Page 1

F125cc A v e n t u r a

Pais Natal Motard 2012 Coimbra Reis na estrada 6 janeiro 2013 Deputado miguel tiago e a lei das 125 Honda PCX 125 Volta bcn novidade electrica

Edição nº7 JAN/FEB 2013 - Bimestral


Revista Oficial do F125cc

Ficha Técnica Propriedade: F125cc Autoria & Design: Carla Pinto

Periodicidade: Bimestral Contacto: F125ccPortugal@sapo.pt Copyright 2012, este documento é propriedade da marca registada F125cc, podendo ser livremente reproduzido desde que devidamente recenssados os respectivos meios de comunicação. A F125cc Aventura reserva-se o direito de não publicar anúncios ou textos que não se enquandrem nos nossos ideiais. Janeiro/Fevereiro 2013

foto capa de José “Mondrian” Figueiredo


Índice ............................................. 3 Editorial ....................................... 4 Pais Natal Motard Coimbra ..... 6 Reis 6

de

na

Estrada

Janeiro 2013 ......................... 12

Entrevista

Miguel Tiago .................................. 16 http://www.facebook.com/f125cc

Honda PCX 125 ........................... 18 Concurso Polisport/Rocksteady ................ 21 Mota http://www.youtube.com/user/forumMoto125

do

Mês

Dezembro 2012 ............................. 22

Volta BCN

electrizante!

.............................. 24

TURISMO 125 Melgaco ....................................... 30 http://moto125cc.forumotion.com/f94merchandising-oficial

Cartao Emergência do Motociclista ......................... 33 SKy Team

Ace 125 ......................................... 34


Editorial Cá estamos na edição do 1º aniversário da F125cc Aventura, congratulamo-nos com o êxito da nossa querida revista e agradecemos a todos os nossos leitores pelo sucesso da mesma pois sem o vosso apoio nada disto teria sido possível, esperamos que mais esta edição esteja do vosso agrado e deixamos a promessa de mais um ano de F125cc Aventura. Contamos nesta edição com uma entrevista ao principal impulsionador da Lei n.º 78/2009 de 13 de Agosto conhecida no nosso meio como a “Lei das 125cc” o Deputado Miguel Tiago, que nos disponibilizou um pouco do seu tempo.


No dia 15 de Dezembro 2012, realizou-se em Coimbra o evento Pais Natal Motard, cuja organização e preparação vinha a decorrer desde Setembro, unindo os esforços de 7 grupos/clubes motards da região, assim como da Câmara Municipal de Coimbra e da Associação Melhor Educação. O grupos motard MTC - Mototurismo do Centro, F125cc, Boca Seca, Pedrulha, SMTUC, Gatos do Picaroto e Coiotes do Asfalto reuniram-se com o úncio obejctivo de proporcionar um Natal alegre e divertido a centenas de crianças referenciadas em diversa escolas da zona de Coimbra. Foi um dia inesquecível que juntou motociclistas de Norte a Sul de Portugal, vestidos a perceito para trazer uma sorriso aqueles que de outra forma dificilmente o teriam. Deixamos mais uma vez o nosso agradecimento a todos os companheiros que tornaram possível este evento e que nele tomaram parte e/ou para o qual contribuíram. Ficam as imagens para recordar a alegria, companheirismo e diversão que vivemos neste dia.


No dia 6 de Janeiro andámos na estrada, fomos apreciar o Sol dos Reis e festejá-lo da melhor maneira que sabemos, na estrada com os amigos e companheiros de duas rodas.

Na zona de Lisboa juntaram-se mais de 50 motas para fazer um passeio pela fantástica Serra da Arrábida, seguido de um pic-nic que acima dos comes e bebes esteve carregado da boa disposição a que já nos habituámos.

Prova dessa camaradagem e amizade é a interligação de membros existente entre o F125cc, os Tuaregs, e o Superlight Portugal Clube o que permite sempre viver momentos bastante felizes. Ficam as provas do “delito” !

Paulo Pessoa


Jo達o Lambelho

Cafonso

foto de Balasteiro

Cafonso

Cafonso

Paulo Brinca


E como o Sol neste dia sorriu a todos, na zona centro demos um saltinho até Aveiro. Lá encontrámos caras já conhecidas e outras novas sempre prontas para passear com calma e descontração. Como sempre, mal acaba um passeio, já estamos a pensar no próximo.... que será ....


Miguel Tiago e a “Lei das 125” Podemos dizer desde já que 2013 começa em grande para nós no F125cc, uma vez que com esta 7ª edição da “F125cc Aventura” celebramos o 1º aniversário desta nossa/ vossa publicação. Por esta razão nada nos poderia dar mais prazer que a oportunidade de apresentar ao nosso público uma entrevista com o impulsionador e autor do projecto-lei que deu origem á nossa amada “Lei das 125cc”, o deputado da Assembleia da República e companheiro motociclista Miguel Tiago. Como já todos poderão saber, mas podemos sempre relembrar, a chamada “Lei das 125” permite aos detentores da carta B com mais de 25 anos conduzir motos até 125cc, limitadas a 15 cv.

foto: Marisa Cardoso

É graças a esta lei que o F125cc existe e que todos nós nos encontrámos, criámos novas amizades e vivemos histórias que ficarão para sempre na nossa memória!

Pelas histórias que já vivemos e pelas que vamos viver, parabéns F125cc, parabéns (e obrigado) Miguel Tiago e parabéns a todos os camarigueiros que nos permitem continuar esta Aventura!

1. Passaram 3 anos desde a promulgação da chamada “Lei das 125”. Que balanço faz dos resultados obtidos pela promulgação desta lei? Faço um balanço deveras positivo na medida em que os bons reflexos previstos se fizeram sentir e que o efeito catastrófico que muitos previam não se verificou. Ou seja, a vida de milhares de portugueses melhorou, em poupança, em tempo, em prazer e isso não se traduziu necessariamente num trágico aumento de acidentes envolvendo motociclos até 125cc (o principal aumento de sinistralidade foi nos ciclomotores abaixo de 50cc). É com muita alegria que vejo hoje milhares de motociclos até 125cc espalhados e estacionados pelas cidades ou a fazer trajectos entre casa e trabalho, poupando muitos euros e muitas horas e aliviando o trânsito e o espaço urbano e é ainda com mais alegria que vejo que se criaram laços de amizade e comunidades sociais entre os motociclistas de 125cc, laços esses que nasceram de uma utilização que foi apenas possível por força de um projecto em que trabalhei com o meu Partido e que foi um dos mais gratificantes pessoalmente. 2.

Lisboa tornou-se mais livre de trânsito após esta lei?

É difícil quantificar, mas uma coisa é certa: aqueles que hoje circulam em motociclo representam menos um carro nas estradas. E estacionam sem problemas e portanto também são muito menos lugares de estacionamento ocupados. A mobilidade aumenta exponencialmente com o motociclo, para quem o conduz e para os outros que andam de carro e nem se apercebem que cada motociclo é menos um carro a pôr-se nas filas e nos lugares.


3. Tendo em conta o facto inegável de que uma grande percentagem dos acidentes com motociclos, evolvem outra viatura…Crê que o facto de muitos automobilistas terem passado a ser também motociclista aumentou o respeito pelas regras de segurança e do civismo nas nossas estradas? Na maior parte dos casos em que o acidente envolve outra viatura, verifica-se que a responsabilidade é do condutor dessa viatura e não do motociclista… Julgo que quantos mais condutores experimentarem andar de moto, mais se elevará a consciência de que existem outros tipos de veículos nas estradas. Ou seja, a sensibilidade para o motociclo é tendencialmente crescente mas está ainda muito longe de ser a necessária. 4. É inegável que o mercado das 125 cresceu bastante após a entrada em vigor desta lei. Era este o resultado que esperava ou superou as suas espectativas?

Na verdade, durante o primeiro ano, superou as minhas expectativas (400% de aumento), mas infelizmente, a crise fez com que nos anos seguintes as quebras nas vendas fossem de tal ordem que muitos concessionários foram obrigados a fechar e as vendas agora realizam-se a um ritmo abaixo do que seria a justa expectativa. É preciso divulgar mais as vantagens da 125cc e é preciso que as marcas se envolvam nesse esforço, juntamente com o movimento motociclista, como o vosso e outros. 5. Apesar de sermos todos “irmãos de estrada” também é certo que muitos motociclistas de cilindradas superiores continuam a não ver com bons olhos os condutores das 125cc? Acha que é apenas uma questão de tempo até mudarem de opinião?

Julgo que isso é uma espécie de sentimento de superioridade associado a alguma condescendência. No entanto, julgo que não se sente entre todos os motociclistas. Conheço muitos que ultrapassaram logo e outros que estão a ultrapassar. De qualquer das formas, é importante referir que esta lei é uma exigência desses motociclistas. Não foram os encartados de carro que exigiram a lei, foram os motociclistas já encartados. Foi aliás a federação e o GAM quem reivindicou a aprovação da lei das 125cc. Portanto, a vossa conquista surgiu precisamente desses que olham com desconfiança. Acho que a vida mostrará que não têm razão, porque a percentagem de acidentes com motociclos em função do número circulante está a diminuir e vai diminuir muito. Ou seja, quanto mais motos nas estradas, menos acidentes por cada mil motos se verificam. Ganhamos todos. 6.

Teve oportunidade de apreciar as estradas em 125cc ou começou logo com “motas grandes”?

Comecei logo com uma 600. Mas já tive muitas oportunidades de conduzir 125cc. 7.

A nível pessoal o que é para si o espírito motociclista?

Eu uso a moto para ir de setubal para lisboa e o contrário todos os dias. Não tenho carro e só ando de moto, salvo raríssimas excepções. Uso a moto para trabalhar, mas também para passear e disfrutar a vida e o tempo livre e a natureza. Uso a moto para estar com amigos e conviver. O espírito motociclista é entregarse à estrada e fazer cada km com prazer, mesmo quando custa. Mas é, no plano social, muito mais do que isso, é prezar o próximo e estimular a camaradagem, manifestar solidariedade em grupo e individualmente. Não sei porquê, mas tudo isso é resultado de andar de moto, talvez porque como sofremos todos um pouco os mesmos problemas e estamos sujeitos aos mesmos riscos, acabamos por nos solidarizar entre nós e nos comportarmos como uma grande comunidade. Carla Pinto


Honda PCX 125 o fen贸meno da cidade!

foto de S茅rgio Nunes


“A PCX foi a minha primeira mota, pelo que não tenho experiências anteriores que sirvam de termo de comparação. No entanto, estou plenamente satisfeito com a minha aquisição. As virtudes da PCX, que eu atesto, são sobejamente reconhecidas: agilidade urbana, baixo consumo, prestações (arranque sem concorrência neste segmento), qualidade de construção e, the last but not the least, a estética.

E resistência: desceu à aldeia da Drave (Arouca) e subiu com pendura (Ok, eu sei que isso não se faz, mas lá calhou...). Como não há bela sem senão, também tem as suas limitações: velocidade máxima real que mal passa dos 100 Km/h, suspensão que ataca as costas em viagens mais longas, lugar do pendura pouco espaçoso, má proteção aerodinâmica... Mas isto são pormenores, largamente compensados pelas restantes virtudes!” José “Mondrian” Figueiredo

É uma citadina por excelência, bastante económica e com uma razoável capacidade de carga. Debaixo do banco consigo guardar o meu capacete modular, as luvas, cachecol e um casaco de Primavera, sem protecções. Peca um pouco por ter a suspensão demasiado macia embora num primeiro impacto nos pareça que é rija demais. É exactamente o contrário. É uma scooter de condução muitíssimo fácil até mesmo para quem nunca andou de mota, que foi o meu caso. Como todas as motas/scooters também esta tem defeitos e qualidades. No meu caso as qualidades superam em muito os defeitos e é por isso que ela é o meu principal meio de transporte em cidade. Sérgio Nunes


A Polisport apresentou-nos a oportunidade de oferecer 3 coletes Rock Steady aos nossos membros através de um concurso em que seriam criadas frases que incluíssem as palavras Polisport, Rock Steady e F125cc. Após o envio das frases concorrentes, a Polisport escolheu as 3 vencedoras.

Um dos nossos vencedores foi o compamnheiro MG que nos enviou uma foto em acção a estrear o seu colete.

“Polisport e F125cc, o mesmo amor pelas duas rodas, juntos oferecem os coletes Rocksteady, porque a segurança não é de modas.”

MG


Mota do Mês Dezembro 2012

1ª classificada Hyosung Aquila GV125 João Lambelho

2ª classificada KTM Duke 125 Nuno Silva

3ª classificada Sym GTS 125 Paulo Pessoa


VOLTA BCN

ELECTRIZANTE!

ZEVtech O nosso objectivo é contribuir para a melhoria da nossa Sociedade na vertente ambiental, da saúde, da economia e poupança e na procura da independência de Portugal em termos energéticos. Com estes ideais em mente pretendemos obter riqueza económica para a nossa sociedade comercial assim como para o País. Dados da Volta BCN Sport:

É um veículo também português, 65 % dos plásticos são feitos em Portugal. Será a 1ª mota eléctrica a venda em Portugal Naked e com uma potência de 35 Cv.

Battery Pack

Motor Type: DC brushed motor Peak Motor Power: 25Kw • 34Hp Max Torque: 67Nm

Dimensions

Type: Lipo (Lithium Polimer) Battery pack Capacity: 3Kwh Battery pack Voltage: 74V (nominal) Recharge time: 2 hours at standar 220V Battery life: >1.500 recharges

Performance

Top speed: 120Km/h Dry Weight: 135Kg Average Range: 70Km Wheel base: 1450mm Seat Height: 805mm Wheels: 110/70R17 Front / 150/70R17 Rear Brake Discs Diameter: 295mm Front / 240mm Rear


MELGAÇO Viagem de “Snap” na sua Hyosung 125 GT

Estava previsto ir para Melgaço, mais propriamente ao Solar do Alvarinho, mas não consegui lá chegar , andei as voltas, e como telemovel estava a ficar sem bateria por causa do gps, não quis abusar pois podia ter alguma emergencia e não tinha como contatar as pessoas. Saí eram cerca de 7.30h de casa com o depósito cheio e cheguei eram quase 20.00h com cerca de 370 km no corpo e com a moto já na reserva. Mas para ser sincero já há muito tempo que não me divertia assim.

A primeira pausa foi feita já em Braga junto ao Hospital privado. E aqui começam as coisas, cerca das 9.00h começa a chover quase torrencialmente e o “J” de calças de ganga, pouco depois chega um colega meu que já não o via à cerca de um ano, conclusão pequeno almoço pago por ele e assim já tenho conversa até a chuva parar. Arranco cerca das 10.30h, faço meia dúzia de km a pensar em vir para casa, quando reparo que na zona onde estou nem tinha caido gota de agua e o céu completamente limpo. Continuo em direcção ao Gerês, quando começo a descer, começa tambem a chover.... Paro no café a seguir a ponte, e relaxo um pouco. Faço-me á estrada quando já não chove, e sigo caminho.

Nesta zona sem ninguem na estrada, sigo mais rapidamente quando chega o primeiro susto do dia. Estou a fazer uma curva ligeiramente por dentro, quando um autocarro faz a mesma curva muito por fora. E por instinto consigo sair do caminho mas dou comigo a pensar “mais um pouco e estava em maus lençóis. E lá sigo a apreciar a paisagem.


Depois de ter dado 10 voltas em Terras de Bouro para sair de lá em direcção ao destino (aquilo tambem não é grande), chateado desligo o gps, e vou á minha vida a seguir o meu instinto de orientação. Quando dou por mim estou completamente perdido, no cimo da montanha.

Esta zona onde me encontro é so estradas municipais, não há quase sinalização nenhuma, então decido virar numa rua, que fica passado uns km sem saida.

Mas lá encontro mais uma reliquia da nossa cultura. Uma mini capela no meio da estrada que tiveram a gentileza de fazer à volta dela.

Nisto volto para trás, e estou outra vez no cimo da montanha, ando mais um pouco e decido virar aqui. Em direcção a Ponde da Barca, mas no caminho fica uma aldeia, toda pequena, ruas inclusivé, de salientar que os cães que estavam na rua tambem eram pequenos. (tenho pena de não ter tirado fotos à aldeia). Mas nesta aldeia situa-se “Ped”rios”, e tambem uma casa ou algo parecido de apoio ao montanhista. Saio da aldeia e o que encontro. Paro a mota para tirar mais fotos, quando estou a sair de cima dela o descanso recolhe (não estava num piso direito, erro meu), não sei como consigo segurar nela.

Arranco já a passar-me, e paro mais à frente, estou a colocar o descanso, por pouco não caio, pois os paralelos polidos na berma e tambem molhados ahhhhhhh. DESISTO das fotos.

Na 4ª foto aquilo que se parece com uma estrada é mesmo a estrada foi nessa zona onde parei.


Já a ficar com fome sigo caminho, mesmo à chuva. Chego a Entre ambos os Rios. Onde tem esta bela Igreja que esta fechada, e nem por ser Motorista de turismo me abriram. Mais à frente chego a um Restaurante “Novas Pontes”. Onde não tem MULTIBANCO, e eu no meio do nada. Por sorte junto o que está no bolso mais na carteira e tenho pouco mais de 15€ para almoçar.

Contino em direcção a Ponte da Barca. Passo por Vila Nova de Muia, e vejo que tem lá um mosteiro. Mas como tambem não esta aberto nem sabem quem tem a chave, dirijo-me a algo da Junta de Freguesia que tinha passado pelo caminho, e fico ainda mais desiludido. Sigo caminho em direcção a Arcos de Valdevez, onde por tradição se diz que se efectuou o famoso Torneio de Arcos de Valdevez. As imagens desta bela localidade falam por si.

Nesta localidade esta um casal a andar de bicicleta e passam por mim aí umas 3 a 4 vezes. Quando acabo de esticar as pernas e de tirar as fotos o moço para à minha frente e começa a fazer perguntas sobre a minha moto. Depois de alguns minutos o moço diz... > " ah e tal mas o meu colega é de longe e ele gostava de comprar assim uma moto mas como funciona, a moto da problemas ou nem por isso?" > "como tenho o stand que me vendeu a moto junto de casa ou quase não há problema, é só eu passar lá se acontecer algo." > " Pois mas o meu colega é do Porto de uma localidade que se chama de Paredes e trabalha em Águas Santas." >"A sério eu tambem sou de Paredes."..... o mundo é mesmo pequeno.


CARTÃO DE EMERGÊNCIA DO MOTOCICLISTA


SKY TEAM ACE 125


Mais informaçþes brevemente no F125cc.com


BonE Oficial F125cc.com

Tamanho único ajustável com fivela. Bordado à frente e na lateral esquerda. Informações em F125cc.com ou pelo e-mail : F125ccPortugal@sapo.pt


Os nossos sinceros agradecimentos a todos os que de alguma forma participaram nesta 7ª edição e festejaram connosco o 1º aniversário da “F125cc Aventura”. 125 Saudações ! ADMN F125cc.com

F125cc Aventura Ed 7  

1º aniversário da publicação F125cc Aventura.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you