Issuu on Google+

O terreno do projeto para um prédio de usos comercial e residencial localiza-se no Largo do Machado, no bairro do Catete, Rio de Janeiro. O projeto na esquina de ruas de fluxos diferenciados (Catete e Irineu Bornhausen), as empenas cegas e a ventilação natural dos apartamentos foram fatores levados em conta ao definir a implantação. O programa do edifício proposto é coerente com o entorno, uma vez que este já apresenta outros edifícios mistos, e a volumetria busca uma unidade e uma relação com os gabaritos imediatos ao terreno. O partido adotado foi de fechamento de quadra, com a implantação definida nos vértices da quadra, em forma de "L" e aberta para um espaço interno ao edifício. Desta forma, as empenas cegas que atualmente não têm uma boa relação com a escala dos pedestres, não ficaram mais expostas. Além disso, com este tipo de implantação garantiuse também que todos os apartamentos obtivessem uma melhor ventilação. O projeto das áreas livres influenciará diretamente no fluxo das ruas citadas, uma vez que a proposta é de fechamento da rua de menor fluxo (Irineu), que atualmente está degradada, a fim de criar uma praça que revitalize o comércio local. Os espaços livres foram determinados a partir dos fluxos de pedestres e dos usos verificados nas edificações do entorno. A partir disso, criaram-se ambientes diferenciados para cada tipo de uso, que tem como delimitantes de espaço a paginação de piso e os mobiliários específicos de cada um.

RESIDENCIAL

BORNHAUSEN

GRANDES ESPAÇOS LIVRES PÚBLICOS. BOM USO?

4. Utilização de uma circulação horizontal aberta (passarelas) afim de garantir ventilação e luz

5. Divisão desses espaços livre públicos em varandas

TAINAH DE OLIVEIRA RAMOS Ai1 - 2012_2 - atelier C Residencial Bornhausen


RESIDENCIAL

BORNHAUSEN

MEMORIAL CONCEITUAL O terreno do projeto para um prédio de usos comercial e residencial localiza-se no Largo do Machado, no bairro do Catete, Rio de Janeiro. O projeto na esquina de ruas de fluxos diferenciados (Catete e Irineu Bornhausen), as empenas cegas e a ventilação natural dos apartamentos foram fatores levados em conta ao definir a implantação. O programa do edifício proposto é coerente com o entorno, uma vez que este já apresenta outros edifícios mistos, e a volumetria busca uma unidade e uma relação com os gabaritos imediatos ao terreno. O partido adotado foi de fechamento de quadra, afim de que as empenas cegas não ficassem expostas como estão atualmente – já que têm uma relação ruim com a escala do pedestre. Desta forma, garantiu-se também que todos os apartamentos obtivessem uma melhor ventilação. REFERÊNCIA PROJETUAL O projeto seguiu a mesma implantação da referência: nos vértices da quadra, em forma de "L" e aberta para um espaço interno ao edifício. Foi adotada também a medida proposta pelo Edifício Madri da circulação horizontal externa aberta, que possibilita a melhora da ventilação dos apartamentos. EDIFÍCIO MADRID - Paulo Mendes da Rocha

GRANDES ESPAÇOS LIVRES PÚBLICOS. BOM USO?

4. Utilização de uma circulação horizontal aberta (passarelas) afim de garantir ventilação e luz para o pátio central. Geração de espaços livres com jardins nas passarelas para dar dinamismo. 5. Divisão desses espaços livre públicos em varandas para os apartamentos com fechamento vazado e passarelas ao fundo para que não se perca o conceito original da entrada de luz e ventilação.

VISTA GERAL RUA DO CATETE

VISTA GERAL RUA IRINEU BORNHAUSEN Tainah de Oliveira Ramos DRE 110037389 Atelier C Atelier Integrado_1|2012_2

PA2 Ana Slade PP João Paulo Huguenin DIG Rafael Fonseca CEST Maria Betânia de Oliveira SAP Aristóteles Tarcísio

Residencial Bornhausen

P3 P

1 //9


N

Plano de cotas Escala 1/250

O projeto das áreas livres influenciará diretamente no fluxo das ruas citadas, uma vez que a proposta é de fechamento da rua de menor fluxo (Irineu), que atualmente está degradada, a fim de criar uma praça que revitalize o comércio local. Os espaços livres foram determinados a partir dos fluxos de pedestres e dos usos verificados nas edificações do entorno. A partir disso, criaram-se ambientes diferenciados para cada tipo de uso, que tem como delimitantes de espaço a paginação de piso e os mobiliários específicos de cada um.

GRANDE FLUXO Área de passagem

PRAÇA

Jardim

Apoio às lojas

IRINEU BORNHAUSEN

Apoio às lojas

PRAÇA IRINEU BORNHAUSSEN Apoio às lojas

(Área de permanência)

Mobiliário: Godot, 2005 – Cliente: ESCOFET 1886

ZONEAMENTO Escala 1/1000

Corte

DETALHE 2 - Escala 1/25

CORTE PP2 escala 1/125

DETALHE 2

Planta esquemática DETALHE 1 - sem escala

CORTE PP1 escala 1/125

Planta esquemática DETALHE 1 - sem escala

DETALHE 1

Tainah de Oliveira Ramos DRE 110037389 Atelier C Atelier Integrado_1|2012_2

Corte - DETALHE 1

Escala 1/25

PA2 Ana Slade PP João Paulo Huguenin DIG Rafael Fonseca CEST Maria Betânia de Oliveira SAP Aristóteles Tarcísio

Residencial Bornhausen

P3

2 /9


CONCRETO NA COR TELHA (marcação das entradas) VEGETAÇÃO EXISTENTE

VEGETAÇÃO PROPOSTA

Monguba Nome científico: Pachira aquatica Altura: de 10m a 16m Diâmetro médio da copa: 10m Forma do tronco: monoaxial Forma da copa: globular Densidade da copa: densa Cor das folhas: verde claro

Jasmim Manga Nome científico: Plumeria rubra Altura: de 6 a 7m Diâmetro médio da copa: 3m Forma do tronco: poliaxial Forma da copa: globular Densidade da copa: densa Cor das folhas: verde claro Cor da floração: rosa, vermelha e branca

PISO DRENANTE BRASTON CONCRETO NA COR BRANCA PISO CIMENTÍCIO IMITANDO MADEIRA - Legno Parquet

PÁTIO INTERNO O projeto foi baseado na referência australiana do ASPECT Studios, na qual se utiliza de elementos como água pedras e vegetação de pequeno porte e que não precisa receber muita luz para um pátio interno com função somente de contemplação. A referência foi adaptada para a criação de um pátio interno no edifício - que tem como função ajudar a ventilação dos apartamentos – de forma a proporcionar um ambiente calmo de estar e de contemplação aos moradores. Projeto: 151 East Jaques Avenue Local: Bondi, Austrália Autor: ASPECT Studios, Tzannes Associates Data: 2005

CORTE PP3 Escala 1/125

PERSPECTIVA DO PEDESTRE NA ÁREA DE APOIO AO COMÉRCIO

VISTA AÉREA DO RESIDENCIAL BORNHAUSSEN E DA PRAÇA IRINEU Tainah de Oliveira Ramos DRE 110037389 Atelier C Atelier Integrado_1|2012_2

PA2 Ana Slade PP João Paulo Huguenin DIG Rafael Fonseca CEST Maria Betânia de Oliveira SAP Aristóteles Tarcísio

Residencial Bornhausen

P3 P

3 //9


N

N

PLANTA PAVIMENTO TIPO 1 Escala 1/125

PLANTA PAVIMENTO TIPO 2 Escala 1/250

QUADRO DE ÁREAS ESPAÇOS EDIFICADOS

B

A

C

Tainah de Oliveira Ramos DRE 110037389 Atelier C Atelier Integrado_1|2012_2

PA2 Ana Slade PP João Paulo Huguenin DIG Rafael Fonseca CEST Maria Betânia de Oliveira SAP Aristóteles Tarcísio

Residencial Bornhausen

P3 P

4 /9


5%

5%

N

N

PLANTA PAVIMENTO DE USO COMUM Escala 1/125

N

PLANTA DE COBERTURA Escala 1/250

PLANTA DO SUBSOLO Escala 1/250

1 - Reservatório superior 2 - Casa de máquinas de elevadores 3 - Casa de bombas de incêndio

Tainah de Oliveira Ramos DRE 110037389 Atelier C Atelier Integrado_1|2012_2

PA2 Ana Slade PP João Paulo Huguenin DIG Rafael Fonseca CEST Maria Betânia de Oliveira SAP Aristóteles Tarcísio

Residencial Bornhausen

P3 P

5 //9


N

N

PLANTA DO TETO ESTRUTURAL DO PAV. TIPO 1 Escala 1/125

PLANTA DO TETO ESTRUTURAL DO PAV. TIPO 2 Escala 1/250 MAQUETE ESTRUTURAL sem escala

N

PLANTA DO TETO ESTRUTURAL DO SUBSOLO Escala 1/250

MAQUETE ESTRUTURAL sem escala

Tainah de Oliveira Ramos DRE 110037389 Atelier C Atelier Integrado_1|2012_2

PA2 Ana Slade PP João Paulo Huguenin DIG Rafael Fonseca CEST Maria Betânia de Oliveira SAP Aristóteles Tarcísio

Residencial Bornhausen

P3 P

6 //9


INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS banheiro e cozinha - escala 1/25

Dimensionamento dos reservatórios de água     

24 vagas – 24 x 50L – 1.200L 42 quartos = 84 pessoas – 84 x 300L – 25.200L 1 zelador – 300L – 300L RTI (9 pavimentos) – 6.000L + 2.500L – 8.500L Área de jardim = 310m² - 310m² x 1,5L – 465L 35.665L/Dia

Consumo diário total = 35.665L L/Dia x 2 = 71.330L  Volume do reservatório inferior = 3/5 x CDT = 42,8m³  Volume do reservatório superior = 2/5 x CDT = 28,5m³ 

Cisterna (h = 2,5) A = 42,8/2,5 = 17,12m² (3,5x5m) Reservatório superior (h = 2,5) A = 28,5/2,5 = 11,4 (3x4m)

INSTALAÇÕES SANITÁRIAS

CÁLCULO DOS RESERVATÓRIOS

banheiro e cozinha - escala 1/25

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS apartamento 2 quartos - escala 1/50

Tainah de Oliveira Ramos DRE 110037389 Atelier C Atelier Integrado_1|2012_2

PA2 Ana Slade PP João Paulo Huguenin DIG Rafael Fonseca CEST Maria Betânia de Oliveira SAP Aristóteles Tarcísio

Residencial Bornhaussen

P3

7 /9


DETALHE DA COBERTURA (BLOCO DOIS DE DEZEMBRO)

Escala 1/10

FACHADA DA RUA DO CATETE Escala 1/125

FACHADA DA RUA DOIS DE DEZEMBRO

CORTE DA FACHADA DA RUA DO CATETE Escala 1/25

Escala 1/125

As fachadas integrais do edifício Madrid, que apresentam um padrão na repetição dos elementos e uma influência contemporânea, serviram como referência ao Residencial Bornhausen. Na questão materialidade manteve-se as placas de concreto de revestimento - painel wall da referência e utilizou-se da madeira nas varandas a fim de criar uma ligação material com a área livre da praça.

Guarda corpo das varandas e dos terraços em concreto branco

FACHADA DA RUA IRINEU BORNHAUSEN Escala 1/125

Tainah de Oliveira Ramos DRE 110037389 Atelier C Atelier Integrado_1|2012_2

PA2 Ana Slade PP João Paulo Huguenin DIG Rafael Fonseca CEST Maria Betânia de Oliveira SAP Aristóteles Tarcísio

Paredes de fechamento da varanda em madeira, com a parte superior vazada para possibilitar uma maior entrada de luz e e ventilação ao pátio interno.

Residencial Bornhausen

P3

8 /9


FACHADA DO PÁTIO INTERNO Escala 1/125

CORTE AA Escala 1/125

CORTE BB Escala 1/125

Tainah de Oliveira Ramos DRE 110037389 Atelier C Atelier Integrado_1|2012_2

PA2 Ana Slade PP João Paulo Huguenin DIG Rafael Fonseca CEST Maria Betânia de Oliveira SAP Aristóteles Tarcísio

Residencial Bornhausen

P3

9 /9


Tainah Ramos