Issuu on Google+


UNIVERSIDADE POTIGUAR – UnP PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA – NEaD

Currículo 1a. edição

Natal/RN 2010


DIRIGENTES DA UNIVERSIDADE POTIGUAR – UnP Reitoria Sâmela Soraya Gomes de Oliveira Pró-Reitoria de Graduação e Ação Comunitária Sandra Amaral de Araújo Pró-Reitoria de Pesquisa, Extensão e Pós-Graduação Aarão Lyra

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA DA UNIVERSIDADE POTIGUAR – UnP Coordenação Geral Barney Silveira Arruda Luciana Lopes Xavier Coordenação Pedagógica Edilene Cândido da Silva Coordenação de Produção de Recursos Didáticos Michelle Cristine Mazzetto Betti Coordenação de Produção de Vídeos Bruna Werner Gabriel Coordenação de Logística Helionara Lucena Nunes

Revisão de Linguagem e Estrutura em EaD Priscilla Carla Silveira Menezes Thalyta Mabel Nobre Barbosa Úrsula Andréa de Araújo Silva Apoio Acadêmico Flávia Helena Miranda de Araújo Freire Assistente Administrativo Eliane Ferreira de Santana Gabriella Souza de Azevedo Gibson Marcelo Galvão de Sousa Giselly Jordan Virginia Portella

S725c Sousa, Regina Lúcia Maciel de. Currículo / Regina Lúcia Maciel de Sousa, Maria Socorro Queiroz de Souza. – Natal: EdUnP, 2010. EdUnP, 2010. 80p. : il. ; 20 cm Ebook – Livro eletrônico disponível on-line. ISBN 978-85-61140-34-2 1. Currículo. I. Souza, Maria Socorro Queiroz de. II. Título. RN/UnP/BCSF

CDU 371.214


Regina Lúcia Maciel de Sousa Maria Socorro Queiroz de Souza

Currículo Livro-texto EaD

Natal/RN 2010


EQUIPE DE PRODUÇÃO DE RECURSOS DIDÁTICOS Organização Luciana Lopes Xavier Michelle Cristine Mazzetto Betti Coordenação de Produção de Recursos Didáticos Michelle Cristine Mazzetto Betti Revisão de Linguagem e Estrutura em EaD Úrsula Andréa de Araújo Silva Ilustração do Mascote Lucio Masaaki Matsuno

EQUIPE DE PRODUÇÃO DE MATERIAL DIDÁTICO Delinea - Tecnologia Educacional Coordenação Pedagógica Margarete Lazzaris Kleis Coordenação de Editoração Charlie Anderson Olsen Larissa Kleis Pereira Coordenação de Revisão Gramatical e Normativa Michelle Christie Olsen Revisão Gramatical e Normativa Raymi de Fátima Link Márcia Cristina Caetano de Carvalho Coordenação de Diagramação Alexandre Alves de Freitas Noronha Diagramação Fabricio Trindade Ferreira Ilustrações Alexandre Beck


Sou graduada em Pedagogia, com especialização em Gestão e Organização Escolar pela Universidade Potiguar – UnP, onde, hoje, sou Professora de Fundamentos da Educação, Práticas Pedagógicas, Estágio Supervisionado, Orientação de TCC e estou na Direção Adjunta do Curso de Pedagogia. Pertenço também ao quadro de Professores Titulares da Secretaria Municipal de Educação do RN SME, lotada no Departamento de Ensino Fundamental, no setor de Desenvolvimento de Projetos. Como sou estudiosa por natureza, sempre me dediquei ao estudo da língua materna, tornando-me revisora de Língua Portuguesa. Por ter me aprofundado no estudo do Currículo o elegi como objeto de minhas pesquisas, procurando contribuir para o seu entendimento e, consequentemente, para a sua transformação, em busca de uma educação escolar mais significativa, criativa, duradoura, e, sobretudo, mais humana.

MARIA SOCORRO QUEIROZ DE SOUZA Sou Mestra em Administração Profissional pela Universidade Potiguar – UnP, Psicopedagoga pela Universidade Potiguar – UnP, Pedagoga Graduada pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN, autora do Livro Didático “Introdução à Psicologia”, tutora da disciplina: Introdução à Psicologia do NEaD da UnP, coordenadora dos Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu da UnP: docência no Ensino Médio e Docência no Ensino Superior. Sou professora do Curso de Graduação em Pedagogia UnP. Ministro disciplinas relacionadas às áreas de Administração, à Psicologia, Gestão e à Legislação e à Políticas da Educação. Já atuei como professora no Centro de Educação Especial da Secretaria Estadual de Educação do Rio Grande do Norte e como professora Pedagoga vinculada à Secretaria Municipal de Educação de Natal/RN.

CONHECENDO O AUTOR

REGINA LÚCIA MACIEL DE SOUSA


Quando falamos em Currículo, deparamo-nos com ampla gama de significados. Neste livro, porém, vamos tratar do assunto mediante reflexões sobre o que consideramos ser o tema central do Currículo - o conhecimento escolar e, aqui, quando falamos escola, usamos o termo abreviadamente para todas as formas de instituições educativas. O currículo é quem dimensiona o que ensinar e como ensinar. Sendo ele a previsão do caminho para a ação da aprendizagem, como fazer para que o indivíduo aprenda? Qual a sua importância para o desenvolvimento cultural? Você verá que nos últimos anos, em função das discussões provocadas pelas Diretrizes, Parâmetros e Referenciais Curriculares o Currículo ganhou alguma evidência entre os educadores e isso, certamente, refletiu em algumas mudanças na organização das disciplinas e dos conteúdos. Verá também, que a lógica do currículo instrucionista não mudou e é urgente que se promova uma revisão profunda na atual estrutura curricular, pois a discussão sobre o que se deve ensinar precisa se renovar constantemente, ainda mais se considerarmos que a nossa escola tem tido sempre a dificuldade de decidir o quê e como ensinar. Como poderemos contribuir para esta mudança, uma vez que sabemos que ela é necessária do ponto de vista sociológico? Como a prática nos mostra, não é fácil, mas de acordo com a história, podemos constatar que as coisas mudam e isso é possível. O estudo desta disciplina permitirá, portanto, que você possa refletir sobre esse processo de transformação, por meio de temas que abordaremos, visando à compreensão do que entendemos por currículo no processo educacional, suas teorias, suas principais questões e como elas interferem em nossa prática docente. Veremos ainda como devemos selecioná-lo a partir das necessidades culturais, considerando a relação do sujeito com o conhecimento e com a realidade, considerando também a sua formação como pessoa, de modo que possamos avançar na concretização de um currículo que torne a escola o espaço que defendemos e, sobretudo, almejamos: de ensino e aprendizagem significativos e duradouros e que contribuam de fato para o desenvolvimento humano.

CONHECENDO A DISCIPLINA

CURRÍCULO


Capítulo 2 - Teorias Tradicionais, Críticas e Pós-Críticas do Currículo .... 31 2.1 Contextualizando ........................................................................................................... 31 2.2 Conhecendo a teoria ..................................................................................................... 32 2.2.1 Conceito e fundamento de teoria, discurso e teoria do currículo ...... 32 2.2.2 Uma breve retrospectiva histórica ................................................................. 33 2.2.3 Teorias do currículo ............................................................................................. 34 2.2.4 Mudanças à vista .................................................................................................. 40 2.2.5 Voltando ao currículo oculto? ......................................................................... 42 2.2.6 Teorias pós-críticas? ............................................................................................ 44 2.3 Aplicando a teoria na prática...................................................................................... 46 2.4 Para saber mais ............................................................................................................... 47 2.5 Relembrando ................................................................................................................... 48 2.6 Testando os seus conhecimentos ............................................................................. 49 Onde encontrar ...................................................................................................................... 49 Capítulo 3 - Currículo na Contemporaneidade ......................................... 51 3.1 Contextualizando ........................................................................................................... 51 3.2 Conhecendo a teoria ..................................................................................................... 52 3.2.1 Educação na contemporaneidade: um pagamento para a entrada na . Era do Conhecimento ......................................................................................... 52 3.2.2 Considerações gerais sobre educação, escola, conhecimento, e currículo escolar ................................................................................................... 53 3.2.3 O currículo na atualidade................................................................................... 58 3.2.4 Currículo e gestão escolar: uma questão de poder.................................. 59 3.2.5 Onde mesmo o currículo se escondeu? ....................................................... 61 3.3 Aplicando a teoria na prática...................................................................................... 63 3.4 Para saber mais ............................................................................................................... 65 3.5 Relembrando ................................................................................................................... 66 3.6 Testando os seus conhecimentos ............................................................................. 66 Onde encontrar ...................................................................................................................... 66 Capítulo 4 - Interdisciplinaridade e Transdisciplinaridade: Aplicabilidade no Percurso do Componente Curricular .................................................... 69 4.1 Contextualizando ........................................................................................................... 69 4.2 Conhecendo a teoria ..................................................................................................... 70

SUMÁRIO

Capítulo 1 - Conceitos de Currículo: Aproximações Possíveis .................. 13 1.1 Contextualizando ........................................................................................................... 13 1.2 Conhecendo a teoria ..................................................................................................... 14 1.2.1 Currículo: sua etimologia e significados ...................................................... 14 1.2.2 Um breve Vitae Curriculum do Currículo .................................................... 15 1.2.3 Aproximação ao conceito de Currículo ........................................................ 22 1.2.4 Aproximações possíveis ao conceito de Currículo .................................. 24 1.3 Aplicando a teoria na prática ..................................................................................... 25 1.4 Para saber mais ............................................................................................................... 27 1.5 Relembrando ................................................................................................................... 27 1.6 Testando os seus conhecimentos ............................................................................. 28 Onde encontrar ...................................................................................................................... 28


4.2.1 Da disciplinaridade à transdisciplinaridade ........................................................................ 70 4.2.2 Para entender a disciplinaridade: Uma breve retrospectiva ......................................... 71 4.2.3 O que vem a ser multidisciplinaridade e pluridisciplinaridade?................................... 73 4.2.4 E o que é interdisciplinaridade?................................................................................................ 74 4.2.5 E como chegamos à transdisciplinaridade?......................................................................... 75 4.2.6 Interdisciplinaridade e transdisciplinaridade: aplicabilidade no percurso do componente curricular.............................................................................................................. 75 4.3 Aplicando a teoria na prática............................................................................................................... 80 4.4 Para saber mais ........................................................................................................................................ 81 4.5 Relembrando ............................................................................................................................................ 81 4.6 Testando os seus conhecimentos ...................................................................................................... 82 Onde encontrar ............................................................................................................................................... 82 Capítulo 5 - Currículo, Conhecimento, Cultura e Desenvolvimento Humano ............ 83 5.1 Contextualizando .................................................................................................................................... 83 5.2 Conhecendo a teoria .............................................................................................................................. 84 5.2.1 O sentido da moralidade no currículo .................................................................................. 90 5.3 Aplicando a teoria na prática............................................................................................................... 96 5.4 Para saber mais ........................................................................................................................................ 97 5.5 Relembrando ............................................................................................................................................ 98 5.6 Testando os seus conhecimentos ...................................................................................................... 98 Onde encontrar .............................................................................................................................................100 Capítulo 6 - Currículo em Construção: Atividade Docente e Discente ......................103 6.1 Contextualizando ..................................................................................................................................103 6.2 Conhecendo a teoria ............................................................................................................................104 6.2.1 A Escola e o Currículo ................................................................................................................106 6.2.2 Retrospectiva histórica das reformas curriculares do Ensino Médio no Brasil ......106 Reforma Francisco Campos (1931), segundo Romanelli (2006, p. 131): .................................................. 107 Reforma Gustavo Capanema (1942): .................................................................................................................... 108 Lei de Diretrizes e Bases da Educação de 1961 ................................................................................................. 109 Lei de Diretrizes e Bases da Educação, n° 5.692/1971 - Período do Governo Militar ........................... 109 Lei n° 7.044/1982 .......................................................................................................................................................... 110 Lei de Diretrizes e Bases da Educação n° 9.394/1996 ..................................................................................... 111 6.2.3 O Currículo envolvendo as competências..........................................................................112 6.3 Aplicando a teoria na prática.............................................................................................................117 6.4 Para saber mais ......................................................................................................................................119 6.5 Relembrando ..........................................................................................................................................119 6.6 Testando os seus conhecimentos ....................................................................................................120 Onde encontrar .............................................................................................................................................120 Capítulo 7 - Currículo na Prática ..................................................................................123 7.1 Contextualizando ..................................................................................................................................123 7.2 Conhecendo a teoria ............................................................................................................................124 7.2.1 Conceito da palavra prática ....................................................................................................124 7.2.2 O papel dos educadores ...........................................................................................................124 7.2.3 O dizer e o fazer............................................................................................................................125 7.2.4 O discurso e a prática educacional........................................................................................125


7.3 Aplicando a teoria na prática.............................................................................................................136 7.4 Para saber mais ......................................................................................................................................137 7.5 Relembrando ..........................................................................................................................................138 7.6 Testando os seus conhecimentos ....................................................................................................138 Onde encontrar .............................................................................................................................................139 Capítulo 8 - O Currículo Avaliado .................................................................................141 8.1 Contextualizando ..................................................................................................................................141 8.2 Conhecendo a teoria ............................................................................................................................142 8.2.1 A análise do Currículo – Uma avaliação concreta ...........................................................142 8.2.2 Ponto de Partida ou Ponto de Chegada? Definição de Currículo, uma avaliação contínua .....................................................................................................147 8.2.3 Reformas Educacionais e Políticas Curriculares...................................................149 8.2.4 O Currículo Avaliado....................................................................................................152 8.3 Aplicando a teoria na prática.............................................................................................................155 8.4 Para saber mais ......................................................................................................................................157 8.5 Relembrando ..........................................................................................................................................157 8.6 Testando os seus conhecimentos ....................................................................................................158 Onde encontrar .............................................................................................................................................158 Referências .....................................................................................................................................................161


CAPÍTULO 1 CONCEITOS DE CURRÍCULO: APROXIMAÇÕES POSSÍVEIS

1.1 Contextualizando Diante das mudanças que acontecem na educação neste início de século XXI, acreditamos que debater as questões relacionadas ao Currículo fazse urgente e necessário para todos os que atuam na Educação. Entretanto, podemos perceber que não existem muitas discussões em torno dessa questão, principalmente quando se trata de compreender o Currículo como espaço de crescimento e de socialização dos sujeitos. Desta forma, buscaremos, neste capítulo, uma aproximação ao conceito de Currículo, procurando não apenas as definições ou o seu verdadeiro significado, mas um aprofundamento nas questões mais amplas do Currículo, assim como da escola e do conhecimento, uma vez que estão intrinsecamente ligados. Procuraremos entendê-lo percorrendo as diferentes concepções e levando em conta as diversas teorias que procuram defini-lo. Assim, resgataremos desde a etimologia até as teorias que o têm influenciado ao longo do tempo, tentando esclarecer que ele é o resultado de ideologias que envolvem aspectos filosóficos, políticos, históricos, religiosos e morais, para que, deste modo, possamos compreendê-lo neste sentido mais amplo de maneira que por meio deste conhecimento, possamos avançar na construção e concretização de um Currículo que ultrapasse a lógica de mecanização que se reflete em grande parte do ensino e aprendizagem, tanto nas nossas escolas quanto na própria sociedade. Esperamos que você estude com prazer, entusiasmo e comprometimento e que, ao final deste capítulo, possa:

Currículo

13


Capítulo 1

•• conhecer os significados da palavra Currículo/curriculum; •• compreender as suas configurações ao longo da história; •• fazer uma aproximação ao conceito de Currículo.

1.2 Conhecendo a teoria 1.2.1 Currículo: sua etimologia e significados Afinal, o que é Currículo? Não poderíamos começar nossas discussões sem que analisássemos, etimologicamente, a palavra Currículo, uma vez que ela apresenta uma pluralidade de significados. A definição da palavra mediante a etimologia torna-se importante, pois a sua origem lhe dá sentido. Por exemplo: a palavra Currículo, em latim, pode ser entendida como originária de currere, que significa correr. Recorrendo às derivações substantivas do próprio latim, como cursus, significa carreira, ou curriculum – no sentido de caminho, curso, percurso. Deste modo, podemos dizer que, “no curso dessa corrida, que é o Currículo, acabamos por nos tornar o que somos” (SILVA, 1999, p. 15). Você já pode perceber, então, que o Currículo é muito importante, e que exerce um papel decisivo na nossa vida, no nosso caminho, influindo em como pensamos, como agimos, no que defendemos e no que acreditamos ou não. Este significado nos remete, também, ao grande orador e pensador político romano, Cícero (106 a.C. - 43 a.C.), que já utilizava a palavra curriculum em seus textos, na forma de vitae curriculum, assim como a Calvino (1509-1564), que também já a usava em seus sermões, com o sentido de uma caminhada que tem um fim, passando por etapas determinadas (Hamilton, 1992, apud Vasconcelos, 2009 p. 28). Segundo Sacristán (2000), o Currículo é um conceito de uso relativamente recente entre nós, se considerarmos a significação que tem em outros contextos culturais e pedagógicos nos quais conta com uma maior tradição. Se recorrermos ao dicionário, encontraremos no Houaiss (2001) o significado de Currículo em dois verbetes: o primeiro remete ao “ato de correr, corrida, curso [...] programação total ou parcial de um curso ou de matéria a ser examinada”; o segundo remete a “documento em que se reúnem dados relativos a características pessoais, formação, experiência profissional”. Ora, quem não conhece o Currículo profissional, que chamamos também de Curriculum Vitae? Para nos inserirmos no mercado de trabalho, é necessário que elaboremos este

14

Currículo


Capítulo 1

documento. O conceito pedagógico, em vários dicionários, é bastante recente, porém, buscando outras fontes, como por exemplo, enciclopédias, onde já podemos encontrá-lo deste modo. E aqui, vemos a necessidade de ressaltar que, apesar de já estar sendo usado como linguagem especializada, observamos que seu uso não é comum nem mesmo entre os docentes no meio educativo.

1.2.2 Um breve Vitae Curriculum do Currículo Ao longo da história, surgiram diferentes concepções de Currículos. Partimos aqui do pressuposto que, por trás dessas concepções, existem teorias de justiça social, contribuições filosóficas, psicológicas, antropológicas, sociológicas, e, ao mesmo tempo, de teorias de ensino e aprendizagem; portanto, não existe uma instância metafísica que defina um Currículo universal, que se coloque como uma verdade irrestrita. Neste sentido,

DEFINIÇÃO “o Currículo é uma produção humana, marcado histórica e culturalmente” (VASCONCELOS, 2009, p. 29).

Você verá, portanto, que para levantarmos o Vitae Curriculum do Currículo será necessário fazermos um breve resgate da escola elementar, o que de certa forma é bastante complexo, pelo fato de que, do século XV ao XVIII, quando essa forma de ensino se expandiu, não havia ainda sistemas nacionais de educação (VASCONCELOS, 2009). Algumas práticas de ensino levavam centenas de anos para se consolidar, enquanto outras desapareciam completamente. As pesquisas nos mostram que, a Escola Moderna, que já reflete o modelo que temos hoje, define-se entre os séculos XV e XIX, sendo os séculos XV e XVI particularmente importantes para a sua compreensão. Porém, vale lembrar que, apenas no final do Século XVIII, a escola realmente se configurou no modelo de escola que conservamos no presente. A qui, é importante também relembrarmos que a adoção da palavra curriculum no vocabulário pedagógico deu-se justamente na primeira metade do século XVI.

Currículo

15


Capítulo 1

SAIBA QUE Os jesuítas já utilizavam o termo curriculum no documento que dava as diretrizes para os seus colégios — a Ratio Studiorum, de 1599. Nos séculos XVI e XVII, passa a ser aplicado às instituições de ensino.

Existe outro fator que dificulta o resgate histórico da escola elementar, que era a linguagem, utilizada de acordo com os contextos da época, ou seja, a mudança do significado de cada palavra: escola, curso, Currículo, série, educandário, gramática, colégio, academia, universidade, entre outras, difere muitas vezes do significado da mesma palavra na atualidade; a isso damos o nome de historicidade. No entanto, existe um outro lado deveras positivo, o qual facilita esse resgate, que é a grande documentação produzida na época, gerada tanto pela conscientização da importância do papel da educação, quanto pelas possibilidades culturais criadas pelo uso da imprensa. Outro fator facilitador foi também o uso do Latim, que era a língua culta comum.

CURIOSIDADE Nos últimos anos, a produção e as publicações em História da Educação cresceram de forma bastante significativa, porém ainda não temos muito material específico sobre a história do nosso Currículo escolar.

a) A Escola e sua construção histórica: mudanças pelo caminho De qualquer forma, sabemos que a escola nem sempre foi como é agora; que, como outras instituições, ela é uma construção histórica. Fatos foram acontecendo e ocasionando uma série de mudanças. Uma delas, por exemplo, foi a introdução do ensino simultâneo proposto por Comenius (1592-1670), cuja aplicação foi atribuída a Jean-Baptiste de La Salle (1651-1719).

16

Currículo


Capítulo 1

BIOGRAFIA Jan Amos Komensky, ou Comenius, (1592-1670) nasceu em Nivnice, Moravia, hoje República Tcheca. Entre seus escritos destacaram-se Janua linguarum reservata (1631), um manual para o ensino de línguas e Didactica Magna, uma proposta de sistema educativo a ser aplicado da infância aos estudos pós-universitários, propondo a universalização do saber e a supressão dos conflitos religiosos e políticos e Orbis sensualium pictus (1658) livro amplamente ilustrado com gravuras didáticas, cada qual desempenhando um importante papel na lição. Obteve muito prestígio por toda a Europa, onde colocou em prática suas teorias pedagógicas e filosóficas. Foi seguido por grandes educadores, como Jean-Jacques Rousseau, John Locke e J. H. Pestalozzi (SANTANA, 2008).

Porém, segundo Vasconcelos (2009, p.31), como prática mais disseminada, esse ensino data de meados do século XIX. É interessante observarmos que, antes do ensino simultâneo, existiam outras formas de ensino, como o individual e o monitorial ou mútuo, criado na Inglaterra por Joseph Lancaster, no final do século XVIII. No ensino individual, os alunos ficavam em um mesmo lugar, o professor chamava-os e os orientava por um determinado tempo; após isso, o aluno voltava para o seu lugar e refletia sobre as orientações do mestre. Já no ensino mútuo, um aluno, denominado decurião, era orientado pelo professor e após isso, sob sua supervisão, ensinava a um grupo de dez (decúria). Em 1822, um Decreto Imperial criou no Brasil uma escola de ensino mútuo, no Rio de Janeiro, sendo que já em 1827 um novo decreto — o da Escola de Primeiras Letras — propunha a aplicação do método Lancasteriano em todas as escolas primárias. Este método pedagógico entendia que se deveriam dividir os alunos em classes, segundo seus conhecimentos, e que o procedimento educacional de castigo físico deveria acabar, instituindo uma nova forma de pensar a disciplina escolar. Foi implantado oficialmente no Brasil pela Lei de15 de outubro de 1827, que definia as diretrizes do ensino em linhas gerais. Aqui, você já pode notar a fragmentação do ensino. É importante lembrarmos que escolarizar envolvia instruir e moralizar; no caso das camadas mais favorecidas a ênfase no Currículo se dava na instrução, e no das menos favorecidas por meio da disciplina que, compreendida como educação moral, era o aspecto mais enfatizado. E sobre este assunto, vale a pena observar que os estudos de Foucault sobre o processo de disciplinarização da sociedade são bastante interessantes (Vasconcelos, 2009). O modo como ele analisou a escola fez com que ela nunca

Currículo

17


Capítulo 1

mais fosse a mesma. Em seu livro Vigiar e Punir (1977), ele descreveu os processos de disciplinarização dos corpos em alguns estabelecimentos como colégios, fábricas, oficinas e quartéis, evidenciando que a principal característica destas instituições é a disciplina corporal e que, dentre todas elas, a escola era a que possuía a maior abrangência, uma vez que os sujeitos passam nela a maior parte da sua formação. Ainda segundo o autor, a disciplina no interior da instituição educacional não se limitou ao corpo, pois ali também ocorreu a submissão dos conhecimentos à disciplina institucional, ou seja, à escolarização dos saberes. E sabe por que isso aconteceu? Porque ela ocorreu num período de intervenção histórica que se pautava na organização, classificação, depuração e censura dos conhecimentos, de modo que atingiu também os próprios conhecimentos a serem ensinados. A chamada escola disciplinar surgiu em uma época de grandes modificações nas estruturas de poder, que originaram um aparato social e político que Foucault denominou “sociedade disciplinar”. E nesses estudos, podemos entender, através de um importante modelo teórico, o surgimento da escola moderna.

BIOGRAFIA Michel Foucault nasceu em Poitiers, na França, em 15 de outubro de 1926. Estudou na Escola Normal Superior da França, a partir de 1946, onde conheceu e manteve contatos com Pierre Bourdieu, Jean-Paul Sartre, Paul Veyne, entre outros. Seus estudos sobre o processo de disciplinarização da sociedade mostraram que esta exercia grande influência na escola, partindo da análise de que os sujeitos passam nela a maior parte das suas vidas (SANTANA, 2008).

b) O Currículo e suas ênfases ao longo da história Segundo Vasconcelos (2009, p. 21), as ênfases do Currículo ao longo da história acontecem através de uma abordagem rigorosa da temática curricular que privilegia os elementos básicos da situação de ensino-aprendizagem. E quais são esses elementos? São eles: •• os sujeitos: alunos e professores – suas trajetórias e histórias de vida; •• os objetos de conhecimento: o que vai ser estudado – gênese e desenvolvimento, constituição como conhecimento e objeto de estudo; •• a realidade: o contexto em que se dá a Atividade Dodiscente (docente e discente) – sua história, através de seu movimento e transformações.

18

Currículo


Capítulo 1

Nessa breve linha do tempo, veremos que as diferentes ênfases do Currículo passam pelas diversas concepções de educação que nos mostram o quanto ele é um objeto cultural e social, determinado de acordo com os interesses de cada momento histórico: •• Educação Clássica (Idade Antiga – Grécia, Roma), cuja ênfase do Currículo é o sujeito (público). •• Educação Escolástica (Idade Média), cuja ênfase é o Objeto (saber conceitual). •• Educação Renascentista, cuja ênfase é a realidade. •• Educação Tradicional (Idade Moderna), a ênfase é o objeto como saber conceitual. •• Educação Tradicional (início da Idade Contemporânea) com ênfase no objeto (saber conceitual, procedimental e atitudinal, com caráter instrumental). •• Educação Moderna/ Escola Nova (Idade Contemporânea) cuja ênfase foi o sujeito (indivíduo). •• Educação Tradicional (Idade Contemporânea) ênfase no objeto, no saber conceitual. •• Educação Crítica (Idade Contemporânea), que dava ênfase à realidade. •• Educação Neotecnicista (Idade Contemporânea), com ênfase no Objeto (saber fazer). •• Concepção Dialética-Libertadora (Idade Contemporânea), com ênfase no sujeito concreto, entendido como um todo, em todas as suas dimensões.

Ao se aprofundar nesta linha do tempo, você vai poder observar que o Currículo é incrivelmente inerte se comparado às grandes mudanças que acontecem na sociedade e nas ideias pedagógicas. Neste momento, é necessário alertarmos para a importância de um aprofundamento nos estudos, através das leituras indicadas, pois aqui temos apenas uma breve visão, cujo objetivo é o de contextualizar a nossa reflexão sobre o assunto. É importante ainda, ressaltarmos a Concepção de Educação Escolástica (Idade Média), pois foi neste período em que se delineou, explicitamente, a primeira grande forma de organização curricular estruturada na seguinte forma: Trivium (três vias): Gramática, Retórica e Dialética, considerados instrumentos básicos ou ciências da linguagem ou do pensamento;

Currículo

19



Curriculo