Page 1

RESIDÊNCIA ESTUDANTIL Detalhes do Entorno

Localização

Memorial Descritivo O terreno para a residência estudantil fica localizado no centro do Rio de Janeiro, entre a Rua do Teatro e a Rua 7 de setembro. A partir da análise do contexto, o ponto de partida para o projeto foi a relação estabelecida pelos prédios icônicos do entorno imediato: IFCS, Teatro João Caetano e Real Gabinete Português e pela pluralidade de uxos de pessoas que passam por ali. Apesar da monumentalidade desses edifícios e da relação física entre eles (estão fisicamente nas bordas do largo Herculano) entre os mesmos não são estabelecidas relações de uso e apropriação. Não existe uma interação entre eles e nem para com o Largo herculano. Como diretriz para o projeto, se estabeleceu para a implantação um paralelo da relação física entre esses prédios, porém de forma com que esses blocos pudessem ser conectados com usos e uxos de estudantes moradores e mesmos para os transeuntes comuns para que esse espaço também possa ser de uso público, criando um novo local de atração para pedestres que passam por ali diariamente. Para isso o projeto da a seu pátio a ideia de prolongamento do largo herculano, visando uma conexão entre eles de uxo e usos. O conceito de conexão não se limita a apenas na relação estabelecida entre o pátio da quadra com o largo e mesmo a relação estabelecida entre os blocos conectados por um pátio, mas sim a relação estabelecida de usos do próprio prédio. O café no térreo dando para o largo convida o transeunte comum e os espectadores do teatro a permearem pelo projeto. A conectividade se dá por todo o projeto tendo aproximadamente 32% de área coletiva para que a interação dos moradores possa acontecer.

Real Gabinete Português

IFCS

Teatro João Caetano

Terreno

Praça Tiradentes

Referências

A linha de fachada caracteriza-se como um elemento arquitetônico contextual do entorno imediato no centro do Rio.

No IFCS, o pátio central funciona como local de encontro dos alunos e como prolongamento do comércio interno do edifício.

A Rua do Verde é um exemplo da apropriação pública do espaço privado onde terreno acaba virando via pública.

Estudos Volumétricos e Implantação Etapa 1 O estudo volumétrico parte da massa total que hipoteticamente seria possível ser edificada no terreno, respeitando as regras estabelecidas.

O pátio como elemento de integração para as unidades e como estratégia para se articular aberturas para iluminação e ventilação

Etapa 2

LAN Pajol - Paris - 2007 - Lan Architects

A partir da massa total edificada, são estabelecidas subtrações respeitando relações contextuais como linha de fachada e gabarito. Estabelecendo-se também o paralelo entre os prédios icônicos do entorno. 3 blocos (IFCS, Real Gabinete e Teatro João Caetano) que fisicamente são conectados por um largo.

Programa

Etapa 3

O terreno tem área total de 533m² com a necessidade de ser construída uma residência estudantil de até quatro pavimentos respeitando a cota máxima de 14 metros e a área de 1599m² de área total edificada. Pensando nas necessidades do estudantes atual e nas possibilidades de uso que um espaço como uma residência estudantil possa ter foi então pensado áreas que contemplam diferentes usos e que permitam trocas de experiência e conforto para o estudante residente do edifício ou para outros que por necessidade também farão uso do mesmo. O projeto prevê áreas coletivas de uso público, áreas coletivas de uso privado, áreas privativas e áreas técnicas.

Sala de estudo Solário Cozinha Lavanderia

Café - 60m² Auditório - 100m² Sala de convívio - 60m² 2 Áreas para exposições - 150m²

Pátio

40 unidades 16 individuais - 12m² 8 duplas - 25m² 2 triplas - 35m² 2 unidades indivuais com acessibilidade - 15m²

2 unidades familiares completas - 50m²

Concentração das áreas coletivas no térreo e áreas privativas nos blocos superiores Pavilhão Suiço - Le corbusier

Áreas Coletivas de Uso Privado

Àreas coletivas de Uso Público

Áreas Privativas

Pensando em se estabelecer a relação de interligar entre o volume arquitetônico e o projeto paisagístico, uma abertura maior na fachada da rua do teatro é criada para que seja fique mais clara a relação do pátio como espaço público para o transeunte comum e não só para os estudantes moradores do edifício.

-

65m² 50m² 24m² 25m²

Etapa 4 - Final Espelhando a implantação, ficou mais clara a relação do pátio interno como prolongamento do largo Alexandre herculano, além de reforçar o eixo que se estabelece do terreno com o Real Gabinete

Áreas Técnicas Depósito de lixo - 15m² Casa de Máquinas - 12m² Administração - 20m² Casa de bombas - 5m² Caldeira

Edificação com volumetria em L permitindo maior permeabilidade e integração com o lote. Elderly Housing - Spain - 2006- L. Velasco

Roger Peicho DRE 112049304 Atelier Integrado_1|2013_2

PA2 PP DIG Ta1 SAP

Wagner Rufino João Huguenin Thiago Leitão Maria Clara Sylvia Rola

Conceituação

P1

1 /3


RESIDÊNCIA ESTUDANTIL Referências

Zoneamento

B

Av. Pass os

Real Gabinete

IFCS

Nicolai Center - Mobiliários móveis nas bordas permitindo exibidade no uso do espaço

Rua São José (rj) - Apropriação do espaço pelo comércio gerando zonas de permanencia

Rua Avanhandava (sp) - traffic Calming e iluminação que dão sensação de aconchego

Teatro João Caetano

Localizado justamente entre principais zonas da praça, este local funciona como ponto focal, portando dedicado a atividades culturais, sendo previsto palcos móveis para apresentação/ exposições e mesmo funcionar como áreas sentáveis de acordo com as atividades que possam acontecer

Setor de circulação, estão niveladas ao piso da rua, democratizando o espaço e colocando o pedestre na mesma importância que o carro, diferente do que já existe onde o carro possui maior importância. Café

Áreas de Permanência rápida por se localizarem a locais onde a circulação acontecerá de forma mais rápida, porém fica previsto locais onde o transeunte pode sentar para atividades rápidas ou mesmo funcionar como um apoio ao comércio local.

Previsão de área para carga e descarga e mesmo estacionamento durante alguns períodos do dia. Para dar suporte a eventos, este setor continuará funcionando como estacionamento independente do turno.

Rua

7 de

sete

mbr

o

Local de longa permanência por se situar em áreas sombreadas e nas bordas do largo, local mais distante da circulação e grande movimentação de pessoas. Mobiliários móveis que permitam o usuário se mover de acordo com a localização de sombras.

Fica previsto para todas as zonas quiosques de alimentações e bancas de jornal, lembrando que estes equipamentos também serão móveis para que de acordo com a necessidade do lugar, arranjos e combinações possam ser feitas.

B Fluxo

0

7m 14m

28m

Imagens Conceito

Perfil A Para a área estão previstos mobiliários móveis que permitam arranjos diferentes de acordo com os usos que possam ocorrer em diferentes turnos, o que permite uma maior exibilidade dos setores.

Para uma maior integração do uso publico com o privado, estar de permanência prolongada e áreas de apoio ao comércio relacionando-se com a circulação

Perfil B

0

Roger Peicho DRE 112049304 Atelier Integrado_1|2013_2

PA2 PP DIG Ta1 SAP

Wagner Rufino João Huguenin Thiago Leitão Maria Clara Sylvia Rola

5m

10m

Paisagismo

20m P1

2 /3


RESIDÊNCIA ESTUDANTIL Axonometrica Explodida

Sala de convívio

7 de

Area Técnica

Café

Rua

Rua do Teatro

Banheiro

Setem bro

Setorização

Acesso Hall

Pátio

Auditório

Foyer

Circulação Vertical

Acesso

Térreo - Escala 1:250

Subsolo - Escala 1:250

Técnica

Cozinha Comum Solário

Unidade de 1 Quarto

Sala de estudos

BH

Unidade de 2 Quarto Unidade de 3 Quarto

Unidade acessivel

Lixeira Unidade Familiar

Pavimento Tipo - Escala 1:250

Quarto Pavimento - Escala 1:250

Área Privativa 45,34%

Circulação 19,5%

Coletiva 31,5%

Técnica 3,7%

ATE = 1461,56m²

Consumo Diário de Água 48 moradores x 200L = 9600L 10 funcionários x 200L = 2000L Jardim: 1,5l/m² = 166m² x 1,5l = 249L Restaurante: 25l/Refeição = 153 refeições por dia x 25 = 3825L Biblioteca: 68,8m² / 5,5 = 13x 50L = 650L Terreo: 199m² / 2,5 = 79,6x 50L = 3980L Lavanderia: 48 pessoas x 1kg por dia = 48kg x 30L = 1440L Auditório: 80 pessoas x 2L = 160L

Reservatório Inferior

Compartimento de lixo nos pavimentos

Consumo diário x 1,5 21904 x 1,5 = 32856L

Cobertura: 122,31m² de Área Privativa x 0,31L = 39,13L 68,8m² de Biblioteca x 0,1L = 6,8L

Volume de 32,87m³ = 33m³

Pav. Tipo: 275m² de área privativa x 0,31L = 85,25L

Dimensões: H = 1,5m, L= 5m e C=4,4m (as dimensões correspondem ao volume de água)

Térreo: Café 60m² x 1l Áreas comuns: 71m²+48,85m²+ 26,7m² x 0,1L = 74,65L

Reservatório Superior

TOTAL = 21904 L por Dia

Consumo diário + Reserva Técnica 21904l + 6500l = 28404l Volume de 28,4m³

Cada Pavimento terá um compartimento de lixo que suporte 2 conteiners de 120L

Depósito temporário de lixo

Dimensões: H = 1,4m, L= 6m e C=3,38m (as dimensões correspondem ao volume de água)

Reservatório Superior

Subsolo: Auditório 100m²x 0,1L = 10L

Reservatório Inferior

Volume total de lixo x 3 dias = 215,83L x 3 dias = 903, 24L 903,24L / 360L = 2,509 Conteiners de 360L = 3 Conteiners de 360L

Compartimento de lixo

DTL

+12.00m Respiro

120L 120L

consumo

limpeza

incêndio

+3.00m

extravasor

+6.00m

recalque

+9.00m

Escala 1:75

360L

360L

360L

Escala 1:75

0.00m Casa de Bomba de Incêndio

Casa de Bomba Pressurizadora

Casa de Bomba de Recalque e água servida

4.40

-3.00m

V=16,5m³

Corte Esquemático - Sem escala

V=16,5m³

Escala 1:75 Escala 1:75

Escala 1:75

Escala 1:75

Roger Peicho DRE 112049304 Atelier Integrado_1|2013_2

PA2 PP DIG Ta1 SAP

Wagner Rufino João Huguenin Thiago Leitão Maria Clara Sylvia Rola

Escala 1:75

Setorização

P1

3 /3

Roger Peicho - P1  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you