação mensal dirigida ao público interno da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp e das fundações, unidades médicohospitalares e de pesquisas a ela vinculadas. Sugestões, comentários e colaborações devem ser encaminhadas à Assessoria de Comunicação e Imprensa da FMB/Unesp pelo endereço imprensa@fmb.unesp.br. Assessoria de Comunicação e Imprensa- Leandro Rocha (MTB-50357) Produção, editoração e impressão: G3 Gráfica & EditoraRua Jorge Barbosa de Barros, 163- Jardim Paraíso-Botucatu-SP Reportagens: Flávio Fogueral (MTB- 34927) Fotografia: Flávio Fogueral, Fotografia AG e Arquivo ACI/FMB

JANEIRO 2010


8 PUBLICAÇÃO

Professor da FMB publica livro sobre pedagogia na Medicina Na área da saúde coletiva, a educação e a comunicação andam juntas no cuidado para a educação tanto de profissionais como de pacientes, de modo a contribuir para a promoção da saúde e a prevenção de doenças. Antonio Pithon Cyrino trata desse aspecto em seu livro Entre a ciência e a experiência: uma cartografia do autocuidado no diabetes, lançado pela Editora Unesp. Nele, o especialista em medicina preventiva analisa o caráter pedagógico das práticas de saúde a partir dos depoimentos tanto dos profissionais da área quanto de seus pacientes. O estudo toma como base empírica o tratamento da diabetes mellitus de tipo 2 - geralmente desenvolvida em adultos entre 40 e 69 anos e que acomete mais de 5 milhões de pessoas só no Brasil. Por ser uma doença que vem se tornando mais comum à medida que a população no mundo todo se torna mais velha e devido aos padrões de vida das grande cidades que tornam os indivíduos mais sedentários, a análise de pacientes com esse tipo da doença reforça ainda mais a validade da pesquisa de Cyrino. Ao longo de seis capítulos, o autor faz uma revisão das principais discussões acerca da relação entre a educação e a comunicação em saúde, bem como revisa criticamente a literatura

Livro aborda tratamento da diabetes mellitus de tipo 2 Sobre o autor - Antonio Pithon Cyrino possui graduação em Medicina pela Faculdade de Medicina de Jundiaí (1982), além de mestrado e doutorado em Medicina Preventiva pela Universidade de São Paulo, concluídos em 1993 e 2005, respectivamente. Editor da revista Interface: Comunicação, Saúde, Educação e professor-assistente doutor da Unesp, é diretor do Centro de Saúde Escola da Faculdade de Me dicina da Unesp, câmpus de Botucatu.

a respeito da educação para o autocuidado no diabetes produzidas nos últimos 20 anos. Quanto à análise empírica, Entre a ciência e a experiência traz a descrição, discussão e análise do material coletado a partir de entrevistas com especialistas da área - sejam eles os diabetólogos ou os diabéticos colocando em debate o conhecimento teórico-prático e os "saberes da experiência". Isso porque, segundo a especialista em saúde pública Lilia Schraiber, "a despeito do desenvolvimento teórico e aplicado do campo da educação, suas práticas nos serviços de saúde estão ainda aderidas a modelos inadequados para lidar com a complexidade de problemas com que nos defrontamos atualmente". A análise dos métodos utilizados no tratamento e prevenção da diabetes junto aos pacientes faz de Entre a ciência e a experiência um livro de referência para todo profissional de saúde. (Da assessoria de imprensa da Editora Unesp). Título: Entre a ciência e a experiência: uma cartografia do autocuidado no diabetes Autor: Antonio Pithon Cyrino Páginas: 230 Formato: 14 x 21 cm Preço: R$ 38

ECONOMIA

Comunidade acadêmica da FMB passa a ter noções de empreendedorismo Através de uma parceria entre a Unesp e o Sebrae foi realizado, entre os dias 18 e 29 de janeiro, na Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB), a segunda edição Curso de Empreendedorismo. O público-alvo foi a comunidade acadêmica da universidade, especialmente os alunos de graduação e pós-graduação da FMB. O curso teve como proposta oferecer aos estudantes universitários a oportunidade de se capacitarem para um mercado de trabalho dinâmico e repleto de desafios. Buscou também fomentar uma mentalidade empreendedora, que se estende da vida profissional para a particular, ampliando as possibilidades de intervenção na realidade; e de exercício pleno da cidadania. Durante o treinamento foram abordadas as características do indivíduo empreendedor, como desenvolver um comportamento empreendedor, prospecção de oportunidades, viabilização de negócios, dentre outros assuntos. A capacitação foi estruturada em três momentos, em que são discutidos asJANEIRO 2010

Capacitação empreendedora durou duas semanas na FMB pectos relacionados ao Indivíduo (20h), ao Mercado (8h) e o Negócio (ou Empreendimento) propriamente dito (8h). Atuaram como facilitadores os professores Marina Polliti Okoshi, do Departamento de Clínica Médica da FMB e Deilson Elgui de Oliveira (Depto. Patologia - FMB). Tiveram direito a certificado os participantes com frequência igual ou superior a 70%. Segundo prof. Oliveira, a ideia principal é oferecer aos profissi-

onais da saúde qualificação e noções empreendedoras em seus diversos segmentos de atuação. “Esse curso nasceu da proposta da universidade, na gestão do professor (Marcos ) Macari da percepção que boa parte dos alunos chega despreparado para o mercado de trabalho. Muitos não sabem como investir no próprio negócio ou terem iniciativa empreendedora em suas profissões”, declarou Oliveira. Ele ressalta ainda que a ideia é tornar o curso anual.

O professor da FMB, Vidal Haddad Jr, autor da cartilha online

DICAS

Material onlineorientacomo se prevenir de acidentes com animais marinhos Durante os meses de janeiro e fevereiro, a Unesp dará procedimento a sua atividade anual de orientação a banhistas que viajarem principalmente para as praias do litoral paulista. O dermatologista Vidal Haddad Jr., professor da Faculdade de Medicina da Unesp de Botucatu, produziu - em parceria com pesquisadores da USP - um material educativo sobre acidentes marinhos com o objetivo de manter a população informada, no período de férias, quando aumenta o fluxo de pessoas nas praias. Criado em 2005, o material, em formato folder, traz detalhes de como devemos proceder quando nos deparamos com um animal marinho; que tipo de cuidado os mergulhadores devem tomar ao entrar em contato com esses animais; e de que forma devemos estar preparados para fazer uma caminhada em costões rochosos e praias, entre outras situações. Para os passeios em locais rochosos, o médico diz que todo cuidado é pouco. A dica é caminhar sempre com os pés protegidos por um calçado firme de solado antiderrapante (tênis ou sapatilha). Como as rochas são, geralmente, cobertas por cracas e ostras, que têm bordos muito cortantes, a presença de bactérias e fungos na superfície desses animais pode causar infecções nos ferimentos. Também por meio do folder, é possível saber sobre medidas de prevenções e primei-

ros socorros: onde vivem e como são os animais marinhos; os riscos que essas espécies podem trazer; os sintomas no caso de acidente; como fazer para evitá-los; e os tipos de tratamento que podem ser feitos. Haddad – que lançou em 2008 o livro Animais aquáticos potencialmente perigosos do Brasil: guia médico e biológicoI (editora Roca) – afirma que urina, corticóide, álcool ou CocaCola, utilizados pela população para aliviar os sintomas, não têm comprovação científica e seus usos devem ser evitados, sob pena de agravamento do quadro da pessoa acidentada. Verão: aumento de acidentes Nas praias brasileiras a ocorrência de acidentes por animais aquáticos aumenta todo início de verão. Em janeiro de 2008, foram registrados mais de 900 casos de queimaduras por caravelas (espécie de água-viva) em banhistas da Praia Grande e Mongaguá, além de ocorrências nas cidades paulistas de Peruíbe, Santos, São Vicente e Guarujá. Na ocasião, o dermatologista Vidal Haddad Jr. atendeu as vítimas dos acidentes aquáticos e tomou medidas preventivas junto à Secretaria de Saúde da Praia Grande e à equipe médica local, divulgando os folhetos explicativos à população. O folder poderá ser consultado pelo site http://www. dangerousaquaticanimals. com.br (Da assessoria de imprensa da Reitoria Unesp).


9 CAPACITAÇÃO

PESQUISA

FMB sedia capacitação para formação de docentes A Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) se tornou uma das sedes no Estado de São Paulo, em 2010, do Curso de Formação Docente em Educação Profissional Técnica na Área da Saúde. Voltado a professores de cursos técnicos em saúde, tem como objetivo a especialização desses profissionais em didáticas de ensino na área. A especialização tem caráter de pós-graduação lato sensu. A abertura ocorreu dia 18 de janeiro no salão nobre da FMB. A organização, em Botucatu, é do Departamento de Enfermagem da FMB, tendo como coordenadora a profª Maria de Lourdes da Silva Marques Ferreira e tutores os seguintes docentes: Maria Lúcia Sadala, Jairo Aparecido Ayres, Vânia Moreno e Lin Chau Jong. Ao todo 58 professores de cursos técnicos em saúde de quinze municípios paulistas participaram do curso, que será em parte à distância (através de acesso à internet) e encontros presenciais nos meses de janeiro, março, maio e novembro, além de duas oficinas para o Trabalho de Conclusão de Curso- que acontecerão em julho e agosto. A carga horária será de 540 horas (10 meses). Todos os participantes Ao todo 58 professores de cursos técnicos participam do curso são de escolas (Ensp), técnicas credenci- OS ALUNOS TERÃO AULAS ca Fundação adas e conveniaSOBRE O TECSAÚDE VOLTADAS ÀS TEMÁTICAS Oswaldo Cruz das ao SUS (Sis(Fiocruz) e O Programa de Formação de tema Único de ENVOLVENDO A RELAÇÃO Fundap (FunSaúde). Profissionais de Nível Técnico ENTRE TRABALHO E SAÚDE dação do DeOs alunos tepara a Área de Saúde no Estarão aulas voltadas às temáti- senvolvimento Administrativo). do de São Paulo, o Tec Saúde cas envolvendo a relação en- A Unesp, através da FMB, parvisa a formação profissional, tre trabalho e saúde, os pro- ticipa sendo núcleo interdiscidesenvolvido pelo Governo do c e s s o s d e t r a b a l h o c o m o plinar para a formação destes Estado de São Paulo com a SUS e a organização pedagó- docentes. “A capacitação de participação conjunta das Segica do docente na área. “Te- Recursos Humanos é imprescretarias da Saúde, Desenvolmos a responsabilidade de cindível para a qualidade das vimento, Gestão Pública e Educontribuir para a capacitação instituições do atendimento no cação. Os cursos serão oferd e s s e s p r o f e s s o r e s . C o m SUS. A Faculdade de Medicitados pelas Escolas Técnicas isso, seus alunos serão mais na de Botucatu tem uma série bem preparados para atuarem do Sistema Único de Saúde de parcerias com órgãos de fordentro do SUS”, declarou profª (ETSUS-SP), o Centro Estadumação acadêmica e de assisMaria de Lourdes. al de Educação Tecnológica O curso, que integra o pro- tência. Esse é um papel que Paula Souza (ETECs) e congrama TecSaúde, do Governo nos compete enquanto intetará também com escolas púdo Estado de SP, é uma par- grantes de uma universidade blicas e privadas credenciadas. ceria entre a Escola Nacional como a Unesp”, declarou prof. de Saúde Pública Sérgio Arou- Sérgio Müller, diretor da FMB.

Estudo sobre prevenção de doenças no coração convida voluntários O Centro de Hipertensão Arterial da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) e Hospital das Clínicas (HC) recebe, até março deste ano, inscrições de voluntários interessados em participar de um estudo clínico internacional sobre doenças cardiovasculares. Podem fazer parte da pesquisa mulheres a partir de 60 anos e homens com 55 anos ou mais. Para serem incluídas no estudo as pessoas precisam atender a pelo menos um dos critérios a seguir, considerados fatores de risco para complicações cardíacas: história atual ou recente de tabagismo (hábito de fumar); HDL (colesterol “bom”) diminuído e estar acima do peso ou com excesso de gordura no abdômen. Também serão aceitos diabéticos que não estejam usando insulina (controle apenas com dieta) e hipertensos leves em uso de determinados medicamentos. Não podem participar quem já teve infarto ou derrame; hipertensos severos e diabéticos em uso de insulina. O estudo clínico vai durar cinco anos e os voluntários que aceitarem integrar os trabalhos passarão por exames de sangue e urina, eletrocardiogramas e consultas médicas periódicas, além de rece-

berem dois tipos de medicamentos os participantes assinarão um termo de consentimento livre e esclarecido. Eles podem abandonar os testes quando quiserem. “As pessoas que participarem do estudo terão como benefício a prevenção da hipertensão, doença do colesterol e ainda evitarão derrames e infartos. A pesquisa é de nível quatro, ou seja, utilizando medicamentos que já estão disponíveis no mercado”, salienta Dra. Carmem Amaro, coinvestigadora do trabalho. A iniciativa já tem aprovação do Comitê de Ética da FMB e também do grupo que cuida desses assuntos em Brasília. O Centro de Hipertensão Arterial da FMB/HC é coordenado pelo médico nefrologista Roberto Jorge da Silva Franco, que é o investigador do estudo, juntamente com as médicas Carmem Amaro, Adriana Polachini do Valle e Vanessa dos Santos Silva. A coordenação desta pesquisa, que é feita também em outras regiões do Brasil está a cargo do Instituto Dante Pazzanese. Mais informações podem ser obtidas através dos telefones (14) 3811-6534 ou 38135159, com Mônica, e ainda através do e-mail: mapaula@ fmb.unesp.br.

Hipertensão é uma das doenças cardiovasculares mais comuns

MELHORIAS

Reforma deve revitalizar Anfiteatro da Patologia

Espaço teve a troca de piso e contará com 126 novas poltronas

Palco de momentos históricos da antiga Faculdade de Ciências Médicas e Biológicas de Botucatu (FCMBB), o anfiteatro do Departamento de Patologia da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) Prof. Emérito Marcelo Fabiano de Franco passa por uma revitalização estrutural em suas dependências. A reforma contempla troca de pisos, cortinas, pintura e colocação de novas cadeiras no local. O objetivo é oferecer melhor conforto aos usuários do espaço, frequentemente destinado a pales-

tras, aulas e reuniões do complexo FMB e Hospital das Clínicas (HC). A primeira melhoria foi a pintura do local, ocorrida em outubro de 2009. Os trabalhos de troca de pisos foram realizadas em janeiro. Serão colocados pisos de PVC de alta durabilidade, o que favorece a limpeza e é totalmente antialérgico. Mas a maior modificação fica por conta da troca de todas as cadeiras do recinto. Ao todo serão 126 novas poltronas com pranchetas. Além disso, dois assentos adaptados serão destinados a pessoas obesas e

dois locais devem contemplar portadores de necessidades especiais. O investimento para a melhoria do anfiteatro é de R$ 144.481,50. A previsão é que a reforma esteja concluída até o início de fevereiro. Localizado em frente ao Centro Cirúrgico do HC, o Anfiteatro do Departamento de Patologia é o último dos espaços da antiga FCMBB. Inaugurado em 1968 é um dos locais com grande relevância na história da atual Faculdade de Medicina de Botucatu. A última reforma do local aconteceu em 2003. JANEIRO 2010


10 LEVANTAMENTO

Alunos da FAAC apresentam resultados de pesquisa motivacional sobre Iniciativa Hospital Amigo da Criança parede enquanto aguardam serem atendidos e que o e-mail é encarado, principalmente pelos médicos, como o grande canal de comunicação formal. Com esses dados em mãos, os estudantes da FAAC confeccionaram cartazes que já foram colocados em pontos estratégicos do HC, além de folders e panfletos que serão distribuídos às pessoas. O material que será entregue aos funcionários tem características particulares, assim como aquele que irá para as mãos dos pacientes. Futuramente essa divulgação será feita também em creches e postos de saúde. Um E-mail marketing também será enviado pela rede in-

terna do complexo Faculdade de M e d i c i n a d e B o t u c a t u / Unesp e HC informando sobre os benefícios que a unidade terá com o selo de “Amigo da Criança”.

OS ESTUDANTES DA FAAC CONFECCIONARAM CARTAZES QUE JÁ FORAM COLOCADOS EM PONTOS ESTRATÉGICOS DO HC

Ainda serão promovidas palestras-relâmpago nas filas de espera e distribuídas figuras alusivas à amamentação para serem coloridas pelas crianças. Os alunos estiveram pela primeira vez no HC em 21 de outubro, quando realizaram

uma pré-pesquisa junto ao público-alvo. Dia 18 de novembro aplicaram um questionário para saber o quanto pacientes e servidores sabiam sobre a Iniciativa Hospital Amigo da Criança. Dias 15 e 17 de dezembro foram desenvolvidas ações específicas, quando um dos estudantes, que é músico, se apresentou no boulevard do HC como forma de atrair a atenção de quem passava pelo local para a panfletagem. Em janeiro o Hospital das Clínicas passou pela primeira pré-avaliação. Logo após serão apontadas eventuais falhas. Essas deficiências ainda poderão ser corrigidas para a avaliação oficial que acontecerá posteriormente.

PARCERIA Alunos mostraram primeiros resultados ao superintendente do HC Alunos do 1º e 2º ano do curso de Relações Públicas da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação/Unesp de Bauru (FAAC) apresentaram, dia 15 de dezembro, ao superintendente do Hospital das Clínicas/Unesp, professor Emílio Curcelli, os resultados de uma pesquisa motivacional que realizaram na unidade. O objetivo era saber como está o conhecimento e o envolvimento de funcionários e pacientes, além de estimulá-los a se envolverem na Iniciativa Hospital Amigo da Criança, que prevê conquistar para o hospital o selo do projeto que incentiva o aleitamento materno. O diagnóstico apresentado pelos graduandos foi que a maioria dos entrevistados ainda não consegue relacionar as campanhas de promoção do

aleitamento materno à Iniciativa Hospital Amigo da Criança. Além disso, ficou constatado que há falhas na comunicação entre os setores da unidade. O resultado foi que 35% conhecem e participam do projeto, através dos treinamentos sobre aleitamento materno e 19% conhecem, mas não participam. Ao todo 21% desconhecem totalmente o assunto. Durante a abordagem junto aos usuários do HC, o grupo de alunos também notou que o boca-a-boca é a ferramenta informal de comunicação interna mais eficaz atualmente, pois 44% dos que responderam ao questionário disseram ficar sabendo sobre as novidades através de conversas com os colegas. Também foi identificado que os pacientes gostam de ler informações impressas e na

OPO homenageia Polícia Rodoviária por transporte de órgãos e tecidos

Parceria com a PMR proporciona agilidade no transporte de órgãos

AJUDA

Projeto “Pão e Vida”, que oferece café da manhã a pacientes do HC, já atende 150 pessoas O Projeto Social “Pão e Vida”, mantido pela Igreja Presbiteriana do Jardim Paraíso e que oferece, semanalmente, café da manhã aos pacientes do Hospital das Clínicas da Unesp (HC) já atende a 150 pessoas. A ação teve início em maio de 2009 e foi viabilizada por intermédio do Instituto “DOM”, que auxilia as pessoas que receberam algum órgão ou tecido. Os pacientes vindos de Botucatu e várias cidades da região de abrangência do HC para exames ou consultas, muitas vezes não têm condições de se alimentarem de maneira adequada devido à sua situação financeira. Por isso, esse grupo de voluntários prepara, todas as terças-feiras, um variado cardápio aos usuários da unidade. Anteriormente, o café era realizado em um espaço cedido pelo JANEIRO 2010

Policiais militares rodoviários foram homenageados dia 21 de dezembro, pelo Hospital das Clínicas/Unesp (HC) através de seu Banco de Olhos e Organização de Procura de Órgãos. O evento foi um reconhecimento do HC pela parceria com a corporação, responsável pelo transporte de órgãos e tecidos ao hospital. “A Corporação (Polícia Militar Rodoviária) faz seu trabalho em prol da sociedade de maneira silenciosa e poucos têm o conhecimento da

sua importância. Vocês (policiais) complementam toda essa engrenagem que compõe o Sistema de Saúde em nosso Estado”, declarou na ocasião o superintendente do HC, prof. Emílio Curcelli. Já o diretor do Banco de Olhos e vice-coordenador da OPO local, prof. Alvio Isao Shiguematsu fez um balanço de quatro anos de existência do órgão. Ao todo foram 1.500 doações com três mil córneas captadas. Os números fazem com que o banco seja o segundo em números de doação por milhão de habitantes no Estado de São Paulo. Também foi apresentado, na oportunidade, um vídeo com imagens do trabalho realizado tanto pelo hospital na recepção e atenção aos órgãos e tecidos captados, quanto ao auxílio prestado pela Polícia Rodoviária. O comandante da 3ª Cia da Polícia Militar Rodoviária de Botucatu, tenente Ricardo Alexandre Maganha, ressaltou que colaborar com instituições como o Hospital das Clínicas integra uma das missões desempenhadas pela instituição com o objetivo de proteger e ajudar a salvar vidas. “A população muitas vezes não percebe a dimensão do trabalho que hospitais e a Polícia Rodoviária prestam em prol da vida. É gratificante para nós, policiais, sermos agentes de importante missão”, concluiu.

RH/ UNESP

ValeAlimentação tem reajuste Projeto no HC começou alimentando apenas 12 pessoas Centro de Assistência Toxicológica (Ceatox) e participavam apenas os transplantados, reunindo somente 12 pessoas. No entanto, com o crescimento do projeto,

agora a refeição é servida no Bloco 3 do HC, com a participação de todas as pessoas que necessitam. A iniciativa conta com a diversas doações de alimentos.

Os servidores vinculados à Unesp (Universidade Estadual Paulista) têm, desde janeiro deste ano, novos valores no Vale Alimentação. Agora o benefício passa a ser de R$ 300,08, com valor unitário de R$ 13,64. A determinação é da reitoria da universidade. Segundo comunicado da

Seção de Recursos Humanos da Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB), para o acerto do valor de R$ 275,22 creditado dia 1 de janeiro, procedeu-se no sistema a alteração do valor unitário para R$ 14,77 gerando a diferença de R$ 24,86. Tais valores totalizam R$ 324,94 que será creditada em 1 de fevereiro. Informações detalhadas podem ser obtidas através dos telefones (14) 3811-6245 / 6203


11 EQUIPAMENTOS

Hospital das Clínicas contará com novo tomógrafo O Hospital das Clínicas da Unesp (HC) ganhará um novo tomógrafo e será minimizada a fila de espera para a realização do exame. Para a aquisição do aparelho serão utilizados recursos obtidos através de uma emenda parlamentar do deputado federal José Anibal (PSDB). O governo federal já empenhou R$ 2 milhões, sendo que R$ 1,8 mi serão usados no tomógrafo e o restante será investido no Centro Cirúrgico e UTI (Unidade de Terapia Intensiva). O aparelho será um Mult Slice, com 64 canais, considerado de alta qualidade. Ainda falta a assinatura do convênio que permitirá a liberação do recurso para a compra do equipamento, o que deve acontecer em breve. A previsão, segundo o superintendente do HC, prof. Emílio Carlos Curcelli, é que o novo tomógrafo esteja em funcionamento até o final deste ano. O atual equipamento vem a suprir uma demanda reprimida que o hospital vinha enfrentando. Atualmente, dois aparelhos de tomografia estão em funciomamento. O mais novo está em atividade desde 2002 e o mais antigo foi fabricado há quinze anos. Este último, no entanto, tem sido gradati-

Com demanda de 12 mil tomografias ao ano, HC/Unesp receberá importante reforço em equipamento vamente desativado para a instalação do tomógrafo a ser adquirido pelo hospital. A área que receberá o equipamento deve, inclusive, passar por readequações para sua instalação. Para o supervisor da Seção Técnica de Diagnóstico por Imagem do Hospital das Clínicas, professor Altamir Santos Teixeira, a aquisição do novo equipamento trará benefícios em diversos serviços ofereci-

O APARELHO SERÁ UM MULT SLICE, COM 64 CANAIS, CONSIDERADO DE ALTA QUALIDADE

dos pelo HC. Segundo ele, com a maior capacidade do equipamento, haverá a possibilidade de novos exames como arteriografia (exame radiológico através do qual se visualiza o interior das artérias

do organismo), entre outros. Através desse sistema, o diagnóstico de doenças com grande prevalência populacional, como o infarto, poderão ser melhor rastreadas. O tempo de duração também será menor, com os resultados disponíveis em dez minutos, conforme estimativa do médico. Além disso, as imagens terão melhor definição, o que possibilitará detalhamento e precisão nos futuros diagnós-

ticos. “Esse tomógrafo serviria, por exemplo, para rastrear sinais de estenose coronariana (infarto) na população que o HC atende”, declarou prof. Altamir. O professor ressalta ainda que a atualização tecnológica do setor de diagnóstico por imagem tem sido frequente no HC nos últimos anos. “Há uma preocupação da superintendência do hospital em melhorar toda a estrutura física e de pessoal do setor de diagnóstico e imagem”, ressalta. “O avanço que a tecnologia tem proporcionado na medicina é sentido com força dentro da área da imagem e diagnósticos”, opinou. “Não dá para um hospital em nível terciário, como o nosso, não possuir um equipamento desse porte; ainda mais com a complexidade de especialidades que atende”, complementou o chefe da seção. De janeiro a novembro de 2009 o Hospital das Clínicas registrou total de 12.440 tomografias computadorizadas, o que equivale a média de 1.100 exames deste tipo ao mês. A abrangência populacional do hospital é de 1,5 milhão de habitantes provenientes do Departamento Regional de Saúde de Bauru (DRS-6).

PLANEJAMENTO

CERTIFICAÇÃO

UTIs podem receber selo de qualidade Entre março e abril deste ano, avaliadores do Escritório de Acreditação de Bauru estarão no Hospital das Clínicas da Unesp (HC) para uma pré-avaliação de suas unidades de terapia intensiva. A intenção, desta vez, é diagnosticar as condições atuais do serviço para depois realizar uma avaliação completa e atestar a qualidade do atendimento. O coordenador pelo grupo de trabalho que cuida das UTIs no HC, professor José Roberto Fioretto, compara a Acreditação, que é um instrumento que mede a qualidade do serviço, aos selos conquistados pelas grandes industrias (ISO 9001, por exemplo).

Na unidade serão visitadas a UTIs Pediátrica, Neonatal, do ProntoSocorro, Central e a CTI da Clínica Médica. “Nossos dados mostram que já atendemos a alguns critérios da Acreditação, mas há pontos a melhorar”, admite. Essa espécie de selo de qualidade da área da saúde é gerenciado pela Organização Nacional de Acreditação (ONA) e tem três níveis. Após a avaliação oficial, o HC estará no nível 1. Funcionários do Hospital das Clínicas também serão qualificados para se tornarem avaliadores da Organização e a previsão é que Botucatu passe a integrar a rede de escritórios de Acreditação.

“Para o hospital seria muito interessante termos um escritório coordenado por nossos funcionários. Mostra a credibilidade da instituição e a qualidade do nosso atendimento”, frisa professor Fioretto. A documentação para que sejam tomadas as primeiras providências para a préavaliação serão encaminhadas ainda neste mês. Em dezembro de 2009, foi realizada na Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp uma reunião que tratou da Acreditação nas UTIs. As bases foram apresentadas pelo grupo do Escritório de Qualidade do Hospital Estadual Bauru (HEB). Sobre a ONA

Acreditação servirá para confirmar qualidade dos serviços de UTI

A Organização Nacional de Acreditação (ONA) é uma organização não governamental caracterizada como: “pessoa jurídica de direito privado sem fins lucrativos e de interesse coletivo”, com abrangência de atuação nacional. Tem por objetivo promover a implementação de um processo permanente de avaliação e de certificação da qualidade dos serviços de saúde, permitindo o aprimoramento contínuo da atenção, de forma a garantir a qualidade na assistência aos cidadãos brasileiros, em todas as organizações prestadoras de serviços de saúde do País.

Reunião definiu reformulação das escalas de plantões

Escalas de plantões do HC passam por readequação Visando um melhor aproveitamento dos profissionais e adequando às necessidades do Hospital das Clínicas/ Unesp (HC), a Superintendência e Diretoria Clínica reformularam suas escalas de plantão. Em reunião realizada dia 7 de janeiro, o diretor clínico da unidade, Dr. André Balbi, discutiu com os responsáveis pelas listas de plantonistas como elas passarão a ser gerenciadas. Segundo Dr. Balbi, as escalas de plantão não eram compatíveis com as necessidades do hospital e tinham um custo de manutenção elevado. Após meses de trabalho conjunto entre a Diretoria Clínica e

a Superintendência do HC, alguns plantões foram extintos e outros acrescentados. “Essa distribuição mais coerente vai proporcionar uma economia financeira para o hospital. Com listas de plantões mais completas conseguiremos melhorar o atendimento a população”, afirma o diretor clínico. As mudanças entram em vigor dia 16 de janeiro. Devido às modificações, o HC continua a ter mais plantonistas que o preconizado pelo Conselho Regional de Medicina (CRM). “Mas isso se faz necessário pelo fato de sermos um hospital escola e de nossa demanda ser grande”, justifica Dr. Balbi. JANEIRO 2010


12 ACORDO

FMB firma convênio de cooperação com a Alemanha Prof. Winston: acordo pode oferecer melhor capacitação profissional

MELHORIA

Novo forno incinerador da Unesp de Botucatu está em construção Está em construção no campus da Unesp, em Rubião Júnior, um novo forno incinerador para a eliminação dos resíduos infectantes gerados principalmente pelo Hospital das Clínicas. O equipamento substituirá o antigo dispositivo, que não atende aos padrões exigidos pelos órgãos fiscalizadores e será desativado. A coordenação é do Grupo Administrativo do Campus (GAC) de Botucatu. A previsão é que a obra seja concluída ainda em 2010. Atualmente, é feita a fundação do prédio.Os recursos serão destinados integralmente pela Reitoria da Unesp e compreendem: R$ 906 mil para o barracão que abrigará o incinerador e R$ 654 mil para o novo equipamento. O incinerador terá capacidade para queimar 200 kg de lixo por hora econtará com duas câmaras de combustão, sendo uma funcionando a 800 ºC e outra a 1.200 ºC. O material, após passar pelo

processo inicial de combustão, é submetido a um resfriamento brusco. De 900 ºC cai para 180 ºC. Segundo o engenheiro mecânico Felipe José Faria Bernardes, responsável por parte do projeto, esse procedimento praticamente anula a formação de substâncias tóxicas. Será reduzido em 90% o volume de lixo infectante. Devido à legislação ambiental do Estado de São Paulo sermais rigorosa que a federal, o incinerador terá uma parte de sua estrutura importadada Alemanha. Isso representará um tratamento de gases mais avançado. Serão tratados resíduos tipos A, B e E. O primeiro oferece riscos biológicos (seringas, bolsas de sangue, órgãos, tecidos, etc); o segundo representariscos químicos (medicamentos vencidos, frascos contaminados eresíduos farmacêuticos em geral) e o tipo E são os materiais

perfurocortantes (agulhas, bisturis, etc). De acordo com oengenheiro Bernardes, a principal vantagem do novo forno incinerador será sentida pelos operadores e o meio ambiente. "O novo fornovai proporcionar condições mais adequadas de trabalho, um controle maior dos poluentes emitidos durante a incineração, sem atingir operadores ou o ambiente. Possuirá, ainda, dosadores automatizados decombustível", esclarece. "Uma questão para se refletir é quevamos ter de contar com a colaboração de todos para uma segregação adequada do material. É preciso separar o que é infectante ounão", colocou. A Unesp já possui uma licença prévia e trabalha para obter a de instalação do aparelho. Após a construção do galpão onde ficará o forno, será necessáriauma permissão para que tenha início a operação.

Novo incinerador atenderá às normas ambientais vigentes e será um dos mais modernos do Estado JANEIRO 2010

A Unesp (Universidade EstaduO convênio já tem mostrado al Paulista Júlio de Mesquita Filho) seus primeiros resultados efetivos: através de sua Faculdade de Medi- dois residentes estão na Alemanha cina de Botucatu (FMB) firmou, em para estágio de um mês em algunovembro de 2009, acordo de coo- mas unidades do complexo eduperação com a União Católica de cacional parceiro da FMB. Também Hospitais de Dusseldorf, no oeste há a colaboração de pesquisadoda Alemanha. Com validade de cin- res de ambas as instituições em co anos, ambas as artigos científiinstituições serão cos que estão AS UNIVERSIDADES IRÃO parceiras em pessob avaliação DESENVOLVER ATIVIDADES quisas, intercâmbio para publicação e ações de interes- ACADÊMICAS E TÉCNICAS, ALÉM em revistas cise mútuo. DE AÇÕES DE INTERCÂMBIO DE entíficas. Pelo acordo, as A União CaDOCENTES, TÉCNICOS E ALUNOS universidades terão tólica de Hospicomo objetivo explotais de Dusselrar e desenvolver atividades acadê- dorf agrega cinco hospitais, uma clímicas e técnicas, além de ações nica de reabilitação e também um de intercâmbio de docentes, técni- lar de idosos com um total de 1.600 cos e alunos. Segundo Winston leitos. Agrega atendimento anual Bonetti Yoshida, professor do Dede 110 mil pacientes em suas unipartamento de Cirurgia e Ortopedia dades especializadas, sendo um e coordenador do intercâmbio pela dos serviços de saúde mais eficiFMB, o acordo pode oferecer me- entes da Alemanha. lhor capacitação de profissionais da Já a Faculdade de Medicina faculdade e seu Hospital das Clíni- de Botucatu, vinculada à Unesp, cas em alguns serviços de especi- é uma das maiores instituições alidades. “Será uma oportunida- de ensino em nível superior do inde de aprimorar nossos profissi- terior paulista e oferece dois curonais e alunos e com isso ter- sos de graduação: Medicina e Enmos serviços em saúde mais pro- fermagem. Com relação de 129 dutivos, com técnicas avançadas candidatos por vaga no vestibular de procedimentos, principalmen- 2010 da Unesp, a FMB oferece te na área de videocirurgia vas- ainda nove programas de pós-gracular”, ressaltou prof. Yoshida. duação em ciências da saúde.

INTERNACIONAL

Delegação japonesa visita campus da Unesp de Botucatu

Japoneses foram recepcionados pelo diretor da FMB, Sérgio Müller A Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) e o Grupo Administrativo do Campus devem apoiar a realização da Semana de Cultura Japonesa, prevista para acontecer em Botucatu no mês de maio. O compromisso foi dado pelo diretor da FMB e presidente do GAC, respectivamente, Sérgio Müller, durante visita de uma comitiva do Consulado Japonês no Brasil, na última sexta-feira, dia 22 de janeiro. Os japoneses, representados pelo Cônsul e diretor geral do Departamento Consular daquele país, Takeshi Goto, do diretor de intercâmbio cultural da Fundação Japão, Goki Yamashita e o assessor consular Masaki Furusugui. Durante a visita à FMB, a delegação conheceu parte de suas dependências.

Prof. Müller, além de garantir participação da instituição no evento, ressaltou a importância da colônia japonesa na consolidação universitária da Unesp, em especial na Faculdade de Medicina. Além do campus de Rubião Júnior, a delegação nipônica também visitou outros pontos de Botucatu como a Praça BrasilJapão, o Teatro Municipal “Camilo Fernandez Dinucci” e a Prefeitura local. Ainda não estão definidas as atividades que integrarão a programação da Semana de Cultura Japonesa. Há a expectativa de que o cônsul geral do Japão no Brasil esteja presente para a solenidade de abertura da Semana da Cultura Japonesa em maio. Ainda não está confirmada sua visita ao campus da Unesp.

Jornal da FMB nº 19  

janeiro de 2010

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you