Page 1

em festa

Junho de 2012 — ano VII — n.º 76 — mensal Distribuição gratuita — director: Acácio Soares

Lisboa

123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789

Eça de Queirós ganha projecto para o Vale do Silêncio P_3

Limpeza do Parque das Nações em risco P_3

Loja do Cidadão abre em Marvila P_5

Violência doméstica P_6

Acordar para a vida P_7

centrais

Pequeno Campeão

P_11


2

OLIVAIS - PARQUE das NAÇÕES - PORTELA - MOSCAVIDE - MARVILA - BEATO - S. JOÃO - PENHA de FRANÇA

12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 propósito do Mega Piquenique que de12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 correu no dia 16 no Terreiro do Paço, li 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 que algumas figuras da nossa praça - pra12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 ça mesmo, não Praça - ficaram muito in12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 dignadas com a festa que trouxe ali mi12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 lhares de portugueses. Disseram-se coi12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 sas do género “ai que a Praça não foi pensada 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 para isto”, “ai que o homem é leviano”, “ai que a 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 Praça é emblemática e não para fins comercias” e 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 falaram de chouriças junto ao mausoléu de Leni12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 ne e disseram que ali levar couves, porcos e va12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 cas não é digno… Hum!... Quer-me parecer que 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 não andam atentos, os pobres dos suínos são 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 menos ofensivos que muitos… Bom, é melhor não 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 ir por aí. Na minha modesta opinião as couves, os 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 porcos, as vacas, as ovelhas, os vendedores, as 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 peixeiras, os pescadores, os agricultores, os visi12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 tantes e afins não encheram tanto a Praça como quando ali se junta meia Lisboa 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 para festejar a passagem do ano sob o patrocínio de uma empresa, também ela e 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 muito bem, com fins comerciais. E nessas ocasiões salta-se, come-se, bebe-se, 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 faz-se muito, muito barulho, rebenta-se com fogo-de-artifício vindo do cimo de 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 todos os edifícios e apresenta-se ali um espectáculo muito digno se tirarmos a 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 parte em que alguns vomitam, mas também aí não há problema porque a autar12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 quia, mesmo sem patrocínio para os detergentes, limpa tudo no dia seguinte… ou 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 nos dois dias seguintes… ou na semana seguinte, no máximo (caso haja greve). 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 De qualquer forma, nunca dei por isso que alguém se incomodasse, no entanto, 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 parece-me que os ofendidos se esqueceram de contabilizar o que a cidade ga12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 nhou com o evento abrilhantado por Tony Carreira porque isso não interessa 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 nada, podiam muito bem ser eles a recuperar a estátua de D. José ou, quem sabe, 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 a distribuir cinco toneladas de alimentos por famílias carenciadas. Aliás, poderiam 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 começar logo a sua digna acção ali mesmo, junto dos sem-abrigo que todas as 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 noites fazem a cama nas arcádias junto aos ministérios tão dignos que ali habitam 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 e que nem dão pela existência desses seres humanos. Creio até que os senhorios 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 só não lhes cobram estadia porque a Praça, apesar do nome, não tem um fim 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 comercial… 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678 12345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678

Raúl Amado

A

Crónica ma s c u l i n a raulamado@gmail.com

Olha, olha os ofendidos...

R

1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 Rute Sofia Lima 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 Fico perplexa com as notícias que 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 todos os dias me chegam: 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 Famílias e empresas falidas, doentes sem 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 recursos para se deslocarem aos hospitais 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 ou para comprarem medicamentos, crian1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 ças a saírem de casa de manhã sem nada 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 comerem, jovens a abandonarem o ensino 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 por falta de condições para continuarem os 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 estudos, o numero de desempregados a au1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 mentar diariamente de forma assustadora, 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 são já cerca de 820 mil e Bruxelas já prevê 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 15,5%. 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 E colocam-se algumas perguntas: 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 As fórmulas mágicas anunciadas para 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 salvar Portugal e os Portugueses da crise 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 internacional SÃO ESTAS? 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 As medidas responsáveis que os Portu1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 gueses votaram em Junho do ano passado 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 SÃO ESTAS? 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 As promessas eleitorais do atual Gover1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 no FORAM ESTAS? 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 E por ultimo mas não menos importante: 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 O GOVERNO NÃO VÊ QUE ESTÁ A 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 ASFIXIAR E A ASSASSINAR O PAÍS, 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 AS FAMILIAS E AS EMPRESAS? 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 É claro que vê! Vê, mas insiste nesta 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 obstinação cega de “austeridade em cima 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 de austeridade”, penalizando em especial 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 aqueles que mais precisam, privando os 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 Portugueses dos seus direitos e da sua di1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 gnidade. 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 Estamos perante um grande retrocesso 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 programado e imposto por um Governo mal 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 preparado, irresponsável e leviano cuja úni1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 ca e principal preocupação é satisfazer o 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 grau de confiança dos mercados internacio1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 nais, mesmo que para isso os Portugueses 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 tenham que perder a sua dignidade, o seu 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 pão e em alguns casos, até a vida. 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 Lamentável e vergonhoso! 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 Lamentável e assustador! 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 Assustador, não saberem os Portugueses 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 se vão ter trabalho amanhã, se vão ter como 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 manter os filhos nas escolas, se vão poder 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 utilizar o serviço nacional de saúde, se vão 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 ter como alimentar-se condignamente… 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 Lamentável, termos a cuidar de nós, quem 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 não quer saber de nós! 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890 1234567890123456789012345678901212345678901234567890

Opinião

O leitor tem no EXPRESSO do Oriente um espaço onde pode participar com as suas sugestões. Escreva-nos!

Dê-nos a sua opinião para: geralexpressodooriente@gmail.com

Louvor Venho felicitá-los pela reportagem do Mário Esmoriz no vosso jornal de Maio. É de louvar iniciativas deste género, eu já tinha lido a reportagem sobre o pedido de tampas e achei escandaloso como é que pedem 80 toneladas de plástico para fazer o valor de uma cadeira de rodas tão necessária para uma criança. Mas enfim, também não compete às empresas arranjarem dinheiro para estas situações. Fico, isso sim, revoltada com o nosso Estado que perde tantos milhões em situações de todos sabemos e não tem dinheiro para dar resposta a este tipo de problemas. Será muito pedirmos que as pessoas com limitações, como é o caso do Mário, tenham um mínimo de qualidade de vida? Será que do muito que se “perde” em obras que ninguém necessita não se pode tirar o mínimo para o que é básico numa vida? Julgo que qualquer português prefere que o dinheiro dos seus impostos vá para aqui do que para pagar dívidas que ninguém sabe quem arranjou. Marta Almeida - Sacavém

Grupo

Ano . VII . n.º . 76 . Junho . 2012

Teatro amador Até que enfim alguém reparou nas oficinas de Teatro da Penha de França. Li com satisfação a reportagem sobre a marcha, mesmo antes de ter sido exibida, gostei da notícia do concerto da Páscoa, da Manhã do Ambiente e de termos 1350 novas plantas. É sinal que, mesmo que muitos não reparem, a freguesia está viva. Agradeço a divulgação do que se faz no nosso bairro, não só para o tornar visível como também porque é justo compensar o esforço das pessoas que participam nestas acções. Gosto muito de viver na minha freguesia, onde nasci à trinta e dois anos, e tenho muito orgulho em tudo o que se cá passa. Gostaria que todos sentissemos o mesmo pelo nosso país e o ajudássemos a ultrapassar esta fase difícil, sem choros nem lamechices mas sim com a força e a garra que vejo nas gentes do meu bairro.Obrigada pelo destaque. Cristina Carvalho Penha de França

Olá austeridade… adeus dignidade!

Ano_VII_n.º_76_Junho_de 2012 Mensário_Regional_de_Grande_Informação

DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

Director: Acácio Soares_acaciosoares111@gmail.com Telf:_21 920 60 85_965 864 235_publicidade.expressodooriente@gmail.com e-mail: geralexpressodooriente@gmail.com Site: www.expressodooriente.com Propriedade, sede e redacção e edição: Cometa Mágico - Av. Embaixador Aristides Sousa Mendes, 18 C - Estúdio D 2725-537 Tapada das Mercês - Mem Martins Depósito Legal n.º 239216/06NIPC 502 353 562_Capital Social_25.000,00_euros_Título Registado no ERC. n.º 124910 Periodicidade mensal_(Tiragem média/ano)_480.000 exemplares Os textos publicados e assinados são independentes da linha editorial do EXPRESSO do Oriente e são da inteira responsabilidade dos seus autores. Por motivos de clareza ou de espaço, reservamo-nos o direito de seleccionar os mesmos e publicar só os trechos que considerarmos mais importantes.


Ano . VII . n.º . 76 . Junho . 2012

123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 pre123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 tende cultivar nos jovens os valores da responsabilidade 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 cívica, a educação para a cidadania e o seu envolvimento 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 na vida da comunidade bem como o desenvolvimento de 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 competências para a participação. 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 Graça Fonseca, vereadora da Economia, salientou a im123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 portância de uma cidadania activa, pois “se não tiverem 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 vontade de dizer algo sobre qualquer assunto, vão deixar 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 que os outros decidam por vocês e é isso que acontece no 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 dia-a-dia. Gostava que levassem daqui a ideia de que par123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 ticipar faz sentido, de que ter uma opinião sobre o que 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 deve acontecer numa cidade, faz sentido, porque se não 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 forem vocês, alguém decidirá”. 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 A primeira edição do OPE, realizada o ano passado, re123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 velou-se um sucesso e este ano contou com a participação 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 de cinco escolas. Entre os projectos vencedores figura a 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 criação de um circuito de manutenção no parque urbano 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 do Vale do Silêncio, proposta pelo agrupamento de esco123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 las Eça de Queirós. 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345

Secundária Eça de Queirós ganha projecto para o Vale do Silêncio

A criação de um circuito de manutenção no parque urbano do Vale do Silêncio, proposta pela Escola Secundária Eça de Queirós, foi um dos projectos eleitos pela Câmara Municipal de Lisboa para o Orçamento Participativo Escolar de 2012. O anúncio foi feito pelos vereadores Manuel Brito e Graça Fonseca.

Junta de Freguesia dos Olivais interpõe providência cautelar

Parque das Nações pode ficar sem limpeza e recolha de lixo José Manuel Rosa do Egipto, presidente da Junta de Freguesia de Santa Maria dos Olivais, entregou no passado dia 12 ao Tribunal Administrativo do Círculo de Lisboa, ao Ministério das Finanças e ao Ministério da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território uma providência cautelar com o objectivo de travar a delegação da gestão urbana do Parque das Nações na Câmara Municipal de Lisboa. Do mesmo documento foram entregues cópias à Sociedade Parque Expo 98 e à Sociedade de Gestão Urbana do Parque das Nações. Segundo o presidente da autarquia olivalense, a CML não pretende fugir à sua responsabilidade para com o Parque das Nações, simplesmente o processo foi feito sem que fossem criadas as condições para que a autarquia lisboeta possa asse-

Funerária Palma dos Olivais

José Abreu

Rua Cidade de Benguela, Lote 300 Loja J (Junto ao cemitério dos OLIVAIS)

1800-071 Lisboa Serviço Permanente Tels: 211 083 000 918 121 155 / 919 122 298

gurar a manutenção daquele espaço. Como responsável por toda a vasta área do Parque da Nações, já que está inserida na freguesia sob a sua presidência, José Manuel Rosa do Egipto mostra-se preocupado com o problema que poderá surgir com a falta de limpeza urbana naquela zona e garante que “a Câmara de Lisboa não dispõe neste momento de verbas para pagar 500 mil euros por mês na gestão do Parque das Nações”. Recorde-se que a Ministra Assunção Cristas, responsável pelo ministério da tutela, decretou a extinção da sociedade Parque Expo passando quase imediatamente a gestão daquele território para a CML.

S LENTES A D A T R E F O S DE COR A IV S S E R G PRO

O Orçamento Participativo Escolar

15% desconto a sócios e familiares dos Bombeiros Voluntários de Cabo Ruivo

3

OLIVAIS - PARQUE das NAÇÕES - PORTELA - MOSCAVIDE - MARVILA - BEATO - S. JOÃO - PENHA de FRANÇA

Siga-nos

no facebook

O presidente da Junta de Freguesia dos Olivais, acompanhado por Rute Lima e João Pinheiro, à saída das instalações da Parque Expo, onde foi entregar cópia da Providência Cautelar que conta também com o apoio da Associação de Moradores e Comerciantes do Parque das Nações (AMCPN) e do Clube Rotário do Parque das Nações

ADVANCE CARE ADM - GNR - CGD SAMS/QUADROS - PSP E OUTROS

Medicina Dentária Análises Clínicas Fisioterapia, Clínica Geral Implantes Dentários Cardiologia, Endocrinologia Ginecologia, Nutrição Ortopedia Otorrinolaringologia Endocrinologia, Podologia Psicologia, Psiquiatria Terapia da Fala

Junto ao Spacio Shopping e Metro Olivais Rua Cidade de Bolama, 3 r/c Esq.º Olivais Sul - 1800-077 Lisboa Telefone: 218 516 388


4

OLIVAIS - PARQUE das NAÇÕES - PORTELA - MOSCAVIDE - MARVILA - BEATO - S. JOÃO - PENHA de FRANÇA

Ano . VII . n.º . 76 . Junho . 2012

A opinião do e leitor Helena Duque

Conta-nos a História de Lisboa que a Penha de França começou a desenvolver-se com o início da construção da Igreja, em 1597, e do Convento em 1603, sendo a partir dessa altura e ao longo de todo o século XVII, que começaram a surgir diversas quintas da nobreza. No dia da celebração de Todos-os-Santos, em 1755, a Igreja da Nossa Senhora da Penha de França estava repleta de gente quando se deu o terramoto que terá matado mais de 300 pessoas das 800 que assistiam à missa. A Igreja ficou totalmente arruinada e assim permaneceu durante mais de 30 anos. Durante esse período a imagem de Nossa Senhora, que nada sofreu com o terramoto, foi mantida na Igreja da Graça. Um ano após a reconstrução da Igreja da Penha de França, saiu dali a primeira procissão que desde então se realiza todos os anos, no mês de Maio ou Junho. Este ano o EXPRESSO do Oriente acompanhou o cortejo e falou com alguns participantes para lhe dar a conhecer o que os leva anualmente a esta manifestação de fé.

Maria Cristina Anselmo

José Pires

Uma forma de aproximar a comunidade

Está a perder-se a tradição

Acredito que vai reavivar

Este ano temos menos pessoas a assistir ao espectáculo porque a população é idosa e muitos não podem vir até cá, mas mesmo assim enfeitam as janelas e manifestam o seu apoio. Eventualmente há menos adesão, mas o mesmo acontece com os restantes eventos católicos. Acho que é uma forma de aproximar a comunidade, mas acho que deviam dinamizar mais grupos para atrair os mais novos, mais crianças. Tenta-se que as crianças participem através da catequese e dos escuteiros mas a adesão tem sido baixa. Com a chegada do novo pároco tenho notado mais pessoas nas missas e isso é um aspecto importante. Este é o seu primeiro ano mas parece que já vemos mais crianças.

Sempre me identifiquei com esta procissão pois sou católica. Gosto de ver os andores enfeitados e as pessoas que se juntam para acompanhar. Já não são tantas porque a população está a envelhecer e os novos não aderem a estas festas, está-se a perder a tradição. Era bom que se pegasse nas irmandades e se fizesse algo delas, talvez se a igreja tivesse uma mentalidade mais aberta atraísse mais jovens, porque ao invés de cativarem só os afastam.

Este é o segundo ano que assisto a esta procissão. Gosto de tudo o que sejam tradições e acho que estas se devem manter porque é algo que traz as pessoas à rua. Os jovens não ligam muito a estes eventos mas é natural, na idade deles estão mais lançados para outras coisas. Mas acredito que vai chegar uma altura em que vão voltar a dar mais atenção à religião, acredito que vai reavivar.

Vasco Pires

Está cada vez mais pobre Há 46 anos que assisto e noto que a procissão está cada vez mais pobre, mais pequenina. Precisam de atrair mais pessoas. Esta era uma procissão que tinha cavalos e que enchia as ruas. As pessoas enfeitavam as varandas a preceito e agora já quase não se vêem varandas decoradas, vaise perdendo a tradição.

Carlos Travassos

O percurso torna-se cansativo Assisto todos os anos porque esta é a minha religião. Mas este ano está muito diferente, nem os cavalos vieram, o que é algo que se fazia há muitos anos. Também noto que estão menos pessoas, talvez porque o percurso seja um pouco comprido e nem toda a gente consegue fazê-lo pois torna-se cansativo.

António Ferreira Maria Helena

Não ligo muito Teresa Pires Diana Simão

Mário Duque

Momento para reflectir Quase todos os anos assisto a esta procissão. Faz parte da Paróquia que frequento e os meus filhos andam lá na catequese. A nossa Senhora da Penha de França é a Santa Padroeira da Freguesia. Antigamente, recordo-me que havia cavalos a acompanhar a procissão, agora é só a orquestra. Há uma altura a meio do percurso em que os idosos saem à rua e se juntam para assistir e é giro de se ver. É um bom momento para pensarmos e reflectirmos sobre a vida.

Esta é a nossa Santa Padroeira Trata-se de uma devoção mas este ano tem um significado muito especial para mim porque a minha filha fez a sua primeira comunhão e agora integra o desfile. Mas este ano está um pouco esquecido e há pouca juventude a participar, por exemplo, dos 17 que fizeram a comunhão com a minha filha só sete é que estão aqui hoje na procissão. Não sei como, mas deviam fazer algo para incentivar a participação dos mais novos visto que é uma tradição da Freguesia e esta é a nossa Santa Padroeira.

É um dia diferente Gosto de assistir porque faz parte da minha escolha enquanto religião e ainda por cima faz parte da tradição da minha Freguesia. Cresci, casei e criei os meus filhos aqui, que por sua vez estão a criar os meus netos aqui. Acho que deviam continuar porque é bonito, é algo que junta a população. É um dia diferente. Mas também é verdade que antigamente traziam mais santos nos andores, este ano foi só a Nossa Senhora e o menino Jesus. Também cada vez há menos pessoas a aderir e os jovens já não querem saber de religião. As tradições vão-se perdendo.

Sinceramente não ligo muito a estas coisas, normalmente venho assistir para fazer companhia à minha mulher. Moro na Freguesia há 40 anos e de dia para dia há cada vez menos população jovem e isso reflecte-se na procissão. Antigamente via as escolas e ruas cheias de crianças, agora é só gente envelhecida e esses quase não podem sair à rua para assistir à procissão.

As pessoas já não ligam Há 23 anos que assisto a esta procissão e tenho notado que cada vez está mais fraco. As pessoas já não ligam muito, agora é maioritariamente os velhotes e os mais novos não querem saber. Isto antigamente também tinha mais andores, tinha cavalos e mais bandas a tocar. Era mais bonito.

Participa, comenta e partilha a informação que transportamos

Faz-te nosso amigo e fica bem informado www.expressodooriente.com


Ano . VII . n.º . 76 . Junho . 2012

OLIVAIS - PARQUE das NAÇÕES - PORTELA - MOSCAVIDE - MARVILA - BEATO - S. JOÃO - PENHA de FRANÇA

5

1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 É muito bom fazer novas amizades, mas é melhor ainda reencontrar 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 velhos amigos. A alegria que os reencontros despertam e, sobretudo, 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 o regresso que se faz ao passado tornando-nos outra vez crianças 1234567890123456789012345678901212345678901234 é o motivo que leva os jovens dos anos 50/60 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 do Bairro da Encarnação, na Freguesia dos Olivais, 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 a reunirem-se para um almoço-convívio anual. 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 Várias dezenas de amigos estiveram presentes na confraternização 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 Como manda a tradição, Fer1234567890123456789012345678901212345678901234 nando Perfeito e Carlos Félix voltaram a or1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 ganizar um almoço que reuniu várias deze1234567890123456789012345678901212345678901234 nas de amigos do Bairro da Encarnação. Um 1234567890123456789012345678901212345678901234 doce regresso ao passado, no qual a memó1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 ria se encarrega de trazer os sentimentos, 1234567890123456789012345678901212345678901234 antigos e valiosos, que julgavam perdidos. 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 Recordam-se velhas aventuras e é como se 1234567890123456789012345678901212345678901234 fossem outra vez os miúdos do Bairro. 1234567890123456789012345678901212345678901234 Fernando Perfeito agradeceu a presença 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 de todos neste convívio, “especialmente 1234567890123456789012345678901212345678901234 Fernando Perfeito durante a àqueles que vieram de tão longe para estar 1234567890123456789012345678901212345678901234 homenagem Fernando Barreiras 1234567890123456789012345678901212345678901234 connosco aqui, oriundos de Portimão, Sesim1234567890123456789012345678901212345678901234 bretudo o seu baixo custo, porque sem a bra, Setúbal e Alentejo.” 1234567890123456789012345678901212345678901234 comparticipação destas duas autarquias não Houve ainda tempo para prestar uma ho1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 era possível vendê-lo a este preço”. menagem a Fernando Barreiros, o autor do 1234567890123456789012345678901212345678901234 O autor, Fernando Barreiras agradeceu livro “O Bairro da Encarnação e as antigas 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 também o apoio de todos e em particular de Quintas dos Olivais”. De acordo com Fer1234567890123456789012345678901212345678901234 Fernando Perfeito que “em todas as fases da nando Perfeito “todos os anos, nestes almo1234567890123456789012345678901212345678901234 preparação do livro deu uma colaboração fanços, vínhamos falando deste livro e o seu au1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 tástica e mesmo depois de ser publicado contor quase desanimou com tantos obstáculos 1234567890123456789012345678901212345678901234 tinua a apoiá-lo fortemente, não acredito que que foram surgindo, mas há bem pouco tem1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 alguém possa apoiá-lo mais do que ele”. po fez-se a publicação e foi um sucesso.” 1234567890123456789012345678901212345678901234 A festa continuou animada até ao início Referiu ainda que é “graças à Junta de Fre1234567890123456789012345678901212345678901234 da noite, com muita música,dança e sobreguesia, que levou o livro até à Câmara que se 1234567890123456789012345678901212345678901234 1234567890123456789012345678901212345678901234 tudo muita amizade. deve também a publicação deste livro e so1234567890123456789012345678901212345678901234

Reencontro dos “miúdos”

Abriu ao público, no passado dia 11, a nova Loja do Cidadão em Marvila, localizada no interior do Centro Comercial Pingo Doce da Bela Vista. Este novo espaço vem apoiar a população que conta agora com o Balcão Multisserviços onde pode tratar de assuntos relacionados com a ADSE, Caixa Geral de Depósitos, IMTT, Direcção Geral do Consumidor, entre outros. Para além deste balcão multifuncional tem também ao seu dispor o Balcão Único Municipal, a Direcção Geral da Administração da Justiça, a Gebalis, a Segurança Social e diversas outras empresas de serviços com interesse para a gestão do dia-a-dia. A nova loja funciona todos os dias úteis entre as 09:00h e as 19:00h e aos sábados entre as 09:00 e as 13:00h.

Mais vida no Terreiro do Paço

Num projecto de reabilitação desenvolvido pela Associação de Turismo de Lisboa (ATL) e pela Câmara Municipal de Lisboa, com assinatura do arquitecto Tiago Silva, nasce agora e com total respeito pelo valor histórico e arquitectónico, a renovada Ala Nascente do Terreiro do Paço. O objectivo da criação deste novo espaço que se junta ao já famoso Pátio da Galé, é proporcionar uma maior oferta de lazer e turismo aos visitantes daquela zona nobre da capital portuguesa.

Entre esplanadas, uma cervejaria, cafés, restaurantes, geladarias ou pizzarias, encontra-se também um quiosque com a famosa ginginha e uma loja de conservas gourmet que nos permite saborear uma sardinha ao mesmo tempo que se ouve o som da guitarra portuguesa. Para apoio da restauração, a Ala Nascente oferece também uma esplanada com capacidade total de 1280 lugares e um inovador conjunto de wc’s públicos. No terreiro do Paço não foi esquecido o santo “casamenteiro” e a loja de flores ali instalada foi inspirada nos tronos de Santo António. A noite foi também lembrada e o espaço está equipado com uma discoteca que pretende, com a sua decoração elegante e repleta de glamour, ser distinguida como clube nocturno de referência. Por inaugurar fica o Lisbon Story Center, um equipamento dedicado à história de Lisboa, mas com a promessa de que em setembro já poderemos desfrutar deste centro de interpretação que convida o visitante a descobrir a cidade de forma lúdica e interactiva, recorrendo às novas tecnologias. A operação de reconversão da Ala Nascente ocupa mais de cinco mil metros quadrados e representa um investimento de 10 milhões de euros sendo 70 por cento suportado pela ATL e o restante pelos concessionários.

Para anunciar basta ligar 96 586 42 35

Oculista nos OLIVAIS, junto ao NICO GRILO e aos CTT

Siga-nos no FACEBOOK em: www.facebook.com/moptica.olivais R. Capitão Tenente Oliveira e Carmo, Lt. 144 - loja Esqª - 1800-050 Lisboa

moptica.olivais@gmail.com

Tel./Fax. 21 590 82 56 ou 91 590 89 98


6

OLIVAIS - PARQUE das NAÇÕES - PORTELA - MOSCAVIDE - MARVILA - BEATO - S. JOÃO - PENHA de FRANÇA

A violência doméstica

Ir e n F e rn a n d in e ho, hoje com 69 anos p a ss o u a vi d a a so fr e r

é um fenómeno complexo que Marco António atinge todas as (nome camadas sociais, fictício), todas as idades pediu o anonimato e existe no mais da sua s variado tipo de relaçõe imagem de r familiares. Apesa Lisboa existirem na cidade de dão apoio várias instituições que e na freguesia às vítimas, o certo é qu resposta para estas de Marvila não havia que foi ali criado, situações, tanto assim cto Be@triz 14. recentemente, o Proje nadora do programa, Falámos com a coorde os a saber que este Elsa Montoya, e ficám l ido pelo Centro Socia é um projecto promov iz, financiado pelo e Cultural Santa Beatr Câmara Municipal programa BIP/ZIP da mo área de intervenção de Lisboa e que tem co e das Amendoeiras. os bairros da Flamenga

O que é o Be@triz 14? Trata-se de um Gabinete de Prevenção e Intervenção na violência doméstica que apoia adultos e crianças vítimas deste problema, criando e promovendo condições que contemplem também um acompanhamento ao agressor por forma a desviálo de comportamentos violentos. Pretende ainda intervir na área da prevenção através de acções de sensibilização nas escolas (sobre bullying, violência escolar e no namoro) no âmbito da Educação para a Cidadania. No Projecto Be@triz 14 cada caso é um caso e estes são acompanhados a par e passo, para isso contam com uma equipa composta por uma psicóloga clínica e um terapeuta familiar, uma técnica de serviço social, um advogado e um jurista. O mais importante é apoiar as vítimas do início até ao fim do processo, “porque de um momento para o outro

A F M

muda tudo na vida destas pessoas e elas precisam de se restabelecer psicologicamente e de se sentirem acompanhadas”, explica Elsa Montoya. Os técnicos ajudam a accionar um conjunto de direitos que por vezes as vítimas “desconhecem ter ou porque é de difícil acesso. Aliás, muitas delas pensam que por saírem de casa podem ficar sem os filhos e isso já não é assim.” O programa dá também apoio na procura de emprego, bem como na criação de novas competências no mercado de trabalho e encaminha na candidatura a casas sociais, “pois algumas não saem de casa porque não têm para onde ir, porque sempre dependeram dos maridos financeiramente.” Fala-se sobretudo de violência praticada pelos maridos sobre as mulheres mas também existe o oposto ou mesmo casos em que ambos são vítimas e agressores simultaneamente, são situações de casais em que a violência é mútua e que mes-

AGÊNCIA FUNERÁRIA MATIAS Gerência de António Matias

Funerais * Cremações * Trasladações

MOSCAVIDE * OLIVAIS * PORTELA Nos momentos mais difíceis conte com a nossa ajuda www.funerariamatias.web.pt CONTACTOS 24 HORAS Loja de Moscavide: Rua Gonçalo Braga, 24 A – 219 444 677 Loja de Odivelas: Rua Dr. Sidónio Pais, 62 B – 219 340 724 Tlms. 917 648 982 – 916 144 835

Ano . VII . n.º . 76 . Junho . 2012

Acri doce mo assim não se querem separar, aí o mais importante é que estes técnicos nunca se sobrepõem à vontade da vítima, “mostramos apenas as hipóteses que elas têm”. O gabinete de apoio é procurado maioritariamente por mulheres, no entanto, também atende homens, nestes casos, a maioria das queixas surge de relações homossexuais. Recebe igualmente muitos pedidos de ajuda de portugueses a viver no estrangeiro, através da página na internet, que os técnicos tentam “orientar no que nos for possível e encaminhamo-los para as instituições competentes nos países em que se encontram”. Quando falamos de violência doméstica, muitas vezes não nos apercebemos bem do que isto representa na vida de uma pessoa. A vergonha de ser abusada por aqueles que nos são mais próximos, aliada ao amor que um dia por eles sentimos, faz-nos deixar que os abusos se vão prolongando no tempo até que haja um rasgo de coragem para cortar com todo o passado. Sobre isto mesmo fala-nos Irene Fernandinho, hoje com 69 anos. Nasceu na Beira Interior em 1943 e cedo veio para Lisboa trabalhar como criada interna. Tinha então 14 anos e numa das suas tarefas diárias de ida ao mercado, conheceu o homem com quem viria mais tarde a casar, começando aí o seu percurso de vítima. As agressões eram uma constante e por isso diversas vezes tiveram de se mudar das casas camarárias onde habitaram devido às queixas dos vizinhos. Teve dois filhos e nem mesmo durante a gravidez o marido deixava de lhe bater, sempre que bebia era certo e sabido que haveria discussão e chegou a bater nos sogros quando estes tentavam ajudar a filha, nessa altura Irene Fernandinho apresentou queixa na GNR porque o marido partiu um braço à mãe dela mas a queixa nunca teve consequências. Ao fim de muitos anos de constantes agressões, Irene tomou coragem e avançou com

mais uma queixa, os filhos já estavam criados e na sua ideia já não tinha nada a perder mas foi surpreendida pelo depoimento da filha, desmentindo a mãe em Tribunal. A queixa mais uma vez não surtiu efeito e começou a ser apoiada pela Associação Portuguesa de Apoio à Vítima que a aconselhou a entrar com um processo de divórcio. Em Janeiro de 2011 conseguiu finalmente a separação legal do pai dos seus filhos não sem antes ter sido também agredida pela própria filha que a deixou com várias vértebras partidas ficando incapaz de andar sem auxílio”. Neste momento ainda conta com o apoio do Projecto Be@triz 14. Numa situação parecida encontra-se Marco António. Aqui falamos de violência psicológica, também muito comum nas relações mas que passa despercebida aos olhos dos amigos e familiares porque as marcas que deixa não são visíveis. Homossexual assumido desde os 20 anos, tem hoje 40 e conheceu o seu companheiro há cerca de nove, “ele tinha acabado de se divorciar e nunca tinha tido um caso amoroso com outro homem”, conta. Os primeiros anos de vida em comum foram muito intensos, passava muito tempo com a família do seu par, embora fosse apresentado como um amigo com quem dividia a casa, passeavam muito e iam juntos para todo o lado, o romance era vivido em pleno e frequen-

temente era brindado “com um presente em datas especiais, com flores ou algo assim”, e nem mesmo quando Marco António descobriu que tinha HIV o companheiro o deixou. No entanto, com o desgaste do tempo a relação foi esmorecendo e ao fim de seis anos decidiram dar um tempo. A partir do momento em que o companheiro saiu de casa o pesadelo começou. Apesar de já não terem uma relação assumida, Marco António começou a sentir-se perseguiElsa do, afirma receber cartas ameaçadoras e ter os seus passos e os seus relacionamentos todos controlados tendo sido mesmo ameaçado de morte quando o ex-companheiro soube que um amigo ficara na sua casa durante uns dias. Perante tanta insegurança e pressão psicológica, Marco António fez queixa à Protecção Contra a Violência Doméstica que lhe forneceu um equipamento de segurança que alerta as autoridades em caso de perigo. Foi então encaminhado para o Projecto Be@triz 14 para receber acompanhamento psiquiátrico, pois já por duas vezes tentou o suicídio. A fragilidade com que ficou devido a esta situação fez com que perdesse o emprego e, com as contas da casa para pagar, o dinheiro mal chega para comer agravando assim a sua condição física já por si debilitada. Vale-lhe a ajuda do Projecto Be@triz 14, do Ban-

Montoya é a coordenadora do projecto Be@triz 14

co Alimentar e da irmã que o ajuda conforme pode. Na sua expressão de olhar vago Marco António – nome que escolhemos para garantir a sua privacidade – confessa-nos. “tem sido uma luta diária à espera do que vida me propõe”. O Projecto Be@triz 14 tem as suas portas abertas de segunda a sexta-feira, das 9 às 17h30 e está situado no Centro de Dia Santa Beatriz em Marvila, no Bairro das Amendoeiras. Dá apoio a todos os que o procuram, quer sejam encaminhados por profissionais, a pedido das famílias ou dos próprios. Atende vítimas ou agressores. Se precisa ou tem conhecimento de alguém em situação de risco ligue 218371889 ou contacte o projecto através de e-mail: projectobeatriz14@gmail.com

olência doméstica ? O quedomééstvi ica

cometido no âmbito da é qualquer “acto ou omissão à vida, à integridade tado aten a stitu con que , bros família por um dos seus mem da mesma família ou bro mem o outr e de um ou de física ou psíquica ou à liberdad onalidade”, determio desenvolvimento da sua pers que comprometa gravemente na o Conselho da Europa. a vítima, indo desde r forma de contacto que magoe Esta pode ser Física: qualque queimaduras e agress, ento ncam espa aos até tapé a bofetada, o murro ou o pon sões com objectos e armas. des valo riza r, ou afirm açõ es que pret end em Psic ológ ica/ emo cion al: acç ões ões, injúrias, ilhaç hum , ltos insu ima -est a sua auto culpabilizar a vítima, afectar intimidações, ameaças. tade. icas sexuais contra a sua von Sexual: submeter a vítima a prát o desta com a fatact con o indo ring da vítima, rest Social: promover o isolamento ados de saúde. cuid aos ao telefone, negar o acesso mília e amigos, proibir o acesso cos, impedir a bási rsos recu os outr a ou dinheiro Económica: negar o acesso ao e educação. sua participação no emprego m apresentadas cção Geral da Administração fora Dire da os dad os com do acor De opolitano de Metr o and Com do PSP 2.ª divisão da foi Dezem343 queixas nas esquadras da ções icipa part o que o mês que teve mais Lisboa, no ano passado, send adas foi a 34.ª sent apre cias rrên oco mais a zona com bro. A esquadra da polícia dest Zona J/Chelas, com seguida da 16.ª Esquadra, na Esquadra, nos Olivais, com 155, uadra, no Parque Esq 40.ª ; cias rrên oco 47 com s, 56; 38.ª Esquadra, Zona N1/Chela , com 38. elas I/Ch a Zon ra uad por fim a 14.ª Esq das Nações, com 45 queixas e e em grande número da part m faze o, inin fem sexo do As vítimas, na sua maioria éstica, procure ajuda. s. Se é vítima de violência dom faixa etária dos 25 aos 64 ano ferente. indi e fiqu si nesta situação, não Se conhece alguém próximo de

Vio lên cia


Ano . VII . n.º . 76 . Junho . 2012

OLIVAIS - PARQUE das NAÇÕES - PORTELA - MOSCAVIDE - MARVILA - BEATO - S. JOÃO - PENHA de FRANÇA

Acordar para a vida Jorge Pina é um exemplo de coragem e determinação

Jorge Pina começou a interessar-se pelo desporto através do futebol, mas cedo percebeu que o seu futuro não estava nos relvados. Treinava num clube local e certo dia, no decorrer de um jogo “um colega deu-me um encontrão por trás e eu virei-me e deilhe um soco. O árbitro expulsou-me e eu corri para os balneários a chorar”. Passada a fase de desabafo, pensou para si como quem procura consolo: “já que não tenho jeito com os pés vou tentar com as mãos”. E decidiu dedicarse ao boxe. Desde cedo foi conquistando títulos como pugilista, primeiro como amador “alcancei tudo o que podia” e depois, como profissional, obteve três títulos de campeão nacional em categorias diferentes. Mas a sua vida não era um mar de rosas. O pai era polícia, a mãe doméstica e viviam numa barraca que os pais construíram no Bairro do Rego, em Santos, e que ia aumentando à medida que a família crescia. Vivia “num bairro social como tantos outros em Portugal, havia de tudo lá.” O sucesso repentino que obteve enquanto pugilista acabou por levá-lo por caminhos obscuros, “para a noite, para as discotecas e para as drogas”. Grande parte desse período foi vivido já em Chelas, na Freguesia de Marvila, quando foi morar

com a sua mãe para o Bairro do Armador. “Oscilei muito, tive que passar por várias situações e várias dificuldades para chegar aqui, onde estou agora, e atingir este nível de equilíbrio”.

O ponto de viragem Estava numa competição, em Espanha, quando tudo aconteceu. A meio do combate de boxe “comecei a sentir um borbulhar no olho esquerdo como se fosse água gaseificada, mas o treinador não via nada”. Mais tarde foi ao médico que lhe recomendou que voltasse para Portu-

gal e que descansasse, “mas não me elucidou da gravidade do problema”. Um atleta profissional daquele nível nunca iria parar e continuou a treinar. “Fui combater ao Algarve, depois à Polónia e quando chego reparo que não consigo sentir a claridade da luz no olho”. Voltou ao médico para uma consulta de rotina e foi aconselhado a ser operado de urgência, “a retina do olho esquerdo estava completamente descolada”. A partir deste dia foram várias as vezes que entrou num bloco operatório até que ficou cego do olho esquerdo. Apesar de todas as dificuldades que passou na vida sempre manteve a fé, mesmo quando os médicos lhe disseram que se não operasse o outro olho perdia completamente a visão. “Não via motivos para isso porque eu andava bem, escrevia e conseguia ler mas acabei por fazer a operação porque não queria ficar cego”, e seguiram-se outras tantas intervenções que

lhe roubaram 90 por cento da capacidade de visão. Sentir que estava a deixar de ver foi complicado, “mas depois de aceitar o que me tinha acontecido tornou-se mais fácil”. Às vezes as pessoas queixam-se das coisas más que lhes acontecem na vida, mas Jorge Pina não é assim. “Todos nós temos uma força enorme dentro de nós, só que não a sabemos trabalhar. Não desisti e nunca me revoltei”.

Do boxe para o atletismo

7

Jorge Pina estava a competir pelo título mundial de pugilismo quando ficou praticamente cego, resta-lhe cerca de 10 por cento de visão num dos olhos. Uma situação que muitos não conseguiriam enfrentar mas que Pina encarou à altura tentando adaptar-se, ultrapassando as dificuldades e sagrando-se campeão. Aos 36 anos é um exemplo de coragem para muitas pessoas, detentor de uma força extraordinária capaz de derrubar quaisquer obstáculos, por mais difíceis que pareçam. O EXPRESSO do Oriente conta-lhe a história de um ex-campeão de boxe, reconhecido internacionalmente, e único pugilista com três títulos nacionais em categorias diferentes sil, depois os Jogos Paralímpicos de Pequim, em 2008. Mas o que o fez sentir mais orgulho foi vencer a medalha de prata num campeonato da Europa numa modalidade que não era a sua. “Sempre fui atleta de meio-fundo mas nesse dia faltava um elemento para fazer a prova de estafetas 4x4 de 100 metros e acabei por chegar ao pódio”. Ao fim de seis anos nesta condição considera-se uma

que tenta transmitir nas conferências em que é convidado a falar e também aos seus alunos na associação que criou, a Jorge Pina Boxing Team, a funcionar no Pavilhão dos Lóios, em Marvila. “Nunca podemos escolher o caminho mais fácil porque este não dá prazer. A fama não é tudo, a melhor riqueza que temos é o amor.” Pretende mostrar que o boxe é uma “arte nobre e não um despor-

No meio de uma consulta de rotina recebeu um telefonema de um amigo de longa data, Nuno Magalhães, “a dizer que conhecia alguém que treinava pessoas com deficiência visual e perguntou-me se estava interessado. Nesse momento, perguntei ao médico se podia fazer atletismo e saí a correr para ir ter com ele”. Em atletismo conquistou o campeonato do mundo do Bra-

Jorge Pina desde cedo que conquista títulos

O boxe é uma “arte nobre e não um desporto de arruaceiros”, refere Jorge Pina

xpress EdoOrienteO

pessoa mais calma, mais tranquila, “costumo dizer que antes era cego, agora é que eu vejo. Temos a mania de rotular tudo com os olhos: aquela casa é bonita, aquele carro não presta… agora passei a ver o mundo de outra forma, da melhor maneira possível, sem julgar. Para mim tudo é bonito”. Entretanto, voltou a estudar e tirou um curso de massagista e auxiliar de Fisioterapia. “A vontade de vencer e querer ultrapassar as dificuldades é que me dá esta força toda”. E é esta a mensagem

to de arruaceiros, que lhes vai dar muita força e tornálos uns lutadores, não quero que o sejam no ringue mas sim na vida”. Ao seu lado, a ajudá-lo nesta tarefa, tem o treinador Edésio Rodrigues e o próximo projecto será arranjar uma sede para associação onde irá alargar o leque de actividades para as crianças. “Ir muito além do boxe, o objectivo é mantê-los ocupados, arranjando algo que eles gostem de fazer e que se sintam bem ao fazê-lo.”

Transporta até si toda a informação www.expressodooriente.com

Sempre consigo


8

OLIVAIS - PARQUE das NAÇÕES - PORTELA - MOSCAVIDE - MARVILA - BEATO - S. JOÃO - PENHA de FRANÇA

na venceu, A Marcha do Alto do Pi ecutivo, pelo segundo ano cons Populares o concurso de Marchas de Lisboa. ourinho Carlos Mendonça, o “M ou nada ao acaso das Marchas”, não deix dou para o Alto e por isso mesmo arreca da menos do Pina, nada mais, na elhor Coreografia, do que os prémios de M a lado com Alfama), Melhor Figurino (lado Musicalidade Melhor Letra, Melhor enida. e Melhor Desfile na Av r sido melhor A noite não poderia te chantes para este grupo de mar egada dos ciganos que levou a desfile a ch ao bairro no século XIX. a marcha Em segundo lugar ficou u também de Alfama que consegui Figurino destacar-se no Melhor bem como ganhar Original a Melhor Composição u-se Alcântara. e em terceiro posiciono

Ano . VII . n.º . 76 . Junho . 2012

Alto do Pina

novamente

vencedora Apesar de não ficar nada mal classificada, a verdade é que na Marcha de Marvila impera o sentimento de injustiça com a pontuação obtida. As expectativas eram altas e não ficar, pelo menos, entre os três primeiros lugares foi motivo de tristeza para os marchantes que deram o tudo por tudo numa avenida repleta de marvilenses com uma garra que, só por si, faz da sua marcha uma vencedora.

o t a e B

Marvila A classificação obtida pela Marcha do Beato na exibição deste ano pode ser fraquinha mas a beleza com que se apresentaram no desfile e a força que transmitiram ao público que os apoiou, vale bem um primeiro lugar no coração das gentes do Beato. Classificações finais das Marchas Populares 2012

1.º Alto do Pina 2.º Alfama 3.º Alcântara 4.º Bairro Alto 5.º Marvila 6.º Castelo

7.º Mouraria 8.º Penha de França 9.º Madragoa 10.º Bica 11.º S. Vicente 12.º Beato e Graça

13.º Carnide 14.º Olivais 15.º Belém 16.º Santa Engrácia 17.º Baixa e Campolide

* A Marcha da Ajuda foi desclassificada por incumprimento do regulamento no seu artigo 10.º, n.º 1 (Composição das Marchas Populares)

Classificações por categoria: Melhor Coreografia – Alto do Pina; Melhor Cenografia – Alcântara; Melhor Figurino – Alfama e Alto do Pina; Melhor Letra – Alto do Pina; Melhor Composição Original – Alfama “Gentes de Alfama”; Melhor Desfile na Avenida – Alto do Pina


Ano . VII . n.º . 76 . Junho . 2012

OLIVAIS - PARQUE das NAÇÕES - PORTELA - MOSCAVIDE - MARVILA - BEATO - S. JOÃO - PENHA de FRANÇA

Penha de França

A Penha de França saiu à ru aos encantos da coreog a e a Avenida parou, rendida envergadas pelos march rafia e, sobretudo, das roupas antes que foram mudan do ao longo da exibição. A frescura, ju da Penha de França valeu ventude e alegria da Marcha de não ser o resultado es -lhes um 8.º lugar que, apesar perado, muito honrou a freguesia.

Olivais

A elegância, a cor, o movimento e a beleza com que se apresentou ao público a Marcha dos Olivais não convenceu o júri que apenas lhe atribuiu o 14.º lugar na classificação final. Fica a promessa de que o desânimo agora sentido, dará lugar à garra que no próximo ano os poderá levar à vitória.

Fernando C. P. Perfeito VENDAS A PRESTAÇÕES Sempre à disposição dos seus clientes

com uma vasta gama de Material de Som, Televisão e Electrodomésticos de consagradas marcas

AR CONDICIONADO

Campanha Whirlpool Combinados Máquinas de Lavar Roupa Máquinas de Secar Roupa Máquinas de Lavar Loiça

AGENTE ROBBIALAC Concessionário e distribuidor na Zona Oriental de Lisboa

Drogaria e Perfumaria Aeroporto Produtos químicos e material de limpeza Venda por grosso e a retalho Rua das Escolas, 18-B, 20-B e C 1800-197 Lisboa Telfs: 21 852 01 57 - 21 851 11 85 Fax: 21 851 15 93

Os estabelecimentos mais antigos do Bairro da Encarnação

9

Rua Cidade de Lobito, Lote 268 - loja - Olivais Tel: 21 851 59 98 e 21 851 22 40 (Junto à Quinta Pedagógica)

Vá para férias com o novo look londrino


10

OLIVAIS - PARQUE das NAÇÕES - PORTELA - MOSCAVIDE - MARVILA - BEATO - S. JOÃO - PENHA de FRANÇA

Ano . VII . n.º . 76 . Junho . 2012

Rendas apoiadas causam discórdia

Mata da Madre de Deus repleta de crianças Foto de arquivo EXPRESSO do Oriente

O Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana (IRHU) pretende aplicar o regime de renda apoiada a todos os seus inquilinos em todo o país. No bairro dos Lóios, em Marvila, os habitantes discordam destas medidas e muitos preferem mesmo comprar as habitações já que existe essa possibilidade.

O Dia Mundial da Criança foi festejado na Mata da Madre de Deus com muita alegria. Num dos espaços de excelência da freguesia do Beato, os miúdos e também muitos graúdos tiveram a oportunidade de passar, da melhor forma, um dia em família. A Junta de Freguesia proporcionou momentos de grande satisfação ao oferecer o acesso a diversões insufláveis que fizeram as delícias de todas as crianças que por ali passaram no primeiro dia de Junho. O presidente da Junta de Freguesia também esteve presente e testemunhou a satisfação dos mais pequenos.

BEATO EM FAMÍLIA Festas da da Festas Freguesia Freguesia Dia 1 de Julho das 15h30 às 17h00 Danças Sevilhanas, Flamenco, Sapateado, Teatro pela Academia Artist Dia 7 das 15h30 às 18h30 Jogos tradicionais Dia 8 das 15h30 às 17h30

Mata da Madre Deus Pinturas faciais, modelagem de balões, jogos com música (actividades para crianças) Dia 14 17,30 às 19h00 Espectáculo de Fado Dia 15 das 15h30 às 18h00 Rastreios de colesterol, glicemia e tensão arterial

Os preços variam entre 23 e 37 mil euros para tipologias T1 e T4, respectivamente, mas no caso em que os inquilinos não possam ou não pretendam comprar, as rendas serão ajustadas ao rendimento do agregado familiar e seguidas as normas do regime de renda apoiada. O Movimento Contra a Renda Apoiada acusa o IRHU de estar a proceder a uma alteração repentina no sistema de arrendamento social ao que Vítor Reis, presidente daquele instituto, responde que se assim não for “serão os contribuintes a pagar o empréstimo de 55 milhões de euros contraído em 2007 para reabilitar os bairros sociais” e acrescenta que o IRHU perde anualmente cerca de seis milhões de euros, resultado da falta de actualização das rendas.

O movimento comunica que repudia a decisão que considera injusta mas o IRHU adianta que as alterações serão baseadas nos “princípios existentes no regime em vigor” e garante que os moradores não serão penalizados, no entanto, refere que existem famílias cujo rendimento é superior a 1500 euros líquidos e pagam menos de 25 euros de renda mensal. O presidente afirma ainda que o processo de venda das habitações decorre “a pedido de muitos moradores do bairro dos Lóios” onde existem 459 contratos de arrendamento. Destes, 63 pagam a chamada renda apoiada, no valor de 45,78 euros; a grande maioria dos agregados familiares paga a renda social, no valor de 24,42 euros e, naquele bairro, a renda mais alta é de 170 euros mensais.

Transporta até si toda a informação xpress EOrienteO www.expressodooriente.com Sempre consigo do Agência Funerária MARVILA Matias & Ferreira, Lda.

OLIVAIS

Gerência a cargo de João Ferreira e Maria da Luz Matias

Funerais Trasladações Cremações Tel. 21 859 28 70 Serviço 24 Horas Tlm: 91 457 92 96 — 91 705 69 06 800 207 753 Associado N.º 138 ANEL Associação Nacional de Empresas Luteranas

Rua Cristino da Silva, 59-A - 1950-174 LISBOA Número Nacional (Junto ao Colégio Valsassina) Fax: 21 859 28 71 Dispomos de facilidades de pagamento que vão de encontro às necessidades de cada cliente.

www. funerariamatiaseferreira.com

e-mail: geral@funerariamatiaseferreira.com


Ano . VII . n.º . 76 . Junho . 2012

OLIVAIS - PARQUE das NAÇÕES - PORTELA - MOSCAVIDE - MARVILA - BEATO - S. JOÃO - PENHA de FRANÇA

11

O 13.º Torneio Aberto de Xadrez (Open dos Olivais) organizado pelo AC Luís de Camões decorreu no dia 10 de Junho, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades, na escola Eça de Queirós e contou com a participação de dezenas de xadrezistas, olivalenses e não só, que fazem deste o seu desporto de eleição. Entre os desportistas presentes, destaca-se Joaquim Durão, ex-presidente da Federação Portuguesa de Xadrez e que mais uma vez arrecadou o primeiro prémio em individuais.

Com dez anos, Vicente Li Dong é campeão nacional de xadrez sub-10

Mal acaba de ganhar o seu último jogo de xadrez do torneio, corre com os braços no ar em tom de vitória e vai juntar-se aos seus colegas e irmão para continuarem a jogar PSP. Chama-se Vicente Li Dong e tem 10 anos. É o actual campeão nacional de xadrez sub-10 e uma das maiores promessas nacionais neste desporto. Também o seu irmão, Virgílio Li Dong, aos 8 anos nutre a mesma paixão pelo tabuleiro. Ambos competem em vários torneios, que começam agora a diminuir, reflexo da crise que afecta o país de uma forma crescente. Os pais, Siandan e YuYan Li, começaram a incentivar nos filhos o gosto pelo xadrez como forma de treinar o cálculo mental para aumentarem a sua aptidão matemática na escola. De acordo com os mesmos, o esforço que gerou uma paixão, tem tido consequências extremamente positivas nas notas dos filhos a matemática e não se arrependem de um único minuto gasto nesta actividade. Vicente Li Dong nutre uma grande admiração por quatro xadrezistas de nível mundial: Garry Kasparov, Anatoly Karpov, Viswanathan Anand e Sven Magnus Carlsen. Não por ordem, mas sim no mesmo patamar de admiração, já que os diferentes estilos de jogo acabam por se complementar num todo de perfeição que lhe serve de ambição. Mesmo em tempo de aulas, Vicente tenta treinar pelo menos uma hora por dia, de forma a não perder a sua prática e apurar as técnicas que vai ganhando com o passar do tempo. Ver um jogo de xadrez

Mestre Manuel Duque observa uma partida entre os irmãos Dong, Virgílio e Vicente

Para além do xadrez o Pokémon é a sua outra paixão

dele acaba por quebrar o estereótipo de xadrez como um jogo monótono, cada jogada demora uma fracção de segundo e em sete minutos acaba a sua ultima partida de xadrez e ganha o primeiro lugar em sub – 10 do 13.º Torneio Aberto de Xadrez dos Olivais da Associa-ção Cultural Luís de Camões, que decorreu na Escola Secundária Dr. António Damásio, no dia 10 de Junho. Mas não é só com o xadrez que esta jovem estrela ocupa o seu tempo. Tal como muitos outros miúdos da sua idade, é apaixonado por Pokémon. O seu favorito é Zoroark, um

mestre dos truques e ilusões – uma escolha caricata já que o xadrez é o desporto onde ganha quem melhor engana o seu adversário e mascara a sua estratégia real até o momento do ataque final. Não se assusta com o futuro e não planeia vir a desistir desta paixão de jogar xadrez. Já formulou uma solução prática para conseguir viver jogando a um nível profissional: vai ser médico pediátrico durante o verão e jogar xadrez durante o resto do ano. Uma ambição

Siandan e YuYan Li, posam orgulhosos com os seus pequenos mestres do xadrez

louvável, de alguém que ainda possui um espirito puro e vontade de contribuir para a sociedade ao mesmo tempo que faz aquilo que mais ama. Os pais não poderiam estar mais orgulhosos de Vicente e

Virgílio. Afinal, não são muitos os que se podem gabar de ter dois filhos prodígios neste desporto e vistos como uma grande esperança no xadrez nacional e, muito bons candidatos ao internacional.

Quem não se dá a conhecer é como se não existisse

ANUNCIE no seu

EXPRESSO do Oriente 96 586 42 35


12

OLIVAIS - PARQUE das NAÇÕES - PORTELA - MOSCAVIDE - MARVILA - BEATO - S. JOÃO - PENHA de FRANÇA

Maria de Jesus Barroso apadrinha Jornadas de Acção Social

Ano . VII . n.º . 76 . Junho . 2012

Descobrir novos caminhos A família, a terceira idade e o emprego foram os temas que estiveram em debate nas Jornadas de Acção Social, organizadas pela Comissão Social da Freguesia de S. João. Maria de Jesus Barroso, ex-primeira-dama, apadrinhou este evento que pretende contribuir para a promoção da vida e das pessoas que trabalham e moram na freguesia.

Maria Barroso, José Maria Bento e Capitolina Marques na abertura das Jornadas de Acção Social

Na mesa de trabalhos, Inês Fontinha, Carlos Poiares,Teresa Biu, Fátima Duarte, Daniel Cotrim

A contar da direita: Manuela Pintassilgo, Manuel Ferreira, Hugo Xambre, Elisa Madureira, Ana Elisa Santos

Ao longo de dois dias foram vários os assuntos apresentados e debatidos nas Jornadas de Acção Social, entre eles a “Violência doméstica e familiar”; “Práticas de segurança familiar e local”; “Gerontologia na sociedade portuguesa” e “Emprego e formação.” Temas que foram abordados “com a preocupação de perceber os desafios que nos são colocados”, revela José Maria Bento, presidente da Junta de Freguesia de S. João”. Segundo o autarca, são encontros destes que “nos fazem descobrir quem somos, o que somos, o que temos à nossa frente e o que temos que fazer. É nestas alturas que temos de ter capacidade para descobrir novos caminhos.” Referiu também a importância de se trabalhar em rede para se alcançar esses objectivos, “por isso, uma das nossas apostas foi a criação da Comissão Social de Freguesia onde estão variadíssimos parceiros e pessoas singulares que querem con-

tribuir para que possamos todos continuar a promover a vida e as pessoas que moram e trabalham na nossa área geográfica.” José Maria Bento aproveitou ainda para realçar a presença de Maria Barroso. “É para nós um orgulho que tenha aceitado apadrinhar estas jornadas, sendo uma figura ímpar na nossa sociedade com uma acção de relevo na área da cidadania e dos direitos humanos, uma pessoa que com a sua vida, prática, pensamento nos está sempre a alertar e a ajudar a melhorar a visão que temos da sociedade”. Por sua vez, Maria Barroso valoriza as acções desencadeadas pela freguesia que considera serem da “maior importância para melhorar toda a circunstância em que vivem aqueles que habitam nas proximidades. Acredito naquilo que fazem e tenho a certeza de que vão ajudar a mudar a sociedade em que vivemos”. Considera também muito importante que o cidadão olhe à sua volta e comece a ajudar os outros. “Temos obrigação de

participar e de fazer desencadear acções no sentido de ajudar a melhorar a sociedade” e acredita que tudo o que for feito deverá ser transmitido com bastante força para que “influenciemos os nossos jovens, para que ajudemos a criar mentalidades responsáveis para quando estes forem chamados ao exercício da cidadania, serem de facto cidadãos responsáveis e que queiram criar um tipo de sociedade baseada na tolerância e na solidariedade”. As Jornadas contaram com a presença de vários especialistas nos temas apresentados, entre os quais Daniel Cotrim, psicólogo da APAV; Ana Elisa Santos, directora do Centro de Emprego do Conde Redondo; Fernando Pinto, director da Santa Casa de Misericórdia de Lisboa; Aurora Dantier, subcomissária da esquadra da 1.ª Divisão; Hugo Xambre, presidente da Junta de Freguesia do Beato e Elisa Madureira, presidente da Junta de Freguesia da Penha de França.

Música anima Praça Paiva Couceiro O ritmo alegre das músicas da Estudantina de Lisboa e da Banda da Casa Pia, fizeram as delicias da população que esteve presente no Festival de Orquestras que a Junta de Freguesia de S. João promoveu na Praça Paiva Couceiro

Pelo segundo ano consecutivo, a Junta de Freguesia de S. João promoveu o Festival das Orquestras numa tarde de convívio dedicada à sua população,um evento onde não faltou a boa disposição e muita música. José Maria Bento, presidente da Junta Freguesia, esteve presente e felicitou a popula-

ção dizendo que “estamos a trabalhar para construir uma comunidade melhor, dar uma vida mais digna e, por isso, gostamos que estejam cá neste dia repleto de alegria, carinho e amor”. O 2.º Festival de Orquestras, que contou com a participação da Estudantina de Lisboa e da Banda da Casa O maestro António Rascão agradece a homenagem

AGÊNCIA FUNERÁRIA de SANTA MARIA DOS OLIVAIS Gerência de: Ivone Matias e Mara Pereira

Funerais Trasladações Flores

Segurança Social Gratuita

SERVIÇO PERMANENTE Telefs. 21 851 24 29 TM: 91 990 65 33 TM: 91 439 29 46 Rua Circular Norte, Bairro da Encarnação N.º 12 B - 1800-134 Lisboa

José Maria Bento e Capitolina Marques, dão início ao 2.º Festival de Orquestras

Maria Pia, pretende também “levar a cultura até ao povo, para que esta esteja acessível a todos” revela Manuel Ferreira, vogal da Cultura da Junta de Freguesia. Mafalda Nunes, directora da Casa Pia, fez questão de agradecer à Junta de Freguesia pela “confiança que faz à

nossa instituição.” Aproveitou também para dedicar esta tarde “àquilo que temos de melhor, os nossos educandos.” No decorrer do evento foi ainda homenageado o maestro António Rascão pelos seus 35 anos de carreira, grande parte à frente da banda da Casa Pia.

O 2.º Festival de Orquestras, contou com a participação da Estudantina de Lisboa e da Banda da Casa Maria Pia


Ano . VII . n.º . 76 . Junho . 2012

OLIVAIS - PARQUE das NAÇÕES - PORTELA - MOSCAVIDE - MARVILA - BEATO - S. JOÃO - PENHA de FRANÇA

13

Festejar Nossa Senhora da Penha de França A tradicional procissão da Nossa Senhora da Penha de França voltou a cumprir-se, trazendo às ruas mais de uma centena de devotos carregando o andor da Santa Padroeira e entoando cânticos e rezas. Um acontecimento religioso que mobiliza grande parte da comunidade católica da freguesia. A Igreja transforma-se num ponto de encontro da população que quer assistir ao desfile da Nossa Senhora da Penha de França, um dos nomes que recebe Maria, mãe de Jesus. As varandas das casas enfeitam-se a preceito com mantos coloridos e as pessoas que não podem acompanhar a procissão espreitam à janela e atiram flores a quem passa. Para Elisa Madureira, presidente da Junta de Freguesia, este evento faz parte da história da freguesia. “A religião está

Elisa Madureira esteve presente em todo o cortejo

muito implementada na população e a Nossa Senhora, por toda a sua história, é muito simbólica nesta região”. Para a autarca faz todo o sentido que se continuem a desenvolver estas iniciativas, pois acredita “que tudo o que são tradições é que nos torna diferentes” e acrescenta que “mesmo que as freguesias mudem isto é algo que continuará igual.” Reza a lenda que nos finais do século XVI a nossa vizinha Espanha se livrara da peste graças a Nossa Senhora da Penha de França. Estando Portugal em igual situação de flagelo, o Senado da Câmara de Lisboa prometeu à Mãe de Deus construir um grandioso templo e organizar uma procissão anual se ela livrasse a cidade da moléstia. Milagre ou não, a verdade é que a epidemia extinguiu-se quase subitamente, tendo sido construído um magnífico santuário naquele local. A primeira pedra foi colocada a 25 de Março de 1597, e em Maio do ano seguinte a Virgem tomava posse da sua Ermida.

Marcha Infantil volta a brilhar Pelo segundo ano consecutivo, a Marcha Infantil da Penha de França saiu à rua, para encanto dos vizinhos que assistiram ao desfile. No dia de Santo António, convidada pela Junta

Na rota da Arte Urbana Em resposta ao desafio lançado pela Junta de Freguesia da Penha de França, a Galeria de Arte Urbana da Câmara Municipal de Lisboa abriu um concurso para a intervenção artística num muro situado no Alto da Eira. O objectivo, conseguido, foi o de dar vida àquele espaço que se encontrava em mau estado de conservação e para isso a proposta vencedora deveria contemplar critérios adequados às especificidades da paisagem local. O júri foi composto pela presidente da Junta de Freguesia da Penha de França, pelo director do Departamento de Património Cultural da CML e por uma representante da Associação de Moradores do Alto da Eira. Entre as 16 propostas a concurso, venceu o artista Eime que teve à sua disposição o montante de seiscentos euros para custear as despesas inerentes à realização da obra. A Junta de Freguesia agradeceu a participação de todos os que concorreram, reconhecendo o elevado nível artístico das propostas a concurso e aproveitando para salientar que a esta intervenção se insere no âmbito da aposta que Penha de França tem vindo a desenvolver nas múltiplas formas de arte e cultura.

de Freguesia de São João, fez a sua apresentação no jardim da Praça Paiva Couceiro sob o tema “As origens da Penha de França” numa exibição repleta de cor, alegria e movimento como só as crianças conseguem. No dia 16,os 48 pequenos marchantes com idades compreendidas entre os seis e os 12 anos,percorreram o bairro acompanhados pela Marcha da Penha de França, pelos organizadores da Marcha Infantil, Gabriela Garcia, Filipe Barbosa e Clara Barbosa, pelo ensaiador João Silva e pela madrinha, a famosa atriz da novela Rosa Fogo, Beatriz Coelho. Vestidos com trajes medievais, numa perfeita interpretação do tema escolhido, desfilaram também no Pavilhão

AGÊNCIA FUNERÁRIA DE MOSCAVIDE

52

Gerência: FERNANDO ALVES ROSA, Lda.

OLIVAIS PORTELA anos SACAVÉM 1960/2011 PARQUE DAS NAÇÕES

CONTACTE-NOS: Para prevenir as despesas com o funeral, a partir de 10,10 / mês Para pessoas até aos 75 anos de idade Fax: 21 944 31 57 . 21 851 60 00 21 945 72 25 TM: 91 830 98 00 Sede: Rua Almirante Gago Coutinho, 15 A 1885-036 Moscavide (Frente ao Jardim) FILIAL: Rua José Augusto Braamcamp, 26 2685-071 Sacavém — afmoscavide@netcabo.pt

“As origens da Penha de França” é o tema da marcha infantil

Gimnodesportivo da Graça, no dia 24, terminando assim as exibições deste ano. Reconhecidos pelo carinho com que todos os apoiaram, agradecem especialmente a

quem com eles colaborou sempre de forma gratuita e dando o seu melhor para que brilhassem em todas as suas actuações: Ao ensaiador, às costureiras Alda Cabrita, Roberta e

Vera, aos maquilhadores, aos fotógrafos, ao Sporting Clube da Penha, à Associação de Pais da Escola 143 Vítor Palla e à Junta de Freguesia da Penha de França.

curso de fotografia, cujos trabalhos foram expostos no salão da Junta, e ainda um concurso de poesia.

O encerramento das festividades foi feito em grande com a actuação das bandas rock Yzzothep, Skyriders e Circo 3.

Semana da Juventude Numa iniciativa conjunta das Juntas de Freguesia da Penha de França, Beato e São João festejou-se a Semana da Juventude de 23 a 27 de Maio, Uma semana de concursos, concertos e dança, com uma forte componente sociocultural e artística e uma grande participação dos jovens que mostraram todo o seu empenho e criatividade.O ponto alto destes dias de festa foi uma sessão de música Celta, com animação a cargo do DJ Matias, da TradBalls, que juntou centenas de jovens a dançarem e vibrarem ao som da originalidade dos acordes desta música intemporal. O evento contou ainda com uma Sunset Party na Mata da Madredeus, com animação a cargo do DJ Hugo Rizzo, e pintura de grafitti ao vivo, um con-

Elisa Madureira entrega o prémio do Concurso de Fotografia a um dos participantes da Semana da Juventude.


14

OLIVAIS - PARQUE das NAÇÕES - PORTELA - MOSCAVIDE - MARVILA - BEATO - S. JOÃO - PENHA de FRANÇA

Este mês vai ser Linha de apoio a idosos

800 204 204 Atendimento Social Serviço de Acção Social da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa Praça José Queiroz, 1 Piso 3 - Edifício Entreposto Tel: 21 855 41 00 Espaço “LX Jovem” - Tel: 21 831 41 83 Outros Atendimentos Correios do Aeroporto de Lisboa 21 843 50 50 Correios de Cabo Ruivo - Tel: 21 831 84 71 Correios de Chelas - Tel: 21 831 04 10 Farmácias Farmácia Almeida Vaz - Rua Luís Cristino da Silva, Lt. 248 Lj. 92 - Tel: 21 859 56 73 Farmácia Barros Gouveia - Rua Vale Formoso de Cima, 79 B - Tel: 21 859 51 80 Farmácia Falcão - Rua Rui de Sousa, Lt. 65 A Tel: 21 859 65 65 Farmácia Freitas - Rua Vale Formoso, 23 A Tel: 21 868 11 36 Farmácia de Marvila - B.º Marquês de Abrantes, Lt.s. 35 e 36 - Tel: 21 859 48 00 Farmácia Sacramento - Rua Actriz Palmira Bastos, 42 Lj. Dt.ª - Tel: 21 859 09 04 Farmácia Santo António - Avenida Paulo VI, 14 Lj.ª Tel: 21 839 43 14 Farmácia Santos Silva - Praça Raul Lino, Lt. 226 Loja 22 Tel: 21 859 12 65 Farmácia Serejo - Av. João Paulo II, Lt. 531, Lj.ª B Tel: 21 859 26 11 Farmácia Pontes Leite / Serra Av. François Mitterrand, 39 B Tel: 21 859 37 20 Hospitais Hospital D. Estefânia - Rua Jacinta Marto Tel: 21 312 66 00 Hospital Santo António dos Capuchos - Alameda Santo António dos Capuchos - Tel: 21 313 63 00 Hospital de Santa Maria - Av. Prof. Egas Moniz Tel: 21 780 50 00 / 21 780 56 10 Hospital São José - Rua José António Serrano Tel: 21 884 10 00 Maternidade Alfredo da Costa Rua Viriato Tel: 21 318 40 00/29 Saúde Centro de Saúde de Marvila - Rua Dr. Estevão de Vasconcelos, 56 - Tel: 21 862 07 51 - 21 868 69 51 Centro de Saúde - Dr. José Domingos Barreiros Beco da Mitra, 2 - Tel: 21 861 86 00 Unidade de Saúde dos Lóios - Tel: 21 836 60 75 Unidade Local de Saúde - da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa do Bairro do Armador Av. Virgílio Ferreira, Lt. 770, R/C Bairro do Armador - Tel: 21 831 07 90/5 Clínica de Chelas Av. Dr. Augusto Castro, Lt. 107. Lj. A e B Tel: 21 859 30 40 - Tel: 21 837 30 40 LPDM - Liga Portuguesa dos Deficientes Motores Tel: 21 859 14 61/ 21 859 22 70 Segurança - PSP 14.ª Esquadra Amendoeiras Tel. 21 837 40 60 - 21 838 07 24 16.ª Esquadra Condado Tel. 21 837 48 82 - 21 838 07 21 38.ª Esquadra Flamenga Tel. 21 837 39 88 - 21 838 07 25 Comando de 2.ª Divisão Tel. 21 854 72 00 - 21 853 64 08 GNR Comando - Tel. 21 321 70 00 Polícia Judiciária - Tel. 21 726 80 22 Polícia Municipal - Tel. 21 782 52 00 Regimento de Sapadores Bombeiros Tel. 21 396 31 41 - 808 20 32 32 Serviços Públicos EPAL (Assistência Domiciliária) Tel: 800 201 101 EPAL (Roturas) - Tel: 800 201 600 EDP (Fugas de gás) - Tel: 21 868 53 09 Intoxicações - Tel: 21 795 01 43 Linha Vida - Tel: 1414 (gratuita) SOS Voz Amiga - Tel: 21 354 45 45 B.S. Bombeiros - Tel: 21 342 22 22 Transportes ANA - Aeroporto de Lisboa Tel: 21 840 20 60 - 21 841 35 00 CARRIS - Tel: 21 361 30 38 CP - Tel: 808 208 208 Metropolitano - Tel: 21 355 84 57 Táxis Tels: 800 20 01 43 800 20 08 46 - 800 20 66 23

assim... assim! Carneiro: 21/03 a 20/04 Este mês vai ser uma alegria para os carneiros. O sol já brilha durante mais tempo fazendo os dias maiores... é tempo de aproveitar a natureza e começar a pastar. Touro: 21/04 a 21/05 Veste uns calções de banho e aproveita a maré que está do teu lado. Isto de estar desempregado tem os seus benefícios, não há horários e ir à praia durante a semana é sinónimo de menos trânsito... Gémeos: 21/05 a 20/06 Comer muitos caracóis atrasa a digestão. Beber “umas loirinhas” não é solução. Come antes uma sardinha, na noite de São João. Canta uma marchinha e toca-lhe ao coração... Caranguejo: 21/06 a 22/07 Nos próximos tempos vais ver a tua vida a andar para trás. Ou compras uma acelera ou estás tramado porque os transportes, devido ao calor e época de férias, vão ter uma necessidade acrescida de fazer greve! Leão: 23/07 a 22/08 Não te safaste nesta época, começa já a treinar para a próxima que não está assim tão longe. Com o verão pode ser que amadureças e percas assim alguma acidez natural de quem está verde. Virgem: 23/08 a 22/09 É pouco provável que continues assim... Com a época do calor a apertar, vais ter mais necessidade de arejar as ideias e pode surgir algo no horizonte. Usa Protector porque quando o escaldão se instala, é difícil tratar a ferida. Balança 23/09 a 22/ 10 Não sabes se preferes praia ou campo. O teu coração balança entre o interior e o litoral. Não te apetece apanhar muito calor mas também não gostas do frio. Este mês a coisa está difícil e vais ter dificuldade em escolher entre o São Pedro e o São João e não bebas cerveja porque vais ao balão. Escorpião: 23/10 a 21/11 Na noite de São João, tu não páras de dançar, comes sardinhas à bruta, bebes sangria com muita fruta e depois é ressacar... Sagitário: 22/11 a 21/12 Para este mês os astros prevêm muita festa, muita mini, muita praia, muito caracol, pouco trabalho e muito sol. É a tua sina e a da maioria dos portugueses, fica descansado... Capricórnio: 22/12 a 19/01 Deixa de fazer de conta que gostas de arraiais. Vai antes ao cinema que é mais o teu género e está muito fresquinho dentro da sala. Aproveita porque não podes ligar a ventoínha lá de casa. Já ouviste falar dos aumentos para a luz? Aquário: 20/01 a 18/02 Enche-te de sardinhas e vais ver o que é vender, ao preço que ela está vais facilmente ganhar dinheiro para comprares um cherne que consiga adivinhar melhor que o polvo os resultados para Portugal. Peixes: 19/02 a 20/03 Este mês vai ser a sardinha a rainha da peixeirada. Os astros prevêm que sejam estas a adivinhar os melhores resultados para o campeonato lisboeta de cervejola... Para ti que és “peixes” o mês vai ser à grande e à mesa!

Ano . VII . n.º . 76 . Junho . 2012

Alunos da Nuno Gonçalves dão-nos música “É com a maior satisfação que a Junta de Freguesia, no âmbito da sua política cultural, tem dado apoio à promoção da prática da música pelos alunos da Nuno Gonçalves”. Estas são palavras de Elisa Madureira, presidente da autarquia da Penha de França que, presente na Praça Paiva Couceiro no passado dia 1 de Junho realçava o “brilhantismo e entusiasmo dos jovens cantores e músicos”. As músicas de Adele, Adriana Calcanhoto, Jonh Lennon, Xutos e Pontapés, Whitney Houston, entre outras, cantadas e tocadas pelos alunos que compõem as 12 bandas pop/rock criadas na Escola Nuno Gonçalves pelos alunos do 3.º ciclo, animaram durante perto de duas horas o público que se rendeu por completo à excelência das vozes e dos acordes afinados daqueles jovens estudantes. Este concerto é o resultado do fomento da prática musical, vocal e instrumental que a direcção da Escola Nuno Gonçalves tem vindo a desenvolver. Com o apoio do EXPRESSO do Oriente


Ano . VII . n.º . 76 . Junho . 2012

OLIVAIS - PARQUE das NAÇÕES - PORTELA - MOSCAVIDE - MARVILA - BEATO - S. JOÃO - PENHA de FRANÇA

Casa de férias 2012 para o português ainda não desempregado dos a l e G OSO G U L ra pa u o seo goz

15

ex p r op r e s s a m e i b i nte do Neste Verão é comer e lamber até fartar.

Ai “crise” se não fosses tu...

A nossa Marcha

não nos despíamos de preconceitos

é linda!

Que se lixe a dieta...


16

OLIVAIS - PARQUE das NAÇÕES - PORTELA - MOSCAVIDE - MARVILA - BEATO - S. JOÃO - PENHA de FRANÇA

FIL recebe FIA A FIL, no Parque das Nações, recebe de 30 de Junho a 08 de Julho a Feira Internacional de Artesanato - Lisboa, uma mostra do melhor que se faz a nível nacional e internacional no sector do artesanato e gastronomia. As portas estarão abertas entre as 15h00 e as 24h00 mas a área da gastronomia abre um pouco mais cedo podendo, a partir das 12h30, deliciar-se com as maravilhas da comidinha tradicional e sobretudo da doçaria portuguesa. Na área da exposição terá oportunidade de assistir a actividades lúdico-culturais, seminários, demonstrações, exibições de ranchos folclóricos e provas de doçaria, entre muitas actividades ligadas ao artesanato. Abra os cordões à bolsa e distraia-se porque vai valer a pena, até porque o bilhete de entrada não é assim tão caro: cinco euros por pessoa mas se for estudante, tiver cartão jovem ou for jovem com mais de 65 anos, paga apenas dois euros. Para crianças até 10 anos, a entrada é gratuita.

Spacio animado Nos dias 23 e 24 deJunho, o Spacio Shopping disponibilizou videojogos para utilização por todos os visitantes daquele espaço comercial. Com o apoio da Game On, o fim de semana foi animado por uma consola Xbox 360, equipada com sistema Kinect para que todos os fãs pudessem testar as suas aptidões, é que este sistema faz dos participantes um autêntico comando, ou seja, a tecnologia é usada pelo movimento do nosso corpo. A animação foi uma constante e o desejo de adquirir um aparelho daqueles era notório em todos os que se divertiram à grande com a “espectacular” máquina. Se pretende adquirir um brinquedo destes, visite o Spacio, certamente encontrará uma solução para o seu caso.

Ano . VII . n.º . 76 . Junho . 2012

Ano Europeu do Envelhecimento Activo, da Solidariedade Geracional e do Olimpismo

Marvila Olímpica já começou No dia 22 de Junho a Junta de Freguesia de Marvila deu o “tiro da partida” para a celebração do Ano Europeu do Envelhecimento Activo, da Solidariedade Geracional e do Olimpismo com um desfile das instituições da freguesia num percurso decorrido entre o Polidesportivo Fernando Amaro e o Campo Engenheiro Carlos Salema, no Estádio do Oriental, onde se assistiu à actuação das marchas de Marvila, Beato, Olivais e Alto do Pina. O Marvila Olímpica 2012 vai pro-

longar-se até Novembro e pretende promover na população a prática desportiva e lúdica por todas as gerações, aproveitando para enaltecer a importância das instituições marvilenses e apelando ao espírito saudavelmente bairrista dos habitantes da freguesia. A participação no Marvila Olímpica está aberta a toda a população e é gratuita. No dia 23 seguiu com uma Mega aula de ginástica na Mata do Vale Fundão onde também se procedeu a rastreios de saúde, entre as 09h00 e as 13h00.

“ Silêncio Urbano ” no Casino Lisboa O Casino Lisboa inaugurou, no dia 21 de Junho, a exposição de Joalharia e Escultura - “Silêncio Urbano”, de Nuno Almeida Campos. A mostra estará patente na Galeria de Arte, até 12 de Julho. A exposição “Silêncio Urbano” exibe um conjunto de técnicas desenvolvidas pelo artista, como a joalharia e escultura, e algumas obras de instalação complexas que reúne todas as técnicas numa só peça. O artista pretende com esta exposição que cada um de nós possa ouvir o silêncio de cada peça, sentir e encontrar a nova estrada para o Silêncio Urbano. A exposição estará patente ao público, de 21 de até 12 de Julho, de Domingo a Quinta-Feira, das 15h00 às 03h00, e às Sextas-Feiras e sábados das 16h00 às 04h00, na Galeria de Arte do Casino Lisboa.

1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 A recente campanha do Banco Alimentar que decorreu 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 em várias superfícies comerciais de todo o país 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 angariou 2644 toneladas de produtos alimentares 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 com o apoio e solidariedade de muitas pessoas. 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 Os portugueses responderam mais uma vez ao apelo do 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 Banco Alimentar contribuindo com vários géneros alimentícios que ultra1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 passaram todas as expectativas, totalizando 2644 toneladas. Em compa1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 ração com o ano passado houve um aumento de 13,7 por cento nas doa1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 ções e o número de voluntários também foi expressivo, 37 mil responde1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 ram à chamada. 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 Para Isabel Jonet, Presidente da Federação dos Bancos Alimentares 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 Contra a Fome, “as quantidades de géneros recolhidos mostram que as 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 pessoas quiseram demonstrar que, apesar da profunda crise económica 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 que afecta tantas famílias portuguesas, não se conformam com a situação 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 e estão disponíveis para reagir e para ajudar a minorar as dificuldades”. 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901 1234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901

Banco Alimentar recolhe duas mil toneladas de alimentos

.com

Dá forma ao pensamento

Edição de Junho  
Edição de Junho  

Na edição de Junho fique a conhecer a freguesia que venceu as Marchas Populares e a história do pequeno grande campeão de xadrez nacional su...

Advertisement