Issuu on Google+

Boletim Informativo scarjov ASSOCIAÇÃO DE REINTEGRAÇÃO DOS JOVENS/CRIANÇAS NA VIDA SOCIAL

SCARJOV V O L U M E

NESTA EDIÇÃO:

SENASIDA 1 acontece de 2 a 5 de Abril

HDP com 70 1 novos casos de SIDA por mês

ONG encaminha 3 doentes a Luanda

2

Libéria estupro preocupa autoridades

2

LARDEF defende construção de RAMPAS

5

OXFAM Optimismo Deslumbrante

2

E D I Ç Ã O

2

J A N E I R O

2 0 0 9

SENASIDA acontece de 2 a 5 de Abril Já está em preparação a primeira edição da SENASIDA 2009, a SCARJOV, apurou de uma fonte ligada a organização, que para este ano, existe a intenção em realizar duas edições, dado o facto, do ano passado, não se ter concretizado o referido evento. Esta informação foi prestada ao SCARJOV, por Abraão dos Reis membro da organização do evento. De acordo com aquele responsável, razoes técnicas inviabilizaram a realização da SENASIDA no mês de Dezembro e 2008 em que a comissão organizadora, foi surpreendida com um número elevado

de inscrições, contrastando que o tamanho das instalações do local em que deveria decorrer o referido acontecimento facto que, obrigou a organização a adiar o encontro para Abril deste ano. Abraão dos reis adiantou ao SCARJOV, que ao contrário dos anos passados, este ano, a organização está a trabalhar no sentido de realizar duas edições de cena sida por formas a compensar a edição do ano transacto, que por razoes técnicas, não se efectivou na data prevista, sendo que a primeira edição, acontece nos dias 2e5 de Abril, por ocasião

da semana da paz, estando nesta altura a comissão organizadora, a trabalhar na divulgação do evento, junto dos meios de comunicação social, Quanto as condições técnicas e logísticas para o sucesso do evento, o responsável, garantiu que está tudo a ser acautelado para que nada venha a falhar, acrescentando que para Dezembro, a organizara a segunda edição da cena sida.

HDP com 70 novos casos de SIDA por mês 7

BARAK 8 OBama promete politicas ousadas no combate ao SIDA

O Hospital Divina Providencia diagnostica em média 70 casos novos de HIV por mês, a informação foi prestada ao SCARJOV pelo Director Administrativo daquela unidade Hospitalar Michele Pasetto, que referiu estarem em acompanhamento, mil oitocentos e quarenta e um seropositivos dos quais novecentos e dois, estão em tratamento Anti-retroviral ao passo que novecentos e trinta e nove aguardam pelo tratamento. Quanto a questão do género, as mulheres, lideram as taxas de infecção com 65,5%, e os homens, aparecem com cerca de 34,5% na faixa etária dos 15 aos 45 anos. Michele Pasetto, disse por outro lado que o Hospital, possui dois médicos especializados e assistidos por seis enfermeiros que atendem os pacientes. Apesar deste esforço que o hospital tem

estado a efectuar, no controlo e acompanhamento dos seropositivos o responsável, não deixou de lamentar o facto de muitos pacientes com o vírus, abandonar o tratamento, por razoe sócio económicas, visto que grande parte destas pessoas, não possuir um emprego condigno para fazer face as suas necessidades alimentares e não só. Para este ano, o Hospital prevê implementar de acompanhamento domiciliário aos pacientes, que não tenham capacidade de se deslocarem ao hospital. E, está em curso a construção de um centro de aconselhamento de testagem voluntário para atender casos externos.


PÁGINA

2

ONG encaminha três doentes de SIDA para Luanda

Os índices de infecção por HIV a nível do município do Soyo, preocupa o Director Executivo da S.O.S – CEDIA .

A organização não governamental S.O.S - CEDIA, com sede no município do Soyo, província do Zaire, encaminhou para o Hospital Esperança na capital do país cerca de três pessoas portadoras da sida provenientes da província do Zaire, município do Soyo. Segundo o responsável da referida organização Fernando Kassady, que prestou esta informação ao SCARJOV, existe a nível da província do Zaire, muitos doentes de SIDA, que por razões financeiras, não conseguem se deslocar a capital do país, para efectuaram consultas médicas no Hospital Esperança, unidade especializada no tratamento das pessoas portadoras desta enfermidade. Fernando kassady, lamentou por outro lado o facto da organização que dirige, não poder ajudar mais pessoas que precisam de deslocar-se a capital, para tratamento, pelo fac-

to da única maquina cd4 que a província possui encontrar-se avariada, o que obriga, muitos doentes que precisam saber do seu estado imunológico, a deslocarem se a Luanda. Apesar destas dificuldades, o responsável mostrou-se esperançado, já que a associação, conseguiu um financiamento de cento e cinquenta mil dólares norteamericano, do Fundo Global, que está a contribuir na implementação de vários projectos comunitários, no domínio da prevenção e educação sexual, visto que grande parte das pessoas, que visitam as suas instalações não saberem o uso correcto do preservativo. Os índices de infecção por HIV a nível do município do Soyo, preocupa o Director Executivo da S.O.S – CEDIA que apontou a extensa fronteira com a República Democrática do Congo, nomeadamente com as províncias de MATADI, e MWANDA, que apresentam altos níveis de infecção, contribuir na subida destes números a nível local. Outro projecto que nesta altura engaja a organização, trata-se das trabalhadoras do sexo, com as quais trabalha com campanhas de sensibilização sobre a importância do uso do preservativo, no exercício das suas actividades.

Libéria estupro preocupa autoridades Uma das prioridades do governo, e de aumentar o uso da profilaxia posexposiçao

BOLETIM

Profissionais de saúde na Libéria reportam pelo menos 100 pessoas a procurar assistência devido a estupro e outras formas de violência sexual por mês, segundo grupos de direitos que compilam dados do governo; o governo está preocupado que poucos sobreviventes estão a receber tratamento para prevenir a infecção pelo HIV. Na clínica para a violência sexual baseada em género duport road, na capital liberiana, Monróvia o director joan Dalton disse que a situa-

INFORMATIVO

ção e ainda um pesadelo com a clínica a tratar cerca de vítimas de estupro em Janeiro. Uma das prioridades do governo, e de aumentar o uso da profilaxia pos-exposiçao (pep) em inglês para sobre viventes de agressões sexuais e estupros por formas a evitar a infecção pelo HIV segundo David logan coordenador de financiamentos do fundo global de luta a sida, malária e tuberculose.

SCARJOV

O responsável disse por outro lado não possuir uma estimativa de quantas vitimas de violência de sexual que procuram os serviços de e começam o tratamento. Segundo David Logan, coordenador de financiamentos do Fundo Global de Luta Contra a SIDA, Malária e Tuberculose. Logan disse que o estupro,

continua ser um serio desafio para um país que viveu cerca de 14 anos de guerra civil.


VOLUME

2

EDIÇÃO

2

PÁGINA

Meio milhão de Angolanos infectados pelo SIDA O Secretário Executivo da Rede Angolana portadoras do SIDA, a ganharem coragem e assumirem das Organizações de Serviços de SIDA (ANASO) a doença, de forma a ajudarem a combater o estigma e a António Coelho afirmou recentemente que o país, descriminação de que são alvo. possui meio milhão de infectados com a SIDA. Segundo ele, é necessário promover a fidelidade O responsável fez esta afirmação, quando e a solidariedade para com as pessoas vivendo com VIH, falava durante a abertura do processo de formação bem como incentivar o sector público e privado a ter iniem comunicação interpessoal em HIV, e género, ciativas individuais, direccionando uma parte dos fundos direitos humanos, realçou que os Angolanos devem para apoio as iniciativas das organizações civis. ganhar uma consciência de que a SIDA existe, existindo, varias formas de protecção e prevenção da A formação teve a duração de 5 dias e contou e doença contou com a participação de trinta activistas provenienAntónio Coelho apelou por outro lado, as pessoas tes de 16 províncias.

ONGs terminam formação sobre Advocacia na Media Cerca de uma dezena de

representantes de organizações não governamentais, nacionais e estrangeiras, terminou com sucesso, uma acção de formação sobre advocacia na media que decorreu durante dois dias na capital do país. Durante acção de formação, ministrada por Walter Cristóvão, jornalista sénior da Rádio Ecclesia, os participantes ao evento, abordaram varias questões relacionadas aos medias, e a forma como as organizações não governamentais, devem

fazer o uso deste importante recurso, para fazer passar as suas mensagens ao seu publico alvo, bem como a relação que deve existir entre o jornalista, e as organizações não governamentais, por sinal um dos temas, que mais suscitou debate entre os participantes ao evento, no qual concluíram, ser de extrema importância a colaboração entre as organizações não governamentais com os medias por quanto os jornalistas, precisam saber das actividades desenvolvidas pelas organi-

zações, e estas, precisam do contributo dos profissionais da informação para fazer conhecer as suas realizações, a sociedade. Os participantes, reflectiram igualmente, sobre a importância do comunicado de imprensa para o jornalista, e a forma como este documento, deve ser elaborado, para que o jornalista, se interesse realmente sobre aquilo que as organizações, pretendem fazer conhecer a comunidade O evento foi organizado pela organização não governamental OXFAM GB.

Fotografia tirada em Menongue

3


PÁGINA

4

Rio Zaire na Cidade do Soyo

«cerca de 45 casos, dos quais treze, acabaram por

Governo Ausculta ONGS sobre ÉBOLA O Governo da República de Angola chamou as organizações não governamentais nacionais e estrangeiras, para um encontro de auscultação e informação sobre a epidemia da ébola, que afecta nesta altura, o município de Moenga, na província de Kasai, no leste da República Democrática do Congo O evento que teve lugar no auditório da Universidade Católica de Angola, foi dirigido pelo Director da Unidade Técnica de Coordenação da Ajuda Humanitária (UTCAH), do Ministério da Assistência e Reinserção Social, Pedro Walipi Calenga. O responsável começou por falar das medidas que o executivo Angolano tomou, desde o primeiro momento, em que, se declarou a existência da ébola na República Democrática do Congo, consubstanciadas no encerra-

mento das fronteiras com aquele país vizinho, bem como, a criação pelo Presidente da República José Eduardo dos Santos, de uma comissão de prevenção a ébola, coordenada, pelo Primeiro Ministro Paulo Kassoma, a mesma tem ainda um subgrupo técnico que é chefiada pelo Ministro do Interior, Roberto Leal Monteiro Ngongo, e que tem a responsabilidade de produzir diariamente um relatório, sobre a evolução da doença que é apresentada ao Presidente da República. De acordo com o responsável, as províncias das Lundas Norte e Sul bem como Malange e Moxico, são as que mais preocupam, o executivo Angolano, pelo facto de possuírem

uma fronteira extensa com o Congo Democrático. Por seu, lado, as organizações representadas no encontro, manifestaram a sua disponibilidade em colaborar com as autoridades, governamentais, nas áreas onde estas actuam, na sensibilização das populações sobre a doença com palestras, as comunidades, bem como no apoio médico e medicamentoso, e logístico das populações caso o país venha a ser atingido pela ébola. Recorde que a República Democrática do Congo enfrenta esta perigosa epidemia, a já três meses. Ate aqui já se contabilizaram cerca de 45 casos, dos quais treze, acabaram por falecer.

falecer.».

CNJ promove formação sobre SIDA

As províncias do Namibe e de Benguela estão a igualmente a formar 25 jovens de em matéria de técnica de comunicação e sensibilização comunitária sobre o SIDA

BOLETIM

Um grupo de 100 jovens de ambos os sexos, das províncias de Luanda, Benguela e Namibe terminou recentemente uma acção de formação sobre técnicas de comunicação e sensibilização comunitário da sida. De acordo com o vice-presidente daquele órgão em entrevista ao jornal de Angola, KIPAS Machado, só na província de Luanda, estão em formação cerca de 50n jovens dos municípios de kilamba kiaxi, Viana e Cazenga. As províncias do Namibe e de Benguela estão a igualmente a formar 25 jovens de em matéria de técnica de comunicação e sensibilização comunitária sobre o SIDA. Aquele responsável, disse por outro lado que no nosso país, existe a ideia de que já se sabe tudo sobre o HIV

INFORMATIVO

SCARJOV

sida, mas quando se vai ao terreno, constata-se que a comunidade, ainda não domina todas as formas de prevenção da doença. Kipas machado, acrescentou que uma das razoes que levou a sua organização a desenvolver o programa a ver com a perda dos valores, de solidariedade e o espírito de acolhedor. O curso, é financiado pela Unicef, o programa do conselho de nacional da juventude visa, igualmente desenvolver na juventude a necessidade de voluntariamente, doar o seu tempo ao serviço dos outros.


VOLUME

2

EDIÇÃO

2

PÁGINA

LARDEF defende a construção de Rampas O Director Executivo da liga de apoio a reintegração dos deficientes (LARDEF), Ivo de Jesus, defendeu a necessidade da construção de rampas de acesso nos edifícios públicos para pessoas com deficiência física. O responsável que falava em exclusivo ao SCARJOV, enfatizou que o país está numa fase de reconstrução, pelo que, agora, torna-se importante que os edifícios que estão a ser erguidos disponham de condições para eliminar barreiras arquitectónicas com as

quais os deficientes físicos, se tem deparado, no dia-a-dia. Ivo de Jesus, mostrou se preocupados pelo facto de alguns empreendimentos que estão a ser construídos não contemplarem espaços de acesso para pessoas com deficiências físicas. Na sua opinião, é imperioso consciencializar os grupos sociais sobre a necessidade de salvaguardar o direito «das pessoas portadoras de deficiência em todos os locais, como por exemplo nas esco-

las, hospitais, ministérios, entre outros, devem serem construídos, tendo as necessidades das pessoas desta franja social «os arquitectos devem salvaguardar a acessibilidade dos indivíduos com necessidades especiais, como o deficiente físico, o idoso, e a mulher grávida» concluiu. .

ANLD realiza conferências regionais sobre o alcoolismo A Associação Nacional de Luta contra as drogas «ANLD», tem agendada a realização de cinco conferências regionais sobre o alcoolismo, tabagismo e outras drogas. De acordo com uma nota de imprensa a que a SCARJOV teve acesso, as conferências regionais, tem inicio, no mês de Fevereiro, cuja província mais ao norte do país (Cabinda), terá a honra de acolher a cerimonia de abertura. De acordo com a nota que vimos citando, pretende-se com a realização das referidas conferencias, discutir os inúmeros aspectos relacionados com a questão do alcoolismo, tabagismo e outras, de formas a obter informações, de como as províncias, resolvem ou lidam com o fenómeno, bem como sensibilizar a sociedade em geral, sobre as causas e consequências do consumo desmedido do álcool para a juventude, e em particular.

O evento pretende ainda fazer com que cada jovem chame a si próprio, há atitudes responsáveis e de desenvolvimento, como forma de ser o próprio jovem, a resolver os seus problemas sociais, ajudando o governo na resolução dos problemas relacionados com este fenómeno social. Durante as conferencias, serão debatidos temas como a «influência da publicidade no consumo excessivo de álcool e tabaco, responsabilidade da família na recuperação de tóxico dependentes, dentre outros temas. Para além de Cabinda, as províncias de Lunda sul, kwanza Sul, Huíla e Huambo deveram acolher as restantes conferências.

5


PÁGINA

6

FOTO TIRADA EM ONDJIVA

É tempo de mudança! Agora, a resposta a seguir será como são as pessoas que estão na luta da SIDA? .».

precisamos de ter meios de comunicação para a troca de ideias, para ter direito de falar e questionar, plataforma igualmente para exercitar na transparência

Liderança e reflexões pessoas A liderança, pode ser entendida ou definida como uma capacidade de definir se aos outros de uma maneira que corresponda uma visão do futuro. Qualquer indivíduo Quem está a liderar precisa estar fresco e pensativo e também reflectivo para uma liderança. Liderança, é realmente um tema interessante. Como poderíamos definir liderança? Na minha maneira de pensar, lideres, são pessoas que estão na frente, e precisam que outras pessoas as sigam. Liderança e……………… EU deixo as palavras penetrarem e começo a pensar a cerca disso. Mas eu gostaria de lembrar a todos de que não há pontos de vistas certo, isto é o que li de um livro, este dizia o seguinte: Existe um ponto de vista convencional ou popular, existe o ponto de vista pessoal, e existe o ponto de vista mais abrangente e que a maioria partilha. Uma das recomendações da comissão sobre SIDA na ÁSIA, Mencionou: os programas da SIDA deveriam ser implementados por uma estrutura de governação bem definido e eficiente que são sustentados por grandes políticas de liderança e um significativo envolvimento da comunidade. A recomendação mencionada sobre a liderança e envolvimento, eu gostaria de partilhar minhas ideias em relação a isto. O que eu sei, é que quero lideres que sejam transparentes pelos seus trabalhos. Lideres que possam ter prestado contas não só em termos financeiros, mas também em termos de promessas. Um líder que poderia criar oportunidades para os outros, especialmente aqueles cujo as vezes não são escutados, aqueles que não tem liberdade de expressão e são ignorados. Outras palavras que associo aos líderes são: atitudes correctas boa disposição vontade, boas maneiras de pensar, pensamento critico. Querer ver isto praticamente eu quero que haja um espaço onde as pessoas possam perguntar para que haja transparência, para criar uma comunicação onde o direito de perguntar e o direito de ser ouvido é implementado. Isto, obtêm-se desta maneira: Sendo bastante corajoso para empreender a responsabilidade a autoridade por formas a contribuir e mudar claro a vontade para a transparência. Por mim estas são os componentes de liderança Para que estas componentes de liderança sejam postas em prática, há necessidade de uma plataforma de comunicação, precisamos de ter meios de comunicação para a troca de

BOLETIM

ideias, para ter direito de falar e questionar, plataforma igualmente para exercitar na transparência. Todos estes componentes num bom caminho, haverá mudança, formando consciência das implicações de mudança. Nós estamos permitindo que a prestação de contas aconteça. Liderança, não significa hierarquia que tenhas de te temerem, Os líderes dão iniciativa e fazem as coisas acontecerem Não que necessário fazer tudo. O ponto de vista seria no campo de HIV/SIDA nós precisamos de novos lideres mas não é necessário ter sempre jovens, mas é necessário começar a ver o potencial de investirmos nos lideres jovens, as nossas ideias e novo sangue na resposta dos novos desafios, começar a abrirse para que não haja exclusão. É tempo de mudança! Agora, a resposta a seguir será como são as pessoas que estão na luta da SIDA? A respondendo pelo SIDA há dez anos para reclamar actualmente de lideres jovens. Mencionei isto numa das sessões de painéis na conferência do México, compreendo da arte de deixar andar, compreendo da arte de que alguns de nós poderiam como muito ruim, a arte de dar e deixar partilhar seguindo dois dados ambos os jovens lideres e os mentores contribuindo para o círculo da vida na luta contra o SIDA. Alguns grupos de pessoas estão preparados para FAZER ISTO. Talvez as exigências já estão para os líderes jovens mas há uma falta de boa vontade por parte dos serviços que ainda não se fazem presente. As exigências ou pressões por parte dos jovens líderes ainda não se fazem sentir. Razão pela qual criamos isto. Vou tentar dar vos um exemplo: como alguém que está nesta luta há 20 ou 30 anos, como vocês começaram a desfazer a criança de 10 anos aos 20 a partir de hoje, será a pressão medica a este cargo neste campo? Levando as pessoas a entender a palavra-chave: prestação de contas (a partir dos jovens); prestação de contas significa o exercício do direito de falar e exercitando o direito de perguntar . É uma das duas saídas.

A transparência significa ter em conta a responsabilidade conjunto, dada as autoridades (tendo o privilégio de alterar alguma coisa), ajudando a responder e dar resposta as questões das pessoas. Vamos mais uma vez pensar nessa palavra transparência. Algumas vezes usamos o termo gratuitamente. Quando nós falamos sobre transparências a questão a seguir seria: somos também transparentes? Somos nós transparentes perante as pessoas que servimos? O governo: compreenda e conheça quem são os transparentes. O sector privado: compreenda e conheça quem são os transparentes. U.N: compreenda e conheça quem são os transparentes. Bem como as ONGs, assim como a comunidade, compreenda e conheça quem são os transparentes. E depois surge a tarefa de identificar os novos líderes. Os novos lideres jovens estão ai, indivíduos que poderiam ter os elementos e as actividades correctas requeridas. Nem precisamos de abrir as nossos olhos, os nossos ouvidos e os nosso corações para ver ouvir e depois aceita-las estando próximo, estágio, tendo plataforma para que estes novos lideres estejam capazes para funcionarem, nas plataformas necessitam de a serem criadas. O pensamento crítico e consciente. E no futuro com tecnologias modernas está a expandir e nós poderíamos ver mais o potencial de utilizarmos a plataforma de comunicação no mundo virtual. Há benefícios e desvantagens de comunicar pela internet, contudo, nós podemos usar métodos diferentes: coro coro online entrevista, talvez a pergunta a seguir seria: De onde vem os mentores? Nós com certeza, temos muito a trabalhar no campo da SIDA hoje em dia dentro em breve estarão prontos a retirarem se e morrem a novos campos, logo estamos, nós necessitamos de pessoas que são especialistas nos outros campos no mundo da SIDA que tem novas ideia e pedem desafios e contribuições uma vez que temos dados e elementos novos As atitudes havendo a prestação de contas (responsabilidade vêem com as autoridades) tendo os líderes, tendo a plataforma/a massa crítica (plataforma de comunicação e pessoas) e… estamos no ponto de partida para começar com a transparência. Por Frika Chia

AFRICOM NET organiza Formação sobre HIV e SIDA A Escola de Jornalismo e de Comunicação Quantitativa, Universidade de Nairobi em conjunto com a Rede Africana para Estratégias de Comunicação e Desenvolvimento [AFRICOM NET] vai organizar de 23 a 27 de Fevereiro de 2009 em Nairobi, Quénia um curso de cinco dias sobre HIV e SIDA Relacionado ao Estigma e Discriminação.

INFORMATIVO

SCARJOV

O curso participativo destina-se a pessoas que trabalham em programas de HIV e SIDA bem como outros profissionais que desejam aumentar suas capacidades e conhecimentos na área de redução de estigma que irá ajudar as condições a tomar em consideração os serviços de cuidados de saúde.


VOLUME

2

EDIÇÃO

2

PÁGINA

OXFAM Optimismo Deslumbrante Desafiando os mitos acerca dos cuidados de saúde privado nos países pobres A realidade do direito a saúde para milhares de pessoas em países pobres depende acima de tudo da crescente massiva dos serviços de saúde para alcançar o equilíbrio e o acesso universal. O aumento do numero de doadores internacionais esta promovendo a expansão da distribuição dos serviços de saúde do sector privado para satisfazer os objectivos. O sector privado pode jogar um papel preponderante dos cuidados de saúde. Este papel demonstra que existe uma necessidade urgente reacender os argumentos usados a favor da expansão do abastecimento do sector privado nos países pobres. As evidencias mostram que priorizar este enfo-

que, é extremamente improvável baixa renda, através da inclusão para distribuir a saúde as pessoas dos Parceiros Internacionais de pobres. Saúde. Os governos e os doadores dos países ricos devem reforçar as capacidades dos estados para regularizar e centrar-se para rápida expansão na disponibilidade da divulgação livre dos cuidados de saúde, uma via clara para salvar milhões de vidas pelo mundo fora.

Algumas das recomendações chaves deste relatório são: Para doadores • Aumentar rapidamente os financiamentos para livre expansão do abastecimento dos cuidados universais de saúde público nos países de

Para os governos dos países em desenvolvimento • Resistir a pressão aos doadores para melhorarem a implementação e a reforma do Mercado disfuncional do sistema de saúde pública e a expansão do sector privado na distribuição dos serviços de saúde. Para sociedade civil Actuar em conjunto para assegurar os governos a reportar o engajamento nas políticas de desenvolvimento, controlando os gastos com a saúde e a distribuição dos serviços, bem como desmascarando a corrupção.

NÍVEL HIERÁRQUICO DE CHEFE Á SUBORDINADO Mas não há opinião correcta Estás sempre certo, estás sempre errado Simplesmente depende do pólo em que te situas, mas acrescenta ainda: os avanços em qualquer campo são constituídos sobre pessoas com pequenos pontos de vistas pessoais. Gostava de partilhar contigo algumas das opiniões que eu tenho das mais velhas e da minha própria experiência. As vezes me perguntam quais são as características necessárias para ser líder? Como alguns que tem trabalhado no campo do HIV sida a mais de 7 anos, eu tenho tido experiências na liderança de alguns

projecto e actualmente coordenando uma rede. Eu também reparei nas pequenas biografias escritas sobre mim, e as pessoas me vejam como líder nesse campo. Eu reflicto. Será que sou? O ponto de vista que irei partilhar agora foi inspirado das conversas com as pessoas, das leituras, das discussões com os meus amigos. Não estou a tentar a convencer-vos de que o meu ponto de vista é correcto… Poderá não ser uma nova ideia, porque poderia ser algo que tem pensado sempre e eu estou aqui para debruçar se de uma maneira diferente de um ponto de vista diferente.

7


OBama promete politicas ousadas no combate ao SIDA O recém-empossado presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, já dá sinal de que seu governo apoiará políticas mais ousadas, no combate ao HIV sida, que seu antecessor George W. Bush. Informações publicadas no site oficial da Casa Branca destacam que OBama pretende implementar uma estratégia nacional de combate ao HIV sida envolvendo todas as agências federais. O governo do democrata apoiará abordagens de prevenção de acordo com as diferentes faixas etárias, incluindo informações sobre contracepção, combate à infecção do HIV entre a população prisional, e irá contra a proibição federal de disponibilizar seringas descartáveis aos usuários de drogas, como método de redução de danos. Em ponderar às mulheres frente à prevenção ao HIV também será um dos focos. Nos Estados Unidos, o percentual de mulheres diagnosticadas com sida quadruplicou nos últimos 20 anos. Hoje, as mulheres representam mais de um quarto de todos os novos diagnósticos da doença. O Presidente OBAMA apresentou a Lei de Desenvolvimento de Microbicidas, a qual acelera o desenvolvimento deste produto que através de uma pomada ou gel seria aplicado pela mulher na vagina, servindo como um meio preventivo contra o HIV. As políticas do novo presidente norte-americano também estão dispostas a confrontar a homofobia.

Michel Sidibé Novo director da ONUSIDA anuncia prioridades Criar esforços globais para garantir o acesso universal ao tratamento, à prevenção, ao cuidado e ao suporte do doente de SIDA é o objectivo principal do Programa Conjunto das Nações Unidas para o HIV e SIDA, o ONUSIDA. Criar esforços globais para garantir o acesso universal ao tratamento, à prevenção, ao cuidado e ao suporte do doente de SIDA é o objectivo principal do Programa Conjunto das Nações Unidas para o HIV e SIDA, o ONUSIDA. Este anúncio foi feito nesta terça-feira, 10, pelo Director Executivo deste órgão, Michel Sidibé, durante uma reunião pública em Khayelitsha, África do Sul. Ele ressaltou que assim como todo o mundo, a região da África Austral - a mais afectada pela SIDA- sofre com a crise económica mundial, mas nem por isso, pode se diminuir os investimentos contra a epidemia nesta região. “Nós não podemos deixar a crise económica nos paralisar,” disse. “Os pacotes de estímulos

e ajustes económicos devem ser feitos pensando nas pessoas. Uma mãe não pode ter que escolher entre continuar o tratamento da SIDA ou a alimentar seus filhos. Não podemos reduzir o número de 4 milhões de pessoas em tratamento e nem deixar de iniciar novos tratamentos”, explicou. Sidibé falou para membros de organizações não governamentais locais, diplomatas, funcionários do governo e, em especial, a Ministra da Saúde da África do Sul, Barbara Hogan. “Não será fácil para cobrir esta lacuna, mas é possível e absolutamente necessário, se quisermos acelerar o ritmo da resposta à epidemia da SIDA”, disse Sidibé. “Juntos vamos ajudar a salvar vidas, colocar mais pessoas em tratamento, proteger bebés e evitar com que jovens se infectem.” O encontro ocorreu na Clínica Ubuntu, que trata da tuberculose e da SIDA, co-infecção que atinge cerca de 70% das pessoas com HIV em Khayelitsha. No mundo, a tuberculose é a responsável por 13% das mortes. Michel Sidibé é natural do Mali e assumiu a direcção do UNAIDS no lugar do belga Peter Piot.


Associação de Reintegração dos Jovens /Crianças na Vida Social

Objectivo: Capacitar os jovens para um desenvolvimento efectivo e habilitoso sobre administração de conflito. Promover a educação sobre HIV-SIDA no contexto dos direitos humanos, com vista a proteger os direitos da criança em particular. Considerar o género como parte integrante da comunidadebaseada na prevenção e administração de conflitos. Missão: Melhorar o conhecimento, para cumprimento e observância dos direitos humanos. Encorajar troca de informação e experiência através de formações, pesquisa, lobby e advocacia.

Estrada da Camama Viana ao Calemba 2 Kilamba Kiaxi - Luanda Angola Telefone: +244-222-002428 Telemóvel: +244-927-713-289 Telemóvel: +244-912-368-535 Correio electrónico: scarjov4@yahoo.com

A reflexão Juvenil para a nova geração

Visão: Contribuir na criação de uma sociedade democrática livre de abusos e violência, onde os direitos dos jovens/crianças são reconhecidos por lei e prática. Contribuir para o desenvolvimento da cultura dos direitos humanos para assegurar a paz, Estabilidade, democracia e desenvolvimento sustentável para a próxima geração. .

Nota do Editor Caros Colegas e Instituições Parceiras Sejam bem-vindos Nesta primeira edição do Boletim Informativo SCARJOV, financiado pelo Programa JOAI – Joint Oxfam Advocacy Initiative. Nesta edição, centrou-se fundamentalmente nas actividades alusivas ao dia Mundial de luta contra SIDA. Um dos objectivos do boletim é mostrar o trabalho dos parceiros mensalmente e disseminar toda informação relevante ao HIV e Direitos Humanos da arena nacional e internacional. Porem, podem con-

Financiamento oficial:

tribuir enviando-nos vossos em progresso e todas sugescalendários de eventos impor- tões são bem vindas. tantes, seminários e formações etc., fotografias, relatórios de actividades e, qualquer coisa de interesse publico que queiram que seja publicitada Direcção do Boletim: no boletim. Este é um trabalho Simão Cacumba M Faria Redacção: José Adalberto Sofia Bernarda Angelina Neusa Propriedade: SCARJOV

Estatua recebido pela SCARJOV como premio sobre HIV e Direitos Humanos

LICENÇA Nº MCS-431/B/2006


Scarjov_2Jan2009