Page 3

SEXTA-FEIRA, 01 DE JULHO DE 2011.

03

Jornal ‘O Imparcial’ foi vítima da ‘techno espionagem’ que tomou conta do mundo. Claro que as proporções de importância devem ser bem resguardadas, mas o jornal O Imparcial foi vitima de mesma espionagem tecnológica que vasculhou e-mails da Presidenta Dilma Roussef, possivelmente atrás de munição para dossiês, tanto lá como cá. Aqui, pelo menos foi bobagem, pois os arquivos deste jornal estão sempre à disposição de todos. A volta de Corpus Christi foi abalada pela invasão dos invioláveis sites do Governo Federal, com destaque para os arquivos da Presidência de República e da Receita Federal, objetos de tantas conspirações eleitorais. Definitivamente, não são mais apenas os distraídos aposentados que correm riscos com suas senhas e cartões magnéticos clonáveis neste admirável mundo novo tecnológico. No entanto não foi apenas a presidenta Dilma Roussef que ficou surpresa com o noticiário pós-feriadão. A secretaria de redação do jornal O Imparcial, Esther Couto, recebeu uma ligação da DIG – Delegacia de Investigações Gerais de Barretos – dando conta de que havia vários documentos digitais do jornal copiados no HD de um notebook apreendido em ação policial. A pedido do investigador, para auxiliar na identificação do proprietário do notebook em questão, a jornalista foi ate a loja de informática que estava periciando o mesmo, que fazia parte de um lote de aparelhos roubados. O HD do notebook fora formatado (em informática significa limpar todas as informações) mas – exatamente para se tentar chegar ao seu legitimo proprietário - os técnicos utilizaram um programa capaz de ler os nomes de arquivos, embora não pudesse abri-los. Pelo peso e quantidade dos arquivos chegou-se a conclusão de se tratar de uma copia de backup de todo o HD (disco rígido) dificilmente hackeado via internet. “Pela data de download ou confecção desses arquivos- explicou Esther – qualquer técnico com acesso a maquina que identificamos (foram três técnicos no período) poderiam ter passado adiante o conteúdo do HD com ou sem segundas intenções”. “O que estranhamos – finaliza a jornalista – é que o notebook antes de ser formatado portava apenas os arquivos do nosso jornal, o que deixou-nos curiosos para saber quem foi o praticante do delito”. OPINIÃO DO DIRETOR “Superdimensionaram a nossa importância, fantasiando o alcance de nossas relações, mas fazendo pouco de nossa inteligência” – afirma o jornalista Elias Couto. “Vivemos num mundo tão devassado que sabemos perfeitamente estarmos 24 horas por dia expostos via internet, telefone, e ate pessoalmente onde possa existir uma câmera indiscreta ou um gravador escondido”. “O melhor é não ter nada a esconder, como é o nosso caso. Usando os neologismos da área, a nossa vida é um HD aberto para quem quer que seja, mas se tivéssemos que esconder alguma coisa não seria no drive de um computador que frequentemente vai para a assistência técnica”. “Fomos evidentemente alvos de uma ação de espionagem, mas o nosso espião pulou em galho seco. Já temos uma pista sobre o trafego do drive em questão, informamos ao investigador e acreditamos que a identificação do delinquente virtual é apenas uma questão de tempo.

O IMPARCIAL - n. 285  

Jornal semanal da cidade de Barretos - SP

O IMPARCIAL - n. 285  

Jornal semanal da cidade de Barretos - SP

Advertisement