Page 1

Projeto: Ferramenta Interativa para a Implementação de Plano de Manejo Participativo de Reserva Extrativista Marinha

Instituição Proponente

Instituição Executora

Apoio


JUSTIFICATIVAS 1, DIRETRIZES DA CONFERÊNCIA DAS PARTES VII PARA ÁREAS PROTEGIDAS MARINHAS (APM’s) 2. PESCA ARTESANAL: CONCEITO E IMPORTÂNCIA ECONÔMICA, SOCIAL E AMBIENTAL 3. RESEX-MAR DE ARRAIAL DO CABO – RJ: DESAFIOS PARA O PLANO DE MANEJO PARTICIPATIVO


1. DIRETRIZES DA CONFERÊNCIA DAS PARTES VII PARA ÁREAS PROTEGIDAS MARINHAS (APM’s) METAS COP 7 - CDB (Convenção da Diversidade Biológica) 1. Aumento das APM´s no Mundo para Redução do Desequilíbrio - 2012 Total de AP’s = 5.000 Total de - APM’s = 1.600 (<1% dos Oceanos) 2. Transformação das APM’s em Instrumentos de Gestão Pesqueira

TENDÊNCIA DA CONSERVAÇÃO DAS APM’s Conservação Convencional ÁREA PROTEGIDA MARINHA

Conservação Sustentável ÁREA PROTEGIDA MARINHA


2. PESCA ARTESANAL: CONCEITO E IMPORTÂNCIA ECONÔMICA, SOCIAL E AMBIENTAL

2.1 Novos paradigmas e conceituação

2.2 Importância econômica, social e ambiental • Produção brasileira e mundial • Fonte de subsistência e segurança alimentar • Características de manejo sustentável


Pesca Artesanal: Manejo Sustentável, Participação e Investimentos Manejos Multiespecíficos

Investimento: 2% do PIB mundial para Economia Verde: PESCA - 110 bilhões de dólares (redução das frotas industriais e apoio à frota artesanal, gestão pesqueira, criação de áreas protegidas marinhas) . Meta Produção Capturas Ano 2.050 (Milhões Ton/Ano): 80 > 90. Relatório PNUMA/ONU – Rumo à Rio + 20

Gestão Participativa

Processo de Gestão Participativa da Pesca Artesanal no Litoral Norte do Rio Grande do Sul - IBAMA-CEPERG, Centro de Pesquisa e Gestão dos Recursos Pesqueiros Lagunares e Estuarinos, 2007.


3. RESEX-MAR DE ARRAIAL DO CABO – RJ: DESAFIOS PARA O PLANO DE MANEJO PARTICIPATIVO 3.1 Dados Gerais 3.2 Pressões Antrópicas e Conflitos com a Pesca Artesanal 3.3 Identidade e Produção dos Pescadores Artesanais

Mapa da Resex-Mar de Arraial do Mar

Fonte: BRASIL. IBAMA. 2006


3.1 Dados Gerais A) Criação, área e ecossistema marinho a.1 Criação: Decreto Presidencial de 03/01/1997 a.2 Localização: Lat. Sul - 22°56"00" - Long. Oeste - 041° 55"30" - Limite Sueste: Lat. Sul - 23° 04"00" - Long. Oeste - 041°55"30" - Limite Sudoeste: Lat. Sul 23°04"00" - Long. Oeste - 042° 18"02 a.3 Área: 56.769 ha. de lâmina d’água a.4 Ecossistema Marinho: alta e abundante diversidade biológica, biosfera da UNESCO, raro fenômeno da ressurgência (upwelling) B) Atividade extrativista tradicional b.1 Tipo: Pesca Artesanal b.2 Produção Média: 1.000 Ton/Ano b.3 Total estimado de pescadores artesanais: 1.500 (5,74% da Pop. - Censo 2003) C) Dez principais espécies capturadas Sardinha Verdadeira (Sardinella brasiliensis; Espada (Trichiurus lepturus), Enchova (Pomatomus saltatrix), Lula (Loligo plei), Bonito Cachorro (Auxis thazard), Maria Molde (Cynoscion striatus), Galo (Selene setapinnis), Tainha (Mugil liza), Peixe Sapo (Porichthys porosissimus), Atum (Thunnus thynnus)


3.2 Pressões Antrópicas e Conflitos com a Pesca Artesanal Pesca industrial: arrastão e rede tresmalho

Rede de arrasto com portas utilizada na captura de camarões . Instituto de Pesca – SP

Turismo náutico

Petróleo off shore

Bioinvasão

Especulação Imobiliária

Coral Tubastraea coccínea (coral laranja)


3.3 Identidade e Produção dos Pescadores Artesanais Percepção dos Pescadores - 2008

Produção Pesqueira: 1992 - 2006


OBJETIVO

Disponibilizar “ferramentas interativas” de auxílio à co-responsabilização de usuários e beneficiários locais no planejamento do manejo participativo da Resex-Mar de Arraial do Cabo e demais unidades de conservação em zonas marinhas e costeiras.


METODOLOGIA 1. Método de Abordagem ABORDAGEM ETNOCIENTÍFICA & CAMPO DA SOCIOCOGNIÇÃO

2. Método de Procedimentos CICLO RECURSIVO: ENSINO, PESQUISA E DESIGN


1. Método de Abordagem 1. Abordagem Etnocientífica: Reconstrução da lógica subjacente ao conhecimento tradicional do mundo natural - princípios de organização de organismos em classes, relação de caracteres orgânicos com sua classificação etc. Fontes: Berkes, 2001; Diegues, 2004, Barenho et al., 2008. 2. Campo da Cognição: Processos de ordem cognitiva dispostos em modelos mentais – estruturas complexas de conhecimentos ou representações das experiências vividas em sociedade (“filters”). Fonte: Koch, 2001; Van Dijk, 2002).


2. Método de Procedimentos TECNOLOGIA INTERATIVA PARA A CONSERVAÇÃO SUSTENTÁVEL

3. SEMINÁRIO: CONSERVAÇÃO SUSTENTÁVEL DE ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS

1. EDUCAÇÃO & PESQUISA

2. DESIGN DE FERRAMENTAS


1. Educação & Pesquisa: Tecnologia Interativa para a Conservação Sustentável de APM’s Módulos

Diagnóstico Participativo


2. Oficinas: Design de Ferramentas Interativas

Simulação: MAQUETES INTERATIVAS DE AUXÍLIO À GESTÃO COMPARTILHADA Virtual: REDE DIGITAL PARA CONSERVAÇÃO SUSTENTÁVEL DE APM’s Evento: RODAS DE CONVERSA PARA DIAGNÓSTICO PARTICIPATIVO


Simulação: MAQUETE INTERATIVA DE AUXÍLIO À GESTÃO COMPARTILHADA Montagem

Transcecto no mar: CET

Oficina: Simulação Gestão Compartilhada


Virtual: REDE DIGITAL PARA CONSERVAÇÃO SUSTENTÁVEL DE APM’s


Evento: RODAS DE CONVERSA


CONCEITOS-CHAVES 1. Ferramenta Interativa 2. Conservação Sustentável 3. Conhecimento Ecológico Tradicional/Local Referência Bibliográfica: CARNEIRO, Antônio Marcos Muniz. Interatividade e Tecnologia para a Conservação Sustentável de Áreas Protegidas Marinhas. Rio de Janeiro: Relatório Técnico, Fundação COPPETEC, Apoio Programa Costa Atlântica – Fundação SOS Mata Atlântica, 2011.


1. Ferramenta Interativa para a CS/APM’s

FOTOS: 1. Mapas: Áreas de estudos de “Acordos de Pesca na Amazônia”; 2. Portal eletrônico do projeto www.vidamar.org.br/peixesdecostao; 3. Reunião de discussão e elaboração de medidas de ordenamento nas comunidades de pescadores; 4 Tecnologias audiovisuais utilizadas nas discussões do acordo de pesca nas comunidades e na sede do IBAMA;

A ferramenta interativa para CS/APM’s compreende um conjunto de técnicas e procedimentos como dispositivos, diferentemente de utensílios ou instrumentos, de auxílio ao estabelecimento de fluxos, conexões e redes sociocognitivas de pesquisa e avaliação compartilhadas de sistemas locais/tradicionais de manejo de ecossistemas marinhos e costeiros em prol da conservação e aumento da biodiversidade, integrado dos modos de vida das populações extrativistas tradicionais. Funções: Referenciação – Evento – Ecologia Cognitiva


2. Conservação Sustentável Alternativa à conservação positiva ou convencional, a conservação sustentável pressupõe uma concepção dinâmica do ecossistema e a biodiversidade como produto não somente da natureza, mas também das intervenções humanas. Com base nestes pressupostos, a CS dos estoques pesqueiros de APM’s engloba no plano de manejo as dimensões do pescador artesanal (cultura, manejo tradicional, qualidade de vida, mercado) em sua captura de peixes e demais organismos vivos marinhos (crustáceos, moluscos etc.), além da parte física dos insumos.


3. Conhecimento Ecológico Tradicional/Local Este tipo de conhecimento refere-se a complexos sistemas cognitivos gerados nas interações entre pescadores com os ecossistemas aquáticos, estabilizados por meio de processos seculares cumulativos de savoir-faire. A sua complexidade consiste na capacidade Triangulaç Triangulação para localizaç localização de parcé parcéis

adaptativa de sua tecnologia de captura à biodiversidade, incerteza e às transformações ecossistêmicas.


RESULTADOS • Estudos Complementares para o Plano de Manejo Participativo da Resex-Mar de Arraial do Cabo • Curso de Formação de 30 Multiplicadores com o Atendimento a 300 Beneficiários: Design de Ferramentas Interativas para Tecnologia de Conservação Sustentável de APM’s • Seminário nacional sobre tecnologias de conservação sustentável de APM’s


ARRANJO INSTITUCIONAL Equipe Técnica Instituições Parceiras Locais


Equipe Técnica COORDENAÇÃO Antônio Marcos Carneiro APIT- PEP/COPPE/UFRJ Sergio Annibal – IB/UFRJ ASSESSORIA TÉCNICO-CIENTÍFICA Gestão de Áreas Protegidas Marinhas e Costeiras Luiz Fernando Vieira - Chefe da APA de Massambaba Etnoconservação da Pesca Paulo Sergio Barreto – ONG. SAVE Tecnologias da Informação e Comunicação Cristina Haguenauer – LATEC/UFRJ Metodologia de Conflitos Ambientais Norma Valêncio –NEPED/UFSCar ASSESSORIA TÉCNICO-ADMINISTRATIVA Contabilidade Financeira Rogerio Matos – COPPE/UFRJ Assistente Administrativa Virgínia Carvalho - ONG. SAVE EDUCAÇÃO & PESQUISA


Instituições Parceiras Locais

Manejo Participativo em Reserva Extrativista Marinha  

Essa publicação objetiva disponibilizar “ferramentas interativas” de auxílio à co-responsabilização de usuários e beneficiários locais no pl...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you