Page 1

Marรงo/2010

Revista Expansรฃo |

1


2

| Revista Expansão

Projeto arquitetônico Lech Arquitetura Março/2010


Marรงo/2010

Revista Expansรฃo |

3


4

| Revista Expansรฃo

Marรงo/2010


Marรงo/2010

Revista Expansรฃo |

5


[ Index ]

14 Entrevista

O grão-mestre da maçonaria no Estado, Gilberto Mussi, fala da proposta do Novo Pacto Federativo

20 Nossa Capa

Ademir Schneider, o “batateiro”, conta sua trajetória política e seu trabalho frente à Sulgás

24 Páscoa

A tradição e a celebração se fundem com o encanto e a beleza dessa data religiosa tão esperada pelas crianças

38 especial mulher

Conheça as conquistas femininas no mercado de trabalho e o papel delas na sociedade

50 estética & beleza

SEÇÕES 10 12 22 32 34 36 64 100 110 128 132 138 140 142

Cartas Frases Crônica - Osvino Toillier No Provador - Silvana Homrich Estilo & Atitude - Maggda Rammé Mombach Comportamento - Cris Manfro Casa & Estilo - Jaqueline Fischer Zapelini Golfe Classic - Luis Carlos Baumgarten Pensando Bem - César A. C. da Silva Práticas Empresariais - Gilberto Mosmann Cada Vez Melhor - Daniel Müller Sobre Nós e Outras Coisas - César A. Pessin Departamento Jurídico - Estêvão Trentz Ponto de Vista - José Leon Macedo Fernandes

Beauty artist do Rio Grande do Sul ganha prêmio pela criação de exuberantes maquiagens e cílios postiços

60 Vida & Saúde

Governo federal começa a imunizar grupos prioritários que receberão as doses da vacina contra a Gripe A

102 reportagem especial

Mudanças climáticas, aquecimento global ou variações normais? O Brasil se prepara para traçar seu perfil

104 meio ambiente

Igrejinha é exemplo de consciência ecológica do Vale do Paranhana para o mundo

116 PERSONALITY

Fabrício Carpinejar é um dos autores que melhor expressam os sentimentos e as vontades da mulher

124 SEM FRONTEIRAS

Turquia, terra exótica que atrai turistas por sua religiosidade e história

6

| Revista Expansão

COLUNAS 70 77 78 80 82 83 84 86 88 89 90 91 92 94

Zita Pereira Night Forte - Roberta Pletsch Society - Gelaina Barbieri São Leopoldo - Letícia de Oliveira Campo Bom - Juraci Reichert Sapiranga - Cleber Arnhold Paranhana - Renata Martins Gramado - Tela Tomazeli Canela - Fabiane Michaelsen Nova Petrópolis - Kassandra Dorneles Encosta da Serra - Sandra Hess Flash Vale do Caí - Édio Otto Trein Santa Cruz do Sul - Ana C. dos Santos e Sandro Viana

Março/2010


Marรงo/2010

Revista Expansรฃo |

7


[ Carta ao Leitor ]

O mês é

delas D

izem que o ano começa para valer no Brasil somente depois da folia de Momo. Pois bem, o carnaval se foi, o verão chega ao fim e a sensação é mesmo de que agora é hora de começar a trabalhar. Mas, pelo menos aqui na redação o trabalho é constante e você percebeu que, mesmo nas férias, nosso empenho foi o mesmo para manter a qualidade da informação, faça chuva ou faça sol. Agora, você tem em mãos uma edição pra lá de inspiradora para alavancar o ano. A começar pelos textos alusivos à Páscoa, temos histórias recheadas não somente de chocolates, mas, sobretudo, de afeto, de valorização humana, afinal, o verdadeiro sentido da data. No mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, preparamos um Especial com nuances diferentes. Você vai ver como e porque alguns conceitos podem ser revistos ou analisados sob óticas diversas. Especialistas do comportamento feminino mostram que a mulher, diferente do que se pensava como regra geral até hoje, não iniciou a batalha para conquistar seu lugar na sociedade e no mercado de trabalho, mas acompanhou uma evolução social natural. Ainda dentro deste tema, ouvimos jovens brasileiros que vivem em países do Oriente para falarem sobre como vêem a realidade das mulheres naquela região, muito diferente do que presenciamos aqui todos os dias. Da mesma forma, registramos o relato de estrangeiros sobre sua experiência de vida. E como o mês é delas, apresentamos uma entrevista com um dos maiores conhecedores da essência feminina: o poeta e escritor Fabrício Carpinejar, entendedor como poucos dos desejos da mulher.

Capa: Ademir Schneider Diretor administrativo e financeiro da Sulgás

8

| Revista Expansão

Março/2010


Isa Reichert/Especial

Equipe de produção: Ivan Seefeldt e Márcia Fernanda da Costa Fiori, Ademir Schneider, a fotógrafa Isa Reichert e o assessor de imprensa Eduardo Pires

Para a Entrevista desta edição, recebemos em nossa sede o grão-mestre da maçonaria no Rio Grande do Sul, Gilberto Mussi, que, entre outras abordagens, fala da campanha Novo Pacto Federativo, uma proposta para mobilizar toda a sociedade na busca por mais recursos para os municípios brasileiros. E desenvolvimento e integração são as palavras de ordem defendidas pelo entrevistado da Nossa Capa deste mês. O diretor administrativo e financeiro da Sulgás – Cia de Gás do Estado do Rio Grande do Sul, Ademir Schneider, fala de suas ideias e convicções com a segurança de quem já foi prefeito por duas vezes. Nossa Reportagem Especial aborda um assunto que muito tem despertado curiosidade, dúvidas e até medo. Afinal, o que significa o calor quase insuportável que assolou os brasileiros nos últimos meses? E o que dizer das enchentes, furacões e deslizamentos? Para alguns, culpa do homem que interferiu no funcionamento da natureza provocando o aquecimento global. Para outros, nada mais que uma reação absolutamente normal e esperada da natureza. Confira o que dizem estudiosos do clima sobre este cenário. Temos boas notícias. Aproveite e comece seu ano bem informado com a Revista Expansão. Boa leitura!

Coordenadora de Redação

Foto: Isa Reichert | Joel & Isa Reichert | (51) 3593-3128 Direção de fotografia: Márcia Fernanda da Costa Fiori Balística Propaganda | (51) 3065-1001 Direção de criação fotográfica: Ivan Seefeldt | Balística Propaganda Tratamento de Imagem: Isa Reichert | www.joeleisareichert.com.br

Março/2010

Revista Expansão |

9


[ cartas ]

10

Uma bela matéria

Uma grande e feliz família

Amigos Sérgio, Ana e equipe. Todos viemos ao mundo com a tarefa de ser felizes. A felicidade só se alcança através de realizações que nos dão muito trabalho, porém, que é compensado através da conquista do objetivo final. Nada se consegue sozinho. Necessário se faz termos a nossa volta pessoas com quem possamos contar na hora do trabalho e retribuir seja reconhecendo suas importâncias, ou nos colocando à disposição para o que for necessário e possível de atender. Serjão, chega de filosofar,  cumpro o dever de agradecer em nome do Conselho Gestor do Grêmio Atiradores Novo Hamburgo, pela bela matéria publicada na edição de dezembro - Ano 10. Tens uma equipe maravilhosa,  e só com conhecimento de causa e sensibilidade, como manifestou a Graziela no texto onde faz alusão os “cavaleiros da távola redonda”,  pode-se atingir o objetivo que era o de mostrar à comunidade que o nosso Atiradores esta aí e que uma história de 117 anos não pode terminar como se comentava na cidade. Obrigado a todos, especialmente aqueles que pensam como nós: “Atiradores, meu  clube, que bem ele me faz”. Nelson Koch Conselho Gestor Grêmio Atiradores Novo Hamburgo

Márcia Boniatti: agradeço a ti e a todos da Revista Expansão pela recepção que tive em visita a casa e que ficará em minha lembrança. Todos foram muito receptivos e gentis. A equipe está de parabéns, pois parece que todos fazem parte de uma grande e feliz família! Saudações. Alfonso Evaldo Koller Contador Novo Hamburgo

| Revista Expansão

Reportagem e capa de fevereiro: ótima Graziela e à equipe da Revista Expansão. Tive o privilégio de ver a revista de fevereiro de 2010 antes dos colegas da prefeitura. Várias amigas me ligaram e claro que tive que ligar para outros para fazer meus comentários, deixando-os ainda mais curiosos. Tanto a reportagem quanto a foto da capa ficaram ótimas, sem conotação política e demonstrou a seriedade, com o apoio das entidades. Beijos de agradecimento a todos pela dedicação. Gabriela Streb Secretária de Administração Estância Velha

Março/2010


Direitos iguais

Revista predestinada ao sucesso Parabéns a vocês, vencedores, que há muito tempo merecem o reconhecimento em todas as esferas e lugares, por tudo que fazem e fizeram pela Expansão. Revista predestinada ao sucesso e crescimento, com esse nome premunitório: expansão. Meus cumprimentos pelo prêmio Mérito Lojista 2009. Dóris Hess Publicitária, profissional de Marketing, Comunicação e Eventos São Leopoldo - RS

Março/2010

Gostaria de expressar os meus sinceros agradecimentos à equipe da Revista Expansão, e em especial à Graziela, pela calorosa e encantadora disponibilidade para a realização da matéria Direitos Iguais, veiculada na edição de fevereiro. Parabéns pela agradável recepção na revista e, é justamente por ter profissonais qualificadíssimos e competentes, que a Expansão possui respeitabilidade e sucesso ao longo destes anos. Dra. Berta Schumann Advogada Novo Hamburgo - RS O tema sobre a Homoafetiva, exposto de maneira clara e didática por parte da dra. Berta Schumann na Expansão de fevereiro, faz todos nós repensarmos sobre o tema em voga. Ainda mais que a sociedade brasileira começa a se pronunciar depois das maiores autoridades militares expressarem as suas opiniões diante da mídia nacional. Fiquei admirado, por ela seguir dentro dos caminhos da jurisdição brasileira para defender e atender pessoas que fizeram sua opção sexual pelo mesmo gênero. José Carlos Heinemann Grafologista Novo Hamburgo - RS

Revista Expansão |

11


[ Frases ] Fotos: Divulgação

Playboy, não perca seu tempo comigo. Elenita, ex-BBB, referindo-se à publicação masculina, na saída do reality show.

Fabio Rodrigues Pozzebom/Divulgação

O Brasil faz parte do G20, do G7, do G8, G3. Enfim, qualquer G que fizerem tem que chamar o Brasil. Somos o país mais preparado do mundo para encontrar o ponto G. Presidente Lula, durante a inauguração da Barragem João Leite, em Goiás, sobre tal habilidade brasileira

Eu ainda sinto saudades de ser dançarina de boate. Talvez eu volte a fazer isso algum dia. Lady Gaga, um dos maiores ícones pop

do momento, ao afirmar que não tem certeza de como será o seu futuro

12

| Revista Expansão

Beyoncè é o caramba, sou mais a Beyoncione! Preta Gil, atriz e cantora,

brincando no jornal Extra sobre a presença da cantora americana no Rio ao dizer que se considera uma mistura de Beyoncé com Alcione.

Março/2010


Marรงo/2010

Revista Expansรฃo |

13


[ ENTREVISTA ]

Fotos: Maurício Pinzkoski/Divulgação

14

| Revista Expansão

Março/2010


Gilberto

Mussi Grão-mestre da Maçonaria no Estado fala da campanha pelo Novo Pacto Federativo e esclarece pontos da filosofia de vida que desperta curiosidade e dúvidas Por Aline de Melo Pires

(...) para o sucesso desta campanha, é preciso seguir três principais passos: a uniformidade da linguagem em todas as lojas maçônicas, convencimento de ação dos governantes brasileiros e o fim do desvio do dinheiro público. Março/2010

P

or iniciativa da Maçonaria do Rio Grande do Sul, a campanha Novo Pacto Federativo chega a lideranças e entidades da sociedade. Para falar melhor sobre esta proposta, recebemos em nossa sede, o grão-mestre da Maçonaria no Estado, Gilberto Mussi, 71 anos, que afirma ser esta rediscussão a melhor forma de equilibrar as receitas de municípios e do Estado, com melhor distribuição de recursos gerados pela cobrança de impostos e, consequentemente, mais desenvolvimento e qualidade de vida para a população. Muito satisfeito, Mussi afirma já contar com apoio de grandes entidades como a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e da Confederação Nacional dos Municípios (CNM). Para Mussi, para o sucesso desta campanha, é preciso seguir três principais passos: a uniformidade da linguagem em todas as lojas maçônicas, convencimento de ação dos governantes brasileiros e o fim do desvio do dinheiro público. A ideia é levar ao Congresso Nacional um abaixo assinado com um milhão de assinaturas para exigir esta redefinição. Formado em Contabilidade, hoje aposentado, Mussi está na maçonaria há 45 anos. É casado com Lindamar, com quem tem quatro filhos e oito netos. Natural de Pelotas, foi em Canguçu que formou a base de sua vida, sendo, inclusive, prefeito da cidade. Foi deputado estadual por duas legislaturas – sendo deputado constituinte –, secretário de Estado do governo Simon e chefe da Casa Civil no governo Britto, quando também foi secretário de Obras Públicas. O fato de poder contar com políticos entre os maçons é, para ele, uma grande vantagem na busca pelo sucesso da campanha. Nesta entrevista, Mussi também esclarece alguns pontos sobre esta filosofia de vida que se mostra em várias teorias para a sociedade. Uma escola milenar, que ainda hoje preserva sua essência, com princípios e ensinamentos que, apesar de não impor nenhuma religião, exige que seus membros tenham, ao menos, a crença no que se denomina de princípio criador. Outro princípio vital para a maçonaria é a proibição do ingresso de mulheres. “Maçonaria é para homem”, sentencia o grão mestre, ao explicar que essa determinação está intimamente ligada ao contexto da fundação da maçonaria.

Revista Expansão |

15


[ ENTREVISTA ] Como surgiu a proposta da maçonaria no que se refere ao pacto federativo? A ideia começou em uma loja maçônica do Centro de Porto Alegre, onde a discussão era a respeito de criminalidade, da situação que vivemos hoje em nossas cidades. O que se poderia fazer para atenuar este problema? Vários grupos e comissões começaram a trabalhar esse aspecto e todos chegaram a um ponto de que era a falta de recursos financeiros responsável pela violência, mas se perguntou de quem era essa responsabilidade. Então chegamos à conclusão de que precisávamos rediscutir o Pacto Federativo que temos hoje, ou seja, redefinir a quem pertence a responsabilidade, se é do município, do Estado ou do governo federal, ou dos dois ou dos três, o importante é definir com clareza. Por exemplo, se ao município couber esta responsabilidade, nós seríamos fiscais da execução e aplicação deste recurso, estaríamos evitando “viagem” deste dinheiro em meias e cuecas, pois o dinheiro arrecadado, por exemplo, em Novo Hamburgo é enviado para Brasília para depois voltar para a cidade. E o que for feito aqui, vai ser fiscalizado aqui. Há condições de corrigir distorções, retificar e redimensionar. Então é esta a proposta do Novo Pacto Federativo, rediscuA maçonaria tir estas responsabilidades. A loja do regular, Rio Grande do Sul passou a “vender” no mundo todo, a ideia para outras grandes lojas braé só de homens. sileiras temos o apoio das 27 lojas do Se tiver qualquer Brasil para esta nova discussão.

ligação com mulheres, automaticamente, passa a ser irregular, não é reconhecida pelas demais no mundo inteiro.

Quem fará esta discussão? O Congresso Nacional. Nós queremos dentro da ordem e da lei. Podem convocar o presidente da República, o próprio Congresso Nacional ou as forças populares –entidades –, vamos buscar um milhão de assinaturas para que o Congresso institua o Estado em uma revisão constitucional. Não temos ideia se, no lado prático, haverá interesse do Poder Executivo, mas, se olharmos os últimos 20 anos de presidência da República, vamos ver que em todos estes anos dever-se-ia rediscutir o pacto e isso nunca foi feito. Por quê? O governo federal não tem interesse em perder hoje os mais de 60% da arrecadação nacional, não quer a repartição equânime deste percentual. Os Estados levam hoje 25% e os municípios apenas 15%. Como nós temos certeza de que, diante de qualquer mexida que houver na legislação, o maior beneficiado será o município, nós, maçons, não queremos fazer esta caminhada sozinhos. E a partir desta discussão proposta pela Maçonaria, o que isso vai significar na prática para o Estado? Mais recursos para os municípios e para o Estado. A população será altamente beneficiada. Por exemplo, discutimos hoje sobre presídios, vamos redefinir, é

16

| Revista Expansão

Gilberto Mussi

o município, o Estado ou o governo federal quem cuida? Se dissermos que o município é o responsável será mais fácil de fiscalizar e aplicar recursos, vamos até o prefeito e ele vai dizer que não tem dinheiro para isso. O Estado também vai dizer que não tem e que precisa ir buscar no governo federal, que pode dizer que para esta ou aquela cidade não tem verba, mas para outra região do Estado, sim. Então, com o Novo Pacto Federativo, não tenho dúvida de que o município vai ser o grande beneficiado. Os Estados serão melhor aquinhoados (cota) no recurso financeiro. Nós vamos tirar do governo federal o poder centralizador de que todo o dinheiro que se precisa tem de buscar em Brasília. Aí, parece ficamos devendo obrigação e muitas vezes o dinheiro já é seu. O senhor diz que a partir da rediscussão do Pacto Federativo os municípios irão ter mais recursos. Quanto o senhor espera que os municípios recebam? Olha, eu acredito que o percentual deva ser rediscutido depois. Mas então é uma campanha que não tem meta? Bem, penso que não seria menos que 25% ao contrário dos 15% que recebem hoje. A campanha Novo Pacto Federativo tem prazo para terminar? Não. Estamos começando a caminhar. Buscando que a imprensa nos auxilie, que haja uma mobilização popular para a rediscussão do Novo Pacto. Aí, cada segmento tem que fazer sua parte, pressionar. Queremos que seja rediscutido, é nosso grande pedido. Já estamos fazendo este trabalho com os mais de cinco mil municípios, com as mais de 500 lojas maçônicas no Rio Grande do Sul. Põe isso no Brasil inteiro, aí teremos seguramente 10 mil lojas trabalhando em torno do Novo Pacto Federativo, com o restante da sociedade. Queremos que a caminhada vá acontecendo e que as datas sejam estabelecidas pelos grupos. A maçonaria brasileira está limitada a homens? A maçonaria mundial. Primeiro, por sua história. Quando foi criada, a maçonaria, há milênios, era o homem a figura mais importante dentro da sociedade. Aí entramos em outra questão da maçonaria que são os ritos. A maioria esmagadora dos ritos é feita por homens. A maçonaria regular, no mundo todo, é só de homens. Se tiver qualquer ligação com mulheres, automaticamente, passa a ser irregular, não é reconhecida pelas demais no mundo inteiro. A maçonaria é para homens, embora nós tenhamos entidades, chamadas de pára-maçônicas, ao lado da maçonaria, que abrange a família toda. As mulheres têm uma ordem internacional, mas todas estas são entidades pára-maçônicas. Maçonaria é para homens. Quais são os maiores desafios em conseguir que a campanha realmente seja absorvida pela classe política, que é quem define as leis e destina recursos?

Março/2010


Marรงo/2010

Revista Expansรฃo |

17


[ ENTREVISTA ]

Gilberto Mussi

O grande problema que temos hoje é o descrédito, o “não vale a pena”. Achamos que vale a pena. Nós, sociedade brasileira, precisamos nos articular, entidades civis ou religiosas, maçonaria, enfim, todos os cidadãos, somos responsáveis pelo futuro do nosso País. Sabemos que a sociedade, de um modo geral, tem certos tabus em relação à maçonaria, várias teorias, de que se trata de uma seita ou filosofia de vida... Como o senhor acredita que uma campanha deste tipo, que deve envolver toda a sociedade, seja recebida? Gostei quando você disse que a maçonaria pode ser uma filosofia de vida. Na verdade, a maçonaria é uma escola de vida, nos prepara para sermos cidadãos melhores, atuantes dentro de princípios que a maçonaria prega. Somos cidadãos comuns, não temos absolutamente nada de especial. Há dois pré-requisitos para que o cidadão seja maçom: um deles que seja o que nós chamamos de homens de bem. O outro é que ele tenha uma crença em um princípio criador. Eu sou cristão, anglicano. E temos na maçonaria, muçulmanos, budistas, evangélicos, católicos, espíritas... Nós temos homens que não professam nenhuma religião, mas têm a crença num princípio criador. A maçonaria não discute esta definição. Se o cidadão é ateu, não pode ser maçom, peca pela base. Acho que estamos vivendo um início de milênio em que a maçonaria, sem abrir mão da sua história, das suas prerrogativas, das suas convicções milenares, pode muito bem se aproximar da sociedade, ser esta ferramenta boa e útil que é. Queremos que as lojas maçônicas tenham um objetivo de envolvimento de seus maçons no meio da sociedade. E por que existe, ainda, o desconhecimento da sociedade sobre o que é a maçonaria? Não é coisa de hoje, a maçonaria se envolveu, em determinados momentos, em atividades aqui no País, como, abertamente a favor da Independência do Brasil, em conflitos sociais e criou-se a ideia de que tudo o que divide opiniões tem algo da maçonaria. E quem tem o poder acusava, e acusa, a maçonaria como responsável por tudo de ruim que acontece. Como a maioria das pessoas não tem conhecimento sobre as atividades dos maçons, passa a acreditar que é uma religião. Somos uma escola, de homens de todas as religiões. Temos a crença no que chamamos de o Grande Arquiteto do Universo. Existe alguma diferença entre a maçonaria que se pratica no Brasil e a que se faz no exterior? As roupas e o tipo de música são diferentes para cada um, e todos são válidos, mas diferentes. Na maçonaria também, nós temos ritos diferentes, mas reconhecidos no mundo inteiro. E o que acontece nestes ritos, que tipo de trabalhos são executados? São reuniões de instrução, para estudo, reuniões festivas, comemorativas, cívicas. Cada rito desenvolve uma filosofia, a escola de vida e os ensinamentos.

18

| Revista Expansão

Março/2010


Marรงo/2010

Revista Expansรฃo |

19


[ Nossa Capa ]

Ademir Schneider Em nome do desenvolvimento

Aline de Melo Pires/Especial

E

le admite gostar de ser chamado de “batateiro”, cresceu no meio rural, conhecendo e aprendendo sobre a cultura da batata com a família. No entanto, os ensinamentos do pai não se limitaram ao comércio da batata. Seguindo seus passos, Ademir Schneider também foi eleito vereador, aos 24 anos, na cidade de Dois Irmãos, era o início de sua vida pública. Natural de Sapiranga, conhece a região como poucos, morou em Nova Hartz, até os seis anos, foi duas vezes prefeito de Santa Maria do Herval, quando lutou pelo desenvolvimento para a cidade através do asfaltamento da VRS-873. Em Santa Maria do Herval também implantou a Kartoffel Fest, a popular Festa da Batata da qual foi presidente da comissão emancipadora. Sendo uma das grandes lideranças da região, Ademir sempre teve importante papel em assuntos regionais, como no movimento para fundar o Residencial Mundo Novo, em Novo Hamburgo, atuando desde

20

| Revista Expansão

Diretor da Sulgás, o ex-prefeito de Santa Maria do Herval fala de sua origem e de suas convicções Por Aline de Melo Pires

a concepção da cooperativa até a entrega das chaves dos apartamentos, tendo sido seu diretor administrativo e financeiro. Firmou parcerias importantes ao longo de sua carreira, selou amizades duradouras que até hoje se refletem em suas ações e conquistas. Foi coordenador da campanha presidencial no Rio Grande do Sul de José Serra, em 2002, com quem mantém uma relação de proximidade e amizade. Hoje, aos 52 anos, Ademir Schneider, pai de William, 20, se orgulha de estar à frente de uma das mais bem-sucedidas empresas gaúchas, a Sulgás – Cia de Gás do Estado do Rio Grande do Sul, desde 2007. Diretor administrativo e financeiro da empresa de economia mista do governo, comanda com entusiasmo a expansão do gasoduto para a Região Metropolitana. As obras para a extensão do gás até Novo Hamburgo começaram no final de fevereiro e os benefícios deverão chegar também a outros municípios vizinhos.

Março/2010


Integração

Em 1996, momento marcante ao lado do então Papa João Paulo II, no Vaticano, capítulo forte em sua trajetória de vida

Fotos: Divulgação

Serão 15 quilômetros de rede canalizada, desde a Avenida Getúlio Vargas, em São Leopoldo, até a Rua Joaquim Nabuco, no centro de Novo Hamburgo. A obra deve ser concluída no final deste ano. Atualmente, 33 municípios gaúchos recebem o gás natural. “Com a chegada do gás a Novo Hamburgo, as empresas serão diretamente beneficiadas. As indústrias que possuem caldeiras poderão funcionar a gás em vez de óleo diesel, o que significa energia mais barata, sem agressão ao meio ambiente”, afirma, ao ressaltar que esta possibilidade também é uma fonte de atração de novas empresas e integração para a região. “Sinto-me orgulhoso da Sulgás porque, na minha gestão, ela teve o melhor resultado de sua história, com lucros satisfatórios e um superávit acima do esperado. A Sulgás tem cumprido sua finalidade de ser um elemento estratégico para as ações de interesse econômico do governo, ao mesmo tempo em que cumpre seu papel na responsabilidade social e ambiental. E sobre o cenário político atual ele comemora o fato de a governadora Yeda Crusius, a quem define como uma mulher de grande valor e de inteligência singular, ter trabalhado duramente para recuperar o prestígio junto ao empresariado, atraindo inúmeros investimentos no setor privado. “A governadora também recuperou a confiança dos municípios, que hoje recebem em dia os repasses voluntários do Estado, como da consulta popular e do transporte escolar”, completa.

Futuro Apesar de a Sulgás ser a sua grande dedicação atualmente, Ademir tem a visão para outras questões igualmente importantes para o desenvolvimento do Rio Grande do Sul. Filho da região que tem força na produção do calçado, o futuro do setor coureiro-calçadista é uma das suas maiores preocupações. “Em todo o Brasil, sete milhões de pessoas são trabalhadoras na cadeia calçadista. É o terceiro setor econômico que mais emprega mão-de-obra no País”, observa ao apontar que esta área não tem recebido a devida atenção por parte do governo federal. Houve, continua, um grande incentivo aos setores automotivo, de eletrodomésticos e de móveis com redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). “O setor coureiro-calçadista deveria ter recebido tratamento igual às demais”, destaca. Para que o setor volte a ter prestígio político, diz Ademir Schneider, uma das alternativas deve ser a existência de uma bancada no Congresso Nacional em defesa da cadeia coureiro-calçadista. “Todos devem trabalhar de forma coletiva em defesa do setor”, afirma. Além disso, ele defende o dólar-referência para exportação. “Quando vende, o empresário tem que saber quanto vai receber no dia em que seu calçado embarcar”, observa. No entanto, reafirma que a conquista deste cenário só será possível com a união e boa vontade política.

Março/2010

Para Ademir Schneider, a governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius, é modelo de mulher de valor e inteligência ímpar

Com José Serra, Schneider tem fortes laços de amizade e proximidade, tendo sido coordenador de sua campanha presidencial no Estado em 2002

Revista Expansão |

21


[ CRÔNICA ]

Revisitando

a infância

osvino toillier

Professor, escritor e presidente do Sinepe/RS osvino@sinepe-rs.org.br

É claro que o tempo é outro, o mundo de possibilidades e incentivos certamente contribui para outro ser humano, mas sempre é uma criança.

22

| Revista Expansão

É

simplesmente encantador observar a criança brincando: o mundo da imaginação recriando realidade, construção de cenários, diálogo com os brinquedos, ausência de monotonia por conta da criatividade permanente, enfim, quanto material de inspiração para o adulto, tantas vezes contagiado pela desmotivação e diante de dificuldades. A criança é um mundo à parte, que transforma a casa, mexe com a rotina e, querendo ou não, desacomoda o adulto, não poucas vezes desajeitado e confuso diante das demandas infantis. A rápida e constante troca de cenários deixa o adulto atrapalhado, porque precisa submeter-se a rápidas mudanças de frequência, tão fora de seu padrão. Tenho me dedicado – e deliciado – a observar o comportamento de uma criança de dois anos que me permite revisitar a infância de forma privilegiada e fico tentando recordar a mesma fase na vida dos filhos e não consigo encontrar na memória semelhantes atitudes. E fico me perguntando se teria sido tão pacata ou se realmente a vida de hoje produz outra infância. É claro que o tempo é outro, o mundo de possibilidades e incentivos certamente contribui para outro ser humano, mas sempre é uma criança, na mais pura e original acepção do termo. Não tem essa de ser mais ou menos inteligente, trata-se apenas de nascer e viver com outros estímulos. O fato de aos dois anos escolher um filme e colocar no aparelho, rodar, aumentar ou diminuir o volume

parece meio precoce, mas é simplesmente influência do meio. Ninguém ensinou isto, é decorrência do meio. Mas percebo que o afeto continua sendo o centro da vida da criança. Sempre de novo a velha máxima: “Dá à criança tua mão, e ela te dará seu coração”. Nada mais comovente do que a espontaneidade e amor sem limites de uma criança. “A minha mãe, o meu pai, a minha vovó, o meu vovô” são identificações do universo mágico da criança. E as aprendizagens são contínuas e intensas. Palavras novas que brotam, fragmentos de frase que se consolidam, sorrisos encantadores, abraços que são verdadeiros amassos e o desejo insaciável de brincar, arrastar o adulto para brincar-de-esconder, enfim, ajudá-la a elaborar o mundo com suas próprias vivências, sem ser infantilizada pelo adulto. E ela nos deixa um recado muito claro: “não me deixa com minhas próprias circunstâncias, deixa eu crescer contigo, não me confina no meu próprio mundo, eu preciso evoluir.” Com a natural curiosidade da criança, é estranho que, mais tarde, perca o interesse por aprender, de reinventar as coisas. Será que muitas vezes queremos ensinar coisas prontas para ela? Desconfio que sim. E isto não funciona com a criança, porque ela não aceita paradigmas prontos. Precisa fazer do jeito dela, reinventar a receita do bolo e aprender a fazer com a vovó. E tem coisa mais gostosa do que o bolo da vovó? Duvido! Perguntem pra Manuela.

Março/2010


Marรงo/2010

Revista Expansรฃo |

23


[ PÁSCOA ]

Ilustrações: Divulgação

Uma delícia de festa

U

m misto de magia, religiosidade e doces delícias deverá ser o cenário para comemorar a Páscoa este ano na Serra Gaúcha. A Chocofest, tradicional festa que celebra as delícias da Páscoa, volta a Gramado em 2010, de 5 de março a 4 de abril. O evento, que antes acontecia em Canela, tem tudo para atrair com muito encanto público de todas as partes do Estado, a convite da prefeitura gramadense, com promoção da Marta Rossi e Silvia Zorzanello Feiras e Empreendimentos. A cidade, conhecida por sua intensa produção de chocolates, se preparou para receber turistas de todas as idades, com atrações ao ar livre. Para isso, os visitantes da Páscoa em Gramado – Chocofest 2010 serão recepcionados no Universo dos Coelhos, que, além de festejar a abundância do chocolate na região, vai chamar a atenção para a espi-

24

| Revista Expansão

Chocofest volta a Gramado e promete encanto e religiosidade em programação intensa e cheia de surpresas ritualidade e a importância da fé. Para fechar o ciclo, por meio das crianças e dos personagens que fazem parte deste mundo, a organização da festa também pretende chamar a atenção para questões relacionadas à sustentabilidade. No Universo dos Coelhos, comunidade e visitantes serão convidados a fazer uma imersão nesse mundo já no acesso da cidade, onde está instalada a Árvore de Páscoa. A decoração contempla os símbolos pascais, usando as chamas das velas, a luz, como elo entre o lúdico e o religioso. A luz sempre foi o símbolo maior da Páscoa, do rito de passagem e da vida. Por isso, o cenário da Chocofest 2010 segue este tema. Junto à Praça das Bandeiras, há uma cenografia especial, denominada Luz da Vida, posterior à Árvore da Vida. No acesso principal da Avenida Borges de Medeiros, haverá um Sistema Planetário e uma profusão de coelhos, simbolizando a proposta da organização da festa.

Março/2010


Momento mágico Pontuando a proposta religiosa, a frente da Igreja Matriz São Pedro também tem decoração religiosa. A Rua Coberta, por sua vez, sedia o Planeta do Chocolate, QG do evento, com programação intensa e especial. E a sequência da Avenida Borges de Medeiros é identificada como Alegria de Páscoa. Na Rua Pedro Benetti, há o Caminho da Páscoa, decorado com velas em belos castiçais. Já as rótulas são uma atração à parte, que complementam este momento mágico. Além da proposta lúdica, espiritual e educativa, a Páscoa em Gramado – Chocofest também tem finalidade social. Assim, um percentual da renda do evento será para beneficiar a segurança pública do município de Gramado, a Fundação Espírita Maria de Nazaré – Lar do Idoso e a Associação de Assistência de Caridade de Gramado. As Oficinas de Gastronomia em Chocolate serão coordenadas pelo Senac a partir de 19 de março. É o Senac também o parceiro no Desfile de Moda em Chocolate, que vai apresentar, na Rua Coberta, o chocolate em forma de vestuário, a exemplo do que acontece em grandes cidades como Nova York e Paris.

Março/2010

Chocofest mistura o lúdico e o mágico e encanta os admiradores e degustadores de todas as idades

Revista Expansão |

25


[ PÁSCOA ]

A toca dos ovos coloridos Fotos: Sandro Dieterich/Especial

E

nquanto a maioria das crianças vivia a expectativa de ganhar ovos de chocolate e outras guloseimas, a pequena Ana Cláudia Simoni, ao lado de irmãos e primos, aguardava ansiosamente a Páscoa para saber o que a vovó Luia aprontaria, e pouco pensavam em chocolate. A matriarca envolvia os netos, e praticamente toda a família, na doce brincadeira de esconder e encontrar ninhos. No entanto, as vedetes da data não eram os ovos de chocolate. A vovó esperava os pequeninos com ovos de verdade, cozidos e decorados com tinta comestível, de um sabor e aroma que até hoje Ana Cláudia não esquece. Aos 21 anos, a estudante de Educação Física tem viva na lembrança toda a

26

| Revista Expansão

Simpática senhora espalha alegria e criatividade com muito carinho para a época mais doce do ano Por Aline de Melo Pires

magia e encanto da data que marca a ressurreição de Cristo protagonizada por Luia Steigleder. Os netos cresceram, traçaram caminhos diferentes na vida, mas a essência do que foi plantado pela avó em sua infância não se perdeu. Como já não tem mais netos pequenos, Luia, no auge de seus 80 anos, hoje promove a alegria na Páscoa entre crianças e famílias da comunidade gramadense. É na Serra Gaúcha que, todos os anos, a simpática senhora se veste de coelho e leva alegria e força para crianças de entidades e escolas de Gramado. Ela conta que busca preservar a tradição que aprendeu com sua mãe, um costume de origem germânica por meio da qual os ovos são cozidos com muito cuidado e técnica especial para que não quebrem. “A tradição manda que os ovos sejam os comuns, consumidos cozidos, clara e a gema”, ensina. O tingimento também pode ser feito com marcela e cebola. Dona Luia garante que ficam igualmente deliciosos.

Março/2010


Distribuição Assim, vestida de coelhinho, dona Luia começa cedo o domingo de Páscoa. Um de seus primeiros compromissos do dia ocorre ao final do culto na Igreja Evangélica de Confissão Luterana. Depois da distribuição dos ovos na porta da igreja, a comunidade segue para um delicioso café da manhã de confraternização, onde os ovos são alegremente saboreados. As crianças se distraem tentando ver quem consegue manter as cascas intactas por mais tempo. “Lembro que quando éramos pequenos fazíamos uma espécie de guerrinha para ver quem terminava a brincadeira sem quebrar as cascas, sempre sobrava um que conseguia ganhar”, recorda Ana Cláudia. Toda a alegria de viver e de se doar de dona Luia, reflete-se no cotidiano de Ana Cláudia. Ela conta que sua avó é a referência de vida, de personalidade e de força. Muito ativa e ligada nas novidades tecnológicas – sim “nossa coelhinha da Páscoa” tem até e-mail, omaluia@via-rs.net – a alegre senhora tem ensinado a familiares e amigos o valor da demonstração dos mais nobres sentimentos. “Ela nos diz o tempo todo que temos de dizer o ‘eu te amo’ sempre que tiver de ser dito. Isso eu vou levar para sempre dentro de mim”, conta a estudante.

Dona Luia imprime o valor da Páscoa aos ovos de galinha que, cozidos, viram verdadeiras delícias

Março/2010

Revista Expansão |

27


[ PÁSCOA ]

Segredos de família Aline de Melo Pires/Especial

Tradicional fábrica comandada pelos Heck, em Novo Hamburgo, une a criatividade ao sabor ímpar do chocolate Para a família Heck, não basta fazer o doce. É preciso imprimir uma grande dose de sensibilidade ao preparo, desejar coisas boas na hora de embalar cada bombom ou ovo, não importa o tamanho que tenha. “Sabemos da proposta de quem quer presentear com chocolate, é algo que dá prazer, é saboroso. Fazemos nossa parte para que também fique bonito, atraente aos olhos”, completa Luciano.

Paraíso Fábio (E) e Luciano, arte aprendida na infância

T

alvez dona Rosana Heck, 51, não imaginasse que, há mais de 20 anos, um simples impulso para incrementar a renda fosse se transformar em uma próspera e criativa empresa. Seus filhos – Fábio, 29, Luciano, 26, Tiago, 21, e Jonas, 20 – misturaram sua infância ao aroma e sabor do chocolate caseiro. Dona Rosana passou a fazer chocolates em datas especiais como Natal, Páscoa, Dia das Mães e Dia dos Namorados. Eram períodos em que a casa da família Heck, em Novo Hamburgo, se transformava em uma verdadeira fábrica de iguarias. Logo, os bombons e outros tipos de doces passaram a ser comercializados durante o ano e os garotos aprenderam a executar as receitas ali, ao lado da mãe. “As pessoas se acostumaram a vir à nossa casa em qualquer época para encomendar chocolates”, conta Luciano. Hoje, ao lado dos irmãos, ele dá seguimento à ideia de dona Rosana.

Sabemos da proposta de quem quer presentear com chocolate, é algo que dá prazer, é saboroso. Fazemos nossa parte para que também fique bonito, atraente aos olhos. 28

| Revista Expansão

E esta preocupação também se estende à parte técnica da Artesana Chocolates – já conhecida pelos maravilhosos “Beijos de Noia”, pois o que nasceu como um simples incremento de renda se transformou em uma fábrica, onde a preocupação com a qualidade de produto é item fundamental. Por isso, recentemente, Luciano foi ao paraíso dos chocólatras, para conhecer o que de mais moderno existe quando se trata de preparar estas delícias. “Todo mundo pensa que a Suíça é que o lugar mais famoso do chocolate, mas é na Bélgica que se concentra toda a ação e pensamento na execução do melhor chocolate do mundo”, afirma Luciano, que visitou o Museu do Chocolate e saiu de lá maravilhado. “Trouxemos novas fórmulas, adaptadas e incrementadas aqui para nossos clientes, tudo com a inspiração de quem realmente sabe fazer o chocolate”, acrescenta. E todas elas são fórmulas guardadas a sete chaves, somente os membros da família as conhecem. “É nossa forma de preservar a qualidade e o sabor dos produtos”, justifica Fábio, ao anunciar que novidades chegam com a Páscoa, na confecção de ovos dos mais variados tipos de recheio e sabores. Depois de participar de oficinas com chefs renomados na área e de ter presenciado a execução de várias receitas, o jovem trouxe para a empresa da família propostas que também interferem no visual da loja, que funciona junto à fábrica, e não se limitam à decoração. Há cartazes com informações sobre as propriedades e mitos do chocolate, se ele engorda, se causa acne, se é afrodisíaco. “Quem ler vai saber de onde vem cada história, trouxemos tudo do Museu do Chocolate, na Bélgica, quer fonte mais confiável do que esta”, indaga Luciano.

Março/2010


Marรงo/2010

Revista Expansรฃo |

29


[ PÁSCOA ]

C

anela está ornamentada para receber o turista com atrações que enchem os olhos e encantam a alma. A Páscoa em Canela – 20ª Semana Santa contempla especialmente a infância com minibrinquedos que retomam rincadeiras antigas, desconhecidas por algumas crianças, como amarelinha, túnel, gangorra, escorregador, labirinto e outros, nos quais os pequenos interagem e brincam de verdade ao longo da Avenida Oswaldo Aranha. Na chegada a Praça João Corrêa, o “coelhão”, indica onde é sua casa, com um florido jardim onde estarão também os artesãos de Canela comercializando suas peças exclusivas. O projeto da ornamentação no centro de Canela é da

30

| Revista Expansão

Divulgação

Canela inspirada na infância Celebração da festa religiosa tem estímulos a alegres brincadeiras e remetem à época mágica da vida

DuoArq, com concepção, coordenação e execução de Cláudia Rohde e Rosângela Cavallin, que buscaram um embasamento histórico para cada peça que enfeitará Canela. O espetáculo O Semeador será uma das principais atrações da Páscoa em Canela. O “coelho padre” e seus fiéis, carregados de fé e esperança, caminharão rumo à Catedral de Pedra, na Rua Felisberto Soares, em busca da celebração do bem maior do mundo, A Vida, que deve ser explorada em sua plenitude e com sabedoria. Mensagens que fazem bem à humanidade, valores atualmente um pouco esquecidos, com palavras bíblicas, que devem estar presente no dia-a-dia das pessoas, como a verdade, justiça, fé, sabedoria, luz, vida, misericórdia, paz, humildade, esperança, alegria e amor completam o clima que Canela coloca no centro da cidade. A Páscoa em Canela, que é uma realização da prefeitura por meio da Secretaria de Esporte e Cultura e Fundação Cultural, conta com patrocínio da Chocolate Caseiro Florybal, de 10 março a 4 de abril, domingo de Páscoa.

Março/2010


A magia d´O Semeador A Páscoa em Canela contará com a segunda edição do espetáculo O Semeador

A envolvente história bíblica que perdura por todos os séculos terá sua marca registrada pela beleza do cenário, iluminação e atuação dos bailarinos e atores.

Março/2010

Bety Produções/Divulgação

N

eusa Martinotto, consagrada pela concepção e direção de espetáculos que envolvem dança, teatro e música, já havia apresentado o espetáculo no ano passado. Agora, vem com uma produção maior e elenco renovado. O Semeador é um espetáculo de fé e emoção que ilustra, por meio da dança e do teatro, a história de Jesus a partir da Santa Ceia. Suas palavras se dissolvem sobre a mesa que desmorona ao ser anunciada a traição de Judas. Com um beijo, Jesus é traído e entregue aos soldados. Judas, arrependido, se enforca. Na feira, o pecado ronda, atormentando a humanidade. Jesus é condenado e carrega a cruz à sua crucificação que o leva à morte. Maria afaga seu filho no colo. No terceiro dia após a sua morte, a pedra do sepulcro se move com a aparição de um anjo e Jesus ressuscita, trazendo-nos a paz, afirmando junto aos seus apóstolos as palavras de amor e esperança.

Em um jogo de luz e emoção, uma das mais belas histórias é contada

A envolvente história bíblica que perdura por todos os séculos terá sua marca registrada pela beleza do cenário, iluminação e atuação dos bailarinos e atores. Todos os projetos da Academia de Dança Neusa Martinotto reservam uma apresentação para a comunidade de baixa renda, tendo como ingresso 1 kg de alimento, um brinquedo e/ou ninho de Páscoa, para as crianças carentes da cidade. O Semeador será apresentado no Teatro Municipal de Canela, com 570 lugares, oferecendo acesso para pessoas com necessidades especiais. As sessões começam em 31 de março, especial para a comunidade de Canela, às 21h; 1º de abril, às 21h; 2 de abril, às 19h e às 21h; 3 de abril, às 21h; e, no dia 4, a apresentação será às 16h30min. Os ingressos para o espetáculo estão à venda no site www.osemeador.art.br, a R$ 20,00.

Revista Expansão |

31


[ No Provador ]

Silvana Homrich

Consultora de Moda silvanahomrich@terra.com.br

Azul, verde, berinjela...

32

| Revista Expansão

Neon

Cantão

Redley

Encontre seu tom para o inverno

Março/2010


E

Colcci Março/2010

Fotos: Divulgação

Iódice

stamos na época em que as mulheres mais gostam de ir às compras: as liquidações. Todas as lojas já exibem cartazes, faixas e placas anunciando os descontos das peças de verão para renovarem rapidamente seus estoques com as novidades do inverno. Como sempre, vale seguir as dicas e aproveitar os preços baixos para arrematar peças incríveis, e que não sairão de moda na estação fria que vem por aí. Blusas, saias e bermudas são alguns dos itens que continuam sendo usados no inverno. O ideal é buscá-los nas cores que virão com tudo na próxima estação, como o azul turquesa, verde militar e berinjela, tons que foram muito vistos nas semanas de moda de São Paulo e do Rio de Janeiro. Nas passarelas, estas cores tiveram grande destaque, inclusive misturadas entre si, provando que a maior novidade na moda é descombinar. Ou seja, não é necessário utilizar uma peça básica com outra de cor mais forte. Aliás, usar peças com os tons verde militar e berinjela proporciona uma ótima harmonia no look. Então aproveite, corra para as lojas e componha seu novo guardaroupa com o que encontrar do verão e tenha um visual mais colorido e ousado neste inverno 2010.

Revista Expansão |

33


[ Estilo & Atitude ] Marca registrada: Perfume Angel

Maggda Rammé Mombach

Executiva de Negócios em Moda E-mail e msn: maggdamombach@hotmail.com

Fé: Amuletos

Inspirações para viver feliz: CDs e DVDs

Porto seguro: Família

Bebida: Água com hortelã

Missão: Núcleo Amigo da Criança, no bairro Santo Afonso, em Novo Hamburgo

De cabeceira: A vida vai dar certo para mim (Iyanla Vanzant)

Desejo: Um ano dourado 2010

Receitas de saúde: 100 receitas de saúde Ervas Medicinais

FÁTIMA LIZIANE ROCHA RICHTER BERLITZ

Fotos: Aline de Melo Pires/Especial

Nascida em Cruz Alta, em 12 de abril de 1959, é casada com o Ruben Berlitz, mãe da Camila, 21 anos, e do Pedro, 25, e avó corujíssima da Giovanna, 7. Trabalha com moda desde os 17 anos, quando já gerenciava uma loja de roupas junto com a mãe, em Porto Alegre. Em pouco tempo, passou a fabricar tecidos e, aos 23 anos, lançou sua primeira coleção, tendo confeccionado peças de roupas para teatro e cinema. Desde 1994 tem contato com couro e, em 1999, deu início a criações próprias, com a marca Liziane Richter. Suas exclusivas peças são destaque na mídia nacional e internacional Tome decisões e nelas, ressalta a brasilidade e a capacidade de criação de moda de qualidade dos estilistas brasileiros. Ter estilo como se tivesse ser autêntico. Sucesso é: ser feliz e fazer os teus felizes. é: mil anos; sonhe Um grande homem: Dirceu Richter, pai. Uma grancomo se fosse de mulher: Dalva Richter, mãe. Essencial para sua viver mais mil, e vida: paz. Empreendedora, guerreira, inovadora, mãezoacredite na vida na e apaixonada pelo marido, Fátima Liziane Rocha Richter como se tivesse Berlitz é uma pessoa iluminada - em todos os sentidos. Sua energia é contagiante e sua luz e generosidade estão presennascido agora. tes em todas suas atitudes para com o próximo. (Autor desconhecido)

Estilo & Atitude by Liziane: Família, solidariedade, fé 34

| Revista Expansão

Março/2010


[ SAPATOS & CIA ]

Inverno de atitude, arte e cultura

A Stéphanie Classic fez uma viagem pelas décadas mais marcantes da moda, da arte e da cultura pop para buscar material e compor a coleção outono inverno 2010. Inspirada nas mil faces da mulher contemporânea, a marca aposta na mistura de cores e materiais e lança modelos exclusivos, com um inverno de muita atitude. A principal aposta da marca está nos modelos meiapata em couro liso, capazes de elevar o ego, o corpo e a alma das mulheres. Consideradas mais uma vez como as botas do inverno, as ankle boots têm presença confirmada. Anabela e sandal boots incrementam o catálogo.

Maciez durante o uso

Focada no bem-estar, a Cristófoli traz itens com toques macios que proporcionam uma experiência agradável durante o uso. Com diferentes linhas que evidenciam a cultura brasileira em toda sua diversidade, mistura de etnias e exuberante natureza, a grife retrata toda essa riqueza utilizando distintos materiais e cores. Fibras, transparências, estampas de tecido em couro e materiais transversais foram utilizados para confeccionar os modelos da marca. Na cartela, tons sóbrios, terrosos e naturais.

Exigência contemporânea

A coleção Mitty traz a individualidade e a exigência do homem contemporâneo e o design sofisticado e clássico. As inspirações acompanham a individualidade e exigência transformadas em couro legítimo e tecnologia, que mesclam conforto e requinte na medida certa e atendem as mais diversas ocasiões e necessidades. Todos os sapatos têm a parte interna feita com forro 100% em couro, que ajuda a absorver a transpiração do pé; palmilha em gel antiestresse que prolonga a sensação de bem-estar e solado espumado em borracha que proporciona caminhar suave e macio.

Março/2010

Hit da moda quente

As botas peep-toes, chamadas open bootes, da Arezzo, são o novo hit da moda! Perfeitas para o clima temperado das regiões mais quentes do País. O bico do calçado é aberto na frente são itens tem-que-ter do inverno das antenadas! A nova camurça chamois baby é extremamente macia, a mesma usada no vestuário para fazer camisas e calças. Toque delicioso! Para a mulher que gosta de salto, as meias-patas são ideais porque aliviam a anatomia. Salto alto com sensação de calce de salto médio.

Mistura de extremos

Mais uma vez apostando nos contrastes, a coleção Piccadilly primavera-verão é uma mistura de extremos que dão aos calçados um toque simultâneo de luxo e simplicidade, e também garante aos novos modelos um quê de rústico e moderno. Os materiais são os foscos e os tons em evidência são os terrosos, marrom, chocolate, bege, trigo e camel. Claro que as boas vibrações coloridas do azul, lilás, lima, verde, fúcsia e vermelho – típicos do nosso verão tropical – não poderiam ficar de lado. E os brilhos também marcam presença nas pedras, metais e adereços, tanto nos banhos de prata, quanto no ouro.

Revista Expansão |

35


[ Comportamento ]

Cris Manfro

Psicóloga clínica, terapeuta de família e mediadora familiar acmanfro@terra.com.br

Esquecer

e lembrar da traição

U As pessoas têm a tendência de ficar retomando o assunto da traição como forma de entendêla, o que muitas vezes é impossível de ser entendido até mesmo por quem traiu.

36

| Revista Expansão

m assunto que nunca se esgota: a infidelidade. O que as pessoas mais me perguntam são dúvidas relacionadas a isso. Uma das mais comuns é: por que os homens não gostam de falar sobre o assunto quando eles traem? Uma característica masculina bem clara é: quando trai, o homem quer esquecer. E quando ele é traído, aí não consegue esquecer. Quando um homem trai, ele odeia falar a respeito. Nega-se a dizer qualquer coisa que traga à tona o assunto. As mulheres lêem de forma diferente. “Ele não quer é se lembrar dela.” Mas as mulheres encaram como se o homem sofresse ou se emocionasse. Nada disso! Ele não quer lembrar e pronto. Passou, passou. Neste aspecto vocês podem até não acreditar, mas o homem é prático. Passou, digo de novo, acabou! Mas para a mulher, não. Ela quer falar, saber, confrontar, pesquisar tudo. Porém, com duas forças contrárias, uma querendo esquecer e a outra lembrando o tempo todo, aí fica difícil. Quando um homem é traído, aí sim a coisa complica. Não fazia parte da história que os homens pudessem ser traídos. Nesse caso o homem não tem só o coração atacado, mas também sua dignidade. Infelizmente existia (e ainda existe) o contexto em que a mulher podia ser traída, o homem não. Sendo assim, numa traição um homem fica destruído em sua autoestima e em seu orgulho. Neste caso ele precisa falar e saber e, mesmo assim, volta e

meia tudo retorna. Sempre digo e repito: tem que ser muito homem para superar ou lidar com uma traição. É muito difícil, mas não impossível, superá-la. O homem traído retoma a vida, mas sempre a muito custo. As pessoas têm a tendência de ficar retomando o assunto da traição como forma de entendê-la, o que muitas vezes é impossível de ser entendido até mesmo por quem traiu. Eu acredito em muita gente que diz que não sabe onde estava com a cabeça quando traiu. Então, como responder a uma coisa que às vezes a própria pessoa não entende? Mas sempre queremos respostas. E nesse desejo corremos o risco enorme de esgotar tudo de bom que ainda resta da relação. Julgar e punir sempre foi a opção mais fácil. Veja bem, eu disse mais fácil, não a melhor. Entender é uma segunda opção. Mas, como entender algo que nem sempre dá para entender? Buscar elaborar ou superar exige muito trabalho e muita gente não está disposta a isso, somente depois de grande punição. Coisa que muitas vezes nem é preciso fazer, uma vez que a própria pessoa se encarrega de emocionalmente fazer isso, ou seja, de se autopunir. A mulher se pune por culpa, culpa e mais culpa. O homem, por ter decepcionado e desiludido as pessoas da família, destruindo sua própria imagem. O que sei é que infidelidade dói, cedo ou tarde, para todos os envolvidos. A menos que você seja um cafajeste ou uma pessoa sem-vergonha.

Março/2010


[ Especial mulher ]

O tempo e o vento

a seu favor

A trajetória feminina mostra que a mulher não brigou por espaço, mas atendeu a um chamado social Por Vitória Fischer Schilling/Estagiária

Nas últimas décadas, as mulheres têm mostrado que, além de cuidar da casa e da família, conseguiram superar as dificuldades e administrar seu tempo a favor de suas atividades, provando que a competência no trabalho é também um marco feminino. Apesar de ser denominada sexo frágil, a mulher tem sido forte o bastante para encarar os desafios propostos pelo mercado de trabalho com convicção e determinação – e ainda com tempo e disposição para ser mãe.

38

| Revista Expansão

Março/2010


Mercado de trabalho Durante muitos séculos, grande parte do mundo foi marcada por um modelo estruturado de organização familiar, conforme explica a psicóloga e professora da Universidade de Caxias do Sul (UCS) Olga Perazzolo. “Neste modelo, a mulher deveria assumir e desempenhar satisfatoriamente o papel de cuidar diretamente da prole e do marido, incluindo os provimentos afetivos, de forma a assegurar boas condições para o enfrentamento da vida futura e o desenvolvimento de cidadãos contributivos à sociedade.” O homem deveria sustentar economicamente a família e criar as leis a serem observadas por seus membros, conferir seu cumprimento e aplicar as sanções quando necessário, caracterizando um padrão fixo e vertical de relação, conforme a psicóloga. Olga acredita que este modelo venha sofrendo alterações importantes, incrementadas com a revolução industrial, que ocorreram tanto no âmbito familiar quanto na sociedade e podem ser verificadas na diversificação da organização do trabalho. “Foi neste cenário que a mulher passou a trabalhar fora de sua casa, a desenvolver habilidades, a competir, a conquistar. Entendo que o que Com a revolução se costuma denominar de industrial e libertação feminina deve ser a separação mais bem compreendida entre local de como espaço que se criou em decorrência de uma exitrabalho e local gência social, uma imposide moradia, a ção dos novos sistemas de mulher entra relação”, avalia. no mercado e A doutora em Sociocomeça a encher logia pela USP e professora as fábricas. do departamento de Sociologia da Ufrgs Lorena Holzmann explica que o trabalho nunca foi algo estranho ao cotidiano das mulheres das classes inferiores da sociedade. “Com a revolução industrial e a separação entre local de trabalho e local de moradia, a mulher entra no mercado e começa a encher as fábricas.” À princípio, elas executavam tarefas simples, como de operação das máquinas. “Em tarefas mais qualificadas, os próprios trabalhadores se opuseram ao ingresso da mulher no seu meio, receosos da ameaça aos seus postos de trabalho que elas pudessem apresentar”, observa. Para Olga, a nova demanda social que surgiu e colocou o trabalho externo na vida das mulheres combinou-se com o desejo feminino de ultrapassar os limites da submissão e foi fator decisivo na consolidação das mudanças e na rapidez com que ocorreram. “Mas estou convencida de que não foi a mulher quem determinou esse lugar. Ela apenas escutou o chamado social e ocupou o espaço aberto pelas novas tramas econômicas.”

Março/2010

Revista Expansão |

39


[ Especial mulher ] Mudanças De acordo com uma pesquisa realizada pela SD&W, empresa de São Paulo especializada em estatística e gerenciamento de informação, as mulheres representam hoje 41% da força de trabalho no Brasil e estão à frente de 52% das pequenas e microempresas. O cenário anteriormente dominado pelos homens está mudando e as mulheres vêm sendo mais aceitas em campos profissionais antes exclusivamente masculinos. Entretanto, a socióloga Lorena alerta que, mesmo com a ampliação das oportunidades para as mulheres trabalhadoras, os salários continuam divergentes entre os sexos. Ela acredita que uma das razões para isso seja que, especialmente no trabalho industrial, as habilidades das mulheres são consideradas dons naturais – como destreza, tolerância ao detalhe e ao trabalho repetitivo – e, por isso, não passíveis de remuneração especial, “ao contrário das habilidades masculinas, consideradas resultados de aprendizagem e qualificação.” Mas, considera, existe nesta divergência salarial também o longo passado da subordinação da mulher na sociedade. Porém, enquanto a mulher ganha o mercado de trabalho e busca sua independência financeira, a divisão sexual do trabalho dentro dos lares não tem mudanças significativas. A psicóloga Olga observa que a participação eventual do homem no trabalho doméstico é considerada uma ajuda e não uma justa divisão das tarefas. A socióloga Lorena acredita que seria necessária uma revolução para mudar a concepção de que a mulher é responsável pelos afazeres domésticos e criar outras condições de convivência entre homem e mulher, com mais companheirismo, maior partilha das tarefas no espaço privado.

A volta ao trabalho depois da licença-maternidade é um período de vulnerabilidade para mãe e filho

Maternidade Depois de anos de lutas para inserção da mulher no mercado de trabalho, este passou a ser não somente uma fonte de realização, mas uma condição para viver, para manter o lar. A psicóloga Olga Perazzolo revela que em sua prática profissional observa mulheres com sentimentos de inquietude, dúvida, ansiedade ou culpa por serem mães que trabalham e deixam suas crianças sob os cuidados de outros, especialmente quando os filhos enfrentam alguma dificuldade de saúde ou de adaptação. Para evitar passar pela situação de estar longe dos filhos, e assim ter a sensação de que se está perdendo a infância deles ou deixando de lado o trabalho, muitas mulheres preferem adiar a maternidade para priorizar projetos profissionais. “Acredito que muito mais mulheres do que se imagina vêm optando por não ter filhos, ou adiando ao máximo a maternidade, o que pode estar indicando que a dimensão profissional vem ocupando o lugar do desejo da maternidade”, esclarece a psicóloga. Olga destaca que o retorno ao trabalho após o período de licença-maternidade, quando o filho ainda é um bebê de poucos meses, constitui um momento de especial vulnerabilidade para a mãe e para o filho, pois há rompimento de uma relação que ainda é muito intensa. Nessa situação pode se instalar um conflito, pois ela sabe que um afastamento prolongado do campo profissional pode significar riscos na carreira, por isso deseja retornar rapidamente para não ter perdas competitivas, ao mesmo tempo em que deseja estar com seu bebê. “Conciliar é isso: é sofrer pelas perdas da negociação interna, é reconhecer que não se poderá ter tudo.”


Direitos

cobertos por um véu Divulgação

Jovens contam como as mulheres são tratadas e seu papel na sociedade em países do Oriente

E

m tempos de globalização, ainda vemos discussões acirradas sobre padrões de comportamento. Modos de vida aceitos pelo Ocidente são rejeitados pelo Oriente e vice-versa, ao invés de serem entendidos como variantes de um mundo culturalmente heterogêneo. No caso do tratamento da mulher não poderia ser diferente. Em países do Oriente, influências religiosas ajudam a delinear traços de uma identidade feminina marcada pela submissão ao masculino. À mulher é destinada uma posição hierarquicamente inferior ao homem, que atua sempre como dominante na sociedade. Mas, de que forma os ocidentais enxergam estas diferenças em países com legislação e religião mais restritos? O que justifica estes padrões comportamentais e valores que regem estas mulheres e as fazem diferentes? Conversamos com jovens brasileiros que já viveram em países orientais conhecidos por sua forte influência religiosa e com jovens nativos desses locais para conhecer um pouco das diferenças sobre a posição da mulher na sociedade.

Março/2010

Revista Expansão |

41


[ Especial mulher ]

Entre usar e respeitar A primeira imagem que nos vem à cabeça quando pensamos em países como Irã ou Afeganistão é provavelmente a de mulheres cobertas com lenços, em roupas conhecidas como burca (veste que cobre todo o corpo) ou hijab (lenço que esconde apenas o cabelo das mulheres e deixa seu rosto à mostra). O uso dessas vestimentas causa polêmica ao redor do mundo, pois muitos ocidentais pensam que elas simbolizam a desigualdade sexual e o aprisionamento das mulheres, enquanto os muçulmanos –religião dominante em muitos países orientais – afirmam que os trajes preservam a dignidade da mulher e não as degradam de forma alguma. A estudante de arquitetura iraniana Mina Zarfsaz relata que desde, a revolução que ocorreu no Irã, país localizado no Oriente Médio, em 1979, não existe mais separação entre governo e religão e que as leis favoráveis às mulheres que existiam anteriormente foram alteradas. Alguns meses depois da revolução foi anunciado que todas as mulheres deveriam traMina Zarfsaz jar o hijab em público, enquanto os homens estão livres para vestir o que quiserem. Mina reside atualmente na Europa e não veste o véu por opção própria quando está longe do Irã.

Cobrir os cabelos e esconder o corpo são atitudes vistas como submissão e repressão à liberdade feminina

Fotos: Divulgação

42

| Revista Expansão

A relações públicas Juliana Marques, do Paraná, há quatro meses no Egito, observa que o país é bastante religioso, mas acredita que muitos sigam os hábitos somente por obrigação. “Teoricamente as mulheres usam burca para seguir a religião e demonstrar respeito, como um modo diferente de entenderem que devem ser submissas.” Mas um amigo egípcio Juliana Marques lhe falou que muitas mulheres usam os trajes, mas não os respeitam. “Eles são uma fachada para o que elas realmente fazem ou gostariam de fazer. Por isso aqui é quase como qualquer outro lugar do mundo, só que algumas coisas estão escondidas por baixo dos panos”, explica. O paranaense Rafhael Bueno Dalto morou por um ano na Malásia, país no sudeste asiático. Ele conta que o local é um grande pólo turístico, mas que nas praias não se usa trajes de banho: todos entram no mar com roupas. Lá, ao contrário de outros países muçulmanos, as vestimentas usadas pelas mulheres são coloridas. “Elas usam véu na cabeça Rafhael Bueno Dalto e uma túnica que cobre o corpo todo, mas é bonito porque demonstra que para respeitar a religião você pode ser vestir de maneira alegre, ao invés de se cobrir totalmente de preto”, lembra.

Março/2010


Estrangeiras

COMPLETA MENTE SAUDÁVEL No dia 8 de março, também Dia Internacional da Mulher, completamos três anos de atendimento à comunidade e à essência feminina

Pouco frágeis A jornalista Bárbara Teles, de Minas Gerais, mora na Líbia, país no norte da África, desde janeiro de 2009. Ela não se sente à vontade para andar a pé sozinha pelas ruas. “Não que algo físico possa me acontecer, mas me sinto incomodada com a forma como as pessoas me olham por eu estar de calça jeans e cabelos soltos.” Bárbara poderia passar despercebida se cobrisse o cabelo, mas prefere não adotar essa opção. Ela explica que as líbias têm uma imagem da mulher ociBárbara Teles dental similar àquela vendida em filmes e revistas, de certa forma vulgar. “Mas tenho visto que as mulheres libanesas pouco têm de frágil e que de certo modo nascem sabendo que precisarão ser fortes, independentemente do horizonte para o qual têm permissão para olhar.”

Saúde e bem-estar em busca de melhor qualidade de vida Fotos: Divulgação

Cada vez mais cedo temos que nos preocupar com a saúde e melhorar nossa qualidade de vida. Você já começou a cuidar da sua forma física? A prática de exercícios físicos é muito importante. Alie uma boa alimentação à prática contínua de uma atividade física. Assim, você estará investindo em uma vida mais longa e saudável. A Vic Center oferece opções tentadoras que farão você sair da rotina. Vão aí algumas dicas de atividades aquáticas super dinâmicas. Confira também nossos serviços estéticos. - Hidrobike - Hidrojump - Hidroginástica - Natação

O uso da burca divide opiniões, enquanto alguns acreditam que ela simboliza a repressão sexual, outros a vêem como ferramenta de preservação da dignidade da mulher

Renan Caixeiro Almeida, também jornalista de Minas Gerais, está há dois meses no Egito, trabalhando em uma empresa de consultoria. Ele já percebeu que os homens egípcios são tradicionalistas e respeitosos com as muçulmanas, mas não tanto quando se trata de estrangeiras. “Eles não têm vergonha de elogiar, dizer que são bonitas e flertar.” Mas, avisa que não é recomendado às mulheres usarem camisetas e roupas que exponham partes do corpo como ombros ou pernas, mesmo no verão. “O que ouvi aqui é que isso não é bem visto e as mulheres podem até ser insultadas”, explica.

Março/2010

- Nado Sincronizado - Hidroterapia - Massagem Ayurvédica, shirodhara, swedana e drenagem - Salão de beleza - Tratamento Facial - Design de sobrancelhas

Aguardamos você para uma aula experimental ou uma avaliação estética gratuitamente.

Renan Caixeiro Almeida

Revista Expansão |

43


[ Especial mulher ]

A segregação Aqui, as casas são construídas de modo que há uma sala para eles e outra para elas.

Fotos: Divulgação

A iraniana Mina explica que a separação entre os sexos em seu país foi instituída de tal forma que em diversos locais, desde salas de aula até ônibus, são segregados por gêneros. Na Líbia, as mulheres não socializam com os homens, nem em ambiente particular. “Aqui, as casas são construídas de modo que há uma sala para eles e outra para elas”, revela Bárbara. Ela conta que quando estão na rua, olham para o chão para evitar contato visual com os homens e andam sempre como se estivessem com pressa. A estudante de Design de Moda Gisele Pelisoli saiu de Porto Alegre no início de 2009 para ensinar inglês para crianças na Índia. Ela já passou por dificuldades por ser mulher, especialmente devido ao preconceito. “As mulheres devem estar cedo em casa, entre oito e nove horas da noite. Não é bom que uma mulher seja vista à noite sem a família.” Gisele explica Gisele Pelisoli que existem casas noturnas e festas, mas que em geral somente mulheres casadas frequentam, sempre com seus maridos.

Em alguns países do Oriente, ainda que tenham alto grau de instrução, elas não têm os mesmos direitos que os homens

Trabalho

No Irã, as mulheres até podem trabalhar, mas não é muito comum, visto que a prioridade deve ser cuidar da casa e da família

44

| Revista Expansão

No Irã, de acordo com Mina, as mulheres podem ser eleitas para cargos do governo e quase 70% dos estudantes de ciência e engenharia são mulheres, mas elas, mesmo com alto grau de educação, não têm os mesmos direitos que os homens. O testemunho de uma mulher no tribunal tem a metade do valor do de um homem e muitas leis não permitem alguns direitos básicos às mulheres. Elas não podem lutar contra essas leis porque ações assim seriam consideradas contrárias à base de um governo religioso. Na Líbia, Bárbara conta que existe inserção de mulheres no mercado de trabalho, mas que não é muito comum, visto que cabe a elas cuidar da casa e da família. Quando solteiras, fica a critério do pai se podem ter uma profissão, e quando casadas, é decisão do marido se vão ter alguma atividade além da doméstica. Bárbara trabalha em uma grande empresa de construção civil na Líbia e afirma que em seu ambiente de trabalho existe uma hierarquia: um homem dificilmente aceitaria ser gerenciado por uma mulher, principalmente se for uma mulher local.

Março/2010


Fotos: Divulgação

A maternidade é algo para o qual as mulheres são quase que exclusivamente preparadas desde muito cedo

Relacionamento Na Índia, a portoalegrense Gisele aprendeu que as meninas são criadas para casar, e que a idade máxima para o matrimônio é 25 anos – se a mulher não tem alguém em vista, a família encontra um homem e faz um casamento arranjado, ainda muito comum naquele país. Quando se casam, as mulheres se mudam para a casa da família do noivo, e a nova família pode fazer o que quiser com a vida da menina, desde mudar o jeito de ela se vestir, o cabelo ou mandar parar de trabalhar. “Aqui as mulheres são submissas. Muitas vezes quando converso com um homem e discordo de alguma coisa, percebo o choque deles ao serem contrariados”, observa. Para os curiosos sobre a poligamia, Bárbara conta que na Líbia o homem pode ter até quatro esposas, desde que ele trate todas de modo igualitário e justo e que a primeira esposa concorde com o fato de ele ter outras. Mas poucos são os homens que têm duas mulheres, o país ainda está blindado contra a crise. “As gerações que praticavam poligamia quase estagnaram na década de 60 e 70 devido à mudança econômica, então ter mais de uma mulher ficou fora de moda.” O iraniano Sina Farahmand conta que as mulheres, tradicionalmente, são símbolos de excelentes donas de casa em seu país. Mas seu comportamento é diferente de acordo com a idade e grupo social, e existe um grande movimento do tradicionalismo para o modernismo. Sina Farahmand “Novas gerações buscam ser mais independentes, querem continuar seus estudos, trabalhar. As meninas têm a mente mais aberta, algumas delas até têm namorados, o que antes era considerado muito estranho”, conta.

Março/2010

Revista Expansão |

45


[ Especial mulher ]

A rainha na direção Poliana Lopes/Divulgação

46

| Revista Expansão

A soberana de Feliz demonstra feminilidade e determinação no comando do caminhão da família Soberana Em maio de 2009, um dos sonhos de Fernanda tornouse realidade e sua rotina mudou completamente: foi eleita rainha de Feliz. Ela é soberana até 2011, e durante esse período tem muito trabalho para fazer, recebendo convidados e divulgando festas do município – neste ano, serão o Festival Nacional do Chopp, em abril, e a Fenamor, em novembro. A jovem mantém a humildade e simplicidade, mesmo com a importante posição que assumiu. “Sendo rainha ou não, o que vale é a pessoa que tu és”, reflete. E desse modo ela segue com suas ambições, com os sonhos de quem quer ter seu próprio negócio e com o trabalho e estudos – e ainda sobra tempo para divulgar a cidade e cuidar da vaidade, com a delicadeza de uma rainha e a força e firmeza na direção de um caminhão.

Digo Glaeser/Divulgação

A

s mulheres lutaram durante o século passado para conquistar direitos e independência, e pelo caminho deixaram um mundo transformado. Hoje, com mais poder do que nunca em suas mãos, abrem portas da sociedade para entrar também em empregos majoritariamente masculinos. Para provar que elas conseguem – e sem perder a graça e a elegância – a rainha de Feliz, Fernanda Winter, 20 anos, assume parte dos negócios da família e a direção de um caminhão. Fernanda vai a Porto Alegre diariamente na cabine de um caminhão, dirigindo o veículo que leva os hortifrutigranjeiros da família para a Ceasa. Simpática e muito falante, ela conta que dirigir é o que mais ama fazer na vida. “Com dez anos já dirigia um carro no terreno da minha casa e com 15 já conduzia um caminhão”. Há um ano, desde que tem a carteira de motorista, sua rotina envolve as idas para a capital pela manhã e retorno à noite. “Meu pai volta comigo até a Unisinos, onde eu fico para minhas aulas de Administração de Empresas e ele segue dirigindo nosso caminhão para casa”. Mas quando estão todos juntos, quem tem a preferência para dirigir? “Ah, eu, é claro”, revela, com humor.

Março/2010


Marรงo/2010

Revista Expansรฃo |

47


[ Especial mulher ]

A DOCE

voz feminina

48

| Revista Expansão

A portoalegrense Vivi Fields prova que as mulheres marcam presença na música Igor Sperotto/Divulgação

C

om canções que falam sobre relacionamentos, universo feminino, sonhos e conquistas, a portoalegrense Vivi Fields, 35 anos, apresenta sua voz doce e marcante e mostra por que as mulheres entraram no mundo da música para ficar. Fã da cantora canadense Alanis Morissete, Vivi conta que ela é sua maior inspiração para cantar. “Todas as músicas da Alanis são composições próprias e suas obras são como uma autobiografia. Ela mesma faz a produção dos seus CDs e do palco de seus shows.” Vivi lembra que quando começou a tocar em bares, restaurantes e casas noturnas, há mais de dez anos, não havia muitas mulheres na música, mas afirma que hoje essa realidade mudou, embora a maioria dos músicos ativos ainda sejam homens. “Atualmente as mulheres interpretam suas próprias canções, não são mais somente intérpretes de outros compositores.” Após muitos anos fazendo covers de outros músicos – especialmente mulheres, como Madonna, Shakira, Janis Joplin, Joss Stone, Marisa Monte, Rita Lee e, claro, sua favorita Alanis Morissete – Vivi Fields está pronta para gravar seu álbum com composições próprias, em inglês e português, que deve ser lançado ainda este ano. “Pode-se esperar do meu CD músicas pop rock com pitadas de folk e estilo soft rock. Minhas composições são um retrato do que sempre ouvi.” Suas canções são suaves e leves como sua voz. “É muito importante a interpretação de uma música composta pelo próprio artista, assim ele revela também um pouco do seu eu, na sua própria poesia”, reflete.

A cantora se prepara para lançar CD com composições próprias

Apresentações Vivi é filha de um músico tradicionalista e cresceu em um ambiente musical. Ela toca violão e gaita de boca e iniciou sua carreira profissional como cantora em 1995, aos 21 anos, apesar de já cantar em uma paróquia em Porto Alegre desde os 13 anos. Ela se formou em Letras na Unisinos e trabalhava no hospital da Ulbra, mas há quatro anos decidiu largar tudo para dedicar-se somente à música. Atualmente, trabalha em vários projetos musicais paralelos, entre eles o Vivi Fields e Banda, a banda Yellowstone, performances em dupla e solo. Todas as quartas-feiras e sábados toca no café Santo de Casa, na Casa de Cultura Mário Quintana, e às quintas-feiras no Entreato Pub, ambos em Porto Alegre. Outros locais que contam duas vezes por mês com sua presença são o Riversides Shikki Café, o Barbazul, o bar Opinião, o Cult Pub e o Abbey Road, todos também na capital. Suas apresentações costumam ter grande receptividade e identificação com o público. “Como toco em lugares fixos algumas pessoas vão especificamente para assistir ao show. Recebo um enorme carinho dos que admiram o meu trabalho, isso é o alimento do artista”, conclui.

Março/2010


Marรงo/2010

Revista Expansรฃo |

49


[ Estética & beleza ]

Pixel Imagem Digital/Divulgação

Neste visual, cria-se uma atmosfera angelical, como nos personagens de filmes de contos de fadas. Uma criatura pura e imaculada, apesar da aparência frágil tem um forte poder de sedução. Os cílios de plumas brancas lembram as asas dos anjos. Modelo: Shelega Bock (Joy Model Management)

50

| Revista Expansão

Março/2010


E

le está em todas! Participa dos concursos, workshops, editoriais, mídias, passarelas e tudo o mais relacionado à beleza no Brasil. Para o beauty artist Eric Maekawa, 28 anos, quando se faz aquilo que se gosta não existem barreiras. “Há degraus que vamos conquistando e subindo gradativamente. E nunca devemos desistir, apesar das restrições do mercado da beleza. Quando se faz o que se gosta, se vai longe. E eu sempre gostei do que faço”, diz o profissional da maquiagem e do cabelo. Para ele, quando talentos são unidos, todos podem crescer juntos. Exemplo disso é a iniciativa da Avon em relatar o que acontece no mundo da beleza por meio de seu site (www.avon.com.br).

Pintando

o caminho

Maquiador Eric Maekawa, radicado em Porto Alegre, ganha reconhecimento em concurso da Avon e destaca tendências Por Graziela Dannenhauer

Divulgação

Na primeira edição do concurso Conexão Beauty Art da Avon, em 1º de fevereiro, no Porão das Artes, no Parque do Ibirapuera, em São Paulo, foi lançada esta proposta. “O workshop é a prova de que a Avon se preocupa com o desenvolvimento e aperfeiçoamento técnico dos profissionais. Todo o formato do concurso, desde a criação da rede de relacionamento no Portal da Maquiagem até as premiações, é voltado para o intercâmbio de informações e aprendizado dos maquiadores”, diz o vencedor da categoria Passarela. Maekawa é paulistano e adotou a cidade de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, como sua casa desde 2006. “Eu gosto de maquiar desde os 15 anos e aos 21 comecei a tratar com o cabelo, fazer penteados”, conta o jovem vencedor que estará em maio, em Paris, na França, maquiando as candidatas ao Miss Índia. A partir deste mês, o artista também começa a sua turnê de shows. Ele faz show pela Matrix, durante o qual apresenta, na Região Sul, as tendências de maquiagem e para cabelos. Também estará na Hair Fair Brasil, neste mês, em São Paulo. Já ministrou cursos para ensinar outros profissionais a aplicarem as novas tendências com os produtos da Matrix. E atualmente trabalha no Sex Ton, no bairro Moinhos de Vento, na capital. O beauty artist Eric Maekawa estará em maio no Miss Índia

Março/2010

Revista Expansão |

51


[ Estética & beleza ] Pixel Imagem Digital/Divulgação

Tendências De acordo com o maquiador, a tendência atual são os cílios postiços, que, com cores, pinturas e plumagem, ganham uma infinidade de efeitos e embelezamentos. Ele fez um editorial de cílios onde buscou conhecimento em vários veículos de comunicação, livros, filmes e produtos nos Estados Unidos e na França. “A maquiagem flúor já estourou neste verão”, acrescenta Maekawa. Maquiagem flúor (foto) é uma releitura dos anos 80, que era muito olho, boca, blush, pele, era muito tudo. Hoje os traços com flúor são mais elegantes para valorizar o olhar, transmitir autoconfiança, e, na boca, a sensualidade. Nada de muito exagero. As inspirações das maquiagens de Maekawa são oriundas da vida marinha, dos peixes do mar. Informações em www.ericmaekawa.com. br ou http://blog.ericmaekawa.com.br.

O concurso Maekawa destaca que este é uma reformulação dos demais concursos da Avon. “A premiação do concurso é um grande impulso na carreira dos novos talentos da maquiagem no Brasil. É incrível receber um prêmio desse nível. É parte do reconhecimento do meu trabalho e eu me sinto motivado a apresentar trabalhos cada vez melhores”, diz Maekawa. Ele foi indicado ainda para participar de outras duas categorias. Na tarde do dia 1º, beauty artist participou, junto com os outros 35 finalistas do concurso, de um exclusivo workshop com a make-up artist Ve Neill, uma das mais renomadas profissionais do mercado cinematográfico mundial e ganhadora de três Oscars, que veio diretamente de Hollywood para o Brasil a convite da Avon, especialmente para dividir suas técnicas e conhecimentos com os participantes do concurso – um prêmio adicional para este grupo seleto de beauty artists com foco em capacitação. O coquetel de premiação foi comandado pela atriz Ana Paula Arósio, ao lado de Alberto Moreau e Ricardo Patrocínio, vice-presidente e diretor de Marketing da Avon.

52

| Revista Expansão

Ricardo Patrocínio, Eric Maekawa e Ana Paula Arósio

Março/2010


A arte no olhar

Algumas inspirações do beauty artist

Fotos: Pixel Imagem Digital/Divulgação

Uma alusão à marca Louis Vuitton, considerado um símbolo de tradição, imponência e luxo para Maekawa. A última campanha da marca tem ares futurísticos, e esta foi uma das inspirações do maquiador. A ideia inicial, foi devido a uma foto divertida que viu na Internet, na qual a modelo tinha a estampa da marca em toda pele. Desenho das flores nas pálpebras e nos mega cílios postiços foram feitos com um pincel e delinedor prata sobre a sombra preta aplicada. Modelo: Cibele Ramm (Azure Models International)

Busca-se as influências do universo da dança espanhola. Quando Maekawa era adolescente, foi ao Bazar Mambo em São Paulo, que é um evento alternativo de moda, que acontece no casarão da Avenida Paulista. No convite deste evento, tinha uma imagem de uma dançarina de flamenco, esta imagem ficou registrada na mente do artista. Aproximadamente dez anos depois, criou o visual tendo como inspiração o tal do convite do bazar. A sombra vermelha contrasta com os cílios de plumas pretas, o duo de cores que são fortes traços do flamenco. Modelo: Shelega Bock (Joy Model Management)

Março/2010

Revista Expansão |

53


[ Estética & beleza ]

A ideia é um contraste sutil e um toque vanguardista, pois a combinação de fúcsia e laranja exige uma certa ousadia. A proposta é de uma mulher arrojada e de personalidade marcante que adora ousar. Os cílios postiços laranja com plumas brancas compõem o look. Modelo: Cibele Ramm (Azure Models International)

Fotos: Pixel Imagem Digital/Divulgação

Glamour, luxo, suntuosidade! Uma pele luminosa e irradiante, foco nos olhos com a sombra no tom dos cílios postiços de plumas. É o perfil de mulher que vai a um evento para arrasar! Modelo: Jandira Leichtweis (Joy Model Management)

Este look tem uma proposta baseada no minimalismo da cultura japonesa. O foco não é apenas para os cílios, mas principalmente na feminilidade e delicadeza da mulher asiática, que sempre está em busca da aparência frágil, delicada e alva. O que completou o visual e o deixou mais charmoso, foi uma modelo ocidental interpretar esse visual. Modelo: Shelega Bock (Joy Model Management)

54

| Revista Expansão

Março/2010


Marรงo/2010

Revista Expansรฃo |

55


[ nossa indicação ]

Divulgação

O modelo do mês

Tiago Würch Nome: Tiago Würch Idade: 22 anos Natural de: Montenegro/RS Reside em: São Leopoldo/RS Altura: 1,89 m Peso: 79 kg Hobby: Surfe e skate Signo: Aquário Modelo desde: 2005 Experiência: Morou seis meses em Milão, onde participou de um de seus trabalhos mais marcantes, um showroom para Calvin Klein Agência: Way (51) 9316-6216

56

| Revista Expansão

Março/2010


INFORME ESPECIAL

Marรงo/2010

Revista Expansรฃo |

57


INFORME ESPECIAL

Apresentamos os novos aparelhos ortodônticos: mais rápidos, mais discretos, mais confortáveis APARELHO AUTOLIGADO - A MAIOR INOVAÇÃO O último avanço tecnológico na especialidade da Ortodontia consiste na utilização de aparelhos com braquetes autoligados. O Aparelho Autoligado compreende uma filosofia de tratamento ortodôntico totalmente inovadora que traz benefícios significativos para o paciente. Nesta nova técnica, os fios não são amarrados aos braquetes pelas tradicionais borrachinhas elásticas, mas são presos aos braquetes através de um clip deslizante. Utilizamos, além do aparelho diferenciado, fios de Níquel-Titânio Termo-Ativados, que liberam forças extremamente leves; estes fios ainda são extremamente flexíveis, proporcionando menor desconforto ao paciente. Outra característica importante, e diferenciada no tratamento, é que o intervalo entre as consultas é aumentado. O paciente retorna a cada oito semanas para verificar como está o alinhamento. Ou seja, o paciente não necessita ir todo o mês ao consultório para ativar o aparelho. As consultas tornam-se mais rápidas, não podem nem devem ser tão freqüentes , isso traduz-se em maior comodidade e rapidez ao paciente. A tendência em se fazer o tratamento ortodôntico com um menor número de manutenções, ou seja, ter períodos mais longos entre uma consulta e outra, em média, a cada 60 dias, é uma realidade em países da Europa e nos Estados Unidos. A diminuição do tempo de cadeira gera benefícios tanto ao ortodontista, que otimiza o seu tempo clínico, quanto ao paciente, que se sente mais confortável com um menor número de consultas. No Brasil, as manutenções ainda ocorrem a cada 15 ou 21 dias, uma situação que aos poucos começa a mudar com a chegada desta nova tecnologia. Este Sistema pode ser utilizado em pacientes em qualquer idade, sendo atualmente mais procurado e aprovado por pacientes adultos, que procuram um tratamento o mais rápido e confortável possível. Resumindo, o Sistema Autoligado nos traz uma Rápida Movimentação Dentária resultante do uso de Braquetes Autoligados associados a Fios Termo-Ativados com intervalos maiores entre as consultas.

58

| Revista Expansão

São várias as vantagens em utilizar esta nova tecnologia: - A necessidade de força necessária para mover o dente é muito menor; - Os dentes têm maior liberdade em deslizar pelo aparelho; - Apresenta menor atrito, por agir através de deslizamento do fio; - Menor tempo de tratamento - o tratamento chega a ser 30% mais rápido; - Menor tempo de consulta, resultando em maior conforto ao paciente; - Melhor higienização; menor acúmulo de placa bacteriana; - Maior intervalos entre as consultas (de 8 a 10 semanas) - O paciente relata menor dor e desconforto após a ativação do aparelho.

O que é mais surpreendente é que na maioria dos casos o Sistema Autoligado tem apresentado um ótimo desempenho na movimentação ortodôntica, com redução do tempo de tratamento bem superior ao tratamento com aparelhos convencionais.

Março/2010


Dr. Marcelo de Wallau Especialista em Ortodontia e Ortopedia Facial CRO 9395

Rua Joaquim Nabuco, 828 Sala 1801 – Centro – NH Fone (51) 3595-3163 Fase inicial do tratamento

Fase final do Tratamento 14 meses depois

Tratamento Sem Extrações de Dentes No tratamento convencional é preciso recorrer regularmente a extrações de dentes saudáveis. O tratamento ortodôntico convencional com extrações dentárias é mais desconfortável, demorado, e pode até prejudicar o perfil facial do paciente, deixando uma face mais reta ou mesmo côncava, sendo um procedimento que envelhece a face com o passar dos anos. Os sorrisos criados com os Aparelhos Autoligados são sorrisos cheios, naturais, obtidos com forças biológicas que são usadas para obter resultados dentários e faciais excelentes em cada pessoa. O investimento neste tratamento diferenciado não muda muito se comparado ao tratamento convencional, ainda mais se for levado em conta toda a nova tecnologia empregada e todas as vantagens apresentadas e os resultados favoráveis obtidos.

Av. Pedro Adams Filho 3303 Pátria Nova - NH Fone (51) 3587-4644 Rua Tomé de Souza, 261 Centro – Feliz Fone (51) 3637-1231

APARELHOS INVISÍVEIS: a solução mais estética Aparelhos Invisalign® - Uma maneira praticamente invisível para corrigir e alinhar seus dentes

Os aparelhos removíves também ficaram mais discretos e estéticos! Uma outra novidade em nossa Clínica de Ortodontia é o uso de um novo tipo de aparelho removível de contenção , com um arco retentor estético de polietileno. Este aparelho é utilizado principalmente em pacientes muito preocupados com a estética. O arco que passa pela frente dos dentes superiores não é mais metálico e, sim, é um arco praticamente incolor, transparente, satisfazendo a exigência estética do paciente.

Aparelho removível convencional com fio metálico

Aparelho removível estético com fio transparente

A melhor maneira de saber quais as possibilidades que a Ortodontia Moderna pode lhe oferecer é visitar um Ortodontista – um Especialista em Ortodontia. Procure um profissional capacitado, atualizado, e que esteja apto a lhe oferecer as mais confortáveis e eficazes tecnologias para o seu tratamento ortodôntico.

Março/2010

A técnica de aparelhos ortodônticos Invisalign® utiliza jogos de alinhadores feitos sob medida. Os alinhadores são praticamente invisíveis e reposicionam seus dentes passo a passo para conseguir um sorriso que lhe deixará orgulhoso. Invisalign® usa aparelhos alinhadores plásticos e transparentes para endireitar os dentes. Nesta maneira, você segue com sua rotina diária durante o tratamento. Ao contrário dos aparelhos tradicionais, os alinhadores Invisalign® não irritam sua boca como as peças e os fios metálicos. Estes alinhadores são removíveis: retire-os antes de eventos especiais ou antes de se alimentar.

Revista Expansão |

59


[ VIDA & SAÚDE ] Divulgação

A dose limitada

Cerca de 91 milhões de vacinas contra o Influenza A serão distribuídas no Brasil pelo governo federal para o enfrentamento da segunda onda da pandemia Por Graziela Dannenhauer

60

| Revista Expansão

Março/2010


A

o todo foram adquiridas pelo governo federal 113 milhões de doses de vacina contra o Influenza A, mas apenas 91 milhões serão utilizadas. As 22 milhões vacinas sobressalentes ficarão na reserva para o caso de haver alterações epidemiológicas ao longo do inverno e eventual necessidade de ampliar o público-alvo. As doses disponíveis serão aplicadas a partir deste mês em pessoas que integram um determinado grupo prioritário, ou seja, a estimativa é de que cerca de 46% da população seja vacinada contra o Influenza A. O restante terá que tomar cuidados redobrados. Para se ter uma ideia da quantidade tenha em mente que o Rio Grande do Sul tem 10.914.128 habitantes, estimativa do IBGE para 2009. Como apenas 46% deve ser vacinada, isso significa, aproximadamente, oito vezes a população gaúcha. Desta forma, para ilustrar melhor, nove vezes o número de gaúchos ficam sem a dose no País– a produção não atende a demanda. No final de fevereiro, o governo ampliou o grupo prioritário.

Março/2010

A decisão foi do Ministério da Saúde junto com demais entidades representativas do setor – sociedades científicas, Conselho Federal de Medicina (CFM), Associação Médica Brasileira (AMB), Associação Brasileira de Enfermagem (Aben), Conselhos de Secretários Estaduais (Conass) e Municipais (Conasems) de Saúde e o Grupo Assessor do Programa Nacional de Imunizações – e anunciado em janeiro deste ano, como um plano de enfrentamento do vírus, responsável por várias mortes no inverno passado. Os grupos prioritários foram definidos de acordo com o quadro epidemiológico apresentado em 2009. São eles: trabalhadores da rede de atenção à saúde e profissionais envolvidos na resposta à pandemia, indígenas, gestantes, pessoas com doenças crônicas e obesidade grau 3 - antiga obesidade mórbida, crianças de seis meses a dois anos e adultos de 20 a 29 anos, levando-se em conta o comportamento do vírus no inverno norte-americano desse ano. O grupo ampliado é o da faixa etária entre 30 a 39 anos porque aumentou a oferta da vacina.

As etapas da vacinação As doses serão aplicadas em quatro etapas, entre 8 de março e 21 de maio (veja quadro dos grupos). Conforme o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, a proposta é evitar a disseminação do vírus, que está presente em 209 países, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), manter os serviços de saúde funcionando e reduzir o número de casos graves e óbitos. “Esta é uma estratégia que inclui a vacina, um instrumento poderoso para o controle da doença, e recursos para fortalecer a atenção básica, ampliar o número de leitos de UTI e aumentar o estoque de medicamentos para o tratamento”, afirma Temporão. “A estratégia é produto de uma grande discussão e debate com as próprias sociedades e especialistas, e houve um consenso em relação ao que foi definido.”

Revista Expansão |

61


[ VIDA & SAÚDE ]

Quem vai poder tomar a dose: Grupos Prioritários

Data de vacinação

Etapa

Vacina

Trabalhadores de Serviços de Saúde

08/03 a 19/03

H1N1 (2009)

População Indígena

08/03 a 19/03

H1N1 (2009)

Gestantes

22/03 a 07/05

2ª a 4ª

H1N1 (2009)

População com doenças crônicas (em especial: diabetes, doenças cardíacas, respiratórias, hepáticas, renais e hematológicas, imunodepressão e grande obesidade - Grau III)

22/03 a 02/04

H1N1 (2009)

População de 6 meses a 2 anos incompletos 1ª Dose

22/03 a 02/04

H1N1 (2009)

População de 20 a 29 anos

05/04 a 23/04

H1N1 (2009)

População > 60 anos (Campanha Nacional do Idoso)

24/04 a 07/05

H1N1 (2009) e Sazonal

População de 30 aos 39 anos

10/05 a 21/05

H1N1 (2009) Fonte: Ministério da Saúde

A distribuição das doses Os 26 estados e o Distrito Federal receberão um número de doses proporcional à população dos grupos prioritários. Caberá às secretarias estaduais de Saúde distribuí-las aos municípios, obedecendo ao mesmo critério, estabelecendo os locais de aplicação. As pessoas dos grupos indicados devem comparecer às unidades de saúde com a carteirinha de vacinação e documento de identidade. A vacina é contra-indicada a quem tem alergia a ovo, neste caso, a alternativa é redobrar cuidados com higiene e procurar o médico diante de qualquer sintoma. O ministério também adquiriu 200 mil tratamentos de Zanamivir – medicamento que será usado apenas em eventuais casos de resistência ao Oseltamivir. “Por sua complexidade, esta campanha será o maior desafio já enfrentado pelo Programa Nacional de Imunização. Portanto, é fundamental a colaboração de todo o País”, avalia Temporão, que reforça: “estamos protegendo os grupos mais frágeis”.

62

| Revista Expansão

Divulgação

Salienta-se que a definição dos grupos segue parâmetros da OMS e que foram acrescentados dois grupos saudáveis como prevenção – crianças entre 6 meses e 2 anos e adultos de 20 a 29 anos. A análise dos dados da primeira onda pandêmica no Brasil demonstra que esses grupos apresentaram as duas maiores proporções de casos graves de doença respiratória. Entre 25 de abril e 31 de dezembro de 2009, foram 39.679 casos de doença respiratória grave e 1.705 óbitos em todo o Brasil. De acordo com a chefe da Divisão de Vigilância Epidemiológica do Centro Estadual de Vigilância em Saúde, Marilina Bercini, o governo também se prepara com o Programa Inverno Gaúcho, que será lançado neste mês. Segundo ela, em 2009, foram registrados 275 óbitos no Estado. Para orientar a população, será lançada uma campanha informativa dividida em três etapas. A primeira tem foco na prevenção e será veiculada de 22 de fevereiro a 21 de maio. “Esta fase é muito importante para prevenir a gripe pandêmica. É fundamental que as pessoas mantenham as medidas de higiene pessoal para evitar a infecção pelo vírus”, orienta Temporão. A segunda fase, entre 5 e 14 de março, terá mensagens de preparação e esclarecimento à população. E a terceira fase, convocará as pessoas para se vacinarem, veiculada entre 15 de março a 21 de maio.

Como se cuidar: • Lavar as mãos com frequência e sempre que tossir ou espirrar • Utilizar lenço descartável para higiene nasal • Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir • Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca

• Se surgirem sintomas de gripe (principalmente febre, tosse, dor de cabeça e no corpo), procure o médico mais próximo e não tome medicamento por conta própria

Saiba mais: >> As 113 milhões de doses de vacina pandêmica que o

Brasil adquiriu serão aplicadas em 91 milhões de pessoas

>> Os imunizantes serão fornecidos pelos laboratórios

produtores Instituto Butantan e Glaxo Smith Kline, além do Fundo Rotatório de Vacinas da Organização Pan Americana de Saúde/OPAS

>> O número de laboratórios para diagnóstico do vírus pandê-

mico passou de 7 para 14. São eles, Instituto Adolfo Lutz/SP, Instituto Evandro Chagas/PA e Fundação Oswaldo Cruz/RJ e os Laboratórios Centrais de Saúde Pública (Lacen) de Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Amazonas, Amapá, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Goiás e Pernambuco

>> A partir deste ano, o Oseltamivir poderá ser obtido na rede pública de saúde apenas com retenção de receita e a prescrição médica terá validade de cinco dias >> Do total, R$ 270 milhões foram aplicados em equipamentos para fortalecer a rede de leitos de UTI nos estados, com instalação prevista para maio. Outros R$ 255 milhões foram aplicados no reforço da atenção básica (Programa Saúde da Família) e na assistência ambulatorial e hospitalar especializada

Março/2010


Marรงo/2010

Revista Expansรฃo |

63


[ casa & Estilo ]

Piso de cimento queimado Jaqueline Fischer Zapelini Arquiteta jaque@zapelini.com.br

bonito e versátil

Fotos: Divulgação

Para mostrar a qualidade de um espaço, não depende o tamanho.

64

| Revista Expansão

Projeto em composição volumétrica simples, vidraças grandes, amplos espaços interiores e os materiais predominantes: vidro, madeira e concreto

E

ste tipo de piso deixa o ambiente leve e fácil para decorar, não conflitando com a mobília e complementos. A cor do cimento queimado realça a cor dos móveis e objetos de decoração. Na execução do piso de cimento queimado temos de ter cuidados para garantir que não haja rachaduras e outros defeitos, é preciso contratar uma boa empresa com mão de obra especializada e seguir a receita certa dos materiais a serem usados. Usa-se filetes de plástico como juntas de dilatação, evitando trincas. O concreto usinado, comprado pronto, dispensa contrapiso, tornando assim a obra mais rápida. Neste caso, quanto menor a distância entre as juntas para a colocação dos filetes de plástico, menor o risco de trincas. Para finalizar e dar brilho à superfície, é utilizada uma máquina chamada Bambolê (tipo de enceradeira).

Março/2010


O cimento queimado conquista espaços na decoração de ambientes elegantes e arrojados

As cores e tonalidades variam de acordo com os ingredientes usados. Para dar brilho e proteger o piso é usada uma resina que proporciona melhor acabamento. A resistência deste tipo de piso só fica comprometida se o processo não for feito de forma correta. Madeiras, lajotas e ladrilhos hidráulicos também ficam lindos quando arrematam ou dividem espaço com o cimento queimado que, com tratamento bem feito, pode ser utilizado em bancadas e paredes.

Banheiro contemporâneo - utilização de piso de cimento queimado, fácil limpeza e manutenção

O cimento queimado é uma boa dica para quem tem pressa de mudar e não pretende gastar muito com revestimento.

Março/2010

Revista Expansão |

65


[ GASTRONOMIA ]

Arte sabor m o c

Fotos: Jorge Rolla/Divulgação

O

66

| Revista Expansão

Chef argentino inova em Porto Alegre com doces e salgados inspirados na luxuosa culinária francesa Por Vitória Fischer Schilling/Estagiária

Vinícius Carvalho/Divulgação

educador Rubem Alves escreve que cozinhar é uma arte plástica e que a comida também deve ser boa de ser vista, pois na gastronomia a imagem é a primeira forma de comunicação. O chef argentino Diego Andino uniu sua paixão pelos doces com sua experiência no exterior para criar arte na cozinha, com cores e sabores de tirar o fôlego e de encher os olhos. Andino aprendeu a gostar de preparar doces com sua avó materna, de origem francesa, e as receitas antigas fazem sucesso até hoje em suas mãos. Ele aperfeiçoou seus conhecimentos em Paris, ao visitar algumas das principais pâtisseries (um tipo especial de confeitaria francesa) do mundo. Assim, em 2004 ele instalou sua própria, em Porto Alegre, com uma proposta inovadora que envolve confeitaria, cafeteria e ponto de encontro para degustação de produtos de pâtisserie, na forma de uma boutique de doces e salgados, na parceria com o chef Marcelo Chaparro.

O chef Diego Andino apresenta arte em forma de doces nas suas criações

Delícias A delicadeza dos doces influenciou no design da Pâtisserie Diego Andino, já que por serem fabricados artesanalmente, os produtos exigem um ambiente especial para serem consumidos. O cardápio apresenta receitas francesas luxuosas e excêntricas, como a trufa de espumante com chocolate branco belga e ouro comestível. Além dos doces, que recebem nomes estrangeiros e capricho em cada detalhe, os salgados são a novidade deste ano na pâtisserie, na forma de sanduíches quentes. As belezas dos pratos e mais informações podem ser encontradas no site www.diegoandino.com.br.

Março/2010


Marรงo/2010

Revista Expansรฃo |

67


[ à Moda da Casa ]

68

| Revista Expansão

Março/2010


O recheio da ave Marreco de Pequim e moranga cabotiá protagonizam um nhoque de forno Por Milena Meira

H

Fotos: Adriano Daka/Divulgação

á cinco anos a dona de casa Liége Matos (foto), 41 anos, e o marido, Jairo, se depararam com um problemão: o que fazer com os Marrecos de Pequim utilizados na lavoura de arroz durante a entressafra? O problema era compartilhado com outras famílias da zona rural de Torres, que também utilizavam a ave para limpeza da resteva de arroz. A partir disso, Liége e outras mulheres na mesma situação tiveram a idéia de organizar um almoço com o cardápio estrelado por pratos elaborados com a carne da ave. Surgia neste momento a 1ª Festa Regional do Marreco de Pequim. O evento se consolidou na região e hoje está na 5ª edição, reunindo ano após ano um número maior de apreciadores da exótica carne. Mãe de três filhos, Richard, 22 anos, Tamires, 20 anos e Luiz Eduardo, 8 anos, Liége não se intimida na cozinha e põe a mão na massa na hora de preparar os pratos para festa. “Sempre gostei de cozinhar, não importa se cozinho para dez ou para cem pessoas, procuro fazer o melhor e dar um toque especial”, relata. Ao ser convidada para participar do À Moda da Casa, disse que iria fazer um dos pratos de maior aceitação na Ferema. Só depois revelou que se tratava de uma receita rápida e simples utilizando Marreco de Pequim e moranga cabotiá. As aves utilizadas nesta receita foram abatidas pela própria Liége, porém, este tipo de carne pode ser facilmente encontrados nos principais supermercados do Estado. A receita também aceita adaptações como a substituição da moranga por batatas ou aipim, ou a utilização de frango ao invés de marreco.

Março/2010

Nhoque de forno · ·

PREPARO 1h COZIMENTO 20 minutos no forno a 200oC RENDIMENTO 6 PORÇÕES

Ingredientes • • • • • • • • • •

1 pimentão 1 moranga cabotiá cozida 2 peitos de Marreco de Pequim 2 cebolas grandes 3 tomates grandes 200g de creme de leite 250g de molho de tomate 250g de requeijão Óleo de soja Orégano

Para acompanhar

Arroz branco, batata palha e vinho branco

Preparo •

Cozinhe a moranga descascada em água e sal. Após, faça um purê utilizando a moranga e o creme de leite. Reserve. Em outra panela refogue em um pouco de óleo de soja as cebolas, os tomates e o pimentão. Acrescente o molho de tomate e o sal. Junte a este molho os dois peitos de marreco cozidos e desfiados. Cubra o fundo e as laterais de uma forma com o requeijão. Faça camadas intercalando o purê de moranga e o marreco ao molho. A última camada deve ser polvilhada com orégano. Leve ao forno para gratinar por cerca de 20 minutos.

Revista Expansão |

69


[ ZITA PEREIRA ] Zita Pereira

Colunista social zitapereira@revistaexpansao.com.br

Existe um milagre a cada novo começo. (Herman Hesse)

Caixinha de surpresa

Sílvia Machado é o que se pode chamar de paciência e persistência com seu sotaque cearense arrastadinho, seu jeito tranquilo e, ao mesmo tempo, ser de um dinamismo à toda prova. Casada com Jorge Machado, com quem divide a vida e o trabalho, é mãe de Yuri e Aline. Dona de loja, há 15 anos comanda a Pano de Luxo aqui na cidade. Nascida em Fortaleza, veio parar nestes pagos por causa do amor. Conheceu o marido em Salvador e foi amor à primeira vista. Ela saiu de Fortaleza para passar o Carnaval na Bahia e Jorge saiu daqui para fazer o mesmo. Daí foi um pulo para se acharem no meio da multidão. Namoro, noivado, casamento. E, ei-la em Novo Hamburgo. Estão casados há 16 anos. Um ano depois de chegar aqui, deu inicio às atividades como lojista abrindo a Stylo Íntimo, que logo virou Pano de Luxo, que acaba de debutar com direito à festa, desfile de lingeries, pompa e circunstância. Entusiasmada, feliz e realizada pessoal e profissionalmente, toca sua loja com competência. Lá tem tudo para que ambos, boys and girls, fiquem sexies e bem vestidos por debaixo dos panos. Top Of Mind no segmento lingerie, ela e o marido irão receber a premiação em abril, durante solenidade na Fenac. Bem resolvida, decidida e prática como ela só, é assim também com o que leva em sua bag de mão: “carrego somente o essencial. Batom, espelho, óculos de grau e de sol, carteira, perfume, caneta e celular. Levo pouca coisa e procuro sempre manter tudo limpo e me livrar do que é inútil”. Focada, ela é o retrato da paz e de que a vida pode ser muito bela. E quem disse que amor de carnaval não dá certo? Pois é, ela e Jorge são a comprovação de que pode dar muuuito certo, sim. Alguém duvida?

70

| Revista Expansão

o

Terminada a temporada oficial de sol e mar e a farra carnavalesca que faz o País transbordar de euforia, estamos aí para o que der e vier, e, enfim, alavancar o ano. Na realidade o calendário anual deveria ter início em março, porque este, sim, é o mês em que tudo entra nos eixos. É tempo de deixar a preguiça típica da época de dolce far niente de lado, arregaçar as mangas e fazer deste mais um grande ano. A hora é agora: de desfazer as malas, botar a casa em dia, a agenda e a vida em ordem, recomeçar do zero e fazer chover pra cima. É só começar com pé direito e determinação e se agarrar com unhas e dentes neste slogan – Sucesso: SUor, CErteza, SOnho, que a gente chega lá. Então, vamos à luta nossa de cada ano...

Fotos: Divulgaçã

Então tá...

Março/2010


Marรงo/2010

Revista Expansรฃo |

71


[ ZITA PEREIRA ] Néia Dutra/Divulgação

Olha o Vermelho & Branco aí gente!

De vermelho e branco: o diretorpresidente da Fenac, Ricardo Michaelsen; o diretor da Sulgás, Ademir Schneider; o presidente do clube, Marcos Bock; o prefeito e a primeira-dama, Tarcísio e Sílvia Zimmermann, nomes de peso, caíram na folia

Tudo em casa: Raul e Déborah Cassel uma das marcas da Ginástica, mostraram que tem tudo a ver com carnaval

Fotos: Graziela Dannenhauer/Especial

O Vermelho & Branco está dando o que falar. Sucesso absoluto, levou centenas de foliões aos salões da Sociedade Ginástica, que se consagra a cada ano como sede do melhor carnaval de todos os tempos. Super bem organizado, teve ambulância para casos de “trago forte” ou outra situação emergencial e ambulatório, dentro do clube, para rápidos atendimentos como “leves tragos” e outros mal estar. A novidade desta edição ficou a serviço da refrigeração produzida pelos ares condicionados que amenizaram o calor que fazia dentro – e fora – do salão. Aquecidos só mesmo os ânimos dos carnavalescos que fizeram da festa um show de alegria e visual usando as cores tema e, também, a farra dos jogadores do punhobol que, sempre atuantes no clube, formaram o Bloco do Punho. Marcos e Jaqueline Bock, o casal presidente, mais sua diretoria, vêm recebendo incontáveis elogios pelo megaevento, onde não faltaram gente bonita, belas fantasias e samba no pé. Foi mesmo o maior show desta terra!

Eles estavam lá: Adriana e Rodrigo Giacomet, levantaram a bandeira do V&B e se transformaram em foliões de primeira

Rodrigo Farias/Divulgação

Alegria, alegria: Daniel Müller e Luciana Petry botaram pra quebrar na festa bicolor

72

| Revista Expansão

A folia do Bloco do Punho: eles fizeram um barulhão antes de entrar no salão – e no próprio – e de botar seus pezinhos na África. Eles vão jogar na Nabímia!

Março/2010


Um luxo só

A Gussy, loja da polivalente Iara Virgínia da Silva, vem fazendo a diferença no Bourbon Shopping Novo Hamburgo. Com atendimento ultra personalizado, e peças exclusivas, de marcas idem, a loja é um show de bom gosto e atendimento. Com Iara puxando o cordão, tendo como amiga pessoal e guru Regina Steigleder, uma das mais competentes lojistas que a cidade já viu, que fez e aconteceu com sua Lingerie Fashion, e um grupo de atendentes de primeira linha, a loja que comercializa roupas esportivas e para festas e atende também em Canoas, no Canoas Shopping, só pode ser o que é: um luxo ao alcance de todos.

Março/2010

Papo rápido

Stefan Schettmann Behrend, o mais novo do clã Behrend, se formou com categoria em Engenharia de Alimentos, pela Unisinos. Emocionados, Cláudio e Miriam assistiram à formatura de seu jovem engenheiro. Reverenciaram o formando com grande festa na Sociedade Aliança, clube que o pai foi presidente e é a segunda casa da família. Os irmãos Dani e Jeff Schmitt, que formam dupla de deejays da melhor espécie e comandam a DJ 2, ditaram o ritmo da noite, que foi das melhores, tal qual o novo engenheiro, que promete fazer a diferença na área.

Fotos: Divulgação

Aluno nota dez!

Happy birthday ao sol: a bandeira do Brasil complementa o clima tropical da festa em duo

Parabéns à beira-mar

Unidos na vida e na profissão, ele engenheiro, ela arquiteta - diga-se, dos melhores -, Jaqueline e Roger Zapelini, casal superbonito e querido, festeja seus aniversários na beira da praia, em Capão da Canoa, sob tenda montada especialmente para a comemoração. A vista para o mar, que neste ano parece o de Santa Catarina, e o bom gosto que prevaleceu, conferiram clima caliente e tropical ao encontro que se iniciou com o parabéns e se estendeu entre drinques até o anoitecer. Foi tudo bem do jeito peculiar deles, que aproveitaram a junção dos amigos e da família para erguer mais brindes ao filho, Filipe, que acaba de se formar em Design. Ainda, o filho mais novo, Lucas, e as irmãs dela, com seus respectivos pares, lá estavam para aumentar o clima de euforia que cercou a data. Daysi e Adolfo Mosmann, Jeane e Amadeu Röhnelt, Simone e Roberto Schilling e a mãe, Hedi Fischer, tão bela quanto elas, formaram coro afinado para o parabéns (s) a você. Jaqueline, que canta como ninguém, deu as notas certas para a cantoria. Foi tudo um espetáculo! Natália Luisa Sturm, Jaque Zapelini e Carmem Sturm

Revista Expansão |

73


[ ZITA PEREIRA ]

Casa, comida e futebol

Adriana e Lolo Maino estão em tempo de renovação e expansão. Reformaram a casa em que vivem na Maurício Cardoso, abriram mais uma empresa, a Cia da Imagem, e compraram casa na praia, em Imbé. Durante a temporada litorânea, a dupla, que sabe receber como ninguém, abriu as portas da ampla e linda casa, onde o azul predomina e uma bandeira do Grêmio – ele é conselheiro do clube e fanático, nem é preciso dizer – dá as boas vindas aos amigos. Casal nota dez, eles mostraram que merecem a mesma nota como cozinheiros. Ele preparando carnes, ela, massas. Saíram-se muito bem na arte e recebem nota máxima em todos os quesitos e muitos elogios. Os filhos deles, Paloma e Pablo, são parceiros de sempre e estão adorando toda esta transação. Paloma, cada dia mais linda e mais parecida com a mãe, está de namoro firme com Pascoal Brusius com aprovação total do pai – o bonitinho é zagueiro do time juvenil do Grêmio, para satisfação do ferrenho gremista – e da mãe, que paparicam seus filhos e o genrinho querido. Dando um tempo em Imbé, foram todos para o Beto Carrero. Dali seguiram para dias de sol e mar em Garopaba. De volta da temporada marítima, assumem as empresas da família – Lolo comanda também a Cia das Etiquetas –, a engrenagem volta a funcionar normalmente e tudo volta a seus devidos lugares. Em off: acho que Adriana e Lolo vão festejar juntos, em meados do ano, seus aniversários, respectivamente de 40 e 50 anos com evento informal, mas cheio de bossa. Vai ser o festão dos 90!

74

| Revista Expansão

Ela chegou lá: Mara, de toga e canudo, com seus maiores torcedores, o marido, Jocelito, e as filhas, Bruna e Betina

Superfesta

Mara Regina Louzado Gasperin levou o lema – Sucesso: SUor, CErteza, SOnho a sério e começou 2010 com tudo a que teve direito. Formou-se, pela Feevale, em Direito e comemorou o feito com luxo e modernidade, fechando com o estilo feliz e festeiro dela. Mara, literalmente, suou a camiseta para dar conta dos estudos, do marido e das duas filhas, mas sempre teve a certeza de realizar seu sonho. E o realizou com maestria e festa, bem ao jeito tudo de bom dela, que entrou no salão do Restaurante Panorâmico da Fenac à frente da bateria do pagode da J.Blitz, ao som da música É Hoje, com canudo em punho e a mãe, Jurema Louzado, de 83 anos, ao lado, numa justa homenagem à matriarca. Fazendo cordão para a entrada triunfal da formanda, o marido, grande parceiro e fã incondicional, o famoso e competente designer de calçados, Jocelito Gasperin, e as lindas filhas, a Glamour Girl, Bruna, e Betina. Rodeada pelo marido e pelas herdeiras, mais grande grupo formado por familiares e amigos, a nova advogada teve festa à altura de sua conquista e entusiasmo. A noite, regida pela animação dela e de seus convidados, que não saíram nunca da pista, foi longa. O DJ Rubinho também não deixou por menos e botou a turma do barulho pra dançar e todo mundo pediu água e....ganhou! Garrafinhas personalizadas com foto da formanda e com o slogan “Nesta Festa Eu Pedi Água!” foram distribuídas durante a ferveção na pista. Foi encontro peculiar, bem como todas as festas da família, que em Imbé, mantém o clima, sempre com casa cheia. Anualmente ela sela a temporada com baita festerê para comemorar o aniversário de casamento com Jocelito. A badalação já é tradição na praia. Eles são sempre mencionados como uma família festeira e grandes anfitriões. Mas nesta, só dela, Mara foi entusiasticamente reverenciada pela vitória. Olha só: tem mais uma advogada no pedaço! Ps: Além de superunidos no dia-a-dia, as filhas se revezam nas viagens de trabalho com o pai. Bruna e Jocelito chegaram da Couromoda no dia da formatura de Mara. Mês passado foi a vez de Betina acompanhá-lo na viagem a Nova Iorque, onde foram pesquisar as tendências para o verão 2011. Antenado como ele só, é certo, vêm altas criações por aí.

Março/2010


Fotos: Luis Eduardo Seewald/Divulgação

É Hoje o Dia: a entrada triunfal da formanda com a mãe e o pagode da J.Blitz

Viva a doutora!: Mara e Jocelito brindam ao futuro dela

A farra correu solta: a família botando fogo na pista com os barmen e o perna-de-pau

Cirurgia ambulatorial da hérnia de disco sem necessidade de internação

Cirugias por laser e radiofrequência, sem corte e com anestesia local

Cirurgias por vídeo

Bloqueios da dor no próprio consultório

Tratamento clínico e cirúrgico da escoliose

Cirurgia da artrose e desgaste discal

Tratamento das lesões traumáticas ligamentares

Fraturas da coluna

Deformidades torácicas residuais

Dor residual pós-cirurgia

O Dr. Evandro Porto possui ampla experiência em cirurgias da coluna, tendo formação e sendo membro titular da Academia Brasileira de Neurocirurgia e da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia. Atende em horário a ser marcado na Clínica e Ortopedia Marcilio Dias Novo Hamburgo – RS

Os amigos se encontraram: turma animada, elas foram as primeiras a chegar para bater palmas à nova advogada

Março/2010

- CIRURGIA E TRATAMENTO CLÍNICO DAS DEFORMIDADES DA COLUNA - CIRURGIA MINIMAMENTE INVASIVA DA COLUNA - TRATAMENTO DA DOR LOMBAR RECORRENTE PÓS CIRURGIA DA COLUNA - FISIOTERAPIA E REABILITAÇÃO Revista Expansão |

75


[ ZITA PEREIRA ]

Raul Cassel, Mauro Vianna, Eloi Fracasso, Mauro Beilke e Kleber Fisch

Déborah Cassel, Raul Cassel, Beth Kehl, Sonia Vianna e Sonia Fracasso

A trupe de médicos que compõem a Associação de Medicina de Novo Hamburgo – antes Sociedade de Medicina – esteve reunida no Condomínio Xangri-lá Villas Resort, para degustar uma legítima paella valenciana, feita a quatro mãos por Gilberto Noro e Kleber Fisch (ele o presidente da entidade), que mostraram que não são só capacitados médicos, mas também grandes chefs de cuisine. A sede do encontro foi o salão de festas da vila de Gilberto e Ângela Noro, que demonstraram ser, além de bons camaradas, gabaritados anfitriões. O bate-ponto, que se iniciou pela manhã, entrou tarde adentro e chegou ao anoitecer entre elogios ao menu e à excelência dos cozinheiros e se estendeu entre temas amenos sobre os hamburguenses, medicina e a cidade e, como não poderia deixar de ser, o calor que nesta temporada imperou. As altas temperaturas foram o assunto da hora em todas as rodas. Regado a chope, o almoço entre parceiros de profissão e de lazer foi apenas um deleite. A classe médica hamburguense que lá esteve deixou claro que nem só de consultório, emergências e hospital vivem. Eles se esbaldaram!

76

Fotos: Sérgio Jost/Especial

Paella al mare

Chadi Mur, Kleber Fisch e Gilberto Noro

Gabriela Santos, Fairus Nasralla e Anelise Schmidt

Jose Luis Dias Vaca e Raul Kehl

Letícia Beilke, Maria Tereza Beilke e Ana Pacheco

Juliana Noro e André Borges

Chadi Mur, Fernando Schmidt e Carlos Simquevits

Viviane Matzennauer e Paulo Rech

| Revista Expansão

Março/2010


[ Night forte ] roberta Pletsch

Renato Rocha/Divulgação

Colunista relacionamento@merkatorfeira.com.br

Se você participou daquela festa inesquecível e quer aparecer nesse espaço, envie sua foto para betapletsch@hotmail.com Felipe Wichmann e Fábio Fontes

Fotos: Divulgação

O Grupo de Samba Sem Estresse no palco da Velfarre

Graciela Hansen

Francielle Goldani e Gustavo Fischer

Eventos

Rolou

GUNS’N ROSES

American bowling

Vai rolar um super show no Gigantinho em 16 de março. O grupo liderado pelo vocalista Axl Rose vem a Porto Alegre para mostrar o show que promove o disco Chinese Democracy, lançado em 2008. Além das faixas desse disco, o Guns vai tocar sucessos de carreira como Sweet Child o’ Mine, November Rain, Welcome to the Jungle, entre outras. Vale a pena conferir!!

>> A primeira edição da balada Fever foi em 25 de

janeiro. O American Bowling, em Novo Hamburgo, foi palco da estreia, mas a produção garante que, como uma das sensações para 2010, a festa poderá passear por outros locais se classificando como itinerante. Bacana!

Velfarre

>>

E as noites de quartas continuam bombando na Velfarre, em Novo Hamburgo. Wiliam Neumann promete DJ´s de nível nacional e quem sabe internacional ao longo de 2010. Aguardem e confiram!

Norton Salermo/Divulgação

Renato Rocha/Divulgação

Mariana Pugen

Os djs Double S, Lê Araujo, Marcelo Nuñez e Sury foram atração na Velfarre

Save

>>

Em 6 de março rolou a reabertura do Superclub Save. As atrações da night foram os DJ’s Carlo Dallanese e Fábio Castro. Para este ano, a casa noturna não vai mais abrir em todos os “findes”, pois os proprietários têm como objetivo transformar a Save em um grande evento toda vez que abrir, saindo do lugar comum e deixando de lado o cotidiano. Mais novidades e informações sobre a Save na próxima coluna!


[ SOCIETY ] Gelaina Barbieri

Formaturas 2010

Relações públicas Conrerp 2523 - RS/SC gela@terra.com.br

Janeiro e fevereiro, realmente, são meses de muitas formaturas, época em que as pessoas se reunem para festejar a alegria de alguém que conquista um título e inicia uma nova etapa. Nesta coluna, as festas mais badaladas e festejadas da região... Talita Assis/Divulgação

A bela Cláudia recebeu seleto grupo de amigos para recepção no Hotel Shereton. A festa toda em tons verde tiffany e marrom confirmou o bom gosto da formanda. Depois de elegante jantar à francesa, os convidados curtiram a mesa de doces da Daz Doces e a agitada pista de dança, ao som do DJ Chaleco.

Ana Paula Lenz e Luciano Barreto/Divulgação

Odontologia pela Ulbra

Juliana Mendes se formou em Pedagogia Empresarial pela Feevale

Boteco do Geovani Fotos: Fábio Winter/Divulgação

Ambiente agradável, vista privilegiada, boa música e os melhores amigos, foram os principais atributos que Geovani Fagundes reuniu para celebrar a chegada dos 50 anos. O Boteco do Geovani foi o tema usado pela esposa Marinês e pela filha Natália, para a produção do especial momento, que contou com alimentação temática e decoração exclusiva. A festa na praia de Xangri-Lá foi movimentada e de muita agitação, com direito até a especial show de fogos surpresa ao aniversariante.

Maurício dos Santos recebeu o diploma do curso de Ciência da Computação pela Feevale

Dupla comemoração

Os hamburguenses Juliana e Maurício aproveitaram a proximidade de suas formaturas para planejar uma única festa, que além das especiais conquistas, serviu para anunciarem a data do casamento. Felizes, as duas famílias e os amigos festejaram os muitos motivos da noite.

78

| Revista Expansão

Março/2010


Casamentos

Locais especiais e décor igualmente planejado marcaram o final de 2009 e o início do ano de 2010. O ano que promete muitas bodas marcantes, já apresenta festas modernas e especiais.

Fotos: Joel e Isa Reichert/Divulgação

Nemora Muller Reche e Marcelo Pires

Dia 6 de fevereiro foi a data escolhida por Nemora e Marcelo para seu enlace matrimonial. A Igreja Piedade acomodou os convidados para a benção religiosa, e, em seguida festejaram o momento no Tao Espaço de Eventos. Com décor especial em amarelo e flores brancas, a Baluarte completou o cenário.

Aline Rodrigues Munari e Marcelo Jungbluth

O espaço de eventos do Ecoland, foi especialmente escolhido para abrigar o casamento de Aline e Marcelo, que ao entardecer foram abençoados, sob o olhar dos convidados. O salão de eventos foi todo decorado de branco para o jantar e a balada do casamento.

Março/2010

Revista Expansão |

79


[ são leopoldo ] Letícia de Oliveira

Relações públicas Conrerp 2494 - RS/SC leticia@revistaexpansao.com.br

Determinada e exigente

A jovem empresária leopoldense Camila Ferraz Gomes administra, juntamente com seu pai Adilson Gomes, a imobiliária AG3 Imóveis. Sua rotina se divide entre a empresa e a sua família. Casada com Endrigo Melo, Camila é mãe do João e está grávida, à espera de outro menino. Sua formação é em Publicidade e Propaganda e em Gestão Imobiliária, e também é pós-graduada em Administração de Marketing. Atenta ao que acontece em sua volta, identifica tendências, necessidades atuais e futuras dos clientes, cultiva novas ideias e, se viáveis, as transforma em fatos concretos. Em sua visão, estas atitudes são fundamentais para o empresário, pois garantem a evolução da empresa.

Leitura delícia

Fotos: Divulgação

Uma boa leitura que nos leve a pensar sobre as coisas boas da vida e nos remeta ao passado mais remoto é sempre uma boa pedida. Quem gosta de palavras bem colocadas e deliciosas não pode deixar de visitar o blog da Rosana Sperotto. Um verdadeiro achado. Lá a gente pode curtir o que de bom a vida nos reserva e que muitas vezes não percebemos. Passe por lá http://rosanasperottorosanasperotto.blogspot.com

Capacitação

Camila administra sua vida de forma organizada e com amor pelo que faz e cultiva

O negócio Com tanta disposição e conhecimento, Camila dedica-se à empresa em todos os sentidos, administrativo, financeiro e gestão de pessoas, e ressalta que a empresa e as pessoas que nela trabalham fazem parte da sua vida. “É preciso dedicação total e gostar muito do que se faz, ver a organização como meio de satisfação das necessidades do cliente. Para atender bem aos clientes externos, é necessário que os clientes internos estejam satisfeitos.” Com uma visão ambiciosa frente aos seus objetivos como empresária, mulher e mãe, aposta no futuro, pois, para ela, as recompensas estão associadas aos maiores riscos, que bem planejados, garantem o sucesso. Definir metas, executar conforme o planejado e corrigir os erros fazem parte do seu dia- adia para obter êxito. “No processo de negociação todos devem ganhar.”

Sua família Segundo Camila, ela tem em sua família o motivo para estar neste mundo. Está realizada como empresária, mas como

80

| Revista Expansão

mãe se completa. Quando não está envolvida com o trabalho, está com seu marido e seu filho e estas horas de lazer costumam ser no sítio dos seus sogros, na casa dos seus pais ou na praia. Ela conta que agradece diariamente ao seu esposo pelo companheirismo e paciência, aos seus filhos pelo amor incondicional e aos seus pais pelo amor, educação e valores transmitidos. A família é a base da sua vida.

A Associação Comercial, Industrial e de Serviços de São Leopoldo (Acis/SL), em conjunto com a ONG Parceiros Voluntários e o Sebrae, estão organizando, para este mês, a capacitação Gestão para a Sustentabilidade, Empreendedorismo e Redes Colaborativas, voltada ao terceiro setor, que está com inscrições abertas até 8 de março, ou até completar as 30 vagas abertas. Cada organização poderá encaminhar até cinco pessoas para participar da capacitação, que ocorrerá no auditório da Acis-SL.

A cidade Com orgulho, diz que São Leopoldo é sua, sim. É a cidade onde nasceu, cresceu e vive até hoje. Para CamiIa é impossível identificá-la com simples palavras. Na sua percepção, São Leopoldo é espantosa, é dinâmica, é estranha, é vibrante, é violenta, é improvisadora, é contraditória, é ousada. Gosta daqui pelos contrastes entre o belo e o feio, o bom e o ruim, o antigo e o moderno. “Gosto da cidade multicultural e multirracial, gosto do seu povo, desta mistura de alemães e italianos. Enfim, por gostar daqui aceito suas qualidades e seus defeitos, suas vantagens e desvantagens.”

Rosana Almendares em Lisboa com seus projetos de arte

Arte

Quem conhece sabe que arte é com ela, Rosana Almendares realiza exposição em Lisboa, na Galeria Colorida de Arte e Design até o dia 12 deste mês. Estão sendo apresentados dois segmentos de suas investigações no campo das artes, um chamado projeto Mil Mãos e outro Em Série. O Mil Mãos apresenta o painel resultante de ação cooperativa de artistas convidados a realizarem desenhos em pequenos papéis. Já no Em Série encontram-se painéis com composições repetidas e ritmadas.

Março/2010


Fotos: Divulgação

Toalhas e mimos para chá de fralda são os destaques da coleção

Totitog

Agenda

Quem não fica babando quando o assunto são roupinhas e acessórios de bebê? Pois aqui, bem pertinho da gente, tem uma pessoa que faz coisas belas e criativas. Noemi Teixeira da Silva tem surpreendido pelos detalhes das suas peças, pela qualidade dos tecidos que utiliza e acabamento impecável empregado nos produtos, não ficando pra trás de grandes marcas do mercado.

Março/2010

Este mês, a agenda cultural da cidade começa a movimentar mais o circuito das artes, incluindo exposições, teatro, noites de autógrafos, e lançamentos de livros e CD´s. Aguarde boas dicas.

Especialização

Gabriela Consalter acaba de realizar mais uma experiência profissional, desta vez em Lisboa, na Malo Clinic, em Portugal, uma das maiores clínicas de implantes e reabilitação oral, e com várias filiais pelo mundo. Gabriela fez residência clínica a convite de Paulo Malo, que fez doutorado na mesma universidade, USC, onde Gabriela cursa seu mestrado.

Gabriela Consalter traz novidades de Lisboa para o Brasil

Posto Ipiranga em frente ao ginásio é modelo para comercial de tevê

Estrela de tevê

O Posto Daudt, que comercializa combustível da marca Ipiranga, foi eleito posto modelo e, por este motivo os próximos comerciais da marca foram gravados aqui. Para quem não sabe onde fica é aquele em frente ao nosso ginásio municipal.

Revista Expansão |

81


[ campo bom ] Juraci Reichert Kako Hubner, Faisal Karam, José Edimar de Souza, Eliane dos Reis e Helena Blos

Colunista juraci_tr@yahoo.com.br

Espaço Moinho de Eventos

Em recente acontecimento no Espaço Moinho de Eventos, a Abdo, Abdo & Diniz Advogados Associados confraternizou com seus colaboradores em noite que teve como tema o ABDOscar, em descontraída brincadeira, mostrando uma perfeita sintonia entre toda a equipe. A Abdo, Abdo & Diniz Advogados Associados completa 20 anos de atividade em maio de 2010. Data que com certeza será muito comemorada.

Campo Bom, Um Lugar Para Ser Feliz é o nome da obra literária lançada em homenagem ao cinquentenário do município no final de janeiro. A obra retrata, por meio de belas imagens e textos poéticos, a vida cotidiana da cidade, sua gente, e o desenvolvimento do município, com momentos inéditos e dados históricos. O lançamento foi na Biblioteca Municipal Professor Antônio Nicolau Orth, no CEI. Com fotos de Kaco Hübner e imagens do acervo público e textos de José Edimar de Souza, o livro é uma verdadeira obra-prima.

Fotos: Divulgação

Campo Bom, um lugar para ser feliz

Jamil Abdo, Nádia Koch Abdo, Dércio Chassot Jr. e Gabriel Diniz

Formaturas

Por acreditar que este dia chegaria, estas pessoas se esforçaram e buscaram os seus sonhos. Merecidamente, venceram e agora os aplausos são todos para eles. Parabéns!

Fernanda Schmitt Petry e o namorado Paulo Cezar Oliveira

Carla Juliana Mônaco, alegria da nova psicóloga

Psicologia

Administração de Empresas Fernanda Schmitt Petry festejou sua colação de grau em Administração de Empresas no Restaurante dos Espelhos, da Sociedade Ginástica Novo Hamburgo. A festa foi animada pelo DJ Gustavo Fischer até o amanhecer. Fernanda, assessorada por Preta Castilhos, escolheu uma decoração rústica, utilizando madeira de demolição, flores e cores tropicais.

Focare/Divulgação

Joel e Isa Reichert/Divulgação

Sistemas de informação Cícero Paes de Oliveira concluiu o Curso Sistemas de Informação, na Feevale. A formatura foi em 16 de janeiro e, após a cerimônia, os convidados foram recepcionados em sua residência, onde houve show ao vivo das bandas Nameless e Los Lapidários.

A conquista de Cícero Paes de Oliveira

Carla Juliana Mônaco teve uma festa inesquecível para comemorar a formatura em Psicologia. Em sua residência, tendo os filhos Gabriela e Oscar como anfitriões, recepcionou os convidados, que se divertiram até o amanhecer, dançando e contemplando um show de fogos, na festa ao ar livre, em clima tropical.

Pedagogia Andrea Lúcia de Souza formou-se em Pedagogia pela Ulbra e foi muito aplaudida pelo marido Leandro e pelos filhos Gustavo e Leonardo.

82

| Revista Expansão

A formanda Andrea Lúcia de Souza

Março/2010


[ sapiranga ] Fotos: Divulgação

cleber arnhold Colunista clar9@terra.com.br

Fórum Social

O prefeito de Sapiranga, Nelson Spolaor, esteve no Fórum Social Mundial 10 anos, que aconteceu no Gigantinho, em Porto Alegre, e teve a presença do presidente Luís Inácio Lula da Silva. Na ocasião, nosso prefeito aproveitou para presentear Lula com uma camisa do FSM em Sapiranga, onde o tema foi a Educação Planetária para Uma Vida Sustentável.

A bonita corte de Sapiranga encantou a todos

Carnaval 2010

Grande público prestigiou o carnaval 2010 denominado Sapifolia. A Avenida João Corrêa lotou de apaixonados por esta festa popular, que mexe com todo o País. As escolas de samba da cidade, Império Das Rosas e Unidos de Sapiranga, fizeram bonito em suas apresentações, onde levaram o grande público ao delírio. A Escola de Samba Cruzeiro do Sul de Novo Hamburgo também se destacou. No palanque oficial autoridades, imprensa e convidados estavam muito animados. A festa foi no sábado, dia 13, estendendo-se até a madrugada do domingo.

Hospital de Sapiranga

O presidente Lula recebendo a camisa do FSM e uma par de sapatos feito aqui em Sapiranga, destinado à Primeira-Dama, Marisa da Silva

95 anos de vida

O Hospital de Sapiranga está, há muito tempo, com dificuldades financeiras e já passou por várias crises e esteve sujeito a fechar as portas. João Edmar Wolff assumiu voluntariamente essa entidade e abraçou todas as dificuldades. Segundo João, é muito triste deixar o hospital fechar, “uma vez que ele foi criado por nossos pais”. Por isso, ele está trabalhando muito e buscando recursos junto a políticos, através de promoções e seu incansável trabalho.

Elenita Herrmann assumiu a administração do Hospital Sapiranga a convite do presidente da sociedade beneficente sapiranguense João Edmar Wolff João Wolff, presidente do Hospital de Sapiranga e o deputado João Fischer, o Fixinha, com o chefe da Casa Civil, Otomar Vivian, onde conseguiram a liberação de 500 mil reais para o Hospital

Dona Frida Leist com a nora Iara e o filho Adalberto Leist Chegar aos 95 anos é uma dádiva, não é para todos, mas a senhora Frida Olga Lauck Leist completou essa idade no mês que passou. Dona Frida é mãe, avó e bisavó e teve festa com direito a bolo e tudo mais. Parabéns!

Paula e Igor

Em 23 de janeiro, Paula Barboza e Igor Berlitz casaram-se. A cerimônia religiosa foi na Igreja Sagrado Coração de Jesus. Os pais do casal, Joana e Luiz Barboza, e Edy e Edêcio Berlitz, estavam felizes com a união dos filhos e foram excelentes anfitriões, no bonito “festerê” que aconteceu no salão social do 19 de Julho.

Março/2010

Revista Expansão |

83


[ Paranhana ] Taquara | Rolante | Igrejinha Três Coroas | Parobé

renata Martins

Beth Esquinatti/Beth Esquinatti Fotografia/Divulgação

As soberanas, rainha Paula Fernanda de Andrade, 1ª Princesa Marion da Rosa (à esquerda) e 2ª Princesa Ana Luísa Rossi receberão os visitantes

Jornalista renata.paranhana@gmail.com

Delícia

A festa mais gostosa da região é, sem dúvida, a Kuchenfest de Rolante, que chega a sua 14ª edição. Na programação shows, atrações e, principalmente, a certeza daquela cuca quentinha saindo dos fornos à lenha no Parque da Cuca. A festa está agendada para 26 de fevereiro e 5, 6 e 7 de março. Mais informações no site www.are.org.br.

Letícia Wolff/Divulgação

Nei Bernardes/Beth Esquinatti Fotografia/Divulgação

Travessia

Camila Muck, de Três Coroas, exibe a leveza das meninas de 15 anos que estão passando para a fase adulta.

Debutando

Letícia Wolff/Divulgação

Letícia Wolff/Divulgação

Vestindo black and white, Caroline Quadros de Souza (ao centro entre os pais), comemorou seus 15 anos em 9 de janeiro, com festa no Clube Comercial de Taquara. Os pais, Clarice e Evaldo, e a irmã, Camila, compartilharam a alegria. A família é de Parobé, mas escolheu Taquara para o evento.

Bodas

Bruna Feller e Diego Vasconcelos, de Igrejinha, após meses de preparativos, casam-se em 6 de março.

Bem viva

Fernanda Kirsch, de Igrejinha, escolheu um cenário nada convencional para registrar sua fase de intensa beleza: um dos cemitérios antigos da região.

84

| Revista Expansão

Março/2010


Adélia Renck/Beth Esquinatti Fotografia/Divulgação

Fotos: Divulgação

Felicidade

Simone Rasslan e banda fazem o espetáculo Xaxados e Perdidos

Homenagem merecida

Um belo espetáculo organizado pela Unimed Encosta da Serra e Sesc/RS vai marcar a passagem do Dia Internacional da Mulher em Taquara. Trata-se do show Xaxados e Perdidos, com Simone Rasslan, e duas atrações locais, em 10 de março, às 20 horas, no Clube Comercial de Taquara. Os convites, todos gratuitos, deverão ser retirados na sede da Unimed, na Rua Federação, 2799; no Sesc, na Rua Júlio de Castilhos em frente à Praça Marechal Deodoro, ou ainda em algum dos escritórios da Unimed na região. O espetáculo Xaxados e Perdidos é executado por Simone, que toca, arranja e canta com uma banda muito afinada com ritmos do passado e contemporâneos. Haverá a participação especial do Sarau com Café e um casal de bailarinos da Lena Diehl Academia de Dança. Nesta noite, que mistura música, dança e poesia, serão apresentadas canções de Gilberto Gil, Dorival Caymmi, Dominguinhos e Almir Sater. O Sarau com Café mostrará textos relacionados com o universo feminino, compondo, assim, um espetáculo inédito no Estado.

Março/2010

Em preparativos para o primeiro aninho de Raphael, que foi comemorado em 30 de janeiro, os pais Nathália e Mycon Silva Pedro fizeram um ensaio fotográfico no Ecoland Parque Hotel, em Igrejinha.

Comunhão

A primeira comunhão é um importante rito de passagem da infância para a adolescência nas famílias católicas. Maria Eduarda Beck (à esquerda, de branco), de Taquara, comemorou este momento com a mãe Carolina Beck e seus convidados, Tiago e Sofia Becker.

Revista Expansão |

85


[ Gramado ] Fotos: Tela Tomazeli/Especial

Tela tomazeli

Bacharel em Turismo tela@telatomazeli.com.br

Bela Vista

Seguem os últimos preparativos do que promete ser uma das maiores casas gastronômicas de Gramado, o Café Colonial Bela Vista, com espaço para 400 pessoas. A inauguração, prevista para a primeira quinzena deste mês, deve ser um registro a nível nacional. O estabelecimento é da família Caliari, que possui tradição, já que foi o primeiro café colonial do Brasil, fundado em 1972.

Exposição Gramado Rural por Tela Tomazeli, durante o mês de abril, período da Festa da Colônia. Imagens do interior de Gramado na época do inverno

Exposição

Será na abertura da Festa da Colônia, no início de abril, a exposição “Gramado Rural”. São 30 imagens, registradas por Tela Tomazeli, durante os dias mais frios de Gramado, onde a geada cobria cada canto das colônias do município. A exposição acontece na Casa da Josephina, novo ponto de gastronomia de Gramad,o na Rua Pedro Benetti.

Damas de caridade

Falando nas Damas de Caridade, a entidade comandada pela primeira-dama, Jandira Tissot, também está engajada na Páscoa em Gramado - Chocofest. Através de uma parceria firmada com a organização do evento, a entidade prepara as fantasias que serão usadas na parada Um Chocamor à Terra e também peças da grife Chocofest para comercialização. “Temos muito a agradecer por esta parceria que vai possibilitar renda que será revertida para os projetos sociais da entidade”, afirma Jandira.

Manuela Sulzbach, Victória e Pietro Sulzbach no carnaval da Sociedade Recreio Gramadense

10 anos

Carla Laidens e Fernando Zanatta estão à frente da Agência Grisè, que comemorou 10 anos em janeiro. Os brindes acontecem na primeira quinzena de março, em festa que deve mexer com clientes e amigos da empresa.

15 anos

Ana e Nestor Kuhn, na nova casa de gastronomia de Gramado, Josephina

86

| Revista Expansão

Vanderlei e Angelita Ecker distribuem aroma de lavanda, num belo convite provençal, que chama para os 15 anos da filha Kimberly Kauana Ecker, na noite de 5 de março, na Sociedade Recreio Gramadense. A festa, com pompa e circunstância pede traje passeio completo e vai movimentar a sociedade local.

Março/2010


Chocofest/Divulgação

Chocofest 1

A Chocofest 2010 acontece de 5 de março a 4 de abril, em Gramado. Será um evento a céu aberto, já que a cidade possui, em suas avenidas principais, todas as lojas de chocolates caseiros.

Fotos: Tela Tomazeli/Especial

Equipe organizadora do Chocofest 2010

Priscila Sanvito e Lisiane Basei em noite de Carnaval

Chico e Rose Terres da Luz, casal à frente do Chocolate Lugano em Gramado, a espera da tão festejada Páscoa a céu aberto

Março/2010

Chocofest 2

A extensa programação deste grande parque de chocolate inclui: Exposição de Ovos Decorados e Customizados com renda destinada, do leilão, para a segurança pública do município, para Fundação Espírita Maria de Nazaré - Lar do Idoso, e para  a Associação de Assistência e Caridade de Gramado.

O secretário do Planejamento e Meio Ambiente de Gramado, Márcio Sorgetz a esposa, Mariela Opitz Sorgetz e a dentista Magali Knorst no Carnaval

Revista Expansão |

87


[ Canela ] Fotos: Divulgação

Dirceu e Maria do Carmo realizaram um cruzeiro na Costa Brasileira, no navio italiano Costa Concordia. Na foto, aparecem em Ilhabela, com o navio ao fundo, luxuoso, que acomoda 3,8 mil pessoas. Um passeio inesquecível

Páscoa em Canela

Sabores de Canela

O casal Silvano Oliveira e Mariana Barbas trocou alianças em 20 de março, com cerimônia da Igreja Matriz e recebem a família e amigos numa super festa no Hotel Continental

Nelson Haas e Elisabeth Bado integram Grupo Só Rindo

Grupo Só Rindo apresentou-se na Taiwan

Em fevereiro os bonecos de Canela do Grupo Só Rindo (Nelson Haas e Elisabeth Bado) se apresentaram na China a convite do Festival Internacional de Teatro de Bonecos de Taiwan. O bonequeiro Nelson Haas recebeu a proposta através do grupo Caxiense Nazareno Bonecos e, juntos, mostraram em Taiwan seus bonecos e técnicas de vanguarda que desenvolvem por aqui. Eles apresentaram as personagens mais tradicionais, entre eles o Anjo e os Fantasmas. É Canela exportando cultura! Para saber um pouco mais, acesse http://gruposorindo.multiply.com/journal

| Revista Expansão

Jornalista fabimicha@yahoo.com.br

A Páscoa em Canela foi iniciada há alguns anos por iniciativa de empresários da cidade. Agora já atrai muitos visitantes no período, principalmente devido à decoração nas ruas da cidade. Neste ano não será diferente e as ruas estarão mais uma vez lindas com muitos coelhos e programação da Semana Santa, como o espetáculo O Semeador, da Academia Neuza Martinotto.

A Garota Verão de Canela é Taís Maciel Rossa, de 16 anos, estudante do 3º ano do ensino médio da Escola Danton Corrêa da Silva

88

Fabiane Michaelsen

A Associação Comercial e Industrial de Canela (Acic), através do Departamento de Turismo, irá promover neste ano o evento Sabores de Canela. A Acic, levando em conta que Canela tem uma variada gastronomia, que prima pela qualidade e diversidade e contempla várias culturas, com atendimento de excelência e deliciosos sabores cuidadosamente temperados, entende que a cidade merece um evento de gastronomia e que o sucesso do mesmo é garantido com a participação das principais casas gastronômicas de Canela. A ideia é buscar a participação de todas as casas gastronômicas da cidade e promover o evento Sabores de Canela, quando todos os que fizerem parte do roteiro oferecerão, além de seus cardápios de sempre, pratos salgados e doces que tenham canela entre seus ingredientes, desenvolvidos exclusivamente para o evento. Juntamente com a Acic, fazem parte da comissão estabelecimentos gastronômicos da cidade. O Sabores de Canela acontecerá de 28 de maio a 13 de junho. O objetivo maior é movimentar e divulgar a gastronomia canelense.

As amigas Vania Cristofoli Aguiar e Marcia Kichller curtiram o carnaval de Canela

Março/2010


[ Nova Petrópolis ] Fotos: Divulgação

Kassandra Dorneles Jornalista kassykassandra@hotmail.com

Aventura natural

Margarida Neumann/Divulgação

Rose Bitencourt/Jornal Nossa Terra

Pingo de Gente

Sabrina Schuster/Divulgação

Garota Verão

A caxiense Sara Oss Emer foi escolhida Garota Verão de Nova Petrópolis. A estudante do curso superior de História representou Nova Petrópolis na etapa regional do concurso, que ocorreu em São Marcos.

Debut

A encantadora Francine comemorou seus 15 anos, em 9 de janeiro, ao lado dos pais Elário e Maria Leoni Zühl, na Sociedade Concórdia, de Linha Imperial.

Essa doçura completou dois aninhos em 15 de fevereiro. Pietra Klack fez pose para a fotógrafa Sabrina Schuster. Uma fofura!

Mural

As trilhas da Cidade Jardim da Serra Gaúcha foram descobertas pelos aventureiros da região. O grupo formado por 20 pessoas de Igrejinha, Estância Velha, Novo Hamburgo e Nova Petrópolis enfrentou mais de quatro horas de passeio. O Ninho das Águias foi o ponto de chegada, oferecendo sua magnífica vista como recompensa pelo cansaço. A trilha ecológica foi uma promoção da Associação Tchon Ji.

>>

O I Ecomma 2010 – Encontro dos Conselhos Municipais de MeioAmbiente acontece de 11 a 13 de março, no Centro de Eventos. Na ocasião, Nova Petrópolis sedia ainda a I Expoeco 2010 – Feira e Exposição de Produtos Sustentáveis.

>>

Nova Petrópolis deve participar do 5º Salão Gaúcho de Turismo, de 18 a 21 de março, no Parque Mário Bernardino Ramos, em Caxias do Sul.

>>

A Magia da Páscoa deste ano contará a descoberta do chocolate pela civilização Maia. O evento ocorre de 25 de março a 4 de abril, no Centro de Eventos.

>>

Kassandra Dorneles/Especial

O Miss Germany Brasil acontece em Nova Petrópolis, em 8 de maio, na Sociedade Tiro ao Alvo. A vencedora do concurso viaja para a Alemanha. Meninas de 15 a 25 anos e de descendência comprovadamente germânica podem participar.

Friends

Carlos Bosa, Érika Alkimim, Rafael Coinete, Paula Schuch, Aline Sornberger, Luciane Franzen, Ricardo Oliveira, Gabriela Wolff e Carolina Irion. Amigos queridos curtindo a noite numa boa.

Março/2010

REGISTRO

>>

A secretária de Administração e Fazenda, Daniela Steffen, assumiu também a pasta do Turismo, após a exoneração de Daniel Sampaio Camargo.

Revista Expansão |

89


[ Encosta da serra ] Dois Irmãos | Estância Velha | Ivoti | Lindolfo Color Morro Reuter | Picada Café | Presidente Lucena Santa Maria do Herval

Sandra Hess

Foto Vogel/Divulgação

Orgulhosos: Stéfani Vogel Fröhlich (ao centro), Patrick Bannach e Stér Vogel; o marido, e Mestre em Educação, Marcelo e o filho Klaus; os pais Dominique e Mercedes Vogel e irmão Stanislau Júnior

O mês de janeiro marca uma dupla conquista para a família Vogel Fröhlich, de Ivoti. Stéfani se formou em Artes Visuais pela Feevale e o marido, Marcelo Augusto Fröhlich, também secretário de Educação do município defendeu a dissertação no Mestrado em Educação pela PUC/RS.

Agenda

Barra de cereal, adoçante, sal e outros produtos têm chamado a atenção de profissionais da saúde. A nutricionista Marisete Baldi, que completa 13 anos de atendimento em seu consultório de Dois Irmãos, conheceu a marca Linea Sucralose e vem recomendando para os seus clientes. Isso porque são mais naturais, pois não contêm a Sacarina, ou seja, não são feitos à base de petróleo. Já o sal da marca possui 66% menos sódio, o que diminui a retenção de líquidos e favorece o emagrecimento. É o algo a mais para diabéticos, hipertensos e gestanMarisete Baldi oferece inovações tes e todos que buscam por uma vida saudável. O nome da distribuidora da marca define a proposta do trabalho. É a Sabor & Saúde, de Dois Irmãos.

90

>> Os preparativos para a grande festa de Picada Café já estão sendo feitos. Na noite de 19 de março, às 20h30, ocorre a 8ª Escolha da Rainha e Princesas, na Sociedade Aliança.

>>

Já virou tradição: no segundo domingo do mês, diferentes produtos são expostos no Núcleo de Casas Enxaimel da Feitoria Nova. É a Feira Colonial de Ivoti, das 9h às 18h.

| Revista Expansão

Fotos: Divulgação

Combinando sabor e saúde 

Stéfani e as Artes Visuais

Marcando presença

Jornalista sandrahess2003@yahoo.com.br

>>

Jorge Steiner assumiu a presidência do Sindicato das Indústrias de Artefatos e de Curtimento de Couros e Peles de Estância Velha, que sucede Charles Augustin. Na vicepresidência, Jacob Immig e Paulo Enzweiler.

>>

A Fröhlich S.A., detentora das marcas Fritz & Frida, Frily e Frilar, comemora 55 anos em 2010. A empresa ivotiense tem como diretorpresidente Lauro Fröhlich, que vislumbrou o negócio aos 13 anos com o pai Alfredo Nicolau.

Lindolfo Collor em festa

De 25 a 28 de março, Lindolfo Collor realiza a 2ª Feira de Tapetes e Artefatos de Couro. A recepção aos visitantes fica a cargo da soberana, Gisele Klein Kellerman (foto). O município está em festa também porque comemora este mês 18 anos de emancipação e trabalha no fortalecimento do título de Capital dos Tapetes de Couro

Março/2010


[ Flash ] Fotos: Divulgação

Quinze minutos de fama

A equipe da agência BMA - Morgana, Bianchi, Marza e Camila - com as atrizes Adriana Birolli e Paloma Bernardi - respectivamente Isabel e Mia, da novela Viver a Vida, da Globo - em ação de marketing direto para a calçados Bottero, durante a Couromoda, em São Paulo.

Descontraídos

Roseli Maturana, Sílvia Zimmermann, Diogo Fernandes e Iara Henemmann curtiram o baile de carnaval do Vermelho&Branco, em fevereiro, da Sociedade Ginástica de Novo Hamburgo.

Final da temporada de Natal

Cerca de 60 pessoas entre familiares e colaboradores da Terra Turismo reuniram-se em 24 de janeiro no Brasil Rafting Park, em Três Coroas, para comemorar o sucesso da última temporada de Natal. Depois de mais de 60 dias de trabalho intenso, o encontro serviu para integrar o grupo e fechar com chave de ouro mais um ano de sucesso da agência, que em 2009 completou 25 anos de atuação em Gramado. A programação do dia foi intensa. Recebidos pela equipe da Brasil Raft, o grupo recebeu as instruções técnicas e motivacionais da equipe para realização do rafting.

Março/2010

Revista Expansão |

91


[ Vale do caí ] São Sebastião do Caí | Bom Princípio Portão | Feliz | Montenegro | Tupandi

Mario Selbach/Divulgação

Édio Otto trein

Colunista ediotrein@terra.com.br

Aniversário

Madalí Lima Schütz/Divulgação

O empresário Cláudio Vogel, de Bom Princípio, reuniu familiares e amigos para festejar o seu aniversário, em 23 de janeiro. Na foto, seus familiares: o filho Cláudio Vogel Filho, Cláudio Vogel, sua esposa Sirlei e as filhas Ana Cláudia e Manuela. O prefeito Darci Lauermann (E), Freiberger, Molling e Bach

Deputado Molling traz verbas para o Caí

O deputado federal Renato Molling esteve em São Sebastião do Caí, em 29 de janeiro, para anunciar as verbas que beneficiarão os caienses, através das emendas parlamentares de sua autoria. A sua agenda iniciou às 8h15min, com o café da manhã na Lancheria Aquarius, no Centro da cidade, com o prefeito Darci Lauermann, o secretário de Planejamento, Desenvolvimento e Meio Ambiente Alzir Bach, vereadores, lideranças municipais e imprensa, quando destacou os recursos. “Durante as eleições cada candidato trabalha pelo seu partido, mas após as eleições, os eleitos deverão trabalhar por toda a comunidade”, disse. Em seguida a comitiva visitou os locais que serão beneficiados. Para a pavimentação das ruas da Vila São Martim serão destinados R$ 344 mil; R$ 100 mil para a construção de uma quadra de esportes coberta, próximo da Escola Municipal Conceição e R$ 195 mil para um ginásio de esportes no Loteamento São José. Além disto, o município teve a ajuda do deputado Renato Molling para a aprovação de R$ 500 mil para a remoção de famílias de áreas de risco de enchentes. O projeto da prefeitura prevê a construção de pelo menos 30 casas para famílias do bairro Navegantes. Estes últimos recursos são do Ministério da Integração. Segundo o prefeito Darci Lauermann, a expectativa é quanto à chegada deste dinheiro que, segundo ele, ainda não está nos cofres da prefeitura. Ao meio dia a comitiva foi recebida na Agrosul Agroavícola Industrial S. A., pelos seus diretores Nestor Freiberger e Milton Bach, respectivamente, presidente e diretor administrativo. Estes mostraram as modernas instalações da Agrosul no abate de frangos. Após, ofereceram um almoço, no restaurante da empresa, para toda a comitiva.

Aniversário em família

Apresentação nacional atraiu milhares de fãs da região e do Estado Mais de seis mil pessoas lotaram as arquibancadas e grande parte do gramado do Juventus Atlético Cultural ocupado, na noite de 20 de dezembro, quando a grande festa do Natal Feliz 2009 trouxe para a cidade de Feliz o fantástico show da Família Lima. Além de clássicos, apresentaram canções próprias e sucessos de compositores nacionais. Um

92

| Revista Expansão

Alex Steffen/Divulgação

Poliana Lopes/Divulgação

Família Lima na Feliz: mais de 6 mil pessoas no show

Ciça Nienow, Poli Lopes, Lucas Lima, Márcia Bohn e Méri Ströher dos grandes momentos foi quando três integrantes do grupo desceram do palco e circularam entre a população, executando vários sucessos. A noite também teve a apresentação de coral, chegada do Papai Noel e distribuição de presentes para todas as crianças. Foi uma noite inesquecível para a população de Feliz.

Março/2010


ST Produções/Divulgação

Os novos pedagogos

Duas formaturas na UCS Vale do Caí

A Universidade de Caxias do Sul, unidade Vale do Caí, realizou duas formaturas. Dia 15 de janeiro foi a formatura de 22 alunas de Pedagogia, na Fundarte, em Montenegro. Em 16 de janeiro a formatura de Administração de Empresas, contando com 38 formandos e mais duas alunas do Curso de Matemática. O paraninfo de Administração foi o professor José Tejada e o de Matemática foi o professor Valdecir Botegga. A formatura de Administração foi presidida pela professora Carmen Cecília Schmitz, diretora da UCS do Vale do Caí. O ato solene de colação de grau foi presidido pelo Magnífico Reitor professor Izidoro Zorzi e a paraninfa foi a professora Carmen Cecília Schmitz.

Em tempos de cuidados com a natureza e meio ambiente, a Betonart, de São Vendelino, entra em 2010 com novas ideias e sugestões criativas para jardins e paisagismo. São os pergolados feitos de concreto. De fácil e rápida instalação, os pergolados conferem muito charme aos jardins. Outro produto da Betonart são os muros-horta. Com eles planta-se e colhe-se chás, temperos e hortaliças em pequenos espaços, inclusive em sacadas de apartamentos.

Março/2010

>>

Montenegro prepara a 3ª Expomonte, de 23 de junho a 4 de julho, no Parque Centenário. Já em 9 de abril serão escolhidas as soberanas da festa, no Clube Rio Grandense. Maiores informações com Marcelo Silva, o executivo do evento, pelo telefone (51) 9238-2037 ou pelo e-mail marcelo.silva@sinos. net

>>

Festa da Bergamota, em São Sebastião do Caí, acontecerá entre 28 de maio a 13 de junho, no Parque Centenário.Os estandes serão locados, com preferência para os produtos e serviços caienses. Ivete Abel/Divulgação

Produtos ecológicos

Rápidas

Divulgação

Formandos de Administração e de Matemática

>>

Baile de lançamento do 43° Festival Nacional do Chopp de Feliz acontecerá em 6 de março, na Associação Cultural e Esportiva de Feliz (Socef). Os Montanari atuarão na parte musical e os ingressos custam R$ 10,00, para elas e R$15,00 para eles. O copo de 400 ml de chope será vendido a R$ 3,00. Reservas e informações pelo telefone (51) 3637-1118. Já o 43° Festival Nacional do Chopp está marcado para os dias 10, 11, 17 e 18 de abril com a presidência de Ricardo Martini.

>>

O Vale do Caí terá representantes no Miss Rio Grande do Sul, que acontecerá em março, em Porto Alegre. Representando Linha Nova, Aryana Jacom;  Montenegro, Elisa Schoenell; Parecí Novo, Elisabete Dietrich e Salvador do Sul, Amanda Lotermann.

>>

Pergolado fabricado pela Betonart, de São Vendelino

5ª Citrusflor ocorre em maio, em Parecí Novo, e tem na presidência Mônica Patrícia Mentz. Ela e sua diretoria são os responsáveis pela organização deste evento.

Revista Expansão |

93


[ Santa Cruz do sul ] Junio Nunes/Divulgação

Sandro Viana e Ana C. dos Santos

Four Comunicação assessoria@fourcomunicacao.com.br

Posse no Sindilojas

Patrícia e Diego em noite de festa

Casamento ao ar livre

Com uma bonita cerimônia ao ar livre, na Associação Atlética Souza Cruz, Patrícia de Almeida e Diego Neutzling Kumm casaram-se em 6 de fevereiro. Com o auxílio dos pais, Martha e Norberto de Almeida e Rosangela e Alfeu Kumm, os noivos recepcionaram dezenas de familiares e amigos, nos ambientes da sede social especialmente decorados pela Kativa.

Lauri Pretzel/Divulgação

O Sindilojas Vale do Rio Pardo empossou sua nova diretoria em solenidade realizada no dia 29 de janeiro, no auditório da entidade. Para os próximos quatro anos, o empresário Henrique José Gerhardt assume o comando do sindicato no cargo deixado por Luiz Eduardo Kothe. Assumiram também o vice-presidente Mauro Spode e os diretores Financeiro, José Otávio Bremm; Administrativo, Hélio Christmann; Relações de Trabalho, RoGerhardt, Schukster e Kothe na noite da posse meu Schneider; Patrimônio, Alberto Bohnen; e Social, Simone May. Entre as autoridades estava o presidente da Federação do Comércio de Bens e Serviços do Estado do Rio Grande do Sul (Fecomércio-RS), Moacyr Schukster.

Fotos: Debora Coelho/Riovale Jornal/Divulgação

Selo de origem

Produtos fabricados em Santa Cruz do Sul ganham seu Selo de Origem. A iniciativa, criada pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, já tem o apoio de 17 pequenas e grandes empresas santa-cruzenses, além das entidades empresariais. Todas elas passarão a usar nas embalagens dos produtos um selo que identifica a origem da produção. “Vamos levar o nome do município para fora dos limites, incentivar a comunidade a adquirir o que é feito aqui, e aumentando o consumo, vamos criar mais empregos e renda”, ressaltou o secretário Jair Jasper, durante a apresentação do projeto aos empresários e secretários municipais.

Carlos Renato Thiel/Divulgação

Marla Hansen e a equipe da Setur

Níver em dose dupla

A secretária de Turismo, Esporte e Lazer, Marla Rejane Fontoura Hansen, e a filha Therry Hansen Jardim, comemoraram seus aniversários em grande estilo, na noite de 5 de fevereiro, na Kingston. Dezenas de amigos e familiares foram abraçar as aniversariantes, entre eles, a equipe da Setur.

Lançamento do projeto que tem intensa programação

Santa Cruz é Joia!

A valorização da produção local é o objetivo do Projeto Santa Cruz é Joia, lançado na primeira quinzena de fevereiro pela Secretaria Municipal de Turismo, Esporte e Lazer. “Com este evento pretendemos dar visibilidade para Santa Cruz do Sul dentro da Rota Gemas e Joias e oferecer um grande evento no primeiro semestre do ano”, ressalta a secretária Marla Hansen. O evento Santa Cruz é Joia está programado para ocorrer entre 15 e 18 de abril, no Parque da Oktoberfest, e contará com exposições, demonstrações artísticas e culturais, feiras com artigos produzidos no município, artesanato, esporte, espaço saúde e praça de alimentação.

94

| Revista Expansão

Marco Jardim, Marla Hansen, Therry Jardim e Marcos Galeano, em comemoração

Março/2010


Patricia Barreto/Divulgação

Luciano Pereira/Divulgação

Doações foram realizadas no fim de janeiro

Órteses e Próteses

A Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), por meio do Projeto de Concessão de Órteses e Próteses, realizou no final de janeiro a entrega de 30 cadeiras de rodas e 14 órteses e próteses a pessoas atendidas das regiões dos vales do Rio Pardo e Taquari. A iniciativa, pioneira no Estado, conta com um trabalho multidisciplinar que envolve os cursos de Fisioterapia, Nutrição, Enfermagem, Psicologia e Serviço Social, além de um médico para atender aos pacientes.

Incentivo à prática esportiva

Suporte para bicicletas

Rodrigo Assmann/Gazeta do Sul

A Stadtbus, empresa santa-cruzense de transporte coletivo, oferece a seus usuários o suporte para bicicletas nos carros que fazem o trajeto do Centro até o distrito de Linha Santa Cruz. Inspirado em modelos europeus, o dispositivo suporta duas bicicletas e não tem custo adicional ao usuário. “Ao mesmo tempo em que estamos colaborando com a locomoção das bicicletas em nossos ônibus, acabamos incentivando a prática do esporte”, destaca o supervisor operacional da empresa, Cristian Venzon.

Novo parque gráfico

A Gazeta do Sul, um dos maiores jornais diários do interior, ao completar 65 anos de fundação, inaugurou no final de janeiro um dos mais modernos parques gráficos do Estado. O evento, que contou com a presença de autoridades e convidados, apresentou a nova rotativa, composta por 12 unidades dispostas em linha, sendo duas torres de impressão a cores frente e verso e cinco unidades de impressão em pretoe-branco. A estrutura permite imprimir, dobrar e cortar simultaneamente até 40 páginas de jornal tablóide, sendo 20 em preto-e-branco e 20 full color, com capacidade de produzir até 34,5 mil exemplares por hora. “Tudo evolui muito rápido, é preciso olhar para a frente. Temos a consciência de que o leitor será cada vez mais exigente e queremos estar preparados para oferecer um jornal à altura”, destacou o diretorpresidente da Gazeta Grupo de Comunicações, André Luís Jungblut.

Março/2010

Revista Expansão |

95


INFORME ESPECIAL

O raio x do desenvolvimento

A

comunidade de Campo Bom está engajada em uma grande ação que tem por objetivo transformar o município em referência no turismo comercial. Entidades representativas da cidade estão unidas para promover Campo Bom usando o que de melhor sua gente tem: o otimismo, a simpatia e a hospitalidade. No final do mês passado, representantes da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), da Associação Comercial, Industrial e de Serviços (ACI), da Prefeitura, da Fundação Cultural de Campo Bom e do Centro Universitário Feevale se reuniram para falar das estratégias da ação, o projeto Turismo Comercial, que tem ainda a participação de clubes de serviço, Lions e Rotary. O projeto nasceu da intenção de integrar segmentos, visando à qualificação dos empreendimentos e o desenvolvimento do município, para atrair pessoas e ações de investimento para solidificar e diversificar produtos e serviços. Para colocar Campo Bom na rota das grandes cidades, o presidente da CDL, Daltro Viega da Rocha, destaca que está sendo desenvolvido um trabalho denominado Inventariação Turística, que consiste, na primeira etapa, em

96

| Revista Expansão

uma pesquisa de campo. “Os estabelecimentos ligados direta ou indiretamente ao turismo da cidade serão visitados (ver tabela abaixo) e seus proprietários ou responsáveis entrevistados, para que se conheça exatamente a realidade econômica da cidade, a partir dos depoimentos dos próprios”, explica a professora do curso de Turismo da Feevale, Mary Sandra Guerra. Igrejas, escolas, prédios históricos, parques, praças, monumentos, centros de tradições gaúcha e alemã, serviços de emergência, entre outros, comporão também o banco de dados. Este trabalho de pesquisa é desenvolvido por estagiários do curso, sob a coordenação da estudante Juliana Kroetz. “É importante, fundamental, que nossos estagiários sejam bem recebidos e que os dados sejam passados com fidelidade. Quem quiser ter mais segurança sobre isso pode, com toda a liberdade, entrar em contato com a Fundação Cultural, pelo telefone 51 3038-3551”, completa Juliana. “É importante que todos tenham a segurança de que estas informações serão preservadas”, completa a assessora administrativa da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários da Feevale, Carolina Strack Rostirolla.

Março/2010


Entidades de Campo Bom se mobilizam para alavancar o turismo comercial

Recursos A secretária executiva da Fundação Cultural, Magda Della Nina, ressalta que sem este trabalho nas ruas não será possível dar seguimento ao planejamento estrutural turístico e que esta pesquisa se traduz em um verdadeiro raio x do desenvolvimento. O secretário municipal da Indústria, Comércio e Turismo, Marcos Riegel, chama a atenção para o fato de que recursos federais para investimentos na cidade são destinados a quem se organiza e apresenta projetos embasados. “Isso vai facilitar qualquer trabalho que dependa de recursos vindos de fora da cidade”, comenta. De acordo com o presidente da Fundação Cultural, Olegário Trott, a preparação da cidade para fortalecer a posição frente ao turismo comercial também tem uma coincidência importante com a Copa 2014. “Trabalhar esta estrutura é importante, vai nos dar um caminho mais tranqüilo”, avalia Trott. Um aspecto importante, destacado

Março/2010

Estagiários da Feevale executam o trabalho de pesquisa de campo com entrevistas

pelo vice-presidente da ACI, César Augusto Ramos, é que, apesar deste trabalho priorizar a excelência no turismo comercial, ele está embasado no aspecto humano, na va-

lorização das relações humanas. “E as pessoas que vêm visitar a nossa cidade já se deparam com o que de melhor existe aqui, os moradores”, completa Ramos.

Revista Expansão |

97


[ CARNAVAL ]

A folia de salão

mais antiga da região Graziela Dannenhauer/Especial

A diversão foi garantida no Salão Social da Ginástica

98

| Revista Expansão

M

esmo que digam, mesmo que falem, o Vermelho&Branco continua sendo uma ótima opção de baile de carnaval na região para quem não quer cair na folia dos desfiles de rua. Dança-se e diverte-se a noite toda em meio à decoração. A Sociedade Ginástica de Novo Hamburgo é a responsável por organizar o carnaval de salão mais antigo do Vale do Sinos e cada vez mais está melhorando. Os foliões não estão mais no embalo só do vermelho e do branco, as cores do clube, eles usam literalmente fantasias de carnaval. Entretanto, não importa a vestimenta, a regra é cair na folia. E são de todos os tipos, claro, que muitos mantêm a tradição de usar as cores do clube que já realiza há 27 anos a promoção. O presidente-executivo da Ginástica, Marcos Bock, avalia e confirma que o Vermelho&Branco é o melhor carnaval de salão da região,

Vermelho&Branco atrai foliões que usam as cores da Ginástica e se destacam pelas fantasias Por Graziela Dannenhauer

atraindo foliões de todas as partes do Estado. “Reunimos mais de 2,5 mil pessoas no salão social e mais uma vez garantimos a melhor folia. Colocamos climatizadores para auxiliar nos ar condicionados e foi, com certeza, um dos carnavais mais tranqüilos que tivemos, sem incidentes”, afirma Bock.

Fantasias Além de beleza, as fantasias e os blocos carnavalescos foram os destaques da festa. Segundo o presidente, a bebida estava bem gelada e foram disponibilizados mais de cem funcionários, entre garçons e seguranças, para garantir o bom atendimento e harmonia do baile. Os foliões vips tiveram área restrita, banheiro e o bar exclusivos. De acordo com Bock, no terceiro dia após o evento, que ocorreu no dia 12 de fevereiro, já começaram os preparativos para a próxima edição. A festa contou com parcerias da Multiclínica e CFC Valderez. As crianças também não ficaram de fora da folia. No dia 16 de fevereiro, aconteceu um grande baile de carnaval infantil, com a animação da Turma do Pirulito.

Março/2010


Fotos: Graziela Dannenhauer/Especial

Revista Expansรฃo |

Marรงo/2010


[ Golfe Classic ]

Torneios de golfe movimentam o litoral gaúcho Fotos: Arquivo FRGG/Divulgação

Luis Carlos Baumgarten

Agenda

Empresário e vice-presidente da Confederação Brasileira de Golfe royal.golfe@terra.com.br

Apaixonados por golfe, iniciantes, veranistas e turistas aproveitaram os finais de semana de sol para apreciar o esporte. Os eventos oferecidos pelos clubes priorizam a qualidade dos serviços e a elaboração de um ambiente confortável e simpático. “Os clubes localizados no litoral gaúcho são sazonais. Portanto, durante o verão, transformam-se no grande ponto de encontro de golfistas de todo o Estado”, destaca o presidente da Federação Riograndense de Golfe, Norton Fernandes.

14 de fevereiro Torneio Beneficente em prol do Instituto do Câncer Infantil do RS Green Village Golf Club Xangri-Lá - RS

6 e 7 de março

Aberto de Rosário Rosário Golf Club Rosário do Sul - RS

12 e 14 de março 1º Etapa Nacional Tour Juvenil Belém Novo Golf Club Porto Alegre - RS

Dois grandes torneios abriram a temporada de golfe 2010 no Rio Grande do Sul. O 4º Aberto de Golfe Florense, realizado no Green Village Golf Club, em Xangri-Lá, em 23 e 24 de janeiro, e o XIII Aberto Cidade de Torres, realizado no São Domingos Torres Golf Club, em Torres, nos dia 6 e 7 de fevereiro.

Gustavo Chuang, campeão do 4º Aberto de Golfe Florense

Apesar do forte calor, que não deu trégua aos jogadores, dois jovens atletas destacaram-se nesse início de temporada. No 4º Aberto de Golfe Florense, no Green Village, Gustavo Chuang ficou com o título, e na categoria Damas, a golfista Marinez Pontes levou a primeira colocação. No Aberto de Torres, Alan Dietrichkeit despontou como promessa e chegou em primeiro lugar. Já Marinez repetiu o bom desempenho de Xangri-Lá e levou novamente a primeira colocação.

Damas em campo

Os primeiros torneios de 2010 já receberam um número recorde de golfistas mulheres que abrilhantaram os eventos e mostraram força e destreza em campo. Presença marcante também de crianças e adolescentes que, desde pequenos, já mostram seu talento. Fica a dica, os interessados em praticar suas primeiras tacadas têm à disposição profissionais permanentes nos clubes, além de ampla infra-estrutura.

Os golfistas Volnei Coelho e Antonio Nagano, no Aberto de Torres

100

| Revista Expansão

Alan Dietrichkeit, campeão do Aberto de Torres, juntamente com os pais Heinz e Gabriela, que também são golfistas

Marinez Pontes, campeã em Xangri-Lá e Torres

Março/2010


Marรงo/2010

Revista Expansรฃo |

101


[ Reportagem Especial ]

clima Na onda do

Meteorologistas esclarecem que intempéries estão dentro do ciclo climático e que população não deve associar estas situações à mudança do clima ou ao aquecimento global

A

Por Graziela Dannenhauer

s catástrofes em algumas cidades brasileiras, como enchentes, enxurradas e desmoronamentos, e as tragédias em outros países, como os terremotos no Haiti e os tsunamis na Tailândia, nos últimos anos, são fatos que tornam difícil acreditar que sejam apenas manifestações cíclicas. Há quem acredite no aquecimento global como fonte destas catástrofes. Por outro lado, outros defendem apenas uma mudança climática natural. Alguns meteorologistas argumentam que estas situações são fatores do ciclo de secas e chuvas normais da Terra que acontecem em intervalos de 25 a 30 anos, aproximadamente, e que a partir daí pode-se trabalhar com previsões. Outros também acreditam no ciclo, mas rebatem que seja necessário muito mais tempo, uma margem de 200 anos, para se poder estudar o comportamento do clima.

102

| Revista Expansão

Para o glaciologista e especialista em Paleoclimatologia (História do Clima), Jéfferson Simões, professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), ainda não existem dados suficientes que permitem um estudo do clima no Brasil muito menos no Rio Grande do Sul. “O que se sabe hoje é nada. Alguns Estados estão mais avançados em seus dados, como São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraná e Santa Catarina. Já os gaúchos não têm cenários registrados para serem estudados, são dados recentes que não permitem um comparativo. Isso é prejudicial”, salienta Simões. Para ele, as intempéries e catástrofes que assolam o Estado são variáveis do sistema climático, dentro do quadro normal. “A comunidade meteorológica já havia previsto um ano intenso de chuvas, sob a influência do La Niña, e de invernos mais frios, com o El Nino”, completa o estudioso.

Março/2010


Graziela Danennhauer/Especial

Alterações climáticas Já mudanças climáticas são alterações entre os períodos cíclicos, ou seja, que modificam o clima e mantém esta característica, diferente dos quadros cíclicos, que apresentam oscilações que são essas vividas atualmente pela população com as fortes chuvas. “Isto não é alteração do clima. E como não temos dados comparativos, não há como afirmar se houve ou não mudanças, mas para anos posteriores, bem mais longos. Entretanto, podemos prever alguns processos para as próximas décadas, daqui a 30 a 40 anos no mínimo. Falar de mudança climática agora é exagero”, afirma o glaciologista. Para o biólogo e meteorologista Eugenio Hackbart, diretor-geral da MetSul Climatologia, de São Leopoldo, – idealizador e fundador do primeiro serviço municipal de meteorologia no Brasil, em 1985, em São Leopoldo, e responsável pela instalação de uma rede de estações de Climatologia Urbana em 15 municípios, junto às prefeituras gaúchas – realmente não se pode falar em mudanças climáticas pois o que ocorre no Estado são variáveis normais do clima. Mas é possível ter um comparativo por seu comportamento com algumas décadas.

Isto não é alteração do clima. E como não temos dados comparativos, não há como afirmar se houve ou não mudanças (...)

Março/2010

O biólogo e meteorologista Eugenio Hackbart é diretor-geral da Metsul, em São Leopoldo, e faz previsões do tempo no município desde 1985

Esfriamento O atual ciclo teve seu auge de calor na década de 90 e agora está havendo um esfriamento – o Ártico, no Polo Norte, está em processo de degelo, enquanto que na Antártida, no Polo Sul, se percebe o aumento das geleiras. E, para ele, não é a mão do homem que ocasiona essa alteração, mas o sol que apresenta ciclos de maior e menor irradiação. “O frio intenso que estamos passando nos últimos anos já foi constatado nas décadas de 50 e 60. O aquecimento global não é irreversível, ele é um comportamento normal do clima”, esclarece Hackbart. Ele é habilitado meteorologista desde 1983 e percebe o clima pela própria natureza. “Aqueles conhecimentos dos antigos, que muitos pensam que são ditados populares, para nós são sabedoria popular”, explica. “Serração baixa, sol que racha”, é um exemplo. Hackbart acompanha o clima desde pequeno e destaca que a mão do homem não está interferindo no aquecimento ou esfriamento global que são causas naturais do comportamento solar. Até hoje, o professor Hackbart atende a várias rádios, jornais, revistas e outros veículos de comunicação gaúchos, principalmente, no Vale do Sinos.

Revista Expansão |

103


[ Reportagem Especial ] Fotos: Divulgação

Glaciologista Jefferson Simões

Painel governamental Para se ter um estudo mais detalhado do assunto e saber o que está se prevendo, o governo federal, por meio dos ministérios do Meio Ambiente e de Ciência e Tecnologia, está implantando neste ano um Painel Governamental sobre Mudanças do Clima no Brasil. Não existem registros que possam garantir estudos detalhados atualmente e o glaciologista Simões é um dos participantes, que responde pela Região do Extremo Sul do País. A proposta é levantar os dados necessários para se conhecer o clima do Brasil e o que pode ocorrer nos próximos 50 anos. Até fevereiro, foram realizadas duas reuniões para discutir a implantação deste painel ainda em 2010. O governo do Estado também, segundo Simões, promoverá o Fórum Gaúcho do Clima, que financiará pesquisas e avaliações na área meteorológica e climática. “O Rio Grande do Sul é um estado que tem como base na sua economia a agricultura e pesquisas nessas áreas são fundamentais”, frisa o glaciologista. “O que se fala hoje são apenas chutômetros”, alega. As alterações no clima para os próximos anos são previsíveis. Entretanto, segundo Simões, as variações podem acontecer nos próximos 20 a 30 anos ou mais; porém, nada de mudança climática. A partir deste estudo, com o Painel, será possível comparar os ciclos climáticos e saber se houve realmente mudanças.

Imediatismo O imediatismo é um processo que gera polêmica e grandes repercussões nos contextos climáticos e principalmente agrícolas. Acaba por haver especulações de determinados assuntos. Para Simões, não existe registros de nada aqui no Rio Grande do Sul e exemplifica, quando ocorre um aumento na temperatura, já se tem dengue batendo na porta. “Não há uma regionalização dos dados. E os que se têm do século 20 são poucos para se fazer um comparativo. Para se ter uma ideia, a estiagem que assolou o Estado em 2004 já ocorreu quatro vezes no século 20 e outras tantas no século 19, onde há ocorrências cíclicas naturais”, explica Simões. E, segundo ele, a mídia compila esses dados e mistura ou enfatiza com outros que não têm relevância. “Isso dá um nó enorme na cabeça da população, que acaba não entendendo o que pode acontecer”, coloca o glaciologista. Para ele, as encostas dos morros que estão desmoronando com as grandes quantidades de chuvas são consideradas má gestão do solo. “O terreno já é propício a deslizamentos, com a destruição da mata ciliar e das vertentes dos ambientes naturais, o que você acha que pode esperar? Se você constrói uma casa ou prédios próximos do local, destruindo toda a proteção de verde e de vertentes que aquela área tinha anteriormente, você acha que sua casa vai estar segura? A água tem que descer por algum lugar e vai abrir caminhos”, observa Simões.

Não há uma regionalização dos dados. E os que se têm do século 20 são poucos para se fazer um comparativo.

Quem diz que isto é normal? Eu digo, é normal. Por isso, se temos invernos rigorosos, os cenários mostram esse argumento. 104

| Revista Expansão

Tanto quanto para Simões quanto para Hackbart, a mão do homem intensifica alguns processos climáticos, mas ele não é responsável por suas mudanças. Como já disse Hackbart acontecem fatos em períodos que impressionam. “É que a expectativa de vida de um ser humano não é maior que o período exigido para se comparar a mudança climática”, explica Hackbart. Conforme Simões, em 1904, Porto Alegre amanheceu nevada. “Quem diz que isto é normal? Eu digo, é normal. Por isso, se temos invernos rigorosos, os cenários mostram esse argumento”, explica Simões. A formação de tornados também não é considerado casos raros. “O que aconteceu é que a população cresceu ocupando áreas descampadas. Com isso, as pessoas passaram a ver mais coisas do tempo acontecendo”, salienta o glaciologista.

Graziela Danennhauer/Especial

Expectativa e visibilidade

Hackbart acredita na irradiação solar

Março/2010


Brasil – País da mística Na década de 60, segundo Simões, quando surgiu o tropicalismo, veio junto a ideia de que no Brasil nada acontece. “Acontece, sim, e bastante, mas a percepção era muito menor que hoje, ou seja, o crescimento da população interferiu nos registros da climatologia”, coloca Simões. O que significa que houve pequenos abalos císmicos (terremotos), tornados, ventanias, enxurradas, raios e outras intempéries no Estado, mas que nunca foram registrados. “A partir do momento que o homem começa a ocupar espaços, que antes eram abandonados, passa a descrever como é o ambiente desse lugar e assim é para muitos que estão indo morar em áreas não habitadas anteriormente.” Para ele, sempre houve fenômenos climáticos mas que estão sendo registrados agora e que permitiram saber o que realmente acontecia aqui no Brasil. “Não temos histórico para saber o que acontecia. E o Painel vai ajudar a mudar isso”, salienta o glaciologista. “Não somos um país isolado de intempéries e precisamos estar conectado com o mundo e saber o que acontece nele também para podermos nos prevenir. É preciso um parâmetro para poder comparar as situações”, finaliza Simões.

Março/2010

Simões participou de excursões à Antártida, no Polo Sul, onde pesquisou sobre as geleiras. Ele destaca os fenômenos cíclicos como ações naturais

Revista Expansão |

105


[ meio ambiente ] Divulgação

Igrejinha se mobiliza

pela Terra Sindicato da indústria calçadista trabalha em parceria pela reciclagem e reaproveitamento de resíduos em couro e laminados sintéticos Por Aline de Melo Pires

106

| Revista Expansão

Março/2010


A

indústria calçadista é uma das que mais produzem resíduos. Seu processo de produção justifica um imenso volume de sobras que, diariamente são descartadas e, que, na verdade, podem e devem, ser reaproveitadas. Por meio de um trabalho de conscientização e muito empenho, em Igrejinha, no Vale do Paranhana, as fábricas de sapatos estão trabalhando para destinar corretamente seus resíduos de forma a preservar o meio ambiente. Com parcerias e um grande envolvimento da comunidade, toda a sociedade igrejinhense se mobiliza para cuidar do lugar em que vive. A iniciativa consiste no programa Caminho Sustentável – A Opção Consciente. Uma das propostas deste programa estabelece um acordo por meio do qual o Sindicato das Indústrias de Calçados, Vestuário e Componentes de Calçados de Igrejinha (Sindigrejinha) assinou um contrato, com cinco anos de vigência, com a empresa Cimpor Cimentos do

Março/2010

Brasil para destinação final dos resíduos Classe II (são os que não apresentam periculosidade, porém não são inertes; podem ter propriedade, como combustibilidade, biodegradabilidade ou solubilidade) em água das 65 empresas filiadas à entidade. O programa também passou a ser signatário do Global Compact, da Organização das Nações Unidas (ONU). A iniciativa mundial busca mobilizar a comunidade empresarial para a adoção de valores reconhecidos internacionalmente em direitos humanos, relações de trabalho, meio ambiente e combate à corrupção. O Sindigrejinha foi o primeiro sindicato a aderir a este projeto. Para se ter uma ideia, pelo acordo com a Cimpor, o sindicato enviará por mês cerca de 300 toneladas de resíduos (compostos de laminados de PU, EVA, palmilhas dubladas, sola SBR, entre outros) para a unidade da Cimpor, em Candiota, onde este resíduo industrial será queimado e transformado em energia nos fornos de clínquer. A expectativa é de que estes resíduos possam substituir cerca de 10% do petróleo usado atualmente nos fornos. Na área calçadista, este é o primeiro acordo realizado no Estado, sendo que a empresa já possui parceria semelhante em João Pessoa e em São Paulo. Segundo o coordenador do programa Caminho Sustentável, Luis Coelho, a entidade aguarda somente a liberação oficial da Fepam. “O maior volume de produção de resíduos na indústria calçadista de Igrejinha é de laminados sintéticos, muito mais que o couro”, comenta Coelho.

Revista Expansão |

107


[ meio ambiente ] Fotos: Divulgação

As valas recebem os lixos que poderão ser transformados em energia e matéria-prima para fabricação de cimento

Solução sustentável

O co-processamento destes resíduos evita a sua disposição no meio ambiente e os transforma em energia e matéria-prima.

Renato Klein, presidente do sindicato, satisfeito com as projeções

108

| Revista Expansão

Trata-se, de acordo com o presidente do sindicato, Renato Klein, de uma alternativa que condiz com o desenvolvimento sustentável. “Pois, o co-processamento destes resíduos evita a sua disposição no meio ambiente e os transforma em energia e matéria-prima para a fabricação de cimento. É uma excelente solução, sendo este um dos objetivos do nosso programa Caminho Sustentável”, comenta Klein. O presidente da Cimpor Cimentos do Brasil, Alexandre Roncon de Garcez Lencastre, ressalta a importância deste acordo que, segundo ele, encontra uma solução sustentável para ambas as partes. “Para nós, é uma substituição térmica ao combustível tradicional que usamos atualmente e para o sindicato é a destinação final deste tipo de resíduo”. O contrato envolve valores na ordem de três milhões e 960 mil reais nos próximos cinco anos. A Cimpor é um grupo cimenteiro internacional, que está entre os maiores no ranking mundial. Sua capacidade de produção é cerca de 31 milhões de toneladas/ano, com clínquer próprio. Luis Coelho ressalta ainda a parceria que já foi estabelecida no ano passado com a empresa Ilsa Brasil, instalada em Portão. Para lá são enviados resíduos de couro, que são transformadas em adubo. Uma das empresas que trabalham esta consciência é a Usaflex. Por meio da reciclagem, a empresa transforma o couro em um subproduto usado para adubos e os restos das solas de calçados são moídos, reciclados e utilizados para a fabricação de novas solas. De acordo com o diretor da Usaflex, Juersi Lauck, a empresa descartava anualmente cerca de 1,25 mil metros cúbicos de resíduos, o que representava um volume de 37 contêineres de materiais.

Março/2010


Marรงo/2010

Revista Expansรฃo |

109


[ Pensando Bem ]

César augusto corrêa da Silva Empresário cesarcor@terra.com.br

A questão está em quais escolhas, mais certas e equilibradas, que geram felicidade. Senão, de que adianta ter algum deles sem saber usar e só abusar?

110

| Revista Expansão

Sexo, Narcisimo, Poder e Dinheiro?

Quer mais? Q ue quarteto hein!? Se usados em excesso podem trazer várias dores de cabeça. Uma combinação explosiva que não perde em nada para nenhuma fantasia, por mais ousada que seja. Os sete pecados capitais são os mais conhecidos. Será que essa turma esta por aí, desenfreada ou equilibrada? Nunca, em toda história da humanidade, o sexo foi tão escancarado como agora. Foi uma bela conquista o fato de ter saído do “armário”, desde Freud, mas a sua dissociação quase completa da sua parceria com o amor fez dele o oposto do romantismo. Transar é bom, quanto mais, melhor, e faz bem à saúde, de preferência, com uma variação incontável. Nada como aproveitar a vida. É ótimo, mas a vida se resume somente a ele? O Narcisista, vaidoso de si mesmo, esse também é uma figura dos nossos tempos e de outros. Muitos confundem autoestima com vaidade ao extremo. Nada compatível. O indivíduo que “se acha” é muito diferente daquele que acredita em si, respeitando os outros. O fato de acreditar ser mais do que é, em realidade, faz como que se percam várias oportunidades que só a humildade traz. Nada mais chato do que alguém narcisista, e, mais ainda, nada mais inoportuno. Cuidar-se é bom demais, mas idolatrar-se a ponto de acreditar-se o “último dos moicanos” é um abismo fronteiriço entre a loucura e a insensatez. O Poder é necessário e, se bem utilizado, traz benefícios mil. O que normalmente se vê é o seu abuso. É quase uma necessidade citar Maquiavel, que conhecia a natureza humana como poucos quando afirmava que só se conhecia o homem

quando se dá poder a ele. Poder: use e não se lambuze! É fácil? Nada disso! Experimente que você vai ver. Desde uma pequena responsabilidade até uma enorme tarefa, ele está presente. Uma questão é certa: quem não sabe lidar com pequenas coisas, não terá sucesso nos grandes desafios. E o Dinheiro. Chico Xavier dizia que o dinheiro é o sangue da vida. Quando ela não circula, gera coágulos no sistema, trancando em algum lugar. É utopia dividir a fortuna do mundo pelo número de habitantes e, com isso, resolver os problemas mundiais. E as grandes obras necessárias que não seriam realizadas, como ficariam? Será que se acredita que todos saberão administrar corretamente sua pequeníssima fortuna? Será que rapidamente esse dinheiro não estaria com aqueles que melhor sabem administrá-lo? A questão não é quantidade e sim, qualidade. Caberia uma pergunta simples em relação ao dinheiro, para reflexão: você é dono dele ou ele é seu dono? A obstinação pela posse pode levar a uma série de problemas. E quando não se tem, é o fim? Ele ajuda sim, mas nem sempre traz a felicidade. De que adianta dinheiro sem amor na vida, amigos de fé ou sem família para compartilhar os bons momentos de conquista? Estas quatro figuras fazem parte da vida de todos nós, independentemente de raça, cor, classe social, escolaridade ou status. É tão certo quanto a morte que você tenha que lidar com eles. A questão está em quais escolhas, mais certas e equilibradas, que geram felicidade. Senão, de que adianta ter algum deles sem saber usar e só abusar?

Março/2010


[ MULTIMÍDIA ]

Infalível

Avatar

A minha dica de filme é Plano B – A América contra o comumismo, de Roger Spottiswoode. É um filme que retrata bem a queda do comunismo na Rússia. São três estrategistas políticos americanos de grande sucesso, que foram contratados pela elite da Rússia para convencer o povo um reeleger Boris Yeltsin para desbancar o comunismo de uma vez por todas. Mas eles acabam sabendo demais e são corridos do país. O filme é baseado numa história real. Vale à pena conferir.

A minha dica de leitura é A Cantada Infalível, seguido de A Mulher do Centroavante e Outras Histórias, do David Coimbra. São histórias curtas, leves e muito divertidas. O interessante é que qualquer acontecimento pode, por ele, transformar-se imediatamente em momentos de imenso  prazer para quem gosta de ler. O grande alvo geralmente são as mulheres, que em situações  comuns, ou  não,  são as personagens que surpreendem com suas atitudes e com seu jeito de ser. Vale à pena conferir.

Indico o filme Avatar, por se tratar de uma belíssima aventura que encanta tanto crianças, quanto adultos. Gostei muito, não só por ser uma novidade tecnológica, afinal foi todo produzido em três dimensões, mas porque o filme aborda importantes questões da natureza. Os personagens principais se relacionam muito bem com o ambiente onde vivem. Eles consideram a natureza como uma valiosa fonte de vida e, portanto, protegem animais e plantas, vivem em harmonia com todos os seres vivos.

Rafael Mallmann Diretor-administrativo do Irga Porto Alegre

Marines Teckemeier Coordenadora da 28ª Feira do Livro Ivoti

João Daniel Tasso Caraffini Secretário-geral de Sapiranga Sapiranga

Filme: Plano B – A América Contra o Consumismo, diretor: Roger Spottiswoode

Março/2010

Livro: A Cantada Infalível, seguido de A Mulher do Centroavante e Outras Histórias, autor David Coimbra, editora L&PM Editores

Fotos: Divulgação

Plano B

Filme: Avatar, diretor James Cameron

Revista Expansão |

111


[ lado b da publicidade ]

redacao@revistaexpansao.com.br

dez afirmações de... As

Ortopé e RBA

Bendito Design ganha prêmio

Novas contas

A Bendito Design ganhou o Grande Prêmio Design Ambiental do Ano no 1º Prêmio Colunistas Design Brasil 2008/2009, promovido pela Associação Brasileira dos Colunistas de Marketing e Propaganda. Este prêmio foi com o display magnético para a Olympikus, que faz o tênis flutuar dentro das lojas. Ela também conquistou o Grande Prêmio de Empresa de Design do Ano.

A Duplo M passa a responder pela comunicação da Calçados Bebecê. A agência vai desenvolver ações para as três marcas do grupo: Bebecê, Soft e Renata Moraes. Com 12 anos de atuação nos mercados gaúcho e nacional, a Duplo M tem em sua carteira, clientes como Claro Digital, SLC Alimentos, ESPM e DHZ Construções.

Pcom inaugura nova sede

Zipper é a mais nova agência

Dando continuidade às ações de upgrade iniciadas em janeiro, a Pcom - Marketing Estratégico, de Novo Hamburgo, inaugurou em dia 8 de fevereiro a sua nova sede. O espaço fica na Rua Benjamin Constant, 378, sala 2, no bairro Ideal, em Novo Hamburgo. A empresa vai investir fortemente na prospecção de novos clientes, diversificando os segmentos. Informações www.pcom.com.br.

A agência de publicidade e propaganda Zipper promete pioneirismo no mercado. Instalada em Porto Alegre, a Zipper vem a atender ao público exigente que busca soluções e estratégias convergentes, e é composta por Renato Malta, Guilherme Medaglia, Luis Zaquera, e Ricardo Serpa (foto), a agência vai dar ênfase às novas mídias. Contatos www.agenciazipper.com.br

Publivar.on inova em equipe e clientes A Publivar.On Comunicação, de Porto Alegre, começa 2010 inovando. Além de ampliar sua cartela de clientes, com a Bellagres; Cia Provincia de Credito Imobiliário; Jornal do Comércio e a Opadec, também conta com novo sócio, Samir Salimen. Mariella Cardoso, Fernanda Machado, Luiz Henrique Borges, Alexandre Schmitt, Renato Ortiz, Silvia Scliare Rafael Cruz também integram a nova equipe. Os demais sócios Vicente Muguerza, Fernando Garros, Thiago Borges e Mauro Lima projetam um crescimento de 67% no primeiro trimestre.

112

| Revista Expansão

Fabrício Carlson Magayevski, 26 anos, diretor de

...

Negócios e Marketing, especialista em Marketing Estratégico pela ESPM-RS, que possui um norte bem claro em sua rotina profissional: a organização. Responsável pelo atendimento dos clientes e negócios da empresa, é sócio da Pcom desde 2008, quando a fundou com mais dois sócios: Cássio Medeiros e Paulinho Teixeira. Hoje a estrutura conta com mais um sócio: o publicitário Fábio Machado. Seu conhecimento foi aprimorado com cursos de especialização em San Diego, EUA. Magayevski Formou-se em Publicidade em 2007, pela Feevale. Em 2002, fez o seu ano primeiro estágio na área.

Fotos: Divulgação

A marca de calçados infantis Ortopé patrocinou o 14º Congresso Brasileiro do Calçado, realizado na última Couromoda, dentro da programação da Couromoda 2010. Com o auxílio e orientação da RBA Publicidade, de Novo Hamburgo, o patrocínio ocorreu de forma diferente - a marca se manteve oculta durante todo o período pré-congresso, apenas revelando sua identidade no dia do evento. Na oportunidade, houve exibição do coral Canarinhos da Terra, de Campinas, em São Paulo. O grupo faz parte de um projeto social com mais de 300 alunos e apresentou várias versões para o jingle da marca, cuja nova letra foi desenvolvida pela RBA.

1) Ser publicitário é: Trabalhar diariamente com uma mistura de estratégia de negócios e sacadas criativas 2) Viver a sua profissão é: Não ter uma rotina e saber lidar com o “novo” 3) Ética e criatividade são: Palavraschave nos negócios 4) O Pelé da criação é: Matias PalmJensen, Farfar 5) As redes sociais são: Uma experiência transformadora, com grupos de interesse cada dia mais definidos 6) Uma marca:  Mercedes Benz 7) Uma boa publicidade é aquela que: Agrega valor a marca e vende sem iludir 8) Seu momento inesquecível na área foi quando: Pisei pela primeira vez na sede da Pcom 9) Cliente bom é: O que ajuda a aliar experiência e estratégia 10) Principais clientes: B&C Speakers Brasil, Bombas Geremia/Johnson Screens, Mello Materiais de Construção e Garagem dos Cheffs

Março/2010


[ SOUNDS ]

Em nome do

orgulho gaúcho Q “

uero cantar o que é nosso, nossa história e cultura.” Em quase 20 anos de carreira, o cantor portoalegrense Luiz Marenco retrata, por meio de suas músicas, a vida rural no Rio Grande do Sul. Ao longo de sua carreira gravou 18 CDs e dois DVDs. Sua voz é conhecida em vários estados brasileiros, no Uruguai e na Argentina, com participação em CDs de artistas folcloristas locais. Marenco acredita que sua música deva transmitir uma mensagem, por isso exalta o povo gaúcho, seus costumes e trabalho. “Canto com profundo respeito e amor por nossa terra”, conta. Entre suas referências estão Jayme Caetano Braun, Noel Guarany e João de Almeida Neto, além do uruguaio Alfredo Zitarosa.

Lançamento

Cantor tradicionalista Luiz Marenco projeta CD infantil e participa de iniciativa cultural Por Vitória Fischer Schilling/Estagiária

Apresentações Em março, Marenco participará do Projeto Música em Movimento, iniciativa da empresa Souza Cruz, que levará atrações musicais às comunidades rurais dos municípios de Barros Cassal, Canguçu e Vera Cruz. As apresentações, que acontecem nos dias 14, 21 e 28 de março, respectivamente, terão a participação do cantor e da Orquestra Municipal de Teutônia, e serão realizadas em locais públicos com entrada franca.

Março/2010

Divulgação

Neste ano, Marenco quer trazer sua mensagem também para as crianças. Ainda sem data prevista para lançamento, o CD Contos em Canto foi uma ideia do cantor para preservar as raízes e transmitir a riqueza do folclore do Sul do Brasil para o público infantil. “As crianças devem conhecer a sua história, os usos e costumes do povo gaúcho, formando cidadãos compromissados e responsáveis com a sua identidade local e cultural.” O Contos em Canto será o primeiro CD infantil de Marenco e ele quer que todos tenham acesso à cultura presente nele. Por isso, nos eventos de lançamento – até agora estão previstos três, em Pelotas, Porto Alegre e Caxias do Sul - será disponibilizado um intérprete de libras, para deficientes auditivos. Parte da tiragem terá encarte com as letras em braile, que serão disponibilizados sem custos para deficientes visuais. O projeto cultural prevê também a distribuição de parte dos CDs para escolas municipais, bibliotecas, CTGs e instituições sociais. Ele foi viabilizado junto à Lei de Incentivo à Cultura (LIC) e habilitado para a captação de recursos.

Revista Expansão |

113


[ Teatro ] Fotos: Divulgação

Na busca pela

alma gêmea E

é na busca por essa alma que a peça teatral Como Agarrar um Marido Antes dos 40, de Claudio Benevenga, se baseia para satirizar e garantir as risadas do público. O espetáculo está no seu segundo ano de sucesso e já foi assistido por mais de 50 mil pessoas. O grupo estará pela primeira vez em Novo Hamburgo, apenas para duas apresentações no Teatro Municipal Paschoal Carlos Magno, no Centro, nos dias 13 e 14 de março.

114

| Revista Expansão

Comédia chega a Novo Hamburgo dois anos após sua estreia e terá única apresentação no Teatro Municipal Paschoal Carlos Magno De acordo com o diretor e criador da peça Claudio Benevenga, a comédia vai revelar os segredos que nem Santo Antônio descobriu. Ele também é autor do consagrado sucesso Como Emagrecer Fazendo Sexo. “Este espetáculo aborda de forma divertida e bem-humorada um dos assuntos mais badalados do mundo contemporâneo: a busca pela alma gêmea”, explica o diretor.

Março/2010


Serviço: O quê: Como Agarrar um Marido Antes dos 40 Quando: 13 de março, às 20h30min, e 14 de março, às 19h30min Onde: Teatro Municipal Paschoal Carlos Magno, Rua Engenheiro Ignácio Cristiano Plangg, 66, em NH Contatos: (51) 3593-2013 ou 3594-3946 Quanto: R$ 20,00 (no local), R$ 15,00 (antecipado no Teatro Municipal e na Valentine Boutique, Rua Joaquim Nabuco, 803) e R$ 10,00 para idosos e estudantes

Março/2010

A história Lúcia (Marlise Damine), uma bem-sucedida advogada, percebe que vai fazer 40 anos e ainda está solteira. Ela entra em total desespero e resolve achar de qualquer maneira um marido nos seis meses que ainda lhe restam antes da fatídica data. A história conta todas as investidas, atropelos e aventuras da protagonista, sua melhor amiga recém separada (Suzi Martinez) e sua empregada de santo forte e língua afiada (Denizeli Cardoso).

Revista Expansão |

115


[ PERSONALITY ]

116

| Revista Expansão

Por Aline de Melo Pires

Poeta gaúcho mostra que a afinidade com a mulher nasce da compreensão de sua essência

Carpinejar Carpinejar diz que quando conseguir se definir deixará de ser poeta. “O poeta é poliglota no próprio idioma. Enquanto alguns têm interesses, ele tem desejos. Para o poeta, um cisco é artesanato, ele não quer se fechar, não se encerra em uma definição. Estou aqui para reabrir certezas.” A afinidade que tem na linguagem com as mulheres se explica pela presença de uma característica feminina latente em sua personalidade, se define como dispersivo. E isso não é ruim, garante. Isto, ao contrário do que pode parecer, não se traduz em pressão para escrever

Renata Stoduto/Divulgação

Afinidade

to de mulher que pega no pé, sim, que se importa com o que estou fazendo. É a mulher que ama”, considera. O teor do novo livro de Carpinejar resume bem sua essência e sua postura. Nascido em Caxias do Sul, foi na cidade serrana que ele diz ter aprendido a ser “farofeiro”. “Herdei esta característica de gringos”, brinca. Terceiro dos quatro filhos dos também poetas Maria Carpi e Carlos Nejar, é formado em Jornalismo, pai do Vicente e da Mariana. Autor de 14 livros é um dos mais requisitados em todo o Brasil, foi indicado três vezes a patrono da Feira do Livro de Porto Alegre. Já fez mais de mil palestras em dez anos de produção literária, sem contar os inúmeros prêmios recebidos ao longo de sua carreira, como Prêmio Nacional Olavo Bilac 2003, da Academia Brasileira de Letras, com Biografia de uma Árvore, escolhido o melhor livro de poesia de 2002. É mestre em Literatura Brasileira pela Ufrgs.

“Tenho desejos, não interesses”

D

izem que o homem detesta mulheres que “pegam no pé”, daquelas que ligam toda hora, querem saber com quem estavam, onde foram, quem ligou, entre muitas outras desconfianças. Só que, ao contrário do que muitos podem crer, isso não é regra. Um, pelo menos, já não se enquadra neste time. Falamos aqui de um poeta, que parece transmitir em suas palavras tiros diretos ao coração feminino, como poucos conseguem fazer: Fabrício Carpinejar. Ele se prepara para lançar um livro com esta temática. Até a metade do ano, as livrarias devem receber Mulher Perdigueira, pela editora Bertrand Brasil. E neste mês em que as homenagens giram em torno da mulher pelo 8 de março, nada melhor do que conhecer um pouco mais deste homem, inspirado pela presença da médica Cinthya Verri, que em cada palavra escrita faz um constante elogio à existência feminina. “Gos-

diretamente ao público feminino. O homem, continua, precisa deixar de ser caricatura, a mulher gosta da afirmação, quer uma continuidade. Talvez esteja aí o segredo do poeta, entender esta diferença que, na maioria das vezes acaba por afastar ainda mais os opostos. Ele ilustra isso com uma comparação a um par de sapatos. “Um sapato exige uma calça que combine, a calça precisa de uma camisa. A mulher sempre pensa além. O homem se encerra no sapato”, filosofa. Saiba mais sobre o poeta no blog www.carpinejar.blogspot.com ou siga-o pelo twitter, www.twitter.com/carpinejar/.

Março/2010


Marรงo/2010

Revista Expansรฃo |

117


[ ARTE ]

Mai Bavoso,

o artista de todas as estações Fotos: Andrea Hilgert/Divulgação

Com novo espaço no litoral gaúcho ele prepara futuros talentos durante oficinas e fala da sua paixão por estimular a arte

Por Aline de Melo Pires

118

| Revista Expansão

N

a comemoração dos 10 anos ininterruptos de circulação, a Revista Expansão fez a diferença. O troféu que destacou as personalidades e empresas reconhecidas durante a entrega do Prêmio Distinção Expansão 10 Anos, no final do ano passado, foi uma verdadeira obra de arte que, certamente, não será apenas um troféu em alguma prateleira, até porque ele não pode ficar em uma estante. A publicação reconheceu os destaques da sociedade presenteando cada escolhido com uma mandala, criada pelo artista plástico Mai Bavoso, um dos maiores nomes entre os artistas brasileiros. Objeto de decoração, apreciação ou místico, o certo é que a mandala, independente de crenças ou preceitos, tem emanado muita energia boa. A começar pelas mãos de quem a idealizou. Acostumado a pintar telas, Mai conta que se sentiu extremamente honrado com o convite da direção da revista. E logo tratou de se aprofundar nos significados e simbologias representados através de uma mandala. “A mandala faz referências a símbolos ligados à comunicação, imediatamente percebi o elo com a história da Expansão”, explica o artista, ao afirmar que este contexto também simboliza sua própria maneira de viver. “O título da revista é perfeito, isso tem sido percebido ao longo de sua história e foi esta emoção que busquei traduzir nos traços”, completa.

Março/2010


Círculo de energia E Mai segue espalhando sua energia boa entre os amantes da arte e entre quem ainda aprende a gostar dela. Para colorir o verão dos turistas e moradores do litoral norte, ele montou, recentemente, um atelier em Capão da Canoa, onde uniu cultura, arte e um bom café. Ali, como em um doce recanto, Mai exercita sua maior paixão: estimular e difundir o gosto pelos traços e formas. “As pessoas costumam reclamar que não entendem de arte, mas a culpa é justamente de quem faz a arte”, considera. Para ele o artista tem a obrigação de falar de arte mesmo para quem não compra quadros seus. “O que tenho de contemporâneo não é minha pintura, é a minha postura”, observa. No espaço de Capão da Canoa, localizado no Café Cultura, bem no coração do agito litorâneo, Mai também ministra oficinas para crianças. No Paseo Kolman, os pequenos têm acesso ao mundo mágico das artes de forma divertida, lúdica e com um mestre marcado pela sensibilidade. “Eu O que tenho de nunca tinha ensinado, achava que tinha que contemporâneo não aprender tudo, então, percebi que a gente é minha pintura, é nunca aprende tudo, assim temos de comminha postura. partilhar o que sabemos”, conclui. Mai se divide entre o Vale do Sinos, região que o acolheu, e Campos do Jordão, em São Paulo, estado onde nasceu. Com “matriz” em Novo Hamburgo, também mantém espaço naquela cidade onde cria durante o inverno. No entanto, admite que o charme da Serra Gaúcha exerce todo um charme sobre sua criatividade.

Março/2010

Sua inspiração lhe rende quadros onde expressa o gosto pelos traços e formas

Revista Expansão |

119


[ TRADIÇÃO ]

O tempo do pai para a filha Fotos: Graziela Dannenhauer/Especial

A peça de maior sucesso criada por Remi é o relógio que funciona ao contrário, exclusividade inspirada em pedido de cliente

E

la tem apenas 25 anos e já sabe fazer quase tudo que o seu pai faz. O nome dela é Aline Scheffler e o seu pai chama-se Remi Scheffler, 49 anos. O avô de Aline, Waldo Erich Scheffler, já falecido, ensinou tudo para o seu filho, que aprendeu desde a infância, quando ainda não enxergava por cima do balcão, sobre as engrenagens do relógio. Aprendeu tão bem que, em 1985, criou um relógio que funciona ao contrário, muito usado em salões de beleza e por curiosos e admiradores de peculiaridades. Aline salienta que “pega” junto com o seu pai na loja, situada na Rua Bento Gonçalves, 2.236, Centro de Novo Hamburgo, mas que seu maior desafio ainda é construir, assim como ele, um relógio ao contrário. “Essa eu terei que aprender sozinha, mas eu consigo. Porém, é um desafio”, alega a jovem.

120

| Revista Expansão

Relojoaria hamburguense mantém a tradição em consertar relógios e filha segue a profissão do pai Por Graziela Dannenhauer

Remi e Aline atenderam a reportagem com muito carinho e atenção, características que são notadas assim que se entra na relojoaria. O atendimento se mantém como sempre foi desde a época de seu Waldo – com confiança e credibilidade. As pessoas trazem joias para serem transformadas em outras peças e a confiança de que a peça de ouro será mesmo transformada em uma outra joia é tão grande, que até hoje avós e avôs recomendam aos seus netos os serviços da Scheffler. “Já tivemos três gerações comprando anéis de noivado aqui”, lembra Remi. É a tradição que se construiu em mais de meio século de empreendimento. Waldo começou seu negócio em Rolante, onde atuou por oito anos, e em Novo Hamburgo completará 50 anos de serviços prestados à comunidade regional em 2012.

Março/2010


Tempo inverso E a inovação é algo que acompanha a família – que também tem Felipe, 22, irmão de Aline, mas que não trabalha na área –, como a ideia do relógio inverso, que já rendeu a Remi muitas histórias e entrevistas a veículos de comunicação. Desde 85 até hoje, Remi já fabricou cerca de mil unidades do relógio ao contrário. “Um cliente me desafiou, quando retornou da Suíça, a construir um relógio assim. Lá, ele viu a ideia e quis um, mas o relojoeiro não lhe vendeu por ser peça única. Daí passou quase um ano até que consegui construir o aparelho. Entretanto, só pode ser feito com relógios a quartzo”, conta Remi, que não revela o segredo. Outra inovação que está para vir é a ampliação da relojoaria em ótica também. Aline está estudando para isso e daqui a uns anos toda a loja será reformulada. Os conhecimentos que ela adquiriu no curso de Arquitetura lhe auxiliam na fabricação de relógios exclusivos. “Fazemos atendimento personalizado e construímos a peça que o cliente desejar”, destaca. Com toda essa dedicação, a relojoaria já adquiriu vários prêmios em sua trajetória. O mais recente é o Prêmio Master Diamante, em 3D, que tem o rosto de Remi desenhado no troféu.

Março/2010

Remi ensina Aline todo o seu conhecimento em relógios

Revista Expansão |

121


[ TUDO PELO SOCIAL ]

Eu posso crescer Sheraton/Divulgação

Adolescentes têm oportunidade de aprender uma profissão por meio de projeto social que estimula a responsabilidade das empresas

Q “

uando iniciei o curso tinha 15 anos e não me imaginava trabalhando em meio à sofisticação de um hotel cinco estrelas, pois minha família é humilde. O Pescar me trouxe conhecimento, trabalho e oportunidades. Hoje transito com naturalidade pelos salões do Sheraton e tenho a profissão que desejava”, conta Álvaro Luis Nunes Centeno. Ele é um dos 30 adolescentes em situação de vulnerabilidade social que já se formou no curso Iniciação Profissional em Turismo e Hospitalidade, desenvolvido desde 2006 pelo Hotel Sheraton, em Porto Alegre, por meio do projeto Pescar. A iniciativa permite que jovens consigam ingressar no mercado de trabalho e tenham uma vida de mais oportunidades.

O Pescar me trouxe conhecimento, trabalho e uma oportunidade imensa de crescimento pessoal e profissional. 122

| Revista Expansão

Sheraton oferece curso gratuito a jovens em vulnerabilidade social para aprendizado em rede hoteleira Por Vitória Fischer Schilling/Estagiária

Centeno conta que ingressou na primeira turma do projeto há três anos e logo identificou a profissão que pretende seguir por toda a vida: cozinheiro. Depois do curso, trabalhou como menor aprendiz no local, atuou como auxiliar de cozinha e atualmente ocupa a função de cozinheiro que tanto almejava. Filho de um cozinheiro e de uma funcionária de almoxarifado de cozinha, ele conta que a profissão está no sangue, mas revela ter se surpreendido com a mudança em sua vida em um curto espaço de tempo.

Leque de oportunidades Tainá Corrêa, de 19 anos foi aceitou o conselho de seu pai e se inscreveu para a segunda turma do Pescar. Após sua formatura, foi encaminhada ao Senac para o curso de atendente de restaurante. Com o novo diploma, foi contratada para trabalhar no Sheraton há cerca de dois anos, uma mudança total na sua vida e alegria de seus pais. Hoje, Tainá é atendente direto dos hóspedes. “O Pescar me trouxe conhecimento, trabalho e uma oportunidade imensa de crescimento pessoal e profissional.” Com toda essa mudança, Tainá tomou coragem e decidiu dar mais um passo: cursar a faculdade de Hotelaria nas Faculdades Rio-grandenses. “Quero terminar a faculdade e começar uma pós-graduação. Aprendi isso no Sheraton: não podemos parar de aprender”, diz a jovem. O curso também indica alunos com bom desempenho para atuar em outros estabelecimentos.

Março/2010


Gratuita O curso é realizado anualmente, de forma gratuita. O hotel disponibiliza a estrutura e seus funcionários ministram, voluntariamente, aulas sobre diversos assuntos relacionados ao setor hoteleiro, como gastronomia, inglês, ecologia, ética e nutrição. A coordenadora do Projeto Pescar no Sheraton, Elen Martins, explica que o empreendimento buscava uma forma de auxiliar as pessoas, e encontraram no Pescar uma oportunidade para isso. “Nosso objetivo é que os jovens absorvam todo o conhecimento ensinado para terem uma formação profissional e pessoal adequada.” Por meio disto, os jovens têm a oportunidade de conhecer, na prática, a realidade das atividades de uma rede hoteleira internacional e começam a desenvolver uma carreira para ingressar no mercado de trabalho.

Saiba mais: “Se queres matar a fome de alguém, dê-lhe um peixe. Mas se quiseres que ele nunca mais passe fome, ensine-o a pescar”. O provérbio do pensador chinês Lao Tsé foi a inspiração para o nome do Projeto Pescar, uma rede de organizações por todo Brasil que abrem oportunidades para a formação pessoal e profissional de adolescentes em vulnerabilidade social. O projeto existe desde a década de 70 e já ajudou mais de 14 mil jovens por todo o País.

Março/2010

Tainá Corrêa cursou o Pescar e hoje é orgulho dos pais. No curso, definiu sua vida profissional e quer ainda fazer um curso de Hotelaria

Critérios Quinze estudantes do ensino médio com renda familiar mensal inferior a 500 reais podem participar a cada ano do curso, que tem duração de nove meses. Eles são selecionados por meio de uma prova, seguida de entrevista e de visita da equipe do projeto à residência do candidato para conversar com os pais e conferir de perto sua situação. A coordenadora do projeto salienta o ganho para a qualificação da mão-de-obra no setor. “Precisamos cada vez mais de pessoas com empatia na área de serviços, e nosso curso consegue oferecer jovens muito qualificados. A maior gratificação como orientadora é receber um muito obrigado por terem me ajudado dos jovens. O que mais motiva é a modificação do ser humano para melhor. É ver o jovem ganhando seu primeiro salário”, conta.

Revista Expansão |

123


[ Sem Fronteiras ]

A Mesquita Azul, assim chamada pelos 36 mil azulejos que revestem seu interior

Turquia,terra de quatro mares 124

| Revista ExpansĂŁo

Março/2010


Osvino e Silvânia em frente a uma das mais significativas construções na Turquia, a maravilhosa e encantadora Mesquita Azul

Cercado por um encanto peculiar, força histórica e religiosa muito profunda, este país seduz

U

Por Osvino Toillier Fotos Arquivo pessoal e Divulgação

ma viagem inesquecível, cheia de encantos e revelações. Paisagens inspiradoras e carregadas de história. Este é só o começo da nossa aventura, eu e minha esposa, Silvânia, percorremos esta terra maravilhosa no segundo semestre do ano passado. A Turquia é banhada pelos mares Mediterrâneo, Egeu, Negro e Mármara, este o menor do mundo, exclusivamente turco. São necessários 75 minutos para que o sol surja em todas as 67 províncias, devido à grande extensão. É um país dividido entre ocidente e oriente, entre passado e presente, laicicismo e o Islã. A chegada por Istambul é deslumbrante pelas antigas atrações, nunca esquecidas pelos turcos. A fabulosa Bizâncio, a esplêndida Constantinopla e hoje a belíssima Istambul, onde o tempo e história se sobrepõe em camadas civilizatórias. Destacam-se Mesquita Azul, com seus 40 mil azulejos, a Igreja de Santa Sofia, santuário da Cristandade, depois Mesquita e hoje Museu Nacional. O Palácio de Domabahçe e a visita ao Gran Bazar completam o dia. Das belezas naturais, de paisagem lunar da Capadócia às lindas praias, há encanto. Depois da Palestina, é lá que os cristãos têm espaços significativos para a divulgação do Cristianismo, especialmente em Éfeso, onde o apóstolo Paulo morou e pregou por dois anos e meio. Aqui também fica a Casa da Virgem Maria, onde a mãe de Jesus teria passado seus anos finais de vida, levada pelo apóstolo João.

Onde Fica?

Turquia

A Turquia (Türkiye, em turco), é um país eurasiático constituído por uma pequena parte europeia, a Trácia, e uma grande parte asiática, a Anatólia. É o 36º país em território, comparável em área ao Chile, sendo um pouco menor do que o estado brasileiro do Mato Grosso

Março/2010

A Turquia é banhada pelos mares Mediterrâneo, Egeu, Negro e Mármara, este o menor do mundo, exclusivamente turco. Revista Expansão |

125


[ Sem Fronteiras ]

Orações A Turquia é o paraíso da oliveira, vinhas, frutas cítricas e verduras. É o país da caxemira, da lã de qualidade e do linho. Lá são encontradas extensas plantações e modernas refinarias de petróleo. A língua oficial é o turco. O país tem 63 milhões de habitantes, 98% muçulmanos, que são chamados à oração cinco vezes por dia. Não se encontrará uma cidade sem mesquita, identificada à distância pelo minarete. Desde 1923, é república, sendo a Ankara a capital, para onde se refugiou Atatürk, herói nacional, de onde comandou a resistência e a libertação de país, tornando-se depois presidente. A Turquia moderna é o que é graças a Atatürk e, por isso, dedicou-lhe verdadeiro panteon, onde repousa e é preservada toda a sua história. Depois das reformas de Atatürk, a Turquia tornou-se uma democracia, inspirada no Ocidente, com estado laico e abolindo a poligamia. Atualmente, está em processo de adequação às exigências para ingresso na Comunidade Européia e, dessa forma, adotar também o euro como moeda oficial. O roteiro de cerca de 2,5 mil quilômetros em território turco permitiu conhecer também a capital Ankara e o Museu das Civilizações da Anatólia, a incrível Capadócia, com suas chaminés de fada e formações vulcânicas espetaculares, Konya, a cidade santa muçulmana, onde se localiza o convento do Derviches Dançantes. Em continuação, Bursa, a primeira capital dos otomanos e conhecida como Rota da Seda e, dali, a volta para Istambul, atravessando o Mar da Mármara. Berços da civilização ocidental, poderse-ia dizer que é impossível compreender o Ocidente sem aprofundar-se no conhecimento da Turquia. Creio que sim!

No topo à esquerda, as piscinas térmicas naturais de Pamukkale. No topo à direita, Toillier junto à Casa da Virgem Maria. No centro, sobrevoando a Capadócia de balão. Acima, Vale de Goreme

Mar Negro

Mar Egeu

Mar de Mármara

Mar Egeu: é um mar interior da bacia do Mar Mediterrâneo. Estende-se da Grécia, a oeste, até a Turquia, a leste. Ao norte tem ligação com o Mar de Mármara e o Mar Negro.

Mar Mediterrâneo: situado entre a Europa e a Ásia.

Mar Mediterrâneo 126

| Revista Expansão

Março/2010


Visita clássica A saída para a visita clássica de Istambul é para conhecer a Mesquita Azul (ou Sultan Ahmet Camii) assim chamada pelos 36 mil azulejos que revestem seu interior e única no mundo com seis minaretes, que a tornam real e prestigiosa. Foi construída no século XVII pelo sultão I. No lado de fora, jardins e lagos contornam a mesquita. Encontra-se em frente à Santa Sofia e é o mais importante santuário do Islã. Muitos visitantes são atraídos pela Mesquita Azul. Lá somente pequenos grupos entram por vez. Todos devem tirar os sapatos e cobrir a cabeça e os braços com um xale marrom, entregue na entrada. O ingresso ao grande pátio é feito por meio de pórtico, sobre o qual há 30 cúpulas sustentadas por 26 colunas. Ao centro, um belíssimo e encantador Sadirvan (fonte das abluções) hexagonal, delimitado por seis colunas de mármore. A grande sala de orações tem três entradas. A Santa Sofia ou Hagia Sophia – que significa santa ou divina sabedoria – é um esplêndido monumento religioso. Foi uma igreja, o Santuário da Cristandade, tornandose em seguida muçulmana. É o quarto maior edifício religioso do mundo. Erguido como igreja cristã, acabou em mesquita com quatro minaretes. O Hipódromo ou At Meydani (Praça de Cavalos) encontra-se entre a Santa Sofia e a Mesquita Azul. Antigamente, era o ponto de encontro do (...) uma das povo para assistir a espetáculos e corridas de caregiões mais valos. Pela tarde, maravilhosos passeios de barco impressionantes pelo Bósforo, estreito que une o Mar Negro ao de Mármora e separa a Europa da Ásia, são imperdído planeta, repleta veis. Durante a travessia, pode-se apreciar o imde formações ponente Palácio Domabahçe, que abrigou a corte vulcânicas do Sultão de 1853 até a proclamação da república. espetaculares que Exploramos ainda o Gran Bazar, com mais de quabrotam do meio tro mil lojas, onde se pode apreciar toda a riqueza das desertas e e beleza do artesanato e comércio turcos.

Capadócia

verdadeiras cidades subterrâneas, construídas pelas hititas(...)

E há muito mais para se conhecer nesse país magnífico, cheio de encantos, mistérios e belezas. Como a Capadócia, que significa “a terra dos belos cavalos”, uma das regiões mais impressionantes do planeta, repleta de formações vulcânicas espetaculares que brotam do meio das desertas e verdadeiras cidades subterrâneas, construídas pelas hititas no interior das grutas das regiões para serem usadas como esconderijo. Esta região serviu de abrigo para os primeiros cristãos da Turquia. Está localizada no centro das principais rotas de comunicação e comércio, como a Rota da Seda. São Paulo foi um dos primeiros cristãos a pisar ali.

Mar Negro:

Mar de Mármara:

é um mar interior entre o sudeste da Europa e a Ásia Menor. Conecta-se com o Mar Mediterrâneo pelo Bósforo e o Mar de Mármara, e ao Mar de Azov pelo estreito de Kerch.

este é o menor mar do mundo, sendo exclusivamente turco. Popularmente é chamado de “doce mar”. Em sua extensão. separa o Mar Negro do Mar Egeu.

Março/2010

Revista Expansão |

127


[ Práticas Empresariais ]

Gilberto Mosmann

Consultor de Negócios redacao@revistaexpansao.com.br

O longo prazo No Brasil, era difícil planejar a longo prazo quando havia inflação elevada e quando havia instabilidade na economia. O que ocorreu? A inflação está muito bem contida há largo tempo e o País tem tido desempenho econômico de razoável tamanho, mesmo após a crise mundial de outubro de 2008. Mas ficou o uso e o costume de evitar o planejamento a longo prazo, pela média das empresas. Com tão longo tempo convivendo com incertezas, a boca ficou torta de tanto fumar o cachimbo de um lado só! Pois, as empresas precisam deletar o registro histórico desse passado instável.

O planejamento

Um industrial amigo, com doze empregados – portanto, uma pequena empresa – há uns três meses escusou-se porque precisava sair antes do término de uma reunião em que nos encontrávamos. Seu compromisso: a reunião de planejamento de sua empresa para 2010. Falando com ele em separado, disse-me que seu planejamento tem dois horizontes: de curto prazo – um ano, e de longo prazo – cinco anos. Para produtos, para faturamento, para mercados e clientes, para investimentos e para equipe.

RÁPIDAS

Não é mais possível apenas tocar o negócio, dia após dia, sem ter foco em metas, em viabilidades e em desafios.

128

Os planos anuais têm que coincidir com o ano civil ou com o exercício social da empresa? Necessariamente, não. Cada caso é um caso. É preferível, mas não é essencial essa coincidência. Até porque há empresas que lidam com sazonalidades, a considerar.

| Revista Expansão

As ferramentas

Planejar supõe o uso de algum tipo de ferramenta. A mais simples é a do orçamento empresarial. A outra, a do planejamento estratégico. No caso desse meu amigo, ele utiliza as duas. Disse-me, com firmeza: “Não é mais possível apenas tocar o negócio, dia após dia, sem ter foco em metas, em viabilidades e em desafios. E meus focos ganham números, isto é, quanto em faturamento, quanto em investimentos, quantos novos mercados, e assim por diante. Afinal, nas empresas a gente sempre gira em torno de números.”

A simplificação

Fico constrangido quando ouço a respeito de planejamentos empresariais coordenados por consultores despreparados, que ignoram a realidade do dia-a-dia das empresas e apenas se aplicam em elaborar belos cadernos coloridos, com gráficos sofisticados e com terminologia rebuscada. Mais: contendo planos e metas desconectadas com sua viabilidade. Planejamento deve ser um instrumento operacional. Portanto, os planos devem ser objetivos e, acima de tudo, praticáveis. Quanto a contar com o apoio de consultor para isso, sublinho ser importante. Ele age como facilitador do processo de debate interno.

Um bom plano tem que ser de cinco anos? Por quê? Pode ser para dois, ou três, ou para quantos anos se quiser. O importante é levar em conta o horizonte em que se queira e se possa chegar. O horizonte é a data ou época na qual se pretende chegar às metas definidas no planejamento.

“Nossa empresa não precisa de planejamento. Temos poucos clientes, garantidos e rentáveis.” Em casos como esse, costumo colocar a seguinte pergunta: “Sua empresa quer continuar permanentemente assim, navegando sempre nas mesmas águas?”

Março/2010


Marรงo/2010

Revista Expansรฃo |

129


[ Economia & Negócios ]

Hospital Regina

80 anos marcados pelo pioneirismo Leandro Reis/Divulgação

O começo O Hospital Regina foi construído e inaugurado em 1930, a pedido do então governador do Estado, Borges de Medeiros, do prefeito Leopoldo Petry e da população do bairro histórico de Hamburg Berg. A obra foi concretizada pela Congregação das Irmãs de Santa Catarina, na época com sede geral em Braunsberg, na Prússia Oriental, hoje Polônia. O hospital recebeu o nome Regina em homenagem à fundadora da Congregação das Irmãs de Santa Catarina, Regina Prothmann. Quando foi fundado, o hospital oferecia 12 quartos privativos e atendeu a 158 pacientes/dia, em regime de internação. Em 1946, a demanda por leitos exigiu a primeira ampliação da casa de saúde, que passou a ter 58 quartos. Em 1960, outra ampliação, quando foi construída a terceira ala. Depois de pelo menos três reformas internas, em 1980, o hospital deu um grande passo na evolução da medici-

130

| Revista Expansão

Q

uando se completa 80 anos de um trabalho que envolve toda uma comunidade, o que se pode fazer é celebrar e reconhecer como um momento ímpar. As palavras da diretora geral do Hospital Regina, Irmã Generosa Wittmann, traduzem bem a satisfação diante da comemoração do aniversário da casa de saúde que, com sede em Novo Hamburgo, é referência para toda a região. Uma missa marcou a passagem da data na manhã de 24 de fevereiro, na capela central do hospital, e reuniu a comunidade para celebrar a evolução e a importância do Regina para toda a sociedade. “É motivo de muita alegria perceber o envolvimento da comunidade e o empenho para acompanhar as necessidades de mudança conforme a época”, comenta. Marcada pelo pioneirismo, a história do Hospital Regina sempre foi pontuada pela atenção às novidades tecnológicas e aos mais modernos tipos de tratamento. Toda esta postura tem gerado, ao longo destes anos, reconhecimento de toda a sociedade. No ano passado, o hospital recebeu importantes distinções, entre elas o Prêmio Distinção Expansão 10 Anos – na categoria Distinção Saúde – e na categoria Persona – recebido pela diretora geral, e o Prêmio Destaque Empresarial ACI 2009, da Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Novo Hamburgo, Campo Bom e Estância Velha.

na regional, começando a se destacar como um referencial em saúde, ao inaugurar a quarta ala, com uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). Nos anos 90, o Regina capacitou-se para o atendimento médico-hospitalar de alta complexidade. Em 1992, foi introduzida a vídeolaparoscopia. No Brasil, a técnica estreara poucos meses antes no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Mais inovações chegaram: a tomografia helicoidal computadorizada, ressonância magnética, ecografia, ecografia cardíaca, densitometria óssea, mamografia, hemodinâmica, exames cardiológicos, litotripsia, cardiologia intervencionista. Em 1994, foi inaugurado o serviço de Medicina Nuclear, e com isso a cidade passou a ser o quinto município gaúcho a contar com este tipo de serviço. O Centro Clínico Regina também foi inaugurado em 2004, transformando o Hospital Regina no mais equipado e moderno complexo médico do Vale do Si-

nos. Composto por 12 pavimentos, lugar para 70 clínicas médicas particulares, estacionamento coberto com 5,7 mil metros quadrados, o Centro Clínico foi resultado do espírito empreendedor das Irmãs de Santa Catarina, do Corpo Clínico do Hospital Regina e da Construtora Mosmann. Em 2005, foi inaugurado o Hospital Dia, um bloco cirúrgico ambulatorial. Outros setores de alta complexidade foram entregues à comunidade como as novas instalações da UTI Adulto e outros serviços médicos e de apoio: Convívio Médico, Sede da Comissão Científica, Núcleo de Sobreaviso de Especialistas, Unidade de Reabilitação e Fisioterapia, Serviço de Atendimento ao Obeso (SAO), Sociedade Médica Hospital Regina (Somehr), Serviço de Litotripsia (Litosinos), Central de Distribuição de Energia Elétrica, Reservatório de Distribuição de Água, Farmácia Satélite e Setor de Higienização.

Março/2010


Em 2007, o Regina inaugurou a UTI Pediátrica, única no Vale do Sinos. Em 2008, foi a vez da reestruturação do Centro de Material e Esterilização (CME), da UTI Neonatal, Sala de Recuperação e Centro Obstétrico. Tudo isso colocou o Regina em destaque no atendimento ao recém-nascido de risco, mais um passo para o bom atendimento em alta complexidade. Em 2009, na caminhada rumo aos 80 anos, foram inaugurados os novos centros Cirúrgico e de Imagem com o que há de melhor em tecnologia. Hoje, o Regina conta com um corpo clínico de 518 médicos, constituído por profissionais de reconhecida formação técnico-científica e altamente qualificados, contando com a cobertura das principais especialidades médicas, que permite, com frequência, a inovação técnica e procedimentos pioneiros. O hospital possui 176 leitos, que geraram, em 2009, 8326 internações, 42.248 pacientes, 7.276 cirurgias, 384.527,73 quilos de roupa lavada e 369.518 refeições servidas.

Março/2010

Divulgação

Alta complexidade

A casa de saúde foi inaugurada em 1930 a pedido do então governador Borges de Medeiros e do prefeito Leopoldo Petry. A mobilização também envolveu toda a comunidade do bairro histórico de Hamburg Berg

Revista Expansão |

131


[ Cada vez melhor ]

[ Economia & Negócios ]

Disciplina Daniel Müller

Palestrante motivacional daniel@dalecarnegiers.com.br

A

financeira

o término de uma convenção de vendas, estava eu reunido com alguns representantes no saguão do hotel em que havia ocorrido o evento. O objetivo daquele momento era confraternizar e falar sobre os nossos desejos para o ano de 2010. A maioria expressava a vontade de aumentar suas vendas, diferente de José Carlos, que comentou o seguinte desejo: - Eu quero apenas poder trocar o meu carro. Eu não aguento mais! Fico mais tempo na oficina do que na estrada cuidando das vendas... Foi então que Ivã, o seu colega, fez a seguinte pergunta: - E o que falta para você trocar de carro? - Faltam R$ 10.000 para eu poder trocar por um modelo mais novo. Falta dinheiro! O que mais poderia faltar? - Pois eu te digo o que está te faltando em realidade: disciplina. Foi quando Ivã propôs a ideia de que se economizarmos 10 reais todos os dias, ao final de três anos, teremos juntado a quantia de 11 mil reais, sem considerar juros e correção monetária. Mas para isso é necessário ter disciplina. Ivã aprendeu a ter disciplina no grupo de Alcoólicos Anônimos (AA), quando participou de um programa de recuperação para curar-se da alcoolemia. Ivã costuma dizer que vive hoje “um dia de cada vez”, praticando a afirmação: “só por hoje”. Particularmente, costumo afirmar que a maioria de nós comete um erro grave com relação à prosperidade financeira: mensalmente recebemos nossa remuneração e pagamos tudo e a todos, deixando por último a nós mesmos. Ou seja, se depois de pagar todos os compromissos financeiros se tivermos a sorte de sobrar algum trocado, então nós nos pagamos. Caso não sobre... Se você age desta maneira, mês após mês, que tipo de mensagem você está dando a si mesmo? Por isso recomendo: pague primeiro a si mesmo, separe 10% do que você ganha para você. Economize esta quantia e realize os seus sonhos. Estas realizações lhe darão motivação para crescer e ser uma pessoa cada vez melhor.

132

| Revista Expansão

Office Shop há dez anos

Há dez anos atendendo o mercado corporativo, a Office Shop se destaca pelos seus móveis modulares, cadeiras executivas e funcionais e estações de trabalho. Os produtos contam com um design sofisticado, qualidade no revestimento e nos padrões de cores usadas. De acordo com o proprietário Leonardo Lessa (foto), tudo isso pensando no bem-estar de seus clientes, o conforto e a ergonomia são prioridades, assim como o preço justo. A empresa se destaca por valorizar a parceria com arquitetos. O showroom está situado na Avenida Pedro Adams Filho, 4.187, em Novo Hamburgo. Informações pelo telefone (51) 3065-6565 ou www.officeshop.com.br.

Isabel na Abrameq

Isabel Groenendal Aguiar (foto) assumiu, em fevereiro, o cargo de diretora-executiva da Associação das Indústrias de Máquinas e Equipamentos para Couro e Calçados (Abrameq), substituindo Marcelo Adriano, que seguirá  assessorando no desenvolvimento dos projetos da entidade. Isabel foi a executiva responsável pelo escritório regional Sebrae Metropolitana nos últimos dois anos, tendo também atuado na supervisão em desenvolvimento de produtos e na coordenação de feiras e eventos. Coordenou, de 2003 a 2006, o projeto de calçados do Sebrae/RS e tem na bagagem o acompanhamento de empresas em eventos internacionais. Formada em Administração de Empresas e Publicidade e Propaganda, aperfeiçoou-se em Marketing e está concluindo o MBA em Gestão Empresarial.

Março/2010


[ Economia & Negócios ] Jefferson Bernardes/Divulgação

Campanha social

A Estratégia Comunicação e Marketing lança a campanha Unidos pela Solidariedade. Os diretores da Estratégia Comunicação e Marketing Lu Zanatta e Diego Santos preocupados em desenvolver uma ação social se juntaram a SP Imobiliária e lançaram a promoção, projeto que será desenvolvido até 2015, contemplando a comunidade carente de Canela. Neste ano, a ação busca roupas de cama, cobertores e roupas de bebê. As doações podem ser entregues, inicialmente, na sede das duas empresas.

Costão do Santinho

Depois de ser eleito pela 5ª vez consecutiva o Melhor Resort de Praia do Brasil pelos leitores da revista Viagem & Turismo, o Costão do Santinho, de Florianópolis (SC), acaba de conquistar mais dois troféus. A 10ª edição do Prêmio Caio, tradicional premiação do setor hoteleiro para a área de eventos, consolidou o nome do resort como um dos principais empreendimentos do segmento no País. Em cerimônia realizada em dia 2 de fevereiro, o Costão recebeu duas condecorações: Jacaré de Ouro como Melhor Resort da Região Sul e Jacaré de Prata na categoria Melhor Resort do Brasil.

Outlet Arezzo

Banrisul tem lucro de R$ 541,1 mi

O balanço financeiro de 2009 do Banrisul foi apresentado em 10 de fevereiro pelo presidente do Banco, Fernando Lemos, à imprensa, em coletiva em Porto Alegre. Ao lado da governadora Yeda Crusius e do secretário da Fazenda, Ricardo Englert, o executivo anunciou o lucro líquido de R$ 541,1 milhões, 7,2% acima do resultado recorrente registrado no ano anterior. Lemos salientou que o banco alcançou um desempenho muito positivo. “Foi o melhor resultado da história da instituição, mesmo em um ano de crise. Graças à confiança dos nossos correntistas, à capacidade de gestão, à governança corporativa e ao gerenciamento competente e qualificado dos funcionários do Banrisul”, avaliou. Ao discorrer sobre os números, o presidente destacou que, nos últimos três anos, os ativos cresceram 85%, chegando em dezembro de 2009 a mais de R$ 29 bilhões. Já as operações de crédito somaram R$ 13,4 bilhões, impulso de 111% acumulados frente aos R$ 6,4 bilhões de 2007.

Anna Gouveia tem novo espaço Aline de Melo Pires/Especial

O Outlet Arezzo de Novo Hamburgo ganhou um espaço novo, exclusivo para as novas coleções. A proposta é atender a todos os desejos das clientes. O mix de produtos é uma uma rica coleção de sapatos, bolsas, carteiras, cintos, óculos, relógios, esmaltes, uma linha cosmecêutica e bijouxs fantásticas. A loja está situada na Rua Cinco de Abril, 445, Centro. Informações (51) 3593-5454.

Lemos entrega os relatórios financeiras de 2009 para Yeda e Englert

Swan unifica gestão

O Grupo Swan Hotels, composto pelo hotéis Swan Tower Porto Alegre, Swan Tower Novo Hamburgo e Swan Business Porto Alegre, está unificando a sua gestão comercial e administrativa, proporcionando maior dinamismo e velocidade de resposta ao mercado, otimizando todo o processo de hotelaria do grupo. A diretoria geral está a cargo de Gabriela Schwan Poltronieri, já com 11 anos de experiência.

134

| Revista Expansão

Ana e Lemos comemoram a praticidade do novo espaço Um novo espaço para fabricar e expor o bom gosto e as últimas tendências da moda. Assim foi planejada a nova loja de fábrica da Anna Gouveia, que produz bolsas para valorizar a mulher moderna em todos os seus momentos. Em 4 de fevereiro, foi inaugurada a área que abriga a fábrica e a loja, unindo dois momentos importantes: a concepção dos produtos e sua comercialização. “Saímos de uma área de 200 metros quadrados para uma de 800 metros quadrados, para este ano, pretendemos ampliar em 40% nossa produção”, afirma a diretora Ana Lúcia Gouveia, que conta com Algacir Lemos no setor de criação e desenvolvimento dos produtos. O novo espaço fica na Rua 25 de Julho, 1400, bairro Rio Branco, Novo Hamburgo.

Março/2010


Crescimento de 35%

Montserrat é nova opção de eventos

Aline de Melo Pires/Especial

Novo Hamburgo tem um novo espaço para festas e eventos, marcado pela criatividade e diferenciação. É o Montserrat Eventos, inaugurado em 2009. Sua estrutura conta com dois ambientes, pé direito diferenciado, isolamento acústico, pista de dança, bar, sacadas, amplo espaço externo para estacionamento, e sistema de segurança com circuito fechado de TV, proporcionando assim a elaboração de espaços multifuncionais em um lugar onde podemos ter uma bela vista panorâmica da cidade. “Estamos preparados para os mais variados tipos e tamanhos de atividades, como seminários, formaturas, reuniões, treinamentos profissionais, workshops, lançamentos, comemorações e festas sociais”, diz a diretora da casa, Gisa Cervi (foto), que atua ao lado da sócia Glésia Matje Schreck. Ela completa ao ressaltar que o diferencial do Montserrat é deixar o cliente à vontade, prezando pela liberdade de escolha para contratar sua decoração, buffet e bebidas com quem tiver mais afinidade.

Salão Internacional do Couro e do Calçado (SICC) deve crescer 35% em 2010 e aposta na presença de outros pólos calçadistas. Já com a presença de empresas do sul do país, o Grupo de Alta Moda, que tem parceria com o Sebrae/RS, será um dos fatores de destaque. A feira vai ter uma edição especial neste ano de 2010, pois está tendo adesões importantes de empresas de outros pólos calçadistas nacional. Entre eles, o diretor da Merkator Feiras e Eventos, Frederico Pletsch, salienta a participação expressiva de empresas de Santa Catarina, em especial as indústrias do pólo de São João Batista. Para a próxima edição do SICC, que acontece de 1 a 3 de junho, em Gramado, (RS), já estão garantidas as presenças das empresas Via Scarpa, Suzana Santos, Lia Line, Raphaela Blooz, Verônica Andrade, Século XXX, Delamix e Brenda Bresca.

Festimalha

Credicard atende a crédito pessoal

A Credicard passou a atender também a crédito pessoal. Além de trabalhar com cartão de crédito, passa a disponibilizar essa nova linha de financiamento e soluções de crédito. De acordo com a gerente da Credicard Novo Hamburgo, Cleide Silveira, a filial em Novo Hamburgo existe há um ano e abrange as cidades dos Vales do Sinos e Paranhana. Cleide visitou a Revista Expansão, junto com seu marido Elmar Mendes (chefe operacional da Comur) e da agente de Solução de Crédito da Credicard Mônica Lima. O escritório hamburguense está situado na Avenida Pedro Adams Filho, 5.431, Centro. Informações pelo telefone (51) 3593-6449. Márcia Boniatti/Especial

A 21.ª edição do Festimalha foi lançada oficialmente em 4 de fevereiro. É o maior evento de moda malha tricot do País, realizado anualmente em Nova Petrópolis. O lançamento foi no restaurante Unser Haus e teve a presença de representantes de entidades locais, autoridades e imprensa. Na oportunidade, a presidente da Feira, Naira Seib, ressaltou a importância da presença de todos e do envolvimento da comunidade, para o sucesso do Festimalha. A proposta para este ano é promover o maior evento de todos os tempos e, para isso, ele está recebendo uma série de alterações. Para o arquiteto Neander Port, coordenador-geral do Festimalha, a intenção é melhorar sempre, principalmente através da inovação, que é fundamental. “O Festimalha é uma mola propulsora para a evolução do setor malheiro de Nova Petrópolis”, resume Port.Durante o encontro foi apresentado, também, pela Grisè Comunicação, o reposionamento do logotipo Festimalha, os materiais criados e o site. Já pela Insider2, assessoria de imprensa da feira, foram destacadas as principais vertentes a serem trabalhadas com a promoção do evento: a moda, o turismo e a economia do setor.

Cleide, Mendes e Mônica em visita à Revista Expansão

Março/2010

Revista Expansão |

135


[ Economia & Negócios ]

Port e Spier destacam a participação dos associados nas sobras

Sicredi tem lucro de R$ 12,6 milhões

A Sicredi Pioneira realizou uma coletiva de imprensa no mês passado na sede da empresa, em Nova Petrópolis, para divulgar os números da cooperativa, que registrou lucro de R$ 12,6 milhões. O presidente da Sicredi, Édio Spier, o superintendente regional Márcio Port e o assessor de Comunicação Integrada Daniel Hillebrand participaram da atividade. Spier destacou o crescimento de 19% nos recursos totais. “Nenhuma empresa cresce mais de 18% ao ano e nós conseguimos isso”, afirma Spier. Port explicou os demais números e como acontece a divisão de lucros. “As sobras apuradas no ano são distribuídas entre todos os associados que movimentaram no ano anterior utilizando como critério a rentabilidade individual gerada pelo associado”, esclarece Port.

Tecpol apresenta produtos Divulgação

Os novos encontros ocorridos durante o dia 24 de fevereiro, na sede da Afubra, em Santa Cruz do Sul, entre a comissão representativa dos fumicultores e algumas indústrias fumageiras para continuar a negociação do preço do tabaco para a safra 2009/2010, novamente terminaram sem um consenso entre as partes. De um lado, as entidades reafirmaram a necessidade de um percentual de 19,5% de reajuste para a reposição do custo de produção da cultura e uma margem de rentabilidade ao produtor. De outro lado, as empresas recebidas, novamente de forma individual, foram irredutíveis nas suas propostas que não atendem a reivindicação dos fumicultores, mesmo depois da comissão ter demonstrado a disposição de uma flexibilização na reivindicação. Desta forma, a JTI/Kannenberg manteve o percentual de 10%, a Universal Leaf, 7,5%, a Alliance One, 7%, e a Souza Cruz, 6,10%, sobre a tabela da safra passada. A orientação da Comissão aos produtores de tabaco continua sendo que não comercializem seu produto com valor abaixo da média de R$ 6,79 por quilo, ou R$ 101,85 a arroba, variedade Virgínia, e, na variedade Burley, R$ 6,33 por quilo, ou R$ 94,95 a arroba, preço médio do tabaco, com a tabela sendo reajustada em 19,5%.

Graziela Dannenhauer/Especial

Sem reajuste da tabela

ACI, Sindilojas e CDL

A presidente da Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Novo Hamburgo, Campo Bom e Estância Velha (ACI), Fatima Daudt, recebeu no dia 3 de fevereiro o presidente do Sindilojas de Novo Hamburgo, Gerson Müller, e o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Novo Hamburgo, Leonardo Silveira. O objetivo da reunião foi analisar os cenários e planejamentos estratégicos para 2010 das três entidades. Este foi o primeiro de uma série de encontros entre as entidades representativas realizarão ao longo deste ano. “O trabalho das três entidades está em sintonia e vamos atuar em conjunto, além de efetuarmos reuniões periódicas para a troca de ideias e a realização das ações necessárias”, enfatizou Fatima.

136

| Revista Expansão

Tacos inteligentes são produzidos em diversas cores com muita resistência A Tecpol, de Campo Bom, apresentou seus artigos no Inspiramais – Salão de Design e Inovação das Empresas de Componentes para Couro, que ocorreu de 3 a 5 de fevereiro, no Centro de Convenções do Frei Caneca/SP. O evento foi criado especialmente para lançar as tendências de matérias-primas e componentes para os segmentos de calçados, couro, artefatos e têxtil no País e no exterior. Entre os destaques dos produtos da Tecpol, estão os tacos inteligentes que proporcionam resistência ao desgaste, à deformação e a extração do pino – itens indispensáveis a quem deseja agregar estabilidade, conforto, bem-estar e elegância ao caminhar. Além disso, o produto pode receber desenhos na base e ser produzido em diversas cores, formatos e texturas.

Março/2010


Marรงo/2010

Revista Expansรฃo |

137


[ Sobre nós e outras coisas ]

Adm. de empresas cesar.pessin@hotmail.com

A

desconhecida

| Revista Expansão

Trinta e três pessoas se formaram no curso

A solenidade de conclusão do curso intensivo de Confeitaria, promovido pela Associação do BemEstar da Criança e do Adolescente (Asbem) em parceria com o Instituto Nestor de Paula e financiado pelo governo do Estado e pelas Lojas Renner, com recursos da Lei da Solidariedade, ocorreu em 18 de fevereiro, na Asbem, em Novo Hamburgo. Nesta edição, serão certificados 33 adultos e adolescentes na arte da confeitaria. Em 2009, outros 112 alunos foram certificados, graças à parceria com o Instituto Nestor de Paula e Sociedade Porvir Científico.

Rotary inaugura marco Sérgio Jost/Especial

cordei assustado, sem saber exatamente onde estava. Olhei para os lados e não reconheci nada. Encontrava-me sozinho naquele momento e tudo parecia muito estranho. Porém, susto mesmo tomei quando fui buscar o jornal e vi que não era o que estava habituado a ler todos os dias. Aliás, nunca tinha escutado falar daquela cidade onde o jornal tinha sido impresso. Desconfiado, passei os olhos pelo mesmo e me deparei com uma página gorda de notícias sobre drogas, roubos, assaltos, etc.. Fiquei chocado! Não estava habituado com esse tipo de coisa. Ainda sem entender o que estava acontecendo, peguei o carro e fui rodar pela cidade. Por um momento pensei que estivesse na lua, pois de buraco em buraco, meu carro sacolejava e pedia clemência. Decidi estacionar e andar pelo centro da cidade, repleto de farmácias populares e lojas de eletrodomésticos. Parecia tudo um pouco decadente, meio retrô. Não era exatamente o que eu esperaria de uma cidade grande como aquela, a julgar pelos prédios espalhados por todo lado. Quando voltei para o carro, lá estava uma multa ou coisa assim. Não tinha percebido que precisava pagar para estacionar, pois quando cheguei um sujeito mal encarado disse que cuidaria do carro para mim. Cruzes! Mas, enfim, tudo não passou de um susto e depois de um troquinho, segui adiante. Alguns minutos depois, topei com uma rua bonita, provavelmente uma das mais valorizadas da cidade, a julgar pelas edificações. Porém, espantado, notei que o canteiro central estava coberto de mato. Em algumas quadras tinha umas plaquinhas, informando que esta ou aquela empresa zelava (?) pela área. Fiquei espantado, pois isso não deveria ser de responsabilidade da prefeitura local? Pois, pelo visto, nem ela e nem os proprietários das plaquinhas zelavam por coisa alguma, porque só havia terra, capim e sujeira nos tais “canteiros”. Então lembrei que a cultura de um povo e a eficácia de uma administração pública podia ser medida por suas praças e parti em busca delas. Outro susto, porque ao invés de flores e canteiros bem cuidados, encontrei desleixo e mais sujeitos como aquele que cuidou do meu carro. Quem sabe o foco estivesse mais voltado às classes menos favorecidas, pensei!... ou talvez não tivesse foco algum! Vai saber! Já estava ficando incomodado quando senti um forte puxão no meu braço e vi minha esposa me olhando com ar assombrado. Esbocei um sorriso sonolento e virei para o lado. Ufa! Era só um pesadelo. Que bom, não gostaria de morar numa cidade assim.

138

Asbem certifica confeiteiros Antônio Paz/Divulgação

César A. Pessin

A cidade

[ Mix ]

Monumento marca aniversário de 105 anos do clube

No dia em que o Rotary Clube completou 105 anos de fundação, os quatro clubes de Novo Hamburgo (Novo Hamburgo, 25 de Julho, Monumento e Novo Hamburgo Oeste) inauguraram um monumento alusivo à data. Foi em 23 de fevereiro que autoridades e representantes de entidades da cidade se reuniram na BR-116, bem próximo ao acesso ao Viaduto Eugênio Nelzon Ritzel, que dá acesso a Avenida 7 de Setembro. O governador do Distrito 4670 do Rotary Clube, Paulo Meihardt, falou do que significa a presença do Rotary Clube em uma comunidade. Representando a governadora Yeda Crusius, o chefe adjunto da Casa Civil, Leonardo Hoff, destacou a importância da iniciativa que marca o comprometimento do clube com os rumos da sociedade.

Março/2010


Divulgação

Yeda destacou a Rodovia do Progresso para desafogar a BR-116

Parceria viabiliza construção de rodovia

A união de esforços para viabilizar a chamada Rodovia do Progresso, RS-010, para desafogar o tráfego na BR-116, foi enfatizada pela governadora Yeda Crusius durante a assinatura do acordo entre Estado e prefeituras para construção da estrada. A RS010 será a primeira rodovia construída em Parceria Público-Privada e está avaliada em R$ 715 milhões, com 42 quilômetros de extensão. Os prefeitos de Porto Alegre, Novo Hamburgo, Campo Bom, Sapucaia do Sul, Sapiranga, Canoas, Esteio, Cachoeirinha, Gravataí e São Leopoldo foram unânimes em reconhecer a atuação do governo do Estado para concretização da parceria entre Estado e municípios.

Ano Novo Tibetano começou em fevereiro

Templo Budista Khadro Ling de Três Coroas celebrou o início do Ano Novo Tibetano com as danças sagradas em 14 de fevereiro. As danças expressam energias pela meditação e pelo movimento. Realizadas para evitar que as energias negativas do ano que passou sejam levadas para o ano seguinte. As danças anunciam o início do ano 2137, ano do Tigre de Ferro. A tradicional cerimônia atrai adeptos e simpatizantes do budismo de toda a região e do Brasil. Neste ano, as cerimônias foram lideradas por Jigme Tromge Rinpoche, filho de S.Ema. Chagdud Rinpoche, e Chagdud Khadro, diretora espiritual do Chagdud Gonpa Brasil. Informações pelo fone (51) 35468200 ou email info@chagdud.org.

A Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Novo Hamburgo, Campo Bom e Estância Velha (ACI) encaminhou documento aos deputados federais manifestando apoio ao documento enviado pela Federação das Associações Comerciais e de Serviços do Rio Grande do Sul (Federasul), pugnando pela rejeição da PEC 231/95. No documento, consta que “a redução da jornada de trabalho semanal de 44 para 40 horas causaria um incentivo agudo à informalização dos trabalhadores nacionais”.

Jesus para as Nações

Canela irá sediar o 1° Congresso Interdenominacional Jesus para as Nações, que ocorre de 26 a 28 de março de 2010. O congresso envolverá a comunidade evangélica, por meio de palestras, pregações, shows, feira de produtos. Além disso, terá a participação especial de renomados pregadores e cantores gospel do Brasil. A promoção é da Associação dos Empresários Cristãos do Brasil (AECB).

Cursos e climatização

As danças sagradas

Paradouro turístico está em conclusão Poliana Lopes/Divulgação

Já ganhou forma o deck do paradouro turístico junto ao lago do Parque Municipal de Feliz. A obra está sendo feita atrás da casa-sede do paradouro, ao lado do pórtico de acesso ao parque, localizado na RS-452. O valor está estimado em R$ 107,7 mil. A estrutura, que está sendo executada pela H.M. Orth, de Tupandi, inclui dois decks de madeira nos fundos da casa do paradouro, paisagismo e a colocação de taipas e pedras roça, além do asfaltamento até a RS-452. A terceira parte do projeto turístico prevê a revitalização do entorno do lago, com a colocação de calçamento e melhorias nos passeios, além da instalação de iluminação em todo o percurso e a execução de melhorias nos banheiros.

Março/2010

Redução de carga

O Centro Universitário Feevale, de Novo Hamburgo, oferece entre 17 de março e 9 de junho o curso de inglês para terceira idade Talking Point. Além disso, melhorou sua estrutura com a climatização. As aulas ocorrem no campus 2, às quartasfeiras pela manhã. Também na Feevale ocorre de 12 de março a 9 de julho o curso Inglês para Negócios. A meta é climatizar 100% dos espaços ainda neste semestre.

Doação de sangue

O Hospital Arcanjo São Miguel de Gramado, em parceria com o Hemocentro de Caxias do Sul, realiza em 18 de março o Dia de Doação de Sangue. Os interessados devem ter entre 18 e 65 anos de idade, ter ingerido alimentação leve, sem gordura, ser saudável, não estar em estado gripal nem ter tido gripe nos últimos sete dias, além de nunca ter contraído hepatite, malária ou doença de chagas. Contatos (54) 3295-7112.

Revista Expansão |

139


[ Departamento Jurídico ]

Estêvão Trentz

Advogado sneladv@pro.via-rs.com.br

O condomínio edilício e a possibilidade de alteração da fachada

É Entendemos, portanto, que certas alterações na fachada devem ser toleradas, desde que não afetem a harmonia estética ou funcional do prédio.

140

| Revista Expansão

sabido que o condomínio edilício é caracterizado por uma conjunção de direitos reais: um direito de propriedade (exercido pelo condômino sobre sua unidade autônoma) e um direito de co-propriedade (exercido conjuntamente por todos os condôminos sobre as áreas comuns), o que implica aos condôminos a observância de certos deveres, tanto de ordem positiva como negativa. O artigo 1336 do Código Civil estabelece de forma não exaustiva os deveres mínimos dos condôminos, estipulando em seu inciso III que é vedada a alteração “da forma e a cor da fachada, das partes e esquadrias externas.” A razão de ser do referido inciso está na necessidade de preservar as características arquitetônicas da edificação, mantendo a uniformidade do todo. Consiste, pois, em uma limitação estética a ser observada pela coletividade condominial. Assim, a vedação à alteração da fachada sem a anuência dos condôminos é de suma importância para que a edificação não se torne uma pintura abstrata, sem formas e cores definidas. Portanto, a regra geral é a de que é proibido aos condôminos realizar modificações nas fachadas sem o consentimento dos demais. Uma vez introduzidas alterações por um, ou alguns, dos condôminos ao arrepio das regras contidas na Convenção ou na Lei, cabe ao síndico ou qualquer condômino interessado ajuizar a ação cabível para impedir seu prosseguimento.

Entretanto, a legislação civil referida deve ser interpretada com cautela e razoabilidade, sendo pertinente afirmar que nem todas as modificações introduzidas pelos proprietários podem ser consideradas irregulares. Em tese, são permitidas as alterações que não afetam a harmonia do edifício, nem causam prejuízos aos demais condôminos. Citamos como exemplos: a colocação de redes de proteção nas janelas da unidade residencial ou o envidraçamento das varandas ou sacadas. Fato é que os tribunais estão adotando o entendimento de que a proibição constante do inciso III, do artigo 1336 do Código Civil é aplicável somente quando demonstrado o prejuízo ao conjunto arquitetônico da edificação. Em recente decisão assim se manifestou o Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul, nos autos da Apelação Cível nº 70027707991: “Condomínio. Demolitória. Alteração de fachada. Obra levada a termo isoladamente por condômino, sem a anuência dos demais; cabimento, vez que não realizada modificação de siso no prédio, de sorte a fulminar estética ou funcionalmente. Caso concreto em que a exigência de unanimidade é de ser relevada, em nome da convivência comum, sob a ótica da razoabilidade. Improcedência de demanda. Precedentes. Apelo provido.” Entendemos, portanto, que certas alterações na fachada devem ser toleradas, desde que não afetem a harmonia estética ou funcional do prédio.

Março/2010


[ Mix ]

Alunos do Arthur Konrath estão na Febrace

Tholl em NH Fotos: Divulgação

Os alunos Ana Paula da Rosa, Caroline Standt e Gustavo Weimer do 3º ano do Ensino Médio do Colégio Luterano Arthur Konrath, de Estância Velha, participam entre 9 e 13 de março, da 8ª Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace 2010) Alunos viajam para São Paulo para participarem de feira com o trabalho Implantação de um Sistema de Reaproveitamento de Água Pluvial Avaliando a Viabilidade Econômica. O evento é organizado pela Escola Politécnica da USP e acontece em São Paulo. A Febrace foi criada para estimular a inovação e o empreendedorismo.

Exotique, peça teatral do Tholl, chega pela primeira vez à Novo Hamburgo no dia 20, na Sociedade Ginástica, às 20 horas. Os ingressos já estão à venda. Estudantes e idosos pagam meia-entrada: R$ 15,00. Para sócios da Ginástica saem por R$ 20,00 e o público geral paga R$ 30,00. Para garantir as entradas, basta ir a um dos pontos de venda: Mais Pastel, Mapa Papelaria, Kinei Calçados, Farmácias Apoteka e Sociedade Ginástica.

Nova Petrópolis

O Jardim da Serra Gaúcha completou 55 anos de emancipação política-administrativa em 28 de fevereiro. O prefeito Luiz Irineu Schenkel destaca que a data é especial e merece ser comemorada com todo vigor. Por isso, foi realizada uma intensa programação que ocorre também neste mês. “Nova Petrópolis tem sua representatividade hoje no cenário nacional graças à comunidade trabalhadora.”

Tarcísio anuncia novos secretários O prefeito de Novo Hamburgo, Tarcísio Zimmermann, empossou no dia 22 de fevereiro três novos secretários, 17 novos diretores e uma nova coordenadora de políticas públicas no Centro Administrativo Leopoldo Petry. Jossara, Medeiros, Márcia, Tarcísio, Hack e Silva Criou-se as Secretarias de Tecnologia da Informação e Inclusão Digital, comanda por Márcia Schüler, e a de Desenvolvimento Urbano (Moisés Luiz Medeiros de Souza). A Secretaria de Meio Ambiente está com Ubiratan Hack, a Comur com Danilo Oliveira da Silva e a Coordenadoria para as Pessoas Idosas (CPIdosos) com Jossara Cardoso.

2ª Convocatória Postal

Orquestra retorna após turnê na Europa Ascarte/Divulgação

A Secretaria de Cultura de Novo Hamburgo lançou, em fevereiro, a 2ª Convocatória de Arte Postal da cidade. Com o tema Revitalizando Novo Hamburgo, a proposta é que a comunidade e nvie manifestações artísticas, como poemas e fotografias, na forma de cartões postais. O período para envio é até 20 de março e os trabalhos serão expostos entre os dias 5 e 30 de abril, na pinacoteca do Espaço Cultural Albano Hartz. Regulamento e ficha de inscrição no site www.novohamburgo.rs.gov.br.

Travessia de Tapes

Camerata realizou 24 concertos durante a viagem

Depois de encantar os europeus com os ritmos da música clássica brasileira, a Camerata Ivoti está de volta ao Brasil após 30 dias de turnê pela Europa. Foi em exibições feitas na Holanda e na Alemanha, terra dos grandes compositores eruditos, que a orquestra gaúcha pôde mostrar ao povo do velho continente que a música clássica também é cultuada por aqui. A Camerata realizou 24 concertos, entre 14 de janeiro e 13 de fevereiro, passando por 15 cidades. O repertório do grupo aliou canções brasileiras e latino-americanas. Esta foi a terceira turnê realizada pela orquestra.

Março/2010

Nadadores da Ginástica e On Line/ Marista Pio XII se preparam para participar da Travessia de Tapes, no próximo dia 7. Em fevereiro, a equipe competiu na Travessia Ilha dos Lobos, em Torres, onde Mariana Cury foi campeã geral do evento, Ramon Scherrer (Feevale) ficou em 3º colocação no geral, Jacson Kehl, foi grande campeão na Júnior, e Ricardo Thoen, o Biguá, vice-campeão na master G.

Revista Expansão |

141


[ Ponto de Vista ]

José Leon Macedo Fernandes

Professor, Biólogo, Mestre em Desenvolvimento Regional, Coordenador Pedagógico do Projeto Verde é Vida e da Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra)

Vivemos em uma época delicada quando se refere ao ingresso de adolescentes no mercado de trabalho. A legislação o protege a fim de preservar sua educação e seu desenvolvimento. Por outro lado, sabe-se que o início da vida profissional é de fundamental importância, adquire-se experiência e responsabilidade. A realidade financeira de muitas famílias quase obriga que jovens comecem a trabalhar cada vez mais cedo, em alguns casos na informalidade. Mas, de onde deve vir esta orientação? Qual o papel da sociedade neste contexto? Quem pode ajudar a orientar o adolescente ou adulto na busca por uma colocação no mercado de trabalho? Onde fica a influência da família?

Ensinar a trabalhar não é por para trabalhar

E A família é o esteio de toda uma formação e o trabalho o meio para a conquista de uma boa qualidade de vida. É isto que deve ser ensinado.

142

| Revista Expansão

ducar para o trabalho é compromisso da família, pois ensinar o filho a trabalhar é uma atribuição dos pais. Este ensinar está ligado, principalmente, a dar ao filho atribuições que não prejudiquem a sua estrutura física ou mental, que ele tenha oportunidade de estudar e fazer coisas que condizem com a sua idade e a sua necessidade, seja como criança ou adolescente. Ensinar a trabalhar é dar compromisso e responsabilidade aos filhos, ensinando-lhes a importância do trabalho para a vida, pois se queremos viver bem, devemos construir este viver, com dignidade, honestidade e, principalmente, com trabalho. Aos pais cabe a primeira educação, pois é na convivência familiar que ensinamos valores como respeitar as pessoas, saber ouvir, ser solidário, ser amigo, ser simpático, ter discernimento e empatia. Todos estes valores só são possíveis quando os pais usam a sua experiência de trabalho como exemplo. A família é o esteio de toda uma formação e o trabalho o meio para a conquista de uma boa qualidade de vida. É isto que deve ser ensinado na família, onde os pais ocupam um papel muito importante: o de educador, papel este que ninguém substitui, pois a educação que é dada em casa passa a ser referência para a vida de uma pessoa. A educação para o trabalho, bem como as atividades realizadas por crianças, deve ser desenvolvida, levando em conta a preservação da criança, e que estas atividades não prejudiquem a sua estrutura física ou psicológica nem a aprendizagem e que possibilite a criança de fazer coisas de criança e que não seja caracterizado como trabalho continuado. Com base nestas observações, entendese que estas atividades não são consideradas trabalho infantil, e, sim, educação familiar e

preparação para o trabalho. No caso dos adolescentes, a família tem um compromisso muito importante. Cabe aos pais orientar, educar e desenvolver na prática as atividades de trabalho condizentes com a sua idade, preparando-os para a convivência comunitária, pois é na comunidade que o cidadão coloca em prática o aprendizado adquirido em casa e na escola e assim exerce a função de jovem aprendiz, preparando-se para o primeiro emprego. Esta função passa a ser uma extensão da educação familiar e, por consequência, uma preparação para a vida em sociedade. Dessa forma, a condição de jovem aprendiz proporciona ao adolescente aprimorar na prática a educação que traz de casa. Na educação para o trabalho o papel dos pais é fundamental para a formação de crianças e adolescentes. Muitos especialistas entendem que o exemplo é a melhor forma de educar, pois ensinar a trabalhar é mostrar através de ações práticas no dia a dia da convivência familiar. O mau exemplo e a falta de convivência podem causar problemas no processo educacional desenvolvido pelos pais. Portanto, os pais devem ter a habilidade de mostrar aos filhos a importância do trabalho para a sua formação como cidadão. A convivência familiar em harmonia é de vital importância na educação para o trabalho. Os pais devem ser coerentes em relação à educação dos filhos. As regras e os limites devem ser claros para a criança e compatíveis com a sua idade. A organização da família é fundamental para o bom andamento de uma educação para o trabalho. Neste caso, devem ser levados em conta aspectos como amizade, companheirismo, liderança e autoridade, pois entende-se que os pais sempre querem o melhor para seus filhos. Março/2010


[ Mix ]

Nova diretoria da OAB Subseção Novo Hamburgo toma posse Sérgio Jost/Especial

desde a primeira administração A noite de posse da nova direquando Adalberto Snel estava à toria da OAB Subseção Novo frente da diretoria. O prefeito de Hamburgo foi festiva para a OrNovo Hamburgo, Tarcísio Zimdem dos Advogados. A solenimerman, revelou que já existem dade ocorreu no Restaurante da projetos da prefeitura em parceFenac. O, então, presidente da ria com a Ordem e que uma cogestão 2007/2009 José Adelmo operação mútua com ênfase na de Oliveria passou o cargo a Peárea do desenvolvimento social dro Brand, que ficará à frente da pode reverter bons frutos para a Ordem nos próximos dois anos. cidade e região. Após a cerimôEm um cordial discurso, Adelmo nia, o novo presidente conduziu desejou sorte ao novo presidena  entrega das carteiras da OAB te. Pedro enfatizou o trabalho que aos novos advogados aprovajá vem sendo feito na busca de dos no último  exame da Ordem. agregar os profissionais do direiO experiente advogado Paulo to em uma entidade que transpaMartins disse algumas palavras reça ética e honestidade. Em noaos novos profissionais, destame da OAB/RS, falou a secretáriaBrand recebe de Adelmo a responsabilidade de comandar a OAB cando ideais de ética, os quais geral do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, Clea Carpi da Rocha. Ela destacou a permearam todo o protocolo da noite. “Sabedoria jurídica é imimportância do trabalho realizado nas subseções e, principalmen- portante, mas deve prevalecer - sobre qualquer aspecto - a digte, a força que tem a região de abrangência de Novo Hamburgo nidade profissional”, afirmou o decano.

Câmara vai debater coleta do lixo Graziela Dannenhauer/Especial

O que pode ser feito para melhorar as condições da coleta de lixo em Novo Hamburgo: este será o foco principal do debate que a Câmara de Vereadores abrirá neste início de ano, reunindo órgãos públicos, entidades, técnicos e representantes da comunidade no dia 24 de março, a partir das 14 horas, no plenário do Legislativo. A iniciativa é da Mesa Diretora, presidida por Jesus Maciel. Jesus e Volnei Campagnoni (2º secretário da Mesa Diretora) estiveram em visita à Revista Expansão para divulgar o evento. Jesus e Volnei se posicionaram a favor da manutenção de 14 vereadores para a cidade.

Jesus e Volnei destacam debate

Gaúchos vão para Rio jogar basquete

Março/2010

Aline de Melo Pires/Especial

Fotos: Divulgação

Dois atletas gaúchos do basquete são motivos de orgulho para o Estado. Seus talentos foram reconhecidos por grandes clubes do centro do País. Em fevereiro, embarcaram para Rio de Janeiro o hamburguense Marcos Vinícius Rauber e Gerson Miguel Beckenkamp, amGerson para o Fluminense Marcos Vinícius para o Vasco bos de 16 anos e 2,04 metros e 2,08 metros de altura, respectivamente. Marcos Vinícius, que até o ano de 2009 integrou o time de basquete da Instituição Evangélica de Novo Hamburgo, vai atuar no time juvenil do Vasco e Gerson, de Venâncio Aires, atleta do Projeto Cestinha/Sesi/Unisc, vai integrar as categorias de base do Fluminense.

Novo presidente

A Fundação Desenvolvimento Ambiental (Fundamental), braço ambiental da ACI, tem novo presidente. O industrial Paulo Mozart Asso Borges (foto) assumiu no lugar de Renan Rott de Oliveira, que esteve à frente da fundação desde o início das atividades, há 11 anos. Ele dará seguimento ao trabalho que vinha sendo desenvolvido pelo ex-presidente. “Também pretendemos implantar outra vala, para o depósito de resíduos industriais, e buscar junto aos órgãos competentes possíveis novas áreas para dar continuidade aos trabalhos no futuro, além de agregar novas tecnologias para melhorar o reaproveitamento dos resíduos”, enfatiza ele.

Revista Expansão |

143


[ Expediente ]

A Revista Expansão é uma publicação mensal da

Rua Quintino Bocaiuva, 99 - Centro - Novo Hamburgo - RS - CEP 93510-270 Fones: (51) 3065-6380, 3036-6380 ou 3036-6381 revistaexpansao@revistaexpansao.com.br | www.revistaexpansao.com.br

Execução Editorial Diretora Geral Diretor Comercial

Editora Pacheco Ltda. Ana Maribel Pacheco ana@revistaexpansao.com.br Sérgio Luiz Jost sergio@revistaexpansao.com.br Ana Conti gerenciaexecutiva@revistaexpansao.com.br

Gerente Comercial

Márcia Boniatti marcia@revistaexpansao.com.br

Redação Coordenadora de Redação

Atendimento ao Cliente Circulação Assinaturas Comercial Vendas Impressão

Aline de Melo Pires aline@revistaexpansao.com.br Graziela Dannenhauer graziela@revistaexpansao.com.br

Estagiária

Vitória Fischer Schilling reporter@revistaexpansao.com.br

Cidades de Circulação

Adalberto Alexandre Snel, César A. Pessin, César Silva, Cleber Arnhold, Cris Manfro, Édio Trein, Estêvão Trentz, Fabiane Michaelsen, Four Comunicação, Gelaina Barbieri, Gilberto Mosmann, Jair Canalle, Jaqueline Zapelini, Juraci Reichert, Kassandra Dorneles, Letícia de Oliveira, Luis Carlos Baumgarten, Maggda Rammé Mombach, Osvino Toillier, Renata Martins, Roberta Pletsch, Sandra Hess, Silvana Homrich, Tela Tomazeli e Zita Pereira

Envie seu recado à seção Cartas. São duas opções:

>> No site www.revistaexpansao.com.br,

clique no link Atendimento, escolha o campo Redação e mande sua mensagem;

>>

Por e-mail, para o endereço redacao@ revistaexpansao.com.br. Coloque seu nome completo, telefone e cidade. A Revista Expansão reserva-se o direito de resumir as cartas e e-mails.

| Revista Expansão

Ana Cristina Pires atendimento@revistaexpansao.com.br

redacao@revistaexpansao.com.br

Fale conosco

144

Auxiliar Administrativo

Ana Conti, Ana Maribel Pacheco, Angelo Reinheimer, Daniel Müller, Márcia Boniatti, Sérgio Luiz Jost e Zita Pereira

Secretária de Redação

Colaboradores

Raquel Braz Ribeiro raquel@revistaexpansao.com.br

Site

Gerente Executiva

Conselho Consultivo

Editora de Arte

circulacao@revistaexpansao.com.br assinaturas@revistaexpansao.com.br comercial@revistaexpansao.com.br vendas@revistaexpansao.com.br Gráfica Pallotti Grande Porto Alegre, Vale do Sinos, Vale do Paranhana, Região das Hortênsias, Vale do Caí e Vale do Rio Pardo

Os artigos assinados não representam, necessariamente, o pensamento da revista. Não é permitida a reprodução parcial ou total dos artigos publicados na revista sem prévia autorização do editor.

Newsletter

Acesse o site www.revistaexpansao.com.br e insira seu endereço de e-mail no cabeçalho do site no campo Newsletter.

O serviço é gratuito e também disponível para não-assinantes.

Janaína Winter atendimento@revistaexpansao.com.br

Filiado à

O cadastro requer apenas seu endereço de e-mail.

Você receberá mensalmente a newsletter com as novidades da Revista Expansão.

Ester Ellwanger contatosite@revistaexpansao.com.br

Quer assinar a Revista Expansão? São três opções:

>>

Visite o site www.revistaexpansao.com.br e envie a solicitação no link Assinaturas;

>>

Por e-mail assinaturas@revistaexpansao.com.br;

>> E pelo telefone: (51) 3065-6380. Março/2010


[ Em Cena ]

Foto: Cristina Mentz/Divulgação O voo da gaivota sobre praça parisiense.

O homem vangloria-se de ter imitado o voo das aves com uma complicação técnica que elas dispensam. Carlos Drummond de Andrade (escritor) 146

| Revista Expansão

Março/2010


Marรงo/2010

Revista Expansรฃo |

147


148

| Revista Expansรฃo

Marรงo/2010

Revista Expansão - Edição 124  

Edição de março de 2010 da Revista Expansão

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you