Page 1

Primeira Edição - Junho 2013 - Editora WVMFA Grafics


l a i r o Edit

A

Revista Multisport visa como objetivo informar os nossos leitores sobre os esportes mais populares ao redor do mundo com uma perspectiva diferente voltada para os negócios, assim tendo o como conteúdo uma vertente exclusiva e analítica dos esportes e seus respectivos patrocinadores. Procuramos entreter o leitor com uma forma diferente das revistas do ramo, não mostrando somente o futebol, mas esportes que não são tão renomados como o mesmo no Brasil

Equipe Multisport: Redatores:

Vinicius Santos Alex Diniz Marcos Silva

Design e diagramação:

Fabricio Bomjardim Wesley Paranhos

Revista Dedicada ao Professor Rodrigo LiSegundo ano de Marketing da ETEC Carlos de Campos


What’s News! What’s News! What’s News! Skate:

Esporte e negócios

Motocross

Campeonato Francês

Novo Basquete Brasil Pronto para 2016?

MMA

Léo Santos finaliza Patolino


Skate: Esporte e Negócios Por Fabricio Bomjardim

A

tualmente no Brasil, o Skate é o segundo esporte mais praticado em todo o país, estando atrás apenas do Futebol. O crescimento do esporte em território nacional derruba velhos preconceitos e traz benefícios para à saúde e lazer, além de ser uma grande oportunidade para negócios.

Para os praticantes desta modalidade esportiva, os benefícios para a saúde se apresentam nas condições físicas dos praticantres. A “stamina” e o ganho de massa física se destacam dentr muitos benefícios, mas de acordo com o tipo de prática de algumas modalidades, seja por lazer ou profissional, o praticante deve sempre manter o bom condicionamento físico através de outras atividades auxiliares para manter a saúde e seu desempenho em bom nível. O crescimento deste esporte nos últimos anos, agrada à diversos tipos de públicos ou praticantes. Durante as décadas de 1980 e 1990, o esporte era marginalizado, havendo grande preconceito da sociedade com seus praticantes.


Jovens, punks, e outras pessoas, que em muitos casos eram ligados à tribos e gangues urbanas, fazia com que a sociedade não aceitasse de bom grado o skate nas grandes cidades brasileiras, mas atualmente o esporte ganhou diversas modalidades, diversos modelos e tipos de skates diferentes que contribiu para que o esporte se tornasse ainda mais profissional, mais praticado por jovens e também se tornar um esporte “família”.

Está cada vez mais comum, ver pessoas de diferentes faixa estárias praticando o skate. O Long Board (Pranchão) se tornou comum para pessoas de maior idade, que buscam um esporte para manter um bom condicionamento físico, além de ter sido uma porta de entrada para a casa das familias brasileiras, sendo que, hoje é comum ver familias inteiras praticando o esporte nos parques e calçcadas das cidades brasileiras. Esses novos praticantes e com o crescimento das competições nacionais e internacionais nas mídias populares, são grandes propulsores do crescimento da aceitação de suas modalidades na sociedade e se tornou em um grande mercado à ser explorado.

Com o aumento do número de praticantes e o crescimento do seu espaço na mídia, muitos empresários e investidores começaram a investir no esporte, lançando novas marcas de artigos esportivos, mais lojas especializadas, mais eventos esportivos e publicitarios surgiram no mercado. Segundo dados da Confederação Brasileira de Skate (CBSk), o mercado do skate no ano passado (2012) movimentou mais de R$ 500 milhões, grande parte dos investimentos foram realizado por ex-atletas de diversas modalidades do skate, muitos com investimento de grandes marcas ou marcas novas.


Skate: Esporte e Negócios

Investir nos eventos de skate, hoje em dia, é muito vantajoso para valorização de marcas. Eventos que contam com a presença de celebridades como Bob Burniquest, Lincon Ueda (Japonês Voador) e Sandro Dias (Mineirinho), ganham mais de 40 minutos ao vivo na Rede Globo ao Vivo e não apenas a sua transmissão, durante a semana que antecede os eventos, diversas séries de matérias especiais são exibidas, proporcionando Merchandising, fazendo com que as marcas economizem milhões em publicidade na TV aberta. Além da televisão, diversas revistas especializadas que circulam no país também acaba as divulgando, tanto em suas versões impressas quanto digitais. Com tantos benefícios para a saúde e com um mercado tão promissor deste esporte, os empresários e empreendedores que querem ganhar uma parcela da fatia dele, deve se atentar ao mundo dos esportes radicais, e os grandes pólos de praticantes dentro das grandes metrópoles brasileiras. O segundo maior esporte praticado no país ainda vai conquistar mais espaço e os negócios que giram em seu redor tendem a serem mais lucrativos.


Motocross


De 250, Ferrandis bate pilotos 450 no Campeonato Francês Piloto conquistou os títulos nas categorias MX2 e Super Final (Internationaux de France) Alex Diniz

A

Cedric Soubeyras foi o vencedor da etapa e campeão da temporada na MX1. A etapa da Super Final teve Sebastien Pourcel na frente, seguido pelo campeão Ferrandis. Durante os dias que antecederam a prova, a região de Toulousse teve chuva, mas felizmente, na hora de acelerar, as nuvens foram embora e o sol contribuiu para melhorar o terreno. Com isso, as condições da pista Gaillac Toulza não foram prejudicadas.

Ferrandis teve novos adversários na prova da MX2. Maxime Desprey e Valentin Guillod disputaram esta etapa final da competição e impuseram um pouco de dificuldade ao, já então, líder. Primeiro, ele teve que ultrapassar Maxime para alcançar a segunda posição e depois bater Valentin que liderou boa parte da primeira corrida. Com isso ele já assegurava o título. Na super final, ele saiu em oitavo, mas na metade já ocupava a quarta colocação. Sem desistir, ele fez mais ultrapassagens e ocupou o segundo posto, o que foi mais do que suficiente para garantir a categoria. O vencedor justificou a boa temporada e as corridas finais com uma série de fatores favoráveis ao seu desempenho. “Estou muito feliz com essa vitória na MX2 e ainda mais com a Internationaux de France”, garantiu Dylan. “Foi um grande dia e uma grande recompensa para o nosso trabalho. Não me preocupei muito quando vi a pista enlameada. Eu estava bem e isso, com certeza, me ajudou a fazer boas corridas. Na MX2, eu me diverti muito concorrendo com Maxime e Valentin. Demos um bom show para o público. Na super final, tive sorte que alguns pilotos da MX1 cometeram alguns erros. Devo dizer que a equipe preparou uma motocicleta muito rápida e quero agradecer a ela. Agora, quero me aproximar de alguns pódios no GP, principalmente na prova em casa, em Erneé, onde os fãs estarão lá para me apoiar”, finalizou.

Motocross

ntes do retorno aos GPs, em casa, neste fim de semana, o francês Dylan Ferrandis teve um excelente início de junho com a conquista de dois títulos para o team Rockstar Bud Racing Kawasaki, no French Elite Series, Campeonato Francês de Motocross. Ele garantiu o primeiro lugar na classe MX2 e na Internationaux de France, onde competiu com sua 250 contra os pilotos das 450. Com o desempenho, Ferrandis repetiu o feito de seu companheiro de equipe Valentin Teillet na temporada passada. Na Super Final MX1/MX2, chamada de Internationaux de France, foi a primeira vez que um piloto das 250cc superou os das 450cc na classificação final do campeonato.


www.cbm.esp.br


Resultado da etapa Final do Campeonato Francês MX2

1 Ferrandis Dylan Kawasaki 2 Guillod Valentin Ktm 3 Desprey Maxime Yamaha 4 Paturel Benoit Husqvarna 5 Jaulin Sulivan Kawasaki 6 Berthome Romain Honda 7 Chapeliere Camille Yamaha 8 Jamet Germain Kawasaki 9 Regner Melvin Yamaha 10 Escoffier Adrien Suzuki

MX1

1 Richier Florent Suzuki 2 Pourcel Sebastien Ktm 3 Leonce Loic Yamaha 4 Izoird Fabien Suzuki 5 Lacan Jordan Honda 6 Aranda Gregory Kawasaki 7 Potisek Milko Yamaha 8 Soubeyras Cedric Honda 9 Clermont Jason Honda 10 Adam David Ktm

Super Final MX1/MX2 1 Pourcel Sebastien Ktm MX1 2 Ferrandis Dylan Kawasaki MX2 3 Clermont Jason Honda MX1 4 Aranda Gregory Kawasaki MX1 5 Leonce Loic Yamaha MX1 6 Soubeyras Cedric Honda MX1 7 Lacan Jordan Honda MX1 8 Izoird Fabien Suzuki MX1 9 Desprey Maxime Yamaha MX2 10 Potisek Milko Yamaha MX1

U

ma das principais batalhas do ano está sendo travada durante os últimos dias no Rally da Sardenha, na Itália, onde os principais pilotos do Mundo disputam o título da edição 2013. Feras como o espanhol Marc Coma, o português Paulo Gonçalves e o francês Cyril Despres, que estreia na equipe Yamaha, estão acelerando em meio à belíssima paisagem local. Durante todo o percurso até aqui, Coma já conseguiu abrir uma excelente e confortável vanatagem com relação aos adversários, tendo o título praticamente assegurado, mesmo faltando um dia para o término da competição. Nesta terça-feira, a última especial, disputada exigiu muita navegação no solo de terra batida, e teve a vitória de Coma, que ficou à frente de Damien Miguel e de Paulo Gonçalves. Despres, depois de largar em terceiro, acabou tendo problemas durante o trajeto. Ele sofreu uma queda e teve dificuldades em retornar, terminando apenas em oitavo.

“Eu cai depois de cinco ou seis quilômetros e bati a cabeça. Fiquei meio grogue. À tarde me perdi no início e mais uma vez perdi tempo. Em resumo, acho que meu desempenho nos últimos dois dias mostra a falta de pilotagem que tive nesses meses. Eu estou disputando esse rali simplesmente com a intenção de me acostumar com a minha nova Yamaha” Cyril Despres


Motocross Com o resultado, Coma ampliou a vantagem na liderança geral para 9min26s. Atrás dele está Paulo Gonçalves, com Despres em terceiro. Somente hoje, ele garantiu mais quatro minutos à frente do principal concorrente. “Nunca é fácil quando você tem que abrir a corrida e a primeira especial foi muito longa e difícil, especialmente com a navegação. Foi um longo caminho e, é claro, que ficamos cansados mentalmente. É difícil manter o ritmo e continuar”, avaliou o catalão.


Classificação geral após 4 etapas: 1. Marc Coma, Espanha, KTM 12:10.00 (9 minutos e 26 segundos de vantagem) 2. Paulo Gonçalves, Portugal, Honda 12:19.26 3. Cyril Despres, França, Yamaha, 12:19.48 4. Joan Pedrero, Espanha, Beta, 12:20.40 5. Paolo Ceci, Itália, Yamaha, 12:21.12 6. Andreas Mancini, Itália, Beta, 12:21.46 7. Alessandro Botturi, Itália, Yamaha, 12:22.26 8. Ruben Faria, Portugal KTM, 12:28.54 9. Damien Miguel, França, Yamaha, 12:35.31 10. Jakub Przygonski, Polônia, KTM, 12:45.38

Porém, a disputa segue apertada para as demais posições, já que a diferença entre o segundo e o sexto colocado é de menos de dois minutos. Paulo Gonçalves fez uma prova bastante concentrada no penúltimo dia, para não dar chances dos adversários avançarem. “Estou muito feliz com o resultado. Amanhã, vou dar tudo para, pelo menos, defender a minha posição”, comentou o português. A prova deverá ser de muita cautela para todos eles. Será um percurso de 325 quilômetros, dos quais 211 são cronometrados. A competição conta, no total, com 1448 km de percurso, sendo 834 de especiais. A primeira etapa partiu da cidade de Alghero e amanhã, San Teodoro recebe a chegada dos pilotos.


O Basquete Ball Wesley Paranhos

O

basquete foi criado em meados do ano de 1981, nos Estados Unidos, pelo professor de Educação Física James Naismith, que lecionava na Associação Cristã de Moços de Springfield, em massachusetts. O primeiro jogo de basquete que se tem conhecimento ocorreu no dia 20 de Janeiro de 1892 na mesma associação. A partida não pôde ser assistida por pessoas de fora da associação, aonde somente no dia 11 de março do mesmo ano, foi feita uma partida semelhante aonde os alunos ganharam de seus professores de 5 a 1. Esse jogo foi assistido por aproximadamente duzentas pessoas. No Brasil, o esporte veio por Augusto Shaw, nascido em clayville, Nova York, que completou seus estudos na universidade de Yale, graduando-se em 82 como bacharel em artes. Dois anos depois, Shaw recebe um convite para lecionar no renomado Mackenzie College, em São Paulo, assim trazendo consigo a vontade de espalhar o esporte pelo Brasil, incentivando os alunos à pratica do mesmo. -Hop, que cresceu na mesma época que o esporte.

No Brasil, o esporte veio por Augusto Shaw, nascido em clayville, Nova York, que completou seus estudos na universidade de Yale, graduando-se em 82 como bacharel em artes. Dois anos depois, Shaw recebe um convite para lecionar no renomado Mackenzie College, em São Paulo, assim trazendo consigo a vontade de espalhar o esporte pelo Brasil, incentivando os alunos à pratica do mesmo. Hoje em dia, o basquete é um dos esportes mais praticados do mundo, e também uma das maiores referencias em vários ramos, principalmente no ramo da moda. Desde sempre o basquete influenciou na forma como as pessoas à sua volta se vestem, desde o all-star (primeiro tênis oficial pra se jogar basquete) até hoje em dia com grandes marcas, como a New Era, que é grande influência em basquete e também outros esportes, com sua linha de bonés, camisetas, entre outros, e está fortemente ligado também com a cultura Hip-Hop, que cresceu na mesma época que o esporte.


Já houveram filmes sobre o esporte, referencias em desenho-animado, entre outros, e hoje em dia contamos com organizações como a NBA (National Basketball Association) que mantém o esporte vivo por todo o mundo, e hoje em dia temos inclusive muitos times tradicionais do futebol brasileiro (como Corinthians, Fluminense, e Palmeiras) também estão apostando alto no basquete. Com aproximadamente R$3,8 milhões anuais de faturamento, o esporte voltou a ser exibido em tv aberta em agosto/2012, e temos empresas como a Redecard, que irá patrocinar o evento "Basquete 3×3 Tour Nacional", cuja a modalidade poderá ser incluída nas Olimpíadas de 2016. A NBA está trabalhando em um projeto que almeja tornar o basquete um dos esportes mais populares do mundo, e julgando as pretensões da liga de basquete americana, não será algo tão fora de questão, já que nomes como LeBron James, estão no topo das redes sociais, e da cabeça das pessoas pelo mundo a fora. O basquete pode ter caído no conceito do Brasil, e ter sido deixado de lado no passado, mas com certeza, o esporte ainda será considerado um dos principais ao redor do mundo, como negócio, como estilo e como esporte.


Novo Basquete Brasil


Substituto de argentino, Léo Santos fi Vinicius Sangos

O

reality show The Ultimate Fighter Brasil 2 tem seu campeão. Neste sábado, no Ginásio Paulo Sarasate, Léo Santos derrotou William "Patolino" Macário por finalização no segundo round e conquistou a final programa na segunda principal luta do UFC Fortaleza, que ainda contará com o duelo entre Rodrigo Minotauro e Fabrício Werdum. Curiosamente, o campeão não era para participar da luta desta noite. Léo Santos foi derrotado pelo argentino Santiago Ponzinibbio na semifinal do reality show, mas uma lesão na mão direita afastou o estrangeiro da decisão. Isto permitiu a presença do especialista em jiu jitsu na final, e o resultado foi a vitória por finalização. “E aí, Fortaleza, vocês gostaram? Eu sei que muitos aqui quando eu entrei viram um menino quietinho, franzino, humilde, contra o Patolino, cara de brabo, forte. Todo mundo achou: ‘vai matar o Léo’. Mas não, cara, tenho coração pra caramba. Para me ganhar tem que lutar muito”, festejou Léo. Ciente da técnica de seu adversário, Patolino iniciou a luta tentando manter a trocação. Quando seu rival buscou levar a disputa ao chão, o jovem foi mais eficiente e conseguiu uma queda. Mesmo com sua inexperiência no jiu jitsu, o carioca se saiu bem e deu importantes golpes.


finaliza Patolino e vence TUF Brasil 2 O segundo round viu um Léo mais ativo, que encarou o adversário em pé. Patolino demostrava cansaço e lutava de guarda baixa, mas também conseguia conectar golpes. O duelo chegou a voltar ao chão, mas sem muita efetividade. Isto continuou até que Léo obtivesse uma nova queda, acertasse um katagatame e conseguisse a vitória por finalização. Emocionado, o campeão do TUF 2 pulou para fora do octógono e correu para comemorar o triunfo com José Aldo, seu companheiro de treino e campeão dos penas do UFC. Enquanto isso, Patolino chorava sua derrota. "Esse cara é o sonho e a realidade do nosso time, a Nova União. Tenho ele como um irmão. Nunca vi uma pessoa tão dedicada de

Confira os resultados do UFC Fortaleza Card principal

Pesado: Fabricio Werdum derrotou Rodrigo Minotauro por finalização (2min41s do 2º round) Meio-Médio: Leonardo Santos derrotou William Patolino por finalização (4min43s do 2º round) Meio-Pesado: Thiago Silva derrotou Rafael Cavalcante por nocaute (4min29s do 1º round) Meio-Médio: Erick Silva derrotou Jason High por finalização (1min11s do 1º round) Médio: Daniel Sarafian derrotou Eddie Mendez por finalização (2min20s do 1º round) Pena: Rony Jason derrotou Mike Wilkinson por finalização (1min24s do 1º round)

Card preliminar

Galo: Raphael Assunção derrotou Vaughan Lee por finalização (1min51s do 2º round) Pena: Felipe Arantes derrotou Godofredo Pepey por nocaute técnico (3min32s do 1º round) Meio-médio: Ildemar Alcântara derrotou Leandro Silva por decisão unânime (30/27, 30/27 e 30/27) Pena: Rodrigo Damm derrotou Mizuto Hirota por decisão dividida (28/29, 29/28 e 29/28) Médio: Caio Magalhães derrotou Karlos Vemola por finalização (2min49s do 2º round) Médio: Antônio Braga Neto derrotou Anthony Smith por finalização (1min52 do 1º round)


Multisport  

Revista Multisport Revista foi parte de um trabalho realizado no curso de Marketing no Centro Paula Souza. Este trabalho contou com a colab...