Issuu on Google+

EDIFÍCIO Brisa

R. O l i v e i r a R o cha

O conceito inicial do projeto teve início numa implantação em que o objeto arquitetônico e o espaço livre estão conectados e conjugados de maneira a laçar o terreno em toda sua amplitude. Sendo assim, levando o entorno em consideração, o edifício é alinhado nos três eixos de edificação e cria uma área livre interior e reclusa posicionada de maneira a interagir com o espaço livre do Hospital da Lagoa. Situado na Rua Jardim Botânico, o projeto é regido por uma modulação que se extende às fachadas, às plantas, à estrutura e às esquadrias. Desta maneira o projeto ganha ritmo, proporção, harmonia, racionalidade, controle e organização. O pavimento de uso comum foi alocado na cobertura do segundo pavimento com o intuito de garantir a todos os moradores uma vista ampla para a Lagoa Rodrigo de Freitas e insolação frequente. O programa visa um público alvo de maior poder aquisitivo, sendo assim, em sua maioria, foi optado pelo apartamento de três quartos com duas vagas o qual atende melhor a esse perfil de compradores. As paredes externas e hidráulicas são feitas de alvenaria de tijolo e as internas são feitas de dry wall com objetivo de economizar nos custos da obra e de ganhar mais área privativa.

ESCALA 1:1000

R. Conde de A. Celso

CONCEITUAÇÃO

N

SITUAÇÃO

Rua Jardim Botânico

REFERÊNCIA DE IMPLANTAÇÃO Projeto Rehabilitación de las viviendas Tivoli, Dieter Jüngling e Andreas Hagmann. É um conjunto habitacional na cidade de Chur na Suíça em que o edifício é implantado de maneira em que o espaço livre fica afastado das três fachadas, porém acessível por aberturas no térreo. A circulação horizontal foi jogada para atrás do edifício relacionando-se com o pátio e a circulação externa é bem demarcada e separada do bloco edificado.

PERSPECTIVA PARA O ESPAÇO LIVRE

PERSPECTIVA DO SOLO

Vinicius de Sá Barboza DRE 110039230 Trabalho Integrado_1|2011_2

PA2 Carlos Feferman PP Andrea Queiroz DIG Naylor Vilasboas CEST Paulo Fernando Rodrigues SAP Adriano Paiter

Anteprojeto

P2

1 /11


PROJETO

Paisagístico

PLANO DE COTAS DO PAV. TÉRREO ESCALA 1:125 A

N

B B

A

LEGENDA: Piso cimentício 1,05x1,05m

Pedra seixo branco

Àgua

Madeira plástica

ralado Piso de Concreto Intertravado

Canteiro

Piso Drenante Braston

Acesso de serviço

Acesso principal

PLANO DE MASSAS DO PUC ESCALA 1:125

1-REFEÊNCIA DA CALÇADA

2-REFERÊNCIA DE TRAÇADO PAISAGÍSTICO

1.Ficha: -Autor: Prefeitura de Barcelona -Local: Rua Garcia Faria, Barcelona,Espanha -Data:2000-2010 -Área: 2000m² -Fonte: Google Earth 2.Justificativa: -Compatibilidade funcional: É uma calçada larga que se relaciona com uma via principal .É composta por palmeiras plantadas organizadamente e de maneira modular criando um rítmo agradável.

1.Ficha: -Autor: Prefeitura de Barcelona -Local: Rua Selva de Serra de Mar, Barcelona,Espanha -Data:2000-2010 -Área: 1600m² -Fonte: Google Earth 2.Justificativa: -Compatibilidade funcional: É um espaço livre privado de uso público implantado entre o objeto arquitetônico formando um pátio com dois acessos.

3-REFERÊNCIA DE CONEXÃO DOS ESPAÇOS LIVRES

1.Ficha: -Autor: Agence Ter landscape -Local: Les Lilas, França -Data:2007 -Área: 1.5 hectares -Fonte: DIETRICH,Lisa «Territories from landscape to city» 2.Justificativa: -Compatibilidade funcional: Relação com a arquitetura e o uso dos pilotis para integrar os espaços.

Vinicius de Sá Barboza DRE 110039230 Trabalho Integrado_1|2011_2

PA2 Carlos Feferman PP Andrea Queiroz DIG Naylor Vilasboas CEST Paulo Fernando Rodrigues SAP Adriano Paiter

Anteprojeto

P3

2 /11


PLANO

de Plantio PLANO DE PLANTIO DO PAV. TÉRREO ESCALA 1:125

3

5

3

N

5

2 3

2 2 2 5

5

1

5

5 5

4

4

2

4

PLANO DE PLANTIO DO PUC ESCALA 1:125

3

5 3

5

1- Oiti - Licania tomentosa

2- Ipê verde - Cybitax antisyphilitica

3- Singônio - Syngonium angustatum

Espécie típica da flora brasileira, é uma árvore-símbolo da Região Nordeste, com grande valor simbólico, principalmente no estado de Pernambuco. O Oiti é o fruto do Oitizeiro (Licania Tomentosa), árvore da família Chrysobalanaceae, que pode atingir altura de oito a 15 metros. Essa árvore já existe no local e o projeto visa preservá-la.

Árvore de médio porte, 6 a 18 metros de altura, em geral com tronco tortuoso e de casca grossa, características de árvore do Cerrado. . Folhas digitadas com cinco folíolos. As flores são verdes, difíceis de se distinguir entre as folhas. Foram implementadas na Rua Oliveira Rocha e dentro do pátio no térreo do edifício para embelezar e valorizar o espaço livre, além de gerar uma sombra agradável.

Planta de médio porte originária da Nicarágua é muito usada para fins decorativos. Adapta-se bem a ambientes de meia sombra. Foi utilizada nos canteiros do PUC e no térreo para acrescentar à composição vegetal de ambos ambientes.

4- Palmito-Juçara - Eutepe edulis

5- Bromélia- Bromeliaceae

É uma árvore esbelta que pode chegar até 20 metros de altura. A implementação dessa palmácea foi feita de maneira a ratificar o contraste de vertical entre os blocos do edifício.

Nos jardins sobre as árvores, no chão formando conjuntos, em vasos, as bromélias fazem hoje parte do paisagismo tropical e é difícil encontrar projetos que não incluam estas plantas.

Vinicius de Sá Barboza DRE 110039230 Trabalho Integrado_1|2011_2

PA2 Carlos Feferman PP Andrea Queiroz DIG Naylor Vilasboas CEST Paulo Fernando Rodrigues SAP Adriano Paiter

Anteprojeto

P3

3 /11


MOBILIÁRIO

VISTA PARA O ESPAÇO LIVRE

do Térreo e do PUC VISTA DO ESPAÇO LIVRE

1

2

3

4

5

Ficha -Nome:Center Square -Autor: Kosmos, Ott Kadarik -Local: Ravera, Central Square, Estônia -Data:2004 -Fonte: Street Furniture

Ficha -Nome:Sentiv Urban Park -Autor:Bruto d.o.o -Local: Ljubljama, Eslovênia -Data:2010 -Fonte: Street Furniture

Ficha -Nome:Sea Organ and Greeting to the Sun -Autor:Marina Project d.o.o. -Local: Obala Petra, Zadar, Croácia -Data:2008 -Fonte: Street Furniture

Ficha -Nome:Kic Village -Autor: 3 Gatti -Local: Zhengnin Road, Shangai -Data:2009 -Fonte: Street Furniture

Ficha -Nome:30 Adelaide Street East -Autor:Janet ROsemberg -Local: Toronto, Canadá -Data:2002 -Fonte: Street Furniture

Vinicius de Sá Barboza DRE 110039230 Trabalho Integrado_1|2011_2

PA2 Carlos Feferman PP Andrea Queiroz DIG Naylor Vilasboas CEST Paulo Fernando Rodrigues SAP Adriano Paiter

Anteprojeto

P3

4 /11


FACHADA

Dinâmica e Sustentável

ELEVAÇÃO FRONTAL

REFERÊNCIA DA FACHADA

REFERÊNCIA DO COROAMENTO

Projeto OMA, Marco Antônio Borsoi. A fachada é composta por varandas contínuas em que os painéis móveis ganham independência do plano da varanda e agregam dinamismo à composição arquitetônica. Os detalhes da fachada foram estudos e utilizados como referência construtiva.

Projeto Maria paula, Marco Antônio Borsoi. O coroamento do edifício reforça o conceito arquitetônico de coluna vertebral e dá imponência ao prédio.

A elevação frontal demonstra que há uma preocupação estética no plano dos vãos das portas e janelas mesmo com a fachada sendo composta por painéis deslizantes. Os vãos das esquadrias atenderam a ritmo, proporção, simetria e harmonia em conjunto com os pilares aparentes do edifíco.

ESCALA 1:250

DETALHE DE ESQUADRIA ESCALA 1:25

DETALHE DA FACHADA ESCALA 1:10 Verga Folha de vidro Peça de transição

Suporte de alumínio

Trilho Roldana

Cinta de Arremate

Painel deslizante Acabamento

Parafuso de sustentação Peça de transição

Alvenaria Piso acabado

Viga Laje

DETALHE DOS PAINÉIS ESCALA 1:25

LOCALIZAÇÃO DOS PAINÉIS

4

4

3

3 1 Foto ilustrativa

3 2

1-Painéis de brises verticais 2-Painéis de vidro

3-Painéis vasados

4-Painéis fotovoltaicos

São painéis deslizantes feitos de alumínio e estão localizados na fachada Oeste para bloquear a incidência solar amenizando a temperatura da varanda e do interior do apartamento.

Estão localizados na fachada Nordeste-Leste e suas aberturas peneiram a luz solar do sol da manhã. São feitos de retícula metálica.

Garantem eficiência energética para o edifício contribuindo sustentavelmente com o meio ambiente. São feitos de células foto voltaicas mono-cristalinas e estão localizados na fachada Norte-Noroeste para obterem maior captação solar.

Compõe a fachada frontal e são feitos de aro metálico com vidro levemente opaco. Localizados ao Sul, eles tem o objetivo de compor a fachada e fornecer maior privacidade.

Vinicius de Sá Barboza DRE 110039230 Trabalho Integrado_1|2011_2

2

PA2 Carlos Feferman PP Andrea Queiroz DIG Naylor Vilasboas CEST Paulo Fernando Rodriguez SAP Adriano Paiter

Anteprojeto

P3

5 /11


FACHADAS

1:125

FACHADA FRONTAL ESCALA 1:125 FACHADA FRONTAL ESCALA 1:125

FACHADA LATERAL ESCALA 1:125

FACHADA LATERAL ESCALA 1:125

FACHADA TRASEIRA ESCALA 1:125

FACHADA TRASEIRA ESCALA 1:125

Vinicius de Sรก Barboza DRE 110039230 Trabalho Integrado_1|2011_2

PA2 Carlos Feferman PP Andrea Queiroz DIG Naylor Vilasboas CEST Paulo Fernando Rodriguez SAP Adriano Paiter

Anteprojeto

P3

6 /11


PLANTAS

Baixas

1ยบ E 2ยบ PAVIMENTO ESCALA 1:125

A B

B

A

PLANTA ESTRUTURAL ESCALA 1:125

Vinicius de Sรก Barboza DRE 110039230 Trabalho Integrado_1|2011_2

PA2 Carlos Feferman PP Andrea Queiroz DIG Naylor Vilasboas CEST Paulo Fernando Rodrigues SAP Adriano Paiter

Anteprojeto

P3

7 /11


APARTAMENTOS de Cobertura 5ยบ PAVIMENTO ESCALA 1:75

COBERTURA ESCALA 1:75

Vinicius de Sรก Barboza DRE 110039230 Trabalho Integrado_1|2011_2

PA2 Carlos Feferman PP Andrea Queiroz DIG Naylor Vilasboas CEST Paulo Fernando Rodriguez SAP Adriano Paiter

Anteprojeto

P3

8 /11


UNIDADES Habitacionais PLANTA TIPO 1 ESCALA 1:75

PLANTA TIPO 2

PLANTA TIPO 3

ESCALA 1:75

ESCALA 1:75

CORTE A ESCALA 1:125 REFERÊNCIA DAS PLANTAS

Projeto Edifício Ipanema, Luiz Paulo Conde. O dimensionamento, a organização, e a racionalidade das plantas foram tomados como referência projetual. Neste projeto, o arquiteto consegue resolver com eficiência o problema de duas empenas cegas produzindo plantas compactas, porém bem arrumadas e organizadas.

CORTE B ESCALA 1:125

Vinicius de Sá Barboza DRE 110039230 Trabalho Integrado_1|2011_2

PA2 Carlos Feferman PP Andrea Queiroz DIG Naylor Vilasboas CEST Paulo Fernando Rodrigues SAP Adriano Paiter

Anteprojeto

P3

9 /11


SUBSOLO e Estrutura SUBSOLO ESCALA 1:125

MAQUETE ESTRUTURAL

CÁLCULO DE DIMENSIONAMENTO DO RESERVATÓRIO 36 vagas de moradores 50L por vaga x 36 vagas = 1800L Apartamentos 16 apartamentos de 3 quartos = 16x3x2 =96 pessoas 2 apartamentos de 2 quartos = 2x2x2 = 8 pessoas 1 apartamento de zalador = 2 pessoas Total: 106 pessoas x 300L por pessoa = 31800L RTI = 6000 +3x500 = 7500 Total = 7500 + 3180 + 1800 = 41610 x2 =83220 L = 83.22 m³ Inferior = 3/5 x 83.22 = 50m³ aproximadamente Superior = 2/5 x83.22= 33m³ aproximadamente Dimensões: -Inferior = 2,5m x 4,5m x4,5m -Superior= 1,5m x 4,5m x4,5m

Vinicius de Sá Barboza DRE 110039230 Trabalho Integrado_1|2011_2

PA2 Carlos Feferman PP Andrea Queiroz DIG Naylor Vilasboas CEST Paulo Fernando Rodrigues SAP Adriano Paiter

Anteprojeto

P3

10/11


DETALHES

Técnicos

TELHADO ESCALA 1:75

DETALHE DO TELHADO ESCALA 1:25 Rufo Telha(metálica trapezoidal) Platibanda

Duto

PPANTA DE ELÉTRICA ESCALA 1:50

HIDRÁULICA DO BANHEIRO ESCALA 1:25

Vinicius de Sá Barboza DRE 110039230 Trabalho Integrado_1|2011_2

PA2 Carlos Feferman PP Andrea Queiroz DIG Naylor Vilasboas CEST Paulo Fernando Rodrigues SAP Adriano Paiter

Anteprojeto

P3

11/11


Vinicius Barboza