Page 1

Perfil TĂŠcnico


A Coverline


reveste. Caro cliente, é com prazer que fazemos chegar às suas mãos o Perfil Técnico de nossos produtos e serviços. Nossa expectativa é que esse material possa guiá-lo no momento de escolher o tipo de revestimento mais adequado às suas necessidades.


COVERFLEX Revestimentos à base de borracha natural macia, de alta resiliência e excelente resistência à abrasão e amortecimento de impactos. Ótima resistência química à base de sais e bases. Operam de 80ºC a 100 ºC.

COVERDUR Revestimentos à base de ebonite (borracha natural dura). Quimicamente saturados e inertes pela presença do enxofre, apresentam excelente resistência a ácidos, sais, bases, eletrólise do cloro, banhos especiais de fosfatização e eltrodeposição (exceto cromeação). Operam de 100 ºC (normal) a 130 ºC (especial).

COVERSET Revestimentos à base de borracha sintética macia. Oferece excelente resistência ao Ozônio, boa resistência à abrasão amortecimento de impactos. Ótima resistência química à base de sais e bases. Operam até 120 ºC.

COVERMAX Revestimentos constituídos por duas camadas (macia/dura) ou três camadas (macia/dura/macia) de borracha. Oferecem excelente resistência a ácidos, lixívias, eletrólise do cloro, combinadas com boa resistência à abrasão e bom amortecimento de impactos e choques térmicos. Operam até 120 ºC. Os revestimentos de borracha da Coverline visam atender a um extenso campo de aplicação. Objetivando facilitar a distinção entre os vários tipos disponíveis, estão codificados e agrupados em quatro séries distintas. A escolha do tipo correto de ser orientada a partir das condições de operação dos equipamentos e das características físico-químicas dos revestimentos. Para tanto, é recomendável a consulta às Fichas Técnicas e à Tabela de Resistência Química, que você encontrá mais a frente neste guia.


Ao solicitar um revestimento a Coverline algumas informações são essenciais para a seleção do revestimento adequado:

COVERFLEX Série 100 101

102

103

104

105

107

108

109

110

111

106

1. Estrutura, formato, material e dimensões do equipamento (Desenhos ou Croquis);

COVERDUR

2. Produtos químicos presentes e concentração de cada componente; 3. Ph da solução;

Série 200 201

202

203

4. Presença (traços) de impurezas, aditivos, solventes, emulsificantes etc; 5. Temperaturas (máxima e mínima) de operação; 6. Pressão de trabalho a vácuo; 7. Ocorrência de choque térmico no processo (tempo de duração); 8. Abrasão: tipo e tamanho das partículas, porcentagem de sólidos, velocidade e modo de agitação etc; 9. Rotores: velocidade periférica de rotação; 10. Local em que serão realizados os serviços de revestimento.

COVERSET Série 300 301

302

303

304

305

306

307

308

COVERMAX Série 400 401

402

Tipos de Revestimentos

Fatores que influenciam na escolha do revestimento


COVERFLEX Tipo

Dureza Shore A

NOTAS: 1) Teste Faísca: possível para todos os compostos. 2) Coeficiente de condutibilidade térmica: 0,20 - 0,45 Kcal/m.h.ºC.

* Vulcanização: A. Autoclave; B. Pressão Interna; C. Vapor Livre D. Autovulcanizante

Temp. máx. de operação

Vulcanização*

Cor

Características

COVERFLEX 101

45+ 5

80ºC

A,B

Preta

Resistente a abrasão e ataque químico

COVERFLEX 102

45+ 5

80ºC

C

Preta

Características idênticas às do COVERFLEX 101. Indicado para equipamentos de grandes dimensões e/ou revestimentos no local.

COVERFLEX 103

65+ 5

80ºC

A,B

Preta

Uso geral. Resistente ao ataque químico, em especial HCl.

COVERFLEX 104

65+ 5

80ºC

C

Preta

Características idênticas às do COVERFLEX 103. Indicado para equipamentos de grandes dimensões e/ou revestimentos no local

COVERFLEX 105

60+ 5

80ºC

A,B

Preta

Resistente à abrasão e ao ataque químico. Especialmente indicado para ácido fosfórico, ácido fluorídrico e fluorsilícico.

COVERFLEX 106

60+ 5

80ºC

C

Preta

Características idênticas às do COVERFLEX 105. Indicado para equipamentos de grandes dimensões e/ou revestimentos no local.

COVERFLEX 107

45+ 5

80ºC

A,B

Branca

Revestimento atóxico, resistente ao ataque químico. Indicado para a indústria alimentícia em geral, usinas de açúcar etc.

COVERFLEX 108

45+ 5

80ºC

C

Branca

Características idênticas às do COVERFLEX 107. Indicado para equipamentos de grandes dimensões e/ou revestimentos no local.

COVERFLEX 109

65+ 5

80ºC

D

Preta

Uso geral. Resistente ao ataque químico. Indicado para revestimentos no local e reparos.

COVERFLEX 110

65+ 5

100ºC

D

cinza

Resistente ao ataque químico e a temperaturas elevadas. Indicado para revestimentos no local e reparos.

Preta

Resistente à abrasão e ao ataque químico. Indicado para equipamentos de grandes dimensões e/ou revestimentos no local e reparos, em especial para indústrias de mineração.

COVERFLEX 111

45+ 5

80ºC

D


Dureza Shore A

Temp. máx. Vulcanização* de operação

Cor

Características

COVERDUR 201

75+ 5

100ºC

A,B

Preta

Resistente ao ataque químico agressivo (ácidos, sais e bases)

COVERDUR 202

75+ 5

130ºC

A,B

Cinza

Resistente ao ataque químico agressivo, a temperaturas mais elevadas.

COVERDUR 203

75+ 5

100ºC

A,B

Preta

Revestimento atóxico, resistente ao ataque químico. Indicado para indústria alimentícia em geral, usinas de açúcar.

Ficha Técnica

*Vulcanização: A. Autoclave; B. Pressão Interna;

COVERDUR Tipo

NOTAS: 1) Teste Faísca: possível para todos os compostos. 2) Coeficiente de condutibilidade térmica: 0,15 - 0,20 Kcal/m.h.ºC. 3) Coeficiente de dilatação térmica linear: 70-80 x10-6/ºC.


COVERSET Tipo

NOTAS: 1) Teste de faísca: revestimentos desta série não permitem sua realização. 2) Coeficiente de condutibilidade térmica: 0,20 - 0,45 Kcal/m.h.ºC.

* Vulcanização: A. Autoclave; B. Pressão Interna; C. Vapor Livre D. Autovulcanizante

Dureza Shore A

Temp. máx. de operação

Vulcanização*

Cor

Características

COVERSET 301

65+ 5

120ºC

A,B

Preta

Resistente ao ataque químico, ao ozônio, a intempéries, à água salgada e a alguns óleos.

COVERSET 302

65+ 5

120ºC

C

Preta

Características idênticas às do COVERSET 301. Indicado para equipamentos de grandes dimensões (ou abertos) e/ou serviços no local.

COVERSET 303

50+ 5

120ºC

D

Preta

Características idênticas às dos COVERSET 301 e 302. Indicado para equipamentos de grandes dimensões, serviços no local e reparos.

COVERSET 304

70+ 5

120ºC

A,B

Preta

Resistente a altas concentrações de ácido fluorídrico, super ácido fosfórico e hipoclorito de sódio a tempeeraturas mais elevadas. Boa impermeabilidade a gases.

COVERSET 305

70+ 5

120ºC

C

Preta

Características idênticas às do COVERSET 304. Indicado apara equipamentos de grandes dimensões e/ou serviços no local.

COVERSET 306

65+ 5

120ºC

A,B

Preta

Revestimento atóxico, resistente ao ataque químico a temperaturas mais elevadas. Indicado para indústrias alimentícias em geral.

COVERSET 307

65+ 5

120ºC

C

Preta

Características idênticas às do COVERSET 306. Indicado para equipamentos de grandes dimensões e/ou serviços no local.

Preta

Resistente ao ataque químico agressivo a temperaturas mais elevadas. Indicado para altas temperaturasmais elevadas. Indicado para altas concentrações de ácidos, em especial H2SO4

COVERSET 308

65+ 5

120ºC

A


Dureza

Temp. máx. Vulcanização* de operação

Cor

Características

COVERMAX 401

75+ Sh D

120ºC

A,B

Cinza

Dupla camada. Resistente ao ataque químico a temperaturas mais elevadas. Indicado especialmente para células eletrolíticas e outros equipamentos de produção de soda e cloro.

COVERDUR 402

65+ Sh A

100ºC

A,B

Preta

Tripla camada. Resistente à abrasão e ao ataque químico. Resistente a choques térmicos.

Ficha Técnica

*Vulcanização: A. Autoclave; B. Pressão Interna;

COVERMAX Tipo

NOTAS: 1) Teste de faísca: somente possível, exceto para o tipo COVERMAX 402. 2) Coeficiente de condutibilidade térmica: COVERMAX 401: 0,15 - 0,25 K.cal/m.hºC COVERMAX 402: 0,10 - 0,25 K.cal/m.hºC


Métodos de Vulcanização O método de vulcanização, ao qual podem ser submetidos nossos revestimentos, depende basicamente de 3 fatores: • Dimensões do equipamento; • Sua localização; • Tipo de revestimento a ser aplicado.

1. Vulcanização em autoclave Ocorre no interior das autoclaves, sob pressão de vapor saturado. Para tanto, deverão ser observadas as disposições contidas no item “Dimensões Máximas dos equipamentos possíveis de serem vulcanizados em nossas autoclaves”.

2. Vulcanização com pressão interna A vulcanização poderá ocorrer em nossa fábrica ou no próprio local em que se encontra instalado o equipamento*. Indicado quando as dimensões do equipamento não permitem a vulcanização em autoclaves ou quando sua movimentação for impraticável (tamques estacionários). O vapor saturado é injetado no interior do equipamento, funcionando este como uma autoclave. Neste caso, é importante verificar os limites de pressão interna a que o equipamento resiste. Em geral, submetese o equipamento a um ensaio prévio a 5,0 kg/cm2 de pressão.

3. Vulcanização por vapor livre É uma variante do método anterior, que ocorre quando o equipamento a ser revestido não resiste a pressão interna ou então é do tipo aberto. O método consiste na injeção de vapor no interior do equipamento, utilizando-se, no caso de tanques abertos, uma lona de cobertura, a fim de manter o vapor no interior do aparelho. Este método pode ser aplicado tanto em nossa fábrica como no próprio local onde o equipamento está instalado*.

4. Autovulcanização Compreende a utilização de revestimentos autovulcanizantes, cuja vulcanização ocorre à temperatura ambiente (desde que não inferior a 20ºC), dispensando o uso de vapor. O tempo de vulcanização pode variar de 8 horas (uso de aquecimento) até 4 semanas. É aplicável, em geral, aos revestimentos no próprio local da obra*, quando a instalação de redes de vapor for inviável ou imprópria.

*Deverão ser observados os requisitos estabelecidos no item “Revestimento no local”.


Dimensões Máximas dos equipamentos possíveis de serem vulcanizados em nossas autoclaves

Vulcanização

Nossa maior autoclave permite a vulcanização de equipamentos de até 3,85 m de diâmetro por 8,00 m de comprimento. Temos outras possibilidades de autoclaves para dimensões variáveis, entre as quais, uma que permite vulcanizar peças de até 1,50 m de diâmetro por 12,00 m de comprimento. Equipamentos de dimensões superiores às mencionadas, poderão ser submetidos a outro método de vulcanização, conforme descrito no item anterior.


Após sua aplicação, alguns de nossos revestimentos (vide Ficha Técnica) são submetidos ao Teste de Faísca (Spark Test) por meio de aparelho de alta freqüência, ajustado a potencial adequado à respectiva espessura - conforme tabela ao lado. É recomendável que a inspeção seja conduzida por um de nossos técnicos, pois um teste realizado por pessoa não habilitada poderá prejudicar ou mesmo danificar o revestimento.


3 mm

9.000 v

4 mm

12.000 V

5 mm ou mais

15.000 V

Teste de FaĂ­sca

Espessura do revestimento TensĂŁo


Para que o revestimento possa ser executado com perfeição, é necessário que certos requisitos sejam observados durante a construção dos equipamentos.

A

Não aceitável.

1. Todas as áreas a serem revestidas devem ser visíveis e de fácil acesso às mãos do operador e às ferramentas; Aceitável.

B esmerilhar

esmerilhar

2. Recipientes e tanques devem possuir uma boca de inspeçãode diâmetro não inferior a 500 mm. Bocas menores retardam os trabalhos, onerando o custo dos serviços; 3. Tubulações, reduções, conexões, curvas, tees etc., requerem atenção especial. Para tanto, deve ser consultada a tabela com os comprimentos máximos admissíveis, em função dos diâmetro das peças;

C solda descontínua (para saída de ar)

solda contínua (R-3 mm)

D solda contínua (R-3 mm)

solda descontínua (para saída de ar)

4. As superfícies devem ser lisas e isentas de asperezas ou porosidades. Todas as soldas devem ser contínuas e perfeitamente acabadas, de forma a evitar cavidades ou porosidades, onde o ar posa ficar retido; • Evitar soldas altas, com cantos vivos; • Incrustações e impurezas decorrentes da soldagem devem ser eliminadas por esmerilhamento; • As soldas devem ser de topo, iniciandose a partir do lado externo (Fig. A e B) • Nas soldas de canto, quando inevitáveis, deverão ser previstos furos ou descontinuidade do lado externo, para saída do ar. (Fig. C e D).


R-3 mm

F

R-3 mm

solda contínua (R-6 mm)

solda contínua (R-6 mm)

Furo para saída de ar

5. Junções e uniões rebitadas são definitivamente inaceitáveis;

Furo para saída de ar

G solda contínua (R-6 mm)

6. Evitar ângulos estreitos. Todos os cantos vivos devem ser arredondados: cantos in ternos a um raio de 6 mm e cantos externos a um raio de 3 mm (Fig. E, F e G);

solda descontínua

Furo para saída de ar

7. De preferência, os resforços estruturais devem estar localizados na parte exterior do equipamento a ser revestido; 8. Peças rotativas devem ser balanceadas antes do revestimento. Isto evita que se produzam diferenças muito grandes na espessura da borracha, por ocasião do novo balanceamento com a peça revestida, quando se faz necessária a redução gradual de camadas do revestimento para se atingir o balanceamento desejado. Equipamentos que sofrerão vulcanização com presssão interna Sempre que o equipamento, por suas dimensões ou por outras condições especiais, deva funcionar como autoclave, mediante a injeção de vapor pressurizado em seu interior, é indispensável que seja submetido a um ensaio prévio de pressão interna a 5,0 kg/cm2, no mínimo. Todas as aberturas devem permitir a aplicação de flanges cegos, devidamente dimensionados para resistirem à pressão a que serão submetidos.

Considerações finais Além de observadas todas as orientações desta seção, os equipamentos deverão ser inspecionados por nossos técnicos, antes de serem enviados ao local (fábrica ou obra) no qual será feito o revestimento. Esta providência também inclui os equipamentos que já operaram e que necessitam novamente ser revestidos.

Disposições Construtivas

E


øD1 L

øD

L2 1

L

1

øD

L1

øD

L2

L3

øD


1 - Segmentos Retos

L

øD - øD1 L Máx(1) 1” - 11/4”

L1 Máx(2) L2 Máx(2)

3.000

150

150

- 1 /2” - 13/4”

3.000

150

200

2”

4.000

150

200

2 1/4” a 3 3/4”

4.000

150

300

4” a 53/4”

6.000

300

qualquer

6” a 8”

6.000

500

qualquer

53/4” a 10”

6.000

600

qualquer

acima de 10”

7.000

600

qualquer

øD

L

øD L2

L1

(1) L Máx obtido de øD (2) L1 Máx e L2 Máx obtidos de øD1

L2

L3 2 - Reduções

øD

øD

L2

øD

L1

øD

øD

L1 Máx

L2 Máx

L3 Máx

1” a 1 3/4”

100

100

150

2” a 3 3/4”

200

100

200

4” a 6 3/4”

3.000

200

200

acima de 10”

3.000

200

500

Dimensões Máximas

1


3 - Conexões Tees, “Y” e Cruzetas L2 Máx

1” a 2”

150

250

2 1/2” a 3 3/4”

150

300

4” a 5 /4”

300

600

6” a 8 3/4”

500

1.000

acima de 10”

600

1.200

3

L2 øD

L

1

L1 Máx

1

øD

øD - øD1

L

(1) L Máx obtido de øD (2) L1 Máx e L2 Máx obtidos de øD1

4 - Curvas e Cotovelos øD

H Máx

1” a 2”

250

2 1/2” a 3 3/4”

350

5” a 6 3/4”

500

8”

600

10”

800

acima de 10”

1.000

øD

H


øD1

øD

øD L2

L2

øD1

øD1

5 - Curvas e Cotovelos øD

L Máx

2 1/4” a 3 3/4”

600

4” a 5 3/4”

800

6” A 8”

1.000

acima de 8”

1.200

L

L

øD

Dimensões Máximas

L


L

H

øD

L

øD

H


L Máx øD

H Máx

45º

90º

1” a 3 /4”

2.000

1.500

200

2”

3.000

2.500

200

2” a 3 3/4”

3.000

2.500

300

4”

4.000

3.500

300

5” a 6 3/4”

4.000

3.500

500

8” a 10”

4.000

3.500

600

acima de 10”

5.000

4.500

600

3

øD - øD1

L Máx

L1 Máx

L2 Máx

1” - 11/4”

1.500

150

150

11/2”- 13/4”

1.500

150

200

2”

2.500

150

200

21/2” a 33/4”

2.500

150

300

4” a 53/4”

3.500

300

qualquer

6” a 8”

3.500

500

qualquer

10”

3.500

600

qualquer

acima de 10”

4.500

600

qualquer

OBS.: quando øD1 inferior a øD, os valores de L2 MÁX devem ser obtidos a partir de øD1.

L2

øD L1 L1

øD

L

Dimensões Máximas

7 - Segmentos com curvas e derivações

6 - Segmentos com curvas


Conforme já mencionado, nossos revestimentos podem ser aplicados no local onde os equipamentos estão instalados. Para tanto, é indispensável que o local esteja devidamente preparado para permitir a perfeita execução dos serviços.

Recomendações gerais 1. Proteção dos equipamentos Ambiente coberto, ao abrigo das intempéries e convenientemente limpo e isento de poeiras. 2. Recinto de trabalho Ambiente coberto e bem iluminado, localizado o mais próximo possível dos equipmentos a serem revestidos. Deverão ser previstos: uma mesa de dimensões 5,00 x 1,50 x 0,90 m, revestida de chapa para recorte das lâminas de borracha e cavaletes destinados a suportar os rolos de borracha. 3. Área de estocagem Recinto fechado, preferencialmente próximo ao local dos serviços. Para revestimentos com compostos autovulcanizantes, a área de estocagem deverá ser mantida a uma temperatura não superior a 16ºC. Se for necessário a permanência de caminhão frigorífico, deverá ser previsto ponto de força de características adequadas. 4. Andaimes e escadas São necessários para revestimentos de tanques de grandes dimensões. 5. Pontos de luz e força Próximos ao local de trabalho, para ligação dos exaustores e lixadeiras (220 V). 6. Jato de granalha 7. Linha de ar comprimido Somente quando for necessária a remoção de revestimento anterior por meio de talhadeiras pneumáticas. 8. Água potável e instalações sanitárias adequadas 9. Medidas de segurança Durante a aplicação do revestimento, não deverá ser permitido soldar ou gerar chama exposta nas proximidades.


1. Linha de vapor Para vulcanização com Vapor Livre a pressão é indiferente. Para vulcanização com Pressão Interna o mínimo necessário são 3,0 kg/cm2 de pressão. NOTAS: a) é importante confirmar se o aparelho suporta a pressão solicitada. b) deverá ser prevista válvula de segurança no equipamento. 2. Manômetro e termômetro Manômetro com escala de 0 a 6,0 kg/cm2 e termômetro com escala de 0 a 200ºC, instalados com válvula esférica, que permitam a troca em caso de mau funcionamento, sem interrupção da vulcanização. 3. Isolação térmica do equipamento Para prevenir perda de calor durante a vulcanização, é necessário proteger externamente o equipamento por meio de mantas de lã-de-rocha. 4. Vedação dos tanques abertos Para vulcanização com Vapor Livre de tanques abertos, é necessário que os mesmos sejam cobertos com lona ou encerado, a fim de se manter o vapor em seu interior. 5. Flanges cegos Para vedação de todas as entradas. Devem resistir à pressão interna. 6. Sistema de drenagem Para eliminar a água de condensação, deverão ser instalados purgadores com vávula esférica, que permitam a sua troca em caso de mau funcionamento, sem paralisar a vulcanização. 7. Distribuição do vapor interno Para tanques de grandes dimensões, deverá ser prevista tubulação interna (ø 1 1/2”), perfurada (furos ø 1 a 2 mm) para permitir melhor distribuição do vapor no interior do aparelho.

Revestimento no local

Da Vulcanização


A fim de se obter maior durabilidade dos revestimentos Coverline, algumas precauções e normas de utilização devem ser observadas, visando eliminar riscos e danos à superfície do revestimento.

Transporte 1. Evitar choques e batidas no equippamento revestido. 2. Proteger a superfície revestida, resguardando-a contra a queda de ferramentas ou de outros objetos.

Instalação e Operação 1. Não caminhar sobre as superfícies revestidas sem calçados apropriados, dotados de solas de borracha ou tecido. 2. Se, durante o transporte, alguma região do revestimento foi atingida por impacto, esta deverá ser objeto de inspeção, antes da entrada em operação do equipamento. 3. Durante (e após) a instalação do equipamento, deverão ser absolutamente evitadas quaisquer operações de soldagem ou outras que desenvolvam calor excessivo nas proximidades do equipamento revestido. 4. Não modificar o ciclo de operação do equipamento para


Estocagem Situações há quem o equipamento revestido deverá permanecer estocado antes de entrar em operação. Nestes casos, além das recomendações já mencionadas, outras deverão ser observadas: 1. O local de estocagem deve ser abrigado, protegido da ação direta dos raios solares e da chuva. 2. Manter os aparelhos cheios de água ou, no caso dos grandes recipientes, a um nível de aproximadamente 1 m, uma vez que a umidade contribui para diminuir as contrações e expansões do equipamento e ajuda a manter o revestimento flexível.

3. Antes de entrar em operação, nova inspeção deverá ser realizada. Para tanto, solicite a presença de um técnico da Coverline.

Inspeções de rotina Recomendamos inspeções periódicas para avaliação do estado do revestimento. Tais inspeções, inclusive o teste de faísca, devem ser feitas exclusivamente pelos técnicos da Coverline que são qualificados para orientar o usuário quanto aos procedimentos corretos. Em geral, uma inspeção anual é satisfatória.

Reparos Por ocasião das inspeções de rotina, um técnico de nossa empresa poderá avaliar a necessidade de reparos na superfície do revestimento. Dependendo da extensão do reparo, este poderá ser realizado por nossa equipe, no próprio local em que se encontra o equipamento, sempre observando as condições citadas no item “Revestimento no local”, deste guia técnico.

Transporte, intalação, operação e estocagem

o qual o revestimento original foi previsto. Qualquer alteração neste sentido deverá ocorrer mediante consulta prévia aos nossos técnicos. 5. Utilizar graxetas grafitadas ou lubrificantes adequadamente com vaselina branca ou silicone na fixação das tampas de bocas de inspeção dos flanges cegos e na fixação de tubulações com curvas, tees, cruzetas e reduções. Esta providência evita a colagem das superficies de borracha em contato, o que dificulta a remoção das partes quando necessário. NOTA: não utilizar graxas (mineral ou vegetal) nesta operação. 6. Tanques instalados ao ar livre devem ser externamente pintados com cores claras, que reflitam o calor.


Temperatura

Grรกfico Pressรฃo x Temperatura do Vapor Saturado 180

170

160

150

140

130

120

110

100

90

80

70 1.0

10

2.0

20

30

3.0

40

4.0

50

5.0

60

70

6.0

80

7.0

90

100

8.0

110

9.0

120

130

10.0

(Kg/cm2)

140

PSI


Produtos Químicos

R - Resistência Limitada

40 SAT

Acetato de Chumbo

SAT

Acetato de Cobre

10

Acetato de Níquel

SAT

Acetato de Zinco

SAT

Acetona a

SAT 30 SAT

Ácido Ar Arsênico rsênico

SAT

Ácido Bórico

SAT 20

Ácido Br Bromídrico romídrico

Ácido Bu Butírico utírico

SAT

20

25 25 70 100 50 80 70 100

• - Não há informações disponíveis

Co overfle ex ex o verfle

CONC .% TEMP. ºC

Acetaldeido Acetalde eido

Ácido Acético

N - Não resistente

Co overDur rDur ur o verDur u

Cove Coverset erset erset

Coverrmax rmax

101 102 103 104 105 106 107 108 109 110 111 201 202 203 301 302 303 304 305 306 307 308 R R R R R R R R R R R B B B N N N B B B B N N N N N N N N N N N N B B B N N N R R R R N B B B B B B B B R R N B B B • • • • • • • • N N N N N N N N N R N B B B • • • • • • • • N N N N N N N N N N N R B R N N N N N N N R N N N N N N N N N N N N B N N N N N N N N N B B B B B B B B B B B B B B B B B B B B B B N N N N N N N N N B N B B B B B B B B B B B

401 B B B B N N B B

402 R N R R N N B R

70 100 20 50 80 20 50 70 100 70 80 100

B N N N N R N B N B N N

B N N N N R N B N B N N

B N N N N R N B N B N N

B N N N N R N B N B N N

B N N N N R N B N B N N

B N N N N R N B N B N N

B N N N N R N B N B N N

B N N N N R N B N B N N

B N N N N R N B N B N N

B B N N N R N B R B R N

B N N N N R N B N B N N

B B N N N R N B B B B N

B B N N B B R B B B B B

B B N N N R N B B B B N

• • N N N N N • • B B N

• • N N N N N • • B B N

• • N N N N N • • B B N

• • B R N R N B R B B N

• • B R N R N B R B B N

• • B R N R N B R B B N

• • B R N R N B R B B N

• • N N N N N N N B B N

B B N N B B R B B B B B

B R N N N R N B N B B N

90 30 60 70 20 50

N B N N N N

N B N N N N

N B N N N N

N B N N N N

N B N N N N

N B N N N N

N B N N N N

N B N N N N

N B N N N N

N B N N N N

N B N N N N

R B B N R N

R B B R B R

R B B N R N

N N N N B N

N N N N B N

N N N N B N

R B B B B N

R B B B B N

R B B B B N

R B B B B N

R N N N B R

R B B R B R

N B N N N N

Ácido Carbônico

SAT

70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

Ácido Cianídrico

SAT

70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

70 100 70 100 70 100 70 90 25 70 100 20 50 50 20

B N B N B N B N B B N N N N B

B N B N B N B N B B N N N N B

B N B N B N B N B B N N N N B

B N B N B N B N B B N N N N B

B N B N B N B N B B N N N N B

B N B N B N B N B B N N N N B

B N B N B N B N B B N N N N B

B N B N B N B N B B N N N N B

B N B N B N B N B B N N N N B

B N B N B R B B B B B N N N B

B N B N B N B N B B N N N N B

B B B B B B B B B B R N N N B

B B B B B B B B B B B N N N B

B B B B B B B B B B R N N N B

B B B B B B N N N N N N N N R

B B B B B B N N N N N N N N R

B B B B B B N N N N N N N N R

B B B B B B N N N N N N N N B

B B B B B B N N N N N N N N B

B B B B B B N N N N N N N N B

B B B B B B N N N N N N N N B

B B B B B B N N R N N B B R B

B B B B B B B B B B B N N N B

B N B N B N B B B B R N N N B

20 Ácido Cít Cítrico trico

70 SAT 25

Ácido Clorídrico SAT

Ácido Crômico

10 40

Ácido Feno Sulfônico

33 40

Ácido Fl Fluorídrico uorídrico

50 5

50

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

R

R

R

B

B

B

B

B

B

B

40 20 80 50

N N N N

N N N N

N N N N

N N N B

N N N N

N N N N

N N N N

N N N N

N N N N

N N N N

N N N N

N N N R

N N N B

N N N R

N N N B

N N N B

N N N B

B B N B

B B N B

B B N B

B B N B

N N N B

N N N B

N N N B

Resistência Química

B - Boa resistência


B - Boa resistência

Produtos Químicos

R - Resistência Limitada

Ácido Fó Fórmico órmico

Ácido Fosfórico

40 VAPOR 50 SAT

85

70 90 70 95 80 30 50 80 70 90 100

• - Não há informações disponíveis

Co overflex overflex e ex

CONC .% TEMP. ºC

10 Ácido Fl Fluorsilícico uorsilícico

N - Não resistente

Co overDur overDur rDu u ur

Coverset e erset

Covermax r rmax

101 102 103 104 105 106 107 108 109 110 111 201 202 203 301 302 303 304 305 306 307 308 N N N N B N N N N N N N B N N N N B B B B • N N N N N N N N N N N N B N N N N B B B B • N N N N B N N N N N N N B N N N N B B B B • N N N N N N N N N N N N B N N N N B B B B • N N N N N N N N N N N • • • N N N N N N N • N N N N N N N N N N N B B B N N N N N N N N N N N N N N N N N N N N B N N N N N N N N N N N N N N N N N N N N N R N N N N N N N N N B B B B B B B B B B B B B B B B B B B B B B N N N N N N N N N N N R B R N N N B B B B B N N N N N N N N N N N N R N N N N B B B B B

401 B B B B • B B R B B R

402 B N B N N N N N B B N

10

80

R

R

R

R

R

R

R

R

R

R

R

R

B

R

N

N

N

B

B

B

B

R

B

R

Ácido Iodídrico

SAT

Ácido Lá Lático ático

SAT

100 50 100 20 5 20 50 20 50 20 50

N N N N N N N N N N N

N N N N N N N N N N N

N N N N N N N N N N N

N N N N N N N N N N N

N N N N N N N N N N N

N N N N N N N N N N N

N N N N N N N N N N N

N N N N N N N N N N N

N N N N N N N N N N N

N N N N N N N N N N N

N N N N N N N N N N N

N B B B N B N N N N N

B B B B N B N N N N N

B B B B N B N N N N N

B R N N N N N N N N N

N R N N N N N N N N N

N R N N N N N N N N N

N R N R R R R R R R N

• R N R R R R R R R N

• R N R R R R R R R N

• R N R R R R R R R R

• R N B B B B B B B B

B B B B N B N N N N N

N N N N N N N N N N N N

Ácido Ftálico

5 10 Ácido Ní Nítrico ítrico 20 30 Ácido Oxálico

SAT

100

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

B

B

B

N

N

N

R

R

R

R

R

B

Ácido Sulfídrico

SAT

60

B

B

B

B

B B N B B N N N N

B B N B B N N N N

B B N B B N N N N

B B N B B N N N N

B B N B B N N N N

B B N B B N N N N

B B N B B N N N N

B B N B B N N N N

B B N B B N N N N

B B R B B N N N N

B B N B B N N N N

B B B B B B N N N

B B B B B B R N N

B B B B B B N N N

B B N B N N R N N

B B N B N N R N N

B B N B N N R N N

B B R B R N R N N

B B R B R N R N N

B B R B R N R N N

B B R B R N R N N

B B B B B B B B B

B B B B B B R N N

B B R B B B N N N

98

20 50 80 20 70 80 20 40 20

Ácido Tartárico

SAT

60

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

Água De Destilada estilada

• •

50 90

B R

B R

B R

B R

B R

B R

B R

B R

B R

B B

B R

B B

B B

B B

R R

R R

R R

B B

B B

B B

B B

B B

B B

B B

Água do Mar

• • •

50 80 100

B R N

B R N

B R N

B R N

B R N

B R N

B R N

B R N

B R N

B B N

B R R

B B B

B B B

B B B

B R R

B R R

B R R

B B B

B B B

B B B

B B B

B B B

B B B

B B B

SAT

60

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

Álcool Butílico

SAT

20 60 80

B R N

B R N

B R N

B R N

B R N

B R N

B R N

B R N

B R N

B R N

B B N

B B R

B B R

B B R

B B N

B B N

B B N

B B N

B B N

B B N

B B N

B B N

B B N

B R N

Álcool Etílico

SAT

60

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

SAT

50 60

B B

B B

B B

B B

B B

B B

B B

B B

B B

B B

B B

B B

B B

B B

B B

B B

B B

B B

B B

B B

B B

B B

B B

B B

25

Ácido Sulfúrico

50

70

Álcool Amílico

Álcool M Metílico


Produtos Produto os Químicos Q

R - Resistência Limitada

N - Não resistente

• - Não há informações disponíveis

Co o overfle verfle e ex x

CONC .% TEMP. ºC

Co o over verDu rDu u urr

Coverset e erset

Covermax rrmax

101 102 103 104 105 106 107 108 109 110 111 201 202 203 301 302 303 304 305 306 307 308 Alúmem Alúmem de Cromo

401

402 B

SAT

80

R

R

R

R

R

R

R

R

R

R

R

B

B

B

R

R

R

R

R

R

R

R

B

30

80

R

R

R

R

R

R

R

R

R

R

R

B

B

B

R

R

R

B

B

B

B

R

B

R

70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

Alúmem de Potássio

SAT

100

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

B

B

B

B

R

Alúmen de Sódio

SAT

70 100

B N

B N

B N

B N

B N

B N

B N

B N

B N

B R

B N

B B

B B

B B

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

B B

B R

SAT

20

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

100

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

R

70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

90

N

N

N

N

N

N

N

N

N

B

N

B

B

B

R

R

R

B

B

B

B

B

B

R

70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

100

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

B

B

B

B

R

70 80 100 70 80 100 70 100

B R N R R N B N

B R N B R N B N

B R N B R N B N

B R N B R N B N

B R N B R N B N

B R N B R N B N

B R N B R N B N

B R N B R N B N

B R N B R N B N

B B R B B R B R

B R N B R N B N

B B B B B B B B

B B B B B B B B

B B B B B B B B

B B B B B B • •

B B B B B B • •

B B B B B B • •

B B B B B B • •

B B B B B B • •

B B B B B B • •

B B B B B B • •

B B B B B B • •

B B B B B B B B

B B R B B R B R

Benzeno Bicarbonato de Potássio

SAT

Bissulfato de Potássio

30

Brometo de Alumínio

SAT

Carbonato Carbona ato de Potás Potássio ssio

SAT

Carbonato de Sódio

SAT

Cianeto de Cobre

SAT

Cianeto de Potássio

SAT

70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

Cianeto de Sódio

SAT

70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

Cloreto d de Alumínio

SAT

100

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

R

Cloreto d de Amônio

SAT

70 100 70 90 60 70 100 70 100 70 100

B N B N B B N B N B N

B N B N B B N B N B N

B N B N B B N B N B N

B N B N B B N B N B N

B N B N B B N B N B N

B N B N B B N B N B N

B N B N B B N B N B N

B N B N B B N B N B N

B N B N B B N B N B N

B R B B B B R B R B R

B N B • B B N B N B N

B B B B B B B B B B B

B B B B B B B B B B B

B B B B B B B B B B B

B B B B B B B R N • •

B B B B B B B R N • •

B B B B B B B R N • •

B B B B B B B B B • •

B B B B B B B B B • •

B B B B B B B B B • •

B B B B B B B B B • •

B B B B B B B B B • •

B B B B B B B B B B B

B R B R B B R B N B N

Cloreto d de Bário

25 50

Cloreto de Cálcio

SAT

Cloreto d de Cobre

SAT

Cloreto E Estânico

SAT

Cloreto E Estanoso

SAT

Cloreto d de Ferro II

SAT

Cloreto d de Ferro III

40

Cloreto d de Mercúrio

SAT

Cloreto d de Níquel

SAT

Cloreto d de Potássio

SAT

70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

100

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

B

B

B

B

N B

70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

90

N

N

N

N

N

N

N

N

N

B

N

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

R

70 90 70 100 70 100 70 100

B N B N B N B N

B N B N B N B N

B N B N B N B N

B N B N B N B N

B N B N B N B N

B N B N B N B N

B N B N B N B N

B N B N B N B N

B N B N B N B N

B B B R B R B R

B N B N B N B N

B B B B B B B B

B B B B B B B B

B B B B B B B B

B B B B B B B B

B B B B B B B B

B B B B B B B B

B B B B B B B B

B B B B B B B B

B B B B B B B B

B B B B B B B B

B B B B B B B B

B B B B B B B B

B R B N B N B N

Resistência Química

B - Boa resistência


B - Boa resistência

Produtos Prod dutos Q Químicos

R - Resistência Limitada

CONC .%

N - Não resistente

• - Não há informações disponíveis

Co overflex e ex o verflex

TEMP. ºC

Co overDur Du u ur o verDur

Coverset ove e erset

Coverrmax Covermax

101 102 103 104 105 106 107 108 109 110 111 201 202 203 301 302 303 304 305 306 307 308 Cloreto d de Sódio

401

402

70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

100

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

N B

SAT 70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

90

N

N

N

N

N

N

N

N

N

B

N

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

R

70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

20 Cloreto d de Zinco SAT 100

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

N

Cloro Gasoso (Seco)

20

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

B

R

R

R

R

N

N

N

N

R

B

N

Cloro Gasoso (úmido)

85

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

B

R

R

R

R

N

N

N

N

R

B

N

SAT

20

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

50

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

90

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

B

B

B

R

R

R

R

R

R

R

B

B

N

20

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

B

B

B

N

N

N

R

R

R

R

B

B

N

70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

90

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

R

100

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

R

B

R

B

B

B

B

B

B

B

R

B

N

Clorofórmio Dicromato Dicroma ato de Potássio Dióxido de Enxofre Ferrocianeto Ferrocia neto de Potássio

5 6 25

Fluoreto de Amônio

SAT

Fluoreto o de Alumínio

SAT

Formald Formaldeído deído

Fosfato de Potássio

Fosfato de Sódio

Glicerina a

70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

100

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

N

20

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

80

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

N

R

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

40 70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

100

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

B

B

B

B

N

SAT 70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

R

R

R

B

B

B

B

R

B

B

100

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

B

B

B

N

N

N

R

R

R

R

N

B

N

SAT 80

R

R

R

R

R

R

R

R

R

R

R

B

B

B

R

R

R

B

B

B

B

B

B

R

120

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

R

R

N

N

N

B

B

B

B

R

R

N

SAT

Hexano

SAT

20

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

Hidróxido de Amônio

SAT

65

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

B

B

B

N

N

N

R

R

R

R

B

B

N

70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

R

R

R

B

B

B

B

B

B

B

80

R

R

R

R

R

R

R

R

R

B

R

B

B

B

R

R

R

B

B

B

B

R

B

B

100

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

N

Hidróxido de Cálcio

Hidróxido Hidróxid do de Magnésio

Hidróxido Hidróxid do de Potásssio

Hidróxido Hidróxid do de Sódio

SAT

70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

100

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

N

SAT 70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

100

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

B

B

B

R

R

R

B

B

B

B

B

B

N

SAT 70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

N

N

N

B

B

B

B

B

B

B

100

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

B

B

B

N

N

N

B

B

B

B

B

B

N

20

R

R

R

R

R

R

R

R

R

R

R

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

R

50

R

R

R

R

R

R

R

R

R

R

R

B

B

B

R

R

R

B

B

B

B

B

B

R

20

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

B

B

B

N

N

N

R

R

R

R

B

B

N

50

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

B

B

B

N

N

N

R

R

R

R

B

B

N

70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

90

N

N

N

N

N

N

N

N

N

B

N

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

R

20

R

R

R

R

R

R

R

R

R

R

R

R

R

R

R

R

R

R

R

R

R

N

R

R

70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

100

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

B

B

B

N

N

N

N

N

N

N

N

B

N

SAT

Hipo Clorito de Sódio A A = 1,4% de CI/I B = 14 a 15 de CI/I

B

Lixívia d de e Potassa

50

Metil Etil Cetona Nitrato de d Amônia

SAT SAT


B - Boa resistência

Químicos Produtos Produto os Q

R - Resistência Limitada

N - Não resistente

• - Não há informações disponíveis

Co overfle overfle ex ex

CONC .% TEMP. ºC

Co overDur rDu urr u

rset Coverset erset e

rmax Covermax ermax e

101 102 103 104 105 106 107 108 109 110 111 201 202 203 301 302 303 304 305 306 307 308 401 402

de Chumbo Nitrato d

de Cobre III Nitrato d

Nitrato d de Níquel

de Potássio Nitrato d

Nitrato d de Sódio

Persulfato de Amônia

Sulfato d de Alumínio

Sulfato d de Amônia

Sulfato d de Cobre

Sulfato d de Ferro

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

B

B

B

B

N

70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

100

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

B

B

B

B

N R

70

R

R

R

R

R

R

R

R

R

R

R

B

B

B

R

R

R

B

B

B

B

B

B

90

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

R

B

R

R

R

R

B

B

B

B

B

B

70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

100

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

B

B

B

B

N

70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

R

R

R

B

B

B

B

B

B

100

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

B

B

B

N

N

N

B

B

B

B

B

N

50

SAT

SAT 70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

R

R

R

B

B

B

B

B

B

100

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

B

B

B

N

N

N

B

B

B

B

B

N B

SAT 40

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

N

N

N

R

R

R

R

B

70

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

B

B

B

N

N

N

N

N

N

N

B

70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

100

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

N

70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

100

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

N

SAT

SAT

SAT 70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

100

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

N

SAT 70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

100

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

N

SAT

SAT

Sulfato d de Potássio

SAT

Sulfato d de Níquel

B N

SAT

Sulfato de Magnésio

Sulfato d de Sódio

70 100

SAT

70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

100

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

N

70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

100

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

N

70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

100

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

N

SAT 70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

100

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

N

SAT

Sulfato de Zinco

70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

100

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

N

SAT 20

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

Tricloretileno

20

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

Tartarato de Potássio

70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

SAT 100

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

B

B

B

B

N

Tartarato Tartarat to de Sódio

SAT

Tolueno SAT

Xileno

SAT

70

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

B

100

N

N

N

N

N

N

N

N

N

R

N

B

B

B

B

N

20

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

N

Resistência Química

de Alumínio Nitrato d


(11) 4591-0011 Rua JerusalĂŠm, 100 - Bairro Paineiras Caixa Postal 334 - Itupeva - SP CEP 13295-000 www.coverline.com.br coverline@coverline.com.br

Perfil Técnico de Produtos Coverline  

Descrição das características técnicas dos revestimentos de borracha produzidos pela Coverline.

Perfil Técnico de Produtos Coverline  

Descrição das características técnicas dos revestimentos de borracha produzidos pela Coverline.

Advertisement