Page 1

brasil

CULTURA

SAÚDE

Com Lula, Presidência emprega 67 diretores e centenas de chefes

Joana Mateus vence primeiro Concurso de Fado Amador

Polêmica sobre preservativos marca viagem do papa à África

banda navidad

06

23

25

w w w . b r a z i l i a n n e w s . u k . c o m Londres, 2 a 8 de abril de 2009

Brown pede apoio de Lula a crédito de US$ 100 bi para comércio mundial

E

m sua primeira visita ao Brasil como primeiro-ministro britânico, Gordon Brown defendeu a oferta de mais crédito ao comércio internacional.

Segundo Brown, são necessários "US$ 100 bilhões, no mínimo" para reativar o fluxo entre os países. A ideia de Brown será apresentada na reunião do G20, em Londres, no dia

2 de abril. "Vou pedir aos países do G20 que apoiem a ampliação dos financiamentos para o comércio", afirmou o primeiro-ministro britânico. "Convido

o Brasil, outros países e organismos internacionais a participar." Brown disse que sua visita ao Brasil é um “indicativo” da liderança brasileira no sistema econômico mundial. Continua na página 15

Brazil Diáspora chega à Europa

E

migrar do país de origem e uma realidade que os brasileiros que vivem no Reino Unido entendem muito bem. As razões são diversas: condições políticas desfavoraveis, precaria situação econômica, qualificação profissional, entre outras. Viver no exterior dimensiona uma expectativa de conquista, de uma melhor qualidade de vida e a possibilidade, quase

que ilimitada, de explorar oportunidades inexistentes no Brasil. São esses emigrantes que hoje constituem a maioria dos membros da diáspora brasileira e, para auxiliar na colocação profissional, a rede Brazil Diáspora chega à Europa. O principal objetivo é permitir que brasileiros com qualificação tenham maior sucesso e participação no Mercado Internacional. Continua na página 07

Ano 9 / Número 366


2 a 8 de abril de 2009

Lula encontra Sarkozy

e ‘afina orquestra’ para o G-20 Presidente convoca países com maiores PIBs que 'assumam a responsabilidade e enfrentem os ativos tóxicos'

Sarkozy e Lula trocam cumprimentos em Paris.

O

presidente Luiz Inácio Lula da Silva definiu o encontro com o presidente da França, Nicolas Sarkozy, nesta quarta-feira, 1º, em Paris, como uma reunião para "afinar a orquestra" antes do encontro do G-20, que acontecerá na quinta em Londres. Sarkozy afirmou que os dois "querem que o mundo mude". "Se avançamos juntos, nossa voz é mais forte. Buscamos uma contribuição comum para uma nova governança mundial", disse. Lula foi mais enfático e afirmou "tanto eu quanto o presidente Sarkozy não queremos participar de uma reunião fracassada". Ele convocou países com maiores PIBs que "assumam a responsabilidade e enfrentem os ativos tóxicos do sistema bancário". "O sistema financeiro precisa voltar a ser vinculado ao sistema produtivo", completou. Por volta das 13h30 de Paris, após almoço dos presidentes no Palácio do Eliseu, sede do governo francês, os líderes conversaram com a imprensa. Lula ressaltou ainda a expectativa sobre o encontro dos países mais ricos do mundo. "Negociamos parceria que propõe propostas concretas para o G-20. Todos sabem da expectativa que a reunião está gerando sobre os ombros dos líderes. Grandes decisões que serão tomadas amanhã serão políticas, e não apenas econômicas". Lula completou com duras críticas aos paraísos fiscais. "O G-20 precisa ser enfático contra os paraísos fiscais". Ele chamou de "quase imoral" os que "especulam sem gerar nada para o sistema

produtivo". "O G-20 vai ser uma reunião entre amigos, mas será difícil porque nem todo mundo está pensando da mesma forma. Estou convencido de que precisamos sair no mínimo com uma proposta que possa representar um alento. O medo é que causou essa crise. É preciso enfrentar o medo e tomar as decisões concretas", concluiu. Discordância O presidente francês, Nicolas Sarkozy, foi o responsável por elevar o tom dos debates às vésperas da reunião do G-20. Em entrevista a rádio Europe 1, Sarkozy disse que não está satisfeito com as atuais propostas do G-20, assim como a Alemanha. Ambos defendem maior regulação dos mercados financeiros e são contra o aumento dos gastos públicos, como querem os Estados Unidos. Ontem a ministra de Finanças da França, Christine Lagarde, já havia dito à BBC que o presidente francês poderia não assinar o comunicado final do encontro - informação depois contemporizada pelo porta-voz da presidência. A tensão entre os dirigentes também foi elevada com a entrevista do primeiro-ministro do Japão, Taro Aso, ao Financial Times hoje. Ele defendeu a adoção de estímulos fiscais para restaurar as economias, com base na experiência do país nos últimos 15 anos, alegando que outras nações estão passando pelo problema pela primeira vez. "Eu acho que há países que entendem a importância de mobilização fiscal e há outros países que não - é por isso,

eu acredito, que a Alemanha veio com suas visões." Protestos Nas ruas, a população irá expressar hoje seu descontentamento com a crise, o aumento do desemprego e o socorro aos bancos, em uma série de manifestações. O principal alvo será a City, centro financeiro da Europa. Aproveitando a data de 1 de abril, organizações sociais e ambientais prepararam o "Dia da Mentira Financeira", com passeatas que sairão de quatro pontos da cidade para se encontrarem no Banco da Inglaterra. Cada marcha representará um "Cavaleiro do Apocalipse": a guerra, o caos climático, os crimes financeiros e a apropriação de terras. "Perdeu a sua casa? Perdeu o emprego? Perdeu suas economias ou pensão? Então esta festa é para você!", diz o movimento G20 Meltdown, organizador da manifestação. A segurança está sendo muito reforçada, já que a polícia de Londres montou uma operação de 7,2 milhões de libras (US$ 5 milhões), com 10,5 mil policiais. Os executivos financeiros foram aconselhados a deixar o terno e a gravata em casa. Diversos comerciantes decidiram fechar as portas hoje. O presidente Lula chega à estação de trem St. Pancras, por volta das 16h30 (horário local). No início da noite, os líderes do G-20 serão recebidos pela rainha Elizabeth II, no Palácio de Buckingham. Depois, jantam com o primeiroministro britânico, Gordon Brown, na residência oficial em Downing Street. (AE)


2 a 8 de abril de 2009

Última Hora

Michelle visita centro

de tratamento de câncer em Londres

Primeira-dama dos EUA comemora aniversário da clínica construída pela mulher do premiê britânico

A

primeira-dama dos EUA, Michelle Obama, comemorou o primeiro aniversário de um centro de tratamento de câncer de Londres nesta quartafeira, 1º, durante visita com Sarah Brown, mulher do primeiro-ministro britânico, Gordon Brown. Michelle acompanha o marido, Barack Obama, durante o giro por cinco países da Europa. O presidente americano e a primeira-dama chegaram a Londres na noite desta terça-feira (horário local). Obama começou o primei-

ro dia de sua viagem com uma reunião com o premiê britânico, a primeira de uma série de encontros com líderes. Obama chegou às 8h10, ao número 10 da Downing Street acompanhado da primeiradama. Os dois posaram, como de costume, com Brown e sua mulher, Sarah, antes de entrar na residência do primeiro-ministro do Reino Unido. O presidente americano, em um simpático gesto, estendeu a mão ao mordomo que lhe abriu a porta. Durante a visita ao Maggie's

Cancer Caring Centre, Michelle sobrou a vela sobre o bolo de chocolate e tomou chá na clínica aberta por Sarah Brown. "Este lugar é um oásis, um oásis que é necessário para pessoas que estão sofrendo". Uma das que conversaram com a primeira-dama foi Namina Turay, 32 anos, que foi diagnosticada com câncer de mama há dois anos, mas que regrediu no último ano. Michelle parabenizou Namina, para quem a primeira-dama é "muito natural e fácil de conversar". (Agências internacionais)


2 a 8 de abril de 2009

Foto da semana Presidente - Fundador: Horácio Sterling sterling@braziliannews.uk.com Diretor-Geral: Marcelo Mortimer Diretora Administrativa Patricia Zúñiga patriciaz@expressnews.uk.com Editora e Redatora: Paula Medeiros editor@braziliannews.uk.com Direção de Arte e Diagramação: Javier Reyes javierreyes@expressnews.uk.com Edgar Izquierdo Real design@expressnews.uk.com

Colaboradores: Cláudia Stoy Daniel Nocera Daniela Romão Diego Gazola Betina Oliveira Ednéia Rodrigues Miranda Fábio Brito Fernando Rebouças Jacqueline Haddad Marcus Fumagalli Paula Scheidt Raquel Scarlatelli Randes Nunes Roberta Tiberi Rodolfo Torres Thalita Pires Yanna Barbosa Victor De Martino LondonHelp4U.co.uk Distribuição: BR Jet Delivery brjetlondon@yahoo.com Impresso por Newsfax Classificados: classificados@braziliannews.uk.com O conteúdo dos anúncios e classificados não expressa a opinião do veículo e são de responsabilidade dos anunciantes. Brazilian News Unit 28 Skylines Village London, E14 9TS Telephone: +44 (0) 207 987 1692 Fax: +44 (0) 207 987 9840

www.braziliannews.uk.com

Foto do leitor Rafael Casado

Departamento Comercial: Rogerio Moura Lima rogeriom@braziliannews.uk.com

Vista da janela do museu do tempo, em Greenwich.

Carta do Leitor Prezada Sra Paula, Sou Leitor do Brazilian News há dois anos, desde que moro aqui e sempre leio as páginas de esporte. Gostaria de perguntar a senhora questões sobre a editoria de Esporte. Gosto muito do espaço Bate-bola, acho muito legal e interessante com textos rápidos e informativos. No entanto, a página sobre o Futsal está monótona com apenas uma equipe sempre contando da Liga que jogam, com o mesmo formato de texto.

No começo, quando vocês começaram a falar do Futsal, eu achava mais interessante com diversas matérias sobre diversas equipes e do mundo do Futsal. Mas agora parece que sempre leio a mesma noticia. O que houve com a Liga Nacional? E a Liga Regional? O que é essa Futsal Super League? De qualquer forma, parabéns pelo jornal que está lindo! Apenas um feedback de um fiel leitor. Atenciosamente, Daniel Danzo.


2 a 8 de abril de 2009

Crise econômica faz popularidade Por: Rodolfo Torres, de Brasilia

rodolfot@braziliannews.uk.com

A

crise econômica mundial fez o que parecia impossível no Brasil: derrubou a popularidade do presidente Lula, campeão de aprovação popular desde a redemocratização do país. De acordo com pesquisa CNT/ Sen-

do governo Lula cair 10 pontos sus divulgada nessa segunda-feira, 30, 62,4% dos brasileiros apóiam o governo petista. Em janeiro deste ano, o índice chegava a 72,5%. A aprovação pessoal do presidente brasileiro também foi avariada pela turbulência financeira internacional. Em dois meses, esse índice passou de 84% para 76,2%. “Essa queda se dá efetivamente em função da crise e seus reflexos no emprego e na renda do país, embora os índices de avaliação tanto do governo quanto do presidente Lula continuem significativamente altos”, afirmou o diretor do Instituto Sensus, Ricardo Guedes. O levantamento também analisou a preferência do brasileiro para as eleições presidenciais de 2010. Em votação espontânea, o presidente Lula aparece na frente com 16,2% da preferência. O segundo lugar fica com o governador de São Paulo, José Serra (PSDB). Além de aparecer na frente na preferência do eleitorado, o presidente Lula também demonstrou sua capacidade de transferir votos. A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, cotada para ser a candidata do PT à Presidência da República já está

em terceiro lugar, com 3,6%. Por sua vez, o governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), tem 2,9%. O deputado Ciro Gomes (PSB-CE) registra 1,5%. A presidente nacional do PSOL, Heloísa Helena, registra 1,4%. Nas listas estimuladas em que aparece como candidato à Presidência da República, José Serra venceria todos os candidatos (à exceção de Lula, impedido constitucionalmente de concorrer pela terceira vez ao cargo). Poucas horas após a divulgação

da pesquisa, o governo federal tratou de divulgar um novo pacote para estimular a economia e preservar os empregos. O conjuntos de medidas prevê uma renúncia fiscal de R$ 1,675 bilhão. O Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) sobre veículos deixará de ser cobrado por mais três meses. A medida teve início em dezembro do ano passado, para tentar frear a onda de demissões e estimular o consumo. Além disso, outros 30 itens bási-

cos de material de construção tiveram suas alíquotas cortadas até o mês de julho. Ainda fazem parte do pacote de bondades do governo a redução da alíquota da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS) sobre motos. Para custear toda essa perda de receita, o governo decidiu aumentar os impostos sobre os cigarros. Esse produtos terão o IPI e o PIS e Cofins elevados. O resultado será o aumento de até 25% sobre o maço de cigarro.


2 a 8 de abril de 2009

Brasil (geral)

Com Lula, Presidência emprega 67 diretores e centenas de chefes Ao todo, são 1.750 servidores, volume tão grande que foi preciso ampliar restaurante e estacionamento

À

semelhança do Congresso, o Palácio do Planalto é uma Casa com organograma inchado. Os salários podem não chegar às cifras do Legislativo, mas a Presidência criou no governo Luiz Inácio Lula da Silva uma série de funções para encaixar a militância. Na teia administrativa, há 67 diretores e uma centena de chefes. Só a Casa Civil, pasta comandada pela ministra Dilma Rousseff, conta com sete diretores, mesmo número da multinacional Vale do Rio Doce. O setor que mais ganhou diretores foi o da Comunicação Social, do ministro Franklin Martins. Desde 2003, passou de 2 para 12 diretores, o dobro da Petrobrás. Há diretores de Patrocínios, Normas, Controle, Internet e Eventos, Comunicação da Área de Desenvolvimento, Mídia, Imprensa Internacional, Imprensa Nacional, Imprensa Regional, Produção e Divulgação de Imagens, Apoio Operacional e Administrativo e Comunicação da Área Social. Foram criadas, ainda, mais oito Diretorias de Programa para as pastas de Relações Institucionais e Assuntos Estratégicos. Um diretor geralmente ocupa cargo comissionado com salário de R$ 8.988, o DAS-5, mas há variações, caso seja servidor ou não (ver quadro ao lado). Ao todo, entre cargos de chefia

Palácio do Planalto, em Brasília.

ou postos subalternos, cerca de 1.750 pessoas trabalham na estrutura da Presidência. Os "chefes" estão em todos os departamentos, secretarias e escalões de poder. O gabinete de Lula tem 13 deles, com salários de R$ 6.843,76 a R$ 11.179,36. Trabalham ali também chefes adjuntos de Agenda, Informações em Apoio à Decisão, Gestão e Atendimento, sem contar os tradicionais chefes de Cerimonial e Ajudância de Ordens. O mais poderoso de todos, porém, é Gilberto Carvalho, chefe do gabinete. Já o organograma da Vice-Pre-

sidência, mais enxuto, lembra o de uma empresa. O vice José Alencar trabalha com sete chefes, que comandam as assessorias de Comunicação, Administração, Parlamentar, Técnica, Diplomática, Militar, além do Gabinete. Não há correligionários mineiros ou amigos. Gastos O gasto anual com funcionários em toda a estrutura da Presidência deve passar de R$ 2,9 bilhões, em 2008, para R$ 3,4 bilhões, neste ano. Está incluído o gasto com pessoal das secretarias especiais de Direitos Humanos, Mulheres,

Promoção Racial, Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Advocacia-Geral da União (AGU) e Empresa Brasileira de Comunicação. Os gastos com pessoal do gabi-

nete de Lula, incluindo a Casa Civil, também devem aumentar. No ano passado, o valor gasto com os assessores mais diretos chegou a R$ 141 milhões. A previsão é gastar R$ 149 milhões neste ano. Desde janeiro, o pessoal do gabinete gerou uma despesa de R$ 25 milhões. É tanta gente na Presidência que o próprio Lula chegou a se queixar que o Planalto ficou apertado demais. Foi preciso dobrar as instalações do restaurante e ampliar o número de vagas no estacionamento. Procurados desde o dia 20 para esclarecimentos, os assessores da Casa Civil se limitaram a confirmar o total de diretores. Os assessores não informaram o que fazem nem quanto ganham. Apenas repassaram leis e decretos que regulamentam as funções e gratificações. Desde 2003, essas normas sofreram alterações para garantir a acomodação dos aliados. Uma leitura parcial mostra que há mais de 50 chefes na Presidência. Técnicos estimam que o número passe de cem. Há ainda os subchefes, os subsecretários, os subcoordenadores e os secretários adjuntos. (AE)

Ex-MST Rainha monta acampamento em 'nova fronteira' de SP

E

mbalado pelas verbas do governo federal, repassadas através de duas ONGs sob investigação por desvios, o líder dissidente do Movimento dos Sem-Terra (MST) José Rainha Júnior atrai mais seguidores no oeste paulista. Depois de assumir o controle da maioria dos assentamentos do Pontal do Paranapanema, ele expande sua área de atuação para a região noroeste do Estado. No último domingo, 29, Rainha iniciou a formação de um megaacampamento numa estrada vicinal que liga a cidade de Araçatuba ao distrito de Engenheiro Taveira. Cerca de 300 barracos tinham sido erguidos nas margens da rodovia. "O Adão Preto será um dos maiores acampamentos do País", afirmou. O nome homenageia o deputado do PT e um dos fundadores do MST falecido recentemente. Os sem-terra foram alistados durante reuniões realizadas na periferia de cidades como Araçatuba, Andradina e Birigui. "São trabalhadores que foram expulsos do campo pela mecanização da cana", disse. Rainha anunciou outros acampamentos na região, que chamou de "nova fronteira" da luta pela terra no Estado. "É uma região com grandes áreas improdutivas e ainda carente de organização", disse. O objetivo é cobrar do Incra a vistoria das fazendas para acelerar a reforma agrária na região. "O acampamento é uma

forma de organizar as famílias e mobilizar o máximo possível de desempregados que tenham vínculo com o meio rural e perfil de agricultores." Os acampados devem participar de invasões, segundo o líder. "Mas os fazendeiros que têm terras produtivas não precisam se preocupar." Desautorizado pela direção do MST de agir em nome do movimento, ele destacou o apoio que recebe de sindicatos rurais ligados à Central Única dos Trabalhadores (CUT) e de outros movimentos sociais, como o Movimento dos Agricultores Sem-Terra (Mast). Esses grupos participaram com José Rainha do chamado Carnaval Vermelho, que resultou na invasão de 21 fazendas no Pontal, em fevereiro. Dos seguidores de Rainha, 1.200 são beneficiários do projeto do biodiesel que, nos dois últimos anos, recebeu R$ 3,5 milhões do governo federal. Os recursos foram liberados através da Federação das Associações de Assentados e Agricultores Familiares do Oeste Paulista (Faafop) e da Associação Amigos de Teodoro Sampaio. As entidades, ligadas ao líder dos sem-terra, estão sob investigação do Ministério Público Federal por denúncias de desvios. Rainha alega que as denúncias são falsas. Ele disse que o projeto continua e, este ano, será colhida a segunda safra de sementes de mamona para a produção do óleo. (AE)


2 a 8 de abril de 2009

Brasil (geral)

O maior bioma do mundo

Dida Sampaio / AE

Nenhum outro país chega perto do Brasil em número de espécies

Macaco Uacari vermelho, na floresta do Instituto Floresta Viva, no Amazonas.

O

Brasil abriga 13% das espécies da fauna e da flora existentes em todo o mundo – e a maior parte delas está na Amazônia. A floresta de 4,2 milhões de quilômetros quadrados é habitada por centenas de milhares de espécies de plantas, animais, fungos, bactérias. Um refúgio de suas matas ou um braço de seus rios pode conter mais espécies do que continentes inteiros. A Amazônia brasileira tem 1.200 espécies conhecidas de aves. Só num raio de 150 km de Manaus é possível encontrar 800 delas, mais do que nos Estados Unidos e Canadá juntos (que têm 700). E ocorre o mesmo com os peixes: o número de espécies descritas na Amazônia (mais de 2 mil) é dez vezes maior que o de toda a Europa – apenas 200. Só no Lago Catalão, entre os Rios Negro e Solimões, em frente a Manaus, há 300 espécies conhecidas, segundo os especialistas do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa). As estimativas dos cientistas são de que só 10% das espécies existentes na Amazônia brasileira sejam conhecidas. Talvez menos. Ainda assim, na escala amazônica, 10% já englobam números espantosos. Só de anfíbios são 250 espécies catalogadas, ante as 81 da Europa. Os mamíferos são 311, com mais de 70 espécies de macacos e 122 de morcegos. As abelhas são 3 mil; borboletas e lagartas, 1.800. Em uma única árvore da Amazônia já foram encontradas 95 espécies de formigas – 10 a menos do que em toda a Alemanha. Mas há uma imensidão ainda a ser desbravada. E não é preciso ir longe para encontrar novas espécies: mesmo no Rio Amazonas, o mais explorado da região, as descobertas são rotineiras – em 2005, foi identificado um exemplar de piraíba, que pode chegar as mais de 2 metros. Levantamentos recentes feitos com redes de arrasto revelaram um universo de peixes elétricos e outros animais exóticos que vivem nas regiões mais profundas do rio, em áreas de escuridão total.

“Mesmo o que pensamos ser muito conhecido é pouco conhecido. É impressionante”, diz o especialista Jansen Zuanon, do Inpa. A média para o Brasil é de uma nova espécie de peixe de água doce descrita por semana. No Museu Paraense Emílio Goeldi, em Belém, 70 novas espécies foram descritas nos últimos seis anos, incluindo vespas, aranhas, peixes, macacos, cobras e plantas. “Se tivéssemos mais pesquisadores, certamente descobriríamos muito mais”, diz a diretora do museu, Ima Vieira. A maior parte da Amazônia ainda é território inexplorado pela ciência. Estima-se que até 70% das coletas feitas sobre biodiversidade na região estão restritas aos entornos de Manaus e Belém – onde estão o Inpa, o Museu Goeldi e as principais universidades da região. Diante do tamanho e da heterogeneidade da Amazônia, é o mesmo que observar a região por um buraco de fechadura. Faltam respostas para perguntas básicas: quantas espécies existem na região? Como elas estão distribuídas? Qual o papel de cada uma na natureza? Ninguém sabe dizer ao certo. A maior biodiversidade do planeta é também a mais desconhecida. Organismos menores e altamente diversos, como os invertebrados (que constituem 95% das espécies animais do planeta), não têm nem estimativas. “Não chamo isso nem de lacuna; é uma cratera gigantesca de informação”, diz o ecólogo Thomas Lewinsohn, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), coordenador do maior levantamento sobre biodiversidade já feito no Brasil. E completa: “Nem é incapacidade dos cientistas, é um buraco negro mesmo. Não dá nem para chutar números.” Não se trata apenas de saciar uma curiosidade científica. A falta de informações é uma ameaça direta à conservação da biodiversidade e dos serviços ambientais prestados por ela. “Como é que vamos entender o funcionamento de um ecossistema se nem conhece-

mos as espécies que fazem parte dele?”, pergunta o zoólogo Miguel Trefaut Rodrigues, da Universidade de São Paulo (USP). O planejamento de obras e a definição de áreas para conservação, por exemplo, dependem diretamente desse conhecimento. “Produzimos muitas informações sobre a Amazônia, mas elas não estão organizadas de uma forma prática que possa nos dar respostas rápidas para perguntas importantes”, resume José Maria Cardoso da Silva, da ONG Conservação Internacional (CI). A última Avaliação do Estado do Conhecimento da Biodiversidade Brasileira calculou o número de espécies conhecidas no Brasil entre 168 mil e 212 mil – uma diferença de 44 mil. Prever o número real de espécies (incluindo as desconhecidas) é ainda mais difícil. Lewinsohn estima um total entre 1,4 milhão e 2,4 milhões de espécies. Baseando-se no ritmo atual, com uma média de 700 novas espécies descritas por ano, serão necessários 1.200 anos até que seja conhecida toda a biodiversidade brasileira – incluindo a da Amazônia. A lista oficial da fauna ameaçada do Brasil inclui 58 espécies da Amazônia – 9% do total. É pouco, se for levado em conta que muitas espécies provavelmente estão ameaçadas ou já foram extintas sem que os cientistas tenham tido chance de conhecê-las. “Certamente já perdemos muito mais do que conseguimos avaliar”, lamenta o ornitólogo Alexandre Aleixo, do Museu Goeldi. (AE)

Nos 45 anos do golpe militar, OAB cobra abertura de arquivos da ditadura

O

presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Cezar Britto, defendeu nesta terça-feira, 31, ao comentar a passagem dos 45 anos do golpe militar de 1964, a abertura dos arquivos da ditadura militar como forma de "resgatar a memória do país lamentavelmente vivida no período sombrio do regime militar". "Um país que não conhece sua história, sobretudo suas páginas mais sombrias e controversas, corre o risco de repeti-la", disse. Segundo ele, a Lei de Anistia perdoou "reciprocamente os deli-

tos políticos de ambas as partes". "Mas anistia não é amnésia. É necessário saber que crimes foram esses e os que estão efetivamente por ela abrangidos." Britto afirmou que questões básicas, como o paradeiro de cadáveres e o destino de pessoas desaparecidas, continuam sem solução, "cobertas pelo manto do silêncio e da cumplicidade". Hoje, uma sessão solene no Clube Militar, no Rio de Janeiro, lembrará o aniversário do golpe militar. Na ocasião, militares vão inaugurar uma placa em homenagem aos mortos no período. (Folha Online)

Lula rebate crítica de que Bolsa-Família é 'esmola' a famílias

O

presidente Lula referiu-se duas vezes às críticas feitas pelo senador Jarbas Vasconcelos (PMDB), que chamou de "esmola" o programa Bolsa-Família, na sua visita desta segunda-feira, 23, a Pernambuco, a terceira neste ano. Em uma entrevista exclusiva ao radialista Geraldo Freire, da Rádio Jornal, logo ao desembarcar vindo de São Paulo, ele disse não entender por que o senador, com quem sempre teve uma boa relação, "agrediu tanto" o governo e o programa. Voltou a falar do assunto, em discurso no município metropolitano de Vitória de Santo Antão, ao inaugurar uma unidade da Sadia, desta vez sem citar o nome do senador. "Tem gente que fala mal do Bolsa-Família, diz que é esmola", afirmou. Segundo o presidente, se para um cidadão que pode dar uma gorjeta de R$ 100,00 em um hotel cinco estrelas isso não é nada, uma mãe de famí-

lia com esse dinheiro na mão faz a multiplicação dos pães. "É isso que parte da elite brasileira não enxerga", disse, ao lembrar que há anos não se ouve mais falar das frentes de trabalho que eram criadas nos períodos de seca no semiárido, com os trabalhadores ganhando R$ 30,00 por mês para bater uma enxada sem nada produzir. "Isso acabou". Indagado por Geraldo Freire sobre as especulações de um confronto entre o governador Eduardo Campos (PSB) e o senador e exgovernador Jarbas Vasconcelos, pelo governo de Pernambuco, em 2010, Lula disse ter "cara e lado" em Pernambuco. Apoia Eduardo, com quem tem uma aliança estratégica nacional, e acredita na conquista do seu segundo mandato à frente do governo estadual. Quanto ao confronto, disse ser ainda cedo para se saber quem será o adversário do socialista. (AE)


2 a 8 de abril de 2009

Mundo

Pai de Eluana recebe cidadania honorária de Florença em meio a protestos

O

pai de Eluana Englaro, a italiana que passou 17 de seus 38 anos em estado vegetativo e que morreu por eutanásia mediante autorização da Corte Suprema da Itália, recebeu a sua cidadania honorária da cidade de Florença (Itália) nesta segundafeira, 30, em meio a diversos protestos, inclusive de vereadores da cidade. Giuseppe Englaro, o pai de Eluana, recebeu essa distinção da cidade italiana à revelia dos vereadores do governante partido Povo da Liberdade (PDL), que abandonaram

a Câmara local pouco antes do início da cerimônia para protestar na rua. Eluana ficou em coma após sofrer um acidente automobilístico em 1992 e morreu em 9 de fevereiro passado na clínica La Quiete, em Udine, depois que lhe retiraram a alimentação e a hidratação artificiais, como autorizou a Suprema Corte, a pedido da família. A Igreja Católica se opôs firmemente ao fato de a família de Eluana ter ajudado em sua morte, por considerar o ato um homicídio. Segundo a imprensa local, além

Giuseppe Englaro mostra foto da filha Eluana morta em fevereiro.

dos políticos, outras pessoas também manifestaram sua insatisfação com a concessão da distinção ao pai de Eluana, cujo caso ainda gera polêmica na Itália mesmo após a sua morte, em fevereiro passado, quando seu suprimento de alimentos e água foi cortado. Em carta dirigida a Giuseppe, os vereadores do PDL dizem ter "respeito pelo drama pessoal" vivido pelo pai de Eluana, mas afirmam não acreditar "que isso possa constituir motivos para obter uma cidadania honorária". O pai de Eluana disse respeitar

a postura dos vereadores do PDL, partido que usou inclusive de seu principal representante, o primeiroministro italiano, Silvio Berlusconi, para expressar sua oposição à eutanásia. "Não me assombro, o assunto do final da vida toma a consciência de assalto. Haverá tempo para esclarecê-lo", disse Giuseppe. O caso de Eluana continua em pauta na Itália depois de o Senado do país ter aprovado uma lei que proíbe a suspensão da alimentação e da hidratação a qualquer pessoa. (Efe)

Primeiro-ministro checo renuncia formalmente ao cargo Premiê perde voto de confiança por má gestão de crise econômica; país está na presidência da UE

O

primeiro-ministro da República Checa, Mirek Topolanek, renunciou formalmente ao cargo na quinta-feira, 26, dois dias depois da aprovação de uma moção de censura contra seu governo pelo Parlamento do país. O presidente checo, Vaclav Klaus, aceitou a renúncia. Klaus pediu ao primeiro-ministro e ao gabinete que permaneçam interinamente em suas funções até que um novo governo seja formado. Não está claro, no entanto, quando que a formação do novo governo deve acontecer. Klaus, que terá de designar um novo primeiro-ministro, disse preferir "uma solução rápida" para a crise política por causa do momento de crise econômica e das obrigações de Praga como parte de seu mandato de seis meses na pre-

sidência da União Europeia (UE). O Executivo de Topolanek, integrado por conservadores, democrata-cristãos e verdes, caiu na terçafeira em uma moção de censura do opositor Partido Social-Democrata (CSSD), no meio da Presidência tcheca da União Europeia (UE). "Estou preparado para nomear um Governo que se apoie em um acordo parlamentar e não seja baseado em deputados 'infiéis'", disse Klaus. "Se alguém for capaz de trazer 101 assinaturas que possibilitem um governo, darei a oportunidade", disse Klaus, abrindo as portas para que Topolanek tente formar seu terceiro governo nesta legislatura, após as eleições legislativas de junho de 2006. Klaus também considerou essen-

cial que "a solução deve ser rápida, já que isso é exigido pela complicada situação econômica e por nossa Presidência do Conselho Europeu, que deve ser desempenhada por um governo plenamente legítimo". O chefe de Estado tcheco acrescentou que "é inaceitável uma situação provisória até o final da Presidência" da União Europeia, como estão dispostos a aceitar os social-democratas, tolerando o atual Executivo. Chefia da UE A moção de censura contra o primeiro-ministro Topolanek, aprovada pelo Parlamento na terça-feira, revelou o constrangimento e o vácuo de liderança formal na União Europeia. Topolanek exercia a presidência rotativa do Conselho Europeu - a instância que reúne 27 chefes de Estado e de governo do bloco - e deveria liderá-los às vésperas do G-20 e das cúpulas UE-Estados Unidos e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). A censura, a quarta proposta pela

oposição social-democrata desde o início do mandato de Topolanek, em 2007, foi aprovada pelo Parlamento da República Checa na noite de terça-feira, em Praga. Embora o país atravesse turbulências econômicas - como todo os países do Leste Europeu -, a queda do governo teve raízes em disputas internas entre a oposição e a base de apoio. Diante do voto de desconfiança, o primeiro-ministro foi obrigado a demitir-se e a dissolver seu governo -, ainda que a Constituição não fixe prazo para isso. As divergências no Legislativo checo não receberiam destaque caso Topolanek não exercesse neste semestre a presidência rotativa do Conselho Europeu. Na prática, a censura interna também retirou legitimidade de sua gestão à frente do bloco, uma semana antes de uma sequência de reuniões de cúpula internacionais. No dia 2, ocorre em Londres o encontro do

Líbia encontra 100 corpos de migrantes afogados

Japão pagará retorno de brasileiros A e peruanos desempregados Medida vale para cidadãos com ascendência japonesa que têm vistos especiais para trabalhar com manufatura

O

Japão começou a oferecer nesta quarta-feira, 1º, dinheiro aos brasileiros e peruanos com ascendência nipônica sem trabalho, para que voltem a seus países de origem. A intenção de Tóquio é reduzir o que as autoridades qualificam como um grave problema de desemprego. Milhares de estrangeiros, com trabalhos temporários ou por recomendação, perderam o emprego recentemente, particularmente em empresas de manufatura como a Toyota, que tentam superar a crise financeira. O número de es-

trangeiros em busca de ajuda do governo para encontrar trabalho se multiplicou, em comparação com o ano passado, 11 vezes nos últimos meses e subiu para 9 mil pessoas, segundo o Ministério da Saúde, Trabalho e bem-estar. "O programa é para responder a um problema social cada vez maior", afirmou o funcionário Hiroshi Yamashita, do Ministério. O novo programa se aplica somente aos brasileiros e peruanos com ascendência japonesa que têm vistos especiais para trabalhar no setor de manufatura. Não envolve

outros estrangeiros radicados no Japão, explicou Yamashita. O governo entregará a esse grupo 300 mil ienes (US$ 3 mil) a cada um, além de 200 mil ienes (US$ 2 mil) para cada membro da família, segundo a pasta. Mas eles devem renunciar ao direito que a ascendência japonesa dá a eles de viver e trabalhar no Japão. Somente poderão regressar como turistas ou com outro visto de trabalho. Não foi determinado o custo desse programa, segundo o ministério. (Agência Estado e Associated Press)

G-20; nos dias 3 e 4, ocorre em Estrasburgo, na França, a cúpula dos 60 anos da Otan, sucedida pela reunião União Europeia-EUA, com a presença do presidente americano, Barack Obama. "Enquanto o mundo atravessa turbulência, a elite checa se dá o luxo de uma crise", criticou o cientista político Jean-Michel de Waele, da Universidade Livre de Bruxelas. "O balanço da presidência checa é desastroso." O premiê tentou demonstrar serenidade. Avisou a oposição de que será candidato à própria sucessão e assegurou que não abandonará a presidência da UE. "Essa situação não terá impacto sobre a presidência checa", garantiu. A queda de Topolanek reforçou a importância do Tratado de Lisboa, que está sendo votado pelos países-membros e prevê a criação do cargo estável de presidente da UE. (Agências internacionais)

utoridades da Líbia recuperaram os corpos de 100 migrantes que tentavam alcançar a Europa e se afogaram após seu barco ter naufragado, disseram oficiais nesta quarta-feira, 1º. "Setenta e sete corpos de migrantes foram levados pelas ondas à praia de Trípoli na noite de terça-feira e outros 23 corpos foram encontrados entre domingo à noite e terça-feira", disse uma autoridade. Autoridades acreditam que os migrantes eram em cerca de 365 pessoas que estavam a bordo do barco, que supostamente sustentava apenas 75 pessoas. Os migrantes eram somalis, nigerianos, eritreus, curdos, argelinos, marroquinos, palestinos e tunisianos, disseram as autoridades. Além do barco que naufragou,

outras três embarcações com migrantes saíram da Líbia entre sábado e domingo, aparentemente pretendendo chegar à Itália, disseram autoridades da líbias. A guarda costeira da Líbia resgatou 350 migrantes, muitos deles mulheres e crianças, após o barco ter quebrado no domingo perto de um campo petrolífero do país, disseram. "Quanto ao destino dos outros dois barcos, nós temos a informação de que um chegou à Itália, e pela última informação que recebemos, o outro barco deixou as águas da Líbia e apareceu perto de Malta", disse uma autoridade. Há uma estimativa de que haja de 1 milhão a 1,5 milhão de migrantes africanos na Líbia, atraídos pela demanda por mão-de-obra não especializada, de acordo com a Organização Internacional para a Migração (OIM).


2 a 8 de abril de 2009

Hillary apoia reconciliação com taleban que deixar terrorismo Na conferência sobre o Afeganistão, secretária de Estado diz que é preciso reintegrar os que abandonam armas

A

secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, apoiou nesta terça-feira, 31, as tentativas de reconciliação do governo afegão com membros do Taleban que abandonarem a violência. A declaração foi feita na da conferência sobre o Afeganistão, que acontece em Haia, na Holanda, com a participação de mais de 90 países e organizações. "Devemos apoiar os esforços do governo do Afeganistão em separar os extremistas da Al-Qaeda dos taleban que se uniram ao grupo não por convicção, mas por sinal de desespero", afirmou a chefe da chancelaria do governo de Barack Obama. "Deve-se oferecer uma forma honrada de reconciliação e reintegração em uma sociedade pacífica, se eles desejam abandonar a violência, romper com a AlQaeda e apoiar a Constituição". Em um criticismo velado aos líderes afegãos, Hillary afirmou ainda que o país precisa de um governo que seja "legitimado e respeitado" e que não haja corrupção. "Corrupção é um câncer - e perigoso para o nosso sucesso a longo prazo com o Taleban e a Al-Qaeda. Um governo não pode mostrar para seu povo que o terrorismo é a melhor forma de recrutamento". Ela pediu ainda por eleições "abertas, livres e justas" para o país e anunciou um fundo de US$ 40 milhões para ajudar a ONU a preparar o pleito, pe-

Secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, responde questões dos Países Baixos antes de começar conferência em Haia.

dindo para que os demais países da conferência façam o mesmo. Ajuda regional Um dos objetivos da conferência é conseguir contribuições para financiar o aumento de soldados do Exército e da polícia do Afeganistão, que, segundo afirmou presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, "precisam de fundos para se manter". Em seu discurso, Karzai,afirmou ainda que a cooperação dos países vizinhos é imprescindível para conseguir a vitória sobre o terrorismo taleban. "Sem a cooperação dos vizinhos do Afeganistão não se pode conseguir a vitória contra o terrorismo", afirmou Karzai em seu discurso. Segundo o presidente, o Afeganistão se encontra em "uma encruzilhada crítica", já que, apesar dos progressos registrados em temas como educação, desenvolvimento e retorno de refugiados, precisa que a comunidade internacional mantenha seu apoio para poder continuar seu caminho rumo à estabilidade.

Na abertura da conferência sobre o Afeganistão, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou que, se a comunidade internacional parasse de apoiar o Afeganistão, seria "trair" as conquistas alcançadas após grandes esforços e progressos alcançados até o momento". Diante de representantes que se reúnem em Haia, o secretário-geral da ONU disse que a nova estratégia anunciada pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, ofereceu uma "mudança qualitativa", porque não se centra somente na vertente militar, mas também em "fortalecer" as instituições afegãs. Ban destacou também a importância de que as eleições presidenciais de agosto no Afeganistão aconteçam com "transparência e credibilidade". Ban também ressaltou a necessidade de unir esforços na luta contra o terrorismo e as drogas no Afeganistão, cujo futuro centra a conferência internacional e que pela primeira vez conta com a

Carro-bomba explode em Bagdá e deixa 20 mortos e 35 feridos Atentado foi promovido em ponto de ônibus de uma região comercial em bairro xiita da capital iraquiana

Reuters

A

explosão de um carrobomba em uma área predominantemente xiita de Bagdá provocou a morte de pelo menos 20 pessoas nesta quinta-feira, 26 informaram autoridades locais. Mais de 35 pessoas ficaram feridas. Fontes policiais e hospitalares disseram que o carro repleto de explosivos estava estacionado perto de uma estação de ônibus cercada de lojas no bairro de Shaab. A explosão ocorreu pouco depois do meio-dia, pelo horário local. Mulheres e crianças estariam entre as vítimas, segundo a polícia. O ataque ocorre um dia depois de autoridades de segurança dos Estados Unidos e Iraque divulgaram uma queda na violência no Iraque, mostrando que insurgentes ainda

se mantém capazes de lançar ataques potentes. Na segunda-feira, uma bomba explodiu em um terminal de ônibus no oeste de Bagdá, no distrito de Abu Grhaib, e matou 9 pessoas e deixou outras 32 feridas, segundo a polícia iraquiana. A explosão aconteceu perto de um mercado popular do bairro, em

um momento de grande concentração de pessoas. O carro-bomba causou graves danos materiais tanto em veículos quanto em edifícios próximos. O saldo final de mortos pode aumentar, porque alguns dos feridos se encontram em estado grave. Na quarta-feira, o porta-voz do Exército americano no Iraque, general David Perkins, anunciou em Bagdá que os ataques contra as tropas americanas nesse país diminuíram aos mais baixos níveis desde agosto de 2003. O chefe militar disse que os ataques e atentados contra as forças americanas somaram no ano passado um total de 130, enquanto, durante 2009, foram registrados apenas 10. (Agências internacionais)

participação do Irã. A secretária de Estado espera que o Irã amplie a fiscalização de sua fronteira com o Afeganistão e ajude no combate ao tráfico de drogas. "Só o fato de eles terem aceitado o convite para participar do debate significa que os iranianos acreditam que têm um papel importante a ser desempenhado", disse Hillary na segunda-feira. Irã e Paquistão O ministro de Relações Exteriores paquistanês, Shah Mahmood Qureshi, afirmou que os esforços internacionais para estabilizar o Afeganistão deve ser baseados na "não-interferência" e no respeito da soberania do país. O chanceler ressaltou que Islamabad mantém seu compromisso em lutar contra o terrorismo que ultrapassa as fronteiras afegãs para as províncias paquistanesas. O Irã, que enviou seu vice-chanceler Mohammad Mehdi Akhoundzadeh à conferência de um dia, reafirmou sua rejeição à presença militar estrangeira no Afeganistão, mas prometeu colaboração no combate ao tráfico de ópio do país. "A presença de forças estrangeiras

não melhorou as coisas no país, e parece que um aumento no número

de forças estrangeiras (como promete Obama) se mostrará ineficaz também", disse Akhoundzadeh. "O Irã está plenamente preparado para participar de projetos destinados a combater o tráfico de drogas e de planos compatíveis com o desenvolvimento e reconstrução do Afeganistão", afirmou ele, segundo transcrição divulgada a jornalistas. Hillary e Akhoundzadeh não devem manter conversas substanciais em Haia, mas tampouco se espera que evitem o contato. Contrariando a política do seu antecessor George W. Bush, Obama e sua equipe têm buscado uma aproximação com o Irã, apesar dos vários anos de impasse em torno do programa nuclear da República Islâmica. Richard Holbrooke, representante especial de Obama para o Afeganistão e Paquistão, disse que a presença do Irã na conferência é uma parte lógica dos esforços para levar a paz aos afegãos. "Como se pode falar do Afeganistão e excluir um dos países que é um Estado fronteiriço, vizinho?", disse ele a jornalistas em Haia. "A presença do Irã aqui é óbvia." (Agências internacionais)


2 a 8 de abril de 2009

Cristina pede a Brown volta das negociações sobre Malvinas

A

presidente da Argentina, Cristina Kirchner, levou no último sábado, 28, ao primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, a questão sobre a soberania das Ilhas Malvinas e pediu negociações para solucionar o conflito bilateral. Cristina e Brown se reuniram por cerca de meia hora antes do início formal da Cúpula de Líderes Progressistas no balneário chileno de Viña del Mar, dedicada à crise financeira global. "A presidente apresentou com grande clareza e firmeza a ne-

cessidade de que o Reino Unido cumpra o solicitado pelas Nações Unidas e estabeleça negociações para solucionar o conflito de soberania", disse a jornalistas o chanceler argentino, Jorge Taiana. Em 1982 a Argentina e o Reino Unido travaram uma guerra pelas Ilhas Malvinas – chamadas de Falklands pelos ingleses –, que ficam no Atlântico Sul. A possessão passou para o Reino Unido. Os dois países voltaram a ter relações diplomáticas a partir de 1990, mas as Malvinas conti-

nuam sendo um tema tabu. A questão da soberania das Ilhas voltou a ganhar mais força na Argentina desde que o expresidente Néstor Kirchner, que é da Patagônia, região próxima às Malvinas, chegou ao poder, em 2003. As Ilhas Malvinas têm cerca de dois mil habitantes, incluindo os estrangeiros que estão na região para trabalhar. Seus moradores recebem salário em libras esterlinas, a moeda britânica, e o governo é designado pelo Reino Unido. (Agências internacionais)

AP

Presidente argentina quer encerrar conflito bilateral pela soberania da ilha, possessão britânica desde anos 80

Cristina e Brown se encontram no Chile.

Donas de casa podem receber salário na Bolívia Por: Raquel Scarlatelli

raquelsct@gmail.com

A

nova constituição boliviana, aprovada recentemente, levanta, entre muitas, uma questão polêmica, particularmente para as mulheres. Textualmente, a constituição afirma que “o Estado reconhece o valor econômico do trabalho do lar como fonte de riqueza e deverá quantificá-lo nas contas públicas”. Em outras palavras, foi aprovado um princípio legal que define que as donas de casa, na Bolívia, poderão, agora, receber um salário como pagamento pelas tarefas domésticas que desempenham. São vários os aspectos contraditórios desta nova lei, e um deles diz respeito ao cálculo do valor do trabalho doméstico. Como fazer isso? Será que as mulheres que se dedicam aos afazeres de casa, cotidianamente, aceitarão receber um salário mínimo? O que as próprias mulheres, no geral, sabem, é que este é um trabalho igual, repetitivo, que parece não ter fim, e que à parte isso, é totalmente desvalorizado. Tanto, que é comum escutar, por

exemplo, que as mulheres que não estão no setor produtivo e que trabalham em casa, “não trabalham”. No caso da Bolívia, até o momento, nem o governo e nem as próprias mulheres bolivianas sabem qual deve ser o valor do salário para este trabalho. Algumas pessoas já arriscaram a dizer que

este cálculo poderia ser feito a partir da soma das horas e minutos que as mulheres gastam para fazer todas as tarefas domésticas, em sua casa. O fato é que o trabalho doméstico é muito útil para o sistema, visto que ele garante a reposição e manutenção da força de trabalho de homens e mulheres, nas fábricas, no comércio, etc. Na verdade, esta proposta de pagar salário para a dona de casa não resolve o problema da opressão e exploração da mulher. Pagar a mulher pelo trabalho doméstico apenas transforma as mulheres, donas de casa, em assalariadas, sem alterar em nada a sua realidade. Elas apenas continuarão trabalhando, no espaço em que vivem com seus filhos e maridos, em troca de algumas migalhas. E pior, receberão pouco e ainda terão que pagar as taxas cobradas e descontadas pelo governo. Por outro lado, as mulheres têm denunciado a condição que milhões delas enfrentam sendo “empregadas do lar”, que “esquentam a bar-

riga no fogão e esfriam no tanque”, como se costuma dizer no Brasil. Casam e passam a ser quase uma serva do seu companheiro. Como será possível mudar esta condição através de uma lei? Como ela poderá ter uma relação de respeito e de troca, com seu companheiro, a partir de uma medida legal, que a coloca como funcionária dele, recebendo um salário pelo serviço? Será possível uma relação de vida em comum, de família? Ou esta será apenas mais uma relação de trabalho, entre empregador e empregado explorado, como outras, na atual sociedade, na qual a força de trabalho é a mercadoria mais valiosa? Esta lei pode parecer, a principio, um passo importante para ampliar os direitos das mulheres, mas ela não mudam em nada a realidade de opressão e exploração que pesa sobre milhões. Já foi dito que o trabalho doméstico das mulheres somente será transformado pela ação e luta políticas das próprias mulheres e das classes populares que, unidas,

poderão mudar a sociedade e conquistar sua emancipação. O Centro de Estudos Populares, da Bolívia, a propósito da mudança na constituição e, em especial, sobre este tema, lembra que “em nosso país, isto implica, inclusive, em combater uma das marcas da semifeudalidade, que é a semiservidão. Milhares de mulheres e crianças dos setores populares se empregam nas casas de família nas cidades para fazer as tarefas domésticas. A jornada de trabalho chega a superar as 12 horas diárias, em troca de um salário menor do que o mínimo oficial. Em muitos casos, implica também em não receber remuneração, principalmente, quando se trata de mulheres e meninas que chegam do campo, e que precisam inserir-se de alguma forma na vida da cidade.” E destaca que “os setores populares têm a responsabilidade de lutar para transformar estas relações, mas os homens, em particular, têm a tarefa de renunciar aos privilégios que a velha sociedade lhes outorga a respeito do trabalho no lar.”


2 a 8 de abril de 2009

Futebol e folclore: importância em manter a cultura portuguesa

Por:

Daniela Romão daniela.romao@hotmail.co.uk

O

Centro Desportivo e Cultural Português de Londres, baseado em 7 Lansdowne Way tem muito para oferecer dentro da cultura portuguesa. O rancho folclórico conta já com 30 anos de existência e as equipas de futebol de seniores e juniores atraem muitos portugueses ao clube com cerca de 130 membros entre portugueses, brasileiros e inclusive italianos, onde há sempre uma mão amiga pronta para ajudar. “O que se pretende é que represente um ponto de encontro para a comunidade portuguesa, reviver tradições e ajudar os que mais precisam. O mais importante é manter a cultura portuguesa”

palavras de José Manuel Sousa, Presidente do Centro Cultural e Desportivo Português Londres, inaugurado a 27 de Outubro de 1982, pelo presidente do Governo Regional, Alberto João Jardim. O responsável do centro, contou ao Brazilian News, que este ponto de união conta com um rancho folclórico, que ensaia todas as quintas-feiras a noite. Primeiro os mais pequenos, a partir dos 5 anos e depois os seniores, num clima de boa disposição. A entrada é aberta a todos e podem sempre tirar o pé do chão e ajudar à dança a partir das 19:30h, e ver os trajes tradicionais da Madeira. O grupo representou já a Madeira no estrangeiro por diversas vezes, em países como França, Bélgica, Alemanha, e várias localidades inglesas. Ricardo Santos, Vice-presidente do clube aberto há 26 anos, disse “temos muitos miúdos (no rancho) com grande vontade o que é muito bom para

dar continuidade ao trabalho, porque depois acabam por voltar quando têm 20 ou 25 anos”, referiu. O futebol, para Ricardo Santos é “o que atrai mais” porque “os pais vêm trazer os filhos aos treinos e acabam por ficar e tomar um café e inclusive alguns até se inscrevem mais

Traje tradicional da Madeira.

Centro de apoio à comunidade

tarde”. As equipas de futebol envolvem-se em diversas ligas e campeonatos, havendo todos os fins-de-semana jogos, preparando-se agora para o torneio da Páscoa. Projectos para o futuro contase a abertura do “Espaço Net” que espera abrir ainda este ano e o “desejo muito forte de se abrir uma creche” revelou ao Braziliannews José Manuel Sousa confessando no entanto serem precisas “verbas para manter as actividades e fazê-las crescer”. Com bar e restaurante abertos todos os dias, das 9 às 23 horas e um salão de festas, o centro sem fins lucrativos admite que funcionar também como casa comercial ajuda, “Tem que se encarar a realidade e a tendência do clube, se não houver cuidado acaba por terminar”, atenta Ricardo Santos. Para mais informações os interessados basta se dirigirem ao clube, ou ligar 78209145. Para se juntar ao futebol basta vontade, o equipamento desportivo é fornecido pelo centro, bem como o traje folclórico tradicional com peças originais para quem gosta de dançar.

portuguesa vai abrir em Londres Mercado inglês e O irlandês interessam cada vez mais imobiliário português

Município de Lambeth disponibilizou meio milhão de libras para a criação de um centro para apoiar a comunidade portuguesa em Londres em diversas áreas, desde o ensino do inglês e do português à requalificação profissional de emigrantes desempregados. A entrada em funcionamento deverá acontecer nos próximos 18 meses. A verba aguarda que seja encontrado um local para a instalação do centro, que António Cunha, conselheiro das Comunidades Portuguesas e principal promotor, pretende que tenha características específicas. Uma das prioridades é o ensino de inglês aos emigrantes portugueses, uma barreira em termos de integração social e profissional, e o ensino e promoção da Língua Portuguesa. A apresentação do projecto, cuja ideia remonta a 2005, decorreu passado dia 26 na Embaixada de Portugal, que apoia a iniciativa. O centro será, sobretudo, um núcleo de informação e aconselhamento sobre serviços como segurança social, saúde, educação ou habitação. Mas António Cunha quer que o centro possa também ajudar pequenos ou médios empresários a iniciarem uma actividade ou a encontrarem um espaço para se instalar. Os promotores procuram um espaço que possua ainda uma sala polivalente que sirva de ginásio e salão de festas e permita abrir no futuro um centro de dia para

Lambeth

idosos e um infantário. O presidente do Município de Lambeth, Steve Reed, disse à agência Lusa entender que “deve ser a comunidade a decidir como deve ser o centro”. Adiantando que, além do ensino do inglês e do português, a importância da realização de actividades para jovens e a requalificação profissional de emigrantes desempregados. “Seria muito sensato que esteja disponível [também] para a comunidade latino-americana e africana de língua portuguesa, que têm muitas coisas em comum”, sublinhou. O vereador Peter Bowyer, que representa Stockwell, a zona de Lambeth também conhecida por “Little Portugal”, descreve a comunidade portuguesa como “muito activa”. “Trouxe uma perspectiva diferente de outras comunidades ‘mais inglesas’”, comentou, destacando

o dinamismo que os portugueses trouxeram com a “nova cultura e negócios prósperos”. O Município estima que entre 35 mil e 50 mil portugueses residam nesta zona, o que faz da comunidade a minoria étnica mais importante de Lambeth, representando entre 15 e 20 por cento do total da população. Os promotores do centro comunitário estimam que, para além do meio milhão de libras já disponibilizados, sejam precisos mais dois a três milhões de libras para assegurar o seu funcionamento. Do Estado português não está garantido nenhum apoio, embora a Embaixada faça saber que a Secretaria de Estado das Comunidades está a par da iniciativa. A data de abertura não está ainda assegurada mas os responsáveis do Município desejam que aconteça até ao final de 2010. (Daniela Romão)

A quinta conferência sobre Imóveis e Propriedades, organizada pela Câmara Portuguesa de Comércio em Londres, teve lugar na semana passada, dia 23, em Withers LLP. Foram endereçados temas relativos ao desenvolvimento do mercado imobiliário e turismo residencial portugueses como importantes segmentos no mercado inglês e irlandês, em particular

P

atrocinada pelo Banco Santander Totta e Banco Espírito Santo a Conferencia, a conferência estendeu-se em oito sessões onde se discutiram diversos aspectos imobiliários. Miguel Perestrello, Director do Turismo de Portugal em Inglaterra, sublinhou o papel do turismo residencial na estratégia para 2009/12. Luís Infante da Câmara representante da Leisure and Tourism Consultancy Horwath HTL recordou actividades de sucesso dando como exemplos casos como Oceânico, Bom Sucesso e Beltico em áreas como Óbidos e Pelicano no sul de Lisboa. Segundo Diogo Gaspar Ferreira, Presidente do Vale do Lobo, primeiro empreendimento turístico do Algarve, noventa e cinco por

cento da população compra habitação no seu próprio continente, quando procuram segunda casa, realçando que os compradores ingleses representam cerca de setenta por cento das vendas em Portugal. Diogo Gaspar Ferreira alertou para a necessitada de se adaptarem os produtos e também o marketing para este público-alvo específico. A Câmara Portuguesa de Comércio em Londres localiza-se no primeiro andar da embaixada portuguesa, com o telefone (0) 207 201 6638. Uma organização bilateral que promove todas as formas de comércio e diálogo entre os dois países, como eventos, reuniões conjuntas, e conferência direccionadas ao sector do comércio. (Daniela Romão)


2 a 8 de abril de 2009

Brazil Diaspora Network chega a Europa Brasileiros com alta qualificação contribuindo para o desenvolvimento do Brasil e fortalecendo a imagem do país junto ao setor empresarial internacional

Por:

Juliana Rodrigues

E

julianalispector@gmail.com

migrar do país de origem e uma realidade que os brasileiros que vivem no Reino Unido entendem muito bem. As razões são diversas: condições políticas desfavoraveis, precária situação econômica, qualificação profissional, entre outras. Todos têm objetivos que os mantêm distantes da terra natal e familiares. Viver no exterior dimensiona uma expectativa de conquista, de uma melhor qualidade de vida e a possibilidade, quase que ilimitada, de explorar oportunidades inexistentes no Brasil. São esses emigrantes que hoje constituem a maioria dos membros da diáspora brasileira. A diáspora, no entanto, não é sempre vista com bons olhos. No setor econômico e internacional, sair do país de origem, muitas vezes assemelha-se a uma fuga, abandono, incapacidade profissional ou até mesmo concorrência com os nativos. Todas essas negativas percepções de diáspora são contrariadas pelo fenômeno da globalização que traz oportunidade de desenvolvimento e mudança para muitos países. A diáspora é

uma parte cada vez mais importante do cenário global. Os brasileiros que vivem no exterior, geralmente mantêm fortes laços familiares, culturais, econômicos e políticos com sua terra natal. Muitos são relativamente prósperos em comparação ao que eram em suas comunidades de origem e freqüentemente desejam contribuir com a idéia de voltar. O fluxo de remessas globais chega a US$100 bilhões. Porém o potencial de investir as doações da diáspora estrategicamente, contando com parte desses fundos, só pouco a pouco é reconhecido e estimulado como um meio de captação, expansão e fortalecimento tanto para a empresa como pra o Brasil. Pensando nessa percepção, da importância do nosso país no cenário internacional, o ex-professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Doutor em engenharia biomedical pela Universidade da Pensilvânia e ex-presidente da Motorola, Flavio Grynszpan, criou uma rede chamada “Brazil Diaspora Network”, que permite que brasileiros com qualificação que moram fora do Brasil tenham maior sucesso e participação no Mercado Internacional. O “Brazil Diaspora Network” (BDN) é uma empresa incorporada nos Estados Unidos, primeiro lugar de ação da rede de brasileiros que por meio de contatos estratégicos com pessoas importantes no Brasil e no mundo, expandiram suas em-

O coordenador do BDN, Flavio Grynszpan, e o Commercial Officer da Embaixada do Brasil em Londres, Virgilio Guimaraes.

presas e negócios. A BDN é uma rede mundial formada por executivos e profissionais brasileiros que moram no exterior dedicada a promover a participação das empresas brasileiras no mercado internacional e fortalecer, mundialmente, a imagem internacional do Brasil. Integra atualmente a mais de cem profissionais, entre os quais, IBM, Bank of America, Nokia, HP e outros. Entre as principais atividades da rede, destacamse o apoio a ‘start-ups’ mediante aconselhamento e networking. Há também interesse de alguns membros de investirem em pequenas empresas brasileiras. A rede está muito bem estruturada e cobre diversas setores, como o de software e serviços de TI, energia solar e biotecnologia. O Itamaraty acompanha e ajuda o projeto e enviou o coordenador

da Rede BDN, Flavio Grynszpan, a Embaixada do Brasil em Londres para a apresentação dos projetos que estão sendo realizados e os planos para 2009. A primeira reunião uropeia da BND aconteceu na última quinta-feira, 26, e teve a participação de dezenas de profissionais, empreendedores, executivos brasileiros. Grynszpan explicou que um dos objetivos da rede e fazer com que estes profissionais interajam com a realidade de acontecimentos no Brasil. Para tanto, a rede conta com diversos encontros com importantes personalidades do mundo político-econômico no Brasil. Os últimos encontros tiveram como palestrantes o Ministro da Ciência e Tecnologia e o presidente do BNDES. Os planos incluem próximas palestras com Ministro da Industria e Comércio, Presidente da BBI e

outros escolhidos pelos próprios membros da rede visando sua área de empreendimento. Grynszpan ressaltou que o maior objetivo da BDN e “criar um conjunto de brasileiros em rede ligados as empresas brasileiras no Brasil de modo que consiga melhorar a inserção dessa empresa no mercado internacional.” Existe dentro da rede ainda o Programa Mentoring que oferece tutoria pelos especialistas para que as empresas possam entender o que e necessário para ter sucesso no mercado. Para cada empresa e formado um painel de mentores com 3 a 4 membros da “Brasil Diaspora Network” visando diagnosticar problemas, buscando falhas e soluções; dar detalhes dos competidores e das oportunidades de mercado e preparar empresas para submeter propostas aos investidores. O Commercial Officer da Embaixada brasileira em Londres, Virgílio Guimarães, esclareceu que a embaixada apoia o projeto e ao final da reunião na Embaixada, recebeu fichas dos participantes que vão integrar a rede. Forma-se dessa maneira na Europa mais uma conexão da rede que contava com os membros nos EUA ate então. Os interessados em se tornar membro da Rede Brasil Diaspora Network devem preencher a ficha de inscrição que pode ser encontrada no site www.braziloutsourcing.com.br e enviar para flavio@ longchamp.com.br. As propostas serão avaliadas por um comitê interno e será cobrada uma taxa nominal de US$ 100 por ano.

Obama presenteia rainha Elizabeth II com iPod Em troca, presidente americano e esposa ganharam costumeira foto da rainha e marido em moldura de prata

Elizabeth II recebe Obama e Michelle.

O

presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, presenteou a rainha Elizabeth II com um iPod nesta quarta-feira, 1º, durante visita ao Palácio de Buckingham. Em troca, a família Obama recebeu a costumeira foto da rainha e seu marido em uma moldura de prata, revelou a BBC. O iPod para a rainha já vem com a gravação da visita dela aos EUA em 2007, talvez antecipando-se às dificuldades reais para acessar o iTunes para fazer um download.

Havia expectativa sobre qual seria o presente oferecido pelo presidente norte-americano à rainha. A mídia britânica repercutiu mal os presentes modestos dados pela família Obama ao primeiro-ministro Gordon Brown e à mulher dele, na visita do casal à Casa Branca no mês passado. Naquela ocasião, Brown recebeu uma caixa de DVDs, supostamente no formato errado, e um par de modelos de helicópteros Marine One para seus filhos. (Reuters)


2 a 8 de abril de 2009

rejeita novas Premiê britânico nega Grã-Bretanha sanções contra o Irã agora

desavenças sobre saída para crise A

Brown critica a adoção de medidas protecionistas em meio à crise.

O

primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, negou na quarta-feira, 1º, que existam desavenças entre os Estados Unidos e a União Europeia sobre a melhor saída para a crise financeira global. Em um evento promovido pelo jornal The Wall Street Journal, em Nova York, Brown disse que são igualmente importantes tanto a abordagem europeia, de apostar em um fortalecimento da regulamentação do mercado, como a americana, de priorizar pacotes de estímulo. O primeiro-ministro, que visita o Brasil nesta quinta-feira, diz acredi-

tar que há uma "determinação" de líderes mundiais para "fazer o que for necessário para assegurar que a economia volte a crescer". A crise deve ser o principal tema em discussão na Cúpula de Londres, que reunirá na capital britânica, no próximo dia 2 de abril, os líderes do G20 - grupo que reúne os principais países desenvolvidos e emergentes, incluindo o Brasil. G20 Segundo Brown, os líderes presentes ao encontro devem analisar, juntos, o que já foi feito em termos de estímulo fiscal, diminuição dos juros e outras medidas econômicas, antes de decidir o que deve

ser feito a seguir. "Eu vejo nisso um consenso, não uma discordância", afirmou. Ele ressaltou que cada país tem seu próprio cronograma para anunciar suas medidas fiscais e monetárias. "Ninguém está sugerindo que as pessoas cheguem à reunião do G20 e coloquem na mesa o orçamento que terão no próximo ano." O primeiro-ministro britânico disse que espera que o G20 siga com "uma abordagem coordenada de políticas fiscais e econômicas" e que chegue a acordos sobre a supervisão do sistema financeiro. Brown também voltou a criticar a adoção de medidas protecionistas como forma de evitar os efeitos da crise. "Eu espero que, na cúpula do G20, nós não apenas cheguemos a um consenso sobre o caminho a seguir para que tenhamos um acordo mundial de comércio, mas também para facilitar a ampliação do comércio em um mundo em que o comércio está decaindo." A poucos dias da cúpula, Brown está visitando uma série de países. Nesta quinta-feira, o primeiroministro britânico se encontra em Brasília com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. (BBC/Brasil)

s grandes potências não devem se apressar em impor novas sanções ao Irã num momento em que Teerã tem uma boa chance de normalizar suas relações com Washington, disse na terça-feira, 31, o chanceler britânico, David Miliband. Revertendo a política de seu antecessor George W. Bush, o presidente dos EUA, Barack Obama, propôs um reinício das relações do seu país com o Irã, após três décadas de profunda desconfiança mútua, agravada nos últimos anos pelo programa nuclear iraniano. A Grã-Bretanha, que é uma das seis potências globais que tentam convencer o Irã a abandonar o programa nuclear, apoiou a nova abordagem norte-americana. Miliband disse ao Parlamento britânico que a oferta dos EUA "representa a melhor chance que o Irã jamais terá de normalizar suas relações com o resto do mundo e acima de tudo normalizar relações com os EUA". Questionado sobre quanto a GrãBretanha deveria aguardar antes de pleitear novas sanções da ONU ou da União Europeia contra o país, Miliband respondeu: "Agora não é hora de se apressar para mais sanções. Agora é hora de apoiar a abertura norte-americana, que é uma oportunidade única em uma geração, não só para nós, mas para os iranianos".

Os EUA e seus aliados suspeitam que o Irã queira construir armas nucleares, algo que Teerã nega, alegando que seu programa nuclear é pacífico e se destina à geração de energia elétrica. O Conselho de Segurança da ONU já impôs três rodadas de sanções a Teerã. Miliband alertou que "se os iranianos não responderem de forma positiva, novas medidas podem ser tomadas". A secretária norte-americana de Estado, Hillary Clinton, diz repetidamente que os EUA vão impor novas punições ao Irã caso o país mantenha suas atividades. Mas, em 20 de março, Obama divulgou uma mensagem por vídeo ao Irã em que oferecia um "novo começo". O Irã reagiu com discrição à oferta. Na terça-feira, um importante diplomata dos EUA encontrou a delegação iraniana durante uma conferência internacional sobre o Afeganistão em Haia, num sinal de possível aproximação. Sem entrar em detalhes, Miliband afirmou haver "uma gama de opções sobre a mesa" para que haja cooperação com o Irã a respeito de um programa nuclear civil. Ele afirmou ainda que Londres por enquanto não se decidiu a enviar mais tropas ao Afeganistão, nem recebeu qualquer apelo dos EUA nesse sentido.


2 a 8 de abril de 2009

Banco Mundial propõe a G-20 O

Banco Mundial propôs a criação de um fundo de US$ 50 bilhões para ajudar a financiar o fluxo de comércio global, que deve registrar sua maior queda desde a Grande Depressão. O presidente do Banco Mundial, Roberto Zoellick, pediu que os representantes do Grupo dos 20 (G-20) que se reunirão esta semana em Londres endossem o programa de liquidez ao comércio e se unam em torno de uma solução global para a crise, no momento em que o banco estima que a economia global vai se contrair este ano pela primeira vez no pós-guerra. Segundo as estimativas do Banco Mundial, o comércio de bens e serviços deve cair 6,1% em 2009, em vez de declinar 2,1% como estimava anteriormente. Só o comércio de produtos deverá cair quase 10%, disse Hans Timmer, diretor de tendências globais do Banco Mundial, acrescentando que a previsão está em linha com a projeção feita na semana passada pela Organização Mundial do Comércio de queda de 9% ou mais. O programa de liquidez para o comércio do Banco Mundial combinaria US$ 1 bilhão do banco com financiamento de governos e bancos regionais de desenvolvimento para alavancar capital privado por meio de acordos de partilha de risco, disse Zoellick. O apoio do G-20 ao

fundo de US$ 50 bi para comércio Segundo estimativas do banco, comércio de bens e serviços deve cair 6,1% em 2009, em vez de declinar 2,1% movimentos semelhantes adotados no início do mês pelo FMI, que cortou sua previsão para contração de 0,1% a 0,5% na produção do mundo este ano, levando a uma recuperação no próximo ano, com crescimento de 1,5% a 2,5%. As duas instituições têm formas diferentes de calcular as previsões

plano geraria impulso para atingir a meta do primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, de conseguir US$ 100 bilhões em financiamento de comércio, disse Zoellick. "Hoje não devemos fugir de unificar ideias e ações", afirmou Zoellick em texto preparado para um discurso em Londres antes do encontro do G-20. "Num momento de perda de confiança, precisamos de ações que restaurem a confiança pública de que os governos estão aptos para enfrentar os desafios", disse. "Há um risco maior em fazer muito pouco do que em não fazer nada." Na primeira revisão de suas estimativas desde dezembro, o Banco Mundial pintou um quadro muito mais sombrio da crise global. A eco-

nomia global deve se contrair 1,7% este ano, em vez de crescer 0,9%, como havia estimado anteriormente. A previsão para países de renda elevada foi cortada para -2,9%, de -0,1%, enquanto a estimativa para os países em desenvolvimento foi cortada a menos da metade para 2,1%, do crescimento anterior projetado em 4,5%. O banco está prevendo uma recuperação para crescimento de 2,3% na economia do mundo no próximo ano, ao mesmo tempo em que admite "extrema incerteza" sobre a perspectiva, dado o risco de que novos problemas financeiros prolonguem a recessão. A revisão para baixo das perspectivas econômicas anunciada pelo Banco Mundial se segue a

de crescimento. O Grupo de Perspectiva do Banco Mundial baseia suas estimativas na taxa de câmbio do dólar, enquanto o FMI usa as estatísticas da paridade do poder de compra compiladas pelo grupo de dados do Banco Mundial, que leva em conta os custos de bens e serviços em diferentes países. (AE)

Brasil escapará do pior, mas terá contração em 2009, diz OCDE

A

Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) prevê que a economia brasileira escape do pior da crise global e tenha uma pequena contração este ano, graças às imediatas respostas fiscal e monetária à desaceleração da atividade. Em seu relatório de perspectiva econômica, publicado nesta terça-feira, 31, a OCDE observa que o País perdeu fôlego no fim do ano passado, por causa da queda na produção industrial. A OCDE prevê que o Produto Interno Bruto (PIB) do País encolherá 0,3% em 2009, após crescimento de 5,1% em 2008. A nova estimativa mostra uma deterioração em relação a novembro do ano passado, quan-

do a OCDE projetava crescimento de 3% para o Brasil este ano. "O contínuo afrouxamento de política, aliado à melhora nas condições de crédito, vão apoiar a recuperação rumo ao fim do ano e em 2010", disse a entidade, formada por 30 países, que produzem mais da metade de toda a riqueza do mundo - o Brasil não faz parte da organização. A organização reduziu ainda a estimativa de crescimento do Brasil em 2010 para 3,8%, de 4,5%. Além disso, o déficit fiscal do País deve aumentar para 2,2% do PIB em 2009, de 1,5% em 2008, enquanto a inflação deve desacelerar para 4,3%, de 5,9% no ano passado, segundo projeções da OCDE.


2 a 8 de abril de 2009

Países começam a discutir novo pacto climático Secretário Executivo da Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (UNFCC), Yvo de Boer.

ton nunca o ratificou. De Boer elogiou a postura dos EUA até aqui e manifestou que será indispensável a participação do país nas negociações, que define como as mais importantes da história. “Este ano é crucial para se deter

Arquivo

Por:

Fabiano Ávila

www.carbonobrasil.com

M

ais de 2500 delegados de 175 países, incluindo representantes de governos, indústrias, institutos de pesquisa e organizações ambientais estão reunidos em Bonn, na Alemanha, desde o dia 29 para a primeira de três reuniões que têm como objetivo traçar um esboço do tratado que substituirá o Protocolo de Quioto em 2012. “Essa primeira reunião de nove dias é fundamental para trazer o mundo mais próximo de uma solução política para as mudanças climáticas. O tempo está passando e os países têm muito que fazer”, afirmou o Secretário Executivo da Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (UNFCC), Yvo de Boer. As discussões devem se centralizar em medidas para a redução das emissões de gases do efeito estufa assim como melhorias nos esquemas de comércio de carbono e de preservação de florestas. Também se espera um maior comprometimento dos países industrializados com a causa climática. “As nações mais ricas devem liderar o caminho, o mundo está esperando que haja um acordo com metas ambiciosas. Para isso devemos começar a traçar estratégias já agora em Bonn”, disse Harald Dovland, que preside um grupo de trabalho que lidera as negociações. Segundo De Boer, os países em

Maior interesse dos EUA no combate às mudanças climáticas marca o início das negociações na Alemanha para a construção de um tratado pós-Quioto, que será estabelecido em Copenhague em dezembro

desenvolvimento só concordariam com um novo pacto se os industrializados fixassem alvos claros para a redução de emissões. “É preciso que os mais poluidores liderem. Essas nações ricas têm ainda que estar prontas para financiarem projetos e programas de ajuda aos pobres do mundo”, conta. Especialistas esperam que o novo acordo climático estabeleça uma redução de 25% a 40% nas emissões no ano 2020, comparado com os dados de 1990. Já em 2050, o alvo é uma queda de 50% a 80%. Estes cortes seriam o necessário para manter o aumento da temperatura dentro do limite de 2°C. Primeiros passos Pelos corredores nesses primeiros dias de reunião um assunto parecia dominar as discussões: a maior participação dos EUA. O país enviou um grande número de autoridades e está tomando parte da maioria dos grupos de trabalho. No seu discurso de abertura, o conselheiro climático do governo Obama, Todd Stern, afirmou que os EUA estão prontos para a ação, mas destacou que outros países devem aderir também. “Os Estados Unidos foram os maiores emissores da história e por isso entendemos a nossa responsabilidade. Mas não depende apenas de nós a solução para o problema”, disse. Stern ainda destacou a proposta do país de reduzir em 15% as emissões em 2020 e em 80% em 2050. Também sugeriu a criação de metas claras, o estabelecimento de estruturas para a ajuda financeira aos países pobres e uma nova po-

lítica de eficiência de recursos. Diante dessas propostas, alguns delegados elogiaram a postura pragmática dos EUA enquanto outros se mostraram desapontados pela pequena redução das emissões. Mas para a maioria, já foi um avanço a aceitação dos norte-americanos em reconhecer suas responsabilidades e tentar evitar uma reedição do “fracasso de Quioto”, quando o país assinou o documento, porém o senado em Washing-

o processo de mudanças climáticas. O mundo está perto de concluir um dos mais complexos acordos internacionais já feitos pela humanidade, e perto de concordar em um tratado que irá definir o próprio futuro de nossa espécie”, concluiu De Boer.


2 a 8 de abril de 2009

M

Por:

Randes Nunes

ais do que nunca a comunidade brasileira está crescendo na Inglaterra e nós do Brazilian People acompanhamos de perto e mostramos aqui toda a alegria que só os brazucas tem – apesar da crise financeira! Na sexta-feira, 27, no Casa Nos-

Eviton, Dj Fernando e Elvan

sa, em Willesden Junction, a festa foi de primeira com muita gente bonita, música ao vivo com Dj Fernando arrebentando na pista. Foi tudo de bom! No sábado, 28, clicamos os amigos do Karaokê, em Stockwell, onde cantar é a grande diversão da moçada.

No domingo, 29, nosso querido amigo Marquinhos reuniu em sua casa amigos e familiares para comemorar seu vigésimo terceiro aniversário. Uma tarde de sol, o churrasco feito por ele estava delicioso, parabéns Marquinhos! Para fechar o domingo, passamos no restaurante Banke-

Ana, Pedro e Alice

te e aproveitamos uma porção de iguarias do chefe da casa, ao som do melhor do MPB, com a cantora Patricia. Conosco é assim, aconteceu e nós do Brazilian People estaremos juntos para conferir! Abraços e até semana que vem!

Katia, Magda e Ana

Casa Nossa

Filipa e Carla

Marcos e Sandra

Amigos do Karaoke

Manhoso e Carlos

Amigos do Karaoke

Rosa e amigos

Casal nota 10

Flávio

Paula com seu olhar

Anai, Lucca e Sandro

Bankete

Evelyn e seu eterno sorriso

Tiago e Ana


2 a 8 de abril de 2009

Amigas portuguesas Marquinhos seu sobrinho John Victor

Arlete e o filho M

Manuela e Oliver

Pasta Tom Porto

Amigos comemoram com Marquinhos

Niver Marquinhos

O cowboy Marquinhos

Tom Porto

Kenya Priscila

Familia reunida

Marquinhos e sua noiva Rejane

Tom Porto e banda da ilha


2 a 8 de abril de 2009

Brown pede apoio de Lula a crédito de US$ 100 bi para comércio mundial Em sua primeira visita ao Brasil como primeiroministro britânico, Gordon Brown defendeu a oferta de mais crédito ao comércio internacional.

S

egundo Brown, são necessários "US$ 100 bilhões, no mínimo" para reativar o fluxo entre os países. A ideia de Brown será apresentada na reunião do G20, em Londres, no próximo dia 2 de abril. "Vou pedir aos países do G20 que apoiem a ampliação dos financiamentos para o comércio", afirmou o primeiro-ministro britânico. "Convido o Brasil, outros países e organismos internacionais a participar." O comércio foi o principal ponto da conversa entre os líderes, que se reuniram para discutir propostas para a recuperação da economia mundial. Conversas bilaterais entre líderes do G20 se tornaram mais intensas nas últimas semanas, em uma

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, se encontram em Brasília, na quinta-feira, 26

tentativa de alinhavar propostas conjuntas. Brown disse que sua visita ao Brasil, às vésperas do G20, é um

"indicativo" da liderança brasileira no sistema econômico mundial. "Não estou aqui por acidente", afirmou. "Não podemos chegar

a Londres sem um processo de consulta." O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que os países "têm obrigação" de sair de Londres com propostas concretas. "Caso contrário, cairemos em descrédito", afirmou. "Se cometermos o erro de fazer dessa reunião mais uma reunião pra marcarmos outra reunião, nós poderemos cair em um descrédito, e essa crise poderá se aprofundar", acrescentou o presidente. Doha Ainda no contexto do comércio internacional, Brown também defendeu a retomada das negociações de Doha. Segundo o líder britânico, a recuperação da economia mundial tem de passar pelo comércio. "O presidente Lula e eu concordamos que vamos trabalhar juntos no G20 para prevenir o protecionismo", disse Brown. O combate ao protecionismo foi um dos principais temas da primeira reunião dos líderes do G20, em novembro. No entanto, alguns países do grupo têm adotado medidas que contrariam o prometido em Washington. O presidente Lula disse que cada país decide "o que é melhor para si", mas que é preciso en-

contrar formas de impedir o protecionismo. "Eu comparo o protecionismo a uma droga", afirmou. "Você toma na hora para resolver um problema no curto prazo, mas depois vem a depressão." Os dois mandatários também defenderam uma reforma "rigorosa" do sistema financeiro internacional e afirmaram que vão colocar o assunto sobre a mesa na reunião do G20. 'Olhos azuis' Lula também voltou a defender que os países em desenvolvimento "não paguem o preço" da crise econômica. O presidente citou o caso de imigrantes, que, segundo ele, "são os primeiros a sofrer e os que menos têm culpa". "Essa é uma crise causada e fomentada por gente branca, de olhos azuis, e que antes pareciam que sabiam tudo", disse Lula, diante de uma plateia que incluía integrantes britânicos da delegação que acompanhou a visita de Brown. Lula negou, no entanto, que exista "viés ideológico" em seu discurso. "O que existe é a constatação de um fato", afirmou o presidente. "Não conheço um banqueiro negro ou índio." (BBC/Brasil)


2 a 8 de abril de 2009

Declaração de Lula a premiê britânico causou 'constrangimento', dizem jornais A

declaração do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de que a crise financeira foi causada por "gente branca de olhos azuis" foi destaque na imprensa britânica nesta sexta-feira, 27. O comentário foi feito na quinta-feira, no encontro com o premiê britânico Gordon Brown, em Brasília. Para vários jornais, a declaração pegou Brown de surpresa. Segundo o Daily Telegraph e o Independent , o premiê britânico ficou "constrangido". De acordo com o Times, "os esforços de Gordon Brown de ‘amaciar' o caminho para um acordo internacional na reunião do G20, em Londres, encontraram um ‘quebra-molas' no Brasil", quando o premiê ouviu a frase de Lula. O Times destaca ainda que Lula já avisou que as discussões no G20 serão "apimentadas", quando os líderes mundiais se reunirem para negociar quem deve pagar os custos da crise. "As declarações de Lula ameaçaram ofuscar o anúncio da proposta de uma injeção de 100 bilhões de libras (cerca de R$ 326

Gordon Brown disse que visita é “indicativo” da liderança brasileira.

bilhões) de financiamento para impulsionar o comércio mundial. Brown disse que a expansão do crédito é o requerimento mínimo (para recuperar a economia) com o colapso das exportações em vários países", disse o jornal. O diário Financial Times diz que Brown tentou se distanciar de Lula ao ouvir o comentário sobre "gente branca de olhos azuis", respondendo que "não ia atribuir culpa a nenhum indivíduo".

Para o jornal The Guardian, os comentários de Lula "animaram a viagem de cinco dias de Gordon Brown pelas Américas do Sul e do Norte. Ela foi planejada para preparar o caminho para um acordo global sobre como combater o desaquecimento econômico na reunião do G-20, na próxima semana, a ser presidida por Brown". O Guardian destaca ainda que Brown viajou para o Brasil para

anunciar sua última iniciativa para estimular o comércio global e que ele foi extremamente elogiado por Lula. "Mas enquanto eles esperavam na entrada formal do palácio presidencial, Brown teve que assistir enquanto o combativo ex-líder sindical embarcou em uma de suas conhecidas tiradas." Mas em editorial, o jornal afirma que talvez o premiê britânico devesse usar melhor o seu tempo,

preparando o encontro do G20 na semana que vem. O editorial afirma que a reunião está ficando tão ambiciosa que será "impossível resolver qualquer coisa". O Independent cita um secretário do Ministério do Exterior britânico, que durante a vista de Brown a Brasília disse que "os líderes das maiores economias globais vão ter que produzir mais do que retórica vazia" na reunião do G20. O diário afirma que o premiê britânico ficou "constrangido" quando Lula citou a "gente branca de olhos azuis", mas que fontes do governo sugeriram que os comentários foram para "consumo doméstico". O Daily Telegraph também diz que Brown parecia "constrangido", e que o comentário de Lula ofuscou o anúncio do fundo para estimular o comércio global. E o Daily Mirror classificou os comentários de Lula como "bizarros" afirmando que outro secretário do governo, que estava na platéia, demonstrou uma expressão de enfado ao ouvir as palavras.


2 a 8 de abril de 2009

Por: Roberta Tiberi

Animate the World 2009

“Animate the World 2009” é uma oportunidade imperdível para os amantes da animação. O evento apresenta uma série de filmes, vários deles premiados. Os participantes poderão, além de assistir aos filmes, fazer parte dos vários workshops disponíveis para adultos e crianças. Mais informações sobre preços e horários dos filmes e workshops estão disponíveis no site do Barbican www.barbican.org.uk De 4 a 12 de abril Barbican Centre Silk Street EC2Y 8DS 020 7638 4141

A peça “Inferno” faz parte de uma trilogia, com livre adaptação, da obra “A divina Comédia”, de Dante Alighieri. Romeo Castellucci, diretor da peça, faz uso de grande criatividade para mostrar de forma original o inferno Dantesco. A fala, quase ausente no espetáculo, não impede que o objetivo de mexer com os sentidos do público seja alcançado. “Purgatório” e “Paraíso” são as duas outras peças que encerram a trilogia. Mais informações podem ser obtidas no site do Barbican www.barbican.org.uk Quinta-feira 2 abril 7:45 Barbican Centre Silk Street 020 7638 4141 £10.00 - £26.00


2 a 8 de abril de 2009

A moda como arte Dragão Fashion Brasil completa dez anos e ganha uma exposição com mais de 40 peças entre fotografias, croquis e esculturas que re-visitam a história do maior evento de moda do Ceará

F

oi-se o tempo em que desfiles de grife eram meros eventos de moda que só despertavam a atenção de donas de casa. Hoje, a moda é uma indústria que atrai o olhar de públicos cada vez mais variados e que não esconde a inspiração buscada nas artes e na cultura. Atualmente, qualquer desfile que se preze é uma verdadeira intervenção artística, com trilha sonora escolhida a dedo, colagem de imagens e conceitos presentes em detalhes como tecidos, cores e cortes. A moda deixou para trás a idéia de ser apenas a indústria da indumentária e tem abraçado forte sua predisposição para ser mais uma forma de arte contemporânea. É com essa premissa em mente que a moda deixa um pouco as passarelas de lado e vira alvo de da exposição Salão de Ouro - Dragão Fashion Brasil 2009, que abriu na quarta-feira, 1º, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, em comemoração aos dez anos do Dragão Fashion Brasil, maior evento de moda do Ceará e um dos mais respeitados do País. São mais de 40 peças, entre fotografias, esculturas, croquis e outros elementos que contam um pouco a história do evento nesses dez anos e apresentam uma série de elementos que comprovam que moda é, sim, arte e cultura. “Procurei colocar em foco, dentro de um salão, uma mostra do que o Dragão Fashion Brasil tem de melhor na arte da moda, fotografia, design, escultura e desenho”, conta Max Uchôa, curador do Salão de Ouro. “Nessa exposição, apresentamos um panorama coletivo de trabalhos que passeiam nas nove edições anteriores resgatando o fruto da observação, ousadia e criatividade dos estilistas, artistas plásticos, fotógrafos e designers”. “Inicialmente, entro no mundo dos grandes salões fotográficos e de moda, pesquiso, reuno critérios para uma curadoria afinada com o evento e com a preocupação social”, afirma Max. “Convidei dez fotógrafos para uma seleção no qual o primeiro critério seria ‘a liberdade’, um olhar livre dentre as luzes, passarelas, modelos e roupas”, continua. “Detalhes, cantos,

borrões, desfoques, tudo seria bem-vindo para uma seleção de 40 imagens, sete croquis e quatro esculturas que representassem a força do evento no cenário nacional e internacional, celebrando a diversidade e a alegria de criar obras únicas”, explica como foi o processo de seleção. Referências na arte O Dragão Fashion Brasil chega aos dez anos como uma referência no cenário nacional da moda, descobrindo novos talentos e explorando uma moda mais autoral e conceitual. “Uma grande e rica representação, o palco de grandes idéias e uma vitrine para a moda nacional”. É assim que Max Uchôa descreve o evento. “Um evento com maturidade adquirida nesses dez anos galgada em valores como autenticidade, criatividade, multiplicidade e pluralidade. Ponte de partida de muitos estilistas que, hoje, são notícia na imprensa nacional e internacional, como Mário Queiroz, Samuel Cirnansck e Wilson Raniere, e a consagração profissional e abertura de mercado para muitos outros, como Mark Greiner, Melca Janebro e Weider Silveiro, que juntos montam essa constelação de artistas e um verdadeiro acervo cultural”. Acervo cultural que demonstra o quanto a moda vai buscar nas artes e na cultura suas principais referências. Nem só de ídolos da

música pop ou imagens de ícones do cinema se alimenta a moda. Literatura, artes plásticas, arquitetura e teatro também são elementos que influenciam a moda, seja através de citações nas coleções, seja

como subsídios a mais na cenografia dos desfiles, cada vez mais performáticos. Espaço nos museus “Hoje, a moda faz parte de uma sociedade pensante que busca uma qualidade de vida e estilo. Pensar moda, não só pensar em ‘vestir’’, acredita o curador. “Para mim, moda é uma grande arte, às vezes exuberante, às vezes simples, mas algo singular, como uma idéia a ser representada, desenhada, moldada e produzida”, define Max. Assim como no cinema existe um roteiro, trilha sonora e fotografia, na música temos notas, instrumentos e afinação, a moda também tem seus recursos: a pesquisa e a criatividade de seus estilistas; os tecidos e cores a disposição; as tendências das estações etc. Estilistas que usam esses recursos de maneira artística. “O que dizer de um Lino Villaventura? Um gênio? Um artista?”, Max Uchôa lança a pergunta. “Ao observar a moda, vemos que tudo é expressão genuína de arte em cortes e costuras, em linhas e pontos nos quais um emaranhado de formas, cores e texturas se revelam dando lugar a emoção”, filosofa. Se a moda ainda sofre preconceitos e não é percebida como um reflexo da cultura ou através de um olhar artístico, parte dessa visão é decorrente de uma apreensão mais comercial dessa indústria. “O que acontece é que existem outras prioridades e vestir moda, hoje, para muitos é caro ou fica em segundo plano. Acredito ter-

mos uma sociedade formada de tribos onde há uma mistura bem brasileira, cada um com seu modo, seja hippie, seja ‘chic’”, constata o curador. “Temos os ousados que misturam tudo e criam mais estilo e liberdade, gerando manifestações e tendências entre os meios. Na moda, tudo se renova, muda, se transforma, criando uma cadeia pensante e abrindo novos caminhos para a experimentação e criatividade”. Chiques, básicos, descolados. Os que só usam grifes caras. Os que nem se importam muito com o que vestir. Meras peças de guardaroupa. Indumentárias que não devem em nada a objetos de artes. A moda tem várias facetas e muitos objetivos: apenas vestir ou debater temas e apresentar conceitos. Uma coisa é certa. Ela é presença certa em desfiles nas ruas ou passarelas. Agora, também, ocupando espaço destinados à arte. (DN)


2 a 8 de abril de 2009

Jennifer Lopez diz que coloca os filhos acima da carreira

Jennifer López.

Cantora participou do lançamento de uma linha de bolsas na semana de moda da capitaol japonesa

A

cantora americana Jennifer Lopez reuniu cerca de 100 fãs no centro de Tóquio e assegurou que, apesar de amar o trabalho, seus filhos "estão à frente de tudo" e que considera que o mais importante para si é "vê-los felizes". Jennifer Lopez, casada com o cantor Marc Anthony, viajou ao Japão sem os gêmeos Emme e Max, que têm pouco mais de um ano, para participar da semana de moda japonesa.

Durante um evento promocional na capital japonesa, a atriz e cantora também falou sobre suas influências na hora de se vestir e afirmou que ama a moda japonesa e que decidiu adaptar sua forma de fazer unhas ao estilo japonês. Jennifer Lopez viajou para Tóquio para emprestar sua imagem a uma linha de bolsas lançada por uma grife japonesa, causando furor entre os fãs e pessoas que estavam na zona comercial de Shibuya.

Usando um vestido preto e branco, ela definiu seu estilo como "sexy, feminino e moderno", e assegurou que sua maneira de se vestir não é muito influenciada pelas tendências, e sim por seu estado de espírito. As tímidas fãs japonesas, que chamaram Lopez de "princesa", aplaudiram a breve aparição da cantora, que se despediu pedindo que se mantenham fiéis a elas mesmas e afirmando que o que importa é "o interior". (Efe)

J

á foi o tempo em que, para se publicar um livro, era necessário enviar calhamaços de textos para a avaliação das editoras. Hoje, basta publicar um blog e torcer para que elas leiam e gostem. Rocco, Record, Panda Books e Companhia das Letras foram as pioneiras. E o que era apenas um nicho vem se consolidando em uma nova forma de descobrir talentos e, quem sabe, transformálos em best-sellers. É o que está fazendo, por exemplo, a novata Multifoco, editora fundada há três anos por um grupo de recém-formados da Universidade Federal Fluminense, de Niterói. Eles criaram o selo Downloads, voltado exclusivamente para a publicação de textos de blogs. Os números ainda são baixos e seria até covardia compará-los às tiragens das grandes editoras. Mas o objetivo é esse mesmo: investir em novos nomes, segundo Thiago França, um dos sócios. "Muitos autores nos procuravam, mandavam os links com os posts e percebemos que nos blogs estavam sendo publicados textos que poderiam se tornar bons livros."

É difícil saber o que pode vingar. Afinal, há gente escrevendo de tudo, na internet ou no papel. A carioca Marina Gonçalves (marinag. blogger.com.br), de 26 anos, por exemplo, viu no blog a oportunidade de divulgar seus poemas, que escrevia desde a adolescência. "Um belo dia descobri que não era poeta, mas como o espaço já estava criado, comecei a escrever as histórias de bar que conversava com as minhas amigas", explica. Até que surgiu o interesse da editora, Marina aceitou e, no ano passado, lançou o livro Então Tá, Bonitão. Para o papel, foram 52 posts, divididos por temas, preenchendo 120 páginas. O critério para a escolha do blog a ser publicado, no entanto, não é a quantidade de visitas diárias que o site tem. O de Marina recebe algo em torno de 200 visitas. Fica então a questão: por que bancar publicações com tiragens pequenas de autores desconhecidos? O editor explica que a empresa paga todo o projeto e não cobra dos autores nenhum preço para imprimir. Mas, como a tiragem é pequena, eles também não distribuem os títulos em livrarias. "É

um número baixo se comparado a blogs e livros famosos. Imprimimos sob demanda. Ás vezes, tiramos 40 exemplares", explica França. "A nossa diferença para outras pequenas editoras é que não cobramos nenhum custo dos autores e pagamos para eles 5% do preço de capa a cada exemplar vendido. Esse porcentual sobe de acordo com o aumento das vendas." No caso de Barbara Duffles, que mora em São Paulo, ver impressos os 100 exemplares da primeira tiragem de seu livro foi uma vitória por si só. ?Acho que o livro é uma forma de eternizar a sua história. Para mim, publicar o blog é deixar uma obra palpável - e não virtual - para a prosperidade.? Já os amigos Gilberto Amendola (repórter do Variedades), Alê Duarte, Fabio Chiorino, Marc Tawl e Mauricio Duarte dos Santos, do blog Haja Saco (hajasaco.zip.net) viram no espaço virtual a oportunidade de reunir no mesmo lugar as mais diferentes opiniões. O livro será lançado na próxima segunda, dia 6, às 19h, no Bar do Salim (R. Morato Coelho, 188), na Vila Madalena, em São Paulo. (Jornal da Tarde)

AP

Editoras buscam novos talentos em blogs Leandra Leal vai interpretar heroínas de Nelson Rodrigues

O

diretor de teatro Gabriel Villela está tão fascinado pelo trabalho de Leandra Leal que chega a compará-la a Cacilda Becker. Leandra seria, ou é, uma nova Cacilda. "Ele disse isso?", pergunta ela no galpão de ensaios da peça Vestido de Noiva, no bairro da Aclimação, em São Paulo. "Fico contente que o meu diretor pense assim de mim..." A atriz vai interpretar, no teatro e no cinema, duas heroínas de Nelson Rodrigues. O teatro virá primeiro. Em maio, estreia a montagem de Gabriel Villela de Vestido de Noiva. Leandra faz Alaíde, a atropelada. Mila Moreira é Madame Cleci. Em junho/julho, Alaíde será substituída por outra heroína rodriguiana, a Ritinha de Bonitinha, mas Ordinária, que Moacyr Góes adaptou para o cinema, com produção de Diler Trindade. Leandra ainda não viu Bonitinha. O filme está em finalização. Leandra sabe que precisa amadurecer mais, mas não se empe-

nha em queimar etapas. Ela já é madura (e determinada) demais para seus 26 anos. É o resultado de uma singular evolução. Aos 7 anos, estreou no teatro; aos 8, na TV. Aos 13, foi premiada no cinema pela Marcela de A Ostra e o Vento, do diretor Walter Lima Jr. Aos 15 anos, já determinada a ser atriz, ela descobriu Nelson Rodrigues. "A poesia de Nelson, sua intensidade, tudo me deslumbrou. E a riqueza das personagens! A vida como ela é! Em definitivo, dei-me conta de que era aquilo que queria fazer." O ano passado foi divisor de águas na carreira de Leandra. Como a blogueira de Nome Próprio, de Murilo Salles - inspirado na experiência real de Clarah Averbuc -, ela deu um salto na carreira. Leandra ganhou prêmios - entre outros, o de melhor atriz em Gramado. "O filme mudou o olhar que as pessoas tinham sobre mim. Me descobriram mais mulher." (AE)


2 a 8 de abril de 2009

Joana Mateus vence primeiro Por: Daniela Romão

daniela.romao@hotmail.co.uk

O

restaurante português “O Fado” palco do primeiro concurso amador de fados em Londres, premiou Joana Mateus, dando assim vitória a uma voz feminina. A vencedora encantou com a sua performance dos fados “Barco Negro” e “Povo que lavas no rio”. O concurso, que

Concurso de Fado Amador

teve atenções da BBC World Service, demonstra que a tradição e cultura portuguesa está cada vez mais destacada. O concurso terminou em ambiente de boa disposição e convívio, contando-se não apenas portuge-

ses entre o público mas várias outras nacionalidades “ao ter a oportunidade de votar no seu candidato favorito (o público) sentiu-se parte integrante do evento” comentou Liliana Costa, promotora do evento. Sobre a vencedora, a fadista e

parte do Júri comentou ao Brazilannews, “A vitória era relativamente esperada ao longo das eliminatórias” por Joana Mateus “combinar a voz com uma imagem forte. É jovem, bonita e simpática”disse. Joana Mateus tinha levou para

casa vários prémios entre eles um Workshop sobre fado, uma Garrafa de Porto-oferta da Sandeman's pela Sogrape no Reino Unido (como patrocinador do concurso ofereceu um Porto de honra a cada convidado), um voucher no valor de £100 patrocinado pela agência de viagens Latitude 40 e um Troféu tipicamente Português, alusivo ao concurso, feito para o evento pela artesã Lígia Fonseca. Liliana Costa acredita que o concurso “celebração do fado além fronteiras” poderá no próximo o ano “ser alargado a fadistas de outras comunidades europeias como França, Alemanha ou Bélgica”. A conhecida fadista adiantou ainda ao semanário que “O Fado” pretende continuar “o seu percurso de dinamizador e divulgador da cultura Portuguesa em Londres, tendo como próximos eventos: cursos vínicos com jantar feito a propósito, uma prova de bacalhaus por vários chefes convidados e mostras de filmes Portugueses dos anos 40”. Sem esquecer os regulares workshops de artesanato, culinária e música e do fado ao vivo todas as noites.

Músico Adriano Trindade volta a Londres com novo trabalho co Buarque, além da música de trabalho ‘O Carnaval tem dessas coisas’, de autoria própria. Trindade que já morou fora do país contou um pouco sua trajetória até agora para o Brazilian News. “Eu fiquei dois anos morando fora do Brasil, passei pela Nova Zelân-

Por: Paula Medeiros

paulamedeiros@hotmail.co.uk

O

músico brasileiro Adriano Trindade está lançando seu novo CV, intitulado “Lado B”, que traz 12 faixas de MPB, com uma mistura de samba-rock, funk, samba-soul e jazz. Pela segun-

da vez Trindade vem a Londres e suas próximas apresentações serão nesta sexta-feira, 3, no Barraco, e no domingo, 5, no Raízes. O disco conta com as releituras da música ‘Aquele Um’, de Djavan; ‘Jogral’, de Filó Machado e Djavan; ‘Joana Francesa’, de Chi-

dia, Itália e Inglaterra, foi uma experiência maravilhosa, já que coloquei músicas em algumas rádios da Europa, Nova Zelândia e Ásia. Também participei de dois festivais musicas na NZ, o Jambalaya Festival e o Axé Weekend.Toquei em cidades como Gênova, Nápoles,

Roma, Auckland, Barcelona, Paris, Weellington e Amsterdã”, cita o músico. Mais informações sobre sua música basta acessar os websites www.adrianotrindade.com e www.myspace.com/adrianotrindadesolo.


2 a 8 de abril de 2009

Informática e Tecnologia

TVs da marca Samsung ganham acesso a serviços do Yahoo!

Por: Edneia Rodrigues Miranda Grupo ERM Solution www.ermsolution.com.br

U

ma parceria com o Yahoo! Fez com que diversos tipos de serviços online fossem para as telas das TVs da Samsung. Por meio de widgets, que aparecem na tela da TV, os usuários podem ver notícias, cotação de ações, fotos do Flickr, previsão do tempo e resultados esportivos, além de ter acesso ao Twitter e ao eBay. O acesso pode ser feito sem que a exibição da programação dos canais seja interrompida. A tecnologia é chamada de Internet@TV pela fabricante e permite posicionar os atalhos na

parte de baixo ou à esquerda da tela da TV. Além dos serviços configurados direto da fábrica, será possível fazer download de novos widgets. A operação do sistema é feita via controle remoto. As TVs têm tamanhos de 46 a 55 polegadas e custam entre US$ 3 mil e US$ 3,8 mil, mas não têm previsão exata para seu lançamento no Brasil. De acordo com a Samsung, que havia anunciado na feira CES (Consumer Electronics Show), em janeiro, nos Estados Unidos, o Yahoo! outras fabricantes aderiram à tecnologia. Sony, LG e Vizio serão as próximas marcas a incorporar essa tecnologia a seus aparelhos.

LG GD900 tem teclado transparente e multitouch A

como um mouse pad sensível ao toque, como em um notebook, para navegar na internet ou utilizar a interface do próprio aparelho. Aparentemente, esse celular da LG também vai suportar gestos, como escrever um "M" para inicializar o Mp3 Player, e o formato de pinça para dar zoom em imagens. Mas isso significa então que ele terá suporte ao multitouch? Parece que sim, mas não sabemos se é ao certo isso. Outra foto do aparelho sugere também um efeito de cubo em 3D semelhante aos do Linux. (Edneia Rodrigues Miranda)

LG está inovando nos smartphones mesmo. Prova disso é o GD900, o novo aparelho de 13.4 mm de largura que foi exibido primeiro na MWC de Barcelona, no mês de fevereiro. O que mais chamava atenção no celular, não era seu teclado alfanumérico transparente q que não é feito de plástico, mais uma solução que funcionou muito bem. Só que isso não é tudo. A empresa está começando a liberar mais detalhes do GD900. O smart, com velocidade de 7,2 Mbps HSDPA, possui vibração como o force feedback dos controles de videogames e o teclado transparente poderá ser utilizado

Tecnologia já está pronta para 'aumentar' o mundo com a realidade virtual

P

rimeira cena: você liga o seu carro e fala para o computador de bordo que quer ir para o shopping Center mais próximo do local em que você está. Como se fosse mágica, o asfalto

parece ser pintado por uma linha azul, que indica o caminho ideal até o destino. Um aviso piscante no parabrisas recomenda que você diminua a velocidade, pois o motorista à sua frente está fre-

ando. Ao passar em frente a uma farmácia, um novo aviso no vidro: de acordo com o computador instalado em sua casa, você está precisando comprar aspirinas. Segunda cena: você está sentado na praça de alimentação de um shopping. Cansado de navegar pela internet em seu celular, você resolve utilizá-lo para ver se alguém que está no shopping gostaria de bater um papo. Você aponta o celular para as pessoas, e, na tela, surgem ícones para interagir com elas por redes sociais. Escolha seu “alvo” e o adicione, por exemplo, no Orkut. As duas cenas acima só poderiam existir em filmes de ficção, mas em poucos anos elas farão parte de nossa vida. Os pesquisadores acreditam que nossos sentidos, como visão, audição e olfato, passarão a ser influenciados pelos computadores, então: seja bem-vindo à era da chamada realidade aumentada. Essa “realidade aumentada” é um campo da computação que estuda a intervenção de dados e

informações gráficas geradas eletronicamente com nossa percepção da realidade. E essa fusão de conceitos da realidade virtual com o nosso mundo será a próxima “moda” a ser adotada pelos consumidores de aparelhos de alta tecnologia, diz o professor americano Bruce H. Thomas, e ainda acrescenta, “Eu acredito que daqui a 3 ou 5 anos sistemas que utilizam conceitos da realidade aumentada serão onipresentes”. Em seu campo de pesquisa, Thomas estuda a criação de equipamentos eletrônicos que podem ser carregados conosco todo o tempo, e que atuam praticamente de forma “invisível”, sem intervenção humana. Um de seus projetos em andamento é a criação de um óculos capaz de se transformar em um monitor de computador. Transparente, ele permite que você enxergue normalmente, mas também poderá ver informações sobre o ambiente inseridas pelo computador. Ele também fez uma versão

mais “tosca” destes óculos que foi utilizada pelo pesquisador para levar a realidade aumentada para o mundo dos videogames. Pode ser uma atividade considerada banal por muitos, mas os jogos eletrônicos serão um dos campos que mais vão lucrar com a evolução destas tecnologias. Ele ainda criou uma versão do clássico jogo de tiro Quake, mas usando ambientes reais em vez de salas tridimensionais digitalizadas. O professor Steven Feiner afirma que a única limitação existente no momento é o custo da tecnologia. “É uma questão de escala, quando houver mais demanda, mais equipamentos serão produzidos a um preço mais competitivo”, afirma. Feiner dá como exemplo o fato de que os celulares inteligentes já são responsáveis pelas primeiras aplicações comerciais da realidade aumentada a ficarem ao alcance dos consumidores, assim sendo vendido por um bom preço para todos os consumidores. (Edneia Rodrigues Miranda)


2 a 8 de abril de 2009

Polêmica sobre preservativos O

papa Bento XVI encerrou na semana passada sua primeira viagem à África como pontífice. Na última solenidade da viagem, o papa pediu aos líderes do continente, muito afetado pela pobreza e a corrupção, que ponham os interesses do povo em primeiro lugar. A visita de Bento XVI foi marcada pela polêmica gerada por suas declarações contra o uso de preservativos no combate à aids. Entretanto, em declarações concedidas a jornalistas que o acompanham no voo de volta para o Vaticano, o papa disse que leva da África "a cordialidade e a alegria" demonstrada pelo povo africano para com ele durante sua passagem pelo continente. A polêmica envolvendo a viagem do papa começou antes mesmo de este pisar em solo africano. Em declarações a jornalistas que estavam em seu avião rumo à África, Bento XVI afirmou que a doença não pode ser combatida somente com dinheiro, nem "com a distribuição de preservativos, que, ao contrário, aumentam o problema". A aids, segundo o papa, pode ser vencida com "uma humanização da sexualidade, uma renovação espiritual, que comporta uma nova forma de comportamento de uns com os outros". Em um continente no qual 27 milhões de pessoas são portadoras do vírus da aids, as palavras de Bento XVI foram duramente criticadas em vários países ocidentais, os quais defenderam o uso do preservativo como elemento fundamental para prevenir a transmissão da doença. O porta-voz vaticano, Federico Lombardi, assegurou que a Igreja Católica não mudará de postura

marca viagem do papa à África Primeira visita de Bento XVI como papa ao continente causou discussão sobre distribuição de preservativos

Papa Bento XVI em visita África.

e acrescentou que, na África, a aids não é transmitida apenas via relações sexuais, mas também devido às precárias condições de higiene. Já depois de chegar a Camarões, o papa Bento XVI declarou que a África "está em perigo" devido aos "imorais sem escrúpulos que tentam impor o reino do dinheiro desprezando os mais miseráveis". O texto do "Instrumentum laboris" acusa as multinacionais de "invadir" gradualmente o continente africano para se apropriar dos recursos naturais, com a cumplicidade dos dirigentes lo-

cais, sobre os quais diz que obstaculizam a democratização de seus países. Se em Yaoundé seu discurso teve um acento mais religioso, em Luanda o tom de Bento XVI foi mais social e político. Diante do presidente angolano, José Eduardo Dos Santos, o papa disse que é necessário acabar com a corrupção e que "chegou o tempo da esperança na África". "Vocês podem transformar o continente, libertando seu povo do flagelo da avidez, da violência e da desordem, levando-o ao caminho de uma moderna e civil democracia", afirmou o papa.

Cientista vira cobaia de vacina contra vírus ebola U

ma cientista que furou o próprio dedo acidentalmente com uma injeção do vírus letal ebola foi tratada às pressas com uma vacina experimental nunca testada em humanos. Não se sabe se o acidente tinha de fato resultado em uma contaminação mas, de um jeito ou de outro, a pesquisadora sobreviveu. O acidente, revelado na segunda-feira, 30, à imprensa, havia acontecido em 12 de março no Instituto Bernhard Nocht de Medicina Tropical em Hamburgo, que não revelou o nome da pesquisadora. O ferimento ocorreu quando a pesquisadora manipulava uma injeção para inocular o ebola em camundongos.

Stephan Günther, chefe do instituto, afirma a aplicação do imunizante em tempo hábil foi possível graças ao ambiente colaborativo da comunidade mundial de virologistas que pesquisam ebola e outras febres hemorrágicas. Assim que soube do incidente, o pesquisador mobilizou cientistas mundo afora pela internet, e após um debate de emergência os cientistas elegeram uma vacina experimental desenvolvida num laboratório da Agência Canadense de Saúde Pública como a melhor estratégia para lidar com a situação. O imunizante, criado pela equipe do cientista Heinz Feldmann, já tinha se mostrado apenas par-

cialmente eficaz num teste com macacos, e não estava claro se seria seguro administrá-la em humanos. Assim que foi possível preparar uma dose nova da vacina, porém, Feldmann a despachou em um avião para Hamburgo. A pesquisadora recebeu a vacina dois dias após o incidente, e nas 12 horas seguintes começou a apresentar dores e febre. "São reações normais" a vacinas desse tipo, disse Feldmann. O caso só foi revelado ontem, quando o período de pico conhecido para a incubação do ebola passou. "Agora estamos nos acalmando", diz Günther. (Associated Press)

Bento XVI acrescentou que uma democracia exige "o respeito e a promoção dos direitos humanos, um Governo transparente, uma Justiça independente, uma comunicação livre, uma administração pública honrada, uma rede de escolas e de hospitais, e a firme determinação de acabar de uma vez por todas com a corrupção". Em Luanda, o papa pediu aos católicos que combatam as superstições existentes em regiões da África e que ofereçam o Evangelho às pessoas "desorientadas, que vivem no terror" e que chegam a sacrificar meninos de rua por considerá-los bruxos. Bento XVI voltou a defender

a família e a condenar o aborto, afirmando que é uma "ironia" que seja incluído como uma ação de "saúde materna", e que é "desconcertante a tese dos que consideram que a supressão da vida seria uma questão de saúde reprodutiva". O papa chegou a citar o Protocolo de Maputo, documento sobre os direitos da mulher na África, o que foi interpretado por alguns veículos de imprensa como uma rejeição do aborto terapêutico (realizado quando a gestante corre risco de vida). Federico Lombardi ressaltou que o Vaticano não condena o aborto terapêutico quando a cura da grávida doente for, inevitavelmente, a morte do filho, e que o papa apenas se expressou "contra os programas de saúde reprodutiva que defendem o aborto como meio de controle da natalidade". A viagem do papa se viu atribulada mais uma vez após a morte de duas moças em um tumulto ocorrido ao tentarem entrar no estádio Dois Coqueiros, em Luanda, para um encontro dos jovens angolanos com o pontífice. O papa se despediu de Angola com uma missa para mais de um milhão de pessoas, durante a qual pediu à África para que se "erga" e se liberte de todos os males, criando um futuro de reconciliação, justiça e paz. O último compromisso de Bento XVI foi com as mulheres, diante das quais defendeu o direito das africanas de fazerem parte da vida pública, "sem que isso represente a diminuição de sua insubstituível função dentro da família". (Agências internacionais)


2 a 8 de abril de 2009

Novo relatório continua apontando Brasil entre os países com maior avanço no combate à fome Por: Jacqueline Haddad

Advogada Brasileira Legal Consultant em UK vieirahaddad@yahoo.com.br

E

ntre 1990 e 2008, o chamado Índice Global da Fome (ou GHI, na sigla em inglês) brasileiro se reduziu quase à metade – 45,6% exatamente –, fazendo o país deixar o grupo de nações com problemas alimentares "graves" para figurar entre aquelas onde esse problema é considerado "baixo". Os dados foram divulgados pelo Instituto de Pesquisas sobre Políticas Alimentares (IFPRI, na sigla em inglês) em parceria com as organizações German AgroAction e Concern Worldwide. O GHI de 2008, calculado para mais de 120 países (não para os industrializados), levou em consideração o número de pessoas com deficiência alimentar entre 2002 e 2004, a taxa de mortalidade infantil de 2006 e a desnutrição infantil para o ano mais recente entre 2001 e 2006. No mundo, sem contar as imensas diferenças regionais, o índice da fome caiu a uma proporção de

O Brasil foi um dos dez países no mundo que viram mais progressos em um indicador que mede o desempenho no combate à fome, segundo um relatório divulgado por organizações não-governamentais.

20% entre 1998 e 2008. Desnutrição infantil Segundo o IFPRI, a melhora no mundo "foi motivada em grande medida pelo progresso na nutrição infantil". Entretanto, a organização afirmou que o problema da fome no mundo "permanece sério", especialmente em países africanos onde conflitos civis exacerbam a crise alimentar. "As médias globais escondem

diferenças dramáticas entre regiões e países", disse a instituição. Enquanto o GHI caiu 40% na América Latina e 30% no Sudeste Asiático em 20 anos, a queda foi de apenas 11% na África subsaariana no mesmo período. Além disso, o instituto lembrou que a redução nos indicadores ocorreu em um ambiente de queda gradual do preço dos alimentos. "Entre 1974 e 2005, os preços de alimentos declinaram 75%, se-

gundo o Fundo Monetário Internacional", disse o relatório. Agora, o combate à fome terá de superar o desafio do aumento do preço dos alimentos, o que por sua dependerá de decisões futuras em relação aos biocombustíveis, mudança climática e investimentos agrícolas. Mapa da fome Em relação ao Brasil, o IFPRI já havia observado uma redução significativa nos índices de fome a partir da década de 1990. Em uma escala de zero a cem (zero sendo o melhor resultado), o país tinha um GHI de 10,43 em 1981, figurando entre os países com "graves" problemas no campo alimentar. Durante a "década perdida", como economistas chamam os turbulentos anos 1980, o índice se reduziu, mas ainda chegava a 8,33 em 1990. Caiu para 5,43 em 2003 e 4,60

em 2004, ano a partir do qual o Brasil passou a ser classificado como país com problemas alimentares "baixos". A redução coloca o Brasil como o nono melhor desempenho entre os dez países que viram seu índice cair nas duas últimas décadas. A lista é liderada pelo Kuwait (-72,4%), que viu uma grande redução no GHI em função dos "níveis extraordinários" de fome na década de 1990, quando foi invadido pelo vizinho Iraque. O relatório elogiou as políticas do Peru, o segundo da lista, que em 20 anos saiu de um GHI de 19,5 pontos para 5,6 pontos. O México (redução de 50,8% no GHI) figurou no 5º lugar. Os piores índices estão na República Democrática do Congo (GHI de 42,7 pontos, 67% acima do de 1990), Eritréia (GHI de 39 pontos) e Burundi (GHI 38,3 pontos, ou 17,4% acima de 1990).


2 a 8 de abril de 2009

A Felicidade pode demorar Por: Luis Fernando Verissimo

À

s vezes as pessoas que amamos nos magoam, e nada podemos fazer senão continuar nossa jornada com nosso coração machucado. Às vezes nos falta esperança. Às vezes o amor nos machuca profundamente, e vamos nos recuperando muito lentamente dessa ferida tão dolorosa. Às vezes perdemos nossa fé, então descobrimos que precisamos acreditar, tanto quanto precisamos respirar...é nossa razão de existir. Às vezes estamos sem rumo, mas alguém entra em nossa vida, e se torna o nosso destino. Às vezes estamos no meio de centenas de pessoas, e a solidão aperta nosso coração pela falta de uma única pessoa. Às vezes a dor nos faz chorar, nos faz sofrer, nos faz querer parar de viver, até que algo toque nosso coração, algo simples como a beleza de um pôr do sol, a magnitude de uma noite estrelada, a simplicidade de uma brisa batendo em nosso rosto. É a força da natureza nos chamando para a vida. Você descobre que as pessoas que pareciam

ser sinceras e receberam sua confiança, te traíram sem qualquer piedade. Você entende que o que para você era amizade, para outros era apenas conveniência, oportunismo. Você descobre que algumas pessoas nunca disseram eu te amo, e por isso nunca fizeram amor, apenas transaram...

Descobre também que outras disseram eu te amo uma única vez. E agora temem dizer novamente, e com razão, mas se o seu sentimento for sincero poderá ajudá-las a reconstruir um coração quebrado. Assim ao conhecer alguém, preste atenção no caminho que essa pessoa percorreu, são

fatores importantes: a relação com a família, as condições econômicas nas quais se desenvolveu. (dificuldades extremas ou facilidades excessivas formam um caráter), os relacionamentos anteriores e as razões do rompimento, seus sonhos, ideais e objetivos. Não deixe de acreditar no amor.

Mas certifique-se de estar entregando seu coração para alguém que dê valor aos mesmos sentimentos que você dá. Manifeste suas idéias e planos, para saber se vocês combinam. E certifiquese de que quando estão juntos, aquele abraço vale mais que qualquer palavra. Esteja aberto a algumas alterações, mas jamais abra mão de tudo, pois se essa pessoa te deixar, então nada irá lhe restar. Tenha sempre em mente que às vezes tentar salvar um relacionamento, manter um grande amor, pode ter um preço muito alto se esse sentimento não for recíproco. Pois em algum outro momento essa pessoa irá te deixar e seu sofrimento será ainda mais intenso, do que teria sido no passado. Pode ser difícil fazer algumas escolhas, mas muitas vezes isso é necessário. Existe uma diferença muito grande entre conhecer o caminho e percorrê-lo. A tristeza pode ser intensa, mas jamais será eterna. A felicidade pode demorar a chegar, mas o importante é que ela venha para ficar e não esteja apenas de passagem...


2 a 8 de abril de 2009

Café Brasileiro: urge uma solução! Fotos por: Diego Gazola

(MTB-SP-44.350), é repórter-fotográfico. Graduado em Comunicação Social pela UMESPSP, tem se especializado em fotojornalismo de viagens. Em cinco anos, percorreu mais de um mil municípios em todo o Brasil para avaliação dos atrativos e documentação fotográfica dos Guias Turístico-Culturais da editora Empresa das Artes. As fotografias de Brasilzão são de sua autoria. diegogazola@uol.com.br

Marcha silenciosa de repudio á crise cafeeira.

Texto por: Fábio Brito

é escritor. Presidente da Empresa das Artes, editora com de 160 obras publicadas nos segmentos de turismo, meio-ambiente e cultura; de guias de viagem a livros de arte. Os textos de Brasilzão são de sua autoria. fabiobritocritica@yahoo.com.br

-"O

governo diz que não tem dinheiro para o café, mas deu 4,5 bilhões de reais para o Banco Votorantim. - Sobre o que você está falando? - Repito a frase – e afirmação – de Rodrigo Maia, filho do prefeito do Rio de Janeiro, Cesar Maia, e um dos defensores da idéia de que se adote uma política governamental que auxilie o setor cafeeiro brasileiro a enfrentar e vencer a crise instalada no mundo rural do País. - Quando ele disse isso? - Durante a "Marcha pelo Café" ocorrida na cidade de Varginha, no Sul de Minas. Foram cerca de 20.000 pessoas, entre agricultores, comerciantes, políticos e cidadãos que buscaram, de maneira pacífica e civilizada, o apoio do Governo Federal visando a encontrarem saídas para o difícil momento que o setor vive atualmente.

Trabalhadores rurais se dirigem à região central de Varginha.

Juventude que sofre com os efeitos da crise cafeeira.

- Conheço um pouco dessa realidade. Como sabe, sou mineiro, passei minha infância em uma fazenda, e sempre vivemos de sobressaltos. O Brasil ainda não entendeu a importância real do setor primário, do mundo ru-

ral, da agricultura e das inúmeras possibilidades que temos de realmente nos tornarmos uma nação potencialmente agrícola, autossuficiente em alimentos e com uma política econômica que permita a todos produzir com qualidade,

comercializar com competência e colaborar para o crescimento do País. - Compartilho de seu ponto de vista. Para que o nosso diálogo flua, é importante compreender a complexidade do jogo vicioso – e viciado – da produção, com seus financiamentos a juros exorbitantes e a eterna dependência a que se submete o produtor quando sua vida passa a ficar atrelada a um sistema perverso como este, em que o grande beneficiado é o sistema bancário. - Mas como o governo pode colaborar, ou facilitar a vida dos cafeicultores? Todos nós sabemos que a concorrência está brava! - O Vietnã, a Costa do Marfim (na África Ocidental), a Colômbia (onde o café é de extrema qualidade), entre outros países, também disputam o mercado internacional. Por isso acredito que o Movimento SOS Cafeicultura representa legitimamente as reivindicações do mundo cafeeiro e, sem dúvida, o Presidente da República deverá manifestar-se a fim de encontrar uma fórmula que possa aliviar – e motivar – os cerca de 300.000 cafeicultores brasileiros, oprimidos pelo alto custo da produção e pelas dívidas que vão se acumulando por conta dos juros acrescidos de mais juros e de um mercado em declínio. - Fico a pensar: o Brasil viveu os ciclos do ouro, da cana-deaçúcar, do café e da pecuária... Depois veio a indústria e, em consequência, um êxodo rural que deformou as reais necessidades – que são o alimento, a produção agrícola e agropecuária – e nos levou a direcionarmos os investimentos maiores para os setores secundário e terciário. As políticas

governamentais de financiamento preocupam-se com as áreas de serviços e subestimam o principal: o alimento. - E o café, produto nobre, descoberto há cerca de 1.000 anos na longínqua Etiópia, hoje está presente em todos os países do planeta, e poucas pessoas conhecem o poder dessa bebida. - Como assim? - Depressão, mal de Parkinson, câncer de cólon, entre as doenças graves, são, de acordo com alguns pesquisadores, indiretamente combatidas através do consumo moderado do delicioso cafezinho. - Pois é! E, além disto, trata-se de uma bebida prazerosa, que finaliza bem uma refeição e serve de pretexto para uma boa conversa em qualquer ocasião! A propósito, vamos tomar um cafezinho? - Demorou

Avenida tomada pelos manifestantes.


2 a 8 de abril de 2009

Guia de Serviços Entreterimento

Abobrinha

Por:

Marcus Fumagalli

O Padre e os argentinos Na fronteira do Brasil com a Argentina a igreja mais próxima era do lado brasileiro, o que trazia os argentinos sempre à missa. Certo dia o padre diz: - Irmãos, hoje vamos falar dos fariseus, aquele povo desgraçado, como esses argentinos que aqui estão. Toda a congregação se alarmou, virou um alvoroço total. Ao fim da missa o prefeito da cidade diz ao padre. - O sr. não pode fazer isso, esses argentinos fazem a maioria de suas compras aqui, eles gastam todo seu dinheiro em nossa cidade, não podemos perdê-los. E prometa que não irá ofendê-los novamente! - Tudo bem! - diz o padre. No outro domingo o padre começa a ladainha: - Hoje iremos falar de Maria Madalena, aquela prostituta, como essas argentinas que aqui estão. Novamente o alvoroço foi total,

não ficou um argentino dentro da igreja. No final o prefeito novamente vai ao padre e diz: - Mas padre, o senhor me prometeu que não iria mais fazer isso. O que aconteceu? O Padre disse que não conseguiu se conter, mas que não iria se repetir. No domingo, o prefeito apreensivo, espera o inicio do sermão, temendo o que o padre faria dessa vez. - Irmãos, hoje iremos falar da Santa Ceia. O que deixa o prefeito e a congregação mais aliviados. Continuando, o padre diz: - Naquela noite, Jesus disse: O meu traidor está aqui na mesa. Ao que Pedro diz: Mestre, por acaso sou eu? - Não, não é você Pedro. Diz Jesus. João prossegue: - Mestre, serei eu? Jesus diz: - Não é você João. Ouvindo os colegas perguntarem Judas Iscariotes, assustando diz: - Mestre, por acaso soy yo?

Fonte: João Bidu. www.joaobidu.com.br

Áries

Câncer

(20 março a 20 abril)

(21 junho a 21 julho)

Elemento: Fogo Planeta Regente: Marte Deixe seu coração leve: esqueça as coisas ruins e as pessoas que te magoaram. Vale cuidar melhor do seu visual. Ótimo período para investir no seu crescimento. Fase de tranqüilidade na paixão. Tire um momento nesta semana para sentir o que é bom para você e o que precisa fazer para conseguir isso.

Elemento: Água Planeta Regente: Lua Mantenha a calma. Às vezes, para que reconheçam a sua vitória, é preciso recuar. O seu progresso material anda em alta. Se estiver feliz com a vida, o romance será favorecido. Olhe de perto para o que pode estar errado e faça transformações em seu modo de sentir. Valerá a pena.

Touro

(21 abril a 20 maio)

Elemento: Terra Planeta Regente: Neturno Terá certeza de que não dá mais para adiar certas situações. Negócios e amizade não se misturam, por isso, evite ficar na dependência dos outros. Aproxime-se mais de quem você ama. Procure viver em equilíbrio com a matéria e o espírito. Na verdade, um necessita do outro para evoluir.

Gêmeos

(21 maio a 20 junho)

Elemento: Ar Planeta Regente: Saturno Apesar do seu desejo de se destacar profissionalmente, você não deve perder o foco de suas necessidades emocionais. No romance, um pouco de privacidade vai favorecer a relação. Procure estar fora das pressões cotidianas. Saiba permanecer simples diante do alvoroço do mundo.

Leão

(22 julho a 22 agosto)

Elemento: Fogo Planeta Regente: Sol Evite assumir mais compromissos do que possa suportar. Se quer atrair coisas positivas, não se deixe abater pelo pessimismo alheio. Estabelecer planos em comum vai fortalecer a paixão. Cautela com impulsos de satisfazer seus desejos materiais. Pode gastar, sem perceber, mais do que deve.

Virgem

(23 agosto a 22 setembro)

Elemento: Ar Planeta Regente: Júpiter É hora de renunciar as idéias antigas e acreditar que você tem direito à felicidade. Terá grande satisfação em se sentir útil às pessoas. A paixão pode atravessar uma fase crítica. Continue buscando no mundo espiritual o ponto de apoio para suas crises momentâneas, será gratificante.

Libra

(23 setembro a 22 outubro)

Elemento: Fogo Planeta Regente: Plutão O astral favorece atividades com as quais se identifica. Convém dar o melhor de si para alcançar os seus objetivos. Nos assuntos do coração, o astral é de grande confiança e lealdade. Perceba, dentro de você, a capacidade de transformar sua vida diária com idéias criativas e simples.

Escorpião

(23 outubro a 21 novembro)

Elemento: Fogo Planeta Regente: Saturno Não queira abraçar o mundo com as mãos, você pode não cumprir as suas promessas. Dê atenção à família e abra-se às pequenas alegrias. No amor, romance começado agora pode engrenar. A preparação é uma fase muito importante antes de ir para a ação. Procure planejar seus próximos passos.

Sagitário

(22 novembro a 21 dezembro)

Elemento: Água Planeta Regente: Sol Mudanças profundas, às vezes, são necessárias. Voltarse para o seu interior pode ser fundamental para redescobrir suas motivações. Nos assuntos do coração, poderá viver fortes emoções. Aprenda a trabalhar pelas mudanças. Não tenha medo das novas situações que surgirem em sua vida.

Capricórnio

(22 dezembro a 20 janeiro)

Elemento: Fogo Planeta Regente: Plutão Não se prenda tanto às mágoas ou isso poderá afetar a sua relação com as pessoas. Trabalhar em equipe será a sua melhor opção. No romance, alguém distante promete despertar saudades. Não fique esperando, dê você o primeiro passo para melhorar sua vida pessoal. E não se fala mais nisso.

Aquário

(21 janeiro a 19 fevereiro)

Elemento: Fogo Planeta Regente: Marte Cuidado com a precipitação, lembre-se de que a pressa é inimiga da perfeição. Poderá descobrir outras formas de ganhar dinheiro. No amor, evite pegar demais no pé de quem ama. Acredite naquilo que não pode ser visto ainda, mas intuído. Alguém de Peixes é a melhor ajuda no momento.

Peixes

(20 fevereiro a 20 março)

Elemento: Ar Planeta Regente: Neturno Fase positiva nas finanças. Tudo indica que você poderá sair no lucro em tudo o que fizer. Júpiter lhe confere sorte, inclusive em jogos e apostas. No amor, é tempo de apagar o passado. Aventura no amor, se você for otimista e flexível. Não imponha seu método aos outros. Confie, apenas isso.


2 a 8 de abril de 2009

Classificados


2 a 8 de abril de 2009

Classificados

Contrata-se enfermeira profissional (dental nurse) ou pessoa fazendo o curso de dental nurse para atuar como assistente de dentista e uma recepcionista para clínica dentária. Necessária fluência em português, espanhol e inglês. Full time job. Chamar: 078 7035 4615 (M330/364) Seja voluntário numa nova charity latino americana. Necessário ser honesto, confiável e morar em Londres, de preferência na área Richmond ou South West London. Contate Anna: childrenoflatinamerica@ gmail.com 079 8995 4714 (M)

Consultoria e assessoria completa para o reconhecimento de cidadania Italiana. Busca de documentos no Brasil e Itália, acompanhamento aos consulados Italianos no Brasil e Londres . Tel: 078 5386 8501 info@ seculo20.com (R360/363) Serviços de Van (NW10), mudanças entulhos e aeroporto, 24 horas. 077 4610 5786 /075 3309 2846 (R366/369). Auxilio junto aos bancos. Cartões de crédito e empréstimos. Ligue para quem tem anos de experiência. Paulo: 078 7883 4607 (M331/366)

Vende-se leasing, loja em ótima localização, tudo novo, ótima clientela na atividade, preço negociável. Oportunidade para comercio Brasileiro. 078 8791 5679 (R365/372)

Procuram-se garotas atraentes que queriam aprender dança tântrica, para apresentação aos clientes. Remuneração mínima £1.000 por semana. 079 0563 7861 (R364/365) Precisa-se de garotas bonitas de 18 a 30 anos para trabalhar na Escócia como Escort. Boa possibilidade de ganhos. Lisa 077 2886 1432 (M362/366) Contratam-se garotas bonitas e atraentes de 18 a 30 anos. Possibilidades de ganho de £200 a £400/dia. Não é necessária experiência nem falar inglês. Ótimo ambiente de trabalho. Falar com Sara 075 0646 5324 (M 361/368*) Procuro garotas de 18 a 30 anos, bonitas e com tempo disponível e vontade de vencer na vida para trabalhar como Escort em ambiente elegante e discreto em Londres. Não é necessária experiência e nem falar inglês. Ganhos £1000 a £2000 por semana. Interessadas ligar p/ Karina após 13:00 079 3331 3931 karinabraziljob@live.co.uk (M359/370) Precisa- se de garotas atraentes de 18 a 30 anos para tra-

balhar em movimentados flats em East London. Possibilidade de ganhos entre £200 a £400 por dia. Também precisamos de recepcionista. Podemos providenciar acomodação. Contatar Tracy 079 0756 8565 (M361/364) Oportunidade de Trabalho para garotas responsáveis de 18 a 25 anos em casa de massagem em Walthamstow, E17. Não é necessário falar inglês. Ótimos ganhos. Favor entrar em contato com Paul: 079 7621 4801. (R362/365)

Dalston Z2, próximo a Liverpool e Angel Station. Quartos e vagas, casa equipada com internet e telefone. Falar com Madalena - 078 9424 6199 (R366/369) Quartos e vagas, casa equipada com internet e telefone. Z2 Daslton, próximo a Liverpool e Angel Station, vários ônibus. Falar com Bertinho - 078 3700 7131 (R366/369) Aluguel de quartos e vagas em Kensal Rise, Harlesden e Kilburn. Quartos de casal e vagas com preços variados, contas inclusas. 077 4610 5786 / 075 3309 2846 (R366/369) Neasden, ambiente limpo e tranqüilo, com Sky, internet, TV Record e estacionamento. Tenho quarto double e single disponíveis. Bus N98, 297, 302, 245, etc. 078 7855 7011 Português ou 079 6702 4410 Inglês. (R365/368)

Quartos e vagas em Dalston, Stoke Newington e Shoreditch. Casas equipadas com telefone, Internet Wireless e muito mais. Contas inclusas. Ótimas localizações. Cel: 078 5307 2096 (R365/368) Alugo quarto grande para moças ou casal, completo, contas inclusas. Willesden Green. Washington 078 5384 0063 (R366/371) Neasden

excelente

quarto

em casa com poucas pessoas. Internet, Sky, telefone e estacionamento free. Single £100 ou Double £120. Cel: 079 6702 4410 inglês / 078 3872 0315 português. (R361/364) Quartos duplos e para casal 110,00/120,00 p/w.Vaga para dividir Elephant, Vauxhall, Bermondsey, Canada Water e Old kent road. Internet, telefone, frigobar, contas incluídas. Tel: 075 1901 9329 / 078 2388 1421 (R366/369).


2 a 8 de abril de 2009

London United Futsal Club empata na Super League Por: Paula Medeiros

paulamedeiros@hotmail.co.uk

O

London United Futsal Club não pode contar com o goleiro Jodelle Perreira, que está cumprindo a suspensão pelo segundo cartão amarelo, mas contou com a estréia do goleiro português Rafael Ramos, de 19 anos. Outros jogadores, por motivo particulares, não compareceram e o jogador Renato da Silva por contusão. Mesmo assim o diretor executivo da equipe James Rosa, contou com os jogadores Bebeto (capitão), Bruno Lisboa, Carlos Diego Pagliuso ‘Tato’, Ramtin Javadpour, Julinho Ferreira, Sergio ‘Mariluz’. Buscando conseguir mais uma vitória diante o adversário, o London United Futsal Club iniciou a partida pressionando a saída de bola do adversário. Carlos ‘Tato’ chutou forte, numa tentativa de abrir o placar. O Obolon respondeu em seguida chegando até a defesa de Rafa-

el Ramos. Porém, numa segunda chance, Obolon não desperdiçou e marcou o primeiro gol da partida. London United continuou pressionando a saída de bola do Obolon. A tática deu certo. Em erro de passe, Tato novamente aproveitou e bateu forte no canto esquerdo para empatar. O Obolon recuou e após uma cobrança de escanteio, a bola chegou até Bebeto que bateu muito bem, para vencer o goleiro adversário 2 a 1. No final do primeiro tempo, o adversário voltou a buscar o empate, salvo por três defesas de Rafael Ramos. Assim, o London United ampliou com um chute forte do capitão Bruno Lisboa, sem defesa para o goleiro adversário e o segundo em uma bela bicicleta de Julinho Ferreira, fazendo 4 a 1. No segundo tempo a partida diminuiu um pouco o ritmo, os dois times trabalhavam mais a bola e o Obolon tentava utilizar a jogada com seu pivô para chegar ao

gol de Rafael Ramos. O pivô do Obolon recebeu de costas para a marcação, realizou um bom giro e bateu bem. A bola explodiu no travessão de Rafael Ramos. O London United Futsal Club respondeu com jogada de Ramtin Javadpour pela esquerda. Ele passou pela marcação e bateu cruzado, no canto esquerdo do goleiro adversário, 5 a 1. O Obolon se mostravam um pouco melhor na partida e acabaram chegando ao gol brasileiro três vezes em 5 minutos. Nos minutos finais, depois de boa troca de passes pelo meio, o pivô do Obolon recebeu assistência na direita colocando no ângulo. Placar final 5 a 5. Próxima partida do London United Futsal Club será no dia 5 de abril, no Score Sport Centre (100 Oliver Road London E10 5JY). Os interessados em participar da equipes podem entrar em contato via email lbufc@hotmail.co.uk o pelo tel: 07528561309 James Rosa.

Polliana Rosa

No último domingo, 29, a equipe brasileira London United Futsal Club empatou por 5 a 5 com a equipe do Obolon FC, na quadra do Score Sport Center. O jogo foi muito disputado pelas duas equipes, numa competição que pode conceder a vaga para a FA Futsal Cup, em Sheffield.

Comemoração dos jogadores do London United Futsal Club.

Helvécia confirma favoritismo e derrota Kickers O clássico entre Helvécia FC e Kickers Futsal Club pela terceira rodada da divisão sul da FA Futsal League terminou com placar apertado. O resultado, 7 a 6, confirma que foi difícil para o Helvécia, atual campeão nacional, confirmar seu favoritismo e derrotar o Kickers.

Por: Victor De Martino

C

om a vitória, a equipe manteve os 100% de aproveitamento e se isolou na liderança da divisão Sul da FA Futsal League, enquanto os derrotados caíram para a terceira posição com o mesmo número de pontos do Vaughans, só que com saldo de gols inferior. Antes mesmo de a bola rolar, já ficou claro o grau da rivalidade entre as equipes. Por conta de uma controversa transferência de um jogador no ano passado, o técnico do Helvécia, Ronaldo Negrão, recusou-se a cumprimentar o comandante do time oponente, Rogério de Oliveira. Quando soou o apito inicial, a animosidade entre os atletas não foi diferente. Em menos de quatro minutos de jogo, cada equipe já havia cometido três faltas. Foi então que Raoni Medina, o artilheiro do torneio, abriu o marcador e chegou ao seu décimo quinto gol. Após ajeitar a bola com a mão, ele girou sobre a marcação e bateu cruzado com perfeição. Passados quatro minutos, o Kickers já estaria na dianteira do placar, com dois tentos de Eduardo “Banana”, o pivô da disputa entre os treinadores. Aos 16 minutos, porém, Elizandro de Lima empataria o jogo.

Na etapa complementar, o Helvécia passou a jogar com o goleiro linha. Deu certo, pois a defesa do Kickers estava desatenta. Aos 14 minutos, os atuais campeões nacionais já haviam marcado mais cinco gols – só não marcaram outros graças à atuação do goleiro Kiko – , enquanto o Kickers fez apenas um, deixando o placar em 7 a 3. O autor do terceiro gol do Kickers foi mais uma vez Banana, quando o Helvécia jogava com um atleta a menos após a injusta expulsão de Hugo Moreira – a arbitragem considerou que ele simulou uma falta que, de fato, sofreu. O Kickers esboçou uma reação a partir dos 35 minutos ao pressionar a saída de bola adversária. Banana marcou seu quarto gol com um chute indefensável de canhota. Em seguida, Victor Hurpia roubou a bola e tocou na saída do arqueiro. O sexto veio com um chute do meio da quadra de Thiago “Galego”, que desviou na marcação antes de estufar as redes. Mas a reação terminou aí. Nos demais jogos da rodada, o Vaughans goleou por 13 a 4 o Deportivo QM, o White Bear derrotou o Genesis por 6 a 4, e o Corinthians sofreu sua terceira goleada, desta vez por 4 a 0 para o Baltic.


2 a 8 de abril de 2009

Esporte

BATE BOLA Corinthians – O Timão só empatou com o Guarani – 0 a 0 – e perdeu a segunda posição do Paulista para o São Paulo. O time acumula cinco empates nos últimos 7 jogos. Faltando duas rodadas para o final da fase de classificação, o Corinthians ainda não está garantido nas semifinais. Palmeiras – O Palmeiras foi derrotado por 1 a 0 pelo São Paulo e perdeu a invencibilidade no Campeonato Paulista. Ainda assim, o time continua líder, com 4 pontos de vantagem sobre o segundo colocado, o próprio São Paulo. Portuguesa – A Lusa goleou o Marília por 4 a 1 e se manteve na quarta colocação no Paulistão. O time abriu três pontos de vantagem sobre o Santos, seu seguidor mais próximo. A quarta vaga nas semifinais deve ser decidida no clássico entre as duas equipes, nessa quinta.

Santos – O Santos empatou com o Barueri por 0 a 0 e ficou de fora do G4 do Paulista. O time enfrenta a Portuguesa nesta quinta, num jogo que deve valer a classificação para a fase final.

São Paulo – O Tricolor venceu o Palmeiras por 1 a 0 – gol de Washington – e ultrapassou o Corinthians na tabela do Paulista. O time está praticamente garantido nas semifinais do campeonato. Atlético Mineiro – O Galo passou para a segunda fase do Campeonato Mineiro em primeiro lugar. Na primeira partida pelas quartasde-final, o time venceu o Uberaba por 1 a 0 fora de casa.

Cruzeiro – O Cruzeiro perdeu a liderança da fase classificatória nas últimas rodadas e acabou em segundo lugar. Nas quartas, o time venceu o Tupi por 1 a 0. A partida de volta é no sábado.

Atlético Paranaense – A primeira posição na tabela de classificação para a fase final do Paranaense não contou para o Atlético. No jogo de estréia do Furacão na segunda fase do torneio, o time perdeu em casa por 2 a 1 para o J. Malucelli. O Furacão tem, pelo regulamento, a vantagem de realizar todos os jogos em casa. Coritiba – A estréia do Coxa pela segunda fase do Campeonato Paranaense não podia ser melhor. Vitória contra o Paranavaí, por 3 a 0, e derrota do principal rival, o Atlético Paranaense.

Por: Thalita Pires

Botafogo – O Fogão perdeu o clássico para o Fluminense por 2 a 1 e está em segundo lugar no grupo B da Taça Rio, com 10 pontos. Macaé e Bangu têm a mesma pontuação, mas perdem nos critérios de desempate.

Paulistão: Veja as chances de classificação e rebaixamento Palmeiras é o único já classificado à semifinal; disputa pela quarta vaga deve ser entre Santos e Portuguesa

Flamengo – Com o astral em alta, o time venceu o Resende por 4 a 0 e assumiu a liderança do Grupo B da Taça Rio, com 13 pontos. A prova para o bom desempenho do time será no próximo domingo, no clássico contra o Fluminense. Fluminense – O Fluminense teve um mês de março para guardar na memória. O time venceu todos os seus sete jogos no período. O último foi o clássico com o Botafogo, vencido pelo placar de 2 a 1. No próximo domingo a boa fase será colocada a prova no clássico contra o Flamengo. Vasco – O Vasco é o time a ser batido nesse Campeonato Carioca. A equipe ainda está invicta na competição – mas não participou das finais da Taça Guanabara por uma decisão da Justiça Desportiva. A última vitória foi contra o Volta Redonda, por 5 a 3. Grêmio – O Grêmio venceu o Aurora por 2 a 1 pela terceira rodada da Libertadores e lidera o grupo 7 do torneio com 7 pontos. Pelo Gaúcho, o time venceu o São Luiz por 2 a 0 e lidera o Grupo 2 com 11 pontos. Internacional – O Colorado perdeu os primeiros pontos na segunda fase do Gaúcho. O time empatou em 3 a 3 com o Juventude. O destaque foi o golaço de Nilmar, que deu um lençol no goleiro e mandou de sem pulo no ângulo. Goiás – Pela penúltima rodada da fase de classificação do Goiano, o Goiás venceu o Anapolina por 3 a 1. O time lidera o grupo B do campeonato com 41 pontos e já está classificado para a próxima fase. Náutico – O Timbu se recuperou do tropeço da última rodada e venceu o clássico contra o Santa Cruz por 3 a 1. O time está agora em segundo lugar no segundo turno do Pernambucano, apenas um ponto atrás do líder Sport . Sport – O Sport venceu o Petrolina por 2 a 0 e se manteve na liderança do segundo turno do Campeonato Pernambucano. Se o time levar o caneco deste turno será campeão pernambucano sem necessidade de finais, já que venceu a primeira fase.

Time de Luxemburgo é o melhor do torneio.

O

Palmeiras é o único time já garantido na semifinal do Campeonato Paulista. São Paulo e Corinthians estão muito perto da classificação, enquanto a briga pela quarta vaga entre Santos e Portuguesa promete ser acirrada. O Santo André, por sua vez, ainda sonha com uma vaga na próxima fase, apesar de as chances serem muito remotas. De acordo com o matemático Tristão Garcia, do site 'Infobola', a equipe do Morumbi, que ocupa a segunda colocação, com 36 pontos, possui 99% de possibilidades de classificação. Uma vitória nesta quinta contra o Guaratinguetá basta para ratificar a vaga. O Corinthians, em terceiro lugar e com 35 pontos, vive quase a mesma situação. Com 96% de chances, precisa apenas superar o Ituano nesta terça no Pacaembu para estar entre os quatro melhores do torneio estadual. Disputa acirrada Já a briga pela quarta vaga promete ser quente. A Portuguesa, em quarto lugar e com 34 pontos, tem neste momento 77% de possibilidades, contra 18% do Santos, quinto colocado e com 31 pontos.

No entanto, este panorama pode mudar completamente na próxima quinta-feira, quando os dois clubes se enfrentam às 15h45 na Vila Belmiro pela penúltima rodada da fase classificatória. A Lusa garante a vaga em caso de vitória, enquanto a equipe santista precisa triunfar para entrar no G-4 e chegar à última rodada com mais chances do que o adversário. O empate é melhor para o time da capital, que dependeria de apenas mais um resultado positivo no jogo seguinte para obter a vaga. Já o Santo André, em sexto lugar e com 30 pontos, tem apenas 10% de chances e, além de ganhar suas duas partidas, precisa de uma boa combinação de resultados para se classificar. Rebaixamento Na parte de baixo da tabela, a situação mais preocupante é a do Guarani, em último lugar, com 14 pontos. A equipe de Campinas tem 88% de chances de disputar a Série A-2 do Paulistão em 2009. O Noroeste (penúltimo, com 14 pontos) tem um risco de 82%, contra 68% do Marília (18.°, com 15 pontos) e 51% do Mogi Mirim (17.°, com 15 pontos), time que hoje completam a zona da 'degola'. Oeste (16.°, com 16 pontos), com 52%, Paulista (15.°, com 16 pontos), com 32%, e Ituano (14.°, com 17 pontos), com 23%, ainda correm um sério risco. Já Guaratinguetá (13.°, com 19 pontos), com 2%, Botafogo-SP (12.°, com 19 pontos), com 1%, e Bragantino (11.°, com 19 pontos), com 1%, estão praticamente livres do rebaixamento. Enquanto isso, Barueri, Mirassol, Ponte Preta e São Caetano não podem mais se classificar nem cair. Por isso, lutam para ficar entre os quatro melhores logo após o G-4 para ganharem do direito de disputar o Título do Interior.


2 a 8 de abril de 2009

Guia de Serviรงos

Espaรงo reservado para sua publicidade 020 7987 1692

Espaรงo reservado para sua publicidade 020 7987 1692


2 a 8 de abril de 2009

Esporte

Técnico Dunga faz mistério

e não diz se vai mexer na seleção 'O Kaká tem condições de jogo, só não sabemos por quanto tempo', disse; lesionado, lateral Maicon não joga

condições de jogo, só não sabemos por quanto tempo", afirmou o treinador, que concedeu entrevista no início da tarde, horas depois de a seleção desembarcar na capital gaúcha após quase nove horas de viagem desde Guayaquil, no Equador. Dunga afirmou que a única certeza quanto à escalação é a ausência do lateral-direito Maicon, que sofreu uma lesão muscular ainda no primeiro tempo do empate deste domingo com o Equador, em Quito. "Ele está fora, entra o Daniel Alves, e o Maicon fica conosco fazendo tratamento", explicou o treinador. Bem-humorado, ele até brincou com os jornalistas que não ia revelar o time para não "acabar" com o assunto. "Vocês tem muito espaço para preencher e se eu der o time vou complicar o trabalho", ironizou.

O

técnico da seleção brasileira, Dunga, afirmou nesta segunda-feira, 30, que Kaká está recuperado da lesão no pé esquerdo e à disposição para enfrentar o Peru nesta quartafeira, em Porto Alegre, mas não quis confirmar se o meia do Milan será titular na partida, pela 12.ª rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo. "A gente acabou de chegar e almoçar, ainda vamos conversar com a comissão técnica e o departamento médico para saber como aproveitá-lo. O Kaká tem

Maicon sofreu uma lesão muscular no domingo, 29.

O treinador da seleção reclamou da falta de tempo para preparar a equipe, alegando que o ideal seria contar com os jogadores por pelo menos 15 dias antes dos jogos, e acha que, para vencer o Peru, o time tem de se movimentar mais no ataque e buscar as jogadas individuais, ao contrario da tímida apresentação de Quito. "Lá tem a altitude, que torna a coisa muito difícil, e aqui a gente sabe que, jogando em casa, vencer é obrigação." O empate diante do Equador deixou o Brasil em quarto lugar nas Eliminatórias, com 18 pontos, um a menos que Argentina e Chile, que venceram Venezuela e Peru, respectivamente, na rodada do fim de semana. Se não vencer, o Brasil pode ser alcançado pelo Uruguai, que está em quinto, com 16 pontos. (AE)

Ronaldinho e Kaká estão entre os mais bem pagos do mundo O jogador de futebol que ganha mais U dinheiro no planeta também é atleta do Milan: o inglês David Beckham

Kaká passa a bola para o companheiro Ronaldinho Gaúcho durante partida do Milan na Itália.

Empate com Suécia não desanima jogadores portugueses

J

oão Moutinho disse que os jogadores da seleção nacional não devem esquecer o empate, a zero, frente à Suécia no Estádio do Dragão. Portugal deve lembrar a exibição e o resultado, procurando rectificar alguns erros. “Tentaremos corrigir tudo isso para estarmos na máxima força e entrosados nos próximos jogos. Queremos estar na máxima força para os jogos de qualificação. Agora, só as vitórias interessam”, lembra Moutinho. Pepe foi mais confiante e assegurou ao Mais Futebol que

Portugal assinou uma boa exibição frente à Suécia, apesar do empate a zero bolas que compromete as aspirações da selecção nacional na qualificação para o Campeonato do Mundo de 2010. Portugal defrontou África do Sul, em jogo amigável na Suíça, passado dia 31 à noite. Até fecho do jornal Portugal ganhava por duas bolas a zero. Golos marcados por Bruno Alves logo aos três inaugurou o marcador e Edinha já na segunda parte do jogo marcou aos 55 minutos. (Daniela Romão)

ma pesquisa divulgada nesta segunda-feira, 30, pela revista France Football colocou os brasileiros Ronaldinho Gaúcho e Kaká, companheiros de equipe no Milan, entre os jogadores mais bem pagos do mundo. Segundo o estudo, Ronaldinho ganha 19,8 milhões de euros anuais e é o terceiro melhor, enquanto Kaká, com rendimentos de 15,1 milhões, aparece em sexto lugar.

O jogador que melhor ganha no mundo também é do Milan: David Beckham, com rendimento de 32,4 milhões de euros anuais. Esta é a quarta vez que o atleta lidera a lista desde 1999 – em 2008, ele superou Ronaldinho Gaúcho. O segundo da lista este ano é o meia-atacante argentino Lionel Messi, do Barcelona, com 28,6 milhões de euros. O quarto é o português Cristiano Ronaldo, do

Manchester United (18,3 milhões), seguido do francês Thierry Henry, também do Barça (17 milhões). Fecham o "top ten" o atacante sueco Zlatan Ibrahimovic, da Inter de Milão (14 milhões de euros), e três ingleses: o atacante Wayne Rooney, do Manchester United (13,5 milhões), o meia Frank Lampard (13 milhões) e o zagueiro John Terry (11,7 milhões), ambos do Chelsea. (AE)


2 a 8 de abril de 2009

Barrichello acredita ter carro Ele só considera cedo para garantir que o BGP 001 se manterá forte, pois 'a Ferrari estará mais próxima'

para lutar pelo título mundial

Tal situação levou o brasileiro dizer que "é cedo para dizer" que

a escuderia está "em definitivo" na luta pelo título desta temporada. Durante a entrevista, Barrichello reconheceu a controvérsia gerada em torno do difusor utilizado nos carros da Brawn, mas disse que o fato de ter conseguido manter o ritmo no Grande Prêmio da Austrália mesmo depois de a peça ter sido danificada mostra que o carro como um todo prevaleceu. O difusor do carro de Barrichello foi atingido durante a

prova após um incidente com o finlandês Heikki Kovalainen, da McLaren. Mesmo assim, o piloto da Brawn foi o segundo colocado, atrás apenas de seu companheiro de escuderia, o inglês Jenson Button. Sobre a próxima prova, que acontece neste final de semana no circuito de Sepang, na Malásia, o brasileiro disse que a disputa vai ser muito mais apertada. "A Ferrari sem dúvida estará mais próxima, a McLaren sempre foi bem" na Malásia, lembrou Barrichello, que também disse ter se surpreendido com o desempenho da Red Bull. (Efe)

tina, no dia 9 de janeiro. O sul-africano Jody Scheckter venceu com o modelo WR1-Cosworth, depois que José Carlos Pace, com Brabham BT45-Alfa Romeo, não suportou o esforço físico nas voltas finais, sob calor intenso, e perdeu rendimento. Carlos Reuteman, com Ferrari 312T2, foi terceiro. Ross Brawn impressionou o que conversavam com ele depois corrida, ontem: “Nós vamos começar a trabalhar em breve no programa do carro de 2010 porque com o fim do reabastecimento de combustível a sua concepção terá de ser bem

distinta da do modelo que usamos agora”. E Richard Branson, do grupo Virgin, confirmou negociações no sentido de adquirir o time e, se todos os demais times concordarem, substituir Brawn GP por Virgin. Sebastian Vettel, da Red Bul, chegou no paddock louco da vida com Robert Kubica, da BMW. Na 55.ª volta, os dois lutavam pelo segundo lugar e bateram. “Ele estava com os pneus duros, bem mais rápido. Tinha o carro já na minha frente (na curva 3), mas não me sobrou espaço.” Os comissários, no entanto, julgaram Vettel culpado pelo acidente e lhe

puniram com a perda de 10 colocações no grid no GP da Malásia. Robert Kubica, autor de corrida excelente, como a de Vettel, comentou sobre o acidente que tirou os dois do pódio: “Se fosse a última curva da última volta, ok, mas é a primeira corrida, o mais importante é somar pontos”. O polonês tinha planos ambiciosos: “Meus pneus duros me davam bem mais velocidade que Vettel e Button (líder), os dois com o mole. Tinha chance de ganhar a corrida.” Button possuía apenas 4 segundos e 398 milésimos de vantagem àquela altura. (AE)

O

piloto brasileiro Rubens Barrichello, da Brawn, disse não ter dúvidas de que tem nas mãos um carro com potencial para vencer o título da atual temporada do Mundial de Fórmula 1. Barrichello fez tal afirmação em entrevista publicada no site da revista Autosport, na qual também diz que "o único inconveniente é que (a Brawn) é uma escuderia

Rubens Barrichello com seu BGP 001 em ação no GP da Austrália, onde garantiu a segunda colocação

pequena - é bem preparada, mas fez poucos testes".

Toyota apela da punição a Jarno Trulli

A

direção da Toyota decidiu apelar da decisão dos comissários desportivos que impuseram a punição de 25 segundos ao tempo de prova de Jarno Trulli. Ele teria ultrapassado Lewis Hamilton, da McLaren, para assumir o terceiro lugar, sob bandeira amarela, quando o safety car estava ainda na pista, na 57.ª volta, a uma da bandeirada. O resultado da corrida pode, portanto, mudar de novo se o protesto for acatado. Não há data de julgamento. A última vez que uma equipe es-

treou na Fórmula 1 e venceu com dobradinha ocorreu no dia 4 de julho de 1954, no GP da França, disputado em Reims. A Mercedes entrou na competição com o argentino Juan Manuel Fangio e o alemão Karl Kling, que pilotaram o modelo W196. Fangio foi primeiro e Kling cruzou um décimo de segundo atrás. O francês Robert Manzon, da Ferrari, completou o pódio, com uma volta a menos. Em 1977, a equipe do milionário canadense Walter Wolf disputou seu primeiro GP de Fórmula 1 na Argen-

BrazilianNews  

Edicao 366 / Brown pede apoio de Lula a crédito de US$ 100 bi para comércio mundial