Page 1


De mansinho o Natal vai chegando … CHARNECA DA PERALVA

Natal é um sonho! Alegria nas crianças Traz imaginação Amor e esperanças Luzes no coração! Das nossas mãos…

Passo a passo Reparo numa estrela E traz um desejo Sorri para mim Encantadora Parece que fala Imaginamos, é O Natal a chegar!

Com imaginação…

Glorioso

Luminoso

Turma do 1º/2º/ 3º/ 4º ano

Alegre

Nasceram presépios!

Dia 15 de Dezembro vamos ao Teatro Cintilante Politeama ver o “Feiticeiro de Oz”. Na escola fizemos a leitura desta história, muito Mágico engraçada e cheia de fantasia!


Poesia É Natal Todos dizem: -O cheirinho está no ar! Vamos todos p’ra cozinha A nossa mãe ajudar Rabanadas, bolo-rei, Arroz doce, aletria, Ai que cheirinho a canela! Que saudades eu já tinha De provar o gosto dela … À noite Já à noitinha Numa festa sem igual… Tocam campainha… É ele, o pai natal!

Anedotas Porque é que o Pai Natal tem barbas grandes? Porque é para fazerem de corda, para descer a chaminé!

Adivinhas

Porque é que o Pai Natal vem no natal? Porque a gordura o protege do frio.

Qual é a coisa qual é ela que se come na noite de consoada bacalhau Qual é a coisa qual é ela que durante a noite de natal fica preta Pai Natal

Rimas No natal dá-se prendas ao pardal e também às renas.

O pinheirinho está todo direitinho e ramo verdinho

EB1 Das Curvaceiras 3º e 4º ano


JARDIM DE INFÂNCIA DAS CURVACEIRAS Uma folha Duas folhas Quantas folhas pelo chão? Uma folha Duas follhas Quantas folhas Já lá vão …

Comemorámos o Dia de Todos os Santos no dia 31 de Outubro. Fizemos e comemos os bolinhos, decorámos o saquinho e nele levámos alguns para casa.

Ser amigo é…

Festejar o São Martinho.

Beatriz L. – É brincar, é ajudar os outros meninos. Luís – É dar as mãos. Fabiana – É gostar dos outros. Ana – É dar abraços. Beatriz N. – É não bater aos outros. Beatriz B. – É emprestar as nossas coisas. Beatriz A. – É dar beijinhos. Carolina B. – É deixar brincar todos os meninos. É bom ter amigos e eles estão sempre no nosso coração. Texto colectivo.


EB1 de Curvaceiras O nosso Magusto O dia do Magusto foi giro e muito divertido. Na véspera fomos apanhar pinhas e caruma aos Santos Mártires mas a parte mais divertida foi que vimos um esquilo e uma raposa nos bosques. Depois voltámos à escola. No outro dia comemos castanhas assadas e cozidas e bebemos groselha.

1ºAno

Notícia Eu tenho uma cabra que se chama Josefa. No dia 3 de Dezembro de manhã quando acordei tive uma surpresa: tinha nascido uma linda cabrinha bebé que se chama Rosinha. Ela é castanha e branca. Inês Broas de mel No dia 30 de Outubro fizemos bolinhos e depois comemos. Foi feito na sala do 3º e 4º ano. Os bolinhos chamavam-se Broas de Mel. Fizemos sacos para levar broas para casa e usámos nozes pintados para os enfeitar.

2º ano


Escola do 1º Ciclo de Vila Nova O Magusto na nossa escola Todos os anos na nossa escola organizamos um pequeno magusto. Os alunos trazem as pinhas, a caruma as vides e as castanhas. O professor traz a grelha, o pau para mexer o lume e o carvão. Escolhemos um sítio para assar as castanhas, fomos buscar a rama das oliveiras para acender o lume. Enquanto o professor olha pelo lume alguns meninos brincam um bocadinho no outro lado do pátio do recreio. Quando o professor chamou os meninos para virem comer as castanhas, o professor deu uma folha de papel para fazer um cone, um cartuxo, para meter as castanhas lá dentro. Depois comemos as castanhas e bebemos sumo. Levámos para casa as castanhas que sobraram. No fim de tudo arrumámos as cadeiras e as mesas. O professor dentro da sala de aula passou alguns trabalhos de casa. Foi uma manhã bastante divertida e não tivemos escola de tarde. Bernardo Santos – 3º ano

O Passado do Meio Local A minha escola foi inaugurada em 29 de Setembro de 1969, mas a obra ficou concluída em Julho de 1968. A ideia de construir a escola surgiu de um conjunto de pessoas que organizaram uma comissão, no ano de 1962. Depois da autorização foi comprado o terreno. Em 1967 começaram a construção e a obra ficou concluída em 1968. Não foi fácil arranjar o terreno e a escola depois de acabada esteve ainda um ano sem receber alunos. O senhor Francisco da Silva, um Vilanovense, fez parte da comissão e foi uma das pessoas que mais trabalhou para se conseguir trazer a escola para Vila Nova. A minha escola existe há 40 anos, durante estes anos passaram por ela muitos alunos, entre os quais eu e os meus colegas. Ainda funciona com horário normal entre as nove e as quinze horas e trinta minutos. Trabalho de pesquisa Vila Nova, Sua História, a Nossa Gente Leonardo Faria – 4º ano


Contos e Contas - Jornal Escolar  

Conselho de Docentes da Freguesia de Paialvo

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you