Issuu on Google+

CAPA


REVISTA ALDEIAS // Edição trimestral // Propriedade: Aldeias de Crianças SOS Portugal - Rua José Dias Coelho, 40, R/C Dto 1300-329 Lisboa // Diretora: Joana Horta e Costa // Edição e Coordenação: Luís Sousa // Design e Paginação: Culto da Imagem // Impressão: Gigaresma Artes Gráficas Unipessoal, Lda. - R. Vale Formoso nº39 1900-826 LISBOA Tiragem: 4.000 exemplares // Depósito Legal nº 3573/83 // Nº 104519 Inscrição do Instituto da Comunicação Social 9/7/76


Índice 3

índice

22

24

Passatempos para os mais novos

FAMILY FOCUS | 2012

brinca connosco

notícias do mundo


4 Editorial

editorial

convidamo-lo a desfolhar estas páginas, feitas não só de palavras, mas também de vida e de sonhos, …


Editorial 5

Caros Amigos, é com grande satisfação que vos trazemos o segundo número da revista Aldeias no seu novo formato, abrindo as portas do nosso Mundo e partilhando convosco as vivências das nossas crianças e da nossa Associação. Nestas páginas ficará a saber um pouco da história de vida da Mónica Almeida, ex-residente da Aldeia de Bicesse, que nos deixa um sentimento de orgulho e também de esperança, de que, quando queremos, conseguimos realmente seguir os nossos sonhos. Vai poder conhecer melhor o Diretor da Aldeia da Guarda, Mário Baudouin, num testemunho dado na primeira pessoa, que noz faz perceber as motivações, as dificuldades e as alegrias de abraçar um projeto tão vivo como é uma Aldeia de Crianças SOS. Trazemos jogos e passatempos para os mais pequenos e uma nova receita, desta vez, preparada pela Teresa e pelo Zé da Aldeia da Guarda. E, porque o verão está mesmo a chegar, queremos convidálo a contribuir para as férias escolares das nossas crianças e jovens, participando na campanha Dias de Sol, que encontrará nas páginas centrais desta revista. As férias são aquele momento esperado com grande ansiedade, em que se sonha com mergulhos no mar, aventuras ao ar livre, conhecer novos amigos, e viver momentos inesquecíveis. Por isso, preparámos um conjunto de atividades e colónias de férias que irão garantir dias fantásticos de lazer e aprendizagem às crianças e jovens das nossas Aldeias, mas precisamos da sua contribuição para conseguir passar do sonho à realidade. Em “Os nossos Amigos” poderá ficar a par das mais recentes parcerias que estabelecemos e das empresas que, nos últimos

meses, abraçaram a nossa causa, às quais deixamos desde já um enorme abraço e um grande obrigado. As parcerias com empresas são uma forma fundamental de garantir a sustentabilidade financeira das Aldeias de Crianças SOS, sendo muito importante que os nossos parceiros entendam a prioridade de um compromisso regular, que nos permita assumir o nosso compromisso com as crianças a médio-longo prazo. Nas “Notícias do Mundo” trazemos-lhe os resultados de um importante relatório das Aldeias de Crianças SOS Internacional, “Family Focus 2012”, identificando áreas problemáticas que as famílias de hoje enfrentam e quais as melhores soluções para garantir um 2013 mais promissor. Mas, não desvendando mais, convidamo-lo a desfolhar estas páginas, feitas não só de palavras, mas também de vida e de sonhos, …, sonhos que serão realidade também graças a si, e a todos nós que fazemos parte deste projeto. Todos nós, com o nosso trabalho, o nosso contributo e o nosso entusiasmo, conseguimos dar uma segunda oportunidade às crianças de terem uma infância feliz, de crescerem no seio de uma família, com uma Mãe que lhes dá colo e os educa, no seio de uma Aldeia que tudo faz para que os seus projetos de vida sejam garantias de um futuro risonho. Obrigado. Joana Horta e Costa Diretora de Marketing e Fundraising


6 Em foco

VIVÊNCIAs DE uma EX-RESIDENTE

vivências

mónica almeida Ex-Residente da Aldeia de Crianças SOS de Bicesse

Hoje quando aqui entrei, lembrei-me das vezes em que me agarrava ao portão da Aldeia e me perguntava: será que vou conseguir? O melhor é acreditar e depois logo se vê!


Em foco 7

Na Aldeia de Crianças SOS de Bicesse, quando ainda andava na escola, a Mónica tinha amigas em Cascais com poder de compra elevado e começou a pensar que também poderia consegui-lo, mas que isso só aconteceria se trabalhasse muito e com afinco. Olhava os jovens ao sol e pensava que não era essa a sua concepção de vida. Preferiu experimentar trabalhar de babysitter e no McDonalds ao fim-de-semana. Acabou o 12º ano na Escola Náutica e ainda sonhou com a Marinha e depois com a Polícia, projectos que abandona quando o irmão lhe fala de um curso na TAP para Assistentes de bordo e para Técnicos de manutenção de aeronaves. “Decidi-me pelo mais difícil…” Foi há 14 anos atrás e concorreram 600 pessoas entre as quais três raparigas. Foram selecionadas 40, incluindo a Mónica, a única rapariga a conseguir finalizar o curso. A Mónica fala de si com a força que a caracteriza; o sorriso ainda de criança, transporta-nos para outro tempo e quase a conseguimos rever no seu rosto arredondado e enfeitado pelos totós. A vivacidade do olhar é a mesma, embora agora mais tranquila, mais segura e d eslumbrada com a vida grata pela oportunidade de uma infância muito feliz e que recorda sem nostalgia, mas com saudade.

“Penso sempre no futuro como um sonho, para manter aquele afinco. Sou na profissão como sou na vida.” música, dançar…e faz perguntas de palavras em inglês. Sou feliz na vida e no trabalho. É exigente e de grande responsabilidade, mas ali nada é feito sem pensar. São vidas que estão em jogo.” Teve muito apoio da família. A Bela, a São e o Manel, seus irmãos, foram os seus modelos e o modelo familiar é a sua escolha na vida. Levou este e outros valores da Aldeia de Crianças SOS. Para a vida, levou a oportunidade, a infância feliz, a esperança. Foram 17 anos a viver na Aldeia de Crianças SOS. Recorda a Mãe Graciete, que a recebeu e cuidou, uma das suas maiores referências afetivas.

“Eu acho que toda a gente pode conseguir. Há muita gente que tem pai e mãe e não o faz. Nós não temos e por isso temos de acreditar. Temos de definir o caminho e ir à procura e isso começa desde cedo. A nossa revolta deve ser canalizada para coisas boas, para sonhos e projetos. E foi isso que eu fiz e continuo a basear a minha vida nisso mesmo.” Quando termina o curso sai da Aldeia e vai viver com o irmão. Trabalhou na grande manutenção e agora está na linha da frente. Faz inspeções aos aviões no aeroporto da Portela, de maneira a que se considerem em condições para o voo. Gosta imenso do seu trabalho e considera-se privilegiada pela equipa que tem, onde é, mais uma vez, a única rapariga. Orgulha-se de integrar uma empresa como a TAP, que cuida dos seus colaboradores e se interessa pelas famílias. Ali podem contar com um seguro de saúde, creche, externato, a juntar à credibilidade da empresa tanto a nível nacional como internacional. Trabalha por turnos, concilia com o pai do Gastão a garantia de horários regulares para o filho de 5 anos que constitui a sua prioridade. “Quando saio do trabalho vou buscá-lo e vamos ao parque. Gosta de dar comida aos patos, de andar de bicicleta, de ouvir

“…é como se fosse uma semente que é deitada à terra e cresce uma árvore. A Aldeia é uma oportunidade. O facto de manter os irmãos juntos é fundamental. Para mim são todos meus irmãos, os biológicos e os da Aldeia. Estou para eles quando precisarem ou não e eles sabem que podem contar comigo! Os jovens quando saem da Aldeia em vez de extravasar e ir à procura de outras coisas, devem procurar estabilidade emocional e financeira, para poderem viver com qualidade e tranquilidade, sem querer viver tudo de uma vez. ” Gosta de passar o tempo livre em casa com os amigos, com uma viola e comida saborosa, sempre com boa disposição. “Hoje quando aqui entrei, lembrei-me das vezes em que me agarrava ao portão da Aldeia e me perguntava: será que vou conseguir? O melhor é acreditar e depois logo se vê!” Mónica, parabéns… sim, conseguiste!


8 Os nossos momentos

notícias das aldeias

momentos das aldeias de crianças sos

Estávamos tão perto do campo que quase conseguíamos tocar nos jogadores.


Os nossos momentos 9

Aldeia de Crianças SOS de Bicesse Protocolo com a Academia dos Champs Com o objetivo de promover o desporto junto das crianças e jovens, com idades compreendidas entre os 6 e os 16 anos, a Academia dos Champs assinou um protocolo com a Aldeia de Crianças SOS de Bicesse. Com este acordo, as nossas crianças e jovens vão poder ter aulas de ténis com professores especializados e participar em torneios. Quem sabe se daqui a uns tempos não temos um pequeno “John McEnroe”. Roupa, Rodas e Rock & Roll O Parque das Nações, recebeu no passado mês de Abril, uma iniciativa da Associação Amor que Faz a Diferença. No Skate Parque, vários jovens da Aldeia de Crianças SOS de Bicesse puderam observar demonstrações técnicas de skate, bicicletas BMX e patins em linha. Tiveram também oportunidade para praticar estas atividades radicais e participar em jogos e danças, bem como interagir com outros jovens de escolas circundantes. Ao final da tarde, todos os participantes tiveram direito a um belo lanche enquanto desfrutavam de um concerto de música rock ao ar livre.

Todos juntos, miúdos e graúdos estiveram a pintar o interior da Casa Refugium. às nossas crianças e jovens. Este é agora, sem dúvida, um dos espaços da Aldeia, mais apreciado pelas crianças e jovens, que aprovaram e muito a intervenção da equipa ZON. Com o aproximar dos dias de Verão, prevê-se o início de aulas de natação, com 26 crianças e jovens inscritos, que puseram à prova os seus “dotes” de natação, no passado dia 5 de Maio, perante o professor de natação voluntário.

Remodelação da Piscina A ZON presenteou a Aldeia de Crianças SOS de Bicesse com um trabalho de voluntariado, com o objetivo de reestruturar e alegrar a piscina. Os colaboradores fizeram pinturas, arranjaram a zona envolvente (jardins e passeios) e ainda entregaram material aquático para as crianças e jovens poderem iniciar a aprendizagem da natação. No culminar do dia, para recuperar forças e confraternizar, houve um lanche oferecido pela ZON

Aldeia de Crianças de Gulpilhares Apresentação do Chevrolet Camaro A convite da Chevrolet, fomos ver a apresentação do Chevrolet Camaro, um carro espetacular cheio de potência. Assim que chegámos, ficámos todos de boca aberta. Tivemos a sorte de darmos uma “voltinha”… simplesmente fabuloso, de cortar a respiração. Ao mesmo tempo tínhamos o nosso Chevrolet Aveo com os autocolantes das Aldeias de Crianças SOS onde todos os convidados colavam “post-its” com mensagens de apreço e motivação a todos os jovens da Aldeia de Gulpilhares.

Visita ao Estádio do Dragão A convite da Refrige, fizemos uma visita guiada ao Estádio do Dragão e ainda pudemos assistir ao jogo FC Porto – Vitória de Guimarães. Estávamos tão perto do campo que quase conseguíamos tocar nos jogadores. Apesar de alguns jovens terem cores clubísticas diferentes, todos adoraram e agradeceram a oportunidade que lhes foi proporcionada. Um verdadeiro “fair-play”. No final ainda tivemos direito a uma t-shirt oficial do FC Porto assinada pelos jogadores.


10 Os nossos momentos

NOTÍCIAS DAS ALDEIAS

Atividade com a Empresa Feio & Companhia A Empresa Feio & Companhia veio ajudar-nos na pintura do interior de uma das casas da Aldeia de Crianças SOS de Gulpilhares. Todos juntos, miúdos e graúdos estiveram a pintar o interior da Casa “Refugium”. Foi um excelente trabalho de equipa, pois bastou a parte da manhã para conseguir acabar a pintura e restauro de madeiras. De seguida seguiu-se o tão esperado churrasco. Todos os colaboradores e utentes da Aldeia de Crianças SOS estiveram envolvidos neste mega-picnic com a empresa Feio & Companhia. Play Planet na Exponor Fomos convidados pela Play Planet, para experimentar uma Baliza Interativa Digital. Este equipamento combina todos os aspetos positivos dos jogos de consola com as atividades no exterior. A interação era feita de forma muito simples, através de uma combinação de som, luz, números e letras. Através de uns altifalantes incorporados na estrutura, eram dadas instruções de voz com a explicação do jogo escolhido e facultando orientações durante o decorrer do jogo. Foi uma excelente demonstração, pois estes jogos promovem essencialmente o exercício físico, centrando-se no treino de pontaria, precisão de chuto, força, coordenação e na velocidade de reação.

Aldeia de Crianças SOS da Guarda Dia da Mulher As mães SOS e colaboradoras da Aldeia de Crianças SOS da Guarda comemoraram o Dia da Mulher com um almoço em conjunto. Este e outros convívios informais entre equipa técnica, mães e outros funcionários é fundamental para que todos funcionem como uma equipa coesa em prol das nossas crianças e jovens. Torna-se necessário haver momentos de partilha fora do local de trabalho, num contexto mais lúdico, não só para as mães relaxarem um pouco das problemáticas diárias, mas também para todos os colaboradores se relacionarem em diferentes contextos. Associação de Atletismo da Guarda Caminhada a favor da Aldeia de Crianças SOS da Guarda Integrada no Programa do XXXVI Grande Prémio de Atletismo da Guarda, realizou-se uma Caminhada Solidária a favor da Aldeia de Crianças SOS da Guarda. O Evento promovido pela Associação de Atletismo da Guarda decorreu no Popis (Parque Urbano do Rio Diz). A caminhada pedestre desenrolou-se no Trilho Entre Linhas, um percurso da Rota Natura. A partida e a chegada decorreram no Parque Urbano do Rio Diz, estando o percurso traçado numa zona plana envolvente,

alternativo aos restantes, com um piso misto de alcatrão e terra batida. Foi uma caminhada aberta a todos os interessados, não competitiva e com um grau de dificuldade baixo. Os participantes contribuiram de forma voluntária para a caminhada, comprando rifas e outros produtos elaborados pelas crianças e jovens nos ateliês de expressão plástica e vasos com ervas aromáticas, legumes e flores feitos pela Paula Quintela, mãe SOS. O Jorge, Vanessa e a Cristiana, participaram também como atletas na Grande Prova. Atletas caminheiros e organização estão de parabéns pelo esforço, iniciativa e por abraçarem estas causas sociais. Visita e concerto dos Fingertips A Aldeia de Crianças SOS da Guarda recebeu a visita dos Fingertips. Esta banda, que atuou no TMG no dia 28 de Abril, no âmbito da digressão de apresentação do seu novo álbum “2”, escolheu a nossa instituição para visitar e apoiar. A visita decorreu durante a tarde e todos os elementos foram recebidos com a euforia das crianças. No Lar H. Gmeiner foi servido um lanche que permitiu conhecer mais aprofundadamente o novo projeto desta banda, sobretudo a vertente social dos espetáculos e possibilitou que os Fingertips se familiarizassem com a Aldeia e com as suas reais necessidades. Nesta tournée, a banda aposta na solidariedade social, já que na compra de um bilhete solidário os espetadores deveriam


Os nossos momentos 11

levar dois alimentos não perecíveis (leite, arroz, massa, feijão, atum, salsichas, bolachas, azeite, cereais, queijo, papas e fraldas para bebé, entre outros). O concerto incluiu um “workshop” de bateria durante a tarde e contemplou a angariação de produtos alimentares para a nossa instituição. No final do espetáculo houve a sessão de autógrafos e de fotografias para mais tarde recordar este momento solidário. Batismo e Primeira Comunhão No final de Abril, o Pedro de 9 anos, criança residente na Aldeia da Guarda recebeu o Batismo e a Primeira Comunhão. A missa decorreu na Igreja de São Miguel, na estação da Guarda. A família social, pais biológicos e irmãos acompanharam o menor neste momento importante, sendo a irmã mais velha, a Adriana a escolhida para madrinha. O almoço, organizado pelos pais, decorreu na casa destes e contou com a presença de todas as figuras de referência para o Pedro nas Aldeias: família SOS, amigos e técnicos.

Lar de Autonomia de Rio Maior e Programa de Fortalecimento Familiar “Entre Teias – Famílias SOS” Entre os dias 26 e 30 de Março decorreu em Rio Maior o programa “Entre Teias – Famílias SOS”. Este programa foi organizado pelo departamento pedagógico em colaboração com as valências de Rio Maior: Lar de Autonomia e Programa de Fortalecimento Familiar. Foram 5 dias em que um grupo de

crianças provenientes das Aldeias de Crianças SOS da Guarda e de Bicesse puderam, juntamente com as suas mães SOS, fugir às suas rotinas e fortalecer laços, quer entre irmãos quer com a mãe SOS. Este era um dos grandes objetivos desta atividade - fortalecer laços entre residentes e respetiva mãe SOS. Durante estes dias privilegiámos os momentos em contacto com a natureza, ou não fosse o local de alojamento a nossa Quinta! Houve espaço para momentos de reflexão pessoal e conjunta, temáticas como sexualidade, orientada pelos enfermeiros da Unidade de Cuidados na Comunidade (UCC) de Rio Maior, droga e álcool, orientada pelo CRI de Santarém e arte em família, orientada pela professora Agostinha. Foi também possível descobrir a cidade e arredores de Rio Maior, quer através de um peddy-paper, realizado na cidade de Rio Maior, quer pelas vistas às salinas, à cooperativa do sal, às grutas quer pela rota dos pastores. Todos participaram também numa aula de yoga, com o professor Rafael, que para muitos foi um primeiro contacto com o yoga. O cinema foi outra das atividades proporcionadas. Há também que referir o excelente trabalho, organização, dedicação e empenho que os jovens do lar de autonomia de Rio Maior tiveram em toda esta atividade. Mais do que a descrição do que aconteceu, ficam as memórias de quem viveu estes dias, das amizades que se criaram e das que se reforçaram.


12 A tua voz

Testemunhos

testemunho

do Diretor da Aldeia de

Crianças SOS da Guarda Mário Baudouin

Estas crianças necessitam, acima de tudo, de alguém que lhes dê toda a atenção, de um abraço, de um colo.


A tua voz 13

Esteve sempre ligado à área social? O que fazia antes de assumir a direção da Aldeia de Crianças SOS da Guarda? Antes de aceitar esta responsabilidade, já trabalhava com jovens em situação de risco e em perigo, delinquentes e ex-delinquentes. Participei em vários projetos integrados em bairros sociais. Procurava desenvolver as competências destes jovens, encaminhá-los para a escola, acompanhá-los através de um processo de integração social. Estive também ligado ao Programa Escolhas durante 3 anos. Iniciei o meu percurso profissional com 17 anos de idade, como monitor de deficientes profundos com paralisia cerebral. Esta dedicação durou 3 anos. Depois criei, em conjunto com alguns amigos, uma empresa de animação, a qual tinha a missão de organizar atividades para crianças e jovens desfavorecidas. Sempre senti frustração por não conseguir dar continuidade aos objetivos que tínhamos para estes projetos, nomeadamente toda uma dinâmica de integração que era constantemente interrompida, dado que os recursos eram escassos. O convite para as Aldeias de Crianças SOS surgiu numa altura em que estava a repensar o meu trabalho na área social. O que o levou a aceitar a responsabilidade de dirigir uma Aldeia de Crianças SOS? Achei que podia fazer a diferença. Aqui a postura, para trabalhar no futuro destas crianças, é séria e ambiciosa. Agradou-me a exigência e o desafio do modelo familiar SOS. Aqui o trabalho é mais completo, mas também exige mais empenho e dedicação. Na Aldeia de Crianças SOS o resultado do nosso esforço é mais imediato e visível. E, porque vivo com as crianças e mães SOS, sinto no momento a retribuição do bem que lhes fazemos e do empenho profissional que aplicamos no dia a dia das aldeias. Qual a imagem que as crianças têm do Diretor da Aldeia? Cada criança tem a sua própria imagem. Mas, no geral, sou uma figura paternal para elas. Quando me procuram, pelas mais variadas razões, tenho de ser honesto, ter calma, aconselhá-las. Apesar de todos quererem brincadeira, estas crianças necessitam, acima de tudo, de alguém que lhes dê toda a atenção, de um abraço, um colo. Costuma falar com as crianças e jovens sobre os seus pais biológicos? Apenas em situações muito particulares e especiais, quando há visitas. Essa mediação mais próxima é feita com a assistente social e psicóloga. Apesar do Diretor também falar com as famílias, o seu papel está mais virado para o tribunal. Até porque as crianças e jovens não exteriorizam muito essa necessidade.

Como vê o papel das Mães SOS? As Mães SOS têm o papel central na Aldeia de Crianças SOS e na organização. Fazem parte de uma equipa de trabalho. Agem

Tornam-se mais libertas, começam a ter perspetivas de futuro, sentem-se livres de pensar. diretamente no desenvolvimento e crescimento das crianças. Desenvolvem um trabalho terapêutico e uma missão pessoal para com as crianças. Na minha relação com as Mães SOS, apesar de profissional, tenho de procurar a relação com “a pessoa”, que também tem as suas necessidades e problemas, que também precisa de ser acompanhada, acarinhada, de sentir que é responsável, que também fica doente. Têm de sentir que não estão sozinhas, que estamos atentos “à pessoa” e ao seu trabalho. O principal está em funcionarmos não só como equipa, mas como uma grande família SOS. As crianças sentem-se felizes na Aldeia de Crianças SOS da Guarda? Quando chegam, tornam-se mais libertas, começam a ter perspetivas de futuro, sentem-se livres de pensar. Antes de chegar, eram maltratadas, estavam muito condicionadas, pois não tinham direito a ter uma opinião. No entanto, temos crianças e jovens com problemas de infelicidade, depressões. Procuramos que tenham menos medos, que vão buscar forças para reagir e que tenham uma atitude mais positiva sobre a vida. Na Aldeia, estão tranquilos, mas nem todos se conseguem livrar desta tristeza que os prende, estritamente ligada ao seu passado difícil. Há todo um processo de adaptação que exige tempo para resolver esse passado. Estas crianças e jovens necessitam de alguém que os apoie durante o seu crescimento, com quem se relacionem de uma forma vinculativa, como criar um laço de sangue. Esta crise económica tem tido algum impacto na rotina da Aldeia de Crianças SOS da Guarda? As pessoas estão diferentes. Sinto um pulsar diferente, mas tento que esses problemas não passem para as mães, crianças e jovens SOS. Temos de gerir muito bem o nosso orçamento. Fazer como todas as famílias, procurar os melhores preços e tentar poupar ao máximo. Por outro lado, encetamos todos os esforços para conseguir aumentar a rede de solidariedade junto dos particulares e das empresas para garantir a sustentabilidade no médio-longo prazo. Certo que não será pela crise que vamos baixar os braços. Trabalhamos todos os dias para que as nossas crianças e jovens sintam que vale a pena lutar por um futuro melhor.


campanha

dias de sol


As Colónias de Férias podem proporcionar às nossas

crianças, um conjunto de atividades que contribuem para

o seu bem-estar, assim como para o seu enriquecimento

pessoal e interpessoal.

Torreira

Jogos de Pistas Pedagógicos; Natação; Hidroginástica; Ginástica; Jogos de Orientação; Caças ao Tesouro; Concursos e serões temáticos;

Praia; Atividades em polidesportivos e piscinas; jogos de

interação com a população; caminhadas e passeios, jogos

tradicionais; BTT; pedy-paper´s; visitas a legados históricos e

culturais

Paintball; Rappel; Escalada; Slide; Canoagem; Rafting

Viva o Verão!


18 Constrói o futuro

A nossa missão e A nossA PRESENÇA

missão e onde estamos

Acompanhamos as crianças e jovens que se encontram em situação vulnerável, com o objetivo de promover o seu pleno desenvolvimento e autonomia, através do acolhimento, da prevenção e do fortalecimento das suas redes familiares e sociais.


Constrói o futuro 19

Aldeia Rapazes - 18 Raparigas - 22 Idades - 4 aos 20 Equipa - 18 Mães SOS - 6 Casas e Lares - 8

Programa de

fortalecimento familiar (em inicio de atividade)

Famílias Abrangidas - 3 Crianças - 6

Equipa Técnica - 3

Aldeia

Lar de Autonomia

Rapazes - 10

Rapazes - 4

Raparigas - 14 Idades - 1 aos 20

Idades - 18 aos 19

Equipa - 13

Equipa - 1

Parede

Mães SOS - 4 Casas e Lares - 4

Aldeia Rapazes - 24 Raparigas - 32 Idades - 3 aos 23

Lar de Autonomia

Equipa - 24 Mães SOS - 7 Casas e Lares - 8

Loja Solidária

As Aldeias de Crianças SOS foram fundadas em 1949, em Imst, na Áustria. Estão presentes em 133 países, estando em Portugal há 48 anos.

Rapazes - 4 Idades - 18 aos 19 Equipa - 1

Sede


20 Os nossos sabores

Carbonara Ă  moda da teresa e do zĂŠ

os nossos sabores

receita da teresa e do zĂŠ (PARA 8 pessoas)

Fico contente por fazer a comida e todos gostarem.


Os nossos sabores 21

Teresa e Zé

Aldeia de Crianças SOS de Guarda

Teresa e o Zé têm 15 anos de idade e vivem há seis anos na Aldeia de Crianças SOS da Guarda. Chegaram à Aldeia em pleno Agosto. Neste momento o Zé está no 7º ano e a Teresa frequenta o 8º ano. O Zé tem o objectivo de entrar num curso profissional de cozinha e a Teresa está com boas notas e neste momento mistura ideias e sonhos, dúvidas e incertezas, como numa receita, aquela que a levará com certeza a um futuro risonho!

carbonara à moda da Teresa e do Zé INGREDIENTES (para 8 pessoas) Massa ( espiral ou macarrão riscado) Fiambre aos cubos Bacon aos cubos Queijo fatiado Carne a gosto ( hoje foi entremeada) 3 pacotes de 200ml de natas

História

Numa sexta-feira, a Teresa ficou responsável pelo jantar da família e logo num dia em que esperava a visita de um grupo de Mães de outras Aldeias de Crianças SOS que se encontravam na Guarda para uma ação de formação.

PREPARAÇÃO

No seu olhar podia ver-se a determinação, mesmo que envergonhada, de quem arregaça as mangas e põe mãos à obra. Não tinha o irmão para ajudar, pois estava fora, mas tinha a Mónica, irmã da Casa, a educadora Cândida e o incentivo da Mãe Celina, que a elogiava com carinho.

1. Colocar a massa a cozer 2. Cortar o fiambre, o bacon e a carne escolhida aos cubos 3. Refogar a carne numa frigideira 4. Misturar o fiambre e o bacon à carne 5. Juntar as natas e derreter o queijo 6. Adicionar a massa já cozida ao preparado, envolvendo todos os ingredientes 7. Servir

Conta que aprendeu este prato com o irmão mais velho e que a primeira vez que o confecionou, todos gostaram e quiseram repetir. O “Stefano”, conhecido por ser um “bom garfo”, ficou aborrecido quando viu o fundo ao tacho. Como em todas as Aldeias de Crianças SOS, pode-se contar sempre com as vizinhas para qualquer ingrediente em falta “Ainda estamos a dever um pacote de natas à Zília!”.

SUGESTÃO

No final do jantar todos aprovaram o manjar e logo recebeu um convite para ir à Aldeia de Crianças SOS de Gulpilhares para dar a provar o seu prato. “ Fico contente por fazer a comida e todos gostarem.”, comentou a cozinheira de serviço.

Sirva acompanhado com oregãos.


22 Brinca connosco

jogos e passatempos Pinta o desenho

Dá cor a estes dois irmãos que brincam na praia durante as férias de verão.


Brinca connosco 23

Descobre o nome dos animais Completa o nome dos animais e de seguida pinta-os.

B

P

M

X s

Encontra o caminho

V

a

Papag

aio

Liga os nomes aos objectos

Calçõe

Caste

s l o S de u é p Cha

lo

Chinelos


24 Notícias do mundo

FAMILY FOCUS | 2012

Family Focus 2012 tempos desafiantes

Ao assinar a Convenção das Nações Unidas para os Direitos da Crianças, os Estados aceitaram que têm uma obrigação legal de apoiar os pais e os cuidadores a criar as suas crianças.


Notícias do mundo 25

Family Focus | 2012

O que pode ser feito para que 2013 seja um ano melhor para as famílias

Family Focus 2012 é um relatório elaborado pela Aldeias de Crianças SOS Internacional que identifica as 5 principais áreas de preocupação para as famílias, a nível global, apresentando diversas opções para todos aqueles que desejem fazer algo, JÁ para melhorar a vida das famílias. 1. Os Estados falham na resposta à crise de pobreza que está a afetar as famílias Dado que a crise económica coloca pressão sobre a capacidade dos governos em apoiar as famílias, há uma maior necessidade de reforçar as medidas adequadas de proteção social. A falta de serviços que garantam condições de vida adequadas, nutrição e cuidados de saúde, contribui para uma continuada mortalidade infantil nos países em vias de desenvolvimento. Os Governos têm o dever legal de apoiar as famílias em áreas como a habitação, o saneamento, as infraestruturas, a segurança alimentar, a saúde e a educação. 2. O custo do desemprego e da migração está a afetar as crianças O número de desempregados e trabalhadores pobres está a aumentar e muitos pais estão a recorrer à migração laboral para conseguir benefícios financeiros para as suas famílias. Contudo, a separação dos membros da família pode ter um impacto devastador na vida da família e no desenvolvimento da criança. 3. As crianças menores de cinco anos não precisam de morrer devido a causas evitáveis Em 2013 prevê-se que mais de cinco milhões de crianças morrerão antes de atingir seu 5º aniversário. É essencial melhorar a educação preventiva para manter vivas e em bem-estar, em países onde a saúde é inexistente ou inacessível. Cuidados de saúde preventivos, baseados na mudança social, cultural e comportamental, têm um impacto imediato e de longo prazo, especialmente na vida das mulheres e das crianças. 4. O sistema escolar tem de prevenir o abandono As melhorias recentes no acesso à educação primária não foram acompanhadas por melhorias na qualidade da escolaridade ou no acesso ao secundário e ao ensino superior. Muitas crianças, em especial raparigas, continuam a desistir da escola para trabalhar e poderem contribuir para o rendimento da família. 5. Violência, negligência e exploração – é como a crise económica afeta as crianças A crise económica global tem afetado de forma severa as com-

petências parentais. As condições de vida inadequadas e a luta pela sobrevivência económica, têm aumentado o stress e o desespero e contribuído para ambientes de depressão, conflito, alcoolismo e violência. Um desequilíbrio crescente entre a vida familiar e a profissional está a sufocar os pais e a retirar-lhes a capacidade de dedicar tempo aos seus filhos. A pobreza da família torna as crianças vulneráveis à violência, abuso, negligência e exploração. As famílias nestas situações requerem um forte apoio através das redes sociais da comunidade, da informação, dos serviços públicos e das estruturas de suporte. Apelo à Ação - O que pode ser feito JÁ para que 2013 seja um ano melhor para as famílias? Agir sobre a legislação existente. Ao assinar a Convenção das Nações Unidas para os Direitos da Crianças, os Estados assumem a sua obrigação legal de apoiar os pais e os cuidadores a criar as suas crianças. Redes de segurança social, água limpa para beber, nutrição adequada e um ambiente limpo são um apoio fundamental para as famílias. Os serviços públicos têm de ser capazes e têm de chegar aos excluídos da sociedade. O emprego deve reforçar não dividir, a família. A criação de emprego nos lugares de origem das famílias deve ser prioritária, para que ninguém seja forçado a ter que escolher entre encontrar trabalho e viver com a sua família. Assim, ambos os setores público e privado devem trabalhar com os objetivos de criar empregos apropriados e salários justos. A saúde materna e infantil é uma necessidade básica. São necessários mais recursos para apoiar iniciativas de saúde preventiva, planeamento familiar e educação para a saúde. A qualidade da educação pode quebrar o ciclo da pobreza. Apesar da melhoria do acesso à educação, é preciso melhorar a qualidade da educação e reduzir o número de desistências. Isto implica apoiar serviços educativos para a primeira infância nos meios mais desfavorecidos e promover competências fundamentais para o mundo moderno. Ajudar, significa estar lá para evitar que uma situação má se agrave. Os pais precisam de apoio para fazer o que é melhor para os seus filhos. É preciso investir ideias e recursos para mudar normas sociais, tais como a aceitação da punição corporal. In “Family Focus| 2012 – Challenging Times – How 2013 can be made better” Aldeias de Crianças SOS Internacional www.sos-childrensvillages.org/news-and-stories/family-focus-2012


26 Os nossos amigos

Espaço para empresas e parceiros

os nossos amigos

Convidamos desde já a sua empresa a aderir a uma destas formas de abraçar este nosso projeto em que tanto acreditamos e pelo qual dedicamos o nosso dia-a-dia e o nosso coração.


Os nossos amigos 27

Hotéis Real homenageiam Mães SOS com campanha do Dia da Mãe A cadeia dos Hotéis Real lançou uma campanha comemorativa do Dia da Mãe em parceria com as Aldeias de Crianças SOS, com o objetivo de ajudar a divulgar e homenagear o trabalho fundamental e indispensável das nossas Mães SOS e, ao mesmo tempo, angariar fundos que permitam às Aldeias de Crianças SOS continuar a fazer um excelente trabalho junto das suas crianças e jovens.

em Portugal que as crianças mostraram maior interesse, disciplina, criatividade e espírito de equipa, o que nos enche de grande orgulho! As pinturas feitas no workshop foram vendidas, todas com sucesso, numa exposição realizada posteriormente, sendo os fundos angariados destinados à construção de uma nova casa na Aldeia de Crianças SOS do Uganda.

Foram disponibilizados menus e massagens com a “assinatura” das Mães SOS, contando um pouco da sua história e convidando os clientes dos Hotéis Real a aderirem à campanha e, assim, contribuirem para a nossa causa. E, como imagens podem dizer mais que mil palavras, deixamos algumas desta campanha, com um grande obrigado aos Hotéis Real pelo sucesso desta campanha. Equipa da HP realiza workshop de pintura na Aldeia de Bicesse e renova casa Uma equipa composta por mais de 100 voluntários da HP, nacional e internacional, esteve dois dias na Aldeia de Bicesse onde teve a oportunidade de desenvolver um workshop de pintura com um grupo de jovens SOS e também ajudar a renovar uma das casas da Aldeia. Foram 11 os jovens felizardos que participaram no workshop de pintura, uma atividade que pôs à prova a sua criatividade e capacidade de trabalho em equipa, da qual saíram distinguidos com rasgados elogios pela equipa organizadora. Segundo palavras da organização, num total de 12 workshops já realizados pela HP em várias Aldeias de Crianças SOS na Europa, foi

Uns dias depois do workshop foi tempo para “pôr as mãos à obra”. Mais de 100 voluntários HP estiveram na Casa Van Leer, em Bicesse, para que pudesse receber as crianças quando as Mães SOS estão de folga. Foi necessário desocupar todos os espaços, limpar, pintar, renovar e montar novo mobiliário para todas as divisões. No final do dia, o balanço foi claramente positivo pois, graças ao patrocínio da HP para a aquisição de todos os materiais e equipamentos, ao seu esforço e capacidade de trabalho, foi possível preparar a Casa Van Leer para ser o novo CAF (Centro de Apoio Familiar) da Aldeia. Um profundo agradecimento da Aldeia de Bicesse à HP!


28 Os nossos amigos

Espaço para empresas e parceiros

Louis Vuitton inaugura parque infantil na Aldeia de Gulpilhares A Louis Vuitton patrocinou a renovação do parque infantil da Aldeia de Crianças SOS de Gulpilhares e preparou uma festa de inauguração para as crianças e jovens da Aldeia. Foi com muita expectativa que no final do ano passado as crianças da Aldeia assistiram, passo por passo, à desmontagem do parque antigo, preparação do terreno e finalmente à montagem do novo parque. E, foi ainda com maior entusiasmo que correram para os baloiços e escorrega no dia em que o mesmo ficou pronto. Brincar, brincar, brincar, foi a palavra de ordem!

Em Maio, já com uma condição meteorológica mais favorável, foi a inauguração oficial do Parque Infantil, com a presença dos representantes da Louis Vuitton, que organizaram uma simpática festa para as crianças e trouxeram com eles uns convidados muito especiais, a Diana Pereira, o Tiago Monteiro e os seus dois petizes que aproveitaram para brincar juntamente com os miúdos SOS e aproveitar os encantos do novo parque infantil.

3M é a mais recente Empresa Comprometida SOS A 3M Portugal, que desde o ano passado faz parte da rede de solidariedade de apoio às Aldeias de Crianças SOS, aceitou aprofundar este relacionamento e é a mais recente Empresa Comprometida SOS. Com a assinatura de um protocolo de cooperação visando contribuir para o bem-estar das crianças e jovens SOS, a 3M associa-se à missão das Aldeias de Crianças SOS através de donativos regulares em espécie (produtos comercializados pela 3M), donativos regulares monetários e através da criação de um banco de voluntariado pessoal, no qual colaboradores da 3M, a título individual, disponibilizam o seu tempo para apoiar o de-

senvolvimento de tarefas necessárias nas nossas Aldeias. Para Jorge R. López, Diretor Geral da 3M Ibéria, “Esta é uma ação muito gratificante. Podemos oferecer a todas as Aldeias de Crianças SOS produtos dos mais diversos sectores, desde produtos escolares para as crianças, de limpeza para as mães e de primeiros socorros para todos, entre outros, que fazem parte do nosso leque de produtos e serviços. O nosso objetivo é sermos uma empresa comprometida com a sociedade contribuindo para o bem-estar geral e para uma sociedade envolvida com causas nobres”. Também a componente de apoio financeiro regular é importantíssima para as Aldeias de Crianças SOS, pois permite que haja um planeamento e uma gestão mais eficaz dos recursos, contribuindo para o bem-estar de todas as crianças e jovens SOS no longo prazo. De forma a dar início a esta parceria entre a 3M e as Aldeias de Crianças SOS, e também para dar a conhecer aos colaboradores da empresa este novo protocolo e o trabalho desenvolvido pela Associação, as Aldeias de Crianças SOS estiveram presentes na Semana da Sustentabilidade organizada pela 3M nos escritórios em Lisboa. Foram duas manhãs em que houve oportunidade para explicar o conceito único de acolhimento das Aldeias de Crianças SOS e também vender umas peças de merchandising, como forma de angariação de fundos e integração dos colaboradores 3M a título individual no apoio dado pela empresa. Bem-vinda 3M!

Campanha de apoio da PT “Ajude quem Ajuda!” é o nome da campanha anual que a PT está a desenvolver junto dos seus colaboradores. Neste projeto de responsabilidade social a PT vai apoiar 12 instituições portuguesas, uma em cada um dos 12 meses do ano 2012. Foi Abril o mês em que a PT se juntou às Aldeias de Crianças SOS, para recolher pequenos e grandes eletrodomésticos, mobiliário e outros equipamentos que faziam falta nas casas de família das aldeias e nos apartamentos de autonomia. Com a generosidade de todos conseguiremos, com certeza, colmatar várias necessidades das famílias, agradecendo desde já todos estes pequenos grandes gestos!


Os nossos amigos 29

Mãe Anabela As Aldeias de Crianças SOS são uma instituição que acolhe crianças órfãs, abandonadas ou pertencentes a famílias de risco. A Anabela, da Aldeia de Bicesse, é Mãe SOS de 7 filhos que são a sua maior paixão. Na cozinha acha fascinante as mil e uma maneiras de confeccionar bacalhau. Inspirado na Anabela, o Chefe às mil e uma maneiras de confeccionar bacalhau adicionou uma colher de sabor Real.

“Testemunho Empresa

SOS”

Deixamos o testemunho de uma das empresas que faz parte da rede de apoio às Aldeias de Crianças SOS, os Hotéis Real:

clientes que assim têm a oportunidade de desfrutar de uma semana repleta de workshops sob o tema do chocolate e ajudar as Aldeias SOS.

“Empenhados em exercer uma cidadania responsável, os Hotéis Real têm vindo a assumir, de forma gradual, uma postura social, ética e ambiental consciente. Desta forma, procuramos interagir com as comunidades envolventes, retribuindo-lhes parte do que delas recebem.

Fãs incondicionais das Aldeias SOS, este ano quisemos homenagear as Mães SOS durante a nossa campanha do Dia da Mãe. Tratou-se de uma iniciativa que aumentou ainda mais a notoriedade do projecto SOS interna e externamente.

Foi neste contexto que descobrimos, há quase 5 anos, o projecto das Aldeias de Crianças SOS. Foi amor à primeira vista e, desde então, o nosso maior evento anual - a Semana do Chocolate - tem dado a conhecer esta organização aos nossos

De facto, para os Hotéis Real, o resultado mais importante foi o aumento da consciencialização dos colaboradores para a importância de sermos socialmente responsáveis, quer a nível corporativo, quer a nível individual.” “Hotéis Real”


30 Os nossos amigos

ESPAÇO PARA EMPRESAS E PARCEIROS

Ensaio Geral solidário a favor

das Aldeias de Crianças SOS As Aldeias de Crianças SOS e a Companhia Nacional de Bailado (CNB) abrem as portas do Teatro Camões para o receber no dia 25 de Outubro para assistir ao Ensaio Geral Solidário do programa de Anne Teresa De Keersmaeker. O espetáculo começa às 21h00, no Teatro Camões, em Lisboa (junto ao Oceanário de Lisboa – Parque das Nações).

Como fazer para efectuar o seu donativo e receber os seus convites: Realizar uma transferência bancária para: • NIB: 0033 0000 5003 8495 9520 5, e enviar o comprovativo da transferência para o e-mail portugal@aldeias-sos.org (mencionando o seu nome, morada e NIF). Nós enviaremos o convite por correio, ou por e-mail ou pode fazer o levantamento do mesmo no dia do evento (até às 20h00), no Teatro Camões, mediante apresentação do convite enviado por e-mail.

Alimente o sonho das nossas crianças assistindo a este memorável espetáculo. Gostaríamos de ter o prazer da sua presença, pelo que teremos convites para lhe oferecer em troca do seu donativo (não inferior a 20€ por convite). A CNB será a segunda companhia do mundo a interpretar criações da Artista da Cidade de Lisboa 2012, Anne Teresa de Keersmaeker e a noite conta com a apresentação de três peças de dança contemporânea, Prelúdio à sesta de um fauno, Grosse Fuge, Noite Transfigurada, acompanhadas ao vivo pela Orquestra Metropolitana de Lisboa. A relação da coreógrafa com a música, que lhe valeu o título de “chorégraphe musicienne”, está bem patente nesta selecção inédita de peças que a Companhia Nacional de Bailado terá o privilégio de interpretar.

• • •

• •

Dirigir-se à sede das Aldeias de Crianças SOS, morada: Rua José Dias Coelho, nº 40, R/C Dto. 1300-329 Lisboa Online: Aceder ao nosso site www.aldeias-sos.org, fazer donativo online e escolher a campanha “Ensaio Geral Solidário” no respectivo formulário da Easypay. Em conjunto com o seu convite, enviaremos um recibo de donativo para efeitos de dedução fiscal, ao abrigo da Lei do Mecenato. Para mais informações sobre estes convites e o espetáculo utilize os seguintes contactos. Telefones: 21 361 6950 ou 924 186 919 E-mail: portugal@aldeias-sos.org

Torne a sua empresa numa Empresa SOS Nas Aldeias de Crianças SOS queremos um mundo onde as crianças podem ser crianças, onde as famílias cuidam das suas crianças e as tratam com amor, um mundo onde os jovens podem ser protagonistas dos seus próprios sonhos, um mundo onde os direitos das crianças são sempre respeitados e promovidos! Este é o mundo que queremos e pelo qual trabalhamos diariamente. Junte-se a nós nesta causa! Como pode a sua Empresa fazê-lo? Tornando-se numa Empresa SOS – contribuindo de uma forma regular para o desenvolvimento e educação das nossas crianças. Para esse efeito, criámos 3 possibilidades de envolvimento com a nossa missão, para que qualquer empresa realize os seus projetos de responsabilidade social em parceria com as Aldeias de Crianças SOS. Assim, pode-se tornar numa Empresa Amiga SOS, Empresa Protetora SOS ou Empresa Comprometida SOS, tendo associado um conjunto de benefícios diferenciados. Convidamos a sua empresa a aderir e a abraçar este projeto em que tanto acreditamos e pelo qual dedicamos o nosso dia-a-dia e o nosso coração. O apoio da sua empresa será fundamental para um futuro mais risonho das nossas crianças. Obtenha mais informações: mariana.cabral@aldeias-sos.org e ou 21 361 69 50


Empresas SOS 2012 Empresas Comprometidas

sos

Fundação

Bechgaard

Empresas Amigas

sos

Obrigado a todos!



Boletim 2 Trimestre 2012