Issuu on Google+

Melhor no Ideb, Cajuru (SP) alia investimento a projeto pedagógico Cidade   teve   cinco   escolas   entre   as   dez   melhores   do   país. Estudantes usam apostilas, têm reforço e informática.

O segredo de sucesso de Cajuru, cidade de  cerca de 24 mil habitantes no nordeste do  estado   de   São   Paulo   que   emplacou   cinco  escolas   municipais   entre   as   dez   melhores  no Índice de Desenvolvimento da Educação  Básica   (Ideb),   envolve   investimentos  financeiros e projeto pedagógico. Os   salários   dos   educadores  começam em cerca de R$ 1.100. Todo ano,  há   bonificação   baseada   no   desempenho   e  na   participação   de   cursos   e   atividades   da  secretaria. A   escola   investe   em   leitura   e  interpretação   de   texto   nas   aulas   de  português   e   em   aulas   extras,   segundo   a  diretora Rita de Cássia da Fonseca Salvador  Souza.   Além   disso,   os   estudantes   fazem  aula   de   informática,   em   que   aprendem 

Word,   internet   e   têm   acesso   a   jogos  educativos.   “Recebemos   a   notícia   com  espanto   e   muita   alegria.   Apesar   de  trabalharmos muito, somos uma escola de  bairro”, disse Rita. Entre os municípios com as piores notas  no Ideb 2009 na 4ª série estão cinco cidades da  Bahia, duas do Piauí, duas da Paraíba e uma do  Pará. Na   8ª   série,   as   piores   notas   foram  registradas   em   cinco   cidades   da   Bahia,   três   do  Rio Grande do Norte, duas de Alagoas, uma da  Paraíba, uma do Maranhão e uma de Sergipe. A  nota mais baixa foi de Jardim de Angicos, no Rio  Grande   do   Norte,   que   teve   1,6.   A   meta   do  governo   federal   para   a   cidade   em   2021   é   4,6,  enquanto a do Brasil é 5,5.


Fonte:  http://g1.globo.com/vestibular­e­educacao/noticia/2010/07/melhor­no­ideb­cajuru­sp­alia­ investimento­projeto­pedagogico.html, acessado em 21 de Abril de 2011


curso