Page 1

maio 2018 nº 274

MOTO ORGÃO

OFICIAL

P

O

da

FEDER AÇÃO

R

T

de

MOTOCICLISMO

U

G

de

A

PORTUGAL

L

www.fmp-live.pt / geral@fmp-live.pt

MIGUEL OLIVEIRA RUMO AO MOTOGP!

I MOTOTURISMO I MUNDIAL DE ENDURO I MINI ENDURO FEDERAÇÃO DE MOTOCICLISMO DE PORTUGAL, Largo Vitorino Damásio, 3 C - Pavilhão 1 - 1200 - 872 Lisboa Tel: 213936030/Fax: 213971457


Noticiario

Europeu em Fernão Joanes

Os Europeus de MX nas classes de 65 e 85 cc visitaram o nosso País, a par de mais uma ronda do Nacional.

Manuel Marinheiro Presidente da FMP

Editorial Em Maio voltámos a acolher no nosso País duas provas internacionais - o Campeonato do Mundo de Enduro em Castelo Branco e o Europeu de Motocross 65 e 85 cc em Fernão Joanes -, enquanto se prepara o regresso já em Junho do Mundial de Trial, que visitará Gouveia. Foi também um mês bem demonstrativo do empenho da FMP nas classes de iniciação ao motociclismo, que competiram em várias disciplinas. De facto, a par das diversas rondas pontuáveis para as competições de Iniciados e Infantis A e B no Motocross, integradas no Campeonato Nacional ou nos Regionais da modalidade, de mais uma prova do Troféu Velocidade 2020 da FMP, que decorre a par de outra fórmula de iniciação, a Oliveira Cup, tivemos ainda a primeira prova do ano de Supermoto, que recebeu também os mais pequenos para o Mini Motard e, com destaque nesta edição da Moto Portugal, a estreia do Mini Enduro cujas duas primeiras jornadas já deixaram claro que, também aqui, estamos no caminho certo para que o futuro do motociclismo nacional esteja assegurado. Excelentes notícias também no que respeita ao presente pois Miguel Oliveira assegurou com justiça e mérito a sua presença em MotoGP na próxima temporada, a quem dedicamos a capa desta edição, bem como um artigo onde se recordam os números do seu caminho imparável no Mundial de Velocidade desde 2011. Que dos viveiros de Campeões que referimos atrás saiam os sucessores de Miguel Oliveira, Rui Gonçalves, Paulo Gonçalves ou Hélder Rodrigues, entre outros pilotos, que tão bem têm representado o nome de Portugal nas maiores competições internacionais.

MOTO P

O

R

T

U

G

A

L

O CROSSÓDROMO DAS LAJES EM FERNÃO JOANES viveu um animado fim de semana, com mais uma ronda do Nacional de Motocross a disputar-se a par das provas do Campeonato da Europa de Motocross em 65 e 85 cc. Nestas duas classes foram 28 os pilotos em pista na cilindrada melhor e 24 na classe maior. Com duas vitórias em 65 cc foi o espanhol Francisco Garcia quem subiu ao degrau mais alto do pódio na frente de Jan Janout e Patrick Busatto, cabendo ao igualmente espanhol Raul Sanchez Garcia a primeira posição nas 85 depois de ter ganho igualmente as duas corridas. Saad Soulimani foi segundo e Luigi Russi Matteo o terceiro. A armada lusa teve em Martim Maria o melhor representante luso ao terminar em 17º da geral em EMX65, sendo o único a conseguir pontuar. Nas 85 cc o melhor dos pilotos nacionais foi Rúben Ferreira, que terminou em 16º na frente de Alex Almeida e Afonso Gomes, 17º e 18º respetivamente, com Ândria Sousa a conseguir

a 21ª posição depois de pontuar igualmente em ambas as corridas. Na ronda do Nacional de MX, depois de Luís Outeiro em MX2 e Luís Correia em MX1 terem ganho as mangas reservadas às respetivas classes, a manga Elite contou com 32 pilotos em pista. Luís Correia fechou com mais de meio minuto de vantagem sobre Hugo Basaúla, com Pedro Carvalho a fechar o pódio. O melhor entre as MX2 foi André Sérgio, que assim subiu pela primeira vez ao degrau mais alto do pódio nesta classe, sendo Outeiro o vencedor nos Júniores e Rodrigo Luz o melhor entre os pilotos com máquinas de motor a 2 tempos. Luís Correia deixou Fernão Joanes com 33 pontos de vantagem no campeonato Elite e 67 em MX1, colocando-se como o grande candidato aos dois títulos quando faltam cumprir duas etapas do calendário. Luís Outeiro passou para a frente da MX2 - ele que está a fazer a estreia na classe - e tem ainda quatro mangas para enfrentar com 16 pontos de margem sobre Diogo Graça e 27 para André Sérgio.

Supermoto arrancou em Almeirim De regresso ao formato convencional e com seis provas no seu programa, o Campeonato Ncional Supermoto teve a sua primeira ronda no início de maio, no Kartódromo de Almeirim. Dividido em duas categorias, Supermoto e Minimotard, a ronda ribatejana contou com mais de duas dezenas de participantes divididos por aquelas categorias. Na classe maior foi Nuno Rego quem ditou a lei ao vencer ambas as duas mangas realizadas no coração do Ribatejo. Ricardo Silva foi o 2º na corrida inaugural na frente de Luís Ferreira, mas no segundo duelo do dia Ferreira levou a melhor perante o rival e foi ele quem secundou Nuno Rego, na frente de Silva. Hugo Silva

e Sérgio Rego foram os pilotos que fecharam o lote dos cinco primeiros. No Minimotard foi o espanhol Ivan Bolaño quem conseguiu a vitória em ambas as corridas. Na primeira foi José Raul Luna

quem cruzou a linha de meta na 2ª posição, na frente de Eduardo Luna, mas na manga seguinte as posições alteraram-se por completo atrás de Bolaño, com Bruno Cruz a ser 2º e Bruno Salreta o 3º colocado.

FICHA TÉCNICA Revista MotoPortugal Editor: Federação de Motociclismo de Portugal Edição: nº 274, maio 2018; Produção: F.M.P.

Impressão: Lidergraf Sustainable Printing, Depósito Legal nº 375670/14 Nota: Isento de registo na ERC (Entidade reguladora para a Comunicação Social), ao abrigo do Decreto Regulamento 8/99 de 09/06 - Artigo 12º- Nº1 - A. 2 MOTO

CLASSIFICAÇÕES EUROPEU MX65 CC 1º/1º Francisco Garcia (ESP) Husqvarna 2º/2º Jan Janout (CZE) KTM 3º/4º Patrick Busatto (ITA) KTM 18º/16º Martim Maria (POR) KTM 21º/22º Guilherme Esteves (POR) KTM 26º/25º Bernardo Pinto (POR) KTM -/26º Maria Milheiro (POR) KTM 25º/- Tomás Santos (KTM) EUROPEU MX85 CC 1º/1º Raul Sanchez (ESP) KTM 4º/2º Saad Soulimani (FRA) Husqvarna 2º/4º Luigi Russi (ITA) KTM 13º/17º Rúben Ferreira (Husqvarna) 17º/15º Alex Almeida (KTM) 16ª/16º Afonso Gomes (Husqvarna) 20º/20º Ândria Sousa (Yamaha)

Velocidade 2020 e Oliveira Cup Na sua segunda prova da temporada 2018 o projeto de iniciação à Velocidade promovido pela Federação de Motociclismo de Portugal, o “Velocidade 2020”, esteve no Kartódromo do Bombarral mais uma vez lado a lado com a Oliveira Cup, troféu-escola promovido por Miguel Oliveira e com duas classes distintas. As duas mangas da Velocidade 2020 foram ganhas com autoridade por Beatriz Ramos que, depois de assegurar a pole position, foi dona e senhora da liderança das duas brilhantes corridas que realizou aos comandos da sua IMR 90, ela que já tinha ganho uma das corridas realizadas na primeira ronda da competição em Vila Nova de Santo André. Em ambas as mangas foram Fernando Santos e Lara Baleia a completarem o pódio depois de intensos duelos, com a 'companhia' de Manuel Fonseca na primeira corrida do dia. No que respeita à Oliveira Cup, Pedro Fraga (“Quique” #13) bisou mais um primeiro lugar em 2018, nesta que foi a segunda etapa do TroféuEscola com o mentoring de Miguel Oliveira, reiterando assim a liderança da classificação geral do Campeonato. Já Diogo Pires, piloto também com 13 anos, conseguiu mais um pódio nesta temporada, desta vez um 2º lugar, e Dinis Borges, que tinha conseguido a pole position nos treinos cronometrados do fim de semana, acusou algum cansaço no desenrolar da corrida, mas conquistou o 3º lugar. Seguindo os sucessos da espanhola Ana Carrasco - que vencia em Inglaterra a prova do Mundial Supersport 300 - também Bárbara Magro foi a vencedora em ambas as corridas da classe Ohvale na Oliveira Cup, na frente de Pedro Matos e Guilherme Gomes em ambas as corridas. Finalmente, a classe Naked foi também outra das categorias disputadas no circuito da Região do Oeste, na qual está integrada a sub-categoria ‘Naked Júnior’ (dirigida a pilotos acima dos 15 e até aos 28 anos), na qual Pedro Fragoso, de 15 anos, foi o grande vencedor.  P

O

R

T

U

G

A

L

3


Miguel Oliveira

Texto: Gab. Imprensa F.M.P. Fotos:Dario Agrati / F.I.M.

2011

À esquerda, o ano de estreia, com a Aprilia do Team Machado em 125 cc, temporada em que alinhou apenas para 11 das provas do campeonato. Em cima, a Mahindra foi mais um desafio e duas temporadas de aprendizagem para o piloto português, que tornaram mais evidentes as suas qualidades também como piloto capaz de desenvolver novos projetos

2014

2015

2016

FINALMENTE O MOTOGP!

Miguel Oliveira está confirmado como piloto KTM no MotoGP em 2019, pelo que recordamos ao lado os números referentes a essa caminhada.

4 MOTO

seguir isto é algo muito positivo. Ainda temos uma longa temporada de Moto2 pela frente e ter já consumado este contrato permite-me relaxar e concentrar-me na minha pilotagem. Já passei por todos os passos que a Red Bull e a KTM deram juntos desde a Rookies Cup. E sou o primeiro a fazê-lo. Acho que isto mostra que outros pilotos podem confiar na KTM e no seu projeto. Penso que tenho as capacidades e a vontade para ter uma boa performance numa moto de MotoGP”. Para o Diretor Desportivo da KTM, Pit Beirer, este “é um passo com peso emocional para nós, porque prova tudo o que dissemos sobre a construção de uma estrutura no paddock e a possibilidade de vir da Red Bull Rookies Cup, passar pelas ‘aulas’ connosco e acabar numa equipa de MotoGP. Juntamente com o Aki Ajo criámos o projeto de Moto2 para ser a plataforma que desenvolve pilotos para o MotoGP e tenho de agradecer ao Aki por esta parceria, porque está a fazer um excelente trabalho com os pilotos; se eles saírem da sua 'escola', estão prontos para o MotoGP e estou feliz por podermos dar uma oportunidade ao Miguel.”

A época de 2015, com a KTM em Moto3, foi a deixou claro a todo o Mundo, mesmo aos mais distraídos, o valor do jovem português, a que se seguiu um ano difícil, na estreia em Moto2 com a Leopard Racing

MIGUEL OLIVEIRA - OS NÚMEROS NO MUNDIAL

ÉPOCA CLASSE MARCA EQUIPA

2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 (*) 125cc Moto3 Moto3 Moto3 Moto3 Moto2 Moto2 Moto2 Aprilia Suter Honda Mahindra Mahindra KTM Kalex KTM KTM Andalucia Banca Civica Estrella Galícia 0.0 Mahindra Mahindra Red Bull Leopard Red Bull Red Bull Team Machado Monlau Racing Racing KTM Ajo Racing KTM Ajo KTM Ajo 11 17 17 17 17 14 18 6 14º 8º 6º 10º 2º 21º 3º 2º 44 144 150 110 254 36 241 98 0 0 0 0 6 0 3 1 0 2 1 1 9 0 9 4

CORRIDAS CAMPEONATO PONTOS VITÓRIAS PÓDIOS VOLTAS MAIS 0 0 3 0 3 0 3 1 RÁPIDAS POLE POSITIONS 0 0 1 0 1 0 2 0 1ª FILA DA GRELHA 1 4 4 0 7 0 5 0 (*) só até à 6ª prova, G.P. de Itália) TOTAL(**)

FOI EM JEREZ, em vésperas do G.P. de Espanha, qhe chegou a confirmação: Miguel Oliveira vai ser piloto do Team Tech 3 KTM em 2019, contando com material de fábrica. Era um desfecho esperado, dada a valia do piloto português, que marcará outro feito histórico de Miguel Oliveira e do motociclismo nacional, que terá pela primeira vez um piloto a tempo inteiro na classe rainha do Mundial de Velocidade. Nestas páginas publicamos os números do trajeto mundialista de Miguel Oliveira, desde a estreia no Qatar em 2011, com a Aprilia 125 cc, até ao recente G.P. de Itália, que venceu. Com a presença em MotoGP garantida na próxima época, Miguel Oliveira pode agora concentrar-se plenamente no assalto ao título de Moto2, campeonato em que ocupa de momento o 2º posto a somente 13 pontos do líder. Na altura do anúncio, ainda antes do grande triunfo em Mugello, o piloto luso referiu que “a temporada ainda vai no início, mas estou muito feliz pelo facto da KTM já ter conseguido ver o suficiente, deste ano e do último, para confiar em mim e acreditar que mereço esta oportunidade. Sempre sonhei com o MotoGP e ser capaz de con-

A primeira vitória de 2018, em Mugello, cimenta a candidatura de Miguel Oliveira ao título mundial

CORRIDAS POLE 1ª FILA VOLTAS MAIS PONTOS PÓDIOS VITÓRIAS 2ºs LUGARES 3ºs LUGARES DISPUTADAS POSITIONS DA GRELHA RÁPIDAS 117 1047 26 10 7 9 4 21 10

(**) Até ao G.P. de Itália de 2018

P

O

R

T

U

G

A

L

5


Mundial de Enduro

Texto: Gab. Imprensa F.M.P. Fotos:Dario Agrati / F.I.M.

O italiano Alex Salvini (Husqvarna), em cima, foi o grande dominador do fim de semana em Castelo Branco, vencendo ambos os dias à geral e na classe E2. Bradley Freeman venceu na E1 e Steve Holcombe (1) triunfou em E3. Desta forma, Salvini passa a assumir a liderança em EnduroGP com os mesmos pontos de Eero Remes

ESTRELAS EM CASTELO BRANCO O Campeonato do Mundo de Enduro voltou a ter o nosso País na sua rota, com a realização em Castelo Branco do Alegro Polisport G.P. de Portugal. ALEX SALVINI (HUSQVARNA) FOI A FIGURA MAIOR DO FIM DE SEMANA no Alegro Polisport GP Portugal, terceira etapa do Campeonato do Mundo de Enduro que teve como base de operações a cidade de Castelo Branco. Depois da vitória relativamente confortável no sábado, primeiro dia de prova, o italiano assumia-se como o natural candidato ao triunfo no domingo. E na verdade, apesar de um início algo mais apagado, recuperou consistentemente posições ao longo do dia para, num golpe de mestre, saltar para a liderança ao cair do pano, na última Super Test da jornada. Uma vitória muito suada, depois de, no dia anterior, ter liderado com alguma margem durante praticamente todo o evento. As primeiras passagens no segundo dia de prova revelaram um maior equilíbrio do que o evidenciado na véspera, e mostraram que o domingo ia ser imprevisível em termos de resultados. Christophe Nambotin (Gas Gas) deu o tiro de partida ao vencer a Cross Test, mas Steve Holcombe (Beta) respondeu logo de seguida, impondo-se nas Extreme e Enduro Test. Uma luta de titãs, com o francês a segurar a liderança por tímidos 0,39s após a primeira passagem do dia. Mais tarde, na segunda passagem pelas três especiais, o que se antevia aconteceu e 6 MOTO

Steve Holcombe assumiu a liderança, vencendo a Extreme. Nambotin não se deu por vencido e ditou o ritmo na Enduro Test, mas tal não foi suficiente para se aproximar do britânico. No final das duas primeiras secções, 4,82s separavam Holcombe de Nambotin. Nesta altura Alex Salvini, que acabaria por subir ao lugar mais alto do pódio, ocupava a quarta posição atrás do líder do Mundial, o finlandês Eero Remes (Husqvarna). Seguiram-se quatro especiais marcadas pelo equilíbrio mas, também, por uma renhida luta pela vitória. Steve Holcombe mantinha a esperança de voltar a vencer em Castelo Branco, mas os resultados eram-lhe desfavoráveis e o britânico permitia a aproximação de Salvini. Na entrada para a última especial, o italiano da Husqvarna já ocupava a segunda posição da geral a 2.94s do britânico da Beta, diferença essa que acabou por eliminar, superando Holcombe para vencer pela segunda vez no fim-de-semana albicastrense. “Foi uma corrida mesmo dura. As especiais hoje (domingo) eram mais físicas que ontem, porque o piso foi ficando cada vez pior volta após volta e estava muito abrasivo e escavado. Hoje tive um dia comparativamente mais difícil porque fiz uma má primeira especial, em que bati após a terceira

curva”, explicou o piloto italiano, acrescentando que depois foi “capaz de reduzir a diferença especial a especial. Comecei a sentir-me mais confiante na moto e na segunda passagem comecei a pensar que era possível chegar a primeiro. À partida para última especial estava a cerca de 3 segundos da frente e entrei com tudo. Felizmente tudo correu bem e posso dizer que é um dos melhores fins de semana da minha carreira.” Com este resultado, o italiano passava a assumir a liderança do Campeonato do Mundo de Enduro, com os mesmos 84 pontos do que Eero Remes, enquanto que Steve Holcombe caía para o terceiro posto, mas reduzindo de 14 para 6 pontos a diferença para os líderes. Bradley Freeman (Beta), Alex Salvini e Steve Helcombe foram também os vencedores nas categoria E1, E2 e E3, respetivamente, enquanto que Kirian Mirabet (Honda) venceu em J1 e Matteo Cavallo (Beta) em J2. Para os portugueses inscritos nesta ronda do Campeonato do Mundo de Enduro, a sorte foi madrasta. Diogo Ventura, depois do 14º lugar na geral registado no primeiro dia de prova, acabou por desistir no domingo. Por outro lado, Luís Oliveira somou duas desistências devido a problemas mecânicos na sua Yamaha. P

O

R

T

U

G

A

L

7


Mini Enduro

Texto: Pedro Mariano – Comissão Enduro F.M.P. Fotos:Pedro Meira

Tomás Santos (47) venceu na Lousã e em Águeda na classe Mini 1, enquanto Afonso Froufe (10) e Bernardo Passanha (33) dividiram os triunfos na classe Mini 2 nas duas rondas já disputadas

O ANO DO ARRANQUE

A época de 2018 ficará marcada pelo início do Mini Enduro em Portugal, um novo viveiro de futuros campeões para o nosso desporto. APÓS ALGUMAS RETICÊNCIAS devidas fundamentalmente às nossas Leis Rodoviárias, a Comissão de Enduro da Federação de Motociclismo de Portugal decidiu arrancar com este novo projeto desportivo, focado na sustentabilidade e no futuro da nossa modalidade. As bases pretendidas eram simples: duas classes, cada uma consagrando um Vencedor de Trofeu Nacional: MINI ENDURO 1 (Motociclos a 2T com cilindrada até 65 cc e Motociclos 4T com cilindrada até 110 cc) e MINI ENDURO 2 -(Motociclos a 2T com cilindrada até 85 cc e Motociclos 4T com cilindrada até 150 cc. Os pilotos teriam idades compreendida entre os 8 e os 16 anos em 1 de janeiro de 2018 e utilizarem motociclos com características idênticas aos modelos originais e inseridos nas classes descritas acima (motos com características de Enduro ou MX, dando preferência ao “look” Enduro.) Para concretizar esta ideia, parte da Comissão de Enduro (Pedro Mariano e Daniel Jordão), foi reunindo com alguns Clubes, pais e patrocinadores, que sabíamos desde logo que iriam aceitar esta 8 MOTO

ideia, passando não só a dinamizadores como a promotores do Troféu. O Troféu seria composto por três eventos (Lousã, Águeda e Souselas) a realizar no sábado antecedente às corridas do CNE 2018, sendo contabilizados todos os resultados para as contas finais. O percurso teria entre 10 a 15 km, com ambas as classes a cumprirem duas especiais do tipo CT e ET, podendo existir cortes/alternativas ao seu desenho original. Estas deverão ter tempos entre 2 e 4 minutos. A taxa de inscrição nas provas é de 25,00 € para os licenciados e a Licença Desportiva necessária é a Geral Mini, que se destina à prática de Enduro, Velocidade e MX/SX e tem um custo de 160,00€ (seguro de acidentes pessoais anual). Foi ainda criado um “Pack Mini-Enduro” composto por diversas ofertas e promoções por forma a possibilitar a participação do maior número de jovens, que será composto por: óleos e lubrificantes (oferta Eni), e, oferta da Polisport, um colete de proteção, um par de joelheiras, um par de cotoveleiras e um bike-stand.

Na primeira ronda o Montanha Clube preparou uma corrida que começaria às 14h00 com uma previsão de 3 voltas para as duas classes. No entanto, devido à chuva acabaram por se realizar só duas voltas para o Mini 1, cumprindo o Mini 2 o programa pré-estabelecido. Estiveram na Lousã 27 pilotos divididos pelas duas classes existentes, e muita adrenalina! O vencedor da Mini 1 acabou por ser Tomás Santos, batendo Martim Maria por 43s. Em 3º ficaria Afonso Cruz, seguido por Vasco Salgado e Vasco Areia. Na Mini 2 a luta foi intensíssima até à última especial, ficando o 2º classificado Afonso Froufe a apenas 0.3s do vencedor Bernardo Passanha. Em 3º ficou Filipe Guedes seguido por Tomás Alves e Martim Carneiro. No final fez-se o debriefing com todos os participantes, pais e seguinte clube organizador, estabelecendo-se a “prova tipo” da próxima jornada, que teria o ACTIB como clube organizador, reunindo a caravana no Crossódromo Internacional do Casarão, em Águeda. Mais uma vez realizou-se o briefing, seguido

das verificações administrativas e técnicas. A prova começou como previsto às 14h00, sendo composta por um percurso de 8 km + especial CT num total de 40 minutos por volta. Os Mini 1 realizaram 3 voltas e os Mini 2 completaram mais uma, num ambiente de sã competição e camaradagem. Os nossos parabéns e agradecimentos a todos!. Em relação às posições nas classes, na Mini 1 Tomás Santos voltava a ganhar, desta vez por margem superior ao local Ricardo Gomes. Na 3ª posição ficaria Afonso Cruz seguido por Duarte Filipe e Lucas Cêpa. Na Mini 2,15s separaram o vencedor Afonso Froufe de Tomás Alves. Na 3ª posição ficaria Bernardo Passanha seguido por Francisco Leite e Martim Carneiro. A terceira e última ronda de 2018 realizar-se-á no dia 16 de junho em Souselas. Por certo, mais competição e confraternização serão os pratos principais desta jornada. Resta-me agradecer aos patrocinadores que nos acompanharam em mais esta iniciativa, nomeadamente as empresas Polisport, CFL – Off Road e ENI Lubrificantes. Muito obrigado! Viva o Mini Enduro!! P

O

R

T

U

G

A

L

9


Mototurismo

Texto e fotos: António Costa e João Serra / Comissão Mototurismo F.M.P.

Moto-ralis arrancam na Beira Baixa O MOTO CLUBE DO PORTO deu início ao 22º Troféu Nacional de Moto-ralis Turísticos BMW/Dunlop da FMP nos passados dias 28 e 29 de abril, com soberbo e bem planeado passeio mototurístico pela Beira Baixa que contou com forte apoio de várias autarquias. A entusiástica caravana que contou com 63 equipas, compostas por 97 participantes, percorreu ao longo dos cerca de 160 km que indicava o bem elaborado road-book, uma região repleta de história, gastronomia, usos e costumes e arrebatadoras paisagens. O mototurismo no seu melhor! Partindo da frente da Câmara Municipal de Penamacor sob um sol promissor, depois das mais pessimistas previsões, a caravana dirigiu-se à Ibersaco para interessante visita, prosseguindo-se por pitoresco percurso e simpáticas aldeias como Pedrogão, Bemposta e Águas, terra de José Megre, o grande impulsionador do todo-o-terreno nacional, seguiu-se até Aldeia do Bispo, após pagamento da “portagem” para a travessia da ponte sobre a Ribeira das Taliscas. Depois de lido o Pai Nosso Motorraliano, o “Bispo” lá foi perdoando os pecados. Mais difícil seria o da gula, pois logo de seguida na Aldeia de João Pires, dava-se início à longa maratona de comes e bebes gentilmente oferecidos pelas várias juntas de freguesia que fizeram questão de se associar ao moto-rali. Os mototuristas agradecem! Depois dos interessantes quelhos no meio da aldeia e fabulosa estradinha rural, nova paragem e novo “pecado” em Salvador. Em Aranhas testou-se o equilíbrio e a pontaria à baliza, antes da degustação de saborosa sopa. No Moinho do Maneio, espaço rural magnífico bem junto ao rio Erges, tentou-se acertar com arco e flechas na maçã mas a pontaria só mesmo nos bons grelhados e doçaria regional que a seguir foram servidos, enquanto se aproveitava o espaço para relaxar. O 2º setor começou junto à Reserva Natural da Serra da Malcata e, chegados a Meimoa, foi tempo de visitar o Museu Dr. Mário Pires Bento, instalado num antigo lagar que preserva rica colecção arqueológica e etnográfica. Passagem pela praia fluvial de Meimão, onde foi possível encontrar uma estranha espécie de Lince e em plena aldeia terminar as várias etapas gastronómicas com saboroso café, gentilmente oferecido pela junta de freguesia local. O forno comunitário na aldeia Vale da Srª da Póvoa aguardava pela visita dos mototuristas, para meterem a mão na massa e cozer o pão, acompanhado do bom azeite e vinho da região. Perguntas respondidas no Santuário da Srª da Póvoa, com a diversão a continuar na Praia Fluvial do Moinho de Benquerença para mais um momento hilariante, e passagem ainda pela sede do Grupo Motard “Os Cágados” de Benquerença e chegava-se ao final do 1º dia. Bem instalados em unidade hoteleira de qualidade, foi tempo de aproveitar as instalações termais e relembrar todas as emoções vividas. A jovem banda filarmónica de Aldeia de João Pires e o sorteio de diversos prémios, animaram a noite. A segunda etapa centrou-se em Penamacor, a Vila Madeiro e no seu património histórico e cultural. A começar nada melhor do que subir pela calçada romana até ao Convento de Santo António para visita e apreciar a vila. O interessante Museu Municipal onde se pôde conhecer melhor a história e cultura da região, antes da habitual foto de grupo, encerrou da melhor maneira esta excelente 1ª etapa do troféu. Após o sorteio dos vouchers BMW, foram conhecidos os mais regulares e vencedores do moto-rali. Em primeiro lugar ficou o Vítor Olivença, seguido do João e Carla Kull, todos do Moto Clube de Albufeira. A encerrar o “pódio” ficaram o Rui Oliveira e a Vera Cardoso do Góis Moto Clube. O Moto Clube do Porto agradece o apoio das seguintes entidades: Câmara Municipal de Penamacor, Juntas de Freguesia: Águas, Aldeia do Bispo e Aldeia de João Pires, Bemposta e Pedrogão de S. Pedro, Aranhas, Benquerença, Meimoa, Meimão, Salvador e Vale da Senhora da Póvoa. 10 MOTO

Um quarto de século no Montijo O MONTIJO VOLTOU a viver intensamente e de forma entusiasmante a sua festa de motos, através da 25ª Concentração do seu Moto Clube. Foram 25 anos de sensacionais convívios, com amizade, alegria e muitos quilómetros percorridos, com uma história de sucessos, devido às sólidas raízes referentes ao motociclismo que alguns nomes da “velha guarda” souberam implantar neste Moto Clube. Ao longo dos anos, as várias Direções do clube continuaram a seguir e a cultivar esta herança, criando assim grandes laços de amizade, representando sempre o seu clube e a sua terra com dignidade e orgulho. A festa decorreu com êxito e superou todas as expetativas, a afluência de motociclistas foi enorme, vindos de norte a sul do País, e sabemos

que tudo isto se deve a uma organização cheia de garra, muito dinâmica, que soube gerir todas as áreas para proporcionar assim um inesquecível fim de semana a todos os participantes. De casa cheia, o clube recebeu com muita simpatia, serviu saborosas e fartas refeições e ofereceu um programa de entretenimento completo e animado de diversos espetáculos. No fim do almoço, a animação da tarde de sábado começou com o grupo de tambores Batucando, atuação da Escola de Artes Sinfonias e Eventos, vários tipos de dança: Hip Hop United Dance Crew, Musi Musa, On Stage, Dance Fusion. Nas noites, nos espetáculos de palco atuaram diversas bandas, Johnny´s Band, Kromasomas, BigUp Reggae, Black Rose, Pão com Manteiga e diversos shows

de strip. Duas noites espetaculares que animaram o pessoal até altas horas da madrugada. De salientar a excelente moldura humana presente em todo o recinto. Está de parabéns o Moto Clube do Montijo, pelo empenho na organização da sua Concentração de Motos, pelas suas Bodas de Prata e pelo excelente traba lho que tem executado em prol do motociclismo nacional O Moto Clube do Montijo agradece a todos os sócios, amigos, patrocinadores e apoios oficiais: Câmara Municipal do Montijo, Bombeiros Voluntários do Montijo, União de Freguesias do Montijo e Afonsoeiro, toda a sua colaboração e contributo, essenciais para que esta Concentração decorresse com sucesso.

Foi sob a experiente batuta do Moto Clube do Porto que se deu início a mais uma temporada de moto-ralis turísticos, uam jornada que contou com a presença de 97 participantes divididos por 67 equipas

P

O

R

T

U

G

A

L

11


Mototurismo

Pelo Alentejo verdejante OS MOTARDS DO OCIDENTE levaram os mototuristas a descobrir po interessante concelho de Montemor-o-Novo, na 2ª jornada do 22º Troféu Nacional de Moto-ralis Turísticos BMW/Dunlop da FMP. Foi uma caravana que contou com 49 equipas, compostas por 76 participantes, percorrendo interessante trajeto por entre fantásticas e primaveris paisagens alentejanas e típicas aldeias ricas em história, usos e costumes. Bem instalados em unidade hoteleira em Évora, cedo a caravana se fez à estrada para dar início ao moto-rali a caminho do Monte Selvagem em Lavre. Após esta fantástica visita seguiu-se em direcção a Ciborro para paragem e café oferecido pela Junta de Freguesia local. O concelho de Montemor-o-Novo é rico em vestígios megalíticos, e fomos até S.Geraldo apreciar a Anta do Estanque e conhecer a lenda da mulher que morava no Monte da Tapada, através de divertido jogo bem caracterizado, junto a uma das bonitas e típicas igrejas e ermidas alentejanas que fomos encontrando, ao longo deste verdejante e florido percurso! Na muito bem preservada Ermida de Nª Senhora da Visitação foi-se à procura de capitéis, esferas e cordas, e, depois, a Loja do Apicultor em Montemor recebeu os mototuristas para simpática degustação dos seus produtos. Nas instalações da Escola Primária de S.João de Deus foram entregues os donativos em géneros que cada um trouxe de casa, para apoio às crianças mais necessitadas. A paisagem continuava a deslumbrar. Safira onde o ar puro e a paz, justificam a toponímia de valiosa e rara joía, foi outrora vila e freguesia e onde se encontra o que resta da igreja fortemente castigada pelo terramoto de 1755. Pena hoje estar ao abandono mas a merecer a paragem para mais uma resposta, contemplar a fantástica paisagem e dar início ao interessante “off-road” até São Cristovão, onde os mototuristas foram muito bem recebidos, com direito a útil oferta pela Junta de Freguesia. Após a visita ao Centro de

12 MOTO

Interpretação da Gruta de Santiago do Escoural, a Junta de Freguesia local fez questão de oferecer um bem servido “reforço alimentar” à sempre animada caravana e, antes do final desta primeira etapa em Valverde, passagem por mais um vestígio do megalitismo desta região, a Anta-Capela de Nª Senhora do Livramento. Por lá encontrámos um simpático casal pré-histórico! De volta a Évora por pitoresco percurso, continuou a animação que se prolongou após o jantar. Na aldeia de Santa Sofia deu-se início à segunda etapa do moto-rali até à Barragem dos Minutos. Para os mais bem preparados houve um interessante percurso fora-de-estrada. Para todos a paisagem continuou a marcar esta jornada. O Alentejo como há muito não se via! Seguiu-se a visita ao interessante Núcleo Museológico do Convento de São Domingos em Montemor, e, na Quinta da Plansel, o maior produtor de vinhos da região, fez-se a degustação dos seus vinhos e azeites, acompanhados do bom queijo e pão alentejanos, depois de mais um jogo, aparentemente simples! O final do moto-rali deu-se no Castelo de Montemor-o-Novo e, após o almoço de encerramento, o clube entregou a mais dois sócios os símbolos do mesmo pela dedicação à instituição. De seguida ao sorteio dos vouchers da BMW, foram conhecidos os mais regulares e vencedores do moto-rali. Em primeiro lugar ficaram o José Augusto e a Júlia Carneiro dos Conquistadores Moto Clube de Guimarães. Na segunda posição o João Aleixo e a Alexandra Ribeiro do Moto Clube de Albufeira. A encerrar o “pódio” ficou o Vítor Olivença também do Moto Clube de Albufeira. O Moto Clube Motards do Ocidente agradece o apoio das seguintes entidades: Câmara Municipal de Montemor-o-Novo, Juntas de Freguesia: Ciborro, São Cristovão e São Tiago do Escoural, Monte Selvagem e Hotel Dom Fernando.


Maio

Resultados Desportivos 6º 7º 8º 9º 10º 11º 12º 13º 14º 15º 16º 17º 18º 19º 20º

Campeonato do Mundo de Velocidade - Moto2 4ª prova – G.P. Espanha / Jerez 2º

Miguel Oliveira (KTM)

5ª prova – G.P. França / Le Mans 6º

Miguel Oliveira (KTM)

Campeonato Mundial de Enduro - E2 3ª prova – Portugal / Castelo Branco 7º/-

Diogo Ventura (Honda)

Campeonato Nacional de Enduro 5ª prova – Águeda ELITE 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º

Diogo Ventura (Honda) 1º E2 Luís Oliveira (Yamaha) 2º E2 Hugo Basaúla (KTM) 3º E2 João Vivas (KTM) 4º E2 Gonçalo Reis (Sherco) 5º E2 João Lourenço (Beta) 6º E2 André Martins (Suzuki) 1º E1 Fernando Ferreira (Sherco) 2º E1 Tomás Clemente (KTM) 3º E1

OPEN 1º 2º 3º 4º 5º 6º

Pedro Oliveira (Honda) Nuno Oliveira (Sherco) Márcio Antunes (Sherco) Bruno Santos (KTM) Ricardo Wilson (TM) Fernando Sousa Jr. (KTM)

VERDES 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º 14 MOTO

Diogo Parente (Husqvarna) V2 Gil Carmo (Honda) V1 Nuno Cação (Beta) V3 Hélder Fernandes (Sherco) V2 João Rafael (Husqvarna) V1 José Pimenta (KTM) V2 Rodrigo Belchior (KTM) V1 Vasco Quaresma (Honda) V2 João P. Campos (Husqvarna) V1 Gonçalo Sobrosa (KTM) V1

11º 12º 13º 14º 15º

Bernardo Vots (TM) V1 Igor Domingos (Yamaha) V1 Celso Moreira (KTM) V2 Tiago Rodrigues (Beta) V2 Hugo Paulo (Yamaha) V1

VETERANOS 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º 11º 12º 13º 14º 15º

Nuno Freitas (KTM) Carlos Pedrosa (Yamaha) Miguel Teixeira (Beta) Gonçalo Gomes (Yamaha) Marco Lopes (Sherco) Tony Carvalho (Beta) Nelson Reis (KTM) Nelson Cabeça (Yamaha) João Moreira (Husqvarna) Mário Paiva (Yamaha) Gabriel Seco (Beta) Paulo Amado (Beta) Amadeu Almeida (Husqvarna) Hugo Silva (Sherco) Rogério Salada (Husqvarna)

SUPER VETERANOS 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º 11º 12º

João Miranda (Yamaha) Pedro Sarreira (Yamaha) Fernando Teixeira (KTM) Paulo Moreno (Sherco) Abílio Soares (Husqvarna) Ulisses Rossa (Beta) Carlos Lopes (Sherco) Fernando Sousa (KTM) António Gudiño (Beta) Juan Caballero (KTM) Mário Simões (Beta) Eduardo Neves (Beta)

YOUTH CUP 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º

Rodrigo Belchior (KTM) João P. Campos (Husqvarna) Gonçalo Sobrosa (KTM) Bernardo Vots (TM) Rui Fernandes (Sherco) João P. Silva (Yamaha) Francisco Alvoeiro (KTM)

ENDURO CUP 1º 2º 1º 4º 5º

Miguel Saraiva (AJP) Mateus Cêpa (AJP) Gonçalo Salgado (Sherco) Nuno Barradas (AJP) Gonçalo Jesus (Beta)

SENHORAS 1º

Joana Gonçalves (Beta)

2º 3º

Rita Vieira (Yamaha) Bruna Antunes (KTM)

VINTAGE 1º

Diogo G. Moura (Kawasaki)

MINI ENDURO 1 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º

Tomás Gouveia (KTM) Ricardo Gomes (Macal) Afonso Cruz (KTM) Duarte Filipe (KTM) Lucas Cêpa (n.d.) David Barros (Aprilia) Francisca Duarte (Honda) João A. Fernandes (KTM) Martim Reis (n.d.)

MINI ENDURO 2 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º 11º 12º

Afonso Froufe (KTM) Tomás Alves (Honda) Bernardo Passanha (Yamaha) Francisco Ferreira (KTM) Martim Carneiro (Husqvarna) Duarte Flores (Yamaha) André Reis (KTM) Filipe Salgado (KTM) Salvador Sampaio (Yamaha) Filipe Filipe (Yamaha) Nuno Cunha (Kawasaki) Afonso Rodrigues (n.d.)

Campeonato Nacional de Motocross 4ª prova – Granho MANGA MX1 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º 11º 12º 13º

Luís Correia (Yamaha) Pedro Carvalho (Honda) Jonathan Rodriguez (Yamaha) Carlos Alberto (Honda) Rui Rodrigues (Yamaha) João Lourenço (Beta) Luís Salustiano (Yamaha) Victor Hernandez (Kawasaki) Dércio Gouveia (Honda) Fábio Varela (KTM) Paulo Perez (Kawasaki) Álvaro Pereira (Honda) Hugo Basaúla (KTM)

MANGA MX2 1º 2º 3º 4º 5º

Diogo Graça (Suzuki) André Sérgio (Yamaha) Luís Outeiro (Honda) 1º Jr. Ricardo Freire (KTM) Bruno Charrua (Yamaha) 2º Jr.

Jorge Leite (Yamaha) Rodrigo Luz (Yamaha) 3º Jr./2T Marco Silva (Yamaha) Gonçalo Prudêncio (Yamaha) Eduardo Santos (KTM) 4º Jr. David Silva (Honda) João Reguinga (Yamaha) 5º Jr./2T Sérgio Pinto (Yamaha) Gonçalo Fantasia (Honda) Juan Lopez (KTM) Max Ferraz (KTM) Joel Alves (Yamaha) Ana Santos (Honda) Duarte Alexandre (KTM) 6º Jr./2T Rúben Santos (KTM) 7º Jr./2T

MANGA ELITE 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º 11º 12º 13º 14º 15º 16º 17º 18º 19º 20º

Luís Correia (Yamaha) MX1 Hugo Basaúla (KTM) MX1 Pedro Carvalho (Honda) MX1 Diogo Graça (Suzuki) MX2 André Sérgio (Yamaha) MX2 Ricardo Freire (KTM) MX2 Luís Outeiro (Honda) MX2 Bruno Charrua (Yamaha) MX2 Jorge Leite (Yamaha) MX2 Jonathan Rodriguez (Yamaha) MX1 Carlos Alberto (Honda) MX1 Rodrigo Luz (Yamaha) MX2 Eduardo Santos (KTM) MX2 João Lourenço (Beta) MX1 Gonçalo Prudêncio (Yamaha) MX2 David Silva (Honda) MX2 Marco Silva (Yamaha) MX2 Dércio Gouveia (Honda) MX1 Abel Carreiro (KTM) MX2 Álvaro Pereira (Honda) MX1

INICIADOS 1º/1º Rúben Ferreira (Husqvarna) 2º/2º Pedro Rino (KTM) 4º/3º António Sampedro (KTM) 3º/4º Afonso Gomes (Husqvarna) 5º/5º Alex Almeida (KTM) 6º/6º Martim Espinho (Husqvarna) 7º/7º Tomás Alves (Honda) 8º/8º Rúben Ribeiro (Honda) 10º/9º Cláudio Fernandes (Honda) 9º/10º Bruno Machado (KTM) 11º/11º Jude Elphick (Husqvarna) 12º/12º José Fidalgo (Yamaha) 14º/13º Nuno Cunha (Kawasaki) 13º/14º Afonso Froufe (Yamaha) 16º/15º Diogo Salema (KTM) 15º/17º Ândria Sousa (Yamaha) 17º/18º Aaron Timofte (KTM) -/16º Kevin Mendes (KTM) -/19º Martim Carneiro (Husqvarna)

5ª prova – Moçarria MANGA MX1 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º

Luís Correia (Yamaha) Pedro Carvalho (Honda) Márcio Rocha (Husqvarna) Jonathan Rodriguez (Yamaha) Carlos Alberto (Honda) Dércio Gouveia (Honda) Fábio Varela (KTM)

8º 9º 10º 11º 12º 13º 14º 15º 16º 17º

Victor Hernandez (Kawasaki) João Silva (Honda) Paulo Perez (Kawasaki) Luís Salustiano (Yamaha) Bruno Ruivo (Honda) Bruno Baptista (Honda) Pedro Lobo (Kawasaki) Humberto Rouco (Suzuki) Domingos Cabrita (Kawasaki) José Botas (KTM)

MANGA MX2 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º 11º 12º 13º 14º 15º 16º 17º

Diogo Graça (Suzuki) Luís Outeiro (Honda) 1º Jr. André Sérgio (Yamaha) Bruno Charrua (Yamaha) 2º Jr. Jorge Leite (Yamaha) Renato Silva (Honda) Rodrigo Luz (Yamaha) 3º Jr./2T Marco Silva (Yamaha) Gonçalo Prudêncio (Yamaha) David Silva (Honda) João Barcelos (KTM) 4º Jr. Sérgio Pinto (Yamaha) Juan Lopez (KTM) João Reguinga (Yamaha) 5º Jr./2T Duarte Alexandre (KTM) 6º Jr./2T Rúben Santos (KTM) 7º Jr./2T Joel Alves (Yamaha)

MANGA ELITE 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º 11º 12º 13º 14º 15º 16º 17º 18º 19º 20º

Luís Correia (Yamaha) MX1 Pedro Carvalho (Honda) MX1 Diogo Graça (Suzuki) MX2 Luís Outeiro (Honda) MX2 André Sérgio (Yamaha) MX2 Bruno Charrua (Yamaha) MX2 Jorge Leite (Yamaha) MX2 Renato Silva (Honda) MX2 Jonathan Rodriguez (Yamaha) MX1 Carlos Alberto (Honda) MX1 Rodrigo Luz (Yamaha) MX2 Dércio Gouveia (Honda) MX1 Gonçalo Prudêncio (Yamaha) MX2 Fábio Varela (KTM) MX1 David Silva (Honda) MX2 Marco Silva (Yamaha) MX2 Luís Salustiano (Yamaha) MX1 Victor Hernandez (Kawasaki) MX1 João Barcelos (KTM) MX2 Paulo Perez (Kawasaki) MX1

INFANTIS A 1º/1º 3º/2º 2º/3º 4º/4º 5º/6º 7º/5º 6º/8º 10º/7º 8º/9º 9º/10º

Duarte Filipe (Husqvarna) Duarte Pinto (KTM) Simão Severino (KTM) Breixo Posada (KTM) Miguel Caridade (Husqvarna) Guilherme Alves (KTM) Leonardo Silva (KTM) Inês Madanços (Husqvarna) Tomás Silva (KTM) Rodrigo Mateus (KTM)

Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno 3ª prova – Raid Ferraria MOTOS 1º 2º

António Maio (Yamaha) 1º TT2 Luís Ferreira (KTM) 1º TT3

3º 4º 5º 6º 7º 8º 3º 10º 11º 12º 13º 14º 15º

Mário Patrão (KTM) 2º TT3 David Megre (KTM) 2º TT2 Daniel Jordão (Yamaha) 3º TT3 Salvador Vargas (KTM) 4º TT3 Bernardo Megre (Yamaha) 1º TT1 Bruno Santos (KTM) 3º TT2 Martim Ventura (Yamaha) 2º TT1/1º Jr. Filipe Sampaio (KTM) 4º TT2 Domingos Santos (AJP) 5º TT3 Tiago Lopes (Yamaha) 3º TT1 Flávio Carvalho (Yamaha) 4º TT1/1º Promo. Carlos Costa (KTM) 6º TT3 Francisco Lopes (Yamaha) 5º TT2

QUADS 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º 11º

Roberto Borrego (Yamaha) Arnaldo Martins (Suzuki) Filipe Martins (Yamaha) Fernando Cardoso (Yamaha) 1º Promo. Fábio Ferreira (ATV Racing) Luís Pimenta (Movistar) 2º Promo. Joni Fonseca (Yamaha) 3º Promo. André Carita (Suzuki) José Galhofas (Yamaha) Wilson Galo (Suzuki) Cristobal Mora (Yamaha)

SSV 1º João Monteiro / Manuel Pereira (Can-Am) 1º T1/1º Jr. 2º Pedro S. Mendes / Vítor Mendes (Can-Am) 2º T1 3º Pedro Carvalho / André Guerreiro (Can-Am) 3º T1 4ºJoão Dias / João Filipe (Can-Am) 5º Marco Pereira / Eurico Adão (Can-Am) 6º Luís Morais / Nelson Custódio (Can-Am) 7º Luís Cidade / Fábio ribeiro (Can-Am) 2º Jr. 8º José Delgado / Nuno Brandão (Can-Am) 1º Vet. 9º Mário Franco / Luís Engeitado (Yamaha) 1ºT2 10º Mário Ferreira (Can-Am) 2º Vet. 11º Rui Serpa / Nuno Guilherme (Yamaha) 12º Pedro Grancha / Tomás Neves (Can-Am) 3º vet. 13º Avelino Luís / Dinis Carmo (Can-Am) 14º Marco Silva / João Silva (Can-Am) 15º Filipe Ramos / Francisco Esperto (Can-Am)

Campeonato Nacional de Supermoto 1ª prova – Almeirim 1º/1º Nuno Rego (Husqvarna) 3º/2º Luís Ferreira (Husqvarna) 2º/4º Ricardo Silva (Honda) 4º/3º Hugo Silva (Aprilia) 5º/5º Sérgio Rego (Husqvarna) 7º/6º Jorge Silva (TM) 8º/7º Sebastian Gil (KTM) 6º/10º Hélder Baptista (KTM) 9º/8º João Teodoro (KTM) 10º/9º Fernando Freitas (TM) 11º/11º Beatriz Morais (Honda) 1º Rookie 12º/12º Márcio Antunes (Honda) 2º Rookie

TROFÉU MINIMOTARD 1º/1º 4º/2º 5º/3º 3º/7º 6º/4º 2º/- 7º/5º 8º/6º -/8º

Ivan Bolaño (Honda) Bruno Cruz (Bucci) Bruno Salreta (Malcor) Eduardo Luna (BRT) Martim Marco (KTM) José R. Luna (Malcor) Carlos Gonzalez (IMR) Ivan Ribeiro (IMR) Adelino Patronilho (Bucci)

P

O

R

T

U

G

A

L

15


Motoportugal nº 274  
New
Advertisement