Page 1

EMMAG

ID FASHION A palavra do futuro é colaboração


A EMMAG, em sua essência, é colaborativa. Desde nossa primeira edição seguimos com esses valores para criar nossa identidade de moda curitibana. O convite para integrarmos oficialmente a terceira edição do IDFASHION foi, para nós, uma afirmação sobre o trabalho que sempre fizemos. Acreditar em um modelo de negócio que estimula a colaboração não é realmente uma coisa fácil. Mas, o tema desta edição especial, Colab, é reflexo de que grandes nomes do segmento de moda e da indústria têxtil do Estado também acreditam.


Durante dois dias (intensos) toda a equipe EMMAG se uniu para transformar ideias em conteúdo. E isso não seria possível se peças fundamentais não nos apoiassem. Por isso, aproveitamos para agradecer a parceria e confiança do SENAI-PR, que pelo coordenador, Edson Korner, formalizou este convite para ação. A todo o pessoal do USER EXPERIENCE que tornou possível a dinâmica de mostrar os bastidores de uma produção de moda. E, claro, aos meninos da CASA TREZE que acreditaram nesta ideia tanto quanto nós e nos presentearam com a sensibilidade visual para trazer tudo o que você está prestes a descobrir:


r e v i l O e p i Fel

Castro Pizzano


Anne Ehlke

W Mixtu ra

Um agradecimento especial à equipe da foto (e das legendas), que junta produziu esta edição especial.


backstage por: Castro Pizzano/ w. mistura

Diretora de Redação: CARMELA SCARPI (carmela@evenmore.com.br) Projeto gráfico: LIZI SUE (lizi@evenmore.com.br) Diagramação e Tratamento: LIZI SUE (lizi@evenmore.com.br) e LUISY GUIMARÃES Redação: ALÉXIA SARAIVA; ANNE EHLKE; CARMELA SCARPI; MARIANA ROSA. Colaboradores: Castro Pizzano (CasaTreze - Nucleo Zordaz); FELIPE OLIVER ARNOSO (Casa Treze - Nucleo Viewild); IZADORA PADILHA; LARISSA TANAKA ONUKI; LIZZIE RENATA; Marco Lelo (CasaTreze - Núcleo Lelo) MALU STROPARO; OMICRON FOTOGRAFIA; PATI SABATOWITCH; RENATA WAJDOWICZ; W MIXTURA (Casa Treze - Núcleo Herege) Revisão: CARMELA SCARPI A revista digital EMMAG é uma publicação produzida pela equipe do grupo Even More Comunicação. Todos os direitos são reservados. É proibida a reprodução de qualquer tipo de conteúdo sem a autorização prévia e por escrito. Todas as informações técnicas, bem como anúncios e opiniões expressados, são de responsabilidade dos autores que estes assinam. Serviço de atendimento ao consumidor: contato@evenmore.com.br Anúncio e Publicidade: cormercial@evenmore.com.br


#14

ID FASHION

08 THOUGHTS

16 LOOKS

20 TALK

26 EDITORIAL

36 CATWALK

46 CASA TREZE

OUTUBRO 2017


id toughts

conexões

paranaense

O Living Lab foi uma rede de conexões, descubra as novidades das marcas que passaram por lá. Aléxia Saraiva | Anne Ehlke | Carmela Scarpi | Mariana Rosa


Castro Pizzano/ W Mixtura


h igh Tec

Moda H

nder

pree m e é r ra

Colabo

Noiga Criada em 2014, a Noiga é precursora em acessórios impressos em 3D. E a inovação foi o que levou a nova coleção para longe da zona de conforto. A linha Grid tem o nome da maior inspiração da designer Renata Trevisan: usar o quadriculado das grades arquitetônicas para o produto final, transformando o 2D em 3D. A nova linha traz novos itens, como bolsas e corrente de óculos, além de peças que levam concreto, em uma parceria com Ana Penso. Siga em @_noiga

Vale da Seda De encontro à obsolescência da moda, o Instituto Vale da Seda prega durabilidade, qualidade, e, principalmente, sustentabilidade. Enéas Neto, estilista residente, além de produzir peças próprias - com desfile no SPFW - presta assessoria a outras marcas que desejam colocar em prática o marketing verde. Nativo de Maringá, o instituto já inclui na etiqueta de todas as peças um QR Code em que é possível rastrear a quantidade de carbono eliminada com a produção. Siga em @valedaseda

Tibi for Kids A Tibi é outra marca que se destaca por aliar novas tecnologias à criatividade. A loja de acessórios infantis lançou no fim de 2016 uma linha de roupas com repelente, por perceber que a nanotecnologia poderia auxiliar os pais nos cuidados das crianças. Por isso, os tecidos foram desenvolvidos à base de permetrina, protegendo contra picadas de insetos. As roupas podem ser encontradas na loja online da marca. Siga em @tibi_for_kids

Marli Puertas Pesquisa, pesquisa e pesquisa! Essa é a palavra de ordem de Marli Puertas, marca que observa os desejos e aspirações de suas clientes e traduz em roupas. Para driblar o mercado competitivo brasileiro, achou seu diferencial na colaboração com o Vale da Seda e a designer Débora Kerner. Em sua última coleção, a marca se inspirou nas particularidades brasileiras ao representar em estampas e cores as 5 regiões do país. Siga em @marlipuertasoficial

Vitor Augusto

Vitor Augusto


mação r o f n i Moda É

Comfy d n a Chic

JACU A JACU, marca de moda casual, usou a colaboração para falar sobre amor. Em parceria com o Transgrupo Marcela Prado, a label criou camisetas exclusivas. Para Edson Medeiros, diretor criativo, “numa época em que o ódio mata tanto, precisamos utilizar a comunicação para o bem”. As peças, lançadas no ID, custarão R$110 e parte do lucro será destinado ao grupo beneficente, que combate o estigma sobre transsexuais. Siga em @jacubr

Leveza do Ser Quem disse que não dá para conciliar conforto e alfaiataria? Para Leveza do Ser não existe segredo em ser chique e versátil, sentir-se bem em qualquer ocasião. Curitibana de raiz, a marca da estilista Angélica Sanches acredita que o mercado da cidade não deve ser encarado como concorrência, mas sim como uma oportunidade de troca de ideias e orientações com o objetivo de enriquecer a criatividade local. Siga em @useleveza

My Hat Para Taísa Burtet, o processo de construção de sua chapelaria, My Hat, ainda é de aprendizado diário. Em um ramo onde a informação técnica é guardada a sete chaves, a comunicação é fator determinante para o crescimento do setor. Hoje, a marca tem projetos, em estudo de viabilidade, para disponibilização dos seus moldes em plataformas de Open Design. Siga em @myhatchapelaria

Garota Chic Também focada em conforto e estilo, a Garota Chic trabalha com um público-alvo cheio de opinião. As “Tween’s” são meninas entre a infância e a adolescência que já escolhem as próprias roupas. O segredo é perguntar o que elas querem, principalmente quando, a cada dia, uma nova influencer dita a moda. E claro, não pode pinicar. É estar bonita e ainda sim, poder brincar. Siga em @garotachic_oficial

Vitor Augusto

Vitor Augusto


ste

UI Q A D B A COL

e ve u q o p o cor

Rocio Canvas No ID, Diego Malicheski traz a peças desfiladas na Casa de Criadores no início do ano, mas, “Já virei parte da mobília” será o tema da próxima coleção da Rocio Canvas, para a apresentação de novembro em SP. Inspirada em decoração e design de produto, ele trará jacquards, plissados e estampas. A marca faz parte do NL Colab e usa o contexto colaborativo em suas criações. Siga em @rociocanvas

Recco A coleção da tradicional Recco, há mais de 40 anos no mercado de lingerie, chega toda em rendas, tules e transparências. A premissa é de que a sensualidade permita que o corpo molde cada peça. Por isso, adeus aos aros, bojos e barbatanas. A nova linha surgeiu da percepção de que a brasileira já não quer se moldar a padrões, mas assumir suas curvas. Siga em @reccolingerie

Projeto 01 O Projeto Zero Um também nasceu do espírito colaborativo do NL Colab para criar novas formas de moda que se aproximem do design. Praticidade e simbolismo se unem em referências street, modelagem japonesa e uma estética casual refinada. O resultado são peças experimentais, mas com muita autenticidade. Siga em @prjt01

Dona Fina A proposta da Dona Fina também segue a linha de aceitar o próprio corpo e criar roupas para mulheres reais. E isso vai muito além do plus size, pois a marca, de Maringá, tem grade do 36 ao 52. A ideia nasceu da percepção sobre a falta de tamanhos no segmento de moda casual feminina e a frustração que isso causava nas clientes. Siga em @dona_fina

NovoLouvre E, se tem uma marca que dita a colaboração na moda em Curitiba, ela se chama NovoLouvre. A ideia de gestão colaborativa que foi berço tanto da Rocio Canvas como do Projeto Zero Um tomou forma nas passarelas: 10 parcerias celebraram a nova coleção da marca, que está comemorando uma década de vida e cinco anos do calendário da moda autoral curitibana. Siga em @novolouvre

Taquion Com o crescimento constante do lifestyle fitness, a Taquion, que também é de Maringá, aproveita para trazer informação de moda para as coleções e se inserir em um ambiente casual. O verão 2018, por exemplo, traz fauna e flora nas estampas, com inspiração tropical típica do Brasil. A linha praia chega com biquinis trabalhados em veludo e cortes a laser. Siga em @taquion.oficial

Vitor Augusto


AS

LTIPL Ú M S A I ERÊNC

Fast s v w Slo

REF

Elyane Fiuza Elyane Fiuza se tornou nacional após o convite para a fabricação das bolsas excêntricas da Dona Redonda, no remake de Saramandaia. De lá para cá foram oito novelas da Globo. Mesmo seus produtos fazendo sucesso Brasil a fora, a estilista preza pelo slow fashion, com peças únicas e versáteis. Para ela, cada bolsa - que pode demorar até 30 dias para a fabricação - é um investimento. “Ter um limite e prezar pela qualidade”. Siga em @elyanefiuza_luxurybags

Reptilia A Reptilia mudou há um mês e meio de um ateliê mais intimista para a loja de rua, e o novo espaço permite que públicos diversos sintam-se atraídos pela marca. O resultado é que as peças são testadas lá mesmo e os clientes acabam colaborando com novas visões. “Na loja a gente tem o feedback direto dos clientes, que estão entrando lá e testando a usabilidade das peças”, conta a designer Heloisa Strobel. Siga em @_reptilia

Be Little Uma das maiores confecções do evento, a Be Little surgiu com a necessidade da empresária Luciana Bechara de encontrar roupas para seus gêmeos prematuros. Desde então, a marca não parou mais. São cerca de 10 mil peças produzidas por mês e distribuídas para lojas físicas, virtual e exportação. Tudo isso seguindo a premissa do conforto, da acessibilidade e da qualidade esperados pelos pais. Siga em @belittlemodabebe

Veine A Veine também tem quem contribui no seu processo de criação. Recentemente, Robson Dalazen, que participa da criação das coleções, compartilha um espaço com pessoas de diversas áreas criativas e que se interessam por arte contemporânea – base da pesquisa da marca. Por mais que o ateliê esteja sediado em outro endereço, Erich Zelazowski, diretor da marca, acredita que essas visões múltiplas podem se conectar. Siga em @veine.ec

Vitor Augusto

Vitor Augusto


sátil r e v r nwea

mE

Brado O conceito da Brado é simples e libertador: o athleisure, que dialoga o atlético com o casual, veio para tirar o guarda-roupa masculino do básico. As peças conceito, criadas em Maringá, trabalham com combinação de tecidos, e a estilista Talita Lopes desdobra inúmeras possibilidades que trazem ao menwear uma versatilidade desejada pelo lifestyle moderno. Siga em @bradooficial Manhood Também vinda do interior do Paraná para lançar novos olhares à moda masculina, a Manhood, marca que nasceu em Apuracana, trabalha principalmente com camisetas, moletons e acessórios como bonés e carteiras. A nova coleção se chama Los Ordinarios e apresenta malhas mais frescas em estamparias coloridas e pesadas. Siga em @usemanhood

Vitor Augusto

Castro Pizzano/ W Mixtura


lica

ltip u m o ã boraç

Cola

A colaboração no ID Fashion 2017 permeou cada detalhe, inclusive a forma como foi executada a produção. Muito além de ser só o tema da edição, todos os envolvidos na organização do evento tiveram papel decisivo para concretizar esse novo movimento. Um exemplo, é a agência Indumentária, idealizada por Hellen Albuquerque, que foi responsável pela comunicação digital do ID. “Sinto que a Indumentária trouxe um novo olhar e uma nova forma de interagir com o público na internet, e isso aumenta ainda mais a colaboração”, conta a jornalista. O espaço User Experience, que mostrou para o público geral os bastidores de uma produção fotográfica, também trouxe o espírito colaborativo na sua dinâmica. Segundo a stylist do User, Pati Sabatowitch, “as marcas foram muito colaborativas. Não tive dificuldade para montar looks legais com as modelos, porque todas as marcas estavam cedendo coisas bacanas para a gente”, diz. No backstage, a maquiadora Marina Costa também percebeu o envolvimento de toda a equipe em um trabalho colaborativo em prol de um resultado final. “Era uma equipe muito bacana, todos dedicados e empenhados para fazer dar certo”, lembra. Já com experiência junto a diversas marcas que se apresentaram no evento, ela ainda destaca a importância desta união no ID. “É muito gratificante ver todo mundo envolvido e tendo a oportunidade de mostrar o seu trabalho, acho que foi muito legal, uma ótima divulgação”. Num movimento de grande troca, o evento não só trouxe o assunto à tona como concretizou em suas etapas essa nova forma de pensar o mercado criativo.


id looks

STREET

STYLE A moda nos corredores do ID Fashion 2017 Lizi Sue

Naju Gubert Estudante Colab é: inovar Indica: @tudoorna

Thiago Malva Blogueiro Colab é: criatividade Indica: @sitefinissimo

Yoko Suzumi Jornalista Colab é: laboratório de criação Indica: @sitefinissimo

Renata Trevisan Diretora criativa Colab é: união Indica: @vanduarte

Daniela Borges Designer Colab é: força para todos Indica: @textilaria

Diego Malicheski Diretor criativo Colab é: impulsionante Indica: @__s____o


Deborah Vons Consultora de moda Colab é: união expressão Indica: @advancedstyle

Jéssica Kristinne Estudante de moda Colab é: uma forma de tornar tudo melhor Indica: @thelindseywoods

Michel Produtor de moda Colab é: informação Indica: @mut3bha

Jonas - Rafa - Otávio Designers de moda Colab é: futuro Indicam: @hello.sassy

Vitor Augusto Fotógrafo Colab é: diversidade Indica: @gb65

Leandro - Mariana Designer - Estudante Colab é: uma descoberta Indicam: @csasaofrancisco


Thiago - Rafaella Designers de moda Colab é: inspiração Indicam: @eupavanne @c.sressmith

Bruna Grandine Modelo Colab é: força Indica: @erikapalomino

Carol Muniz Social Midia Colab é: modernidade Indica: @jacubr

Bruna Andrade Diretora Criativa Colab é: inspiração Indica: @evenmorecwb

Ly Takai Fashion Branding Colab é: união Indica: @_noiga

Camila de Oliveira Executiva Colab é: inovação Indica: @anawillerding


Hellen Albuquerque Jornalista Colab é: união de novos olhares Indicam: @plantsonpink

Eluzae Goulart Modelista Colab é: união de idéias Indica: @tiagocavalcantis

Yara Ferreira Branding Colab é: todos juntos por um ideal Indica: @xitatrocadeira

Renata McCartney Diretora Criativa Colab é: juntos somos mais Indica: @gloriacoelho

Iza Adão - Gabriele Modelo - Atleta Colab é: oportunidade Indicam: @umnovenovequatro

Millena - Izabela Estudantes Indicam: @chiaraferragni


id talk

uma conversa AlĂŠxia Saraiva e Carmela Scarpi

Castro Pizzano/ W Mixtura


SOBRE O FUTURO


O futuro é colaboração Aléxia Saraiva | Carmela Scarpi A terceira edição do ID Fashion traz discussões sobre o novo modelo econômico que desponta na moda

Economia colaborativa é uma realidade que vem mudando os modelos de negócios em diversos setores. Na moda não poderia ser diferente. As novas formas de interação entre marcas e pessoas horizontalizam - e facilitam - processos a moda hoje que antes eram pensados individualmente. Dentro desta tendência, o ID Fashion chega com o tema COLAB em sua terceira edição, para evidenciar as novas dinâmicas da moda no Paraná. Circulando pelo evento, a consultora de moda, Glória Kalil destaca as múltiplas possibilidades de estilo em exposição e lembra, “a moda hoje é assim, ela é múltipla, pulverizada, ela é feita para todos os estilos de pessoas. Todo mundo se sente representado”.

é assim, ela é múltipla, pulverizada. Glória Kalil

E esse discurso foi sentido nos ID Talks, que aconteceram em paralelo às exposições. Entre Fashion Revolution e novas formas de atuação no setor de moda independente, diversos profissionais discutiram abordagens sobre o futuro da moda dentro de uma perspectiva de colaboração. A jornalista Lilian Pacce, que compareceu aos desfiles do primeiro dia, acredita que, embora de forma tímida, as pessoas já estão tomando consciência da necessidade de pensar de forma coletiva. “Eu não acredito mais em uma estrutura linear, acho que tem Lilian Pacce que ser circular, e para isso você precisa ter colaboração. É fundamental”, enfatiza.

“Eu não acredito mais em uma estrutura linear, acho que tem que ser circular.”

Confira, com detalhes, os assuntos que perpassaram as conversas sobre o futuro da moda nos boxes a seguir:

ID Fashion


O feito à mão, o resgate do savoir faire Mariana Rosa O primeiro Talk do ID Fashion 2017 resgata a importância das mãos e da criatividade na produção de moda. Na fala, Francesca Córdova, contou sobre o projeto Manus, do qual é idealizadora, “Nem sempre o que é tendência deve ser seguido e nem sempre a tecnologia está aí para resolver”, destaca a estilista, que desenvolveu a técnica do crochê orgânico em sua última coleção. Para o Manus, que teve espaço de exposição durante o evento, resgatar as origens de produção de moda é o grande suspiro de originalidade no mercado fashion atual. Siga @francescacordova

Fashion Revolution, uma conversa com Fernanda Simon Aléxia Saraiva O colaborativo anda de braços dados com a revolução da moda, e quem pode mostrar para onde essa mudança caminha é Fernanda Simon, coordenadora do Fashion Revolution Brasil. O movimento, mundial, tem como finalidade conscientizar os consumidores dos danos que a indústria têxtil causa na sociedade e no meio ambiente. Um dos caminhos para mudar essa realidade, ela aponta, é a colaboração. O próprio Fashion Revolution é um ótimo exemplo de como a colaboração faz parte dessa nova moda que está sendo consumida, já que tudo nele é colaborativo˜, destaca. Siga @fash_rev_brasil

ID Fashion


ID Fashion

Colaborar e compartilhar são palavras-chave no terceiro talk Anne Ehlke Criativos da cidade mostram formas de colaboração. Em diferentes iniciativas, histórias de união se repetem. Por exemplo, a produção de um tênis da ÖUS, que já envolveu em média 500 pessoas, direta e indiretamente. Já a Casa 102 é uma espécie de espaço vivo onde 14 empresas coabitam, como também é o NL Colab. TRAMA une empreendedores para eventos de compras. Atos distintos, mas que fazem diferença na indústria da moda nacional. “Cada um colabora de uma forma, mas o legal é compartilhar coisas e espaços”, afirma o designer da ÖUS, Anthony Nathan. Siga @casa102cwb e @ous_oficial


Chegou a hora de mudar o mindset e ajudar as pessoas Anne Ehlke Como ajudar pequenas empresas curitibanas de moda a crescer no mercado? Com o seu apoio! Esse foi o tema central do último Talk do ID Fashion. O problema, segundo a coolhunter Andrea Greca, é que as pessoas só colaboram quando as convém. Nas palavras de Ricardo Doria, criador da Aldeia Coworking, “a gente não vai colaborar enquanto não tiver clareza do objetivo comum a todos e entender que se eu ajudar o projeto da Andrea, por exemplo, vou resolver um problema que eu tenho também”. Siga @berlin_cwb e @aldeiacoworking


Colab

Editorial colaborativo produzido ao vivo durante o evento no espaço USER EXPERIENCE

Fotografia: Izadora Padilha, Larissa Takana Onuki e Renata Wajdowicz Styling: Pati Sabatowitch, Lizzie Renata, Malu Stroparo Assistente de Styling: Giovane Reynard Beleza: Pamela Frankiv (make) e Paulo Henrique Stein Gobbo (hair) Modelos: Roberth Prestes (Dakota Models), Marcela Jenichen ( Mega Model Sul), LetĂ­cia Costa ( DM Management) e Elle Gusso ( Joy Model Management)


Conjunto - Veine


Foto Renata Wajdowicz | moletom - Veine


Foto Larissa Takana Onuki | Vestido - Vale da Seda por EnĂŠas Neto | Anel - Noiga


Foto Renata Wajdowicz | Conjunto - Rocio Canvas | Colar - Noiga | PUlseira - Acervo


Foto Renata Wajdowicz | Blusa e shorts - Projeto Zero Um | Brinco - Noiga


Foto Izadora Padilha | MacacĂŁo - Sassy | Brinco - Noiga


Foto izadora padilha | Capa de chuva - Sassy


Foto Larissa Takana Onuki | Vestido - Rocio Canvas | Bolsa - Noiga


id catwalk

catwalk

Castro Pizzano/ W Mixtura


Confira os reviews das apresentaรงoes do ID Fashion 2017 Carmela Scarpi | Fotos - ID Fashion


arbol

O conceito ter menos para ser mais da marca é traduzido em peças de alfaiataria que se conectam com um glamour urbano (e ultra contemporâneo) de leveza e conforto. Os detalhes em babado tramam a linha entre os modelos desfilados ao som da música de Hermeto Pascoal.

projeto 01

Com foco em experimentação, o projeto desta coleção chega com a criatividade inerente da marca. O apelo a tecidos tecnológicos transforma as texturas das peças em algo futurista e ao mesmo tempo street. As modelagens são pensadas de forma estruturada, sem perder o frescor jovem da label, marcado pelos tons neon pontuais.


sassy

Com uma pegada fetichista, a Sassy chega num mood rebelde em roupas que abusam da sobreposição, truque de styling em alta nos street styles internacionais. A dualidade entre a modelagem solta e marcada divide espaço com texturas que ora mostram as estampas originais da marca, ora trazem o metalizado para pontuar cor.

be little

A apresentação divertida trouxe um mix de coleção bem variado. Com forte apelo comercial, a marca faz jus ao amplo alcance de vendas (nível nacional) pela proposta bem diversificada. Crianças sempre roubam a cena e desta vez não foi diferente, com direito a pais orgulhosos e avós ansiosos pelo melhor ângulo.


Garota chic

Garota Chic, que se propõe a criar um universo intermediário entre a infância e a adolescência, chega numa conexão entre a informação de moda atual do universo adulto e a diversão da fase teen. Os tules em sobreposição e lurex são exemplos da adequação que veio ligada a estampas divertidas e tecidos confortáveis, para todas as meninas. Todas mesmo.

vale da seda

Com uma apresentação progressiva, as cores vão do verde ao preto e branco e retornamos com o dourado. Das texturas criadas em diversos tecidos da mesma matéria-prima (a seda), as peças em shantung são destaque, junto com a noiva que traz trabalhos geométricos. Na estamparia, algo como as tramas e casulos desenham peças de mood bem contemporâneo.


novo louvre

Tantas são as mãos envolvidas na produção do desfile de 10 anos, como foram as referências para compor a apresentação do NovoLouvre. Com inscrições “no logo”, as peças fazem crítica à exposição e trazem uma história de Mariah com a marca. Resíduos têxteis automobilísticos viram bolsas e saias; jeans são confeccionados por alunos; parcerias são feitas entre marcas e bares.

recco

Com uma nova perspectiva sobre o corpo feminino, a Recco vai ao encontro das tendências de moda e de comportamento da mulher moderna. Muita fluidez, estruturas mais escassas. O que dita aqui é o corpo, que molda sua própria moda. Nas cores, o preto e branco dominam a passarela, mas ganhamos verde e vermelho na apresentação de underwear.


H-AL

Castro Pizzano/ W Mistura

LEVEZA DO SER

O comfort wear chega ao ápice com a Leveza do Ser. Traduzindo um modo de vida ultra atual, a elegância encontra no conforto sua nova estética. Uma rotina dinâmica que não oferece mais espaços para apertos, o tempo já aperta muito. Nas cores, cinza e amarelo são destaque no todo e pontualmente. As texturas em peças de mesma cor trazem vivacidade looks monocromáticos.

Provocativo, o desfile da H-AL foi um convite ao autoconhecimento, para então colocar para fora o que se sente. A “poesia desilusória” chega à passarela como palavra bordada em vestidos que costuram a apresentação com a fluidez das sedas cedidas pelo atelier Harriete Scarpi. Com uma apresentação sinestésica, como não poderia deixar de ser, H-AL envolve o espectador em seus 10 anos por todos os sentidos.


Reptilia

Os fardos que carregamos nos aproximam do chão e nos tornam reais. Leveza e peso se transformam em referências não visuais para Heloísa Strobel. A identidade de marca continua muito presente em peças totalmente inovadoras na história da Reptilia. Franjas migram para acessórios e os tons pastéis colorem a passarela em rosa, azul e verde. Um desfile leve, em si, que traz o peso de uma grande apresentação.

Veine

Uma coleção que fala sobre a dissolução de tramas sociais, de trato entre pessoas. Uma progressão que inicia sóbria, perpassa o conceito e chega às estampas que referem à natureza. Topografias, forte tendência na arte contemporânea, ganham vida na estamparia de peças que transitam entre o casual e o beachwear, antigo desejo de produção da marca.


JACU

A hiperconectividade que nos afeta e nos afasta. Na passarela, essa história é contada por meio de modelos fluidos que progridem para mais estruturados, enrijecidos pela necessidade do ego. Nos recortes inovadores, a marca revela um jogo de estampas e tecido lisos, as calças coloridas já tradicionais ganham novos ares ao sair do denim e o discurso de amor é revelado pelas cores do arco-íris.

top sebrae

marli puertas

t


A última apresentação da categoria TOP SEBRAE trouxe à passarela marcas que mostram o desenvolvimento do design no Estado. Marli Puertas convida a uma visita pela brasilidade com peças trabalhadas manualmente, Taquion desenvolve o mesmo tema

taquion

em suas estampas sobre flora e fauna na moda praia, Dona Fina traz o esportivo chic para mulheres reais e Manhood explora as novas estéticas do homem moderno.

dona manhood fina


ID por Casa tr


reze

confira o olhar do pessoal da Casa Treze sobre a 3a ediรงao do ID Fashion


EMMAG ID14  
EMMAG ID14  

Revista EMMAG especial, criada durante o evento de moda IDFASHION 2017 em Curitiba.

Advertisement