Issuu on Google+

Março 2011

N.º 34 Ano:XVI

Preço: 50 Cêntimos

Viviana Sousa, Ana Balio, Ana Santos e Nádia Almeida - 7º B

CAMPEÃS DISTRITAIS CORTA-MATO FEMININO Infantis B

Página 1 A venda deste número do Face ao Douro reverte para o CLUBE DE SOLIDARIEDADE.


E s c o l a FACE AO DOURO

2ª PÁGINA O sinal mais seguro da Sabedoria é a constante serenidade. M. Montaigne

A Escola Secundária Diogo de Macedo recebeu, em Dezembro do ano anterior, a visita de uma equipa da IGE, a qual no âmbito da legislação em vigor, procedeu à avaliação externa da escola. O desenvolvimento desta acção permitiu um melhor conhecimento da "Diogo de Macedo" de si própria, criando condições propícias à reflexão e ao debate. Esta acção identificou ainda pontos fortes e pontos fracos, bem como oportunidades e constrangimentos, oferecendo elementos para a construção ou o aperfeiçoamento de planos de melhoria e de desenvolvimento da escola, em articulação com a administração educativa e com a comunidade em que se insere. A presença da equipa de avaliação gerou um relatório que abrangeu diferentes áreas, desde a Caracterização da Escola, às Considerações Finais, passando pelas Conclusões da Avaliação por Domínio e a Avaliação por Facto, as quais decorreram da análise dos documentos fundamentais da Escola, da sua apresentação e da realização de entrevistas em painel. Como resultado deste trabalho a "Diogo de Macedo" recebeu quatro níveis de classificação de Bom, e um Muito Bom, no domínio da Liderança. Podendo estes resultados ser considerados positivos, deve ser com serenidade e respeito pela identidade própria da escola e pelo trabalho desenvolvido por todos aqueles que integram a sua Comunidade, que os projectos devem ser alicerçados e elencados, pois atitudes cen-

tralistas, burocráticas e geradas em gabinetes deslocalizados da realidade poderão pôr em causa o que de bom foi feito, sendo que, geralmente, as suas repercussões atingem aqueles que devem ser sempre os primeiros destinatários das nossas acções e as nossas principais preocupações, os alunos. Assim, a Escola Diogo de Macedo tem procurado seguir a expressão do pensador francês, M. Montaigne, ou seja, serenamente continuamos a procurar trilhar os caminhos que nos possam aproximar da excelência, conscientes de que ainda estamos distantes de a atingir, mas que temos um rumo definido, aceite maioritariamente pela Comunidade Educativa através da mais sagrada expressão da legitimidade democrática, o acto eleitoral expresso nas eleições que nos deram uma Direcção e um Conselho Geral, sendo que definido o Rumo e a Missão, coarctar a sua concretização é, no mínimo, um atropelo e um desrespeito pelo direito de cidadania de todos nós. O Face ao Douro como uma das faces visíveis da Comunidade, sente o maior orgulho em destacar aqueles que por força da primazia alcançada contribuíram para o engrandecimento da nossa Comunidade Educativa, referimo-nos neste caso às nossas jovens atletas que obtiveram o primeiro lugar no Corta Mato Distrital, não esquecendo os seus professores e restantes colegas. Bem Hajam.

No dia 12 de Fevereiro, vinte e três alunos da nossa escola participaram no Corta-mato Distrital. Bem cedo e já todos marcavam presença junto da escola trazendo consigo a esperança, mais ou menos secreta, da obtenção de uma honrosa classificação. A viagem curta até Santo Tirso revelou-se demasiado longa, fruto da ansiedade que aumentava à medida que os quilómetros passavam. O local da prova estava repleto de milhares de atletas que se preparavam para representar as suas escolas e a nossa não fugia à regra. O ambiente era divertido, agradável e de um colorido enorme. A primeira prova em que a nossa escola participou, foi no escalão de infantis B femininos, e não podia ter corrido de melhor forma, já que a nossa equipa constituída por valorosas corredoras, ficou brilhantemente em primeiro lugar. As restantes provas correram dentro do esperado, com alguns atletas nossos a ficarem entre os vinte primeiros classificados, o que é fantástico, face estarem a competir com atletas federados. Foi uma manhã passada em grande, em que todo o tempo lá passado, foi muito bem aproveitado, fazendo desta prova, uma experiência espectacular para se vivenciar. Maria João, 10º C

Face ao Douro

Propriedade: Escola Secundária/3 Diogo de Macedo Directora: Olinda Guedes dos Santos FACE AO DOURO Equipa Coordenadora: Manuel Filipe Sousa, Isabel Pereira e Luísa Azevedo. Colaboradores: Equipa da Biblioteca Escolar, Equipa do PES, Grupo de Geografia e Grupo de Matemática. Professores: Almerinda Devezas, António Silva, Damião Cruz, Ermelinda Vieira, Manuel Brandão, Manuel Filipe Sousa, Maria do Rosário Meireles, Patrícia Costa. Alunos: 7º B: Anaísa Lopes e Fábio Silva; 7º D: Beatriz Guedes; 9º B: Ana Carolina, Ariana Lino, Cátia Silva, Daniela e Rita Brito; 10º A: José Eduardo; 10º C: Mª João; 11º A: Elma Pereira e Rosa Azevedo; 11º C: Sílvia Azevedo; 12º A: Marta Gomes; 12º D: André Ramos, Bruno Tavares, Marco, Solange e Tiago Moreira; 12º E: Daniela Santos. Fotografia: Isabel Pereira, Mª Rosário Meireles, Manuel Brandão. Arranjo gráfico: Isabel Pereira e Luísa Azevedo Impressão: Secretaria e Reprografia da ESDM

Página 2

CORTA MATO DISTRITAL DIOGO DE MACEDO CONQUISTA O 1º LUGAR

EQUIPA VENCEDORA Ana Balio, Ana Santos, Nádia Almeida e Viviana Sousa 7º B


E s c o l a FACE AO DOURO

DIA DA ESCOLA A Ginástica na I República Como acontece todos os anos, o Dia da Escola é motivo de comemoração e de animação por parte de todos. Alunos e professores aproveitam este dia para conviverem, para se divertirem e para participarem nas actividades que a escola põe à sua disposição. Este ano, as actividades desportivas tomaram contornos diferentes. Tendo em conta que em 2010 foi o ano das celebrações do Centenário da República, a nossa escola não podia deixar de fazer a sua própria comemoração. Para além do torneio inter-escolas de futsal feminino, a comunidade educativa da Diogo de Macedo teve oportunidade de assistir a uma coreografia realizada pelos alunos de cinco turmas do secundário que pretendia mostrar a todos como era a ginástica no tempo da I República. Os dias anteriores ao Dia da Escola foram de preparação intensa. As turmas que participaram nesta iniciativa, juntavam-se nos intervalos no pavilhão gimnodesportivo com o professor Luís Geirinhas, e de forma rápida, já que o tempo não era muito, o professor ia-nos ensinando a coreografia. No início, a descoordenação era enorme e aprender tudo o que tínhamos de fazer em tão pouco tempo e com tanta gente não estava a ser nada fácil! Tínhamos a noção que a core-

ografia nunca ficaria perfeita. No Dia da Escola, os alunos estavam um bocadinho nervosos, mas o resultado final foi bastante positivo. A ansiedade inicial deu lugar a um espectáculo de grande dinamismo e espectacularidade, tendo sido o resultado final do agrado de todos: quem viu diz que gostou. O facto de os elementos gímnicos apresentados não serem muito utilizados na actualidade e de ser muita gente a fazer os mesmos movimentos tornou tudo muito mais apelativo, uma vez que em todo o esquema não houve sequer

XVII Torneio de Futsal Feminino

Canedo. O Colégio dos Carvalhos classificouse em primeiro lugar, seguido da Escola Secundária Diogo de Macedo e da Escola EB2/3 de Canedo. Uma classificação justa, de acordo com o desempenho de cada equipa, verificando-se, apesar do segundo lugar, o apoio incondicional do público à nossa equipa. Sílvia Azevedo, 11ºC

No passado dia 22 de Novembro, Dia da Escola, a Diogo de Macedo teve lugar a 18ª edição do Torneio de Futsal Feminino. Nesta edição estiveram presentes o Colégio dos Carvalhos e a Escola EB2/3 Canedo, para além da nossa escola. Com a multidão eufórica na bancada, deu-se início ao torneio por volta das 10 horas com o confronto entre o Colégio dos Carvalhos e a Escola de Canedo. Sempre de olhos postos na nossa equipa, depositávamos altas expectativas nas nossas colegas, esperando voltar a arrecadar o primeiro lugar, como já era habitual. As expectativas porém ficaram aquém do esperado, pois deparamo-nos com uma equipa bastante bem organizada por parte do Colégio dos Carvalhos para além da aguerrida equipa da Escola de

música, mas apenas uns fortes: 1,2,3… do professor. Esta foi uma actividade em que todos os alunos gostaram de participar e que permitiu que a comunidade educativa, incluindo os alunos que fizeram a coreografia, se enriquecessem culturalmente. Portugal não é só aquilo que conhecemos hoje e é bom que as gerações mais novas tenham essa percepção e procurem desvendar um Portugal mais antigo, mas que também faz parte de nós. Marta Gomes, 12ºA

Resultados dos Jogos:

Colégio dos Carvalhos Equipa Vencedora

Jogo 1: Escola B2/3 Canedo X Colégio dos Carvalhos

0-2

Jogo 2: Diogo de Macedo X Colégio dos Carvalhos

1-2

Jogo 3: Diogo de Macedo X EB2/3 Canedo

3-2

Jogo 4: Colégio dos Carvalhos X EB2/3 Canedo

4-0

Jogo 5: Colégio dos Carvalhos X Diogo de Macedo

4-0

Jogo 6: EB2/3 Canedo X Diogo de Macedo

2-5 Página 3


E s c o l a FACE AO DOURO

DIA DA ESCOLA 100 ANOS DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM PORTUGAL

“Investigar a história da ciência é a única forma de trazer à luz aspectos da história de Portugal que expliquem melhor quem somos e para onde devemos ir” Carlos Fiolhais e Décio Martins No âmbito das comemorações do centenário da República o Departamento de Matemática e Ciências Experimentais assinalou esta data com a produção de um friso cronológico dos “100 anos de Ciência e Tecnologia em Portugal”. As turmas A, B, E e F do 8º ano, B, D e E do 9º ano, F do 10º ano e D do 12º ano, realizaram um levantamento das personalidades portuguesas que mais se destacaram, nos últimos 100 anos, nas diversas áreas científicas (matemática, física, química,

biologia, medicina e geologia) bem como o crescimento das tecnologias de informação e comunicação a cargo de investigadores também portugueses. Com o principal objectivo de reconhecer a evolução da investigação científica e tecnológica em Portugal, pode-se assim ter uma visão de conjunto do esforço desenvolvido, por intermédio de muitos dos seus investigadores, o que permitiu ultrapassar desafios e afirmar-se de forma decisiva, a nível internacional, garantindo um modo de fazer ciência de

elevada qualidade. Enaltecer os nossos valores, reconhecer os fracassos, aprender com a experiência de outros é um percurso necessário e urgente que os portugueses têm de enfrentar. Este esforço individual e colectivo começa cedo e na escola, pois apenas se chega ao nível de excelência – como exemplificam as personalidades evocadas no friso – com trabalho, rigor e perseverança. Manuel Brandão

MATPAPER E OUTRAS ACTIVIDADES Integrados no Dia da Escola, as professoras de Matemática e alunos envolveram-se em actividades diferentes, divertidas e, claro, ligadas à disciplina. A sala 4 D, o bufete, a sala de estudo e até o espaço ao ar livre foram palco destas brincadeiras com um aroma a Matemática. Enquanto os mais novos se deliciavam e competiam entre si, os alu-

nos mais velhos (ilustres convidados) sempre atentos e perspicazes colaboraram nos espaços onde se desenrolavam as várias actividades, acolhendo e orientando os pequenos matemáticos. O entusiasmo foi de todos, mas no final premiados apenas alguns: -Primeiro lugar: Applés – Inês Tavares; Sandra Marques; Tiago Dias e Fábio Silva. Todos do 8º ano, excepto o último aluno que frequenta o 7º ano. Segundo lugar: Os Matemáticos – Simão Manuel; Rodrigo Silva; Ricardo Jesus e João Martins. Todos os alunos frequentam o 8º ano. Terceiro Lugar: Bedamaca – Daniela Almeida; Carla Silva; Bebiana Ramos e Marta Santos – 9º ano. Entre as várias actividades decorreu o concurso “Melhor árvore de Natal”,

tendo sido vencedora o trabalho da aluna Ana Sofia Dias, que frequenta o 7º ano. O grupo de Matemática

Página 4


E s c o l a DIA DA ESCOLA CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA A vinte e dois de Novembro comemorou-se mais uma vez o Dia da Escola Diogo de Macedo. Para assinalar esta data realizaram-se muitas e variadas actividades, entre elas a Eucaristia. Esta actividade foi dinamizada e organizada pelas professoras de Educação Moral e Religiosa Católica e de Economia. A Celebração realizou-se pelas 9.30h, no polivalente da nossa escola, tendo sido presidida, pelo Padre Albino Reis, que gentilmente acedeu ao nosso pedido, em virtude do Padre António Baptista se encontrar hospitalizado. Nesta actividade conseguimos envolver cerca de 80 alunos, distribuídos pelo grupo coral, músicos, acólitos, leitores e elementos do ofertório solene, bem como os alunos do 12ºE, que colaboraram na vinda dos idosos do Centro de Dia do Carvalho em Olival. Os arranjos musicais estiveram a cargo do professor Manuel Castro e dos alunos José Diogo, do 12ºA e Ivo França, do 9ºB. Os ensaios realizaram-se às quintas-feiras, na hora de almoço, com a preciosa colaboração do Técnico de

Laboratório, Senhor Luís. A decoração do altar esteve a cargo de um grupo de funcionárias da nossa escola, que se empenharam em embelezá-lo, tendo disponibilizado a sua tarde de domingo para a preparação do mesmo. Antes de começar a Eucaristia, fizeram-se os preparativos habituais, leramse as leituras em voz baixa, repetiram-se os passos do ofertório, ensaiaram-se as músicas mais difíceis e os acólitos prepararam o altar. Constatou-se uma vez mais o impacto que esta actividade tem no meio envolvente à escola, testemunhada pela presença de 46 idosos do Centro de Dia do Olival. A presença destes, resultou do convite e empenho da professora Antonieta e da disponibilidade da direcção do Centro em participar neste momento de oração, serenidade e respeito como se exigia. Aproveitamos ainda, para agradecer a oportunidade que o padre Albino nos proporcionou e a forma como interagiu com a comunidade escolar, nomeadamente através do seu discurso, actual e adaptado aos alunos. Prof. Almerinda Devezas

FACE AO DOURO

SALA DE INFORMÁTICA Integrados no Dia da Escola, os alunos do 9º ano, 8ºF, 10ºF e 12ºD dinamizaram a Sala de Informática.

Os alunos do 8º ano elaboraram um friso cronológico sobre a evolução das práticas administrativas, os alunos do 9º criaram cartazes subordinado ao tema “As áreas das TIC”, os alunos do 10ºF participaram com elaboração de vídeos sobre componentes do computador, uma pequena exposição de hardware, cartazes e um pequeno programa em Pascal. Os alunos do 12ºD apresentaram os projectos desenvolvidos em Visual Basic. André Ramos e Bruno Tavares 12ºD

ACTIVIDADES INSERIDAS NO PROJECTO DE EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE A Promoção da Educação para a Saúde em meio escolar é obviamente o principal objectivo deste projecto, envolvendo obrigatoriamente as áreas da educação e da saúde. Como meta final, o PES pretende a adopção, por parte da escola, de práticas condizentes com a promoção da saúde, incluindo a preven-

ção de comportamentos de risco. Nesse sentido, durante este segundo período, já se realizaram mais algumas actividades. No dia 17 de Janeiro, sessenta e sete alunos do sétimo ano fizeram um rastreio a problemas dentários e

de higiene oral, com a participação duma médica dentista da Universidade Fernando Pessoa. Os respectivos relatórios médicos, serão enviados para os encarregados de educação dos alunos envolvidos. Nos dias dois e três de Fevereiro, os alunos do décimo segundo ano participaram activamente no workshop “Suporte Básico de Vida” realizado pelos Bombeiros Voluntários de Crestuma. No dia vinte e dois de Fevereiro, alunos do nono e décimo ano deslocaram-se ao Centro Cultural e Social de Olival para assistirem à peça de teatro de Dário Fo “Deixemos o Sexo em Paz”, um monólogo divertido que trata de um tema muito importante para a vida de todos nós, a sexualidade. Por fim, no dia vinte e três de Fevereiro, alunos das turmas do décimo primeiro e do décimo segundo ano, assistiram à sessão de esclarecimento “Violência no Namoro não é Namoro”, levado a cabo por uma equipa especiali-

zada da GNR nesta temática. Globalmente, a maioria dos partici-

pantes consideram muito positiva a existência e a continuidade destas actividades na nossa escola. E, da nossa parte, prometemos mais e melhor... A Equipa do PES

Página 5


E s c o l a FACE AO DOURO

CORTA MATO ESCOLAR Foi dia 17 de Dezembro, último dia de aulas, em pleno espírito natalício que, para além da troca de prendas, houve o famoso corta-mato escolar. Num dia em que o frio apertava e congelava mãos e pés, pondo tudo o que era gente com cachecóis e casacos, o espírito desportivo dominava os jovens participantes do corta-mato que recebiam o aplauso da comunidade escolar. O corta-mato começou, foi-se desenrolando e “aquecendo” todos os presentes e todos os atletas que esperaram com ansiedade o início da prova.

Apesar de alguns contra-tempos, como por exemplo, as lesões de alguns participantes tudo correu como previsto. E aqui, aproveito para agradecer o valioso auxílio dos Bombeiros Voluntários de Crestuma, sempre disponíveis para apoiar este tipo de provas. Também, não menos importante, e de destacar, a excelente organização deste corta-mato por parte dos professores de Educação Física: quer na escolha do percurso, quer na alimentação, quer no apoio a todos os participantes. Pessoalmente, esperei com ansiedade o início da minha prova, e com alguma tristeza por saber que foi o último corta-mato que participei na Escola Diogo de Macedo. No fim, consegui o 3ºlugar e para mim, ganhar uma medalha foi o melhor prémio que me podiam ter dado pelo esforço e sacrifício de muitos anos. Certamente um corta-mato que nunca esquecerei… Rafael Santos Nº10,12ºC

CHRISTMAS... In our school, to celebrate Christmas, the students created some postcards with the shape of stars and they wrote messages directed to the whole school community. In our opinion, this activity was very cool and we enjoyed doing it very much. After that, our class decorated the outside tree with the star messages. It is a big tree at the entrance of the school. This was very funny because we played a little bit with our friends and we had the precious help of Mr. Lourenço Carvalhal and Mrs Eugénia Ferreira . When we finished the tree was very, very pretty and we were very proud of it. Fábio Silva e Anaísa Lopes, 7º B

ESCOLA SECUNDÁRIA DIOGO DE MACEDO NO CONCURSO DA TETRA-PAK - “SIM, ESTE ANO O NATAL É AMARELO” O concurso 'Sim, Este Ano o Natal é Amarelo' foi uma iniciativa promovida pela Tetra Pak em parceria com a Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE), tendo por principal finalidade sensibilizar para a temática da separação das embalagens e do contentor (ecoponto correcto para a sua deposição) bem como para a importância da reciclagem das conhecidas embalagens 'tetra pack', utilizadas no acondicionamento de sumos, leite e outros produtos alimentares facilmente perecíveis. Nesse sentido, a ABAE e a Tetra Pak desafiaram todos os estabelecimentos de ensino do país a construírem a tradicional árvore de Natal utilizando este ano como material principal as embalagens 'tetra pak'. As árvores deveriam ser predominantemente amarelas, no sentido de veicularem a mensagem de que aqueles resíduos devem ser depositados no embalão (contentor amarelo) para valorização posterior. A Escola Sec. Diogo de Macedo associou-se a esta iniciativa através do seu Dep. de Expressões tendo para o Página 6

efeito o desafio sido tomado em mãos pelo Grupo de Educação Tecnológica (Prof. António Silva) e pela Turma do 9ºD que o realizou. Formalizou-se a respectiva inscrição tendo o Sr. Coordenador de Projectos (Prof. Manuel Brandão) oficializado a mesma em conformidade com o Regulamento do Concurso e posteriormente acompanhado e decorrente da sua realização recolhido os elementos de cariz visual necessários à apresentação do mesmo. A realização deste Concurso foi integrado no Plano Anual de Actividades e em 27/10 na reunião Intercalar desta Turma foi dado a conhecer ao Conselho de Turma do 9ºD, para integração no respectivo Projecto Curricular numa óptica de interdisciplinaridade. Foi grande o empenho de alunos e funcionários na separação e recolha de embalagens usadas, necessárias para a construção do contentor e da árvore. Uma palavra sobre a opção votação “on-line”, uma ferramenta dos tempos modernos disponível e acessível mas

que desvirtua o concurso em si e com certeza será factor condicionante para a inscrição em novas edições. Prof. António Silva


E s c o l a FACE AO DOURO

OFICINA DE ARTES A Oficina de Artes está a dar continuidade ao seu trabalho iniciado em anos anteriores. Esta Oficina tem como objectivo a ocupação dos tempos livres, estimular a importância da arte no processo educativo, utilizar e transformar tipos de materiais e conceber trabalhos dando-lhes um sentido estético e consequente valorização. O horário de funcionamento desta oficina é semanalmente às quintas-feiras das 14.20h às 15.05h na sala de Educação Tecnológica no Pavilhão B. È de referir que o tempo de funcionamento é

demasiado curto para se elaborar trabalhos práticos, o que leva á desmotivação dos alunos. Inscreveram-se nesta Oficina um pequeno grupo de alunos do 8º ano turma D, que continuam a trabalhar empenhadamente para a realização de trabalhos e também estão a colaborar connosco alunos que não estão inscritos na Oficina, mas que merecem o nosso agradecimento. O ano lectivo vai a meio e a Oficina concretizou as seguintes actividades. Durante o primeiro período a professora responsável adquiriu os materiais relacionados com a cerâmica, uma vez que temos uma pequena mufla na Escola. Os alunos trabalharam no sentido de adqui-

rir conhecimentos diferentes tais como: Moldar a pasta cerâmica; Secar; chacotear (1º cozedura); lixar; vidrar e pintar (2ºcozedura). Estes pequenos trabalhos são bastante demorados devido as várias fases de execução, sendo apresentados numa exposição no final do 2º Período. No segundo e Terceiro Período tencionamos continuar com os trabalhos de cerâmica e realizar alguns trabalhos destinados à Pascoa. Contamos com a participação de novos elementos nesta Oficina e aproveitamos a oportunidade para agradecer a todos quantos têm colaborado e participado neste projecto. Prof. Ermelinda F. Vieira

CONCURSO DE PRESÉPIOS - 2010 A actividade “ Concurso de Presépios – 2010” este ano foi planeada, dinamizada e concretizada de forma diferente, envolvendo apenas a nossa comunidade escolar. A iniciativa partiu dos grupos disciplinares de Educação Tecnológica e Educação Moral e Religiosa Católica, tendo sido apoiada por outros professores e pela Direcção da escola, merecendo desde sempre o empenho e participação de alguns alunos das seguintes turmas: 7ºA,7ºB,7ºC,7ºD e 7ºE; 8ºA, 8ºD e 8ºE; 9ºD e 11ºA. Para que esta actividade se concretizasse conforme o planeado foi elaborado um regulamento específico para este concurso, os alunos tiveram que realizar a sua inscrição (66 inscrições, mas só 50 participantes). Os objectivos deste concurso visavam sensibilizar os alunos para a pesquisa e recolha de materiais recicláveis; incentivar a criatividade; promover o intercâmbio entre 2º Prémio

turmas e dar a conhecer o significado do Presépio e os valores humanos e cristãos. Os alunos participaram no concurso de uma forma positiva empenhando-se

nos trabalhos durante as aulas e desen-

com esta avaliação concluiu-se e atribuiu -se as seguintes classificações: 1º prémio para o grupo de alunos do 8ºE; 2º prémio para a aluna Ana Isabel, do 7º C; 3º prémio e em exêquo para um grupo de alunos das turmas do 7ºB e 8ºA. Os prémios serão meramente simbólicos (livros, canetas, jogos) e serão en3º Prémio

1º Prémio volveram aptidões e destrezas manuais que favoreceram a criatividade. Os trabalhos apresentados a concurso foram no todo ou em parte, objecto de exposição realizada na biblioteca da escola, com a prestável colaboração da sua coordenadora, professora Rosário Meireles. Durante a exposição dos presépios houve divulgação de frases alusivas à época natalícia e também estas elaboradas pelos alunos. Para se fazer a avaliação dos presépios expostos foi necessário constituir um júri e que era composto pelos seguintes elementos: duas alunas do 12ºano (Inês Santos e Marta Gomes), dois professores (Damião Cruz e Joaquim Patacas) e ainda um elemento da direcção da escola, professora Olinda Santos. Elaborou-se ainda uma ficha de avaliação/ votação onde estavam incluídos os seguintes requisitos: criatividade, originalidade, reutilização e reciclagem de materiais e ainda tendo em conta o regulamento do presépio. Relativamente aos resultados obtidos

tregues em data a combinar, tendo sido a iniciativa, participação e trocas de experiências os melhores prémios. Os trabalhos premiados serão pertença dos seus autores. Esta iniciativa mereceu e merecerá sempre o nosso apoio e carinho e um muito obrigado a todos quantos se envolveram nela. Os Professores Ermelinda Vieira, Damião Cruz, Almerinda Devezas 3º Prémio

Página 7


E s c o l a FACE AO DOURO

UMA HISTÓRIA REAL No dia 3 de Janeiro deste ano, na aula de Filosofia, a nossa turma, 11ºA, visionou o filme “Mar Adentro”, do realizador Alejandro Amenábar, sugerido pelo professor da disciplina, Osvaldo Bouça. Este comovedor filme baseia-se numa história verídica. Relata a vida de Ramón Sampedro, cidadão espanhol que nos anos 90 decidiu tornar pública a sua história, em virtude de não considerar a sua condição de tetraplégico digna para um ser humano continuar a viver. Ramón Sampedro encontra-se preso a uma cama há trinta anos, vivendo infeliz com a sua condição de vida. Desde então, luta pelo direito legal de pôr termo à sua vida, a eutanásia, pois já não suporta mais o sofrimento que a paralisia lhe causa. Para ele, viver assim, tetraplégico, é pior que morrer. Defendendo que a vida é um direito e não uma obrigação, terá que enfrentar a lei espanhola, políticos, líderes religiosos, e até a sua própria família para alcançar o que tanto deseja, a morte. No entanto, a chegada de duas mulheres abala a sua vida e altera a sua exis-

tência: Júlia, uma bonita advogada que padece de uma doença degenerativa, que está disposta a apoiar a sua causa (uma vez que se identifica com ela), e Rosa, uma mãe solteira, alegre, jovial, que não desiste de tentar convencer Ramón de que viver vale a pena. Mas Ramón não está disposto a continuar a viver… Este filme enquadrou-se impecavelmente no tema a desenvolver nas aulas, Argumentação e Retórica, na medida em que nos possibilitou uma melhor compreensão e entendimento das diferenças entre argumentação e discurso retórico. Além disso, permitiu-nos reconhecer o papel do “ethos, pathos e logos” em contexto real, a força da opinião pública e até mesmo a utilização de discursos falaciosos para atingir os fins desejados. Para além do mais, possibilitou-nos ainda abordar uma questão polémica, que divide as opiniões gerais, levandonos a fazer um pequeno debate, em que cada um de nós pôde expressar o seu ponto de vista, relativamente à eutanásia e aos verdadeiros motivos que nos transmitem ou não, vontade de continuar a viver!... Pelo facto de considerarmos o conteúdo do filme educativo e real, aconselhamos a todos o seu visionamento. Elma Pereira e Rosa Azevedo, 11º A

EDUCAÇÃO SEXUAL NA NOSSA ESCOLA No dia 16 de Fevereiro, a turma D do 7º ano recebeu, nas aulas de Formação Cívica e EMRC, a visita da psicóloga Dra. Judite Alves Pinheiro, que veio esclarecer as dúvidas dos alunos da nossa turma no que diz respeito à Educação Sexual. Num primeiro momento, e para que os alunos não se sentissem inibidos, a Dra. Judite pediu à Directora de Turma, Maria Izilda Vieira, para recolher as questões que eles gostariam de colocarlhe. Esta sessão procurou responder a todas as nossas dúvidas de uma forma natural e descontraída. Não será preciso dizer que foi uma aula bem interessante, prendendo a atenção até dos alunos que costumam ser mais distraídos e faladores! Estivemos tão participativos que foi necessário rePágina 8

petir a dose no dia 2 de Março, porque não houve tempo para responder a todas as questões. Nesta sessão, houve uma maior incidência nos métodos contraceptivos. Enfim, foram aulas diferentes e muito produtivas! Beatriz Guedes, 7º D

CLUBE DE SOLIDARIEDADE “TUDO POR UM SORRISO” Estamos a meio do ano lectivo e o nosso clube já concretizou parte das actividades planificadas para 2010/2011. Contamos com um grupo de alunos muito empenhado na concretização das actividades, nomeadamente as alunas do 7º ano. Durante o 1º período realizamos uma Campanha de Natal, com a recolha de alimentos e agasalhos. Ainda antes do Natal, os alimentos foram distribuídos por famílias bastante carenciadas. A distribuição de agasalhos tem sido feita ao longo do ano, conforme vão chegando ao Clube. Atendemos às necessidades e todo o excedente é levado para instituições de solidariedade social mais próximas da nossa escola. Com o dinheiro angariado na venda do jornal da escola, com a quantia que recebemos da Associação de Pais, do ano transacto, e ainda com pequenas quantias oferecidas por alguns professores, compramos alimentos de 1ª necessidade que foram entregues a meia dúzia de famílias com muitas dificuldades económicas. O projecto “Mais jovem”, sempre que possível tem colaborado com o nosso clube. Na última semana de Janeiro foi realizado o peditório a favor da APARF (Associação de Amigos de Raoul Follereau), que luta contra a lepra. Este peditório foi realizado em duas paróquias vizinhas, pelas alunas do Clube, apuramos 102 euros, modesta quantia, mas que irá contribuir para a cura de 4 doentes com lepra. Estão a ser preparadas outras iniciativas que decorrerão ainda até final do ano lectivo, como é o caso da “ Corrida Solidária”, que será também dinamizada pelo grupo de Educação Física e terá como fortes colaboradores a Associação de Pais e toda a Comunidade Escolar. Para finalizar agradecemos a preciosa ajuda de todos que se deixam envolver por este projecto solidário. A professora Almerinda Devezas


E s c o l a FACE AO DOURO

ROSA-DOS-VENTOS EXPOSIÇÃO E CONCURSO No passado mês de Janeiro, no âmbito da disciplina de Geografia, decorreu na nossa escola uma exposição de trabalhos sobre o tema Rosa-dos-Ventos. A exposição contou com a colaboração da Biblioteca.

tífico, criatividade e qualidade estética, foi com alguma dificuldade, devido à qualidade de muitos dos trabalhos elaborados, que o júri decidiu a atribuição do primeiro, segundo e terceiro prémios. De realçar todo o empenho dos alunos e dos encarregados de educação, que colaboram com a iniciativa, através da disponibilização dos mais variados materiais. Grupo de Geografia Alunos premiados: 1º Prémio - André Filipe Rivas, 7ºB 2º Prémio - Nádia Oliveira Almeida, 7ºB 3º Prémio - Ana Catarina Couto, 7ºF

Estes trabalhos, sujeitos a concurso, foram elaborados pelos alunos do sétimo ano de escolaridade e orientados pelas professoras Ana Ventura e Sandra Silva. Após análise cuidada dos trabalhos expostos, segundo critérios de rigor cienOpiniões de alguns alunos: “Eu achei a exposição das rosa-dos-ventos muito bonita e interessante. Também gostei muito de elaborar a minha rosa-dos-ventos, pois nela usei a minha criatividade” (Joana Castro) “Eu gostei da exposição das rosas-dos-ventos porque achei muito interessante” (Paula Santos) “Acho que foram experiências didácticas e enriquecedoras para os alunos” (Ana Isabel Pedrosa) “Gostei muito de fazer a rosa-dos-ventos porque aprendi melhor a localização relativa” (Miriam Vidal) 2011 - ANO INTERNACIONAL DAS FLORESTAS

No âmbito da disciplina de Geografia, o 9 º ano está a desenvolver um trabalho sobre a importância das florestas, visto que 2011 é o Ano Internacional das

Florestas.

Para desenvolver este trabalho, todas as turmas assistiram a uma sessão de

esclarecimento apresentada por técnicos da Protecção Civil do nosso concelho, que nos deram a conhecer melhor a nossa floresta e os procedimentos a ter para a preservar. As turmas também se vão deslocar ao quartel dos Bombeiros Voluntários de Crestuma para recolher informações sobre os meios existentes para actuar em caso de incêndios florestais. Também serão abordados os procedimentos que os alunos, como futuros cidadãos, deverão conhecer para proteger as nossas florestas. Os trabalhos realizados darão lugar a uma exposição e colóquio de apresentação a ter lugar no dia 21 de Março, uma vez que nesse dia se comemora na nossa escola o Dia Internacional das Florestas. Ariana Lino e Rita Brito -9º B

WORKSHOP “COMO FAZER UM TRABALHO ESCRITO” Sempre a trabalhar numa perspectiva formativa, a Biblioteca Escolar desenvolveu mais um workshop, desta vez, dirigido às turmas do sétimo ano sob o tema “Como fazer um trabalho escrito”. A necessidade deste workshop surgiu da constatação de que os alunos manifestam dificuldade em organizar a informação de um trabalho para entregar ao professor. Nesta sessão, a coordenadora da Biblioteca, usando uma nova ferramenta digital - Prezi, apresentou a estrutura de um trabalho escrito, o que deve incluir cada parte, sendo dadas sugestões muito úteis aos formandos. Após a apresentação, os alunos, em pares, puderam pôr em prática o que tinham aprendido pois tiveram que organizar informação de um trabalho, segundo a estrutura que lhes tinha sido apresentada anteriormente. Esta actividade envolveu os professores de Área de Projecto que consideraram esta iniciativa bastante proveitosa para os alunos. A informação apresentada aos alunos pode ser consultada na plataforma Moodle-Biblioteca-Guias e Tutoriais. Prof. Mª Rosário Meireles READING IS COOL Como já tem vindo a ser hábito, no dia 15 de Fevereiro realizou-se, na Biblioteca, mais um concurso de leitura expressiva em língua inglesa. As prestações foram muito boas, os textos foram muito variados e o júri, constituído pelos professores Ermelinda Fonseca, Isaura Pereira e Rodrigo Cruz, teve dificuldade em seleccionar um vencedor por cada ano de escolaridade. Acabou por atribuir dois prémios em cada ano de escolaridade. PREMIADOS 7º ano Alexandra Silva, 7F Manuel Santos, 7C 8º ano Tiago Carvalho, 8A Cíntia Pereira, 8D 9º ano Marisa Silva, 9E Miguel Mota, 9D Prof. Mª Rosário Meireles Página 9


E s c o l a FACE AO DOURO

VISITAS DE ESTUDO

EXPOSIÇÃO “O CORPO HUMANO COMO NUNCA O VIU” No passado dia 28 de Janeiro os alunos da turma do 12ºE, do Curso Profissional de Técnico de Apoio à Infância, acompanhados pelas Professoras Patrícia Costa e Antonieta Carvalho, realizaram uma visita de estudo ao Centro de Congressos da Alfândega do Porto, para visitar a exposição “O corpo humano como nunca viu”. Nesta exposição os alunos tiveram a oportunidade de observar vários corpos expostos que foram submetidos a sofisticados processos de conservação − polimerização. A observação destes espécimes reais possibilitou o estudo da natureza humana que sempre funcionou sobre um princípio básico: “VER e SABER”, princípio este que orientou as culturas egípcias, romana e islâmica a uma compreensão cada vez mais científica do corpo humano. Os participantes observaram o corpo humano e os seus diversos sistemas e funções, bem como o desenvolvimento embrionário ao longo das várias semanas de gestação. Com esta visita os alunos compreenderam os princípios essenciais do funcionamento do nosso corpo, bem como visualizaram os constituintes de alguns

sistemas de órgãos estudados na disciplina de Saúde Infantil. No final todos já conseguiam imaginar o que temos debaixo da pele, que forma e tamanho têm alguns dos nossos órgãos, todos compreendiam como o corpo funciona, do que necessita para funcionar bem, o que o destrói e o que o reanima. Prof. Patrícia Costa

QUINTA DA VALDEIRA

cida, pertencendo-lhes a opção do trajecto. O objectivo era cumprir o percurso, sem erros, no menor tempo possível, com o auxílio de um mapa e uma bússola. Fizemos ainda, uma prova de Slide que consistiu na descida ou deslizamento de uma cota superior para uma inferior. Após uma fase de medo absoluto fomos surpreendidos por um grande sentimento de liberdade que até parecia que estávamos a voar. Seguiu-se a prova de Arvorismo que consistiu numa actividade desenvolvida sob a copa das árvores, constituída por paralelas, redes, tirolesas e diferentes actividades suspensas, através de cordas e cabos de aço, sempre colocadas de maneira estratégica para proporcionar a cada participante uma boa dose de adrenalina e desafio, com muita segurança e sempre em contacto com a natureza. Apesar das condições climáticas não serem as melhores, as turmas mostraram -se satisfeitas com o resultado produtivo da visita e esperam repetir a aventura. Daniela Santos, 12ºE

No âmbito da disciplina de Educação Física, a turma do 12ºE, juntamente com a turma do 12ºD, realizou uma visita de estudo no dia 9 de Fevereiro de 2011, pelas 13:30h, à Quinta da Valdeira, na freguesia de Sobreira, no concelho de Paredes.

De entre as inúmeras actividades que podiam ser executadas fizemos uma prova de orientação que consistiu na realização de percursos, através da marcha ou corrida, marcados em cartas ou mapas, e materializados no terreno por postes de controlo que os concorrentes tiveram de efectuar pela ordem estabelePágina 10

EMPRESA “BLOCO GRÁFICO” No dia 7 de Fevereiro da parte da tarde as turmas 8ºF, 10ºF e o 12ºD, juntamente com os professores da área de informática visitaram as instalações da empresa “Bloco gráfico” que se situa na Maia, com o objectivo de ficar a conhecer o seu funcionamento.

Através do visionamento de um vídeo, ficamos a conhecer todas as etapas da concepção de um livro, nomeadamente: A ideia para o livro; Estudo gráfico; Paginação; Revelação; Impressão e Encadernação; Armazenamento. As três primeiras etapas desenvolvem -se num outro edifício, sendo esta empresa responsável apenas pelas três últimas. Dedica-se à impressão e acabamento de todos os materiais produzidos pela Porto Editora e restantes editoras participadas, nomeadamente os manuais e auxiliares escolares, dicionários, livros literários e outros produtos em papel. Esta unidade foi construída de raiz, em 2000, e encontra-se equipada com modernas tecnologias industriais gráficas (nas áreas de produção de chapas, impressão e encadernação), bem como na área de armazenamento. Esta visita foi muito importante para todos os alunos, porque ajudou na recolha de informação necessária aos projectos a desenvolver nas várias disciplinas envolvidas.

Marco, Solange, Tiago Moreira 12º D


E s c o l a VISITAS DE ESTUDO / ESCOLA A MAGIA DO TEATRO No passado dia 15 de Fevereiro, todos os alunos do oitavo ano, juntamente com as suas professoras de Língua Portuguesa e outros professores acompanhantes, deslocaram-se a Lavra, Matosinhos, para assistirem à dramatização da comédia de Almeida Garrett “Falar Verdade a Mentir”, levada a cena pela companhia de teatro “O Sonho”. Saímos da escola por volta das 13h45, ansiosos por assistir à peça que estamos a estudar. Mal começou a representação, instalou-se a diversão e a alegria. Desde as mentiras de Duarte, ao sotaque nortenho de Joaquina, passando pelas tentativas de José Félix para que tudo se concretize (ou não estivesse ele interessado no dote de Joaquina!), o grupo esteve muito bem e ajudou-nos, a compreender melhor este texto dramático. Chegámos à escola por volta das 16h45, como previsto, com a certeza de que a mentira não nos leva a bom porto e que tem uma perna muito curta… Ana Filipa e Hugo Monteiro, 8ºA

E LÁ FOMOS NÓS AO TEATRO! No passado dia 8 de Fevereiro de 2011, os alunos do 9ºano deslocaram-se a Lavra, em Matosinhos, com a intenção de assistirem á peça de teatro “Auto da Barca do Inferno” de Gil Vicente. Esta peça está a ser estudada pelos alunos nas aulas de Língua Portuguesa. A visita foi organizada pelas professoras de 9ºano de Português e pretendia-se motivar os alunos a compreender melhor o conteúdo da peça pela sua apresentação. Nesta peça houve grande diversidade de efeitos audiovisuais e de exploração do cómico. Em toda a peça, houve interacção com o público, com muita comédia à mistura. No geral, os alunos do 9ºano gostaram muito desta representação e acharam-na sensacional. Ana Carolina, Cátia Silva e Daniela 9ºB

FACE AO DOURO

INTERNET, SIM… MAS EM SEGURANÇA No dia 8 de Fevereiro comemorou-se o Dia Internacional da Internet Segura. No mundo global em que nos encontramos, é fundamental que os nossos alunos sejam alertados para questões importantes como a utilização da Internet, com responsabilidade e segurança. Deste modo, a Biblioteca Escolar e os professores de Tecnologias de Informação e Comunicação (Isabel Pereira, Henrique Ribeiro e Rodrigo Cruz) programaram uma manhã de sessões de esclarecimento.

COMUNICANDO… Na manhã do dia 5 de Novembro de 2010 as turmas A, B e C do 10º ano realizaram uma visita de estudo ao Museu dos Transportes e Telecomunicações, na Alfândega do Porto. Os alunos foram acompanhados pelas professoras Maria Izilda Vieira, Elsa Pereira e Alice Silva, professoras de Língua Portuguesa das referidas turmas. No museu puderam participar em diversas oficinas, nomeadamente a da televisão, a da rádio, a da ciência e a da imaginação. Para além destas actividades, as turmas visitaram uma exposição sobre os meios de comunicação ao longo dos tempos.

Na televisão e na rádio os participantes gravaram um programa personalizado, nos quais se debatiam temas. Posteriormente, essas gravações foram observadas e comentadas nas aulas.

Na oficina da ciência, os alunos desenvolveram uma actividade desligada da telecomunicação, mas direccionada à sua área de estudo. Aqui o objectivo foi determinar o ADN de uma peça de fruta (a banana). Todos os alunos puderam levar para casa um frasco com uma amostra do referido ADN. Na oficina da imaginação foram convidados a desenvolver a sua criatividade e expressividade, realizando diversas tarefas. Esta actividade foi do agrado de todos os alunos, considerando-a benéfica para as aprendizagens, e de uma forma divertida. José Eduardo, 10º A

Estas sessões tiveram lugar no dia 9 de Fevereiro e, pela biblioteca escolar, passaram todas as turmas do sétimo ano que tiveram oportunidade de ouvir falar de procedimentos correctos a ter em conta quando utilizamos qualquer serviço que a Internet dispõe. Posteriormente, as mesmas turmas, já em aula de Formação Cívica, voltaram à biblioteca para responder a um inquérito on-line e preencher uma banda desenhada intitulada “(Des)Encontros na Net”. Ainda inserida nas comemorações deste dia estiveram em exposição os trabalhos realizados pelos alunos do oitavo ano, no âmbito da disciplina de Área de Projecto. Estes alunos criaram histórias a partir de situações duvidosas que podem suceder “a qualquer momento e a qualquer um” e onde se revelam atitudes e comportamentos acertados a ter em conta em situações de perigo. Foi atribuído um prémio a cada turma. Os trabalhos premiados podem ser consultados na plataforma MoodleBiblioteca - Internet Segura. Prof. Mª Rosário Meireles Página 11


D i a FACE AO DOURO

A "Diogo de Macedo" celebrou no dia 22 de Novembro o Dia da Escola, pois nesse dia, no ano de 1889, nasceu em Gaia, Diogo Cândido de Macedo, desde 1995 o nosso patrono. Ao serviço das comunidades da área nascente do concelho de Vila Nova de Gaia, desde o ano lectivo de 1992/1993, a nossa escola ostenta o nome de um dos mais ilustres portugueses das artes e das letras e uma referência da nossa cultura.

O Dia da Escola é por isso, um dia de festa, de confraternização, de convívio entre os vários membros da Comunidade Educativa, traduzido em inúmeras realizações, protagonizadas e/ou promovidas por alunos, professores, funcionários, pais e encarregados de educação e outros interventores no processo educativo. Este ano o Dia da Escola voltou a ser um momento de excelência, de aproximação, de descoberta, de enriquecimento e de afirmação do todo colectivo e do sufragar de uma realidade e de uma afirmação que é a Escola Secundária Diogo de Macedo. A variedade, a riqueza e a pluralidade

Página 12

d a

E s c o l a

22 DE NOVEMBRO DE 2011

das actividades programadas, a que se associaram diferentes amigos e instituições, como foi o caso do Concerto de Aniversário que contou com a actuação da Orquestra Ligeira da Sociedade Filarmónica de Crestuma (Sábado, 20 de Novembro, no Auditório do Centro Cultural de Olival), contribuíram para nos encher de orgulho pelo trabalho desenvolvido ao longo de quase duas décadas ao serviço do ensino e da educação. As imagens servirão como memória futura, para nos recordar o momento inesquecível do lançamento do Selo Comemorativo desse Dia, com impacto a nível do coleccionismo, da presença entre nós de individualidades, como o arqueólogo e historiador, Dr. Gonçalves Guimarães, que nos falou d' "A 1ª República em Gaia", da pintora, Irmã Gabriela, que trouxe até à Galeria de Arte alguns dos seus trabalhos e do Padre Albino, que substituiu, por motivo de doença, o P. António Baptista na tradicional celebração eucarística. De referir ainda a presença das escolas amigas que connosco participaram no Torneio Diogo de Macedo, em Futsal Feminino, dos ginastas que maravilharam com a aula no tempo da 1ª República e, principalmente, da participação dos nossos alunos e seus familiares nas várias actividades que, ligadas aos vários Departamentos Curriculares, decorreram ao longo do dia, com a presença e participação entusiástica da Comunidade., sem esquecer o momento de gratidão e reco-

nhecimento que foi a distribuição dos Diplomas dos Quadros de Honra e de Mérito aos alunos das diferentes turmas, dos vários níveis de ensino. Comemorar, demonstrando a nossa vitalidade, a nossa personalidade, o nosso querer, a nossa identidade e o nosso empenho, foi a ideia mestra que marcou todo Programa de Actividades.

Como tem acontecido nos últimos anos, o Face ao Douro foi ao encontro dos seus leitores sendo um companheiro de viagem nos vários percursos que os nossos alunos projectaram para esse dia. Face ao Douro


Face ao Douro Nº 34