Page 1

Amigos de Cristo Santo Expedito

Pág.

04

Amizade com Deus A Juventude responde presente

Pág.

06

Catequese Pílulas Catequéticas

Pág.

08

Ano IV - n 48 Sábado 06 de Abril de 2013

Lição de Deus para os Homens teimosos Esta teimosia, com certeza, é uma questão de incompreensão em não aceitar que a Igreja não é uma ONG, mas uma instituição divina e humana. A cada Papa morto, ou

agora renunciado, gera a expectativa de quem será o próximo, e se especula: a imprensa mundial, os vaticanistas! E que, depois da “fumata bianca” e de ficarem falando sozinhos

com os seus prognósticos, dizem estar “meio certos”, alguns afirmam ainda, e se desculpando, que seria um da América Latina, mas erram ao indicar nome e de qual origem,

dizendo acertar geograficamente. E as casas de apostas? Lista de dezenas de “papáveis”, e lá vêm desculpas sem fim para os que ainda não querem ver o lado da verdade, que

a Igreja tem a sua missão e o acompanhamento do Divino Espírito Santo prometido pelo seu criador Jesus Cristo. Ela, mesmo nas suas dificuldades, mantém o seu olhar fixo

em Jesus desde o seu nascimento, passando pela cruz e ressuscitando. A Igreja tem a sua promessa em ser assistida pela ação do Espírito Santo. (Continua na Pág 2)


Pág.

02

Opinião

Ano IV - n 48 Sábado, 06 de Abril de 2013

Lição de Deus para os Homens teimosos...

Esta teimosia, com certeza, é uma questão de incompreensão em não aceitar que a Igreja não é uma ONG, mas uma instituição divina e humana. A cada Papa morto, ou agora renunciado, gera a expectativa de quem será o próximo, e se especula: a imprensa mundial, os vaticanistas! E que, depois da “fumata bianca” e de ficarem falando sozinhos com os seus prognósticos, dizem estar “meio certos”, alguns afirmam ainda, e se desculpando, que seria um da América Latina, mas erram ao indicar nome e de qual origem, dizendo acertar geograficamente. E as casas de apostas? Lista de dezenas de “papáveis”, e lá vêm desculpas sem fim para os que ainda não querem ver o lado da verdade, que a Igreja tem a sua missão e o acom-

panhamento do Divino Espírito Santo prometido pelo seu criador Jesus Cristo. Ela, mesmo nas suas dificuldades, mantém o seu olhar fixo em Jesus desde o seu nascimento, passando pela cruz e ressuscitando. A Igreja tem a sua promessa em ser assistida pela ação do Espírito Santo. As televisões do mundo voltadas para uma chaminé. O mundo da comunicação tão avançada, e uma chaminé tornou-se nestes dias, o centro da atenção do planeta. É normal? Por mais que houvesse as listas dos favoritos, a expectativa era enorme. A fumaça ora preta, enfim veio a branca e o mundo entrou em ansiedade... Quem? Nome de batismo? Nome de Papa? Os olhares, as atenções agora se voltam para a famosa sacada do Vaticano. Foram

minutos ansiosos e finalmente, agora não mais a chaminé! Tudo porque um dia o Senhor disse a Pedro: - “Pedro, tu és pedra e sobre esta pedra eu edificarei a minha Igreja” Olhos e atenção, milhares na Praça de São Pedro, milhões frente a “telinha”... O nome do escolhido pelos 115 cardeais foi anunciado pelo mais velho dos cardeais-diáconos, o francês Jean-Louis Tauran: - “Habemus Papam” , o Cardeal Bergoglio, que adotará o nome Francisco. Pronto! Prognósticos quebrados! Listas de favoritos rasgadas com o anúncio? Eis que aparece aquele que, entre os cardeais, Deus, por mediação humana, o fez Pastor da Igreja no mundo, o bispo de Roma, o sucessor de Pedro. Disse Jesus: - “Tu és Pedro”! Aparece já fora da

Endereço: Jornalista: Colaboradores: Praça Presidente Vargas, 09 - Centro Maiara Domingues Pereira Pe. Márcio Mota de Oliveira Extrema/MG MTB/TP 13,411/MG Pe. Alexandre Acácio Nogueira Telefone: Diagramação: Maria Vanda Olivotti Nathalia Lopes Enedéborah M. Cunha Olivotti (35) 3435-1066 E-mail: Mayk Gonçalves Samantha Peres Caldeirão Maria 10.341538/0001-13 Bernal Osantuario@santaritadeextrema.org Jornal O Santuário em suas mãos é uma publicação da Idea Publicidade,Caroline sob o CNPJ Supervisão: Revisão de Texto: José Arimatéia C. Ribeiro Reitor José Franco Romilda de Oliveira Paula José Adriano de Oliveira Tiragem: Projeto Gráfico: Idea Publicidade 3000 exemplares

forma dos costumes criados ao longo dos anos, sem as vestes oficiais para o momento, todo de branco com uma cruz peitoral simples e já foi a primeira imagem e depois a palavra, primeiro em italiano, deixando o latim, depois pedindo e se dobrando com um gesto de humildade para que o povo orasse por ele. Pronto! Confirma-se o que suplicou o povo a Deus; um Papa e a volta aos primórdios da Igreja, um Papa com as propostas do concilio Vaticano II, uma volta do Papa Bom, João XXIII. A cada momento da história “Deus tem na sua manga a pessoa certa”. Foram certíssimos os momentos para um João XXIII, Paulo VI, João Paulo I, João Paulo II, Bento XVI e com certeza agora Francisco, que já vem mostrando o que será o seu pastoreio nos primeiros dias, nos primeiros passos e nas primeiras palavras, chamando o mundo para a misericórdia, lavando os pés de adolescentes infratores e gestos simples e profundos, deixando claro que os ministérios na Igreja não são empregos e nem meros voluntariados pessoais, eles vêm chamados com missão e configurados à Cruz de Cristo. Não é profissionalismo e não são ministérios autárquicos, mas de uma instituição divina, com proposta e missão de estar no mundo não sendo do mundo, de anunciar, denunciar,

caminhando, servindo e edificando com Cristo e sua Cruz, sendo realmente a presença edificadora de Cristo no mundo hoje ou ” deixaremos de ser Igreja e nos tornaremos uma piedosa ONG”. A Igreja tem a sua missão que o Mestre Jesus lhe confiou. E não teremos a Igreja sem olhar fixo para Jesus histórico, a sua vida pública e Jesus pós ressurreição e a sua Palavra Salvadora. Isto é fundamental para entender a missão da Igreja, e, portanto, a missão do Papa, bispos e padres, Uma Igreja, com toda a sua pregação ampla e não só para os eleitos, e nem só para grupos específicos, mas um dom para o mundo, como foi o envio missionário dos seus apóstolos pós - ressurreição dando lhes a responsabilidade para fazer discípulos todos os povos. Jesus nos garantiu a salvação legando à sua Igreja a vida sacramental e, sobretudo, o memorial da Páscoa, (eucaristia) que deveria ser celebrada constantemente, até a sua vinda gloriosa (cf. 1 Cor 11,26). Jesus, deparando com os limites humanos, sendo os apóstolos humanos e limitados, garantiu-lhes segurança e assistência permanente do Espírito Santo: Ele é quem atualiza geográfica e cronologicamente a obra da salvação que não é apenas humana. Consultando o Livro dos Atos dos Apóstolos, encon-

tramos os testemunhos e a organização das primeiras comunidades, Igreja. Elas foram se organizando a partir de Jesus. Essa atualização continuada da presença e vida de Jesus Pascal em nosso meio tem o nome de Tradição. A Igreja de Cristo, então, é portadora e guardiã de um patrimônio que não é dela, mas do seu Senhor que se chama Jesus Cristo. Alguns exemplos deste patrimônio: a Palavra de Deus, os sacramentos, mormente a eucaristia, a unidade em torno de Pedro, a sucessão apostólica, os escritos dos padres da Igreja, que a nossa comunidade Paroquial vem refletindo às quintas feiras, no quinzenário de Santa Rita, o magistério, o testemunho dos santos e, sobretudo o testemunho dos mártires, a devoção mariana, a liturgia das horas... Enfim, uma missão que tem o seu patrimônio. A ação do Espírito Santo, foi, é e será sempre nova e renovada, respondendo ao chamado para anunciar Jesus Cristo. Esta é a novidade, e não depende da pessoa do papa e decisões humanas, não nos dispensara jamais do que é essencial: a busca da santidade e o respeito ao essencial do patrimônio deixado por Jesus Cristo como, por exemplo, o reconhecimento à dignidade e o respeito à pessoa humana, a defesa da vida desde a sua concepção até o seu término natural, a


Opinião

Ano IV - n 48 Sábado, 06 de Abril de 2013

Pág.

03

Lição de Deus para os Homens teimosos...

indissolubilidade do matrimônio, a valorização da família e tantos outros. A Igreja não negocia o núcleo de sua doutrina e de sua missão, por ela muitos já deram a vida. O Papa Francisco poderá, sim, modernizar a forma de agir, sendo coisa pessoal o seu jeito, postura, orientação com a sua espiritualidade e proposta de vida, ou seja, o seu modo de ser do qual brotam os seus ensinamentos, mas sempre em sintonia com o que é patrimônio da fé e missão da

Igreja. Erradamente muitos podem estar esperando outras mudanças doutrinárias de facilitação e negociação que não acontecerão. O seu anuncio já vem caracterizado pela ternura, bondade, assumindo ser guardião da fé, da Igreja e do mundo e convoca a todos, afirmando que a ternura será a força para o mundo atual. Temos, sim, um Papa Profeta pela sua vida provada anteriormente e de forma criativa, inquieta, ousada e depreendida como todos os

O Papa Francisco lavando e beijando os pés dos adolescentes infratores.

profetas bíblicos, será diferente até porque é latinoamericano, de um mundo pastoralmente diverso da pastoral europeia, mais afetivo e mais próximo, um “Papa de Rua”, talvez muito próximo de João XXIII, e atingirá os corações na missão da Igreja que recebeu de Jesus Cristo para todos os homens e mulheres, em todas as idades. E lutará com galhardia como sempre lutou pelos valores do Reino de Deus, que não são os mesmos que correm nas veias pagãs do mundo. O Papa Francisco deverá, sobretudo, anunciar o Reino em primeiro lugar e tudo mais será acrescentado (cf. Mt 6, 24) Nós e o Papa! A primeira e importante atitude cabe a nós, cada batizado ou batizada, ser verdadeiramente Igreja e não comportarmos como associados de um clube ou ONG que reúnem os seus sócios nos finais de semana, ou para certos momentos especiais ou festivos... É sim! Começar a agir e participar ativamente segundo o batismo e ser protagonistas e juntos construir esta história, para não ficar na periferia do conhecimento da Igreja de Cristo e da pessoa do Papa. Conhecer e aprofundar! É importante conhecer o que pensa e ensina a Igreja e o Papa com as suas catequeses, as suas encíclicas, os seus escritos e quais são os seus ensinamentos mais importantes para nós Igreja.

Como podem avaliar os que não conhecem? Ler, aprofundar é conhecer a própria pessoa! Preocupar- se em formar a própria opinião e senso crítico a partir das verdades sobre a pessoa do Papa e da Igreja pelos seus gestos e palavras e não pelo ouvir dizer e por notícias tendenciosas que têm segundas intenções, gerando preconceitos e denegrindo e distorcendo a imagem da Igreja e do Papa, nesta guerra fria contra a Igreja e ter a certeza de que “as portas do inferno não poderão vencê-la” (cf Mt 16,18). Não se contentar com informações, formar-se sobre a Igreja e o Papa na fonte dos seus ensinamentos e tornar-se consciente na sua Igreja para ter o seu próprio olhar e opinião. As mudanças virão a partir do nosso próprio olhar e não dos olhares de outrem que manipulam notícias, pensamentos e fatos com os seus preconceitos e ideologias não cristãs, ou anticristãs. Aumentar a consciência, pois Igreja somos todos nós e a temos como nossa Mãe, pois do seu útero materno nascemos na graça e pela graça de Deus no santo batismo. O Papa é um “nosso pedaço” neste corpo, por isso sem ele somos incompletos e sem ele, com certeza, tornaremos um caniço ao vento, e navegaremos sem bússola em mar bravio e, cada vez mais, estaremos sem rumo e sem direção. E perderemos o foco da

vida de fé que é Jesus Cristo. Por isso, digo a todos os membros da Igreja católica que me leem: - precisamos ouvir, dar atenção a voz do Papa Francisco e não apenas admirá-lo pelas suas qualidades, posturas e espiritualidade, é a voz do primeiro e mais importante missionário de Deus perto de nós, por isso é fundamental amar, defender, acolher e entender a sua palavra e os seus gestos como uma ação específica de Deus para este tempo, neste local, nesta hora. Sendo ele totalmente humano entre

os humanos, vem revestido da maior e mais importante graça e missão neste mundo e foi Deus quem o revestiu e o ungiu para isto, um homem chamado à santidade como todos nós, o primeiro missionário e pastor na terra dos homens. Que a sua voz não seja mais uma entre as vozes deste mundo, mas entendida como a voz do Pastor Supremo, Jesus Cristo! E Viva a Nossa Igreja Católica, Apostólica Romana e Viva Francisco, o nosso Papa que caminha conosco e nos cativa!


Pág.

04

Ano IV - n 48 Sábado, 06 de Abril de 2013

Amigos de Cristo

Santo Expedito Popularmente conhecido como o Santo das causas justas e urgentes, tem seu dia comemorado em 19 de Abril História e martírio Não há uma pessoa, seja ela cristã ou não, que nunca tenha se deparado com a famosa imagem de Santo Expedito, muito presente nos famosos “santinhos” e em orações guardadas em bolsos e carteiras. A popularidade do santo em questão é enorme, mas como muitos dos santos mártires, há pouquíssimas referências acerca de sua vida terrena. Sua história, aliás, chega até o presente através do auxílio da devoção popular que ganhou força nos últimos três séculos. Santo Expedito nasceu na Itália, em local e data desconhecidos, no século III. Pouco se sabe sobre sua infância e, já jovem, Expedito ingressou no exército romano sob as ordens do imperador Diocleciano. Como já fora dito nesta mesma coluna no mês de fevereiro, Diocleciano foi o imperador que coordenou a famigerada perseguição que leva o seu nome – a “Perseguição de Diocleciano” – no

século IV. O jovem soldado Expedito, aquartelado na fortaleza legionária de Melitiene, na província romana da Capadócia, ao lado de soldados Armênios da Legião XII “Fulminata”, obedecia fielmente às ordens do imperador e o ajudou a martirizar inúmeros grupos de cristãos. Com o passar do tempo, Expedito passou a questionar os métodos de submissão de seu imperador e os próprios, mostrando-se comovido e atraído pela firmeza com que suas vítimas cristãs aceitavam os mais dolorosos martírios a fim de preservar as promessas feitas a Deus. Certo de que a espiritualidade que fortalecia os cristãos massacrados provinha de uma força muito maior, ele decidiu abraçar a mesma fé, procurando conhecer de perto o deus de seus antigos “inimigos”. Pouco mais tarde, o mesmo deus que o havia atraído tornou-se o grande Deus (com letra maiúscula), reconhecido pelo jovem soldado em Sua totalidade, o

que despertou a atenção de seus companheiros de legião. Sem demora, Expedito foi condenado e martirizado, afirmando sua fé em Deus a todo o tempo, assim como faziam suas antigas vítimas. Sua execução se deu no dia 19 de abril do ano 303 d.C. É curiosa, inclusive, a forma como muitos soldados romanos permaneciam dentro da fé cristã na época. O também popular São Jorge, cujo exemplo de cristandade é também recordado neste mês (23 de abril), recebeu seu martírio em condições parecidas com as de Expedito. Imagem e devoção popular A imagem de Santo Expedito é familiar a todos: mostra-se jovem de aparência, repousando seu elmo no chão e trajando suas vestes de soldado. O que traz maior significado em sua imagem são a cruz que ele mantém erguida com pela mão direita com a inscrição em latim hodie (hoje) e o corvo que apa-

rece pisado por seus pés, proferindo a palavra latina cras (amanhã). A conversão de Santo Expedito é narrada de modo que ambas as inscrições latinas que acompanham sua imagem ganham forte sentido: quando Santo Expedito resolveu buscar a Deus e se converter um corvo surgiu para tentá-lo exclamando “Cras!” inúmeras vezes quando, por fim, o santo o derrubou e esmagou exclamando “Hodie!” Sendo assim, Santo Expedito é tido como o protetor das causas justas e urgentes devido a sua busca apressada pela conversão. Aproveitando para recordar a última coluna sobre São José, em que foi explicado o sentido da palavra justo, é possível verificar o mesmo senso de justiça do pai adotivo de Jesus em Santo Expedito, pois sua justiça (ou sua causa justa) não se limitava ao certo e ao errado, ou melhor, partia sim, do princípio do certo e do errado, mas segundo a concepção de Deus. Santo

Expedito viu como causa justa e urgente a conversão, pois não aguentava mais praticar a injustiça de Diocleciano. Através da presente história, surgiu o apelo popular ao santo que, sendo sinônimo de urgência, está sempre preparado para interceder a favor daquele que necessita de uma rápida resolução. No entanto, muitas vezes sua imagem não é vista da forma correta, sendo apenas sinônimo de urgência, mas não da justiça de Deus igualmente. É preciso, portanto, rever: Será que nossos pedidos de intercessão, ainda que necessitem de rápida resolução, são causas justas? Justas assim como a conversão de Santo Expedito? Justas como a conduta de São José (ainda relembrando o diálogo da coluna de março)? Será que nosso amigo Santo Expedito, ao lado do Pai, quando não atende nossas solicitações tão imediatistas, sobretudo hoje, época em que o imediato e o momentâneo imperam, não o deixa de

fazer devido ao julgamento soberano e santo de Deus? Será, por fim, que tivemos fé e que seguimos os passos de Cristo, ou que, entes de curvarmos os joelhos para um pedido, o fizemos inúmeras vezes para agradecer? São deixadas aqui, portanto, as indagações necessárias para uma reflexão maior, mais sábia, mais ponderada e, sobretudo, mais justa. Justa segundo a justiça de Deus e, obviamente, segundo o entendimento de Santo Expedito. Rafael Martins


História

Ano IV - n 48 Sábado, 06 de Abril de 2013

Pág.

05

Associações e Movimentos Extintos da Paróquia de Santa Rita MARIA VANDA OLIVOTI | Fonte: Livro Tombo da Paróquia No decorrer da história da Paróquia de Santa Rita de Extrema, além dos Movimentos, das Associações e das Irmandades já narradas, nas edições anteriores do Jornal “Santuário Em Suas Mãos”, surgiram outras que foram extintas por razões não encontradas. Em Visita Pastoral, o Sr. Bispo, Dom Otávio Chagas de Miranda, quando pároco era o Padre Carbone, deixa registrado no Livro Tombo, em 11 de outubro de 1940, sua alegria ao ver funcionando a “Confederação do Divino Espírito Santo”. Diz ele: “... alegra-nos de ver essa associação funcionando regularmente”. Quando o Padre Afonso de Ligório Rosa tomou posse na Paróquia, diz que encontrou somente duas Associações funcionando: o Apostolado da Oração e a Confederação

do Espírito Santo. O Apostolado é a irmandade mais antiga da paróquia. A Confederação foi criada na época do Padre Carbone com a finalidade de desenvolver a devoção ao Divino Espírito Santo e para trabalhar em prol do Seminário Diocesano São José. Era composta somente por homens e, anualmente, deveriam colaborar com uma importância de CR$200,00. Em julho de 1944, a confederação contava com 40 confederados. Nessa época, foi instituída também a “Irmandade da Família Cristã”, que tinha o propósito da propagar a devoção à Sagrada Família, fazendo a “consagração das famílias da paróquia” a Deus, por intercessão de Jesus, Maria e José. A primeira cerimônia de recebimento de fitas foi no dia 31 de outubro de 1943, contando com 33 zeladoras. A

fita era de cor verde-amarela. A associação era composta de mães, de professoras do Grupo Escolar Odete Valadares, das professoras das Escolas Municipais e das catequistas. A primeira diretoria foi formada pela Presidente Marieta Monteiro, pela vice-presidente Ramira V. da Silva, pela secretária Benedita Tassotti e pela tesoureira Antonia Tácito Wohlers. Em visita pastoral, no dia 08 de setembro de 1944, o Sr. Bispo Dom Otávio fez menção aos Congregados Marianos e à Cruzada Eucarística, dizendo de sua atuação para desenvolver o fervor na paróquia. Houve um movimento interessante, criado pelo Padre Afonso, denominado de “Sociedade do Correio Paroquial”, instituído no Natal de 1942. A finalidade era desenvolver entre os paroquianos

a “boa leitura” e a instrução religiosa. A sociedade era composta pelos assinantes dos jornais religiosos que circulavam na época “Semana Religiosa”, “Lutador”, “O Domingo”, “Ave Maria”. Os assinantes depois de lerem o jornal com a família entregavam-nos ao pároco que deixava à disposição de outros paroquianos, que por sua vez deveriam promover uma circulação dos periódicos pela cidade. Em 05 de outubro de 1947, já na época do novo pároco Padre Antonio Teodoro Tibúrcio, ele menciona a “Liga Católica Jesus, Maria e José”, falando da pouca atuação da associação, assim como da Cruzada Eucarística e dos Congregados Marianos. Chega a exclamar: “Pobre Cruzadinha, está com os seus dias contados!” O Movimento da Cruzada

Eucarística Infantil surgiu na Teodoro Tibúrcio chegou em Igreja, na época da 1ª. Guer- Extrema, todos esses movira Mundial para fortalecer a mentos, associações, socieparticipação das crianças na dades já estavam com pouvida eucarística e intensificar co vigor. Ele levou adiante a as orações pela paz mundial. Associação do Apostolado Foi fruto do trabalho do da Oração, que continua viva Apostolado da Oração e dos até hoje, e criou a Pia União devotos do Sagrado Coração das Filhas de Maria que perde Jesus. Foi aceita por todas maneceu até os inícios dos as dioceses. anos 60, do século passado, Quando era Sumo Pon- com o Padre Adolfo Fabri. tífice, o Papa João XXIII, a Os leigos sempre estiveram Cruzada Eucarística Infantil presentes na vida da Igreja: tomou um dinamismo mun- antes do Concilio Ecumênidial mais acentuado, atingin- co Vaticano II, através dos do também os adolescentes e movimentos, associações, jovens, passando a chamar- sociedades e congregações; se: “Movimento Eucarístico depois do Concílio, através Jovem”. Em Extrema, a sua das pastorais e dos ministéduração foi de um curto rios estabelecidos em cada tempo. paróquia, de acordo com a Quando o Padre Antonio sua realidade e cultura. ________________________________________________ ERRATA: foi publicado erroneamente, na edição anterior, o nome do Sacristão Waldomiro. O certo é WALDOMIRO FRANCISCO DE SOUZA, do Bairro dos Pires e não Waldomiro Pires. Corrige-se também o nome de seu pai, o certo é João de Souza e não João Pires.


Pág.

06

Ano IV - n 48 Sábado, 06 de Abril de 2013

Amizade com Deus

A Juventude responde presente!!! O Domingo de Ramos e a acolhida da Vida Cristã e a visão comprometida do jovem escritor!

Abertura da Celebração pelo Pe. José Franco

Oração de acolhida

Bênção da Água

Fiéis portando os seus ramos para serem abençoados

Ministros aspergindo os ramos

Chegada da procissão no Santuário

Existe um defeito que diminui a eficácia das meditações que fazemos. Este defeito consiste em meditar os fatos da vida de Nosso Senhor e não aplicá-los ao que sucede em nós ou em torno de nós. Este é um fato que fazemos diariamente sendo iguais aos fariseus da época de Cristo. Assim, por exemplo, a nós espanta a versatilidade e ingratidão dos judeus que assistiram a entrada de Jesus em Jerusalém. Nós os censuramos porque proclamaram com a mais solene

recepção o reconhecimento da honra que se deveria ter ao Divino Salvador e, pouco depois, O crucificaram com um ódio tal que a muitos chega a parecer inexplicável. Essa ingratidão, essa versatilidade para mudanças de opinião e atitudes não existiram apenas nos homens dos tempos de Nosso Senhor! A atitude das pessoas contemporâneas de Jesus, festejando sua entrada em Jerusalém e depois abandonando-O à mercê de seus algozes, assemelha-se a muitas atitudes que toma-

mos, afinal hoje as pessoas vivem e pregam apenas o que convém. Muitas vezes louvamos a Cristo e nos enchemos de boas intenções para seguir os seus ensinamentos, porém, ao primeiro obstáculo, nos deixamos levar pelo desânimo, ou pelo egoísmo, ou pela falta de solidariedade e, mais uma vez, por esse desamor, alimentamos o sofrimento de Jesus. Viver uma verdadeira Fé exige disciplina. Seguir rotina ou apenas guardar o jejum da semana Santa não

demonstra uma vida cristã, resume apenas em uma ação para tirar o peso de consciência e dizer que fez parte e esteve em todas as celebrações. Ainda hoje, no coração de quantos fiéis, tem Nosso Senhor que suportar essas alternativas, essas mudanças que balançam entre adorações e rotinas, entre virtude e pecado? E estas atitudes contraditórias e defectivas não se passam apenas no interior de alma de cada homem, de modo discreto, no fundo das consciências:

Em quantos países essas alternações se passam e Nosso Senhor tem sido sucessivamente glorificado e ultrajado, em curtos intervalos espaços de tempo? Mais uma vez a Igreja celebra esta semana, propõe e celebra seguindo o ideal que poucos até hoje não compreendem, afinal desde que Nosso Senhor pisou por este mundo o homem ainda não aprendeu a reconhecer e corresponder ao amor que ultrapassa limites. Não é verdade que, muitas vezes, depois de termos glorifica-

do a Nosso Senhor ardentemente, caímos em pecado e O crucificamos em nosso coração? O pecado é um ultraje feito a Deus. Quem peca expulsa Deus de seu coração, rompe as relações filiais entre criatura e Criador, repudia Sua graça. Que possamos viver bem este tempo Pascal. Que este tempo de festa e celebração da festa do Senhor seja repleto de ardor e testemunho. Um santo e abençoado tempo pascal. Adriano Pergano


Amizade com Deus

Ano IV - n 48 Sábado, 06 de Abril de 2013

Pág.

07

A Juventude responde presente!!! O Domingo de Ramos e a acolhida da Vida Cristã e a visão comprometida do jovem escritor!

Entrada no Templo

A juventude acolhe o Cristo estendendo os ramos para a sua passagem

Alegria da juventude que acolhe Cristo

A Assembléia reunida celebra a entrada de Jesus em Jerusalém

A Palavra de Deus é proclamada

A Palavra de Deus é salmodiada

A Morte de Cristo reverenciada

Jovem partilhando a Palavra com a sua reflexão

A Assembléia respeitosamente acolhe e medita a partilha do jovem

A Prece dos fiéis

Gesto concreto da Campanha da Fraternidade partilhado e acolhido

Jovens apresentando os dons para a Mesa Eucarística

A alegria e fraternidade da Igreja acolhendo os jovens

Jovens com participação e experiência litúrgica na vida da comunidade

Sacerdote e equipe de celebração reunidos à Mesa Eucarística

Jovens aceitando o compromisso e envio ao final da Celebração

A alegria da juventude presente na Igreja

A alegria da participação levada em missão


Pág.

08

Catequese

Ano IV - n 48 Sábado, 06 de Abril de 2013

Pilulas Catequéticas

Ser catequizado não vem a ser somente decorar dogmas, doutrinas e orações, ser catequizado é ir alem é assumir uma vida comunitária e social é busca viver a plenitude da vocação humana como no ensina o Catecismo as Igreja Católica, apresentamos uma motivação para o seu posterior pessoal aprofundamento nestes assunto. O Catecismo trata com profundidade e carinho este assunto: A VOCAÇÃO DO HOMEM: A VIDA NO ESPÍRITO - A COMUNIDADE HUMANA (nos. 1877 a 1896) A vocação da humanidade é manifestar a imagem de Deus e ser transformada à imagem do Filho único do Pai. Esta vocação reveste-se de uma forma pessoal, pois cada um é chamado a entrar na bem-aventurança divina. Mas diz também respeito ao conjunto da comunidade humana. O caráter comunitário da vocação humana Todos os homens são chamados ao mesmo fim, que é o próprio Deus. Existe uma certa semelhança entre a unidade das pessoas divinas e a fraternidade que os homens devem instaurar entre si, na verdade e no amor . O amor ao próximo é inseparável do amor a Deus. A pessoa humana tem necessidade da vida social. Esta não constitui para ela algo de acessório, mas uma exigência da sua natureza. Graças ao contato com os demais,

ao serviço mútuo e ao diálogo com os seus irmãos, o homem desenvolve as suas capacidades, e assim responde à sua vocação Sociedade é um conjunto de pessoas ligadas de modo orgânico por um princípio de unidade que ultrapassa cada uma delas. Assembléia ao mesmo tempo visível e espiritual, uma sociedade perdura no tempo: assume o passado e prepara o futuro. Através dela, cada homem é constituído «herdeiro», recebe «talentos» que enriquecem a sua identidade e cujos frutos deve desenvolver . Com toda a razão, cada um é devedor de dedicação às comunidades de que faz parte e de respeito às autoridades encarregadas do bem comum.. Cada comunidade define-se pelo fim a que tende e, por conseguinte, obedece a regras específicas. Mas « pessoa humana é e deve ser o princípio, o sujeito e o fim de todas as instituições sociais» Certas sociedades, como a família e a comunidade civil, correspondem de modo mais imediato à natureza do homem. São-lhe necessárias. Para favorecer a participação do maior número possível de pessoas na vida social, deve fomentar-se a criação de associações e instituições de livre iniciativa, «com fins econômicos, culturais, sociais, desportivos, recreativos, profissionais, políticos, tanto no interior das comunidades políticas como a nível mundial». Esta «socialização» exprime também a tendência

natural que leva os seres humanos a associarem-se, com vista a atingirem objetivos que ultrapassam as capacidades individuais. Desenvolve as qualidades da pessoa, particularmente o sentido de iniciativa e de responsabilidade, e contribui para garantir os seus direitos Mas a socialização também oferece perigos. Uma intervenção exagerada do Estado pode constituir uma ameaça à liberdade e às iniciativas pessoais. A doutrina da Igreja elaborou o princípio dito da subsidiariedade. Segundo ele, «uma sociedade de ordem superior não deve interferir na vida interna duma sociedade de ordem inferior, privando-a das suas competências, mas deve antes apoiá-la, em caso de necessidade, e ajudá-la a coordenar a sua ação com a dos demais componentes sociais, com vista ao bem comum» Deus não quis reservar só para Si o exercício de todos os poderes. Confia a cada criatura as funções que ela é capaz de exercer, segundo as capacidades da sua própria natureza. Este modo de governo deve ser imitado na vida social. O procedimento de Deus no governo do mundo, que testemunha tão grande respeito para com a liberdade humana, deveria inspirar a sabedoria daqueles que governam as comunidades humanas. Eles devem atuar como ministros da providência divina. O princípio da subsidiariedade opõe-se a todas as formas de coleti-

vismo e marca os limites da intervenção do Estado. Visa harmonizar as relações entre os indivíduos e as sociedades e tende a instaurar uma verdadeira ordem internacional. Conversão e sociedade A sociedade é indispensável à realização da vocação humana. Para atingir esse fim, tem de ser respeitada a justa hierarquia dos valores, que «subordina as dimensões físicas e instintivas às dimensões interiores e espirituais» (8): «A convivência humana [...] há de considerar-se, antes de mais, como um fato de ordem principalmente espiritual: como comunicação de conhecimentos, à luz da verdade; exercício de direitos e cumprimento de deveres; incentivo e apelo aos bens do espírito; gozo comum do justo prazer da beleza em todas as suas expressões; permanente disposição para partilhar com os outros o melhor de si mesmo; aspiração a uma mútua e cada vez mais rica assimilação de valores espirituais. Todos estes valores vivificam e, ao mesmo tempo, orientam tudo o que diz respeito às doutrinas, às realidades econômicas, à convivência cívica, aos movimentos e regimes políticos, à ordem jurídica e aos demais elementos exteriores através dos quais se articula e se exprime a convivência humana no seu incessante devir» . A inversão dos meios e dos fins,

que chega a dar valor de fim último ao que não passa de meio para a ele chegar ou a considerar as pessoas como puros meios com vista a um fim, gera estruturas injustas que «tornam árduo e praticamente impossível um procedimento cristão, conforme com os mandamentos do divino legislador» . Deve-se, pois, apelar para as capacidades espirituais e morais da pessoa e para a exigência permanente da sua conversão interior, para se conseguirem mudanças sociais que estejam realmente ao seu serviço. A prioridade reconhecida à conversão do coração, não elimina de modo algum, antes impõe, a obrigação de introduzir nas instituições e nas condições de vida, quando introduzem ao pecado, as correções convenientes para que elas se conformem com as normas da justiça e favoreçam o bem, em vez de se lhe oporem . Sem a ajuda da graça, os homens não seriam capazes de «descobrir o caminho, muitas vezes estreito, entre a cobardia que cede ao mal e a violência que, julgando combatê-lo, o agrava» (13). É o caminho da caridade, ou seja, do amor de Deus e do próximo. A caridade constitui o maior mandamento social. Ela respeita o outro e os seus direitos, exige a prática da justiça, de que só ela nos torna capazes e inspira-nos uma vida de entrega: «Quem procurar

preservar a vida, há de perdê-la; quem a perder, há de salvá-la» (Lc 17, 33). Resumindo: “Existe uma certa semelhança entre a unidade das pessoas divinas e a fraternidade que os homens devem instaurar entre si. Para se desenvolver em conformidade com a sua natureza, a pessoa humana tem necessidade da vida social. Certas sociedades, como a família e a comunidade civil, correspondem, de modo mais imediato, à natureza do homem. «A pessoa humana é e deve ser o princípio, o sujeito e o fim de todas as instituições sociais». Deve promover-se uma larga participação nas associações e instituições de livre iniciativa. Segundo o princípio da subsidiariedade, nem o Estado nem qualquer sociedade mais abrangente devem substituir-se à iniciativa e à responsabilidade das pessoas e dos corpos intermédios. A sociedade deve favorecer a prática das virtudes, e não impedi-la. Deve inspirar-se numa justa hierarquia de valores. Onde quer que o pecado perverta o clima social, deve fazer-se apelo à conversão dos corações e à graça de Deus. A caridade incentiva reformas justas. Não existe solução para a questão social fora do Evangelho.


Geral

Ano IV - n 48 Sábado, 06 de Abril de 2013

A Fé Explicada Autor: Leo Trese Editora: Quadrante Categoria: Religião / Cristianismo Crer com inteligência e pensar e agir à luz das verdades cristãs: estes são os dois objetivos deste livro do sacerdote norte-americano Leo Trese, autor de inúmeras obras sobre a doutrina e a espiritualidade católicas, das quais as mais importantes já foram lançadas no Brasil pela Quadrante.

Pág.

09


Pág.

10

Dizimista

Ano IV - n 48 Sábado, 06 de Abril de 2013

Ano da Fé

Ao longo deste tempo, manteremos o olhar fixo sobre Jesus Cristo, «autor e consumador da fé» (Heb 12, 2): N’Ele se encontra plena realização toda a ânsia e ané-

lito(fôlego,respiração) do coração humano. A alegria do amor, a resposta ao drama da tribulação e do sofrimento, a força do perdão face à ofensa recebida e a vitória da vida sobre o vazio

da morte, tudo isto encontra plena realização no mistério da sua Encarnação, do seu fazer-Se homem, do partilhar conosco a fragilidade humana para a transformar com a força da sua ressurreição.

N’Ele, morto e ressuscitado para a nossa salvação, encontram plena luz os exemplos de fé que marcaram estes dois mil anos da nossa história de salvação. A pastoral do dízimo vem

desejar a todos os nossos dizimistas e aqueles que certamente um dia será, uma semana santa repleta de comprometimento com o projeto de Jesus Cristo, uma semana de meditação, reno-

vação, esperança e partilha. Que Jesus possa renascer em cada coração e que sejamos transformadores e anunciadores da Paz, do Amor e do Evangelho deste Jesus que nos acolhe a todo momento.

Aniversariantes de Abril 01

Elaine Felipe da Cruz José Nivaldo Rogério Inácio da Silva

02

Benedito José do Couto Thaís Cardoso Prata

03

Stefany dos S. Andrillo

04

Alice Lucinéia Nunes de Almeida Ana Luiza Felina Ana Maria da Silva e Souza Duvirges Pereira de Souza Fernando Henrique P. de Morais Silva Juliana Brita Simas

05

Katia Martin Aguilar

06

Hualaf de Lima Carvalho Marcos Antônio Vieira Roseli Maria dos Santos Sueli de Souza Silva

07

Alice Basilo da Silva Angela Maria dos Santos César Augusto de Góes Maciel Ineide Valentin Alves Juliana Andrade Silva Layana Gonçalves de Souza

08

Jéssica Machado F. Simone Aparecida Pereira

09 10 11 12

Ana Laura Almeida Rodrigues Ilidio Raimundo Filho João Antônio Morais Odecio Aparecido Santos Vicente Donizetti Milioreli Cesar José de Oliveira Kimura Reiko Hashimoto Maria Aparecida da Silva Noemia Aparecida Padilha Sandra Maria Franco de Freitas João Carlos Nunes da Silva Joyce Vieira da Silva Maria de Fátima A. de Oliveira Sofia Morbidelli Pereira Ana Maria da Silva Barbosa André Hirata Gabriele de Paulo Silva Levi da Silveira Maria Aparecida Calderaro Maria Corete Pereira Dó

13

Antenor Rodrigues Lima Cirineu da Fonseca e Silva Valmira O. Bastos Cardoso

14

Alexandre Acacio Nogueira Floriano Aparecido de Oliveira Terezinha Mendes Lima

15

Gleusa Helena Dechen Josefa Idalina de Medeiros Filho Maria Aparecida Godoi Ferreira

16

Ana Gabriela Onisto S. Ana Paula Carvalho Lemes Cleusa Sebastiana de Araújo Epifanio de Almeida Jorge Gonçalves de Souza Kardina Alves Machado

16

Maria Ivete Melo Marina Marques de Oliveira Valinda Gonçalves Ferreira Pó

17

Benedito A. Andrade Felício Pereira Franco Izabella Frigoli Maria José Franco de Oliveira

18

Amara Maria Nemes Machado Laurinda Almeida de Souza Lucas Paulicer de Moraes Rubia Michelle da Silva Costa Walter Frões Zenaide de Oliveira da Silva

19 20 21

Geraldo Eustáquio de Morais Mario de Morais Micheli Cristina Antônio Reginaldo Aparecido de Lima Passos Roberto Vanderlei Strini Alessandra Gonzaga de Araújo Lucilena Aparecida Pedroso Realina Souza Santos Pereira Suely Siqueira Frugoli Vitor Tadeu Ap. Rodrigues Sonia Maria Alves Cesania

22

Cleusa Aparecida da Silva Antônio Donizetti José Vieira José Aparecido Froes Lucas de Oliveira Cauderan

23

Luiz Pereira Maria da Luz Pereira Maria Eunice de Oliveira Luz Novalina Caetena Cardoso Pedro Donizetti Mendes Ferreira Vivian Olivotti Vargas Chede

24

Djalma Alves de Almeida Maria Elena da Silva Maria Ely Goulart Silva

25

Antônio Darilho de Almeida Aúria Alves Ferreira Eva Silvana de Olveira Maria Audimery da Silva Maria Janete Ceralgioli Lobato Marina Londres Nilda Bavani de Oliveira

26

Benedito Paula Oliveira Cinira Toledo Camargo Eunice S. P. Wohlers Kiara de Sousa Vicente Balbino dos Santos Filhos

27

Maria de Fátima Machado Morais Maria Rosa Jesus dos Santos

28

Iraci da Silva Maria Lucia Carvalho Toledo Oscar H. A. M. Brenninkmeijer Viviane Aparecida Machado

29

Ana Paula de Toledo José Maria de Almeida Maura Rodrigues da Silva

30

Daiana Aparecida Vitor Gerusa Gomes de Oliveira Giana Maria Toledo Augustinho José Aparecido de Rezende Tereza Olivotti Helber da Luz Cerqueira

Aos Aniversariantes Dizimistas do mês de Abril, os cumprimentos da Reitoria do Santuário Santa Rita de Extrema o convite para a missa em Ação de Graças pelo dom da sua vida no dia 28 de Abril às 19h30.


Lazer

Ano IV - n 48 Sábado, 06 de Abril de 2013

Pedir com confiança (Lucas 11, 5-13)

SETE ERROS

“Se alguém de vocês tivesse um amigo, e fosse procurá-lo à meia-noite, dizendo: ‘Amigo, me empreste três pães, porque um amigo meu chegou de viagem, e não tenho nada para oferecer a ele’. Será que lá de dentro o outro responderia: ‘Não me amole! Já tranquei a porta, meus filhos e eu já nos deitamos; não posso levantar para lhe dar os pães?’ Eu declaro a vocês; mesmo que o outro não se levante para dar os pães porque é um amigo seu, vai levantar-se ao menos por causa da amolação, e dar tudo aquilo que o amigo necessita. Portanto, eu lhes digo: peçam, e lhes será dado! Procurem, e encontrarão! Batam, e abrirão a porta para vocês! Pois, todo aquele de que pede, recebe; quem procura, acha; e a quem bate, a porta será aberta. Será que alguém de vocês que é pai, se o filho lhe pede um peixe, em lugar lhe dá uma cobra? Ou ainda: se pede um ovo, será que vai lhe dar um escorpião? Se vocês, que são maus, sabem dar coisas boas aos filhos, quanto mais o Pai do céu! Ele dará o Espírito Santo àqueles que o pedirem.” “A Palavra do Senhor crescia e se firmava com grande poder.” (At 19,20) A

N

B

S

Q

U

E

C

O

R

A

M

D

E

T

A

Q

E

N

C

L

A

M

C

U

M

E

X

Z

A

B

S

Q

C

O

U

L

E

C

O

R

A

E

X

I

E

P

M

T

E

D

T

A

E

M

C

L

M

A

R

M

C

U

E

Z

S

A

F

N

G

V

H

I

J

E

Q

X

D

Z

N

C

S

B

F

H

A

P

A

L

D

H

J

Q

S

R

O

A

I

Z

X

D

F

S

G

N

R

T

V

X

U

Z

C

O

A

C

E

D

F

P

G

T

H

A

I

L

N

Q

M

R

T

S

V

X

S

R

Z

B

I

C

R

F

G

J

E

L

N

P

Q

E

V

O

U

X

Z

R

A

B

S

Q

S

U

E

T

R

A

C

C

L

A

M

C

I

U

M

E

C

X

F

A

B

S

Q

U

E

C

O

R

A

P

M

D

O

E

T

A

M

C

L

R

A

M

C

U

E

X

S

E

R

A

C

F

H

J

G

E

C

D

E

H

I

L

M

E

P

O

M

P

Q

R

S

M

T

U

V

X

Z

A

C

F

I

D

E

G

H

J

I

L

M

N

O

Q

S

T

R

P

A

Q

G

E

R

T

U

I

O

P

A

A

D

S

F

G

O

H

A

J

Z

L

X

O

C

V

B

R

N

M

Q

E

R

T

I

U

I

O

P

V

A

S

D

B

F

G

H

J

L

Z

V

X

C

V

B

O

N

M

A

O

G

I

M

A

S

D

F

G

H

J

L

Z

X

C

V

C

B

N

Q

E

R

Pág.

11


Pág.

12

Calendário

Ano IV - n 48 Sábado, 06 de Abril de 2013

ABRIL/2013 • Dia 02 às 19h30 - Comunidade Santíssima Trindade – Bairro Agenor • Dia 03 às 19h30 - Santuário “Novena de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro” • Dia 04 às 19h30 - Santuário “Quinzenário de Santa Rita” • Dia 05 às 19h30 - Santuário “Campanha do Quilo” • Dia 05 às 19h30 - Comunidade São Sebastião – Bairro Salto de Cima - Festa de São Sebastião • Dia 06 às 16h00 - Comunidade Santo Antônio Bairro Roseira (Enfermos) • Dia 06 às 19h30 – Santuário • Dia 07 às 07h30 – Santuário • Dia 07 às 09h15 - Santuário • Dia 07 às 11h00 - Comunidade São Cristóvão – Bairro São Cristóvão • Dia 07 às 16h00 - Santuário • Dia 07 às 19h30 – Santuário • Dia 08 às 19h30 - Santuário “Missa pelas almas” • Dia 09 às 19h30 - Comunidade Santíssima Trindade – Bairro Agenor • Dia 09 às 19h30 - Comunidade Nossa Senhora Aparecida – Bairro Juncal • Dia 10 às 19h30 - Santuário “Novena de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro” • Dia 10 às 19h30 - Comunidade São Benedito – Bairro Pessegueiros • Dia 11 às 19h30 - Santuário “Quinzenário de Santa Rita” • Dia 11 às 19h30 - Comunidade Santa Cruz – Bairro Barreiro • Dia 12 às 16h00 – Santuário “Missa dos Enfermos” • Dia 12 às 19h30 - Comunidade São Judas Tadeu e Nossa Senhora Aparecida - Bairro Morbidelli (Rua Antônio Morbidelli, 33) • Dia 13 às 19h30 – Santuário • Dia 14 às 07h30 – Santuário • Dia 14 às 09h15 – Santuário

• Dia 14 às 11h00 - Comunidade São Cristóvão – Bairro São Cristóvão • Dia 14 às 16h00 - Santuário • Dia 14 às 19h30 – Santuário • Dia 15 às 19h30 - Santuário “Missa pelas almas” • Dia 16 às 19h30 - Comunidade Santíssima Trindade – Bairro Agenor • Dia 16 às 19h30 - Comunidade Nossa Senhora Aparecida – Bairro Rodeio • Dia 17 às 19h30 - Santuário “Novena de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro” • Dia 17 às 19h30 - Comunidade Nossa Senhora Aparecida – Bairro Salto do Meio • Dia 18 às 19h30 - Santuário “Quinzenário de Santa Rita” • Dia 18 às 19h30 - Comunidade Imaculada Conceição – Bairro Godoy • Dia 19 às 19h30 - Comunidade São Sebastião – Bairro Posses – Festa de São Sebastião • Dia 19 às 19h30 - Comunidade Santa Terezinha do Menino Jesus – Bairro Vila Rica • Dia 20 às 19h30 – Santuário • Dia 20 às 19h30 - Comunidade Santo Antônio Bairro Roseira • Dia 21 às 07h30 – Santuário • Dia 21 às 09h15 – Santuário (2ª Caminhada do Guaraiuva) • Dia 21 às 11h00 - Comunidade São Cristóvão – Bairro São Cristóvão • Dia 21 às 16h00 – Santuário (Entrega Pai-nosso e Credo – Catecumenato) • Dia 21 às 19h30 – Santuário • Dia 22 às 19h30 – Santuário “Novena Perpétua de Santa Rita” • Dia 23 às 19h30 - Comunidade Santíssima Trindade – Bairro Agenor • Dia 23 às 19h30 - Comunidade São Benedito – Bairro Fronteira • Dia 24 às 19h30 - Santuário “Novena de Nossa

Senhora do Perpétuo Socorro” • Dia 24 às 19h30 - Comunidade São Pedro – Bairro Jardim • Dia 24 às 19h30 - Comunidade São Nicolau – Comunidade Matão • Dia 25 às 19h30 – Santuário “Quinzenário de Santa Rita” • Dia 25 às 19h30 – Comunidade Santo Antônio – Bairro do Pires • Dia 25 às 19h30 – Comunidade São Brás – Bairro dos Tenentes • Dia 26 às 19h30 - Comunidade Santo Antônio – Bairro Furnas • Dia 26 às 19h30 - Comunidade Nossa Senhora das Graças – Bairro Bela Vista • Dia 27 às 19h30 – Santuário • Dia 28 às 07h30 – Santuário • Dia 28 às 09h15 – Santuário • Dia 28 às 11h00 - Comunidade São Cristóvão – Bairro São Cristóvão • Dia 28 às 16h00 – Santuário (Ação Eucarística Catequese Infantil) • Dia 28 às 19h30 – Santuário • Dia 29 às 19h30 - Santuário “Missa pelas almas” • Dia 30 às 19h30 - Comunidade Santíssima Trindade – Bairro Agenor • Dia 30 às 19h30 - Comunidade Santa Cruz – Bairro Forjos • Dia 31 às 19h30 - Santuário “Novena de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro” _________________________________________ CELEBRAÇÕES DE BATIZADOS NO SANTUÁRIO • Dia 14/04 às 11h15 – Santuário (Catequese Infantil) • Dia 28/04 às 11h15 - Santuário

CONFISSÕES NO SANTUÁRIO • Dia 07/04 às 09h15 • Dia 07/04 às 19h30 • Dia 14/04 às 09h15 • Dia 14/04 às 19h30 • Dia 21/04 às 09h15 • Dia 21/04 às 19h30 • Dia 28/04 às 09h15 • Dia 28/04 às 19h30 ADORAÇÃO DO SANTISSIMO SACRAMENTO NO SANTUÁRIO • Dia 05/04 das 13h00 às 18h45 ENCONTROS • Dia 07 às 08h30 às 16h30 – Encontro de Formação com a Liderança Paroquial – Salão Paroquial • Dia 07 às 14h00 – Curso de Batismo – São Cristóvão • Dia 12 às 19h00 – Reunião com o CCP da Comunidade Bela Vista • Dia 13 às 18h00 – Reunião com a Comissão Paroquial da Juventude – Salão Paroquial • Dia 13 às 19h30 – Reunião com a Equipe Paroquial de Assessoria – Salão Paroquial • Dia 14 às 14h00 – Reunião com a Comissão de Festas e Festeiros da Festa de Santa Rita 2013 • Dia 20 às 09h00 – Confissões das crianças da Catequese Infantil – Santuário • Dia 21 às 14h00 – Curso de Batismo – Salão Paroquial • Dia 27 às 18h00 – Reunião com a Comissão Paroquial da Juventude – Salão Paroquial • Dia 27 às 19h30 – Reunião com a Equipe Paroquial de Assessoria – Salão Paroquial

MAIO/2013 DE 13 À 22 – PROGRAMAÇÃO ESPECIAL

• Dia 01 às 19h30 - Santuário “Novena de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro” • Dia 02 às 19h30 - Santuário “Quinzenário de Santa Rita” • Dia 23 às 19h30 – Santuário • Dia 02 às 19h30 - Comunidade São Benedito – • Dia 23 às 19h30 - Comunidade Santa Terezinha do Menino Jesus – Bairro Vila Rica Bairro Fronteira (Primeira Eucaristia) • Dia 24 às 19h30 - Comunidade Nossa Senhora das Graças – Bairro Bela Vista • Dia 03 às 19h30 - Santuário “Campanha do Quilo” • Dia 24 às 19h30 - Comunidade São Pedro – Bairro Jardim • Dia 03 às 19h30 - Comunidade São Judas Tadeu • Dia 25 às 19h30 – Santuário e Nossa Senhora Aparecida - Bairro Morbidelli • Dia 26 às 07h30 – Santuário (Primeira Eucaristia) • Dia 26 às 09h15 – Santuário • Dia 04 às 19h30 - Santuário • Dia 26 às 11h00 - Comunidade São Cristóvão – Bairro São Cristóvão • Dia 04 às 19h30 - Comunidade Santo Antônio • Dia 26 às 16h00 – Santuário Bairro Roseira (Primeira Eucaristia) • Dia 26 às 19h30 – Santuário • Dia 27 às 19h30 - Santuário “Missa pelas almas” “Aniversário de Ordenação do Pe. Alexandre” • Dia 05 às 07h30 – Santuário • Dia 05 às 09h15 - Santuário • Dia 28 às 19h30 - Comunidade São Sebastião – Bairro Posses • Dia 05 às 11h00 - Comunidade São Cristóvão – • Dia 28 às 19h30 - Comunidade Santo Antônio – Bairro Furnas Bairro São Cristóvão (Primeira Eucaristia) • Dia 29 às 19h30 - Santuário “Novena de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro” • Dia 05 às 16h00 - Santuário • Dia 29 às 19h30 - Comunidade Nossa Senhora Aparecida – Bairro Salto do Meio • Dia 05 às 19h30 – Santuário • Dia 30 às 11h00 - Comunidade São Cristóvão – Bairro São Cristóvão “Corpus Christi” • Dia 06 às 19h30 - Santuário “Missa pelas almas” • Dia 30 às 16h00 – Santuário (Celebração e Procissão) “Corpus Christi” • Dia 07 às 19h30 - Comunidade Santíssima Trindade – Bairro Agenor (Primeira Eucaristia) • Dia 07 às 19h30 - Comunidade Nossa Senhora Aparecida – Bairro Juncal • Dia 08 às 19h30 - Santuário “Novena de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro” • Dia 08 às 19h30 – Comunidade São Brás – Bairro dos Tenentes • Dia 09 às 19h30 – Santuário “Quinzenário de Santa Rita” “Abertura do Tríduo Aniversário do Santuário” • Dia 09 às 19h30 - Comunidade São Sebastião – Bairro Salto de Cima • Dia 09 às 19h30 - Comunidade Imaculada Conceição – Bairro Godoy ____________________________________________________________________________________ • Dia 10 – Romaria do Santuário Santa Rita para o Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida

FESTA DE SANTA RITA

• Dia 11 às 19h30 – Santuário • Dia 11 às 19h30 - Comunidade Santa Cruz – Bairro Forjos • Dia 12 às 07h30 - Santuário • Dia 12 às 09h15 - Santuário • Dia 12 às 11h00 - Comunidade São Cristóvão – Bairro São Cristóvão • Dia 12 às 16h00 - Santuário • Dia 12 às 19h30 – Santuário “Missa Festiva Aniversário do Santuário” Obs.: Devido à Festa de Santa Rita não haverá missa em todas as comunidades. ENCONTROS • Dia 14 às 10h00 – Reunião da Pastoral da Juventude do Setor em Extrema no Salão Paroquial • Dia 25 às 18h00 – Reunião com a Comissão Paroquial da Juventude – Salão Paroquial • Dia 25 às 19h30 – Reunião com a Equipe Paroquial de Assessoria – Salão Paroquial • Dia 31 às 19h00 – Reunião do COSEPA em Itapeva ADORAÇÃO DO SANTÍSSIMO SACRAMENTO NO SANTUÁRIO • Dia 03/05 das 13h00 às 18h45 CONFISSÕES NO SANTUÁRIO • Dia 05/05 às 09h15 • Dia 05/05 às 19h30 • Dia 12/05 às 09h15 • Dia 26/05 às 09h15 • Dia 26/05 às 19h30


Geral

Ano IV - n 48 Sábado, 06 de Abril de 2013

Pág.

13

Santa Rita e as belas janelas de sua casa! cada extravio, levantar – se de novo e retomar o seu caminho. Precisamente neste sentido foi dito, com profunda intuição, que “a beleza salvará o mundo” (n.25 da “Carta aos artistas”, aqui em português) (Nota da redação: - A palavra entusiasmo aqui neste contexto significa levar Deus dentro de si mesmo.)

Entrada no Templo

Foi em 2007 que, chegando a Extrema, o Padre José Franco foi motivado para a reforma da Matriz e a sua elevação a Santuário, idéias que foram amadurecendo sob as luzes do Santo Espírito. Nenhuma decisão foi tomada sem reflexão e oração e lendo nos fatos celebrados na presença dos devotos, que lentamente, foi surgindo este Santuário, pensado desde que começaram as suas adaptações e reformas, para ser um sinal mistagógico do amor ao Pai em Jesus o Salvador e a devoção a Santa Rita, traduzidos em um espaço sagrado pela arte e pela beleza, em um espaço simbólico digno da morada de Deus e encontro de pessoas de fé. Deu-se o início, e agora, já nas últimas preparações para a sua dedicação ou sagração, será abençoado e ungido pelo Arcebispo Metropolitano. As “janelas” foram as últimas a serem colocadas neste projeto, ou seja, os vitrais que retratam fatos da vida de Santa Rita e o Mistério da Paixão de Cristo e a nossa história Zeca Alves se faz presente com a chegada da imagem da ainda Beata Rita de Cássia, e a elevação da antiga Ermida a Santuário de Santa Rita de Extrema. A cidade de Extrema ganha uma joia preciosa em arte sacra com as suas cores, pinturas, luzes e sombras e os matizados coloridos dos vitrais. Extrema pode se gabar de sua Igreja (Templo), pois é sinal do gesto que nasceu da presença dos fiéis e devotos de Santa Rita desde a sua fundação e, atualmente, com o apoio ao seu atual Reitor nas Festas e Campanhas, que ajudou a chegar a esta bela e digna Casa de Deus, Casa de Santa Rita, morada dos filhos e devotos. A reitoria do Santuário, pelo

seu Reitor Pe. José Franco quer deixar marcada aqui a sua gratidão pelo apoio e incentivo à sua iniciativa. Em breve, será anunciado o dia da dedicação (sagração), concluindo assim mais esta etapa na vida paroquial. Como diz o nosso Papa Francisco, a ternura e a bondade são forças necessárias no mundo hoje e este nosso templo, desde a sua fundação e pela sua história entre luzes e sombras, poderá ser apelidado de um belo monumento à ternura e bondade de todas as gerações das quais nasceu esta cidade e, sobretudo, a dos dias de hoje que vem revigorando este Santuário, maior monumento que Extrema possui como expressão de fé, arte e beleza. “A beleza salvará o mundo”(Dostoievski). “A beleza é o sinal da ternura dos homens e mulheres que acolhem a vida de Deus, por isso a beleza para conquistar o mundo precisa de mais espaço, tempo e importância”. (Pe. José Franco.) O Papa Beato João Paulo II diz na carta aos artistas de 1999, que a beleza, assombro e entusiasmo andam juntos. “... desejo a todos vós, artistas caríssimos, que sejais abençoados, com particular intensidade, por estas inspirações criativas. A beleza que transmitirdes às gerações futuras seja tal qual avive nelas o assombro. Diante da sacralidade da vida e do ser humano, diante das maravilhas do universo, o assombro é a única atitude condigna. De tal assombro poderá brotar aquele entusiasmo (...) a que me referi no início. Os homens de hoje e de amanhã têm necessidade deste entusiasmo, para enfrentar e vencer os desafios cruciais que se prefiguram no horizonte. Com tal entusiasmo, a humanidade poderá, depois de

Aos doadores dos vitrais o nosso agradecimento com as bênçãos e graças alcançadas pela sua generosidade: • Adaci Araújo, Regiane Cardoso Araújo • Adacy Vivacqua Freitas • Adolpho Bertolotti • Águida Maria Machado • Alcides Pereira da Silva • Aliba Teodoro Pinto • Alice de Toledo Silva • Amara Maria Nunes Machado • Amauri Nagaroto e Família • Ana Maria Matias • Anália Dias dos Santos • Anésia Pereira de Oliveira • Anestrina Maria de Jesus Silva • Angelo de Oliveira Borges • Anice de Toledo Silva • Antônio Gigliotti Netto • Antônio Gilberto Mateus • Aparecida Donizete Lipi Souza • Aparecido Pereira • Aristides Xavier de Rezende • Armando Issamu Hirata • Atílio Crescente • Aurea e Alípio • Aurora Maria de Oliveira • Benedita Wolhers e Nellor Cesar Domingo • Benedito Candido Ribeiro • Benedito Carlos Barbosa • Berenice de Fátima Andrade • Bernadete Onisto • Bráz Egídio da Silva • Bruna Fernanda Milioreli • Carlos Antonio Cunha

• Carlos Eduardo Marzolla • Catarina Alvarenga • Cleiton Vitor da Silva • Comunidade Nossa Senhora Aparecida - Bairro Rodeio • Dello • Domingo Rodrigues Pimentel • Edna Maria Fernandes Egídio • Edson Luis Montori • Elisa Pereira da Silva Oliveira • Eliza, Akio, Kasuo Simokasa • Elizangela Marsullo e Pietro Galli • Elpidio de Lima e Maria Inês Onisto de Lima • Eudelton e Família • Eunice Aparecida de Andrade Silva • FAEX - Faculdade de Extrema • Familia Aldo Olivotti • Família Bauducco • Família Lamartine Leonardi • Família Mendes Lima • Francisca do Nascimento Silva • Geralda Maria Lemos • Gerina Teixeira Mendes • Giovanni Vinícius Souza Nascimento • Helena Maria Machado da Silva • Isabel Cristina Lima Cruz e Oswaldo Barbosa da Cruz Filho • Isaura do Nascimento Machado • Jandira Aparecida de Toledo da Silva • Jerzy e Maria Riegas • Joana Aparecida Hirata • João Calixto de Moraes e Família • João Saes Peres e Iolanda Lupetti Peres • Joaquim e Elizabete • Joaquim Egídio da Silva Neto • José Agostinho Aparecido • José Anchieta Pereira Brito • José Aparecido da Silva • José Arimatéia Carvalho Ribeiro e Marilda • José Honório Salles

Assembléia celebrando o Quinzenário de Santa Rita na inauguração dos vitrais

• José Leonel Zingaro e Família • José Martins • José Mendes Ferreira Filho • Kemily Fernandes Silva e Luciana Fernandes Silva • Lázara Aparecida de Jesus Couto • Lázaro Teles • Leandro Borges de Oliveira • Leila Aparecida Mota Monteiro • Lilian Cassia de Oliveira e Família • Linda de Oliveira • Lourdes de Oliveira Suekuni • Lucelia de Cassia Ramos • Lucia Angela Felizardo de Oliveira • Luciana Ferreira Cardoso • Luciana Medeiros Lambert Lacerda • Luiza Nascimento de Oliveira • Luiza Pereira de Morais • Luzia Aparecida Evangelista • Manoel Assunção • Manoel Assunção Belo • Marcelo Augusto Cordeiro de Souza • Márcio Aurélio de Castro • Marcos André de Almeida • Maria Ap. de Azevedo Zingari e Marisa de Fátima Zingari de Oliveira • Maria Aparecida de Camargo • Maria Aparecida de Carvalho Oliveira • Maria Aparecida Pimentel • Maria Aparecida Souza Pinto • Maria Belmira e Antônio de Oliveira • Maria da Conceição Bernal • Maria da Luz Pereira • Maria de Fátima Soares de Macedo • Maria de Jesus da Silva • Maria de Jesus Rodrigues Ferreira de Oliveira • Maria de Lourdes da Silva • Maria de Lourdes Rocha da Luz • Maria Eunice de Oliveira • Maria Irinea Bertolotti Braga e

Bênção dos vitrais

Maria Laura Bertoloti • Maria Isabel da Rosa • Maria Izabel de Sousa Ferreira • Maria Janete Ceragioli Lobato • Maria Rita da Silva Jorge • Maria Suzana Nobre da Luz e Souza • Maria Vani de Oliveira • Marina Marques de Oliveira e família • Marina Zordan da Silva • Marta Maria Lopes • Miguel José Ferreira dos Santos • Ministros Extraordinário da Comunhão • Moises Aparecido Santos • Nadilma Aparecida Nobre da Luz Toledo • Nena (Roseira) • Ninive Aparecida de Oliveira • Paschoalino Marsullo e Nilza Noemia Marsullo • Paulo Roberto de Oliveira • Pe. Franco • Peregrinos de Maria • Raimundo Firmiano Filho e Família • Reginaldo de Oliveira e Família • Rita Maria de Almeida • Rita Tereza Chaves Damasio • Roberto e Terezinha Strini • Rosalio de Oliveira Borges e família • Rosanja Miloni Titoto e Família • Roseli Maria dos Santos Eusébio • Salete da Silva Patudo • Sebastiana Cardoso Lima Brito • Sebastião José Vieira • Severina Helena de Souza Silva • Supermercados Kurihara • Tereza Gonçalves Lima • Terezinha Aparecida Monteiro Onisto • Terezinha e Nestor de Carvalho • Terezinha Garcia Machado • Terezinha Quintanilha • Valquíria Aparecida da Silva • Vilma Sales de Souza • Wanda Mingarelli • Zuleica Simões Marzolla

Cena da morte dos filhos


Pág.

14

Aconteceu

Ano IV - n 48 Sábado, 06 de Abril de 2013

Estes casais se uniram pelo vinculo Sagrado do Matrimônio: Saulo Tarcis Vieira Santos e Camila Donizetti Gonçalves Fernando Sávio M. Brandão e Silvania Alves de Araújo Os sonhos de felicidade se tornam realidade quando o casal que consagrou o seu amor a Deus, no sacramento do matrimonio vive a sua fé em comunidade. Parabéns da nossa Comunidade Paroquial.

Celebração do Jubileu Matrimonial de: Vicente Vieira e Filomena (51 anos)

Aos casais jubilandos os nossos votos de eterna fidelidade e perseverança na vida matrimonial, com as bênçãos de Deus.

O nosso Santuário celebrou a Missa de 7º. Dia de: Leandro Luiz Fonseca Maria Aparecida de Paula Julia Mota Souza Cassio José de Toledo (Cassinho) Claudio Roberto de Freitas Maria Auxiliadora Valentin da Silva Maria Aparecida de Campos Bertucchli Abilio Fernandes Macario Julia Bunartt Ferreira Antonio Carlos L. de Almeida Eliane Algaver de Lima João Cassemiro Barbosa Para você e a sua família o nosso respeito pela dor que sentem, pois a nossa esperança é Jesus, pois Ele é o Caminho, a Verdade e a Vida! Ele é a Ressurreição!

Foram batizadas em nossa comunidade Paroquial as crianças: Alyce Aparecida Martins Ambrosio Pai: José Joaquim Ambrosio Mãe: Aline Martins Soares

Helena Cipriano Carvalho Pai: Rodrigo Pereira Carvalho Mãe: Liliane Cipriano da Silva

Mayke Henrique da Cruz Viti Pai: Diego Pereira Viti Mãe: Tamires Chaves da Cruz

Bruna Gabriela Aparecida da Silva Pai: Denilson Aparecido da Silva Mãe: Sandra da Silva Luz

Isabelly Pereira da Silva Pai: Valdenor Orlando da Silva Mãe: Vanusa Pereira Barbosa

Vitória Cristina Feitoza da Silva Pai: Jardel Tiago da Silva Mãe: Tarciana dos Santos Feitoza

Cecilia Santos Passos Pai: Reginaldo Aparecido de Lima Passos Mãe: Gardênea Rios Santos Passos

João Felipe de Souza Lopes Pai: Edmundo Lopes da Silva Mãe: Silvia de Souza Lopes

José Joaquim Barbosa Alves Pai: José Alves Mãe: Débora Barbosa Santos

Taynara da Cunha Semeão Pai: Valdecir Rosa Semeão Mãe: Adriana Aparecida da Cunha Semeão

A criança é o sonho de Deus acontecendo no mundo! O batismo é o sonho da Igreja acolhendo a sua criança para a vida da fé! Cremos que vocês pais e padrinhos serão os seus educadores, testemunhas de fé para estas crianças viverem na comunidade de Jesus.


Proclamas

Ano IV - n 48 Sábado, 06 de Abril de 2013

Pág.

15

Proclamas de Casamento Paróquia de Santa Rita de Extrema | Arquidiocese de Pouso Alegre | Setor Pastoral Extremo Sul | COM FAVOR DE DEUS QUEREM-SE CASAR

Noivo: VANDERLEY DE OLIVEIRA Lugar e data de nascimento: Ibaiti - PR, 13 de Novembro de 1963 Lugar do Batismo: Ibaiti - PR Pai: Irineu de Oliveira Mãe: Izaura de Souza Oliveira

Noiva: MARIA APARECIDA GOMES FERREIRA Lugar e data de nascimento: Extrema MG, 04 de Maio de 1975 Lugar do Batismo: Extrema - MG Pai: Osmil Gomes Ferreira Mãe: Teresinha Maria Ferreira

Lugar e data do casamento: Extrema - MG, 04 de Maia de 2013, às 15:00h, na Santuário.

Noivo: LEONARDO BENEDITO CORRÊA Lugar e data de nascimento: Extrema MG, 10 de Maio de 1987 Lugar do Batismo: Extrema - MG Pai: Lazaro Antonio Corrêa Mãe: Luzia da Fatima Azevedo Correa

Noiva: MARTA REGINA PIAZAROLI Lugar e data de nascimento: Extrema MG, 27 de Maio de 1971 Lugar do Batismo: Jundiaí - SP Pai: Geraldo Piazaroli Mãe: Maria de Lourdes Piazaroli

Lugar e data do casamento: Extrema - MG, 25 de Maio de 2013, às 17:00h, no Santíssima Trindade.

Noivo: DIEGO JOSÉ DE OLIVEIRA Lugar e data de nascimento: Extrema MG, 26 de Setembro de 1990 Lugar do Batismo: Extrema - MG Pai: Antonio José de Oliveira Mãe: Luiza Ap. da Cunha Oliveira

Noiva: SUELEM DE MORAIS CAMARGO Lugar e data de nascimento: Extrema MG, 26 de Setembro de 1990 Lugar do Batismo: Vargem - SP Pai: Adão Aparecido de Camargo Mãe: Rosana Benedita de Morais Camargo

Lugar e data do casamento: Extrema - MG, 04 de Maio de 2013, às 17:00h, no Santuário.


Pág.

16

Ano IV - n 48 Sábado, 06 de Abril de 2013

Testemunho de Fé

Graça Alcançada

Nos meados de Junho e Julho de 2011, eu estava rezando o terço da Divina Providência, era depois das 16h. Eu estava passando por um problema de ordem familiar. Pedi a Deus providência para minha família mudar de cidade e também mudança de vida. Durante a oração do terço, veio a minha mente a imagem de uma freira com roupa de cor cinza e branca

entre o pescoço e segurava nas mãos um pequeno crucifixo. Eu estava rezando de olhos fechados, achei muito bonito e pensei, é uma freira, que será isto? Ao terminar o terço, fui à casa da Dona Célia, na terceira casa perto de onde eu morava. Dona Célia era Ministra da Eucaristia no Santuário de Santo Antônio de Pádua (Cidade de Santo

Antônio do Amparo). Contei a ela, e ela me orientou: “você viu foi Santa Rita de Cássia. Como você quer mudar de cidade, seu filho precisa de emprego e estudo, o pai dele mudar de vida também, pede a intercessão de Santa Rita e a Jesus para te conduzir para onde Deus quer”. Assim eu fiz. Vendemos a casa em novembro de 2011, e em 16 de

Janeiro de 2012, eu e minha família estávamos residindo em Extrema. Eu não conhecia Extrema e nem sabia que Santa Rita era padroeira desta cidade. No dia 26 de Janeiro de 2012, ao visitar a Igreja, com o pai do meu filho, estava rezando, quando olhei para o lado e direito, vi o altar e a imagem da mesma Santa, era Santa Rita, fiquei

emocionada e chorei muito. Agradeci a Deus a nosso Senhor Jesus Cristo e a Santa Rita de Cássia. Procurei saber da história de vida de Santa Rita. Também sofri muito com meu marido, inclusive agressões. Já fez um ano que estamos em Extrema, a mudança foi grande e as bênçãos também. Visito o Santuário toda

semana, meu marido trata da saúde, não bebe mais, meu filho estuda e trabalha, pagamos aluguel e temos tranquilidade. Foi Deus e a intercessão Santa Rita que me trouxe e trouxe minha família para Extrema. Obrigada, meu Deus! Obrigada, Santa Rita! Cirlene de Nazaré Marcos (Extrema/MG)

Jornal Santuário  

Jornal Santuário - Edição48

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you