Issuu on Google+


2

|

|

Ano XI - nº 29 |

www.crecims.com.br

EDITORIAL

Democracia e cidadania no CRECI/MS Começamos 2011 com um grande evento, reunindo todas as entidades representativas da cadeia produtiva do setor imobiliário e informando os corretores de imóveis sobre os números alcançados no ano anterior e novos produtos da Caixa. Além de manter nossos profissionais informados nossa proposta para este ano é fortalecer o papel cidadão do Conselho. Em 2010 o CRECI/MS abriu as portas para assun-

tos e discussões que visam fortalecer a democracia e desenvolver a consciência cidadã entre os profissionais do setor imobiliário. Os corretores de imóveis tiveram oportunidade de conhecer as propostas dos candidatos ao governo do Estado durante o mês de setembro. Em outubro a entidade se engajou na campanha lançada pela OAB/MS (Ordem dos Advogados do Brasil, seccional de Mato Gros-

so do Sul) para combater a corrupção e exigir respostas às denúncias sob apuração e no fim do mesmo mês mais uma vez trouxe em foco o assunto acessibilidade, agora mostrando que os investimentos para democratizar o acesso são também uma forma de valorizar imóveis e agregar valor. Em outubro a entidade recebeu a visita de uma comissão designada pelo COFECI para buscar soluções para os honorários,

muitas vezes aviltados por grandes incorporadoras. Com estas iniciativas revela o importante papel do corretor de imóveis diante da sociedade, discutindo assuntos de interesse público e se envolvendo ativamente em ações que buscam melhorar a coletividade. O Jornal Opção traz o registro de todos os eventos para manter o corretor de imóveis sempre informado sobre as atividades desenvolvidas pela entidade.

CRECI/MS mobiliza corretores de imóveis para o maior evento do setor imobiliário, em Brasília De 8 a 10 de junho ocorre em Brasília (DF) o III Encontro Nacional dos Corretores de Imóveis (ENBRACI), promovido pelo COFECI (Conselho Federal dos Corretores de Imóveis) e o CRECI/MS (Conselho Regional dos Corretores de Imóveis de Mato Grosso do Sul) já está preparando a

mobilização dos corretores de imóveis do Estado para que participem do maior evento do setor imobiliário, que leva o tema “Cenários, oportunidades e perspectivas do Mercado Imobiliário Brasileiro”. A coordenadora do evento em MS, a Conselheira do CRECI/MS, Lara Saboungi Sleiman, lembra que é oportunidade de se atualizar sobre os últimos acontecimentos do mercado em âmbito nacional e internacional. Dentre os assuntos em pauta estão o uso de ferramentas como redes sociais, mercado A coordenadora do evento em MS é a internacional e tributação. Conselheira Lara Saboungi Sleiman

“É importante estar a par de todos esses assuntos. O Brasil entrou em um processo de crescimento sustentado e o mercado tende a crescer ainda mais. Os corretores de imóveis precisam estar preparados para atender seus clientes de forma cada vez mais personalizada, afinal a relação que temos com nosso cliente é de confiança, nós trabalhamos com o sonho das pessoas”, diz. A proposta central do III ENBRACI é de promover o debate a respeito do mercado imobiliário nacional no cenário global. É oportunidade de falar diretamente com quem é formador de opinião, induz investimentos e principalmente reverbera as tendências de mercado

e de consumo. Segundo a organização, estão programadas palestras e painéis de debate, multidisciplinar e multiplicador de informações, rodada de negócios e salão de exposições. Nesta terceira edição, o ENBRACI traz uma inovação: a Rodada de Negócios especialmente programada para unir interessados em negócios imobiliários.

EXPEDIENTE Eduardo Francisco Castro Presidente

Gabriel Serafim Da Silva 2º diretor secretário

João Roberto Ambrósio 1º vice-presidente

Benilo Allegrette 1º diretor-tesoureiro

Eli Rodrigues 2º vice-presidente

Rubião Silva Ferraz 2º diretor-tesoureiro

Misael Hélio Lacerda Lemos 1º diretor secretário

CRECI/MS Rua Rio Grande do Sul, 174, centro - Campo Grande (MS)

Jornalista responsável: Fernanda Mathias DRT 41/2001

(67) 3325-5557 crecims@terra.com.br

www.crecims.com.br

Diagramação:


www.crecims.com.br

|

Ano XI - nº 29 |

|

3

Parceria da Rede Morar e HSBC oferece comissão de 2% a corretores de imóveis No dia 29 de março o auditório do CRECI/MS lotou de corretores de imóveis para palestra que mostrou vantagens da parceria entre o HSBC e a Rede Morar. A parceria garante aos profissionais liberais e imobiliárias credenciadas à Rede remuneração de 2% e serviço de despachante gratuito. Primeiro o diretor regional da Rede Morar, Saulo Carneiro, apresentou números e as vantagens em fazer parte da Rede Morar,que hoje conta com uma carteira de imóveis de R$ 3 bilhões. Depois a gerente do HSBC Karla Nabarrete de Souza mostrou as condições de financiamento do HSBC e respondeu aos questionamentos dos corretores de imóveis, quanto à análise de crédito e prazos. O presidente do CRECI/ MS, Eduardo Francisco Castro, destaca que, além da comissão, o fato da rede se responsabilizar pelo trânsito de toda documentação é muito importante, desafogando o corretor de imóveis para que ele possa dedicar mais tempo às vendas. “A instituição se dispõe também, em se

tratando de casas em condomínios, a fazer uma avaliação do imóvel e cálculos de financiamento antes mesmo da venda. O cliente já terá ideia de valores de parcelas desde o início das negociações”, observa. A gerente do HSBC afirma que a instituição tem um canal exclusivo de atendimento para os processos de compras de imóveis, o que torna o atendimento mais ágil. Saulo Carneiro, da Rede Morar, afirma que o trâmite do processo com

o atendimento exclusivo leva, em média, 25 dias. Além disso, o credenciado conta com a vantagem de compartilhar estoque com a rede, trabalhando em conjunto com os demais credenciados. Neste caso, de venda em parceria, a comissão é dividida entre os agentes envolvidos no processo. No País a Rede Morar tem hoje mais de 14 mil colaboradores. Além das imobiliárias, corretores de imóveis pessoa física tam-

bém podem se credenciar, dependendo do volume da carteira de clientes. Através de parcerias, a Rede Morar oferece, ainda, desconto em vários serviços. O diretor estadual de Fiscalização do CRECI/MS, Roberto da Cunha, foi quem articulou a parceria com a Rede Morar e HSBC e afirma que é importante que o corretor amplie o leque de opções para trabalhar, de forma que possa escolher o que é mais vantajoso para ele e seu cliente, associando os benefícios para a imobiliária e taxas de juros compatíveis: “Hoje em dia as parcerias são fundamentais para os corretores de imóveis aumentarem seus ganhos. Ele não pode ficar dentro do escritório esperando o negócio chegar”.

O diretor regional da Rede Morar, Saulo Carneiro, a gerente do HSBC Karla Nabarrete de Souza e o presidente do CRECI/MS, Eduardo Francisco Castro

Serviço: Interessados devem entrar e contato com a Rede Morar pelos telefones (61) 3322-5575, (61) 99633839 ou (31) 84910838 ou ainda pelo fax (61) 3224-1630

Assessores de Comunicação do Sistema Cofeci-Creci Participam de 3º Encontro Nacional em Brasília Autarquia federal que regulamenta a profissão de corretor de imóveis e fiscaliza o mercado imobiliário, o Sistema Cofeci-Creci (Conselhos Federal e Regionais de Corretores de Imóveis) realizou o 3º Encontro Nacional dos Assessores de Comunicação do Sistema Cofeci-Creci. Jornalistas de 20 Estados e do Distrito Federal, responsáveis pela relação do Sistema com a opinião pública, se encontraram em Brasília, nos

dias 24 e 25 de fevereiro, na sede do Conselho Federal de Corretores de Imóveis (Cofeci), para workshops. O tema central do encontro, neste ano, foi o Uso das Mídias Sociais na Comunicação do Sistema Cofeci-Creci, com treinamento em novas tecnologias durante todo o dia 25. Outras palestras foram proferidas no dia 24, entre elas A Fiscalização no Mercado Imobiliário, Divulgação de Pesquisas – Um Serviço de Utilidade

Pública, O Brasil, o Cofeci e o mercado imobiliário internacional. “Nosso principal objetivo com essa iniciativa é disponibilizar aperfeiçoamento às nossas equipes de comunicação para que atendam a sociedade, o corretor de imóveis e o mercado imobiliário de forma ágil, prestando informações relevantes e com qualidade”, informa o presidente do Sistema Cofeci-Creci, João Teodoro. A organização do treinamento ficou a cargo

da Engenho Criatividade e Comunicação, sob a supervisão da jornalista Kátia Cubel, diretora da agência.


4

|

|

Ano XI - nº 29 |

www.crecims.com.br

Palestra no CRECI/MS mostrou que investir em acessibilidade agrega valor ao imóvel O CRECI/MS (Conselho Regional dos Corretores de Imóveis) promoveu palestra na noite de 28 de outubro em que o presidente do CREA/ MS (Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Mato Grosso do Sul), Jary de Carvalho e Castro abordou os investimentos em acessibilidade como um bom negócio e não somente o cumprimento da Lei. “Democratiza o acesso e fideliza o consumidor”, resumiu Jary. O presidente do CRECI/ MS, Eduardo Francisco Castro, ressaltou que os imóveis adap-

Palestra também foi acompanhada por cadeirante, que aprovou a iniciativa

tados são comercializados com maior facilidade. “Tenho uma experiência pessoal recente de venda de imóvel adaptado em apenas uma semana. A procura foi muito grande, recebi várias ligações”, disse Eduardo. Ele lembra, ainda, que a desvalorização de apartamentos térreos, que antigamente chegava a 30%, hoje já não existe mais. Jary observou que uma grande parcela da população tem algum tipo de deficiência física e quando considerada a acessibilidade de um modo amplo este universo se torna ainda maior. “Não são apenas os cadeirantes que precisam de acessibilidade, são também os idosos, as gestantes, as mães com crianças em carrinhos e acidentados“, atentou, destacando que em algum momento da vida a maioria das pessoas tem alguma restrição para locomoção. Ele apresentou um modelo de residência acessível, lembrando que as soluções dependem menos de investi-

mentos do que de criatividade. Segundo o presidente do CREA/MS, conceber um projeto garantindo acessibilidade eleva o custo em 1% ao passo que para a adequação o investimento necessário chega a 25% do valor total da obra. Há 35 anos usando uma cadeira de rodas para se locomover, o funcionário público Ladimir José Stefanes, de 50 anos, que esteve na palestra, relata que recentemente precisou alugar uma casa e a busca por um imóvel que oferecesse condições mínimas de acessibilidade foi árdua. “Não consigo ter acesso a alguns cômodos e só consigo entrar na casa de carro. Você imagina o que é não poder sair de sua casa, se não for de carro”, lamenta. Ladimir reclama que o problema está generalizado na cidade. “No centro mesmo não há uma padronização de calçadas, cada uma é de uma altura, o pavimento é irregular. Isso não é difícil só para os ca-

Jary Castro, presidente do CREA/MS e Eduardo Francisco Castro, presidente do CRECI/MS

deirantes. Os idosos, por exemplo, também têm muita dificuldade”, exemplifica. Também assistiram à palestra o presidente do CRECI do Amazonas e Roraima, Paschoal Guilherme Rodrigues, o presidente do Sindicato dos Corretores de Imóveis de Minas Gerais, Paulo César Dias de Souza e o diretor da entidade, Marco Túlio João Silva. Junto do Conselheiro Federal do Acre, Aires Ribeiro de Matos, eles vieram a Mato Grosso do Sul para uma ação do COFECI.

Convênio com a PAX Nacional proporciona benefícios Mais um convênio foi firmado pelo CRECI/MS em prol dos corretores de imóveis de Mato Grosso do Sul, agora com a PAX Nacional, dia 29 de março. Assinaram o presidente, Eduardo Francisco Castro e a gerente de vendas Sandra Tavares. Sandra lembrou que a PAX Nacional está no mercado há 30 anos e tem forte credibilidade. Os corretores de imóveis que aderirem aos planos ficarão isentos da taxa de adesão e carência a partir do pagamento da primeira mensalidade. Além dos serviços póstumos, a PAX Nacional tamA gerente Sandra Tavares assinou convênio com o CRECI/MS

bém conta com os benefícios em vida, dentre eles a Nacional Farma, com medicamentos éticos e referência e genéricos a preços competitivos, condomínios médico-odontológicos, seguro de vida e vários parceiros, especialmente na área de saúde, que oferecerem descontos aos clientes da PAX Nacional. “Queremos levar o máximo de benefícios aos corretores de imóveis”, diz Sandra Tavares.

A PAX Nacional está sediada na Avenida Júlio Castilho, 420, na Vila Sobrinho,

em Campo Grande. O telefone para contato é o (0xx)67 3361-2940.


www.crecims.com.br

|

Ano XI - nº 29 |

|

5

CRECI/MS se uniu à OAB contra a corrupção Em 2010 o Conselho Regional dos Corretores de Imóveis de Mato Grosso do Sul somou forças à OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e outras entidades que compõem o Fórum Permanente contra Corrupção. O movimento de entidades de classe, conclamado pela Ordem, acompanha o desenrolar das investigações de denúncias de corrupção em Mato Grosso do Sul. A primeira reunião foi no dia 29 de setembro e o presidente do CRECI/MS, Eduardo Francisco Castro, esteve presente.“O CRECI/MS é rigoroso na fiscalização do exercício da profissão do corretor de imóveis em benefício de toda a sociedade e agora a entidade, como representante da categoria, vai somar esforços

à OAB e às demais entidades para buscar transparência durante a tramitação do processo. Entendemos que o cidadão tem o direito de acompanhar passo a passo as apurações, uma vez que estamos falando de suspeita de uso indevido de recursos públicos”, justifica Eduardo Castro. O segundo encontro, para deliberar sobre a peça publicitária da campanha ocorreu na manhã do dia 6 de outubro e desta vez esteve presente o vice-presidente do CRECI/MS, João Roberto Ambrosio. Na ocasião foi definido como marca do movimento “CORRUPÇÃO Mata!”. O presidente da

OAB/MS, Leonardo Duarte, explicou: “A corrupção tira dinheiro da saúde, mata esperança e a educação da população”. João Roberto Ambrosio lembrou que o efeito em cascata do uso indevido de recursos públicos é desastroso: “Todos os segmentos da economia sofrem e com o setor imobiliário não é diferente. Sem a aplicação correta dos recursos públicos a cidade deixa, por exemplo, de receber investimentos em infra-estrutura e isso afeta nossos negócios diretamente”. Além do CRECI/MS, apóiam o movimento o CRO (Conselho Regional de Odontologia), do CRM (Conselho

Nova Tabela de honorários traz avanços à categoria e à sociedade Em dezembro entrou em vigor a nova tabela de honorários dos corretores de imóveis de Mato Grosso do Sul, que trouxe avanços para a categoria e também para a sociedade. O presidente do Conselho Regional dos Corretores de Imóveis, Eduardo Francisco Castro, explica quais foram as principais alterações. A tabela foi elaborada pelo Sindimóveis/ MS (Sindicato dos Corretores de Imóveis de Mato Grosso do Sul) em conjunto com o Secovi /MS (Sindicato da Habitação de Mato Grosso do Sul), CVI (Câmara de Valores Imobiliários) e CRECI/MS. Como ficaram os valores dos honorários para venda? Eduardo Castro – Os hono-

rários para venda de imóveis permanecem os mesmos, mínimo de 5% e máximo de 10%. As principais mudanças foram na locação e divisão de honorários, que trazem importantes avanços. Qual a principal evolução

que a tabela traz para o corretor de imóveis?

A nova tabela estabelece valores para consulta imobiliária e emissão do parecer mercadológico, reforçando que o corretor de imóveis é o profissional competente para isso e valorizando a profissão. O honorário para emissão de parecer técnico, antes de 0,7% do valor do imóvel, agora terá intervalo de 0,3% a 1%, dependendo da negociação entre as partes. A nova tabela também estabelece os honorários para consultas e assessoria imobiliária. No caso da consulta, são equivalentes a 20% do salário mínimo vigente quando feita no escritório do corretor de imóveis e 25% quando for externa. Para a assessoria imobiliária, que compreende a prestação de serviços como encaminhamento de documentação para financiamento habitacional, a remuneração do corretor de imóveis é de um a dois sa-

lários mínimos. Quanto à locação, quais as mudanças mais importantes?

A tabela estabelece valor mínimo para os honorários por administração de imóveis de 7% do salário mínimo vigente, chegando a 10% do valor do aluguel, em caso de administração simples. O importante é que está expresso que os honorários incidem somente sobre o valor do aluguel pacificando a questão, ou seja, não há incidência sobre valores de IPTU ou taxa de condomínio. O que mudou em relação à divisão de honorários ?

Entre corretores de imóveis, seja pessoa física ou jurídica, a divisão é de 50% para cada um, no caso de venda conjunta. Fica claro também que o acerto com o captador de imóveis é de responsabilidade do contratante, ou seja, este custo, que é de 10% do valor do honorário, fica a cargo da parte que assumiu o compromisso com o captador.

Regional de Medicina), CREA (Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia ), Fecomercio (Federação do Comércio), CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas), Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul ), Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária do MS), Corecon (Conselho Regional de Economia). No dia 30 de setembro foi publicada uma carta pública em que as entidades manifestam apoio à OAB na empreitada pela transparência e elucidação dos fatos, cobrando punição de culpados e preservação dos que foram envolvidos injustamente.


6

|

|

Ano XI - nº 29 |

www.crecims.com.br

Subsídio do CRECI/MS garante adesão a curso de avaliação imobiliária

Mais corretores de imóveis participaram dos cursos de avaliação de imóveis com o especialista no assunto, corretor de imóveis e engenheiro José Plínio da Silva Filho nos meses de outubro e dezembro, no auditório do CRECI/MS, em Campo Grande. O vice-presidente do CRECI/MS, João Roberto Ambrosio, elogiou os alunos pela iniciativa de buscar novos conhecimentos e deu as boas vindas a todos. Para muitos, o subsídio de 20% oferecido

pelo Conselho foi decisivo para participar do curso. “Se não tivesse o desconto não daria para eu fazer o curso. Já queria ter feito há mais tempo, mas a situação financeira não permitiu e agora consegui”, diz o corretor de imóveis Paulo Neres dos Santos, de 38 anos. Para ele, o curso é imprescindível a todo corretor de imóveis, mesmo para quem não pretende atuar na área de avaliação. “Para vender é preciso calcular o

valor do imóvel. Claro que temos que respeitar o valor esperado pelo proprietário, mas é preciso ter uma base técnica”, diz. Adão Aquino Neto, de 29 anos, pensa de forma semelhante: “É preciso ter um embasamento, não dá para calcular o valor com base em classificados de jornal. Não se pode brincar com o sonho da pessoa, seja quem está vendendo ou comprando o imóvel”. Ele também diz que o apoio do CRECI/MS foi muito importante para que participasse do curso. “Com o desconto pude pagar a inscrição sem precisar fazer parcelamento”, comemora. A acadêmica Mayara Regina Rodrigues Alves, de 23 anos, faz curso de TTI e também de Arquitetura. “Acho que o curso de avaliação acrescenta muito para as duas áreas, que estão relacionadas”, justifica.

O professor José Plínio da Silva Filho e o vice-presidente do CRECI/MS, João Roberto Ambrosio

O professor José Plínio da Silva Filho considera o respaldo do CRECI/MS fundamental, tanto para os corretores de imóveis quanto para a credibilidade do curso oferecido pela JPS Consultoria e Treinamento. “Ao ceder o auditório o CRECI/MS nos dá aval e nos sentimos na responsabilidade de corresponder com essa confiança e manter o bom nível dos cursos”, afirma. Plínio ressalta a importância da iniciativa do Conselho para valorização da profissão: “A entidade proporciona atualização aos profissionais, que passam também a se aproximar mais do Conselho, fortalecendo a categoria”, finaliza.


www.crecims.com.br

|

Ano XI - nº 29 |

|

7

Evento do CRECI/MS traz desafio da Caixa Econômica para 2011: financiar R$ 1,3 bilhão O desafio do crédito imobiliário da Caixa Econômica para 2011 já está lançado em Mato Grosso do Sul: atingir R$ 1,3 bilhão, volume 30% maior que do ano anterior. A meta foi acordada entre o superintendente estadual da instituição, Paulo Antunes de Siqueira e a cadeia produtiva do setor imobiliário durante evento promovido pelo

atingir R$ 1 bilhão em financiamentos, foi atingida. Doze mil imóveis foram financiados, empreendimentos que geram apenas na construção 60 mil empregos diretos e indiretos. Neste ano de 2011, somente ao longo do mês de janeiro,a Caixa já recebeu das construtoras projetos de 14 mil imóveis que somam R$ 1 bilhão e estão sob análise. Estes projetos são encaminhados para a instituição, para que, depois de prontas, as unidades possam ser financiadas aos compradores. Paulo Antunes apresentou o cenário Vice-presidente do CRECI/MS, João econômico do País que Roberto Ambrosio, presidente do favorece atingir númeCRECI/MS, Eduardo Francisco Casros tão expressivos. Em tro, superintendente da Caixa Eco2011 a previsão é que nômica Federal, Paulo Antunes de o PIB (Produto Interno Siqueira e o presidente do SindimóBruto) brasileiro cresça veis/MS, James Antônio Gomes 7,5%, o melhor desempenho dos últimos 25 CRECI/MS (Conselho Regional anos. A estabilidade econômidos Corretores de Imóveis de ca e política fazem do País veMato Grosso do Sul) na noite dete no mercado internacional de terça-feira, 8 de fevereiro, no e o aumento do nível de empreauditório do CREA (Conselho go e renda da população tende Regional de Engenharia, Arqui- a manter aquecidos os negótetura e Agronomia). Também cios no setor imobiliário. A isso foram parceiros na realização se somam os investimentos do do evento o Sindimóveis/MS Plano de Aceleração do Cresci(Sindicato dos Corretores de mento e Programa Minha Casa Imóveis de Mato Grosso do Minha Vida II, com previsão de Sul), Secovi/MS (Sindicato da mais dois milhões de novas Habitação de Mato Grosso do unidades habitacionais. De pouco mais de R$ 1 biSul) e CVI/MS (Câmara de Valhão financiados em 2010, R$ lores Imobiliários). No ano passado a meta 738,5 milhões foram em unilançada durante o Ciclo de dades do Minha Casa Minha Palestras do CRECI/MS, de Vida. Porém, Paulo Antunes lembrou os construtores que

é preciso fazer uma reflexão para não perder o foco. Hoje o déficit habitacional em Mato Grosso do Sul é estimado em 45 mil unidades, das quais quase 90% entre famílias com renda de até 3 salários mínimos. Porém, a maior parte dos empreendimentos lançados é para o público com renda superior. No ano passado, 76,9% das contratações eram para pessoas com renda superior a 3 salários mínimos e neste ano, 85,53% dos projetos em andamento são para este público. O superintendente adiantou que o governo deve aumentar o limite de valor do imóvel para famílias com renda de até três salários mínimos, mas o setor produtivo precisa repensar o público-alvo. Outro assunto bastante discutido foi o Cartão Aluguel, que efetivamente deve começar a ser utilizado em meados de março. Sem a necessidade de fiador, fator limitador para a maioria dos pretensos locatários, a expectativa é que o mercado se aqueça, segundo o presidente do CRECI/MS, Eduardo Francisco Castro: “Os negócios com o Cartão Aluguel deverão representar 50% do total”, acredita. O contratante do cartão pagará anuidade de R$ 96,00, taxa de 6,67% mensais pelo financiamento do aluguel e as imobiliárias, que precisam ser correspondentes da Caixa, terão de recolher taxa de 1,5% sobre o valor da transação.

O cartão assegura o pagamento de 12 alugueis mas, se houver atraso do pagamento da fatura, no segundo mês de inadimplência a Caixa suspende o pagamento à imobiliária que terá que dar entrada na ação de despejo. Se decorrido o processo, o inquilino não acertar os valores, o cartão garante o pagamento até o término dos 12 meses. Outro produto que passará a ser trabalhado pela Caixa é a linha hipotecária, uma forma da pessoa que tem mais de um imóvel residencial ou um imóvel comercial levantar capital de giro de forma rápida e com taxa de 18% ao ano mais TR. Ao fim da palestra, os presentes puderam sanar dúvidas com o superintendente. Eduardo Castro destacou a importância das entidades se reunirem para promover o evento. “É isso que faz o nosso setor ser forte e crescer”, resumiu. A exemplo dos outros eventos promovidos pelo CRECI/ MS, a entrada para a palestra foi 1 kg de alimento não-perecível. Desta vez foram arrecadados 224,35 quilos de alimentos e 11,7 litros de óleo, revertidos à Creche Santa Fé.

O superintendente da Caixa Econômica Federal, Paulo Antunes de Siqueira, presidente da CVI, Misael Hélio Lacerda Lemos, vice-presidente do CRECI/MS, João Roberto Ambrosio, presidente do CRECI/MS, Eduardo Francisco Castro, presidente do CREA/MS, Jary de Carvalho e Castro e o presidente do Sindimóveis, James Antônio Gomes


8

|

|

Ano XI - nº 29 |

www.crecims.com.br

Na última Plenária de 2010, em Ponta Porã, Conselho Pleno CRECI/MS aprovou correção da anuidade e homologou nova tabela de honorários Na última Sessão Plenária de 2010, em Ponta Porã, o Conselho Pleno do CRECI /MS deliberou sobre assuntos importantes para o setor imobiliário de Mato Grosso do Sul, dentre eles, a nova tabela de honorários e a correção dos valores de anuidades para 2011. A sessão contou com a presença da Diretoria do Conselho e também de corretores de imóveis do município e região, aos quais o presidente do CRECI/MS , Eduardo Francisco Castro, fez um agradecimento. Durante a Plenária, foram aprovadas a prestação de contas do terceiro trimestre de 2010, a proposta orçamentária para 2011 e homologada a nova tabela de honorários, que entrou em vigor a partir da publicação em Diário Oficial. Quanto à anuidade, ficou em R$ 410,00, correção de

A última Plenária do ano de 2010 foi em Ponta Porã, onde foi homologada a nova tabela de honorários

5% que corresponde à metade do valor da inflação conforme o IGPM (índice que corrige o valor do aluguel), observou o presidente do CRECI. “Já com o reajuste estaremos atrás de outros 13 CRECIS, que cobram valor superior. Estamos com anuidade abaixo da média nacional”, disse Eduardo. Para as imobiliárias, o valor vai de duas anuidades a quatro, conforme o faturamento. Além de descontos para quitação até março, há possibilidade de parcelamento em até cinco meses, a contar de março, inclusive

pelo cartão Fibra, que não tem anuidade. Antes de passar para a pauta, o presidente do CRECI/MS falou sobre assuntos inerentes à atividade, como entendimento da Justiça de que o imóvel único da família pode ser penhorado caso esteja vazio. Ele também ressaltou que o COFECI está implantando uma Corregedoria que vai fiscalizar os CRECIs de todo o País e disse que considera importante esta iniciativa: “Também temos nossas limitações, mas estamos sempre caminhando para corrigir os problemas”.

Eduardo Castro destacou que o CRECI/MS implantou um novo sistema de informática, de última geração, que permitirá maior dinamismo e agilidade em seus processos administrativos, de estágios e inscrições. Também citou que iniciativa do CRECI/MS mais uma vez foi respaldada, agora a partir de inquérito instaurado pela Procuradoria Regional do Trabalho de Brasília, apurando a vinculação de inscrições e encerramento de inscrições nos Conselhos ao recolhimento da contribuição sindical. Ao longo do inquérito foi constatado que o problema está pacificado. Isso porque o CRECI/MS levou a questão ao COFECI que modificou a norma que estabelecia a vinculação.

A natureza e o mercado imobiliário Tsunami no Japão; Enchente na Austrália; Terremoto no Chile; Guerra civil e queda de ditadores no Oriente; Enchentes no Brasil; Cheia inesperada e acima da média no pantanal, chuvas em Campo Grande. Mas o que isso tem a ver com o mercado imobiliário? Muita coisa. Qual a influência de tais fatos no nosso mercado, e nas avaliações de imóveis?

Na prática pouca. Em primeiro lugar devemos levar em conta esse período chuvoso que é sazonal, pois finda causando alguns transtornos à cidade, pois o asfalto fica esburacado, a periferia que não é contemplada com o asfalto ficam intransitáveis. Como dizem os técnicos o maior inimigo do asfalto é a chuva, e isso tende a postergar as vendas pois os preços não se sustentam.

E a influência finda sendo mais psicológica do que monetária, pois o homem sempre fica na espera dos acontecimentos pra ver que rumo tomar. Vivemos um momento interessante no mercado imobiliário, com financiamentos facilitados, economia equilibrada, mudanças de classes sociais que faz com que o mercado se aqueça como de fato está.

Com estas ponderações, entendemos que o mercado sempre se auto-regula, e, cabe a nós Corretores de Imóveis entender o momento, nos mover no intuito de buscarmos alternativas para melhor atender e facilitar a vida de nossos clientes. É como pensamos. Misael Hélio Lacerda Lemos

Presidente da CVI


www.crecims.com.br

|

Ano XI - nº 29 |

|

9

Busca por parcerias em prol dos corretores de imóveis é contínua Após excelentes resultados alcançados ao longo de 2010, com ampla cobertura da mídia sobre os eventos de nosso setor, consideramos que encerramos o exercício com saldo bastante positivo e energias renovadas para mais uma empreitada na representação e ações em prol da profissão dos corretores de imóveis. Ao iniciar o segundo ano de mais uma gestão temos satisfação de poder dizer que cumprimos com os propósitos lançados durante nossa campanha, correspondendo com a expectativa dos mais de 90% de corretores de imóveis que votaram neste Conselho. A busca de parcerias para proporcionar benefí-

cios aos corretores de imóveis teve continuidade e estamos atentos também à fiscalização para garantir um mercado saudável a todos os profissionais. Nosso mercado vive um momento importante. Os dados do Ministério do Trabalho corroboram com essa constatação, mostrando que o segundo segmento da economia que mais gerou novos empregos ao longo de 2010 foi o imobiliário. E com o nível de empregos formais aumentando em todos os setores econômicos, o que se espera é que este crescimento tenha continuidade porque com a estabilidade as famílias procuram concretizar o sonho da casa própria.

Diante desta somatória de fatores positivos é imperativo que continuemos atuando com rigor em nossa principal frente, que é a fiscalização e também proporcionando condições para que os corretores de imóveis se atualizem e o serviço prestado melhore. Nosso ciclo de palestras continua a todo vapor, com participação de profissionais renomados que nos trazem informações importantes sobre mudanças no mercado imobiliário e práticas que devemos adotar para obtermos sucesso em nosso trabalho. Planejamos cuidadosamente nossa atuação para 2011 e reforçamos o canal de relacionamento com nossos

representados para que possam contribuir com a gestão, com sugestões, críticas elogios ou mesmo no esclarecimento de dúvidas, o que pode ser feito por nosso telefone, o 33255557 ou e-mail crecims@terra. com.br. O CRECI/MS trabalha em prol de um mercado profícuo e para que tenha sucesso está sempre de portas abertas para todos os corretores e corretoras de imóveis. Eduardo Francisco Castro

Presidente CRECI/MS

Convênio proporciona pesquisa cadastral a baixo custo para corretores de imóveis O Conselho Regional dos Corretores de Imóveis de Mato Grosso do Sul fechou convênio com a Rede Check Brasil: “Sabemos que na rotina dos profissionais o acesso a informações confiáveis para cadastro de seus clientes é fundamental, por isso fechamos esta parceria para proporcionar um serviço eficiente e ágil aos nossos corretores de imóveis”, diz o presidente da entidade, Eduardo Francisco Castro. Estabelecida em Poços de Caldas (MG), a Rede Check Brasil está ampliando seus convênios para entidades representativas de classe, como é o caso do CRECI, o que possibilita acesso ao sistema de checagem de dados com custos reduzidos. Índio do Brasil Metzker, que é supervisor da Rede Check Brasil, ressalta que a intenção é chegar a pelo menos dois mil corretores de imóveis em Mato Grosso do Sul. O sistema permite busca e localização de pessoas em 30 segundos, além

de checagem sultas mende pendências sais de chefi n a n c e i r a s , ques. Além comerciais, disso, o valor protestos e emdas consultas presariais e de individuais é veículos. “Para abaixo da méo corretor de dia praticada imóveis que no mercado. trabalha com Índio do Brasil Metzker, conA emprecompra e ven- sultor da Rede Check Brasil sa tem acesda de bens a pesquisa é imprescindível”, ava- so às informações lia o supervisor. atualizadas porA partir do convênio, os cor- que é conveniada retores de imóveis terão redu- a um sistema de ção de 50% na taxa de adesão pesquisa online. ao serviço, pagarão apenas R$ As informações de 6,00 de manutenção, para co- pesquisa são basebrir custos operacionais e terão adas em bancos de direito a um bônus de 100 con- dados do Serasa,

Previdência Social, Cartórios, Cartório Eleitoral, Denatran, Detran, Receita Federal e Banco de Pendências Comerciais. Interessados podem obter mais informações e solicitar uma visita do supervisor pelos telefones (67) 9695-2001 e (67) 8101-0302. Para clientes, o telefone da Central de Atendimento é o (35) 3721-4040.


10

|

|

Ano XI - nº 29 |

www.crecims.com.br

Fórum vai incentivar o setor imobiliário do Estado Todos sabem que o mercado imobiliário em Mato Grosso do Sul, assim como em outras regiões do país passa por um excelente momento. Acompanhando esta boa fase a classe dos profissionais de corretagem de imóveis cresce cada vez mais, e consequentemente ganha credibilidade e respeito da sociedade. Aqui no Estado, parcerias fortes têm sido consolidadas e isso faz com que sejamos reconhecidos nacionalmente. Um dos exemplos de reconhecimento é o Fórum Regional de Profissionais do Mercado Imobiliário que acontecerá na Capital. O evento está marcado para acontecer nos dias 16 e 17 junho, e vai ser realizado pela Fenaci (Federação Nacional dos Corretores de Imóveis) em parceria com o SindiMóveis-MS (Sindicato dos Corretores de

Imóveis). Aproximadamente 200 pessoas de vários lugares do país, como Brasília, São Paulo e Mato Grosso do Sul, estão sendo aguardadas para o Fórum, que vai ser um marco para o nosso setor. Este será o primeiro de muitos eventos que queremos trazer para a Capital, pois entendemos que o encontro de profissionais de outros estados fortalece a troca de conhecimento e agrega reconhecimento ao trabalho que temos praticado. A equipe organizadora do Sindimóveis-MS, tem cuidado de todos os detalhes para que tudo saia como planejado. Porém, para garantir o sucesso do evento, precisamos da sua colaboração, já que a sua

participação no Fórum demonstra interesse no desenvolvimento profissional e crescimento da categoria. Em breve mais informações como: local e valores da inscrição serão divulgadas. Nossa entidade está sempre de portas abertas para atendê-lo e para fazer com que a classe dos corretores de imóveis mantenha uma imagem forte e de credibilidade. Caixa Aqui

Seguindo constantemente a linha de melhor atender os interesses da categoria, é importante informar também as ferramentas que o sindicato tem proporcionado para facilitar o trabalho dos profissionais da área. O Caixa Aqui tem atingido resultados de utilização im-

CRECI/MS apoia medidas contra venda casada de imóveis em MS Após reclamações de consumidores levadas ao Procon/ MS (Coordenadoria de Orientação e Defesa do Consumidor de Mato Grosso do Sul), foi firmado no fim de outubro um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) com a empresa Goldfarb Incorporações e Construções S/A, para acabar com a venda casada de imóveis e serviços de corretagem, identificada durante a apuração das denúncias. O presidente do CRECI/MS (Conselho Regional dos Corretores de Imóveis), Eduardo Francisco Castro, apoia a ação do Procon, do MPE e da Decon.

“Sempre defendemos a transparência e as boas práticas de mercado para garantir lisura no processo e a satisfação do cliente”, afirma. O TAC foi proposto pela promotora de Justiça Helen Neves Dutra da Silva, da 25ª Promotoria de Justiça de Campo Grande, o superintendente do Procon/MS Lamartine Ribeiro, e o delegado de Polícia Civil da Delegacia Especializada na Defesa do Consumidor, Adriano Garcia Geraldo. Lamartine esteve no CRECI/MS no dia 28 de abril de 2010, ocasião em que ressal-

tou que não é prática entre os corretores de imóveis de Mato Grosso do Sul lesar o consumidor, mas com a chegada de empresas de fora, alguns casos chegaram ao órgão de defesa consumidor, e o principal problema está relacionado à venda casada. No caso da Goldfarb, o cliente era obrigado a pagar os honorários pela intermediação imobiliária, o que configurava a venda casada do imóvel com o serviço de corretagem, quando, avisa o órgão de proteção ao consumidor, os honorários dos corretores de imóveis são

13 de Maio

pressionantes, deixando assim o profissional e seus clientes satisfeitos com os serviços. Pegar fila e preencher documento errado já não faz mais parte do cotidiano dos corretores de imóveis, pois damos todo o suporte para que documentação dos processos de financiamentos saia pré-aprovada pela Caixa Econômica Federal. Corretor de imóveis utilize os recursos oferecidos pelo seu sindicato e tenha vantagens na sua vida pessoal com nossos convênios e na sua vida profissional, com os recursos que disponibilizamos para você otimizar o seu trabalho e conquistar seu cliente. Lembre-se, as portas de nossa sede estão abertas para te atender. Conte sempre conosco! James Antonio Gomes

Presidente do Sindimóveis/MS

de responsabilidade da empresa. Com o TAC, a Goldfarb não poderá exigir de seus consumidores a contratação compulsória do serviço de corretagem para a aquisição de imóveis. “ O MPE e órgãos ligados a defesa do consumidor reconhecem a necessidade de um corretor na intermediação imobiliária. Já os custos de remuneração desses profissionais, segundo o TAC, serão arcados, exclusivamente, pela Goldfarb”, informa o Ministério Público. A empresa também se comprometeu a deixar de recolher valores referentes a serviços de pré-análise cadastral e de capacidade financeira, bem como serviços de obtenção e encaminhamento de documentos para a Caixa Econômica Federal, caso o consumidor decida obter financiamento por conta própria junto aos agentes financeiros. Segundo o MPE, o teor do termo de compromisso deverá ser amplamente divulgado nos plantões de venda, além de disponibilizar aos consumidores uma cópia do documento, caso seja solicitado.


www.crecims.com.br

|

Ano XI - nº 29 |

|

11

Mercado Imobiliário aquecido, até quando? Há algum tempo podemos constatar o aumento dos investimentos no mercado imobiliário. São grandes empreendimentos, grandes e pequenas empresas apostando no mercado local. O que explica este tão falado aquecimento do mercado imobiliário? A aprovação da Lei 10.931/2004 trouxe importantes mudanças, tais como: Alienação Fiduciária, Patrimônio de Afetação e Pagamento do Incontroverso. Em resumo, ela restabeleceu a segurança jurídica dos contratos e em conseqüência, os bancos privados passaram a financiar mais, os prazos foram alon-

gados e a taxa de juros diminui. Atualmente, apenas 1,5% dos contratos, com garantia através da alienação fiduciária, possuem mais de três prestações em atraso. Diante de tais mudanças houve, no Brasil, uma evolução muito grande na oferta de financiamento imobiliário com recursos da Poupança, de 3 Bilhões em 2004 saltou para 34 Bilhões em 2009. Apesar deste crescimento, o índice que mede o percentual de hipotecas (alienações fiduciárias) em relação ao PIB

é de apenas 3,5% no Brasil, no Chile esse percentual corresponde a 17%, assim, se o nosso país nos próximos dez anos, buscar atingir o percentual de Hipotecas/PIB do país vizinho, teremos que investir, a mais, 40,5 bi/ano. Até 1998 40% da população tinham menos de 18 anos; hoje 40% da população tem entre 13 e 35 anos e em 2022, com aumento da expectativa de vida, essa faixa subirá para 25 a 55 anos. Estes números mostram que os 40% da população que ti-

nham necessidades básicas de ensino, por exemplo, daqui a 10 anos vão formar família e precisarão de habitação. Assim, o Brasil, que tem um déficit atual de 7 milhões de moradias, precisará de 30 milhões de habitações até 2022. É possível que tenhamos alguns desafios para vencermos como a escassez de recursos para financiamento, a escassez da mão-de-obra qualificada e a escassez de materiais e equipamentos. No entanto, os dados acima mostram que o boom imobiliário ainda tem muitos anos de vida. Marcos Augusto Netto

Presidente do Secovi/MS

Setor imobiliário de MS cresceu acima da média nacional em 2010 Dados da Dinaf (Diretoria Nacional de Fiscalização) do COFECI (Conselho Federal dos Corretores de Imóveis) apontam que no ano de 2010 a quantidade de corretores de imóveis e imobiliárias cresceu acima da média nacional em Mato Grosso do Sul. “Isso reflete o boom do setor, as pessoas acompanham a evolução do mercado e acabam buscando a profissão”, avalia o presidente do Conselho Regional dos Corretores de Imóveis de Mato Grosso do Sul, Eduardo Francisco Castro. Os números foram apresentados no dia 24 de fevereiro, em Brasília, pelo Diretor Nacional de Fiscalização e Conselheiro Federal e Regional, Claudemir das Neves. Em dezembro do ano passado havia 2.790 corretores de imóveis em Mato Grosso do Sul, número 17,1% acima

Pedro Alves Teodoro

do mesmo período de 2009. O crescimento é superior à média nacional, de 13%. Já o número de imobiliárias ativas cresceu 15,3%, atingindo 263 em dezembro último, ao passo que em âmbito nacional o aumento foi de 6,5%. Durante o ano de 2010 foram realizadas 7.764 diligências no Estado, lavrados 145 autos de infração por exercício ilegal da profissão, emitidas 183 notificações e lavrados 6.950 autos de constatação. Estes autos são emitidos inclusive para constatar a diligência, não estão necessariamente relacionados a eventuais irregularidades. Em âmbito nacional, houve redução de 5,8% nos autos de infração por exercício ilegal da profissão, mas os autos por outros tipos de infração e as notifi-

cações aumentaram, apesar de o número de agentes fiscais ter diminuído 6,1%. Claudemir explica que o número de clandestinos diminuiu, porque a busca pela regularização está maior. O que preocupa, porém, é a qualidade de alguns cursos que não proporcionam formação adequada do profissional e acabam redundando no aumento das infrações. “Muitas vezes eles saem sem preparo, sem conhecer a legislação e o mercado”, observa. Em vários casos, cita, as próprias incorporadoras selecionam pessoas de boa aparência e pagam o curso técnico para que se tornem corretores de imóveis. Eduardo Castro alerta que o CRECI/MS continuará vigilante para garantir um mercado saudável e a boa

Diretor Nacional de Fiscalização e Conselheiro Federal e Regional do COFECI e CRECI/MS, Claudemir das Neves

prestação de serviço à população. “Nosso papel iminente é o de fiscalizar e estamos atentos. A população também pode denunciar pelo telefone (67) 3325-5557”, diz.


12

|

|

Ano XI - nº 29 |

www.crecims.com.br

Confira os eventos realizados pelo CRECI/MS ao longo de 2010 em Campo Grande 21/01/2010

04/05/2010

Palestra: Negociação

Palestra: Captação de imóveis com exclusividade

Aly Baddauhy Jr Especialista em Comportamento Humano

Oscar Hugo M. Guimarães Presidente do Creci/GO e Diretor do Cofeci

29/01/2010

22/06/2010

Palestra: Mercado Imobiliário: Oportunidades de Negócios

Palestra: Avaliação Imobiliária: Abrindo caminhos e viabilizando negócios

Paulo Antunes de Siqueira Superintendente da Caixa Econômica

José Plinio Silva Filho Avaliador Imobiliário

23/02/2010

29/07/2010

Palestra: Nova Lei do Inquilinato

Palestra: A nova lei de licenciamento ambiental

José Sebastião Espindola Conselheiro Federal pela OAB/ MS

Luiz Marlan Nunes Carneiro Advogado

23/03/2010

25/08/2010

Palestra: O Banco do Brasil e o crédito Imobiliário em MS

Palestra: Os quatro pilares de um corretor de sucesso

Flávio José S. de Almeida Analista do Banco do Brasil

Nailor Marques Jr. Palestrante

28/04/2010

28/10/2010

Palestra: As relações de consumo no setor imobiliário

Palestra: Acessibilidade: um bom negócio

Lamartine Ribeiro Superintendente do PROCON/MS

Jary de Carvalho e Castro Presidente do Crea/MS

Encontros / Cursos 26/02/2010 - Dourados 27/02/2010 - Ponta Porã

Palestra: Nova Lei do Inquilinato José Sebastião Espindola Conselheiro Federal pela OAB/ MS 08 a 07/08/2010, 07 a 09/10/2010 e 08 a 11/12/2010 Campo Grande

Curso: Curso de Avaliação Imobiliária José Plínio Silva Filho Professor 24/08/2010 - Campo Grande - Campo Grande V TROFÉU COLIBRI DE PRATA - “Comemoração do Dia Nacional do Corretor de Imóveis” O Creci/MS elegeu cinco corretores de imóveis de conduta e atuação ilibada para receber homenagem em cerimônia realizada no auditório do Creci/MS

14/09/2010 - Campo Grande

Apresentação do Plano de Governo para o setor imobiliário de MS pelo candidato André Puccinelli

22/09/2010 - Campo Grande

Apresentação do Plano de Governo para o setor imobiliário de MS pelo candidato Ney Braga

03/12/2010 - Ponta Porã

151ª Sessão Plenária de Julgamento de Processos Realizada no auditório do hotel Barcelona - Ponta Porã/MS, contou com a presença de Corretores de Imóveis da cidade e Região


OPÇÃO - ED. 29